Você está na página 1de 265

Palestra do Guia Pathwork No.

000
Palestra Anteriormente Editada

O QUE É O PATHWORK?

O Pathwork é uma disciplina espiritual contemporânea. É baseada num corpo de


ensinamentos inspirados por uma entidade espiritual de sabedoria profunda que se nomeia a si
próprio como - O GUIA. Estes ensinamentos chegaram até nós na forma de 258 conferências,
através do canal de EVA PIERRAKOS nos EUA, desde 1957 até o ano de sua morte em 1979.

O termo " PATHWORK " refere-se aos ensinamentos, ao trabalho contínuo de praticar e
integrar os conceitos e ao conjunto de exercícios colocados nas conferências, e àqueles que se
agrupam para se dar suporte mútuo neste trabalho.

O Pathwork é: as conferências, o estudo, os exercícios práticos e o grupo que trabalha junto.

As conferências são o coração do Pathwork. Elas cobrem um grande espaço - das relações
humanas à meditação, da responsabilidade global à orientação espiritual, indo até o amor divino.
Elas são unidas por um objetivo comum de uma vida maior, uma liberdade na qual os bloqueios e a
resistência em todos os níveis tenham sido dissolvidos e todas as energias da vida fluam através do
corpo e da alma. Ensinam que todos nós podemos aprender a abrir o canal para a nossa sabedoria
interior e a ouvir a voz do nosso Eu Divino. Nesse estado as pessoas - sós e em comunidade - têm
acesso a conhecimento, energia, prazer e amor ilimitados. Nesse estado o servir e o dar são naturais
e não exigem esforço.

As conferências proporcionam uma estrutura conceitual para o nosso trabalho, o trabalho de


auto purificação: o desvencilhar-se das ilusões a respeito de nós mesmos, dos outros e da natureza
da realidade; das defesas contra o amor, o compromisso e a mudança; da relutância em assumir a
total responsabilidade por nossas ações, pensamentos e circunstâncias. É um processo de resgate do
Eu Real, do Eu Unificado, que é tanto ativo quanto receptivo, a um tempo vazio e pleno, só e
relacionado. O Eu livre é responsável e feliz.

O Guia nos desperta, através das conferências, para a natureza e a origem do bem e do mal e
mostra como cada um deles se manifesta no nível humano de consciência. O crescimento espiritual
significa não apenas deixar de criar a escuridão por meio de nossa resistência ao Princípio Universal
de Vida; é também uma questão de fortalecer a manifestação do bem e, por fim, transcender a
dualidade entre o bem e o mal. As conferências são lúcidas e poderosas ao mostrar-nos como
reforçar a nossa identificação com o Divino, como submetermo-nos ao imperativo da vida.

Muitos dos conceitos introduzidos por elas são realmente revolucionários: têm o poder de
minar a estrutura de hábito e desesperança e de liberar tremenda energia para o crescimento, para a
mudança, para o servir. As conferências são um mapa para aqueles que são chamados pelo anseio

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation
Palestra do Guia Pathwork No. 001
Página 2 de 7

por uma relação mais verdadeira consigo mesmos e com a vida e para quem a auto purificação é ao
mesmo tempo uma necessidade e um prazer.

O PATHWORK é um modo de vida. É a senda que conduz à nossa verdade mais interior,
que é bela. Alguns de vocês podem duvidar disso pois muitas vezes ao olharem o próprio interior,
viram feiúra e dor, fugindo rapidamente para longe. Essa jornada para dentro pareceu-lhes perigosa.
Porém, o simples fato de estarem aqui mostra que sabem que ela vale a pena.

Todos nós temos uma máscara exterior e é ela que apresentamos ao mundo. Imaginamos que
fingindo ser diferentes daquilo que acreditamos ser realmente, vamos conseguir o amor e a
aprovação pelos quais ansiamos, pois, bem no fundo, sentimos que somos maus, desprezíveis. No
entanto, quando exploramos essa área má e desprezível em nós mesmos, penetramos na camada
mais profunda, no nosso Centro, que contém toda a beleza, sabedoria e criatividade. Grosseiramente
podemos traçar um diagrama de um círculo, a camada externa, a máscara, sob os traços negativos de
caráter, e, no centro, a luz. Como podemos saber que isso é verdade? Experimentando.

Nesse trabalho, a máscara externa é rapidamente penetrada e chegamos à questão: por que, em
primeiro lugar, precisamos dela? Se somos tão bonitos por dentro, por que estamos tão feios a
ponto de precisar encobri-lo? A camada feia é a Camada das Defesas. Mas do que precisamos nos
defender e por que o fazemos com tanto ódio e veneno?

Uma das explicações básicas do Guia para isso é que formamos concepções errôneas, na
infância, sobre o mundo, sobre as pessoas, sobre nós mesmos e sobre a natureza da vida. Ele as
chama de imagens, pois estão profundamente incrustadas na substância da nossa alma. Algumas
dessas concepções são trazidas por nós de encarnações anteriores, mas não podemos trabalhar com
elas e certamente não é necessário que nos demoremos sobre esse aspecto; nós trabalhamos com
esta vida. Digamos que uma garota tem uma mãe super protetora e um pai que a rejeita, ou pelo
menos ela os experimenta dessa maneira. Ela crescerá acreditando que pode conseguir o que quiser
das mulheres, mas nada dos homens. Essa crença vai atrair para ela, mulheres protetoras e homens
que a rejeitam, e ela vai realmente acreditar que a sua idéia de que todos os homens são cruéis e
todas as mulheres são gentis e permitirão tudo a ela, estará confirmada. Ela não será capaz de ter um
relacionamento satisfatório com um homem até que resolva a sua falsa convicção e, assim, torna-se
aberta para um tipo de experiência diferente. Este é, naturalmente, um exemplo muito simplificado.
Nossas concepções erradas criam padrões de vida muito complicados. Continuando o exemplo, essa
garota vai encouraçar-se contra a suposta crueldade dos homens de alguma maneira; talvez sendo ela
mesma cruel para não experimentar a dor da rejeição. Ela pode vender-se a outras mulheres, agir
como uma criança e odiar-se por isso. Ela pode envergonhar-se da sua falta de sucesso com os
homens e bancar a "Vamp", ou a intelectual ou o que quer que seja. Ela irá odiar a si mesma, cada
vez mais convencida de que a vida a está ameaçando injustamente. Essa altura ela já esqueceu que
originalmente havia essa grande dor de não receber do pai aquilo que ela queria. Esqueceu também
sua culpa por tentar consegui-lo traindo a mãe e bajulando o pai. A vida parece um caos sem saída.
Ela terá problemas no trabalho pois associará seus superiores ao seu pai ou à sua mãe. Será bastante
tensa por dentro, porque reprimiu os sentimentos originais de dor, e então ela teve que reprimir os
sentimentos de ódio, crueldade e raiva. Ela acredita que a sua máscara de doçura é o seu eu real e
que as pessoas tiram vantagem dela.
Palestra do Guia Pathwork No. 001
Página 3 de 7

Nossas crenças interiores, nossas concepções falsas, penetram todos os aspectos da


personalidade humana: nosso corpo, nossos sentimentos, nosso pensar e nossa espiritualidade. Todo
ser humano tem esses aspectos e, para tornarmo-nos completos, unidos com nós mesmos e com o
Universo, temos que ver as distorções em todos esses aspectos e trabalhar com elas.

Quando estamos com medo, por exemplo, nós contraímos os nossos músculos. Os
sentimentos originais, fluentes, de um bebê ficam bloqueados também no corpo à medida que a
criança contrai o fluxo dos seus sentimentos. O corpo mostra muito claramente esses bloqueios e,
através do trabalho da bioenergética, podemos reconhecer e libertar os nós, para deixar passar os
sentimentos e conectarmo-nos novamente com o nosso corpo. Muitas pessoas são desconectadas -
odeiam os seus próprios corpos e vivem na cabeça. Para descobrir quais são os nossos sentimentos
reais em qualquer momento, que outros sentimentos aqueles encobrem, trabalhamos em sessões
individuais e grupais. Usamos o nosso intelecto para incorporar os reconhecimentos emocionais em
nosso sistema inteiro, para corrigir nossas concepções errôneas, para reformular nossos conceitos,
alinhados com a verdade experimentada. Aprendemos também conceitos verdadeiros escutando as
conferências do Guia. Especificamente, dedicamo-nos a encontrar essa verdade, meditamos de
maneiras específicas para estabelecer contato com a nossa Essência interior e com as forças de
criatividade e amor do Universo.

Aprendemos que existem leis espirituais muito específicas que governam a vida e que essas leis
são justas, e que quando nós as violamos, estamos violando a nós mesmos. A lei básica é a lei da
auto responsabilidade. Nós somos responsáveis por aquilo que somos e não foram nossos pais ou a
vida quem "fez isso a nós". Estamos fazendo escolhas constantemente; nós reagimos a situações
externas à nossa própria maneira e, dessa forma, criamos conseqüências que, por sua vez,
provocarão certos eventos. Quando não vemos a relação de causa e efeito de nossas vidas é porque
muitas das causas estão recalcadas no nosso subconsciente. Desenterrar essas causas de lá de onde as
enterramos para evitar encará-las, é a nossa tarefa. Enquanto os nossos sentimentos negativos não
forem reconhecidos, eles terão poder sobre nós e sobre nossas vidas. Ao reconhecê-los, podemos
observá-los em ação, ver claramente a sua destrutividade e modificá-los.

E neste ponto deparamo-nos com outro ensinamento básico. O Universo é um sistema


energético permeado por consciência, ou antes, energia e consciência são uma coisa só, embora seja
difícil para nós entender esse conceito. Contudo, a energia de vida que está em cada célula do nosso
corpo, que é a nossa consciência, é boa, sábia e abundante. E é a mesma energia positiva que nós
distorcemos, em nossa ignorância e má vontade, e transformamos em mal, mesquinhez, ódio,
crueldade, negação e destrutividade. Sob a dor que sentimos, quando aquilo que queremos nos é
negado, existe uma intencionalidade negativa que deliberadamente distorce e desvia o que era
originalmente positivo. Podemos achar essa negatividade intencional em nós mesmos quando
cavamos suficientemente fundo. Descobrimos que nós queremos ferir, retirarmo-nos, apenas
receber, mas não dar.

Essa negatividade está incrustada naquilo que chamamos de Eu Inferior. Esse Eu Inferior é
egoísta, centrado em si mesmo. Ele não acredita nas pessoas, em ser aberto, no Universo. Ele quer
agarrar tudo para si mesmo. Tem três características básicas: vontade própria, orgulho e medo. Ele
Palestra do Guia Pathwork No. 001
Página 4 de 7

tem que ter tudo à sua maneira, imediatamente. É orgulhoso de si mesmo, coloca-se acima dos
outros. Mas também é medroso porque a sua vontade própria está sempre em perigo, seu orgulho
está sob constante risco de ser ferido. Essa é uma parte bastante infantil e pouco desenvolvida em
todos nós. É a parte de nós onde está abrigada nossa feiúra e a qual encobrimos com o nosso eu-
máscara.

Neste trabalho nós expomos o nosso eu inferior uns aos outros e assumimos a
responsabilidade por ele. Fazemos isso em nossas sessões individuais e nos grupos de bioenergética,
mas muito mais nos grupos "Pathwork".

Nesses grupos não empregamos técnicas específicas. Deixamos que o processo tome seu
rumo organicamente e todos ajudamos uns aos outros. Freqüentemente ocorre que duas pessoas que
têm algum conflito confrontam-se para descobrir o que realmente está ocorrendo; o processo
normalmente começa com um culpando o outro, então prossegue com a exposição em nós mesmos
do quanto desejamos humilhar ou ferir a outra pessoa. Entramos em contato com a dor que estamos
causando e com a dor que levamos em nós mesmos; apropriamo-nos da nossa destrutividade e
vemos de onde ela vem: do eu inferior, assustado e negativo. À medida que liberamos tais
sentimentos negativos, uma mudança ocorre, quase miraculosamente, e nós entramos em contato
com a nossa suavidade, nossa vulnerabilidade. Quando aceitamos o negativo em nós mesmo e nos
outros temos a experiência de que, quando expomos a parte suave e vulnerável que tínhamos
ocultado, ninguém vai nos ferir. E mesmo que realmente sejamos feridos, como é inevitável algumas
vezes, podemos suportar a dor. Deixar a dor entrar é um belo sentimento. É suave, tranqüilizante e
regenerador.

A maior dor é causada pela negação, em nós mesmos, do que temos de melhor. Reprimir
nosso amor, nossa doação, nossa confiança, nossa compaixão, nossa criatividade. Porque, então,
vamos contra a vida. Porém todos nós fazemos isso na medida em que reprimimos os nossos
sentimentos negativos. Não é possível reprimir um tipo de sentimento sem reprimir os outros e isto,
também, é uma lei. Portanto, quando começamos a reter o nosso ódio, a nossa insinceridade, nossa
manipulação, nossa crueldade, etc., também bloqueamos os nossos bons sentimentos. Quanto mais
você se afasta das suas negatividades, mais se afasta dos sentimentos que afirmam a vida. Não
poderia ser diferente. O bloqueio atinge tudo.

E isso nos leva a outro princípio básico: reconhecer os nossos sentimentos, assumir a
responsabilidade por eles, mas não agir de acordo com eles. O que isto significa?

Por exemplo, alguém me irrita, ou melhor, eu penso que ele me causa irritação. Então, no
decorrer do Pathwork, eu percebo que estou com muita inveja dessa pessoa, por minhas próprias
razões, e que a odeio. Eu quero machucá-la, e esta é a verdade do momento. Eu reconheço isso, mas
e daí? Se essa pessoa está no trabalho do Pathwork eu posso chegar até ela e dizer: "eu gostaria de
resolver algo com você, em grupo;" e lá é possível expressar o ódio, a inveja, a insegurança que estão
sob tudo isso e resolver o problema. Essa é uma situação segura. Mas naturalmente eu não posso ir
até alguém no meu local de trabalho e dizer "eu odeio você", ou simplesmente bater-lhe na cabeça.
Eu tampouco quereria continuar a agir segundo o meu ódio por ela, encobrindo-o e atingindo a
pessoa de outras maneiras mais sutis, como costumava fazer. Ambas são maneiras de expressar o
Palestra do Guia Pathwork No. 001
Página 5 de 7

ódio. Porém, ao reconhecer o sentimento eu posso usar a minha boa vontade e dizer a mim mesmo:
"eu quero matá-la, mas isso é porque eu tenho raiva, ódio e inveja em mim. Ela poderia até ser do
jeito que é, mas se eu não tivesse meus sentimentos negativos, eu não poderia querer matá-la. Seu
comportamento pode desencadear em mim esses sentimentos, mas ainda assim tais sentimentos são
meus. Ela não os causa. Quando atingimos esse ponto estamos um degrau acima na escada para a
autopurificação.

E talvez eu devesse ter começado por dizer que, essencialmente, este é um caminho de auto
purificação como um valor em si mesmo e não para nos livrarmos de certas manifestações
desagradáveis em nossa vida. É o nosso Eu Espiritual que busca a purificação, que procura a união
com a força criativa da vida, com Deus. O fato da nossa vida tornar-se mais satisfatória, de nos
acharmos em menos situações negativas, é um subproduto desse esforço dirigido. É talvez por isso
que esse caminho nunca finda. Vamos sempre mais e mais fundo e, também, cada vez mais alto. O
caminho dirige-se para cima, para baixo, ou ambos, na forma de um espiral. A medida que
penetramos mais fundo em nós mesmos, reconhecermos os mesmos erros, as mesmas atitudes
destrutivas, as mesmas concepções errôneas afetando camadas sempre mais profundas da nossa
consciência e por vezes parece-nos andar em círculos. Mas o movimento é em espiral e, à medida
que elevamos nossa consciência, liberamos cada vez mais energia que flui do negativo para o
positivo. E também, à proporção que percebemos como nós causamos aquilo que experimentamos,
uma nova esperança penetra em nossas vidas.

A maioria das pessoas acredita-se vítima das circunstâncias. Elas chafurdam na autopiedade e
pensam que a vida é vazia de esperança. Estão submetidas ao acaso. Porém, no instante em que
alguém enxerga como cria a sua própria vida, sabe que ela muda, muda também a sua criação. A
experiência dessa verdade advém do trabalhar-se a si mesmo. As conexões tornam-se muito claras.
Uma das maneiras de fazer isso é olhar para a nossa vida presente e analisá-la. Em que área eu estou
insatisfeito e frustrado? Nas áreas em que há mais insatisfação deve haver uma atitude negativa
interior correspondente; esta, por sua vez, é causada por uma concepção falsa subjacente.
Freqüentemente as pessoas perguntam: "por que eu nunca posso ter um belo relacionamento? Eu
quero tanto amar e ser amado e sinto que estou pronto para isso". Pode ter certeza que ele, ou ela,
não está realmente pronto; que mesmo que ele pense assim conscientemente, o inconsciente solapa
o desejo consciente. É por isso que temos que encontrar essas distorções inconscientes. É também
uma responsabilidade àqueles que fazem objeções ao nosso caminho alegando que damos ênfase
excessiva às negatividades. Infelizmente as atividades negativas existem e nos causam muito dano. Se
não forem reconhecidas e expostas elas prosseguem o seu trabalho destrutivo. Muitas pessoas
acreditam que a verdadeira espiritualidade consiste na negação do que há de negativo em nós e no
cultivo da relação com o Eu Universal, com o Um. Na verdade, é possível cultivar esse lado, praticar
a meditação transcendental, evitar cometer atos violentos, etc., e podermos chegar a experiências
temporárias de beatitude. Contudo, lá onde não estamos purificados, lá onde odiamos, nós
permanecemos os mesmos. Nós podemos cultivar aquela parte de nós que já está purificada, que é,
digamos, criativa nas artes, de perspectiva espiritual, com qual não temos conflito. Mas as áreas que
negligenciamos ainda permanecem à espreita, esperando para usar seus truques sujos na primeira
oportunidade. Portanto esse foco no que é negativo é também um método bastante prático para
estabelecer um modo de vida mais harmonioso e satisfatório para nós mesmos. Acredite, se você dá
de frente com um aspecto negativo em você mesmo que nunca havia sido notado antes, não foi o
Palestra do Guia Pathwork No. 001
Página 6 de 7

Pathwork que o colocou lá. O verdadeiro sinal de que estamos a caminho da saída de um problema
específico é sempre uma experiência liberadora. Sente-se que uma porta se abriu para uma nova
vida. Se um reconhecimento não traz com ele esse sentimento, isso significa que é apenas um
reconhecimento parcial que aponta o caminho para uma exploração mais profunda.

O caminho é cheio de alegria. Cada passo adiante traz um sentimento instantâneo de leveza e
esperança. Quando é que alguém realmente se sente bem? Quando esse alguém não mais luta contra
a realidade, quando flui com o Universo; quando pensa, sente e age de forma positiva sem esforço,
de maneira quase involuntária, como o bater do coração, como o respirar, como o rolar das ondas
do oceano em direção à praia, mas estando plenamente consciente desses movimentos. Significa ser
receptivo e expansivo, ativo e passivo, de uma maneira intuitiva; não resistir ao fluxo do Universo,
mas estar com ele. Para isso temos que aprender a abandonar o pequeno ego com sua vontade
própria e quanto menos tivermos que nos defender contra o dano real ou imaginário por acreditar
na orientação interna que está sempre à nossa disposição, mais podemos nos permitir estar imersos
no fluxo universal. Aquela parte de nós que o quer sinceramente, que, na realidade, é parte desse
fluxo é o nosso Eu Superior. E esse Eu Superior é o nosso melhor guia neste caminho. Ele está
sempre disponível, SE NÓS O QUISERMOS, se quisermos fazer contato com ele. Nós sempre o
ativamos em nossas meditações.

Imaginemos, por exemplo, que nós nos sentimos vagamente intranqüilos e não sabemos o que
nos incomoda. Decidimos meditar, mas nossos pensamentos não o permitem. Em tal situação
podemos dizer: Eu quero ativar o meu Eu Superior para que ele me ajude a encontrar a verdade.
“Qual a verdade do momento? A resposta pode ser:" Eu não quero realmente meditar; não quero
realmente descobrir a verdade porque ela pode ser muito incômoda." Quando expressamos isso, que
é a verdade do mundo, nós já estamos meditando. Podemos até cerrar os punhos e bater na cama
para assumir a responsabilidade pelo desprezo, pela raiva ou pela frustração que estamos
experimentando. Isso vai ativar mais energia. Então talvez estejamos prontos para sentarmo-nos
novamente e expressarmos aquele primeiro desejo: estar em verdade. "Por que estou intranqüilo e
frustrado?" Podemos instruir o nosso Eu Superior para que deixe o eu inferior manifestar-se, de
forma que possamos olhar para ele, reconhecê- lo e trabalhar com aquilo que vemos. Esse é um tipo
muito simples de meditação, porém extremamente útil pois ao invés de nos afastar de nós mesmos,
da nossa responsabilidade, ele nos aproxima dela. A resposta do momento poderia ser - como
freqüentemente acontece comigo - que eu deveria estar fazendo algo e estou protelando. Eu não
queria realmente ouvir isso; eu na verdade gostaria de ouvir que tudo se deve ao fato da minha mãe
não ter tido leite suficiente quando eu era um recém nascido, mas infelizmente essa é a realidade. Eu
deveria estar fazendo aquilo que evito fazer.

Então, chegamos até aqui na meditação, na busca pela verdade. E agora? Por que evito fazer o
que devo? É por desprezo? A quem eu desprezo e por que? Vale a pena fazer isso? Qual o preço que
estou pagando por esse desprezo? Estou preparado para pagá-lo? A resposta provavelmente é não.
Eu quero ir até o fim, sem pagar o preço.

Neste ponto eu reconheço em quantas outras áreas eu também quero exatamente isso e o alto
preço que estou pagando. Agora eu tenho escolha. Posso fazê-lo ou não, mas então eu aceito
Palestra do Guia Pathwork No. 001
Página 7 de 7

conscientemente o preço que tenho que pagar. Em qualquer dos casos eu estou em verdade, eu sou
honesto. A intranqüilidade e a vaga ansiedade terão passado.

Nós consideramos muito espiritual esse tipo de meditação. Ela não é difícil de tentar. Mas
para praticá-la, como também para entrar nesse caminho e permanecer nele, é preciso uma vontade
positiva, um desejo sincero de mudar, um abandono do nosso ego pequeno e fraco; uma confiança
no Universo, em sua abundância que está disponível para nós se nos abrirmos para ele. Como o
Guia diz, deixar ir - permitir a Deus.

Podemos também dizer que neste caminho trabalhamos em direção à maturidade emocional,
isto é, em direção à capacidade de amar e de dar. Essa capacidade está em todos nós. Cabe-nos abrir
as portas.

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por
escrito da Fundação. A Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou
pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida,
de acordo com a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou
abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua
comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork
Foundation tenham concordado em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de
transformação pessoal reconhecidos pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Telefone : (011) 3721-0231 E-mail: pathworksp@pathwork.com.br Visite: www.pathwork.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter)
Telefone: (71) 3237-4962 E-mail: pathworkbahia@yahoo.com.br Visite www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília (Chapter)
Telefone: (61) 3442-8108 E-mail: fvervloet@gmail.com
Pathwork® Ceará (Chapter)
Telefone : (085) 8731-1122 E-mail: reginalencar@gmail.com
Pathwork® Goiás (Chapter)
Telefone: (62) 8118-0446 E-mail: ritapath@hotmail.com
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Tel: (31) 9959-5547 E-mail: pathworkmginstituto@gmail.com Visite: www.pathworkminas.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Telefones: (083) 9967-8303/(083) 3235-5188/(083) 3224-2362 E-mail: claubetenobrega@terra.com.br Visite: www.pathworkpb.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro (Chapter)
Telefone:: (21) 2529-2322 E-mail: gmdell@globo.com Visite www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Telefone: (51) 9177-3178 E-mail: suefonseca@hotmail.com. Visite www.pathworksul.com.br
Visite: www.pathwork.org.
Visite: www.pathworkbrasil.com.br
Palestra do Guia Pathwork No. 01
Palestra Anteriormente Editada
11 de março de 1957

OS REQUISITOS DO CAMINHO: O MAR DA VIDA

Saudações. Meus queridos, trago a vocês as bênçãos de Deus.

Do ponto de vista mais amplo do espírito, a vida humana se vê como uma cena, onde a forma
e a substância da vida terrena são representadas como o mar, o oceano, sobre o qual cada vida é um
barco. Vemos com freqüência esta analogia em sonhos. O quadro representa diversos aspectos da
vida: o mar pode estar tempestuoso e o céu cinzento; mais tarde, de novo, o sol volta a brilhar e as
águas se acalmam, enquanto a próxima tempestade não chega. Assim se alternam, até a viagem
atingir seu destino, que é a terra firme, o mundo do espírito e o verdadeiro lar. Sendo assim, tudo
depende de quão bem vocês possam dirigir sua vida.

Algumas pessoas são como um capitão habilidoso, experiente e treinado, e como tal, não têm
medo do perigo; pilotam seu barquinho através dos elementos e durante a calmaria e os bons
ventos reúnem forças para a próxima tormenta. Outros já ficam nervosos e perdem o controle
interno quando uma tempestade começa a se formar. Outros ainda se assustam tanto que, no seu
medo extremo, nem manobram o barco, deixando-o à deriva nas tempestades da vida - e assim não
conseguem nada. Vocês estão cientes, claro, de que as perturbações atmosféricas, as tempestades, os
furacões e o acúmulo de nuvens são provas que a vida lhes apresenta. O ser humano que já passou
por algum aprendizado espiritual e é um pouco mais sensível pode usar sua intuição para reconhecer
onde seu barquinho se encontra, num momento determinado.

Eu gostaria de falar sobre as provas. Quase não existe um grupo de pessoas, seja uma família
ou qualquer outra comunidade, onde ao menos uma das almas humanas não tenha um
desenvolvimento tão lento que ela se torna o peão das forças da escuridão. Isto não significa
necessariamente que a pessoa seja má. Não, basta ela não aceitar certas leis espirituais como válidas,
não aplicá-las a si mesma, ou, apesar de ter algumas qualidades muito boas, não cultivar a auto-
honestidade. Só isto basta para torná-la um peão da forças da escuridão. O mundo das sombras vai
buscar sua matéria nestas correntes, na falta de autodisciplina e de autoconsciência e em todas as
formações que se manifestam quando o ser humano não segue as leis divinas.

A matéria espiritual se parece com fios finos, como se fossem raios - neste caso de cor e
textura sombrias - que se torcem, entrelaçam e embaraçam até formar uma bola compacta de
confusão muito difícil de desembaraçar. No entanto, esta pessoa não é a única a fornecer a matéria
para estas confusões, mas todos os outros envolvidos no grupo dão sua contribuição, que tem
origem em seus próprios erros e debilidades nas áreas onde eles violam as leis espirituais. Sendo
assim, maior quantidade de fios do mesmo tipo é torcida, até não ser mais possível discernir a

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation
Palestra do Guia Pathwork No. 001
Página 2 de 5

verdade - ao menos com facilidade - mesmo para aqueles que têm a visão mais aguçada; e muitas
vezes é preciso um grande esforço para encontrar a verdade.

Até mesmo a pessoa que se esforça por aumentar sua percepção espiritual muitas vezes tem
extrema dificuldade para saber como se comportar quando estas provas chegam porque, as forças
obscuras sabem muito bem como fazer o falso parecer verdadeiro, a verdade parecer mentira, o bem
parecer o mal e o mal parecer o bem. O ser humano fica confuso - ele que na realidade quer tanto
estar com a verdade - e não sabe mais como agir direito. Muitas vezes suas próprias correntes
doentias, que ele não conhece, contribuem não só para escurecer ainda mais a situação como
também para impedir que ele perceba isto com clareza, ficando portanto sem saber como lidar com
a questão.

A fim de apartar as nuvens escuras e ver a verdade, é importante para todos instruir-se na
percepção espiritual e, de acordo com o nível de cada um, encarregar-se de seu próprio
desenvolvimento, até o máximo de sua capacidade. Se não, esta mesma pessoa também se torna, de
um jeito diferente e de novo sem perceber, um peão das forças da escuridão; os ventos mandam seu
barco de um lado para o outro e ela já não consegue dirigi-lo, ou dirigi-lo tão bem quanto seria
possível. E nem sequer poderá, quando tentar enxergar a verdade e perceber o cerne do problema,
dissipar sozinha as nuvens carregadas.

Só se pode saber o que fazer ou deixar de fazer, para colocar as energias a serviço do bem,
quando se trilha um caminho como este. Assim, é possível aprender a ter disciplina para atingir a
tranqüilidade interior em qualquer momento - sobretudo quando as tempestades violentas estiverem
assolando - e entrar em contato com Deus e seus espíritos divinos. Então a pessoa poderá abrir-se à
inspiração da verdade, observando-se a si mesma com todos os seus defeitos e conquistando uma
grande resistência.

As leis espirituais podem e devem tornar-se uma realidade viva em três níveis - e quanto maior
o desenvolvimento da pessoa, mais a fundo poderá ir nestes níveis. São eles: (1) fazer; (2) pensar;
(3) sentir.

A tarefa mais difícil é no nível emocional. Trata-se do nível mais elevado porque, em primeiro
lugar, muitos sentimentos são inconscientes e é preciso trabalhar, ter força de vontade e paciência
para torná-los conscientes; E, além disso, porque não se pode controlar os próprios sentimentos de
forma imediata e direta, como com os pensamentos e ações. Isto requer um trabalho intenso no
nível espiritual, auto-análise e uma completa absorção das leis espirituais, antes que as emoções
possam sequer começar a mudar.

Quanto menos desenvolvida for a pessoa, mais superficial, será sua compreensão e observação
das leis espirituais. É por isto, que Deus deu à humanidade primeiro os Dez Mandamentos. Eles
tratam das ações humanas. “Não roubar.” “Não mentir.”, etc. Para a média das pessoas daquela
época, aceitar isto já era muito, e ainda o é para certos grupos de pessoas que encarnaram a partir de
esferas inferiores.

A próxima etapa é cultivar os próprios pensamentos. É comum a pessoa agir bem, mas seus
pensamentos vão noutra direção; ela se comporta bem porque entende que se não fizer assim terá
problemas com o mundo exterior, mas tem dificuldade para controlar seus pensamentos e muitas
Palestra do Guia Pathwork No. 001
Página 3 de 5

vezes deseja coisas que não estão de acordo com as leis divinas. Ela ainda não entende que os
pensamentos e os sentimentos impuros acabam levando-a ao mesmo conflito consigo mesma, pois
todos os pensamentos e sentimentos têm uma forma e uma substância em espírito, causando assim
efeitos externos e reações em cadeia, embora ela não consiga percebê-los imediatamente desta
forma. Uma visão deste tipo requer a consciência espiritual que só vem por meio do
desenvolvimento superior. Portanto, Cristo deu a vocês uma compreensão ampliada das leis e
mandamentos divinos, ensinando-lhes que também podem pecar em pensamentos. Naquela época, a
humanidade estava começando a se preparar para esta consciência expandida e a percepção em
profundidade. Atualmente, a humanidade está começando a ser receptiva para uma compreensão
espiritual ainda mais profunda.

Uma pessoa na segunda etapa, que está se esforçando ao máximo para trabalhar ao nível dos
pensamentos e os está purificando, está mais adiantada que outra, que ainda se encontra na etapa de
cumprimento das leis ao nível da ação externa. Mas vocês, queridos amigos, precisam aprender a
alcançar níveis mais profundos ainda e atingir seus verdadeiros sentimentos, aqueles que tantas vezes
ficam no inconsciente, que logo são encobertos por pretextos e a respeito dos quais é tão fácil iludir-
se a si mesmos, de forma que não precisem ver o que eles realmente são. Esta auto-ilusão
inevitavelmente deve colocá-los em conflito com vocês mesmos e muitas vezes também com o seu
ambiente; isto é assim, ainda que vocês se recusem a reconhecer a verdadeira origem dos conflitos. É
muito difícil purificar os próprios pensamentos. Portanto, é bem doloroso ter de reconhecer que
muitos dos seus sentimentos ainda se desviam muito dos seus pensamentos ou intenções
conscientes.

É justamente este esforço a mais que Deus quer que todos façam. É claro que a última etapa e
o aprofundamento da consciência são mais difíceis de alcançar, trata-se da meta à qual todos vocês
aspiram: é a verdadeira purificação. A pessoa capaz de trazer à consciência os seus sentimentos mais
íntimos e capaz de admitir que estes sentimentos nem sempre são paralelos aos pensamentos que ela
aceita como certos, já realizou muita coisa. Se vocês trabalharem nisto continuamente, até aprender
aos poucos, poderão não só penetrar na sua própria verdade, mas também poderão, em tempos de
provação e em situações difíceis, encontrar o cerne da verdade. Então poderão dispersar as nuvens e
desembaraçar o emaranhado de fios, um nó de cada vez. Porque só a pessoa que se encara a si
mesma muitas vezes e com coragem - e neste caso a vaidade é um obstáculo insuperável - pode
chegar a ter uma perspectiva verdadeira sobre outro ser humano ou sobre qualquer situação exterior.
Quem for cego para sua própria verdade será cego para a verdade dos outros.

Os nós e a confusão entrelaçada constituem também formas espirituais, que são uma
realidade, meus queridos. Podemos sempre observá-los ao redor de cada grupo de pessoas. Cada um
entra com sua parte para aumentar a confusão dos fios, trançados pelas forças sombrias; e muitas
vezes alguém dá uma contribuição especialmente grande para criar mais nós, aumentando cada vez
mais a confusão. Mas se houver uma pessoa no grupo que esteja trilhando o caminho direto,
espiritual, e que se confronte a si mesma todos os dias, ela irá finalmente - repito, não é de um dia
para o outro - desatar os nós um a um até eles se acabarem e tudo se esclarecer. Assim, aquela
pessoa fraca também não poderá continuar se iludindo por mais tempo, o que de qualquer maneira
já a prejudicou muito, dificultando seu progresso. É claro que no começo a pessoa resiste porque a
confusão alimenta o eu inferior, que prefere o caminho da menor resistência e da vaidade, pratica a
auto-ilusão e prospera na desarmonia. Mas, a longo prazo, até mesmo aquela pessoa fraca vai se
sentir mais livre à medida em que as nuvens vão desaparecendo de sua vida. Quando a verdade
Palestra do Guia Pathwork No. 001
Página 4 de 5

ilumina com sua claridade uma situação que antes era obscura, vão deixando de existir perguntas
como qual é a atitude correta, o que é justo e qual é a ação certa.

Todos têm suficiente auto-conhecimento - ou deveriam se esforçar para chegar a este ponto -
para se perguntar: “O que posso fazer para contribuir com o plano de salvação de Deus?” Muitos
consideram que não têm a obrigação de fazer coisas que chamem a atenção do público. Mas em
silêncio, por sua própria causa, todos podem e devem começar a fazer sua parte. Porque todos têm
uma tarefa dentro do plano, mesmo a pessoa mais fraca. Para esta pode bastar, e talvez significar o
máximo de realização, corrigir um determinado defeito, acertar algo com um companheiro junto ao
qual encarnou com esta finalidade, pautar suas ações pelas leis de Deus e recusar-se a ceder aos seus
instintos mais baixos. A outros se pede mais; a todos sempre aquilo que é mais difícil, o que requer
maior perseverança; cada um se purifica e se desenvolve segundo as possibilidades de seu nível e de
sua força.

No caso dos que estão mais adiantados em seu desenvolvimento, este processo de purificação
traz automaticamente a capacidade de desatar os nós que estão ao seu redor e de esclarecer as
situações confusas. Assim eles realizam algo que tinham intenção de fazer e contribuem para o plano
de salvação de Deus, no qual cada ato de cooperação conta muito. E depois outras tarefas serão
encontradas.

Vocês, seres humanos, querem ser felizes, todos vocês, e é claro que entendemos isto. Se na
alma humana não houvesse o desejo de ser feliz e perfeito, não haveria desenvolvimento espiritual.
Mas são muito poucos os que perguntam: “O que eu posso dar? Como posso contribuir para o
plano de salvação de Deus?” Vocês estão sempre pedindo alguma coisa, não necessariamente de
modo direto nas orações, para que este ou aquele desejo se realize, mas através de sua determinação,
dos seus sentimentos e muitas vezes dos seus pensamentos. Vocês querem o melhor para si mesmos
e ficam infelizes com as dificuldades da vida.

Alguma vez já perguntaram a Deus, “O que posso fazer por vós?” Porque aquele que
reivindica sua própria felicidade como o objetivo máximo - o que geralmente é o caso, mesmo que
vocês não tenham consciência disto - rompe o ciclo do fluxo vivo de energia que é a base de tudo o
que é espiritual. E no momento em que o ciclo se interrompe, ele também morre. Vamos supor que
um determinado desejo foi concedido a vocês. Se o bem recebido tiver seu objetivo máximo em
vocês mesmos, ele não poderá continuar vivo em vocês, e então sua felicidade vai durar pouco. Só
aquele que mantiver o ciclo fluindo ativamente, permanecendo consciente e inspirado pelo desejo de
colocar em uso espiritual e a serviço do plano de salvação de Deus tudo o que recebeu em ajuda e
graça, em felicidade e realização, em intervenção divina e orientação, e que além disso agir e sentir
assim, será capaz de suster e manter viva sua própria felicidade.

Vocês podem e devem deixar que Deus os oriente, a fim de que possam atingir este objetivo.
Quem fizer isto estará de fato participando na ordem divina e sua felicidade nunca se tornará rasa,
ou secará ou morrerá, mas estará sempre viva, pulsante, regenerando-se a si mesma para sempre. E
só uma pessoa com este tipo de intencionalidade merece ser especialmente guiada, recebendo a
ajuda divina.

Sim, meus queridos, poucas pessoas pensam assim. Elas se dirigem a Deus com desejos e
pedidos, mas não estão dispostas a dar nada para o mundo de Deus, para a grande luta que é tão
Palestra do Guia Pathwork No. 001
Página 5 de 5

crucial. Pensem nisto, todos vocês. Qualquer um que se aproxime de Deus desta forma poderá
receber mais luz e ajuda para desembaraçar os nós e ter força para dirigir bem seu barco, mesmo
numa tempestade, e assim atravessá-la fortalecido e iluminado, como é a vontade de Deus.

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por
escrito da Fundação. A Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou
pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida,
de acordo com a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou
abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua
comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork
Foundation tenham concordado em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de
transformação pessoal reconhecidos pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Telefone : (011) 3721-0231 E-mail: pathworksp@pathwork.com.br Visite: www.pathwork.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter)
Telefone: (71) 3237-4962 E-mail: pathworkbahia@yahoo.com.br Visite www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília (Chapter)
Telefone: (61) 3442-8108 E-mail: fvervloet@gmail.com
Pathwork® Ceará (Chapter)
Telefone : (085) 8731-1122 E-mail: reginalencar@gmail.com
Pathwork® Goiás (Chapter)
Telefone: (62) 8118-0446 E-mail: ritapath@hotmail.com
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Tel: (31) 9959-5547 E-mail: pathworkmginstituto@gmail.com Visite: www.pathworkminas.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Telefones: (083) 9967-8303/(083) 3235-5188/(083) 3224-2362 E-mail: claubetenobrega@terra.com.br Visite: www.pathworkpb.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro (Chapter)
Telefone:: (21) 2529-2322 E-mail: gmdell@globo.com Visite www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Telefone: (51) 9177-3178 E-mail: suefonseca@hotmail.com. Visite www.pathworksul.com.br
Visite: www.pathwork.org.
Visite: www.pathworkbrasil.com.br
Palestra do Guia Pathwork No. 02
Palestra Anteriormente Editada
25 de março de 1957

DECISÕES E TESTES

Saudações em nome de Deus. Trago a vocês as bênçãos divinas.

Caros amigos, o amor de Deus impregna tudo o que foi criado. É uma força viva, um feixe de
luz que se une a si mesmo numa volta eterna, já que tudo o que é espiritual se movimenta na
perfeição circular. Todas as criaturas procuram, consciente ou inconscientemente, este poderoso
feixe luminoso de amor. O desejo de sentir este amor impulsiona, atrai, impele humanos e espíritos.
Cada qual entende este anseio de acordo com seu nível de desenvolvimento, tira conclusões e segue
em frente com sua vontade e seus pensamentos. Ou senão faz uma interpretação incorreta destes
sentimentos e deixa esta força propulsora passar por ele ou até mesmo levá-lo a cometer erros. Não
compreendendo a natureza real dos sentimentos e da busca, a pessoa procura objetivos falsos e
falsas realizações. No entanto, já deu um grande passo aquela pessoa que se encontra num estágio
de desenvolvimento em que é capaz de entender o que estes desejos, até ali inexplicáveis, realmente
significam. E também sabe para onde dirigi-los. Serão menos os erros e confusões quanto às forças
da alma, e suas mensagens serão interpretadas corretamente.

O amor a Deus, o anseio de Deus, é a força propulsora em todo ser humano. Mesmo os que
ainda não encontraram Deus, ou que acham que não acreditam em Deus, abrigam na alma estas
tendências poderosas. Os que deram uma volta completa no seu desenvolvimento espiritual e
reconhecem Deus conscientemente começam uma vida nova. Isto pode acontecer numa única
encarnação. Os que cruzarem esta porta vão viver num mundo muito mais iluminado; mesmo assim,
há muitos outros portões para atravessar.

Muitos acham a vida na terra incompreensível. Não reconhecem seu sentido e seu propósito
porque só enxergam com olhos físicos. Ainda não fizeram contato com seus olhos espirituais. E
tudo parece sem sentido - os sofrimentos, as tentativas e a solidão. Só os que entendem que esta
vida é apenas uma das muitas etapas de aprendizagem, um dos elos de uma grande corrente, podem
primeiro sentir e depois compreender cada vez mais as ligações. Então seu objetivo deixa de ser a
felicidade imediata, por meio da realização de todos os desejos nesta existência. E assim são capazes
de aguentar as privações desta vida e de passar nos testes e cumprir as condições necessárias para
entrar em um estado superior da existência, uma felicidade permanente que nenhuma força externa
pode destruir.

Agora quero falar do grupo de pessoas que passaram pelos primeiros portões e já reconhecem
estas verdades fundamentais. Tais pessoas muitas vezes não avançam tanto como poderiam. A
velocidade do progresso depende de seu livre-arbítrio. Uma pessoa pode ser levada pela correnteza,
precisando reencarnar várias vezes para superar ou realizar algo, vivenciando-o muitas vezes.
Outra, tendo reconhecido estas verdades básicas, tira suas próprias conclusões e passa a orientar

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation
Palestra do Guia Pathwork No. 002
Página 2 de 6

seus objetivos para o progresso espiritual - o que não quer dizer que se afaste de seus problemas
terrenos. Ao contrário, pois os problemas terrenos e os espirituais estão intimamente ligados. Um
problema terreno é na realidade a expressão de um problema espiritual específico. A diferença é que
a busca da solução de um problema é feita a partir de uma posição vantajosa. Só quem resolve o
problema no nível espiritual pode encontrar sua verdadeira solução terrena.

Muitas vezes encontramos pessoas que conhecem muitas coisas, mas que ainda não
estabeleceram a ligação entre elas. Elas procuram Deus e o conhecimento fora delas mesmas, por
exemplo conhecendo melhor as coisas externas, o que em si mesmo é bom, mas não é suficiente. É
preciso um equilíbrio permanente. O conhecimento que se adquire deve ser aplicado sempre no
nível pessoal, deve ser assimilado e avaliado internamente, de modo que se estabeleça a harmonia.
Para haver progresso real, o crescimento deve se dar em ambos os planos. Deve-se adquirir mais
conhecimento externo na medida em que o antigo foi integrado e assimilado internamente. O
conhecimento nunca deve permanecer como teoria, mas tem de ser posto em prática, criando raízes
na vida pessoal. Assim, todos precisam ampliar seus conhecimentos sobre a verdadeira natureza da
criação e das leis espirituais. Mas o saber externo é só uma parte, que não deve ser vista como o
todo. Sem a outra parte, isto é, a assimilação interna, o progresso ocorre sem harmonia, não há
realização verdadeira e portanto não existe progresso de fato.

Vocês precisam familiarizar-se com vocês mesmos, prestar atenção em si mesmos, examinar-
se e adquirir a disciplina para superar a resistência, o que é tão difícil no começo. Vocês precisam
observar todas as noções que têm sobre si mesmos, que são lisonjeiras e que iludem com muita
facilidade. E então descartá-las ou revê-las. Este é um trabalho especial e diferente para cada um de
vocês, mas na maioria das vezes se parece e até mesmo pode ser igual. Quando falamos de
progresso espiritual do ser humano, queremos dizer algo muito individual para cada um de vocês. E
vocês, meus caros, devem procurar dentro de vocês mesmos e perguntar: “Que parte oculta ainda
existe em mim, que deixa de reagir conforme a única realidade, as leis espirituais, mesmo que isto
ocorra em um nível sutil, interior? Onde me falta clareza a respeito de mim mesmo?

Esta auto-análise deve ocorrer o tempo todo. Assim vocês serão capazes de eliminar pouco a
pouco o que ainda não está correto dentro de vocês mesmos, sentindo-se então mais felizes. Vocês
precisam ver claramente os obstáculos que existem em vocês mesmos, e para ter esta clareza
precisam procurar interiormente, com vontade e esforços internos verdadeiros.

Porque se faltar felicidade em algum setor, com certeza esta falta é diretamente relacionada
com um bloqueio interno. Se os seus desejos forem simplesmente atendidos sem que primeiro
eliminem os obstáculos internos, jamais serão felizes. A felicidade duradoura não se poderia
construir e se dissolveria. Só quando vocês estabelecerem a harmonia interna, num relacionamento
realmente harmonioso com Deus, de modo que suas leis se cumpram dentro de vocês, suas almas
estarão maduras o bastante para englobar a felicidade.

As pessoas muitas vezes imaginam a comunicação com o mundo de Deus. Elas dizem: “Sim,
consigo muito bem acreditar que esta comunicação seja possível, mas o que ela pode significar para
mim? Para quê eu preciso dela?” Minha resposta é que essa comunicação pode lhes dar uma das
partes necessárias para o seu desenvolvimento ulterior, isto é, a entrada a partir do exterior. Além
disso, ela dá pistas, ajuda a procurar, indica onde descobrir e como aplicar o conhecimento externo
aos problemas internos, ou seja, a segunda parte necessária para o desenvolvimento. Para isto vocês
Palestra do Guia Pathwork No. 002
Página 3 de 6

precisam receber incentivos constantes, força e graças, além de uma ajuda concreta muito específica.
E isto também pode ser obtido através da comunicação espiritual. Existem sempre alguns seres
humanos excepcionais com este tipo de conhecimento, aos quais outros podem dirigir-se. Nestes
casos também, bem como com um médium, a palavra de Deus é diretamente ativa. A pessoa
específica é mais ou menos um instrumento do mundo de Deus. Num dos casos a influência se dá
através da inspiração e no outro, atua diretamente. Mas a ajuda que vem de fora, seja como for, é um
elemento importante que não se pode dispensar. Considerem-no como material de construção,
como blocos, com os quais vocês mesmos continuam construindo suas vidas, utilizando-os da
melhor maneira que puderem.

Na última palestra, toquei no assunto da tomada de decisões. Perguntaram se é possível saber


sempre qual é a ação correta. É uma das coisas que vocês têm de aprender, por mais difícil que
pareça. Muita gente pode tomar decisões no nível externo, apesar de que alguns nem isto conseguem
fazer. Um grande número de pessoas, no entanto, não consegue tomar decisões interiores. Sua
tendências emocionais, suas reações emocionais interiores os impedem de decidir internamente e
eles nem sabem disso, pois o processo é encoberto. Só quando começam a avaliar suas emoções e
motivos mais íntimos passam a entender o que acontece. A partir daí podem começar a tomar
decisões internas. A incapacidade de tomar decisões deste tipo se expressa não só em problemas que
parecem ter relação direta com outras pessoas mas que são mais internos, como também nas
próprias atitudes internas, sentimentos e reações.

Muitas vezes, a pessoa mais sincera em seus esforços de seguir o bem que sua alma deseja é
exatamente aquela que deixa de tomar uma decisão. Embora deseje com sinceridade fazer o que é
certo e justo, ela se retrai pois teme fazer algo que desagrade a Deus. Dado que tem medo de errar,
ela não faz nada. Ela não entende que, ao não decidir, está tomando uma decisão. O mundo e o que
vocês chamam de tempo não param jamais. Tudo na corrente da vida, qualquer coisa que vocês
façam, e até mesmo o não fazer nada, têm uma consequência. Se vocês ficam tímidos e não
decidem, é porque ainda não encontraram a chave para sua alma. Vocês vivem com medo, talvez
sem saber. Não assumem o comando do seu barco, acreditando e esperando - mais uma vez
inconscientemente - que Deus ou o destino poderão tomar a decisão por vocês. Às vezes isto pode
até acontecer, mas em geral o mundo de Deus não tem a permissão para interferir, pois uma das
coisas que vocês precisam aprender é assumir a responsabilidade por suas decisões. Precisam
aprender a abrir um buraco na nuvem escura que esconde a verdade a cria confusão. Isto deve ser
feito com seus próprios esforços, com seu empenho espiritual pessoal e sua crescente
autoconsciência.

A luta para vencer sua resistência é a única maneira de aguçar sua visão espiritual. Só assim
poderão perceber o que existe nas próprias almas e também ao redor. Vocês precisam aprender a
avaliar a situação completa, muitas vezes bastante complicada, e entender o que está em jogo tanto
para vocês como para os outros. Precisam aprender a conquistar o máximo de desenvolvimento e
purificação espirituais por meio da solução de problemas até o momento não resolvidos. Devem
enfrentar os problemas e não evitá-los, como o avestruz que enterra a cabeça na areia.

Se, após examinar o problema, concluírem que ainda não são capazes de tomar uma decisão
por não entenderem qual direção seguir, a situação de vocês será totalmente diferente. Então
podem pedir a Deus inspiração e sabedoria, preparando-se para recebê-las e agir de acordo. O
entendimento necessário virá, quando se prepararem através de seus próprios esforços. Uma coisa é
Palestra do Guia Pathwork No. 002
Página 4 de 6

evitar tomar uma decisão, esconder tudo que se relaciona com o assunto e afastar-se totalmente do
problema. Mas é bem diferente tentar de todos os modos encontrar a verdade e, sabendo e
querendo, decidir não resolver nada até estar preparado para tomar a decisão correta, depois de fazer
mais esforços ainda. E se a decisão for realmente a correta, não terão sombra de dúvida. O resultado
será uma paz interior cada vez maior e uma alma em harmonia. Só assim vocês poderão ser o
capitão do seu navio.

Alguém poderá reconhecer a verdadeira natureza de uma situação e saber como agir
corretamente, mas para isto terá de descartar todos os disfarces do auto-elogio e tudo o que alimenta
a autosatisfação e atrai para o caminho da menor resistência. Quando alguém passa a vida toda
evitando tomar decisões, reações em cadeia acontecem. Produz-se uma forma espiritual que cria
uma máscara em volta da pessoa, tornando ainda mais difícil para ela, em sua próxima vida,
desembaraçar os nós e aprender a decidir. Portanto vocês, que recebem estas palavras, devem
ponderá-las bem. Mesmo do seu ponto de vista humano e míope, não tomar decisões é muito
prejudicial, não só em termos espirituais mas também em assuntos puramente terrenos. Isto
acontece mesmo a partir da perspectiva egoísta, como vocês poderão ver assim que superarem sua
miopia. Vocês mesmos precisam construir sua felicidade, seguindo inteiramente as leis espirituais.
Sem esta decisão não pode haver benefícios.

Alguma pergunta?

PERGUNTA: As almas que se encontram nas esferas inferiores devem sofrer muito. Mas
como é que Lúcifer, o pior de todos os espíritos maus, não parece sofrer. É justo?

RESPOSTA: Vocês, seres humanos, pensam sempre que não existe nada pior que a dor. Mas
existe algo pior, que é a etapa antes de que uma alma seja capaz de sentir dor. Quando se sente dor,
já se está um passo mais perto de Deus. Gostaria de explicar isto, para que vocês possam sentir a
grandeza da Criação e ver como as forças sombrias acabam favorecendo a Deus.

