Você está na página 1de 11

UNIVERSIDADE ANHANGUERA UNIDERP

ENSINO A DISTANCIA

DESAFIO DE APRENDIZAGEM

ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO BRASILEIRA

ACADENICA GISELE HOLETZ FERREIRA RA 267824

CUIABÁ-MT SETEMBRO /2013


A ESTRUTURA DO SISTEMA NOS ÂMBITOS, ESTADUAL E MUNICIPAL.

Estrutura é uma configuração de itens. É uma coleção de


componentes ou serviços inter-relacionados. A estrutura pode ser uma
hierarquia, ou uma rede, o sistema é um conjunto de elementos
interconectados, de modo a formar um todo organizado, todo sistema possui
um objetivo geral a ser atingido, tendo essa visão, vamos analisar a articulação
entre ensino, escola, sociedade, economia, política, governo estadual e federal,
da qual a escola recebe os recursos para a sua manutenção material e para a
execução de seu currículo, e as ações que se fazem necessárias, para que as
escola ou o sistema de ensino abranja o maior numero de educando possível,
como as escolas fazem parte das comunidades, elas também influenciam e
são influências pelo meio, sendo assim entra a necessidade da
conscientização dos educadores, de se preparar, se conhecer, e apreender a
conhecer o educando, para ajudar de uma forma mais eficaz, pois é dever dos
educadores dar o exemplo de cidadania, sabemos que, como existe, essa
relação de interdependência entre os sistemas, e eles se articulam com o
sistema educacional, nos mais variados tipos de contatos, surgem assim, às
tensões que geram conflitos, por questões ideologias, econômicas, e políticas,
no Brasil, passamos por processos onde, em alguns momentos de nossa
história, os militares tiveram ascendência sobre todo o sistema educacional
Brasileiro, onde tudo era submetido à censura, e não havia a liberdade de
questionar se era errado ou não; Mas esse processo, aos pouco foi sendo
substituído, e o sistema passando a buscar alternativas, que dessem maior
liberdade de ação as escolas e ao educador, hoje vivemos em uma
democracia, onde a liberdade de pensar, de ir e vir, de ter idéias, gera conflitos
e tensões, pois os educados confundem liberdades com falta de limites, essa é
a necessidade dos educadores de serem firmes e cientes de suas
responsabilidades para melhor estruturar e formarem Cidadãos comprometidos
com a melhora do ensino e da sociedade no Brasil, no momento existem duas
formas de organização dos sistemas, que são:

 A primeira que procura destacar os aspectos estáticos, harmoniosos da


organização.

 A outra que salienta o caráter dinâmico, as possibilidades de mudanças


existentes no sistema.
A primeira, baseia-se na teoria funcionalista, cujo princípio é a
ausência de conflitos, pois as decisões vem de cima para baixo e todos
seguem as normas aceitando, as alterações e ajustes de forma pacífica sem
diálogo,a segunda, chamada de dialética ou de conflito, aceitas as
contradições e as decisões são discutidas em um colegiado e são
trabalhadas com a participação de todos para que as condições e os ajustes
necessários sejam feitos, quer dizer as decisões são de baixo para cima , isso
é democracia, por ser o Brasil um país com uma área geográfica extensa, e
com muita diversidades regionais, entra assim o trabalho da individualização
do ensino, adequado-o as necessidades existentes, no local, onde se situa,
apesar do conjunto de normas e leis serem os mesmo para todos,cada região
não pode perde a sua identidade, por que há uma interdependência existente
entre todo o conjunto de ensino.

Agora quanto a estrutura material, as instituições de ensino publico no Brasil


deixam muito a desejar, faltam materiais, como carteiras, mesas,e vários
materiais didáticos e pedagógicos, fazendo com que a estrutura falhe muito
ao atender ao educando, pois muitas verbas muitas vezes sãos desviadas e
esses desvios interferem fazendo falta, nas merendas, e nos recursos
pedagógicos, que poderiam ser melhores aproveitados se houvesse uma
melhor, conscientização e fiscalização maior dos órgãos responsáveis como
também uma melhor cobrança nossa afinal , nós somos a sociedade, apesar
de todas essas colocações, fica no ar!

 O Brasil possui um sistema de ensino?

Segundo o educador Dermeval Saviani (1987), aponta três


condições básicas para a construção do sistema de ensino, apesar de tudo o
que já falamos, são elas: O conhecimento dos problemas educacionais de
determinada situação história-geográfica; O conhecimento das estruturas da
realidade; Uma teoria da educação,com esses conhecimentos pode-se fazer
uma política de ensino onde serão conhecidas as dificuldades, as
necessidades regionais desse enorme país que é o Brasil e sair da
intencionalidade individual para o coletivo, vendo, ouvindo, aprendendo e
respeitando as diferenças existentes, conhecer bem cada característica e
problemas de nossa realidade, detectados, formar uma teoria onde todos
coletivamente possam indicar os objetivos e as soluções para essas questões.

