Você está na página 1de 4

COORDENADORIA DO CURSO DE ENGENHARIA DE

TELECOMUNICAÇÕES

PLANO DE ENSINO

Disciplina: Eletrônica II Período:7º Currículo: 2010


Docente Responsável: João Pedro Hallack Sansão Unidade Acadêmica: DTECH
Pré-requisito: Eletrônica I Co-requisito: -
C.H. Total: 72 h C.H. Prática: 36h C.H. Teórica:36h Grau:3º Ano:2018 Semestre:2º
EMENTA
Amplificadores diferenciais e de múltiplos estágios. Resposta em freqüência. Realimentação. Estágios
de saída e amplificadores de potência. Circuitos Integrados analógicos. Filtros e amplificadores
sintonizados. Aulas Práticas em laboratório.
OBJETIVOS
Esta unidade curricular complementa a ementa da disciplina Eletrônica I e ao final o aluno será capaz
de conhecer os princípios de funcionamento e aspectos relevantes ao projeto dos amplificadores de
sinais.
CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
1. Amplificadores Operacionais
1. Configuração inversora
2. Configuração não-inversora
3. Amplificador de diferenças
4. Efeito do g1anho-faixa de passagem
5. Operação em grandes sinais
6. Integradores e Diferenciadores
7. Imperfeições DC do amplificador operacional
8. Práticas de Laboratório: Amplificador de Instrumentação, Implementação de um sistema em espaço de
estados

2. Amplificadores de estágio simples


1. Polarização de circuitos integrados
1. Fontes de corrente
2. Espelhos de corrente
3. Guias de corrente
4. Simulação em SPICE
2. Circuitos com transistor bipolar de junção (BJT)
1. Resposta em freqüência de amplificadores
2. Teorema de Miller
3. Circuitos com transistor de efeito de campo (MOSFET)
4. Amplificadores com Carga ativa
5. Resposta em freqüência dos circuitos Fonte Comum e Emissor Comum
1. Análise Exata
2. Método das constantes de tempo
3. Implementação em laboratório
6. Porta comum e base comum com carga ativa
1. Estudo da resposta em freqüência
7. Amplificador CASCODE
1. Estudo da resposta em freqüência
2. Implementação em laboratório
8. Amplifcador Fonte Comum (e Emissor Comum) com degeneração de fonte (Emissor)
9. Seguidor de Fonte (Emissor)
1. Resposta em freqüência
2. Implementação em laboratório
10. Espelhos de Corrente de desempenho melhorado
1. Espelho de Wilson
2. Espelho Bipolar com compensação de corrente de base
3. Espelho de Widlar
4. Espelho Cascode

3. Amplificadores Diferenciais e múltiplos Estágios


1. Par diferencial MOS
2. Operação em Pequenos Sinais MOS
3. Par diferencial TBJ
4. Características não ideais do par diferencial
5. Par diferencial com carga ativa
6. Resposta em freqüência
7. Múltiplos estágios
1. Múltiplos Estágios TBJ
1. Simulação em SPICE
2. Múltiplos Estágios MOS
1. AmpOp. 2 estágios CMOS
2. Simulação em SPICE

4. Estágios de Saída e amplificadores de potência


1. Classes de estágios de saída
1. Classe A
2. Classe B
3. Classe AB
2. Circuitos práticos
3. Transistores bipolares de potência
4. MOSFET de Potência
5. Cálculo térmico
6. Simulação dos Estágios de Saída

5. Realimentação
1. Introdução
2. Propriedades da realimentação
3. Topologias de realimentação
4. Caso ideal
5. Revisão de Quadripólos
6. Caso real de realimentação
1. Exemplos
7. Determinação do ganho de malha
8. Instabilidade e o critério de Nyquist
1. Critério de Nyquist
2. Caso de Pólo Simples
3. Caso prático
4. Conceitos de Margem de Fase e Ganho
9. Compensação em freqüência
10. Narrowbanding
11. Estudos de topologias de realimentação em laboratório (pólos separados, pólos coincidentes, etc)