Vou dar um exemplo: Lúcifer tem seus lacaios e no seu reino também existe hierarquia e seres
com maior ou menor poder. Se um lacaio poderoso não consegue realizar uma tarefa que lhe foi
atribuída - talvez impedir um ser humano de seguir seu caminho para Deus, dado que o ser humano
usou seu livre arbítrio para resistir às tentações - ele irá perder cada vez mais poder, até ser torturado
por seus parceiros espíritos do mal. E quem estiver sofrendo uma dor extrema precisa aproximar-se
de Deus, porque é então que esta necessidade de Deus aumenta. Assim, quanto mais “baixo” ele
descer nas esferas sombrias, mais “alto” ele na realidade se estará elevando. Quanto mais longe ele
estiver da dor, maior a desarmonia interior; e Lúcifer está na maior desarmonia. Quanto maior a
desarmonia, mais as correntes internas precisarão harmonizar-se. Isto continua até que este ser
atinja o ponto onde ele consegue aumentar sua harmonia interna mesmo sem dor. Mais tarde, a
superação de diversas resistências substituirá a dor, até que finalmente nem mesmo a luta contra a
resistência será necessária. Todos vocês podem ter uma idéia deste processo se lembrarem de como
vocês chegam mais perto da harmonia interna quando sentem claramente uma dor, do que quando
não estão sentindo realmente dor, mas estão chateados, revoltados e divididos em várias direções,
possuídos por sentimentos muito desarmoniosos. Portanto, quanto mais as leis de Deus ampliam
sua influência, menos lacaios Lúcifer finalmente terá.
Palestra do Guia Pathwork No. 002
Página 5 de 6

PERGUNTA: Porque nos sentimos abandonados por Deus, sem apoio das esferas mais
elevadas, exatamente quando estamos passando pelos momentos mais difíceis?

RESPOSTA:Isto acontece muito. Quando se passa por uma prova, primeiro aprende-se como
atingir seu objetivo com a ajuda da proteção espiritual. Depois, esta influência protetora de certa
forma se afasta um pouco e vocês são deixados sós, a uma distância por assim dizer igual com
relação às forças divinas e às forças sombrias. Vocês sozinhos devem manter uma posição de
firmeza e agir certo por sua própria vontade. E então, depois de passarem pelo teste, as forças
sombrias poderão ocasionalmente chegar bem perto de vocês - embora o amor divino esteja sempre
atento, vigiando para que tudo corra bem - de modo a poderem defender sua posição melhor ainda.
Só depois disto serão fortes o bastante, de modo que Deus possa contar inteiramente com vocês; só
então terão a certeza de que dominam o seu eu inferior, as suas fraquezas, e de que precisavam
exatamente deste tipo de prova. Este é o processo. Então, nos chamados períodos favoráveis, vocês
reúnem novas forças para o próximo período de provação e aproveitam os frutos do que já
conquistaram, enquanto se fixam nesta nova posição.

Todo ser humano deve beneficiar-se das armas da lei espiritual e lutar com elas. Nenhum
espírito mau, nem mesmo o mais poderoso, poderá fazer nada contra vocês, a menos que vocês
deixem. No momento em que lutam contra o seu eu inferior, vocês se protegem inteiramente. É isto
o que vocês devem fazer: continuem batalhando! Não é muito pedir-lhes isto. Os tempos em que
um ser humano se sente sozinho só virão quando ele estiver pronto para usar sua vontade a fim de
resistir por sua própria conta, sem auxílio. A vontade interior é sempre um fator muito importante,
mas não se espera de vocês nada além do que vocês podem dar.

PERGUNTA: Mas existem muitas pessoas que sofrem tanto que não podem reunir esta força.
Por exemplo, alguém que tem uma doença que sabe ser fatal. O que esta pessoa deveria fazer?

RESPOSTA: Muitas vezes vemos exatamente este tipo de pessoa passando nos testes, mais
do que aquelas com vidas normais. Os que são marcados pelo destino de forma especialmente
pesada muitas vezes são mais capazes de passar nas provas pois as aceitam pelo que elas são e
aprendem com elas o que precisam, levantando sua cruz com vontade em vez de brigar contra o
destino. Volto a insistir que Deus nunca impõe a uma pessoa mais do que ela pode (ou poderia)
aguentar e realizar, usando sua vontade. Vocês, seres humanos, não podem julgar os recursos
internos dos outros e o que eles fazem com estes recursos, caso deixem de aproveitá-los ou os
enviem para o canal errado. Além disso, vocês se apegam à falsa crença de que a morte e a dor são
as piores coisas que lhes podem acontecer. Refiro-me aqui à morte física, que certamente não deve
ser considerada como um castigo. A morte espiritual é pior e ela fica no fim da estrada da menor
resistência.

PERGUNTA: O que é morte espiritual?

RESPOSTA: Morte espiritual é entregar-se às forças sombrias, de modo consciente ou


inconsciente, isto é, isolar-se do mundo de Deus. Assim, não apenas existem espíritos separados de
Deus, mas pessoas também. Estas não vão entrar para as Suas fileiras porque preferem percorrer a
Palestra do Guia Pathwork No. 002
Página 6 de 6

estrada da menor resistência e entregar-se à fraqueza. Sendo assim, pertencem à terra dos mortos.
Isto é morte espiritual. Mas de forma alguma este estado é eterno.

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por
escrito da Fundação. A Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou
pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida,
de acordo com a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou
abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua
comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork
Foundation tenham concordado em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de
transformação pessoal reconhecidos pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Telefone : (011) 3721-0231 E-mail: pathworksp@pathwork.com.br Visite: www.pathwork.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter)
Telefone: (71) 3237-4962 E-mail: pathworkbahia@yahoo.com.br Visite www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília (Chapter)
Telefone: (61) 3442-8108 E-mail: fvervloet@gmail.com
Pathwork® Ceará (Chapter)
Telefone : (085) 8731-1122 E-mail: reginalencar@gmail.com
Pathwork® Goiás (Chapter)
Telefone: (62) 8118-0446 E-mail: ritapath@hotmail.com
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Tel: (31) 9959-5547 E-mail: pathworkmginstituto@gmail.com Visite: www.pathworkminas.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Telefones: (083) 9967-8303/(083) 3235-5188/(083) 3224-2362 E-mail: claubetenobrega@terra.com.br Visite: www.pathworkpb.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro (Chapter)
Telefone:: (21) 2529-2322 E-mail: gmdell@globo.com Visite www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Telefone: (51) 9177-3178 E-mail: suefonseca@hotmail.com. Visite www.pathworksul.com.br
Visite: www.pathwork.org.
Visite: www.pathworkbrasil.com.br
Palestra do Guia Pathwork n. 003
Palestra Anteriormente Editada

O MUNDO ESPIRUTUAL –VOCÊ ESCOLHE SEU DESTINO

Saudações em nome de Deus. Meus caros, trago a vocês as bênçãos divinas.

Quando uma entidade passa a encamar outra vida na Terra, ela traz as tarefas que tem de
realizar, pois existe um plano traçado. E, em muitos casos, o próprio espírito tem o direito de
discutir sua vida futura com aqueles seres espirituais responsáveis por isto. Assim, ele pode
contribuir - até certo ponto, de acordo com a visão e capacidade de julgamento que já adquiriu - para
o modo como este destino se desdobrará. Isto porque, no estado espiritual, a visão da entidade é
mais ampla do que quando ela está alojada num corpo, podendo entender então que o propósito
desta vida não é viver com a maior comodidade possível, mas sim se desenvolver para passar a um
estado superior, atingindo a bem-aventurança perfeita o quanto antes - um estado que não existe na
terra. O espírito sabe que o conhecimento espiritual só pode entrar em seu intelecto através do
esforço espiritual. E como espírito, também sabe que isto não é fácil de conseguir, que depois de
encamado, muitas vezes terá de passar por dificuldades. provas e mesmo as chamadas desgraças, que
levam para o caminho e a conduta certa.

Na hora em que a matéria envolve o espírito, a memória diminui automaticamente. Isto é


essencial, pois a consciência espiritual é algo pelo qual se precisa lutar e só ocorre quando a pessoa se
dá ao trabalho de procurar Deus e as verdades da Criação também dentro do seu eu (self) - e não só
fora, ou em termos gerais. Apenas dentro da alma alguém pode reconhecer ti significado e propósito
tão especiais da vida, junto com as tarefas individuais que deve realizar. Porém, os que se deixam
impressionar demais pelos aspectos exteriores da vida na terra perdem este significado interior, e
talvez tenham de passar por muitas vidas sem progredir tanto, encamando várias vezes com a
mesma finalidade.

O espírito conhece os perigos da vida terrena mas também sabe que, se ela for vivida de
maneira correta do ponto de vista espiritual, o seu desenvolvimento na terra será muito mais rápido
em comparação com o mundo espiritual, justamente porque aqui é mais fácil. As dificuldades na
terra são mais que nada ligadas à matéria e a tudo o mais que isto implica. Em parte é assim porque a
memória se extinguiu e precisa ser restaurada, e também porque a matéria oferece muitas tentações.
Só os que conseguem superar estas dificuldades podem vencer e fazer o melhor com sua vida
terrena. Os espíritos que estão próximos de encamar sabem que as dificuldades são necessárias para
que fiquem vigilantes e não se deixem aprisionar pela matéria e por tudo que ela atrai.

Antes de encarnar, portanto, um espírito pode pedir aos seres superiores: "Eu imploro que me
ajudem com a sua força e orientação, mas além disso, quando virem que não estou cumprindo com
a minha cota, mandem-me testes e provas, pois estes aumentam minhas possibilidades de despertar

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation
Palestra do Guia Pathwork No. 003
Página 2 de 6

e ver minha vida de um ponto de vista diferente do que quando tudo funciona bem e sem atritos,
isto é, quando todos os meus desejos se realizam dentro do possível."

Então é importante para vocês, meus caros, reconhecer que muitos dos eventos em sua vida,
que parecem repetir-se, foram escolhidos e planejados por vocês quando vocês ainda tinham uma
visão mais ampla. antes de que a matéria envolvesse o seu espírito. É útil vocês saberem disso. Um
espirito muito ambicioso pode às vezes até pedir um destino particularmente difícil, embora saiba,
no estado em que se encontra livre da matéria, que a dor que irá sofrer é pequena e não dura muito
em comparação com o que pode ganhar. Estas ideias devem fazer vocês pensarem.

Eu sugiro a todos, meus amigos, que pensem sobre a sua vida, suas provas e atribulações.
Perguntem se não poderiam ter sido escolhidas por vocês mesmos, para ter certeza de que não
continuam inconscientes de algo que deveriam realizar. Contemplem, a partir deste ponto de vista, o
que vocês ainda devem encontrar e resolver dentro de si mesmos. Se procurarem com todo
empenho, a resposta Ihes será dada, vocês vão senti-la, vão ter intuições Também isto precisa ser
aprendido e praticado. Não creiam que a capacidade de meditar vem sozinha. É necessário ter força
de vontade e perseverança. Vocês precisam lutar contra as correntes negativas. Mas a recompensa é
enorme, traz muita felicidade e o esforço vale a pena. Quando 0 mundo espiritual reconhece que a
pessoa faz isto com sincera boa vontade, a orientação também será dada de fora, para ajudá-la a
conseguir o que pretende.

Quando um espirito entende, depois do fim da vida e tendo deixado a carapaça material, que
não chegou a realizar tudo o que tinha planejado, ele pode às vezes ser autorizado a completar a
encarnação passada no estado espiritual, acabando tarefas já iniciadas e livrando-se de algumas
cargas. Então ele pode, como espírito, continuar envolvido com a família ou qualquer grupo de
pessoas com as quais a tarefa tinha de ser realizada, só que aí é muito mais difícil. Ou seja, é mais
fácil no sentido de que recobrou a visão clara e a memória extinta, podendo entender todas as coisas;
mas é mais difícil porque a possibilidade de trabalhar efectivamente é bem menor neste caso.

Por exemplo, ao superar seus próprios defeitos, uma pessoa em vida pode exercer uma
influência muito efetiva sobre outra. A influência indirecta é sempre efetiva e duradoura. O exemplo
é mais convincente do que as palavras, a persuasão ou a imposição da vontade sobre outrem, mesmo
que a pessoa tenha toda a razão e seja bem intencionada. Na medida em que a pessoa supera suas
fraquezas, afirma as leis espirituais dentro dela mesma e aprende a amar, ela chega mais perto dos
outros seres humanos. De acordo com a legalidade espiritual, deve ser assim. Trata-se de uma
influência indireta, mas o resultado finalmente se toma evidente para todos. No entanto, um espírito
desencarnado não pode fazer isto, porque a maioria das pessoas não está aberta para receber o que
um espirito está tentando transmitir através da inspiração. Mesmo quando se dão conta, muitas
vezes entendem errado ou esquecem, sendo portanto muito mais difícil e demorado acabar, na
condição de espírito, uma tarefa iniciada na terra - se é que pode mesmo ser acabada. Pode ser
necessária outra vida na terra para este fim.

Todo ser humano e todo espirito constrói o mundo onde vive. Você constrói sua casa no
mundo do espirito, depois da vida terrena; e você constrói sua vida futura na terra. Todas as ações,
pensamentos ou sentimentos têm uma forma, que modela a casa espiritual - mesmo que
temporariamente - e também os eventos predestinados da encarnação futura. Tudo isto representa
não só o resultado natural da atitude individual da pessoa e da sua perspectiva, mas as formas
Palestra do Guia Pathwork No. 003
Página 3 de 6

espirituais que assim se constróem indicam exactamente o que esta entidade necessita para seu
futuro desenvolvimento.

Meditem sobre estas palavras, pois elas têm muito conteúdo. Elas mais uma vez exemplificam
que a equação deve sempre dar certo: o sofrimento é auto-criado. e no entanto. precisamente por
causa disto, ele contém o único remédio que existe. Através disso pode-se sondar a vastidão da
sabedoria divina e sua magnifica legalidade Os que entenderem saberão também que destino e livre-
arbítrio não são dois fatores que se excluem mutuamente, mas estão entrelaçados e conectados. Os
eventos que o destino Ihes traz são formas espirituais que precisam se manifestar de um modo
concreto. Se, por meio da ignorância destas leis, formas desfavoráveis forem criadas, cada ser deve
desfaze-las por si mesmo, e isto só pode ocorrer quando se entra num caminho espiritual de
disciplina interna, de autoconhecimento e auto-descoberta.

Para tudo isto, meus caros, é preciso ter força de vontade. Muitos de vocês, meus amigos,
dirão: " Tudo bem, mas há pessoas que nascem com muita força de vontade e outras que não. Então
como poderia alguém, que não tem nenhuma força de vontade, fazer uso dela7" Deixem-me
explicar. A força de vontade, como qualquer outra qualidade, tem de ser gerada e construída por
vocês mesmos. Não pode ser diferente. A pessoa que nasce com uma vontade forte deve ter
trabalhado no passado para adquiri-la, e agora traz consigo este bem valioso - se é que posso dizer
assim - o que a coloca numa posição vantajosa. Mas se não for assim, a pessoa deve trabalhar para
conseguir isto nesta encarnação. O mesmo vale para toda as outras qualidades, quer seja a
capacidade de amar, de ser tolerante, de ser amável ou qualquer outra coisa. E eu gostaria de Ihes
mostrar como vocês podem adquirir força de vontade. Porque Deus nunca pede o impossível, meus
caros, nunca.

Força de vontade é o resultado direto da compreensão, do conhecimento e da respectiva


decisão. Porque todo ser humano dispõe de alguma força e só ele decide para onde vai canalizá-la.
Muitas pessoas desperdiçam esta força, fazendo esforços inúteis que não constróem nada de valor
espiritual ou cedendo às tendências emocionais doentias e impuras. Isto consome muita energia.
Existe também outra lei espiritual segundo a qual a energia usada para fins espiritualmente positivos
é sempre reabastecida. Mas quando esta torça é apanhada em círculos negativos de tendências
espiritualmente improdutivas, ela se dissipa e se esgota, porque não pode ser renovada, ao menos
não na medida necessária.

É por isto que às vezes achamos que pessoas que fazem tanto o bem têm uma força super
humana. Os que sabem o que a vida significa canalizam a energia à sua disposição com sabedoria,
recarregando-se internamente. Quando a pessoa fica à deriva, sem pensar no sentido verdadeiro da
vida, a maior parte da energia vai para canais falsos e se esgota, pois não se renova o bastante.
Assim, o primeiro passo para ter força de vontade é pensar, ou também podemos dizer meditar, do
jeito certo. Alguém com um certo grau de compreensão terá mais facilidade para chegar a
conclusões internas relevantes e tomar as respectivas decisões externas.

Trata-se de uma decisão e de uma reorientação interna quando alguém diz: "Bem, eu vivo aqui
na terra por certas razões. Talvez não tenha força de vontade para realizar o propósito da minha
existência, como poderia fazer se superasse todas as minhas resistências, mas vou pedir a Deus esta
força de vontade, já que basicamente desejo o bem, amo a Deus e quero agradá-lo. Também vou
destinar tempo e esforço para refletir sobre isto e abrir-me à iluminação divina, dedicando todos os
Palestra do Guia Pathwork No. 003
Página 4 de 6

dias uns vinte ou trinta minutos à minha vida espiritual. E se achar que não tenho força de vontade,
vou incluir este problema na minha meditação, no meu diálogo com Deus e Cristo, que me apoiam,
e com os espíritos que me ajudam e estão esperando para me assistir se eu preencher as condições
para receber ensinamentos e para ter intuições, contribuindo para fortalecer minha força de vontade.

Todos podem fazer isto. A força de vontade e a autodisciplina estão à disposição de todos.
Não precisa começar com o mais difícil, pois afinal não se constrói uma casa começando pelo
telhado e sim pelas fundações A ideia é deslocar a energia e a ênfase. Quando uma pessoa finalmente
toma uma decisão e fica firme - uma decisão que não é nem tão difícil - o mundo espiritual também
a ajuda a aumentar sua força de vontade, de modo que os passos do desenvolvimento que virão
depois, na realidade os mais difíceis. irão parecer muito mais fáceis. Eu prometo isto a vocês, meus
amigos, e alguns de vocês já podem confirmar que é assim mesmo. Portanto, mesmo a pessoa que
no começo não tinha força de vontade, no momento certo terá tanta força de vontade como os que
já nasceram com ela.

A pessoa que entende o que está em jogo e sabe onde concentrar-se mais, fazendo esta
compreensão passar do nível intelectual superficial para níveis mais profundos de seu ser, será capaz
de tomar o passo decisivo necessário. Isto ocorre pela prática constante da meditação correta, que
naturalmente deve ser aprendida como parte deste caminho. Falei sobre decisões interiores na última
palestra. A decisão de desenvolver a força de vontade é uma delas e deverá ser tomada mais cedo ou
mais tarde. Resumindo para ter força de vontade vocês precisam, primeiro, aumentar a compreensão
e, segundo. tomar a decisão decorrente disto. Portanto, se vocês acham que não têm força de
vontade, é porque está faltando a compreensão iluminadora do que tudo isto quer dizer. Sim, podem
ter uma vaga sensação, mas isto ainda não penetrou em suas almas, talvez porque algo em vocês
resiste e se agarra à atitude antiga, confortável e indisciplinada. Vocês estão divididos internamente.
Uma parte tem algum conhecimento espiritual mas a outra ainda não chegou a nenhuma conclusão
sobre o que você sente "um tanto quanto vagamente" - o fato é que vocês realmente não querem
saber. Então, em primeiro lugar devem aprofundar o conhecimento superficial para que toda a
personalidade possa ser penetrada pela compreensão. Se fizerem isto primeiro - e vocês são capazes,
se dedicarem tempo e trabalho sem dúvida vão tomar uma decisão e terão força de vontade para
dirigir sua vida e energias para o espiritual, reconhecendo e entendendo plenamente que esta é a
única maneira de resolver os problemas da vida terrena - não há outro jeito. Desta forma a pessoa
gera no seu eu interior uma energia tão poderosa que todos os passos subsequentes para continuar
caminhando ficam cada vez mais fáceis. Como em tudo, o começo é sempre o mais difícil.

Muitas vezes observamos que uma pessoa que se considera sem força de vontade não se
sentiria assim se dirigisse suas energias para o canal certo. Mas ela só vai agir se souber desta
necessidade de mudança. Enquanto ela se iludir e achar que pode continuar deste jeito, não vai fazer
nada além de caminhar com passos lentos, como antes. Mas a insistência em ficar num caminho
aparentemente cômodo significa que a relação com Deus não é totalmente harmoniosa. Portanto, se
você está nesta situação, comece a pensar em Deus e Cristo, em vez de se furtar a esta
contemplação. E terá de admitir, não obstante qualquer crença que possa ter - assumindo que você
não é ateu - que precisa dar um pouco de atenção a Deus. E você também pode agradecer a Cristo
por tudo o que, por amor, ele fez por você. Quem meditar e refletir assim chegará à conclusão certa
e tomará a decisão certa, para que sua vida se tome religião viva e não só uma teoria.
Palestra do Guia Pathwork No. 003
Página 5 de 6

Acha que estamos pedindo demais7 Seria demais dedicar um certo tempo e esforço todos os
dias para olhar para si mesmo, encontrar áreas onde algo está faltando, a fim de melhorar sua
consciência espiritual? E se faltar força de vontade é se for tão difícil ter disciplina diária, procure em
você mesmo após pedir ajuda, a fim de descobrir o que o atrapalha tanto. Se tiver medo de
encontrar algo que gostada de manter enterrado, use aquela lógica boa e saudável que diz que nada
se pode esconder de Deus ou do mundo do espírito - e nem de você mesmo quando estiver de volta
àquele mundo. E quanto antes vier à superfície, melhor, mais fácil de lidar. Porque você sabe que o
que se oculta causa mais conflitos do que o que se revela, se reconhece e se integra. Seus psicólogos
também sabem disto, de forma que vocês são conscientes do fato de que não ganham nada quando
fecham os olhos ao que existe em vocês mesmos. Pensem nisto profundamente para que o
conhecimento se enraíze em suas almas Será muito vantajoso para vocês.

Depois que vocês superarem as dificuldades iniciais e adquirirem autocontrole, ao menos nesta
matéria, o mundo espiritual Ihes mostrará o próximo passo no caminho, o que tem de ser resolvido
e tem de ser batalhado. A vida vai mostrar isto a vocês. Quando aprenderem a meditar do jeito
certo, saberão como encarar de olhos abertos cada acontecimento da vida diária, entendendo assim
suas mensagens. Mesmo aqueles amigos que superaram as dificuldades iniciais nem sempre usam a
sua hora de silêncio do melhor modo. É muito comum eles meditarem em termos gerais, sempre do
mesmo jeito, não só quando rezam por outros mas por si mesmos também. Suas meditações e
orações têm de variar; vocês precisam sentir o próximo passo de seu desenvolvimento, e se não
souberem, o discernimento Ihes será dado se procurarem honestamente, voltando seus olhos para o
que tem de ser reconhecido, aprendido, superado e aceito. Tomemos o problema específico de
encontrar ã direção de seu caminho para Deus e para Cristo, e para os seus espíritos amigos pessoais
que estão tão perto de você e cuja tarefa é ajudá-lo nisto. Desta forma suas orações ganham vida.
Após pedir ajuda para reconhecer seus problemas e força para resolvê-los, fique quieto e ouça a si
mesmo; e então pense, ou melhor, deixe seus pensamentos virem à superfície para guiar você
intuitivamente. Depois de um tempo as conexões ficam claras. Você vai saber de onde vem o
problema, por que você reage assim, e a consciência crescente de suas tendências internas vão ajudá-
lo muito a continuar.

Repetidamente, tome a decisão de encarar sua verdade interna com coragem. Cultive
pensamentos verdadeiros: pense em tudo com clareza e independência. Então sua vida espiritual se
tomará mais produtiva, porque será viva, e portanto em constante mudança. Não seguirá uma
fórmula rígida que se repete todos os dias. E assim sua relação com Deus se desenvolverá no sentido
da harmonia.

Pensem nas minhas palavras, que fui autorizada a Ihes transmitir hoje. Elas devem fazer vocês
avançarem no seu caminho. Assim cumprimos nossa tarefa. Quando digo "nós", eu quero dizer que
não sou a única envolvida neste contato, mas outros espíritos amigos tomam parte nisto também,
com suas funções muito específicas, assim como minha tarefa é falar com vocês. Porque estabelecer
este contato não é tão fácil como vocês poderiam imaginar, mesmo quando existe a capacidade de
transmissão.

Nós, os espíritos que trabalhamos aqui, ficamos alegres ao ver que estas palavras os
aproximam um pouco mais de Deus, do seu eu verdadeiro, de sua felicidade e harmonia interna.
Palestra do Guia Pathwork No. 003
Página 6 de 6

Recebam as bênçãos da salvação, que elas penetrem em vocês. Vão com Deus, vão em paz. Deus
esteja convosco.

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por
escrito da Fundação. A Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou
pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida,
de acordo com a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou
abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua
comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork
Foundation tenham concordado em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de
transformação pessoal reconhecidos pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Telefone : (011) 3721-0231 E-mail: pathworksp@pathwork.com.br Visite: www.pathwork.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter)
Telefone: (71) 3237-4962 E-mail: pathworkbahia@yahoo.com.br Visite www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília (Chapter)
Telefone: (61) 3442-8108 E-mail: fvervloet@gmail.com
Pathwork® Ceará (Chapter)
Telefone : (085) 8731-1122 E-mail: reginalencar@gmail.com
Pathwork® Goiás (Chapter)
Telefone: (62) 8118-0446 E-mail: ritapath@hotmail.com
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Tel: (31) 9959-5547 E-mail: pathworkmginstituto@gmail.com Visite: www.pathworkminas.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Telefones: (083) 9967-8303/(083) 3235-5188/(083) 3224-2362 E-mail: claubetenobrega@terra.com.br Visite: www.pathworkpb.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro (Chapter)
Telefone:: (21) 2529-2322 E-mail: gmdell@globo.com Visite www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Telefone: (51) 9177-3178 E-mail: suefonseca@hotmail.com. Visite www.pathworksul.com.br
Visite: www.pathwork.org.
Visite: www.pathworkbrasil.com.br
Palestra do Guia Pathwork nº 4
Palestra Não Editada
22 de abril de 1957

O CANSAÇO DO MUNDO EM CONTRAPOSIÇÃO AO AMOR: A PRECE

Saúdo a todos em nome de Deus e trago a vocês bênçãos divinas!

Meus queridos amigos, como alguns de vocês estão refletindo sobre o tema do cansaço do
mundo – um anseio indefinível, um pesar, uma tristeza que às vezes toma conta de vocês --, eu
escolhi esse assunto para minha palestra de hoje.

O elemento que está por trás desse sentimento envolve diversas causas e possibilidades que,
combinadas, provocam o cansaço do mundo. É claro que o mero anseio por Deus e pela perfeição
faz parte dele, consciente ou inconscientemente. E isso também tem relação com o anseio pelo lar
espiritual, que é inato a todos os seres humanos porque, no fundo, vocês sabem que são visitantes na
terra, que este não é seu verdadeiro lar. Mas, sozinha, esta nunca é a razão principal do cansaço do
mundo. Ele tem um plano de fundo mais complicado que gostaria de descrever agora.

Se o homem, de alguma maneira, desvia-se em seu íntimo das leis de Deus – e ainda mais se
não tiver consciência disso – esse vago sentimento de anseio e tristeza pode tomar conta dele por
algum tempo. Nesse caso, é mais ou menos a resposta ou um discreto alerta do eu superior de que
algo não vai bem dentro dessa pessoa. O homem, por exemplo, nem sempre sabe como desenvolver
o sentimento do verdadeiro amor. Ele pode não conseguir transmitir esse sentimento vital da
maneira correta, e assim não tem uma recíproca satisfatória e da maneira certa. O cansaço do mundo
é a resposta de sua alma. É comum o homem acreditar que é perfeitamente capaz de amar – e isso
pode ser verdade – porém sua capacidade de amar não flui sem tropeços, porque outros
movimentos da alma impedem que isso aconteça, diversos movimentos, como o medo, o
autocentrismo, etc. Pode-se observar com freqüência que um ser humano anseia e quer dar amor,
mas somente quando em primeiro lugar ele recebe esse amor. Essa troca segura, além de trancar a
porta, também provoca as deformações da alma que mencionei e que geram o sentimento de
cansaço do mundo, porque com uma atitude dessas a pessoa acaba sozinha.

O medo interior diz: “Meu orgulho pode ser ferido; eu posso sair machucado; eu posso ser
rejeitado se for o primeiro a dar, sem ter certeza.” O medo da decepção é sinal de autopiedade, e a
autopiedade, por sua vez, é sinal de concentração no eu no sentido errado. Em toda essa agitação
interior, a meta é o ego. Isso dispersa a corrente de amor real ou a afasta para direções opostas. Esta
é a lei, e a alma sofre quando a viola. Também neste caso, quando o homem “se liga” interiormente,
passando a combater a sua vulnerabilidade ao levar menos a sério o eu inferior, ele consegue de fato
dar amor real, porque a outra alma, da qual ele carece e que deseja, passa a ser mais importante que o
ego com toda a sua vaidade e orgulho. Assim, o sentimento de vazio, o vago anseio desaparecem,
porque o homem nesse momento está exercendo uma função vital e, portanto, está em harmonia
com Deus e com seu eu superior, pelo menos a esse respeito.

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 4 (Palestra Não Editada)
Página 2 de 13

Mas não me entendam mal. De maneira alguma quero sugerir que uma pessoa assim seja
egoísta. Há uma diferença entre egoísmo e egocentrismo. Ambos são errados, mas um não implica
necessariamente o outro. Também não quer dizer que essa pessoa não queira dar, seja mesquinha ou
avarenta. Acontece apenas que os sentimentos reais, autênticos foram encaminhados para a direção
errada pelo eu inferior ignorante do homem.

Vocês também vão descobrir que o ser humano que se encaixa na descrição acima pode muito
bem ser capaz de amar alguns outros seres de todo o coração. No entanto, vão surgir essas correntes
erradas. Se os sentimentos de amor dele, mesmo pelos entes mais amados, estivessem no canal certo,
ele não inundaria alguns poucos seres com seu amor, mas seria capaz de estender todo o seu amor a
todos os que amigavelmente entram em contato com ele, sem o medo de correr riscos e com a
mesma expansão de sentimento que ele possui. Isso não é óbvio, meus amigos, porque por mais que
vocês concordem com essas palavras em princípio e intelectualmente, há uma enorme distância
entre a compreensão mental e as reações emocionais efetivas. Há algumas poucas exceções.
Naturalmente, a totalidade do amor é expressa de maneira diferente com cada pessoa. Além disso,
vocês partem do pressuposto de que amam algumas pessoas muito mais do que outras, o que talvez
precise continuar assim por ora, enquanto ainda estão em níveis de desenvolvimento que exigem a
encarnação na terra. E vocês também sabem que amam sua mãe de maneira diferente da que amam
seu parceiro, seu irmão, ou sua irmã, ou seu filho, filha, pai, ou amigo, e têm diferentes formas de
expressar o amor por diferentes amigos. É muito grande a variedade de correntes de amor, que são
forma e substância em espírito. Todas essas cores, nuanças, sons e fragrâncias são diferentes. Mas a
capacidade de amar seria suficiente para gerar todas essas diferentes correntes de amor, se as
tendências doentias do ego não o impedissem.

O ser humano que ama muito uma pessoa sente, de alguma maneira, que está tirando de outra
a quem talvez quisesse amar ainda mais. E tem essa mesma sensação quando alguém o ama menos
ou mais do que a outro. Tem a impressão de que um deles sai prejudicado quando o amor é
dividido. O amor autêntico e sadio é indivisível, jamais diminui, mas quanto mais é ativado dentro de
vocês, mais multiplica sua velocidade e expansão, por sua própria propagação. Esta é a lei imutável,
e o homem precisa encontrar a aplicação dela dentro de si. Assim é com Deus, que ama seus
inúmeros filhos, sempre mais, nunca menos. Também neste ponto não quero que me entendam mal;
o que digo nada tem a ver com experiência erótica e sexual.

Como se pode atingir esse amor autêntico e sadio? Não é tentando forçar, isso seria
impossível. Só pode ser atingido indiretamente. Comecem com vocês mesmos. Investiguem todo o
seu ser, sem enganos. Descubram as obstruções: egocentrismo, autopiedade, vaidade, orgulho.
Depois que perceberem sua extensão, vocês estão caminhando para o amor autêntico, verdadeiro.
Ao mesmo tempo, a sensação de cansaço do mundo – o anseio, a tristeza, a saudade, tudo o mais –
vai desaparecer. Verifiquem suas correntes da alma, e se encontrarem algo errado, já sabem que a
alma precisa ser curada.

Se vocês concentram todo o amor em uma só pessoa, como dissemos acima, se isso for feito
da maneira errada indicando a doença da alma nessa área, então tal amor lhes enfraquece. Talvez
tenham medo de perder o amor do outro, e por isso procuram mudar de personalidade o que, no
entanto, resulta em humilhação – para vocês e para o outro, mas de uma maneira doentia, com
fraqueza e medo, não com força. Às vezes talvez vocês pensem que este é o sinal do verdadeiro
grande amor, mas é auto-engano, enquanto outros simplesmente têm medo disso e se apartam do
Palestra do Guia Pathwork No. 4 (Palestra Não Editada)
Página 3 de 13

verdadeiro e autêntico sentimento do amor. Quem sente amor saudável e autêntico jamais
compromete sua dignidade. Deixem de lado os pensamentos que envolvem medo ou orgulho.
Vocês precisam entender que, em nome do amor abrem mão de algo que apreciavam muito, para
obter aquilo que desejam renunciar. Esta é a lei imutável. Portanto, o homem precisará tomar a
decisão interior de eliminar o orgulho, a importância do ego, mas não a fidelidade ao seu eu real.

Talvez não seja fácil perceber a diferença, mas meditem no que eu disse e vocês terão mais
condições de entender. Aqueles que são capazes de sentir o amor real e autêntico, deixando de lado
o orgulho mesquinho, os pequenos infortúnios, as possíveis desvantagens, mantendo a integridade
interior, sem abrir mão dela por medo de perder o amor do outro, esses jamais serão maltratados. O
amor autêntico sempre mantém sua dignidade. Vocês podem sofrer uma desilusão, mas não passar
por humilhação indevida. Esse tipo de amor se basta; essa dignidade gera respeito, não rebaixamento
ou maus tratos. O amor saudável – que enxerga, não é cego, é forte, não é fraco – sempre é leal ao
eu interior simplesmente porque, ao eliminar o pequeno ego, ela não visa satisfazer seus desejos
egoístas. Assim, o real amor é isento de qualquer tendência masoquista ou sádica; é saudável e não
apresenta egocentrismo ou outras correntes doentias, que sufocam a personalidade. Vocês vão
observar que existem sempre duas correntes doentias extremamente opostas. Estudem isso com
atenção, meus amigos!

O medo – esse agente secreto na alma do homem – é um grande obstáculo ao amor real, e
somente pode estar presente quando o homem ama demais a si mesmo, acha-se muito importante,
se importa muito com seu bem-estar, e apega-se em vez de doar-se livremente da maneira certa e
saudável. Se vocês se considerarem demasiadamente importantes, necessariamente terão medo. Se
considerarem menos o seu ego, não precisarão ter medo de que “algo aconteça”, quando amam de
verdade. O medo cobre os olhos de vocês com um véu pesado que cega. Vocês não conseguem
enxergar nem a si mesmos nem aos outros.

O amor autêntico tem a verdadeira visão, porque ela só pode manifestar-se na alma sem
medo. Ela terá força suficiente para reagir da maneira certa, enquanto a atitude amorosa “errada”
tem pontos fracos e enfraquece, acarretando assim reações erradas. Como foi dito anteriormente, o
amor real gera uma dignidade natural, enquanto as atitudes erradas levam a uma dignidade falsa, que
tem por base o orgulho e a vaidade. Quando registra essas correntes erradas, a alma emite sinais de
perigo, como os sentimentos do cansaço do mundo.

Outra fonte intricada de cansaço do mundo é o recolhimento do homem a um mundo que ele
mesmo criou, um mundo solitário só dele. Também aqui existe medo de não se doar, vontade de
não arriscar nada; às vezes existe egoísmo real. Talvez a pessoa queira vantagens evidentes, porém
temporárias, no sentido de não precisar ser responsável por ninguém mais e poder viver sua vida
sem estorvos, sem concessões. No entanto, essa pessoa precisa pagar um preço maior do que
imagina no início. Nesse caso também ela age contrariamente às leis espirituais, e o eu superior usa
de seus meios próprios para se comunicar com ela, fazendo surgir o cansaço do mundo em sua alma.
Vez por outra, um ser humano assim se sente insatisfeito e solitário, sozinho e abandonado.

No fundo da alma, cada ser humano anseia dar, preencher, até se sacrificar. Quando os
movimentos doentios, cegos e imaturos da alma impedem esse anseio, surgem duas correntes
cruzadas que se compensam entre si. Uma parte da alma quer dar amor e assim também receber
amor, porque o que vocês dão volta para vocês, como um círculo que gira eternamente. Mas
Palestra do Guia Pathwork No. 4 (Palestra Não Editada)
Página 4 de 13

comecem com a parte de dar, ao invés de esperarem primeiro receber, como ocorre com tanta
freqüência. Uma parte da alma quer renunciar ao eu, preencher, sacrificar-se; está ansiosa por seguir
as leis divinas com todas as correntes interiores de sentimento; quer esquecer seus desejos egoístas,
sua vaidade, orgulho, vantagens, porque esse anseio é implantado pelo eu superior, que sabe que
somente então poderão se manifestar o preenchimento, a felicidade, a harmonia, a perfeição. Essa
corrente oculta benigna existe até nas almas menos desenvolvidas e às vezes irrompe na superfície,
embora isso seja raro.

A outra parte da alma quer conforto sem sacrifício. Ela chega a fugir do esplendor da
felicidade e se recolhe para um mundo cinzento e solitário, onde não há riscos envolvidos (“sem
riscos”, ou pelo menos é o que parece para a porção cega do homem). É impossível harmonizar as
duas correntes, porque elas fluem em direções opostas. Essas correntes cruzadas provocam no
homem mais conflito do que ele pode perceber de pronto. E quando o homem não consegue
suportar esses conflitos (indicado por sintomas), ele não procura um curador da alma, pois não sabe
qual é a verdadeira base dos conflitos. Se soubesse, ele poderia trabalhar para resolver os conflitos.
Quando ele toma conhecimento dessas correntes cruzadas, em pouco tempo se torna capaz de optar
por uma das direções, sabendo que precisa renunciar para ganhar.

Normalmente, o homem tem conhecimento intelectual suficiente para dizer a si mesmo: “Se
eu for nesta direção, não posso ir no sentido oposto. Preciso decidir para onde quero ir.” Há pouco
tempo, quando falei em decisão interior, disse que um dia iria expor o significado real dando
exemplos, e este é um exemplo. Uma decisão interior só pode ser tomada quando vocês (1) tomam
conhecimento da existência de correntes ocultas de sentimentos, (2) tomam ciência de suas próprias
correntes interiores e descobrem onde e como elas foram canalizadas erradamente ou se cruzam.
Essas correntes cruzadas de sentimentos não apenas provocam curto-circuitos e obstáculos
emocionais e espirituais, mas também podem manifestar-se como debilitação física: fadiga, fraqueza,
até doença. Como essas correntes cruzadas se chocam constantemente, elas sugam a força do
homem, força que, quando canalizada para o bem, pode ser usada como um elemento de construção
da vida, renovando-se como seu próprio agente propulsor.

O homem sabe muito intelectualmente, mas muito pouco no tocante a emoções doentias que,
enquanto permanecem no inconsciente, obscurecem o pensamento saudável. À parte as verdades
espirituais das leis de Deus, às quais todas as almas estão sujeitas e devem obediência para viver com
saúde e harmonia, uma mente razoavelmente sã deve perceber que é impossível caminhar ao mesmo
tempo para o oeste e para o leste. Assim, o processo de percepção é uma necessidade fundamental,
ainda que exija muita disciplina, pois muitos seres humanos hesitam em empreender a busca interior.
Vocês admitem que uma pessoa doente emocionalmente é imatura, pelo menos nas áreas em que a
corrente da alma é doentia. Tal imaturidade atua como a criança que pede o impossível porque ainda
não entende e não consegue ver que cada ato ou omissão acarreta conseqüências, que o ser humano
maduro assume de maneira consciente e de bom grado, renunciando voluntariamente ao que está
fora de seu alcance, enquanto a alma imatura quer as vantagens das duas alternativas, e nenhuma das
desvantagens. E quando ela se vê diante da impossibilidade, sua revolta interior aumenta, bem como
os conflitos, porque se revoltar contra o imutável é uma corrente doentia. Esses grandes conflitos
interiores costumam refletir-se e mostrar-se de maneira desagradável na vida cotidiana.

São muitas as espécies de correntes cruzadas, não somente as mencionadas acima; e o anseio
indefinido e a tristeza, chamados de cansaço do mundo, podem ser provocados por um curto-
Palestra do Guia Pathwork No. 4 (Palestra Não Editada)
Página 5 de 13

circuito. Se o cansaço da alma reaparece com freqüência, procurem sua origem. Não é muito fácil
revelar essas correntes profundamente arraigadas. É preciso querer com firmeza, com o máximo de
disciplina, para eliminar a resistência. Embora o anseio por Deus e pelo lar espiritual não seja o
único sentimento envolvido, é verdade que o cansaço da alma deriva de um anseio insatisfeito por
Deus, porém em um sentido diferente do que vocês comumente supõem. É somente quando o
homem vive em perfeita harmonia interior com as leis de Deus que esse anseio por Deus é aplacado.
Para sentir-se perto de Deus, em harmonia com Ele, é preciso afastar os obstáculos. Sim, nesse
momento a alma se sentirá unida a Deus. Se vocês pudessem imaginar como a sua vida terrena atual
poderia mudar se tentassem agradar a Deus com todas as suas forças, de acordo com sua tarefa
pessoal e nível de desenvolvimento, vocês não teriam desarmonia interior – nada de tormento,
amargura, tensão, tristeza, cansaço do mundo.

Mais uma vez, no tocante à tomada de decisões interiores, gostaria de dizer que mesmo que
um ser humano tome uma decisão negativa e arque com todas as conseqüências e correspondentes
tarefas, ele estará muito melhor - porque sua mente assume uma nova direção e suas emoções se
ajustam à mudança - do que estaria se não tomasse decisão alguma, procurando agarrar duas
impossibilidades, vendo suas vantagens, mas recusando-se a aceitar as desvantagens resultantes da
indecisão. Se, por exemplo, um homem opta pelo recolhimento e solidão porque tem medo de dar
amor, ele deve resignar-se ao fato de que terá de viver sozinho e sem amor e, da mesma forma, terá
de renunciar voluntariamente a determinadas alegrias e satisfações. A tomada de uma decisão dessas,
embora muito negativa, é um passo que leva mais para perto do bem-estar emocional do que a
indecisão, esse “eu quero as duas coisas”. Pelo menos, existe uma direção interior; a pessoa deixa de
ficar dilacerada por duas correntes opostas.

Mesmo uma decisão negativa, como mencionado anteriormente, requer esforço e


enfrentamento honesto do eu. Revelar correntes inconscientes, renunciar a algumas coisas, pagar
pelo menos um preço, mesmo que não seja vantajoso, ou que seja errado, é um passo na direção do
bem-estar emocional, embora não o ideal. Se um ser humano assim optar pela solidão, externa ou
internamente (às vezes é apenas um fechamento interior), por causa de seu egoísmo, medo,
autopiedade, orgulho, ou o que for mais forte, ele reconhecerá facilmente as conseqüências e
chegará ao problema quando for confrontado com ele, com o anseio de amor, de preenchimento, de
iluminação, de fraternidade, de união com outra alma. Ele dirá a si mesmo: “Fiz minha escolha; esse
é o preço que preferi pagar”.

Supondo agora que ele tenha feito um esforço spiritual escrupuloso para chegar a essa
conclusão negativa, ponderando com cuidado os dois lados, mais tarde, se ele perceber que tomou a
direção errada, será muito mais fácil mudar de direção, pois antes ele já havia identificado as
vantagens e desvantagens. A pior atitude é ficar à deriva na indecisão, deixando que todas essas
correntes se choquem despercebidas no inconsciente, sem um esforço de auto realização. Esse
estado interior dilacera a alma, com toda a certeza resulta em conflitos, fatiga a alma, consome cada
vez mais a força até não restar força suficiente para preencher a vida, do ponto de vista espiritual e
material, em outras áreas vitais.

As correntes que se chocam ou curto-circuitos não estão presentes com a mesma força em
todos os seres humanos; há graus variáveis. Não se trata de uma coisa ou outra. Mas às vezes essas
emoções contrastantes se chocam violentamente, porque as exigências da alma vão nas duas
direções, e os atritos interiores e frustrantes tomam conta do homem, a ponto de ele não conseguir
Palestra do Guia Pathwork No. 4 (Palestra Não Editada)
Página 6 de 13

mais tocar a vida adiante. Bem, talvez esse seja o único “remédio”, pois nesse momento a pessoa
pode sentir-se tão doente por dentro que voluntariamente concorda em conhecer um meio de cura,
o que caso contrário poderia não acontecer, a menos que ela já estivesse em um nível espiritual
superior. Se esses conflitos interiores não gerarem essa aflição violenta – uma corrente mais em
primeiro plano que a outra – mesmo assim o homem sentirá as contracorrentes pelo menos de
tempos em tempos, e a força dele diminui. O mais importante é que não pode haver equilíbrio
perfeito de suas forças da alma.

Diversas outras causas provocam o cansaço do mundo. Todas elas derivam da dissonância das
forças da alma por outras razões além daquelas que mencionamos, e não vou continuar com esse
assunto agora. Já falei o suficiente por hoje, para que todos que ouçam ou leiam estas palavras
tenham material suficiente para assimilar, para sua busca interior. Quem quer que deseje ajuda
pessoal, a porta está sempre aberta. Se vocês tiverem esse sentimento de anseio indefinido, saibam
que nas suas correntes inconscientes de sentimento existe falta de bem-estar e liberdade. Pensem
mais na sua alma, em toda a sua personalidade, para revelar esses obstáculos ocultos; e dêem menos
importância às suas aflições, à sua vaidade, aos seus medos, etc., porque se elas os subjugarem,
impedem que se investigue bem. Captem a si mesmos, e terão a coragem para revelar o que está
oculto, livrem-se dos fingimentos, e revejam, refinem seus verdadeiros sentimentos.

A única outra corrente sobre a qual ainda quero falar um pouco hoje, porque tem relação com
o tema de hoje, é a autopiedade, que freqüentemente intensifica o sentimento de cansaço do mundo.
É “banhar-se no infortúnio”. O homem tem prazer nisso, e se convence de que precisa agüentar,
porque é seu destino. E talvez não seja, absolutamente. Como já expliquei, pode ser qualquer uma
das correntes cruzadas ou um curto-circuito, que o homem pode consertar. Essa atitude doentia de
sentir prazer com o infortúnio – vocês dão a isso o nome de masoquismo -- é resultado de algumas
tendências: fugir dos verdadeiros problemas que o homem não quer enfrentar, compensar as
carências da vida se lamentando. Essas carências podem fazer parte de uma seqüência pré-
determinada de acontecimentos, mas muitas vezes podem ser eliminadas com coragem e força de
vontade, desde que o homem abra sua porta interior.

Independentemente dos fardos que vocês trazem desta vida ou das anteriores,
independentemente do que vocês estão passando agora, se satisfizerem as exigências interiores que
eu expliquei, isto é, curar a alma, as emoções (não apenas pensamentos e fatos), harmonizá-las com
as leis espirituais, vocês serão capazes de levar uma vida emocionalmente rica, harmoniosa e
portanto feliz, que vai proporcionar satisfação, seja qual for o nível em que vocês se encontram.

Finalmente, mas não menos importante, quero mencionar algo que já expus muitas vezes --
quanta discórdia interior o homem sente quando se revolta contra aquilo que não pode ser alterado.
Aceitar um fardo pesado jamais prejudica a alma. A pessoa não fica nem deve ficar alegre; isso seria
impossível, mas deve aceitar sem revolta nem amargura. A tristeza que daí resulta de alguma forma
liberta a alma. Acredito que todos vocês já sentiram isso muitas vezes. Quando o homem afunda na
autopiedade, de maneira semiconsciente ele se lembra de como reagiu quando tinha sobre os
ombros um fardo real. E agora, o que ele quer é reproduzir aquele sentimento. Mas é uma produção
artificial, pois com um pouco de esforço ele poderia modificar a situação. Vocês vêem, um mesmo
sentimento pode ser profundamente libertador (quando se passa por uma provação) ou doentio e
superficial, quando a pessoa se entrega, desanimada, à autopiedade. Procurem ver a diferença.
Palestra do Guia Pathwork No. 4 (Palestra Não Editada)
Página 7 de 13

Uma série de correntes doentias pode desgastar a alma ao mesmo tempo (as que eu citei e
outras). Uma se interliga à outra, uma corrente doentia contamina a outra. O que eu disse a vocês
hoje não é fácil de entender, e peço que estudem a palestra muito bem. Agora vamos passar às
perguntas, que vou responder da melhor forma que puder.

PERGUNTA: Ainda não consegui resolver o problema da prece e da meditação. Sem querer,
acabo caindo em alguma rotina. Há um bom tempo você mostrou como fazer uma oração. Segui seu
conselho e fiquei satisfeita por muito tempo. Achava que vinha realmente de dentro. Tive de me
esforçar um pouco para adquirir uma certa disciplina. Mas agora acho que ainda não está certo. Eu
sinto a rotina, a falta de espontaneidade. Por outro lado, se eu não sigo a estrutura, logo esqueço por
que queria rezar. Também aprendemos que nenhuma prece é em vão. São tantas as coisas para
incluir na prece, que às vezes levo uma hora para terminar. Agora, se eu deixar de lado a estrutura,
eu sei, eu tenho medo, que vou me descuidar e deixar de rezar por uma série de coisas. Como acabar
com essa divisão?

RESPOSTA: Quando o homem está no início de um caminho spiritual e ainda pode não ter
aprendido o método certo da prece regular, que é muito importante, e quando, além disso, ele não
gosta de disciplina – e, portanto existe o perigo de se tornar negligente – é da maior importância que
ele faça um plano. É muito importante porque nenhuma prece, nenhum bom pensamento é emitido
em vão. Todos os pensamentos têm forma no plano espiritual e têm algum efeito. Mas também é
importante que o homem aprenda a ter disciplina e se concentrar. A prece diária deve ser
considerada um exercício diário de meditação. A princípio, a maioria dos seres humanos tem
dificuldade de manter os pensamentos ordenados, e é preciso aprender a não desanimar por causa
disso. Basta voltar tranqüilamente ao ponto em que os pensamentos saíram do caminho. É um
exercício valioso, além dos bons pensamentos -forma que são construídos.

Você precisa entender também que essa é uma etapa passageira. A prece, como tudo que está
vivo, jamais deve chegar a um ponto em que não evolui mais. Ela precisa acompanhar sempre o
desenvolvimento da personalidade como um todo. Assim, esse exercício inicial é de grande
importância e deve ser tratado como você fez. Ah, você vai aprender muito com isso! O homem
deve fazer questão de dedicar um certo tempo diariamente à vida espiritual. Depois de algum tempo,
esse hábito fica tão arraigado que ele não pode mais passar sem isso.

Depois você atinge o passo seguinte e pode ampliar as suas preces. Você vai aprender a rezar
por outras pessoas, pelos espíritos, pelo desenvolvimento em geral, pela paz, etc., com mais
profundidade. Tudo isso leva você para mais perto de Deus e do mundo dos espíritos. Mas depois
que você atinge essa nova fase – quando a prece diária é uma necessidade – precisa prestar atenção
para ela não se transformar numa prece mecânica. Faz parte da batalha constante de que o homem
participa, se quiser trilhar o caminho do meio, que é muito difícil.

O outro extremo é a negligência, muitas vezes justificadas desta forma: “A prece só tem valor
se eu estiver no estado de espírito certo.” Mas o desejo de orar pode ser cultivado, e deve ser, com a
Palestra do Guia Pathwork No. 4 (Palestra Não Editada)
Página 8 de 13

mesma ternura que tudo o mais na vida. Dê um pequeno empurrão em você mesma, adquira
disciplina.

