Você está na página 1de 29

THM

13

SISTEMA DE COMBUSTÍVEL

13.1 - GENERALIDADES SOBRE O SISTEMA DE COMBUSTÍVEL


13.1.1. DISPOSIÇÃO BÁSICA DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL
13.1.2. TANQUES DE COMBUSTÍVEL BÁSICOS E "OPCIONAIS"
13.1.3. PRINCÍPIO DO TANQUE ALIMENTADOR CHEIO

13.2 - DIAGRAMAS FUNCIONAIS DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL


13.2.1. TANQUES DE COMBUSTÍVEL BÁSICOS
13.2.2. SISTEMAS DE ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL DO MOTOR

13.3 - COMPONENTES DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL


13.3.1. CONTROLES E INDICADORES
13.3.2. COMPONENTES DOS TANQUES DE COMBUSTÍVEL BÁSICOS
13.3.3. COMPONENTES DO SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL DO MOTOR
13.3.4. VISTA DO FILTRO DE COMBUSTÍVEL

13.4 - COMANDOS E INDICADORES ELÉTRICOS DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL


13.4.1. COMANDO DA BOMBA DE REFORÇO
13.4.2. COMANDO DA BOMBA DE TRANSFERÊNCIA E SINALIZAÇÃO
13.4.3. INDICADOR DE COMBUSTÍVEL
13.4.4. INDICADORES DE "NÍVEL BAIXO" E "NÍVEL ALTO"
13.4.5. SINALIZAÇÃO DO SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL

13.5 - TANQUES DE COMBUSTÍVEL "OPCIONAIS"


13.5.1. TANQUE DE COMBUSTÍVEL CENTRAL (6°)
13.5.2. TANQUES DE COMBUSTÍVEL AUXILIARES EXTERNOS
13.5.3. TANQUE DE COMBUSTÍVEL DA CABINE
13.5.4. TRANSFERÊNCIA DOS TANQUES DE COMBUSTÍVEL "OPCIONAIS"

13.6 - COMANDOS E INDICADORES ELÉTRICOS DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL


(COM AMPLIFICADOR 37Q E BLOCO DE COMANDO 36Q)
13.6.1. COMANDO DA BOMBA DE REFORÇO
13.6.2. COMANDO DA BOMBA DE TRANSFERÊNCIA E MONITORAMENTO
13.6.3. INDICADOR DE COMBUSTÍVEL
13.6.4. INDICADORES DE "NÍVEL BAIXO" E "NÍVEL ALTO"
13.6.5. CENTRAL DE INDICAÇÃO DOS TANQUES DE COMBUSTÍVEL SUPLEMENTAR
NO COMPARTIMENTO DO TREM DE POUSO
13.6.6. COMPONENTES DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL

13.1
THM

13.1 - GENERALIDADES SOBRE O SISTEMA DE COMBUSTÍVEL: SISTEMA BÁSICO,


FUNÇÕES BÁSICAS, EQUIPAMENTOS OPCIONAIS
13.1.1. DISPOSIÇÃO BÁSICA DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL
( 1 ) Há dois grupos de tanques de combustível: 1 para cada motor

GRUPO 2 (DIREITO)

2
6 TANQUES DE COMB. BÁSICOS 1

GRUPO 1 (ESQUERDO)

( 2 ) Os sistemas de alimentação de combustível do motor são completamente independentes


· O grupo 1 alimenta o motor 1 (esquerdo)
· O grupo 2 alimenta o motor 2 ( direito)

( 3 ) Há um TANQUE ALIMENTADOR em cada (4) O combustível pode ser transferido de um grupo


grupo de tanques de combustível ao outro através de uma bomba de transferência
É dos tanques alimentadores que as DUAS BOMBAS Em vôo, é possível equilibrar a quantidade de combustível
DE REFORÇO que alimentam cada motor, succionam entre os dois grupos.
o combustível. Particularmente, em caso de pane de um motor, a transfe-
Os tanques alimentadores PERMANECEM CHEIOS rência permite restabelecer a centragem e consumir, se ne-
enquanto houver combustível nos outros tanques. As cessário, todo o combustível.
bombas de reforço succionam o combustível dos tan-
ques alimentadores que estão sempre cheios.
Será visto mais à frente como os tanques alimentado-
res são mantidos cheios.
MOTOR 2
Tanque alimentador direito

Bomba de
2 bombas de reforço
transferência

Tanque alimentador esquerdo

MOTOR 1

13.3
THM

13.1.2. TANQUES DE COMBUSTÍVEL BÁSICOS E "OPCIONAIS (DESIGNAÇÃO,


IDENTIFICAÇÃO E CAPACIDADE DOS TANQUES DE COMBUSTÍVEL)

Tanque
GRUPO 2 Auxiliar externo
é composto dos tanques número : 2-4-7 com 325 litros
capacidade total (no solo) de 1128
litros

’ • •
Tanque longitudinal
direito Ž
Tanque
Tanque 236 litros Tanque

dianterio
transversal ‘ Tanque central
324 litros
transversal Tanque traseiro

dianteiro Tanque longitudinal traseiro 246 litros


487 litros
Πesquerdo
246 litros 423 litros
405 litros

GRUPO 1
é composto dos tanques número: 1-3-5
capacidade total (no solo) de 915 ”
Tanque
Auxiliar externo
325 litros
Os tanques opcionais são os números 6, 8 e 9.

As quantidades indicadas correspondem a uma posição cabrada de 0º55'.

NOTA : 1- CONSULTAR O MANUAL DE VÔO PARA SABER OS VALORES REAIS


2 - A DENSIDADE USADA PARA CALCULAR QUANTIDADES É DE 0.792Kg/l

Um 10º tanque, pertencente ao


grupo esquerdo, pode ser ins-
talado na cabine.

