Você está na página 1de 17

MISSA SOLEMNIS

por
LUIS VAN BEETHOVEN

Estudos esotéricos
sobre o 245º aniversário de seu nascimento

-I-
A religião de Beethoven

"... um pequeno corte, uma pequena capela onde a canção que eu escrevo é executado para a
glória do Todo-Poderoso, o Eterno, o imortal, infinito ..." (Beethoven 'escrita à mão Fischhoff',
1815).

"... nunca uma obra-prima semelhante à Missa solemnis nasceu em circunstâncias tão
desfavoráveis." (Schindler)
"No mundo das Causas Naturais, entendi a necessidade de aprender a obedecer ao Pai na
Terra, assim como no céu."

"Entrar no Templo da Música das esferas naquela região cósmica, certamente foi uma das
minhas maiores alegrias."

"No limiar daquele Templo, o Guardião me mostrou uma das saudações secretas da
Irmandade Oculta, a face daquele Guardião parecia um raio, quando aquele Homem vivia no
mundo, era chamado BEETHOVEN." (VM Samael Aun Weor, "As Três Montanhas").

A religião de Luis van Beethoven é sua canção, sua música e sua arte, para ser
interpretada "para a glória do Todo-Poderoso, o Eterno, o Imortal, o Infinito ..."

Deus Todo-Poderoso, o Eterno, o Imortal, INFINITY (a cabalística ilimitado "Ain Soph") é o Deus
de Louis van Beethoven. E sua esperança é que sua música e sua arte de modo que possa
aumentar com toda a força e emoções mais elevadas de nossos corações e nosso Ser
Interpretar a Glória de Deus UNLIMITED um eterno e infinito ...

" ... devemos colocar todo o nosso ser, todos os membros do nosso corpo, a nossa devoção
completa esse pensamento, de modo a elevar e ligam-nos a En-Sof (Infinito), e, assim, alcançar
a unidade [Echad] de mundos superior e inferior .... "[...]" ... o En-Sof, o Infinito, onde está a
união e a consumação de tudo em completo mistério ... ", diz O Zohar.

Na alma de Louis van Beethoven, o Deus Infinito, Amor, Verdade, Alegria, Mulheres,
Irmandade, pobre humanidade doente, o Inner e Outer Paz, Liberdade e Progresso, Música e
Arte, Eles estão em primeiro lugar e acima de tudo.

"Sócrates e Jesus foram" seus "modelos":

"Eu passo por todos os maus-tratos aos quais estou exposto em todos os lugares, e será visto
como permaneci firme e inabalável, Sócrates e Jesus foram meus modelos." ("BEETHOVEN,
janeiro de 1820", "Cadernos de Conversação").

Mas também o filósofo Insigne, Iniciado e Auto-Realizado Mestre Platão, foi um de seus
autores favoritos, e não apenas por seus ideais de Liberdade. O amor de Beethoven por sua
bem-amada Josephine Von Brunswik não incorporava o ideal mais sublime do amor platônico,
o amor de um homem por uma mulher? O único verdadeiro amor platônico é o amor casta e
puro, sem fornicação, sem adultério, entre um homem e uma mulher! Ou a Cristalização do
Amor Ideal entre a Alma Humana, Tifereth ou o Manas Superior, e a Alma Espiritual ou
Malchut, a Nukvah, a Shechinah!

" ... Ele diz Platão, 'Iniciaos no mistério mais abençoado e sede pura ... para se tornar
sabedoria justo e santo ' ... 'De acordo com o filósofo distinto e Iniciado, que viveu com justiça
na Terra habitar em sua estrela para chegar lá existência de felicidade proporcional aos seus
desertos; '' ... Plato encarna a verdade e necessário era morrer morreram como verdades
transcendentais antes que o renascido Phoenix das cinzas. Todos os comentadores Platão
notaram a semelhança entre os ensinamentos esotéricos ilustre filósofo vívida e doutrina
cristã , mas cada um tentou explicar essa semelhança do ponto de vista de suas crenças
religiosas pessoais.". (HP Blavatsky)

" Platón.- Um Iniciado nos Mistérios, e o filósofo grego mais eminente , cujos escritos são
conhecidos em todo o mundo. Ele era um discípulo de Sócrates e mestre de Aristóteles. Ele
floresceu cerca de 400 anos antes de nossa era. [Desde cedo foi dedicada às artes, geometria,
e nela os cálculos matemáticos se juntou ao entusiasmo para a bela. as lições de Sócrates
despertou sua vocação filosófica. sobre a morte de seu mestre, participou Euclides escola em
Megara Ele visitou os filósofos da Magna Grécia e os sacerdotes do Egito, e mais tarde
fundou uma escola em Atenas, um centro luminoso cujos esplendores se espalharam para
longe.. Considere Deus como causa e substância, como o Logos ou verbo, que contém as idéias
eternas, tipos de todas as coisas. Ele admite que as idéias são inatas na alma humana. Mostra
que a alma é de origem divina e participa da substância divina; isso é imortal; que ele recebe a
recompensa ou punição que ele merece por sua conduta, e além disso sustenta que ele deixa
repetidamente esta vida, para retornar a ela muitos outros. A moral de Platão se distingue
pela sua grande pureza. Escreveu o autor de numerosas obras, entre as quais merecem
menção principais Timeu, Fédon ou a imortalidade da alma, Fedro, o banquete, Georgias,
Euthyphro, Pitágoras, as Leis, a República, a política importante tratado cujas regras têm
tentado por vezes, colocar na prática Ele morreu no ano 348 antes de JC] (GTHPB). "

"... Pensamos, com efeito, que é indubitável que Platão se tornou o propagador de verdades
muito antigas e que, consequentemente, seus livros encerram um todo, um corpo
de conhecimento oculto ." (Fulcanelli, "Las Moradas Filosofales").

