Você está na página 1de 52

Professora

FERNANDA AIRES GUEDES FERREIRA

Planos de Aula
3º ano EJA

1
PLANO DE CURSO DE BIOLOGIA
(3º ano Educação de Jovens e Adultos)
Etapas TEMA
TÓPICOS HABILIDADES BÁSICAS CONFORME CBC DE BIOLOGIA
- Introdução à genética
1º BIMESTRE

- Reprodução dos seres vivos e reprodução


 Reconhecer a reprodução sexuada como fonte de variabilidade genética.
celular
 Reconhecer a reprodução assexuada como aquela que produz organismos idênticos entre si.
Genética

- Transmissão dos caracteres hereditários


 Identificar os princípios das leis de Mendel resolvendo problemas de herança como albinismo, ABO e
- Os experimentos de Mendel
Rh.
- O sistema ABO
- O sistema Rh  Reconhecer o papel das mutações como fonte primária da diversidade genética, analisando possíveis
- Eritroblastose fetal efeitos sobre a informação genética.
- A herança ligada ao sexo

- Introdução à Ecologia  Reconhecer que a fotossíntese como fonte primária de biomassa.


- Conceitos básicos de Ecologia  Identificar o Sol como fonte primária de energia.
- Cadeias e Teias alimentares

Ecologia

Analisar cadeias e teias alimentares e reconhecer a existência de fluxo energia e ciclo dos materiais.
- Relações Ecológicas entre os seres vivos
 Traçar o percurso dos produtos da fotossíntese em uma cadeia alimentar.
- Sucessão Ecológica
- Os Biomas brasileiros  Identificar algumas espécies ameaçadas em ecossistemas brasileiros.
 Relacionar a densidade e o crescimento da população com os padrões de produção e consumo e com a
2º BIMESTRE

- Os seis maiores Biomas Mundiais


- Humanidade e Ambiente devastação ambiental provocada pela poluição do ar, água e solo e extinção de espécies.

 Comparar as explicações utilizadas por Darwin e por Lamarck sobre as transformações dos seres vivos.
- Ideias sobre teorias evolucionistas e
 Reconhecer que os seres vivos se transformam ao longo do tempo evolutivo.
Evolução

criacionistas
 Identificar diferentes explicações sobre a origem dos seres vivos, confrontando concepções religiosas,
- Teoria moderna da evolução.
mitológicas e científicas, elaboradas em diferentes momentos.
- Evidências da evolução.
- Evolução humana  Associar o surgimento da vida como um processo lento e relacionado às condições físico-químicas da
Terra há bilhões de anos.

2
PLANO DE CURSO DE BIOLOGIA
(3º ano Educação de Jovens e Adultos)

PROCEDIMENTOS METODOLÓGICOS
- Aulas expositivas e práticas
- Iniciação Científica

AVALIAÇÃO
- Caderno de Biologia
- Avaliações bimestrais
- Participação e interesse

RECURSOS DIDÁTICOS
-Livro e Jogos didáticos
- Apresentações virtuais usando tecnologias como vídeos e PowerPoint,
- Atividades lúdicas

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

 Parâmetros Curriculares Nacionais. Ciências Naturais. Brasília: MEC/SEF, 1998.


 Centro de Referência Virtual do Professor. Currículo Básico Comum de Biologia. Ensino
médio.
 AMABIS, José Mariano; MARTHO, Gilberto Rodrigues. Biologia dos Organismos. Vol.1. 2.ed.
São Paulo: Moderna, 2004.

3
Índice

Unidade 1 – Genética

 Introdução à genética
 Reprodução dos seres vivos e reprodução celular
 Transmissão dos caracteres hereditários
 Os experimentos de Mendel
 O sistema ABO
 O sistema RH
 Eritroblastose fetal
 A herança ligada ao sexo

Unidade 2 – Ecologia

 Introdução à Ecologia
 Conceitos básicos de Ecologia
 Cadeias e Teias alimentares
 Relações Ecológicas entre os seres vivos
 Sucessão Ecológica
 Os Biomas brasileiros
 Os seis maiores Biomas Mundiais
 Humanidade e Ambiente

Unidade 3 – Evolução

 Ideias sobre teorias evolucionistas e criacionistas


 Teoria moderna da evolução.
 Evidências da evolução.
 Evolução humana

4
Unidade I – GENÉTICA

INTRODUÇÃO À GENÉTICA
Genética (do grego genno = fazer nascer) é a ciência dos genes, da hereditariedade e da
variação dos organismos. Ramo da Biologia que estuda a forma como se transmitem as
características biológicas de geração para geração.
O termo genético foi primeiramente aplicado para descrever o estudo da variação e
hereditariedade, pelo cientista William Bateson numa carta dirigida a Adam Sedgewick, da data
de 18 de Abril de 1908.
Já no tempo da pré-história os agricultores, utilizavam conhecimentos de genética através
da domesticação e do cruzamento seletivo de animais e plantas para melhorar suas espécies.
Atualmente é a genética que proporciona as ferramentas necessárias para a investigação das funções
dos genes, isto é, a análise das interações genéticas. No interior dos organismos, a informação
genética está normalmente contida nos cromossomos, onde é representada na estrutura química da
molécula de DNA o que diminui bastante o tempo de espera no cruzamento das espécies.

As primeiras ideias sobre herança biológica

Hipócrates: “pai da medicina”


Cada órgão do corpo de um organismo vivo produzia partículas
hereditárias chamadas gêmulas, que eram transmitidas aos descendentes
no momento da concepção. Hipótese conhecida como Pangênese.

Aristóteles: “filósofo grego”


Acreditava na contribuição diferencial entre os sexos:
Fêmea fornecia a matéria básica
Macho fornecia por meio do sêmen a essência “alma”.

Pré-formismo
Acreditavam que haviam um ser pré-formado no ovo.
Na época, formaram-se dois grupos de cientistas que defendiam duas
orientações distintas da teoria do pré-formismo. Uns defendiam que o futuro ser
já se encontrava em miniatura no espermatozoide. Outros afirmavam que o
novo ser existia pré-formado no óvulo.

A descoberta do óvulo e do espermatozoide


A descoberta dos gametas (do grego gamos – casamento, união, fusão) foi fundamental para o
entendimento da hereditariedade. Quando ficou provado que a união de espermatozoide e óvulo
resultaria em uma fecundação que era responsável pelo surgimento de um novo ser, entendeu-se que
o espermatozoide (gameta masculino) trazia informações do pai e o óvulo (gameta feminino) da mãe,
e assim um indivíduo podia possuir características do pai e da mãe ao mesmo tempo.

5
REPRODUÇÃO DOS SERES VIVOS E REPRODUÇÃO CELULAR

Reprodução dos seres vivos: é o processo pelo qual se torna possível a continuidade das espécies. Esta pode
ser assexuada ou sexuada.

 A reprodução assexuada : é aquela em que organismos vivos são capazes de se reproduzirem


por si só, ou seja, não precisam do auxílio de outro indivíduo da mesma espécie. Este processo
pode ocorrer por bipartição, por fragmentação ou por brotamento.
a) Bipartição: Ocorre nos seres unicelulares, quando uma célula deixa de existir, cedendo lugar a
duas ou mais células.
b) Fragmentação: o organismo vivo divide-se em pedaços, e estas partes originam novos seres;
isto ocorre em animais multicelulares (anêmonas-do-mar) e também com alguns vegetais,
como, por exemplo, as algas.
c) Brotamento: são formados botões ou brotos em várias áreas do organismo, estes são capazes
de se desenvolver dando origem a outros indivíduos completos.

Reprodução sexuada: é dependente da união de duas células: óvulo (feminino) e


espermatozóide (masculino). Esse tipo de reprodução é o mais importante sob o ponto de vista
evolutivo, pois reúne em um mesmo descendente (filho), fatores originários de dois
indivíduos (pai e mãe).

6
Reprodução celular
A reprodução é uma propriedade fundamental das células. As células se reproduzem
através da duplicação de seus conteúdos e posterior divisão em duas células filhas, este processo é
a garantia de uma sucessão contínua de células identicamente dotadas.
Em organismos unicelulares, existe uma pressão seletiva para que cada célula cresça e se
divida o mais rápido possível, porque a reprodução celular é responsável pelo aumento do número
de indivíduos. Nos organismos multicelulares, a produção de novas células através da duplicação
permite a divisão do trabalho, no qual grupos de células tornam-se especializados em determinada
função.
Essa multiplicação celular, porém, tem que ser regulada porque a formação de novas
células tem que compensar a perda de células pelos tecidos adultos. Um indivíduo adulto possui
10 x1013 (1.000.000.0000.000), todas derivadas de uma única célula, o óvulo fecundado. Mesmo
em um organismo adulto, a multiplicação celular é um processo contínuo.
Do mesmo modo que uma fábrica pode ser multiplicada pela construção de várias filiais,
também as células se dividem e produzem cópias de si mesmas. Há dois tipos de divisão
celular: mitose e meiose.

a) Mitose: Processo de divisão celular onde uma célula origina duas células idênticas. As células que
se formam são chamadas de diploides (2n) o que significa que possuem o número completo de
cromossomos (1n da mãe + 1n do pai). A mitose tem como finalidade promover:
- Crescimento do corpo;
- Reprodução assexuada;
- Produção de gametas em
vegetais;
- Produção de gametas em
seres haploides (1n).

b) Meiose: Processo de divisão celular onde uma célula diploide (2n)


sofre duas divisões sucessivas e uma duplicação cromossômica e origina quatro células haploides (n)
que possuem a metade dos cromossomos herdados.

A meiose tem como finalidade:


- Produção de gametas em animais
- Produção de esporos nas plantas

7
ATIVIDADES - Introdução à genética- Reprodução dos seres vivos e reprodução celular

01. Qual a etimologia das palavras abaixo?


a) Genética
b) Gameta:
02. Quais foram as primeiras formas de aplicação de conhecimentos genéticos?
03. Sobre as primeiras ideias sobre herança biológica, explique com suas palavras como eram as hipóteses
sobre:
a) Pangênese:
b) Contribuição diferenciada entre macho e fêmea:
c) Pré-formismo:
d) Formação de gametas
04. Qual a diferença entre reprodução no que se refere a um ser vivo e uma célula.
05. Qual a importância da reprodução celular para a continuidade da vida?
06. Qual a diferença entre reprodução sexuada e assexuada?

07. Quanto aos tipos de reprodução existentes nos seres vivos relacione a primeira coluna de acordo com a
primeira.
(a) Assexuada por bipartição ( ) Formação de brotos em várias aéreas do corpo. Cada broto forma
(b) Assexuada por fragmentação um novo ser vivo.
(c) Assexuada por brotamento ( ) Pedaços de um ser vivo se soltam e originam novos seres vivos.
(d) Sexuada ( ) Ocorre troca de gametas entre indivíduos de uma mesma espécie.
( ) Uma célula se divide em duas ou mais células.

08. Nos seres multicelulares, a mitose é um 09. Em organismos unicelulares, divisão por
processo que tem como principal função? mitose significa:
a) o movimento celular a) crescimento.
b) a produção de gametas b) regeneração
c) a produção de energia c) formação de um novo indivíduo.
d) o crescimento d) a produção de energia

10. No processo de mitose: 11. No processo de meiose.


a) uma célula diploide origina outra célula diploide a) uma célula diploide origina outra célula diploide
b) uma célula diploide origina 4 células haploides b) uma célula diploide origina 4 células haploides
c) uma célula diploide origina 2 células haploides c) uma célula diploide origina 2 células haploides
d) uma célula haploide origina 4 células haploides d) uma célula haploide origina 4 células haploides
e) uma célula diploide origina 4 células diploides e) uma célula diploide origina 4 células diploides

13. Um bebê apresenta cerca de 1 trilhão de células. Esse mesmo indivíduo, quando adulto, irá apresentar
a) menor número de células, pois, com o tempo, ocorre perda de células por apoptose.
b) menor número de células, pois, com o tempo, ocorre perda de células por descamação .
c) o mesmo número de células, porém elas serão maiores em decorrência de especialização, nutrientes e
organelas.
d) maior número de células, em decorrência de divisões mitóticas, que permitem o crescimento de órgãos e
tecidos.
e) maior número de células, em decorrência da ingestão, na alimentação, de células animais e vegetais, as
quais se somam àquelas do indivíduo.

8
TRANSMISSÃO DOS CARACTERES HEREDITÁRIOS
O estudo da transmissão dos caracteres hereditários é um dos mais empolgantes ramos da
Biologia. A genética é quem se encarrega do estudo desse fenômeno. Na antiguidade pensava-se que
os caracteres transmitidos de pais a filhos fossem transportados pelo sangue, o que seria feito em par-
tes proporcionais entre ambos os progenitores. Mais tarde, essa concepção foi inteiramente deixada de
lado, através de fatos experimentais que comprovaram a existência de outros elementos, cujas
finalidades seriam as de legar aos filhos o patrimônio de seus pais - os gametas.

Mas, posteriormente, ficou demonstrado que não eram, especificamente, essas células que
tinham essa função, mas partes de seus conteúdos nucleares - os cromossomos. Após anos de estudos,
foi evidenciado nos cromossomos, um elemento, o real transportador dos caracteres hereditários -
o GENE. Os genes localizam-se ao longo dos cromossomos. Cada gene ocupa um lugar definido no
cromossomo, denominado locus gênico (plural = locí).

As leis que regem a transmissão dos caracteres hereditários foram estudadas por um abade
austríaco, Gregor Mendel, que as reconheceu através dos cruzamentos de ervilhas. Mendel estudou os
caracteres mais contrastantes desse vegetal para as suas experiências. Os trabalhos de Mendel ficaram
no esquecimento durante vários anos (1865-1900).

Em 1900, três pesquisadores, trabalhando independentemente um do outro, De Vries


(Holanda), Correns (Alemanha) e Tschermak (Áustria) redescobriram os trabalhos de Mendel e
confirmaram suas descobertas.

Importante saber....(Para o aluno pesquisar os conceitos)

Gene: É o veículo da hereditariedade ou a unidade de potencial hereditário existente no cromossomo e


que, ao interagir com outros genes, com o citoplasma e o meio, condiciona o aparecimento de um dado
caráter. Os genes distribuem-se linearmente ao longo de cada cromossomo e possuem como
constituinte fundamental o DNA que tem função genética.

Genes alelos: Cada caráter é devido à presença de, no mínimo, dois fatores ou genes, que formam um
par alelomorfo ou alelo. Exemplo: a cor castanha dos olhos é alélica à cor azul; a existência de dedos
supranumerários (polidactilia ou mais do que cinco dedos) é alélica ao número normal de dedos.