Além dos tanques opcionais, alguns equipamen-


tos opcionais específicos aos usuários podem ser
instalados no sistema de combustível. Por exem-
plo:
- Sistema de abastecimento sob pressão,
- Sistema de alijamento de combustível.
Para melhor compreensão, os tanques opcionais
são tratados com o sistema básico.
Para os vôos longos, é possível utilizar tanques de translado
instalados na cabine.

13.4
THM

13.1.3. PRINCÍPIO DO TANQUE ALIMENTADOR CHEIO


As bombas de reforço enviam o combustível ao motor nos outros tanques. Em caso de pane de uma bomba de
e alimentam um ejetor (5) que, por efeito de venturi reforço, as válvulas (2) evitam que o combustível, envia-
transfere para o tanque alimentador o combustível dos do pela bomba de reforço em funcionamento, retorne ao
outros tanques do grupo. Uma válvula de retenção (3) tanque alimentador pela bomba em pane, isolando o eje-
só deixa passar combustível no sentido "tanque trans- tor.
versal - tanque alimentador". Esta válvula permite, As válvula (4) do ejetor evita o apagamento dos motores
quando se abastece, o enchimento dos tanques ali- quando os tanques transversais estiverem vazios e as
mentadores. Como o fluxo induzido do ejetor é supe- bombas de reforço paradas.
rior ao consumo do motor, o tanque alimentador per- As panes que podem causar uma queda do nível dos
manece sempre cheio enquanto houver combustível tanques alimentadores serão vistas mais à frente.

ΠMOTOR 1
Ž •

2 1 2 3 4 5

PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO DO EJETOR


A aceleração do fluxo indutor (A), provocada pela convergência cria
uma depressão ao nível do colo da trompa. Esta depressão succio-
na o combustível do tanque (fluxo induzido B). "C" é o fluxo de "re-
torno ao tanque alimentador" (A + B).

MOTOR 2


Ž

’ •
Œ

MOTOR 1
O retorno do ejetor é equipado com um prolongador
que, em caso de estacionamento em terreno inclina-
do (frente à rampa), impede que o combustível do
Na realidade não há somente uma válvula de
tanque alimentador retorne no tanque transversal
rertenção, mas uma válvula pequena no fundo do
Nº3.
tanque e uma válvula grande mais para cima do
tanque.
Quando o tanque transversal está vazio, o ejetor fun-
ciona em circuito fechado: todo o combustível vindo
das bombas retorna ao tanque alimentador.

13.5
THM

13.2 - DIAGRAMAS FUNCIONAIS DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL

13.2.1. TANQUES DE COMBUSTÍVEL BÁSICOS

( 1 ) Grupo esquerdo 1
L: tanque longitudinal (alimentador)
T: tanque transversal
MOTOR 1
TR: tanque traseiro
L T TR

2 3 4 3 5 6 2
Dreno de combustível

Dreno de água
9
7
FUEL 8

Q < 90 litros As tubulações de intercomunicação situadas na parte


superior do tanque alimentador permitem o transborda-
1 - Luz indicadora de "nível alto"
mento do tanque muito cheio para o tanque transver-
2 - Liquidômetro sal (fluxo do ejetor ou da bomba de transferência supe-
3 - Bomba de reforço rior ao consumo dos motores).
4 - Botões de comando da bomba de reforço L T
5 - Válvula de retenção do tanque alimentador
6 - Ejetor
7 - Indicador de quantidade de combustível do grupo esquerdo
8 - Luz de alarme de "nível baixo" do tanque alimentador
9 - Luz "FUEL" no painel de alarme central 32 α

FUNÇÕES ASSEGURADAS:
· Alimentação de combustível por 2 bombas de · Indicação de "nível baixo":
reforço (3). O sensor de "nível baixo" do liquidômetro do tanque ali-
mentador acende a luz (8) quando o nível no tanque ali-
· Transferência através do ejetor (já explicado) mentador é inferior a 90 litros. Isto significa que os ou-
tros tanques do grupo estão vazios. Assim, quando a
· Medição de combustível: luz (8) se acender, se a quantidade de combustível lida
O nível de combustível de cada tanque é medido por no indicador for superior a 90 litros, a causa pode ser
um liquidômetro com capacitância variável (2). Os três uma das seguintes panes: falha de um ejetor, emperra-
liquidômetros estão ligados a um indicador (7) no qual mento da válvula do tanque alimentador na posição a-
pode-se ler a quantidade de combustível de cada gru- berta ou PANE DAS DUAS BOMBAS DE REFORÇO.
po. Os três liquidômetros (2) possuem um sensor de O nível de combustível no tanque alimentador e nos ou-
nível alto, e o liquidômetro do tanque alimentador pos- tros tanques é equilibrado pela válvula de retenção (5),
sui também um sensor de nível baixo. com as seguintes conseqüências:
- indicação errada (quando a luz (8) se acende ainda
· Indicação de "nível alto": restam 350 litros de combustível no grupo esquerdo),
a luz indicadora de "nível alto" (1) se acende quando a- - aumento da quantidade de combustível não
tinge-se o nível alto em todos os tanques durante a utilizável, de 16 para 38 litros,
transferência de combustível de um grupo para outro. - possibilidade de perda das bombas.
Ela também se acende durante o reabastecimento,
quando o nível alto é atingido em TODOS OS TAN-
QUES. 13.6
THM

13.2.1. TANQUES DE COMBUSTÍVEL BÁSICO (Continuação)

( 2 ) Grupo direito

D:Tanque dianteiro
1
T: Tanque transversal
L: Tanque longitudinal
(alimentador)

MOTOR 2
D T L

Dreno de combustível

Dreno de água

2 3 2 3 4 5 6 5 2

9
8 FUEL
7

Q < 90 litros

AS FUNÇÕES ASSEGURADAS: NOTA:


As mesmas funções descritas para o grupo esquerdo. · Em caso de perda do circuito do ejetor, quando a luz
"Nível Baixo"(7) se acende, restam ainda 250 litros de
combustível no grupo.