6. Circuitos integrados analógicos


1. Compensação em freqüência de Amp Op CMOS de 2 estágios
2. Circuito do LM741
3. Slew-rate
4. Projeto de Amp. Op. CMOS compensado.
7. Filtros Ativos
1. Introdução
2. Especificação em freqüência e no tempo
3. Especificação em Amplitude e atraso de propagação de grupo
4. Métodos de síntese de filtros
1. Análiticos
2. Semi-análiticos
3. puramente numéricos
5. Métodos analíticos
1. Gabaritos simplificados
1. Passa-baixas, passa-altas, passa-faixa, rejeita-faixa
2. Mapeamento no passa-baixas padrão
3. Equação de Feldkeller
6. Funções de transferência de filtros analíticos
1. Filtros em atenuação
1. Butterworth
2. Chebyshev tipos I e II
3. Cauer (Elíptico)
4. Legendre
2. Filtros de propagação de tempo de grupo
1. Bessel
2. Gauss
3. Filtros de atenuação e propagação de tempo de grupo
1. Filtros de Lerner
7. Métodos de síntese de filtros
1. Síntese em cascata
2. Síntese global
8. Blocos de base de filtros em cascata
1. Células de 1ª e 2ª ordem
1. Topologias de segunda ordem com único amp-op
1. Células de Sallen-key
2. Células de Rauch (MFB)
3. Célula de Friend (Universal)
2. Células com dois amp. Ops.
1. Circuitos baseados em Conversor Generalizado de Impedância
3. Células baseadas em filtros de variáveis de estado
1. Célula KHN
2. Célula Tow-Thomas
2. Filtros Rejeita Faixa
1. Ponte de Wien
2. Duplo-T
3. Filtros Passa-todas em cascata
9. Filtros baseados em topologias de capacitor comutado
10. Amplificadores sintonizados
11. Implementação de Filtros em laboratório

METODOLOGIA DE ENSINO
O aluno será exposto ao conteúdo programático através de aulas expositivas presenciais, aulas práticas
de laboratório envolvendo simulações computacionais e montagens de circuitos eletrônicos. Além das
aulas presenciais, atividades não-presenciais que contabilizam 20% da carga horária total da disciplina,
consistem no desenvolvimento de trabalhos práticos e listas de exercícios para aprofundamento do
conteúdo.
CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO
São propostas 4 atividades de avaliação: prova teórica 1 (N1=2,5 pontos), prova teórica 2 (N2=2,5 pontos),
prova prática (N3=2,5 pontos), trabalho de projeto de filtros (N4=2,5 pontos). A nota final (NF) é dada por NF =
N1+N2+N3+N4.

A prova teórica 1 corresponde aos itens 1,2,3 do Conteúdo Programático. A prova teórica corresponde aos item
4, 5 e 6. O trabalho de projeto de filtros corresponde ao 7. A prova prática corresponde aos item 1 a 6.
Uma prova substitutiva pode ser aplicada em substituição a uma das provas teóricas (N1 ou N2). Seu conteúdo
corresponderá aos itens 1 a 6.

Critério de Aprovação: NF >= 6,0 e Freqüência superior a 75% da carga horária


BIBLIOGRAFIA BÁSICA
Sedra, A. S. and Smith, K. C. (2015). Microelectronic Circuits (Oxford Series in Electrical and Computer
Engineering). Oxford University Press, USA.

Gray, P. R., Hurst, P. J., Lewis, S. H., and Meyer, R. G. (2009). Analysis and Design of Analog Integrated
Circuits. Wiley.

Sedra, A. S. and Smith, K. C. (1998). Laboratory Explorations for Microelectronic Circuits. Oxford
University Press, USA.
BIBLIOGRAFIA COMPLEMENTAR
Roberts, G. and Sedra, A. (1996). SPICE (Oxford Series in Electrical and Computer Engineering). Oxford
University Press, USA.

Tsividis, Y. (2003). Operation and Modeling of the MOS Transistor. Oxford University Press, USA.

Horowitz, P. and Hill, W. (1989). The Art of Electronics. Cambridge University Press.

Razavi, B. (2008). Fundamentals of Microelectronics. Wiley.

Carusone, T.C., Johns, D. A., & Martin, K. (2011). Analog integrated circuit design. John Wiley & Sons.
Aprovado pelo Colegiado em / /

João Pedro Hallack Sansão


Prof. Marcos Tomio Kakitani
Docente Responsável Coordenador do Curso de Engenharia de
Telecomunicações