Você está na página 1de 16

06

Editorial

O cenário do mercado de silagem está em constante evolu-


ção. Até bem pouco tempo atrás, os plantios de milho
eram feitos em áreas marginais, de baixa fertilidade ou em locais
impróprios, sem critérios técnicos e com práticas de manejo inade-
quadas, o que resultava numa silagem de baixa produtividade e redu-
zido valor nutricional. Recentemente, com a profissionalização dos
pólos de produção de carne e leite e, principalmente pelos fortes
investimentos no setor, o mercado de milho silagem passou a adotar
mais tecnologia. Hoje, muitos produtores utilizam híbridos mais está-
veis, com maior potencial produtivo e melhor adaptado às necessida-
des de sua lavoura. Além disso, a adoção da tecnologia Bt tem pro-
porcionado um melhor controle de pragas resultando em lavouras de
maior potencial de produção e de melhor qualidade. Ainda, o produtor
busca através de um planejamento mais eficiente, otimizar as opera-
ções do processo de ensilagem, transformando a matéria-prima pro-
duzida em mais carne e leite e, por consequência, numa atividade
mais estável e lucrativa. Assim, fortalecendo o compromisso de levar
informações úteis aos seus clientes e com o objetivo de esclarecer
dúvidas relacionadas aos produtos, tecnologias e serviços oferecidos
neste mercado, a Pioneer® Sementes publica mais uma vez a série
especial - Pioneer Responde Silagem de Milho.

Uma boa leitura.

Índice
Custo de produção de silagem 03

A importância das práticas agronômicas na produção da silagem 04

A importância das práticas de ensilagem indicadas para a produção de silagem de qualidade 07

Produtos, Tecnologias e Serviços oferecidos pela Pioneer para silagem 14

Expediente
Pioneer Responde é uma publicação da Editor: Eng. Agr. Rafael Barbieri Seleme
Pioneer Sementes com distribuição
Coordenação: Camila Barreto
gratuita para seus clientes. - Set/2011
Jornalista responsável: Hélio Etges, DRT-RS 5918

Marca registrada ou usada nos países do mundo pela Pioneer Hi-Bred International, Inc. Editoração e arte: Oggi/Graphik Prod. Gráfica e Eletrônica - Fone: (51) 3715-5782 / 3715-6058

Não é de responsabilidade dos autores nenhum dano direto ou indireto, relacionado ou proveniente de qualquer ação ou omissão, resultante de qualquer informação contida neste material.
Todas as consequências advindas de qualquer medida com base nesse material são, única e exclusivamente, de responsabilidade do leitor.
Introdução
O milho é o cereal mais utilizado em todo o mundo na produção de silagem. Esta
cultura produz uma grande quantidade de energia digestível por área cultivada.
Portanto, é o produto ideal para ser fornecido aos animais para transformação em carne “A melhor opção
ou leite. A maneira mais eficiente para produzir silagem de milho com menor custo é
investir em lavouras de alta produtividade. O produtor deve ter em mente que planeja-
para reduzir custos
mento e ganhos de eficiência nos processos, desde o plantio até o cocho, proporcionam é aumentar a
maiores produtividades, reduzindo custos e tornando a atividade mais rentável. Confira
as perguntas mais frequentes sobre silagem e saiba como aumentar a produtividade de produtividade da
sua lavoura e do seu rebanho. lavoura de silagem”
CUSTO DE PRODUÇÃO DE SILAGEM

Quais informações e análises devem ser consideradas na avaliação do


custo de uma lavoura para produção de silagem de alta qualidade?

A análise correta dos custos de produção de uma lavoura para silagem deve come-
çar pela avaliação da quantidade de Matéria Seca (MS) produzida e do custo desta por
kg de MS produzida. Observe na Tabela 1 os custos de produção de silagem entre duas
lavouras de milho. Veja que a lavoura A, apesar do menor custo de desembolso - R$
2.137,76/ha, em função do baixo nível tecnológico, produziu apenas 8.000 kg/ha de
MS. Isto representou um custo/tonelada de MS de R$ 270,00. Já a lavoura B, com maior
uso de tecnologia, apesar do custo de desembolso maior - R$ 2.864,86, produziu
16.000 kg/ha resultando num custo de apenas R$ 180,00. Em outras palavras, a maior
adoção de tecnologia proporcionou uma economia de R$ 90,00/ha (R$ 270,00 - R$
180,00) pelo aumento de produtividade de Matéria Seca.

Tabela 1. Custos de produção de silagem de milho com híbridos


de diferentes produtividades

Lavoura A B
Produtividade de Massa Verde (kg/ha) 25.000 50.000
Produtividade de Matéria Seca (kg/ha) (32% MS) 8.000 16.000
Custo/hectare
Sementes4 260,50 364,50
Fertilizantes1 693,87 925,55
Defensivos 151,54 151,54
2
Plantio (máquinas e mão-de-obra) 161,35 161,35
Financeiros; remuneração terra; ass. técnica 232,70 246,12
Custo total de implantação 1.499,95 1.849,05
Ensilagem (R$/ha) (máquinas e mão-de-obra)3 637,81 997,81
Custo total da silagem 2.137,76 2.846,86
Custo/tonelada de Massa Verde (R$) 85,51 56,94
Custo/tonelada de Matéria Seca (R$) 270,00 180,00
(1) De acordo com a produtividade mais a extração de NPK decorrente da remoção da palhada.
(2) Plantadeira, pulverizador, distribuição de calcário e fertilizantes.
(3) Ensiladeira de duas linhas, carreta com trator e compactação.
(4) Sementes tratadas com inseticida específico.