Cromossomos homólogos: São os que possuem regiões correspondentes, devido à presença, nesses
locais, de genes alelos, responsáveis por características específicas. Cada membro do par alelomorfo
de genes está situado em um dado membro do par de cromossomos homólogos. Na formação dos
gametas - gametogênese - há a separação dos cromossomos homólogos, indo cada um para gametas
diferentes, formando uma célula haploide (célula n).

9
Mendel, o iniciador da Genética

Gregor Mendel nasceu em 1822, em Heinzendorf, na Áustria. Era filho de pequenos


fazendeiros e, apesar de bom aluno, teve de superar dificuldades financeiras para conseguir estudar.
Em 1843, ingressou como noviço no mosteiro de agostiniano da cidade de Brünn, hoje Bruno, na atual
República Tcheca.

Após ter sido ordenado monge, em 1847, Mendel ingressou na Universidade de Viena, onde
estudou matemática e ciências por dois anos. Ele queria ser professor de ciências naturais, mas foi mal
sucedido nos exames.

De volta a Brünn, onde passou o resto da vida. Mendel continuou interessado em ciências. Fez
estudos meteorológicos, estudou a vida das abelhas e cultivou plantas, tendo produzido novas
variedades de maças e peras. Entre 1856 e 1865, realizou uma série de experimentos com ervilhas,
com o objetivo de entender como as características hereditárias eram transmitidas de pais para filhos.

Em 8 de março de 1865, Mendel apresentou um trabalho à Sociedade de História Natural de Brünn, no


qual enunciava as suas leis de hereditariedade, deduzidas das experiências com as ervilhas. Publicado
em 1866, com data de 1865, esse trabalho permaneceu praticamente desconhecido do mundo científico
até o início do século XX. Pelo que se sabe, poucos leram a publicação, e os que leram não
conseguiram compreender sua enorme importância para a Biologia. As leis de Mendel foram
redescobertas apenas em 1900, por três pesquisadores que trabalhavam independentemente.

Mendel morreu em Brünn, em 1884. Os últimos anos de sua vida foram amargos e cheios de
desapontamento. Os trabalhos administrativos do mosteiro o impediam de se dedicar exclusivamente à
ciência, e o monge se sentia frustrado por não ter obtido qualquer reconhecimento público pela sua
importante descoberta. Hoje Mendel é tido como uma das figuras mais importantes no mundo
científico, sendo considerado o “pai” da Genética. No mosteiro onde viveu existe um monumento em
sua homenagem, e os jardins onde foram realizados os célebres experimentos com ervilhas até hoje são
conservados.

Fonte:
Site: http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Genetica/leismendel.php
Acessado em: 05 de agosto de 2013.

10
OS EXPERIMENTOS DE MENDEL
A escolha da planta

A ervilha é uma planta herbácea leguminosa que pertence ao mesmo grupo do feijão e da soja.
Na reprodução, surgem vagens contendo sementes, as ervilhas. Sua escolha como material de
experiência não foi casual, trata-se de ser uma planta:
 Fácil de cultivar;
 Ciclo reprodutivo curto;
 Produz muitas sementes;
 Muitas características visíveis a olho nu;
 Fácil autopolinização

Desde os tempos de Mendel existiam muitas variedades disponíveis, dotadas de características


de fácil comparação. Por exemplo, a variedade que flores púrpuras podia ser comparada com a que
produzia flores brancas; a que produzia sementes lisas poderia ser comparada com a que produzia
sementes rugosas, e assim por diante.
Outra vantagem dessas plantas é que estame e pistilo, os componentes envolvidos na
reprodução sexuada do vegetal, ficam encerrados no interior da mesma flor, protegidas pelas pétalas.
Isso favorece a autopolinização e, por extensão, a autofecundação, formando descendentes com as
mesmas características das plantas genitoras.
A partir da autopolinização, Mendel produziu e separou diversas linhagens puras de ervilhas
para as características que ele pretendia estudar.

Características genéticas das ervilhas


Característica Dominante Recessiva
Forma da semente Lisa (Rr ou RR) Rugosa rr
Cor da semente Amarela (Vv ou VV) Verde vv
Cor da flor Púrpura (Bb ou BB) Branca bb
Forma da vagem Lisa (Rr ou RR) Rugosa rr
Cor da vagem Verde (Aa ou AA) Amarela aa
Posição da flor Axial (Tt ou TT) Terminal Tt
Altura do pé Alta (Bb ou BB) Baixo bb

11
Os cruzamentos
1) Obteve linhagens puras de ervilhas.
2) Efetuou uma polinização cruzada artificial. Onde pólen de uma planta que produzia apenas
flores púrpuras foi depositado no estigma de outra planta que só produzia flores brancas, ou
seja, cruzou duas plantas puras entre si. Essas duas plantas foram consideradas como
a geração parental (P), isto é, a dos genitores.
3) Repetiu a polinização cruzada várias vezes.
4) Verificou que todas as sementes originadas desses cruzamentos tinham flores púrpuras – as
flores brancas haviam aparentemente “desaparecido” nos descendentes híbridos. Mendel
chamou de F1 (primeira geração filial).
5) Percebeu que a flor púrpura “dominava” a flor branca. Chamou o caráter flor púrpura de
dominante e o branco de recessivo.
6) Mendel, então, deixou a geração F1 (primeira geração filial) se autopolinizar.
7) Percebeu que na autofertilização entre as plantas F1, a cor branca das flores reapareceu na
F2 (segunda geração filial), só eu em proporção menor que as flores púrpuras: surgiram
6.022 flores púrpuras para 2.001 brancas, o que conduzia a proporção 3:1.
8) Concluiu que na verdade, a cor branca das flores não havia “desaparecido” nas sementes da
geração F1. O que ocorreu é que ela não tinha se manifestado, uma vez que, sendo uma
caráter recessivo, era apenas “dominado” (nas palavras de Mendel) pela cor púrpura.

Resultado: em F2, para cada três flores púrpuras, Mendel obteve uma flor branca. Repetindo o
procedimento para outras seis características estudadas nas plantas de ervilha, sempre eram obtidos os
mesmos resultados em F2, ou seja, a proporção de três expressões dominantes para uma recessiva.

12
1ª lei de Mendel Lei da Segregação dos Fatores

A comprovação da hipótese de dominância e recessividade nos vários experimentos efetuados


por Mendel levou, mais tarde à formulação da sua 1º lei: “Cada característica é determinada por dois
fatores que se separam na formação dos gametas, onde ocorrem em dose simples”, isto é, para cada
gameta masculino ou feminino encaminha-se apenas um fator.
Mendel não tinha ideia da constituição desses fatores, nem onde se localizavam.

Importante saber.... (Para o aluno pesquisar os conceitos)

Fenótipo: O termo “fenótipo” (do grego pheno, evidente, brilhante, e typos, característico) é
empregado para designar as características apresentadas por um indivíduo, sejam elas morfológicas,
fisiológicas e comportamentais.

Genótipo: O termo “genótipo” (do grego genos, originar, provir, e typos, característica) refere-se
à constituição genética do indivíduo, ou seja, aos genes que ele possui.

Homozigoto: Um indivíduo é chamado de homozigoto, ou puro, quando os alelos que codificam uma
determinada característica são iguais. Ou seja, os alelos são iguais e ele vai produzir apenas um tipo de
gameta.
Por exemplo: cor da semente de ervilhas: VV (amarela) ou vv (verde)

Heterozigoto: é o indivíduo que possui os dois alelos diferentes para determinar uma característica.
São também chamados de híbridos. Todos os indivíduos da geração F1 de Mendel eram heterozigotos
Vv, que codificava a característica de semente amarela.
Ex: cor da semente de ervilhas: Vv (amarela).

Característica Dominante: Trata-se da característica que a maior parte da população possui, ou seja,
é uma característica que domina em relação as outras. Representada por letra Maiúscula.

Característica recessiva: Trata-se da característica que somente uma pequena parte da população
possui, ou seja, é uma característica que não domina. Representada por letra Minúscula.

Autopolinização: Autopolinização ou polinização direta,é a transferência do pólen da antera para


o estigma da mesma flor (caso que só ocorre quando a planta é hermafrodita). É pouco frequente,
ocorre na ervilha, no fumo, no algodão e em muitos cereais, exceção do milho e centeio.

13
ATIVIDADES 01 - Primeira Lei de Mendel ATIVIDADES 01 - Primeira Lei de Mendel

01. Quais características as ervilhas possuem que permitiram a Mendel explorar 01. Quais características as ervilhas possuem que permitiram a Mendel explorar
esta planta em seus experimentos de genética? Marque V ou F. esta planta em seus experimentos de genética? Marque V ou F.
a) ( ) Cresce rapidamente a) ( ) Cresce rapidamente
b) ( ) possui complexidade para cultivo b) ( ) possui complexidade para cultivo
c) ( ) As características são visíveis em microscópio. c) ( ) As características são visíveis em microscópio.
d) ( ) é capaz de se autopolinizar d) ( ) é capaz de se autopolinizar
e) ( ) produz poucas sementes e) ( ) produz poucas sementes

02. O que é autopolinização? 02. O que é autopolinização?

03. O que é geração parental? Explique o que Mendel chamou de geração F¹ e 03. O que é geração parental? Explique o que Mendel chamou de geração F¹ e
F². F².
04. Em qual geração as características recessivas aparecem após cruzamentos de 04. Em qual geração as características recessivas aparecem após cruzamentos de
linhagens puras? linhagens puras?

05. Por que na primeira geração as características dominantes prevaleceram? 05. Por que na primeira geração as características dominantes prevaleceram?
06. A 1º lei de Mendel enuncia que : “Cada característica é determinada por dois 06. A 1º lei de Mendel enuncia que : “Cada característica é determinada por dois
fatores que se separam na formação dos gametas, onde ocorrem em dose fatores que se separam na formação dos gametas, onde ocorrem em dose
simples.” O que seria os dois fatores? Explique esta frase com suas palavras. simples.” O que seria os dois fatores? Explique esta frase com suas palavras.
07. Faça em seu caderno os cruzamentos com as ervilhas conforme pede-se 07. Faça em seu caderno os cruzamentos com as ervilhas conforme pede-se
abaixo e determine a proporção genotípica e fenotípica. abaixo e determine a proporção genotípica e fenotípica.
a) Sementes de cores amarelas heterozigotas (Vv) x sementes de cores verdes a) Sementes de cores amarelas heterozigotas (Vv) x sementes de cores verdes
(vv) (vv)
b) Flores de cores brancas (bb) x flores púrpuras homozigotas(BB) b) Flores de cores brancas (bb) x flores púrpuras homozigotas(BB)
c) Sementes de forma lisa homozigotas (RR) x lisa heterozigotas(Rr) c) Sementes de forma lisa homozigotas (RR) x lisa heterozigotas(Rr)
d) Sementes de cores amarelas heterozigotas (Vv) x Sementes de cores amarelas d) Sementes de cores amarelas heterozigotas (Vv) x Sementes de cores amarelas
heterozigotas(Vv). heterozigotas(Vv).
e) Plantas baixas (bb) x plantas baixas (bb) e) Plantas baixas (bb) x plantas baixas (bb)
f) Flores púrpuras heterozigotas (Bb) x flores brancas (bb). f) Flores púrpuras heterozigotas (Bb) x flores brancas (bb).
g) Ambas as vagens de cor verde heterozigota (Aa). g) Ambas as vagens de cor verde heterozigota (Aa).
h) Ambas as sementes amarelas homozigotas (VV). h) Ambas as sementes amarelas homozigotas (VV).

14
Atividades 2 – Primeira Lei de Mendel Atividades 2 – Primeira Lei de Mendel

01. Complete as lacunas abaixo e marque a sequencia correta. 01. Complete as lacunas abaixo e marque a sequencia correta.

"Casais de pigmentação da pele normal, que apresentam genótipo _______ "Casais de pigmentação da pele normal, que apresentam genótipo _______
podem ter filhos albinos. O gene para o albinismo é ____________ e não se podem ter filhos albinos. O gene para o albinismo é ____________ e não se
manifesta nos indivíduos ___________. São albinos apenas os indivíduos de manifesta nos indivíduos ___________. São albinos apenas os indivíduos de
genótipo ______." genótipo ______."

a) AA, dominante, homozigoto e aa. b) AA, recessivo, homozigoto e Aa. a) AA, dominante, homozigoto e aa. b) AA, recessivo, homozigoto e Aa.
c) Aa, dominante, heterozigotos e aa. d) Aa, recessivo, heterozigotos e aa. c) Aa, dominante, heterozigotos e aa. d) Aa, recessivo, heterozigotos e aa.

02. Cruzando-se ervilhas verdes vv com ervilhas amarelas Vv, os descendentes 02. Cruzando-se ervilhas verdes vv com ervilhas amarelas Vv, os descendentes
serão: serão:
a) 100% vv, verdes; a) 100% vv, verdes;
b) 100% VV, amarelas; b) 100% VV, amarelas;
c) 50% Vv, amarelas; 50% vv, verdes; c) 50% Vv, amarelas; 50% vv, verdes;
d) 25% vv, verdes; 50% Vv, amarelas; 25% VV, verdes. d) 25% vv, verdes; 50% Vv, amarelas; 25% VV, verdes.

03. Se cruzarmos dois gatos, sendo ambos heterozigóticos (Aa), obteremos: 03. Se cruzarmos dois gatos, sendo ambos heterozigóticos (Aa), obteremos:
a) Apenas indivíduos Aa; a) Apenas indivíduos Aa;
b) Indivíduos AA e aa, na proporção de 3:1, respectivamente; b) Indivíduos AA e aa, na proporção de 3:1, respectivamente;
c) Indivíduos AA e aa, na proporção de 2:1, respectivamente; c) Indivíduos AA e aa, na proporção de 2:1, respectivamente;
d) Indivíduos AA, Aa e aa, na proporção de 1:2:1, respectivamente. d) Indivíduos AA, Aa e aa, na proporção de 1:2:1, respectivamente.

