Você está na página 1de 17

THM

19

ILUMINAÇÃO

19.1 - ILUMINAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DO POSTO DE PILOTAGEM


19.1.1. PRINCÍPIO DE ILUMINAÇÃO INTEGRADA E 2 CIRCUITOS DE ILUMINAÇÃO INDEPENDENTES
19.1.2. ÁREAS ILUMINADAS E SEUS COMANDOS
19.1.3. ORGANIZAÇÃO GERAL DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO DOS INSTRUMENTOS
19.1.4. EM VÔO NOTURNO, PROVISÕES PARA CORTE DE ILUMINAÇÃO DO CONSOLE E
ILUMINAÇÃO DO PAINEL DE COMBUSTÍVEL
19.1.5. CAPACIDADE DE ALIMENTAÇÃO COM 5Vdc
19.1.6. SISTEMAS DE INDICAÇÃO

19.2 - ILUMINAÇÃO DO POSTO DE PILOTAGEM


19.2.1. LUZ DE TETO
19.2.2. LUMINÁRIA DO POSTO DE PILOTAGEM
19.2.3. LUZES DE MAPA

19.3 - ILUMINAÇÃO DA CABINE


19.3.1. ILUMINAÇÃO NORMAL DA CABINE
19.3.2. ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA E LUZES DAS SAÍDAS DE EMERGÊNCIA
19.3.3. ILUMINAÇÃO DOS AVISOS AOS PASSAGEIROS

19.4 - ILUMINAÇÃO EXTERNA


19.4.1. LUZES DE NAVEGAÇÃO
19.4.2. LUZ ANTICOLISÃO
19.4.3. FAROL DE POUSO DIANTEIRO

19.1
THM

19.1 - ILUMINAÇÃO DOS INSTRUMENTOS DO POSTO DE PILOTAGEM

19.1.1.PRINCÍPIO DE ILUMINAÇÃO INTEGRADA E 2 CIRCUITOS DE ILUMINAÇÃO INDEPENDENTES


Todos os indicadores e marcações dos painéis de coman-
do ou de indicação são iluminados.
Os indicadores são iluminados por duas lâmpadas embuti- Lâmpada embutida
das no instrumento. As faces frontais em plexiglas das
unidades de controle e painéis de comando são ilumina-
das por duas séries de lâmpadas incorporadas na espes-
sura de plexiglas. Como o plexiglass é pintado de preto, Marcações
exceto as marcações, somente as marcações são ilumi- iluminadas
nadas pois são transparentes.
Cada lâmpada dos instrumentos e cada série de lâmpa-
das das unidades de controle são alimentadas separada-
mente.

Barra Barra
secundária principal
PRINCÍPIO DE ILUMINAÇÃO INTEGRADA
2PP5 2PP6
A alimentação "normal" é realizada a partir da barra secun-
dária 2PP5 (para que esta última seja energizada, é preci-
so que pelo menos um alternador esteja acoplado).

A alimentação de "emergência" é realizada a partir da bar-


ra principal 2PP6 (em caso de perda dos dois alternado-
res, a barra 2PP6 permanece alimentada pela bateria).

Em operação normal, os dois alternadores estão em servi-


ço e todas as lâmpadas estão acesas. Em caso de perda
da alimentação normal, somente uma série de lâmpadas
permanece acesa, alimentada pela bateira. Assim, o con-
sumo da bateria é diminuído. Isto explica por que há duas
O sistema inclui dois circuitos
alimentações distintas ao invés de uma dupla alimentação
de iluminação independentes.
comum às duas séries de lâmpadas.
19.1.2. ÁREAS ILUMINADAS E SEUS COMANDOS
Há quatro áreas de iluminação distintas. Cada uma pos-
sui uma chave de comando (ON/OFF) e um potenciô-
metro de ajuste da luminosidade, situados nas unidades
LIGHTING
de comando "iluminação" do painel do OFF
Iluminação do
teto do posto de pilotagem. painel do
ON
teto

LIGHTING
OFF
Iluminação do
LIGHTING Iluminação do painel de instru-
OFF
painel de instru- mentos do piloto ON
mentos do co-piloto
ON
Iluminação do LIGHTING
OFF
sub-painel e
do console
ON
Chave Potenciômetro

19.3
THM

19.1.3. ORGANIZAÇÃO GERAL DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO DOS INSTRUMENTOS


Os circuitos das quatro áreas iluminadas (painéis de ins-
trumentos do piloto e do co-piloto, console e painel do te- Barra principal
Barra secundária
to) são similares. Em cada circuito há:
2PP5 2PP6
- uma unidade de comando (A) com uma chave de co-
mando (1) e um potenciômetro (2) de ajuste da luminosi-
dade.