*****

"... Numenius, o filósofo Pitágoras, escreve expressamente:" Pois o que é Platão, mas Moisés
falando em grego ático "Este Moisés era um teólogo e profeta, e como alguns dizem, um
intérprete de leis sagradas sua família, seus ?. as ações e a vida estão relacionadas pelas
próprias Escrituras, que são dignas de todo crédito ... "

"... Prato classifica o casamento entre as coisas boas externas ..." (Clemente de Alexandria: O
Stromata, ou Miscelânea).

*****

"... Numenius, o filósofo pitagórico, escreve expressamente: 'Bem, o que é Platão, mas Moisés,
falando em grego ático'. Este Moisés foi um teólogo e profeta, e como dizem alguns, um
intérprete das leis sagradas, sua família, suas obras e sua vida, estão relacionados pelas
mesmas Escrituras, que são dignas de todo crédito ... ".

"... Platão coloca o casamento entre as coisas boas ..." ( Clemente de Alexandria: Stromata ou
Misceláneas).

A ideia de escrever a "Missa Solemnis" surgiu espontaneamente do próprio Beethoven ... para
ser executada na entronização do Arquiduque Rudolph.
No texto "Credo" (da "Missa Solemnis") Musicalmente composta entre os anos de 1819-1820,
Louis van Beethoven atesta que o nosso "Senhor Jesus Cristo" é o "unigênito Filho de Deus" (
"Filium Dei unigenitum, ").

Texto do "Credo" da "Missa Solemnis" de Beethoven:

III Creed
Creed in unum Deum;
Patrem omnipotentem,
factorem coeli e terrae,
visibilium omnium e invisibilium.
Credo em Unum Dominum Jesum Christum,
Filium Dei unigenitum,
Et ex Patre natum ante omnia sæcula.
Deo deum, luz de lumine,
Deum verum de Deo vero,
Genitum non factum,
consubstantialem Patri:
por quem omnia facta sunt. Nos propomos
homines,
e propter nostram salutem descenit
de coelis.
Et incarnatus est de Spiritu Sancto
ex Maria Virgine: et homo factus est.
Crucifixus etiam pro nobis
sub Pontio Pilate,
passus et sepultus est.
Et resurrexit tertia die
secundum Escrituras.
Et ascenit em coelum:
sedet ad dexteram Patris.
Et iterum venturus est cum gloria,
judicare viva e mortuos:
cujus regni non erit finis.
Credo no Spiritum Sanctum,
Dominum, e vivificantem:
qui ex Patre Filioque procedit.
Qui cum Patre et Filio simul
adoratur et conglorificatur:
qui locutus est por Prophetas.
Credo em unam sanctam
catolicam e apostolicam Ecclesiam.
Confiteor unum baptisma,
em remissionem peccatorum.
E expectativa de ressuscitação de mortuorum
et vitam venturi sæculi.
Amém

Nosso Senhor Jesus Cristo, Ele mesmo testifica que Ele é o unigênito Filho de Deus:

13 E ninguém subiu ao céu, mas o que desceu do céu, o Filho do homem, que está nos céus.
14 E como Moisés levantou a serpente no deserto, é necessário que o Filho do homem seja
levantado;
15 Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.
16 Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito , para que todo
aquele que nele crê não se perca, mas tenha a vida eterna.
17 Porque Deus não enviou o seu Filho ao mundo, para condenar o mundo, mas para que o
mundo seja salvo por Ele.
18 Quem nele crê não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porque não crê no
nome do Filho Unigênito de Deus.
19 E isto é condenação: porque a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do
que a luz; porque suas obras eram ruins.
20 Pois todo aquele que pratica o mal detesta a luz e não vem para a luz, porque as suas obras
não são reprovadas.
21 Mas quem trabalha na verdade vem para a luz, para que as suas obras sejam manifestas,
porque são feitas em Deus. (O Santo Evangelho Segundo João 3: 13-21).

O "Credo" Beethoven está enraizada no "Credo" do "Concílio de Nicéia" made in 325


(convocado pelo imperador "Constantino, o Grande", que adorava o deus Helios-Apolo, o deus
do sol). O "Credo Niceno" foi "ligeiramente modificado" 56 anos depois no "Concílio de
Constantinopla" no ano 381.

Muito antes dos Concílios de Nicéia e Constantinopla, nosso Senhor Jesus Cristo foi
identificado com o "Deus Sol" (não o Sol físico, mas o Sol Espiritual):

Em " A lenda continua, intitulado Das coisas que aconteceram na Pérsia, quando do
nascimento de Cristo" atribuída "a Júlio Africano, cronógrafo [Cristiano] do terceiro
século", está escrito que os magos persas ter sido anunciado o nascimento de " uma criança
Princípio e Fim " para obter " ... a Jerusalém, os sacerdotes anunciar o nascimento do Messias.
em Belém, cumprimentar Maria, feito por um escravo hábil para pintar sua retrato da criança,
e colocá-lo no seu templo principal com esta inscrição: A Júpiter Mitra (..., ao Deus Sol), ao
grande Deus, ao Rei Jesus, é dedicado pelo Império Persa. " (De "O Mistério das Catedrais",
Fulcanelli).