Enfim o sistema de ensino no Brasil ainda é de competição e não


de colaboração, o governo propôs, em seu plano educacional, a criação de um
Sistema Nacional Articulado de Educação, de forma que o Estado e sociedade,
bem como as diferentes estâncias administrativas, atuem de forma organizada,
permanente e autônoma e principalmente participativa, sendo assim
concluímos que no Brasil, realmente ainda não possui um sistema de ensino
como afirma Saviani.
INCUMBÊNCIAS DO SISTEMA DE ENSINO: FEDERAL,
ESTADUAL, MUNICIPAL.

Como estudantes de pedagógicas, achamos muito interessante o


conhecimento, de como funciona o papel do governo, do estado e municípios
frente às incumbências de promover a educação escolar dentro de seu âmbito
de ação e estaremos procurando entender esse mecanismo; A LDB é a Lei de
diretrizes e Bases da Educação e é feita baseada na nossa Constituição. Nela
todos têm direito ao estudo e é dever do estado dar estas condições! A primeira
LDB foi criada em 1961, depois disso ela foi reformulada em 1971 mas só foi
realmente concluída em 1996. Ela se resume no princípio do direito universal à
educação para todos, a LDB de 1996 trouxe diversas mudanças em relação às
leis anteriores, como a inclusão da educação infantil (creches e pré-escolas)
como primeira etapa da educação básica. desta forma nossas crianças terão
direito a escola muito mais cedo o que facilita muito para as mães que
trabalham para ajudar no sustento da família e principalmente evita que elas
fiquem nas ruas.

 Da Organização da Educação Nacional:

A União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios


organizarão, em regime de colaboração, os respectivos sistemas de ensino, é
papel da União: Elaborar o Plano Nacional de Educação, em colaboração com
os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, manter e desenvolver os órgãos
e instituições do sistema federal de ensino, prestando assistência técnica e
financeira aos mesmos para que possam desenvolver suas atividades,
estabelecer as competências e diretrizes para a educação infantil, o ensino
fundamental, o ensino médio norteando os currículos e seus conteúdos
mínimos, assegurando assim a formação básica comum; Coletar, analisar, e
repassar informações sobre a educação, assegurando o processo nacional de
avaliação “ENEM” objetivando a melhoria na qualidade do ensino. legislar
sobre as normas gerais sobre cursos de graduação e pós-graduação, a
atualmente sobre a educação à distância; Estar sempre avaliando as
instituições de educação superior, com a cooperação dos sistemas que tiverem
responsabilidade sobre este nível de ensino., autorizar, reconhecer, credenciar,
supervisionar e avaliar, respectivamente, os cursos das instituições de
educação superior e os estabelecimentos do seu sistema de ensino.

Aos Estados cabe o papel de, organizar, manter e desenvolver os


órgãos e instituições oficiais dos seus sistemas no caso Estaduais de ensino,
definir, com os Municípios, formas de colaboração e ajuda no desempenho do
ensino fundamental, as quais devem assegurar a distribuição proporcional das
responsabilidades, de acordo com a população a ser atendida e os recursos
financeiros disponíveis em cada uma dessas esferas do Poder Público,
elaborando e executando políticas educacionais dentro das normas exigidas
pela LDB; E ainda papel do Estado: Autorizar, reconhecer, credenciar,
supervisionar e avaliar, respectivamente, os cursos das instituições de
educação superior e os estabelecimentos do seu sistema de ensino, executar
as normas complementares para o seu sistema de ensino, dar prioridade ao
ensino fundamental e ao ensino médio.

Ao Distrito Federal aplicar-se-ão as competências referentes aos


Estados e aos Municípios, é papel do Município: Organizar, manter e
desenvolver os órgãos e instituições oficiais dos seus sistemas de ensino,
integrando-os às políticas e planos educacionais da União e dos Estados
exercerem ação redistributiva em relação às suas escolas, ter normas
complementares para seu sistema de ensino, autorizar, credenciar e
supervisionar os estabelecimentos do seu sistema de ensino, oferecendo a
educação infantil, creches e pré-escolas, dando prioridade ao ensino
fundamental, permitida a atuação em outros níveis de ensino somente quando
estiverem atendidas plenamente as necessidades de sua área de competência
e com recursos acima dos percentuais mínimos vinculados pela Constituição
Federal à manutenção e desenvolvimento do ensino.