- uma caixa de iluminação (B) com cartões de circuito im-


CAIXAS DE
presso assegurando as funções "dimmer" e "harmoniza- A COMANDO DE
ção". A função "dimmer" (variação geral da luminosidade ILUMINAÇÃO
de todas as lâmpadas do circuito) é comandada pelo po-
tenciômetro da unidade de comando. A função "harmoni- 61L1
1
61L2
zação" da iluminação permite regular o valor da corren-
61L3
te, circuito por circuito, de forma a obter o mesmo nível de
2 61L4
luminosidade em todas as lâmpadas. É um ajuste básico,
realizado na fábrica.
UNIDADES
1-Chave ON / OFF B DE
2-Potenciômetro de ajuste da luminosidade (Dimmer) ILUMINAÇÃO
3-Cartões "DIMMER" (1 por circuito de iluminação)
4-Cartões "HARMONIZADOR" (1 por circuito de iluminação) 31L1
31L1-Caixa de iluminação do painel de instr. do co-piloto DIMMER 3 DIMMER 31L2
31L2-Caixa de iluminação do subpainel e do console 31L3
31L3-Caixa de iluminação do painel do teto HARMONIZADOR 4 HARMONIZADOR 31L4
31L4-Caixa de iluminação do painel de instrum. do piloto 31L5
31L5-Caixa de iluminação dos equipamentos opcionais 31L6
31L6-Caixa de iluminação dos equipamentos opcionais
61L1-Caixa de comando de iluminação dos equip. opc. Circuitos de Circuitos de
61L2-Caixa de comando de iluminação do subpainel e do acendimento acendimento
console normal de emergência
61L3-Caixa de comando de iluminação do painel do teto
61L4-Unid. de comando de ilum. do painel de instr. do piloto

Um total de 48 circuitos
por unidade
UNIDADES DE COMANDO DE ILUMINAÇÃO
CAIXAS DE ILUMINAÇÃO
2
LIGHTING
OFF 31L3 Painel do teto na entrada
1 da cabine
ON

31L5
61L3 31L6

OFF
HOIST
SLING
CHUTE DROP

61L2

61L1 61L4

31L2 31L1 31L4


Sob o console e sob o
piso do posto de pilotagem

19.4
THM

19.1.4. EM VÔO NOTURNO, PROVISÕES PARA CORTE DE ILUMINAÇÃO DO CONSOLE E


ILUMINAÇÃO DO PAINEL DE COMBUSTÍVEL

CIRCUITO DE ILUMINAÇÃO DO SUB-PAINEL E DO CONSOLE CIRCUITO DE ILUM. DO PAINEL DE INSTRUMENTOS DO PILOTO

Unidade de iluminação do con-


•Dimmer
sole e do painel de combustível •Harmonizador
Circuito de iluminação do painel
Tomada deTESTE de instrumentos (46 circuitos)

Iluminação do painel
de combustível

Circuito de iluminação do painel


de instrumentos (46 circuitos)

•Dimmer
•Harmonizador Para simplificar a figura, os potenciômetros das uni-
dades de comando não foram representados.

Durante vôos noturnos, para não "ofuscar" o piloto, é


possível cortar a iluminação do console e do sub-pai-
nel, conservando a da unidade de "combustível" (a
indicação de quantidade de combustível é essenci-
Circuitos de iluminação do
painel de combustível
al). A unidade de iluminação "console e combustível"
Outros circuitos de iluminação 59α, associada ao circuito de iluminação do painel
do console (46 circuitos)
de instrumentos, realiza esta função que é comanda-
da pelo relé 72L.