Entre as representações mais antigas do Cristianismo Primitivo existe um mosaico que


representa Cristo como "Apolo-Helios" ou "Sol-Apolo".

Texto do "Credo" de Nicéia:

Nós acreditamos em um Deus Pai Todo-Poderoso,


criador de todas as coisas visíveis e invisíveis.
E em um Senhor Jesus Cristo,
o Filho de Deus;
gerado como o Unigênito do Pai,
isto é, da substância do Pai,
Deus de Deus; luz da luz;
Verdadeiro Deus do verdadeiro Deus;
gerado, não feito;
consubstancial ao Pai;
pelo qual todas as coisas foram feitas,
tanto no céu como na terra;
que para nós humanos e para nossa salvação desceu e se fez carne,
se tornou humano, sofreu
e ressuscitou no terceiro dia,
e virá julgar os vivos e os mortos.

E no Espírito Santo.

Texto do Credo Niceno-Constantinopolitano, em latim:

Creed in unum Deum, omnipotentem patrem, factorem cæli e terræ,


visibilium omnium e invisibilium.
Et inum Dominum Iesum Christum,
filium Dei Unigenitum,
e ex Patre natum ante omnia sæcula. Deum deum
, luz de lumine,
Deum verum de Deo vero,
genitum, não factum,
consubstantialem Patri:
por quem omnia facta sunt.
Qui propter nos homines
e propter nostram salutem
descenit de cælis.
Et incarnatus est de Spiritu Sancto
ex Maria Virgine e homo factus est.

Crucifixus etiam pro nobis


sub Pontio Pilate; passus, et sepultus est,

et resurrexit tertia die, Secundum


Scriptures,
et ascenit in cælum,
sedet ad dexteram Patris.
Et iterum venturus est cum gloria,
iudicare viva et mortuus,
cuius regni non erit finis.
Et in Spiritum Sanctum,
Dominum e vivificantem:
qui ex Patre (Filioque) procedit.
Qui cum Patre et Filio simul
adoratur et conglorificatur:
qui locutus est per prophetas.

Et unam, sanctam,
catholicam et apostolicam Ecclesiam.

Confiteor unum baptisma


em remissionem peccatorum.

Et expecto resurrectionem mortuorum


e vitam venturi sæculi.
Amém

Há poucas modificações no texto do Credo Beethoven com referência ao texto do "Credo


Niceno-Constantinopolitano". Beethoven substitui o "et" Latin para a palavra "Credo" nos
parágrafos Creed "Pai todo-poderoso" no Credo do "Senhor Jesus Cristo" no Credo do "Espírito
Santo" (ou seja, a Santíssima Tri -Unidade) e, finalmente, no "Credo" da "Santa Igreja Católica e
Apostólica".

O "Deus Pai Todo-Poderoso" ( "Que todos"), é também a "Deus Pai Todo-Poderoso" ( "Que
tudo que eu posso"), ou em outras palavras, a Deus Pai "Pantocrator" ou "Pantocrater".

A palavra "consubstancial" ( "Essa é a mesma substância, natureza indivisível e essência


outro") do Filho com o Pai, foi sugerido por Constantino, o Grande, no Concílio de Nicéia.

A Trindade do Pai, do Filho e do Espírito Santo é mencionada por Jesus O Cristo, no Santo
Evangelho Segundo Mateus, 28: 18-19:

"E Jesus veio e falou-lhes, dizendo. Todo o poder me foi dada no céu e na terra Portanto ide,
fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo
... "

A "Consubstancialidade" do Filho com o Pai foi declarada por nosso Senhor Jesus Cristo,
conforme registrado no Santo Evangelho Segundo João, 10:30 e 14: 11-13:

"Eu e o Pai somos uma coisa."

"Crede-me que estou no Pai, eo Pai está em mim: crede-me, porque as próprias obras
verdade, em verdade vos digo: Aquele que crê em Mim, as obras que eu faço também fará; e.
maior do que estes ele fará .. porque eu vou para meu Pai E tudo quanto pedirdes ao Pai em
meu nome, eu o farei, para que o Pai seja glorificado no Filho "

O "Credo" no Filho é claramente definido nas palavras anteriores de nosso Senhor Jesus Cristo:
que o Filho está no Pai e que o Pai está no Filho, e quem crê no Filho também faz as obras do
Filho. ..
Não é suficiente ler e aceitar o "Credo" sem Obras. Para que a Fé no "Credo" seja uma Fé Viva,
é necessário fazer as Obras do Filho, do CRISTO.

E que pessoa pode fazer as Obras do Filho, se ele não se tornar como o Filho, isto é, se ele não
se torna um CRISTO, um cristão?

Porque as obras que nosso Senhor Jesus Cristo fez são feitas pelo CRISTO DENTRO dentro e na
Alma de cada iniciado cristificado.

O "CREDO" pode viver com obras apenas o cristianismo iniciado, chamado de "Perfeito" pelo
apóstolo Paulo de Tarso.

Luis van Beethoven ou "encarnado Baco" foi um cristificado Iniciado, e do "Credo" da "Missa
Solemnis" foi escrito e musicalmente composta por Ludwig Van Beethoven, acompanhado pela
fé viva das obras de Cristo Interior incorporados em sua alma, no seu coração

"Beethoven acelerou seu tempo ou o nosso? Seu próprio tempo não o entendeu Cristo, sem
comparações": isto é, "sem comparação pretendida". ("O Diário de Therese nos últimos anos:
veja O Mara: Beethoven und die Brunsviks, p.93").

