Você está na página 1de 20

3AF 01

Disjuntor a vácuo para uso ao tempo


36/40,5 kV

Instruções de operação 4P-0080-03-94900-001AA

1
Conteúdo 4.5 INTERTRAVAMENTO MECÂNICO (CARACTERÍSTICA
OPCIONAL) ............................................................... 10

1. GERAL .....................................................................3 5. INSTALAÇÃO ........................................................ 11

1.1 ESPECIFICAÇÕES PADRÕES ...................................3 5.1 DESEMBALAGEM ................................................. 11


1.2 CAMPOS DE APLICAÇÃO .........................................3 5.2 RECEBIMENTO DO EQUIPAMENTO ......................... 11
5.3 ARMAZENAMENTO E MANUSEIO ............................ 11
2. DADOS TÉCNICOS..................................................4 5.4 EREÇÃO ............................................................. 11
2.1 ESCOPO DE FORNECIMENTO ..................................4 5.5 CONEXÕES ELÉTRICAS ........................................ 12
2.1.1 Designação de tipo......................................4 6. COMISSIONAMENTO ........................................... 13
2.1.2 Dados nominais...........................................4
2.2 VALORES CARACTERÍSTICOS ..................................4 6.1 OPERAÇÃO DE FECHAMENTO LENTO ..................... 13
2.3 INFLUÊNCIA DOS PARÂMETROS AMBIENTAIS .............5 6.2 OPERAÇÃO DE ABERTURA LENTA ......................... 13
2.3.1 Condições ambientais permissíveis ............5 6.3 CARREGANDO A MOLA DE FECHAMENTO
MANUALMENTE (FIG. 11) ........................................... 13
2.3.2 Altitude de instalação ..................................5
2.3.3 Corrente de carga........................................6 6.4 FECHAMENTO (FIG. 11)....................................... 13
2.4 VIDA ÚTIL ..............................................................6 6.5 ABERTURA (FIG. 11) ........................................... 13
2.5 DIMENSÕES FIXAÇÃO /TERMINAÇÃO E PESOS ...........6 6.6 RESISTÊNCIA DE AQUECIMENTO ........................... 14
6.7 GÁS INERTE NO PÓLO SELADO (OPCIONAL) ........... 14
3 DESCRIÇÃO .............................................................7
7. MANUTENÇÃO ..................................................... 15
3.1 CONSTRUÇÃO (FIGS. : 7, 10 E 11)..........................7
3.2 INTERRUPTOR A VÁCUO (FIG. 9) .............................7 7.1 MEDIDAS DE SEGURANÇA .................................... 15
3.3 O PRINCÍPIO DE EXTINÇÃO DE ARCO ........................7 7.2 PROGRAMA DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA ........... 15
3.4 OPERAÇÃO DE MANOBRA ......................................7 7.3 - SEQUÊNCIA TÍPICA DE MANUTENÇÃO .................. 15
7.4 LUBRIFICAÇÃO DAS PARTES ................................. 15
4. EQUIPAMENTO .......................................................9 7.5 CHECAGEM DA EROSÃO DOS CONTATOS ............... 16
4.1 MECANISMO DE OPERACÃO (FIG. 11) .....................9 7.6 VERIFICANDO A EXISTÊNCIA DE VÁCUO................. 16
7.7 LIMPEZA............................................................. 16
4.2 FECHAMENTO .......................................................9
4.3 BOBINAS ...............................................................9 7.8 TESTE DIELÉTRICO ............................................. 16
7.9 ACESSÓRIOS E PEÇAS DE REPOSIÇÃO PADRÃO ..... 16
4.3.1. Bobina de fechamento (Y9) 3AY1510 (P-4,
Fig.11) ..................................................................9 7.9.1 Peças sobressalente para disjuntor a vácuo
36/40,5 kV (3AF01)............................................ 17
4.3.2. 1º disparador (Y1) 3AY1510 (P-5, Fig.11) ..9
4.3.3. 2º disparador (Y3) 3AY1510 (opcional) ......9 7.10 VIDA ÚTIL ......................................................... 18
7.11 DESCARTE DO PRODUTO ................................... 18
4.3.4. Disparador suplementar (Y2) 3AX1101
(opcional)..............................................................9 7.12 RESUMO DAS IMPORTANTES INFORMAÇÕES: ....... 18
7.13 ANORMALIDADES .............................................. 19
4.3.5. Bobina de mínima tensão (Y7) 3AX1103 .10
4.3.6. Disparador operado por TC (Y4) 3AX1102 7.14 DIAGRAMA ELÉTRICO TÍPICO .............................. 20
(Equipamento opcional)......................................10 8. SERVIÇO ............................................................... 20
4.4 CHAVE AUXILIAR (S1) 3SV92 (P-14, FIG. 11) .......10

Instruções desejáveis para segurança


Este manual possui informações em destaque, como ‘NOTA', ‘CUIDADO', 'AVISO' E ‘PERIGO’. Estes títulos
correspondem a:

NOTA:
Indica que uma informação interessante ou útil será fornecida.

CUIDADO:
Indica uma condição que pode resultar em danos ao equipamento ou as peças, se este cuidado não for considerado.
Siga as informações fornecidas.

AVISO:
Indica uma condição que pode resultar em ferimentos ou males as pessoas se o aviso não for considerado. Siga as
instruções.

PERIGO:
Indica uma condição de presença de alta tensão que pode resultar em morte se o perigo não for considerado. Siga as
instruções.

2
AVISO

Este equipamento contém tensões perigosas e partes mecânicas que se movem a uma alta velocidade
e podem ser controladas remotamente.
A não observação das instruções de segurança pode resultar em morte, sérios ferimentos ou danos às
instalações e ao ambiente.
Somente pessoal qualificado deve trabalhar nos arredores deste equipamento, após estar familiarizado
com todos os avisos, e instruções de segurança e manutenção pertinentes.
A operação segura e bem sucedida deste equipamento depende do bom planejamento do projeto e do
sistema, manuseio adequado (transporte e armazenamento), instalação, operação e manutenção.

1. Geral NOTA
Os disjuntores a vácuo Siemens 3AF 01 são Em seu design básico e com todas as opções de
disjuntores tripolares de instalação ao tempo de 36 equipamentos padrões listados, o disjuntor a vácuo 3
kV/40,5 kV. AF 01 tem ensaio de tipo de acordo com a IEC.
O disjuntor a vácuo consiste em (1) uma estrutura de Se o cliente pretende ajustar o disjuntor com funções
aço e um completo mecanismo com mola de adicionais, nós recomendamos que ele deva primeiro
armazenamento de energia e elementos de controle e consultar nossa fábrica onde na maioria dos casos
(2) uma base com três pólos com interruptores a vácuo soluções testadas e aprovadas já estão disponíveis.
montados em isoladores cerâmicos e hastes de
operação. 1.2 Campos de aplicação
A combinação de uma geometria de contatos especiais
1.1 Especificações padrões e o desenvolvimento do material de contato dos
Os disjuntores a vácuo 3AF 01 cumprem com as interruptores a vácuo permite que o disjuntor da
obrigações da IEC 62271-100, IEC 60694 e IS13118. Siemens 3AF 01 possa ser utilizado em todos os
campos de aplicação, por exemplo: este disjuntor com
mecanismo de armazenamento de energia é adequado
para seqüência de operação.
O – 0,3s – CO – 3 min. – CO ou O – 0,3s – CO – 15
seg. – CO.
Entretanto, certas aplicações, tais como circuitos de
filtro reatores, fornos a arco, etc., podem necessitar de
medidas especiais.

A. Montagem do interruptor
B. Interruptor a vácuo
C. Isolador
D. Base
E. Terminal superior
F. Terminal inferior
G. Invólucro do mecanismo
H. Estrutura de aço
J. Janela de inspeção para
visualização de indicadores
mecânicos
K. Entrada de cabos de controle
L. Terminais de aterramento
M. Estrutura para cadeado
N. Janela de inspeção para
visualização do manômetro
(opcional).