· Iluminação do console: Com a chave da unidade


de iluminação 61L2 e a chave 73L em "ON", o relé
72L, energizado, está "em trabalho". A caixa de ilu-
minação do painel 31L2 é alimentada e o conjunto
sub-painel e console é iluminado. Os dois circuitos
que iluminam a unidade de "combustível" passam
pelos contatos "trabalho" do relé 72L.
· Corte da "iluminação do console": Quando a
ILUMINAÇÃO DO CONSOLE chave 73L é colocada em "OFF", o relé de transferên-
OFF cia de iluminação 72L passa para o "repouso", cortan-
do a alimentação da caixa de iluminação do console
ON
31L2. O sub-painel e o console não são mais ilumina-
dos mas a iluminação da unidade de "combustível" é
59 α conservada, a partir da caixa de iluminação do painel
73L
de instrumentos 31L4 e através dos contatos de "re-
pouso" do relé de transferência 72L.

19.5
THM

19.1.5. CAPACIDADE DE ALIMENTAÇÃO COM 5Vdc


2PP5 2PP6

2PP5 2PP6
TRANSFORMADOR
28V/5V
104L 104L

UNIDADES DE
COMANDO DE 1
ILUMINAÇÃO
2
61L1
61L2
ARMÁRIO ELÉTRICO 61L4

Alguns instrumentos requerem alimentação em


5 VDC para iluminação (é o caso do HSI e do
Iluminação
DME). Por isso, as aeronaves equipadas com
5Vdc Para as caixas de iluminação
estes instrumentos possuem um cartão de cir-
cuito impresso (transformador 28V/5V).
A luminosidade dos circuitos de iluminação "5V"
é ajustada pelo potênciômetro das unidades de
comando (potênciômetro com várias pistas). (ex: Descarga da bateria
de emergência)

19.1.6. SISTEMAS DE INDICAÇÃO


( 1 ) Princípio de indicação (figura ao lado)
com excessão das luzes "ALARM", "WARN" e das lu-
zes do painel de indicação e dos alarmes centraliza-
dos 32α, que possuem sua própria alimentação, todos
os circuitos de alimentação das luzes de indicação
passam por uma caixa de iluminação 31L. Cada cai-
xa compreende 4 cartões de indicação, asseguran-
do as seguintes funções: alimentação, teste e atenua-
ção da luminosidade das luzes para vôo noturno. As
Cartão de luz
funções "teste" e "atenuação" são comandadas a par- indicadora
tir das unidades de comando "iluminação" 61L (botão
(1) e chave (2)). Para cada cartão há sete vias de in-
dicação normal e 2 vias de indicação especial. As vias
normais são comandados pelos sinais "+" ou "-".

· Função "TESTE": A figura mostra que pressionan-


do-se o botão (1) todas as luzes se acendem (vias nor-
mais e especiais). Detector

· Função 'ATENUAÇÃO": Com a chave (2) em DIM,


os diodos de atenuação Zener (Z1, Z2, Z3) são colo- CIRCUITO NORMAL CIRCUITO ESPECIAL

cados em série (o relé (3) não é energizado), a lumi-


nosidade das luzes de indicação é reduzida. Com a Há 7 vias normais e 2 especiais por cartão.
chave (2) em NORM, os diodos Z1, Z2, Z3 estão in- Para maior clareza da figura, somente um cir-
terligados, a luminosidade é total. cuito foi representado. Os outros, idênticos, es-
tão conectados em paralelo.

19.6
THM

19.1.6. SISTEMAS DE INDICAÇÃO (Continuação)

( 2 ) Organização das funções TESTE e NORMAL/DIM dos circuitos das luzes indicadoras
A unidade de comando "iluminação" 61L2 controla as fun-
ções TESTE e NORMAL/ DIM das luzes indicadoras situ-
adas no sub-painel e no console através das caixas de i-
OFF
HOIST
SLING
CHUTE DROP
luminação 31L1 e 31L2. A unidade de comando 61L3 con-
trola as mesmas funções para as luzes do painel do teto
através da caixa 31L3. Para as luzes do painel de instru-
mentos, estas funções são asseguradas pela caixa de ilu-
minação 31L4, a partir do painel de indicação 32α.

Sinalização Sinalização do Sinalização do Sinalização do


no sub-painel controle painel do teto painel de panes

19.2 - ILUMINAÇÃO DO POSTO DE PILOTAGEM


O posto de pilotagem é iluminado por uma luz de teto. Além
disso, a tripulação possui também uma luminária de serviço CERTIFICAÇÃO CERTIFICAÇÃO
(fonte luminosa pontual e móvel) e duas luzes de leitura de
mapa.