"Beethoven encurtou seu tempo ou do nosso Seu próprio tempo não o entendia Cristo, sem
comparação ...?". ( "Journal of Teresa [Brunswik] nos últimos anos: Mara enfrentar: Beethoven
e Brunsvik ... ").

Teresa Brunswik era uma estudante de piano de Lv Beethoven e irmã de


Josefina ("Pepi") Brunswik.

No Santo Evangelho Segundo João, 15:26, nosso Senhor Jesus Cristo declara que o Espírito
Santo "vem do Pai":

"Mas quando vier o Consolador, a quem eu enviarei do Pai, o Espírito da verdade, que procede
do Pai, Ele dará testemunho de mim."

A Trindade ou Tri-Unidade do Pai, do Filho ou da Palavra e do Espírito Santo, está claramente


escrito na Primeira Epístola Universal de São João Apóstolo, 5: 7:

"Pois há três que dão testemunho no céu, o Pai, a Palavra e o Espírito Santo: e estes três são
um ." [Isto é: eles são uma unidade].

Quanto a "A Igreja de Deus" O cristianismo primitivo, o apóstolo Paulo fez isso claro
em escrever que cada bispo deve ser " o marido de uma mulher" ... "Porque o que pode não
governar a sua casa, como se ele cuidar da igreja de Deus? ... " (Primeira Epístola do Apóstolo
São Paulo a Timóteo 3: 2,5).

O "Credo" sem "Obras" seria inútil, porque seria uma fé morta. Isto está escrito em "A Epístola
Universal" (ou "Católica") "de Tiago", 2:14, 3:20:

"Meus irmãos, o que será proveitoso se alguém disser que tem fé e não tiver obras? A fé pode
salvá-lo?"
"Mas você quer saber, homem vaidoso, que a fé sem obras está morta?"

No Conselho de Nicéia, nosso VM Samael Aun Weor nos diz:

"No Conselho de Nicea em 325 ambos foram reconhecidos; ..... L ° Um homem que encarna a
VERDADE, 2º doutrina Man foi o Hierofante Jesus Doutrina, esoterismo cristão gnóstico
Primitivo Jesus é Cristo, porque encarnou o Cristo. Jesus, Iesus, Zeus e Júpiter é o novo
homem, Cristo realmente começou uma nova era. Concílio de Nicéia era uma necessidade do
tempo, porque a velha forma religiosa de Roman Paganismo tinha de fato entrou degeneração
completa e morte era necessário revestir os princípios cósmicos universais da Religião Cósmica
com uma nova forma religiosa do Concílio de Nicéia foi definitiva: os princípios religiosos
foram revestidas com roupas novas para começar uma nova era nasceu o cristianismo .. " (VM
Samael Aun Weor).

[...]

"No Concílio de Nicéia, personalidade jurídica foi dada a uma nova forma religiosa que havia
sofrido, por muito tempo, perseguições e martírio assustador ..." (VM Samael Aun Weor).

A Canção-Oração da Oferenda composta por Beethoven ao Deus Zeus-Júpiter, o Pai de todos


os Deuses e da Humanidade "... o mais elevado, complacente!" e por "sempre bastião e escudo
da Liberdade!", é muito bonito, sublime e comovente.

- II -
"A Noite Espiritual"

«Você, que pensa que sou um ódio, obstinado, misantrópico, ou que me faz passar por isso,
como é injusto! Você ignora a razão secreta para o que você pensa assim. Desde a infância,
meu coração e meu espírito inclinado a bondade e sentimentos ternos [...] Nascido com um
caráter ardente e ativa, distrações induzidas da vida social, tive a isolar rapidamente [...]
Homens, se leia isto um dia, pense que você não foi justo comigo! " (Beethoven)

L OS anos mais difíceis na vida de Luis van Beethoven foram os anos durante o qual compôs a
Opus 106 Sonata chamada "Hammerklavier" e da "Missa Solemnis", "o seu melhor trabalho,
sua maior obra , " entre 1818 e 1823 Sua bem amada Josephine morreu no ano de 1821.

Naqueles anos de 1821-1822, Beethoven compôs suas duas últimas Sonatas para Piano Opus
110 e 111, terminou de compor o Sanctus e o Benedictus e iniciou o Agnus Dei da Missa
Solemnis.

Sabedoria dos sacerdotes do Templo antigo de Sais, levou, através dos escritos de "Irmão
Décio" e "Schiller" palavras escritas de próprio punho da Deusa Isis-Minerva-Neith, que
sempre tiveram que seus olhos em sua mesa de trabalho:

"Eu sou o que é."


"Eu sou tudo o que é, o que foi e o que será, nenhum mortal levantou meu véu"
"Ele é Único em Si Mesmo,
e para esta Unidade todas as coisas devem ser".
Em uma das notas em seu "Carnets Íntimos" no ano de 1818 (quando ele começou a compor
a "Missa Solemnis" ), Luis van Beethoven escreveu estas palavras, exatamente como ele
escreveu -los para mantê-los sempre à vista, em sua mesa de trabalho.

A Divina Mãe Isis-Minerva-Neith foi sua ajuda e apoio em todos os momentos, e


especialmente durante os tempos de sua "Noite Espiritual".

