Você está na página 1de 56
30 de Setembro Excartos da Mangagem do exm, st, ds, Governador do Estado, Ensino Primario Tenho dedicado grande sorima de esforgos » lornar en- tre nés uma realidale 0 ensino primario. A primeira con’ go para tornar coisa seria a instrnegt far de parecer um contrasenso, a reduceto do nu escolas, pela verifiesgho rigorosa dos requtsilos indis para qe seu funccionamento constituisse um beneliclo. FE Intativo que sem um cero numero de alamnos, © am pro fessor inats on menos habilitadn, a e3¢0! vido tima burla despendiosa para o Fstado. Ora, entre nds, a matricula ‘olar, em grande numero deeasos, era una falsficagno eon- seionie dos interessids, e a habiltagto do professor nm pho- nomeno quasi que negaliva. Assim, pois, persistes muito hem, reduzindo as escolasioladas da jalrior. Dei cumprimento ds vossis determinagées, pelos deere tos de 27 de Novembro, 6 e 26 de Deze! 19 ¢ 9 de Janeiro de 1902. Em virtude (esses decretas e wisis los qe forganizaram: na capital eno interior noves grapos eseolares, © ensino primario ¢ facultado pelo Estado nos sezuintes esta- belecimentos Capital grupos escolares com 40 professores e 16 ad~ juntos; 6 escclas modelo, annexas 4 Escola Normal, com 6 professoress 20 escolas isoladas. Estas eseolus serio rennidas em brevee grupos, desde que encontrar predies bem collosadas e apropriadus para installagao. * Dos actuaes grapas eseolares, quatro foram fundados no men governo. Prelendo, auzmeniando acti! evtificio da Escola Normal, dar desenvolvimento 4s eseolas-modelos, ele- vando-as a grupo-modelo.