1 - Luz indicadora de "nível alto"


2 - Liquidômetro
3 - Ejetor
4 - Válvula de retenção do tanque alimentador
5 - Bombas de reforço 3
6 - Botões de comando da bomba de reforço
7 - Indicador de quantidade de comb. do grupo dir.
8 - Luz de alarme de "nível baixo" do tanque alim. 1 2
9 - Luz "FUEL" no painel de alarme central 32α

( 3 ) Função de transferência
A bomba de transferência (4), com dois sentidos de ro-
tação, permite transferir o combustível de um grupo de 4
tanques para o outro. Ela succiona e envia combustível
de/para os tanques alimentadores. Quando a chave de
comando (3) é colocada em ON (para a esquerda, pa-
ra transferir combustível para o grupo esquerdo; para a A luz indicadora de "nível alto" se acende para
direita, para transferir para o grupo direito) a luz indica- sinalizar ao piloto que ele deve interromper a
dora (1 ou 2) se acende. operação de transferência.

13.7
THM

13.2.2. SISTEMAS DE ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL DO MOTOR


MOTOR 1 MOTOR 2
Compartimento
vedado

2 2
3 3 1
1

4 4
bar bar

7 7
5 5

6 PRESS PRESS 6
P < 150 mbar
8 8

10 9 9 10
P2 P2
12 12
11 11
P > 280 mbar 13 13
ou 800 mbar FILT FILT
(filtro - 45°C ) ∆P = 140 mbar
P1 ou 300 mbar P1 P > 280 mbar
Expansão ou 800 mbar
térmica (filtro -45°C)
(filtro - 45°C )
GRUPO ESQUERDO GRUPO DIREITO
9

O funcionamento dos sistemas é evidente. Alguns


pontos interessantes:
Calibragem 1 bar
· Abertura da válvula by-pass (11):
Fluxo livre O entupimento do filtro provoca a abertura da válvu-
la by-pass. Abertura total para ∆P (P1- P2) = 280
Os sistemas de alimentação dos mb ou 800 mbar (filtro -45ºC).
dois motores são simétricos. · Indicação de entupimento do filtro:
Para ∆ P (P1- P2) = 140 ou 300 mbar (filtro -45ºC), a
luz (12) se acende. A válvula by-pass do filtro ainda
1 - M icroswitches de "corta tudo" (o fechamento de não está aberta. Será visto mais à frente que o filtro
ambas as válvulas de corte corta a bateria) possui também um indicador mecânico de entupi-
2 - Válvulas de "corte de combustível" mento.
3 - Alavancas de comando de "corte de combustível" · Indicação de "queda de pressão":
(Tipo TELEFLEX) A luz (7) se acende quando a pressão cai abaixo de
4 - Indicad. de pressão de comb. (graduados de 0 a 2 bar) 150 mbar (hipótese das 2 bombas de reforço ou de
5 - Transmissores de pressão pane "seca". A perda de uma única bomba só é sen-
6 - Manocontactores de "baixa pressão" tida por uma leve queda de pressão lida no indica-
7 - Luzes de alarme de "baixa pressão" dor). A pressão do combustível varia com o fluxo so-
8 - Fluxômetro licitado pelo motor. A faixa das pressões "normais"
9 - Válvula de retenção de expansão térmica é compreendida entre 0,3 e 1,2 bar.
10 - Filtro(14 µ) · A válvula unidirecional (9) evita que o sistema se
11 - Bypass do filtro esvazie durante as intervenções no filtro. Ela permi-
12 - Luz indicadora de "entupimento do filtro" te, no solo, quando a temperatura aumenta, a ex-
13 - Manocontactor diferencial (∆P = P1 - P2) pansão térmica do combustível preso na tubulação
que vai até o motor.

13.8
THM

13.3 - COMPONENTES
13.3.1. CONTROLES E INDICADORES
INDICADORES DE PRESSÃO DE COMBUSTÍVEL VÁLVULAS DE CORTE DE COMBUSTÍVEL

FUEL

MOTOR DIREITO

MOTOR ESQUERDO

1 2 3 4

5
20

19
18 6
7

PAINEL DE COMANDO
8

17

16 15 14 13 12 11 10

1 - Luz de alarme âmbar "FILT" : pré-entupimento 11 - Botão "AUTO TRANSFER"


do filtro 12 - Seletor da leitura do totalizador: leitura dos
2 - Luz de alarme âmbar "PRESS": baixa pressão tanques longitudinais
de combustível P < 150 m/b 13 - Seletor de leitura do totalizador: leitura do tanque
3 - Indicador das unidades de leitura da cabine
4 -Botão de transferência 14 - Luz de alarme "nível baixo"
5 -Botão da bomba de reforço n° 3 do grupo direito 15 - Luz verde indicadora de transferência: do tanque
6 -Botão da bomba de reforço n° 4 do grupo direito de600L para o tanque longitudinal esquerdo.
7 -Luz de alarme âmbar "nível alto" 16 - Luz verde indicadora de transferência: do tanque suple-
8 -Indicador da quantidade de combustível mentar esquerdo para o tanque longitudinal esquerdo.
9 -Luz indicadora de transferência verde, do tanque 17 - Leitor esquerdo da quantidade de combustível
suplementar direito para o tanque longitudinal 18 - Luzes verdes indicadoras de transferência: do tan-
direito que longitudinal para o tanque longitudinal.
10 - Seletor de leitura do totalizador: leitura dos 19 - Botão da bomba de reforço n° 1 do grupo esquerdo
tanques suplementares 20 - Botão da bomba de reforço n° 2 do grupo esquerdo