04. Em seus experimentos, Mendel estudou a transmissão dos “fatores 04. Em seus experimentos, Mendel estudou a transmissão dos “fatores
hereditários”, conhecidos na linguagem atual dos geneticistas, como: hereditários”, conhecidos na linguagem atual dos geneticistas, como:
a) Cromossomos b)Genes c) Esporos d) Gametas a) Cromossomos b)Genes c) Esporos d) Gametas

05. Considerando a diversidade das ervilhas, faça os seguintes cruzamentos: 05. Considerando a diversidade das ervilhas, faça os seguintes cruzamentos:
a) Ervilhas lisas x ervilhas lisas, ambas descendentes de ervilhas rugosas. a) Ervilhas lisas x ervilhas lisas, ambas descendentes de ervilhas rugosas.
b) Duas ervilhas baixas. b) Duas ervilhas baixas.
c) Vagem de cor verde heterozigota com flor verde homozigota. c) Vagem de cor verde heterozigota com flor verde homozigota.
15
Atividades 3 - Primeira Lei de Mandel Atividades 3 - Primeira Lei de Mandel

01 - Em ervilhas, a coloração púrpura das flores é dominante em relação à 01 - Em ervilhas, a coloração púrpura das flores é dominante em relação à
coloração branca. Cruzaram-se flores púrpuras heterozigotas com flores brancas. coloração branca. Cruzaram-se flores púrpuras heterozigotas com flores brancas.
Quais as possíveis combinações para esse cruzamento? Quais as possíveis combinações para esse cruzamento?

02 – Carlos tem olhos castanhos e sua esposa, olhos azuis. Qual a provável 02 – Carlos tem olhos castanhos e sua esposa, olhos azuis. Qual a provável
descendência desse casa, sabendo-se que o marido é heterozigótico para esse descendência desse casa, sabendo-se que o marido é heterozigótico para esse
caráter? caráter?

03 – Efigênia apresenta a capacidade de enrolar a língua e casou-se com Wilson, 03 – Efigênia apresenta a capacidade de enrolar a língua e casou-se com Wilson,
que é incapaz para esse caráter. Quais as possíveis combinações para o que é incapaz para esse caráter. Quais as possíveis combinações para o
descendente do casal, sabendo-se que Efigênia é heterozigota para essa descendente do casal, sabendo-se que Efigênia é heterozigota para essa
característica? característica?

04 - Sabendo-se que a sarda é condicionada por um gene dominante, faça os 04 - Sabendo-se que a sarda é condicionada por um gene dominante, faça os
cruzamentos a seguir: cruzamentos a seguir:
a) Homem sardento homozigoto com mulher sem sardas. a) Homem sardento homozigoto com mulher sem sardas.
b) Homem sardento heterozigoto com mulher sem sardas. b) Homem sardento heterozigoto com mulher sem sardas.
c) Ambos sem sardas c) Ambos sem sardas
d) Ambos sardentos e heterozigóticos. d) Ambos sardentos e heterozigóticos.
e) Ambos sardentos e homozigóticos e) Ambos sardentos e homozigóticos

05- Geralda é canhota (cc) e casou-se com Sílvio, destro. Sabendo-se que Sílvio é 05- Geralda é canhota (cc) e casou-se com Sílvio, destro. Sabendo-se que Sílvio é
heterozigoto para esse caráter, determine as possíveis combinações para esse heterozigoto para esse caráter, determine as possíveis combinações para esse
cruzamento. cruzamento.

06 - Quais as possíveis combinações entre o cruzamento de: 06 - Quais as possíveis combinações entre o cruzamento de:
a) mulher de olhos escuros (AA) com homem de olhos azuis (AA)? a) mulher de olhos escuros (AA) com homem de olhos azuis (AA)?
b) mulher de olhos azuis (aa) com homem de olhos castanhos (Aa)? b) mulher de olhos azuis (aa) com homem de olhos castanhos (Aa)?
c) mulher de olhos castanhos (Aa) com homem de olhos castanhos (Aa)? c) mulher de olhos castanhos (Aa) com homem de olhos castanhos (Aa)?

07. Camila é canhota e casou-se com Josias destro homozigoto. Determine as 07. Camila é canhota e casou-se com Josias destro homozigoto. Determine as
possíveis combinações para esse cruzamento. possíveis combinações para esse cruzamento.
16
CONSTRUINDO HEREDOGRAMAS

Construir um heredograma consiste em representar, usando símbolos, as relações de


parentesco entre os indivíduos de uma família. Cada indivíduo é representado por um símbolo
que indica as suas características particulares e sua relação de parentesco com os demais.
Os principais símbolos são os seguintes:

ATIVIDADES - Construindo Heredogramas

1. (Fatec-SP) O heredograma abaixo se refere a uma


característica condicionada por um único par de genes.

São obrigatoriamente heterozigotos:


a) l, 3, 5, 10
b) 2, 4, 6, 8
c) 2, 4, 6, 7, 8, 9
d) 2, 6, 7, 8
e) 2, 6, 7, 9

2. (F. Objetivo-SP). A genealogia anexa refere-se a uma família


com casos de alcaptonúria, anomalia provocada por um gene
recessivo.
Nesse heredograma os genótipos que não podem ser
determinados são os dos indivíduos:
a) 1,2 e 5 b) 3, 5 e 6 c) 7, 8 e 10
d)1, 3 e 6 e) 3, 8 e 10

3. (FUVEST-SP). Analise a seguinte genealogia:


a) a anomalia é causada por um gene dominante ou recessivo?
b) Qual é a probabilidade de o casal nº4 ter um filho que
apresente esta anomalia?

4. (UFPA-PA). Na genealogia seguinte está sendo analisado um caráter recessivo. Qual é a probabilidade de
que o casal 5x6 venha a ter um descendente homozigoto recessivo?
a) 1/2
b) 1/4
c) 1/8
d) 1/16
e) 1/32

17
OS SISTEMAS SANGUINEOS
Por volta de 1900, o médico austríaco Karl Landsteiner (1868 – 1943) verificou que,
quando amostras de sangue de determinadas pessoas eram misturadas, as hemácias se juntavam,
formando aglomerados semelhantes a coágulos. Landsteiner concluiu que determinadas pessoas
têm sangues incompatíveis, e, de fato, as pesquisas posteriores revelaram a existência de
diversos tipos sanguíneos, nos diferentes indivíduos da população.
Quando, em uma transfusão, uma pessoa recebe um tipo de sangue incompatível com o seu, as
hemácias transferidas vão se aglutinando assim que penetram na circulação, formando
aglomerados compactos que podem obstruir os capilares, prejudicando a circulação do sangue.

O Sistema ABO
No sistema ABO existem quatro tipos de sangues: A, B, AB
e O. Esses tipos são caracterizados pela presença ou não de certas
substâncias na membrana das hemácias, os aglutinogênios, e pela
presença ou ausência de outras substâncias, as aglutininas, no plasma
sanguíneo.
Existem dois tipos de aglutinogênio, A e B, e dois tipos de
aglutinina, anti-A e anti-B. Pessoas do grupo A possuem
aglutinogênio A, nas hemácias e aglutinina anti-B no plasma; as do
grupo B têm aglutinogênio B nas hemácias e aglutinina anti-A no
plasma; pessoas do grupo AB têm aglutinogênios A e B nas
hemácias e nenhuma aglutinina no plasma; e pessoas do gripo O não
tem aglutinogênios na hemácias, mas possuem as duas
aglutininas, anti-A e anti-B, no plasma.

Como ocorre a Herança dos Grupos Sanguíneos no Sistema ABO?


Tipo Doa para: Recebe de: Genótipo
sanguíneo
A A e AB AeO IAIA ou IAi
B B e AB BeO IBIB ou IBi
Ab AB A, B, AB e O IAIB
O A, B AB e O O ii

A produção de aglutinogênios A e B são determinadas, respectivamente, pelos genes I A e I B.


Um terceiro gene, chamado i, condiciona a não produção de aglutinogênios. Trata-se, portanto de
um caso de alelos múltiplos. Entre os genes I A e I B há codominância (I A = I B), mas cada um
deles domina o gene i (I A > i e I B> i).

18
ATIVIDADES - Sistema ABO ATIVIDADES - Sistema ABO

01. Quais são os quatro tipos sanguíneos? Qual é mais incomum? 01. Quais são os quatro tipos sanguíneos? Qual é mais incomum?

02. Conceitue doador universal e receptor universal. 02. Conceitue doador universal e receptor universal.

03. Quais são os genótipos possíveis para cada tipo sanguíneo? 03. Quais são os genótipos possíveis para cada tipo sanguíneo?

04. Faça os seguintes cruzamentos e determine o genótipo e o fenótipo dos 04. Faça os seguintes cruzamentos e determine o genótipo e o fenótipo dos
descendentes dos cruzamentos abaixo: descendentes dos cruzamentos abaixo:
a) Mulher tipo A, cujo pai é O, com homem AB. a) Mulher tipo A, cujo pai é O, com homem AB.
b) Mulher tipo B, cujo filho é A, com homem AB. b) Mulher tipo B, cujo filho é A, com homem AB.
c) Mulher tipo O com homem B, cujo pai é O. c) Mulher tipo O com homem B, cujo pai é O.
d) Mulher sangue tipo-B Heterozigota com homem sangue tipo-A Homozigoto. d) Mulher sangue tipo-B Heterozigota com homem sangue tipo-A Homozigoto.
e) Mulher sangue tipo-O com homem sangue tipo-A Heterozigoto. e) Mulher sangue tipo-O com homem sangue tipo-A Heterozigoto.
f) Mulher sangue tipo-AB, com homem sangue tipo-O. f) Mulher sangue tipo-AB, com homem sangue tipo-O.

05. Astrogilda tem sangue B teve um filho de sangue tipo AB . Dos cinco 05. Astrogilda tem sangue B teve um filho de sangue tipo AB . Dos cinco
homens apontados como os que teriam alguma probabilidade de ser o pai do homens apontados como os que teriam alguma probabilidade de ser o pai do
menor, um deles foi excluído pelo seu tipo de sangue, qual? menor, um deles foi excluído pelo seu tipo de sangue, qual?
a) Carlos, de sangue A b) Ivan Ilson, de sangue AB a) Carlos, de sangue A b) Ivan Ilson, de sangue AB
c) Jorge, de sangue O d) Fabiano, de sangue AB c) Jorge, de sangue O d) Fabiano, de sangue AB

06. Nas quatro pessoas relacionadas a seguir, foram encontrados os seguintes 06. Nas quatro pessoas relacionadas a seguir, foram encontrados os seguintes
tipos sanguíneos: tipos sanguíneos:
Joana – AB Cassilda – B Doaldo – O Saildo - A Joana – AB Cassilda – B Doaldo – O Saildo - A

Com base nesta relação, responda: Com base nesta relação, responda:
a) Quem do grupo anterior NÃO possui os aglutinogênios em suas hemácias? a) Quem do grupo anterior NÃO possui os aglutinogênios em suas hemácias?
b) Por que Joana pode receber sangue de outros membros do grupo? b) Por que Joana pode receber sangue de outros membros do grupo?
c) Que tipo de aglutinina possuem Cassilda e Saildo, respectivamente? c) Que tipo de aglutinina possuem Cassilda e Saildo, respectivamente?
d) Quais os possíveis fenótipos para os filhos de Joana e Doado? d) Quais os possíveis fenótipos para os filhos de Joana e Doado?
e) Quais os possíveis fenótipos para os filhos de Cassilda e Saildo? e) Quais os possíveis fenótipos para os filhos de Cassilda e Saildo?
f) Quem é doador Universal? f) Quem é doador Universal?
g) Quem é receptor Universal? g) Quem é receptor Universal?
19
O Sistema Rh

Um outro sistema de grupos sanguíneos foi descoberto a partir dos experimentos


desenvolvidos por Landsteiner e Wiener, em 1940, com sangue de macaco do gênero Rhesus.
Esses pesquisadores verificaram que ao se injetar o sangue desse macaco em cobaias, havia
produção de anticorpos para combater as hemácias introduzidas. Ao centrifugar o sangue das
cobaias obteve-se o soro que continha anticorpos anti-Rh e que poderia aglutinar as hemácias do
macaco Rhesus. As conclusões daí obtidas levariam a descoberta de um antígeno de membrana
que foi denominado Rh (Rhesus), que existia nesta espécie e não em outras como as de cobaia e,
portanto, estimulavam a produção anticorpos, denominados anti-Rh.
Analisando o sangue de muitos indivíduos da espécie humana, Landsteiner verificou que,
ao misturar gotas de sangue dos indivíduos com o soro contendo anti-Rh, cerca de 85% dos
indivíduos apresentavam aglutinação (e pertenciam a raça branca) e 15% não apresentavam.
Definiu-se, assim, "o grupo sanguíneo Rh +” ( apresentavam o antígeno Rh), e "o grupo Rh -
“ ( não apresentavam o antígeno Rh).

A Herança do Sistema Rh

Três pares de genes estão envolvidos na herança do fator


Rh, tratando-se, portanto, de casos de alelos múltiplos.

Eritroblastose Fetal
A eritroblastose fetal, ou doença de Rhesus, doença hemolítica por incompatibilidade de
Rh ou doença hemolítica do recém-nascido ocorre em 1 entre 200 nascimentos e consiste na
destruição das hemácias do feto de Rh+ pelos anticorpos de mãe Rh-.

Para que exista risco de uma mãe de fator negativo dar a luz a uma criança Rh+ com a
doença, deverá ter sido previamente sensibilizada com sangue de fator positivo por transfusão de
sangue errônea ou, ainda, gestação de uma criança fator positivo, cujas hemácias passaram para a
circulação materna.

Em razão dessa destruição, o indivíduo torna-se anêmico e, em face da deposição de


bilirrubina em vários tecidos, poderá apresentar icterícia, cujo acúmulo substancial é tóxico ao
sistema nervoso, podendo causar lesões graves e irreversíveis. Criança natimorta, com paralisia
cerebral ou portadora de deficiência mental ou auditiva também pode ocorrer. Como resposta à
anemia, são produzidas e lançadas no sangue hemácias imaturas, eritroblastos. A doença é
chamada de Eritroblastose Fetal pelo fato de haver eritroblastos na circulação do feto.
Nos casos em que o filho é RH (-) e a mãe (+) não há problema, porque a produção de
anticorpos pela criança só inicia cerca de seis meses após o nascimento.

20
ATIVIDADES - Sistema Rh e Eritroblastose fetal ATIVIDADES - Sistema Rh e Eritroblastose fetal

01. Quais são os genótipos do sistema Rh? 01. Quais são os genótipos do sistema Rh?
02. Determine o genótipo e o fenótipo dos casais a seguir. 02. Determine o genótipo e o fenótipo dos casais a seguir.
a) Mulher Rh+ (heterozigota) x homem Rh -. a) Mulher Rh+ (heterozigota) x homem Rh -.
b) Mulher Rh+ (homozigota) x homem Rh-. b) Mulher Rh+ (homozigota) x homem Rh-.