Fig. 1: Layout geral


3
Para abreviações das características nominais, consultar
2. Dados técnicos a tabela 1 abaixo.

2.1 Escopo de fornecimento A placa de identificação está localizada no invólucro do


mecanismo do disjuntor.
2.1.1 Designação de tipo NOTA
Os disjuntores a vácuo 3AF 01 são identificados por uma Em caso de dúvidas, fornecer a identificação de tipo,
designação feita de uma série de letras e números, as código de projeto, ano de fabricação e número de série.
primeiras 8 posições podem ser encontradas na placa de
identificação dos disjuntores. Em conjunto com o código 2.1.2 Dados nominais
do produto declarado na placa de identificação a Os disjuntores 3AF 01 com dados técnicos mostrados na
designação do produto fornece uma descrição completa Tabela 1 estão atualmente disponíveis. Os disjuntores
do disjuntor. A figura abaixo mostra o significado das foram desenvolvidos de acordo com as normas IEC
posições da designação do produto: 62271-100, IEC 60694 e IS13118.

2.2 Valores característicos


Definições:
Tempo de abertura = o intervalo de tempo entre o início
da operação de abertura e a abertura do último pólo.
Tempo de arco = o intervalo de tempo entre o instante
do início do primeiro arco e o instante da extinção do arco
final em todos os pólos.
Tempo de interrupção = o intervalo de tempo entre o
início da operação de abertura e o instante da extinção
final do arco no último pólo do disjuntor (= tempo de
abertura + tempo de arco).
Tempo de fechamento/abertura = o intervalo de tempo
(em um ciclo de operação de abertura e fechamento)
A designação básica do disjuntor está declarada na placa entre o instante que os contatos se fecham no primeiro
de identificação (Fig. 2), a placa de identificação também pólo no processo de fechamento e o instante que os
contém as seguintes informações. contatos do arco se separam em todos os pólos na
operação subseqüente de abertura.
Tempo de religamento automático = O intervalo de
tempo entre a extinção final do arco em todos os pólos na
operação de abertura e o primeiro re-estabelecimento de
corrente em qualquer pólo na operação de fechamento
subseqüente.
Tempo de fechamento = o intervalo de tempo entre o
início da operação de fechamento e o instante em que o
ultimo pólo se fecha.

Fig. 2: Placa de identificação

Designação Tensão Corrente de Corrente de Duração Corrente Tensão Tensão Distância Peso
do Tipo nominal estabelecime interrupção do curto- nominal suportável à suportável entre (aprox.)
U em nto sob curto- sob curto- circuito In em A freqüência de impulso fases em kg
kV* circuito circuito tth em s industrial atmosférico em mm**
Ima em kA Isc em kA em kV** em kV**
3AF 01 43 36 66 26,3 3 1600 70 170 725±5 730
3AF 01 44 36 66 26,3 3 2000 70 170 725±5 730
3AF 01 53 36 80 31,5 4 1600 70 170* 725±5 730
3AF 01 54 36 80 31,5 4 2000 70 170* 725±5 730
Tabela 1: 3AF 01 Dados Técnicos * 40,5 kV sob consulta
** 95/200 kV sob consulta (valores de NBI superiores, sob consulta)
4
Os tempos de operação e duração de pulsos Valor máximo + 55ºC
declarados na Tabela 2 abaixo, se aplicam para os Valor máximo, média de 24 horas + 35ºC
disjuntores a vácuo 3AF 01: Valor mínimo - 25ºC
Umidade relativa permissível:
Tempos de operação: Valor máximo, média de 24 horas 95 %
Tempo de abertura, 1º disparador (Y1) ≤ 65 ms Valor máximo, média de 1 mês 90 %
Tempo de abertura, 2º disparador (Y3) ≤ 65 ms
Tempo de abertura, disparador supl. (Y2) ≤ 50 ms 900mm é a distância de escoamento utilizada nos
Tempo de arco < 15 ms isoladores de porcelana. Isto é adequado para alto grau
Tempo de interrupção, 1º disparador (Y1) ≤ 80 ms de poluição. Entretanto, isoladores com valores de
Tempo de interrupção, 2º disparador (Y3) ≤ 80 ms 1300 mm podem ser fornecidos em casos de níveis
Tempo de interrupção, disparador supl(Y2) ≤ 65 ms altíssimos de poluição como um opcional.

Tempo de fechamento/abertura, 1º ≤ 90 ms 2.3.2 Altitude de instalação


disparador (Y1) Os valores nominais de capacidade de isolação (tensão
Tempo de fechamento/abertura, 2º ≤ 90 ms suportável de impulso atmosférico, tensão suportável à
disparador (Y3) freqüência industrial) especificados para o equipamento
Tempo de fechamento/abertura, ≤ 90 ms estão de acordo com as normas DIN VDE 0111 e IEC
disparador supl. (Y2) Publicação 71, baseada em condições atmosféricas
padrões (1013 h Pa, 20 ºC e 11 g/m 3 conteúdo de
Tempo de religamento automático 300 ms água) ao nível do mar. A capacidade de isolação do ar
diminui com o aumento da altitude, devido às
Tempo de fechamento com mecanismo de ≤ 75 ms alterações na densidade do ar. Normas promulgadas
armazenamento de energia pela DIN VDE, IEC e outros órgãos desconsideram
esta diminuição na capacidade de isolação para
altitudes de até 1.000m, isto é, a diminuição da
Erro de sincronismo entre pólos ≤ 2 ms
capacidade de isolação em 9% a uma altitude de 1.000
m é ainda permitida.
Tempos de carregamento do mola
As normas não fornecem nenhum guia para altitudes
Tempo de carregamento de mola (M1) ≤ 15 ms acima de 1.000 m à respeito nos níveis de isolação.
Nossa recomendação é a seguinte:
Duração mínima do pulso: Este método tem se mostrado bastante satisfatório
1º disparador (Y1) 3AY1510 40 ms quando aplicado para níveis de isolação em altitudes
Bobina suplementar 3AX 110_(Y2, Y4,Y6) 20 ms de até 1.000 m, ele também deve ser aplicado para
Bobina de fechamento (Y9) 3AY1510 40 ms altitudes superiores a 1.000 m. O fator de correção de
Tabela 2: Tempos de operação e duração dos pulsos altitude ‘a’ na Fig. 3 deve então estar baseado na
capacidade de isolação à 1.000 m, que é 9% menor
2.3 Influência dos parâmetros ambientais que a capacidade de isolação ao nível do mar
A seguinte expressão então se aplica para a seleção
2.3.1 Condições ambientais permissíveis de um equipamento isolado a ar:
Os disjuntores a vácuo 3AF 01 foram desenvolvidos
para condições normais de operação sob as condições Tensão suportável a ser selecionada
abaixo.
Temperatura ambiente permissível: ≥ Tensão suportável nominal requerida
1,1 * a

Fig. 3: Relação entre o fator de correção ‘a’ e a altitude de instalação


5
Fig. 4: Corrente máxima permissível como função da temperatura ambiente
Fig. 5: Dimensões de fixação
Exemplo:
Altitude de instalação acima do nível do mar 2.000 m Quando o valor máximo permissível for alcançado, a
Tensão suportável de impulso atmosférico requerida montagem do pólo completa deve ser renovada.
......................................................................... 170 kV Instruções detalhadas são fornecidas com a
Fator de correção (de acordo com a Fig. 3)... .... 0,80 substituição da montagem dos pólos.
Tensão suportável de impulso atmosférico a ser Quando for solicitar sobressalentes dos pólos,
selecionada: mencione o tipo de disjuntor o código do produto e o
170 número de série (veja placa de identificação).
kV = 193kV
1,1 * 0,80 2.5 Dimensões fixação/terminação e pesos
Isto significa que um equipamento projetado para uma As dimensões do disjuntor a vácuo são mostradas nos
tensão de 200 kV é necessário para esta aplicação. desenhos que podem ser solicitados no escritório da
Siemens mais próximo.
2.3.3 Corrente de carga O peso pode ser encontrado na placa de identificação
As correntes nominais da Tabela 1 foram declaradas na Tabela 1 ou nos desenhos.
para uma temperatura ambiente de 40ºC. A corrente Terminal Superior / Inferior (Alumínio) (E,F na Fig. 1)
máxima permissível como função da temperatura
ambiente do disjuntor 3AF 01 está plotada na Fig. 4.

2.4 Vida útil


Sob condições normais de operação, os disjuntores
são projetados para 10.000 ciclos de operações
mecânicas. Devido à otimização da vida útil de todas
as peças, o nível de confiabilidade diminui se o
disjuntor for usado para um grande número de
operações. O fabricante, portanto, pode não
recomendar a continuação da utilização do disjuntor,
mesmo em caso de reformas e/ou alterações.