03
Em seguida, verifica-se a qualidade da MS, sobretudo em antecipar o ponto de corte, o produtor acaba levando mais água
termos de energia (NDT - Nutrientes Digestíveis Totais) e o seu para dentro do silo, resultando em uma silagem de menor
custo. É desta fração do volumoso, o NDT, que o animal obtém potencial de MS e com baixa qualidade.
os nutrientes para o seu desenvolvimento. Veja na Tabela 2, a No caso da silagem de milho, a qualidade relaciona-se com
produtividade de Massa Verde, Matéria Seca e NDT entre dois a maior proporção de grãos. Silagens com maior quantidade de
híbridos distintos. Observe que quando consideramos apenas a grãos são obtidas em lavouras de maior produtividade, justa-
produtividade de massa verde para escolher um híbrido, a deci- mente as que possuem menor custo por unidade de MS e NDT
são seria pelo híbrido A, pois o mesmo produziu mais de 2.500 produzidas. Dessa forma, é preciso combinar híbridos de alto
kg/ha de Massa Verde do que o híbrido B. Entretanto, ao anali- potencial de produção de grãos e volumoso com o uso de boas
sarmos os dados de MS e NDT (energia da silagem) entre os práticas agronômicas e de manejo de ensilagem como forma de
dois híbridos, concluiremos que a melhor opção, neste caso, se obter uma silagem de volume com alta qualidade.
seria o híbrido B, pois ele possui maior produti-
vidade de MS e NDT por kg de MS produzida Tabela 2. Produtividade de Massa Verde, Matéria Seca, NDT
de diferentes híbridos de milho
por hectare. Em termos práticos, isto pode
representar uma situação muito comum no Massa Verde Matéria Seca NDT NDT
Híbrido (kg/ha) (kg/ha) (%) (kg/ha)
campo, onde, muitas vezes, o corte da lavoura
para silagem ocorre de forma antecipada ao A 71.312 22.649 67 15.174
ponto ideal de corte (50% linha do leite). Ao B 68.766 23.827 70 16.576
Fonte: Pioneer Sementes.

A IMPORTÂNCIA DAS PRÁTICAS AGRONÔMICAS NA PRODUÇÃO DA SILAGEM

Como escolher corretamente Qual a importância da ampliação


os híbridos para silagem? da janela de corte?

A seleção dos híbridos é o primeiro passo para se obter Dependendo do planejamento forrageiro do produtor, este
uma silagem de qualidade. Os híbridos para produção de sila- deve considerar a estratégia de combinar híbridos de ciclos
gem possuem características agronômicas especiais como a diferentes como forma de ampliar a janela de corte (período
menor participação de fibras e consequentemente melhor ideal em que a lavoura de milho se encontra no momento do
digestibilidade e maior produção de grãos, componente este corte para silagem), garantindo com isso, uma silagem de alto
responsável pela energia da silagem (expresso em NDT). potencial de produção de MS com qualidade (elevado teor de
Portanto, os híbridos escolhidos devem ter sido testados e reco- NDT). Para isto, a Pioneer® Sementes desenvolveu o Sistema
mendados para a região oferecendo estabilidade produtiva ao de Combinação de Híbridos (SCH) onde são posicionados os
longo dos anos. melhores híbridos, de acordo com a época de plantio e, de for-
ma complementar, aumentando a janela de corte. Veja no
Gráfico 1 exemplo do uso do Sistema de Combinação de
Híbridos na ampliação da janela de corte, considerando que os
híbridos foram plantados na mesma época/data.

Gráfico 1. Sistema de Combinação de


Híbridos versus Janela de corte

Híbridos Janela de corte

30B39 5 dias*

30R50 5 dias*

32R22 5 dias*

95 100 105 110 115 120 125 130 135


Ciclo em dias
* Os valores poderão ser maiores ou menores conforme a data de plantio, região e soma térmica no período.

04
O uso de maior população de plantas
contribui para o aumento da produtividade O plantio de milho para silagem
da lavoura de silagem? empobrece o solo?