03. Como são os fenótipos, quanto ao Sistema Rh, de uma família onde o 03. Como são os fenótipos, quanto ao Sistema Rh, de uma família onde o
segundo filho nasceu com a doença Eritroblastose fetal? segundo filho nasceu com a doença Eritroblastose fetal?
Mãe ______ Pai ________ 1º filho_________ 2º filho_________ Mãe ______ Pai ________ 1º filho_________ 2º filho_________

04. Como são os genótipos, quanto ao Sistema Rh, de uma família onde o 04. Como são os genótipos, quanto ao Sistema Rh, de uma família onde o
segundo filho nasceu com a doença Eritroblastose fetal? segundo filho nasceu com a doença Eritroblastose fetal?
Mãe ______ Pai ________ 1º filho_________ 2º filho_________ Mãe ______ Pai ________ 1º filho_________ 2º filho_________

05. Qual o motivo do sistema Rh possuir este nome? 05. Qual o motivo do sistema Rh possuir este nome?

06. Na Eritroblastose fetal ocorre destruição das hemácias, o que pode levar 06. Na Eritroblastose fetal ocorre destruição das hemácias, o que pode levar
recém-nascidos à morte. Como evitar ocorrência desta doença? recém-nascidos à morte. Como evitar ocorrência desta doença?

07. Lúcia e João são do tipo sanguíneo Rh positivo e seus irmãos, Pedro e 07. Lúcia e João são do tipo sanguíneo Rh positivo e seus irmãos, Pedro e
Marina, são do tipo Rh negativo. Quais dos quatro irmãos podem vir a ter Marina, são do tipo Rh negativo. Quais dos quatro irmãos podem vir a ter
filhos com Eritroblastose fetal? filhos com Eritroblastose fetal?
a) Marina e Pedro. b) Lúcia e João. a) Marina e Pedro. b) Lúcia e João.
c) Lúcia e Marina. d) João e Marina. c) Lúcia e Marina. d) João e Marina.

08. Após uma primeira gravidez bem sucedida, uma mãe abortou três vezes. Seu 08. Após uma primeira gravidez bem sucedida, uma mãe abortou três vezes. Seu
caso foi diagnosticado, em consulta médica, como Eritroblastose fetal. Em caso foi diagnosticado, em consulta médica, como Eritroblastose fetal. Em
relação à patologia observada nesta família, assinale a alternativa CORRETA: relação à patologia observada nesta família, assinale a alternativa CORRETA:
a) A mãe é Rh positivo. a) A mãe é Rh positivo.
b) Todos os abortados certamente eram Rh negativo. b) Todos os abortados certamente eram Rh negativo.
c) Este casal jamais poderá ter outros filhos. c) Este casal jamais poderá ter outros filhos.
d) O pai é Rh positivo. d) O pai é Rh positivo.

21
ATIVIDADES SOBRE SISTEMA ABO E FATOR Rh

01. Os tipos sanguíneos do sistema ABO de três casais e três crianças são mostrados a seguir.
Sabendo-se que cada criança é filha de um dos casais, ligue cada casal à sua criança.

CASAIS CRIANÇAS
I. AB X AB a. A
II. B x B b. O
III. A X O c. AB

02. Analise as informações abaixo sobre o Sistema ABO e marque a alternativa correta.
I. Se os pais são do grupo sanguíneo O, os filhos também serão do grupo sanguíneo O.
II. Se um dos pais é do grupo sanguíneo A e o outro é do grupo sanguíneo B, todos os filhos serão do
grupo sanguíneo AB.
III. Se os pais são do grupo sanguíneo A, os filhos poderão ser do grupo sanguíneo A ou O.

Está correta alternativa:


a) Apenas I b) Apenas II c) Apenas III d) Apenas I e III e) I, II e
III

03. Duas pessoas do grupo sanguíneo AB podem ter apenas filhos de sangue tipo:
a)AB b) A e B c)O d) A, B e O

04. Duas pessoas, uma do grupo sanguíneo AB e outra do grupo sanguíneo O, podem ter apenas
filhos de sangue do tipo:
a)AB b) A e B c)O d) A, B e O

05. Considere as seguintes situações:


I. Mãe Rh positiva e pai Rh negativo
II. Mãe Rh negativo e pai Rh positivo
III. Mãe e pai Rh positivos
IV. Mãe e pai Rh negativos

Pode acontecer a Eritroblastose Fetal apenas:


a) Na situação I
b) Na situação II
c) Na situação I e II
d) Na situação III e IV

06. O heredograma a seguir mostra os tipos sanguíneos dos indivíduos d e uma família. Com base nessas
informações:
a) Determine os genótipos dos diversos indivíduos.
b) Calcule a probabilidade de um descendente do casal 12 X 13 ser do sangue tipo O.

22
A HERANÇA LIGADA AO SEXO.

A determinação do sexo
A determinação do sexo em bebês, que é
definida no momento da fecundação do óvulo,
depende exclusivamente do espermatozoide.

Em todas as espécies dioicas, ou seja, que


possuem sexos separados, as fêmeas possuem
cromossomos sexuais homólogos (XX), enquanto que
os machos possuem um cromossomo sexual
semelhante ao das fêmeas (X) e outro cromossomo sexual tipicamente masculino (Y), sendo
então XX para as fêmeas e XY para os machos.

A determinação do sexo ocorre no momento da fecundação do óvulo.

Nos mamíferos, essa determinação é feita através dos cromossomos sexuais encontrados
nos gametas masculinos, que são os espermatozoides (XY), e no gameta feminino, que é o óvulo
(XX). Sabemos que a espécie humana possui 46 cromossomos, sendo
que 23 desses cromossomos foram doados pela mãe (no óvulo) e os outros 23
cromossomos foram doados pelo pai (no espermatozoide). Por as fêmeas possuírem
cromossomos homólogos, ou seja, iguais (XX), elas poderão doar a seus filhos somente o
cromossomo sexual X, concluindo então que a mãe não tem papel significativo na determinação
do sexo. Diante disso, podemos afirmar que a determinação do sexo é feita pelo pai, pois ele
pode doar o cromossomo sexual X, dando origem a um bebê do sexo feminino, ou o
cromossomo sexual Y, dando origem a um bebê do sexo masculino.

Determinar o sexo dos filhos é o desejo da grande maioria dos pais, mas como vimos no
parágrafo anterior, essa determinação depende de fatores genéticos. Alguns médicos, como o
ginecologista e obstetra americano Landrum B. Shettles, afirmam que é possível sim escolher o
sexo do bebê e para isso basta seguir à risca o método proposto por ele, que pode ser encontrado
no livro “Como escolher o sexo de seu bebê”. Cientistas britânicos da Universidade de Exeter e
Oxford publicaram um estudo em que 740 mulheres em primeira gravidez foram observadas. A
partir dessas observações, eles afirmaram que a dieta alimentar das mães antes da concepção e
durante as primeiras semanas da gestação influenciaram na determinação do sexo de seus bebês.
Ainda segundo a pesquisa, as mulheres que tiveram alimentação mais calórica foram mães de
meninos, enquanto as mulheres que mantiveram uma alimentação menos calórica foram mães de
meninas.

Muitas teorias foram elaboradas e diversos estudos foram e ainda estão sendo realizados
sobre esse assunto muito contestado no meio científico. Essa questão será, com certeza, alvo de
muitos debates entre especialistas. Diante disso, o melhor a se fazer é esperar até
aproximadamente a 13° semana de gestação para saber o sexo do bebê e ter sempre em mente a
popular frase: “que venha com saúde, sem importar o sexo”.

23
Cariótipo Humano

A herança ligada ao sexo

a) Daltonismo: Consiste na dificuldade de percepção de tons verde, amarelo e vermelho,


em razão de um alelo alterado de um gene em X: o alelo d. O alelo D é responsável pela
condição normal.

Exemplo: uma mãe portadora, mas não daltônica com um pai normal
resultarão em uma prole:

b) Hemofilia: problema na coagulação sanguínea em função da falta do fator VIII de


coagulação. Isso dificulta a formação da rede de fibrina necessária a uma coagulação
normal. Dessa forma ferimentos simples podem causar no hemofílico uma hemorragia
grave. É uma herança ligada ao sexo, condicionada pelo gene recessivo (h).
24
a) Hipertricose auricular: É a presença de longos
pelos nas orelhas. Independente de ser herança
dominante ou recessiva, sempre é passada de pai
para filho.

b) Calvície: é condicionada por um gene dominante. Nas mulheres, ele se expressa apenas
em dose dupla.
Isso ocorre porque o gene C atua como dominante na presença do hormônio masculino
testosterona, e pode se expressar mesmo em dose simples. Como as mulheres possuem
baixíssimas quantidades desse hormônio, o gene em dose simples não é suficiente para se
expressar.

Fenótipo

Genótipo Homem Mulher

CC Calvo Calva

Cc Calvo Não calva

cc Não calvo Não Calva

25
ATIVIDADES - A herança ligada ao sexo 07. (UEL/2009) A hemofilia é uma doença hereditária recessiva ligada ao
cromossomo sexual X, presente em todos os grupos étnicos e em todas as regiões
geográficas do mundo. Caracteriza-se por um defeito na coagulação sanguínea,
01. Quem determina o sexo dos bebês, o homem ou a mulher? Por quê?
manifestando-se através de sangramentos espontâneos que vão de simples manchas
02. Em que momento o sexo do bebe é determinado?
roxas (equimoses) até hemorragias abundantes.
03. Qual a diferença entre o cariótipo feminino e o masculino?
Com base no enunciado e nos conhecimentos sobre o tema, é correto afirmar:
04. Quais os sintomas de uma pessoa portadora do gene para o:
a) Casamento de consanguíneos diminui a probabilidade de nascimento de mulheres
a) Daltonismo
hemofílicas.
b) Hemofilia
b) Pais saudáveis de filhos que apresentam hemofilia são heterozigotos.
c) Hipertricose auricular
c) A hemofilia ocorre com a mesma frequência entre homens e mulheres.
d) Calvície
d) As crianças do sexo masculino herdam o gene da hemofilia do seu pai.
e) Mulheres hemofílicas são filhas de pai hemofílico e mãe heterozigota para este
05. (UEMG/2008) O heredograma a seguir apresenta um caso familial de daltonismo,
gene.
herança determinada por um gene recessivo localizado no cromossomo X.
08. (FATEC/2009) Considere as afirmações a seguir sobre uma das doenças
representadas na tirinha e marque V ou F.

Pela análise das informações contidas no heredograma e de outros conhecimentos


que você possui sobre o assunto, só se pode afirmar CORRETAMENTE que
a) o indivíduo II.1 tem 50% de chance de apresentar o gene para o caráter.
b) todas as filhas do indivíduo II.2 serão daltônicas.
c) qualquer descendente de II.4 receberá o gene para daltonismo
d) o indivíduo II.2 herdou o gene de qualquer um dos genitores.

a) ( ) O daltonismo é uma deficiência visual que impede o indivíduo de enxergar


06. (UFMG/2008) Um casal normal para a hemofilia – doença recessiva ligada ao
certas cores e pode ser prevenido através de medicação específica.
cromossoma X – gerou quatro crianças: duas normais e duas hemofílicas.
b) ( ) Se uma mulher daltônica transmitir um dos seus autossomos portador do
Considerando-se essas informações e outros conhecimentos sobre o assunto,
alelo para o daltonismo a um filho, ele será certamente daltônico.
é INCORRETO afirmar que
c) ( ) Um homem homozigoto para o alelo mutante do daltonismo tem
a) a mãe das crianças é heterozigótica para a hemofilia.
dificuldades para distinguir cores.
b) a probabilidade de esse casal ter outra criança hemofílica é de 25% .
d) ( ) O daltonismo, atualmente, graças à engenharia genética, já tem tratamento
c) as crianças do sexo feminino têm fenótipo normal.
e cura.
d) o gene recessivo está presente no avô paterno das crianças.

26
UNIDADE 2 - ECOLOGIA

INTRODUÇÃO Á ECOLOGIA
O termo Ecologia (Eco= casa/ logia= estudo), originalmente empregado em 1866 pelo
zoólogo alemão Ernst Haeckel (1834-1919), designa o estudo das relações entre os seres vivos e o
ambiente em que vivem. Trata-se de uma ciência multidisciplinar, que engloba diversos ramos do
conhecimento. Além da Biologia, da Física e da Química, também as ciências econômicas e
sociais têm de ser integradas para que se possa entender a complexidade das relações entre a
humanidade, os outros seres vivos e o planeta.
Felizmente, nas últimas décadas, a humanidade parece ter despertado para os problemas
ambientais causados pela expansão da população humana. Estamos tomando consciência de que é
preciso fazer algo para evitar a degradação do ambiente favorável à vida em nosso planeta. Nesse
contexto, os conhecimentos ecológicos são fundamentais para tentarmos reverter alguns dos
graves problemas ambientais que nós mesmos provocamos. A primeira atitude para proteger o
ambiente é procurar compreender a intricada rede que interliga os seres vivos e o meio.

CONCEITOS BÁSICOS DE ECOLOGIA


Biofera
A biosfera refere-se a região do planeta ocupada pelos
seres vivos. É possível encontrar vida em todas as regiões do
planeta, por mais quente ou frio que elas sejam. O conceito de
biosfera foi criado por analogia a outros conceitos empregados
para designar parte de nosso planeta.
De modo qual, podemos dizer que os limites da biosfera
se estendem desde às altas montanhas até as profundezas das
fossas abissais marinhas.

Populações, Comunidades e Biótopos


A biosfera é formada por milhões de espécies de seres vivos. As diferentes espécies
distribuem-se em grupos de indivíduos, chamados populações biológicas que são um conjunto de
seres de mesma espécie que vive em determinada área geográfica.
O conjunto de populações que vivem em uma mesma região constitui uma comunidade
biológica, também chamada de biota, ou biocenose. A comunidade de uma floresta, por exemplo,
compõem-se de populações de várias espécies de arbustos, árvores, pássaros, formigas, micro-
organismos etc., que convivem e se inter-relacionam.
A região ambiental em que vive as comunidades biológicas é chamada de biótopo (bio=
vida/ topos= lugar).

Habitat e Nicho ecológico


Hábitat é o ambiente em que vive determinada espécie ou comunidade. Quando dizemos
que certa espécie vive na praia e que outra vive na copa das árvores, estamos nos referindo aos
hábitats dessas espécies. Cada espécie de ser vivo está adaptada a seu hábitat de forma interativa
com o meio. Esse conjunto de interações adaptativas da espécie constitui seu nicho ecológico.
Numa comparação clássica, o habitat representa o "endereço" da espécie, e o nicho
ecológico equivale à "participação, ativa ou passiva, no ambiente".