Minha amiga, o seu caso é o outro extremo: rotina demais. A sua prece parece um fardo, algo
que você tem que carregar. No entanto, o homem tende a considerar esse extremo um fardo mais
fácil porque, seguindo um padrão fixo, ele não precisa pensar muito. Não é preciso examinar
constantemente o eu interior, rever, retificar, e sua consciência pode achar mais atraentes as
doutrinas dos organismos religiosos ortodoxos. Mas o ser humano que se esforça por crescer
espiritualmente na mais pura acepção da palavra não deve se contentar em seguir rotineiramente os
extremos e as doutrinas porque isso acalma sua consciência. Vou aconselhar você, minha amiga, não
se preocupe quando fizer uma prece de maneira diferente do que você pretendia, nem se esquecer
isto ou aquilo, uma vez ou outra. A sua prece era adequada para você na fase anterior, mas agora é
preciso rever o seu plano. Esquecer alguma coisa de vez em quando é um mal menor, se pudermos
falar assim, do que ficar presa pelos grilhões da rotina, que bloqueia a espontaneidade e também a
libertação da sua alma.

Também vou lhe dizer que para prece geral (tudo que não envolve você mesma), não é preciso
usar muitas palavras. Mesmo se você escolher as palavras mais bonitas, que a princípio tinham muito
poder, depois de algum tempo, por causa da repetição constante, elas consomem tempo e perdem o
efeito inicialmente pretendido. É melhor e muito mais objetivo visualizar fortemente na sua mente
os elementos pelos quais você deseja orar e depois condensar esse desejo, com todo o coração, em
uma única frase. Assim, você se expressa com muita eficácia. Ouça tranqüilamente o seu íntimo se
você quer, realmente, verdadeiramente, que esse desejo seja satisfeito. Essa prece de uma única frase
tem mais poder do que as muitas palavras que você poderia ter dito. Quanto a você pessoalmente,
não prepare nenhuma fórmula fixa, porque cada dia apresenta estímulos internos e externos
diferentes. Você percebe, à medida que se desenvolve, que um dia um determinado defeito é
revelado, no dia seguinte é outro, depois uma corrente emocional errada, e em outro dia ainda você
não sai do lugar por causa de alguma coisa que não entende a seu próprio respeito. Dessa forma, a
prece é sempre atualizada, variada e, portanto mais pessoal. Combine isso com a reflexão diária na
meditação.

Para desenvolver-se ainda mais, converse diariamente com Deus através dos seus amigos
espíritos da esfera Dele. Mas para não se dispersar, você precisa ter uma determinada estrutura para
agir, por assim dizer. Primeiro, inclua todas as falhas e reações emocionais erradas na sua prece;
formule resoluções, e depois peça a Deus por mais reconhecimento e força para superar. Depois de
algum tempo, você vai descobrir o ponto de centralização, porque quanto mais se desenvolver, mais
depressa vai perceber que muitas falhas e correntes defeituosas têm origem em algumas poucas
causas básicas. Mas tome cuidado para que o relato de seus defeitos, etc., não se transforme em
rotina, porque o objetivo é impregnar, e ao mesmo tempo revelar essas falhas, passando a perceber
um pouco melhor, de cada vez, a razão delas. Encare os altos e baixos diários com sinceridade, e
converse com Deus sobre eles. E depois fique quieta, ouça. Às vezes a resposta vem
instantaneamente. Procure fazer assim.
Palestra do Guia Pathwork No. 4 (Palestra Não Editada)
Página 9 de 13

PERGUNTA: Fico com a consciência pesada quando oro muito por mim e meus assuntos em
vez de orar pelos outros.

RESPOSTA: Isso depende totalmente da maneira como você faz. Se as suas preces fossem
apenas a vontade intensa de satisfazer um determinado desejo, poderiam ser em si mesmas erradas.
Mas entenda que, para os outros, você não pode fazer mais do que enviar a eles sentimentos de
compaixão, amor, perdão, com os seus melhores votos, inclusive para os seus inimigos. Você não
tem poderes para fazer mais do que isso, minha querida, mas tem poderes para mudar por dentro,
para se desenvolver, e isso requer todo o seu esforço concentrado, muito tempo e a ajuda de Deus,
que é dada para aqueles que verdadeiramente a desejam. Basta entender que a sua vontade interior
pode impulsionar mudanças e o seu desenvolvimento, e você não ficará com a consciência pesada
quando conversar longamente com Deus sobre você mesma. Isso não é ser egoísta.

Vocês, seres humanos, não entendem muitas coisas sobre si mesmos. O maior entendimento
requer reconhecimento, que pode ser obtido pelo esforço concentrado, pelo tempo dedicado e com
a ajuda de Deus. Absorvam o pensamento de que vocês não desejam a purificação e a cura da alma
apenas para se tornarem seres humanos mais felizes e, como espíritos, entrarem numa esfera
superior, porém mais para serem uma luz no plano de salvação de Deus e irradiarem o que Deus dá
a vocês para o seu desenvolvimento. Se quiserem progresso para o mundo, salvação para as almas,
os seres humanos e os espíritos, como vocês dizem nas preces, vocês podem fazer isso muito
melhor se tiverem crescido, forem mais livres e mais saudáveis. Vocês não têm a menor idéia da
diferença que isso faz e como se irradia. Com tal atitude, você gera uma corrente produtiva, e não
apenas vai esquecer a consciência pesada, mas também receber mais ajuda, porque você pode ajudar
melhor os outros. Esta é a única maneira de resolver este problema, porque as melhores preces do
homem são seus atos. E o ato certo, acima de tudo, é curar os aspectos doentios da própria alma, e
isso exige muita honestidade consigo mesmo e disciplina. Assim, o homem cumpre sua missão e
suas preces adquirem vida.

É claro que a prece falada é necessária, é a pedra angular. Não se apresse e você vai aprender o
que é essencial para o seu desenvolvimento. Saiba que o seu desenvolvimento, que requer muito
conhecimento e reconhecimento sobre o eu interior, serve mais aos outros do que muitas preces
com palavras bonitas. Mas não quero dizer que você não deva absolutamente orar pelos outros; não,
procure o justo meio termo, o equilíbrio.

PERGUNTA: Por algum motivo, acho difícil interromper o que construí com tanto cuidado.

RESPOSTA: O fato de isso ser tão difícil para você é sinal de que já se tornou uma espécie de
carga ou prisão. No início do plano, essa estrutura era excelente, mas agora é importante que você se
liberte do fardo para reintroduzir vida nas suas preces, acompanhando as suas necessidades diárias.
Vou dar um exemplo. Uma pessoa que nunca aprendeu a tomar banho todos os dias terá, no início,
dificuldade em fazer disso um hábito. Ela precisa superar a resistência inicial, pois acha que isso
requer muita disciplina e toma tempo. Mas depois de algum tempo, fica tão acostumada que
Palestra do Guia Pathwork No. 4 (Palestra Não Editada)
Página 10 de 13

dificilmente conseguiria viver sem a limpeza diária do corpo todo. Poderia até acontecer o extremo
oposto, ela deixar de fazer outras coisas importantes por passar tempo demais na banheira, achando
que isso é um prazer tão grande. Ou pode colocar sua saúde em perigo durante uma doença em que
não deva tomar banho. Assim, ela se sente obrigada a cuidar disso, que agora considera uma
necessidade diária. No entanto, se tiver adquirido esse hábito saudável, irá mantê-lo sem compulsão
nem pressão, sem cair nos extremos, sem considerar isso um dever no mau sentido, e dessa forma
não será uma prisão. Será uma coisa natural, uma atitude descontraída e harmoniosa, quase sem
esforço.

Você, minha cara, ainda luta com esse banho da alma, a prece, quando poderia descontrair,
porque a prece diária já é sua segunda natureza para você. Não tranqüilize a sua consciência com
esforço tenso.

PERGUNTA: Você pode, por favor, me dizer da próxima vez, se eu avancei nessa direção?

RESPOSTA: Sim, com prazer. E vocês sabem, meus amigos, como Cristo disse, a Prece do
Senhor tem grande profundidade. Pode-se meditar uma hora sobre a Prece do Senhor. Mas não a
recitem apressadamente – nem as suas próprias preces. Se vocês refletirem em cada linha da Prece
do Senhor, certamente não vão fazer uma prece mecânica, e sim perceber seu poder e sua pureza.
Todos os elementos essenciais estão condensados ali, de uma maneira maravilhosa. Depende de
vocês entenderem o significado das palavras. Uma vez, eu expliquei a vocês o significado das
palavras dessa maravilhosa prece, e posso fazer isso outra vez de modo diferente para mostrar que
essa prece pode ser dita de muitas formas, se vocês procurarem captar sua vivacidade e seus muitos
esclarecimentos. É claro que não precisam dizer apenas essa prece; evitem a prece estática, dita
mecanicamente. Façam uma alternância – uma vez a prece de vocês, depois a Prece do Senhor,
depois ambas, etc.

A prece de vocês deve se concentrar no seu próprio desenvolvimento, nos seus problemas, na
sua busca. À medida que vocês mudam, também as preces devem mudar, passando para um patamar
mais alto. A questão mais íntima e mais importante da vida do homem, suas preces, deve
acompanhar o ritmo do avanço do crescimento em geral.

PERGUNTA: Gostaria de dizer uma coisa com respeito à comparação entre prece e banho.
Limpar o corpo tem um resultado visível, mas a prece, não. A dificuldade com a prece é que nem
sempre a pessoa acha que atingiu o objetivo. Não quero dizer ela se realizar, mas ser ouvida. O povo
indiano tem rodas de prece enquanto repetem sem parar palavras sagradas. É claro que não passa de
uma recitação, mas os indianos do leste, em particular, são considerados muito próximos da natureza
e de Deus.

RESPOSTA: Não como um todo, de jeito nenhum, e não porque eles repitam continuamente
“palavras sagradas”. “Palavras sagradas” não é uma fórmula. Uma palavra pode ser sagrada quando a
Palestra do Guia Pathwork No. 4 (Palestra Não Editada)
Página 11 de 13

alma a emite com pureza, o que nunca acontece com a palavra repetida mecanicamente. A repetição
é muito mais simples do que essa luta constante para encontrar o caminho do meio. Portanto,
sempre haverá seres humanos que acham que podem fugir dessa batalha se apegando a determinadas
fórmulas e regras fixas. Quanto à outra parte da sua pergunta, quero dizer que não é assim. Existem
pessoas que sempre parecem limpas, mesmo se não tiverem tomado banho. Também há graus. É
claro que, se uma pessoa nunca tomar banho, isso fica visível. Mas se ela tomar sem regularidade,
pode ser que ninguém perceba. Talvez ela não tenha um aspecto super limpo ou muito diferente das
pessoas que tomam banho diariamente. Com a prece acontece o mesmo. Talvez nem sempre você
veja instantaneamente o resultado na forma de realização ou resposta. Mas assim como você se sente
mais limpo depois do banho – não importa se os outros vejam isso ou não – você se sente
purificado depois de um ‘banho” de prece para a alma, depois de fazer uma prece certa. Se um ser
humano quer provas imediatamente de que não fez uma prece em vão, é sinal de que a prece não era
certa, e também que não houve contato. Se uma prece é feita com a vigorosa força da alma e não
muito centrada nos desejos, se a prece for direcionada para o crescimento espiritual, desejando amar
e dar mais e descobrir a vontade de Deus e a sua verdade interior, nesse caso aparecerão os
resultados da prece, às vezes muito depressa, quando existe uma força de vontade constante e real
por trás dela e, por exemplo, quando você procura aplicar o que aprendeu. E quando depois você
sente o surgimento de uma corrente cruzada ou uma resistência – o que é inevitável – poderá ver o
quanto essa força de vontade é poderosa e se a resistência foi dominada.

Se houver a força poderosa, haverá um grande alívio, uma maravilhosa paz e harmonia, uma
sensação de vitória e purificação, e assim é estabelecido o contato, não restando dúvida de que a
prece foi ouvida. Assim, quando vocês orarem de todo o coração para revelar alguma tendência da
sua alma onde há uma grande resistência, e vocês vencerem essa resistência, realmente desejosos de
fazer a vontade de Deus para enxergarem a verdade interior, nesse caso a prece surte efeito, está
viva.

O efeito da prece pode ser muito rápido, talvez não da primeira vez. Talvez nós, do mundo de
Deus, queiramos observar primeiro se vocês são sinceros e se não vão parar de tentar. Quando o
mundo dos espíritos de Deus está certo de que o homem realmente tomou uma decisão, o contato
direto será sentido. O que você não entendeu?

PERGUNTA: O fato de que todos os dias bilhões de pessoas oram e suas preces parecem que
não são ouvidas, caso contrário o mundo não seria o que é.

RESPOSTA: O como da prece é sua parte mais essencial, por exemplo, o agricultor que reza
para chover, o hoteleiro que reza para sair o sol, uma pessoa que reza por isto, outra por aquilo.
Essas preces mecânicas têm muito, muito pouco efeito, se tiverem algum, pois todas as preces
mecânicas são preces “erradas” – não passam de uma recitação.

A prece realmente certa, naturalmente, é aquela que pede o crescimento espiritual e para saber
e cumprir a vontade de Deus, mesmo que seja contrária à vontade do eu. Se vocês desejarem de
Palestra do Guia Pathwork No. 4 (Palestra Não Editada)
Página 12 de 13

todo o coração “Seja feita a Vossa Vontade, vou cumprir a Vossa vontade, seja ela qual for, porque
Vós, Senhor, sois amor e sabedoria”, então a prece é feita da maneira certa, e nesse caso vocês vão
ter uma resposta. E como há poucos seres humanos que oram assim – muito, muito poucos! -- É
por isso que o mundo de vocês está como está. A vontade do eu é muito mais forte, na maioria dos
seres humanos, do que o desejo de conhecer e cumprir a vontade de Deus. Tudo o mais, nós não
chamamos de fato prece. É uma forma vaga de discurso feito a Deus, por dever; às vezes é apenas
puro egoísmo. Absolutamente não gera força, nem tem muito sentido. O principal tema de cada
prece deve ser a submissão da vontade do eu à vontade de Deus. Esta deve ser a base.

Se vocês, todos os dias novamente na hora de prece, perguntarem a si mesmos: “O que Deus
poderia querer de mim que eu não vejo, porque minha vontade parece me puxar em outra direção?
Será que minha relação com Deus é tão harmônica que eu sujeito totalmente minha vontade à Dele,
mesmo se isso parecer difícil? E se eu receber uma resposta do mundo Dele que eu não gostar, estou
disposto a aceitá-la? Qual é minha atitude a esse respeito?”, nesse caso as portas se abrirão.
Enquanto a vontade do eu for mais forte, a vontade de Deus não consegue penetrar, e continua não
havendo contato. Este é, em essência, o cerne da prece. Tudo o mais é um monte de palavras
bonitas que não dão frutos. Se vocês conseguirem se libertar da cadeia da sua vontade forte centrada
nos desejos do eu, a porta se abrirá, e a vida de vocês vai mudar de uma maneira maravilhosa. Posso
assegurar isso a cada um de vocês.

PERGUNTA: Mas não há uma certa contradição entre a idéia do livre arbítrio e a tarefa do
livre arbítrio? Porque no momento em que digo “Seja feita a Vossa vontade”, a minha vontade
acaba.

RESPOSTA: Você tem um livre arbítrio: sujeitar-se ou não à vontade de Deus. Você e todos
os demais têm essa escolha, e ela significa muito mais do que se percebe de início. A queda do
homem (a expulsão do paraíso) se baseia nesse princípio.

Decidam dizer: “Submeto o livre arbítrio que Deus me deu à vontade Dele, não à força (isso é
exatamente o que Deus não quer), mas porque eu, um ser humano livre, optei por isso. Quero
cumprir a vontade de Deus mais do que a minha própria vontade”, assim como um ser submete
voluntariamente sua vontade à de outra pessoa, ou não. Uma esposa, por exemplo, pode dizer: “Meu
marido, quero que tal coisa seja feita de acordo com a sua vontade.” Ela não é obrigada a dizer isso,
mas pode dizer se quiser. Sujeitar voluntariamente a vontade de vocês à de outra pessoa não é
absolutamente uma supressão do livre arbítrio. É uma maneira de usar o livre arbítrio.

PERGUNTA: Acho dificílimo saber qual é a vontade de Deus.

RESPOSTA: Quando você toma a decisão de reconhecer sempre a vontade de Deus e agir de
acordo com ela, a vontade de Deus lhe é mostrada. Pense nas suas falhas, no quanto você se agarra a
elas. Pense se você está fazendo tudo o que o crescimento espiritual exige, se você faz o esforço de
Palestra do Guia Pathwork No. 4 (Palestra Não Editada)
Página 13 de 13

superar as resistências envolvidas no autoconhecimento, isto é, tudo que provocou conflito na sua
vida. Depois pense se você está disposto a renunciar ao eu para fazer a vontade de Deus.

É claro que vocês precisam tomar essa resolução repetidamente, caso contrário a forma
espiritual será muito fraca. Ela se dispersa quando esses pensamentos passam pela mente de vocês
de maneira superficial, ocasional, sem profundidade. Esta forma-pensamento precisa ser cultivada
como uma planta preciosa. Meditem sobre isso, no plano geral e pessoal, onde e por que esta
decisão vai penetrar e afetar os seus sentimentos mais secretos.

PERGUNTA: Mas se isso for feito com muita regularidade, não vai virar também uma rotina?

RESPOSTA: Não, com toda certeza não, a menos que seja um pensamento superficial, mas
nunca quando sentem que esse pensamento preenche todo o seu ser e vocês estão realmente
dispostos a aplicá-lo ao longo de toda a vida. Pensem nessa aplicação prática todos os dias, e como e
onde ela pode ser aplicada.

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por escrito da Fundação. A
Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida, de acordo com a Política
de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem
ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork Foundation tenham concordado
em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de transformação pessoal reconhecidos
pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® Foundation
PO Box 6010, Charlottesville, VA 22906-6010, USA - Visite: www.pathwork.org
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Rua Roquete Pinto, 401 - 05515-010 São Paulo, SP - Tel: (11) 3721-0231- pathworksp@pathwork.com.br - www.pathworksp.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter). ACM 2501, Ed. Prof. Center sala 412, Candeal - 40288-900 Salvador - Telefax (71) 3353-7091 - pathworkbahia@yahoo.com.br –
www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília - Goiás (Chapter)
S.T.N. Centro Clínico Life Center, sala 113 - 70630-000 Brasília, DF - Tel: (61) 3340-5253 - eloisaprata@brturbo.com.br
Pathwork® Ceará (Chapter)
Rua Joaquim Ferreira, 911 - 60832790 Fortaleza - Tel.(85)34768142 cel- (85)88730027– karinebb@uol.com.br
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Rua Santa Catarina 1630 - Pilotis e sala 102 Bairro de Lourdes - 30170-081 Belo Horizonte, MG - Tel: (31) 3335-8457 - rnlac@terra.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Rua Josias Lopes Braga, 497, Bairro Bancários - 58000-000 João Pessoa, PA - Tel: 083 3235-5188 / 9967-8303 / 3224-2362 - claubetenobrega@terra.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro Espírito Santo(Chapter)
Rua Duque Estrada, 57/102 Gávea - 22451-090 Rio de Janeiro, RJ - Tel: (21) 2529-2322 / 82244333 - Fax: (21) 2113-0941 - gmdell@globo.com -
www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Av. Iguaçu, 485, cj. 401 - 09047-430 Porto Alegre, RS - Tel: (51) 3331-8293- renatemullercaminha@terra.com.br. www.pathworksul.com.br
Palestra do Guia Pathwork nº 5
Palestra Não Editada
6 de maio de 1957

O QUE É A VERDADE? – LIBERDADE, JUSTIÇA, RELIGIÃO: FELICIDADE COMO UM


ELO NA CADEIA DA VIDA

Saudações! Eu lhes trago as bênçãos de Deus. Meus queridos, o mundo espiritual de Deus
desejaria nada mais que ajudar vocês a crescerem espiritualmente, em direção à alegria, à harmonia,
à iluminação. E os espíritos de Deus tentam continuamente estender suas mãos para o homem para
fazê-lo ultrapassar a etapa na qual está apenas encontrando dificuldades, lutando em seu
desenvolvimento no caminho da perfeição. Mas nós só podemos ajudar, não obrigar. Em primeiro
lugar, o homem deve decidir-se e abrir a porta, movido por um desejo permanente; sentirá, então,
essa ajuda como uma realidade palpável. Isso por sua vez irá aumentar imensamente a sensação de
caminhar em chão firme, e aumentar sua confiança na realidade e na verdade do mundo espiritual de
Deus. Mas o homem dificilmente vê, ouve, sente que os ajudantes espirituais de Deus estão à sua
volta, oferecendo uma mão que ajuda, porque não presta atenção. Mesmo se em princípio acredita
na existência de Deus e de Seu mundo espiritual, ele não acha que sua crença ou descrença faça
diferença, que afete sua vida e seus problemas em um nível pessoal. Ele simplesmente fecha a porta
e assim pode virar novamente para a direção errada, que muitas vezes é desencadeada por um
detalhe insignificante, mas quanto mais caminha para longe desse foco central, mais profundamente
se dirige para um beco escuro, de onde será muito difícil sair novamente. Embora ele ame Deus e
deseje o bem, freqüentemente não consegue achar o centro daquilo que deveria ser realizado para
progredir e encontrar satisfação. Pode parecer um detalhe sem importância, mas na realidade é a raiz
de complexas correntes doentias em sua alma. Ele não se dá conta, porque não desperta a
capacidade, não deseja aceitar as impressões dadas pelo mundo espiritual de Deus. Ele prefere
permanecer no padrão antigo, já trilhado, que parece ser mais conveniente. O resultado é a tristeza e
a insatisfação com a vida como tal. Ele não sabe por quê, mas, meus queridos, muito
freqüentemente a razão é essa rejeição da ajuda divina.

Minha tarefa é dar a vocês as dicas, através das minhas palavras, para despertá-los. Que cada
um de vocês possa ouvir o que se aplica a seu caso, mas, mesmo para isso, vocês têm que ter o
desejo. Somente então poderão digerir em seu íntimo esse material de forma benéfica.

Sempre que tiverem definido seus objetivos, conscientemente ou somente emocionalmente, e


esses objetivos forem egoístas, vocês podem não conseguir o que desejam. E mesmo se
conseguirem, os efeitos serão passageiros, e a satisfação momentânea. Seu clímax será árido e
superficial, e se dispersará rapidamente. Se vocês desejam a felicidade exterior, jamais serão felizes. É
claro que vocês podem dizer “eu não desejo essa felicidade egoísta, ficarei feliz ao ver os outros
felizes”. Mas faz muita diferença se esse é somente um pensamento geral, talvez um desejo ligado ao
dever que é expresso de vez em quando, ou se é um desejo verdadeiro, que perpassa toda a
existência. Tentem descobrir em si mesmos a profundidade desse desejo. Aqui também vocês
podem se enganar. A mente deseja isso, porque vocês conhecem essa ou aquela receita de

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 2 de 16

felicidade, mas outra parte da personalidade, que eu chamo de ser inferior, empurra as emoções em
uma direção completamente diferente.

Esse sentimento não tem muito a ver com o “próximo” , mesmo que, através de gestos
humanos, vocês desejem o melhor para ele, pelo menos enquanto isso não envolver nenhum grande
sacrifício ou esforço, e é aí que reside o problema! É claro que a maioria dos seres humanos (a não
ser os que estão em um nível muito baixo) a princípio irão ficar felizes se os outros estão bem ( e
mesmo um ser humano mais desenvolvido pode, quando meditar honesta e minuciosamente sobre
esse assunto, detectar uma inveja ocasional e uma alegria levemente malévola quando um infortúnio
atinge outra pessoa), mas quem está disposto a sacrificar um pouquinho sequer por outra pessoa?
Pergunte a si mesmo: “será que eu desejo a felicidade por que eu quero ser feliz? Ou será que é uma
necessidade secundária?”

Meditem sobre isso. Dirijam-se a Deus: “naturalmente, eu não consigo senti-Lo, querido
Senhor. Eu quero ser feliz, mas para manter essa felicidade, eu quero ser um elo. O que o Senhor me
der eu quero comunicar aos outros de alguma forma ou maneira, mesmo que eu tenha que fazer
sacrifícios, talvez sacrificar algum desejo do ego. Por favor, mostre-me como posso transformar o
que me dá em algo que eu possa transmitir aos outros.” Se vocês absorverem esse pensamento até
ele criar raízes em sua alma, até que ele assuma uma forma espiritual, penetrando as emoções
completamente, então o homem terá atingido as condições, e a lei espiritual envolvida passará a ter
um efeito benéfico, que será a verdadeira felicidade interior, porque o próprio homem não é mais o
alvo, e sua felicidade egoísta não é mais o objetivo final. Dessa maneira, a sabedoria e o
conhecimento que o eu adquiriu são liberadas para a felicidade do você – dando, compartilhando—
para tornar outra(s) pessoa(s) feliz(es), e portanto sua própria felicidade é, por assim dizer, de
natureza interpolativa. Ela é dada a ele, e ele por sua vez a transmite aos outros. Ele é um adaptador
vivo, só precisa manter o fluxo de felicidade vivo. Assim o homem nunca ficará deteriorado. Um ser
humano que funcione como tal adaptador receberá em retorno cem vezes mais do que deu.

Deus sempre mostrará como, de que maneira, você podem doar, mas vocês devem estar
dispostos a fazê-lo. Na verdade, vocês devem se decidir por essa disposição hoje, amanhã, na
próxima semana, todos os dias. Vocês têm que superar as resistências, e vocês devem agir sobre
essa disposição conscientemente, não empurrando-a para a ação inconsciente do “talvez”. Aqui as
ações contam, especialmente para que Deus possa mostrar mais precisamente o caminho, e a lei
possa lentamente ser posta em movimento. Pensem nas coisas boas que vocês recebem. A saúde de
alguém melhora; a força interior de uma outra pessoa aumenta tremendamente; uma terceira pessoa
encontra um relacionamento feliz, ou algum outro desses acontecimentos que servem como
evidência. Todos vocês receberam tesouros espirituais de Deus, e uma vez que decidam “eu não
desejo ser o objetivo final, mas eu quero servir como um adaptador”, será mostrado a vocês como
podem transmitir o que receberam. Por outro lado, vocês receberão como conseqüência cada vez
mais; essa é a lei.

Ao mesmo tempo, vocês não tomarão seus tesouros e dádivas como algo garantido, o que por
si mesmo é um sinal da superficialidade espiritual. A dádiva perdeu a vivacidade porque um elo da
corrente está faltando: dar. Vocês violaram a lei da reação em cadeia. Contemplem seus tesouros.
Então vocês os revitalizarão, e eles lhes trarão a alegria e o prazer dos quais nunca tinham se dado
conta, ou tinham perdido. Com a felicidade em geral acontece o mesmo que com todos seus outros
desejos: amor, força, saúde, liberdade. O que quer que seja desejado para proveito próprio irá se
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 3 de 16

dissolver, murchar; mas o que é desejado para ser dado aos outros irá germinar e multiplicar-se para
o doador e para o receptor.

Existem tantos seres humanos que querem permanecer livres. Eles fogem de tudo que possa
prendê-los. Mas também aqui a lei se aplica. Se vocês desejam liberdade por motivos egoístas, vocês
permanecerão presos por dentro. Se desejam liberdade para servir de maneira especial como um
adaptador para Deus e para Seu plano de salvação, de maneira a ajudar outras pessoas a se
desenvolverem mais profunda e rapidamente, vocês receberão a dádiva da liberdade sem ficarem
presos por dentro. Sim, vocês não só estarão livres nas circunstâncias exteriores, mas também por
dentro. Se o homem pretensiosamente deseja libertar-se de Deus, não deseja obedecer Suas leis, esse
desejo vai se transformar em amarras, prisão, e total confinamento da alma. Se o homem se
aproxima de Deus e de Suas leis, sua liberdade e independência irão realmente aumentar. Essa é a lei
imutável, que os homens não podem derrubar. Essas leis são nascidas da sabedoria e do amor, e se o
homem, por desafio ou ignorância, se revolta contra elas, não importando se não consegue
compreendê-las completamente, ou se por razões emocionais doentias, o resultado invariavelmente
será uma crescente prisão interior.

Muitos se rebelam contra o que parece ser uma distribuição injusta do destino para os
homens; eles não conseguem entender que Deus é justo e que no reino espiritual a justiça infalível
governa. A justiça de Deus opera através da injustiça humana! Meus queridos, para alguns de vocês
isso pode parecer uma contradição, mas não é o caso. A equação sempre se iguala. Eu vou explicar
dando alguns exemplos de como deveriam ver isso. Por exemplo, um criminoso que cometeu vários
crimes, que foi absolvido por cada um deles. Ele ri sarcasticamente, não só da estupidez humana,
mas também da injustiça, que, nesse caso, devido a suas artimanhas, o favoreceu. Mas um dia ele é
acusado e preso por um crime que não cometeu. Daí ele vai gritar como o mundo é injusto. Vocês
vêem, ele foi absolvido de crimes anteriores que cometeu, e depois foi condenado, forçado a pagar
por um crime que não cometeu.

Quanto mais obstinado é um ser humano, menos irá compreender a grande justiça que está
por trás da aparentemente menor injustiça, porque ele não quer ver. E esse é o teste, porque se a
justiça dos homens fosse igual à justiça de Deus, seria muito fácil para os homens perceber a justiça
de Deus, e tudo que está ligado a ela. A imperfeição auto-induzida de um ser deve servir como um
remédio, se posso chamar assim, para lutar pela recuperação de uma perfeição perdida.

Se existisse justiça prefeita na terra – pensamento impossível, já que a imperfeição foi a


escolha do livre arbítrio e portanto tem que ser superada pela decisão livre – então seria fácil demais
para o homem. Não seria um teste, e também lutar pelo reconhecimento superior não seria nenhum
desafio, ou seria um desafio muito pequeno. Esse reconhecimento superior é a graça suprema, mas
o homem tem que abrir a porta sozinho! Isso faz parte do teste: querer o progresso mesmo que ele
signifique desistir da teimosia, da rebeldia, do sofisma. São a glória e a grandeza de Deus que Ele use
a imperfeição para abrir o caminho para a perfeição, que a justiça divina faça uso da injustiça
humana.

Meu exemplo é um caso extremo, mas ele se aplica a todos vocês de alguma forma ou
maneira. Procurem nessa direção, e reconhecerão isso, apesar de não ser fácil encontrar o eu
honestamente. Às vezes vocês têm que pagar por alguma coisa que não fizeram, ainda que a conta
não tenha sido apresentada por crimes passados. Somente na meditação e com muita determinação
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 4 de 16

vocês poderão descobrir isso. Mesmo se vocês fizeram alguma coisa em uma vida passada pela qual
tenham que pagar agora, nas suas meditações vocês podem se dar conta disso, é claro, supondo que
vocês caminhem na trilha da purificação. Essa é uma promessa que posso fazer a cada um de vocês.
Alguns dos meus amigos já passaram por isso, e isso os ajudou na vida presente a entender o pano
de fundo. Agora é mais fácil para eles cumprir suas tarefas, pagar dívidas.

Essas percepções são o agradecimento do céu pelo esforço honesto que o homem faz, pela
sua humildade e boa vontade. É claro que às vezes não se pede que o homem pague imediatamente
pelos pequenos delitos, porque o mundo espiritual espera que na sua autobusca o homem vá
detectar as falhas de caráter em sua meditação, mas se ele não procura nessa direção, o efeito dos
pequenos delitos subitamente se abate sobre ele, de maneira que ele, prestem atenção, pode detectar
suas correntes errôneas melhor, perceber que precisa mudar por dentro e por fora! Isso também
contém um teste, que é a forma como o homem agüenta uma chuva tão forte como essa, qual
atitude toma. Ele diz “eu não sou tão mau que mereça isso tudo”? Ou ele irá raciocinar que Deus é
justiça e que alguma coisa deve estar errada com ele? Essa é a questão, e o fato de raciocinar sobre o
que está errado com ele leva a passar no teste e contém a reorientação necessária para o caminho do
desenvolvimento.

É uma graça especial – e eu escolhi a palavra de propósito – se o homem consegue acertar


suas contas nessa vida e não na próxima, porque é muito mais fácil enxergar o fio condutor, e assim
perceber a justiça final, mesmo que por linhas tortas. Finalmente, mas não menos importante, isso
irá proporcionará um chão firme e a confiança permanente em Deus. No entanto, mesmo se vocês
quitarem as dívidas de vidas passadas, será assegurada a vocês a graça do reconhecimento, se abrirem
a porta por uma decisão inteiramente voluntária de reconhecer o eu e purificar a alma. Terão, então,
menos dificuldade para harmonizar seu relacionamento com Deus, que é na verdade a felicidade dos
homens. Não é o contrário, como muitas vezes se supõe. Eu lhes digo isso para fazê-los pensar
sobre as dificuldades e se elas se originam de delitos cometidos em vidas passadas ou na presente. O
que quer que seja, cada um de vocês terá a oportunidade de encontrar a raiz dentro de si mesmo,
que é o fator responsável pelo fardo, essa falha específica. A questão essencial é que ela seja
reconhecida e sanada. Absorvam meu ponto de vista, e encarem seus problemas desta maneira.

Quando o homem deixa a concha humana e reentra no reino do espírito, a maior parte do que
vocês chamam de sub ou inconsciente se torna acessível. Nenhum de vocês, meus queridos, mesmo
os que estão mais avançados neste trabalho, incluindo aqueles cujas almas estão no processo de cura,
têm a menor idéia da realidade do inconsciente, que parece estar tão dividido e muitas vezes opera
em oposição ao consciente. Alguns de vocês que já estão no processo de cura já têm uma idéia disso.
Quando vocês se deparam com algumas dessas correntes e tendências inconscientes – é necessário
algum trabalho, disciplina e treinamento para se tornar sensível a essas correntes -- parece que estão
lidando com um estranho, que leva uma vida desconhecida para vocês.

Quando atingirem esse ponto, no qual o eu e o inconsciente estão acessíveis, cantem “Glória,
Aleluia!” A primeira batalha foi vencida, o primeiro passo em direção à unificação da personalidade
foi dado. Não fiquem deprimidos. Para aqueles que lutam por um autoconhecimento mais profundo
é extremamente importante encarar seu sub e inconsciente agora, porque esse desconhecido é uma
força poderosa enquanto ainda não está na consciência do homem, e esse inconsciente é um poder
tão tremendo por ser secreto, resultando em sintomas generalizados. Essas correntes subjacentes
não podem ser controladas enquanto o homem não tiver consciência delas. É uma conclusão errada
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 5 de 16

achar que os efeitos são menos perturbadores desde que o homem não tenha consciência dessas
correntes subjacentes. É claro que o homem pode ser capaz de controlar os efeitos exteriores, as
crises, os conflitos, mas isso não é suficiente. Vocês já sabem que todos os pensamentos e
sentimentos são formas de uma realidade maior, mesmo que não possam vê-la. Os efeitos dessas
formas são de tão longo alcance que se movem em círculos, causam conseqüências e reações, que
por sua vez acarretam suas próprias conseqüências, resultando em uma longa reação em cadeia. O
homem pode ser capaz de controlar a cadeia de reações mais recentes quando elas se manifestam em
efeitos exteriores, mas, como já dito, isso não é suficiente porque a mudança da força da alma só
pode ocorrer quando ele penetra o centro do inconsciente.

Assim, vocês vão descobrir que o homem mentalmente quer a ação boa e correta. Seu eu
superior, outra parte de seu consciente, também concorda, mas uma parte do homem é governada
por intenções destrutivas e erradas (não necessariamente criminosas, isso depende do estágio do
desenvolvimento. Mas por comparação, as características más de uma pessoa bem desenvolvida têm
o mesmo peso das tendências criminosas em um ser que está em um nível baixo). E essa outra parte
também quer a cegueira, o impossível, e irrita a alma ao exigir a satisfação desses desejos
impossíveis, que parcialmente não podem ser realizados per se, parcialmente porque o eu superior
do homem luta por algo melhor.

Essas tendências conflitantes exaurem a alma. Algumas vezes elas fazem o homem adoecer, e
sempre causam desarmonia interna em uma área ou outra. Mas principalmente, elas impedem o
desenvolvimento de um estágio espiritual mais alto. Portanto, meus queridos, eu peço a todos para
voltarem a atenção para isso – em meditação, em oração, em suas tentativas. Conheçam seu
inconsciente; tragam-no para a consciência. Sem esse reconhecimento, não pode haver progresso
significativo. Sem ele, vocês verão essas tendências abertamente quando a alma voltar para os reinos
espirituais, e então a batalha será mais dura.

Encarar o eu muitas vezes significa desapontamento, porque o homem acredita que está muito
mais avançado em seu desenvolvimento –até que encontra seu lado feio. Ele pensa que só o que fez
conta, mas as emoções também contam, e elas causam tantos efeitos como as ações exteriores. É
incomparavelmente mais difícil e muito mais demorado realizar o desenvolvimento da alma --
personalidade –no mundo espiritual do que na terra. Por isso, Deus criou a terra como ela é.
Somente com as imperfeições que os rodeiam, com todas as diferenças de desenvolvimento que
existem na terra, o crescimento da alma pode ocorrer rapidamente para dar-lhes uma chance de
progresso mais rápido. Mas algumas vezes são necessárias algumas encarnações para corrigir as
correntes imperfeitas, cegas, inconscientes, e se vocês conseguissem desejar a purificação com mais
fervor, poderiam se poupar dessas vidas terrenas cheias de fardos.

O fato de que o desenvolvimento do homem progrediu tanto que pelo menos um certo
número de seres humanos estão prontos para perceber as correntes interiores significa que em seus
dias muito mais seres humanos amadureceram o suficiente para empreenderem a busca interior.
Portanto alguns pioneiros encarnaram para dar a partida, transmitindo algum conhecimento sobre a
alma, sobre o inconsciente – um “empurrãozinho” de Deus –mesmo que a humanidade conheça só
uma pequena parte disso. Mais e mais será revelado. É claro que nem todas as pessoas estão prontas.
Muitos ainda têm que aprender como agir em congruência com as leis de Deus. Eles não
encontrarão o caminho da purificação, mas isso nunca será fortuito se homem for orientado.
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 6 de 16

Muitos seres humanos acham o caminho até o médico da alma humana, mas só fazem isso
quando seus conflitos interiores atingiram dimensões tais que os deixa dilacerados, totalmente
infelizes, e não conseguem mais definir o rumo a seguir. No entanto, aqueles que já estão em um
nível superior – ou pelo menos querem estar lá – devem tomar o caminho da busca da alma sem
estar passando por uma grande crise e admitindo de forma completamente voluntária que esse
caminho não pode ser evitado. O que é difícil na terra vai ser mais difícil no mundo espiritual! E vai
levar muito mais tempo! E quanto mais cedo começarem, mais fácil vai ser. Não tentem se
convencer de que o que eu digo pode não ser verdade e que portanto vocês podem ter passado por
tantos problemas relacionados com o caminho da cura da alma em vão. Não, meus queridos, nada
que o homem alcança espiritualmente é em vão. Esses são os últimos valores duradouros que nunca
irão se dispersar; eles serão seus eternamente.

Quando mais vocês adiarem a purificação da alma, mais as correntes doentias irão misturar o
sub e o inconsciente, e mais difícil será desembaraçá-los. Porque enquanto não conhecerem as
correntes inconscientes em sua consciência, a cada dia, a cada hora, vocês irão encobrir as reações
emocionais resultantes e empurrá-las de volta para o inconsciente, empilhando continuamente novas
reações sobre as antigas. Pensem com cuidado sobre isso. Libertem-se de todas as resistências, que
certamente irão encontrar, pelo menos no começo. Não dourem a pílula. Essas resistências
oferecem explicações agradáveis e desviam o intelecto do caminho, mas na realidade elas são
subterfúgios para evitar a autobusca.

Observem tudo isso com senso crítico, os subterfúgios que aparecem rapidamente para
acalmar a mente, até mesmo descartar o problema todo. Observem sua reação quando lêem essas
palavras e o que vocês sentem depois de refletir sobre elas. Vocês têm um sentimento desagradável?
Escondido? Ou bem claro? Vocês querem se livrar dele argumentando que não precisam dele?
Procurem em si mesmos, meus queridos. Aquele que realmente deseja e decide purificar sua alma
terá a possibilidade de fazê-lo, porque uma vez que tenham tomado a decisão, a ajuda estará lá.
Mesmo que a cura da alma de que estou falando não aconteça e não deva acontecer da mesma
maneira para cada pessoa, existe um meio que é adequado e condizente com as necessidades de cada
um. A mesma maneira não é a melhor para todo mundo.

Agora eu quero passar para um tema que já foi discutido em algumas ocasiões, e que parece
intrigar alguns de vocês: como e por quê é possível que existam tantos conceitos diferentes no
campo da religião na terra? Vocês pensam “todos dizem coisas diferentes, em alguma medida
contraditórias; portanto nada pode ser verdade”. Só existe uma verdade, meus queridos, e a
diferença nos conceitos humanos deve ser encarada da seguinte maneira (excluindo-se erros que
foram transmitidos de geração em geração desde os tempos antigos). A verdade, isto é, os fatos
verdadeiros, tem forma e gestalt, assim como tudo que diz respeito ao espírito. Essa forma é
imutável e ainda assim em mudança constante, já que tudo que é espiritual se move constantemente,
vibrando em uma rotação circular. Não existe parada, nem sentimento, nada é estagnado. Imaginem
uma roda que, no geral, é imutável, mas que se move constantemente. Os homens, em seus vários
lugares e tempos, levantam algumas vezes o véu que esconde a roda, e vêem uma parte pequena da
imensa roda por trás do véu. Um homem vê esse pequeno detalhe da roda em certo momento;
outro ser humano vê alguma outra coisa em outro lugar e tempo. O que eles viram pode ou não
condizer, porque a roda está se movendo, e quem levanta o véu pode ver em outro momento
alguma coisa diferente, e quando contar o que tiver visto, pode parecer ser contraditório, porque as
linhas que fazem a conexão do todo não podem ser vistas devido ao véu. Se a roda inteira fosse
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 7 de 16

descoberta, o que parece contraditório se tornaria uma totalidade. E aí está a humanidade –


lutando—porque os vários conceitos soam como contradições, enquanto na realidade isso não é
verdade.

Mesmo erros claros contém em algum lugar um grão de verdade quando você vai à essência.
Algum dia, e quando tiver uma oportunidade, vou mostrar a vocês o que isso significa. O homem
aborda essa área inteira com uma atitude errada. Freqüentemente ele pensa que a verdade absoluta
não pode existir, somente a verdade relativa, baseada nos vários conceitos derivados das visões atrás
do véu. Assim, ele entende que tudo relacionado a Deus e à criação é mais ou menos uma questão
de opinião e gosto. “Cada crença tem seu lado bom e sua beleza”, ele diz, “portanto todas essas
questões são subjetivas, e não absolutas ou objetivas”. O resultado emocional é que a verdade
espiritual absoluta não existe. Ele não procura pela verdade que pode ser encontrada em cada
conceito religioso, mas a coloca de lado, talvez somente emocionalmente, como ilusão, imaginação,
ou preferência humana. Assim ele desativa o absoluto dentro de si mesmo, que existe somente no
espiritual. E se o homem pretensiosamente tira tais conclusões sobre Deus e sobre o erro humano,
ele exclui em grande medida o reconhecimento de sua própria verdade, e dificilmente algum dia
poderá dar uma olhada por trás do véu.

A base da autobusca inclui o reconhecimento do homem de que existe verdade absoluta por
trás da verdade relativa humana, e que se ele transfere a relatividade da verdade humana para a
verdade espiritual (achando que ela também é relativa, enquanto é absoluta), ele fecha a porta para a
auto-realização. Pode-se dizer que existem dois grupos de seres humanos: um que segue cegamente
dogmas dados, sem pensar sobre eles. Eles nunca terão a experiência profunda, pessoal de
reconhecer a verdade. O grupo na outra extremidade é o que mencionei acima. Nos dias de hoje,
muitos pertencem a esse grupo, principalmente entre intelectuais. Eles acham que seus pontos de
vista são particularmente “objetivos”. Eles libertaram-se, segundo eles, de tudo, e conseqüentemente
enquadram a verdade absoluta divina, imutável, que se move eternamente, na mesma categoria do
dogma humano, perdendo toda a razão! Ambos grupos estão em extremos errôneos. Na verdade,
esse último grupo está tão distante da verdade como o primeiro, ou até mais. Com todo seu
conhecimento intelectual superficial, eles são na verdade pesquisadores, mas só podem encontrar a
verdade quando abrem a porta para seu eu interior, talvez no inconsciente.

O que é a religião? Vocês confundem isso muito freqüentemente, e ficam ansiosos para se
assegurar e aos outros de que não são “religiosos”, acreditando erroneamente que isso significa
seguir cega e dogmaticamente alguma seita. Religião significa “de volta a Deus” , e todos desejam
isso, sabendo ou não. Na verdade, todo esse desejo insatisfeito no homem não passa do desejo de
retornar a Deus, portanto “religião”. Quanto mais o homem tem consciência desse desejo, mais
pacifica e harmoniosamente se movem as correntes de sua alma. É claro que alguns podem achar
esse caminho de volta a Deus entrando para uma seita – por que não, se as instruções recebidas lá
ativam a força de sua alma e abrem a porta para o auto-conhecimento? Isso é essencial, e muitos o
encontram em algumas dessas seitas. Nesse caso, erros menores ou desvios de conceito não são
importantes; na verdade, são apenas detalhes.

Esses detalhes só se tornam importantes quando representam um empecilho, direto ou


indireto, ao crescimento de uma pessoa. No entanto, isso depende em grande parte da pessoa.
Outros seres humanos podem não encontrar seu caminho de volta a Deus aderindo a uma seita.
Para esses, é preciso indicar outro meio. Mas qualquer que ele seja, o homem precisa de ajuda
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 8 de 16

exterior. Essa ajuda constitui o material com o qual ele tem que construir sua própria casa. Mas para
todas as religiões, a volta para Deus é essencial. Deus é absoluto. Deus é a verdade; portanto a
verdade por trás do erro humano também é absoluta. Cada um irá receber a parte da verdade que
está apto a digerir e absorver de acordo com seu desenvolvimento. Muitos poderiam receber mais
do que recebem, mas eles não querem receber porque são muito preguiçosos, ou por outros
motivos, e assim eles não preenchem os requisitos. Mas para aquele que realmente bate na porta da
verdade, ela se abrirá. Claro, não fiquem remoendo coisas que não são tão importantes por
enquanto, e que ainda não são capazes de entender. A compreensão virá de acordo com o trabalho
espiritual que fizerem sozinhos.

Quando vocês, mesmo discutindo um assunto geral, sentem uma pressão ou resistência
interna, pensem e procurem o motivo, se ele não está associado a uma área dolorosa na sua alma.
Porque se a sua alma é realmente saudável e livre, e está no caminho certo em todos os aspectos,
vocês não sentirão uma pressão quando certos assuntos forem discutidos. Somente vocês podem
procurar no seu eu interior. Mas tentem resolver essa questão a partir daquele ângulo em vez de
remoer seus aspectos concretos externos, o que não leva a lugar nenhum. A busca interior, que
requer disciplina, pode revelar um insight inesperado, que não só irá resolver o problema
aparentemente geral, como também esclarecerá importantes facetas de seu eu interior. Eu exorto
todos vocês a examinar seu eu interior quando sentem raiva ou perturbação em relação a certos
pontos de discussão. Esses sentimentos de raiva ou perturbação podem nem ser perceptíveis; no
exterior vocês podem aparentar calma, mas por dentro alguma coisa está em atividade, e essa certa
coisa deveria mostrar-lhes como abordar o problema de um outro ângulo.

Reflitam sobre qual falha pessoal causa essa reação interna, mesmo que não consigam ver de
imediato o fio condutor. Se vocês realmente estão dispostos e fazem um esforço a todo custo para
reconhecer, receberão ajuda para reconhecer, e logo serão capazes de ver o “fio vermelho”. Quando
tiverem detectado esse núcleo interior, o caminho estará livre para absorver o que é verdade, na
medida em que forem capazes, e não somente palavras. Palavras têm pouca utilidade a não ser que
sejam consideradas material para assimilar, porém mais ainda, a consciência interna aumentará.
Enquanto um ponto doloroso permanecer no inconsciente, a porta para o reconhecimento
continuará fechada. E agora, meus queridos, estou pronta para suas perguntas.

PERGUNTA: Você disse que uma pessoa deve transmitir a felicidade para dar alguma coisa
para os outros, isso é, se uma pessoa tem um pequeno presente que poderia tornar outra pessoa
feliz, e essa pessoa só tem uma escolha, deveria dá-lo para um estranho ou para uma pessoa querida,
para um parente? Para quem eu tenho que dar, já que eu só posso dar para uma pessoa? Quem terá
preferência?

RESPOSTA: Se se trata de um presente material – e não foi isso que eu quis dizer, em
absoluto –eu vou explicar o que quis dizer, mas antes eu vou responder sua pergunta, que é sobre só
poder dar a uma pessoa. Você pensa com calma sobre quem precisa mais, para quem é mais
adequado? O amor decidiria pela pessoa mais querida, mas isso pode até ser egoísta. O sentimento
de culpa decidiria pela pessoa que você menos tenderia a dar. Ambas decisões podem ser erradas.
Talvez você deva dar para a pessoa que ama mais, talvez não; isso depende. Deus espalhou seus
ajudantes espirituais à sua volta, que irão ajudá-lo com seus problemas, e se vocês se libertar da
vontade demasiadamente forte do ego, de problemas complexos, estará inspirado e aberto o
suficiente para ser guiado, de maneira que todos esses pequenos detalhes serão bem resolvidos. Mas
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 9 de 16

para essa libertação, o homem deve trilhar o caminho do autodesenvolvimento e do auto-


conhecimento. Somente então a verdade poderá se manifestar em todas as áreas. Nesse caso
qualquer decisão será livre de emocionalismo cego, após reflexão cuidadosa, e será o discernimento
da vontade de Deus. A resposta pode ser dar para o ente querido; mas também pode ser uma
resposta totalmente diferente.

O que eu estava realmente dizendo não envolve valores materiais que você pode dar, porque
algumas vezes não é possível e na verdade não é tão importante. É claro, se um ser humano possui
muito e nunca dá nada, essa é uma tendência que traz um fardo, mas não estamos discutindo isso.
Uma pessoa avarenta que está sofrendo por causa dessa corrente errada precisa da disciplina de dar,
é claro. Mas eu também não estava falando sobre isso.

É uma observação estranha. Muitos seres humanos fazem sacrifícios materiais para pagar
resgate, por assim dizer, por sacrifícios espirituais, que consideram muito mais difíceis. O que eu
quero dizer é, se você deseja felicidade e amor, quer você já as tenha em um certo grau ou não, então
deixe-se tomar pelo pensamento de como transmitir o que você tem ou deseja ter para os outros,
como adaptar suas riquezas interiores às necessidades dos outros. Se você deseja isso com todo o
coração, os ajudantes espirituais de Deus irão lhe mostrar o caminho e ajudá-lo a fazer isso da
maneira correta. Tente descobrir qual é a profundidade do seu desejo por harmonia, felicidade, luz,
amor, liberdade, etc. Perceba que tudo isso era na verdade um desejo emocional por si mesmo,
simplesmente porque você quer ser feliz. Até agora, você foi a pessoa principal, a faceta mais
importante, emocionalmente. E agora espera-se de você que mude essas correntes de sentimentos. É
claro que você não vai tentar desejar ser infeliz; isso seria impossível. Mas suas emoções devem
aprender a se centrar menos em seu eu, e devem aprender que o fluxo da criação visa a perfeição do
plano de salvação divino, que significa que todas as pessoas são elevadas da escuridão para a
felicidade em Deus. E aquele que quiser utilizar a felicidade que tiver encontrado, espera encontrar,
ou na verdade vive, que quiser contribuir de alguma forma ou maneira para esse plano de salvação,
está cumprindo a lei de maneira sublime, sendo um elo na corrente, não procurando a própria
gratificação como o objetivo final. Você pode não entender exatamente os mecanismos que essa
ação de dar envolve, mas sua vontade e sensibilização mostrarão o caminho. A ajuda aparecerá.