Fig. 6: Terminal típico

Detalhes da Fundação : Parafusos são opcionais

6
Fig. 10) no painel. O cliente fará conexões neste bloco
3 Descrição terminal de acordo com o esquema de ligações.
Os disjuntores a vácuo 3AF 01 são projetados para
3.2 Interruptor a vácuo (Fig. 9)
executar todas as funções de manobra que ocorrem em
sistemas de distribuição primária. Os disjuntores são O princípio construtivo básico do interruptor pode ser
extremamente confiáveis em serviço, requerem o mínimo visto na Fig. 9. O contato móvel (P-1) move-se na guia
de manutenção e tem uma longa vida útil. Além disso, (P-2). O fole metálico (P-3) segue o curso do contato (P-
seu tamanho compacto e leve, operação com baixos 1), selando o interruptor, impedindo a perda da condição
ruídos e vibrações e o fato de não serem afetados por de vácuo.
variações de temperatura nem por riscos de foco fazem Os interruptores a vácuo instalados nos disjuntores
dos disjuntores adequados para instalações ao tempo. 3AF01 são tipo aprovados de acordo com as regulações
alemãs de raio X. Estão conforme as exigências das
3.1 Construção (Figs. : 7, 10 e 11) regulações de raio X de 8 de janeiro, 1987 (página 144
da Federal Law Gazette) § 8 e Anexo III Seção 5 até a
O interruptor a vácuo é montado em um isolador de
respectiva tensão nominal de curta-duração CA
porcelana para formar um conjunto interruptor (P-1,
estipulada de acordo com a VDE/IEC (tensão suportável
Fig.7). Um conjunto interruptor e um isolante formam um
nominal à freqüência industrial).
pólo. Duas versões de montagens de pólo são
disponíveis.
3.3 O princípio de extinção de arco
1. Montagem de pólo ventilada: Esta montagem possui
uma tampa do respiradouro no topo. Adicionalmente, três Quando os contatos se separam, uma descarga em
resistências de aquecimento são montadas na base para forma de vapor metálico é estabelecida pela corrente a
impedir a condensação da água durante mudanças ser interrompida, a qual flui através deste plasma até a
bruscas de temperatura nos componentes sensíveis no próxima passagem por zero. O arco é então extinto e o
conjunto do pólo. Como a condensação pode ocorrer em vapor metálico condutivo condensa sobre superfícies
qualquer temperatura ambiente, estes aquecedores metálicas em poucos microssegundos, restabelecendo
devem estar em operação contínua. rapidamente a rigidez dielétrica entre os contatos.
2. Montagem de pólo selada: Esta montagem não possui Os contatos são projetados de tal modo que o campo
a tampa do respiradouro no topo, pois o interior do pólo é magnético gerado pelo próprio arco provoque
preenchido com ar seco (nitrogênio) em uma pressão de deslocamento do mesmo, evitando sobreaquecimento
no máximo 1,5 bar. Adicionalmente um NRV (válvula de excessivo em determinado ponto do contato ao serem
retenção) para a entrada de gás inerte e um manômetro interrompidas correntes elevadas.
para a indicação de pressão é montado em cada pólo. Para manutenção da descarga em forma de vapor
Este arranjo assegura que o número de junções seja metálico é necessária determinada corrente mínima.
menor, o que reduz por sua vez a probabilidade de Correntes que não atinjam este nível são cortadas antes
escape do gás inerte no pólo selado. da passagem pelo zero. A corrente de corte deve ser
Três conjuntos deste tipo estão montados sobre uma limitada aos valores mínimos possíveis, para evitar
base (P-2, Fig. 7) com um eixo de acionamento comum. sobretensões inadmissíveis ao se desligar circuitos
Esse conjunto é montado sobre uma estrutura de aço (P- indutivos. O uso de material especial nos contatos limita
3, Fig.7) prevista para que os terminais de linha fiquem a a corrente de corte em 4 a 5 A.
uma distância segura acima do chão. A estrutura também O rápido restabelecimento da rigidez dielétrica entre
inclui o mecanismo de operação (P-24, Fig.7). Aqui estão contatos possibilita a extinção segura do arco, mesmo
instalados a mola de armazenagem de energia e todos quando a separação de contatos ocorre imediatamente
os dispositivos de controle e comando. Os disjuntores antes da passagem da corrente pelo zero.
podem ser operados eletricamente a partir da sala de O arco que se forma nos disjuntores a vácuo não é
controle ou manualmente no local. resfriado. O plasma de vapor metálico é altamente
Está indicada, a seguir, a localização do indicador condutivo. Disto resulta uma tensão de arco
mecânico ligado/desligado (P-9,Fig. 11), o indicador de excepcionalmente baixa com valores entre 20 e 200 V.
mola carregada (P-8, Fig. 11) e o contador de operações. Por este motivo, e devido à pequena duração do arco, a
Também aparecem os botões ‘LIGADO’ (P-3, Fig. 11) e energia dispersada no local de extinção é muito reduzida.
‘DESLIGADO’ (P-6,Fig. 11). Esta figura também exibe a Isto explica a elevada expectativa de vida útil elétrica dos
abertura para inserção da manivela (P-15, Fig. 11) que interruptores a vácuo.
pode ser utilizada para carregar a mola durante o serviço
de manutenção ou em caso de falha da alimentação 3.4 Operação de Manobra
auxiliar. Ao iniciar-se um comando de fechamento, a mola de
No painel de controle (P-1, Fig. 10) à direita do fechamento (P-12, Fig. 11) previamente carregada
mecanismo, está montada, se necessário, a chave (manualmente ou com motor), aciona o contato móvel
Local/Remoto (P-2, Fig. 10) e a chave Liga/Desliga do através do eixo acionador (P-20, Fig. 7), haste de tração
disjuntor (P-3, Fig. 10). Os cabos de controle e (P-4, Fig. 7), eixo de manobra (P-5, Fig. 7) e haste de
sinalização estão conectados a blocos terminais (P-4, manobra (P-6, Fig. 7).

7
Durante o fechamento, a mola (P-13, Fig. 11) e as molas desligado localmente, a mola de desligamento é liberada
de pressão do contato (P-19, Fig. 7) são carregadas. A pressionando o botão DESLIGA (P-6, Fig. 11). No caso
mola de fechamento do disjuntor motorizado é de ser dado um comando elétrico, a bobina de
recarregada (dentro de 15 segundos) imediatamente fechamento Y1 (P-5, Fig. 11) libera a mola. A seqüência
após o fechamento do disjuntor. de abertura é similar à seqüência de fechamento. A força
No modo fechado, a pressão de contato necessária é residual da mola de desligamento mantém o contato
mantida pelas molas de pressão do contato e pela móvel na posição aberta.
pressão atmosférica. A mola de pressão do contato No caso de uma falha de alimentação auxiliar o disjuntor
compensa automaticamente a erosão de contato, que é pode ser operado manualmente. O dispositivo anti-
muito reduzida. pumping na forma de um contator auxiliar no mecanismo
Quando é emitido um comando de desligamento, a de operação do disjuntor, assegura que o disjuntor não
energia acumulada nas molas de desligamento e de será repetidamente ligado e deligado no caso de
pressão de contato é liberada. Se o disjuntor for comandos de Liga/Desliga simultâneos.