27
Ecossistemas
É o conjunto de seres vivos e do meio
ambiente em que eles vivem, e todas as
interações desses organismos com o meio e
entre si.
Exemplos de ecossistema: uma
floresta, um rio, um lago ou um jardim.

Os ecossistemas apresentam dois


componentes básicos:
- biótico: as comunidades vivas
Ex: plantas, animais e microrganismos.

- abiótico: os elementos físicos e químicos


do meio
Ex: de nutrientes, água, ar, gases, energia e
substâncias orgânicas e inorgânicas do solo.

Competição e o princípio de Gause


O cientista russo Georgyi Gause propôs essa teoria baseando-se em diversas observações
que o levaram a concluir que, se duas ou mais espécies exploram exatamente o mesmo nicho
ecológico, a competição estabelecida entre elas é tão brusca que a convivência se torna
impossível. Assim, a competição entre as espécies no mesmo nicho pode dar origem a 03
situações diferentes:
1. A escassez de recursos leva uma das espécies à extinção (daí a expressão princípio de
exclusão competitiva).
2. Uma das espécies é expulsa daquele habitat e migra para outro território em busca de
recursos que garantam sua sobrevivência.
3. Uma ou todas as espécies modificam seu nicho ecológico, de maneira que deixem de
competir por recursos limitados.

28
Atividades – Conceitos básicos de Ecologia Atividades – Conceitos básicos de Ecologia

01. Conceitue Ecologia e comente por que ela é uma ciência 01. Conceitue Ecologia e comente por que ela é uma ciência
multidisciplinar. multidisciplinar.
02. Comente por que a Ecologia é um ramo do conhecimento que, nas 02. Comente por que a Ecologia é um ramo do conhecimento que, nas
últimas décadas, tem assumido importância crescente. últimas décadas, tem assumido importância crescente.
03. Conceitue biosfera. 03. Conceitue biosfera.
04. Conceitue: 04. Conceitue:
a) população biológica a) população biológica
b) comunidade biológica ou biocenose b) comunidade biológica ou biocenose
c) biótopo c) biótopo
05. Conceitue habitat. 05. Conceitue habitat.
06. Conceitue nicho ecológico. 06. Conceitue nicho ecológico.
07. Em que consiste o principio da Exclusão de Gause. 07. Em que consiste o principio da Exclusão de Gause.
08. O que poderia ocorrer com duas espécies que compartilhassem 08. O que poderia ocorrer com duas espécies que compartilhassem
aspectos importantes de seus nichos ecológicos? aspectos importantes de seus nichos ecológicos?
09. Qual dos conceitos de Ecologia engloba tanto componentes bióticos e 09. Qual dos conceitos de Ecologia engloba tanto componentes bióticos e
abióticos? abióticos?
a) biótopo c) ecossistema a) biótopo c) ecossistema
b) comunidade d) população b) comunidade d) população

10. Considerando a frase a seguir, responda: 10. Considerando a frase a seguir, responda:
Um grupo de bem-te-vis (1) vive na copa das árvores (2) de uma Um grupo de bem-te-vis (1) vive na copa das árvores (2) de uma
floresta (3). floresta (3).
a) Qual número refere-se ao ecossistema? a) Qual número refere-se ao ecossistema?
b) Qual número refere-se à população biológica? b) Qual número refere-se à população biológica?
c) Qual número refere-se ao habitat? c) Qual número refere-se ao habitat?
11. Dê dois exemplos de habitats aquáticos e dois exemplos de habitats 11. Dê dois exemplos de habitats aquáticos e dois exemplos de habitats
terrestres. terrestres.

29
CADEIAS E TEIAS ALIMENTARES

A cadeia alimentar é uma sequência de seres vivos que dependem uns dos outros para se
alimentar. Inicia-se com os produtores e passa para os consumidores (herbívoros, predadores) e
decompositores, por esta ordem.
Ao longo da cadeia
alimentar há uma transferência de
energia, sempre no sentido dos
produtores para os consumidores.
Energia tem, portanto, um percurso
acíclico ou unidirecional.
A transferência de nutrientes
fecha-se com o retorno dos
nutrientes aos produtores, através
da decomposição.

Organismos autótrofos: Organismos capazes de produzir o


próprio alimento utilizando a luz solar e produzindo o oxigênio.
Ex: plantas, algas, cianobactérias.

Organismos heterótrofos: Organismos que não são capazes de


produzir o seu próprio alimento, tendo assim, que utilizar
(comer) a energia produzida por outros seres vivos.

Produtores: São sempre autótrofos, produzem o alimento que


será usado na cadeia, e por isso então obrigatoriamente no início
de qualquer cadeia alimentar. Os principais produtores
conhecidos são plantas e algas microscópicas (fitoplâncton).

Consumidores – São os organismos que necessitam alimentar-se


de outros organismos para obter a energia que eles não podem
produzir para si próprios.
Podendo ser: - consumidores primários (“comem” autótrofos)
- consumidores secundários (“comem” consumidores primários)
- consumidores terciários (“comem” consumidores secundários) e assim por diante.

Decompositores ou saprofíticos – São organismos que


transformam matéria orgânica em matéria inorgânica, reduzindo
compostos complexos em moléculas simples. Os decompositores
mais importantes são bactérias e fungos.

TEIA ALIMENTAR
São várias cadeias alimentares que se entrelaçam, fazendo
que as relações ecológicas sejam múltiplas e o alimento
disponível possa ser utilizado por vários indivíduos, realmente
compondo um ecossistema.

30
Atividades – Cadeias e Teias alimentares Atividades – Cadeias e Teias alimentares

01. Conceitue cadeia alimentar, exemplificando. 01. Conceitue cadeia alimentar, exemplificando.
02. O que são níveis tróficos? 02. O que são níveis tróficos?
03. Cite dois exemplos de seres vivos: 03. Cite dois exemplos de seres vivos:
a) autótrofos ou produtores b) heterótrofos a) autótrofos ou produtores b) heterótrofos
c) consumidor d) decompositor c) consumidor d) decompositor
04. Como é a alimentação dos seres vivos consumidores abaixo? 04. Como é a alimentação dos seres vivos consumidores abaixo?
a) onívoro b) carnívoro c) herbívoro a) onívoro b) carnívoro c) herbívoro
d) hematófago e) detritívoro d) frutívoro d) hematófago e) detritívoro d) frutívoro
05. Quem são os produtores nos ecossistemas aquáticos e terrestres? 05. Quem são os produtores nos ecossistemas aquáticos e terrestres?
06. Uma teia alimentar é constituída por árvores frutíferas, bactérias e 06. Uma teia alimentar é constituída por árvores frutíferas, bactérias e
fungos do solo, coelho, capim, serpentes, gafanhotos, gaviões e insetos fungos do solo, coelho, capim, serpentes, gafanhotos, gaviões e insetos
frutívoros. Nesta teia os consumidores secundários são: frutívoros. Nesta teia os consumidores secundários são:
a) árvores frutíferas, bactérias e fungos b) bactérias e fungos a) árvores frutíferas, bactérias e fungos b) bactérias e fungos
c) Coelhos, serpentes e gaviões d) serpentes e gaviões. c) Coelhos, serpentes e gaviões d) serpentes e gaviões.
07. Os pernilongos machos sugam a seiva de plantas, enquanto os 07. Os pernilongos machos sugam a seiva de plantas, enquanto os
pernilongos fêmeas sugam o sangue de animais. Pode-se afirmar que eles pernilongos fêmeas sugam o sangue de animais. Pode-se afirmar que eles
são, respectivamente, são, respectivamente,
a) produtor e consumidor. b) consumidores I, ambos. a) produtor e consumidor. b) consumidores I, ambos.
c) consumidores II, ambos. d) consumidor I e consumidor II. c) consumidores II, ambos. d) consumidor I e consumidor II.

08. Uma espécie de anfíbio apresenta fase larval aquática e onívora e fase 08. Uma espécie de anfíbio apresenta fase larval aquática e onívora e fase
adulta terrestre e carnívora. Nesta frase, encontramos conceitos de adulta terrestre e carnívora. Nesta frase, encontramos conceitos de
a) teia alimentar e habitat. b) ecossistema e nicho ecológico. a) teia alimentar e habitat. b) ecossistema e nicho ecológico.
c) teia alimentar e ecossistema. d) habitat e nicho ecológico c) teia alimentar e ecossistema. d) habitat e nicho ecológico

09. Desenhe uma cadeia alimentar aquática e uma cadeia alimentar 09. Desenhe uma cadeia alimentar aquática e uma cadeia alimentar
terrestre com todos os níveis tróficos, ou seja, produtores, consumidores e terrestre com todos os níveis tróficos, ou seja, produtores, consumidores e
decompositores. decompositores.

31
RELAÇÕES ECOLÓGICAS ENTRE OS SERES VIVOS

Seres vivos de uma mesma comunidade relacionam entre si e com o meio. Tal interação ocorre não só
entre indivíduos da mesma espécie (relações intra-específicas), mas também de outras populações (relações
interespecíficas); podendo consistir em laços benéficos, ou não. Relações ecológicas podem ser harmônicas
ou desarmônicas. O primeiro caso ocorre quando ambos os indivíduos são beneficiados; ou apenas um, mas
sem causar dano ao outro. Já o segundo, quando isto não ocorre.

Como relações intra-específicas harmônicas, temos:


- Sociedade: Representantes da mesma espécie cooperam entre si, por meio da divisão de trabalho. Ex: abelhas
e cupins.
- Colônia: Associação anatomicamente entre indivíduos, unidos entre si, e que podem desempenhar funções
específicas. Ex: corais.

Como relações intra-específicas desarmônicas, temos:


- Canibalismo: Um indivíduo se alimenta de outro de sua espécie sendo este, geralmente, menos capaz.
- Competição intraespecífica: Competição por território, parceiros reprodutivos, alimentos, dentre outros.

Como relações interespecíficas harmônicas, temos:


- Mutualismo: Ambas as espécies, associadas entre si, se beneficiam, sendo tal relação imprescindível à
sobrevivência destas. Ex: liquens (fungos + algas).
- Protocooperação: Ambas as espécies se beneficiam, mas sem estar dependentemente, e tampouco
obrigatoriamente, unidas. Ex: Caranguejo-eremita e anêmonas-do-mar.
- Inquilinismo: Uma espécie fornece proteção ou moradia à outra, sem se prejudicar. Ex: orquídeas epífitas.
- Comensalismo: Um organismo se alimenta de restos da alimentação de outro. É uma relação que fornece
benefícios apenas a uma espécie, enquanto a outra permanece indiferente.

Como relações interespecíficas desarmônicas, temos:


- Amensalismo: O desenvolvimento ou próprio nascimento de indivíduos de uma espécie sendo prejudicado
graças à secreção de substâncias tóxicas, produzidas por outra. Ex: secreção antibiótica dos Penicillium.
- Herbivoria: Herbívoros se alimentam de partes ou mesmo de plantas inteiras. Ex: boi - capim.
- Predatismo: Consiste na captura, morte e alimentação de suas presas. Ex: plantas carnívoras, aranhas e leões.
- Parasitismo: Um parasita se alimenta de seu hospedeiro sem, necessariamente, levá-lo a óbito. Ex: carrapato
(ectoparasita) e lombrigas (endoparasita).

Tabela de representação das relações interespecíficas:


Espécies juntas Espécies separadas
TIPOS DE RELAÇÕES
A B A B
Inquilinismo + 0 0 0
Comensalismo + 0 0 0
Mutualismo + + – –
Protocooperação + + 0 0
Amensalismo 0 – 0 0
Predatismo + – – 0
Competição – – 0 0
Parasitismo + – – 0
0 espécie não é afetada + espécie beneficiada – espécie é prejudicada

32
Atividades – Relações ecológicas entre os seres vivos

01. Enquanto as onças devoram a sua presa, os urubus esperam e come os restos. Quais as relações
ecológicas envolvidas nesta situação?
a) predador e parasita. b) predador e decompositor c) comensal e parasita.
d) predador e detrítivoro e) parasita e detrítivoro

02. Quando o relacionamento entre dois seres vivos resulta em benefício para ambos os associados,
dizemos que ocorre:
a) mutualismo. b) comensalismo. c) hiperparasitismo.
d) parasitismo e) inquilinismo.

03. No combate às larvas dos anofelinos (mosquitos transmissores da malária), foi utilizado, com
eficiência, um pequeno peixe larvófago (Gambusia affinis). A utilização deste animal, na área de
saneamento para o controle dessa parasitose, foi bem sucedida em regiões infestadas pelo
Anopheles, e onde era grande a incidência da malária.
O método citado, não poluente, substitui o clássico processo de deposição de óleo em
superfície da água, que mata as larvas por asfixia.
A ação do peixe Gambusia affinis em relação aos anofelinos é um exemplo de:
a) predatismo b) simbiose c) parasitismo d) amensalismo.

04. Se duas espécies diferentes ocuparem num mesmo ecossistema o mesmo nicho ecológico, é
provável que:
a) se estabeleça entre elas uma relação harmônica.
b) se estabeleça uma competição interespecífica.
c) se estabeleça uma competição intraespecífica.
d) uma das espécies seja produtora e a outra, consumidora.
e) uma das espécies ocupe um nível trófico elevado.

05. A associação existente entre os ruminantes e as bactérias que vivem em seu estômago é um caso
de :
a) mutualismo. b) parasitismo. c) comensalismo. d) competição interespecífica.

06. Dos tipos de relações ecológicas seguintes, o único que ocorre exclusivamente entre organismos
da mesma espécie é:
a) Inquilinismo b) Herbivoria c) Mutualismo d) Sociedade

07. Um gavião, que tem sob suas penas carrapatos e piolhos, traz preso em suas garras um rato, com
pulgas em seus pêlos.

Entre o rato e as pulgas, entre os carrapatos e os piolhos e entre o gavião e o rato existem relações
interespecíficas denominadas, respectivamente:
a) inquilinismo, competição e predatismo.
b) predatismo, competição e parasitismo.
c) parasitismo, competição e predatismo.
d) parasitismo, inquilinismo e predatismo.

33
08. A seguir estão descritas algumas relações entre seres vivos. Escreva-as.
a) ________________________ a rêmora acompanha o tubarão de perto e fica presa a ele por uma
ventosa. Ela aproveita os alimentos do tubarão e também a sua locomoção, mas não prejudica e nem
beneficia o seu hospedeiro.
b) ________________________ a alimentação predominante do cupim é a madeira, que lhe fornece
grande quantidade de celulose. Entretanto, ele não possui capacidade digeri-la. Quem se
responsabiliza pela degradação da celulose é um protozoário que vive em seu intestino, de onde não
precisa sair para procurar alimento.
c) ________________________ as ervas-de-passarinho instalam-se sobre outras plantas, retirando
delas a seiva, que será utilizada para a fotossíntese.
d) _______________________ nas caravelas existe uma união estreita de indivíduo, cada um deles
especializados em determinadas funções como digestão, reprodução e defesa.
e) ________________________ as orquídeas, vivendo sobre outras plantas, conseguem melhores
condições luminosas, mas nada retiram dos tecidos internos destas plantas.