De forma geral, maiores populações de plantas são utiliza- Diferentemente da lavoura para produção de grãos, o milho
das dentro da principal época de plantio, e, por consequência, o para silagem leva para o silo maior quantidade de nutrientes, ou
uso de menores populações fica restrito aos plantios mais tar- seja, o milho que vai para o silo acarreta diminuição da matéria
dios ou mesmo na safrinha, de acordo com a recomendação orgânica bem como a reciclagem de nutrientes do solo. Todo
técnica para cada híbrido. Além disso, a combinação do aumen- nutriente extraído é exportado para fora da área necessitando
to de população de plantas com a redução de espaçamento de monitoramento constante, através de análise de solo, para
entre linhas proporcionam maiores produtividades de Massa correção e/ou manutenção da fertilidade do solo (Tabela 3).
Verde e Matéria Seca por hectare. Entretanto, esta adubação poderá ser compensada utilizando-
Observe no Gráfico 2 que o aumento de população de se resíduos animais como o esterco para fazer a reposição dos
plantas no espaçamento de 80 cm proporcionou um ganho de nutrientes. De acordo com Pauletti (2004), cada metro cúbico
2.740 kg de MS/ha. Entretanto, este aumento de população de de esterco líquido de bovinos possui em média: 1,4 kg de
plantas em combinação com o espaçamento de 40 cm (reduzi- nitrogênio, 0,8 kg de P2O5 e 1,4 kg de K2O. Ainda, como forma
do), proporcionou um aumento de 3.238 kg/ha de MS corres- de melhorar as condições de fertilidade do solo, é imprescindí-
pondendo a um ganho médio de 16%. Importante destacar que vel o uso de rotação de culturas, especialmente em áreas com
neste trabalho não ocorreram alterações nos valores de FDA, mais de 3 cultivos sucessivos com milho.
FDN e NDT, reforçando que esta prática combinada
com o aumento da população de plantas proporciona Tabela 3. Extração e exportação de nutrientes por tonelada
ganhos de produtividade em Massa Verde e Matéria
Seca sem afetar a qualidade nutricional da silagem. kg/t g/t
N P K Ca Mg S Zn B Cu
Assim, recomenda-se ao produtor buscar infor-
mações sobre os híbridos disponíveis no mercado Grãos 15,6 4,8 5,1 0,4 2,2 1,2 24,4 3,8 2,1
Restos 9,3 1,1 21,6 6,2 5,7 1,3 42,2 17,2 19,1
antes de decidir sobre a população de plantas. Para
Total 24,9 5,9 26,7 6,6 7,9 2,5 66,6 21,0 21,2
cada híbrido há uma população indicada e para
% Exportado 62,7 80,9 19,1 5,9 28,2 48,0 36,6 18,1 9,9
aumentá-la devem ser considerados outros fatores
Importante: para silagem, valores de reposição indicados pela ROLAS são estes: 90kg/ha (P O ) e 150kg/ha (K O).
como a fertilidade do solo, o nível de adubação, a Fonte: Dirceu Luiz Broch - Fundação MS, 1999.
2 5 2

qualidade de plantio (velocidade, profundidade e


distribuição das sementes e do adubo), a tecnologia adotada, o
histórico de chuvas na área e disponibilidade de irrigação, além
da altitude e da época de plantio. Este conjunto de informações
é que determina a população ótima da lavoura.

Gráfico 2. Produção de Matéria Seca (MS) em três populações e dois


espaçamentos entre linhas e seus efeitos sobre FDA, FDN e NDT

NDT % FDN % FDA %


25.000 100%
23.182
22.019
21.169 90%
19.944 20.556
20.000 19.279
Produtividade de MS (kg/ha)

80%
71% 71% 71% 71% 71% 71%
70%
15.000

60%
49% 50% 49% 49% 49% 49%
10.000
50%

40%
5.000
24% 24% 24% 24% 24% 24% 30%

0 20%
40cm 80cm 40cm 80cm 40cm 80cm
60.000 80.000 100.000
FDN - Fibra em Detergente Neutro; FDA - Fibra em Detergente Ácido; NDT - Nutrientes Digestíveis Totais.
Fonte: Fundação ABC, Safras 2004/2005, 2005/2006 e 2006/2007.

05
Quais as vantagens de se plantar
milho Bt para silagem?

Com a introdução da tecnologia Bt na cultura do milho, Além disso, e complementando o controle do espectro de
produtores têm obtido bons resultados no manejo de pragas, pragas nas fases iniciais, como percevejos, tripés, corós e
como o controle satisfatório da lagarta-do-cartucho, lagarta- cigarrinhas, a Pioneer oferece serviço de Tratamento de
elasmo e broca da cana-de-açúcar. Especialmente para os Sementes Industrial. Por meio de tratadores especialmente
produtores de silagem, esta tecnologia contribui para a redução desenvolvidos para esta finalidade, o Tratamento de Sementes
dos custos de produção pelo menor uso de inseticidas, menor Industrial Pioneer assegura dose, cobertura e integridade das
consumo de combustível, máquinas e equipamentos e, princi- sementes. Ainda neste serviço são oferecidos produtos regis-
palmente, reduz sua exposição aos produtos químicos com trados e comprovadamente eficientes para o controle destas
melhoria à sua qualidade de vida e ao meio ambiente. Neste pragas, sendo recomendado o monitoramento constante da
cenário, a tecnologia Herculex® I, que possui ação sobre as 5 lavoura para determinação de aplicação complementar com
principais lagartas que atacam a cultura do milho, se consolida inseticidas. A combinação do Tratamento Industrial, híbridos
como a melhor tecnologia Bt, pois foi testada e aprovada pelo Pioneer e a tecnologia Herculex® I resultam no já conhecido
produtor (Quadro 1). Ainda, associada à genética superior da Sistema de Solução Completa, e representa o que de mais
Pioneer®, se torna a melhor opção para o aumento da produtivi- moderno uma empresa de sementes pode oferecer em termos
dade das lavouras de milho. de tecnologia e inovação para a sua lavoura.

Quadro 1. Tecnologia Herculex® I versus Praga-alvo

Lagarta-do-cartucho
Spodoptera frugiperda CONTROLE

Broca-da-cana-de-açúcar
Diatraea saccharallis CONTROLE

Lagarta-elasmo
Elasmopalpus lignosellus CONTROLE

Lagarta-rosca
Agrotis ipsilon SUPRESSÃO

Lagarta-da-espiga
Helicoverpa zeae SUPRESSÃO
Tecnologia de proteção contra insetos Herculex® I desenvolvida pela Dow AgroSciences e Pioneer Hi-Bred.
® Herculex® I e o logo HX são marcas registradas da Dow AgroSciences LLC.
® Liberty Link é marca registrada e utilizada sob licença da Bayer CropScience.

Tratamento de Sementes Industrial Pioneer - É semente pronta pra plantar!