Fig. 8:. Montagem da base sobre a estrutura de aço

Fig. 7. Corte transversal do conjunto interruptor sobre a Fig. 9: Corte transversal do interruptor a vácuo
base e estrutura de aço
8
no sentido horário até que o indicador de mola carregada
4. Equipamento apareça e um click sonoro indique que a lingüeta de
A versão básica do disjuntor a vácuo 3AF 01 fechamento esteja travada. Então será possível fechar o
compreende: disjuntor manualmente ou eletricamente. Após o
- Mecanismo armazenador de energia para fechamento fechamento,a mola pode ser recarregada manualmente.
operado manualmente A potência máxima CC de entrada é de 770 W (aprox.) A
- Mecanismo de operação elétrica (motor) com potência máxima CA de entrada é de 900 VA (aprox.).
característica anti-pumping..........................................(M1) Durante parte do tempo de carga da mola, o motor opera
- Bobina de fechamento...............................................(Y9) na intervalo de sobrecarga.
- 1ª bobina de abertura.................................................(Y1) A fonte de tensão do mecanismo de operação motorizada
- Chave de contatos auxiliares 5NA/5NF ou pode desviar do valor nominal por -15% a +10%.
11NA/11NF...................................................................(S1)
- contador de ciclos de operação 4.3 Bobinas
- indicador mecânico de ON-OFF e indicador de carga da
mola 4.3.1. Bobina de fechamento (Y9) 3AY1510 (P-4, Fig.11)
Cada disjuntor a vácuo 3AF 01 pode ser equipado com A bobina de fechamento libera a mola de fechamento
os seguintes dispositivos suplementares: carregada e que então fecha o disjuntor eletricamente.
- Chave de posição para sinalização de carga da mola de Ele é possível tanto para operações CA e CC. A bobina
fechamento...................................................................(S4) de fechamento não é projetada para operação contínua e
- 2ª bobina de fechamento 3AX1510...........................(Y3) ele é desenergizado internamente. A fonte de tensão da
- Bobina suplementar 3AX1101…................................(Y2) bobina de fechamento pode desviar do valor nominal de
- Bobina operada por transformador de corrente – 15% a + 10%
3AX1102.......................................................................(Y4) Potência consumida: aprox. 200 W/VA
- Bobina de tensão mínima 3AX1103..........................(Y7)
- Manômetro 4.3.2. 1º disparador (Y1) 3AY1510 (P-5, Fig.11)
As combinações possíveis de equipamentos A bobina de abertura 3AY1510 é usada como padrão na
suplementares e de versões especiais são indicadas na versão básica do disjuntor. Com a bobina Y1, o pulso de
Tabela 4. tripping fornecido eletricamente é passado ao mecanismo
de travamento “OPEN” através de uma ação direta da
4.1 Mecanismo de Operacão (Fig. 11) armadura da bobina e o disjuntor é então aberto. Esta
O mecanismo de operação é do tipo de armazenamento bobina de abertura não é desenvolvida para operação
de energia, isto é, a carga da mola de fechamento não é contínua e é desenergizado internamente. A fonte de
automaticamente seguida pela mudança na posição dos tensão da bobina de abertura pode desviar do valor
contatos. nominal de -30% a +10% com tensão CC; de -15% a
Quando o mecanismo de armazenamento de energia for +10% com tensão CA.
carregado, o instante de operação pode ser escolhido Potência consumida: aprox. 200 W/VA
como desejado.
Uma distinção é feita entre a operação manual e 4.3.3. 2º disparador (Y3) 3AY1510 (opcional)
mecanismo de operação motorizada, o mecanismo de Este disparador é usado, se mais de um disparador for
armazenamento de energia é o mesmo em ambos os requerido para assegurar a abertura do disjuntor em caso
casos. da falha do primeiro disparador. A tensão desta bobina
A energia mecânica para carregar uma seqüência “OFF- pode ser a mesma ou diferente da tensão do 1º
ON-OFF” é armazenada nas molas de fechamento e de disparador. Esta bobina é dimensional e funcionalmente
tripping. igual ao 1º disparador (Y1).
Potência consumida: aprox. 200 W/VA
4.2 Fechamento
Mecanismo de operação motorizada (M1) com 4.3.4. Disparador suplementar (Y2) 3AX1101 (opcional)
mecanismo de armazenamento de energia (P-2, Fig. 11): A Bobina de abertura 3AX1101 é apropriada se mais de
O mecanismo de armazenamento de energia do disjuntor uma bobina de abertura é necessária. Com esse projeto,
está disponível com um mecanismo de operação o comando de abertura elétrica é transferido na forma de
motorizada, incluindo uma bobina de fechamento. O um impulso ao mecanismo de travamento “OPEN” via a
mecanismo de operação motorizada inicia sua operação armadura da bobina através da liberação da energia
imediatamente, uma vez que a fonte de tensão esteja armazenada e o disjuntor então abre. Esta bobina de
conectada com a mola de fechamento inicialmente em abertura não é desenvolvida para operação contínua e é
estado descarregado. O motor é automaticamente desenergizada internamente.
desenergizado internamente após carregar a mola de Potência consumida: aprox. 60 W/100 VA
fechamento.
Operação manual também pode ser executada a
qualquer instante. A mola de fechamento é carregada
pela abertura da manivela de carga (P-5, Fig. 11) girando
9
4.3.5. Bobina de mínima tensão (Y7) 3AX1103 operação cai à níveis baixos impermissíveis, o disjuntor é
A bobina de mínima tensão consiste em um mecanismo “trippado” automaticamente. Potência consumida 6,5 W
da armazenamento de energia, um mecanismo de ou ≤ 7.5 VA.
liberação e um sistema eletromagnético que está
conectado continuamente à fonte quando o disjuntor está 4.3.6. Disparador operado por TC (Y4) 3AX1102
na posição fechado. Se esta tensão cair abaixo de (Equipamento opcional)
determinado valor, o mecanismo de liberação será Os disparadores operados por TC consistem em um
liberado e a abertura do disjuntor é iniciada através do mecanismo acumulador de energia, um dispositivo de
mecanismo da armazenamento de energia. A mola de desengate e um sistema eletromagnético. Havendo
armazenamento de energia é recarregada ultrapassagem da corrente de disparo (90% da corrente
automaticamente pelo disjuntor. nominal do disparador operado por TC), o engate do
O tripping de liberação da bobina de mínima tensão mecanismo acumulador de energia é liberado, ativando a
ocorre geralmente através de um contato NF no circuito abertura do disjuntor. A utilização de disparadores
de tripping. Mas pode também ser realizado através de operados por TC requer, além dos transformadores de
um contato NA pelo curto-circuito da enrolamento do ímã. corrente primária, conversores auxiliares de ajuste.
Com este tipo de tripping, a corrente de curto-circuito é O consumo de energia para disparadores com corrente
limitada pelos resistores internos. nominal de disparo de 0,5 A é ≤ 6 VA para 90% da
A bobina de mínima tensão pode também ser conectada corrente nominal do disparador e com a armadura aberta.
aos transformadores de tensão. Quando a tensão se

Equipamento Básico Bobinas suplementares (custo adicional)


Bobina de 1º disparador de 2º disparador de 2º disparador de Bobina de Bobina operada
fechamento abertura abertura abertura mínima tensão por TC
3AY1510 3AY1510 3AX1510 3AX1101 3AX1103 3AX1102
Y9 Y1 Y3 Y2 Y7 Y4
1 1
1 1 1
1 1 1
1 1 1 1
1 1 1 1
1 1 1
1 1 1 1
1 1 1
Tabela 4: Combinações de bobinas

4.5 Intertravamento mecânico (característica


4.4 Chave auxiliar (S1) 3SV92 (P-14, Fig. 11) opcional)
O disjuntor é equipado com contatos 5 NA e 5NF. Ele O mecanismo de armazenamento de energia do
atua através da haste de acionamento do disjuntor, e disjuntor 3AF 01 pode ser equipado com um
chaveia os circuitos auxiliares. Opcionalmente, chave intertravamento mecânico (Castell) para
auxiliar com contatos 11NA e 11NF também está intertravamento com um isolante.
disponível. Este arranjo tem dois fechamentos (um cada para o
Tensão nominal de isolação: CA/CC 250 V disjuntor e o isolador) e uma chave. Portanto, quando a
Classe de isolação: C chave é prendida no fechamento do disjuntor, o
Corrente: 10 A isolador não pode ser operado. Entretanto, quando a
Capacidade de estabelecimento: 50 A chave é removida do fechamento do disjuntor, está na
Capacidade de interrupção: de acordo com a tabela 3 posição de repouso e assim este fechamento assegura
que o disjuntor não possa ser operado. A chave então
Capacidade de Interrupção (A) pode ser usada na operação do isolador.
Tensão [V]
Carga resistiva Carga capacitiva
até 230 VCA 10 10
24 VCC 10 10
48 VCC 10 9
60 VCC 9 7
110 VCC 5 4
220 VCC 2,5 2
Tabela 3 - Capacidade de interrupção da chave auxiliar
3SV92