13.9
THM

13.3.2. COMPONENTES DOS TANQUES DE COMBUSTÍVEL BÁSICOS

( 1 ) Generalidades sobre os tanques de combustível


Os tanques de combustível em material flexível (base dos tanques, são flexíveis (segurança em caso de im-
de poliester- mistura de elastômero) estão alojados em pacto). Notar que todos os tanques podem ser equipa-
compartimentos da estrutura inferior da fuselagem. Es- dos com sistemas de alijamento de combustível e a-
tes compartimentos são estanques entre si e com re- bastecimento sob pressão. Existe também o opcional
lação à cabine (piso da cabine). Eles são drenados, "tanque anti-crash" cujo material flexível é mais resis-
ventilados e vedados por painéis em laminado que os tente.
protegem das protuberâncias estruturais.
Conexões em elastômero asseguram a intercomunica- 1 - Ejetor do tanque transversal
ção dos tanques. Todas as tubulações, no interior 2 - Placa do tanque
3 - Alijador rápido de combustível (opc.)
( 2 ) Placas de fixação dos equipamentos 4 - Placa suporte do tanque longitudinal
Os equipamentos são fixados sobre placas. A parede 5 - Bomba de reforço
dos tanques é "interposta" entre a placa de fixação e 6 - Válvula de destanqueamento
a estrutura. 7 - Liquidômetro
O tanque dianteiro possui uma placa que suporta o eje- 8 - Bomba de reforço
tor e o liquidômetro. 9 - Válvula de dreno de água

Placa da
válvula de dreno

3
2

1
Placa do
liquidômetro

Placa do ejetor e do "alijador rápido


de combustível" (como na placa
do tanque transversal dianteiro)
Placa do
Liquidômetro

4
7

9
6 9

13.10
THM

13.3.2. COMPONENTES DOS TANQUES DE COMBUSTÍVEL BÁSICOS (Continuação)


( 3 ) Bombas de reforço e ejetores

2 3

5 4

15

14
8
11
16

9 13
10 17

CARACTERÍSTICAS DAS BOMBAS DE REFORÇO

· Tipo: Centrífuga (rotor com palhetas) 18


12
· Motor à prova de explosão e com filtro anti-parasita
· Fluxo nominal: 700l/h sob 0,6 bar. 1- Tubulação da bomba de transferência
A pressão é função da "demanda" do motor: ela diminui 2- Tubulação de alimentação do motor
quando o consumo aumenta. 3- Tubulação do fluxo indutor do ejetor
4- Caixa das bombas
PARA REFERÊNCIA: Características do sistema em vôo 5- Válvulas de retenção (uma para cada
cruzeiro, uma ÚNICA BOMBA em operação: bomba)
· Consumo médio do motor: da ordem de 310 l/h 6- Motor elétrico
· Fluxo correspondente da bomba: ..........485 l/h (310 l/h 7- Tubulação de saída da bomba
para o motor e 175 l/h para a bomba ejetora (fluxo indu- 8- Cárter de saída
tor)). 9- Filtro antiparasita
· Pressão de sucção da bomba: ...........0,75 bar 10-Conector elétrico
· Fluxo induzido do ejetor: .................... 350 l/h 11-Filtro na tubulação de sucção da bomba
12-Base do ejetor (acesso ao filtro e giclê)
Portanto, vê-se que: 13-Corpo do ejetor
- com uma única bomba, o fluxo induzido do ejetor é su- 14-Tubo de chegada ao ejetor
perior ao consumo do motor: o tanque alimentador per- 15-Caixa do ejetor
manece cheio. O excesso de combustível retorna para o 16-Tubo de saída do ejetor
tanque transversal pelos orifícios intercomunicadores 17-Giclê
no alto. 18-Filtro do ejetor

13.11
THM

13.3.2. COMPONENTES DOS TANQUES DE COMBUSTÍVEL BÁSICOS (Continuação)

( 4 ) Liquidômetros - Válvulas de destanqueamento - Válvulas de dreno de água


- 1 liquidômetro por tanque O 7º tanque, não representado, possui também um
- 1 válvula de dreno por tanque (2 no tanque longitudinal liqudômetro e uma válvula de dreno.
esquerdo)
- 1 válvula de destanqueamento nos tanques longitudinais. PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO DO LIQUIDÔMETRO
A Os liquidômetros são compostos por dois tubos concên-
B
tricos metalizados (A e C) que constituem as estruturas de
um condensador cujo dielétrico (B) é combustível, na parte
LIQUIDÔMETRO
imersa, e ar na parte de cima. Sendo a constante
C dielétrica do combustível duas vezes maior do que a do ar,
Indicador deduz-se que a capacitância do "condensador-liqui-
dômetro" depende do nível. De fato, a metalização dos
tubos A e C é tal que a capacitância é proporcional ao
nível.
O sinal de nível (dependendo da capacitância) é amplifi-
cado e, em seguida, aplicado ao indicador.
Além disso, deve-se notar:
Amplifiicador - os tubos do liquidômetro possuem um sensor de nível
alto (sistema de termistância). Os dois tanques longitudi-
nais (alimentadores) são, ainda, equipados com um sen-
sor de nível baixo.
- todos os tubos de liquidômetro possuem em sua base
uma zona "fusível". No momento do impacto, se este for
suficiente, os liquidômetros se quebram, evitando que a
parte superior do tanque se danifique.
1 2 4 5
Fechado VÁLVULA DE DESTANQUEAMENTO

1 - Alanvanca de comando
2 - Corpo da válvula
3 - Tampa de vedação
4 - Mola de retorno da válv.
5 - Válvula
6 - Alav. de com. da válv.

3 6
Aberto
VÁLVULA DE DRENO DE ÁGUA

2 1 - Válvula
2 - Abertura de pass. de comb
3 3 - Alojam. da válv. de dreno
4 - Mola de retorno da válv.
4 5 - Botão da válvula
5

13.12
THM

13.3.2. COMPONENTES DOS TANQUES DE COMBUSTÍVEL BÁSICOS (Continuação)

( 5 ) Bomba de transfererência e equipamentos diversos

5 6 7 5

4
2

TUBULAÇÕES TRANSVERSAIS
DO TANQUE ALIMENTADOR
3 (Tanques longitud.)