Vantagens e benefícios:
- Segurança da dose e da cobertura das sementes
- Segurança na manutenção da qualidade física das sementes
- Segurança do tratador e dos funcionários da propriedade
- Segurança e conveniência para o produtor

® ® ®
Cruiser é marca registrada da SYNGENTA PROTEÇÃO DE CULTIVOS LTDA. Poncho é marca registrada da BAYER S.A. Standak é marca registrada da BASF S.A

06
A IMPORTÂNCIA DAS PRÁTICAS DE ENSILAGEM INDICADAS
PARA A PRODUÇÃO DE SILAGEM DE QUALIDADE

Qual o ponto ideal de corte do milho


para a produção de silagem?

O ponto ideal de colheita para ensilar é quando a planta


acumula a maior quantidade de Matéria Seca (MS) de melhor
qualidade nutricional. Em geral, pode-se identificar este
momento pelos grãos do milho, que estão no estádio farináceo
duro (50% da linha do leite). Neste momento, o teor de MS da
planta varia de 32% a 38%, dependendo da sanidade de col-
mos e folhas no momento da ensilagem.

Tabela 4. Potencial de produção e teor de Matéria Seca (MS)


da planta de milho conforme estágio de maturação

Potencial de produção
Estágio de maturação
Grãos Planta *Teor MS%
Florescimento 0 55 15
Formação grão 10 60 20
Leitoso 50 75 25
Farináceo 75 85 30
Farináceo-duro (50% linha leite) 95 100 35
Duro 100 100 45
Foto 1
Adaptado de Mahana (1996). *Teor de Matéria Seca da planta

Neste estádio da lavoura, (Foto 1), colhe-se 95% dos grãos


e 100% da forragem que o milho pode produzir. Na Tabela 4,
Tabela 5. Teores de fibra e concentração energética verificados
verifica-se que quanto mais cedo se colhe o milho para silagem para silagens colhidas com diferentes teores de Matéria Seca
menor é a participação de espigas e, por consequência, menos
Matéria Seca Fibras Energia
grãos, o que produzirá uma silagem com teor de energia e qua-
(%) FDN (%) FDA (%) (NDT %)
lidade abaixo da capacidade real da lavoura, simplesmente por
20 a 25 55 32 65
uma decisão errada do momento de cortar a lavoura.
25 a 30 53 29 67
Além disso, em trabalhos realizados pela Fundação ABC
30 a 35 47 26 69
(Tabela 5), constatou-se que a antecipação de corte do milho
35 a 40 46 25 70
para silagem, em função da menor quantidade de grãos, eleva
FDN - Fibra em Detergente Neutro; FDA - Fibra em Detergente Ácido; NDT - Nutrientes Digestíveis Totais.
os teores de fibra e reduz sensivelmente os teores de energia Fonte: Fundação ABC (2007).

(NDT) da silagem.

07
O corte antecipado da silagem, sob o ponto de vista eco-
É mais fácil cortar a silagem verde? Os animais
nômico, implica no aumento dos custos de produção, pois consomem mais quando a silagem é verde?
silagens de baixo valor energético demandam maiores quanti-
dades de concentrado na dieta para atender as exigências O corte do milho deve ser melhorado fazendo-se o uso
nutricionais dos animais. correto da ensiladeira e não cortando a planta mais verde,
Quanto a conservação da silagem, no Quadro 2 estão quando se tem menos grãos. O ideal é que se faça a afiação
correlacionados os teores de MS e pH da silagem com a segu- das facas duas vezes ao dia, no mínimo, quando se está cor-
rança na manutenção da sua qualidade. Nota-se que o corte tando a lavoura. Também deve ser feita a aproximação das
com teores de MS mais elevados proporciona maior seguran- facas com contra-facas de maneira a se obter tamanhos regu-
ça na conservação da silagem do que em situações de corte lares de partículas e a máxima quebra de grãos. Os animais
antecipado (mais verde), lembrando que o corte adequado das consomem mais a silagem verde porque o seu conteúdo de
partículas e a boa compactação da silagem são fundamentais. água é maior, de modo que o animal precisa comer mais para
que esteja satisfeito. Quando se colhe a silagem mais
Quadro 2. Relação entre teor de Matéria Seca, pH da silagem verde os riscos de perdas na conservação são ainda
e segurança na conservação
maiores em função do crescimento de bactérias do
Teor de Matéria Seca (%) gênero Clostridium (Quadro 2). Além disso, os produ-
PH
15 20 25 30 35 tos oriundos da degradação da silagem também
< 3,6 segura segura segura segura segura interferem de forma negativa no consumo da silagem.
3,6 - 3,8 segura segura segura segura segura
3,8 - 4,0 cuidado segura segura segura segura
4,0 - 4,2 perigo cuidado segura segura segura
4,2 - 4,4 perigo perigo cuidado segura segura
4,4 - 4,6 perigo perigo perigo cuidado segura
4,6 - 4,8 perigo perigo perigo perigo cuidado
> 4,8 perigo perigo perigo perigo perigo

Segura: Silagem potencialmente segura. Perigo: Risco de crescimento de Clostridium sp. e Listeria sp.
Fonte: Lallemand, 2003 - citados por Citado por Mari e Nussio (2004).