10
Refira-se a Fig. 8 para o manuseio e içamento de uma
maneira apropriada.
5. Instalação
5.1 Desembalagem

CUIDADO
O disjuntor a vácuo deve ser levantado somente com
os equipamentos adequados conectados aos pontos
corretos.
O não cumprimento pode resultar em avaria do
equipamento.
O disjuntor a vácuo para instalação ao tempo 3AF 01 é
desmontado após a montagem e teste, e despachado
em duas caixas. O equipamento é protegido por uma
folha de polietileno durante a embalagem. Cada caixa é
marcada com o número de série do disjuntor. Uma lista
de itens acompanha cada caixa. O número de série
da base e do suporte da estrutura devem se
combinar durante a ereção.
Uma caixa contém a estrutura de aço (P-2, Fig.7) com
a montagem de três interruptores (P-1, Fig. 7) que é
armazenada em isoladores de porcelana. A outra caixa
contém o invólucro do mecanismo (P-G, Fig. 1)
montado no suporte da estrutura. Esta caixa também
contém os parafusos da fundação (P-4, Fig. 5) porcas
(P-1, Fig. 5), arruelas planas (P-3, Fig. 5) e arruelas de
pressão (P-2, Fig. 5) e qualquer outro item solicitado
separadamente. O disjuntor é embalado e transportado
com interruptores a vácuo na posição aberta com
fixação de transporte separada na alavanca do eixo na
base e uma haste da tração no invólucro do
mecanismo de operação como mostrado nas Fig. 12 e
Fig. 10, respectivamente. As instruções de içamento e
o endereço do consignatário estão marcadas nas
caixas.

5.2 Recebimento do equipamento


O número das embalagens devem ser checadas com
as challans de despacho antes do aceite. Estas Fig. 10 Estrutura de aço para mecanismo de operação
embalagens devem ser cuidadosamente inspecionadas e painel de controle
para danos. Isto deve ser imediatamente noticiado ao
agente transportador e um inventário de danos deve 5.4 Ereção
também ser feito em sua presença.
Os seguintes cuidados devem ser tomados para a
operação apropriada e segura do disjuntor
CUIDADO (1) Use somente os parafusos fornecidos.
1. Usar o guindaste para levantar a embalagem (2) O uso de chave de torque para a montagem
2. Coloque tiras sobre as partes marcadas na desde não seja checadas o aperto pode resultar em
embalagem danos ao ou perda das juntas.
3. Não derrube nem deixe cair a embalagem O torque necessário para juntas aparafusadas é
conforme os dados seguintes:
Nº Tipo de junção Torque (Nm) ± 10%
5.3 Armazenamento e manuseio
Tamanho do parafuso → M8 M10 M12 M20
É recomendado que o equipamento, depois de ser Classe da propriedade → 6,6 8,8 8,8 8,8
removido de suas caixas, seja armazenado em uma 1 Aço com aço 32 65 115 -
área limpa e coberta. Deve-se tomar cuidado contra o 2 Aço com isolador 16 32 77 170
ingresso de água nas embalagens. Para um longo 3 Junção de barras 20 40 70 -
tempo de armazenagem, se assegure que os 4 Barras com aço 20 40 70 -
aquecedores das áreas estejam ligados.

11
Nota: O valor dado na tabela acima é para Torques de
aperto. Para testes de junções, 70% dos valores acima (i)• Aterramento
são considerados como Torque de teste. Conecte o disjuntor ao terra de proteção de alta-tensão
(3) Qualquer arruela ou gaxeta solta ou exposta apropriado por meio do terminal de aterramento
durante a montagem deve ser trocada. apropriado no alojamento do mecanismo usando uma
A seguinte seqüência deve ser seguida: barra de cobre, cabo de cobre ou uma fita de aço
(i) Em linha com a planta da fundação mostrada galvanizado.
no desenho de G.A., concrete os parafusos fundação. (ii)• Faça furos apropriados na placa do invólucro.
Assegure que a área da fundação está nivelada para o Passe os cabo de controle dentro do invólucro do
assento apropriado do disjuntor. mecanismo através dos cabos que serão montados na
(ii) Monte a estutura do suporte (com o invólucro placa do invólucro (K; Fig. 1). Conecte os condutores
do mecanismo nele montado) sobre aos parafusos de proteção ao terminal de aterramento fornecido.
concretados, aperte a ferragem do parafuso da Conecte a fonte auxiliar conforme o diagrama
fundação, que foi fornecida, se requisitado. esquemático aprovado.
(iii) Durante o transporte a extremidade superior da
haste de tração (P-7, Fig. 10) é protegida com uma
cobertura de transporte (P-8, Fig. 10) como mostrado
na Fig. 10. Esta cobertura deve ser removida, tirando CUIDADO
os parafusos (P-8, Fig. 10). Quando a fonte de tensão estiver aplicada, o motor
Nota: O comprimento da haste de tração é pré- carrega imediatamente a mola de fechamento.
ajustada em fábrica. Não alterá-lo.
(iv) Os contatos do interruptor a vácuo estão na (iii) Limpeza
posição aberta durante o transporte com a ajuda de um
pino (P-3, Fig. 12).
O pino deve ser removido da base para a montagem do
disjuntor. Para fazer isto, levante a base conforme as AVISO
instruções de içamento da Fig. 8. Remova a cobertura Por razões de segurança, a limpeza deve ser feita
inferior (P-2, Fig. 12) desaparafusando os parafusos somente quando o disjuntor estiver no estado aberto,
(M8). Remova o pino (P-3, Fig. 12) da alavanca. Para com a mola de fechamento descarregada.
fazer isto, aplique uma ligeira pressão para baixo no A não observação pode resultar em ferimentos
eixo (P-4, Fig. 12). Quando o pino é removido, a pessoais.
alavanca mover-se-á no sentido ascendente devido à
pressão de ar atmosférica no fole do interruptor a Use somente água morna com um pouco de detergente
vácuo. doméstico neutro adicionado como agente limpante.
v) Coloque o conjunto da base (P-2, Fig. 7) sobre (iv) Usando o kit de 5 kV, meça a resistência de
a estrutura de sustentação e fixe o conjunto com a isolação com um megôhmetro para confirmar a
ferragem fornecida (M16 x parafuso 50). Atente-se para resistência de isolação de no mínimo 100M ohms.
seguir estritamente as instruções de içamento, com o (v) conectores dos terminais e/ou conexões de barra:
cuidado especial aos isoladores de porcelana. Antes de ajustar os condutores, posicione-os para
vi) Para conectar a haste de tração à alavanca do assegurar que eles tenham um contato macio com as
eixo de manobra, trave lentamente o mecanismo partes conectoras e que sejam totalmente alinhadas
introduzindo a manivela (P-7, Fig. 7) entre o eixo com os furos do terminal.
acionador e o pino (P-12, Fig. 7) e mova a manivela Esfregue as faces do contato a ser aparafusadas
para baixo como mostrado na Fig. 7. Desta maneira, o usando uma esponja de aço ou esmeril (tamanho 150)
parafuso haste da tração será levantado e se alinhará até aparecer o brilho, e então o limpe com um pano
com o furo na alavanca do eixo de manobra. O pino (P- limpo. Passe um pouco de vaselina sem ácido (por
13, Fig. 7) pode agora ser facilmente ser introduzido e exemplo, Vaselina Shell 8420) nas faces do contato e
travado usando a arruela de fechamento (P-14, Fig. 7) então parafuse-os imediatamente.
Materiais de contatos diferentes (Al/Cu) não devem ser
5.5 Conexões elétricas limpos com a mesma ferramenta de limpeza.
Usar porcas e parafusos M12 da classe de força 8 e
elementos de mola correspondentes e arruelas planas.
CUIDADO Use uma folha de cupal enquanto se monta os
Os fios do aquecedor são colocados dentro da base (P- conectores terminais de cobre para evitar corrosões
2, Fig. 7) durante o transporte. Estes fios devem ser galvânicas com a liga de alumínio das flanges superior
passados através do tubo de proteção (P-22, Fig.7) e e inferior.
conectados aos terminais fornecidos no painel de
controle (P-1, Fig. 10) dentro do invólucro do
mecanismo.
A não observação resultará em danos ao disjuntor.