09. Assinale a opção que indica a Relação Ecológica ilustrada nos seguintes exemplos:
I) Um cavalo está cheio de carrapatos, fixos a sua pele, sugando seu sangue.
II) A tênia é um platelminto que vive no intestino de mamíferos.
III) Os afídeos (pulgões) são insetos que retiram seiva elaborada de certas plantas.

a) Parasitismo. b) Competição. c) Mutualismo. d) Sociedade.

10. Define-se parasitas como seres que:


a) se alimentam dos restos alimentares de outras espécies.
b) matam e comem seres de outras espécies.
c) inibem o crescimento de outras populações produzindo substâncias antibióticas.
d) se nutrem e crescem às custas de seres de outras espécie, sem matá-los a curto prazo.
e) vivem apoiados ou abrigados em seres de outra espécie sem causar grandes prejuízos.

11. A relação entre o homem e lombrigas é equivalente à relação observada entre:


a) pássaros Anú e bois. b) orquídeas e árvores.
c) cipó-chumbo e árvores. d) cupins e flagelados.

12. As sardinhas da Califórnia foram comercializadas pela primeira vez no começo do século XX.
Em 1930, mais de 60.000 toneladas eram trazidas à superfície terrestre, a cada ano. Em 1950,
poucas sardinhas restaram. Curiosamente a quantidade de outro peixe – a anchova – cresceu
rapidamente.
A relação existente entre a sardinha e a anchova é de:
a) mutualismo. b) competição. c) comensalismo. d) amensalismo.

13. Considere a frase abaixo.


‘O fungo Penicillium notatum produz penicilina, que impede a multiplicação de certas bactérias.’

Ela exemplifica um caso de


a) predatismo. b) competição. c) mutualismo. d) amensalismo.

34
SUCESSÃO ECOLÓGICA

Os ecossistemas como unidades dinâmicas que são, encontram-se em constante mudança,


alterando-se a fauna, flora, as condições climatéricas e o solo.

Sucessão ecológica é o nome que se dá ao fenômeno de substituição gradual e progressiva de uma


comunidade simples para uma cada vez mais complexa, numa mesma área. Durante este processo
há um aumento da diversidade, da quantidade de matéria orgânica e da estabilidade da comunidade.

Sucessão ecológica primária é quando a sucessão ecológica ocorre em locais onde nunca houve
vida, nos nossos dias, só ocorrem em ilhas vulcânicas recentemente formadas.

Sucessões ecológicas secundárias ocorrem em locais que já existiu vida, mas por qualquer razão a
maioria dos seres da comunidade foi destruída, os exemplos mais comuns são: locais onde
ocorreram incêndios, cheias, movimentos significativos de terra, campos agrícolas, etc.

Comunidade pioneira é a primeira comunidade a formar-se, é instável, apenas existe nas sucessões
ecológicas primárias, é constituída apenas por espécies pequenas dimensões de desenvolvimento
rápido e pouco exigentes em termos de solo e energia temos com exemplos os líquens, os musgos,
pequenos insetos, etc.

Comunidades serais são instáveis comunidades intermédias que substituem as comunidades


pioneiras quando os solos começam a ser mais favoráveis à vida, são mais exigentes do ponto de
vista energético e de solos. Uma comunidade seral é substituída por comunidades serais cada vez
mais complexas até atingir uma comunidade estável (comunidade clímax)

Comunidade clímax é normalmente uma comunidade complexa com grande diversidade de


espécies normalmente uma floresta é caracterizada por ser estável e não sofrer alterações ao longo
do tempo.

35
Atividades – Sucessão Ecológica

01. O que é sucessão ecológica?


02. A biodiversidade (número de espécies vivas diferentes num determinado local) aumenta ou diminui com
a sucessão ecológica?
03. Qual a diferença entre sucessão primária e sucessão secundária?
04. O que são espécies pioneiras numa sucessão ecológica?
05. Cite exemplos de espécies consideradas pioneiras.
06. Comunidades complexas com grande biodiversidade e estabilidade são denominadas comunidade
______________________________.

07. (UNESP) Uma ilha situada a 20 km de distância do continente, após a explosão de um vulcão, foi coberta
por uma camada espessa de cinza quente e nenhuma planta ou animal sobreviveu. Alguns anos após,
observou-se a presença de liquens seguidos de outras plantas. Posteriormente, foi possível verificar também
a presença de pequenos animais e, tempos mais tarde, a presença de animais de maior porte. Após várias
décadas, a ilha estava coberta por uma floresta jovem, mas densa. Pergunta-se:
a) como se chama o fenômeno ecológico ocorrido a ilha, a partir da erupção vulcânica?
b) Por que, no processo de reorganização das comunidades na ilha, os organismos heterótrofos não poderiam
ter sido os pioneiros?

08. (FUVEST) Um grande rochedo nu começa a ser colonizado por seres vivos. Os primeiros organismos a
se instalarem são:
a) gramíneas b) liquens c) fungos d) briófitas e) pteridófitas

09. As queimadas, comuns na estação seca em diversas regiões brasileiras, podem provocar a destruição da
vegetação natural. Após a ocorrência de queimadas em uma floresta, é CORRETO afirmar que:
a) com o passar do tempo, ocorrerá sucessão primária.
b) a comunidade clímax será a primeira a se restabelecer.
c) somente após o retorno dos animais é que as plantas voltarão a se instalar na área queimada.
d) a colonização por espécies pioneiras facilitará o estabelecimento de outras espécies.

10. A sucessão ecológica pode ser primária ou secundária. Sobre a sucessão primária, assinale a afirmativa
correta.
a) Tem início em áreas antes desabitadas, como em áreas vulcânicas.
b) Ocorre após a derrubada de florestas.
c) As mudanças no ambiente são muito rápidas.
d) Os organismos já encontram condições favoráveis para seu estabelecimento.
e) Os organismos não modificam o ambiente.

11. (UFMG) Observe esta figura, em que está representada a recuperação da comunidade de uma área que
sofreu queimada.

1. CARACTERIZE clímax – ou seja, o último


estágio seral da sucessão.

2. CITE dois tipos de dispersão de plantas que


possibilitam a recolonização de uma área.

36
OS BIOMAS BRASILEIROS

O que é Bioma?
É um conjunto de ecossistemas terrestres com vegetação característica e fisionomia típica, onde predomina
certo tipo de clima

Biomas Brasileiros
O Brasil, em razão de sua grande extensão territorial, apresenta um complexo mostruário das principais
paisagens e ecologias do planeta. Conforme o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o país
possui nove biomas diferentes: Caatinga, Campos, Cerrado, Floresta Amazônica, Mata Atlântica, Mata de
Araucária, Mata de Cocais, Pantanal, Zonas Litorâneas.

Caatinga
Com extensão territorial de 800 mil quilômetros quadrados,
presente em nove estado brasileiros. É o único bioma
exclusivamente brasileiro.
A caatinga tem uma vegetação típica de regiões semiáridas,
formada por plantas xerófilas, adaptadas ao clima seco e à pouca
quantidade de água. A fauna é representada por répteis, roedores,
insetos, aracnídeos, arara-azul, sapo-cururu, asa-branca, cutia,
gambá, preá, veado-catingueiro, entre tantos outros.

Campos
Os campos são caracterizados por vegetação composta de herbáceas,
gramíneas e pequenos arbustos esparsos. Esse bioma está distribuído em
áreas descontínuas do Brasil, sendo encontrado na Região Norte
(Amazonas, Roraima e Pará) em forma de savanas de gramíneas baixas; e
na Região Sul, com as pradarias mistas subtropicais.

Cerrado
Segundo maior bioma brasileiro, o cerrado está presente em
diferentes Regiões brasileiras, entretanto é na Região Centro-
Oeste que ele predomina. Apresenta clima quente e períodos
alternados (6 meses) de chuva e seca. Sua vegetação é composta
por árvores esparsas, arbustos e gramíneas. Uma das principais
características do cerrado são as árvores com caules tortuosos e
folhas coriáceas, além do solo com poucos nutrientes e com
grande concentração de alumínio. A diversidade de espécies da
fauna é grande: tamanduá-bandeira, tatu-bola, veado-campeiro,
capivara, lobo-guará, onça-pintada, etc.

Floresta Amazônica
Essa é a maior floresta tropical do mundo, compreendendo cerca de 42% do
território nacional. A floresta Amazônica está presente nos estados do Acre,
Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e
Tocantins, além de outros países sul-americanos.Esse é o bioma que possui a maior
biodiversidade do planeta. Entre as espécies animais estão: jabuti, paca, anta,
jacaré, sucuri, macacos, entre outros.

37
Mata Atlântica
A Mata Atlântica estende-se do Piauí ao Rio Grande do Sul. Esse
bioma é um dos mais ricos do mundo em espécies da flora e da
fauna. Sua vegetação é bem diversificada e é representada pela
peroba, ipê, quaresmeira, cedro, jequitibá-rosa, jacarandá, pau-
brasil, entre outras. A fauna possui várias espécies distintas: tatu-
canastra, onça-pintada, lontra, mico-leão, macaco-muriqui, anta,
veado, quati, cutia, bicho-preguiça, jacu, macuco, etc.

Mata de Araucária
A Mata de Araucária é um bioma típico de regiões com clima
subtropical. No Brasil, ela está presente nos estado de São Paulo e,
principalmente, nos estados da Região Sul (Paraná, Santa Catarina e
Rio Grande do Sul). Sua vegetação é composta por árvores
aciculifoliadas, com folhas em formato de agulha, e a espécie
predominante é o pinheiro-do-paraná (Araucaria angustifólia).

Mata de Cocais
Ocupa uma zona de transição entre a Amazônia e as terras semiáridas do
Nordeste brasileiro, abrangendo porções dos estados do Maranhão, Piauí e
Tocantins. Possui solos secos e florestas dominadas por palmeiras. Sua
vegetação é formada por palmeiras, como o buriti, oiticica, babaçu e carnaúba.

Pantanal
O Pantanal está localizado
no sudoeste de Mato Grosso e oeste de Mato Grosso do
Sul, estando presente também no Paraguai e na Bolívia.
Esse bioma é considerado uma das maiores planícies
inundáveis do planeta.
Apresenta grande biodiversidade: mais de 3.500 espécies
de plantas, cerca 650 espécies de aves, 262 espécies de
peixe, 1.100 espécies de borboletas. Entre os
representantes da fauna estão: jacaré, veado, serpentes, capivara, papagaio, tucano, tuiuiú, onça, macaco,
entre outros.

Zonas Litorâneas
O Brasil possui uma costa litorânea de mais de 7 mil quilômetros de
extensão em linha contínua. A paisagem do litoral brasileiro é bem
diversificada, composta por dunas, ilhas, recifes, costões rochosos,
baías, estuários, brejos e falésias.

Manguezal
Localiza-se em vários pontos da costa brasileira, sendo mais
comum onde o mar se encontra com as águas doces dos rios. É
caracterizado por ser uma área alagada de fundo lodoso e
salobro. Entre os principais animais encontrados no mangue
estão o caranguejo e a ostra.

38
OS SEIS MAIORES BIOMAS DO MUNDO

Os seis principais Biomas terrestres são: tundra, floresta boreal, floresta temperada, floresta tropical, campos
e desertos.

Tundra Floresta boreal, Floresta temperada


Floresta de coníferas ou
Taiga

Floresta Tropical Campos Desertos

Tundra: Bioma típico do hemisfério norte, entre as latitudes 60° e 80° Norte. A vegetação é composta por
capim e junco. A fauna é representada por renas, roedores, raposas, lebres, insetos, aves, etc.

Floresta Boreal: Também conhecida como taiga, a floresta boreal é o bioma típico de regiões de clima frio,
estando localizada no hemisfério norte, ao sul da tundra. As plantas são coníferas e os principais animais são
lobos, ursos, cercos e alces.

Floresta Temperada: Localizada em regiões de clima temperado, a floresta temperada apresenta as quatro
estações do ano bem definidas. Esse bioma está presente na Europa e na América do Norte. Sua vegetação é
formada por bordos, carvalhos, faias, entre outros. A fauna é representada por esquilos, javalis, leões, etc.

Floresta Tropical: Compreende as regiões próximas à linha do Equador. Esse bioma apresenta temperatura
e médias pluviométricas elevadas. É o bioma que possui a maior diversidade de espécies. Sua fauna é
representada por onças, antas, macacos, várias aves, répteis, entre outros.

Campos: Os campos são encontrados em regiões tropicais e em regiões temperadas. São caracterizados por
grandes formações abertas com predominância de gramíneas e arbustos de pequeno porte.
Os campos podem ser classificados em:
 Estepes: Regiões em que ocorre período de seca, o tipo de vegetação é basicamente formada por
gramíneas, representadas pelas pradarias norte-americanas e na América do Sul são os pampas
argentino-brasileiros.
 Savanas: Possuem vegetação rasteira e alguns arbustos como também árvores de pequeno porte.
Quase 25% do território brasileiro, são considerados exemplos de savana. são comuns nas Américas
do Norte e sul, Ásia, África e Austrália.

Desertos: Estão localizados nas latitudes 30° Sul e 30° Norte. São regiões hiperáridas, áridas e semiáridas, e
apresentam índices pluviométricos baixíssimos. A paisagem vegetal está ausente na maior parte desse bioma,
exceto nas áreas de oásis.

39
Atividades de Pesquisa sobre Biomas Brasileiros e Mundiais

Complete a tabela abaixo de forma resumida sobre os Biomas Brasileiros. (Faça em uma folha de ofício ou A4 e depois cole no caderno de Biologia).

Biomas Vegetação principal Fauna principal Principal característica


Caatinga

Campos

Cerrado
Biomas Brasileiros

Floresta Amazônica

Mata Atlântica

Mata de Araucária

Mata de Cocais

Pantanal

Zonas litorâneas

Tundra
Principais Biomas mundiais

Taiga

Floresta temperada

Floresta Tropical

Campos

Desertos

40
HUMANIDADE E MEIO AMBIENTE

O impacto da espécie humana sobre a natureza


O planeta Terra está sob sérias ameaças: poluição, aumento da temperatura global, destruição da camada de
ozônio, esgotamento de recursos naturais, extinção de espécies etc. Tudo isso é decorrência do crescimento da
população humana e do desenvolvimento industrial e tecnológico, implementados pelo progresso científico.