A maneira mais eficiente de garantir que a lavoura será


cortada no ponto ideal é ampliar a janela de corte através do Numa situação onde se deve decidir entre
começar o corte da silagem mais cedo, ou
uso do Sistema de Combinação de Híbridos. O plantio de dife-
atrasar o corte, por questões de equipamento,
rentes híbridos com características especiais para silagem e tamanho de área, etc., qual seria a melhor
com diferentes ciclos deve ser um recurso utilizado pelo agri- decisão? Atrasar ou antecipar?
cultor. Esta prática permite que a janela de corte seja o maior
possível, aumentando a probabilidade de que o corte da lavou- Nestes casos, é mais vantajoso colher um pouco mais
ra seja feito dentro do melhor período. Isso assegurará uma passado do que antecipar o corte. Para esclarecimentos, veja a
silagem com maior qualidade e com mais energia. resposta da pergunta sobre ponto ideal de corte na página nº 7.

08
Como se pode observar, grande parte da silagem fica reti-
Qual o tamanho ideal das partículas
para silagem? da entre as bandejas de furos com 1,18 mm e 8,0 mm. Este
não é o tamanho das partículas, e sim o diâmetro da malha. O
O corte da planta tem papel fundamental na qualidade da intervalo recomendado indica maior eficiência na quebra de
silagem. Quando cortadas em tamanho ideal (0,5 a 1,5 cm), de grãos. Tal característica, aliada à uniformidade das partículas,
maneira uniforme e com a maioria dos grãos devidamente propiciará maior consumo, sobretudo de fibras, diminuindo as
processados, a compactação é facilitada e a redução de ar na sobras nos cochos, aumentando o aproveitamento (digestibili-
silagem é mais rápida. A redução de ar é essencial para a inibi- dade) do grão e facilitando a compactação da silagem, o que
ção do processo de respiração, onde se tem a liberação de melhora em muito o processo de fermentação.
energia na forma de calor (energia que seria utilizada pelo
animal). Na prática, boa qualidade de corte é obtida com a
afiação das facas, duas ou mais vezes ao dia, aproximação de Separador de Partículas
Penn State (SPPS)
facas e contra-facas e ajuste no corte de acordo com o teor de
MS no momento da ensilagem, monitorando o processo pela
eficiência na quebra do grão e no corte da planta.

Como deve ser feita a regulagem


da ensiladeira?

A recomendação é que a regulagem da ensiladeira esteja


entre 4,0 e 5,0 mm, dependendo da marca do equipamento.
Este ajuste permite que as partículas da silagem fiquem, em
sua maioria, com tamanho variando entre 1 a 2 cm e, o mais
importante, se maximize a quebra de grãos. A regulagem pode
ser um pouco menor - 3,0 mm a 3,5 mm - quando a silagem
está com teores mais elevados de Matéria Seca. Contudo, a
metodologia recomendada para avaliação do tamanho das
Como reduzir a presença de grãos
partículas foi desenvolvida por uma equipe da Pennsylvania de milho nas fezes dos animais que
State University, dos Estados Unidos, que criou o Separador consomem silagem?
de Partículas Penn State, conhecido como SPPS. Trata-se de
um conjunto de bandejas perfuradas com malhas de diâmetros Independente do tipo de grão, duro (flint) ou mole (denta-
diferentes, dispostas umas sobre as outras. A superior tem do), o milho que está na silagem tem uma digestibilidade
orifícios de 19,0 mm, a seguinte, orifícios de 8,0 mm, a tercei- pelo animal de aproximadamente 70 a 80% (após 24 horas
ra, orifícios de 1,18 mm e a bandeja inferior não tem aberturas de ingestão), de maneira que sempre haverá nas fezes uma
(caixa). A recomendação atual para a distribuição adequada parte dos grãos consumidos, principalmente em silagens de
de tamanhos de partículas é mostrada na Tabela 6. boa qualidade, pois essas são mais ricas em grãos. Para que
o aproveitamento do grão seja maior o principal cuidado
deve ser com a ensiladeira, afiando-se frequentemente as
Tabela 6. Recomendações de tamanho de facas e aproximado-as das contra-facas. Este procedimento
partículas para silagem de milho
aumenta sensivelmente a quebra dos grãos e facilita em
Diâmetro das malhas Silagem de milho muito a sua digestibilidade. Nunca antecipe o corte do milho
das bandejas (% retida) pensando em reduzir a quantidade de grãos nas fezes (aque-
19 mm 3a8 la história errada de que “silagem tem que chorar”), pois,
8 mm 45 a 65 neste caso, o que diminui é o milho na comida (silagem), o
1,18 mm 30 a 40 que piora sua qualidade, reduzindo seu teor energético. A
< 1,18 mm <5 não presença de grãos nas fezes não significa que a silagem
Fonte: Pennsylvania State University. tem alta qualidade.

09
É recomendável elevar a altura de corte Na porção que sobra no solo (toco) está a
da ensiladeira para se aumentar participação maior concentração de potássio da planta?
de grãos na silagem?