12
c) Mantendo a alavanca de operação manual
6. Comissionamento ainda pressionada para baixo, pressione o botão de
desliga OFF (P-6, Fig. 11) e gradualmente libere a
pressão sobre a alavanca de operação manual,
PERIGO deixando que o eixo principal gire. Após o movimento,
o indicador de status indicará (O), o qual é o símbolo
Alta tensão!
para disjuntor desligado.
Há risco de morte ou dano ao operador, caso ocorra
Precaução adicional: sempre manter a pressão para
toque às partes vivas do equipamento.
baixo, na alavanca manual de operação. Liberar
Este equipamento deverá ser operado somente por
gradativamente a pressão sobre a mesma. Remover
pessoal qualificado, os quais deverão ter completo
a alavanca manual de operação para executar
conhecimento deste manual, principalmente da seção
demais ações.
de instruções de segurança.
6.3 Carregando a mola de fechamento manualmente
(Fig. 11)
CUIDADO
Este equipamento contém tensões perigosas e
mecanismos que se movimentam rapidamente, CUIDADO
podendo ser através de comando remoto. O disjuntor a vácuo pode ser operado manualmente
O não observação das instruções de segurança, com carregamento da mola de fechamento da mesma
poderá causar problemas para a saúde do operador, forma, porém deve-se ficar atento para o
bem como para o equipamento. restabelecimento da tensão auxiliar do disjuntor, pois o
Em particular: mecanismo irá se movimentar e poderá ser danoso ao
Não abra a porta do invólucro do mecanismo do operador caso este volte ao funcionamento
disjuntor. Não toque a parte interna do mecanismo de subitamente.
operação. Não toque nas porcelanas dos pólos e nem
na haste de acionamento interna a caixa de comando. Insira a chave de carregamento de mola no buraco (P-
15) e gire esta no sentido horário, até que o indicador
Antes de executar o comissionamento efetue o check de status da mola (P-8) mostre o símbolo de mola
do disjuntor de acordo com a seqüência abaixo: carregada.
1. Limpe o disjuntor adequadamente (checar as A chave de carregamento da mola de fechamento é
informações constantes na seção “Limpeza”). acoplada ao redutor, com sistema de desacoplamento
2. Verifique se todos os terminais estão com os simples. Desta forma, esta não oferece risco ao
parafusos devidamente apertados. operador, caso o motor assuma subitamente a função
3. Examine visualmente a parte externa do de carregamento da mola de fechamento.
disjuntor, especialmente para desgastes dos contatos
de linha, isoladores de porcelana e tubos de ventilação. 6.4 Fechamento (Fig. 11)
4. Verifique as resistências de aquecimento. Pressione o botão liga (P-3), ou efetue o comando
remoto, para que assim o disjuntor se feche. Assim, o
6.1 Operação de fechamento lento indicador de status (P-9) mostrará o símbolo (I), da
Quando o disjuntor estiver na posição aberto, com o mesma forma a indicação de mola aparecerá como
mecanismo de fechamento descarregado e com o “descarregada”.
circuito auxiliar na posição desligado, siga as •A mola de fechamento será carregada logo após a
instruções abaixo: operação de fechamento. Para operações manuais, a
a) Coloque a alavanca de operação manual (P-7, mesma poderá ser recarregada ao final do fechamento
Fig. 7) entre o eixo principal do mecanismo (P-17, Fig. anterior.
17) e o pino (P-18, Fig.11).
b) Lentamente movimente a alavanca para baixo 6.5 Abertura (Fig. 11)
até que o circuito de abertura se trave ao rolamento do A mola de abertura é carregada durante a operação de
circuito de abertura. Os contatos da câmara se fechamento. Para desligar o disjuntor basta apertar o
fecharam. Assim o indicador de status do circuito botão desliga (P-6) ou efetuar um comando elétrico
indicará que o disjuntor está ligado (I). remoto. O indicador de status do disjuntor (P-9) irá
mostrar o símbolo (O).
6.2 Operação de abertura lenta Nota: A operação de abertura ou fechamento poderá
Partindo do final da operação de fechamento lento: ser realizada através da chave liga-desliga (P-3, Fig.
a) Insira a alavanca de operação manual 10) colocada no compartimento de comando instalado
novamente no mesmo lugar anterior; internamente a caixa de comando do disjuntor.
b) Movimente a alavanca de operação manual
ainda mais abaixo;

13
Tanto a temperatura ambiente e a altitude do local de
instalação interferem na marcação de pressão indicada
pelo manômetro.
Durante a operação, pelo menos 1,1 bar de pressão (a
nível do mar e em uma temperatura ambiente de 25º C)
deverá ser assegurado com a ajuda dos manômetros.
O disjuntor poderá operar normalmente sob pressão
mínima de gás de 1 bar durante um período limitado.
Entretanto, as razões para a queda na pressão (que
podem ser devido ao escape do gás, mudança na
temperatura ambiente etc.) devem ser encontradas, de
modo que as ações apropriadas possam ser tomadas.

Fig. 11 Detalhes do mecanismo de operação

6.6 Resistência de aquecimento

Fig. 12A Corte transversal da base


CUIDADO
Nota: As resistências de aquecimento sempre estarão
em funcionamento, esteja o disjuntor ligado ou não,
para impedir a condensação da umidade
particularmente nos componentes isolantes.

Um jogo de três resistências de aquecimento é


fornecido na base e uma resistência de aquecimento é
fornecida no invólucro do mecanismo. Mantenha o
interruptor da resistência na posição de funcionamento,
de modo que quando a fonte de controle é aplicada
todas as resistências de aquecimento estejam ligadas.

NOTA
Mantenha a porta frontal e traseira devidamente
fechada para prevenir a entrada de umidade, vento,
insetos e etc.

6.7 Gás Inerte no pólo selado (opcional) Fig. 12B Vista dianteira ampliada de um pólo selado
O gás inerte N2, nitrogênio, é preenchido em cada pólo
a 1,5 bar durante sua fabricação, a fim impedir a
entrada e a subseqüente condensação da umidade
durante a vida útil de serviço do disjuntor. O gás não
tem a finalidade de isolação.
14
7.3 - Sequência típica de manutenção
7. Manutenção 1. Desligar o disjuntor;
2. Isolar o circuito onde o mesmo está instalado;
7.1 Medidas de segurança 3. Aterrar o disjuntor;
4. Desconectar a alimentação auxiliar;
5. Descarregar manualmente a mola de
fechamento;
PERIGO 6. Inspeção visual no disjuntor a vácuo e efetuar a
A manutenção, reparo e execução de trabalhos deverão manutenção programada.
ser realizados por pessoal treinado e especializado, e
estando ciente das informações integrantes neste
7.4 Lubrificação das partes
manual de operações e de manutenção. Este
treinamento poderá ser ministrado pela Siemens. Para atingir elevado índice de confiabilidade, a Siemens
Antes de se realizar qualquer manutenção nos recomenda lubrificação no circuito de comando a cada
disjuntores a vácuo, as normas de manutenção em 5000 manobras. Porém, lubrificações adicionais em
sistemas de média tensão deverão ser seguidas. ambientes agressivos poderão ser necessárias, com
Deverá ser desligada a tensão de alimentação dos uma maior freqüência.
circuitos auxiliares e as operações deverão ser Os pontos de lubrificação estão demonstrados nas
realizadas manualmente (disjuntor na posição fechada, Figuras 7 e 13. Estas figuras também mostram o tipo de
e indicador de estado da mola descarregada) para lubrificante nos vários pontos.
assegurar que a bobina de fechamento esteja
descarregada.
A não observância destas instruções
poderá levar a morte, ou a severos danos a
saúde do operador, ou ainda danos ao
equipamento.
O disjuntor a vácuo 3AF01 em geral exige um nível
mínimo de manutenção. O intervalo no qual a
manutenção é realizada, depende do tipo de aplicação
em que o mesmo está sendo utilizado. Algumas
condições devem ser consideradas:
- O número de aberturas em curto-circuito;
- a freqüência com que os chaveamentos acontecem;
- o grau de carregamento no ramal onde está instalado
e
- Condições ambientais adversas, como poluição,
temperatura e umidade.