19.2.1. LUZ DE TETO


A luz de teto 48L difunde uma leve iluminação ambiente bran-
ca em todo o posto de pilotagem. É controlada por uma cha-
ve 46L.

Observar a dupla alimentação (certificação CAA): em funci-


onamento normal, à partir da barra secundária 2PP5; em ca-
so de perda total da geração elétrica, à partir da bateria de
emergência 42W (a comutação para a bateria de emergên-
cia é automática).

48L

OFF
HOIST
SLING
CHUTE DROP

46L

19.7
THM

19.2.2. LUMINÁRIA DO POSTO DE PILOTAGEM


A luminária (lâmpada móvel) pode ser fixada por um Um cordão de alimentação extensível (6) permite pas-
sistema de trava tipo baioneta, em encaixes situados sar de uma posição para outra. O acendimento e o a-
no painel do teto ou na parede atrás do co-piloto. juste da luminosidade são comandados por um poten-
ciômetro incorporado (1).
A alimentação é assegurada a partir da barra direto da
bateria (PP1), o retorno é assegurado diretamente ao
polo negativo ("-") da bateria. Assim, em caso de des-
conexão acidental ou comandada pelos contactores
"+" e "-" da bateria, o piloto conserva a utilização da lu-
LUMINÁRIA
minária.
CONTATOR

1 Trava tipo
baioneta

Pino suporte
CONTATOR Filtro vermelho (por simples articulado
6 rotação obtém-se iluminação
vermelha ou branca) Potenciômetro
de comando

OFF
HOIST
SLING
CHUTE DROP

Projetor Cordão de alimentação extensível

1 2
19.2.3. LUZES DE MAPA
CO-PILOTO PILOTO

66L1 66L2

OFF
HOIST
SLING
CHUTE DROP

Dois projetores orientáveis (2) estão situados no pai-


nel do teto, na direção dos joelhos do piloto e do co-
piloto. Eles permitem a leitura dos documentos e
dos mapas. O acendimento destes projetores é co-
mandado por uma chave (1).

19.8
THM

19.3 - ILUMINAÇÃO DA CABINE DE CARGA


A cabine é normalmente iluminada por duas rampas de
tubo neon. Mas, em caso de pane do circuito de alimen-
tação das rampas, um circuito de emergência substitui
o circuito em pane.

Por outro lado, as "saídas de emergência" e as instru-


ções luminosas para os passageiros ("apertar os cin-
tos", "proibido fumar") são iluminadas.

19.3.1. ILUMINAÇÃO NORMAL DA CABINE


Um inversor, resfriado por um ventilador, transforma a
tensão de 28 VDC em corrente alternada de alta ten-
são necessária para alimentar os tubos neon. O inver- FILTRO
UNIDADE DE ALIMENTAÇÃO
sor e o motor do ventilador são controlados pela cha- Tensão de ignição ≈ 70 V
ve 52L. No circuito de potência do motor do ventila- Tensão de funcionam. ≈ 40 V
dor, um filtro 39L elimina os parasitas suscetíveis de INVERSOR ATENÇÃO
atrapalhar a transmissão de rádio. Tensão sem carga > 1000 V
Ventilador
Rampas de iluminação (tubos de neon)

Rampas de iluminação (tubos de neon)


Saídas do inversor
(corrente alternada de alta tensão)

Armário OFF
HOIST
SLING
CHUTE DROP

elétrico

52L
39L
41L

ILUMINAÇÃO DA CABINE: VERSÃO MILITAR

Luz de teto adicional


na versão
longa Luzes de teto

Na versão militar, a cabine é iluminada por luzes de teto.

19.9
THM

19.3.2. ILUMINAÇÃO DE EMERGÊNCIA E LUZES DAS SAÍDAS DE EMERGÊNCIA

(barra principal)

Luzes das saídas


de emergência BATERIA DE EMERGÊNCIA
Iluminação de
emergência da cabine
EXIT
(Direita)

EXIT
(Esquerda) bateria de
emergência

EXIT
(Traseira)

SOMENTE VERSÃO
LONGA DO 332

OFF
HOIST
SLING
CHUTE DROP

58W

A iluminação de emergência da cabine e das indicações


"saída de emergência" são comandadas pelo mesmo
circuito com dupla alimentação:

- uma alimentação normal à partir da barra principal


1PP6 e através de uma chave de comando 58W. Em ca-
so de perda da iluminação normal da cabine, o piloto co-
loca a chave em "ON", acendendo ao mesmo tempo as
luzes de emergência do teto (47W) e as indicações de
saída de emergência (43W).