Os Municípios poderão optar, ainda, por se integrar ao sistema


estadual de ensino ou compor com ele um sistema único de educação básica,
os estabelecimentos de ensino, respeitadas as normas comuns e as do seu
sistema de ensino, terão a incumbência de, elaborar e executar sua proposta
pedagógica, administrando seus professores e seus recursos materiais e
financeiros, dar cumprimento dos dias letivos e horas-aulas, pelar pelo
cumprimento do plano de trabalho de cada docente, ajudar na recuperação dos
alunos de menor rendimento, articulando-se e interagindo com as famílias e a
sociedade, manter os pais a par dos rendimentos e freqüência de seus filhos
na escola, bem como sobre a execução de sua proposta pedagógica, os
docentes incumbir-se-ão de: participar da elaboração da proposta pedagógica
do estabelecimento de ensino cumprir com seu plano de trabalho, zelar pela
aprendizagem dos alunos, estabelecerem meio para ajudar os alunos com
maiores dificuldades, participar também do planejamento, avaliação e
desenvolvimento profissional para melhor se conduzir como docente, pelo que
pudemos observar as incumbências da União, do Estado e Municipais são
quase iguais, dentro de seus repetíveis níveis, sendo assim todos nós temos
direitos e deveres perante a sociedade em que vivemos, e atuamos quer como,
profissionais da educação quer como cidadão e como brasileiro,
ESTRUTURA DO SISTEMA DE ENSINO NO BRASIL.

A história da educação no Brasil começa em 1549 com a chegada


dos primeiros padres jesuítas, inaugurando uma fase que haveria de deixar
marcas profundas na cultura e civilização do País, a Constituição de 1988,
promulgada após amplo movimento pela redemocratização do País, procurou
introduzir inovações e compromissos, com destaque para a universalização do
ensino fundamental e erradicação do analfabetismo, o Sistema de Educação
no Brasil,é a organização e articulação das instituições, órgãos e atividades de
educação e ensino de municípios, estados, Distrito Federal ou da União,
considerando que o Brasil é uma República Federativa constituída de 26
Estados e do Distrito Federal é ainda organizado em regime de colaboração
entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios. O Governo
Federal, representado pelo Ministério da Educação e do Desporto (MEC),
organiza e financia o sistema federal de ensino e presta assistência técnica e
financeira aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios para o
desenvolvimento de seus sistemas de ensino e o atendimento prioritário, as
condições para a construção de um sistema de ensino são: Conhecimento dos
problemas educacionais de uma determinada região; O conhecimento das
estruturas da realidade, e Uma teoria educacional Segundo Saviani, no Brasil,
não há sistema de ensino: falta articulação entre os sistemas de ensino das
diversas esferas administrativas, mas as que no momento estão em vigor.

 Sistema Federal: Ministério da Educação (MEC); Conselho Nacional de


Educação (CNE)

 Sistemas Estaduais: Secretaria Estadual de Educação (SEE); Conselho


Estadual de Educação (CEE); Delegacia Regional de Educação (DRE)
ou Subsecretaria de Educação.

 Sistemas Municipais: Secretaria Municipal de Educação (SME),


Conselho Municipal de Educação (CME)

Sistema federal de ensino: instituições de ensino mantidas pela


União, as instituições de educação superior e de ensino médio técnico criado e
mantido pela iniciativa privada e os órgãos federais de educação. (Art. 16);
Sistemas de ensino dos estados instituições de ensino mantidas pelo poder
público estadual; instituições de ensino fundamental e médias criadas e
mantidas pela iniciativa privada e os órgãos estaduais de educação. (Art.
17);Sistemas de ensino do Distrito Federal-DF: instituições de ensino mantidas
pelo poder público do DF; as; instituições de ensino fundamental, médio e de
educação infantil criada e mantida pela iniciativa privada. (Art. 17); Sistemas de
ensino dos municípios: instituições de ensino fundamental, médio e de
educação infantil mantidas pelo poder público municipal; instituições de
educação infantil criada e mantida pela iniciativa privada; os órgãos municipais
de educação. (Art. 19 da LDB/96).

 Educação infantil: Destinada a crianças de zero a seis anos de idade,


compreende creche e pré-escola.
 Ensino fundamental: Abrange a faixa etária de 7 a 14 anos e com
duração de oito anos. É obrigação de o Estado garantir a universalidade
da educação neste nível de ensino.

 Ensino médio (2º Grau) e médio profissionalizante, duração variável


entre três e quatro anos;

 Ensino superior: Compreende a graduação e a pós-graduação. Os


cursos da graduação têm duração de quatro a seis anos. Na pós-
graduação, a duração varia de dois a quatro anos, para os cursos de
mestrado, e entre quatro a seis anos, para o doutorado, e a
Universidade Aberta.