E então o homem será guiado para realizar tarefas. Talvez ele precise doar tempo, só um
pouquinho. Muitos têm mais tempo do que precisam, de maneira que podem dar esse tempo, não
tanto quanto querem, mas o tanto que Deus quer, e isso sempre é mais magnífico. Primeiro, o
homem tem que se abrir para a vontade de Deus – para muitos, esse pode ser o primeiro sacrifício –
para se curar, porque somente como um ser humano emocionalmente saudável e livre ele é
realmente capaz de dar, de se tornar um elo na corrente . O processo de cura da alma requer, a
princípio, um sacrifício que parece imenso: disciplinar-se para encarar a verdade interior, abrindo a
cascata emocional, eliminando algumas correntes erradas. Tudo isso é sacrifício. Se você não fizer
isso em última instância pelo seu próprio bem, para se tornar um ser humano melhor, mas ao invés
canalizar suas emoções para tornar os outros felizes, dar mais, amar mais intensamente, então o
mundo espiritual de Deus irá dar um apoio e uma ajuda incríveis e ajudará a superar os obstáculos
internos.

Você só pode dar uma ajuda verdadeira quando tiver conseguido uma cura da alma de tal
maneira que você tenha harmonia interna, não só na aparência, ilusória, porque suas correntes
internas afetam os outros. Só é possível encorajar os outros, dar amor, carinho, consolo quando os
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 10 de 16

outros estão infelizes, ajudá-los de forma construtiva a encontrar o caminho, oferecer compreensão
verdadeira, quando o ego não está mais no centro, emocionalmente e internamente. Enquanto você
simplesmente desejar a sua própria felicidade, portanto não for um elo na corrente, o ego é de fato o
centro, mesmo que você não tenha consciência disso. Você vê, o homem deve primeiro curar as
feridas de suas mágoas internas, remover uma casca antes de conseguir realmente ser uma ajuda
forte para os outros. Ao dar todos esses passos necessários, o homem se desloca para o lugar certo,
e automaticamente se aproxima da harmonia com as leis de Deus.

Mesmo antes que sua alma esteja completamente curada, novos caminhos serão mostrados,
nos quais ele pode participar ativamente dos planos de salvação de Deus. Mas tudo deve ser
desejado antes. A tarefa de cada um pode ser diferente. Tenha confiança que Deus dará o que for
mais adequado para você, e assim trará a felicidade suprema. Assim você será uma luz, um sinal, um
exemplo para os outros, mas isso só pode ser efetivado quando não é voltado para o efeito exterior,
mas quando nasce de um desejo interno de andar no caminho da purificação exclusivamente para
amar os outros mais completamente, compreendê-los melhor e poder dar-lhes ajuda verdadeira.
Quem for capaz de despertar esse sentimento divino em sua alma e cultivá-lo até o fim vai se tornar
uma fonte viva, e vai estabelecer um contato carinhoso com o mundo espiritual de Deus. Essa
pessoa nunca estará sozinha, nunca será abandonada, nunca ficará amargurada. Existirão tesouros
verdadeiros, incalculáveis, riquezas que ninguém lhe poderá tirar.

Deixe-se guiar inteiramente por Deus. Abra-se somente para Sua vontade, e então o caminho
será mostrado passo a passo. Deus é um doador generoso, meus amigos. Você irá perceber que
aquilo que ele dá é mais resplandescente que qualquer coisa que sua imaginação poderia contemplar.
Aqui também a única dificuldade a princípio é confiar-se aos cuidados de Deus. Você se dá conta
que não se trata de dar uma coisa para alguém; isso seria muito mais fácil, mais cômodo. O homem
tem que dar a si mesmo, e então nunca existirá dúvida sobre para quem dar.

Se você for capaz de dar-se da maneira correta per se, você pode fazê-lo com todas as pessoas
com quem você tem contato. Mas antes de poder se dar, você tem que se encontrar. Você não pode
dar o que não possui. E muitos poucos seres humanos “possuem” a si mesmos, porque eles não se
conhecem o suficiente, ou não se conhecem nem um pouco; portanto, eles perdem sua sustentação.
Você sente que não “possui” a si mesmo, na mesma medida em que se sente envergonhado de sua
própria imperfeição, emocionalmente. Esses seres humanos não pisam em chão firme, assim como
todos os seres humanos são em grande parte escravos de suas emoções mais baixas e de seus erros.
Você os conquista e portanto conquista a si mesmo somente quando é capaz de encarar-se como
realmente é, sem resistência, porque somente assim as mudanças e a purificação podem acontecer.
Enquanto estiver envergonhado de cada imperfeição interna ou pontos exteriores fracos, você está
escravizado, não tem qualquer liberdade, mesmo que no exterior possa existir uma liberdade
absoluta. Nessa escravidão, você não se “possui”, e portanto não pode realmente se dar. Mais ainda,
você ainda depende muito de acontecimentos externos e do que os outros dizem para se sentir em
harmonia. Essa harmonia tem que ser construída de tal maneira que você não dependa mais de
coisas que não pode controlar. Enquanto isso se aplicar a você, você não é livre, e portanto não
pode verdadeiramente se dar. E quando se encontra nesse caminho resplandescente de luz, o mais
maravilhoso de todos, o homem não precisa mais dar “alguma coisa”, mas ele irá dar a si mesmo,
não somente para um ente querido, mas para todos que encontrar nesse caminho enviado por Deus,
com toda a sua alma, com todo o seu ser.
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 11 de 16

PERGUNTA: Em todas suas palestras, você ressalta pontos sobre os quais devemos meditar.
Todos esses pensamentos – abrir-se para a vontade de Deus, dar tudo que receber, etc. – se eu levá-
los para minhas orações, será também algo muito prolixo, e sobrará pouco ou nenhum tempo para
trabalhar em mim mesmo.

RESPOSTA: Mas se você meditar sobre essas leis que eu resumo, sobre o conselho que eu
dou, você já está trabalhando em si mesmo. Examine a si mesmo para ver se você realmente sente
isso ou aquilo, onde você sente resistência. Então você está trabalhando no problema da maneira
correta. Você não precisa se lembrar de todos os detalhes insignificantes. Comece resumindo seus
pensamentos e reações do dia que passou a partir de outro ângulo, tentando descobrir em que
medida seus sentimentos mais profundos e interiores são diferentes dessa visão. Eu também não
quis dizer que suas orações devem ser curtas, pelo contrário, mas eu quis dizer que elas devem ser
vivas, mudando de acordo com o seu grau diário de desenvolvimento e do processo de cura. É claro
que é necessário o trabalho espiritual para incorporar certos princípios espirituais, para compreendê-
los melhor, e isso é feito através do cultivo desses pensamentos, fazendo deles uma estrutura firme,
de modo que as emoções possam absorvê-los. Isso não precisa ser feito somente em orações.
Existem várias oportunidades durante o dia. Em vez de pensar sobre qualquer coisa, reflita sobre
essas leis espirituais. É claro que voc6e pode incluir isso ou aquilo de vez em quando em suas
orações, especialmente quando deseja aplicá-lo em sua vida e suas emoções se afastam daquilo que
deveria ser aprendido. Fazer uma resolução diária ajuda, e pedir a Deus para ajudá-lo a realizá-la.

Dessa maneira, as resoluções se encaixam nas leis espirituais que você está estudando. Peça a
Deus para ajudá-lo a compreender essas leis espirituais, a aplicá-las, resuma-as porque conseguir
memorizá-las seria um estudo para uma vida toda, e nesse caso também se tornaria um trabalho
mental mecânico. Isso não pode ser avaliado emocionalmente nem através da ação. Mas se você
meditar, em sua reflexão diária, sobre em que ponto as suas emoções ou ações se desviaram, e
procurar as razões desse desvio, quais tendências estão envolvidas, e depois pensar sobre os
princípios das leis espirituais, você progredirá e fará uma trabalho espiritual produtivo. Não ficará
preso em uma rotina estagnada. Não conte o número de palavras. Faça uma oração vibrante –
meditação, aprendizado aplicado de maneira revigorante. Existe um reservatório de emoções no
homem que precisa ser esclarecido, seja porque o homem não dedica tempo suficiente para sua vida
espiritual, seja porque a oração não passa de uma rotina. O homem não presta atenção suficiente a
essas emoções porque elas são “más”; no entanto, são muito importantes.

Pense sobre a grande necessidade do ser humano de trazer seu ego para o centro das atenções.
Vocês querem reconhecimento, apreciação – e eu não estou falando sobre você pessoalmente, mas
em geral --, mas isso é muito prejudicial para a alma. Essa característica humana sozinha tira o
homem da rota, e afeta um grande número de outras correntes da alma. Em primeiro lugar, o
homem deveria admitir esse fato para si mesmo, e depois deveria pensar sobre o que pode fazer
sobre isso, se está disposto, quais leis estão envolvidas, e acima de tudo deveria pensar sobre como
sua vaidade individual é um desvio do caminho espiritual. Então ele encontrará uma resposta bem
cedo, que ajudará seu crescimento e que tornará viva sua ligação com o mundo espiritual de Deus, e
esse desenvolvimento espiritual estará em constante evolução. Eu sei que fazer essas mudanças em
suas orações não é fácil para você, meu amigo, mas você será capaz de aprender isso, assim como
aprendeu muitas outras coisas nesse tempo relativamente curto, coisas que eram completamente
estranhas para você e que pareciam muito mais difíceis. O sentimento de culpa que você tem
quando não continua suas orações da maneira como tinha começado tem uma causa bem diferente,
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 12 de 16

que você enxergará mais claramente à medida que progredir a cura da alma. Eu não posso me
estender sobre isso agora, mas proponho que discutamos isso em uma sessão particular.

PERGUNTA: Eu ainda não entendo o problema do livre arbítrio. Eu ainda considero uma
contradição quando o homem abre mão de seu arbítrio para satisfazer a vontade de Deus. Então
não é livre arbítrio. É preciso uma disciplina imensa para unir esse livre arbítrio à vontade de Deus.

RESPOSTA: É claro que sim. Com certeza, é necessário ter disciplina. Mas você abre mão
voluntariamente; ninguém o força. Se alguma coisa é difícil e requer disciplina, isso não significa que
é uma contradição quando o homem voluntariamente abre mão de sua vontade em favor da vontade
de Deus. Submeter-se à própria vontade não requer uma disciplina ferrenha, se é que requer alguma
disciplina. É o caminho da menor resistência. Deus não também o força a satisfazer Sua vontade –
essa é sua grandeza e magnificência – e portanto você tem o livre arbítrio de fazer o que quiser, a
vontade de Deus ou a sua. Você pode abrir mão de sua vontade ou não. Essa é a liberdade de
decisão do livre arbítrio: isso ou aquilo.

Você pode fazê-lo, eu espero, porque ama Deus, confia Nele, ou talvez percebe que somente
assim a salvação de sua alma e daqueles que estão ligados a você pode acontecer. Vocês estão ligados
uns aos outros, vocês estão todos ligados; portanto o que um faz reflete sobre os outros. Assuma a
disciplina de abrir mão de sua vontade em favor da vontade de Deus, voluntariamente. Esse é o ato
maior, mais grandioso, mais nobre do homem. Ele contém toda a sua autêntica dignidade. Os seres
humanos menos desenvolvidos dirão “liberdade é quando eu posso fazer ou não o que é mais
conveniente”. Esse é um mal-entendido emocional , e talvez um pensamento superficial. É uma
interpretação errada comum do significado do livre arbítrio. O que é conveniente ou inconveniente
não tem nada a ver com o livre arbítrio. Imagine que em um certo sistema, espiritual ou terrestre,
você fosse forçado a fazer só o que é prazeroso, por exemplo, se as criaturas de Deus fossem
marionetes que não tivessem a liberdade do livre arbítrio, mas que vivessem de forma conveniente,
ou devessem viver. É claro, a queda poderia não ter acontecido. Mas a vida agradável onde tudo é
simplesmente conveniente não constitui liberdade.

PERGUNTA: Mas o livre arbítrio é consideravelmente limitado, devido a circustâncias


cármicas ou herdadas, etc.

RESPOSTA: Eu quero dizer que quanto menor o nível de desenvolvimento de um ser, mais
sua liberdade pessoal terá que ser limitada. Isso tem que ser assim para proteger outros seres que
vivem em volta de um ser de nível tão baixo. Mas essa limitação já era necessária, devido ao livre
arbítrio desse ser inferior. Ele agiu dessa maneira, e utilizou seu livre arbítrio de modo errado. Ele
não cumpriu o dever que vem ligado à posse do livre arbítrio. Quanto mais um ser é desenvolvido,
menos limitado será o uso do livre arbítrio, porque o senso de dever também cresce. E isso só pode
ser resultado da disciplina auto-imposta, porque somente então não haverá efeito danoso sobre os
outros, que de outra maneira teriam que sofrer injustificadamente. Você esquece que as
circunstâncias cármicas foram criadas pela própria pessoa. O que você herda também não é fortuito,
porque todo espírito encarna no lugar onde pertence, e onde é melhor para seu desenvolvimento,
mesmo considerando as possíveis dificuldades com membros da família, porque essas dificuldades
em especial são necessárias para o crescimento e para a disciplina interna.
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 13 de 16

Não faça julgamentos sempre a partir de somente uma vida terrestre, mas tente ter uma visão
da vida inteira de um ser, das muitas vidas que são necessárias para sua perfeição. É claro que se
você só considerar esse minúsculo elo na corrente inteira, você não consegue ter uma compreensão
verdadeira. Você não é só o agora, só o tempo de uma vida, mas tudo que você é, todas as suas
características, sua personalidade, a totalidade de seu ser, já existia muito antes de começar esta vida
terrestre, e aquilo pelo que está passando agora é o resultado de uma decisão anterior tomada por
seu próprio livre arbítrio. Você pode achar que de alguma maneira não é bem você que trabalha seu
karma, mas que você, por assim dizer, o faz por outro espírito que não tem nada a ver com sua
autoconsciência.

No entanto, o fato de que por um breve tempo de vida terrestre seu conhecimento da sua
verdadeira identidade é limitado é irrelevante; você é responsável pelas suas ações e atitudes
passadas. Isso não é somente para você, meu amigo, mas diz respeito a todos vocês. O livre arbítrio
significa que todos os seres são responsáveis por qualquer ação, etc. que não foi imposta a eles, e
eles têm que arcar com as conseqüências. Causa e efeito são o resultado do livre arbítrio. Ele alcança
os cantos mais distantes, mesmo que o efeito, em épocas posteriores, seja difícil de ser rastreado até
a causa inicial. É irrelevante. Foi um ato voluntário, e portanto é preciso arcar com as
conseqüências. Naturalmente, e é bem evidente, isso não é uma anulação nem uma contradição do
livre arbítrio. O mundo seria um caos e horror completos se o homem pudesse agir como quisesse e
não tivesse que arcar com as conseqüências. O livre arbítrio, o dever e a responsabilidade têm que
andar juntos.

Outro exemplo: um criminoso pensa que a liberdade permite que ele faça o que quiser. Se não
existissem leis civis que limitassem esse tipo de liberdade, imaginem as conseqüências! A mesma
verdade se aplica às leis espirituais. O ser bem desenvolvido espiritualmente sabe que essa liberdade
envolve autodisciplina, autocontrole, dever e responsabilidade, ou então ele perderia sua liberdade,
de acordo com um pacto muito maior e superior. Assim, mesmo que a sua liberdade seja limitada,
devido a sua própria decisão tomada por livre arbítrio, você tem liberdade suficiente para usar onde
for importante, e aplicá-la de tal maneira que sua própria liberdade pode se ampliar à medida que
você cresce. Quanto mais se sentir responsável espiritualmente, consciente do dever e da disciplina,
menos limitações existirão. As grades irão desaparecer à medida que o desenvolvimento espiritual
aumentar. Mantenham esse fator essencial em mente. Vocês têm livre arbítrio suficiente para decidir
se querem aumentar seu desenvolvimento espiritual ou não, e assim afetar suas vidas futuras. Mesmo
sua vida presente pode ser mudada, de acordo com a direção da decisão tomada por livre arbítrio. As
dívidas cármicas podem ser trabalhadas e pagas.

A atitude oriental, segundo a qual tudo é destino, é cômoda. Só ficar sentado, sem fazer nada a
não ser esperar, “tudo será como será” – isso bloqueia o crescimento. E eu quero enfatizar que os
grandes seres do Oriente desaprovaram essa teoria, ao se tornarem exemplos de disciplina pessoal
que é derivada de uma decisão tomada por livre arbítrio. É claro que muitas coisas em sua vida são
eventos determinados pelo destino, mas vocês dão o nome de destino ao que na verdade criaram no
passado, apesar de não se lembrarem disso. Se vocês estivessem perfeitamente conscientes e arcando
com as conseqüências de atos cometidos em sua vida terrestre presente, saberiam exatamente quais
são as causas e não falariam mais em destino. Os fatos não mudam, não importa se vocês se
lembrem deles ou não. Eu quero falar de novo da roda por trás do véu; alguns seres humanos viram
o destino por trás do véu, outros viram o livre arbítrio. Vocês acham que isso é uma contradição,
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 14 de 16

mas uma coisa não desfaz a outra só porque o “fio vermelho”, que eu estou tentando mostrar a
vocês, não é reconhecido. Vocês entendem isso?

PERGUNTA: Sim, mas apesar disso, podemos fazer uma comparação com um leão em uma
jaula. Ele é livre dentro dos limites da jaula, etc., mas...

RESPOSTA: Claro, tudo é relativo. Mas nas áreas mais essenciais, vocês têm livre arbítrio –
onde realmente conta!

Sim, você tem o livre arbítrio de conseguir a magnífica liberdade que não pode existir na terra
por causa da densidade da matéria. Todo o resto são interrupções causais e criadas pela própria
pessoa, e que limitam a liberdade. Eu quero dizer, minha amiga, que você não está completamente
consciente do verdadeiro conceito de liberdade. Ela não é a sensação de ser livre para fazer o que
quiser e deixar de lado o que não lhe agradar, gastar seu dinheiro como quiser, etc. Não, isso não é
liberdade!

Enquanto você considerar, mesmo que só emocionalmente, a vida terrestre como o centro e
não como um estágio intermediário de passagem, você não conseguirá entender o significado de
muitas áreas como o livre arbítrio ou outras que vierem a aparecer. É possível alcançar na terra a
verdadeira liberdade interior. Não é um estado exterior de ser livre, mas uma libertação interna. Esse
é seu mal-entendido. Um homem na prisão pode liberar seu eu interior, enquanto um homem
despótico pode permanecer preso por sua sede de poder. Um governo que reprime a liberdade
externa não consegue impedir que um ser humano liberte seu eu interior. Nenhum poder terrestre
pode interferir se o homem anda no caminho do conhecimento interno, toma suas próprias decisões
corretas para trabalhar na purificação da alma, e se volta a Deus e caminha na estreita trilha da luz. É
importante entender isso! A liberdade de que você fala não só não é irrelevante, mas é até perigosa
porque o homem não está pronto para uma liberdade externa tão completa, embora todo ser
humano tenha um grau considerável dessa liberdade exterior. E o resultado você pode ver todos os
dias na sua terra – que confusão, que horror! Você percebe que a margem de liberdade tem que
continuar limitada, e ela só pode se estender até o ponto em que o mau uso da liberdade por
algumas pessoas representa uma provação para todos, e não pode ir além desse ponto, caso
contrário não pode haver justiça. Portanto, procure diferenciar a liberdade humana da liberdade
espiritual. Você sabe que os maiores e mais inspirados seres humanos de todos os tempos, povos e
continentes, que viveram em condições bem pouco livres, conseguiram libertação interna, e
espalharam a idéia da verdadeira liberdade espiritual por todo o mundo. Se você quiser se prender à
liberdade exterior, e eu escolhi as palavras com cuidado, então você está realmente presa! Você
perderá liberdade interna. Mas se você renunciar à liberdade externa para se ligar a Deus e a suas
leis, você será libertado. Isso é verdade, meus amigos. Eu rogo que reflitam sobre isso; meditem
sobre essa frase por um longo tempo! Você obterá o conhecimento, minha amiga, quando abrir a
porta interior. E se essa porta para o conhecimento interno ainda está um pouco trancada, isso pode
ser devido a uma certa rebeldia. Eu dei a chave para ajudá-la. Pense nisso.

Eu tenho uma mensagem para você, minha alma, que acabou de me ser dada. É de um
espírito que você conhece, eu não vou dizer quem é, mas você vai entender, porque tem pensado
muito nele. Ele quer que você saiba que ele está bem perto de você, e que a ama muito e se
arrepende de muitas coisas. O que quer que você conheça em seu íntimo também é uma ajuda para
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 15 de 16

ele, no sentido de purificação. Faz parte da purificação dele fazer as pazes e ajudar a você com isso
também, para corrigir os erros dele tanto quanto é possível agora.

Dessa maneira, um ser humano serve ao plano da salvação. Ele contribui muito quando segue
o caminho da purificação. Não somente outros seres humanos lucram com isso, mas também vários
outros espíritos também, especialmente aqueles com quem você tem uma ligação próxima, porque à
medida que você conhece seu ser interior, eles aprendem com isso, contanto que seus atritos tenham
sido causados por aqueles seres espirituais enquanto eles eram homens e mulheres na terra. Isso
apressa o desenvolvimento deles. Assim, um ser humano que segue esse caminho de
autoconhecimento ajuda muito mais do que pode perceber. O bem e o mal têm conseqüências de
longo alcance. Quando você joga uma pedra na água, ela forma muitos círculos no movimento da
água, muitos! Vocês não conseguem ver nem remotamente quantos círculos são formados, porque
os círculos exteriores são vibrações instantâneas que o olho não consegue captar. Existem muitas,
muitas virações instantâneas circulando no mar da sua vida, por causa de uma “pedra” que foi
atirada.

Vou lhes dizer uma coisa, meus queridos, todos vocês têm seres amados no mundo espiritual,
intimamente ligados a vocês. Alguns estão em um nível mais alto que o de vocês, e querem lhes
trazer luz e amor, para atraí-los para mais perto da esfera em que se encontram. Outros estão em um
nível inferior; eles ouvem vocês, aprendem com vocês. Vocês nunca estão sozinhos, nenhum de
vocês.

Que a luz de Deus os acompanhe. Voltem-se para dentro, fiquem calmos. Procurem sentir os
raios de luz que seguirão vocês muito depois de termos terminado esse encontro. A luz cai sobre
cada um de vocês, e lhes dará força. Ela também irradia para os meus amigos que não estão aqui
hoje, que estão em lugares distantes e ainda assim trilham esse caminho com devoção.

Que o amor de Deus possa fluir através de vocês. Deus os abençoe!

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por
escrito da Fundação. A Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou
pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida,
de acordo com a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou
abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua
comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork
Foundation tenham concordado em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de
transformação pessoal reconhecidos pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Telefone : (011) 3721-0231 E-mail: pathworksp@pathwork.com.br Visite: www.pathwork.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter)
Telefone: (71) 3237-4962 E-mail: pathworkbahia@yahoo.com.br Visite www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília (Chapter)
Telefone: (61) 3442-8108 E-mail: fvervloet@gmail.com
Pathwork® Ceará (Chapter)
Telefone : (085) 8731-1122 E-mail: reginalencar@gmail.com
Palestra do Guia Pathwork No. 5 (Palestra Não Editada)
Página 16 de 16

Pathwork® Goiás (Chapter)


Telefone: (62) 8118-0446 E-mail: ritapath@hotmail.com
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Tel: (31) 9959-5547 E-mail: pathworkmginstituto@gmail.com Visite: www.pathworkminas.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Telefones: (083) 9967-8303/(083) 3235-5188/(083) 3224-2362 E-mail: claubetenobrega@terra.com.br Visite: www.pathworkpb.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro (Chapter)
Telefone:: (21) 2529-2322 E-mail: gmdell@globo.com Visite www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Telefone: (51) 9177-3178 E-mail: suefonseca@hotmail.com. Visite www.pathworksul.com.br
Visite: www.pathwork.org.
Visite: www.pathworkbrasil.com.br
Palestra do Guia Pathwork nº 6
Palestra Não Editada
20 de maio de 1957

DEUS: IMAGEM DE PAI; O TERCEIRO REINO: MATÉRIA

Saudações! Trago-lhes as bênçãos divinas. Meus queridos, recentemente houve discussões


sobre o quanto é difícil para o homem sujeitar sua própria vontade à vontade de Deus. Quero falar
um pouco mais sobre isso. Não há, praticamente, nenhum ser humano que esteja começando a
enveredar por este caminho a quem isso não se aplique. Queremos, portanto, examinar esse
problema bem como o motivo real pelo qual é tão difícil para o homem sujeitar sua vontade à
vontade de Deus. Se estudarem a questão, terão de admitir que se trata de falta de confiança; sim,
falta de confiança em Deus também. Mesmo que não seja claramente assim em termos racionais, do
ponto de vista emocional é necessariamente assim. Porque se vocês confiassem em Deus como seria
de esperar, não teriam nenhuma dificuldade em colocar a vontade Dele acima da sua.
Emocionalmente, portanto, seu comportamento é: “acredito que sei o que é bom para mim, o que é
mais vantajoso”, porém na realidade não é bem assim.

O mandamento diz “ama-te a ti mesmo”; porém o amor que o homem tem por si mesmo é
doentio e míope. O amor de Deus por vocês é um amor puro, forte e envolvente, de longo alcance
visual e grande bondade, que cuida para que tenham o melhor. Naturalmente, muitas vezes o que
Deus precisa enviar pode ser um pouco desagradável, não porque Ele assim o queira, mas porque a
lei de causa e efeito, baseada nos seus feitos e atitudes passadas, tem de ser cumprida e depois que
aprenderem a aceita-la, qualquer carga ficará consideravelmente mais leve de seu peso. Sim, também
por isso é proveitoso sujeitar-se à lei de Deus, pois superar e combater a carga deixará vocês mais
fortes, mais livres e mais felizes, entendendo seu significado cada vez melhor, à medida que
avançarem. Somente depois que esses obstáculos criados por vocês mesmos forem superados, é que
a grande felicidade que Deus lhes reserva – provavelmente ainda na terra – poderá ser colhida. A
vitória sobre as dificuldades causadas pelo eu, mesmo que a princípio não percebam a causa, libera
vocês o suficiente para ficarem receptivos a essa felicidade, que pode ser conquistada, “agüentada” e
mantida. E apenas aqueles que avançam espiritualmente chegarão um dia a vivenciar de fato essa
felicidade e, assim, poderão enxergar as dificuldades de um ângulo mais natural. Quando vocês
confiam realmente em Deus, o peso deixa de existir, se pensarem: "Faça-se a Sua vontade, Pai!" Eu
os incentivo enfaticamente, meus queridos amigos, a cada um, e principalmente, aqueles que sentem
uma resistência emocional ao lerem essas palavras, a examinarem a si mesmos com relação à
confiança em Deus. Todas essas atitudes internas equivocadas têm de ser trazidas para fora e
retificadas, e isso exige uma visão introspectiva de todos os ângulos. Assim vocês encontrarão a
resposta toda. Eu lhes dou essa orientação; trata-se de uma chave importante.

Talvez vocês se perguntem, então, “E se eu descobrir que careço de fé em Deus?” Meus


queridos, isso já é muito, descobrir o ponto doente! O reconhecimento de seu estado interior levará
a novos reconhecimentos e chaves até todo o emaranhado se desatar. Investiguem a causa. O
questionamento superficial do homem não basta. Portanto, é preciso buscar dentro de si para se
familiarizarem com a selva interna. O homem sempre resmunga: “Se há um Deus de justiça, como

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 6 (Palestra Não Editada)
Página 2 de 13

pode haver tantos problemas na terra?” Este pensamento, por si só, denota falta de confiança em
Deus.

Assim, vocês preferem duvidar da justiça e do amor de Deus do que da justiça e do amor de
vocês, sem pensar na falibilidade humana! Este é um ponto importante. Mais ainda, observem que se
esse sentimento estiver profundamente entranhado no ser humano, o fator que estará por trás é uma
interação de problemas puramente pessoais, que ainda não foram percebidos. Algo muito pessoal
gera essas resistências. Portanto, é urgente que o homem estude as leis de Deus, e se o intelecto for
suficientemente desenvolvido e se houver vontade de olhar objetivamente, mais e mais luz será
lançada sobre o funcionamento dessas leis divinas, ajudando a preparar o terreno para um exame
frutífero das reações emocionais. E então, a paz e a harmonia preencherão a alma e o homem
poderá controlar a vida construtivamente. Um ponto focal é a confiança em Deus. Se confiarem de
verdade, aos poucos vão colocar tudo nas mãos de Deus e serão guiados; vocês se entregarão a Deus
e decidirão, com todo seu ser, desejar e fazer apenas aquilo que está de acordo com a vontade de
Deus. E somente quando atingirem esse ponto é que o contato de cada um com o mundo espiritual
de Deus poderá ser firmado, aceito como a verdadeira realidade. Vocês não devem seguir este
caminho de autoconhecimento por nenhuma outra finalidade que não seja liberar-se e assim abraçar
a verdadeira liberdade, com a finalidade última – já que a felicidade não pode ser atingida nem
mantida quando o que se busca é a própria satisfação -- de servir, ajudar e amar mais
profundamente. Ao chegar a esse nível, estando verdadeiramente iluminados e fortes, tudo isso
deixará de ser um sacrifício. O verdadeiro amor e serviço só podem ser dados por pessoas realmente
felizes e livres – um círculo completo!

Ocorre com muita freqüência um ser humano ter uma objeção pessoal contra a idéia de Deus
como um ser, uma gestalt, uma personalidade, e, portanto o Pai de todos os seres. Como disse antes,
por trás dessa forte resistência interna há uma luta pessoal. Quero lhes dar uma outra pista. Se
sentirem tal resistência, examinem seu relacionamento com seu pai de verdade –passado ou atual.
Muitas vezes há um ressentimento em relação ao conceito de Deus-Pai por uma rebelião ou
ressentimento interno com o pai humano (se é justificada ou não, não nos interessa agora). Estamos
discutindo a relação emocional entre vocês e seus pais, até que ponto estão conscientes de um
conflito com eles, até que ponto isso os afeta emocionalmente, por mera associação – rebelião
contra o poder mais alto, que o pai representa para a criança, e a rebelião contra a autoridade em
geral.

Talvez vocês tenham transferido essas emoções de rebeldia da juventude para uma revolta
inconsciente contra Deus-Pai. Esses sentimentos ocultos contra o pai não são realmente
reconhecidos, talvez apenas superficialmente, sem conseqüências mais profundas, mas isso não é
suficiente. Ressalto que, sempre que existe essa forte rejeição ao conceito de Deus como gestalt,
personalidade, pai, ela está associada ao pai terreno ou com a atitude geral para com ele. Pensem
nisso! Se descobrirem sua verdade interior nessa área, poderão dizer: “Minha opinião anterior não se
baseava em uma convicção objetiva, mas sim em reações emocionais não reconhecidas, até agora
inconscientes, que matizavam de emoção meus pontos de vista em geral. E não quero isso, pois meu
desejo é crescer espiritualmente.”

É claro que nem todo ser humano com problemas com o pai reage da mesma maneira. Alguns
reagem da forma oposta: por assim dizer, compensam. O anseio por uma boa relação com o pai os
faz buscar Deus, desejar reconhecer Deus como o Pai. Mas mesmo assim, isso é irrelevante. A
Palestra do Guia Pathwork No. 6 (Palestra Não Editada)
Página 3 de 13

verdade é que Deus é personalidade e gestalt, Ele é seu Pai. Quem se prende a Deus de uma forma
doentia, isto é, compensando inconscientemente os sentimentos pelo pai terreno, acaba com um
relacionamento nebuloso, pois não ama a Deus e não busca Deus, neste caso, para encontrá-Lo.
Portanto, meus queridos, reflitam. Ouçam o que diz o eu interior, vão até o fundo. Vocês verão
quanto os sentimentos pelo pai terreno matizam, influenciam e confundem o relacionamento de
Deus-Pai dessas duas maneiras: rejeição, devido à revolta contra a autoridade, ou anseio e
compensação. Examinem em particular essa primeira pista. Tudo na alma deve ser claro, puro,
verdadeiro, e saudável. Não importa se um sentimento doentio se incorpora a algo que seja verdade.
Compreendem?

Vocês não percebem a que ponto esses sentimentos não reconhecidos são responsáveis pela
atitude humana diante dos assuntos mais triviais e genéricos. O melhor gabarito, a forma mais útil de
auto-exame é como vocês se sentem quando um determinado assunto é abordado? Vocês ficam
calmos, sem preocupações interiores? Sem desarmonia? Se for assim, é sinal de que não há nada
distorcido e fora de foco. Vocês têm uma opinião, certa ou errada, porém não há sentimentos
pessoais importantes, problemas e conflitos internos envolvidos. No entanto, quando algum assunto
gera um peso, uma resistência, uma tensão, podem ter certeza de que alguma coisa não vai bem na
alma. Isso vocês terão de descobrir por conta própria. Se não conseguirem entender as descobertas,
se não conseguirem ultrapassar o obstáculo, terei o máximo prazer em ajudá-los a ver a luz, talvez
numa conversa reservada.

Eu lhes digo, meus amigos, não podem simplesmente se esquivar desta verdade se a sua busca
é sincera, e se preencherem todo seu ser com o pensamento de que querem a verdade que vierem a
encontrar em seu íntimo, se estiverem determinados, mesmo que suas descobertas sejam
aparentemente desagradáveis. Assim poderão, até certo ponto, curar e liberar sua alma e encontrar
felicidade e transmitir felicidade aos outros! Se pedirem ajuda a Deus, com toda a força de sua alma,
para que ele mostre o caminho, ele vai ajudar! Assumam o compromisso diário de se abrirem para a
verdade interior. Ela pode se mostrar de diversas maneiras, mas irá exigir toda a sua força de
vontade, todo o tempo, uma prontidão constante para ver. Exige coragem! Somente depois que
vocês superam a resistência em desejar isso continuamente (coisa que eu já disse antes e ainda vou
dizer muitas outras vezes) poderão ser felizes. A primeira reação emocional será: “Não quero saber.
Vá embora, verdade. Vou fechar os olhos”. E vocês encontrarão explicações de todos os tipos.
Depois, talvez digam: “Preciso enfrentar. Quero que minha alma se cure. Quero ser um ser humano
íntegro. Desejo amor e um profundo conhecimento interno. Só essa pode ser a vontade de Deus. E
se é a vontade do meu Senhor, será bom para mim, e não vou me lamentar quando tiver de encarar
uma verdade desagradável dentro de mim.” Isso significará a vitória sobre a cegueira interior, sobre
o eu inferior, e portanto sobre a escuridão.

Quero repetir, todos os seres humanos – não só os médiuns - podem e devem ter um contato
pessoal com o mundo dos espíritos de Deus. E todos podem tê-lo, todos! Mas é preciso satisfazer as
condições. E se os espíritos de Deus lhes falarem (por um médium), não será para fazer de vocês
uma espécie de marionete, totalmente dependente, meus queridos. Seres inferiores, para não falar
das forças nefastas, ficarão felizes em lhes dizer, com doçura, para fazer ou pular isso ou aquilo em
termos de problemas materiais. Isso lhes dá poder, lhes satisfaz a vaidade. Um espírito evoluído,
porém, não precisa desse tipo de poder nem de adulação. Ele quer o que Deus quer, e Deus quer
fazer de vocês seres humanos livres e liberados, e a verdadeira libertação somente pode ser sentida
em Deus e através de Deus e pelo processo do seu trabalho de alma pessoal, reconhecendo o que é a
Palestra do Guia Pathwork No. 6 (Palestra Não Editada)
Página 4 de 13

vontade de Deus em uma determinada situação e o que não é. Queremos abrir seus olhos para esse
fato, de que todos podem entrar em contato com o mundo dos espíritos de Deus. Sim, isso é o que
nós queremos lhes mostrar. Há determinadas regras fixas, por um lado, e de outro lado é preciso
eliminar os obstáculos pessoais.

Vou ajudar a todos os que quiserem estabelecer esse contato por si mesmos e, se não se
importarem, gostaria de explicar determinados princípios sobre como cada qual pode fazer um
contato inicial, o que deve ser feito. Mas a decisão é de cada um. Não queremos forçar as pessoas
nesse sentido. Deus não impõe sua vontade ao livre arbítrio. Vamos falar sobre isso no final, se
vocês desejarem isso. Poderei não falar sempre nem exclusivamente sobre esse assunto; depende. A
questão também vai estar no contexto de uma palestra geral, que sempre contém dicas para cada um
sobre como fazer contato pessoal. Também vou continuar a responder suas perguntas, mesmo que
não digam respeito a essa área. Poderia ser uma espécie de aula, se quiserem. Quando eu lhes
perguntar, respondam honestamente, mesmo que não queiram fazê-lo. O que quer que eu diga
poderá não ser uma novidade para vocês, porque em minhas falas menciono diversas coisas. Mas
essa aula resumiria as condições, passo a passo, de acordo com seu progresso. É um grande tesouro
que o homem pode ganhar dessa forma, o maior de todos. Mas não é fácil. Por um tesouro real, por
essa iluminação, vocês terão de pagar um preço! E a decisão cabe a cada um; não será tomada por
outro.

Gostaria de ressaltar, que se não aplicarem o que vierem a aprender nessa aula, não terão
justificativa em negar a realidade dos espíritos, nem diante de si mesmos. Quando um espírito de
Deus descreve a verdade espiritual, cada um de vocês pode testá-la através de prática,
reconhecimento e, sobretudo, vivendo de acordo com os princípios, por uma compreensão interna
de tal intensidade que não deixa restarem dúvidas, e as provas materiais ficam em plano secundário.
Esse é o ponto! Se vocês não seguem as leis de maneira suficiente para atingir a realidade interior do
espírito, absorvendo e aprendendo o que ouvem aqui para encontrar a confirmação a partir daí, não
têm o direito de duvidar. Agora passemos para suas perguntas, meus queridos.

PERGUNTA: Gostaria de perguntar como pode ser explicada a diferença de conceito entre a
visão indiana e a ocidental com relação à vida após a morte, ou melhor: quem está certo? O conceito
indiano é que, depois de diversas encarnações a alma finalmente retorna para o nada, e há uma total
dissolução de identidade. O conceito ocidental diz que a personalidade e a consciência continuam a
existir?

RESPOSTA: Inicialmente, quero dizer que é muito raro encontrar um conceito religioso,
ainda que equivocado, que não contenha o núcleo da verdade. Alguma coisa teve origem na verdade
e, ao longo tempo, foi distorcida por problemas de interpretações erradas, mal entendidos, erro,
omissão de partes essenciais, pois isso acontece no decorrer de longos períodos, e também porque o
homem, com a limitada capacidade de seu intelecto, não compreende o significado mais profundo
de muitas afirmações. Mas o núcleo da verdade está lá. E sempre que vocês tiverem dúvidas desse
tipo, me perguntem, qualquer que seja o conceito religioso, ou uma parte da Bíblia. Responderei
com prazer, o melhor que puder, onde está o núcleo da verdade. Assim a sua compreensão geral vai
aumentar.
Palestra do Guia Pathwork No. 6 (Palestra Não Editada)
Página 5 de 13

Para responder sua pergunta específica, e para dar a resposta mais precisa, quero explicar, em
primeiro lugar, como é na realidade. A resposta lhes dará uma avaliação de ambas as opiniões.
Quanto mais alto e evoluído o ser, menos fronteiras do ego persistem. É o ego que ergue uma
parede de cegueira e separação em torno da alma. No nível de desenvolvimento mais alto, o elo de
amor que liga um ao outro –a realização do amor liberado de que todos estão conectados no amor -
– aparece. Todos aqueles conectados através desse elo de amor liberado sentem o sofrimento de
cada um como se fosse o próprio, e da mesma maneira, as alegrias são sentidas por todos com a
mesma intensidade. O ego é o fator de separação, esse “Quero meu trono” que em última análise
implica querer o melhor lugar para si em lugar dos outros. Esse ego desaparece, passo a passo, à
medida que o ser – homem ou espírito – progride em seu desenvolvimento. Quando é atingido o
nível mais elevado, o sentimento de irmandade, de amor, de união ao outro, a todos os outros, é tão
completo que cada alma vibra em sua totalidade com o outro, numa ligação verdadeira e livre com
todos os irmãos e irmãs e com o Pai celeste. É muito difícil explicar essa realidade por meio de
palavras, porque vocês ainda carecem da vivência interior e, portanto, dificilmente poderão entender.
Só peço que façam um esforço para compreender o significado nas entrelinhas, para que possam de
alguma forma visualizar o que tento explicar.

O nível mais alto é o que chamamos de “casa de Deus”. Não imaginem uma casa, mas sim
uma grande esfera. O ser que entra na casa de Deus e que não precisa mais encarnar no corpo
humano fundiu-se com o outro de maneira tão completa – sentindo tudo com a mesma intensidade
que os outros – que o ego foi superado. Aliás, nem todos aqueles que já não precisam encarnar num
corpo humano outra vez entram na casa de Deus imediatamente, o desenvolvimento posterior deles
ocorre em outras esferas do mundo espiritual.

Os seres humanos cometem o erro – simplesmente por confundirem os conceitos básicos


(isso não é uma censura, pois é compreensível que o homem não consiga ser de outra forma, diante
de sua capacidade mental limitada) -- de acreditar que o ego é idêntico à individualidade do ser. Uma
coisa nada tem a ver com a outra. Uma coisa não exclui a outra. Ao contrário, como tentei explicar
em minhas palestras, a consciência do “eu” se amplia e intensifica a cada nível mais alto que o ser
alcança, e isso porque as tendências separadoras do ego são superadas. Essa separação é a cegueira, a
falta de compreensão, e, portanto reduz e diminui a consciência do “eu”, a individualidade. Um dia o
ego precisa ser superado, a fusão precisa ocorrer. Não há perda de individualidade nesse movimento;
não, ela se cristaliza com o aumento da liberação, da luz, da compreensão e do amor.

Vocês já podem ver como se pode deduzir que o núcleo de verdade do conceito indiano, bem
como do conceito judeu e cristão, são aparentemente contraditórios. O conceito indiano se refere à
dissolução do ego, enquanto o judeu e o cristão enfatizam a individualidade da alma que de fato
existe eternamente. As duas coisas são verdadeiras. O conceito indiano assumiu a forma de nirvana
pela seguinte razão. Houve na Índia em particular, através dos tempos, alguns seres humanos que,
por meio de exercícios de meditação avançados (semelhantes a aqueles que quero lhes mostrar em
uma aula) e por terem alcançado um alto nível de desenvolvimento, foram capazes de separar o
espírito do corpo sem perder consciência e, assim, relembrar as vivências do espírito.

Como um requisito básico para tal experiência espiritual e para a grande sensação de felicidade
que ela acarreta é a superação do ego em grande medida, é fácil entender que outros seres humanos
que não tiveram tal experiência tenham distorcido o que lhes foi dito por esses seres humanos
evoluídos. É muito difícil expressar um sentimento em palavras. Quanto mais alto, mais belo e mais
Palestra do Guia Pathwork No. 6 (Palestra Não Editada)
Página 6 de 13

iluminador o sentimento, mais difícil será explicá-lo em palavras para aqueles que não passaram pela
mesma experiência. Isso é mais verdadeiro ainda para as experiências espirituais. Portanto, a
experiência espiritual que tem de depender de uma transmissão boca a boca, de ouvir dizer, a torna
muito mais susceptível de ser mal interpretada do que os fatos. E foi isso o que ocorreu aqui.
Portanto, não se trata da dissolução e anulação da individualidade. Se assim fosse, a experiência
pessoal não poderia ser registrada, nem levada ao nível da consciência, e, portanto não se poderia
tentar transmitir a experiência em nenhum nível, mesmo que insuficientemente. De tudo isso, vocês
podem ver como surgiu na mente do homem o conceito de que a individualidade desaparece, mas
mesmo assim é um equívoco. Na verdade, isso seria impossível, meus amigos! Nada que Deus criou
com beleza e pureza desaparece e, especialmente, não o espírito, e a individualidade em sua forma
pura – ou seja, sem o ego – é puramente espiritual. Nada se extingue.

Quando vocês vêem na terra uma bela flor, um animal adorável, e pensam que isso é
transitório, pois o corpo ou a carcaça anterior acaba ou a espécie está em extinção, vocês estão
enganados. Não, meus queridos, o que é bom e puro, isto é, o espiritual – e o bom e puro são
sempre espirituais – não se acaba. Existe eternamente de uma forma um pouco diferente, mas suas
características, sua “personalidade” é mantida. Diante de um cadáver as vezes vocês dizem: “A vida
foi embora”. Hoje já sabem que isso é o espírito vivente. O que é bom e puro no caráter de um ser
humano ou de qualquer criatura não se acaba, existe eternamente. Estão entendendo?

PERGUNTA: Sim, e nós, seres humanos, estamos preocupados em saber, ou pelo menos ter
uma indicação de que é a verdade que faz a ligação com aqueles que amamos e que continuam
existindo.

RESPOSTA: É isso que digo, é claro. Se não houvesse uma personalidade individual, não
poderia haver contato com outros, no amor nem de nenhuma outra forma. Não só é o elo do amor
mantido com aqueles que nos foram muito próximos, mas um dia no futuro – talvez daqui a muito
tempo, de acordo com o tempo de vocês – esses elos irão se expandir e incluirão outros seres,
mesmo aqueles dos quais não gostamos ou que nos são indiferentes. Este amor e esta conexão vão
se ampliar cada vez mais, passando a incluir mais irmãos e irmãs. Assim, o que é conquistado com o
desenvolvimento espiritual –ou seja, o amor, a compreensão, etc. – nunca poderá se perder.

Com relação ao conceito errôneo da total dissolução da personalidade, ele não foi formulado
nem disseminado pelos grandes indianos que tiveram as vivências espirituais ou que atingiram o
nirvana. Posso afirmar que se falarem com uma dessas pessoas seja ou não um indiano, elas vão
confirmar o que estou tentando explicar. Vão confirmar que se trata de um equívoco e que, ao
contrário,a individualidade, a intensidade da experiência individual só aumenta, não diminui, e que é
apenas a dissolução do ego. Essa é a diferença essencial! Seria bom refletir e meditar sobre essa
diferença, pois é comum os homens pensarem que toda a sua personalidade e individualidade estão
ligadas ao ego. O que quero dizer é que o ego é parte do eu inferior; a personalidade individual é a
soma total do estado do ser no nível atual de desenvolvimento, incluindo o eu inferior e o superior.
O eu inferior é aquele que diminui ou desaparece. Ele deixa vocês densos e ligados a terra e, na
verdade é o ego – eu inferior – que restringe a capacidade de terem experiências espirituais, amar os
outros, sentir compaixão, etc. Imaginem que têm dois eus lutando entre si. É o que sempre lhes
digo. Quando tiverem avançado o suficiente para sentirem essa diferença e distinguir um do outro,
vão entender essas explicações muito melhor, e estarão mais próximos da experiência espiritual. Se o
homem se apega muito fortemente ao seu ego, não é apenas porque é difícil superar as vibrações
Palestra do Guia Pathwork No. 6 (Palestra Não Editada)
Página 7 de 13

inferiores, mas também porque ele pensa, erroneamente, que junto com os traços do ego, ele
perderá sua personalidade individual.

PERGUNTA: Nosso médium pediu para perguntar o seguinte. Um de nossos amigos, um


seguidor dos ensinamentos de Rudolf Steiner, disse que não há dois “reinos” – céu e inferno, bem e
mal –, e sim três. De acordo com esse conceito, a terra é regida por um ser que não é Lúcifer, ou o
Demônio, mas acho que é Ahriman, o senhor da matéria, que aparentemente é mais perigoso para
os homens do que Lúcifer. O médium quer saber se isso é verdade, até que ponto e, com respeito a
Ahriman, que papel ele exerceu na queda. Só conhecemos Lúcifer. Como é isso?

RESPOSTA: Aqui, também, há um núcleo de verdade. Vou explicar assim. Vocês sabem que
não só Lúcifer caiu, mas levou muitos consigo. Nem todos esses seres tinham a mesma carga. Deus
tinha sete “filhos”, os primeiros seres criados e que estavam mais próximos Dele. Dois deles caíram,
além de outros seres – nem todos os que caíram tinham uma proximidade especial com Deus. Mas a
respeito destes não quero falar agora. Não tem nada a ver com a questão e não é importante que
vocês saibam todos os detalhes a esta altura, pois ainda não podem entendê-los, e criaríamos mal
entendidos. Por enquanto, basta saber isso.

Pois bem, um dos outros filhos de Deus que foi com Lúcifer é esse espírito que rege a matéria;
portanto pode-se dizer que ele rege a terra. Esse espírito também tem uma carga pesada; Lúcifer,
contudo, que deu início à queda, é o espírito mais fortemente carregado. Quando determinados
ensinamentos dizem que há três reinos não estão dizendo exatamente a verdade – isto é, desse ponto
de vista há mais do que três, pois Lúcifer, que é o espírito mais poderoso dessas esferas que são
separadas de Deus, deu certos “distritos”, por assim dizer, a outros espíritos muito carregados, onde
eles reinam com uma certa independência e somente com relação a algumas questões precisam
recorrer a Lúcifer.

É uma réplica do que existe no mundo de Deus, bem como no mundo humano, e que tem de
existir sempre que um determinado número de seres vive junto – ordem e diferentes níveis. Aqui no
mundo de Deus, também, os espíritos têm independência de poder de acordo com seu
desenvolvimento. Sua área de atividades se amplia constantemente, e nessa área eles podem decidir e
comandar, até certo ponto, e com o conhecimento específico das leis espirituais. No entanto, a partir
de um certo grau eles precisam voltar-se para um espírito superior que tem domínio sobre eles.

É verdade que a este irmão de Lúcifer foi dado o poder sobre a terra e que ele rege a matéria.
Isso não significa que o mundo imediato de Lúcifer não poderia contatar você, mas ocorre que
mesmo esse espírito está, em última instância, subordinado à esfera de Lúcifer, por mais poder que
possa ter. Se isso não foi especificamente explicado, é apenas porque não é essencial per se. Eu lhes
disse que Lúcifer também tem seus auxiliares com maior ou menor poder. E o espírito que rege a
matéria é um deles. Mas não é o único. Há outros espíritos do mundo de Lúcifer que têm tanto ou
mais poder em outros “distritos”. É impossível explicar todas as minúcias.

Há muitas coisas que não dizemos a vocês, não para que não saibam, mas porque vocês não
têm nenhuma possibilidade nem necessidade de entendê-las. Há espíritos na terra que estão sob a
supervisão direta de Lúcifer, ou seja, do inferno. Outros estão sob a supervisão direta do espírito da
matéria que, contudo, em última instância é comandado por Lúcifer, o chefe, por assim dizer. A
Palestra do Guia Pathwork No. 6 (Palestra Não Editada)
Página 8 de 13

diferença é muito clara. Quando essas pessoas dizem que o espírito que rege a terra é mais perigoso
ainda do que os auxiliares de Lúcifer, estão dizendo a verdade, porque os ajudantes de Lúcifer são os
espíritos do mal, do ódio, do assassinato, da inveja, da vaidade, etc., etc. Eles representam todas
essas correntes do mal. No entanto, esses espíritos do mal só podem entrar na vibração humana
quando o homem sucumbe às suas próprias correntes do mal, ou negativas. Depois que um ser
humano atinge um certo nível de desenvolvimento, talvez apenas em algumas áreas de sua
personalidade – sabemos que essa evolução não ocorre necessariamente em todas as facetas da
personalidade – os espíritos do mal já não podem se assenhorear do homem. Mesmo que sobrem
algumas raízes doentias na alma, há muitos seres humanos que lutam contra o mal e que não se
deixam levar por essas influências negativas. Por outro lado, há muitos seres humanos que já não são
capazes de serem totalmente maus e que, portanto, não estão a serviço do mundo de Lúcifer, porém
devido ao seu estado baixo e instável de desenvolvimento, são vulneráveis aos ajudantes desse
espírito que rege a terra, esse irmão de Lúcifer. São aquelas pessoas totalmente voltadas para a
matéria. Sem tentar prejudicar os outros com atos maus, eles voltam as costas para Deus e para as
coisas do espírito, tornando-se, portanto, menos sensíveis em geral, e enxergando cada vez menos.
O irmão de Lúcifer venceu a batalha diretamente, e Lúcifer indiretamente! O objetivo das forças
negativas é fazer com que todas as criaturas voltem as costas para Deus.