- uma alimentação de emergência à partir da bateria de


emergência 42W. Em caso de perda total das gerações
elétricas (ou de corte elétrico voluntário pelo comando
"corta-tudo" no momento de um impacto), a bateria de
emergência alimenta AUTOMATICAMENTE as lâmpa-
das de iluminação de emergência e as indicações de sa- 43W
ída de emergência mesmo se a chave de comando INDICAÇÃO DE EMERGÊNCIA
58W estiver na posição "OFF". "SAÍDA"

19.10
THM

19.3.3. Iluminação dos avisos aos passageiros

2PP5 1PP6

BATERIA DE EMERGÊNCIA

bateria de
emergência

Luzes de avisos
aos passageiros
Cintos de segurança

Cigarros

59W2

OFF
HOIST
SLING
CHUTE DROP

59W1

As instruções luminosas (luzes de aviso) informam


aos passageiros, durante a decolagem, pouso ou
em caso de perigo, que eles devem apertar os cin-
tos e não fumar.

Elas são normalmente iluminadas à partir das bar-


ras de distribuição principa (1PP6) e secundária
(2PP5), através de duas chaves de comando (59W
1 para a instrução "apertar os cintos" e 59W2 para
"não fumar"). Em caso de perda total das gera-
ções elétricas, as instruções são alimentadas auto-
maticamente pela bateria de emergência 42W.

LUZES DE AVISOS
AOS PASSAGEIROS

19.11
THM

19.4 - ILUMINAÇÃO EXTERNA


O conjunto da iluminação externa básica compreen- Opcionalmente, a aeronave pode ser equipada com:
de: - duas luzes de formação,
- as luzes de navegação, - um segundo farol de pouso (na parte traseira),
- as luzes anticolisão, - um farol de busca.
- o farol de pouso dianteiro.

19.4.1. LUZES DE NAVEGAÇÃO


As luzes de navegação indicam a posição do heli-
cóptero em vôo.

· a luz esquerda é vermelha. Ela é visível da frente


35L
da aeronave, em um setor de 110º, à esquerda do
eixo da aeronave.
· a luz direita, simétrica à luz esquerda, é verde.
· A luz traseira é branca. Ela é visível de trás da ae-
ronave, em um setor de 70º, de um lado a outro do
eixo da aeronave.

49L
37L

EXTERNAL LIGHTS LANDING LTS


35L - Luz de navegação traseira POS A/COLL PILOT
1LT
36L - Luz de navegação direita
OFF OFF
37L - Luz de navegação esquerda
49L - Chave On/Off das luzes de navegação
ON ON
1LT
· Funcionamento das luzes de navegação
COPILOT
As luzes de navegação possuem alimentação elétrica
"secundária" através da chave 6LM situada na unidade
de comando de iluminação externa 3LM.

32L
35L
1PP5

36L

37L
49L

19.12
THM

19.4.2. LUZ ANTICOLISÃO


A luz anticolisão mostra a presença da aeronave no céu,
tanto de dia como à noite. Ela é controlada pela chave
(50L) situada na unidade de comando de iluminação
externa (32L). A luz anticolisão é uma luz fixa, do tipo es-
troboscópia com dois fluxos. Os flashes (um por segun-
do) são gerados por uma unidade de alimentação (69L).
A luz anticolisão é visível em todo o horizonte, em um se-
tor de 30º dos dois lados de seu plano equatorial.

34L1

Unidade de alimentação
69L

LUZ ANTICOLISÃO

· Funcionamento da luz anticolisão


A luz anticolisão é constituída por um tubo repleto
de gás xenon. Quando a chave 50L está na posi-
ção "ON", a alimentação de 69L gera a alta ten-
são necessária ao tubo estroboscópio. Os flashes
são produzidos por um impulso acionado a cada
segundo que ioniza o gás xenon.