A partir dos ensinamentos de nosso VM Samael Aun Weor, nós selecionamos os seguintes
parágrafos referentes a "A Noite Espiritual":

" Certamente BEETHOVEN passou a noite espiritual e saiu vitorioso do teste ... Durante a
noite espiritual, o aspirante se sente completamente sozinho , ele é deixado sem ajuda, suas
faculdades transcendentes ter sido dormente, há apoio ... [. ..] e lá em cima nos Mundos
superiores, não pode ser recebida, porque ele ainda possui o animal Ego total :. que não é
feliz, porque nem ele está acima aceito, nenhum prazer que se sente no deserto da vida. tal é a
noite espiritual: hollando este deserto dura sem comida para o seu "fome" sem água por sua
"sede" Raros são aqueles que são vitoriosos na provação, a maioria não ,. acabar com seu
sofrimento afogamento em vinho , ou eles caem na cama de Procusto, de fornicação, ...
"(VMSamael Aun Weor).

[...]

"Então, na verdade, a noite espiritual é para todos aqueles que entram no Caminho no
caminho. Vocês todos têm que passar por esta provação. Alguns de vocês vai ser vitorioso,
outros irão falhar. Eles irão preferir um disparate retornar ao seu mundo amado amam, etc.,
que será capaz de suportar a provação da noite espiritual? ... "(VM Samael).

[...]

"Este é um trabalho para a vida, isto não é alcançado na noite Há momentos de terrível solidão
e sobre isso." Solidão "falou o melhor inicia a noite espiritual de Beethoven. Noite Espiritual de
Mozart , a noite espiritual de Jesus de Nazaré, a noite espiritual de Hermes Trismegisto: os
tempos quando se está na mais terrível solidão, separado de toda a espiritualidade: Above não
recebeis, porque eles merecem, eu abaixo não quero mais porque se tornou um inimigo do eu
psicológico. total, anda como um infeliz sobre o barro da terra. maioria não, no momento da
noite espiritual. poucos que conseguem resistir, realmente ter sucesso. Mas eles são poucos ,
Repito, aqueles que conseguem resistir a um teste tão difícil ". (VM Samael Aun Weor).

[...]

"NIGHT ESPIRITUAL É PARA TODOS: .. Para homens e mulheres pode levar meses, e pode durar
muitos anos VARIAR momento mais fugir, entrar na bebida, drogas, escapar ... Raros são
repito, aqueles com resistência e tenacidade suficiente para chegar ao final aqueles que
perseveram será salvo ;. aqueles que perseveram, alcançar a iluminação ,. aqueles que
perseveram, avançar o Caminho da Iniciação isso é tudo " (VM Samael Aun Weor).

[...]
"Beethoven, sentindo-se tão cruelmente os rigores e ensaios da" noite espiritual", em vez de
falhar tantos candidatos, foi abrindo os olhos de sua intuição para a super misteriosa
naturalismo, para a parte espiritual da natureza, para a região onde viver a Reyes angelical
deste grande Criação Universal: Tlaloc, Huehueteotl, etc., etc. Ved o "músico-filósofo" ao longo
de sua existência exemplar em sua mesa constantemente tem que olhar para a sua Divina Mãe
Kundalini. . a Neith, Tonantzin de Anahuac, o Isis egípcio supremo inefável que nos foi dito que
o grande Mestre acima mencionada tinha colocado na parte inferior desta linda uma inscrição,
mesmo escrito à mão, misterioso lê: "Eu sou o único que tem sido, é e será, e nenhum mortal
levantou meu véu ".
"O revolucionário progresso interior torna-se impossível sem a ajuda imediata da nossa Divina
Mãe Tonantzin Todo filho grato deve amar sua mãe .. Beethoven amava profundamente a dela
fora do corpo físico, nas horas de sono, a alma pode falar Sua Mãe Divina, no entanto, é
evidente que devemos começar com a disciplina do sono ". (VM Samael Aun Weor).

Nosso VM Rabolú em "El Águila Rebelde" nos fala sobre os processos esotéricos da solidão,
quando o Iniciado carregou sua cruz nas costas caminhando ao longo da Segunda Montanha:

"Esta segunda montanha, a obra é muito mais exigente porque aqui é verdadeiramente o
caminho que o Cristo ou Jesus nos deixou, quando o ensinamento da estrada do Gólgota nos
deixou, é aqui que vamos viver todo o processo de Jesus ou do Cristo, os mesmos passos, os
mesmos sofrimentos, as mesmas coisas, sinta aquele que é para esta Montanha, o que
aconteceu com o Cristo, o mesmo. Os estigmas, um os recebe ali naquela Segunda
Montanha , aquele que sente a dor, que dói o coração a um e outro sente a quente Corrida de
sangue, olhares e a corrente de sangue, que parece ser fisicamente isso , as unhas, quando
pregadas na cruz, a dor é imensa, uma dor que cria uma que já vai morrer porque a dor sente
uma no coração. Então, todos os passos que Jesus deu, cabe a nós; É claro que vivemos em
outras dimensões, mas com a consciência de que acreditamos que esse caso está acontecendo
fisicamente. As quedas com a cruz também acontecem com uma porque há exaustão, o
Iniciado permanece sem força, o peso da cruz é muito grande. Então a força de uma pessoa
falha, ele cai com a cruz e quando cai, não se pode soltar a cruz, quem solta a cruz chegou
lá. Ele tem que se levantar com a cruz no topo; Colocá-lo bem conservado esta é a coisa mais
terrível para um lá, porque você não pode largar a cruz, tem que se levantar com ela, onde e
forças se esgota um, agora você acha que tomar um pequeno passo, ele pensa, porque é isso
não tem força.Então, é aí que você se vê sozinho, totalmente sozinho, abandonado até pelas
Hierarquias, de tudo, mas mentindo, não é abandonado; o Pai e a Mãe estão prontos para lhe
dar uma ajuda que se pede a eles e a toda a Hierarquia. Um está em observação de toda a
Hierarquia, mas ninguém vê ninguém; de modo que você perceba que nunca é
abandonado; um está no Camino e olha só e passa anos e anos e apenas um,sem ver o ser
humano, mas as Hierarquias estão todas olhando para alguém para ver, se alguém pediu
ajuda, imediatamente ele tem. Isso não é esperado, mas é imediatamente que alguém tem a
ajuda, porque geralmente sempre pede força, coragem, para seguir uma frente com aquela
pesada cruz. Assim, então, que a Segunda Montanha é um trabalho muito exigente, porque
você tem que encarar um trabalho muito a sério, atos e não palavras ”(VM Rabolú).
Em uma experiência esotérica que eu estava passando nos Mundos Internos no Caminho Reto
na Segunda Montanha, eu escrevi em detalhes para o nosso VM Rabolú, e a resposta em
síntese foi a seguinte:

"Você tem que ir em frente com três fatores definitivamente , e não verbal, mas de fatos, para
ir subindo pouco a pouco por este Caminho que traz muita dor, amargura, mas no fundo é
doce." (Carta 1245 de 5 de outubro de 1994-2) .

Nas palavras "Devemos ir adiante com três fatores definitivamente, e não verbais, mas de
fatos, ...", nosso VM Rabolú em "A Segunda Montanha" de "A Águia Rebelde", nos dá os
seguintes ensinamentos:

"Aquela Montanha é muito rigorosa, lá eles a provam em todas as formas, em todos os


sentidos, eles não deixam um único detalhe para um que eles não provem."

"Então, que tem que haver para progredir, para morrer, a morte mística é indispensável, senão
não dá um passo ali, isto é, três Fatores definitivamente, de fatos e não de palavras."

- III -
Beethoven e a Divina Mãe Isis-Minerva-Neith

D o "Ensaio" Schiller intitulado "A Missão de Moisés" ( "A Missão de Moisés"), que incluem
aqui parágrafo onde "o poeta da liberdade", escreveu as palavras da deusa egípcia Neith (ISIS-
MINERVA-Neith ), copiado posteriormente por Luis van Beethoven:

"... A Epoptae reconheceu uma única causa suprema de todas as coisas, um primum mobileda
natureza, o Ser dos Seres, que era idêntico aos Demiurgos dos sábios gregos. Nada é mais
sublime do que a simples grandeza de sua linguagem a respeito do Criador do mundo. Para
distingui-lo de maneira decisiva, não lhe deram nome algum. Um nome, dizem eles, é
necessário apenas por uma questão de distinção. Aquele que existe sozinho não precisa
nomear, pois não há ninguém com quem ele possa ser confundido. Sob uma antiga estátua de
Ísis, estas palavras foram inscritas ("EU SOU O QUE É"); e em cima de uma pirâmide em Sais
estava a inscrição primitiva digna de nota: "Eu sou o que, quem era, e isso seria; O HOMEM
NÃO MORTAL MANCHOU O MEU VÉU. Ninguém foi autorizado a entrar no templo de Serapis,
que não tinha no peito ou sob o nome JAO ou J-HA-HO, um nome quase idêntico em som com
o hebraico.Jeová e provavelmente da mesma importância; e nenhum nome foi pronunciado no
Egito com mais reverência do que este nome Jao . No hino que o Hierofante, ou presidente do
santuário cantado ao candidato à iniciação, esta foi a primeira divulgação Respeitar a natureza
da Divindade: 'Ele é um, e de si mesmo, e até uma todas as coisas devem seu ser' ... " (" ARTE
V.-A MISSÃO DE MOISÉS, Do alemão de Schiller. " De " O professor cristão "," 1839 ").

Tradução para espanhol:

" ... O Epoptae reconhecida uma única causa suprema de todas as coisas, uma primeira
natureza móvel, o Ser dos seres, que era idêntico com o demiurgo dos sábios gregos. Nada é
mais sublime do que a simples grandeza de sua linguagem a respeito do Criador do mundo., a
fim de distingui-lo de uma forma muito decisiva, eles não dão qualquer nome. um nome, eles
disseram, só é necessário por causa da distinção. aquele que só existe não precisa de um nome,
porque não nenhum com quem ele pode ser confundido Sob um velho estátua de Isis, estas
palavras foram inscritos, ( 'EU SOU TUDO o qUE é.'); e em uma pirâmide em Sais era o original
inscrição, notável, 'Eu sou tudo o que é, o que foi eo que será, nenhum mortal levantou meu
véu'. Ninguém foi autorizado a entrar no templo de Serapis,IAO ] ou J-HA-HO, um nome quase
idêntico em som hebraico com o Senhor, e, provavelmente, igualmente importante, e nenhum
nome foi pronunciado no Egito com mais reverência do que esse nome Jao [Iao]. No hino que o
Hierofante, ou o presidente do santuário cantou o candidato à iniciação, esta foi a primeira
divulgação respeitando a natureza da Trindade: 'Ele é um, e ele próprio, e este Todas as coisas
têm seu ser ' ... "(" ART. V. MISSÃO de Moisés. Schiller alemão. "de" The master Christian ""
1839 ").