Não. O potássio está distribuído em toda a planta e sua


Durante algum tempo esta prática foi recomendada, maior concentração está nas folhas onde atua na abertura dos
porém hoje, é totalmente dispensável para os modernos híbri- estômatos. Na Tabela 8 são apresentados teores de potássio
dos de milho atualmente recomendados para a silagem. O a cada 10 cm no caule da planta de milho. Veja que até 70 cm
aumento da participação de grãos na silagem ocorre de ma- de altura não se tem mais que 2,4% de potássio no caule. A
neira muito mais eficiente e barata investindo-se na obtenção reposição de potássio se faz obrigatória através de adubações
de maiores produtividades na lavoura. Em outras palavras, devidamente recomendadas.
colhendo-se lavouras de maior produtividade de grãos têm-se
silagens de melhor qualidade (valor nutricional) e de menor Tabela 8. Concentrações de potássio no caule
custo, uma vez que o custo operacional (colheita e ensilagem) da planta de milho cortada a cada 10 cm
é mais diluído no custo total da silagem. Com a elevação da Potássio (%)
Altura do
altura corte colhe-se menos qualidade (leite ou carne) por colmo (cm) Híbrido A Híbrido B
área, conforme ilustrado na Tabela 7. 0 - 10 2,43 2,35
10 - 20 2,31 2,14
Tabela 7. Produtividade da lavoura e qualidade nutricional 20 - 30 2,43 2,20
da silagem para diferentes alturas de corte
30 - 40 2,12 1,83
Altura de corte (cm) 40 - 50 1,86 1,72
0 50 100 50 - 60 1,80 1,49
MS kg/ha 25.563 22.111 16.581 60 - 70 1,64 1,40
NDT % 71,0 71,6 75,8 Fonte: Pioneer Sementes.

NDT/ha 18.160 18.123 12.564


*Leite kg/ha 38.436 33.207 27.371
*Carne kg/ha 3.819 3.369 2.910 Qual o tempo máximo que se tem
Fonte: Pereira, J.R.A. (2010) * Estimativa de produtividade para o enchimento de um silo?

O enchimento determina quando a lavoura estará em con-


dições ideais, com o mínimo de perdas, para o início da fer-
Qual seria a altura recomendável?
mentação e conservação. Por isso precisa ser feito rapida-
mente, pois a glicose que as bactérias poderiam transformar
A altura de corte deve ficar entre 25 a 30 cm do solo. Desta em ácidos (que reduzirão o pH e conservarão a silagem) está
maneira evita-se o recolhimento de solo na colheita, reduzin- sendo utilizada no processo de respiração e, assim, “perden-
do-se a presença de microrganismos indesejáveis ao proces- do” energia (Glicose 2 CO2 + 2 C2H5OH + 25 cal). O rápido
so de ensilagem (contaminação) bem como o desgaste na fechamento do silo, sempre associado a uma boa compacta-
ensiladeira pela ação da areia. ção, diminuiu a presença de oxigênio na massa ensilada e,
desta maneira, o processo de respiração acaba e a fermenta-
ção predomina.
O planejamento desta operação começa na preparação da
lavoura. Recomenda-se a combinação de híbridos para explo-
rar os diferentes ciclos, permitindo adequada janela de corte e
respeitando as indicações agronômicas de cada híbrido. A
divisão da área total da lavoura de silagem em dois ou mais
talhões permite a colheita no ponto ideal e a otimização do uso
das máquinas. A área a ser colhida para silagem cada vez será
menor, o que exige um número maior de silos, porém de tama-
nho menor. Silos menores são mais fáceis de compactar, per-
mitindo melhor conservação da silagem. Ademais, as retiradas

10
diárias podem ser mais profundas, o que preserva a qualidade
diária do alimento.
A eficiência na retirada do ar é o segredo da boa silagem.
É preciso interromper o processo de respiração, que eleva a
temperatura e consome energia. Lavouras colhidas com teo-
res de MS mais altos exigem mais cuidado na picagem, pois
permitem a existência de maior quantidade de ar na massa
ensilada. Na Tabela 9 tem-se a quantidade de calor liberada
de acordo com a quantidade de ar existente na massa no
momento da ensilagem.
Quanto maior for a compactação maior será a densidade
(em kg de MS/m3) no silo. Além do melhor aproveitamento da
capacidade do silo, haverá significativa redução das perdas. A
Como reduzir as perdas depois do
densidade ideal para a silagem de milho fica em torno de 550 fechamento do silo?
kg/m3. Valores muito acima disto geralmente resultam de sila-
gens com teores mais baixos de Matéria Seca, colhidas mais As perdas que podem ocorrer depois do fechamento do silo
verdes, o que não se recomenda. A boa compactação exige são na camada superior, em contato com a lona, e decorrem da
tratores pesados, quando disponíveis, mas principalmente, a dificuldade de compactação no momento de arrematar o silo,
distribuição em camadas mais finas e um tempo de compacta- sobretudo nos mais abaulados, da temperatura elevada (conta-
ção superior à soma entre o tempo gasto no corte e na descar- to com a lona) e da condensação diária de vapor d'água.
ga. É preciso tirar o ar rapidamente, para inibir a respiração. Como recomendação, para se reduzir as perdas deve-se
buscar sempre alta densidade da silagem,
Tabela 9. Energia liberada (kcal) segundo o teor de Matéria Seca resultado da boa compactação, uso de lonas
no enchimento do silo
de maior espessura (200 micra ou mais), boa
Matéria Seca Quantidade por m 3
Energia liberada vedação nas laterais evitando possíveis infil-
(%) Água (L) Ar (L) (kcal) trações e boas cercas de proteção ao redor
20 400 500 457 dos silos.
30 280 620 571 Quanto ao uso de peso sobre a lona não
40 208 700 640 há uma regra geral. Se optar por lona preta o
Fonte: adaptado de Lindgren (1999), citado por Mari e Nussio (2004). produtor deve colocar uma camada uniforme
de terra para sua proteção. Neste caso, arrematar o silo (tipo
trincheira) de forma menos abaulada e um pouco acima do
Mas a divisão da área de silagem em duas
solo, para que a distribuição de peso sobre a lona seja unifor-
ou mais lavouras não aumenta o número de
silos na propriedade? me. No caso de se usar lonas dupla face (mínimo de 200
micras) a proteção pode ser dispensada, até porque o uso de
Sim. E isso, geralmente, é interessante ao produtor. Se materiais orgânicos como capins cria um ambiente favorável à
tivermos, por exemplo, uma área de lavoura divida em dois presença de roedores que podem resultar em consideráveis
híbridos teremos como vantagem: prejuízos ao produtor.
a) O tempo de enchimento do silo é menor - Se divididos
em dois, ao invés de se gastar dez dias para encher um
único silo, pode-se fechar um a cada cinco dias;
b) Os silos serão menores. Isto facilita em muito a com-
pactação;
c) A retirada diária de silagem abrangerá maior área no
silo, de modo que as perdas por exposição ao ar serão
menores e a qualidade diária da silagem melhor;
d) Grande parte da silagem produzida ainda estará prote-
gida (silos vedados) durante o período de uso, manten-
do melhor a sua qualidade.