EXTERNAL LIGHTS LANDING LTS


POS A/COLL 1LT PILOT
A A

1PP6
M M
1LT
COPILOT

32L

50L

69L

ALIMENTAÇÃO 34L1

19.13
THM

19.4.3. FAROL DE POUSO DIANTEIRO

( 1 ) Princípio e características do farol


O farol de pouso permite iluminar o solo à noite, antes
e durante o pouso. Ele é retrátil e orientável em azi-
mute e elevação

O foco do farol é acionado por dois motores: um para


o comando de deslocamento em elevação, outro para 120°
o comando de orientação em azimute.

· O ângulo máximo em elevação é 120º.


· O tempo de operação para o recolhimento ou saída
do farol é inferior a 12 segundos. ELEVAÇÃO: 120°

Em azimute, o foco do farol varre todo o horizonte. O


tempo de operação para um giro completo é inferior
a 17 segundos.
AZIMUTE: 360°
ATENÇÃO: O foco e motores são projetados para
um serviço intermitente. Deve-se respeitar o tempo
máximo de funcionamento:

- Foco: parada de 45 minutos após 15 minu-


tos de funcionamento.
- Motores: parada de 17 minutos após 3 minutos de
funcionamento.
· Consumos:
- Motor de acionamento do farol.......... 23W
- Motor de deslocamento em azimute....6W
-Foco ..................................................600W

COMANDOS DO FAROL DE POUSO NOS PUNHOS DOS COLETIVOS


Chave de acendimento e
· Acendimento - Recolhimento recolhimento do farol
Os comandos de acendimento e recolhimento
podem ser feito pelo piloto e pelo co-piloto.

· Orientação do farol
Tanto o piloto como o co-piloto podem orien-
tar o farol em elevação e azimute.

O COMANDO DO PILOTO TEM PRIORIDADE


SOBRE O DO CO-PILOTO (ele corta o coman-
do do co-piloto)

Chave de 4 posições (sair,


recolher, para esquerda, para direita)

19.14
THM

19.4.3. FAROL DE POUSO DIANTEIRO (Continuação)

( 2 ) Localização dos componentes

41L

1
42L2
2
ARMÁRIO ELÉTRICO

1 - Unid. de controle de aximute (motor + caixa de redução)


2 - Caixa de relés
3 - Chapa flexível
6 5 4 3
4 - Unid. de contr. de elevação (motor + caixa de redução)
7 5 - Unidade de comando
6 - Farol de pouso
EXTERNAL LIGHTS LANDING LTS 7 - Seletor do farol de pouso
8 - Chave de acendimento e recolhimento
32L POS A/COLL 1LT PILOT
A A
9 - Chave de 4 posições
42L2 - Forward landing light
M M 32L - Unidade de comando
1LT 74L - Indicador de farol de pouso aceso
COPILOT
41L - Circuito impresso da luz
32GA - Unidade de comando do trem de pouso

8
74L
9

32GA

PUNHO DO COLETIVO

19.15
THM

19.4.3. FAROL DE POUSO DIANTEIRO (Continuação)

( 3) Circuito elétrico do farol de pouso


1 - Chave de acendimento e recolhimento do co-piloto 13 - Relé de comando da iluminação
2 - Chave de 4 posições do co-piloto (orientação do farol) 14 - Lâmpada do farol 600 W
3 - Chave de 4 posições do piloto (orientação do farol) 15 - Motor de azimute
4 - Chave de acendimento e recolhimento do piloto 16 - Motor de elevação
5 - Seletor do farol de pouso (utilizado somente quando K1 - Relé de proibição de recolhimento
o farol de pouso traseiro estiver instalado) K2 - Relé de comando de recolhimento
6 - Contato de fim de curso "recolhimento" K3 - Relé de prioridade do piloto
7 - Contato de fim de curso "saída" 42L2 - F arol de pouso dianteiro
8 - Microswitch de alinhamento do feixe 32L - Unidade de comando do farol de pouso
9 - Relé de comando de recolhimento 74L - Luz indicadora de farol de pouso aceso
10 - Relé de comando de saída 5LW - Unidade de indicação
11 - Relé de comando de rotação para a esquerda 41L - Circuito impresso do farol de pouso
12 - Relé de comando de rotação para a direita 32GA - Unidade de comando do trem de pouso