Dar as costas a Deus e a tudo que é espiritual torna o homem receptivo às influências do
mundo de Lúcifer, mesmo se esse não fosse o caso no início, mas o forte apego às coisas materiais
reacende alguns sentimentos baixos. Assim, esse espírito da matéria serve, indiretamente, a Lúcifer.
Ele pode capturar muitos seres humanos, onde Lúcifer falharia. De uma forma sutil, esses seres
humanos são pegos na rede da matéria, em última instância para Lúcifer. Não são, absolutamente,
seres humanos sempre maus. Sofrem a influência direta dos ajudantes de Lúcifer, porém a vista
daqueles que se apegam fortemente à matéria, escurece continuamente. Eles não expandem seu
campo de visão buscando o caminho do autoconhecimento e da disciplina, do amor e da humildade,
para estabelecer contato com o mundo de Deus. Vivem em um mundo falso, raso, cinza, e nada
dentro deles está realmente vivo, porque sua escravidão à matéria sufoca o lado espiritual, ou o
espírito vivo.

Gostaria de dizer que muitas pessoas se acham espiritualizadas porque amam as artes ou
porque têm interesses intelectuais. Isso não as torna absolutamente espirituais, realmente vivas.
Portanto costuma muitas vezes acontecer que um ser humano que tenha caído profundamente nas
promessas do irmão de Lúcifer, o espírito da matéria, vai se enfraquecendo e ficando mais sombria
até que, de repente, mesmo que não se dê conta, ela se vê nas garras de Lúcifer, pois já não pode ver
nada além da matéria, com olhos vendados e incapaz de lutar contra o perigo.

O inimigo que você não conhece é sempre mais perigoso do que aquele que você sabe existir e
do qual conhece a natureza. Muitas vezes é suficiente que um ser humano não esteja buscando Deus
ou trilhando Seu caminho para que o irmão de Lúcifer consiga entrar, coisa que o próprio Lúcifer
jamais conseguiria. Vocês vêem, portanto, que há uma verdade básica na afirmação da pergunta que
respondi, embora não se possa dizer que há três reinos. Se eu dissesse isso, teria de falar de muitas
outras coisas que vocês desconhecem totalmente. Portanto, é válido dizer que, em princípio, tudo
isso é uma batalha entre o bem e o mal, o mal lutando contra o bem. Tudo mais é uma subdivisão.

PERGUNTA: Gostaria de fazer uma pergunta sobre a sensibilidade dos animais. Embora se
diga que o ser humano é a criatura mais desenvolvida na terra, o que certamente é verdade, em
Palestra do Guia Pathwork No. 6 (Palestra Não Editada)
Página 9 de 13

certas áreas os animais parecem ser superiores ao homem. Por exemplo, sempre observei como os
animais são sensíveis. Os cães de caça têm um sentido do qual os homens parecem estar totalmente
privados; ou veja os gatos, por exemplo, observei que eles correm para a porta muito antes que se
ouça o ruído da chegada de um membro da família e quando se trata de estranhos eles não se
mexem. É difícil entender como isso é possível. Qual a razão disso?

RESPOSTA: Bem, o que vocês chamam de instinto nada mais é do que o sentido de
percepção do que não é material. Esse sentido é mais desenvolvido nos animais por que o intelecto
não é tão desenvolvido como no homem. O intelecto é muito importante para o homem,
principalmente para o seu desenvolvimento, pois é aí que se encontra sua força de vontade, que
precisa ser exercitada. Se, contudo, o intelecto for o objetivo maior e não um meio para atingir um
fim, ou seja, encontrar Deus, ele não estará bem direcionado, e a ênfase exagerada em sua
importância causa uma desarmonia no homem, e outros sentidos fenecem. Principalmente em
nossos dias isso é o caso. Seria necessário compensar essa falta. Se isso não for feito, o homem terá
de arcar com as conseqüências. Mas o homem também terá de arcar com as conseqüências se
negligenciar seu intelecto, como já ocorreu no passado e ainda ocorre hoje, com algumas pessoas. Se
o animal ainda tem esse sentido que a maioria dos seres humanos não tem, é porque ele precisa
compensar. O homem poderia fazer uso muito maior dessas forças se conseguisse chegar ao
equilíbrio correto e fazer do seu intelecto um instrumento para meios mais altos. Isso também vai
acontecer um dia. Você vê que nos países ditos primitivos esses dons são mais desenvolvidos. Isso
deve responder à questão. Contudo, essa questão abre, a esse respeito, pontos de vista interessantes
que eu gostaria de discutir ainda mais.

O desequilíbrio da alma, a doença de nossos dias, se assim posso falar, incitou na terra o
progresso técnico e científico que, no entanto, não é acompanhado por igual avanço espiritual. Se
Deus deu aos seres humanos o intelecto, foi para que vocês possam tomar suas decisões. Eu vou
por aqui ou por ali, opto por isto ou aquilo. Isso também se aplica à vida espiritual e à atitude
espiritual. É uma decisão por livre arbítrio, mas tomada pelo intelecto.

Se tal decisão for tomada da maneira certa, a percepção extra-sensorial instintiva (inclusive o
desenvolvimento psíquico) será despertada e se tornará tão desenvolvida quanto o intelecto.
Depende apenas da direção para a qual o homem canaliza sua força intelectual. É funcional e
natural, pois o fluxo da sabedoria está nas leis divinas para harmonizar todo o organismo espiritual e
psíquico do homem, e o progresso é uma conseqüência natural. Ou então o homem se desvia,
causando desarmonia, e o resultado é o sentimento de infelicidade. Vocês precisam estar plenamente
cientes de que o intelecto é um meio importante de chegar ao mais alto nível espiritual. Não neguem
sua importância. Mas vocês também precisam estar cientes da maneira como o intelecto deve ser
usado, para onde ele deve se dirigir e se vocês o estão usando de uma maneira egoísta ou como um
meio para um fim maior.

Reflita na resposta que dei à sua pergunta. Pergunte (1) eu faço uma compensação harmônica?
Eu dou a este instinto – ou como quer que você o chame – a devida consideração? Este sentido
também pode ser cultivado e desenvolvido como a força intelectual do homem. Será que eu
confundo este sentido com meu intelecto (que é uma faculdade limitada do homem)? (2) Eu uso o
intelecto quando é necessário e para o fim que ele me foi concedido? Se você considerar e canalizar
suas forças intelectuais desta maneira, poderá equilibrar totalmente sua vida. Você vai cumprir
plenamente o propósito de sua existência atual e viver em profundo contentamento e paz consigo.
Palestra do Guia Pathwork No. 6 (Palestra Não Editada)
Página 10 de 13

Caso contrário, a consciência do homem jamais deixará que ele tenha paz e contentamento interior.
Entendeu?

PERGUNTA: Não, não entendi o que você disse com relação aos animais. Por que os animais
podem sentir no 12º andar que um membro da família está chegando em casa? Como pode ser?

RESPOSTA: Imagine uma pessoa clarividente que tenha o dom de ver as coisas que
acontecem fora da sala em um momento diferente e em outra dimensão. Essa pessoa pode ver o que
acontecerá no futuro, bem como o que ocorreu no passado, sem que sua mente nada saiba sobre
isso. Essa pessoa também pode ver o que está ocorrendo no momento em outro lugar, sem estar
fisicamente presente. Ela não vê com olhos humanos, vê com o olho espiritual, ouve com os
ouvidos espirituais. É isso que ocorre com o animal. Ficou claro?

PERGUNTA: Então uma pessoa clarividente pode ver, quando alguém entra na casa, por
exemplo?

RESPOSTA: Às vezes sim, nem sempre. Mas quando uma vibração espiritual toca ou
harmoniza, ela é captada. O animal faz isso. Veja sua gata. Ela está sintonizada em suas vibrações,
harmonizada pelo amor. Quando você está a uma determinada distância, o animal capta a vibração,
mesmo que não possa ver você com olhos físicos. É sua visão espiritual ou sua audição, ou olfato
que percebem a vibração conhecida. Você encontra isso na pessoa clarividente, clariaudiente ou
mediúnica, que percebe com os órgãos psíquicos espirituais, e não somente com os físicos.

PERGUNTA: Gostaria de fazer uma pergunta de natureza científica. Tenho um amigo


cientista, que diz que hoje já é mais do que uma hipótese ter a humanidade um dia alcançado um
nível de desenvolvimento igual ou superior ao nosso de hoje, no sentido terreno, quer dizer, não no
espiritual, e que a energia atômica naquela época sem dúvida já era conhecida, e que o mundo
acabou, por assim dizer, centenas de milhares de anos atrás. É verdade?

RESPOSTA: Sim, é verdade. Como você bem diz, espiritualmente a humanidade não estava
no nível de desenvolvimento que deveria estar, diante de seu progresso tecnológico. Quando a
discrepância entre o desenvolvimento terreno e o espiritual é grande demais, determinados fatos têm
de ocorrer, caso contrário isso seria um perigo. Isso ocorre como conseqüência natural, e Deus não
previne esses acontecimentos, pois o perigo espiritual teria conseqüências muito piores do que a
catástrofe sobre a terra. Perder a vida terrena não é nada diante da perda da vida espiritual. O efeito
se segue às causas. Quando Deus interfere, Ele só o faz quando isso não apresenta perigo para a vida
espiritual. Muitas vezes, a aniquilação espiritual só pode ser evitada pela aniquilação terrena. A
história já mostrou isso muitas vezes. É somente quando o desenvolvimento espiritual – a volta a
Deus – está presente que o círculo vivo e positivo roda.As negativas, as correntes de morte,
aniquilam.
Palestra do Guia Pathwork No. 6 (Palestra Não Editada)
Página 11 de 13

PERGUNTA: Deus teve sete filhos e conhecemos apenas três – pelo menos eu: Cristo,
Lúcifer e esse Ahriman. Quem foram os outros?

RESPOSTA: Os sete filhos de Deus são Cristo, Miguel, Gabriel, Rafael, Uriel, Lúcifer e os
outros.

PERGUNTA: Os arcanjos?

RESPOSTA: Sim. Agora, meus queridos, quem já decidiu se quer começar esta aula sobre a
qual falei no início? Pergunto a cada um individualmente e cada um deve responder honestamente.
Não se sintam forçados. Bem, então começaremos da próxima vez.

PERGUNTA: Não tenho dificuldade com o problema do livre arbítrio. Entendo-o à minha
maneira, isto é, que tenho liberdade de cometer ou não crimes capitais, como roubo e assassinato.
Mas o significado de livre arbítrio é se me convém ou não, pessoalmente, fazer a coisa correta, e isso
as pessoas mais ou menos já sabem.

RESPOSTA: É verdade. Você pode saber se realmente quiser, mas muitas vezes o homem
não quer descobrir porque a resposta não lhe convém. Muitas vezes a obrigação espiritual não
combina com o que o homem quer! Nesse caso, entra em cena o que eu disse da última vez. O livre
arbítrio precisa envolver responsabilidade, dever e autodisciplina; caso contrário, o livre arbítrio é
um perigo e podem ocorrer catástrofes, como as acima mencionadas. Não preciso repetir pois já
descrevi essas coisas em detalhes na minha última palestra e os aconselho a estudarem isso de novo
pois muitas vezes vocês não compreendem tudo de uma só vez.

PERGUNTA: Depois da última sessão, pela primeira vez desde que entrei neste grupo, vi que
quando as pessoas se abrem e pedem ajuda espiritual, recebem uma resposta imediatamente, desde
que tenham a sorte de pensar nela.

RESPOSTA: Não é sorte no sentido de acaso ou acidente. É um treinamento que pode ser
aprimorado por meio de uma resolução diária, como tudo o mais.

PERGUNTA: Sim, mas só aprendi isso agora. É isso que vai nos ensinar nessa aula, o que
acabei de aprender?

RESPOSTA: Exatamente. E pode acontecer a cada um de uma forma diferente. Depende das
características, traços, tendências e talentos de cada pessoa. Cada uma vivenciará de uma forma
diferente.
Palestra do Guia Pathwork No. 6 (Palestra Não Editada)
Página 12 de 13

PERGUNTA: Com os animais ocorre o mesmo que com pessoas cegas ou surdas, que têm
outros sentidos mais aguçados do que outras pessoas?

RESPOSTA: Sim, é verdade. É uma compensação semelhante à do animal.

PERGUNTA: Quando um homem passa por certas coisas várias vezes, até tornar-se um
padrão, não deveria se deduzir que, a menos que haja algo maléfico, tal dificuldade foi enviada por
Deus?

RESPOSTA: Nenhuma dificuldade é, realmente, enviada por Deus, meus queridos. Mas Deus
criou as leis de tal forma que o homem tem de superar essas dificuldades que ele mesmo criou,
sejam elas cármicas isto é, com raízes que vêm de uma vida anterior, ou criadas nessa vida.

PERGUNTA: Como eliminar essas dificuldades?

RESPOSTA: Boa pergunta. A pessoa não deve ficar tensa, procurando afastar as dificuldades,
mas em primeiro lugar aceita-las e confirmar que elas não passam de uma conseqüência, mesmo que
não se possa ver prontamente sua causa, e saber que Deus é justo e deseja levá-los o quanto antes
para a felicidade, mesmo que seja uma estrada de pedras. Peça a Deus com todas as suas forças para
mostrar se e como você já pode, na vida atual, mudar as coisas. Se todos seus esforços forem
dirigidos para a vida espiritual e para o desenvolvimento da alma, você conseguirá desatar muitos
nós, e até um pesado carma. E este contato deve ajudar no sentido de aprenderem que é necessário
vocês mesmos estabelecerem contato com o mundo de Deus. Nesse momento, vocês farão os
reconhecimentos necessários, posso garantir. Primeiro têm de atender aos requisitos fundamentais
que são o tempo e o esforço necessários, de maneira constante, para superar todas as resistências
pessoais, sejam elas quais forem. Vocês vão perceber, passo a passo, por que precisam dominar um
fardo tão pesado. Quando o homem visa o aprendizado espiritual, sem buscar apenas conforto,
quando visa o desenvolvimento e a superação, o reconhecimento acontece. Quando o homem está
disposto a aprender com as dificuldades em vez de tentar eliminá-las superficialmente, ele vê a luz.

Aprendam a ver que toda dificuldade não tem apenas causa, mas também um propósito.
Propósito e causas estão fortemente associados, estão inter-relacionados. Aprendam que toda
dificuldade pode servir, se o homem assim o quiser, para libertá-lo e elevá-lo. Depende apenas da
atitude assumida diante das dificuldades, o que vocês querem fazer com elas, de que maneira vão
abordá-las. É uma questão de livre arbítrio humano. Vocês vão aprender a identificar os casos em
que, ao mudar determinados atos, já pode haver uma melhora, e quando isso não é possível. Nesse
último caso, é preciso aprender a não ficar tenso e adotar uma atitude emocional, isto é, dar murro
em ponta de faca, e sim aceitar que nem sempre é muito fácil. No primeiro caso é preciso ter
disciplina, isto é, fazer o que parece mais difícil.
Palestra do Guia Pathwork No. 6 (Palestra Não Editada)
Página 13 de 13

PERGUNTA: Mas então a dificuldade é que a pessoa não sabe qual das alternativas é a certa?

RESPOSTA: Essa resposta vocês vão obter neste caminho. Isso, e muitas outras coisas, vocês
vão descobrir se tentarem com sinceridade. Por exemplo, se eu lhes desse a resposta para essas
perguntas, vocês não iriam aceitá-las se elas não fossem convenientes para vocês ou se estivessem
todos travados por dentro.

Quem quer que abra essas portas internas certamente receberá uma resposta de seus amigos
espirituais. E eu gostaria de ajudá-los a abrir essas portas nessas aulas.

Agora, meus amigos, vão em paz, com as bênçãos de Deus. Fiquem com Deus.

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por escrito da Fundação. A
Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida, de acordo com a Política
de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem
ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork Foundation tenham concordado
em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de transformação pessoal reconhecidos
pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® Foundation
PO Box 6010, Charlottesville, VA 22906-6010, USA - Visite: www.pathwork.org
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Rua Roquete Pinto, 401 - 05515-010 São Paulo, SP - Tel: (11) 3721-0231- pathworksp@pathwork.com.br - www.pathworksp.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter). ACM 2501, Ed. Prof. Center sala 412, Candeal - 40288-900 Salvador - Telefax (71) 3353-7091 - pathworkbahia@yahoo.com.br –
www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília - Goiás (Chapter)
S.T.N. Centro Clínico Life Center, sala 113 - 70630-000 Brasília, DF - Tel: (61) 3340-5253 - eloisaprata@brturbo.com.br
Pathwork® Ceará (Chapter)
Rua Joaquim Ferreira, 911 - 60832790 Fortaleza - Tel.(85)34768142 cel- (85)88730027– karinebb@uol.com.br
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Rua Santa Catarina 1630 - Pilotis e sala 102 Bairro de Lourdes - 30170-081 Belo Horizonte, MG - Tel: (31) 3335-8457 - rnlac@terra.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Rua Josias Lopes Braga, 497, Bairro Bancários - 58000-000 João Pessoa, PA - Tel: 083 3235-5188 / 9967-8303 / 3224-2362 - claubetenobrega@terra.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro Espírito Santo(Chapter)
Rua Duque Estrada, 57/102 Gávea - 22451-090 Rio de Janeiro, RJ - Tel: (21) 2529-2322 / 82244333 - Fax: (21) 2113-0941 - gmdell@globo.com -
www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Av. Iguaçu, 485, cj. 401 - 09047-430 Porto Alegre, RS - Tel: (51) 3331-8293- renatemullercaminha@terra.com.br. www.pathworksul.com.br
Palestra do Guia Pathwork nº 7
Palestra Não Editada
17 de junho de 1957

DECIDA! PERFEIÇÃO, BEM-AVENTURANÇA, MEDO, PROBLEMA

Eu os saúdo em nome de Deus. Eu lhes trago as bênçãos de Deus. Meus queridos amigos, eu
prometi lhes dar conselhos específicos, ensinamentos e dicas. Hoje eu quero começar com isso.
Claro, alguns de meus amigos, que estão presentes ou não, já estão bem adiantados em seu caminho,
mas alguns ainda estão na entrada da primeira porta. E embora eu tenha que começar com a
primeira fase, mesmo aqueles entre vocês que já passaram pela primeira porta e já fizeram um bom
avanço irão encontrar ajuda e direção. Agora eu vou resumir todos os problemas que o homem
encontra em sua alma antes de ter passado pela primeira porta.

Esse ser humano irá se perguntar, “por que preciso disso?” porque, por enquanto, ele não tem
visão e reconhecimento interiores de como é encantador, e como é importante um contato interior
desses. É claro, existem vários métodos para se conseguir tal contato. Existem alguns exercícios, e
com muito esforço esse método pode levar a algum sucesso para libertar o espírito o bastante para
ter alguma experiência espiritual e conseguir reconhecimento em um certo grau. Mas só existe um
caminho que leva ao sucesso mais seguro e melhor, e esse é quando o contato com o mundo
espiritual per se não é o objetivo final – seja por curiosidade ou interesse, etc.- mas quando ele é
perseguido como meio para um fim, quando serve para que o homem aperfeiçoe seu eu interior,
para que reconheça a vontade de Deus em tudo – nas questões maiores bem como nas menores – e
para satisfazer Sua vontade. Assim o homem vive de acordo com as leis espirituais, nos níveis
interior e exterior. Quando esse é o objetivo, o mundo espiritual de Deus dará a ajuda e o apoio
máximos para estabelecer esse contato.

Para vocês, cada reação emocional, cada pensamento, cada opinião e tendência, e cada ínfimo
aspecto de sua personalidade são fios de raios invisíveis que pertencem só a vocês. Por outro lado,
existem leis espirituais fixas, e ainda assim constantemente vibrantes, que mantêm unidas em uma
rede de raios, possibilidades infinitas e modificações de reações internas e externas. Portanto,
quando os raios pessoais do homem combinam com aqueles mantidos na rede de raios das leis
espirituais, o homem preenche sua vida e assim está em harmonia e feliz. Quando ele se desvia, está
em desarmonia e conseqüentemente encontra dificuldades que vocês muitas vezes, de maneira
errada, chamam fatos do destino. Quanto mais o homem se afasta das raízes dessas dificuldades ao
acobertá-las e empurrá-las para o inconsciente, mais difícil será reconhecer as conexões e eliminar ou
desenterrar as raízes defeituosas. Se vocês querem ser felizes, têm que encontrar essas raízes
interiores defeituosas. Desenterrar as raízes defeituosas é o caminho para a perfeição, ou purificação,
ou cura da alma, como quer que queiram chamá-la. Se, desejaram entrar em contato com o mundo
espiritual de Deus com esse objetivo, e só com esse objetivo – porque sem ele não é possível - ,
vocês irão receber, como já disse, o máximo de ajuda, apoio e direção. Nesse caso, tudo vai se
desenvolver e progredir para o bem daquela pessoa. Nesse caso, ela está realmente em boas mãos. O
homem também precisa de ajuda e conselho exteriores, quando começa no caminho, para remover

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 7 (Palestra Não Editada)
Página 2 de 13

as primeiras pedras que estão bloqueando o caminho para o contato com o mundo espiritual de
Deus.

A ajuda exterior deveria, se posso colocar assim, tornar a ajuda interior possível, ou seja,
primeiramente se faz necessária uma ajuda que impressiona os sentidos exteriores a fim de despertar
os sentidos interiores para a ação independente. Essa ajuda exterior pode ser dada por um ser
humano que atingiu um dos níveis superiores nesse caminho ou através de um espírito de Deus –
não que essa ajuda exterior seja suficiente, e não é. Ela é só o empurrãozinho, e é a semente que tem
que ser enterrada na alma e tem que criar raízes, através do trabalho de cada um, para que possa dar
frutos. A parte essencial é que vocês abram caminho até seu eu interior. Eu falei muitas vezes – e
vocês sabem muito bem – que um ser humano nunca somente aceita alguma coisa que alguém lhe
diga, mesmo que seja razoável, especialmente quando interferem resistências pessoais, interiores,
inconscientes.

Todas as verdades da criação, todas as leis espirituais, tudo que o homem é capaz de
compreender deve, portanto, ser vivenciado pessoalmente, para se tornar conhecimento genuíno e
para ser utilizado pessoal e produtivamente. Isso é possível, mas somente nesse caminho! O
reconhecimento interno de qualquer verdade só pode ocorrer quando o contato com o mundo
espiritual de Deus for estabelecido, pelo menos em algum grau, e esse contato pode ser feito quando
em algum lugar da alma se abre um caminho até o eu superior.

Quando vocês se encontrarem diante desse portão, reflitam sobre isso, não o coloquem de
lado. Caminhem com coragem para cruzar a porta; não vacilem e voltem atrás, não hesitem em
decidir. Muitos acreditam, e têm alguma boa vontade, mas acham que é suficiente não “pecar”. Mas,
meus amigos, o que é o pecado? De alguma maneira toda transgressão de uma lei divina é pecado;
não importa se o mundo ou você a reconhece como tal ou não. As dificuldades que o homem
encontra antes de entrar por essa porta são os efeitos dessas transgressões de certas leis divinas, e o
“eu não consigo me decidir inteiramente” é uma delas. É preciso tomar uma decisão firme, “sim” ou
“não”. Mesmo seu “não” é melhor que nenhuma decisão, levando-se em conta as conseqüências e o
alcance. Em determinadas circunstâncias, isso é melhor que a indecisão – as idas e vindas, o “talvez”
– a tentativa de não fechar portas, de se convencer de que alguns problemas concretos impedem
vocês de trilhar esse caminho espiritual. No entanto, os problemas materiais são conseqüências de
atitudes espiritualmente erradas.

Todos vocês sabem se entraram pela porta ou ficaram parados na frente dela. E aqueles que
ficaram parados devem se perguntar “eu tomei uma decisão firme?” Tomem a decisão, qualquer que
seja! Ir com Deus até a metade do caminho não adianta. Suas desarmonias vão aumentar, porque,
deixando uma porta de escape aberta, vocês se convencerão de que ainda estão mais perto de Deus
do que, talvez, um ateu. Não, isso não é verdade, meus queridos, não é absolutamente verdade. A
crença em Deus é um conhecimento e visão internos, e esse conhecimento e visão são obrigações!
Somente quando tiverem tomado essa decisão – e todo mundo tem que buscar em sua própria alma
-, reflitam com cuidado e meditem sobre o que está em jogo aqui, o que a vida terrena significa, que
problemas materiais tem relação com a grande verdade espiritual que é superior à verdade material.
Cada um de vocês deveria refletir profundamente sobre todas essas questões e então se decidir. A
primeira decisão já vai trazer alguma paz.
Palestra do Guia Pathwork No. 7 (Palestra Não Editada)
Página 3 de 13

Essa deve ser sua primeira meditação. Aqueles que acreditam que já sabem meditar e rezar, e,
portanto pensam que essa “primeira” meditação não lhes diz respeito, devem entender que estou me
referindo à primeira meditação que leva à decisão completa e verdadeira: ou isto ou aquilo. O
homem sempre está tentando com afinco evitar uma decisão do tipo ou isto ou aquilo. E eles acham
que podem sair disso, ilesos. Não podem! Nós, do mundo espiritual de Deus, que queremos ajudá-
los, amá-los, ficamos tristes quando não conseguimos dar essa ajuda quando, em princípio, ela seria
possível, quando a alma já tem maturidade suficiente para trilhar esse caminho, e quando nós temos
que observar como vocês tornam as coisas difíceis para si mesmos, tentando cobrir seus olhos.

Agora eu quero discutir o que realmente torna tão difícil para vocês se decidirem pelo “sim”
ou “não”. Por mais que o homem se arrependa de seus erros, em parte gosta deles. De alguma
forma não deseja deixá-los para trás. Dá um certo prazer se entregar a eles, e o homem, por assim
dizer, se rende a eles. Embora ele saiba que, nesse caminho, deve superá-los, não deseja dizer adeus
a eles, pelo menos não com toda sua força de vontade. Portanto, o homem precisa refletir sobre a
verdade, que será revelada a todos que o desejarem, mesmo antes de ser estabelecido um contato
direto com o mundo espiritual. Se você pedir a Deus “mostre-me a verdade”, e se abrir para ela,
receberá uma resposta – sempre. Mas vocês, tantas vezes, são indiferentes. Vocês encobrem essas
questões e as colocam de lado. Vocês estão tão ocupados com seus problemas e com os pequenos
detalhes cotidianos que esquecem da parte mais importante. Quando pensarem sobre seus assuntos
pessoais, vocês devem admitir que eles são superficialidades e coisas insignificantes em comparação
com a grande totalidade da verdade.

Desejem a verdade, e abram-se para ela! Peçam a Deus por reconhecimento! E daí perceberão
que o prazer de se render aos erros é insignificante em comparação com o prazer de superá-los. A
vitória sobre o eu inferior não é só um bem-estar passageiro, momentâneo, é mais. Ela traz a
libertação de correntes apertadas, e traz uma felicidade duradoura, crescente, felicidade verdadeira,
sem o mau gosto de uma consciência culpada. Isso só pode ser conseguido por quem trilha este
caminho. Vocês não podem tomar a decisão antes de terem atingido a profundidade desse
reconhecimento. E conseguir esse reconhecimento é sua primeira tarefa; lutem duramente por ele.
Quando vocês refletem sobre minhas palavras com profundidade, e não superficialmente, e se
perguntam: “será que devo entrar por essa porta? Trilhar esse caminho? Será que devo aderir a Deus
e Sua verdade completamente, incondicionalmente? Sim? Não?” , então você já conseguiu um
bocado. A entrega parcial a Deus dá, de certa maneira, uma margem para as forças negativas
entrarem. Eu não nego que a graça de Deus irá intervir quando você tiver adquirido créditos por
boas ações, etc., nesta vida ou em uma vida passada. Mas as forças negativas estão à espreita em
todos os cantos. Elas estão procurando principalmente por seres humanos que estão ponderando a
decisão sobre trilhar ou não o caminho para Deus, muito mais do que por aqueles que ainda não
estão tão avançados no amadurecimento da alma. Vejam essa questão sob esse ângulo também,
meus queridos, queridos amigos. E daí decidam seu próximo movimento. Nós sabemos exatamente
a quem isso se aplica e, quem está além disso.

A próxima decisão que tem que ser tomada para estabelecer esse contato com o mundo
espiritual de Deus – após sua decisão ter sido “sim” – é dedicar um tempo diário a essa finalidade.
Se vocês não estão dispostos a fazer isso, não podem esperar conseguir muita coisa. Todos serão
capazes de dedicar um tempo, por mais ocupados que sejam. É só uma questão de vontade, atitude e
organização. Quando vocês tomaram a decisão, sabiam que há um preço a pagar. Perguntem-se: o
que eu quero? O que eu vou receber nesse caminho? Qual é o objetivo? A que eu devo me dispor,
Palestra do Guia Pathwork No. 7 (Palestra Não Editada)
Página 4 de 13

do que eu tenho que abrir mão quando eu trilho esse caminho? O que acontece se eu decidir não
trilhá-lo? O preço pela felicidade desse caminho é força de vontade, paciência, perseverança,
disciplina e um certo tempo. Não é um preço tão alto assim! Quando vocês tiverem satisfeito essas
condições básicas, terão removido os obstáculos principais. Agora podem começar a construir.
Quando o desejo de aperfeiçoar seu eu interior e, encarar a verdade é sincero, vocês receberão ajuda
espiritual, que cresce sempre enquanto vocês (1) são encaminhados a quem pode dar ajuda de fora, e
(2) através de seu próprio reconhecimento e percepção, que são respostas e dicas.

Essa conexão com o mundo espiritual de Deus é comumente chamada de contato mediúnico.
Mas nem todo ser humano precisa necessariamente se tornar um médium como aquela através de
quem eu falo. Mas todos vocês podem estabelecer um contato com o mundo espiritual de Deus de
alguma maneira. Estejam abertos para isso. Não digam “eu quero o contato dessa ou daquela
maneira”. Simplesmente estejam abertos e sigam as orientações que receberem. A manifestação vai
ocorrer no tempo e da forma que for melhor para cada um. Muitas coisas irão mudar na vida do ser
humano que trilha esse caminho, que se entregou para Deus incondicionalmente, não somente
através de uma promessa verbal, mas também pela ação. Mas essas mudanças virão devagar, passo a
passo, gradualmente, como um resultado natural. Essa é a grandeza! Parece vir de si mesmo. Nessa
atitude de entrega total, nada irá acontecer que possa ser prejudicial ou desarmônico. Mas o homem
deve contribuir, ficando aberto e sensibilizando a antena interna. Essa capacidade também será
despertada.

Hoje eu não darei mais nenhuma instrução sobre como estabelecer esse contato com o mundo
espiritual de Deus. Eu quero proceder de maneira sistemática, porque se eu der demais para os meus
amigos que ainda estão parados diante do portão, eles não poderão aproveitar o que digo. Quando
eu vir que não é necessária nenhuma outra instrução nesse aspecto, eu irei continuar e informarei a
vocês o que é necessário para a próxima fase. Essa é a única base que é essencial: a reflexão
cuidadosa do que é a favor e o que é contra a decisão, a decisão em si, a entrega, a meditação sobre
tudo que está envolvido aqui.

E agora eu quero dar algumas instruções gerais. Existem muitas questões nas quais o homem
pensa que isso é certo porque o contrário é errado. Mas aqui, como já disse muitas vezes, em casos
como esses, ambos os extremos são errados. Para ser específica, quanto mais um ser humano
avança, mais importante para ele é escolher espíritos semelhantes, isto é, amigos e ambientes que são
contribuições positivas para a busca interior. É necessário que se ajudem uns aos outros a estimular
a alma. Assim, devem ser contatos que não causem danos à alma, o que acontece muitas vezes com
contatos que parecem tão descomprometidos e inocentes. Mas isso também não deve ser forçado.
Peçam orientação, desejem orientação. Ela será dada a vocês, mais sábia e mais magnífica do que
podem imaginar. Somente através da sua experiência vocês serão capazes de compreender a
sabedoria e a magnificência dessa orientação. Por outro lado, alguns seres humanos que atingiram
um nível ainda mais alto, tendo força suficiente, se afastaram completamente daqueles que estão em
um nível inferior, devido a experiências desagradáveis que viveram com os tipos errados de
associações, que eu acabei de mencionar. Mas eles não deveriam se afastar completamente. Isso é
certo em muitos casos, e um ser humano que tem experiência no contato com o mundo espiritual de
Deus será aconselhado sobre qual contato manter e qual não manter. É claro, é necessário que tais
perguntas sejam feitas.
Palestra do Guia Pathwork No. 7 (Palestra Não Editada)
Página 5 de 13

Quando vocês se tornarem fortes, saibam que estão andando em solo espiritual seguro nesse
caminho. Existe menos perigo de que os espíritos que não são semelhantes, seres humanos menos
evoluídos, venham a arrastá-los para seu nível mais baixo. Ao contrário, vocês podem tentar ajudá-
los e influenciá-los. Mas, por estranho que pareça, o homem reage da maneira oposta porque a
primeira reação é ceder ao que é mais fácil. Se, os contatos com seres humanos menos evoluídos os
prejudicam espiritualmente, vocês ainda estão em um nível no qual não os consideram
desagradáveis. Portanto vocês não querem realmente desistir deles. Nesse caso, vocês se convencem
de que são capazes de ajudar essas almas menos evoluídas com o seu conhecimento, enquanto na
verdade vocês ainda não são capazes disso, e vocês saem enfraquecidos.

Vocês deveriam se cercar de amigos que os fortaleçam. Se vocês têm realmente certeza de que
tais contatos não podem mais machucá-los – eles podem ser, em suas vibrações desarmoniosas,
testes para provar a sua força – então vocês atingiram o ponto em que tal contato com seres menos
evoluídos é um sacrifício. Pensem que o homem quer se cercar de espíritos semelhantes e se afasta
de espíritos desagradáveis. Ele tem uma tendência a generalizar o que vivenciou, aquilo que é certo, e
aquilo que foi certo para ele – esse contato com seres menos evoluídos é prejudicial por si mesmo –
mas que, em um nível mais alto, é ligeiramente diferente. Pode haver um erro envolvido; talvez seja
preciso realizar uma tarefa com esse ser humano mais fraco, que não é realizada se a pessoa virar as
costas. E se um ser humano nesse nível alto não é totalmente feliz, quando alguma coisa inquieta a
alma apesar dos vários conhecimentos internos, talvez a causa esteja em um contato que foi deixado
de lado, abandonado, enquanto tal contato deveria ajudar, satisfazer e ser uma fonte de aprendizado.
Vocês vêem, não é sempre igual, dependendo do seu grau de desenvolvimento, não é sempre que os
contatos mais baixos prejudicam o progresso. Se vocês atingirem um estágio avançado de
desenvolvimento e não estiverem inteiramente felizes, pensem nisso. A causa pode ser alguma coisa
como essa, porque a essa altura a alma passa a ser um sismógrafo que registra a menor falta de
harmonia, indicando que alguma coisa está errada.

Agora, meus amigos para quem isso não se aplica, não se convençam de que desistir desse ou
daquele contato que vocês apreciam é necessário por si mesmo. O que estou dizendo se aplica às
pessoas situadas no outro extremo – aqueles que querem se afastar porque é mais conveniente para
eles. É uma questão intrincada – responder a si mesmos. Descobrir que freqüentemente aquilo que é
mais difícil de fazer e mais desagradável pode indicar o ponto em que a busca interior emperrou,
onde alguma coisa não foi muito bem resolvida, impedindo que vocês sintam uma felicidade
verdadeira, que será de vocês quando trilharem 100 por cento desse caminho da luz, e assim
satisfazerem sua vida. Pensem sobre isso! Cada um de vocês pode encontrar o seu padrão. Não ajam
de maneira forçada em nada, mas fiquem abertos para a orientação na direção certa. Também peçam
orientação para saber como podem se abrir. Isso é tudo que precisam fazer. Se não estão dispostos a
serem guiados nessa ou naquela área, vocês não podem receber a orientação e a ajuda. Quanta ajuda
o homem pode receber se estiver disposto! E ele simplesmente não pensa em pedir por ela. Algumas
vezes nem quer pensar sobre isso. Quanta felicidade, quanta alegria ele perde!

Meus amigos, essas são as forças e raios maravilhosos do mundo espiritual de Deus! Elas
querem envolvê-los, e as reações de vocês tornam isso impossível porque seus raios vibram em
outras direções e, portanto os raios de Deus não conseguem penetrar os seus. E agora estou pronta
para suas perguntas. Eu quero convidar os novos amigos, se desejarem, a fazer perguntas.
Palestra do Guia Pathwork No. 7 (Palestra Não Editada)
Página 6 de 13

PERGUNTA: Eu acabei de ler um livro de Prentice Mulford, no qual quase tudo está de
acordo com o que você diz. Mas há uma coisa que não entendo. Ele escreve que uma pessoa não
deve se preocupar com o negativo, especialmente não com os próprios erros, porque eles refletem o
negativo. Mas você disse que nós deveríamos encarar nossos erros e lutar contra eles. Mas para
poder lutar contra eles, nós temos que pensar sobre eles diariamente. Isso é uma contradição?

RESPOSTA: Não, não é uma contradição. O importante é o “como”. Claro, existem muitos
seres humanos que “mergulham” nos próprios erros, que têm esse tipo de falso arrependimento que
eu mencionei anteriormente. Eles reclamam de seus erros, dizendo “eu sou um pecador; eu sou tão
ruim; eu simplesmente não consigo superar meus erros. Que terrível que eu tenha essa ou aquela
falha!” E toda vez que pensam sobre elas, eles se deixam dominar por essa corrente ou vibração
improdutiva, e os sentimentos de culpa crescem. Mas esses sentimentos de culpa, por sua vez,
causam outras reações negativas e, portanto se inicia uma cadeia de reações negativas. Claro, essa é a
abordagem errada. Não somente ela atrai as correntes negativas, mas também envolve auto-engano.
Esse ser humano pensa que é humilde, quando, na realidade, quer seu próprio conforto ao dizer a si
mesmo que é irremediável. Você vai encontrar essa atitude muito freqüentemente. É tão extremada
quanto a atitude oposta, que descreve a perfeição. Um ser humano com conhecimentos espirituais,
que aconselha contra pensar sobre as correntes negativas está falando desse tipo de atitude. Mas, no
nosso caminho, é uma necessidade bem diferente e inevitável que o homem aprenda a se conhecer, a
encarar a verdade e a aceitá-la temporariamente como um fato, sem querer dizer que ele deva
considerá-la como imutável, sem fazer nada a respeito disso. Ele deveria dizer: “esse sou eu; eu
tenho essas falhas. Eu sei que para me livrar delas é necessário lutar, ter força de vontade e
paciência. Mas eu posso e vou fazê-lo.” Isso é produtivo.

Ao analisar corretamente e colocar o dedo na ferida, você vai descobrir que o fato de o
homem se chocar com seus defeitos e imperfeições de forma tão terrível e adquirir sentimentos de
culpa a esse respeito, do que mais se trata se não de um certo tipo de orgulho e presunção, de fingir
ser mais do que ele é? Esse ser humano se vê como perfeito, ao invés de passar pelo esforço de se
tornar perfeito. E perceber que ele não é perfeito é uma descoberta terrível que fere sua vaidade.
Assim, ele não pode se tomar pelo que é naquele momento. Essa é a parte doentia disso. Se você
usar seus sentimentos e depois pensar, meditar a respeito, você vai, desse modo, abrir novas portas.
É sempre o “como”. Eu já disse isso antes. Claro, uma vez que for capaz de se ver com todas suas
falhas, sem um sentimento de desarmonia ou resistência interna, como um observador objetivo
poderia vê-lo, aí então, mas só então, você pode construir sua casa positiva.

Você deve construir sobre a fundação da verdade. Não há como construir sobre mentiras ou
inverdades. Se você não se conhece, ou não quer se conhecer, ou se engana sobre si mesmo e sobre
suas motivações, e se você não consegue se encarar como é, com facilidade, você constrói sobre
inverdade. Mas encarar a si mesmo de uma maneira relaxada é humildade verdadeira, que coloca as
forças benéficas em movimento, capacitando-o a mudar a partir do interior, e não superficialmente.
Nesse caso existe construção, reconhecendo o ponto de virada e a essência de Deus que está contida
na raiz que foi torcida por um erro. Isso deve ser imaginado e buscado. Quando eu falo
repetidamente sobre essa perfeição, meus queridos, que vocês devem atingir, vocês vagamente
pensam em conseguir essa perfeição através de influências ou experiências externas, isto é, conseguir
alguma coisa que ainda não está em vocês. Mas isso não é assim! Ela está inativa dentro de vocês,
escondida por trás de muitas camadas, como eu tenho dito freqüentemente. Ela está coberta pelo
Palestra do Guia Pathwork No. 7 (Palestra Não Editada)
Página 7 de 13

seu eu inferior, mas apenas coberta. A perfeição já existe dentro de vocês. Basta remover as
camadas!

Para remover as camadas vocês precisam, antes, perceber que elas estão lá, e aceitar o fato de
que elas são como são, e se manifestaram de uma determinada forma. Assim elas podem ser
suficientemente diminuídas, para permitir a passagem para o eu superior, mesmo quando há
bloqueios reais impedindo a passagem. Quanto vocês ficarem completamente conscientes de que a
perfeição já está em vocês, irão achar mais fácil superar as dificuldades, e a imperfeição não os
prenderá mais em correntes. Liberem essa perfeição, ela está dentro de vocês, escondida por trás de
várias camadas, libertem-na. Uma vez que tiverem cristalizado o eu inferior, estendido diante de
vocês como um corpo estranho, vocês podem começar a construir as formas positivas que querem
realizar.

Vamos tomar o exemplo de alguém que luta contra o egoísmo. Essa é um defeito presente em
algum grau, de alguma maneira ou forma na maioria dos seres humanos, mas cada um só tem uma
porção dele. Quando, em sua meditação diária, vocês pensarem sobre as ações e reações
relacionadas com esse defeito, vocês vão passar por fases, passo a passo. Primeiro mal conseguem
perceber quando foram egoístas. Depois irão lembrar de acontecimentos, ainda mais quando
pedirem para reconhecer a verdade e se abrirem para ela, quando antes não tinham consciência da
tendência egoísta.

Depois disso virão o desconforto, o choque e uma forte consciência de culpa, ao lado da
resistência contra o reconhecimento. Portanto, vocês devem primeiro lutar contra qualquer
resistência que apareça, vencer e aceitar, por enquanto, que o seu egoísmo é um fato. Essa prática
trará uma imensa força espiritual, que tem muitas bênçãos em seu rastro. Nesse momento, para
avançar,vocês têm que atacar o problema a partir de vários lados. Isso requer que orem, pedindo
energia e força de vontade para se verem como são. Requer meditação para se tornarem conscientes,
lá no fundo, de quão pouca humildade existe quando vocês ficam tão exageradamente chocados a
respeito de cada falha, de quanto orgulho e vaidade isso revela, e de como essa atitude de não serem
capazes de se aceitarem como são nesse momento está distante da verdade. Também requer o desejo
de enxergar as interligações com outros defeitos, etc.

Depois de um certo tempo, vocês ficarão familiarizados com esse seu lado até então
desconhecido, com as correntes inconscientes. Com esforço contínuo, trabalho diário, meditação,
oração e resoluções, vocês serão capazes de controlar suas ações e reações, de quebrar o padrão
anterior. Aos poucos serão capazes de aplicar à vida cotidiana aquilo que reconheceram em seus
momentos de recolhimento, e de agir de acordo. Por outro lado, nos momentos de recolhimento
vocês irão perceber o progresso em suas ações, apesar de ser forçoso admitir que as emoções ainda
não acompanham as atitudes, e o resultado é uma discrepância porque é mais fácil controlar ações
do que emoções. Agora existe um perigo de encobrir suas reações emocionais, de se enganarem, até
que elas estejam enterradas novamente no inconsciente.

Isso muito freqüentemente causa correntes emocionalmente doentias. O homem age


corretamente, porque lhe ensinaram a distinguir o que é certo ou errado, sua consciência registrou
isso, ou porque ele quer o reconhecimento e o amor de seus companheiros. Mas essas ações não
estão embasadas nos sentimentos certos e, portanto, se tornam uma mentira. Mas não desistam.
Continuem a lutar com coragem pela sua verdade interior. Aí, então, serão capazes de impedir essas
Palestra do Guia Pathwork No. 7 (Palestra Não Editada)
Página 8 de 13

inversões. A discrepância entre a emoção errada e a ação correta irá desaparecer. Nessa fase, vocês
irão perceber que é necessário muito mais trabalho espiritual para mudar as emoções, e vocês não se
furtarão a esse trabalho pesado. Vocês irão construir, na meditação, as formas boas e corretas, ao se
imaginarem livres do egoísmo (ou de alguma outra característica), ao sentirem a alegria de deixar os
outros terem o que vocês sempre desejaram somente para si mesmos.

À medida que o tempo passa, essas formas ficarão poderosas. Elas irão cercá-los como
árvores, enquanto o eu inferior se estende diante de vocês como um corpo estranho. A discrepância
se torna mais aparente, mas vocês não irão ficar horrorizados cada vez que isso acontecer. Aos
poucos, mas com certeza, as correntes erradas irão mudar, e as emoções irão verdadeiramente se
adaptar às ações exteriores que já foram mudadas. Esse é o procedimento. Claro, sempre é mais
cômodo não mexer em nada disso, porque incomoda olhar para si mesmo honestamente todos os
dias. O homem é esperto quanto se trata de achar subterfúgios para explicar porque ele não quer ou
não precisa disso ou daquilo. Ele tende a se agarrar ao que é mais fácil. Mas o que se ganha com
facilidade não é tão precioso. Aquilo que é conquistado através da disciplina – que é um preço justo
–traz uma felicidade maior e mais duradoura. Simplesmente não poderia ser de outro modo.

PERGUNTA: Como uma pessoa pode eliminar o medo, quando essa pessoa não está, naquele
momento, em processo de cura pessoal? Como se pode eliminar um medo e uma insegurança
profundamente arraigados?

RESPOSTA: Você pode fazê-lo nesse caminho espiritual. Sozinho não é possível. Você só
consegue fazer isso através de dois tipos de ajuda: ajuda exterior e ajuda interior. Uma vez que tiver
tomado a decisão de trilhar esse caminho, de se submeter incondicionalmente a Deus, não somente
através de suas palavras e de fé em geral, mas com toda a atitude interior e estado de espírito,
arcando com todas as conseqüências internas e externas, aí você receberá a ajuda exterior. As portas
se abrirão para que a ajuda interior – que é o contato pessoal com o mundo espiritual de Deus –
possa ser dada. Com essa ajuda, você é capaz de remover qualquer desajuste emocional. Alguns
amigos desse nosso círculo aqui já sabem por experiência própria que essas palavras são verdadeiras.

Cada um de vocês que tomar essa decisão irá receber tudo de que precisa. Se você decidir
trilhar esse caminho, estabelecer o contato com o mundo espiritual de Deus, você deve querer se
libertar das imperfeições. Esses medos sobre os quais você perguntou são o sintoma de uma
imperfeição, de uma violação de uma lei espiritual. Esse medo pode ser um novelo grande,
embaraçado, que realmente existe como uma forma espiritual. Nesse caminho, um nó após o outro
será desfeito, até o novelo todo se desembaraçar, e assim você conseguirá viver sem medo. Claro
que com cada ser humano esse medo tem uma composição diferente, e eu não posso dar regras
gerais sobre qual é o pano de fundo do medo e como ele pode ser eliminado. Também pode existir
uma relação com o assunto que discutimos hoje.

Meus amigos, quando vocês sempre querem uma porta de saída – muito cautelosos para se
entregarem de corpo e alma, quer se trate de Deus, das questões espirituais importantes ou dos
detalhes materiais menores - vocês seguem uma corrente na qual o medo sempre vai aumentar.
Vocês não estão pisando em nenhum chão firme, porque essa foi a opção feita. Vocês não
pertencem a lugar algum. Vocês não tem nada em que se apoiar quando acreditam – o que é um
equívoco, muitas vezes apenas inconsciente -- que não arriscam nada ao não aderirem a nada. Esse
pode ser um fator. Outro fator, muito freqüentemente, é a falta de fé. As condições que trariam
Palestra do Guia Pathwork No. 7 (Palestra Não Editada)
Página 9 de 13

como conseqüência a graça de uma fé viva não foram satisfeitas. Dessa maneira, o homem, tem que
contar apenas consigo mesmo. Ele acredita que, de qualquer maneira, tudo depende de sua própria
ação, e por estranho que pareça, ele dificilmente faz aquilo que na verdade depende de seu trabalho e
que poderia resultar em mudanças. Por outro lado, o homem sente que em muitas áreas deve confiar
completamente em Deus, mas ele não consegue identificar esse sentimento, e assim sua mente é
inconstante porque ele simplesmente não vive à altura das condições da lei divina para se entregar a
Deus. Mesmo que o homem conheça intelectualmente as grandes verdades, elas continuam sendo
alguma coisa vaga, irreal, ambígua – nada real para se apoiar. Sem esse padrão de comparação, os
sentimentos negativos encontram um meio de penetrar na pessoa. E quanto mais ele alimenta sua
mente com pensamentos negativos, mais se afasta da influência positiva das forças espirituais de
Deus, e com isso o medo vai aumentar. Por ignorância, ele viola mais e mais leis espirituais, e assim
não consegue ter a experiência espiritual.

Além disso, o medo pode derivar do apego excessivo ao ego – autopiedade, vaidade, covardia,
orgulho, os pequenos desgostos e dores, em resumo, tudo que nutre o ego – que está sempre
procurando ficar em primeiro plano. Claro, isso é na maior parte inconsciente. Mas quanto menor a
consciência que o homem tiver desses procedimentos, menos ele conseguirá fazer para eliminar
essas interações doentias. Portanto, é muito importante, neste caminho, tomar consciência das
correntes inconscientes e examiná-las sob a luz da verdade. O ego no primeiro plano faz o homem
se sentir solitário. Isso coloca realmente o homem em um ponto focal, mas de maneira diferente da
que o homem (inconscientemente) pretendia. Isso o separa de seu ambiente e o torna cego para toda
verdade, porque a visão nunca pode ser conseguida violando uma lei. E aqui a lei da fraternidade é
violada.

Assim, o homem se cerca de uma parede de solidão, fica isolado, se afasta mais e mais daquilo
que o rodeia (o que pode não se manifestar na vida exterior, que pode ser bem agitada no que se
refere a contatos humanos). Tal solidão aumenta necessariamente o medo. Esses aspectos principais
que resumi aqui podem, além disso, estar ligados a outras correntes internas pessoais. Em sua
totalidade, esses problemas só podem ser reconhecidos através do trabalho duro de
autoconhecimento e da disciplina, e então eles podem ser superados, levando à perfeição e à
purificação. Todos os que decidem trilhar esse caminho receberão ajuda de todas as maneiras
possíveis.

PERGUNTA: De tempos em tempos, eu tenho sonhos que se materializam, e eu percebi que


eles vêm um após o outro em rápida sucessão, e depois desaparecem por algum tempo, mesmo que
eu reze à noite pedindo para ter um sonho. Eu pensei que talvez a razão de não sonhar seja a falta de
força física. Por exemplo, quando estou muito cansado, quando trabalhei demais, eu não sonho. Isso
não é parecido com o contato com o mundo espiritual, que requer uma certa força, a força de Deus?

RESPOSTA: Sim, eu diria que pode ser uma influência, porque, em geral, a ação recíproca do
físico e do espiritual é muito forte. Mas muitas vezes este não é o único fator envolvido. Você não
pode fazer orações para pedir esses sonhos. Você pode pedir sinais e respostas, mas a forma pela
qual eles são dados não é decidida pelos homens. Receber respostas de maneira diferente pode ser
melhor para você, em certos momentos de seu desenvolvimento. Você ainda não pode entender por
que seria melhor receber respostas de uma maneira diferente da que imaginou. Talvez seus sonhos já
Palestra do Guia Pathwork No. 7 (Palestra Não Editada)
Página 10 de 13

sejam um hábito para você, de maneira que interpretá-los não exige muito esforço espiritual de sua
parte. Mas talvez seja esperado que você se empenhe mais no trabalho espiritual e, portanto a
resposta é dada de maneira diferente. Quando é importante, de vez em quando, você sonha, para
que seja dado a você um reconhecimento rápido. Mas em geral, pode ser necessário que seus
esforços espirituais aumentem, para possibilitar o contato com o mundo espiritual de Deus de outras
maneiras.

PERGUNTA: Se um ser humano que acredita na cura espiritual do corpo, mas ainda não foi
completamente curado fisicamente, procura a ajuda de um médico, isso indica uma falta de fé? Ou
essa pessoa deve continuar a cura espiritual sem ir a um médico?