Poluição ambiental
Poluição (do latim poluere = manchar, poluir) é a presença concentrada de determinadas substâncias, ou agentes
físicos no ambiente, os poluentes. Podemos definir poluição ambiental como a ação de contaminar as águas,
solos e ar.

Poluição atmosférica: as principais fontes geradoras da poluição atmosférica são os motores de veículos, as
industrias, a incineração de lixo doméstico e as queimadas de campos e florestas.
Um dos poluentes mais perigosos é o monóxido de carbono (CO), um gás incolor, inodoro, um pouco
mais leve que o ar e muito tóxico. È produzido na queima de moléculas orgânicas e sua principal fonte de
emissão são os motores a combustão. O CO se liga a hemoglobina do sangue inutilizando-as, o que leva a
pessoa exposta à asfixia, com aumento cardíaco e respiratório.
O Dióxido de enxofre (SO2) é um gás tóxico proveniente da queima de carvão mineral e óleo diesel.
Juntamente com o dióxido de nitrogênio (NO2) causa bronquite, asma e enfisema pulmonar. Estes dois gases se
reagir com vapor de água da atmosfera forma o ácido sulfúrico e o ácido nítrico (HNO3), que se dissolvem na
água das nuvens e precipitam com elas nas chamadas chuvas ácidas.

Inversão térmica
Este fenômeno climático ocorre em regiões
onde o nível de poluição é muito elevado. Ocorre
quando há uma mudança abrupta de temperatura devido
à inversão das camadas de ar frias e quentes. A camada
de ar fria, por ser mais pesada, acaba descendo e ficando
numa região próxima a superfície terrestre, retendo os
poluentes. O ar quente, por ser mais leve, fica numa
camada superior, impedindo a dispersão dos poluentes.
Este fenômeno afeta diretamente a saúde das
pessoas, principalmente das crianças,
provocando doenças respiratórias, cansaço entre outros
problemas de saúde.

Aumento do Efeito Estufa


Efeito Estufa é um mecanismo natural do planeta Terra para possibilitar a manutenção da temperatura
de forma equilibrada com grande parte das formas de vida em nosso planeta.
O efeito estufa potencializado pela queima de combustíveis fósseis tem colaborado com o aumento da
temperatura no globo terrestre nas últimas décadas.
O aumento do efeito estufa é gerado pela derrubada e queima das florestas, pois são elas que regulam a
temperatura, os ventos e o nível de chuvas em diversas regiões. Um outro fator que está aumentando o efeito
estufa é o lançamento de gases poluentes na atmosfera, principalmente os que resultam da queima
de combustíveis fósseis (diesel e gasolina). Os principais gases poluentes do efeito estufa são: gás carbônico
(CO2), gás metano (Ch4) e Dióxido de nitrogênio (NO2). Esta camada de poluentes, tão visível nas grandes
cidades, funciona como um isolante térmico do planeta Terra. O calor fica retido nas camadas mais baixas da
atmosfera trazendo graves problemas ao planeta.

41
Destruição da Camada de Ozônio
A Camada de ozônio é uma área da estratosfera
(altas camadas da atmosfera, de 25 a 35 km de altitude) que
possui uma elevada concentração de ozônio. Esta camada
funciona como uma espécie de "escudo protetor" para o
planeta Terra, pois absorve cerca de 98% da radiação
ultravioleta de alta frequência emitida pelo Sol. Sem esta
camada a vida humana em nosso planeta seria praticamente
impossível de existir. A destruição da camada de ozônio
(Buraco) é causada pela reação química dos CFCs
(clorofluorcarbonos) com o ozônio. Estes CFCs estão
presentes, principalmente, em aerossóis, ar-condicionado,
gás de geladeira, espumas plásticas e solventes. Os CFCs
entram em processo de decomposição na estratosfera,
através da atuação dos raios ultravioletas, quebrando as
ligações do ozônio e destruindo suas moléculas.

Eutrofização
Fenômeno no qual o ambiente aquático caracteriza-se por uma elevada quantidade de nutrientes –
principalmente nitratos e fosfatos. Este fenômeno é resultante da poluição das águas por ejeção de
adubos, fertilizantes, detergentes e esgoto doméstico sem tratamento prévio, que provocam o aumento de
minerais e, consequentemente, a proliferação de algas microscópicas.
Desse modo, cria-se uma camada espessa de algas que impossibilitam à entrada de luz na água e impede
a realização da fotossíntese, o que ocasiona a morte das algas, a proliferação de bactérias decompositoras e o
aumento do consumo de oxigênio por
estes organismos. Consequentemente
começa a faltar oxigênio na água o que
gera a mortandade dos peixes e outros
organismos aeróbicos.
Na ausência do oxigênio, a
decomposição orgânica torna-se
anaeróbica produzindo gases tóxicos,
como sulfúrico (que causa o cheiro forte
característico do fenômeno).

Introdução de espécie exótica


Espécie exótica é toda espécie que se estabelece em território estranho de seu meio ambiente de origem. Quando
uma espécie exótica é introduzida num local estranho à sua sobrevivência, ela pode não resistir à competição
com as espécies nativas e logo desaparecer ou sobreviver sem deixar rastro. Mas quando encontram um
ambiente propício sem predadores, multiplicam-se e tornam-se em pragas.
Ex: mexilhão-dourado (Limnoperna fortunei): causa o entupimento de tubulações em hidrelétricas
caramujo-africano (Achatina fulica): devorarem folhas, flores e frutos de plantas de importância agrícola.

Extinção de espécies
Extinção em Biologia e Ecologia é o total desaparecimento de espécies, subespécies ou grupos de
espécies.
Apesar da grande diversidade biológica que existe, estima-se que cerca de 99% das espécies existentes
na Terra já se tenham tornado extintas. Porém, atualmente muitos ambientalistas e governos estão preocupados
com a extinção de espécies devido à intervenção humana. As causas da extinção incluem poluição, destruição
do habitat, e introdução de novos predadores.

42
Atividades sobre Humanidade e Meio Ambiente

01. Que tipos de impactos negativos a população humana tem causado à natureza?
02. Que perigos oferece a poluição por monóxido de carbono?
03. Que relação existe entre poluição atmosférica e chuva ácida?
04. Explique o que é inversão térmica.
05. O que é efeito estufa natural?
06. Sobre a camada de ozônio, responda:
a) Qual a função da camada de ozônio?
b) O que causa a destruição da camada de ozônio?
c) quais as consequências do buraco na camada de ozônio?

07. Sobre a poluição aquática denominada eutrofização, responda:


a) Quais as características de ambiente aquático eutrofizado?
b) O que resulta a eutrofização?
c) Por que a eutrofização compromete as espécies que vivem no lago causando a mortandade de peixes?

08. (PUC-MG/2000) A contaminação das águas apresenta consequências devastadoras. Um terço da


humanidade vive em estado contínuo de doença ou debilidade como resultado da impureza das águas. O excesso
de nutrientes nas águas, provocando desequilíbrio nos ecossistemas, é denominado de:
a) efeito estufa b) eutrofização
c) inversão térmica d) compostagem

09. Monumentos históricos e outras construções são atingidos pela _____________, fenômeno que ocorre
especialmente nas grandes cidades, nas quais existe grande concentração de indústrias e veículos automotores
ou ainda onde se localizam usinas termoelétricas. A lacuna acima é corretamente preenchida com:
a) Inversão térmica. b) Aurora boreal.
c) Chuva ácida. d) Cinzas vulcânicas.

10. Complete:
Três consequências da poluição atmosférica são a destruição da camada de ozônio que acontece pelo gás
___________________________, o efeito estufa que acontece pelo gás ___________________________, e as
chuvas ácidas que acontece pelo gás ___________________________.

11. Um dos principais poluentes atmosféricos nas metrópoles, que afeta a hemoglobina do sangue e cuja
principal fonte emissora são os automóveis, é o:
a) Dióxido de carbono b) dióxido de enxofre
c) metano d) monóxido de carbono

12. Das alternativas a seguir, apenas uma não representa uma consequência direta do desmatamento. Qual é ela?
a) chuva ácida
b) diminuição da biodiversidade
c) empobrecimento do solo em minerais
d) erosão

13. Qual das atividades humanas mencionadas a seguir mais contribuiu para o efeito estufa?
a) Construção de usinas hidrelétricas
b) Construção de usinas nucleares
c) Liberação de clorofluorcarbonos (CFC)
d) Queima de combustíveis fósseis.

43
UNIDADE 03 – EVOLUÇÃO

A evolução pode ser definida como o processo de variação e adaptação de populações ao longo do
tempo, podendo inclusive provocar o surgimento de novas espécies a partir de uma preexistente.

IDEIAS SOBRE TEORIAS EVOLUCIONISTAS e CRIACIONISTAS

Teoria Evolucionista ou teoria da evolução: lega que os seres vivos surgem da evolução de outros. Foi
disposta por Lamarck e Darwin.

 Lamarckismo
Lamarck foi pioneiro em elaborar leis e fundamentos para a evolução das espécies. Sua teoria dizia que
os seres vivos modificavam-se ao longo do tempo de acordo com as pressões exercidas pelo ambiente e que
estas modificações passavam para as gerações seguintes, seguindo a lei do uso e desuso e a lei dos caracteres
adquiridos.
Apesar de hoje reconhecidamente errônea, sua teoria acertou em alguns pontos, que
posteriormente Darwin veio a reforçar com a teoria da Seleção Natural.

 Darwinismo
Desenvolveu uma teoria evolutiva que é a base da moderna teoria sintética: a teoria da seleção natural.
Segundo Darwin, os organismos mais bem adaptados ao meio têm maiores chances de sobrevivência do que os
menos adaptados, deixando um número maior de descendentes. Os organismos mais bem adaptados são,
portanto, selecionados para aquele ambiente.
Para Darwin, o ambiente não gera as variações, elas já existem naturalmente nas populações. Ou seja, o
ambiente não promoverá as mudanças (como Lamarck dizia) e sim selecionaria variações mais adaptadas às
condições apresentadas, fenômeno chamado de seleção natural.
Após Darwin, muitos cientistas contribuíram com a teoria da seleção natural.

Exemplo das girafas confrontando o Lamarckismo x Darwinismo

Teoria do Criacionismo: é a teoria que explica a origem do Universo, do planeta Terra e de todas as formas de
vida através da criação de Divina. Esta crença tem como base às explicações que fazem parte do livro de
Gênesis (Velho Testamento da Bíblia Sagrada). O criacionismo faz oposição às explicações evolucionistas
científicas, criadas principalmente por Charles Darwin e Lamarck no século XIX.

44
Atividades - Ideias sobre teorias evolucionistas e criacionistas Atividades - Ideias sobre teorias evolucionistas e criacionistas

01. Conceitue evolução. 01. Conceitue evolução.


02. Compare o pensamento evolucionista com o criacionista. 02. Compare o pensamento evolucionista com o criacionista.
03. Cite uma premissa que comprove o pensamento evolucionista. 03. Cite uma premissa que comprove o pensamento evolucionista.
04. Cite uma premissa que comprove o pensamento criacionista. 04. Cite uma premissa que comprove o pensamento criacionista.
05. Explique a teoria lamarckista. Por que está teoria foi refutada (tornada 05. Explique a teoria lamarckista. Por que está teoria foi refutada (tornada
falsa)? falsa)?
06. Explique a teoria darwinista. 06. Explique a teoria darwinista.
07. O que é seleção natural? 07. O que é seleção natural?
08. Cientificamente qual teoria é mais aceita: Evolucionismo ou criacionismo? 08. Cientificamente qual teoria é mais aceita: Evolucionismo ou criacionismo?
09. (UFMG-MG) "De tanto comer vegetais, o intestino dos herbívoros aos 09. (UFMG-MG) "De tanto comer vegetais, o intestino dos herbívoros aos
poucos foi ficando longo." Essa frase está de acordo com qual destas teorias? poucos foi ficando longo." Essa frase está de acordo com qual destas teorias?
a) Darwinismo c) Mendelismo a) Darwinismo c) Mendelismo
b) Neodarwinismo d) Lamarckismo b) Neodarwinismo d) Lamarckismo

Atividades - Ideias sobre teorias evolucionistas e criacionistas Atividades - Ideias sobre teorias evolucionistas e criacionistas

01. Conceitue evolução. 01. Conceitue evolução.


02. Compare o pensamento evolucionista com o criacionista. 02. Compare o pensamento evolucionista com o criacionista.
03. Cite uma premissa que comprove o pensamento evolucionista. 03. Cite uma premissa que comprove o pensamento evolucionista.
04. Cite uma premissa que comprove o pensamento criacionista. 04. Cite uma premissa que comprove o pensamento criacionista.
05. Explique a teoria lamarckista. Por que está teoria foi refutada (tornada 05. Explique a teoria lamarckista. Por que está teoria foi refutada (tornada
falsa)? falsa)?
06. Explique a teoria darwinista. 06. Explique a teoria darwinista.
07. O que é seleção natural? 07. O que é seleção natural?
08. Cientificamente qual teoria é mais aceita: Evolucionismo ou criacionismo? 08. Cientificamente qual teoria é mais aceita: Evolucionismo ou criacionismo?
09. (UFMG-MG) "De tanto comer vegetais, o intestino dos herbívoros aos 09. (UFMG-MG) "De tanto comer vegetais, o intestino dos herbívoros aos
poucos foi ficando longo." Essa frase está de acordo com qual destas teorias? poucos foi ficando longo." Essa frase está de acordo com qual destas teorias?
a) Darwinismo c) Mendelismo a) Darwinismo c) Mendelismo
b) Neodarwinismo d) Lamarckismo b) Neodarwinismo d) Lamarckismo

45
TEORIA MODERNA DA EVOLUÇÃO ou NEODARWINISMO ou TEORIA SINTÉTICA

Trata-se de um darwinismo atualizado com as modernas descobertas sobre hereditariedade. Essa teoria
emprega os seguintes fatores:
 Mutação gênica: modificação na sequência de bases do DNA,
a qual é responsável pelo surgimento de novos genes.
 Recombinação Genética: mistura de genes provenientes de
indivíduos diferentes que ocorre na reprodução sexuada.
 Seleção Natural: adaptação dos seres vivos ao meio de forma
natural levando a evolução da espécie.
 Isolamento Reprodutivo: é o resultado da incapacidade, total
ou parcial, de membros de duas populações se cruzarem,
produzindo descendência fértil.

