Você está na página 1de 15

ESCOLA ESTADUAL SÃO JOSÉ

Curso Técnico de Agente Comunitário de Saúde

Material elaborado pelos alunos do Curso Técnico de Agente Comunitário de Saúde


Turno: noturno.
Disciplina: Vigilância à Saúde do Homem e da Mulher

Além Paraíba – MG
2018
ALUNOS:

ADRIELE GOMES MORAES


ANA ALICE VITÓRIO TORRES
BEATRIZ FLORENTINO DOS SANTOS
CIRENE DE OLIVEIRA ADÃO
CLEISEN DE SOUZA VIEIRA
DANIELE JOVENTINO FARIAS
EMILIANE QUADRA MARTINS
FILIPHE MATHEUS DE OLIVEIRA
IRANY RIBEIRO GOMES
JOSELE MOURA DA SILVA
JUCYARA DE ARAÚJO OLIVEIRA
KENDRA ANDRE FELIZARDO
LARA VITORIA ILDEFONSO CÂNDIDO
LUANA AMBROZIO REZENDE
LUCINÉIA DOS SANTOS ILDEFONSO
TERCILIO SILVA NETO
THALITA QUADRA MARTINS
YAGO DA SILVA FERREIRA

PROFESSORA:

DAIANE ROSÁLIA DE CASTRO SILVA

2
Planejamento familiar é o direito à informação, à assistência especializada e acesso aos recursos que permitam
optar livre e conscientemente por ter ou não filhos, o número, o espaçamento entre eles e a escolha do método
anticoncepcional mais adequado, sem coação.
A Lei nº 9.263, de 12 de janeiro de 1996, que regulamenta o § 7º do art. 226 da Constituição Federal, que trata
do planejamento familiar, estabelece em seu art. 2º:

Para fins desta Lei, entende-se planejamento familiar como o conjunto de ações de regulação da fecundidade
que garanta direitos iguais de constituição, limitação ou aumento da prole pela mulher, pelo homem ou pelo casal.

Planejamento reprodutivo é um termo mais adequado que planejamento familiar e não deve ser usado como
sinônimo de controle de natalidade.

 A dupla proteção é a melhor solução.


 A prevenção simultânea das doenças sexualmente transmissíveis (DST) e gravidez foi definida pela
Organização Mundial de Saúde como dupla proteção.
 Esse conceito surgiu na década de 70 e consiste no uso combinado da camisinha masculina ou feminina
com outro método anticoncepcional, tendo como finalidade promover, ao mesmo tempo, a prevenção
da gravidez e a prevenção da infecção pelo HIV/Aids e por outras DST.

Métodos anticoncepcionais
Para escolher um método, devem -se considerar principalmente os seguintes fatores:
1. Relacionados a saúde da mulher.
2. Os situacionais, relacionados ao momento da vida da mulher ou do casal.

3
TABELA
Para fazer a tabelinha é importante observar o ciclo menstrual e saber exatamente quanto tempo ele dura.
Lembrando que cada ciclo começa no primeiro dia da menstruação e acaba um dia antes da próxima.

1 dia da menstruação Véspera da próxima Duração do ciclo Menor ciclo: 28 menos 18=10
04/03 31/03 28 Maior ciclo: 31 menos 11=20
01/04 28/04 28 Período fértil do 10º dia ao 20º dia do
29/04 29/05 31 ciclo menstrual.
30/05 27/06 28
28/07 25/08 28 Se a mulher não quiser engravidar não
26/08 24/09 30 deve ter relações nesses dias.
25/09 23/10 30
24/10 23/11 30 Não deve utilizar o método da tabela as
mulheres
Vantagem Desvantagem  Adolescentes, que ainda não menstruam
Não faz mal à saúde. Requer muita atenção, com regularidade;
Proporciona participação do autocuidado e disciplina por  As que acabaram de parir ou abortar;
homem para evitar a gravidez. parte do casal. Baixa proteção  As que pararam recentemente de tomar
Ensina a conhecer o corpo. para concepção. pílula;
Nenhum custo  As que acabaram de tirar o DIU;
 As no período do climatério;
 As que estão amamentando;
 As que não menstruam;
Eficácia do método: 15%  As que tem alterações psíquicas que
4 impeçam o uso correto do método.
MÉTODOS DE BARREIRA
Camisinha masculina e feminina

EFICÁCIA DO MÉTODO 98%

Não faz mal à saúde. Oferece segurança para evitar a gravidez quando utilizado corretamente.
Oferecem proteção contra a AIDS e DST, baixo custo.