11
Quantos dias após o fechamento do
silo eu posso abrí-lo e utilizar essa silagem
para a alimentação animal?

O processo de fermentação depende, principalmente, de


uma boa compactação que por sua vez depende de uma pica-
gem uniforme da planta de milho, principalmente palhas e
sabugo. Se a silagem for muito bem compactada o silo pode
ser aberto a partir de 21 dias após seu fechamento. Geral-
mente, espera-se pelo menos 30 dias para abrí-lo.

Se precisar abrir o silo mais cedo,


como devo proceder?

Neste caso seria interessante utilizar uma parte da lavoura


para corte. Isto é possível quando se faz o plantio de mais de
um híbrido para silagem (combinação de híbridos) já que se
tem uma parte da lavoura que ainda vai ser cortada. Quando
isto não é possível recomenda-se que se faça um silo menor,
geralmente de superfície, que será utilizado em poucos dias.
Não se recomenda a abertura de silos maiores (que serão
utilizados por longo período) logo após seu fechamento (me-
nos de 15 dias). O risco da silagem voltar a aquecer ainda Qual o melhor tipo de silo para
existe, podendo comprometer sua qualidade. silagem de milho?

Se o processo de ensilagem for bem conduzido o tipo de


silo pode ter pouca interferência sobre a qualidade da silagem.
Silos do tipo trincheira facilitam a compactação e, geralmente,
possibilitam maiores quantidades de Matéria Verde/m3 que os
silos de superfície. Os silos de superfície também permitem que
se produzam silagens tão boas quanto os tipo trincheira. Neste
caso exige-se mais cuidado na compactação, principalmente no
abaulamento final do silo. Quando o operador do trator não tiver
muita experiência, no momento da compactação, devem-se
colocar anteparos laterais ao silo de maneira a permitir a eleva-
ção da massa ensilada sem que as laterais se “abram”.

Qual a viabilidade de se utilizar aditivos


na silagem de milho? O revestimento do silo em alvenaria
é necessário?
Se o milho for cortado no ponto certo, tamanho uniforme
de partículas e bem compactado, o uso de aditivos microbioló- Quando se tem solo argiloso no local do silo, de modo que
gicos (inoculantes) pode auxiliar no processo de fermentação não haja desmoronamento das paredes laterais, o silo pode
e, consequentemente, na estabilidade da silagem após abertu- dispensar revestimento. Também não se faz obrigatório o
ra do silo. Produtos que interferem na fermentação (sal e cal- revestimento das laterais e do fundo do silo com lonas plásti-
cário) devem ser evitados. Milho moído e farelos somente cas. Caso as condições de solo não sejam muito favoráveis
quando o milho, por alguma razão, for cortado com baixo teor (risco de infiltrações ou solo muito arenoso), o produtor deve
de Matéria Seca (Ex: lavoura de milho que sofreu geada). então pensar em revestimento dos silos.

12
Quanto às análises bromatológicas as principais são:
- Matéria Seca (MS) - corresponde ao peso total da sila-
gem descontada toda a umidade (água). É a fração onde estão
contidos os nutrientes que os animais irão transformar em car-
ne ou leite. Deve ser o principal critério básico para se avaliar
produtividade e custos de uma silagem. O ideal é que esteja
entre 32 e 37%.
- Fibras - Duas frações devem ser analisadas:
a) A Fibra em Detergente Neutro (FDN) que indica a quanti-
dade de fibra (principalmente a da planta) presente na
silagem. Os valores considerados ideais para essa fra-
ção devem ficar entre 45 e 52% da MS. Como os grãos
têm pouca fibra, valores baixos de FDN indicam, geral-
O que se deve levar em consideração mente, silagens com maior quantidade de grãos, enquan-
no dimensionamento de um silo? to que valores maiores de FDN indicam menores quanti-
dades de grãos e/ou que a silagem pode ter sido colhida
A preocupação primeira deve ser com a quantidade de acima do ponto ideal (teores de MS acima de 40%).
silagem a ser retirada diariamente. A partir daí faz-se o dimen- b) A Fibra Detergente Ácido (FDA) que indica a porção da
sionamento do silo, que deve levar em conta a retirada diária “fibra de baixa qualidade” que, por sua vez, está direta-
de todo o painel (frente) do silo numa profundidade superior a mente correlacionada com a menor digestibilidade da
25,0 cm, ou então, retirar metade do painel por dia em profun- silagem. O teor de FDA permite estimar qual será o con-
didade superior a 50,0 cm. As paredes laterais podem ter teúdo energético da silagem, expresso em NDT (Nutrien-
ângulo reto (900), o que facilita em muito os serviços de alvena- tes Digestíveis Totais) através da fórmula: NDT = 87,84 –
ria. A largura mínima do silo de ser 1,5 vezes a largura do roda- (0,70 x FDA%). Quanto mais alto o valor de NDT melhor.
do do trator. Sempre considere uns 20% a mais nas estimati- Valores acima de 68% já podem ser considerados eleva-
vas de consumo. dos para silagem.
- Proteína Bruta (PB) – Corresponde a fração protéica da
silagem considerando todo o nitrogênio (N) que esteja na Maté-
Como posso avaliar de forma prática se a ria Seca, seja ele protéico (aminoácido – NH2...) ou não protéi-
silagem é de alta qualidade? co (amônia – NH3 e outras fontes). Os valores de proteína na
Quais parâmetros são importantes serem silagem podem variar de 5 a 10% da MS. A proteína não deve
observados em uma análise bromatológica?
ser o principal fator de se avaliar a qualidade da silagem, pois
metade da proteína da silagem, devido ao processo de fermen-
No campo, uma boa silagem tem cheiro agradável e leve- tação, é convertida em nitrogênio não protéico, ou seja, é de
mente ácido, cor clara (verde e amarelada ou bege), textura baixa qualidade.
firme (não molda quando comprimida na mão) e rica em grãos - Os teores de óleo (EE), matéria mineral (MM) são pouco
(quando apertados nos dedos têm textura farinácea e uma expressivos e de variação pequena na silagem. Geralmente
fração mais dura). não são fatores considerados na avaliação de silagens.