O "Religiosidade" Baco-Beethoven pode ser expresso nas palavras acima da Deusa Isis-
Minerva-Neith (a quem nenhum mortal levantou o véu), o Templo de Sais no Egito, e citados
por Schiller em "The Mission Moisés "

Temple ou "Universal" e melhor de Beethoven Church (cujo "Chapterhouse" está no mundo


causal ou Sky Venus) seria um templo onde Interpretar e suas obras musicais são cantados, e
entre eles, especialmente o " Missa Solemnis ". Mas os músicos e cantores devem estar em
contato com o músico ideal: humildade; a verdadeira Castidade e Fidelidade no Amor Conjugal
entre um homem e uma mulher; superar as paixões egoístas batendo em si mesmo; Respeito
pela Paz e Liberdade e Amor por todos os Pobres Sofredores da Humanidade, por todos os
Seres.

O próprio Beethoven foi chamado:

"Baco encarnado", "um filho de Apolo", "um sacerdote de Apolo", " um cristão e em Apolo ".

Luis van Beethoven revelou e em suas próprias palavras como "cristão", mas o mesmo tempo
que "um filho de Apolo", "um sacerdote de Apolo" Deus "Baco encarnado", e um adorador do
Deusa egípcia Isis-Minerva-Neith.

Esta é a Essência do "Catolicismo" ou Religião "Universal" de Luis van Beethoven.

Plutarco ensinou-lhe "o caminho da resignação":

"... PLUTARCO ME MOSTROU O CAMINHO DA RENÚNCIA ..." ("Beethoven, Carta a Franz


Gerhard Wegeler, Viena, 29 de junho de 1800".)

Dos Vedas ele aprendeu que o Sagrado "Lingam" (o atributo do Deus Shiva ou o Espírito Santo)
é "Deus".

A Deusa Minerva é Aquele que lhe dá sabedoria.

Nove Musas são o seu companheiro constante e fonte de sua inspiração, bem como a
Eternamente Amado e Seu Anjo Josephine: sua contraparte feminina ou "Nukvah"
espiritual: "a direção da" sua "vida".

O "... presente mais caro do céu, minha [...] arte e as musas". (Beethoven)
"Sou, como sempre, absolutamente dedicado às minhas Musas, e só aí encontro a felicidade
da minha vida, e trabalho e cuido de tudo que posso ..." (Beethoven).

"Eu estou livre de toda vaidade mesquinha. Apenas arte divina, e só ele, é a alavanca que me
dá forças para sacrificar as musas celestiais o melhor da minha vida desde a minha infância,
minha maior satisfação e felicidade tem sido capaz de fazer algo Para os demais." (Beethoven)

"... Eu espero que, onde quer que eu esteja, eu sempre siga sua imagem, pois é o curso da
minha vida ..." ("294. [Carta de] Beethoven para a Condessa Josephine Deym". "Heiglnstadt em
20 de setembro [1807]).

Em vista do exposto e como outras realidades inquestionáveis, quem poderia dizer que em
"seu melhor trabalho" em sua "maior obra": a "Missa Solemnis", não estavam presentes
anteriormente religiosa Princípios "Universal" ( "Católica") ...?

"Santa, Católica [universal] e Apostólica" do "Credo" da "Missa Solemnis" Louis van Beethoven,
mas é geralmente interpretado em seu sentido literal, vai muito além do que a letra quer ser
interpretado. Porque a "Santa Igreja [gnóstica] Católica e Apostólica" Louis van Beethoven é
uma Igreja (Comunidade) Universal, onde honramos e reverenciam sem fanatismo ou
sectarismo, e com a sua música ao trindade hindu "Brahma-Vishnu Shiva "ou" Espírito do Pai-
Filho-Santo "cristã, nosso Senhor Jesus Cristo, a Virgem Isis-Minerva-Neith, Kore e Maria, a
Divina Mãe Kundalini, e Dionísio-Bacchus greco-romana, ou seja, , para Osiris-Moisés Egipcio.

O "Catolicismo" Louis van Beethoven é verdadeiramente "universal" porque abrange e contém


a essência dos Vedas e a sabedoria preservada e transmitida pelos sacerdotes do templo da
deusa Isis-Minerva em Sais, no Egito, embriaguez Baco-Espiritual Baco, a invocação de nove
musas, a "filosofia" de Sócrates e Kant, os ensinamentos de nosso Senhor Jesus Cristo e a
veneração da Virgem Kore-Mary.

IV -
"Subindo do coração, posso voltar ao meu coração " .

D ea Missa Solemnis (composta em cerca de cinco anos, entre 1818 e 1823), Beethoven disse
que era "o seu melhor trabalho, sua maior obra" , que consiste na Kyrie (1818-1819), Gloria
(1819-1820) Credo (1819-1820), o Sanctus (1820), o Bento (1821), e o agnus Dei (1821-1822).

"... meu principal objetivo ao compor esta grande Missa foi despertar e impressionar
profundamente os sentimentos religiosos tanto dos cantores quanto dos espectadores." (De
uma carta escrita por Beethoven "Ao Sr. Nageli, Viena, 16 de setembro de 1824").

Beethoven começou a escrever o "Kyrie" da "Missa Solemnis" (embora alguns biógrafos falem
do ano de 1819) em 1818, segundo outros biógrafos.

Na partitura do "Kyrie" Beethoven escreveu as seguintes palavras:

"Subindo do coração, posso voltar ao meu coração."