• Vantagens: geralmente são baratos, fáceis de colocar, não causam qualquer tipo de alteração no
corpo e protegem contra doenças sexualmente transmissíveis.
• Desvantagens: algumas pessoas podem apresentar alergia ao material do preservativo, que
normalmente é de látex. Além disso, o preservativo pode causar desconforto em alguns casais ou
rasgar durante o contato íntimo, aumentando as chances de engravidar.
• Possíveis efeitos colaterais: além do risco de alergia ao tipo de material do preservativo, não
existem efeitos colaterais para o uso do preservativo.

5
6
Diafragma
O diafragma é uma capa de borracha ou silicone, que a mulher coloca, ela mesma, na vagina, antes da relação sexual,
tapando assim o cólon do útero. Ele evita a gravidez, impedindo que os espermatozoides penetrem no útero. Deve ser
usado com um espermaticida, para garantir maior segurança. Retirar 8 horas depois da última relação, lavar bem, secar
e guardar em sua caixinha.

Não devem utilizar o diafragma as mulheres


que:

- Nunca tiveram relações sexuais;


- Têm queda de bexiga ou ruptura de períneo;
- Têm posição anormal do útero;
- Têm infecções urinárias de repetição;
- Têm alterações psíquicas graves que impeçam o uso
correto;
- Têm infecções vaginais.

Vantagens Desvantagens
Ausência de efeitos colaterais. Possível alteração da flora
Prevenção de algumas DST's vaginal. Infecções urinárias
(cervicites) e reações alérgicas.

EFICÁCIA DO MÉTODO: 88%

7
MÉTODOS HORMONAIS

Pílula As pílulas anticoncepcionais são comprimidos feitos com substâncias químicas


semelhantes aos hormônios encontrados no corpo da mulher. Elas impedem a
ovulação, evitando, assim, a gravidez. Existem diferentes tipos de pílulas, as mais
usadas vêm em cartelas com 21 comprimidos. A pílula só faz efeito se tomada
corretamente

EFICÁCIA DO MÉTODO: 99,7%

Não devem utilizar a pílula as mulheres que:


- Estão amamentando até 90 dias de pós-parto;
- Estão grávidas ou com suspeita de gravidez;
- Fumam muito e há muito tempo;
- Têm pressão alta e outras doenças do coração;
- Estão com sangramento fora do período menstrual;
- Têm varizes;
- Têm enxaqueca (dor de cabeça forte);
- Têm convulsões.

8
Como usar a pílula:
 Para começar a usar a pílula a mulher deve tomar o primeiro comprimido no 1º dia da menstruação.
 Continuar tomando 1 comprimido por dia, de preferência na mesma hora até terminar os 21 comprimidos
da cartela.
 Começar nova cartela 7 dias após a tomada do último comprimido, independente do dia da menstruação.
 Se não menstruar, procurar o serviço médico.
 Se a mulher esquecer de tomar um comprimido, deve tomá-lo assim que se lembrar, além de tomar o
comprimido do dia na hora de sempre. E continuar a cartela.
 Se a mulher esquecer de tomar 2 ou mais comprimidos seguidos, fazer o seguinte: parar de tomar esta
cartela. Só iniciar outra cartela no primeiro dia da menstruação. Se não menstruar, procurar o serviço
médico.
 Em qualquer caso de esquecimento, o casal deve usar outro método para garantir maior segurança neste
mês (camisinha, diafragma, espermaticida).
Vantagens e desvantagens:

 Fácil de usar
 Possibilita a não interrupção da vida sexual, permitindo desfrutá-la com espontaneidade
 Algumas pílulas podem reduzir o fluxo e a dor nas menstruações
 Algumas pílulas podem ter efeito positivo na acne
 Pode ser tomada durante muito tempo
 Pode causar cefaleia e alterações de humor em algumas mulheres
 Exige que você controle o número de dias em que é tomada
 Pode causar mastalgia, náuseas, cefaleia e alterações no peso
 Pode causar alterações no ciclo menstrual
 Não protege contra infecção por HIV (AIDS) e outras doenças sexualmente transmissíveis (DST)

9
Injetáveis
O anticoncepcional injetável é uma injeção que contém hormônios, que
impedem o corpo de liberar óvulos e tornam espesso o muco no colo uterino.
Você precisa tomar uma injeção por mês ou uma a cada três meses,
administrada por profissional da área da saúde.