Na direção do tanque
alimentador direito

Na direção do tanque alimentador


esquerdo

9
BOMBA DE TRANSFERÊNCIA

1 -Bocal de abastecimento
CARACTERÍSTICAS DA BOMBA DE TRANSFERÊNCIA 2 -Filtro
- bomba com palhetas 3 -Válvula de retenção inferior
- motor com filtro anti-parasita possuindo dois sentidos de rotação
4 -Tubulação de retorno do ejetor
- Fluxo nominal: 350 l/h sob 80 mb de pressão de recalque.
5 -Tubulações de intercom. superiores
6 -Na direção do ejetor
Nota: O fluxo da bomba de transferência corresponde, em vôo cru- 7 -Válvula de retenção principal
zeiro, ao consumo de um motor. 8 -Bomba de transferência
9 -Tubul. de dreno da bomba de transf.

13.13
THM

13.3.2. COMPONENTES (Continuação)


( 6 ) Suspiros VÁLVULA ANTITOMBAMENTO
Cada tanque é equipado com um ou vários suspiros
(tubulações que terminam em orifícios na fuselagem).
A
1 2 3 4 3 B

Aeronave "deitada"
Aeronave "em pé" A esfera (B) empurra a vál-
A válvula (A está aberta. vula (A). O combustível não
O ar passa pode escoar pelo suspiro.

Tela metálica

6
1

Os cárteres dos suspiros são equipados


com telas metálicas que funcionam como
filtros antiareia.
1 - Tubulação de suspiro
2 - Conexão para a tubulação de transferência do tanque da cabine e de traslado dianteiro
3 - Conexão para o suspiro do tanque de combustível no compartimento do trem de pouso
4 - Conexão para a tubulação de transferência do tanque de traslado traseiro
5 - Cárter do suspiro com tela de proteção
6 - Válvula de segurança antitombamento. Evita o transbordamento de combustível através dos suspiros em caso
da aeronave tombar.
( 7 ) Ventilação dos compartimentos dos tanques de combustível

Os compartimentos dos tanques de combustível são ventilados 1-Cárter com tela protetora
em suas partes superior e inferior por tubulações que terminam 2-Tubulação de ventilação dos vapores
em orifícios na fuselagem. de combustível

13.14
THM

13.3.3. COMPONENTES DO SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL DO MOTOR

MOTOR 2
MOTOR 1
1

Comando mecânico 3
flexível

1 - Válvula de corte de comb. (tipo passag. integral)


2 - Caixa vedada da válvula de corte de comb. 10
3 - Alojamento vedado do filtro
4 - Transmissor de pressão
5 - Manocontactor "baixa pressão"
6 - Indicador de entupimento 6
7 - Dreno do filtro
8 - Filtro (14 µ)
9 - Manocontactor diferencial
10 - Válvula unidirecional de expansão térmica
9

O filtro e a válvula de corte estão ligados por


uma mangueira à prova de fogo e de cho- 8
que. A mangueira entre a válvula de corte e
o motor é resistente ao fogo (trança metáli-
ca). Sua ligação ao motor é realizada por
uma conexão auto-obturante que permite 7
desconectá-la sem perda de combustível. FILTRO PADRÃO FILTRO -45 °C

13.15
THM

13.3.4. VISTA DO FILTRO DE COMBUSTÍVEL

( 1 ) Componentes do "filtro de - 45°C"

1 Imãs
2

FILT
1

3
P1 P2
9

10

7
8
8

1 - Manocontactor diferencial 6 - Coletor do filtro (material composto)


2 - Indicador de entupimento 7 - Mola do cartucho
3 - Válvula de entupimento 8 - Válvula de dreno do coletor
4 - Válvula by-pass 9 - Estribo de retenção do coletor
5 - Cartucho filtrante (14 microns) 10 - Botão recartilhado (apertando o estribo)

( 2 ) Indicação de"entupimento do filtro - 45 °C"


FUEL
P1 é a pressão na entrada do filtro; P2 é By-pass
a pressão na saída. P1 - P2 representa ∆P > 800 mb
a perda de carga no filtro ( ∆ P). É esta di- (indicador visível)
ferença de pressão que comanda a vál-
vula by-pass e a indicação de "entupi- P2
mento".

O manocontactor fecha o circuito da luz P1 FILT


FILT para P1 - P2 > 300 mbar. A luz se
∆P > 300 mb
acende: "início de entupimento".

Em caso de entupimento completo do fil-


tro, a válvula by-pass se abre para ∆ P
superior a 800 mbar e o indicador de en-
tupimento aparece.

13.16
THM

13.3.4. BLOQUEIO DO FILTRO DE COMBUSTÍVEL (Continuação)

( 3 ) Componentes do filtro
1

3 2

9
10

11

1 - Indicador de entupimento 7 - Cartucho filtrante (14 microns)


2 - Manocontactor diferencial 8 - Defletor retendo as impurezas no
3 - Estribo de retenção do coletor fundo do recipiente
4 - Válvula by-pass 9 - Coletor do filtro
5 - Botão recartilhado (apertando o estribo) 10 - Mola do cartucho
6 - Cárter da válvula by-pass 11 - Válvula de dreno do coletor

( 4 ) Indicação de entupimento do filtro padrão


P1 é a pressão na entrada do filtro; P2 FUEL
é a pressão na saída. P1 - P2 represen- By-pass
ta a perda de carga no filtro ( ∆ P). É es- ∆P > 280 mb
ta diferença de pressão que comanda a (indicador visível)
válvula by-pass e a indicação de "entu-
P2
pimento".