"Beethoven tinha sonhado primeiro a escrever essa massa em cantochão, desde a sua chegada
em Mödling, no verão de 1818, escreve em seu diário: 'Para escrever verdadeira música de
igreja, através de todos os coros das igrejas de monges'. Ele logo se demitir este nível de
projeto cantando e inspirando para toda a sua obra em Haendel, rascunhos de massa são
interrompidos com temas do Messias copiado por Beethoven "[...]" ... isso é interessante
para observar, a respeito do fim de Eu acredito, o silêncio que mantém a confissão de fé na
Igreja ". ("Ludwig van Beethoven", de Jean e Brigitte Massin.)

Entre as obras que Beethoven compôs pouco antes de começar a escrever a Missa Solene, e
depois em seu estágio inicial, estão: 1816 "lieder Ao amado distante". "... no final de 1816
termina o Sonata opus 101". "WoO 149 / Renúncia / 1817." "Oh Abençoada" em 1817 feito
um "Arranjo Folkloric" do quarto entre "12 músicas populares variaram" ( "Galanteie 157: 1-12
, "escrita por Beethoven entre 1815-1820 ), inspirado por um Siciliano Hino a Virgem Maria,
também chamada de "Hino do Marinheiro Siciliano" , e a Sonata 29 "Hammerklavier" Opus 106
(1817-1819).

No ano de 1817 ou 1818, a irmã de Josephine, Theresse, escreveu:

"... Julho de 1817 ou 1818: Josefina, você apóia essa punição por causa de Luigi? Oh
infelicidade! - Sua esposa! O que ela teria feito com esse herói?"

Em 08 de abril de 1818 (o ano em que Luigi van Beethoven terminar de compor


Hammerklavier Sonata, e começou a Kyrie da Missa Solemnis), Josephine escreveu um esboço,
citado por TELLENBACH 1983, p. 195., que diz:

"Só com poucas palavras posso falar do que o espírito me diz em momentos de tranquilidade
... Só nesses momentos pode a nossa amizade ser admitida como existente ... Falar a alma - já
não fala - Os espíritos estão em silêncio." (Josephine para Beethoven?, 8 de abril de 1818,
esboço, em Tellenbach 1983, página 195.)

1820. "Continuação do trabalho para a Missa. Sonata opus 109".

1821 ... "Sonata opus 110", o ano em que Josephine morreu.

1822-1823. "Sonata opus 111". "Conclusão da Missa em re".

Modling ( "Medilihha, Medelikch, Medling e, finalmente, Mödling"), localizada a


aproximadamente 14 quilômetros ao sul de Viena, Beethoven foi parcialmente trabalhar no
ano de 1818 na composição da Sonata 29, Opus 106, também chamado de " Hammerklavier ",
no" Missa Solemnis "e na" Nona Sinfonia ".

Nas estações de verão, Beethoven visitou a pequena cidade de Modling durante os anos de
1818-1822, permanece que, obviamente, gostaria de lembrar os momentos de sua primeira
visita em 1799 à procura de algum alívio da sua dor pelo casamento de sua Bem Amada
Josefina, tendo seu coração "ferido", apesar de "a tempestade principal" ter sido "consumida
..."

Foi durante essas épocas de verão em Modling, (exceto o ano de 1821 o ano da desencarnação
de sua amada Josephine), onde Beethoven começou a compor, continuou a compor e quase
terminar de compor a "Missa Solemnis" (Veja: "Ludwig van Beethoven", "Missa Solemnis", de
Jean e Brigitte Massin), cuja data de conclusão foi estendido até o ano de 1823, como indicado
na carta escrita por Beethoven para a letra "Herr Peters" "Leipzig" a partir de Viena de 20 de
Março de 1823, onde Beethoven fala de três missas: "o primeiro tem sido concluída, a não
segundo ainda assim, eo terceiro nem sequer começou ..." ( "o primeiro tem sido terminado há
muito tempo , o segundo ainda não, e o terceiro não começou.")

-V-
O Kyrie
O Sanctus e O Benedictus
da "Missa Solemnis"

E n nosso estudo intitulado "The Frequency 432 Hertz , " temos explicado totalmente os
benefícios de ouvir a música e sons na frequência 432 Hertz.

Os textos em latim do Kyrie, Sanctus e Benedictus, com suas correspondentes traduções para
o espanhol, são os seguintes:

Kyrie

Kyrie, eleison
(Senhor, tenha misericórdia)
Christe, eleison
(Cristo, tenha misericórdia)
Kyrie, eleison
(Senhor, tenha misericórdia).

Sanctus

Sanctus, Sanctus, Sanctus,


(Santo, Santo, Santo),
Dominus Deus Sabaoth.
(Senhor Deus dos Exércitos)
Pleni sunt coeli e terra gloria tua.
(Os céus e a terra estão cheios da sua glória).
Osanna em excelsis.
(Hosana nas alturas!)
Benedictus qui venit in nomine Domini
(Bem-aventurado aquele que vem em nome do Senhor!)
Osanna in excelsis.
(Hosana nas alturas!)

Este estudo eu terminei de escrever com "dores de parto" e com a ajuda de Deus entre 17 e 30
de dezembro do ano de 2014.

- Nova revisão concluída para rever COM A AJUDA DE DEUS em 17 de dezembro de 2015, na
Lembrete do Nascimento do Grande Mestre da Música Luis Van Beethoven em 17 de
dezembro de 1770 -
Nós amamos todos os seres, toda a humanidade.
Cada Ser Humano é também Humanidade.

"Que todos os seres sejam felizes!"


"Que todos os seres sejam abençoados!"
"Que todos os seres estejam em paz!"

Em homenagem ao Grão-Mestre da Música


Luis v. Beethoven

Indice - Lv Beethoven