Além desses níveis, o sistema educacional atende aos alunos


portadores de necessidades específicas, preferencialmente, na rede regular de
ensino. Esse atendimento ocorre desde a educação infantil até os níveis mais
elevados de ensino. Atende, também, ao jovem e ao adulto que não tenham
seguido ou concluído a escolarização regular, na idade própria, através dos
cursos e exames supletivos.

 Educação especial: A atual Lei de Diretrizes e Bases para a Educação


Nacional, lei n.º 9.394, de 20 de dezembro de 1996, trata,
especificamente no capítulo V, da Educação Especial. Define-a como
modalidade de educação escolar oferecida preferencialmente na rede
regular de ensino para pessoas com necessidades educacionais
especiais.

 Educação Indígena: A Secretaria de Educação Fundamental do


Ministério da Educação possui uma Coordenação Geral de Apoio às
Escolas Indígenas (CGAEI) cujo objetivo é de reforçar e valorizar a
construção de uma política pública.

 Educação Ambiental: Em 27 de abril de 1999, foi sancionada a lei n.º


9.795, que instituiu a Política Nacional de Educação Ambiental para
garantir que a Educação Ambiental seja uma prática nacional em todas
as escolas. Visam construir um processo permanente de educação
ambiental nas escolas e comunidades de todo Brasil.

 Educação à distância: Nas décadas de 1960 e 1970, a educação à


distância, embora mantendo os materiais escritos como base, passou a
incorporar articular integradamente o áudio e o videocassete, as
transmissões de rádio e televisão, o videotexto, o computador, os laptop
todas às vezes menores, mas com maiores recursos visuais e
tecnológicos. E, mais recentemente, a tecnologia de multi meios, que
combina textos, sons, imagens, como mecanismos de geração de
caminhos alternativos de aprendizagem e instrumentos para fixação de
aprendizagem.

A organização escolar envolve muitos grupos e setores da


sociedade tais como, universidades, grupos de pesquisas, meios de
comunicação, fundações não governamentais; ONGs etc. são na Lei de
Diretrizes e Bases da educação Nacional (LDB), promulgada em 1996. Como
lei 9.394/96 que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional,
Devemos sempre ter em mente que, a organização escolar envolve idéias,
opiniões e tradições, Na Lei da Educação, os seus dispositivos legais podem
ser mudados para proporcionar melhorias e um ensino de melhor qualidade,
atualmente, sob a influência de diversos meios como fatores formativos do
currículo escolar, a escola tem papel importante na de formação das políticas
do que deve ser ensinado no Brasil, o currículo.

Tendo em vista ser o Brasil, um país de muitas diversidades e


cultura o desafio de maior importância é o trabalho pedagógico com a
comunidade escolar e como já citamos acima a família, a escola, o professor, o
aluno todo juntos em uma ação única, as incumbências da União, do Estado e
Municipais são quase iguais, dentro de seus repetíveis níveis, sendo assim
todos nós temos direitos e deveres perante a educação e a sociedade em que
vivemos e atuamos quer como profissional da educação quer como educando,
quer como educador. Quer como brasileiro. Enfim o sistema de educação
estará sempre interligado a sociedade, pois o sistema é feito para a melhora, e
a adequação da educação as maneira de como ela será aplicada, suas
implicações e suas competências, tanto que muitas vezes a sua execução gera
tensões, conflitos, mas que a ajuda de todos nós, sociedade, alunos, família
estaremos caminhando para que o Brasil possa ter um sistema de educação
que no momento não tem, percebemos ainda que no Brasil o ensino ainda
seja muito disperso, deveria ser unificado e não uniformizado como é, onde
não há respeito à diversidade cultural existente no Brasil, essa é a conclusão
que nosso grupo chegou após as leituras e pesquisas: No Brasil, como diz
Saviani, ainda não existe um sistema de ensino.

Referências Bibliográficas.

www.mec.gov.br

www.proec.ufg.br/revista.../B-sistemaescolar.html.

www.escolanet.com.br/legislacao/legislacaol

EDUCAÇÃO ESCOLAR: políticas, estrutura e organização.

Líbano, José Carlos, Oliveira, João Ferreira de,


Táxi. Mesa SEABRA Editora Cortez. 9ª edição setembro de 2010 – (Coleção
Docência em Formação/coordenação Antônio Joaquim, Selma Garrido
Pimenta).

CRV.EDUCACAO.MG.GOV.BR / WWW.MEC.GOV.BR

WWW.ESCOLANET.COM.BR/LEGISLACAO/LEGISLACAOL.

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

Libâneo, José Carlos. Educação Escolar: políticas, estrutura e organização.

Oliveira, João Ferreira de. Toschi, .Mirza Seabra. Editora Cortez . 9ª edição
setembro de 2010 – ( Coleção Docência em Formação/coordenação Antônio
Joaquim, Selma Garrido Pimenta).