O manocontactor fecha o circuito da luz FILT


P1
FILT para P1 - P2 > 140 mbar. A luz se
acende: "início de entupimento". ∆P = 140 mb

Em caso de entupimento completo do


filtro, a válvula by-pass se abre para ∆P
superior a 280 mbar e o indicador de
entupimento aparece.

13.17
THM

13.4 - COMANDOS ELÉTRICOS E INDICADORES DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL


CIRCUITOS ELÉTRICOS SIMPLIFICADOS
13.4.1. COMANDO DA BOMBA DE REFORÇO
MOTOR 1 MOTOR 2
5 6

31Q1 31Q3 31Q2 31Q4

CENTRAL DE INDICAÇÃO DE COMBUSTÍVEL

SEC
DIRETO DA
1 - Chave de com. n°1 da bomba do grupo esq. BATERIA
2 - Chave de com. n°2 da bomba do grupo esq.
3 - Chave de com. n°3 da bomba do grupo direito Nota: Cada bomba possui sua própria alimentação. As
4 - Chave de com. n°4 da bomba do grupo direito bombas Nº2 e 4 são alimentadas a partir da barra "direto
5 - Tanque de comb. longit. esq. (tanque alimentador) da bateria". São estas bombas que servem para partida
6 - Tanque de comb. longit. dir. (tanque alimentador) pela "bateria".

13.4.2. COMANDO DA BOMBA DE TRANSFERÊNCIA E SINALIZAÇÃO

A figura ilustra uma transferência do grupo direito


para o grupo esquerdo.

1 - Chave de comando da bomba de transf.


(3 posições: neutra, para a esquerda e
para a direita)
2 - Luzes indicadoras da "oper. de transfer."

Detecção de Deteção de
"nível alto" "nível alto"
esquerdo 2 direito
2

ESQUERDO DIREITO
M Observar a dupla alimentação da bom-
ba a partir de uma barra principal e de
uma barra secundária.

13.18
THM

13.4.3. INDICADOR DE COMBUSTÍVEL

GRUPO ESQUERDO GRUPO DIREITO

OFF AUTO

Auto
transfer
TOTALIZADOR TOTALIZADOR

LONG.

EXT.

CAB.

FUNCIONAMENTO DO BOTÃO DE TRANSFERÊNCIA AUTOMÁTICA

OFF: Quantidade por grupo básico, incluindo o 6º tanque.


AUTO: Quantidade por lado da aeronave (tanques básicos + opcionais) - transferência automática

13.19
THM

13.4.4. INDICADORES DE "NÍVEL BAIXO" E "NÍVEL ALTO"


· Indicação de "Nível baixo"
Quando o nível do tanque alimenta- REABASTECIM. Comando bomba de
OPERAÇÃO DE transferência +
dor cai abaixo de 90 litros, o sen- PRESSÃO/
GRAVIDADE TRANSF.
sor (2) conduz e aciona o circuito L3
lógico L2 que se fecha. A luz "LOW"
se acende.
L1 (a) L1 (b) L1 (c)
NÍVEL ALTO NÍVEL ALTO NÍVEL ALTO
· Indicação de "Nível alto"
Podem ocorrer dois casos:
Alto Alto Alto
- durante a transferência:
a luz se acende quando todos os tan-
1 1 1
ques atingem o nível alto. Na verda-
de, os sensores de nível alto dos tan- MOTOR 1
ques acionam o circuito lógico L1 (a,
b, c) que se fecham.
- durante o abastecimento: ESS
a luz se acende quando o nível alto é
atingido em TODOS OS TANQUES.
Todos os sensores estão fechados,
todos os circuitos lógicos L1 são ati-
vados, fechando o circuito da luz. SEC
GRUPO ESQUERDO

2 L2
NÍVEL BAIXO
Baixo
(90 litros)

Comando bomba REABSTECIM.


OPERAÇÃO
PRESSÃO/
de transferência + L3 DE TRANSF. GRAVIDADE

L1 (d) L1 (c) L1 (b) L1 (a)


NÍVEL ALTO NÍVEL ALTO NÍVEL ALTO NÍVEL ALTO

Alto Alto Alto Alto

6° tanque
(opcional) MOTOR 2

1 1
ENG. 2 ESS

NOTA: O sinal elétrico "NÍVEL


ALTO" também é utilizado para
controlar o abastecimento sob SEC
pressão. GRUPO DIREITO
2

NÍVEL BAIXO
1- Sensores de nível alto
Baixo
2- Sensores de nível baixo (90 litros)
L1-Circuitos lógicos de nível alto
L2-Circuitos lógicos de nível baixo
L3-Circuitos lógicos ativados pelo
+ de comando da bomba de transf.

13.20
THM

13.4.5. SINALIZAÇÃO DO SISTEMA DE ALIMENTAÇÃO DE COMBUSTÍVEL

MOTOR 1 ESS MOTOR 2


SEC

bar bar
5 5

4 PRESS 1 PRESS 4
6 6
P < 150 mbar

3 P2 P2
3

P1 FILT 2 P1
FILT
∆P = 140 mbar
ou
300 mbar

GRUPO ESQUERDO GRUPO DIREITO

1 Luzes de alarme de "baixa pressão"


2 Luzes de alarme de "entupimento do filtro"
3 Manocontactores de pressão diferencial
4 Manocontactores de "baixa pressão"
5 Indicadores de pressão do sistema
6 Transmissores de pressão

13.21
THM

13.5 - TANQUES DE COMBUSTÍVEL "OPCIONAIS"

13.5.1. TANQUE DE COMBUSTÍVEL CENTRAL (6°)


O 6º tanque de combustível comunica com o tanque transversal do grupo direito. Sua 1
indicação é assegurada por um medidor (4) que é conectado ao liquidômetro do gru-
po direito.
2

1 - Suspiro
2 - Válvula antitombamento
3 - Suspiro
4 - Liquidômetro 5
5 - Placa de fixação 6
6 - Válv. de dreno de água