Os dois primeiros constituem as fontes da variabilidade genética, sem a qual não pode ocorrer
modificação. A seleção natural e o isolamento reprodutivo orientam as variações em canais adaptativos.

EVIDÊNCIAS DA EVOLUÇÃO
Quais são as evidências do processo evolutivo? Tais evidências, que passaremos a analisar, podem ser
resumidas em:
 Anatomia comparada
 Embriologia comparada
 Fósseis
 Bioquímica comparada

1. Anatomia Comparada
O estudo comparado de anatomia de animais e vegetais
mostra a existência de um padrão fundamental similar, na
estrutura dos sistemas de órgãos. Os sistemas esquelético,
circulatório e excretor constituem um ótimo exemplo disto,
através das homologias. Dizemos que, dois ou mais órgãos são
homólogos quando têm a mesma origem embrionária e estrutura
semelhante, podendo a função ser a mesma ou não.
Os mesmos tipos de ossos são encontrados dentro da asa
do morcego, no membro superior humano e na pata anterior do cavalo. São, portanto, estruturas homólogas.

A estrutura das asas de uma ave e a de um


inseto é diferente, porém a função é a mesma. São,
portanto, estruturas análogas.

Outra evidência evolutiva, fornecida pela


anatomia comparada é a existência dos órgãos
vestigiais. Existem vestígios ou rudimentos de órgãos
que representam restos inúteis de estruturas ou de
órgãos que são grandes e funcionais em alguns outros
animais.

46
2. Embriologia Comparada
Animais de espécies diferentes, quando na fase embrionária, são
muito semelhantes. Quanto maior a semelhança entre os adultos de
espécies diferentes, mais prolongada é a fase embrionária comum.
Assim, por que os embriões de peixe, anfíbio, réptil, ave, mamífero e do
homem têm bolsas branquiais e cauda? A explicação é porque
descendemos de animais em que tais órgãos eram funcionais.

3. Fósseis
Paleontologia é a ciência que estuda os fosseis, isto é, partes ou
restos do corpo de um ser vivo ou ainda simples vestígios de seres vivos
que viveram em épocas distantes, como por exemplo: ossos, dentes,
conchas, carapaças, pegadas, trilhas, moldes, etc. Os fósseis
documentavam a evolução dos organismos no decorrer do tempo
geológico.
Para determinar a idade relativa dos fósseis os paleontólogos se baseiam, na decomposição de vários
elementos radiativos, particularmente do carbono-14 a do urânio 238. Sabemos que os elementos radioativos se
desintegram a taxas do tempo regulares, constituindo assim "relógios radioativos". A tabela abaixo mostra
alguns acontecimentos baseados no registro fóssil.

Acontecimento Tempo (em anos atrás) O estudo da sequencia dos


Origem da Terra 4,5 bilhões fósseis existentes desde as camadas
Os mais antigos registros de bactérias 3 bilhões rochosas mais antigas até as mais
Primeiras algas filamentosas 2 bilhões recentes revela:
As mais antigas células nucleadas 1 bilhão 1. Continua modificação das espécies
Invertebrados marinhos 600 milhões através dos tempos, com a extinção de
Peixes e algumas plantas terrestres 400 milhões algumas a modificações em outras.
Anfíbios 300 milhões
2. Aumento em diversidade a também
Dinossauros 200 milhões
em complexidade nas formas fósseis.
Mamíferos 150 milhões
3. Existência de formas da transição
Primatas 20 milhões
Homo sapiens (Neanderthal) 100 a 40 mil entre dois grupos.

Uma das mais convincentes formas de transição foi a descoberta do Archaeopteryx, uma forma
intermediária entre répteis a aves. O Archaeopteryx era uma ave com dentes, garras nas asas, cauda longa
(características dos répteis) com panas e estrutura geral dos membros, características de aves.

4. Bioquímica comparada
Nas ultimas décadas, foram desenvolvidas algumas
técnicas bioquímicas que permitem o estudo da evolução. Todos
os métodos baseiam-se na seguinte ideia: espécies muito
próximas evolutivamente, que descendem de um ancestral
comum, têm maior semelhança na sua composição química do
que espécies mais distantes.
Compara-se, por exemplo, o DNA de duas espécies cujo
parentesco evolutivo quer se determinar. Quanto maior a
semelhança entre seus DNAs, mais relacionadas estarão às
espécies. Um dos métodos mais simples de fazer essa
comparação consiste em “hibridizar”, em tubos de ensaio, as fitas isoladas de seus DNAs.
Determina-se, então, em que medida houve pareamento entre os seus DNAs diferentes. Quanto maior a
taxa do pareamento, maior a semelhança entre as sequências de DNA; mais próximas, portanto, estarão as
espécies, em termos evolutivos.

47
Imagens para alunos completarem a matéria no caderno

48
Atividade sobre Teoria Moderna da Evolução e evidências da evolução

01. Os geneticistas conseguiram extrair o DNA de partes de osso que não estavam fossilizadas de um homem de
Neandertal, morto há mais de 30 mil anos. Comparando este DNA com o de um homem moderno eles
concluíram que nós não somos descendentes do Neandertal e sim que ele é um parente próximo; ou seja, temos
um ascendente em comum.
Isso é um tipo de prova
a) anatômica b) paleontológica
c) embriológica d) bioquímica

02. (CESGRANRIO-RJ) O que a teoria sintética ou moderna para explicar o mecanismo da evolução considera
como fatores principais?
____________________ , ___________________, ____________________ e __________________

03. Sobre os preceitos da Teoria neodarwinista, correlacione os exemplos abaixo:

(A) seleção natural (B) isolamento reprodutivo


(C) mutação gênica (D) recombinação genética
( ) dois grupos de raposas foram separados uma das outras por muito tempo o que possibilitou a
incapacidade de reproduzirem e terem descendentes férteis.
( ) Existiam girafas de pescoços curtos e de pescoços longos após mudanças ambientais as primeiras se
adaptaram melhor e as segundas entraram em extinção.
( ) Numa ave houve mudanças nas bases nitrogenadas do DNA levando ao surgimento de características
novas nestas aves.
( ) Dois indivíduos da mesma espécie reproduzem-se sexuadamente havendo mistura de genes.

04. Quais as evidências que podem ser analisadas para se considerar a evolução de um grupo de ser vivo?
____________________ , ___________________, ____________________ e __________________

05. Diferencie caracteres homólogos de caracteres análogos.


__________________________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________________

06. Dada as informações abaixo, marque a resposta correta:


“É um fator darwiniano. Tem como princípio que os descendentes de uma espécie que sobrevive são os mais
aptos, ou seja, aqueles que herdam combinações gênicas mais favoráveis à sobrevivência, em determinado
quadro de fatores ambientais.”
a)Variedade genética b) Seleção natural
c) Isolamento reprodutivo d) mutação

07. A característica - musculatura desenvolvida - adquirida por um fisiculturista será transmitida a seus filhos.
Esta afirmação se baseia na teoria evolucionista enunciada por:
a) Lineu b) Lamarck.
c) Darwin d) Mendel.

08. (CESESP-PE) A mutação é um fator de evolução que:


a) reduz a variedade genética.
b) aumenta a variedade genética.
c) ocorre na natureza sempre produzindo genes prejudiciais.
d) age da mesma maneira que a seleção natural, isto é, tem efeito rápido.

49
09. As fêmeas das araras são fortemente atraídas pela cor vermelha dos machos. Essa coloração é dada pelo
pigmento lipocroma. Este seria um exemplo de:
a) isolamento reprodutivo b) seleção natural
c) mutação d) deriva genética

10. (Fuvest-SP) Um estudante levantou algumas hipóteses para explicar por que em alguns rios de caverna os
peixes são cegos. Qual delas está de acordo com a teoria sintética da evolução?
a) No ambiente escuro das cavernas, os olhos se atrofiaram como consequência da falta de uso.
b) Os olhos, sem utilidade na escuridão das cavernas, se transformaram ao longo do tempo em órgãos táteis.
c) No ambiente escuro das cavernas, os peixes cegos apresentaram vantagens adaptativas em relação aos não
cegos.
d) A falta de luz nas cavernas induziu mutação deletéria drástica, que levou à regressão dos olhos num curto
espaço de tempo.

11. (UECE) Constitui-se de fatos que, biologicamente, são conhecidos como evidências da evolução:
a) a segunda lei de Mendel.
b) a embriologia comparada.
c) a lei do uso e do desuso de Lamarck.
d) a primeira lei de Mendel.

12. (UC-PR) A mão humana e a pata anterior do cavalo, do ponto de vista embriológico e funcional, são
estruturas anatômicas:
a) filogeneticamente distintas b) homólogas.
c) convergentes. d) análogas.

13. Com relação à evolução, marque V ou F:


a) ( ) - Fósseis são restos ou impressões deixadas por seres que habitaram a Terra no passado e
constituem provas de que nosso planeta foi habitado por seres diferentes dos que existem atualmente.
b) ( ) - A explicação mais lógica para as semelhanças estruturais entre seres vivos com aspectos e
modos de vida diferentes é que eles descendem de um mesmo ancestral.
c) ( ) - A semelhança entre as sequências de DNA de diferentes seres vivos não pode ser explicar a
evolução.
d) ( ) - A teoria que admite que os seres vivos foram criados por Deus denomina-se fixismo.

14. (UFGO) Comparando as figuras abaixo podemos afirmar que são órgãos análogos:

a) 3 e 4
b) 1 e 2
c) 2 e 3
d) 1 e 4.

15. (VUNESP-2006) No intervalo da aula de Biologia, um aluno contou a seguinte piada:


Dois cervos conversavam e passeavam pela mata quando um deles gritou:
- Uma onça!!! Vamos correr!!!
Ao que o outro respondeu:
- Não adianta correr, ela é mais veloz que qualquer um de nós.
- Eu sei. Mas a mim basta ser mais veloz que você.
O diálogo entre os cervos exemplifica um caso de
a) competição b) competição c) seleção natural. d) irradiação adaptativa.

50
EVOLUÇÃO HUMANA

Considera-se evolução humana o processo de desenvolvimento de espécies de hominídeos, seres pré-


históricos ancestrais ou não, do homem atual.
A evolução do homem é estudada pela Paleoantropologia, disciplina científica que tem origem no
século passado com as descobertas de instrumentos de pedra e fósseis, e com a Teoria da Evolução das Espécies
apresentada por Charles Robert Darwin (1809-1882).
Os pesquisadores descobriram muitos fósseis de antigos primatas (ordem de mamíferos em que se
incluem homens e macacos) e sua ordenação em uma sequencia evolutiva é complexa. Sendo:

 Primatas: Viveram ha cerca de 70 milhões de anos atrás. Habitavam árvores e se alimentavam de


folhas e insetos.
 Homonoides: Eram primatas que viveram aproximadamente entre 22 a 24 milhões de anos atrás. Eles
tinham tamanho de um pequeno gorila, eles habitavam árvores e desciam ao solo. Eles eram
quadrúpedes, ou seja, caminhavam sobre as quatro patas, e de vez em quando caminhavam sobre duas
patas.
 Hominídeos: Eles viveram há cerca de 3 a 1 milhão de anos atrás. Ele já andava ereto (postura ereta), e
usava os longos braços para se pendurar em árvores, coletar frutos e para tocar pedras em animais.
 Homo habilis: Ele foi o primeiro hominídeo do gênero Homo. Viveu por volta de 2 milhões a 1,4
milhão de anos. Ele fabricava ferramentas simples, e usava uma linguagem rudimentar.
 Homo erectus: Viveu entre 1,6 milhão a 150 mil anos atrás. Fabricava instrumentos de pedra mais
complexos e cobria o corpo com peles de animais. Eles viviam em grupos que tinha mais ou menos 30
membros, usava uma linguagem mais sofisticada e foi ele quem descobriu o fogo.
 Homem de Neandertal: Viveu há cerca de 20 mil há 30 mil anos atrás, era habilidoso. Enterrava os
mortos em cavernas e deixavam comidas e objetos
como oferendas. Conviveu com o Homo sapiens
sapiens e desapareceu por motivos até hoje
desconhecidos.
 Homo sapiens sapiens: Surgiu entre 150 e 50 mil
anos. Espalho-se por toda terra. Desenvolveu a
pintura e a agricultura. È o homem mais moderno.
Parentes mais próximos do Homo sapiens. Forma
mais adequada de dispor a evolução humana.

51
Atividades sobre Evolução Humana

01. O nome científico dos seres humanos modernos é


a) Australopithecus afarensis b) Homo eructus
c) Homo habilis d) Homo sapiens

02. Os macacos evolutivamente mais aparentados com os seres humanos, reunidos na família Hominidae, são:
a) babuínos, bugios e orangotangos b) bugios, chimpanzés e gorilas
c) chimpanzés, gorilas e orangotangos d) saguis, bugios e mico-leão-dourados

03. Os macacos que apresentam maior semelhança genética com os seres humanos atuais são:
a) babuínos b) chimpanzés
c) gorilas d) orangotangos

04. Complete a árvore filogenética a seguir, em que A representa seres humanos.

Considere as alternativas a seguir para responder às questões 5, 6 e 7.


a) 150 mil anos b) 2 milhões de anos
c) 8 milhões de anos d) 30 milhões de anos

05. Há aproximadamente quantos anos viveu o ancestral comum a seres humanos e chimpanzés?
06. A espécie humana moderna surgiu aproximadamente quantos anos?
07. O ancestral comum dos macacos viveu há aproximadamente quantos anos? Trata-se de uma homem que
enterrava os mortos em cavernas e deixavam comidas e objetos como oferendas.?

08. (FGV-2005) É comum que os livros e meios de comunicação representem a evolução do Homo sapiens a
partir de uma sucessão progressiva de espécies, como na figura.

Esta representação é
a) adequada. A evolução do homem deu-se ao longo de uma linha contínua e progressiva. Cada uma das
espécies fósseis já encontradas é o ancestral direto de espécies mais recentes e modernas.
b) adequada. As espécies representadas na figura demonstram que os homens são descendentes das espécies
mais antigas e menos evoluídas da família: gorila e chimpanzé.
c) inadequada. Algumas das espécies representadas na figura estão extintas e não deixaram descendentes. A
evolução do homem seria melhor representada inserindo-se lacunas entre uma espécie e outra, mantendo-se na
figura apenas as espécies ainda existentes.
d) inadequada. Algumas das espécies representadas na figura podem não ser ancestrais das espécies
seguintes. A evolução do homem seria melhor representada como galhos de um ramo, com cada uma das
espécies ocupando a extremidade de cada um dos galhos.

52