NÃO RECOMENDADO PARA: VANTAGEM:


 Mulheres acima de 30 anos;  Só precisa ser usada uma ou três vez ao mês;
 Não requer controle diário ou semanal.
 Fumantes
 Doenças hepáticas; DESVANTAGEM:
 Precisa fazer uso no momento apropriado;
 Histórico de Trombose;  Sangramento irregular, em alguns casos
 Enxaqueca (excesso/escasso);
 Demora do retorno da fertilidade;
 Cardiopatia  Dores de cabeça, tonturas, aumento de peso.

Eficácia do método de 99,7%

10
Pílula anticoncepcional de emergência

As indicações são reservadas a situações especiais e excepcionais.


O objetivo da é prevenir gravidez inoportuna ou indesejada após
relação que, por alguma razão, foi desprotegida. Entre as principais
indicações, está a relação sexual sem uso de método anticonceptivo,
falha conhecida ou presumida do método em uso de rotina, uso
inadequado do anticonceptivo e abuso sexual.

Eficácia
O tratamento iniciado dentro de 72 horas após uma relação sexual sem proteção reduz o risco de
gravidez em pelo menos 75%.

11
MÉTODO MECÂNICO

Dispositivo intrauterino – DIU


DIU é um aparelhinho feito de um plástico especial, que vem enrolado por um fio de cobre bem fino. Apenas o
médico pode colocar o DIU. A época ideal para a colocação do DIU é durante ou logo após a menstruação. A colocação
do DIU é simples e rápida, sem precisar de anestesia. O DIU tem um tempo de validade (cerca de 6 a 10 anos),
dependendo do tipo. Depois desse tempo, ele deve ser retirado ou trocado.

Não devem utilizar o DIU as mulheres:


1. - Grávidas ou com suspeita de gravidez;
2. - Com corrimento ou DST;
3. - Que tem sangramento fora do período menstrual;
4. - Que apresentam sangramento abundante e dores fortes durante a
menstruação;
5. - Que nunca tiveram filho;
6. - Que já tiveram gravidez nas trompas;
7. - Que tenham anemia;
8. - Que tenham outras doenças. .VANTAGENS . DESVANTAGENS
Evita a gravidez Há risco de provocar aumento de
sangramento menstrual;
Necessita de profissional treinado para
Eficácia do método: 99,4% colocação (médico).

12
Esterilizações
Essas operações são irreversíveis (definitivas).

Vasectomia
É uma operação feita no órgão genital do homem (canal deferente), que impede a passagem de espermatozoides
(células reprodutoras do homem). Mesmo fechando o canal deferente, o homem continua expelindo um líquido, o
sêmen, que não contém os espermatozoides e, portanto, não fecunda a mulher.

Eficácia do método de 100%

O homem deve pensar muito antes de fazer a


vasectomia.
Pois é uma operação definitiva, após a vasectomia o
homem tem ereção, ejaculação e desejo sexual
normal.

13
LAQUEADURA
Laqueadura é um procedimento médico de esterilização para mulheres que têm certeza de que não desejam uma gravidez futura. A
laqueadura bloqueia as tubas uterinas, impedindo que os espermatozoides cheguem aos ovários.

Eficácia do método de 100%

Em qualquer caso, cabe sempre à mulher a decisão final.

A Laqueadura pode ser indicada quando uma nova gravidez apresentar risco de vida. São os casos de mulheres: -
Com doenças graves no coração;
- Com diabetes grave, particularmente aquelas que tenham muitos filhos;
- Com pressão muito alta; - Com problemas sérios nos rins;
- Com doenças pulmonares graves;
- Outras doenças.

14
O enfoque educativo é um dos elementos fundamentais na qualidade da atenção prestada em
saúde sexual e saúde reprodutiva. Educar é um processo de construção permanente.

15