RESPOSTA: Não. Médicos também são instrumentos de Deus. E quando um médico pode
ajudar, vá a um médico! Mas procure o caminho da cura espiritual, especialmente quando a ajuda
médica puder não ser suficiente. Não procure um só caminho à exclusão do outro, de uma maneira
errada. Isso é muito fácil de ser mal interpretado. Agir bem tendo em mente o objetivo final é muito
importante; a teimosia no tocante aos detalhes pode ser um grande obstáculo. Quando a doença
ataca, ela tem muitas causas. Pode ser cármica e pode ser um sintoma de correntes doentias na alma.
Esse sintoma não pode ser eliminado se as raízes não forem arrancadas. Se isso for feito, o sintoma
desaparecerá. Aborde o problema a partir desse ponto de vista. Não ataque somente a partir do
exterior, mas encontre a raiz doentia na alma. Essa é a solução.

PERGUNTA: Se uma pessoa tem um sentimento de culpa em relação a um ente querido, que
faleceu recentemente, é possível alcançar esse ente querido com pensamentos e de alguma maneira
consertar a situação?

RESPOSTA: Sim, é possível alcançá-lo com o pensamento, mas eu gostaria de dizer que nem
sempre isso é o melhor para ele. Depende do caso. Mas como consertar a situação, só existe uma
resposta. No que tange a ele, não deveria haver nenhum sentimento improdutivo de arrependimento
como esse, que iria empurrar você e ele para baixo, acabando com a força. Você sabe que não existe
injustiça. Ninguém tem que carregar nenhum peso que não seja, de alguma maneira, causado por
suas próprias correntes doentias da alma, mas que, em última instância, são para seu próprio bem. O
fato de você realizar uma busca interior das causas do seu sentimento de culpa irá ajudar o espírito
de seu ente querido. Pergunte a si mesmo: o que realmente causou minha ação, ou ações, ou atitudes
anteriores? Mesmo que eu possa não agir dessa maneira hoje, as raízes do que me fez agir daquela
maneira ainda devem estar lá. Como posso encontrá-las e eliminá-las? Essa é a melhor e mais
produtiva meditação a cultivar.

Através desse tipo de meditação, você receberá a maior ajuda. Poderá se libertar, o que por sua
vez vai acelerar a libertação do espírito do seu ente querido. Mais uma vez se manifesta a lei
espiritual segundo a qual a maneira certa de se lidar com um problema traz a ajuda desejada. E
especialmente nesse momento é possível que esse espírito seja encaminhado ao ser humano para
trabalhar esses problemas em conjunto, cada um do seu lado e de sua maneira. Essa ajuda mútua
Palestra do Guia Pathwork No. 7 (Palestra Não Editada)
Página 11 de 13

muitas vezes é recebida através da inspiração. Essa é a mais produtiva. Você deveria meditar nesse
sentido.

PERGUNTA: Querida amiga espiritual, por que o número de cavalos na terra diminuiu,
enquanto o homem se multiplica rapidamente? Em minha juventude, havia um bilhão e meio de
pessoas na terra, e hoje três bilhões? Como isso pode ser explicado?

RESPOSTA: A função dos cavalos não é mais uma necessidade no plano, no que se refere à
sua utilização pelos humanos. Antigamente, os cavalos eram uma necessidade para fins agrícolas e de
transportes. Esse não é mais o caso. Hoje em dia, o cavalo é um animal utilizado quase que apenas
para fins de diversão. Assim, se a raça se extinguir, o homem não pode fazer nada a esse respeito,
não pode impedir que isso ocorra. Por outro lado, se a extinção de uma espécie animal não estiver
prevista, o homem pode fazer o que quiser, isto é, matá-los, e outros animais podem matá-los, que
aquela espécie mesmo assim continuará se multiplicando.

Isso deveria fazer os homens pensar! O motivo de nascerem tantos seres humanos é que é
possível aumentar as encarnações nos níveis mais baixos. Mais e mais seres atingem o estágio em
que podem passar pelas etapas básicas do desenvolvimento na terra. Além disso, muitos seres que
viveram na terra anteriormente estão reencarnados. Tudo isso é um sinal do progresso geral do
plano de salvação como um todo. Mais e mais seres entram na esfera terrestre, em parte vindos de
esferas muito baixas, em parte vindos de várias outras esferas mais altas. Você entende isso?

PERGUNTA: Sim, eu entendo de alguma maneira. Mas quando isso vai terminar?

RESPOSTA: Você quer dizer a encarnação na esfera terrestre?

PERGUNTA: Sim.

RESPOSTA: Isso não pode ser previsto. E já que você não consegue perceber esse elemento
temporal – para você, é um tempo imensamente longo - não faria sentido eu dizer um número,
mesmo se eu pudesse. Não é possível estimar isso, porque depende muito do livre arbítrio do ser
individual. No entanto, é certo que um dia haverá perfeição. Mas quando? Isso depende. Do ponto
de vista do espírito, o elemento tempo, se vai ser mais cedo ou mais tarde, não é tão essencial. Só é
importante a velocidade do desenvolvimento do indivíduo, porque um progresso lento significa mais
sofrimento.

Agora eu gostaria de dizer que o desenvolvimento do indivíduo, homem ou espírito, não só é


importante para atingir a felicidade, mas tem um efeito enorme no plano de salvação inteiro, que
vocês não conseguem nem remotamente compreender. Ocasionalmente, um ser pode ter uma idéia
da extensão das vibrações de sua alma, da distância de seu alcance – suas ações, todo o seu ser -, que
Palestra do Guia Pathwork No. 7 (Palestra Não Editada)
Página 12 de 13

afeta não só outros seres humanos a quem ele convence e realmente ajuda, mas também a realidade
das formas espirituais construídas sobre puro pensamento e correntes de sentimentos.

Se vocês ativarem constantemente esses pensamentos e sentimentos impuros, dentro de você,


as conseqüências seriam maiores do que vocês jamais poderiam imaginar, ainda mais para vocês no
caminho. Certa vez, comparei isso a uma pedra que é atirada em águas calmas. Muitos círculos se
formam, e mesmo que essa água seja um imenso mar e os círculos no exterior sejam imperceptíveis,
ainda assim eles estão lá, quem possam ou não ser captados pela visão. A mesma coisa se aplica a
cada ato, cada pensamento, cada sentimento, cada obrigação, e cada atitude de cada ser – positiva ou
negativa. Tudo representa uma pequena pedra atirada em um vasto mar. O efeito está lá.

PERGUNTA: Como funciona isso, em cada vida tantas pessoas acarretam para si mesmas um
carma terrível – assassinato, etc.? Depois elas nascem outra vez?

RESPOSTA: As leis espirituais são maravilhosas. Já falei muitas vezes a esse respeito. Em
última instância, o negativo e o mal devem atingir tal extremo que o ser não os queira mais, e assim
os supere. Em primeiro lugar, o carma que um ser humano cria para si mesmo é o único remédio, o
único agente de cura para progredir mais rapidamente e atingir a luz. Aqui você vê novamente as leis
espirituais sempre circulando em direção do mesmo objetivo final. O carma é uma maneira mais
direta e mais rápida de atingir o objetivo, mas gradualmente também se chega lá, infelizmente através
de uma estrada mais difícil. Vamos pegar o caso de um assassino: um ser humano que tem a
capacidade de cometer assassinato, mas não se entrega a esses sentimentos. Ele luta contra eles.
Com isso, ele conseguiu uma vitória, que em si tem conseqüências. Ela o torna mais forte, ele
consegue mais ajuda espiritual e pode subir a escada muito mais rápido, por causa da vitória que
conseguiu sobre si mesmo. Não é importante se essa vitória o impede de cometer um assassinato ou,
para alguma outra pessoa, de não ceder a falhas menores. A dificuldade é igual para as duas pessoas.
É relativo. Mas se a pessoa ceder, ela cria um carma, e precisa arcar com as conseqüências. Mas são
exatamente essas conseqüências, na forma de uma dificuldade ou falta de sorte, que irão um dia
fazê-la pensar sobre sua vida dura, mesmo que a princípio ela o faça com amargura e revolta. E
podem ser necessárias muitas vidas para obter o resultado. Um dia a pessoa precisa perguntar a si
mesma: “por que isso e aquilo acontecem comigo tantas vezes? Será que a causa sou eu mesma, e eu
não estou à mercê do destino?”

Com isso, ela dá o primeiro passo em direção do autoconhecimento e da auto-ajuda, que a


levarão para mais perto da felicidade. Assim, seja mais depressa ou mais lentamente, o objetivo será
atingido. As leis foram feitas com grande sabedoria. Você entende isso?

PERGUNTA: Sim, mas isso leva um tempo longo, imprevisível.


Palestra do Guia Pathwork No. 7 (Palestra Não Editada)
Página 13 de 13

RESPOSTA: Para você, mas você não deveria sempre querer ver o objetivo final. Isso só iria
desencorajá-lo. Você já pode receber tantas coisas bonitas enquanto sobe a escada, e sua felicidade
será cada vez maior antes de atingir seu objetivo.

Meus queridos amigos agora vou me retirar para meu mundo. Digo a cada um de vocês e a
todos meus amigos de além-mar: continuem fortes no seu caminho. Tudo está bem, sua vida ficará
cada vez melhor. Ninguém está sozinho, todos vocês são abençoados por Deus e seu mundo. Deus
os abençoe!

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por escrito da Fundação. A
Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida, de acordo com a Política
de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem
ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork Foundation tenham concordado
em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de transformação pessoal reconhecidos
pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® Foundation
PO Box 6010, Charlottesville, VA 22906-6010, USA - Visite: www.pathwork.org
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Rua Roquete Pinto, 401 - 05515-010 São Paulo, SP - Tel: (11) 3721-0231- pathworksp@pathwork.com.br - www.pathworksp.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter). ACM 2501, Ed. Prof. Center sala 412, Candeal - 40288-900 Salvador - Telefax (71) 3353-7091 - pathworkbahia@yahoo.com.br –
www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília - Goiás (Chapter)
S.T.N. Centro Clínico Life Center, sala 113 - 70630-000 Brasília, DF - Tel: (61) 3340-5253 - eloisaprata@brturbo.com.br
Pathwork® Ceará (Chapter)
Rua Joaquim Ferreira, 911 - 60832790 Fortaleza - Tel.(85)34768142 cel- (85)88730027– karinebb@uol.com.br
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Rua Santa Catarina 1630 - Pilotis e sala 102 Bairro de Lourdes - 30170-081 Belo Horizonte, MG - Tel: (31) 3335-8457 - rnlac@terra.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Rua Josias Lopes Braga, 497, Bairro Bancários - 58000-000 João Pessoa, PA - Tel: 083 3235-5188 / 9967-8303 / 3224-2362 - claubetenobrega@terra.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro Espírito Santo(Chapter)
Rua Duque Estrada, 57/102 Gávea - 22451-090 Rio de Janeiro, RJ - Tel: (21) 2529-2322 / 82244333 - Fax: (21) 2113-0941 - gmdell@globo.com -
www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Av. Iguaçu, 485, cj. 401 - 09047-430 Porto Alegre, RS - Tel: (51) 3331-8293- renatemullercaminha@terra.com.br. www.pathworksul.com.br
Palestra do Guia Pathwork nº 8
Palestra Não Editada
1 de julho de 1957

MEDIUNIDADE – COMO ENTRAR EM CONTATO COM O MUNDO ESPIRITUAL DE


DEUS

Saudações, eu lhes trago as bênçãos de Deus. Meus queridos amigos, na minha última palestra
eu falei sobre atravessar a primeira porta no caminho da perfeição, sobre essa decisão, a entrega
incondicionalmente! E a necessidade de superar as dificuldades. Desde essa última palestra, eu
observei meus amigos, e para nós do mundo espiritual de Deus é uma grande alegria ver que esse
primeiro passo foi dado, que essa decisão foi tomada. Hoje, eu vou dizer algumas palavras sobre o
que acontece daí em diante. Mas eu também quero dizer que nós também vemos quando os amigos
que ouvem ou lêem essas palavras, as colocam de lado, achando que não lhes dizem respeito, e nem
tentam considerar a tomada dessa decisão. Isso também fica inscrito na alma, e cada um tem que
arcar com as conseqüências.

Também há muitos amigos que acreditam que já estão nesse caminho há muito tempo, porque
rezam de vez em quando, porque se esforçam para serem seres humanos decentes. Eu não estava
absolutamente falando sobre isso. Essa decisão é muito mais. Eu quero dizer a esses amigos, não
somente para os que estão presentes, que reflitam sobre onde vocês estão! Reflitam sobre a
possibilidade de ainda não estarem no ponto onde querem acreditar que estão. Mas quem tiver
tomado a decisão e se colocar completamente nas mãos de Deus, sentirá o que está acontecendo por
dentro. A princípio, haverá um grande alívio e uma alegria interna que irão dominá-lo por um certo
tempo. Mas nem sempre esse sentimento maravilhoso irá permanecer. Existe um perigo de que o
homem de alguma forma pense, talvez não diretamente através de pensamentos ou sentimentos
específicos, que quando seus problemas e os estados de espírito e as coisas desagradáveis retornam,
isso não ajuda muito. Não, isso não é verdade!

Vocês estão no princípio, depois de terem passado pela primeira porta. Eu disse muitas vezes
como então o trabalho começará, no que consistirá. Não se tornem menos ativos, mantenham seus
esforços no seu trabalho espiritual. Esse deve ser o preço. Hoje eu não irei discutir esse assunto em
profundidade, porque eu já falei suficientemente no passado sobre o que fazer para trilhar esse
caminho de perfeição, de alegria e de liberação. Hoje eu farei um resumo – eu ainda não falei muito
sobre isso – de qual beleza pode ser esperada. Vocês sabem sobre a parte difícil; vocês sabem que
isso implica tomar e manter as resoluções, mesmo que às vezes pareça difícil, nunca diminuir a
velocidade, sempre se superar achando tempo e renovando continuamente a força de vontade.
Dessa maneira, com o passar do tempo, a beleza e a recompensa vão ser mais e mais sentidas. Elas
penetrarão aos poucos, não através de uma experiência súbita.

Quando o mundo espiritual de Deus observa que um ser humano toma essa decisão com
verdadeira sinceridade, que não foi só uma resolução, mas que ele faz um esforço completo e
verdadeiro para progredir e para concretizar as resoluções, apesar dos contratempos inevitáveis e de
fracassos ocasionais, então ele irá, a princípio, receber uma maior ajuda espiritual. Essa também é

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 8 (Palestra Não Editada)
Página 2 de 12

uma lei espiritual. Um ser humano que trilha esse caminho de luz precisa de ajuda espiritual diferente
daquele que não trilha esse caminho. Um espírito poderoso e mais alto adicional será designado, ou
haverá uma troca.

O espírito que até então guiou esse ser humano completou sua tarefa, realizou seu trabalho, e
fez esse ser humano passar com segurança pela porta. Agora esse espírito pode receber outra tarefa,
enquanto o ser humano irá receber uma proteção fortalecedora, e irá senti-la – a guiança e a
presença da proteção desse espírito mais poderoso, com certeza. É claro, isso já pode ter acontecido
antes de que tenha passado essa porta específica, porque a proteção espiritual fortalecedora pode ser
dada em várias ocasiões, progressivamente, na vida de um ser humano, sempre que ele tenha
passeado por um teste importante ou tomado uma decisão espiritual, antes ou depois de passar pela
porta. Existem várias encruzilhadas na vida humana. Com isso, quero dizer que se um de vocês já
sentiu claramente um desses aumentos de proteção espiritual, isso não é necessariamente um sinal de
que já passaram pela porta no caminho da perfeição. Vocês devem entender claramente o que esse
caminho realmente é. Ele é o trabalho intensivo e contínuo em seu próprio desenvolvimento, em
seu auto-conhecimento, aceitando pela primeira vez suas próprias imperfeições e absorvendo as leis
espirituais, que então são incorporadas a essas importantes correntes de sentimentos, à medida que o
tempo passa. Se não trabalharem diariamente dessa maneira, com ajuda e conselho de fora – por
enquanto, não podem prescindir disso -- vocês não estão neste caminho. Eu tenho que repetir isso
para certos amigos constantemente.

Além disso, se o homem fizer o esforço, ele irá estabelecer esse contato com o mundo
espiritual de Deus, e – esse é o ponto – ele irá receber um claro reconhecimento e percepção do
mundo espiritual de Deus, que mostram a ele seu caminho. Essas percepções então não serão mais
um fenômeno incoerente que pode acontecer de tempos em tempos, mesmo antes de se ter
atravessado a porta, mas eles são uma parte claramente compreensível do todo, cujas conexões,
sistema e ordem o homem compreenderá cada vez melhor. Ele então irá perceber mais claramente
como seu caminho espiritual deve continuar, como ele deve trabalhar, por onde começar em cada
caso, quais são as alternativas corretas aos problemas de sua vida, isto é, qual é a vontade de Deus, o
que o teste significa, que sentido e objetivo eles têm em um nível muito pessoal. Essa última parte é
muito importante, e constitui um ponto de virada na vida do homem, porque anteriormente esses
testes e as provações grandes ou pequenas não faziam sentido, o que torna a vida mais difícil. Agora
o véu foi levantado, e assim o homem pode eliminar as dificuldades com muito mais facilidade.
Além disso, o homem então também receberá ajuda nos problemas e dificuldades materiais, uma
ajuda que até então não tinha.

Eu posso lhes dizer, meus queridos, que o sentimento de felicidade, a alegria, a vitória, a
liberação interna após cada batalha ter sido vencida não podem ser comparados com nenhuma outra
coisa que o homem jamais possa vivenciar! E como meus ensinamentos visam a tornar o contato
com o mundo espiritual de Deus possível para cada um de vocês, vou agora dar conselhos
específicos sobre como ele deve ser iniciado. Se o homem realmente progredir, o contato será
estabelecido. Uma pessoa ouvirá, outra verá, outra ainda sentirá, ou de várias outras formas. Existem
várias maneiras diferentes pelas quais esse contato pode se dar.

Como vocês sabem, também existem seres humanos que nasceram com esse “dom”, mesmo
antes de terem trilhado esse caminho. É o que vocês chamam de mediunidade. E se um ser humano
tem essa força inata – eu nem quero dizer “é abençoado com ela ” -, isso pode ser um grande teste.
Palestra do Guia Pathwork No. 8 (Palestra Não Editada)
Página 3 de 12

Porque se uma pessoa tem essas experiências espirituais, devido a esta força inata, não sabendo o
que ela é, é um grande peso para ele, um teste. O mundo espiritual de Deus quer dizer que esse é um
indicador para ele, para que ganhe um maior acesso à realidade Divina e ao Seu mundo espiritual, e
portanto para esse caminho da perfeição. Mas freqüentemente o homem não entende, e fica parado,
com a cabeça enterrada na areia. E quanto mais estas forças operam e as manifestações aparecem,
mais infeliz ele se sente, porque quanto mais obstinadas suas atitudes, mais as forças inferiores irão
usá-lo – uma conseqüência da lei. Essa é uma possibilidade.

A segunda possibilidade é que um ser humano tenha conhecimento dessas coisas, e assim use
sua capacidade mediúnica, por assim dizer, em um nível completamente exterior, sem trilhar o
caminho da perfeição. Esse contato, como no primeiro caso, também é um perigo para o médium,
bem como para aqueles que participam. Se, no entanto, um ser humano, antes que tal contato tenha
sido estabelecido, trilha o caminho da perfeição, do desenvolvimento, do autoconhecimento, da
disciplina, da humildade, e atravessa a primeira porta, e se ele quer fazer contato a princípio somente
com esse objetivo, então sua capacidade mediúnica se desenvolverá de forma maravilhosa. É claro
que isso também seria verdade nos primeiros dois casos, se o homem trilhasse o caminho da
perfeição.

E então não haverá testes de um determinado tipo, como acontece com o médium que
acredita ser capaz de ajudar aos outros sem trilhar este caminho. Esse médium deve passar por
provas bem específicas, grandes testes de um certo tipo. Eu não posso entrar em detalhes agora.
Esse contato deve ter somente um objetivo: desenvolvimento ascendente. Quando isso for
reconhecido, a ajuda será dada. E somente então o homem pode ajudar aos outros, ou os outros
podem ser ajudados através dele. Eu vou voltar mais tarde para a questão que um de nossos amigos
pretende levantar, e que se encaixa no assunto.

Quando o homem atingiu o ponto no qual receberá respostas às questões concernentes a seu
desenvolvimento, então sua fé será imensamente fortalecida. A fé, que, antes disso, ainda era
inconstante, não será mais. Agora vocês vão perguntar: “como eu devo começar isso? O que eu
devo fazer primeiro neste caminho? O que eu devo perguntar?” Eu digo que isso, a forma de
começar, é diferente para cada pessoa. Pode haver um problema espiritual que bloqueia o caminho,
e que deve ser removido em primeiro lugar, alguma coisa com relação à qual o homem tem um
preconceito rígido, e não está disposto a ouvir os outros. Nesse caso, ele deve considerar esse
problema e pedir ajuda a esse respeito. Mas ele só irá receber uma resposta quando estiver
suficientemente aberto para dizer a si mesmo, “eu estou pronto, se esta é a verdade de Deus, para
aceitar essa resposta a que eu venho resistindo até agora”. Essa abertura precisa existir sempre, com
certeza. E pode ser necessário trabalho, força de vontade, tempo para atingir esse estado de espírito.

Vocês também podem começar a pensar o seguinte: “onde estão minhas imperfeições? Onde
estão minhas falhas? Qual é o pior defeito, que mais dificulta meu progresso? Quais são as falhas
que eu já reconheci até agora, mas de cujas conseqüências e extensão eu ainda não me dei conta? E
quais falhas meus amigos e meus inimigos atribuem a mim? E quanto aos últimos?” Pensem sobre
esses pontos. Muitas vezes vocês dirão, “isso não é justo, não é verdade que eu tenha essa falha”, e
talvez tenham razão. Mas pode e deve existir um pouco de verdade nisso, mesmo que seja de uma
forma diferente do que lhes disseram e do modo como receberam isso. Meditem sobre isso com
muita honestidade, e com um desejo total de conhecer a verdade. Quanto mais resistência sentirem,
mais verdade deve haver nisso! Meus queridos, lá vocês encontrarão o cerne da verdade, nessas
Palestra do Guia Pathwork No. 8 (Palestra Não Editada)
Página 4 de 12

falhas que os outros dizem que vocês têm, mas que vocês não conseguem ver ou admitir. Anotem
essas falhas em um papel de forma que estando preto no branco, não vão se esquecer. Isso ajuda
muito.

Com isso, dirijam-se a seus amigos espirituais pessoais, abram-se para receber uma resposta,
maior compreensão e conexões. Se realmente quiserem receber a resposta-verdade, e se abrirem o
suficiente para também estarem dispostos a ouvir o que pode não ser agradável, e se disserem: “Pai,
seja feita Tua vontade, eu quero a verdade sobre mim mesmo, eu não quero fugir de forma covarde,
vaidosa e com auto piedade”, então receberão a verdade. A felicidade será muito maior quando a
verdade interior de uma pessoa é reconhecida, a verdade a que vocês a princípio resistiram, porque
isso será uma maior confirmação para vocês do que uma resposta agradável, porque essa resposta
agradável pode levá-los a dizer: “isso pode ser meu próprio desejo. Eu ouço o que quero ouvir, e o
contato pode ser só minha imaginação.” Mas se percebem alguma coisa a que resistiram
anteriormente, meus queridos, então irão sentir claramente, com a presença de seus amigos
espirituais, aquele outro mundo do qual duvidam tanto, o mundo que não podem ver ou tocar. Isso
estabilizará sua fé inconstante. É a primeira resposta de Deus, que só pode ser dada quando o
homem está disposto e dá o primeiro passo em direção à disciplina.

A recompensa é grande porque a estabilidade e a segurança que vêm do fato de que vocês
recebem respostas pessoais e de que conhecem a realidade do mundo espiritual de Deus através de
sua própria experiência, por sua própria iluminação, através de seus próprios sentimentos, não pode
ser substituída por qualquer palavra que ouvem ou lêem. Essas palavras exteriores são necessárias;
elas podem ser o empurrão para que façam o que é necessário. Esse deveria ser o começo de seu
caminho. E então perceberão, todos os dias, coisas que acontecem, detalhes. E quando pensarem
nelas sob este ponto de vista, e novamente pedirem a seus amigos espirituais: “ajudem-me a
reconhecer a verdade; qual é o sentido e o propósito dessa experiência; onde isso se encaixa em meu
caminho de desenvolvimento?”, novamente receberão respostas. Eu tenho que alertá-los de que
vocês têm que repetir cada vez que se abrem, e não mecanicamente como uma rotina, que vocês
também querem ouvir o que é desagradável, e reunir força suficiente para agüentar isso. Não é o
suficiente fazer isso só uma vez, porque a verdade não pode penetrar enquanto a porta estiver
fechada – e ela está fechada a menos que vocês se preparem, cada vez, para aceitar o que é
inconveniente e desagradável, o que quer que a verdade possa revelar.

Novamente vocês receberão a resposta, seja através do reconhecimento, ou do conhecimento


interior, ou de alguém que seja inspirado, poucos dias depois, a dar-lhes uma resposta. Isso acontece
freqüentemente; o mundo espiritual de Deus também trabalha dessa maneira. Isso significa,
“mantenham seus olhos e ouvidos abertos a esse respeito”. Essa resposta pode estar relacionada a
um pequeno teste secundário (também pode ser um teste importante). Algumas vezes isso significa
que vocês terão de aprender a ter a humildade e a modéstia para ouvir alguma coisa de outra pessoa,
ou pelo menos estarem dispostos a ouvir. Se passarem nesse teste, haverá também uma iluminação
maravilhosa do profundo reconhecimento da realidade espiritual, da mesma forma que acontece
quando a resposta é dada de maneira direta. Tudo isso deixará de ser só palavras para vocês, mas o
sistema maravilhoso de orientação desse caminho será sentido com mais clareza à medida que o
tempo passa. Esse é o segundo passo, meus queridos, que deve ser dado.

E eu quero dizer, quem quer que continue neste caminho e assim consiga uma certa
estabilidade, um dia será levado a sentir o desejo de dar algo a Deus em troca. A princípio vocês
Palestra do Guia Pathwork No. 8 (Palestra Não Editada)
Página 5 de 12

podem ter a impressão de que se espera um sacrifício: sacrifício de tempo, de disciplina, de decisão
que pode não ser difícil cada vez, sacrifício de superar o que é tão difícil, etc. Por enquanto, vocês só
vêem o fardo, o preço que têm que pagar e o que têm que dar, enquanto a felicidade resultante é
somente uma palavra que ainda não conhecem. Mas se estiverem dispostos e começar a pagar o
preço, logo perceberão que irão receber cem vezes mais do que deram. É claro, eu sei que essas são
só palavras para aqueles amigos que ainda não foram tão longe. Mas lembrem-se dessas palavras,
vocês verão que elas se tornarão verdade. Nesse momento, estarão prontos para oferecer seus
serviços a Deus, para ajudar em Seu grande plano. Também nesse aspecto tudo que vocês precisam
ter é disposição; deixem para Deus o “como”. Cada um será orientado quanto à melhor forma de
contribuir. E mais uma vez vocês vão ver que a disposição em ajudar e servir, depois de
concretizada, já não constitui um sacrifício pessoal, tornando-se ao contrário a maior alegria pessoal
que vocês podem imaginar.

Para dois amigos aqui, eu vejo tarefas e serviços muito específicos. Você, meu amigo, terá a
capacidade de formar médiuns dessa maneira. Você vai possibilitar que os médiuns estabeleçam
contato com o mundo espiritual de Deus, e ensinar a eles os requisitos, as condições, e os efeitos das
leis. Mais e mais pessoas mediúnicas serão levadas até você, e já foram levadas até você, ou vice-
versa. Você será capaz de ajudar muitos a elevar o nível de seus serviços, e a trabalhar no plano da
salvação. Você tem uma tarefa magnífica à sua espera, mas algumas coisas ainda têm que ser
cumpridas.

Nesse contexto, eu quero dizer que o bem que já foi criado por certos médiuns para
convencer certos círculos da realidade do mundo espiritual, não será de maneira alguma diminuído
pelo contato com o mundo espiritual de Deus. Ao contrário, isso traz os espíritos para mais perto da
Terra, porque esse tipo de prova, como querem os seres humanos céticos, também pode ser dada,
mesmo que de uma maneira diferente, pelo mundo espiritual de Deus com outras condições, e o
homem tem que aceitar que não pode escolher como a prova será dada.

Quando o homem está disposto a esperar e ser paciente – e isso pode ser explicado aos
céticos - a prova que é dada pelo mundo espiritual de Deus, espíritos unidos nos lugares mais altos, é
incomparavelmente mais efetiva e mais duradoura do que a prova que é dada por espíritos menos
evoluídos que podem ser muito impressionantes no momento, mas cuja força se dispersa. Em
muitos lugares, se acredita que os céticos só podem ser convencidos quando são invocados os
espíritos que ainda estão mais perto da terra e que, à sua maneira, fascinam. Não deve ser assim. A
ciência, também, poderia ganhar mais se o homem não impusesse suas condições aos espíritos, mas
aceitasse as condições do mundo espiritual, o que não é assim tão difícil. O homem só precisa ser
esclarecido sobre a diversidade de condições e sobre as leis espirituais e como funcionam.

Para você, meu outro amigo, vejo outra tarefa. Eu vejo que a tarefa que o espera é que você, a
princípio bem devagar, irá perceber a aura dos homens. No começo, isso pode se manifestar apenas
de vez em quando e pode ser meio nebuloso, somente um pedaço de um quadro. Mas depois que
você cultivar essa capacidade, cuidar dela, deduzir alguma coisa a partir dessas percepções, ao invés
de descartá-las, esse dom irá se desenvolver. Você não só verá as várias cores da aura, mas também
alguns esboços de formas , porque a aura do homem é formada de várias maneiras e esses sinais
podem ser parcialmente vistos pelos outros. Assim, a aura pode revelar doença ou tendências da
alma, ou pensamentos não verbalizados. Mas tudo isso tem que ser aprendido e você vai receber
ajuda, meu amigo.
Palestra do Guia Pathwork No. 8 (Palestra Não Editada)
Página 6 de 12

Agora você vai perguntar, com razão, com qual objetivo? Nada é dado que não tenha um
objetivo. O objetivo é que você pode receber, mais tarde, forças de cura física. Quando chegar esse
momento e você perceber a aura de uma pessoa, poderá detectar nela a marca da doença, e saber o
que esta doença é. Você também irá receber a força curativa para curá-la. Sim, essa tarefa magnífica
pode ser sua. Eu diria que Deus em Sua sabedoria é tão maravilhoso, que isso não só traria grande
felicidade, mas também de maneira alguma iria prejudicar a realização de suas tarefas terrenas.
Confiem e se deixem guiar; deixem na mão de Deus. Eu lhes peço, aprendam de todas as formas:
“quando devo deixar-me guiar? Quando devo agir por mim mesmo?” Vocês também podem
perguntar isso a seu amigo espiritual pessoal.

Essas duas mensagens foram dadas a mim; me permitiram transmiti-las. Outras mensagens
como essas serão dadas, por mim ou por contato pessoal. E aqueles que não receberam uma palavra
pessoal não devem pensar “porque não eu?” Tudo tem uma boa razão para ser como é. Confiem em
mim também nesse aspecto, mesmo que nem sempre vocês entendam os motivos. Mas, todos
vocês, procurem estabelecer esse contato com o mundo espiritual. Ele é possível para cada ser
humano, para todos! Ou vocês acham que Deus criou esse contato somente para alguns seres
humanos? Não! O impulso e o objetivo do consciente e do inconsciente do homem são com
certeza, em seu conjunto, penetrar a densidade da matéria. Qual é seu progresso técnico? Reflitam
sobre isso. Na verdade não é nada mais do que superar a matéria. Cada avanço tecnológico nada
mais é que a superação da matéria, que é um obstáculo para vocês – só que a técnica usa forças
externas e o homem no caminho usa forças internas. Essa é a diferença. Mas as forças internas são
incomparavelmente mais eficazes.

E agora eu vou responder suas perguntas, o melhor que puder.

PERGUNTA: Eu gostaria de perguntar por que no nosso tempo se tornou tão difícil
estabelecer o contato com o mundo espiritual de Deus?

RESPOSTA: O contato com o mundo espiritual em geral não foi dificultado, mas o homem o
evita. Ele o evita através de sua atitude como um todo. A maioria dos seres humanos não acredita
nisso. Eles não estão abertos para isso, e as forças mediúnicas que estão inativas em muitos seres
humanos, que poderiam ser usadas para isso, permanecem latentes. Mas talvez você esteja se
referindo não só ao contato com o outro mundo, mas mais especificamente com o mundo espiritual
de Deus. E esse contato sempre foi mais difícil de ser estabelecido porque é auto-evidente que o
tesouro mais precioso que o homem jamais poderia obter não pode ser concedido assim, facilmente,
sem que se lute por ele, de imediato. É claro, o mundo espiritual de Deus precisa submeter o
médium a muitos testes para verificar se ele/ela é digno e capaz. Esse médium não só deve ser
moralmente irrepreensível, adotar os princípios mais elevados, mas também ter uma alma livre e
tranqüila. Ainda existe um bom número de seres humanos que preenchem o primeiro requisito,
homens que são bons e têm boa vontade para ajudar aos outros, e até estão dispostos a trilhar este
caminho de perfeição. Mas existem muitos, muitos que não vão até o fim, que ficam presos em
algum lugar no caminho, por causa de alguma falha que não é reconhecida e, portanto, não pode ser
superada.

Para um médium que já atingiu uma certa fase e algum sucesso, é uma tentação muito grande
acabar se tornando um tanto orgulhoso, incapaz de dominar, de subjugar o orgulho. Total
Palestra do Guia Pathwork No. 8 (Palestra Não Editada)
Página 7 de 12

humildade também é um dos pré-requisitos. Como vai ser difícil para um médium não se identificar
com o espírito que se manifesta, passando a julgar-se superior aos outros! Por isso há muitos, ou um
bom número, que alcançam com sucesso um certo ponto, e depois estacionam. Como eu disse na
palestra de hoje, ninguém que não esteja enraizado nesse caminho da perfeição da maneira mais
ativa consegue ajudar aos outros. Observem todos os médiuns que conhecem a partir desse ponto
de vista. A maioria deles dirá que oram, que se esforçam para serem seres humanos decentes, mas
não se desenvolvem continuamente no sentido que é necessário. Eles não curam as correntes
doentias da alma, que, em maior ou menor grau, estão presentes em todos os seres humanos, porque
cada movimento emocional inconsciente e não reconhecido, cada erro que não se luta para corrigir,
cada preconceito, é um bloqueio que o mundo espiritual de Deus tem que ultrapassar. Não se trata
de “não ser permitido” porque o ser humano não seria merecedor; não, o canal simplesmente não
está limpo o suficiente.

Qualquer coisa que não seja reconhecida no homem e que está em desacordo com as leis
espirituais é como um bloqueio que nós não conseguimos penetrar. Toda opinião obstinada é um
desses bloqueios. Nós não conseguimos entrar com a verdade quando o homem não está aberto
para ela, de uma maneira que o oposto da opinião do homem, se for a verdade, possa então também
penetrar. Eu nem estou falando do pré-requisito básico de que um médium deve subordinar seu
dom à vontade de Deus, sem solicitar qualquer vantagem pessoal, de natureza material ou espiritual.

Assim, dificilmente existe um instrumento perfeito e sem falhas, porque mesmo um ser
humano que preencha os requisitos da melhor forma possível se aparta da lei em algum aspecto,
mesmo que só em um detalhe, e aí então existe um bloqueio para nós. É muito difícil esclarecer isso
para vocês, porque tudo que é espiritual – os movimentos, os sentimentos, os pensamentos – são
como o ar para vocês, mas para nós eles são formas sólidas, e algumas vezes, portanto, paredes,
paredes feitas de granito. Se, no entanto, um médium preenche em grande parte os requisitos, se
continua a se desenvolver, sem pensar que o objetivo foi atingido - isso não é possível - , então esses
bloqueios menores não são importantes. Nós podemos construir, por assim dizer, em torno disso.
Isso também pode ser usado como um teste para seres humanos. Cada teste, caso a pessoa seja
aprovada, significa um agente curativo para a alma. Quando um certo nível é atingido, esses
bloqueios menores, devido à imperfeição que o médium ainda tem, nunca impedirão os seres
humanos – nem o médium nem os participantes – de chegar à verdade para conseguir a perfeição.
Esse é o único objetivo do mundo espiritual de Deus, a única razão pela qual tal contato pode e
deve existir.

PERGUNTA: As várias filosofias religiosas fazem diferenciações entre o dualismo e o


monismo. O dualismo é um nível que leva ao monismo, e o monismo é a real verdade?

RESPOSTA: Você pode chamar isso de um nível, como você disse. Mas é muito difícil
explicar isso, não só porque não é fácil para vocês compreenderem, mas também pela seguinte
razão. Eu lhes digo de forma absolutamente honesta que não consigo atravessar esta médium, no
que diz respeito a essa questão. O caso é o seguinte. Ela está relaxada o suficiente para que eu possa
dizer essas palavras. Mas seu desenvolvimento ainda não atingiu o ponto que me permita dar essa
explicação. Eu vou poder responder a essa questão talvez daqui a alguns meses, talvez daqui a alguns
anos, talvez dentro de um prazo mais curto, isso eu não sei agora. Quando ela tiver progredido o
suficiente para que esse bloqueio desapareça.
Palestra do Guia Pathwork No. 8 (Palestra Não Editada)
Página 8 de 12

PERGUNTA: Então, de certa forma, depende muito do médium?

RESPOSTA: Não, porque quando o contato com o mundo espiritual de Deus é estabelecido,
esse mundo sempre fará com que, apesar da imperfeição daqueles que usam esse contato, seja dado
sempre o que é bom para eles, e o que fomenta o progresso deles, o que os leva para mais perto de
Deus e do contentamento. Como eu disse antes, nós podemos construir em torno dos bloqueios.
Portanto, a cada um será dado o que é necessário para atingir o máximo de que ele é capaz. Do que
mais vocês precisam? Que outra coisa deveria ser o objetivo de contato como esse? Vocês podem
adquirir o conhecimento para serem capazes de discriminar se um espírito do mundo de Deus das
esferas mais altas, capaz de ajudar e ensinar vocês, se revela ou não. Todo o resto são detalhes. Um
espírito do mundo de Deus sempre irá instar a todos para que estabeleçam logo que possível um
contato com o mundo espiritual de Deus. Ele vai ajudar a conseguir esse contato e dará os
conselhos pertinentes.

É claro, no começo da mediunidade, durante a fase de testes, de vez em quando serão feitas
afirmações inverídicas, por causa dos bloqueios. Isso realmente não importa, meus amigos, porque
todos que, com boa vontade, estão prestes a progredir, sempre buscarão dentro de si, através de
meditação profunda, se uma mensagem pessoal coincide e o que pode ser aprendido com ela, etc.
Simplesmente se atenham às condições básicas que são ensinadas em todas as filosofias religiosas –
satisfazer a vontade de Deus, eliminar os erros, trabalhar no auto conhecimento, etc. No que
concerne às questões grandes, gerais, referentes à criação, aqueles que estão no caminho correto,
mesmo quando ainda não estão seguros, ou quando o médium ainda não avançou o suficiente de
forma que tenhamos que dizer “ nessa questão, a verdade ainda não consegue atravessar”, podem
dizer a si mesmos que não é tão importante conhecer todas essas respostas. Eles serão capazes de
esperar humildemente até que o reconhecimento venha, quando for merecido, quando não houver
mais dúvida nessas áreas. Eles simplesmente seguirão o que está escrito em sua Bíblia: “observe
tudo, e conserve o que for bom”.

Aí então o homem saberá o que aceitar, porque é obviamente a vontade de Deus, e quando
ser cauteloso ao aceitar, pelo menos ponderando com uma atitude de paciência e humildade, em vez
de querer saber tudo apressadamente, de uma vez só. Se a atitude do homem for perfeita, ele não
depende de um médium ou de um espírito per si. Portanto, não fará nenhum mal a ele quando um
médium ainda estiver em formação e em uma fase de transição. Isso depende grandemente do ser
humano, do grau de abertura que ele tem, se ele tende a juntar tudo em um mesmo saco, até que
ponto ele usa o senso comum, até que ponto ele é humilde. Também é falta de humildade esperar
que vocês, seres humanos, mereçam “sem mais nem menos”, uma resposta imediata às questões
mais elaboradas sobre a criação, sobre Deus, etc., estabelecer contato com o mundo espiritual de
Deus imediatamente, sem passar pelos testes e provar que são merecedores.

Isso não se aplica somente ao médium, mas também aos que participam. Pode ser um teste
para um dos participantes o fato de ele rejeitar algo que não lhe convém, pensando que tudo que eu
disse aqui pode se aplicar simplesmente onde ele tem um ponto dolorido, oculto. Mesmo que nem
sempre ele sinta imediatamente a confirmação interior, ele deve, principalmente com respeito aos
aspectos que lhe causam incômodo pessoal, tomar muito cuidado com a rejeição e pedir
repetidamente a Deus para entender a verdade. Depois de perceber isso, pode acontecer que ele
também perceba a verdade naquelas palavras que ele não quer aceitar. E novamente, depois dessa
admissão, ele irá sentir grande alegria.
Palestra do Guia Pathwork No. 8 (Palestra Não Editada)
Página 9 de 12

Todas as questões pessoais deveriam ser tratadas dessa maneira, enquanto a atitude a respeito
das questões gerais deveria ser humilde e paciente. Todo o conhecimento nessa área é uma graça,
que cada um deve fazer por merecer. Depois que o médium e os participantes tiverem passado nos
testes – todo mundo é capaz, se fizerem esforço - ,mais e mais poderá ser revelado, à medida que o
tempo passa. E no que concerne às questões gerais, grande parte está além da capacidade de
compreensão do homem, de qualquer forma. Vocês – eu não me refiro somente aos que estão
presentes, mas falo de maneira geral -, têm tantos, tantos conceitos errados per si, mesmo sobre
coisas a respeito das quais a informação está disponível no seu mundo, e sobre as quais não
precisam de um espírito para iluminá-los.

Portanto, o fato de vocês compreenderem um pouco mais ou um pouco menos sobre as


grandes questões da criação, ou se de alguma forma têm idéias erradas ou não sobre isso – como
acontece até com questões puramente terrenas - , não importa tanto quanto o fato de
desenvolverem a espiritualidade e aceitarem os conselhos de espíritos que, de toda forma, são
necessariamente corretos. Se vocês tiverem essa atitude, receberão cada vez mais confirmações e
provas que irão fortalecer sua confiança no contato com o mundo espiritual de Deus, seja de forma
pessoal ou através de um médium. Eu quero lhes explicar que essa ligação é sólida, e isso pode ser
reconhecido pelo fato de que existe relaxamento interno suficiente, e nenhuma vaidade na médium,
o que possibilitou a transmissão dessas explicações. Se vocês testarem todos os médiuns – mesmo a
esse respeito, os médiuns deveriam ser testados - , vão verificar que muitas vezes o médium não está
tão relaxado como nesse caso. Só isso deveria ser uma prova da confiabilidade do contato e de que
forma boa ela está.

Mas voltando à pergunta do nosso amigo, a única afirmação que eu posso fazer por enquanto
é, ambos são verdadeiros. Deus é personalidade e forma (gestalt), e essa unidade também é
verdadeira. Eu não posso transmitir mais agora.

PERGUNTA: O que eu gostaria de perguntar é difícil e a pergunta pode parecer muito boba.
Eu tenho esse problema constantemente. Sempre que se fala do plano de Deus para nossa salvação,
essa pergunta volta à minha mente. Se nós nos afastamos de Deus ao enveredarmos por um
caminho errado, não o caminho de Deus mas outro, por que Deus fez Seu plano de salvação tão
complicado e tão terrivelmente difícil para nós? Eu sei que é necessário para nosso desenvolvimento,
mas a coisa toda me parece difícil demais.

RESPOSTA: Só parece ser difícil demais para você.. Quando essas dificuldades existem, é
apenas porque o ser individual não conseguiu agir de outra forma. E outras maneiras foram tentadas,
meu querido amigo, antes da terra, como é agora, ter sido criada, mas descobriu-se que não
funcionava. Portanto, Deus criou essas condições. Infelizmente, só funciona através da dor, do
sofrimento. Outras maneiras foram tentadas. Para você em particular, eu gostaria de dizer que tente
aplicar as palavras que eu disse no começo, hoje. Porque se você tiver estabelecido contato com o
mundo de Deus dessa forma, será fortalecido. Você entenderá o que essas palavras significam: a
graça da fé.

Ela pode ser dada a vocês quando satisfazem os requisitos. Estudem essas palavras que eu
disse sobre isso. E certamente receberão a resposta, dessa maneira. Alguma coisa está acontecendo
dentro de vocês, assim como com muitos outros seres humanos, porque o homem diz “Deus deve
Palestra do Guia Pathwork No. 8 (Palestra Não Editada)
Página 10 de 12

provar sua justiça para mim, aí então eu estou disposto a reconhecê-Lo.” Meus queridos, vocês
compreenderão como essa atitude é tola quando tiverem adquirido o conhecimento, porque esse é
um pensamento e um sentimento tão errado. O homem deve pressupor que é mais provável que ele
seja imperfeito, não Deus e sua criação. Não entendam isso como uma reprimenda. Acontece o
mesmo com muitos seres humanos, a mesma obstinação que levou à queda original, e também um
erro simples de raciocínio, de pensamento correto. É necessária uma revisão do pensamento.

Considerem a criação, que só conseguem ver e, em parte, compreender. Vejam como tudo é
feito de forma maravilhosa, os menores detalhes daquela parte da criação que conseguem ver.
Pensem por que Deus precisaria provar a vocês seu imenso amor e justiça para então vocês
permitirem que Ele entrasse em seus corações. Deveria ser o contrário. Vocês entendem?

PERGUNTA: Sim, mas muitas vezes é tão difícil enxergar a vontade de Deus. Eu gostaria de
fazê-lo, mas eu não sei por qual caminho tenho que ir.

RESPOSTA: Isso é, por exemplo, o que você deveria ganhar com esse contato. Se você deseja
esse contato só por esse motivo, para reconhecer a vontade de Deus, você receberá a resposta. Bata
e a porta se abrirá. Sim, se você está cheio de desejo de fazer a vontade de Deus, receberá a resposta.
Mas, ah, você faz isso sempre pensando em outra saída, sempre com reservas. Você está disposto,
mas ao mesmo tempo, tem medo de que Deus possa solicitar alguma coisa que é desagradável para
você. É uma entrega com reservas, como eu expliquei em minha última palestra.

Uma entrega completa é “Deus, seja feita Tua vontade, mesmo que seja desagradável para
mim, e mesmo que eu não consiga entender agora, porque Tu és justiça, Tu és amor. Isso eu sei: é o
único gabarito que tenho; não tenho certeza de nada além disso.” É claro, esses pensamentos têm
que ser cultivados para que possam ser absorvidos pelas emoções. Você tem que refletir sobre isso
repetidamente, e construir essas formas-pensamentos. Então eles irão penetrar aos poucos em suas
emoções. Se você tem essa atitude, e pede pela vontade de Deus dessa maneira, sem pensar em outra
saída, receberá a resposta, todas as vezes. Está entendendo?

PERGUNTA: Como podem ser conciliados os interesses materiais e espirituais? Deus e os


bens materiais? Qual é o equilíbrio correto?

RESPOSTA: Quando o dinheiro, como todo o resto, é somente um meio para atingir um
objetivo, e não o objetivo em si, o equilíbrio está correto - quando você conscientemente visa não
ficar preso ao dinheiro, mas usá-lo como a um dos muitos presentes de Deus, como a saúde, o
talento ou outros, com agradecimento, sem estar preso ao que o dinheiro pode oferecer. Quando
você usa a falta de dificuldades financeiras para devotar mais de si mesmo ao progresso espiritual, o
equilíbrio está correto. Mas isso aparentemente é muito difícil para muitos seres humanos. Muitos
acham o caminho para Deus com mais facilidade quando têm problemas financeiros, enquanto uma
vida sem preocupações faz o homem se desviar do caminho espiritual. Isso não significa que é
necessário que o homem que possui bens se desfaça deles; quando ele é suficientemente forte, as
riquezas não o atrapalham. Ele pode ter alegrias quando resiste às tentações, que o dinheiro, mais
que qualquer outra coisa, traz. Mas, em princípio, isso é verdade para qualquer presente de Deus.
Somente um fanático diria que o homem tem que se desfazer de tudo e levar uma vida de pobreza
para progredir espiritualmente. Essa é uma tarefa ocasionalmente exigida de seres humanos, mas
esses casos são exceções.
Palestra do Guia Pathwork No. 8 (Palestra Não Editada)
Página 11 de 12

Nesses casos, esses seres humanos podem ter que dar um exemplo, para provar que estão
errados os que afirmam que não é tão difícil progredir espiritualmente quando não existem
preocupações materiais, e que é impossível se envolver em coisas espirituais quando o pão de cada
dia está em falta. Também pode acontecer de um espírito altamente desenvolvido receber essa tarefa
para sua vida terrestre. Ele então pelo reconhecimento através da meditação é levado a este saber.
Mas mais freqüentemente, é o caso de um ser humano que vive sem preocupações e que deve passar
por essa situação como um teste. Ele deve provar que, apesar das tentações materiais, ele trilha o
caminho para Deus, que ele não se deixa capturar por esse espírito que governa a matéria.

Não existem regras fixas para se determinar o justo meio termo ou linha divisória em todos os
detalhes, porque é preciso considerar as características humanas. Um ser humano que tende a ser
avarento precisa achar um equilíbrio diferente daquele que tende a ser esbanjador. Cada um tem que
encontrar o seu justo meio termo, e cada um irá encontrá-lo neste caminho.

PERGUNTA: Em outras palavras, a pobreza não é uma necessidade para quem quer
progredir espiritualmente, como muitos grupos acreditam?

RESPOSTA: Exatamente, a pobreza não é necessária; pode ser necessária em alguns casos,
mas não precisa ser em todos. Vários grupos fazem dessa atitude um princípio geral porque, como
eu já disse, o homem muitas vezes não passa no teste que o dinheiro traz per si, e assim encontra seu
caminho mais facilmente na pobreza. Mas essa linha não leva em consideração que o homem, ao
longo das suas encarnações, precisa provar que se mantém no caminho em todas as circunstâncias.

PERGUNTA: Eu vejo uma grande contradição entre o seguinte. A Bíblia diz que Deus criou
o homem à Sua imagem, e também fez dele o senhor da terra. Portanto, se eu tenho domínio sobre
a terra, certamente também tenho domínio de mim mesmo, da minha saúde, de tudo. Portanto, sou
capaz de começar comigo mesmo para me tornar senhor da terra, posteriormente. Portanto eu
deveria ser capaz, já que sou feito à imagem de Deus, de realmente criar tudo que quiser. Mas então
essa não é mais a vontade de Deus?

RESPOSTA: Mas você irá perceber nesse caminho qual é a vontade de Deus, e você quer isso.

PERGUNTA: Ao tentar estabelecer o contato com Deus?

RESPOSTA: Sim, você terá que ter essa ligação com o mundo de Deus nesse caminho. Ela
será fortalecida cada vez mais. Seus conhecimentos aumentarão. Você não só irá perceber qual é a
vontade de Deus através do que um espírito possa lhe dizer, mas também através do seu próprio
entendimento. Seu espírito irá se tornar mais esclarecido, verá mais, será mais forte. O centro de seu
espírito se desenvolve, se liberta das camadas que encobrem sua perfeição, e assim sabe qual é a
vontade de Deus, e não quer nada mais.

PERGUNTA: Mas esse é um longo caminho?

RESPOSTA: É o caminho do qual eu falo, que todos vocês podem trilhar, e que significa cada
vez mais contentamento, mais liberação de tudo que os aprisiona, na terra, emocionalmente e
espiritualmente.
Palestra do Guia Pathwork No. 8 (Palestra Não Editada)
Página 12 de 12

Meus queridos, isso basta por hoje. Reflitam sobre minhas palavras. Continuem em paz nesse
caminho. As bênçãos de Deus fluem através de vocês. Que elas possam arder em seu interior para
que vocês possam ir cada vez mais longe e obter mais e mais alegria e felicidade. Bênçãos As
bênçãos se derramam sobre todos meus amigos próximos e distantes.

