Você está na página 1de 3
HELENA H. NAGAMINE BRANDAO INTRODUCAO A ANALISE DO DISCURSO Ficus cATALOGRAFICA RLARORADA PELA Biniovaca Cevraat o4 Unicane INTRODUGAO 41. Lingua(gem}: uma abordagem interacional Qualguer estudo da linguagem & hoie, de alguma forma, tributério de .do-0 como ponto de partida, assumindo suas postula- jjetando-as. NO"Hosso caso, a releréncia a Saussure ‘sua’ célebre’concepcao dicotémica enire Ifgua e fala Emboral ‘sure, logo se descobriram os limites dessa dicotomia pelas conseqiéncias seavindas da exclusao da tala do campo dos estudos lingilsticoss entre os que sentiram essa camisa de forca que colocava como ob- ica apenas a lingua, tendo-a como algo abstrato e ideal a cconstituir um sistema sincr6nico e homogéneo, esté Bakhtin (Voloshinov, 1929) que, com seus estudos, antecipa de muito as onentagdes da ingiifst- ca modema. /Pakrihandovaltiha"aberta por’ Saussure, Bakhtin parte também do “ePifelpio| de que a'lingua é um fato social cuja existéncia funda-se nas ne- (ssidades de comunicacaolNo entanto, alasta-se do,mesire genebrino 0 Ver a lingua como-algo’concreto, fruto"da’manifestagao individual. de, caday falanteyValorizando dessa forma a falas Visando & formulagao de uma teoria do enunciado, Bakhtin atribui um lugar priviegiado & enunciagdo enquanto realidade da Inguagem: & | ‘Dessa forma, ele diverge de seus antecessores (Sausi ‘do, subjetivismo individuaista representado por ara quem o”enunciado era um ato individual pertnente inglistcamente, Bakhtin, abs, ‘deo dos estudos da tnguagem como d: de componente necessério para a compre seméntica de qualquer ato de comunicago verbal, Como, airavés de cada ato de enunciagio, & ‘Snorénico abstrato, passe-se a uma outra compreenséo do fendmeno, & de ‘sno dalétco, vivo, dindmico. ‘Essa visdo da inguagem como interago social em qué 6 Oillto do= de, enuncis¢a0 indvidual num contexto mars amplo, revelando a: nvinsecas entre o Ingiistco ¢ 0 social O percurso que o indi Nessa perspectva, fica evidente que uma ingiistica imanente que se lente 20 estudo interno da Knque no poderd dar conta do seu objeto. E ne- cesséno que els raga para o interior mesmo do seu sistema um enloque que artcule 0 ingUistico e 0 social, buscando as relacdes que vinculam a lingua- ‘gem & ideologe. Sistema de significacdo da reaidade, a inguagem & um distanciamento entre a cosa representaca € 0 signo que a representa. E é nessa disténcia, no inlersticio entre a coisa e sua representacdo signica que ide 0 eobgi00. ‘dulo dznieracdo sccial ela se Ie plorvaténciarPor isso é 0 'ago da ideoioga Para Bakhiin, a palavra € 0 signo ideotigco por excelenicia, r| \Ogar prviegado para a mar mas de signiicar a reabdace, ‘a empregam. Dialga por ‘que, situadas em diferentes posicbes, querem ser ouvidas por eniidade absirata, mas como 0 lugar-em.que a ideologia se manilesta Con 10 9 enteFAERIE,"2"HAQUBQEM no pode ser encarada COME UME ‘eetamenta, em que:ciideol6giCo, para 86 Objetvar, precisa de ura materiate ‘dade conforme nos mostra Bakhtin (Voloshinov, 1929:19) quando afimay ‘quer Cada signe ideoldgico & no apenas um reflexo, uma sombra da reali- Mais tarde, a0 defini a tarefa da Semiologia, Barthes subinha também ‘a importancia do cardter ideol6gico do signo. Para ele, a ideobogia deve ser temas onde tem sido mais facimente percebida, ‘mas, sobretudo, nas formas, isto 6, no funcionamenta significante da lingua- ‘gem que 6 0 lugar onde se dé a sua materiaidade: Uma das possibiidades da Semioiogia, enquanto discipina ou discurs 's0. sobre 0 sentido, & precisamente dar instrumentos de andlise que ‘permitam circunscrever a ideoiogia nas formas, isto &, onde ela em ge al’ menos procuradas"O alcance ideotigico dos contetidos & algo: epercetido” desde hd Muto fempo, mas 0 conteddo ideokkgico das for smas, se quiserem, constitu, de certe modo, uma das grandes posse ‘Wades de trabalho do século (apud Robin, 1973). 2, Entre a lingua e a fala: 0 discurso da linguagem, isto 8, do por entradas subjetvas e sociais, provoca um deslocamento nos e: \gDiStcos até entio balize dos pela problematica colocada pela oposigao Inguavfala que impds uma n= "