13.5.2. TANQUES DE COMBUSTÍVEL AUXILIARES EXTERNOS

3
Suspiro
do 5° tanque
4
8

1 - Suspiro
2 - Válvula de dreno de água
3 - Saída do alijador rápido de comb. (opc.)
4 - Placa de fixação
5 - Entrada de reabast. sob-pressão (opc.) 5
6 - Eletroválvula de transferência
7 - B ocal de abastecimento
8 - Liquidômetro 7 6

13.22
THM

13.5.3. TANQUE DE COMBUSTÍVEL DA CABINE

10
5

11
8 7

1 - Liquidômetro
2 - Suspiro (conectado ao suspiro do tanque principal)
3 - Bocal de abastecimento
4 - Bujão de dreno e de alijamento
5 - Ventilação do cárter tanque de combustível
6 - Tubulação de transferência
7 - Tubulação de transferência
O tanque flexível é fechado em um alojamento em 8 - Ponto de fixação no piso da cabine (6 pontos de fixação)
material composto (NOMEX - NIDA). 9 - Compartimento de acessórios
10 - Alojamento do tanque de combustível
11 - Eletroválvula de transferência

13.23
THM

13.5.4. TRANSFERÊNCIA DOS TANQUES DE COMBUSTÍVEL "OPCIONAIS"

Os tanques suplementares comunicam com seus respecti- · Transferência de combustível


vos tanques longitudinais. Colocando-se o botão "AUTO TRANSFER" em "ON",
O tanque da cabine é conectado à parte superior do tan- inicia-se o processo de transferência automática. A
que longitudinal esquerdo. caixa de gestão assegura uma transferência imparci-
Estes tanques sendo mais altos do que os tanques bási- al através das válvulas.
cos, a transferência é feita por gravidade, através das vál- Durante a transferência, as luzes verdes correspon-
vulas de fechamento. dentes se acendem.

TANQUE LONGITUDINAL TANQUE LONGITUDINAL


ESQUERDO DIREITO

· Indicação de quantidade de combustível · Indicação separada de quantidade de combustível


Colocando-se o botão "AUTO TRANSFER" em "OFF", Pressionando-se o botão "EXT", temos a quantidade
temos a quantidade de combustível por grupo de tan- de combustível dos tanques suplementares do lado
ques básicos (incluindo o 6º tanque, se instalado). correspondente.
Colocando-se o botão "AUTO TRANSFER" em "ON", Pressionando-se o botão "LONGI", temos a quantida-
temos a quantidade de combustível por lado (tanques de de combustível dos tanques longitudinais do lado
básicos + opcionais). correspondente.
Pressionando-se o botão "CAB", a quantidade do tan-
que (600 L) aparece no indicador esquerdo.

13.24
THM

13.6 - COMANDOS E INDICADORES ELÉTRICOS DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL


(COM AMPLIFICADOR 37Q E CAIXA DE COMANDO 36Q)
13.6.1. COMANDO DA BOMBA DE REFORÇO
MOTOR 1 MOTOR 2
5 6

31Q3 31Q1 31Q2 31Q4

1 3

2 4

DIRETO DA BATERIA

1 - Chave de com. da bomba n°1 do grupo esq


2 - Chave de com. da bomba n°2 do grupo esq.
3 - Chave de com. da bomba n°3 do grupo dir. Nota: Cada bomba possui sua própria alimentação. As
bombas Nº2 e 4 são alimentadas a partir da barra "di-
4 - Chave de com. da bomba n°4 do grupo dir.
reto da bateria". São estas bombas que servem para
5 - Tanque de comb. longit. esq. (tanque aliment.)
partida pela "bateria".
6 - Tanque de comb. longit. dir. (tanque aliment.)

13.6.2. COMANDO DA BOMBA DE TRANSFERÊNCIA E MONITORAMENTO

A figura ilustra uma transferência do grupo


direito para o grupo esquerdo.

1-Chave de comando da bomba de transferência


(3 posições: neutra, para a esq., para a direita)
2 - Luzes indicadoras da "operação de transfe-
rência

Detecção de Detecção de
"nível alto" "nível alto"
esquerdo direito
2 2

G D

Observar a dupla alimentação da bomba


a partir de uma barra principal e de uma
barra secundária.

13.25
THM

13.6.3. INDICADOR DE COMBUSTÍVEL


GRUPO ESQUERDO GRUPO DIREITO

(ou simulador)

Amplificação Amplificação

SOMADOR SOMADOR

totalizador totalizador

NOTA : se o tanque central


(ou o dianteiro) não estiver
instalado, um simulador de
tanque dá a informação "tan-
que vazio".

Princípio de funcionamento:
1-2-3-4 - Botões "seleção dos tanques" para leitura do À partir da alimentação por corrente contínua, uma ali-
nível de cada tanque mentação por corrente alternada, integrada na caixa
5 - Liquidômetro do grupo esquerdo 37Q, fornece a tensão de 13 V/10 KHz necessária. Os
6 - Liquidômetro do grupo direito tubos do liquidômetro (capacitância variável) montados
7 - Botão de teste dos indicadores em paralelo, fornecem um sinal em função do nível de
36Q - Central de indicação "combustível" de base cada tanque. Estes sinais amplificados e, em seguida,
37Q - Caixa de alimentação e de amplificação somados são aplicados aos indicadores que dão a
45E1-45E2-46E-47E-48E-66E-67E - Liquidômetros quantidade total de combustível de cada grupo. Pode-
se também ler o nível de cada tanque pressionando-se
um dos botões (1-2-3-4); corta-se assim o sinal "total
NOTA: Os sinais de nível são utilizados também para con-
do grupo" e introduz o sinal de nível do tanque escolhi-
trolar o abastecimento sob pressão e a retirada de combus-
do.
tível por aspiração (ver Capítulo 21).
Teste dos sistemas: a função TEST faz aparecer to-
dos os "8" dos indicadores.