7.2 Programa de manutenção preventiva


O programa de manutenção é dado abaixo. Porém
dependendo das condições da instalação e das
condições locais, o programa poderá ser alterado:
- De acordo com as condições locais, uma vez ao ano:
(a) Inspeção visual*
(b) Limpeza dos isoladores** e componentes do
mecanismo de operação (pistões, junções móveis,
etc...) de acordo com a seção 7.7;
(c) Check das resistências de aquecimento;
(d) Check da existência de vácuo, de acordo com a
seção 7.6;
(e) Teste dielétrico, de acordo com a seção 7.7; Fig. 13 Pontos do disjuntor a serem lubrificados
- A cada 10 anos ou após 10.000 manobras, há Δ Rolamentos, superfícies lisas:
necessidade da checagem da erosão nos contatos, de Isoflex Topas L32
acordo com a seção 7.5. □ Rolamentos inacessíveis à graxa e rolamentos
- Check a alimentação (C.A.) e a bateria (C.C.) da chave auxiliar S1:
regularmente para garantir que o equipamento irá atuar Shell Tellus 32 (Óleo)
eletricamente. Para lubrificar o mecanismo deve-se remover a tampa
frontal da caixa de acionamento. Lubrificar os pontos
* Recomenda-se, entretanto, uma inspeção visual regular indicados começando do ponto mais alto para o mais
para sujeiras (por exemplo: poeira, névoa salina, fungos, etc.) no baixo. As peças que não são fixas (por exemplo
disjuntor.
** A periodicidade da limpeza do isolador deve ser
junções) devem ser movidas ligeiramente para deixar o
determinada pelo pessoal local baseado na quantidade de poluições
depositadas.
15
lubrificante penetrar. Depois disto, operar o disjuntor
algumas vezes para testá-lo.
As junções e os rolamentos que não podem ser PERIGO
desmontados devem ser limpados com um agente de A não observância desta medida poderá causar danos
limpeza antes de iniciar a lubrificação. a saúde do operador.
Toda mola de operação deverá estar na posição
7.5 Checagem da erosão dos contatos descarregada e o disjuntor a vácuo deverá estar na
A erosão dos contatos é verificada com o disjuntor na posição desligado (Aberto), com a indicação de mola
posição ligado. Seguindo os passos de 1 a 5, como descarregada.
descrito na seção 7.3, e fechando o disjuntor Para garantir a capacidade de isolamento é necessário
lentamente, conforme seção 6.1. que os isoladores de porcelana estejam limpos. Os
Abrir a cobertura traseira. O nível máximo de erosão isoladores externos deverão ser secados com flanela
dos contatos numa câmara a vácuo é de 3 mm. Isto seca. Use somente água quente com um pouco de
pode ser verificado com o indicador de desgaste detergente como agente limpador.
marcado em cada acionamento de cada pólo. Quando o
disjuntor é fornecido, e o mesmo estiver fechado, o 7.8 Teste Dielétrico
indicador de erosão dos contatos (28) estará marcando Antes do comissionamento e depois de se executar
o menor nível de desgaste, o qual possibilita ainda algum serviço ou reparo, deve-se se checar a
cerca de 3 mm de erosão (28.1). Quando o disjuntor resistência de isolamento utilizando 5kV com um
estiver operando, o grau de erosão dos contatos poderá Megger.
ser visto, observando o indicador com relação a marca 1. Disjuntor aberto, entre fases (2 leituras);
executada após a fabricação. 2. Disjuntor aberto, entre terminais superiores e
O disjuntor somente poderá ser operado, quando o terra (3 leituras) e
indicador estiver até os limites da marca pré- 3. Disjuntor fechado, entre os terminais de fase e
estabelecida no final da fabricação. terra (3 leituras)
Em cada caso a leitura deverá ser maior que 100
7.6 Verificando a existência de Vácuo Mohm.
Antes de colocar o disjuntor em serviço, quando há
alguma suspeita de vazamento de vácuo, realizar os 7.9 Acessórios e peças de reposição padrão
seguintes passos: Considerando que todas as partes deste tipo de
Passos 1 a 6 da seção 7.3; disjuntores foram dimensionadas para funcionar durante
Remover a cobertura e verificar o disjuntor pela parte toda vida útil do equipamento, não há necessidade de
traseira. qualquer peça de reposição em especial, e nem da
Remover as presilhas (P-15, Fig. 7) do pino (P-16, Fig. manutenção de alguma peça, ou parte, em estoque de
7) utilize a alavanca de carregamento manual em reposição.
direção ao fechamento para facilitar a remoção do pino. Contudo, caso o usuário se interesse por alguma peça
Quando o pino estiver removido, a parte inferior do de reposição, na página seguinte estão listadas todas
acionamento guia (P-6, Fig. 7) estará subitamente as peças integrantes do disjuntor a vácuo de uso
tensionado exercendo uma resistência ao movimento, externo, juntamente com os seus códigos de pedido.
devido a pressão interna do vácuo exercida pela
câmara a vácuo.
No caso de perda do vácuo no interior da câmara, o
acionamento guia estará livre para ser movimentado
sem nenhuma resistência ao movimento. Isto indica que
o interruptor a vácuo deve ser substituído.

7.7 Limpeza

PERIGO
A não observância desta medida poderá
causar danos a saúde do operador ou
mesmo a morte.
Os terminais não devem ser tocados
durante a limpeza, caso o ramal de
alimentação esteja ligado.

16
7.9.1 Peças sobressalente para disjuntor a vácuo 36/40,5 kV (3AF01)
MLFB Nº Item
1. (Y1/Y3/Y9): Bobina de fechamento ou abertura
(consumo 200W/VA)
a) 24V CC 3AY1510-3BY 4398095020
b) 30V CC 3AY1510-3MY 4398095021
c) 110V CC 3AY1510-3EY 4398095024
d) 220V CC 3AY1510-3FY 4398095026
2. (V1/V2/V3) Retificador para Motor e Disparadores 3AX1525-1F 4109764015
3. (S1) Chave auxiliar
a) 5 NA + 5 NF 3SV9221 4109764021
b) 11 NA + 11 NF 3SV9222 4109764022
4. Motor disjuntor 6A, 2 pólos, 240V CA 5SQ22107YA06 -
Motor disjuntor 4A, 2 pólos, 240V CA 5SQ22107YA04 -
Motor disjuntor 2A, 2 pólos, 240V CA 5SQ22107YA02 -
5. (E11 – E14) Resistência de aquecimento, 240V CA, 100 W - 4396201101
6. (M1) Motor (700W)
a) 110V CC 3AY1511-1EY 4109764016
b) 220V CC 3AY1511-1FY 4109764017
7. Alavanca manual/emergência (P-7, Fig. 7) - 411049001
8. (K1) Contator 2NA + 2NF
(mesma tensão da bobina de fechamento)
24V CC 3TH30220BB4 -
30V CC 3TH30220BC4 -
110V CC 3TH30220BF4 -
220V CC 3TH30220BM4 -
9. (S21, S22, S3, S4) Chave de posição 3SE4206 4109764020
10. Interruptor a vácuo (D21) Tipo VS30029 3AY1512-2X 4394526001
11. (Y2) 2º disparador
a) 24V – 32V CC 3AX1101-2B 4110660052
b) 48V – 60V CC 3AX1101-2C 4110660063
c) 110V – 127V CC 3AX1101-2E 4110660054
d) 220V CC 3AX1101-2F 4110660055
e) 110V CA, 50 Hz 3AX1101-2G 4110660058
f) 230V CA, 50 Hz 3AX1101-2J 4110660059
12. (Y4) Disparador operado por TC
0 – 0,5 A 3AX1102-2A 4110660062
13. (S13) Chave seletora Local/Remoto (P-2, Fig. 10) - 4113488907
14. – Suporte de montagem de TC - 4394650001
– Suporte de montagem de TC e TP - 4394650002
15. Lubrificantes e graxa 3AX1133-3A 4110522005
16. Manivela de carga de mola 3AX1530-3B 4112871002
17. Kit de arruelas de segurança 3AY1550-0A 4109764024
18. (S14) Chave de controle do disjuntor (P-3, Fig. 10) - 4394570001
19. Montagem do pólo ventilado 1600 A 4394870001
2000 A 4394870002
20. Montagem do pólo selado 1600 A 4394870011
2000 A 4394870012
17
c) Nível de poluição, etc.
7.10 Vida útil 7) Isolar e aterrar o disjuntor antes de executar a
Refira-se à seção 2.4 na página 4. manutenção e garantir que o mesmo está
desligado e com a mola de fechamento
7.11 Descarte do produto descarregada.
8) Dependendo das condições do local, inspecionar.
O equipamento utiliza-se de produtos não agressivos a) O interior da caixa de comando do disjuntor
ao meio-ambiente. para vento, teias de aranha e etc. e em seguida
Os seguintes materiais têm sido utilizados na limpá-la.
fabricação dos dispositivos: Aço, Cobre, Alumínio, b) Porcelanas isolantes e limpá-las;
resinas, fibras de vidro, borracha, porcelanas, graxas e c) Verificar a caixa do mecanismo do disjuntor,
etc. PVC é utilizado para como material isolante dos bobinas, os disparadores e juntas.
cabos internos de controle. d) Funcionamento das resistências de
Sob fabricação, o equipamento não incorpora nenhuma aquecimento.
substância perigosa. 9) Lubrificar as partes móveis com lubrificantes
Em operação, o produto não libera nenhum gás ou utilizados no equipamento
material perigoso. 10) Checar a resistência de isolamento com Megger
Durante o descarte do produto deve ser tomado antes de colocá-lo em funcionamento novamente.
cuidado para desmontar o máximo possível de maneira 11) Manter o histórico dos eventos realizados no
ambientalmente correta como sucatas recicláveis e equipamento;
não-recicláveis, isto é aço, cobre, alumínio, borracha, 12) Seguir as instruções dadas no manual de
PVC, resina e materiais de fibra de vidro separados operação.
corretamente. 13) Assegurar que o corpo de operações está
Os materiais recicláveis, tais como: aço, cobre, devidamente preparado e treinado para executar as
alumínio, podem ser reutilizados. Os materiais não tarefas;
recicláveis, tais como: resinas, fibras de vidro, etc. 14) Checar a fonte e bateria dos sistemas
podem ser divididos em pequenas partes então ser regularmente;
utilizados como materiais de enchimento de terra.
Consultar também a legislação local para o descarte Não Fazer
dos produtos. 1) Não deixe nenhum equipamento ou ferramenta
O escritório local de suporte ao cliente da Siemens dentro da caixa de comando do disjuntor.
responde a todas as perguntas a respeito do descarte. 2) Não deixe a lâmpada incandescente na posição
ligada, quando a porta estiver fechada.
7.12 Resumo das importantes informações: 3) Não use as mãos ou ferramentas enquanto o
Fazer disjuntor estiver em funcionamento.
Durante a instalação e comissionamento: 4) Não execute comandos remotos durante a limpeza
1) Conectar a haste de tração da unidade inferior à do equipamento.
alavanca do eixo de manobra na unidade superior,
seguir as instruções 5.4 (vi) na página 10.
2) Limpar as superfícies dos contatos antes de
aparafusar os conectores aos terminais. Também
lubrificar as juntas e estabelecer o torque
apropriado nos parafusos.
3) Checar os níveis de cada componente do disjuntor,
como motor, bobinas de estabelecimento e trip
antes da energização destes acessórios na
subestação.