Que Deus esteja com vocês!

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por escrito da Fundação. A
Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida, de acordo com a Política
de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem
ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork Foundation tenham concordado
em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de transformação pessoal reconhecidos
pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® Foundation
PO Box 6010, Charlottesville, VA 22906-6010, USA - Visite: www.pathwork.org
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Rua Roquete Pinto, 401 - 05515-010 São Paulo, SP - Tel: (11) 3721-0231- pathworksp@pathwork.com.br - www.pathworksp.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter). ACM 2501, Ed. Prof. Center sala 412, Candeal - 40288-900 Salvador - Telefax (71) 3353-7091 - pathworkbahia@yahoo.com.br –
www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília - Goiás (Chapter)
S.T.N. Centro Clínico Life Center, sala 113 - 70630-000 Brasília, DF - Tel: (61) 3340-5253 - eloisaprata@brturbo.com.br
Pathwork® Ceará (Chapter)
Rua Joaquim Ferreira, 911 - 60832790 Fortaleza - Tel.(85)34768142 cel- (85)88730027– karinebb@uol.com.br
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Rua Santa Catarina 1630 - Pilotis e sala 102 Bairro de Lourdes - 30170-081 Belo Horizonte, MG - Tel: (31) 3335-8457 - rnlac@terra.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Rua Josias Lopes Braga, 497, Bairro Bancários - 58000-000 João Pessoa, PA - Tel: 083 3235-5188 / 9967-8303 / 3224-2362 - claubetenobrega@terra.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro Espírito Santo(Chapter)
Rua Duque Estrada, 57/102 Gávea - 22451-090 Rio de Janeiro, RJ - Tel: (21) 2529-2322 / 82244333 - Fax: (21) 2113-0941 - gmdell@globo.com -
www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Av. Iguaçu, 485, cj. 401 - 09047-430 Porto Alegre, RS - Tel: (51) 3331-8293- renatemullercaminha@terra.com.br. www.pathworksul.com.br
Palestra do Guia Pathwork nº 9
Palestra Não Editada
15 de julho de 1975

PRECE E MEDITAÇÃO: O PAI NOSSO

Saudações, trago a vocês as bênçãos de Deus. Meus queridos amigos, hoje gostaria de falar
sobre prece e meditação. Qual é, na verdade, a diferença entre prece e meditação? Muitos seres
humanos não têm muita clareza a esse respeito. É claro que, como acontece com todas essas
palavras, é uma questão de chegar a um acordo sobre o conceito. Gostaria de diferenciá-los da
seguinte maneira.

A prece é o prelúdio da meditação. A prece envolve os pensamentos. A meditação é a prece


que envolve os sentimentos e as forças da alma, ao contrário das forças do pensamento. Para atingir
esse segundo passo, mais avançado, o homem precisa de uma certa disciplina e concentração, que
aprende através da prece. Muitos seres humanos não estão acostumados a trabalhar espiritualmente,
mas a meditação correta não pode ser feita sem que primeiro se aprenda o primeiro passo, a
concentração.

Quando o homem atravessa a primeira porta, ele precisa entender que não se consegue obter
nada sem disciplina, trabalho constante e a vontade firme de dedicar um determinado intervalo de
tempo diariamente para buscar Deus, de modo que as forças da alma, inativas e ocultas, possam ser
liberadas e ligadas aos raios da divina energia. E isso só pode ser feito mediante regularidade e
autodisciplina, diariamente se possível, aconteça o que acontecer! Na verdade não existem regras
fixas, válidas para todos sem exceção. Existem seres humanos que trabalham melhor de uma
maneira espontânea, mas apenas nos casos em que, apesar da espontaneidade, não se pule nenhum
dia, mesmo que a hora e o local variem. Como norma, a regularidade é favorável.

A princípio, o homem tem dificuldade em concentrar-se. Meus amigos sabem por experiência
própria que muitas vezes os pensamentos divagam, que alguma coisa material, terrena, se intromete.
Então eles entram em pânico, ficam desanimados e não conseguem reencontrar o fio da meada. Eu
já disse muitas vezes que é importante não se deixar perturbar por essas “interrupções”, não ficar
confuso ou desconcertado, em outras palavras, não esperar demais imediatamente, mas sim retomar
o fio tranqüilamente. Depois de algum tempo, a pessoa conseguirá continuidade e concentração.
Isso é a prece. Vocês, seres humanos, esquecem-se também a esse respeito de pedir ajuda sempre.
Vocês não percebem o quanto isso é útil. Por que vocês não fazem esse pedido: “ajude-me a
aprender a verdadeira prece e a verdadeira meditação”. Quando tiverem dificuldade em se
concentrar ou ficarem confusos, peçam auxílio na mesma hora. Nesse caso também essas palavras
são verdadeiras: “Batei e a abrir-se-vos-á”.

Essa concentração na prece não é vantajosa apenas por representar um treinamento, por assim
dizer, mas é particularmente valiosa porque cada pensamento constrói uma forma. Com os
pensamentos da prece, vocês constroem formas harmoniosas, de modo que o pensamento-prece
também põe em movimento as forças favoráveis antes de terem aprendido o sentimento-prece, i.e.,

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 9 (Palestra Não Editada)
Página 2 de 14

a meditação. Vejam, os pensamentos-formas, embora não possam ainda ter a mesma força
propulsora dos sentimentos-formas, também atingem a grandeza quando são construídos com todo
o coração e fundados na vontade firme. Naturalmente, supõe-se que a prece não seja constituída por
pensamentos auto-enganadores e sim pelo desejo de atingir a verdade em si.

Esse é o primeiro passo dessa parte do caminho: primeiro a força pura do pensamento,
através da concentração na prece, depois a liberação das correntes-sentimentos. Isso traz consigo,
até certo ponto, claridade descontraída de espírito. Então, é meditação. Depois que o homem
aprende a concentrar-se até certo ponto na prece, a regularidade e a autodisciplina a ela associada, ele
pode enfrentar a dificuldade de cair na rotina. Quando ele finalmente acha que havia atingido a
concentração, encontra pela frente outra batalha: excesso de disciplina e trabalho mecânico, que
transformam a prece numa tarefa. Então, e somente então, é hora de aprender a abrir caminho,
através da oração, pelas camadas mais profundas da alma. Há vários meios de fazer isso. Como eu
disse antes, a prece envolve os pensamentos. Ela é formada na cabeça. A meditação é formada no
plexo solar, que em geral chamo de centro espiritual do homem, onde tudo fica indelevelmente
marcado. Se conseguirem liberar esses sentimentos, para serem capazes de determinar quando
contatar Deus dessa maneira, vocês terão dominado o eu até certo ponto, e também os obstáculos
da matéria.

Agora vocês vão perguntar como se ligar a essa vibração. Todas as correntes interiores que
foram canalizadas na direção errada são obstáculos. O que quer que exista e que fica incubado sem
ser reconhecido no inconsciente é um bloqueio. Ali onde o homem acha difícil entrar no ritmo
divino, ali onde ele sente resistência, ele pode ter certeza de que uma violação não reconhecida da lei
mantém sua alma deprimida. O autoconhecimento, o auto-exame e a eliminação de todas essas
correntes de obstrução são o único remédio. No entanto, isso não pode ser feito sem ajuda,
orientação e aconselhamento externos. Fora essa, não existe nenhuma regra fixa. É diferente com
cada pessoa. Cada um precisa encontrar o recanto interior que irradia uma onda de ressonância com
a corrente divina. Não esperem que isso aconteça instantaneamente. E nem sempre isso é alcançado.

De vez em quando pode haver uma incitação espiritual, que vibra no homem mesmo quando
a alma ainda está bloqueada. Mas essa influência é rara. O homem nunca deve dizer “não estou com
disposição; preciso estar com disposição.” Essa “disposição” não é mais uma desculpa válida. O
homem deve ser capaz de controlar-se, o que não pode ser feito quando ele omite o cuidado
sistemático de seu espírito e seu desenvolvimento. Vocês precisam dominar a si próprios e não ser
dominados por estados de ânimo, para deixar que o estado de ânimo determine o momento de
entrar em contato com Deus, que penetra todo o seu ser. Este é o propósito deste caminho. É uma
meta que não se pode esperar alcançar imediatamente. Isso vocês farão no caminho. Vocês serão
capazes de determinar quando deixar que essas forças puras vibrem com liberdade. E isso somente
pode ser feito nesse caminho lento, espinhoso. Orem também pedindo ajuda nessa área. Cristo ajuda
de uma maneira muito especial. Quem quer que se volte para Ele receberá ajuda, porque ele
prometeu isso a vocês.

Existem alguns meios de liberar essas forças da alma. Para um, pode ser vantajoso lembrar a
última experiência de unidade com a onda de Deus. Talvez a pessoa possa evocar esse sentimento
pela imaginação e deixar que ele penetre nas emoções. Para outro, o meio que facilita o contato é ler
um versículo da Bíblia ou fazer uma prece ou refletir sobre uma das leis espirituais. É muito
diferente em cada caso. Cada um precisa perceber qual é o seu próprio modo. Mas de maneira geral,
Palestra do Guia Pathwork No. 9 (Palestra Não Editada)
Página 3 de 14

a forma mais eficaz é a vitória sobre o eu – quando existe um insight, verdadeiro, completo,
incondicional, quando uma resistência é superada, quando se consegue total receptividade à vontade
e à verdade de Deus. Essa vitória libera muitas forças e provoca uma maravilhosa vibração que leva
à meditação, embora, a princípio, nem sempre se consiga esse resultado. Vou falar mais em outra
ocasião sobre a prece da alma, i.e., a meditação.

Hoje quero voltar a uma promessa que fiz há algum tempo. É um aprofundamento da
interpretação ou uma meditação sobre o Pai Nosso.

Anteriormente falei sobre o significado dessa oração e como meditar sobre ela. Há muitos
meios e possibilidades. Minha primeira interpretação foi mais genérica. Hoje eu gostaria de
esclarecê-la de um ângulo diferente. Desejo mostrar como podem encontrar nessa oração, sempre,
tudo de que precisam para o seu crescimento, como aplicá-la pessoalmente e como todos os seus
problemas desaparecem nela. Vocês podem meditar sobre ela por uma boa hora.

Pai nosso
Vocês já sabem que devem imaginar, com essa palavra, Deus como o Pai de todos os seres.
Mas quando fazem essa oração muito intimamente, para si mesmos, pensem principalmente que ela
também se refere aos seres humanos dos quais vocês não gostam, com os quais não se importam, ou
que provocam em vocês uma certa resistência, ou com os quais vocês estão atualmente em
desacordo. Vocês não precisam odiá-los, basta que alguém os irrite. Pensem que esses seres
humanos também são filhos de Deus. Se quiserem chamar a si mesmos filhos de Deus, só há
justificativa para fazerem isso quando também considerarem igualmente filhos de Deus aqueles que
provocam em vocês sentimentos desagradáveis.

Quando conseguirem fazer isso, toda a sua atitude, e, portanto os seus sentimentos, vão
mudar um pouco. Nesse momento, estarão mais descontraídos e muito mais livres. É claro que isso,
a princípio, pode provocar dificuldades e resistências, porque as emoções não cedem imediatamente
nem mudam rapidamente, e quando estão envolvidas grandes emoções negativas de qualquer
espécie, com certeza existe em algum lugar uma forte pista interior. Essa resistência deve ser um
sinal de advertência do quanto é importante, para vocês, desemaranhar esse novelo. Basta ter a
percepção de que algo não está funcionando no seu íntimo quando abrigam sentimentos de
animosidade, mesmo que o seu adversário seja totalmente injusto! Em seguida, desejem consertar o
que está errado por dentro e estejam dispostos a aceitar o reconhecimento, a inspiração e a
instrução, como quer que venha. Aí, então, receberão aquilo de que precisam para se libertar dessa
doença.

Implorem e queiram. E de repente, quando contemplarem intensamente a profundidade


dessas palavras e as aplicarem à sua vida, o peso no peito desaparecerá; vocês serão liberados da
carga. Procurem também conseguir isso repassando tudo aquilo que os perturba e voltem seus
pensamentos para a perfeição desse ser humano. Procurem perceber como e onde a chama de Deus
se expressa nesse ser humano. Também nesse caso, procurem e encontrarão. Assim, vocês se
lembrarão cada vez mais de algumas características que indicam claramente que esse é o eu superior
do outro, que tem direito de ser considerado filho de Deus.
Palestra do Guia Pathwork No. 9 (Palestra Não Editada)
Página 4 de 14

É muito importante traçar uma linha divisória entre o eu superior e inferior. Discriminem
sempre com precisão, isso pertence ao eu superior, e aquilo ao eu inferior. O eu superior é eterno,
imortal, é uma parte de Deus. O eu inferior é perecível, temporário, e não é uma parte da verdadeira
existência. Não façam isso apenas com os outros, comecem com vocês mesmos. Quando forem
capazes de fazer essa distinção, subitamente ficará menos difícil amar o próximo. E quando
identificarem a linha divisória no seu próprio eu, ficará muito mais fácil considerar aqueles de quem
vocês não gostam como irmãos e irmãs. Deixem que o eu superior lance um fio de ligação com
aquela outra pessoa. Pai Nosso! – abrange tudo isso.

Que estais no céu


O céu está dentro, não fora de vocês. Procurem dentro de vocês e descubram o céu: a sua
própria perfeição, que já existe em seu interior, oculta, encoberta até certo ponto. E procurem o céu
– que é Deus – no seu vizinho, inclusive naqueles que vocês rejeitam, porque somente então
poderão encontrar o Deus eterno, vivo.

Santificado seja o Vosso nome


Sobre isso também se pode meditar de várias maneiras. Vocês honram o nome do Pai como
sagrado na medida em que procuram compreender Suas leis e segui-las. Cada modalidade de vida se
enquadra na lei espiritual adequada. Onde os problemas da vida provocam uma confusão, é porque
vocês não encontraram a respectiva lei. Quando dizem “Santificado seja o Vosso nome”, pensem
onde estão as dificuldades e onde estão os problemas. Peçam que Deus dê a resposta; peçam que
Ele deixe vocês saberem que lei violaram, para assim poderem honrar Seu nome com profundidade
cada vez maior. Então o contato pessoal, que todos devem aprender a estabelecer, acontecerá.
Porque se, com autenticidade e honestidade, com todo o coração, encararem seus problemas desse
ângulo: “Em algum lugar, mesmo que totalmente inconsciente, eu pareço ter violado uma lei, mas
não continuarei agindo assim”, vocês receberão uma resposta. Talvez não naquele exato momento,
mas se ficarem atentos, a vida lhes dará a resposta.

É dessa forma que o nome de Deus é santificado.

Venha a nós o Vosso reino


É somente quando santificam o nome de Deus, dessa forma, que trazem o reino de Deus para
mais perto, porque ele está dentro de vocês. Vocês sempre pensam, se é que pensam nisso, que o
reino de Deus está fora, que ele de alguma forma descerá à terra, e vocês, na terra, só precisarão
entrar quando o reino de Deus tiver se manifestado. Isso é um erro. Assim estão construindo formas
errôneas na sua imaginação. O reino de Deus precisa ser criado dentro de vocês, e isso só pode ser
feito quando (tiverem passado com sucesso por este treinamento) fizerem todo o aprendizado e
conhecerem as leis espirituais e aprenderem a aplicá-las.

Seja feita a Vossa vontade


Não vou falar muito sobre isso agora porque já discuti extensamente essa questão muitas
vezes. Mas gostaria de tornar a dizer como é difícil, para a maioria dos seres humanos, aplicar
realmente essa frase no plano pessoal. Vocês alegam tantas vezes que não sabem qual é a vontade de
Deus, caso contrário estariam dispostos a cumpri-la. Eu já lhes disse que, se se esforçarem por entrar
em contato com o mundo espiritual de Deus para descobrir qual é a vontade de Deus e depois a
seguirem incondicionalmente, mesmo que estiverem inseguros vocês receberão a resposta, com toda
certeza. Mas se isso significar oscilar de um lado para outro nas áreas em que ainda não podem ter
Palestra do Guia Pathwork No. 9 (Palestra Não Editada)
Página 5 de 14

certeza com base no seu próprio discernimento, voltem-se para outras áreas onde poderão conseguir
muita coisa a esse respeito, nas quais a resposta é muito evidente para quem quiser ver.

Mas cada um pode ter certeza de que é a vontade de Deus que trilhem este caminho de
perfeição, seja como for que ele se apresente. Podem ter certeza de que é a vontade de Deus, com
certeza encarar o eu honestamente ao invés de optar pelo caminho mais confortável de colocar de
lado o que provoca mal-estar, esconder esses aspectos e culpar os outros ou as circunstâncias,
tornando supérfluo procurar o que está errado dentro de vocês. Reflitam no que provoca
repetidamente essa resistência interna, e podem ter certeza de que, sempre que esses sentimentos de
desarmonia surgirem, vocês de alguma forma violaram uma lei espiritual. Os erros e falhas dos
outros não podem ser a causa das suas emoções erradas, se não houver alguma coisa errada em
vocês. E então vocês obtêm a resposta – em algum aspecto, ainda não cumpriram a vontade de
Deus.

Alguém pode enfrentar dificuldades com questões gerais, religiosas (que em última análise têm
raízes em algo pessoal); outro tem dificuldade com assuntos estritamente pessoais. Mas sempre que
há um sentimento de raiva, de resistência, de medo, na verdade qualquer discórdia, é uma indicação
de que algo em vocês não está em ordem. Caso contrário, não haveria tanta escuridão em
determinadas áreas da vida. E mesmo que leve tempo para descobrir, quando vocês se empenham
nisso de todo coração, necessariamente encontrarão a resposta, mais cedo ou mais tarde. Quando
pedem para fazer a vontade de Deus, nesse sentido, a resposta necessariamente virá. Não tenham
medo, porque a vontade de Deus é sempre sábia e boa e leva ao contentamento, mesmo que a etapa
de transição signifique um combate. Em seguida, perguntem a si mesmos: “estou realmente
querendo fazer a vontade de Deus, mesmo que a princípio não goste dela?” Já falei muito sobre isso.
Combinem aquela palestra com o que eu disse aqui hoje.

Assim na terra como no céu


O que significa isso? O que é o céu? O que é a terra? Não seria estranho se vocês, seres
humanos, dissessem uma oração para que a vontade de Deus fosse feita no céu, que muitos seres
humanos imaginam em algum lugar lá fora? Se o céu fosse fora, seria preciso que rezassem para que
a vontade de Deus fosse feita lá? Vocês seriam capazes de exercer tal influência? Não. É claro que
vocês podem, até certo ponto, quando trilham o caminho da perfeição, pela influência e iluminação
que disseminam, elevar a consciência do reino de Deus em outros seres humanos. Mas, como eu já
disse, o céu está dentro de vocês. É o seu espírito, a perfeição, que espera para quebrar as muralhas
do eu inferior, terreno. Deus deve trabalhar dentro de vocês em todos os detalhes, não apenas na
vida espiritual, mas também na terrena.

Procurem pensar até que ponto já fazem isso e onde Deus ainda não penetra na totalidade do
que vocês são, fazem, pensam e sentem. Procurem imaginar se alguém lhes dissesse para abrir mão
de algo que prezam – mesmo que seja apenas uma opinião – na crença de que essa deve ser a
vontade de Deus. Vocês aceitariam e pelo menos refletiriam que não precisa ser assim? Ou estariam
dispostos a se convencer rapidamente de que não é assim, só porque querem outra coisa? Pensem a
que área da sua vida isso pode se aplicar. E depois, encarem-se com total honestidade. O que
preferem: a verdade ou o apego à crença anterior, seja qual for a motivação envolvida? Vocês
acreditam que isso está certo? Vocês não acreditam que Deus mostrará isso a vocês? Mas primeiro
precisam ter a disposição. Onde existe essa rigidez tensa, mesmo quando a opinião é certa, o seu
reino de Deus não pode elevar-se dentro de vocês. Mas se a opinião for errada, a verdade não pode
Palestra do Guia Pathwork No. 9 (Palestra Não Editada)
Página 6 de 14

passar a existir em vocês naquele aspecto. E sem verdadeiras formas-pensamento, o reino de Deus
fica bloqueado.

O pão nosso de cada dia nos dai hoje


Isso é repetido tantas vezes de modo mecânico, sem que na verdade se evoque coisa alguma.
Porque, quando o homem ganha o seu pão de cada dia, ele supõe – sem necessariamente pensar
nisso – que isso nada tem a ver com Deus. Digo-lhes honestamente, meus queridos, vocês não
podem fazer nada que não seja abençoado por Deus. E sempre que tentam, isso se desfaz outra vez.
Aqueles que já têm um pouco de formação espiritual podem entender isso muito bem, ao refletir
sobre o passado: “o que em minha vida teve as bênçãos de Deus e o que não teve? Qual é a
diferença? O que deu errado tantas vezes? Por que tenho sempre os mesmos problemas? Qual é a
verdadeira razão? O que eu abordo da maneira errada? Quando tenho atitudes erradas?” Pensem
nisso, e depois entreguem a Deus. Estejam prontos a aceitar orientação, no que diz respeito ao pão
terreno e ao pão espiritual. O pão espiritual recebe tão pouca atenção. Vocês acham que ele é menos
importante que o pão terreno. Não, meus queridos, o pão espiritual é muito mais importante.
Primeiro façam um esforço para ganhar o seu alimento espiritual, tenham fome dele; em seguida
seus problemas terrenos vão desaparecer e não o contrário.

Quando almejam o pão espiritual, já atingiram um determinado nível do caminho.

Perdoai os nossos pecados (dívidas)


Vejam, meus queridos, “perdoai os nossos”, não só os meus! Isso inclui todos os seres
humanos que os magoaram e que talvez vocês não foram capazes de perdoar totalmente. Se de fato
desejarem que Deus os perdoe, ficarão libertos de uma forma escura, através da qual atraem forças
prejudiciais e influência das correntes escuras. Pensem no que essas palavras significam. Deus não
deve perdoar apenas vocês, não apenas aqueles que vocês amam, mas também aqueles pelos quais
vocês nutrem sentimentos negativos. E às vezes vocês não sabem muito bem qual é a sua culpa. O
homem tende muitas vezes a sentir uma culpa errada, doentia, exagerada, que não se justifica. Esse
processo interior é o seguinte: o homem, em seu íntimo, evita reconhecer o sentimento de culpa
que seria justificado e quando ele poderia sentir um arrependimento saudável e construtivo, que não
o abateria nem o desanimaria. Quando o homem, com esse arrependimento sadio, pede a Deus que
o perdoe e quando ele realmente deseja mudar, ele sentirá o perdão de Deus e a liberação e saberá
que um peso foi tirado de seus ombros. Isso acontecerá quando se reconhece que a vontade de
mudar e examinar o sentimento até o fim é sincero. No entanto, é muito freqüente o homem não
querer encarar a culpa verdadeira porque seu convencimento o faz achar-se muito mais avançado do
que é e, além disso, o esforço de efetuar a mudança interior é muito grande. Bem no íntimo, ele sabe
que isso não pode ser feito de um dia para o outro e sem esforço. Mas como o núcleo espiritual
dentro dele emite sinais para que ele perceba a culpa, e o eu inferior interfere com o orgulho e a
acomodação, muitas vezes o homem assume uma culpa errada, sabendo lá no fundo que, da parte
dele, nada pode ser feito a esse respeito. É como seu eu interior estivesse querendo dizer: “Olhe,
estou arrependido; eu percebo, mas o que posso fazer? Na realidade, nesse caso não é verdade que
eu seja culpado.”

Naturalmente, esses são acontecimentos inconscientes, mas que devem ser colocados em
foco. Essa é a diferença entre o chamado complexo de culpa e o verdadeiro arrependimento. A
experiência de todos os seres humanos que andam neste caminho de luz sempre foi que quem quer
que reconheça sua culpa real fica, por causa disso, não apenas automaticamente livre de todos os
Palestra do Guia Pathwork No. 9 (Palestra Não Editada)
Página 7 de 14

complexos de falsa culpa que o puxam para baixo, mas também se sente imediatamente aliviado e
em paz, porque a verdade sempre traz esses sentimentos, mesmo que isso signifique lutar para abrir-
se o suficiente e estar disposto a superar. Assim, como a primeira reação do homem é não admitir a
culpa real, ele imagina, inconscientemente, diversos sentimentos possíveis e irreais de culpa, que não
existem ou dizem respeito a faltas que o homem não quer perceber porque ainda não está disposto a
se aceitar no estado atual de imperfeição.

Esses sentimentos de culpa são irreais, nunca são liberadores. Eles provocam uma rotação
negativa – peso, tristeza, nenhuma liberação – enquanto a verdade sempre, sempre libera, por mais
desagradável que seja a princípio. Examinem a si mesmos a esse respeito. Quando atravessarem
todas essas camadas de aparência, de faz-de-conta, vocês chegarão até a culpa real.

O homem saberá como e quando uma ou mais leis espirituais foram violadas em atos e
também em termos de reação emocional. Somente então ele pode realmente pedir perdão, que
também abrange o pedido para que Deus lhe mostre e o ajude a fazer a mudança interior. É
somente quando existe essa liberdade interior que o homem pode perdoar totalmente os outros.
Não se pode esperar ser perdoado enquanto todo o seu ser não estiver disposto a perdoar os outros.
Depois de vocês terem vivenciado, compreendido e sentido o perdão de Deus, serão capazes de
perdoar a si mesmos. E isso nos leva à frase seguinte.

Assim como perdoamos nossos devedores (os que pecaram contra nós)
Quantos seres humanos dizem essa prece sem pensar em realmente perdoar e assim
enganam a si próprios. Talvez não exista ódio, mas muitas vezes existe rancor. Ah, se vocês não se
libertarem a esse ponto, não poderão ter liberdade suficiente para viver a experiência iluminadora do
reconhecimento espiritual. Mas é tão difícil para vocês perdoar completamente, porque não
entendem a outra pessoa. Portanto, peçam entendimento; implorem pelo insight que lhes falta a esse
respeito. Quando realmente desejarem isso em vez de mergulharem no rancor, como acontece tantas
vezes, tudo isso lhes será dado.

Vocês, seres humanos, não entendem que, por si mesmos, não podem fazer nada. Precisam de
ajuda. Peçam sempre por ajuda. É por essa razão que essa frase faz parte da oração! Porque se tudo
isso fosse uma questão que pudessem resolver apenas com a força de vontade, não haveria
necessidade de orar. Vocês não precisam orar para conseguir andar daqui até ali; quem tem pernas
saudáveis pode fazer isso quando quiser. Mas precisam de ajuda para realmente conseguirem
perdoar. E precisam de ajuda para reconhecer o eu interior de maneira totalmente honesta, sem
máscaras. E precisam de ajuda para ter disciplina e realizar a mudança interior, etc. etc.

Enfrentem diretamente a questão, sem rodeios: “Eu realmente perdôo, do fundo do coração,
todos os seres humanos?” Vocês só podem pedir auxílio quando fica muito claro que nesse ou
naquele caso a sua fonte interior não é suficiente. Por favor, entendam que não perdoar é uma carga.
Ela os torna infelizes e bloqueia a liberdade que todos desejam tanto. Ela os prejudica muito mais
do que àqueles que vocês não conseguem perdoar.
Palestra do Guia Pathwork No. 9 (Palestra Não Editada)
Página 8 de 14

Não nos deixeis cair em tentação, ( leve-nos a conhecer nossas tentações)


Repito para aqueles que estão se juntando ao nosso círculo agora. É comum se dizer: “ não nos
deixeis cair em tentação” e estas palavras causam um entendimento errado e com isso podem criar
confusão porque Deus não é responsável pelas nossas tentações. Significa que se pede a Deus ajuda
e orientação quando a tentação estiver presente, para que se possa resistir, que se tenha força e
clareza para ser vitorioso. Quando isto é seguido claramente, então se pode dizer:“ não nos deixei
cair em tentação”. Quero dizer, não depende tanto da ordem das palavras com tanto que elas não
causem conceitos confusos.

Pois bem, o que é a tentação? É claro que ela também está dentro de vocês. Ela não vem do
exterior. Mesmo que haja uma causa exterior, ela só pode tentar quando alguma coisa em vocês é
receptiva. Vocês poderiam ser tentados a cometer um assassinato? Com toda certeza não, mas
podem ser tentados a ceder às suas falhas, sejam elas quais forem. Por isso é tão importante que
percebam o que pode tentá-los e como, ou seja, quais são as suas falhas. Identifiquem essas falhas,
para se lembrarem delas. E novamente peçam força e ajuda para superar essas falhas, porque
também isso vocês não podem fazer sozinhos. Somente ali existe a tentação. Nenhum demônio,
nenhum Satã poderia fazer alguma coisa a vocês se a questão envolvida não tivesse ressonância
dentro. Quando o homem ora para que Deus mantenha Satã à distância, está cometendo um
equívoco. Porque o germe que pode levá-los à tentação está dentro de vocês, na casca do eu inferior
que envolve a sua perfeição. As forças sombrias servem de instrumento para puxá-lo para o exterior,
a fim de trazê-lo à consciência para que possam combatê-lo, caso contrário esse germe continuaria a
existir tranqüilamente em vocês e como tal não teriam oportunidade de lutar contra ele e assim
aproximar-se da perfeição – e da verdadeira felicidade.

Mas livrai-nos do mal


A mesma coisa se aplica nesse caso. O mal está em vocês. Se estivesse apenas lá fora, não
poderia tocá-los. E quando disserem isso em pensamento, na prece, como não são capazes de fazê-
lo sozinhos, peçam a ajuda de Cristo para dominar a tentação, para que consigam extirpar as raízes
do mal. Somente vocês podem fazê-lo, com a ajuda de Deus e com a ajuda de Cristo – a ajuda que
Ele prometeu. Procurem fazer isso com Ele. Não procurem agir sozinhos, vocês não têm a força
suficiente. Vocês precisam de força de vontade, precisam de esforço incessante, mas isso sozinho é
insuficiente, assim como Deus, ou Cristo ou o espírito não poderiam livrá-los do mal se vocês não
tivessem força de vontade. As duas coisas são necessárias. Procurem compreender isso, atacar dos
dois lados, pelo trabalho próprio e pedindo, muitas e muitas vezes, ajuda espiritual.

Pois vosso é o reino


O reino de Deus está dentro de vocês. Ele deve pertencer a Deus e a ninguém mais.

E o poder
Somente o poder de Deus limpa, transmite e ilumina a verdade, impulsiona a capacidade de
amar, suscita o entendimento, traz a felicidade e os tira de toda a escuridão e imperfeição que os
oprime através de muitas vidas e traz A Glória, que só podem atingir dessa maneira.

Eu poderia dizer muito mais coisas sobre essa prece, a mais bonita de todas e que contém
tudo – tudo mesmo – de que precisam para viver. Mas não temos tempo suficiente. Eu lhes dei
apenas algumas dicas e seria aconselhável que cada um que ouvisse ou lesse estas palavras pensasse
sobre elas em um momento de tranqüilidade. Talvez recebam outros pensamentos e sentimentos
Palestra do Guia Pathwork No. 9 (Palestra Não Editada)
Página 9 de 14

sobre a maneira de aplicar essa oração, de uma forma muito individual à própria vida. Essa oração
passará a ser uma prece viva, quando as interpretações ficarem mais claras e se ampliarem e quando
refletirem em que já aplicam e em que não aplicam a essência dessa prece na sua vida.

Se procurarem viver assim, serão felizes, meus queridos. À medida que o tempo passa, todos
os problemas vão desaparecer. Apesar de eles estarem no começo, são um remédio necessário.
Vocês não dominar a si próprios cada vez mais e com isso vão dominar a vida e não serem
dominados por ela. Todos vocês, pensem a respeito disso: “Até que ponto sou feliz?” Vocês podem
estar certos de que o seu grau de felicidade é o grau em que conseguem fazer um ou mais seres
humanos felizes. Mas também saibam que não conseguem fazer os outros felizes na mesma medida
em que não são felizes, porém isso será possível um dia, se continuarem trilhando este caminho.
Esse auto-exame sobre a própria felicidade é um gabarito simples, um barômetro preciso com o qual
podem medir quanta felicidade são capazes de transmitir. E se desejarem de fato tornar os outros
felizes, Deus providenciará a oportunidade, e somente assim serão abençoados com a verdadeira
felicidade.

Hoje também tenho uma mensagem para você, meu amigo. Um espírito feminino está
presente aqui. Não é o espírito pelo qual você perguntou uma vez. É um espírito que está ligado a
você por um grande amor, outro tipo de amor. Talvez seja a sua mãe. Esse espírito quer que você
saiba que ela está feliz, está indo bem e que nunca se sentiu mal no mundo espiritual. Mas ela
também aprendeu algumas coisas e lhe traz a seguinte mensagem. Algumas coisas que o incomodam
com relação ao passado, quando ela ainda estava na terra, você está vendo pelo ângulo errado. Você
deveria procurar ter mais compaixão, mais compreensão, mais tolerância para lidar com a cegueira
de outra pessoa. Você entende o que ela quer dizer? Isso vai ajudar, porque é uma carga que o
oprime e ela pede para você procurar seguir este caminho porque assim você vai entender as coisas
muito melhor e é o único modo de conseguir a liberdade. Ela lhe envia o seu amor. Agora, meus
queridos, podem fazer perguntas.

PERGUNTA: Querido espírito amigo, por que hoje você levou tanto tempo para se
manifestar através da médium?

RESPOSTA: Não levou mais tempo do que o normal. Você se esquece que vocês costumam
tocar um segundo disco entre a prece e o transe. Hoje não fizeram isso. A médium se preparou para
o transe achando que seria tocado um segundo disco.

PERGUNTA: Como alguém pode se sustentar exercendo a função de médium? As opiniões


divergem muito a esse respeito. Embora se possa considerar lógico que a médium, como qualquer
outro ser humano, deva ganhar para seu sustento – se fosse diferente, ela não teria tempo suficiente
para fazer seu trabalho – há afirmações de outras fontes espirituais de que isso não deveria ser assim.
Há uma divergência, um problema. O que você pode nos dizer a respeito?

RESPOSTA: O que tenho a dizer é o seguinte. Se todo médium em treinamento soubesse que
ele ou ela pode se sustentar exercendo essa função e visa isso desde o início, de qualquer forma não
haveria mais abuso e diletantismo com esse dom do que existe, mas a tentação também seria demais
para qualquer ser humano decente.
Palestra do Guia Pathwork No. 9 (Palestra Não Editada)
Página 10 de 14

Portanto, o mundo dos espíritos de Deus é muito cauteloso com esse assunto e muitas vezes
é bom o ser humano começar esse trabalho sem pensar absolutamente em tirar dele um proveito
material. Mas já que você me pediu uma resposta agora, vou dizer que o médium deve trabalhar no
mínimo entre três a cinco anos antes de ganhar dinheiro com essa tarefa. Durante esse período de
formação, o mundo espiritual de Deus pode ver se aquele ser humano é realmente capaz. Se não for,
o mundo espiritual de Deus se retira. O dinheiro é apenas um dos muitos obstáculos que provocam
o fracasso dos homens. Mas se o ser humano for capaz de cumprir essa tarefa, o dinheiro não será
obstáculo, ele deixará de ser influente e não matizará o resultado. Tudo depende, mas devem se
passar no mínimo três a cinco anos. E se tudo for bem, se o mundo de Deus não se retirar, haverá
orientação e aparecerão sinais no exterior, que indicam que a pessoa atingiu aquele ponto. Antes
disso, também é dada orientação para que o médium possa começar a ajudar os outros. Isso também
leva algum tempo, conforme o progresso. É indicado por diversos “sinais verdes”.

É claro que também há seres humanos que não precisam ganhar dinheiro com isso, porque já
têm meios suficientes. Mas se não for esse o caso, o mundo espiritual de Deus cuida para que,
durante o período de treinamento, haja meios suficientes para o médium sobreviver. Em princípio, é
claro que é totalmente injusto dizer que um médium – em função de todo o tempo, energia e
esforço despendidos como em qualquer outra profissão, e às vezes mais – não deva ganhar a vida
com isso, ou que, se ganhar, deixará de estar em contato com o mundo dos espíritos de Deus, ou
que, portanto é uma fraude ou um fim em si mesmo. Se o homem está procurando um argumento
para não acreditar, ele encontrará e também achará um argumento quando não lhe pedem nenhum
pagamento. Por outro lado, também há contatos, mesmo quando o médium não é pago, que não são
do reino divino. Ego, poder, vaidade, orgulho, auto-engrandecimento também são grandes
obstáculos. Não é assim tão simples julgar essa questão complexa.

Isso fica evidente durante o período de formação e se tudo for bem o próprio médium não
precisará fazer pressão, outras pessoas vão ajudar nesse sentido. O período de treinamento
necessário, de cerca de três a cinco anos, não compreende apenas trabalho e treinamento em
mediunidade, mas sobretudo, uma participação muito ativa em um caminho de desenvolvimento
espiritual, no sentido do qual sempre falo. Se for assim, esse contato terá plena proteção divina,
sejam quais forem as circunstâncias externas. É claro que o médium não deve negar ajuda a um ser
humano pobre que não tem condições de pagar. Mas seres humanos que estão dispostos e são
capazes de gastar dinheiro facilmente com coisas menos importantes, e ao mesmo tempo esperam
que o médium despenda seu tempo e esforço a troco de nada, não teriam razão (exceto,
naturalmente, se o médium ainda estiver em treinamento). Se um médium, durante todo esse tempo,
estiver de fato no caminho do autodesenvolvimento, nem os interesses materiais, nem a vaidade ou
nenhuma dessas outras tendências vão se transformar em obstáculos. É claro que isso dificilmente
pode ser percebido de fora, a menos que você conheça o médium “do avesso”. Apenas o médium –
e Deus – conhecem a verdade. E isso conta.

Um médium formado dessa maneira passa por vários anos de estudo, como um médico ou
um professor que freqüenta uma universidade e, após um determinado prazo, pode tratar de
pacientes sem ser pago por isso (talvez num hospital) até chegar ao ponto de poder ganhar dinheiro
com sua profissão. Depois de formado, ele pode ser um bom médico, decente, honesto e
conscencioso, apesar de ganhar dinheiro com isso. Se um médium consegue realmente ajudar, seria
absurdo dedicar todo esse tempo e esforço a uma profissão que exige menor preparo, não
constituindo um verdadeiro agente de ajuda, e cujo exercício faria sobrar tempo e força insuficientes
Palestra do Guia Pathwork No. 9 (Palestra Não Editada)
Página 11 de 14

para ajudar e trabalhar na função mais condizente com ele. Seria de fato o mesmo que um médico
formado trabalhar em sua profissão como um bico, porque não seria remunerado e teria que
escolher outra atividade para ganhar a vida.

Todo médium em perspectiva que queira seguir este caminho deve estar preparado para passar
um bom tempo sem receber pagamento. O mundo de Deus ajudará e fará com que, durante esse
período, ele receba recursos de um ou outro modo. Mas quando chegar a hora, o mundo de Deus
outra vez ajudará e fará com que, aos poucos, diminuam as horas de trabalho despendidas por
necessidade em outra ocupação, passo a passo, até essa outra atividade ser suavemente eliminada da
vida do médium. E para aqueles que querem usar a ajuda, o tempo e o esforço do médium, deveria
ser evidente, além de ser proveitoso para quem pede a ajuda, contribuir, dentro de suas
possibilidades, com o sustento do médium. Se um ser humano, por esse motivo, começa a duvidar
do médium, alguma coisa está errada com o eu interior daquele ser humano. Seria melhor que ele
revisasse e examinasse seu raciocínio.

Repito que deve haver um período de formação de no mínimo três a cinco anos; em muitos
casos, esse período pode ser maior. Depende inteiramente da intensidade do médium em
perspectiva, da diligência com que ele (ela) trabalha em seu desenvolvimento espiritual. Quando
chegar a hora, isso ficará claro por meio de fatos exteriores – mais uma luz verde foi dada. Estão
entendendo?

PERGUNTA: Você disse hoje, na palestra, que quando existe um peso no peito, devemos
perguntar a nós mesmos o que está errado conosco. Mas esse peso também não poderia, por
exemplo, ser pesar?

RESPOSTA: Poderia, mas depende do tipo de pesar. Esse pesar é saudável? Então ele não
oprime. Ao contrário, ele alivia, ele abranda. Eu quase gostaria de dizer que, apesar da dor, alguma
coisa misteriosa acontece no íntimo. É impossível expressar esses sentimentos em palavras, porque
isso não pode ser feito com os sentimentos. Mas procurem entender, sentir, perceber o que eu digo
– a diferença entre amargura e pesar que se desfaz.

PERGUNTA: Eu gostaria de saber se a mensagem que você me deu se refere mais ao passado
ou também ao presente?

RESPOSTA: Refere-se ao passado, e ao presente apenas na medida em que as suas atitudes


ainda são matizadas ou influenciadas pelo passado. Quero expressar talvez dessa forma. É alguma
coisa que você ainda não atacou completamente. Você consegue entender isso?

PERGUNTA: O que o homem precisa aprender e atingir, mais especificamente, enquanto


está na terra, ao contrário do reino espiritual? Existem tarefas diferentes a serem cumpridas na terra?
Ou é uma continuação, um ciclo rotativo das mesmas tarefas?

RESPOSTA: Um ciclo rotativo. Eu gostaria de dizer que o círculo se fecha, mas muitas vezes
ao contrário. Pode ser que um ser humano aqui tenha uma tarefa paralela, espiritual e materialmente,
enquanto para o crescimento de outro ser humano pode ser necessário haver um contraste muito
grande, para poder haver harmonia. É sempre – quando o homem está no caminho certo – parte de
Palestra do Guia Pathwork No. 9 (Palestra Não Editada)
Página 12 de 14

um todo, conseqüência de uma causa espiritual. E o círculo precisa ser fechado, mesmo que pareça
incoerente.

PERGUNTA: Em outras palavras, em alguns casos pode-se aprender alguma coisa mais na
esfera espiritual do que na vida física e vice-versa?

RESPOSTA: Sim, isso é muito verdadeiro. Novamente depende do nível, que os níveis se
interpenetrem, porque isso leva à perfeição. O que é aprendido no nível espiritual precisa ser
transferido ou penetrado para o nível da consciência, enquanto o que é aprendido na vida terrena às
vezes precisa impregnar o espiritual. Como conseguir isso é o que o homem aprende neste
caminho. Mas o homem pode trilhar este caminho de perfeição sem perceber isso; a princípio,
especificamente, de alguma forma isso se desenvolve. Vocês sabem que há diversas maneiras de
trilhar este caminho.

Agora minha tarefa específica é ajudar os seres humanos que seguem este caminho, para quem
é importante enfocar a atenção de tal forma que o que já foi conseguido no plano espiritual seja
trazido à consciência, além de trazer à consciência as falhas que ainda existem na alma.

PERGUNTA: Isso significa que a afirmação de que a esfera espiritual é mais lenta, que fica
mais difícil e leva mais tempo é uma afirmação relativa?

RESPOSTA: De certa forma sim, em certo sentido, porque de qualquer maneira o tempo é
relativo. Também eu não diria que é mais difícil. Mas de acordo com a medida de tempo dos
homens, é mais lento, muito mais lento, mas não mais difícil. Como na terra é muito mais rápido,
também é mais difícil. E como vocês entram em contato com todas as espécies de níveis de
desenvolvimento, aqui também é mais difícil porque muitas vezes há uma ligação direta com a
imperfeição de vocês. Isso aumenta a dificuldade, mas também torna possível ao homem
desenvolver-se mais depressa, enquanto nos reinos espirituais em geral os mesmos tipos ficam
juntos, o que elimina o atrito e retarda o desenvolvimento.

PERGUNTA: Um processo de integração dos dois lados?

RESPOSTA: Sim.

PERGUNTA: Quando e como minha mãe morreu?

RESPOSTA: Não posso responder essa pergunta hoje. Meu amigo, um espírito não sabe
tudo, como vocês às vezes pensam. Talvez eu possa descobrir, mas agora não sei se terei permissão
de dar essa resposta. Se tiver, eu lhe digo da próxima vez.

PERGUNTA: Voltando aos seus comentários sobre a prece, você disse que devemos olhar
para trás e refletir no que deu errado várias vezes. Quando penso nisso, e com toda a psicologia e
esforço autêntico para descobrir o que deu errado várias vezes, não consigo enxergar a razão. Não
sei por que essas coisas acontecem com tanta freqüência, e eu me saio bem em outras coisas com as
quais não me importo tanto.
Palestra do Guia Pathwork No. 9 (Palestra Não Editada)
Página 13 de 14

RESPOSTA: É claro, muitas dessas são experiências cármicas, mas isso não significa que elas
não possam também ser eliminadas da mesma forma que as violações das leis espirituais que
começaram apenas na vida atual. Na verdade é a mesma coisa, porque tudo que acontece
repetidamente tem uma causa, e essa causa só pode ser encontrada no caminho espiritual. Não seria
bom se eu desse a você uma resposta simples, porque ela precisa ser descoberta e assimilada. Mas
vou mostrar e ajudar você para poder encontrá-la e conseguir desfazer esses nós ainda nesta vida.
Isso, e não o fato de eu simplesmente lhe dizer o que é, vai lhe trazer felicidade. Vou orientá-lo
muito vagarosamente e a cada passo que você der, terá mais maturidade espiritual, o que lhe
permitirá assimilar mais conhecimento.

PERGUNTA: Comigo acontece o contrário. Tenho repetidas vezes as mesmas experiências


de iluminação, com intervalos, mas com regularidade. Isso significa que em determinadas ocasiões
existe uma proteção particularmente forte, ou o que?

RESPOSTA: Isso também pode ser cármico, assim como algumas faltas na vida são cármicas,
quer elas apareçam a determinados intervalos regulares ou não, quer você perceba a regularidade ou
não. Existem créditos cármicos que são pagos. Mas também pode haver créditos ganhos nesta vida,
assim como acontece com o negativo.

PERGUNTA: Acho que não entendi. Pensei que “cármico” fosse apenas o negativo.

RESPOSTA: Foi só um equívoco da sua parte.

PERGUNTA: Tenho uma pergunta pessoal, sobre meu pai. Eu sinto que ele está sempre
perto de mim, mas nunca se identificou. Qual é o motivo disso, e é possível que ele se identifique
algum dia? Eu sei que ele está comigo.

RESPOSTA: Preciso pensar um pouco. Sim, seu pai vai permanecer com você enquanto você
não descobrir alguma coisa, não puder cumprir alguma coisa. Talvez você tenha alguma idéia do que
é. Só consigo ver quadros agora. Ele está um pouco arrependido. Não sei se diz respeito a você ou a
outra coisa, mas há um certo arrependimento. Pode ser que envolva você ou ele o tenha
negligenciado em algum aspecto. Mas também pode ser que envolva outra coisa e que ele gostaria
que você fizesse por ele, por assim dizer. Você sabe o que isso significa? De alguma forma, de algum
modo, ele está ligado a você.

PERGUNTA: Mas ele é bom, ele sempre me ajuda.

RESPOSTA: Sim, ele ajuda porque quer alguma coisa de você. Quer chamar sua atenção para
ela. Quando você diz que sabe que tem relação com outra pessoa, com sua mãe, então certamente é
isso. Ele gostaria que você fizesse algo por ele, compensasse algo. Talvez algo que ele negligenciou,
omitiu, ou não foi capaz de fazer. Você está entendendo? Enquanto você não conseguir, ele
permanecerá com você. Não que ele esteja infeliz, mas alguma coisa o perturba, impede a liberação
dele. Somente depois que isso for eliminado é que ele poderá ser livre. Aí, então, ele crescerá
também no plano espiritual.

PERGUNTA: Ele pode me ajudar?


Palestra do Guia Pathwork No. 9 (Palestra Não Editada)
Página 14 de 14

RESPOSTA: Ele está tentando, mas a verdadeira ajuda para você virá de outra fonte. Ele não
é muito capaz de ajudar. Há outros espíritos à sua volta que são mais capazes de ajudar. Você não
deveria procurar entrar em contato direto com ele. Não seria bom para você. E também não seria o
melhor para ele. Ele está perto de você porque alguma coisa o atrai, o oprime, o prende, por assim
dizer. Sob esse aspecto, ele não está livre. E somente um espírito livre seria de fato capaz de ajudar
você. Esses espíritos livres estão rodeando você. Mas você não deveria pensar em um determinado
espírito quando você sente e quer um contato; deixe isso para Deus.

PERGUNTA: Por favor, diga a ele que eu farei qualquer coisa. De qualquer forma, estou
fazendo o que ele quer.

RESPOSTA: Ele está ouvindo. E eu também gostaria de lhe dizer, meu querido amigo, talvez
o ajude – de maneira especial – estudar o que eu disse em outra ocasião sobre entrar em contato
com o mundo dos espíritos de Deus. Estude com muita atenção. É possível que em outra ocasião eu
possa ajudá-lo pessoalmente. Você tem uma tarefa promissora; existe algo maravilhoso preparado
para você, uma tarefa que você ainda não entende e que lhe dará enorme felicidade.

Meus queridos, Deus os abençoe. Pelas minhas mãos e pelas mãos da médium, a corrente
divina flui e deseja penetrar em vocês, para fortalecer e elevar. As bênçãos de Deus derramam-se
sobre todos os meus amigos, próximos e distantes.

Fiquem com Deus.

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por escrito da Fundação. A
Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida, de acordo com a Política
de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem
ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork Foundation tenham concordado
em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de transformação pessoal reconhecidos
pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® Foundation
PO Box 6010, Charlottesville, VA 22906-6010, USA - Visite: www.pathwork.org
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Rua Roquete Pinto, 401 - 05515-010 São Paulo, SP - Tel: (11) 3721-0231- pathworksp@pathwork.com.br - www.pathworksp.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter). ACM 2501, Ed. Prof. Center sala 412, Candeal - 40288-900 Salvador - Telefax (71) 3353-7091 - pathworkbahia@yahoo.com.br –
www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília - Goiás (Chapter)
S.T.N. Centro Clínico Life Center, sala 113 - 70630-000 Brasília, DF - Tel: (61) 3340-5253 - eloisaprata@brturbo.com.br
Pathwork® Ceará (Chapter)
Rua Joaquim Ferreira, 911 - 60832790 Fortaleza - Tel.(85)34768142 cel- (85)88730027– karinebb@uol.com.br
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Rua Santa Catarina 1630 - Pilotis e sala 102 Bairro de Lourdes - 30170-081 Belo Horizonte, MG - Tel: (31) 3335-8457 - rnlac@terra.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Rua Josias Lopes Braga, 497, Bairro Bancários - 58000-000 João Pessoa, PA - Tel: 083 3235-5188 / 9967-8303 / 3224-2362 - claubetenobrega@terra.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro Espírito Santo(Chapter)
Rua Duque Estrada, 57/102 Gávea - 22451-090 Rio de Janeiro, RJ - Tel: (21) 2529-2322 / 82244333 - Fax: (21) 2113-0941 - gmdell@globo.com -
www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Av. Iguaçu, 485, cj. 401 - 09047-430 Porto Alegre, RS - Tel: (51) 3331-8293- renatemullercaminha@terra.com.br. www.pathworksul.com.br
Palestra do Guia Pathwork nº 10
Palestra Não Editada
19 de agosto de 1957

REALIDADE – IMAGEM PROJETADA

Saudações. Trago a vocês a bênçãos de Deus, meus queridos amigos. O homem tem enorme
dificuldade em entender o que realmente significa dizer que o céu ou o inferno estão dentro dele.
Em geral, o homem acha que se trata de um estado emocional, e portanto algo irreal, algo que não
pode ser tocado porque, para o homem, a realidade é aquilo que ele pode ver e tocar. E o estado
emocional não pode ser visto nem tocado. Quando dizemos a vocês que os pensamentos e os
sentimentos são formas, fica um pouco mais fácil entender que essas formas constroem as
respectivas esferas. A paisagem, o ambiente, o vestuário, seja o que for, estão em harmonia ou
desarmonia – isso depende – com todos os muitos, muitos níveis intermediários. Mas isso ainda não
responde à pergunta de como tudo isso pode estar dentro do homem, que acredita que em seu
íntimo não há espaço para essas paisagens e outras esferas. Por mais difícil que seja explicar essa
questão, vou procurar fazer um esboço para que vocês aumentem seu conhecimento dessa área.