13.26
THM

13.6.4. INDICADORES DE "NÍVEL BAIXO" E "NÍVEL ALTO"


· Indicação de "Nível baixo"
+ Comando bomba
Quando o nível do tanque alimentador
de transferência OPERAÇÃO DE OPERAÇÃO DE
cai abaixo de 90 litros, o sensor (2) con- L3 L3
duz e aciona o circuito lógico L2 que se TRANSF. TRANSF.
fecha: a luz "nível baixo" se acende.

L1 (a) L1 (b) L1 (c)


· Indicação de "Nível alto"
NÍVEL ALTO NÍVEL ALTO NÍVEL ALTO
Podem ocorrer dois casos: 36Q
- durante a transferência:
a luz se acende quando o tanque a- Alto Alto Alto
limentador atinge o nível alto. Na 1 1 1
verdade, o sensor de nível alto do
tanques alimentador aciona o circui- MOTOR 1
to lógico L1 (a) que se fecha. Além
disso, os circuitos lógicos L1 (b) e
(c) , acionados pelo + de comando
ESS
da bomba de transferência, se fe-
cham: a luz "Nível alto" se acende.
- durante o abastecimento: 1PP6
a luz se acende quando o nível alto
é atingido em TODOS OS TAN-
QUES. Todos os sensores estão fe- 2
chados, todos os circuitos lógicos
L1 são ativados, fechando o circui- L2
to da luz. NÍVEL BAIXO
Baixo
(90 litros)
36Q

+ Comando da bomba
de transferência
OPERAÇÃO OPERAÇÃO OPERAÇÃO
DE TRANSF. L3 DE TRANSF. L3 DE TRANSF. L3

L1 (d) L1 (c) L1 (b) L1 (a)


NÍVEL ALTO NÍVEL ALTO NÍVEL ALTO NÍVEL ALTO

Alto Alto Alto Alto


1 1
6° tanque
(opcional) MOTOR 2

ESS

NOTA: O sinal elétrico "NÍVEL ALTO"


2PP6
também é utilizado para controlar o
abastecimento sob pressão.
GRUPO DIREITO
1 - Sensores de nível alto
2 - Sensores de nível alto
2
L1 - Circuitos lógicos de nível alto
NÍVEL BAIXO
L2 - Circuitos lógicos de nível baixo
L3 - Circuitos lógicos ativados pelo + de Baixo
comando da bomba de transferência (90 litros)

13.27
THM

13.6.5. CENTRAL DE INDICAÇÃO DOS TANQUES DE COMBUSTÍVEL AUXILIARES EXTERNOS

10 11
PAINEL TRASEIRO

9 1 2

8
LADO ESQUERDO LADO DIREITO

7 6 5

13 12
1 - Botão de teste dos indicadores 7 - Manocontactor da válvula de transferência esquerda
2 -Indicador da quantidade de combustível do tanque 8 - Luz indicadora de abertura da válvula de transferência
auxiliar externo direito 9 - Luz indic. da quant. de comb do tanque auxiliar externo esq.
3 - Luz indicadora de abertura da válvula de transferência 10 -Seletor das unidades de leitura
4 - Manocontactor da válvula de transferência direita 11 --Seletor do tipo de aeronave
5 - Totalizador de combustível 12 - Potenciômetros de regulagem direitos de "cheio-vazio"
6 - Seletor de leitura do totalizador de combustível 13 -Potenciômetros de regulagem esq. de "cheio-vazio"

Os tanques 8 e 9 estão em nível acima em re-


lação aos tanques básicos. Eles escoam por 4 4
gravidade para os tanques alimentadores (tan-
ques longitudinais dos dois grupos). Para cada 3 3
tanque, o controle de transferência compreen-
de: uma chave (1) e uma eletroválvula (2). U- 1 1
ma luz (4) indica a abertura de cada eletrová-
lvula. Cada tanque é equipado com um liquidô- 2 2
metro (3), ligado a um indicador de combustí-
vel. Existe um botão TEST que, pressionado,
permite verificar a operação correta dos indi-
cadores (indicação dos 8) e girado, regula-se
a intensidade da iluminação do painel.

Um totalizador faz a soma dos níveis de todos os tanques básicos e opcionais (ex-
ceto o tanque da cabine) e fornece em leitura direta:
LH RH - a quantidade total de combustível dos dois grupos - seletor de leitura em TOT, ou
- a quantidade do grupo esquerdo - seletor em G (LH), ou
- a quantidade do grupo direito - seletor em D (RH).

13.28
THM

13.6.6. COMPONENTES DO SISTEMA DE COMBUSTÍVEL


Amplificador

1 2 3 4 5 6

Seletor do tipo de aeronave


9

10 Seletor das unidades de leitura


20

19 11

18

12
17
16 13

15 8 7 14

1 - Botão de teste de leitura e acendimento do painel 11 - Luz indicadora de "nível baixo"


2 - Botão de leitura da quant. de combust. nos tanques longitudinais 12 - Luz indicadora de entupimento do filtro
3 - Seletor das unidades de leitura 13 - Luz indicadora de "baixa pressão"
4 - Botão de leitura da quant. de combust. nos tanques centr. e diant. 14 - Botões de comando das bombas de reforço
5 - Botão de leitura da quant. de combust. nos tanques transversais GRUPO ESQUERDO :
6 - Botão de leitura da quant. de combust. no sétimo tanque 15 - Botões de comando das bombas de reforço
7 - Luz "transferência em curso" 16 - Luz indicadora de "baixa pressão"
8 - Comando da bomba de transferência 17 - Luz indicadora de entupimento do filtro
GRUPO DIREITO : 18 - Luz indicadora de "nível baixo"
9 - Luz indicadora de "nível alto" 19 - Indicador da quantidade de combustível
10 - Indicador da quantidade de combustível 20 - Luz indicadora de "nível alto"

13.29