Você está na página 1de 3

Artigo: A Pregação e os seus múltiplos vocábulos em o Novo Testamento!

A pregação e o ensino em algumas igrejas da A.D?

Quando estava começando a servir como obreiro na Igreja onde congreguei que é uma A.D,
ouvia (como ouvi posteriormente em outras ocasiões) pela liderança, que segundo ele há uma
diferença entre ensinar e pregar. Ele dizia que “ensinar é formar, enquanto pregar é informar”.

A principio não entendi muito bem esta colocação, mas prestando bem a atenção a forma
como era feito os cultos da igreja (escola bíblica, culto de ensino, culto de domingo, etc.), pude
perceber que de fato era assim mesmo, havia uma distinção de culto por parte da liderança.
Em dois mil e dezesseis lembro me por várias vezes ouvi-lo dizer: “Os cultos públicos como
domingo, a pregação é informativa, apenas informa, mas o culto de “doutrina” este tem o
propósito de formar o crente”. Acredito que este não seja o significado de pregar e nem
ensinar.

O que é pregação?

A pregação é muito importante no culto cristão, e poucos até mesmo alguns que pregam
poderiam explicar o que de fato consiste no ato de pregar. Explicar o que é pregação não é
tarefa fácil, mas a definição dada por alguns mestres da pregação pode nos ajudar a entender
melhor está importante matéria.

Denis Lane cita J. I. Packer dizendo que “A pregação é o ensino da verdade de Deus revelada e
aplicada; tal ensino com aplicação é profecia, sempre o foi e sempre o será...” Denis ainda
acrescenta um comentário dizendo: “A nossa geração necessita desesperadamente de tal
profecia e de tais profetas”.

Para Danis e Packer a pregação não consiste num discurso vazio de Bíblia, mas ela é o centro
da verbalização. Pregar sem expor os ensinos revelados nas Escrituras acarretará em sérios
prejuízos para quem prega e quem o ouve. Quando aquele que tem a incumbência de pregar é
fiel a revelação de Deus, se torna um profeta, pois como diz Packer: “...tal ensino com
aplicação é profecia...”.

Outra definição que me chama a atenção é de Fhillips Brooks, citado por John Stott, onde ele
diz: “A pregação é a comunicação da verdade de um homem aos homens. Contem dois
elementos essenciais: a verdade e a personalidade. Não é possível que na ausência de um
deles ainda possa ser chamado de pregação... A pregação é trazer a verdade mediante a
personalidade... A verdade é em si mesma um elemento fixo e estável, a personalidade é um
elemento que varia e cresce”.1

A verdade de Deus é mediada pela personalidade humana. Quem somos, influenciará naquilo
que iremos transmitir na próxima mensagem pregada para o povo de Deus. Se por um lado
devemos estar certos de a mensagem continua intacta, sem variação e deve manter assim,
espera-se do ministro que ele como ser mutável progrida, cresça no conhecimento de Deus,

1
A citação foi traduzida de espanhol pelo autor do artigo.
numa experiência de devoção, a fim de que modo algum tropece em seu chamado de anunciar
a verdade de Deus ao mundo em trevas.

Os termos usados no N.T?


O que se pregava no N.T?

A importância da pregação para hoje?

Stott, p.9.