13
PRODUTOS, TECNOLOGIAS E SERVIÇOS OFERECIDOS PELA PIONEER® PARA SILAGEM

Para levar a melhor tecnologia de produção aos produtores e profissionais da assistência técnica, a Pioneer desenvolveu um
pacote tecnológico que contempla todos os investimentos em pesquisa, produtos, serviços, informação, qualidade e difusão de tecno-
logia para o mercado de silagem. Confira a seguir, os principais produtos, tecnologias e serviços oferecidos para as diferentes regiões
produtoras de silagem.

Híbridos Pioneer indicados para silagem por Zona Ambiental Homogênea

32R22 H 32R48 H 30F53 H


Região SUL

30R50 H 30B39 H 30B30 H

30F53 H 30K64 H
Região
CENTRO ALTO 30F35 H
30F90 H P3862 H

30K64 H
Região
CENTRO BAIXO 30F35 H 30F90 H
P3862 H

30S31 H P3646 H 30F90 H


SAFRINHA

P3862 H P4285 H 30B88


Tecnologia de proteção contra insetos Herculex® I desenvolvida pela ® Liberty Link é marca registrada e utilizada
Dow AgroSciences e Pioneer Hi-Bred. sob licença da Bayer CropScience.
® Herculex® I e o logo HX são marcas registradas da Dow AgroSciences LLC.
14
®
Índices de produtividade de híbridos Pioneer para silagem

Híbrido MV/ha MS/ha NDT (%) FDA (%) FDN (%) PB (%)

32R22H 64.067 19.697 73,1 22,8 42,6 7,2


32R48H 65.434 19.956 70,6 26,0 47,1 7,6
30F53H 59.722 19.883 72,2 23,5 44,1 7,5
30R50H 64.288 21.664 71,1 23,2 44,0 7,4
30B39H 57.874 20.212 72,8 23,6 44,9 7,6
30B30H 59.692 18.716 70,4 25,8 50,4 7,3
30K64H 57.432 17.482 65,1 28,9 43,6 7,6
30F35H 57.965 17.680 68,9 25,7 40,9 6,6
30F90H 62.524 20.883 71,3 24,6 42,8 7,1
30S31H 64.216 19.903 68,4 25,4 44,8 6,8
P3646H 58.685 17.930 71,4 22,8 40,1 7,2
P3862H 61.238 19.032 70,1 23,3 42,8 7,4
P4285H 59.867 17.692 68,9 26,7 44,6 7,5
30B88 58.624 18.140 69,1 27,9 43,1 6,9

MV/ha - Matéria Verde expressa em kg/ha; MS/ha - Matéria Seca expressa em kg/ha; NDT - Nutrientes Digestíveis Totais expresso em %; FDA - Fibra Detergente Ácida expressa em %;
FDN - Fibra Detergente Neutra expressa em %; PB - Proteína Bruta expressa em %.
Obs.: Dados médios de vários ensaios conduzidos pela Pioneer Sementes, que poderão sofrer variações conforme o ambiente e as práticas de manejo adotadas.
Fonte: Pioneer Sementes.
Tecnologia de proteção contra insetos Herculex® I desenvolvida pela Dow AgroSciences e Pioneer Hi-Bred. ® Liberty Link é marca registrada e utilizada sob licença da Bayer CropScience.
® Herculex® I e o logo HX são marcas registradas da Dow AgroSciences LLC.

* Em casos de intolerância à lactose, o leite e seus derivados não devem ser consumidos. Consulte um médico.
® Marca registrada ou usada nos países do mundo pela Pioneer Hi-bred International.

O leite é essencial para uma alimentação


completa e saudável.
A Pioneer ® tem orgulho de fazer parte da cadeia produtiva leiteira.

15
Pioneer ®

Silagem .
e, mais qualidade, mais leite
mais volum
® Marcas registradas pela Pioneer Hi-Bred

A Pioneer tem os melhores híbridos para silagem, reunindo volume, qualidade e a tecnologia Herculex®I, que controla as principais
pragas do milho. Procure o representante da Pioneer e conheça o pacote de híbridos para silagem específicos para a sua região.
Silagem Pioneer, muito mais leite!