FUNCIONAMENTO DO CIRCUITO A unidade de comando (32L) e o cartão de circuito im-


· Acendimento presso (41L) podem receber o farol de pouso traseiro,
Quando a chave (1) ou (4) está em "ON", o relé (13) é cujo funcionamento é idêntico ao dianteiro. A figura ilus-
energizado e a lâmpada do farol (14) se acende. tra somente o circuito do farol de pouso dianteiro.
· Prioridade do piloto sobre o co-piloto
O co-piloto só pode comandar a orientação do farol na to que foi criado um comando de recolhimento que, com
ausência de ordem de comando do piloto. De fato, toda um simples impulso da chave de comando, o farol é in-
ação do piloto na chave de 4 posições (3) energiza o teiramente recolhido.
relé de prioridade (k3) que, "em trabalho", corta a ali- Colocando-se a chave de acendimento (1) ou (4) em
mentação da chave de 4 posições (2) do co-piloto. "RET" (Recolhimento) energiza-se o relé K2 cujo circui-
· Orientação do farol em elevação to se fecha pelo relé K1 em "repouso" (K2 é auto-man-
Com a chave de 4 posições (2) ou (3) em "Saída" (E), tido por seu contato "trabalho"). A partir de K2 em "tra-
o relé de comando (10) é energizado através do conta- balho" e K1 em "repouso", o relé (9) é alimentado e o fa-
to de fim de curso de saída (7). O motor (M1) é alimen- rol é recolhido. No final do curso de "recolhimento", o
tado, sentido de "saída". O farol sai. O piloto pode pa- contato de fim de curso (6) move-se, cortando a alimen-
rar a saída do farol no ângulo que lhe convier. No final tação do motor M1 e alimentado o relé (12) através da
de curso "saída", o contato (7) move-se cortando a ali- microswitch de alinhamento do feixe (8). O farol vira pa-
mentação do motor. ra a direita. Quando ele estiver alinhado, o contato (8)
Enquanto o farol não estiver recolhido, o contato de fim move-se, energizando o relé K1 que, "em trabalho", cor-
de curso "recolhimento" (6) fecha o circuito do relé de ta a energização de K2, que volta ao "repouso".
comando (9). Basta colocar a chave de 4 posições em
"recolhimento"(R) para alimentar o motor M1 no senti- Nota: Durante a energização da rede de bordo, o relé
do de "recolhimento". No final de curso "recolhimento", K2 é energizado durante 3 segundos de forma a coman-
o contato (6) comuta e o motor pára. dar um recolhimento automático do farol de pouso.
· Orientação do farol em azimute
Movendo-se a chave de 4 posições (2) ou (3) para a es-
querda ou a direita, energiza-se o relé de comando cor-
respondente (11) ou (12) e alimenta-se o motor M2 no 2 faróis: farol traseiro
sentido desejado. Não há contato de fim de curso e o controlado pelo piloto Somente 1 farol
motor continua girando enquanto a chave de 4 posi-
ções estiver "acionada".
· Interdição de recolhimento do farol 2 faróis: farol dianteiro
Quando uma manobra de orientação estiver em curso, controlado pelo piloto
o relé K1, "em trabalho", corta o circuito do relé de reco-
lhimento K2. Para poder recolher o farol, é preciso que SELETOR DE FAROL (5)
o relé K1 esteja "em repouso". Este seletor (5), que é utilizado quando o farol de pouso
· Comando de recolhimento e ajuste no eixo traseiro estiver instalado, permite selecionar o farol (di-
O recolhimento do farol poderia ser comandado pela anteiro ou traseiro) comandado pelo piloto. O outro farol
chave de orientação no "sentido recolhimento", mas is- permanece então "comandável" pelo co-piloto.
to iria requerer do piloto uma ação prolongada na cha-
ve de 4 posições, na ordem de 12 segundos. É por is-

19.16
THM

19.4.3. FAROL DE POUSO DIANTEIRO (Continuação)

( 3 ) Circuito elétrico do farol de pouso (Continuação)

ON - Acendimento
RET - Recolhimento
RH - Direito
LH - Esquerdo
E - Baixado
R - Recolhido

COMANDO DO CO-PILOTO COMANDO DO PILOTO

ON RET RET E LH RH RET E LH RH RET ON

UNIDADE DE
CONTROLE

CARTÃO DE CIRCUITO
IMPRESSO

FAROL DE
6 7 8
recolhido baixado centro POUSO
DIANTEIRO

RET E LH RH

19.17