Durante a vida útil do disjuntor


4) Manter ambas portas firmemente fixadas, para
prevenir vento, umidade, insetos e etc.
5) Assegurar que a alavanca de carregamento
manual, bem como a manivela de carregamento de
molas será mantida junto a caixa de comando do
disjuntor.
6) A programação de manutenção deverá levar em
conta os seguintes aspectos:
a) Número de aberturas em corrente plena de
curto-circuito;
b) Freqüência de realização das manobras do
disjuntor;
18
7.13 Anormalidades
Problema Sintomas/Efeitos Causas possíveis/Razões Medidas
Disjuntor 1. Bobina de 1. A alimentação do circuito auxiliar está 1. Verificar o circuito auxiliar e/ou substituição
falha no fechamento é desligada, ou o disjuntor (F22) deu dos fusíveis queimados
fechamento carregada, mas o comando de “trip”.
disjuntor não se 2. Mal contato, danos nas fiações. 2. Verificar e reparar, se necessário
fecha 3. Sem comando de fechamento nos 3. Verificar a continuidade e correção dos
terminais X3.5/X3.6. circuitos lógicos
4. Terminais X3.3 e X3.4 não curto- 4. Verificar e reparar
circuitados, se o fechamento remoto não
é requerido.
5. Bobina de fechamento inoperante. 5. Teste a bobina de fechamento
separadamente e então substitua, caso não
esteja funcionando
6. Chave de contatos auxiliares (S1) 21- 6. Verificar o ajuste mecânico da ligação com a
22 está aberto quando o disjuntor é chave auxiliar
fechado
7. Contator anti-pumping (K1) e seus 7. Verificar e substituir, se necessário.
contatos inoperantes
2. Mola de 1. A alimentação do circuito auxiliar está 1. Verificar o circuito auxiliar e/ou substituição
fechamento não desligada, ou o disjuntor (F22) deu dos fusíveis queimados
carrega comando de “trip”.
automaticamente 2. Mal contato, danos nas fiações. 2. Verificar e reparar, se necessário
3. Terminais X3.3 e X3.4 não curto- 3. Verificar e reparar
circuitados, se o fechamento remoto não
é requerido.
4. Motor de carregamento inoperante 4. Verificar e substituir
5. Chave fim de curso S21 e S22 falha ao 5. Verificar e reparar a ligação mecânica com a
operar chave auxiliar
6. Falha mecânica do mecanismo de 6. Verificar e contatar centros de serviço
operação autorizados
3. Bobina de Falha mecânica do mecanismo de Verificar e contatar centros de serviço
fechamento opera, o operação autorizados
som do fechamento
do disjuntor é
ouvido, mas os
contatos do disjuntor
não se fecham
Falha ou 1. Problema elétrico 1. Comando de fechamento continuo no 1. Verificar e corrigir os circuitos lógicos
falso terminal X3.3/X3.4
fechamento 2. Terminal A2 da bobina de fechamento 2. Verificar problema na fiação ou nas bobinas.
do disjuntor é curto-circuitado Corrigir conforme exigência
2. Problema Falha mecânica do mecanismo de Verificar e contatar centros de serviço
mecânico operação autorizados
Disjuntor 1. Bobina de 1. A alimentação do circuito auxiliar está 1. Verificar o circuito auxiliar e/ou substituição
não dá “trip” abertura (Y1) não dá desligada, ou o motor deu comando de dos fusíveis queimados
“trip” “trip”.
2. Não há som de 2. Mal contato, danos nas fiações. 2. Verificar e reparar, se necessário
“tripping’ 3. Sem comando de “tripping” no terminal 3. Verificar a continuidade e correção dos
X3.9 circuitos lógicos
4. Terminais X3.7 e X3.8 não curto- 4. Verificar e reparar
circuitados, se o fechamento remoto não
é requerido.
5. Bobina de abertura inoperante 5. Teste a bobina de abertura separadamente e
então substitua, caso não esteja funcionando
6. Chave de contatos auxiliares (S1) 23- 6. Verificar o ajuste mecânico da ligação com a
24 está aberto quando o disjuntor é chave auxiliar
fechado
Falha ou 1. Problema elétrico 1. Comando de “tripping” continuo no 1. Verificar e corrigir os circuitos lógicos
falso terminal X3.9
“tripping” do 2. Problema 2. Falha mecânica do mecanismo de 2. Verificar e contatar centros de serviço
disjuntor mecânico operação autorizados

19
7.14 Diagrama elétrico típico
Os diagramas elétricos incluem todos os arranjos possíveis:
- a seleção dependente do pedido do disjuntor. Fig. 16 ilustra um exemplo referencial.

Nota: Os motores dos disjuntores são substituídos por fusíveis e links, se solicitado.

disponibilidade e aos serviços. Suas sugestões


8. Serviço permitem nos manter a melhora contínua de nossos
produtos. Por favor, não hesite em nos contatar.
Obrigado por colocar sua confiança em nós como um
Você pode encontrar seu contato nos escritórios
fabricante de equipamentos e componentes de média-
regionais da Siemens em sua área e em outros
tensão, e assim em nossa tecnologia como um todo.
endereços da Siemens através da Internet
Nós unimos a grande importância em relação a
http://www.siemens.com.br
segurança, à confiabilidade do sistema, à

Siemens Ltda.
Av. Eng. João Fernandes Gimenes Molina, 1745
Distrito Industrial
Bairro Engordadouro
Jundiaí – SP
CEP 13213-080
Tel.: 55 11 4585-2072
Fax.: 55 11 4585-2078