Assim como o elemento tempo é totalmente diferente do que é na verdadeira realidade do


espírito, também é diferente a dimensão ou, se vocês preferirem, as indicações espaciais –
acima/abaixo, direita/esquerda, etc., isto é, as dimensões que vocês conseguem entender na terra.
Quando o homem se livra do corpo, ele vai para dentro, para as esferas espirituais, pois todo o
universo está dentro do homem, efetivamente! Talvez vocês entendam melhor se eu der um
exemplo, por mais imperfeito que seja. Imaginem que vocês têm um telescópio e olham nele pelo
lado errado; tudo fica muito pequeno. Mas esse minúsculo quadro é o mesmo que vocês dizem
existir na realidade. Mas, vocês podem objetar, como pode o universo inteiro, mesmo se as
dimensões forem diferentes, estar em todos os homens, se o universo é um só?

Minha resposta é a seguinte. O mundo terreno de vocês não é, de fato, a verdadeira realidade,
nem mesmo no sentido espiritualmente traduzido ou simbólico, mas apenas um reflexo, a imagem
refletida, a projeção da verdadeira realidade. O corpo, que encerra o espírito, ocasiona a separação.
Mas assim que o muro separador é retirado, quando o corpo é abandonado, todo esse universo, que
está em cada um de vocês, se une, supondo naturalmente que a pessoa tenha atingido o nível de
pertencer à esfera onde não há mais muros de separação. Quanto mais baixa a esfera, aqui ou lá,
maior o número de fatores de separação.

Estou descrevendo a situação em largas pinceladas, pois as palavras não servem para uma
descrição completa. Elas têm suas limitações, mas podem ser uma orientação para que vocês
meditem sobre o que isso significa: o céu ou inferno e tudo que existe entre os dois está dentro de
vocês. Não é apenas um estado emocional, como vocês sempre acharam, apenas um estado de
espírito, ou algo abstrato. O que vocês consideram abstrato é concreto no espiritual – tudo. O que

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 10 (Palestra Não Editada)
Página 2 de 13

para vocês não tem forma, no espiritual tem forma, porém não densidade. Ainda pode ser difícil
vocês entenderem que a material que podem tocar é apenas uma imagem refletida ou um reflexo do
universo que está em cada alma, em sua totalidade, mas talvez essa dificuldade possa ser superada,
até certo ponto, na meditação.

Alguma pergunta sobre esse tema?

PERGUNTA: Sim. Como uma idéia de associação, eu gostaria de perguntar como é com o
átomo que ninguém pode ver. Mas cientificamente se sustenta que o átomo é a menor coisa que
pode ser apreendida pelo cérebro, que não há nada menor. Portanto, foi dito que se o átomo
pudesse ser dividido, conheceríamos os segredos do universo.

RESPOSTA: Como todos vocês bem perceberam, a fissão do átomo está de alguma forma
relacionada com a idéia que procurei transmitir aqui, embora o exemplo seja incompleto. Um físico
atômico ou nuclear pode compreender isso ainda melhor, pois ele sabe exatamente o que se quer
dizer com proporção da dimensão. Dizer que o átomo é a menor coisa é, naturalmente, humano. Ele
é o menor componente unitário que vocês têm condições de compreender. Mas no mundo
espiritual, o menor é ao mesmo tempo o maior. É quase impossível vocês entenderem isso, mas já
perceberam que existe uma interação. E quanto à teoria de que pela divisão do átomo se chegará aos
segredos do universo, isso significa exatamente, ou indica, que tudo isso abre um pouco a porta ou
levanta o véu até certo ponto.

Os conceitos religiosos implicam em geral que tudo está no exterior: o inferno embaixo, o céu
em cima, etc. Mas quando vocês lêem nas Escrituras Sagradas “O reino do céu está em vós”, para
dar apenas um exemplo, o homem pensa apenas num estado emocional. Existe uma contradição. E
a ciência nuclear lança alguma luz sobre o que eu disse, que tudo é uma só e a mesma coisa, isto é,
que o estado emocional é ao mesmo tempo uma esfera ou esferas que estão dentro do homem.

Todo ser espiritual, ao ter atingido um determinado nível de elevação, purificação e limpeza, é
capaz de desintegrar-se, ou seja, fundir-se com as correntes divinas, por assim dizer, ou ser
totalmente absorvido, para depois readquirir os fios fluidos de um ser de forma e gestalt mas com
tão pouca densidade que outros seres que ainda não atingiram aquele nível não conseguem ver essa
forma, embora ela exista. Todo ser humano consegue vivenciar um eco desse sentimento. Quando
vocês estão extremamente felizes, podem sentir um anseio por se dissolverem, não apenas na união
amorosa mas também em outras experiências excepcionais quando a alma se eleva muito, Deus está
muito próximo, não importa como isso aconteça, seja pela natureza, pela música, pela meditação, ou
simplesmente quando o homem é tocado pelo hálito de Deus. Mas então vocês sentem a limitação
do corpo, e talvez tenham vontade de se abrir totalmente e se fundir nessa corrente, dissolver-se
nela. É possível que vocês nunca tenham pensado nesses termos, mas se pensarem nisso agora,
poderão confirmar que, de vez em quando, tiverem sentimentos como esses. Quanto mais impureza
houver na alma – e ao dizer impuro não me refiro apenas a falhas e fraquezas, mas também a medos,
correntes doentias – mais medo o homem terá de se dissolver, ao mesmo tempo, apesar do anseio.
Quanto mais o homem cresce espiritualmente, menos ele resiste a essa dissolução.

Algumas escolas de filosofia e conhecimento entenderam isso e afirmaram que esse é o estado
final, com base em sua experiência e compreensão. Mas é um engano dos homens. Essa
desintegração e dissolução existem, no entanto, sem perder a individualidade ou a consciência do
Palestra do Guia Pathwork No. 10 (Palestra Não Editada)
Página 3 de 13

“eu”. Mas como eu disse antes, esses seres sempre readquirem aqueles fios fluidos, passando assim
do estado do puro ser para o estado de ação. Mas o estado de ação necessita da total harmonia do
ser. E como Deus é o criador, e portanto o fazedor, isso também ocorre com Ele. Esse elemento de
Deus e cria se recompõe muitas e muitas vezes para essa finalidade na forma mais pura e mais
perfeita, esse elemento de Deus que é e opera, portanto se dispersa e se funde novamente. Essas
realidades do espírito estão quase além da compreensão do homem. Minhas palavras só podem
representar uma ajuda, e sozinhas não podem fazer vocês entenderem esse fenômeno, mas podem
ser a centelha que subitamente acende em vocês uma chama luminosa. E talvez, meu amigo, isso
responda uma pergunta que você me fez anteriormente, e que eu não respondi naquela ocasião.
Você entendeu?

PERGUNTA: Sim. Isso está muito claro na filosofia indiana, até onde podemos entender.

RESPOSTA: Sim. Minhas palavras, ao mesmo tempo, também responderam a uma


contradição que existe nos conceitos humanos. Quanto ao assunto monismo versus dualismo,
aqueles que tiveram a experiência de Deus em ser, em se dissolver, julgam que essa é a verdade única
e final. Mas aqueles que tiveram a experiência de Deus da outra maneira, de Deus na forma de Seu
elemento criativo, também acreditam que essa é a verdade final. Assim surge a contradição.
Portanto, eu também disse que ambos estão certos.

É fato que todo aspecto de Deus é necessariamente um ser, mas nem sempre. Às vezes, o ser
pode ser dissolvido outra vez – não arbitrariamente, mas de acordo com o ritmo da lei – como já
expliquei com relação a todos os outros seres. Mas todos esses aspectos de Deus são personalidades
no sentido que procurei delinear aqui.

PERGUNTA: É isso que significa inspirar e expirar o prana, estar ligado à nossa respiração
num determinado ritmo?

RESPOSTA: Exatamente. Com isso você pode se ligar ao ritmo cósmico.

PERGUNTA: Portanto, prana e respiração – as funções mais essenciais da vida?

RESPOSTA: Certo. E vocês poderão descobrir e reconhecer muito mais quando meditarem
sobre o que eu disse. E agora, meus queridos, como há muitas perguntas que podem se transformar
em aprendizado, vou continuar a respondê-las.

PERGUNTA: De acordo com o Guia, é desejável que nós do hemisfério ocidental meditemos
sobre a gota e sobre o iceberg ou sobre o iceberg e a água, como recomendado no ensinamento
indiano, ou isso não é bom para nós aqui no ocidente?

RESPOSTA: Não se pode generalizar. Depende de cada caso. Nessas áreas, nunca se diz “ou
isso ou aquilo”. Existem casos em que isso poderia ser uma chave para alguém; para outros, se o
ensinamento indiano recomendado fosse transmitido a alguém que ainda não está nesse nível, ou
tem um caráter diferente que iria por uma linha bem diferente, não contribuiria para o caminho
certo.

PERGUNTA: Talvez para a finalidade do relaxamento que é necessário?


Palestra do Guia Pathwork No. 10 (Palestra Não Editada)
Página 4 de 13

RESPOSTA: Sim, está muito certo. Depende de quais são os problemas da pessoa. Não
meditem esquematicamente, mas vejam onde estão e quais são os problemas, os bloqueios
interiores, as falhas, as fraquezas. Elas sempre resultam nos principais problemas.

PERGUNTA: De acordo com a astrologia, isso pode ser melhor para as pessoas do tipo terra
do que para as do tipo água ou fogo, ou se o horóscopo contém muito ar ou água, pode não ser
bom. Isso está certo?

RESPOSTA: Sim.

PERGUNTA: Posso fazer uma pergunta? Existe um conceito, um ensinamento comum que
as encarnações se alternam entre corpo masculino e feminino, isto é, algumas mulheres encarnam
como homem da próxima vez. Acredito que a médium disse que o sexo não muda. Seria possível
esclarecer?

RESPOSTA: Está havendo um pequeno mal-entendido. Eu disse que, de vez em quando, há


casos em que ocorre essa mudança, mas eu também disse que um ser é fundamentalmente
masculino ou feminino e portanto, em termos gerais, as encarnações são no sexo que corresponde à
natureza do ser, por assim dizer. Mas existem casos em que essa mudança precisa ocorrer diversas
vezes. Eu gostaria de dar a seguinte explicação para isso. Todos vocês sabem que um dia as partes
duais se unem em um só ser. Isso acontece apenas depois que termina a necessidade de encarnar, às
vezes muito mais tarde, quando o elemento feminino e o masculino se tornam um só. Pois bem, essa
é a etapa final; portanto, necessariamente antes da queda existiam esses seres unidos. A queda é uma
divisão, uma fissura, uma separação do todo que não acontece apenas na divisão, mas inicialmente
do todo, de Deus, e posteriormente também em muitas outras divisões. Isso explica os reinos
animal, vegetal e mineral; são divisões que continuaram. Este é apenas um comentário para
completar a explicação; na verdade, não tem nada a ver com a sua pergunta.

Quanto à sua pergunta, imagine que essa ser dual unido se assemelha a uma bola. Essa bola é
composta por elementos masculino e feminino, como tudo na criação é masculino ou feminino.
Existe o princípio masculino em Deus. É o elemento positivo, o criativo, o ativo, o fazedor.
Corresponde ao que eu disse na palestra de hoje. Quanto Deus retoma a forma para criar, o
princípio masculino opera. O princípio feminino, o elemento negativo (negativo aqui não tem
nenhuma conotação desfavorável) é o elemento que dissolve, e que lenta e continuamente constrói,
cresce, que é de natureza “maternal”, não o criativo, mas o princípio eterno que afeta e é.

Ambos os princípios são encontrados em todas as manifestações da criação de infinita


variedade, mas também no ser de dualidade unida, que contém o pólo masculino e o feminino.
Quando Deus criou o ser de dualidade unida, ambos eram perfeitos, cada um à sua maneira.
Portanto, não é certo que o masculino assuma ao mesmo tempo as funções femininas, e vice-versa.
Agora vou explicar por que os conceitos do homem são contraditórios a esse respeito. O que vou
dizer é um imagem. Não a entendem literalmente, porque não sei me expressar de outro modo.
Caso contrário vocês não poderão imaginar, e eu não consigo pensar nas palavras certas.

Imaginem essa bola. De um lado está o pólo positivo, isto é, o princípio masculino, e do outro
está o pólo negativo, isto é, o princípio feminino. Unidos, ambos operam em perfeita harmonia.
Palestra do Guia Pathwork No. 10 (Palestra Não Editada)
Página 5 de 13

Quando ocorreu a divisão, os dois pólos nem sempre, aliás raramente foram cortados no centro,
porque a divisão foi resultado da separação de Deus, e esse é o caos que até então não fazia parte da
ordem de Deus. Assim, a divisão não é obra da ordem. A divisão sofreu variações conforme os
diferentes seres. Há casos em que a divisão mais ou menos separou o pólo masculino do feminino,
enquanto em outros a divisão foi bastante arbitrária.

Pois bem, no retorno a Deus, esse equilíbrio precisa ser restaurado. O que pertence ao
princípio feminino e caiu do lado feminino, na divisão, precisa encarnar no lado oposto, para
equilibrar. Portanto, quanto maior a desordem em que a divisão ocorreu, maior é o número de
encarnações de mudança necessárias. Se vocês conhecessem todas as suas encarnações anteriores,
saberiam quantas encarnações masculinas e femininas houve, e também saberiam como foi a divisão,
diferente para cada pessoa. No entanto, embora essas mudanças – às vezes freqüentemente, outras
vezes com menos freqüência – ocorram, cada ser pertence fundamentalmente ao princípio
masculino ou ao feminino, e portanto tem em sua natureza mais de um ou de outro. Seria absurdo
se o princípio feminino saudável e harmonioso tivesse que se transformar no princípio masculino.
Os dois princípios são divinos, ambos são perfeitos à sua maneira.

PERGUNTA: Não é necessário que cada ser humano neste caminho de desenvolvimento
passe pela experiência dos dois sexos?

RESPOSTA: Não, não necessariamente, se tiver havido a divisão exata, nesse caso não seria
necessário.

PERGUNTA: E existem pessoas com essa divisão exata?

RESPOSTA: Dificilmente, muito raramente, mas como eu disse, há divisões que são quase
exatas, menos desordenadamente que em outros, e então o desvio é relativamente pequeno, havendo
portanto menos necessidade de nivelação a esse respeito. Mas se o homem acha necessário adquirir
experiência nos dois sexos, nesse caso eu digo não. Se vocês meditarem profundamente a esse
respeito, vão perceber que a experiência no campo spiritual, para o crescimento e a perfeição, nada
tem a ver com o fato de ser homem ou mulher.

Basicamente, cada um tem uma sensação interior do que realmente é em essência. O


desenvolvimento leva à perfeição à sua própria maneira. Aqueles que precisam passar por uma
encarnação de troca, ou seja, quando não encarnam no sexo original, têm alguma noção disso
quando essa consciência é despertada na meditação. É claro, é preciso reunir experiência. No
entanto, não é verdade que o elemento masculino precise se transformar em feminino ou vice-versa.
Esse é um equívoco humano. Assim como Deus é perfeito em Seu princípio masculino e feminino,
cada um em si mesmo, cada um operando de maneira e com função absolutamente harmoniosas, o
mesmo acontece com todos os outros seres. É preciso adquirir ou, melhor dizendo, atingir a
harmonia e adquirir experiência, no decorrer do desenvolvimento, para restabelecer a perfeição
divina do ser.

PERGUNTA: A separação entre o masculino e o feminino continuam no ciclo de


encarnações, ou existe uma união andrógena no espiritual?

RESPOSTA: No espiritual, existe união. É necessariamente assim.


Palestra do Guia Pathwork No. 10 (Palestra Não Editada)
Página 6 de 13

PERGUNTA: Mas apenas quando não há mais necessidade de encarnação na terra?

RESPOSTA: Sim, somente então.

PERGUNTA: Em outras palavras, somente para aqueles que superaram o ciclo de


encarnações?

RESPOSTA: É isso mesmo. Enquanto as encarnações são necessárias, essa união não pode
ocorrer dessa maneira, da maneira espiritual.

PERGUNTA: Posso fazer uma pergunta muito relacionada ao ocultismo? Pensei muito nisso.
Tem ligação com a negação de Makama de que a divisão foi feita na constelação do norte Aquila
(Águia)?

RESPOSTA: É paralelo. Houve muitas indicações em toda a criação.

PERGUNTA: Você disse que nossa realidade é apenas a imagem refletida da verdadeira
realidade. Não consigo entender isso. Quando, por exemplo, tocamos uma árvore, lá está a casca.
Ela é real para nós. Não entendi bem o que você disse. Ainda não cheguei a esse ponto.

RESPOSTA: Talvez vocês possam discutir isso mais tarde, e isso pode ajudar você a entender
um pouco melhor. É muito difícil de explicar e também de entender. Se vocês não conseguirem
compreender hoje, não tem importância. Não tem tanta influência. Mais tarde, em um, dois, cinco
anos, subitamente vocês podem captar a questão. Vocês vão sentir ou ter uma noção do que
significa. É difícil o homem ir mais longe do que isso. Mas, quando isso acontecer, minhas palavras
terão um efeito diferente. É claro que o que você toca é real, pelo menos é assim que lhe parece.
Quando você toca um espelho, ele também é real; você sente o espelho. Vamos supor que você não
saiba que um ser é de sangue quente, como percebe quando realmente toca em alguém, e nesse caso
você poderia pensar que ao tocar o espelho – a imagem refletida – estaria tocando uma pessoa real.
Isso é vagamente semelhante o que expliquei, mas talvez possa dar uma noção a você.

Não há nada que você possa comparar, porque você não sabe como a realidade – que,
conscientemente, você não compreende – é, que aparência tem, como soa, ou seja o que for.
Portanto, o que você é capaz de tocar, ver e ouvir lhe parece ser o critério definitivo, na falta de algo
para comparar.

PERGUNTA: Quando uma pessoa encarna como mulher e se sente muito masculina, isso é
um pecado contra a encarnação, ou um sinal do que você acabou de explicar?

RESPOSTA: Eu não diria “pecado”. Mas quando, por exemplo, uma mulher se revolta contra
sua condição de mulher, existe uma ofensa, embora apenas do ponto de vista emocional, porque
essa revolta é ao mesmo tempo uma revolta contra Deus, contra a criação, contra o destino.
Portanto, isso deve ser curado, pois um ser humano somente pode encontrar a perfeita felicidade ao
afirmar a vida total e plenamente, ao cumprir a vida na condição em que nasceu. Isso não diz
respeito apenas a este assunto, mas a tudo. Portanto, o primeiro passo deveria descobrir sua
vocação, seu destino, o que, neste caminho, é muito fácil. Quando o homem não segue o rumo de
Palestra do Guia Pathwork No. 10 (Palestra Não Editada)
Página 7 de 13

seu destino, mesmo que tenha sucesso e pratique o bem, sempre será infeliz por dentro. Sempre terá
problemas e se sentirá insatisfeito. Me entristece muito dizer que em geral o homem não tira as
conseqüências certas de seu sentimento de infelicidade, que na verdade é uma mensagem do mais
profundo do seu ser. O homem atribui esse sentimento de infelicidade a muitos fatores externos;
ouve tudo, menos a mensagem interior. Portanto, se um ser humano é infeliz, de alguma forma ele
deveria perceber que ainda não cumpriu sua tarefa tanto quanto seria possível. Quando há
problemas, não tem sentido eliminar apenas os problemas externos. É preciso encontrar as raízes. O
homem deve descobrir em que áreas seu chamado foi atendido e em que áreas não foi. Essa é a
única maneira de evitar o mal da insatisfação interna, que consome as forças da pessoa.

PERGUNTA: De que maneira, então, uma pessoa pode, como mencionado acima, cumprir o
verdadeiro papel de feminilidade ou masculinidade quando a divisão de que você falou não foi tão
bem feita, e assim o homem tem que viver – sem ser responsável por isso e sem ser capaz de mudá-
lo – contra seu verdadeiro ser, isto é, se uma mulher é tão masculina que não consegue viver sua
feminilidade, ou apenas com grande dificuldade?

RESPOSTA: Essa é uma boa pergunta, mas vou fazer uma correção. O que está errado na sua
pergunta é supor “sem ser responsável por isso”. Tal coisa não existe – mas isso é apenas um
comentário paralelo. Tudo é responsabilidade do próprio homem, independentemente do malfeito
ser ou não reconhecido. Pode ter acontecido recentemente na vida atual, e a memória ainda perdura,
ou ter acontecido há muito tempo em outras vidas que o consciente ignora, mas o espírito do
homem não ignora, mesmo que não revele. Isso é irrelevante.

Quanto à pergunta, vocês sabem – e a psicologia percebeu – que em cada homem existem
elementos femininos e em cada mulher existem elementos masculinos. Mesmo na astrologia é assim,
como nosso amigo aqui pode confirmar. Um homem que nasceu num signo feminino pode ser um
homem perfeitamente saudável. O mesmo é verdadeiro em relação à mulher que nasceu num signo
masculino. Quanto ao ponto de vista psicológico, é o seguinte. Se um ser humano está
saudavelmente integrado – o que significa o perfeito cumprimento do destino acompanhado do
maior desenvolvimento pessoal possível – essas tendências de elementos do sexo oposto não serão
obstáculo para o verdadeiro desabrochar de sua masculinidade ou feminilidade, mas tudo fará
progredir e aperfeiçoar a personalidade no maior grau possível. Se, por exemplo, um elemento
masculino incomoda a mulher, é porque ela não vive plenamente sua vida no sentido spiritual. Mas
se ela se desenvolver, esse elemento masculino dentro dela será um fator de ajuda, e se transformará
em algo positivo e bom. Quanto mais ela se desenvolver, com mais harmonia todas as correntes e
tendências da alma se ajustarão, e tudo resultará na melhor integração.

Veja que também nesse caso tudo depende do livre arbítrio do homem. O fator decisivo não é
com que um homem nasceu – vantagens e desvantagens, positivo ou negativo (do ponto de vista
humano) – e sim o que o homem faz com isso. Se ele trilhar o caminho espiritual com a maior
intensidade, qualquer elemento perturbador, exterior ou interior, se transformará em vantagem. Se
ele não trilhar o caminho espiritual, tudo, até as vantagens, se transformará em desvantagens e
problemas. Nesse último caso, o elemento masculino da mulher se tornaria uma discrepância,
levando a grandes conflitos, e a discrepância faria dela um ser imensamente desarmônico. O
desenvolvimento pessoal depende exclusivamente do livre arbítrio. Entendeu?

RESPOSTA: Sim. Creio que é uma polarização contínua.


Palestra do Guia Pathwork No. 10 (Palestra Não Editada)
Página 8 de 13

RESPOSTA: Sim, isso e mais.

PERGUNTA: Quer dizer, um complemento?

RESPOSTA: Sim, uma complementação. Você sabe que pode; qualquer elemento, em si, é
neutro. Quando você utiliza o elemento, ele pode ter um efeito vantajoso ou desvantajoso. Pode ser
formado de uma maneira ou de outra. Pode ser prejudicial ou benéfico. E assim acontece com essas
partes. Se, por exemplo, o elemento masculino oprime a mulher, no caminho de desenvolvimento
ela deve trabalhar isso por meio da purificação, da disciplina, da evolução, da cura, da integração,
que só podem começar por uma decisão voluntária. Ela tem a opção de não fazer nada contra isso
ou trilhar este caminho de luz e purificar sua alma. Não é por acaso nem arbitrariamente que a
divisão é tão irregular, mas o livre arbítrio também interferiu, ou seja, a pessoa não fez nada, quando
a princípio isso parecia conveniente. Portanto, a volta a Deus é sempre a superação de dificuldades
que o próprio eu criou.

PERGUNTA: Isso seria uma resposta indireta ao problema das mulheres que fazem carreira?

RESPOSTA: Sim.

PERGUNTA: Gostaria de perguntar uma coisa sobre essa área. Eu não sabia que essa
pergunta ia ser feita, mas esse problema me incomoda. É possível de alguma forma haver um erro
técnico em uma encarnação?

RESPOSTA: Não, não, isso é impossível.

PERGUNTA: Mas eu tenho visto seres humanos que são 100% femininos, no melhor sentido
da palavra, em um corpo masculino. Isso não tem nada a ver com homossexualidade. Que eles sejam
também homossexuais não me diz respeito, porque os vejo apenas no plano espiritual. O físico não
interessa.

RESPOSTA: Muitos desses casos são um efeito cármico que nada tem a ver com o assunto
que discutimos, ou pelo menos apenas indiretamente. Quando um ser humano, numa encarnação
anterior, cometeu ofensas contra seu próprio sexo – não preciso entrar em detalhes – essa mulher
precisa nascer como homem, e agüentar as conseqüências, ou vice-versa.

PERGUNTA: Mas as pessoas a que me refiro não estavam sofrendo, estavam muito felizes.

RESPOSTA: O carma nem sempre envolve apenas sofrimento. O carma também é o bom.
Significa a conseqüência. Mas não nesse caso. Mesmo que você não veja o sofrimento ou o
problema, pode acreditar em mim, não é uma vida fácil.

PERGUNTA: E com respeito aos hermafroditas, quando há diferenças masculinas ou


femininas? A ciência, eu acho, registra apenas um caso em que a pessoa era exatamente meio
homem, meio mulher, ou nem mesmo um.
Palestra do Guia Pathwork No. 10 (Palestra Não Editada)
Página 9 de 13

RESPOSTA: Você levantou um ponto interessante, porque aí existe uma referência, uma
pista. A ciência já descobriu o que poderia ser uma pista, se voltar a atenção para esse fenômeno e
associar as descobertas à área de questões relativas à criação. Mas uma encarnação assim tão
complicada é sempre por razões cármicas. Teríamos que avançar muito para descrever todas as
razões, mas com o tempo talvez vocês venham a entender isso muito melhor, com novos exemplos
e algumas explicações, os casos em que essa encarnação pode ser necessária. Nunca se trata de um
erro.

PERGUNTA: Não existe absolutamente nenhum engano, nenhum erro de espécie alguma, na
criação toda? Uma infalibilidade de absolutamente 100 por cento?

RESPOSTA: Exatamente.

PERGUNTA: Os desastres só acontecem para cumprir as leis?

RESPOSTA: Isso mesmo. Na maioria dos casos, quando existem teorias entre os homens
sobre a criação que diferem entre si ou contêm contradições, você vai ver que em cada opinião há
um grão de verdade, como eu já disse antes, e portanto também nessa questão de mudança de sexo
durante várias encarnações em contraposição à premissa de que existem apenas seres masculinos ou
femininos.

Nesse sentido, um dos conceitos humanos cultua Deus como uma pessoa, outro conceito
experimenta Deus no estado de dissolução. Você vai sempre perceber que existe um grão de
verdade, mesmo em dois conceitos aparentemente contraditórios. No tocante à encarnação, você
também pode ver que ambos estão certos. Se meditar a esse respeito, meu amigo, e refletir sobre
tudo que aprendeu e reconheceu, e depois pensar nos paralelos relativos a essa verdade, vai
descobrir, na meditação, que as coisas precisam ser dessa maneira, que não podem ser de outra
forma. As palavras são sempre imperfeitas, também nessa área. E para entender realmente o que eu
digo – é tão difícil traduzir esses conceitos na língua de vocês – é imperativo que vocês não se
atenham às palavras exatas e à exatidão “lógica”, por assim dizer, mas que deixem os sentimentos se
deterem sem pressa na questão e fazerem a ligação entre o conhecimento e os sentimentos. Nesse
caso, o reconhecimento, que não pode ser substituído por palavras, vai aumentar em vocês.

PERGUNTA: Não há muita coisa escrita a esse respeito, ou seja, o homem precisa entender
por conta própria, com orientação. Essas coisas não estão nos livros.

RESPOSTA: Mas nos vários campos da filosofia, como em outros, há referências e paralelos,
que podem ser comparados com as opiniões existentes e os conceitos religiosos e depois com as
explicações que dou a vocês.

PERGUNTA: Gostaria de fazer uma pergunta sobre esse assunto. Eu pensei a respeito e
cheguei à conclusão de que o ser espiritual real, que se desenvolve constantemente, existe
independentemente de o corpo ser masculino ou feminino. O princípio masculino básico permanece
mesmo se a encarnação for num corpo feminino. Mas a condição temporária de mulher não altera o
fato de que na verdade é um espírito masculino. Na minha opinião, isso seria o essencial, não seria?
Palestra do Guia Pathwork No. 10 (Palestra Não Editada)
Página 10 de 13

RESPOSTA: Sim, mas depende sempre do que o ser humano faz com sua vida, as condições,
as provas e atribulações, bem como o que torna a vida dele mais bonita e mais agradável.

PERGUNTA: Existem dois tipos de meditação, a espiritualmente ativa e outra, a emocional,


que envolve mais os sentimentos – por exemplo, “fique tranqüilo e saiba que sou Deus” – sem
pensar, simplesmente deixando penetrar o princípio eterno de Deus? Está certo isso?

RESPOSTA: Certíssimo. Esse é outro paralelo. Mesmo na meditação, existe o princípio


masculino e no princípio feminino. Um é ativo, com participação dos pensamentos, e portanto
masculino; o outro é mais passivo, envolvendo os sentimentos, fluindo, e portanto feminino. Ambos
podem ser muito importantes. Em uma determinada fase do desenvolvimento, pode ser mais
importante cultivar um tipo, e em outras ocasiões, o outro. Mas em geral o que causa mais
dificuldade deve ser praticado com mais freqüência, porque pode haver necessidade de instaurar o
equilíbrio naquela área.

PERGUNTA: Sim, mas se a pessoa já passou pela outra fase, a ativa por exemplo, e se acha
que não seria uma negligência iniciar a outra, mas isso é feito para aprender de outro modo.
RESPOSTA: Sim, não há problema. Talvez deva ser feito para instaurar o equilíbrio.

PERGUNTA: Ouvi falar de ensinamentos orientais segundo os quais uma pessoa pode
reencarnar em um corpo não humano. Isso é certo?

RESPOSTA: Não, não está.

PERGUNTA: A inclinação metafísica é um dom de Deus porque oferece a possibilidade de se


aproximar de Deus quando a pessoa se empenha nisso. Os seres humanos escolhidos recebem esse
dom por causa de uma encarnação anterior ou como uma prova? Por outro lado, se a pessoa não
desenvolver de fato esse dom, ele seria negado a ela na encarnação seguinte?

RESPOSTA: Na verdade você fez duas perguntas, e vou responder a ambas. Naturalmente,
isso pode acontecer muitas vezes. Se o homem lutou e venceu, ele leva os frutos para a próxima
vida, como vocês também podem ver na astrologia, e alguns desses dons se desenvolvem muito
tranqüilamente, enquanto outros exigem muitas batalhas até a vitória. Nesse caso a pessoa pode
receber o dom na vida seguinte, para conseguir tudo com facilidade. Por outro lado, há casos em que
se trata de uma prova, quando ocorre a experiência interior para guiar o homem em seu caminho,
para acelerar a evolução.

Também pode ser assim. Um ser humano trouxe determinados créditos que não são
necessariamente referentes ao espiritual; são apenas alguns créditos. Quando ele volta ao mundo dos
espíritos, os créditos entram em vigor, de acordo com a lei. Quando se discute a encarnação
seguinte, existe sempre planejamento freqüente. Principalmente a partir de um determinado nível, o
ser espiritual pode tomar parte na decisão. Nesse caso, é dada a ele a opção de como desfrutar as
conseqüências dos créditos na próxima vida terrena. Embora esse espírito ainda não tenha
trabalhado no seu desenvolvimento espiritual, ele pode querer essa experiência, com base nos
créditos conquistados. É diferente do primeiro caso, porque se o ser espiritual voltar à terra, ele
precisará trabalhar com afinco para evoluir espiritualmente. No primeiro caso mencionado, o ser
humano já tem créditos espirituais de uma vida anterior.
Palestra do Guia Pathwork No. 10 (Palestra Não Editada)
Página 11 de 13

Esses seres espirituais agora podem escolher. Um quer viver com seus créditos transformados
em excelente saúde, outro quer riqueza, etc. etc. e um terceiro pode querer progredir mais depressa
espiritualmente. Este já entendeu que os prazeres terrestres temporários são pouca coisa em
comparação com a felicidade do progresso espiritual.

Agora, os seres elevados do mundo de Deus encarregados de tomar a decisão dizem: “não
posso dar a você evolução espiritual sem nenhum esforço. Mas por causa dos seus créditos, posso
ajudar você, de modo que na sua próxima vida vão ser oferecidas a você algumas coisas que exigirão
uma decisão baseada no livre arbítrio. Não será sem esforço, mas você será guiado de modo será
mais fácil aproveitar a oportunidade.” A decisão e a batalha são sempre um esforço pessoal para
atingir a felicidade da libertação espiritual.

Quanto à segunda parte da pergunta, naturalmente, é assim, quando o homem tem a


possibilidade de trilhar este caminho e não o faz, a porta fica fechada por um tempo maior. Nem
preciso confirmar isso porque, se você pensar, precisa ser assim se o homem não aproveitar a
possibilidade de atingir essa ventura, seja pelo motivo que for, por comodismo, preguiça, vaidade ou
vergonha, que podem tornar aparentemente impossível que ele se abra. Como ele resiste, há sempre
uma falha pessoal, pois ele precisará enganar a si mesmo a esse respeito. E as falhas devem ser
superadas, principalmente aquelas que fecham a porta do caminho espiritual.

Isso também terá suas conseqüências, e esse ser humano precisará lutar sempre mais e se
empenhar muito mais para avançar espiritualmente, pois a disciplina e a superação serão mais
difíceis, mas sua necessidade não diminuirá se essa exigência for adiada. Sim, é apenas um
adiamento; não pode ser impedido. Eu sei, meus queridos, que vocês não gostam de ouvir isso; não
é agradável, principalmente para aqueles que ainda não avançaram de fato. Mas é uma verdade, e de
fato não é injusta. Porque, com seu desenvolvimento, o homem pode conquistar a maior e mais
divina felicidade, mas necessariamente lutando com o maior afinco. E se ele for guiado até esse
ponto e não der o máximo de si, vocês não acham que o que eu disse é justo e certo?

PERGUNTA: Com relação ao princípio feminino e masculino, é verdade que as eras também
podem ser masculinas ou femininas?

RESPOSTA: Sim, é verdade. Existe essa influência. Isso sempre depende da influência de
alguns seres espirituais, que ficam particularmente ativos. Também isso acontece de acordo com as
leis espirituais, porque é bom para o desenvolvimento geral.

PERGUNTA: Sem querer ser atrevido, me pareceu que a palestra de hoje foi muito fechada.
Parece que você teve dificuldade em romper a barreira da médium. Por que isso aconteceu?

RESPOSTA: Não se trata de dificuldades com o sentido das palavras, embora isso também
exista. Talvez você veja a questão um pouco mais difícil do que é; eu me comuniquei. Mas é claro
que os conceitos aqui expostos não são fáceis de traduzir em palavras, e nesse sentido não é fácil
passar pela médium. Tudo isso é estranho a ela e causa obstruções, mas eu consigo contorná-las,
como já disse em outra ocasião.
Palestra do Guia Pathwork No. 10 (Palestra Não Editada)
Página 12 de 13

PERGUNTA: É verdade, por exemplo, que o século XX colocou mais em primeiro plano o
elemento feminino?

RESPOSTA: Sim, é verdade. Esse também é um equilíbrio necessário.

PERGUNTA: Quando um ser humano abandona o corpo e reentra na esfera spiritual, existe
sempre dor?

RESPOSTA: Não.

PERGUNTA: Não necessariamente?

RESPOSTA: Não, absolutamente. Em muitos casos não é assim que acontece.

PERGUNTA: Isso é uma graça que foi conquistada?

RESPOSTA: Eu diria causa e efeito – ou também graça. Depende. Pode ser as duas coisas.
Pode ser um crédito, que se concretize dessa forma, ou pode ser o efeito, em conseqüência de uma
vida correta, e portanto uma causa gerada pela própria pessoa.

PERGUNTA: Se um homem peca e se arrepende do fundo do coração, de verdade, e procura


se emendar e melhorar, ele também precisa arcar com as conseqüências?

RESPOSTA: Não. Se houve arrependimento verdadeiro, na melhor acepção da palavra, e a


falha que provocou esse pecado é superada no caminho do desenvolvimento, o pecado é extinto.
Qualquer carma pode ser extirpado, e mais ainda o que foi gerado na vida atual.

E agora, meus queridos, vou me retirar, deixando com cada um de vocês as bênçãos de Deus.
Que esse amor fortaleça vocês, se amplie em vocês e guie vocês no caminho do desenvolvimento,
para se tornarem filhos muito mais felizes de Deus. Deus esteja com vocês.

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por
escrito da Fundação. A Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou
pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida,
de acordo com a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou
abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua
comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork
Foundation tenham concordado em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de
transformação pessoal reconhecidos pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Telefone : (011) 3721-0231 E-mail: pathworksp@pathwork.com.br Visite: www.pathwork.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter)
Telefone: (71) 3237-4962 E-mail: pathworkbahia@yahoo.com.br Visite www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília (Chapter)
Telefone: (61) 3442-8108 E-mail: fvervloet@gmail.com
Palestra do Guia Pathwork No. 10 (Palestra Não Editada)
Página 13 de 13

Pathwork® Ceará (Chapter)


Telefone : (085) 8731-1122 E-mail: reginalencar@gmail.com
Pathwork® Goiás (Chapter)
Telefone: (62) 8118-0446 E-mail: ritapath@hotmail.com
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Tel: (31) 9959-5547 E-mail: pathworkmginstituto@gmail.com Visite: www.pathworkminas.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Telefones: (083) 9967-8303/(083) 3235-5188/(083) 3224-2362 E-mail: claubetenobrega@terra.com.br Visite: www.pathworkpb.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro (Chapter)
Telefone:: (21) 2529-2322 E-mail: gmdell@globo.com Visite www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Telefone: (51) 9177-3178 E-mail: suefonseca@hotmail.com. Visite www.pathworksul.com.br
Visite: www.pathwork.org.
Visite: www.pathworkbrasil.com.br
Palestra do Guia Pathwork nº 11
Palestra não editada
3 de setembro de 1957

AUTOCONHECIMENTO; O GRANDE PLANO; O MUNDO ESPIRITUAL

Saúdo vocês, meus amigos, em nome de Deus e de Jesus Cristo. Trago a vocês bênçãos, trago
a vocês amor. Como alguns de vocês estão aqui pela primeira vez, o que vou dizer pode não ser
novidade para aqueles que acompanham meus ensinamentos ou para aqueles que estão no caminho
para Deus com a ajuda de outro mestre. No entanto, cada um de vocês pode encontrar inspiração e
ajuda para superar alguma dificuldade. Muitas vezes é preciso ouvir a mesma coisa muitas vezes até
ela se tornar um profundo conhecimento e iluminação, em contraposição ao conhecimento
intelectual superficial.

No fundo do coração de todo ser humano existe um anseio pela felicidade. Pois bem, o que é
a felicidade? Se você perguntar a pessoas diferentes, vai obter respostas ou definições diferentes. A
pessoa espiritualmente imatura, talvez depois de pensar por algum tempo, vai dizer que se tivesse
isso ou aquilo, ou essa ou aquela satisfação, ou se uma preocupação fosse eliminada, ela seria feliz.
Em outras palavras, para essa pessoa felicidade significa ter determinados desejos satisfeitos. No
entanto, mesmo nas ocasiões em que os desejos se realizam essa pessoa não fica feliz. Permanece
uma inquietação, um mal-estar profundamente arraigados, ou uma consciência pesada indefinível.
Por que? Porque a felicidade não depende de circunstâncias externas ou de outras pessoas, por mais
que a pessoa espiritualmente imatura esteja convencida dessa falácia. A pessoa espiritualmente
madura sabe disso. Sabe que ela mesma é a única responsável por sua felicidade ou infelicidade. Sabe
que ela é capaz de criar uma vida feliz, não apenas em seu íntimo, a princípio, mas como resultado
inevitável disso, também fora de si. A pessoa espiritualmente imatura acha que a felicidade precisa
ser criada primeiro fora dela, que as circunstâncias externas não dependem necessariamente de seus
atos, que precisam se ajustar a seus desejos, e que assim a felicidade interior se seguirá. A pessoa
espiritualmente madura, no entanto, sabe que é exatamente ao contrário.

Muitas pessoas não querem saber disso, pois é mais fácil culpar o destino, a injustiça do
destino e dos poderes superiores, ou circunstâncias ocasionadas por alguma falta dos outros, do que
culparem a si mesmas. É mais fácil se sentirem vítimas, pois assim não é preciso sondar seu próprio
íntimo, às vezes muito profundamente e com o máximo de honestidade. No entanto, a grande é
verdade é, foi e sempre será que a felicidade está nas suas próprias mãos. Está em seu poder atingir
esse objetivo. Talvez vocês digam “o que é possível fazer?” Mas vamos ver primeiro o que significa
a felicidade no sentido espiritualmente maduro. A resposta é Deus. É somente assim que a felicidade
pode ser encontrada. E ela pode ser encontrada exatamente aqui, exatamente agora. “Como?” pode-
se perguntar. Meus amigos, tantas pessoas imaginam que Deus está lá fora, muito longe no
universo, e que é impossível atingi-Lo, que esse é um empreendimento inútil, que não pode ser bem-
sucedido. Isso está tão longe da verdade. Como eu já disse em várias ocasiões, todo o universo está
dentro de cada pessoa, portanto Deus está em cada pessoa. Cada criatura viva tem uma parte de
Deus em si. O único meio de alcançar essa parte divina é o pequeno e estreito caminho do
autodesenvolvimento. A meta é a perfeição. A base para isso é conhecer a si mesmo! Isso é, sem

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 11 (Palestra Não Editada)
Página 2 de 11

dúvida, difícil. Conhecer a si mesmo significa encarar muitas características que não são lisonjeiras.
Significa uma busca longa e contínua, na verdade uma busca infindável. “O que sou eu? O que
realmente significam minhas reações – não apenas meus atos e pensamentos? Minhas ações são
respaldadas por meus sentimentos, ou eu tenho motivações por trás desses atos que não
correspondem ao que eu gosto de acreditar que sou e que os outros acreditem que sou? Tenho sido
realmente honesto comigo mesmo? Quais são meus erros?” Embora alguns de vocês talvez já
conheçam alguns de seus pontos fracos, a maioria das pessoas ignora a maior parte deles, e isso
constitui um grande obstáculo, mesmo para aqueles que já atingiram uma certa altura neste caminho
ascendente. Vocês não podem superar aquilo que não conhecem. Toda falha nada mais é do que
uma corrente que prende vocês. Ao se livrarem de uma imperfeição, vocês quebram um elo da
cadeia, tornando-se assim mais livres – e mais próximos da felicidade. A felicidade foi feita para
todas as pessoas, mas é impossível atingi-la sem eliminar a causa da sua infelicidade, que é os seus
defeitos, que é qualquer tendência que quebre uma lei espiritual. Mesmo se vocês tiverem um carma
de uma vida anterior, ele pode ser dissipado, desde que vocês trabalhem espiritualmente para
encontrar a si mesmos e, assim, a Deus.

O homem poderia ser totalmente feliz, sem doenças, preocupações, e até a morte como vocês
a experimentam – sim, meus amigos, até a morte! Se o homem fosse realmente perfeito – e isso é
apenas uma teoria, pois se esse tipo de perfeição fosse atingido, a reencarnação se tornaria supérflua
– sua volta ao mundo espiritual poderia acontecer de forma diferente da decadência, da velhice, da
doença ou dos acidentes. Seria uma espécie de desmaterialização. Mas mesmo que vocês ainda não
tenham avançado o suficiente para avaliar essa hipótese, cada um de vocês pode se aproximar desse
objetivo muito mais rapidamente do que consideram possível. Por enquanto, vocês podem descobrir
o quanto já avançaram nesse caminho, pensando na sua vida e nos seus problemas. Qual é o seu
grau de felicidade? O que está faltando na sua vida? Na medida que existe na sua vida a infelicidade
– ou o descontentamento --, nessa mesma medida vocês ainda não a preencheram como ela poderia
e deveria ser preenchida. No caso dos seres humanos que efetivamente a preenchem, mesmo que o
resultado exterior não seja prontamente perceptível, mesmo que ainda reste por algum tempo uma
espécie de resíduo de manifestação exterior da causa interior passada, por dentro existe um
profundo e tranqüilo contentamento, uma segurança, um senso de realização. E se isso é o que está
faltando, vocês não estão totalmente no caminho certo, ou ainda não atingiram a liberação que
fatalmente conhecerão depois que as dificuldades iniciais, no começo do caminho, forem superadas.
Somente vocês mesmos sabem onde se encontram. Ninguém mais pode nem precisa responder essa
pergunta por vocês. No entanto, se vocês estão no caminho certo e sentem um profundo
contentamento e senso de realização e ainda existem problemas exteriores na sua vida, isso não deve
desanimá-los, meus amigos. Pois a forma exterior do conflito interior pode continuar existindo e
não pode ser eliminada tão depressa. A lei que vocês quebraram durante muito tempo precisa ser
reajustada, e isso leva tempo. As formas exteriores precisam ser reformadas, refeitas. Vocês mesmos
precisam fazer isso acontecer. Quanto mais vocês endireitarem as respectivas correntes interiores,
tanto mais as formas exteriores mudarão, gradualmente, vagarosamente, porém com firmeza. Até
isso se concluir, o problema exterior não será automaticamente eliminado. Como eu já disse, isso
acontece gradualmente, aos poucos. A impaciência só atrapalha. Se vocês estão no caminho certo
que, como eu já disse, é uma pergunta que somente vocês poderão responder, vocês viverão e
sentirão a grande realidade do mundo de Deus em sua vida cotidiana. Vocês serão sempre
sustentados pelo mundo espiritual de Deus, que trabalha com vocês e em torno de vocês, que os
ajuda e guia, e que se tornará tão real, ou até mais, que o seu ambiente humano. Já não será uma
Palestra do Guia Pathwork No. 11 (Palestra Não Editada)
Página 3 de 11

teoria. Não será um conhecimento intelectual, mas algo que vocês viverão neste mundo, sentindo
seu efeito sobre vocês.

O mundo dos espíritos de Deus trabalha constantemente para ajudar a humanidade como um
todo e as pessoas individualmente. Faz parte do grande plano que o mundo dos espíritos de Deus
tem uma tarefa a cumprir, mas estamos limitados por leis muito definidas – leis que são
constantemente violadas pelo seres humanos ou pelos espíritos que não pertencem à ordem divina.
Essas leis, entre muitas outras coisas, estipulam – se pudermos usar esse termo – que o livre arbítrio
das pessoas não deve ser violado nunca. O mundo dos espíritos de Deus, portanto, está sempre
esperando que o homem, ou o espírito, busque sua ajuda, porém ninguém é obrigado a tanto. Em
outras palavras, cada pessoa precisa desejar a ajuda de Deus e cumprir os requisitos necessários para
obter essa ajuda. Se isso não for feito, só podemos interferir em casos muito especiais, sempre de
acordo com a lei. Seria muito complicado explicar isso agora, mas não existe possibilidade de erro.
Em outras palavras, a interferência do mundo de Deus, para proporcionar ajuda, só ocorre
ocasionalmente, sem que a pessoa peça, mas apenas quando essa ajuda é merecida, talvez por
méritos de uma vida anterior ou mesmo da vida atual, com relação a alguma coisa totalmente
diferente.

Cada espírito do mundo de Deus, que é um mundo de ordem, tem uma tarefa definida. A
tarefa de muitos espíritos é relacionada aos seres humanos. É aconselhável o homem procurar
contatar o mundo de Deus e os espíritos de Deus, pois eles, e apenas eles, podem ajudar e guiar o
homem no caminho certo. Há casos de pessoas que pensam ter encontrado sozinhas este caminho,
sem a ajuda de entidades superiores. Isso não é verdade, pois, quer a pessoa saiba ou não, houve
orientação e inspiração vinda dos espíritos. Mas é extremamente prejudicial procurar entrar em
contato com espíritos que não aqueles pertencentes ao mundo de Deus. Esse prejuízo tem muitas
facetas. Não é perigoso apenas do ponto de vista espiritual, mas também físico. Em outras palavras,
os seres humanos tendem para duas situações muito contrárias e radicais, ambas igualmente erradas,
não apenas a esse respeito mas com relação a vários outros aspectos. Um grupo acha útil procurar
entrar em contato com qualquer tipo de espírito. Devido ao dano que isso acaba causando, direta ou
indiretamente, mais cedo ou mais tarde, outro grupo de pessoas, como forma de reação, passa a
dizer que todo contato com os espíritos é errado. Infelizmente, a natureza humana tem tendência a
generalizar tudo, sem a devida discriminação. O contato com o mundo dos espíritos de Deus,
naturalmente, não é fácil de conseguir – e nem deveria ser. Pois é a maior dádiva para o homem. Na
verdade, ele precisa aprender para receber a dádiva desse contato. Em primeiro lugar, ele precisa
percorrer o mais íngreme caminho de autodesenvolvimento e purificação. E precisa aprender as leis
especiais que regem a comunicação com o mundo dos espíritos de Deus. Essas leis são muito
diferentes daqueles que dizem respeito à comunicação com espíritos impuros, ou simplesmente
cegos e ignorantes. Há muitas formas de saber com que espíritos a pessoa está lidando. Há muitas
maneiras de testar um espírito para saber se ele realmente pertence ao mundo de Deus ou apenas
finge pertencer. Apesar de ser impossível para mim, com o tempo de que disponho agora, dizer a
vocês tudo que há para saber sobre esse assunto, vou fazer um apanhado geral. Vou dizer que,
sempre que existe o desejo básico de usar esses canais para contatar o mundo de Deus, será dada
orientação para que a pessoa envolvida receba o conhecimento necessário Uma forma de testar é
que um espírito do mundo de Deus não procura satisfazer sua própria vaidade; ele não pede
admiração para si mesmo. Ele é um humilde servidor, deixando sempre as honras para Deus. Ele
não alega ser o mais elevado, pois sempre existe alguém acima dele. O Altíssimo é Deus. Qualquer
espírito que alegue ter tanto poder que não há ninguém acima dele para ser consultado, que ele tem
Palestra do Guia Pathwork No. 11 (Palestra Não Editada)
Página 4 de 11

autoridade para tudo, que pode tomar decisões sem consultar espíritos superiores, nesse caso há
provas suficientes de que aquele não é um espírito de Deus. Sempre que um espírito de Deus fala
com uma pessoa, ele diz que existem muitas, muitas categorias, muitíssimos espíritos, hierarquias, e
acima de tudo está o espírito de Jesus Cristo, e acima de Jesus Cristo está Deus. Portanto, qualquer
espírito que alegar que tem autoridade total não merece confiança. Além disso, um espírito do
mundo de Deus pode ser reconhecido pela paciência, pelo amor e pelo fato de que, apesar de às
vezes dizer coisas agradáveis para fomentar o desenvolvimento espiritual, ele nunca humilha, nunca
magoa de uma maneira desagradável. Por outro lado, ele não lisonjeia. Esses e muitos outros testes
podem e devem ser feitos para determinar a identidade dos espíritos. Palavras bonitas e até devotas
não provam nada. Existem muitos espíritos que conservam no além algumas qualidades que tinham
em vida, mas por algum motivo não pertencem à ordem do mundo de Deus.

Se for feito contato com o mundo dos espíritos de Deus, o resultado será uma grande bênção.
Pois os espíritos de Deus estão preocupados em ajudar cada um de vocês a encontrar aquela
felicidade de que eu estava falando, para que ninguém tenha uma vida vazia, sem amor, afeto, sem
respeito, sem a realização mais profunda que só acontece quanto mais a pessoa avança no
desenvolvimento espiritual. Essa é a única finalidade do contato. Tudo o mais é secundário. E se
houver razões válidas para outras finalidades, o homem não deve insistir jamais, e sim deixar isso a
cargo de Deus. Se Ele julgar útil que essas outras finalidades também sejam preenchidas, como um
complemento, por assim dizer, isso acontecerá de uma maneira muito melhor e mais eficiente.
Vocês vão obter exatamente o que quiserem. Se quiserem felicidade e estiverem dispostos a pagar o
preço, vocês a receberão. Da mesma forma, se uma pessoa quiser, de todo o coração, somente a
verdade de Deus e o cumprimento da palavra de Deus, é isso que ela receberá. Portanto, o resultado
está contido no desejo. E mesmo que o resultado não seja imediato – com isso quero dizer que os
espíritos de Deus talvez não possam manifestar-se imediatamente, pois primeiro será preciso vencer
muitos obstáculos; enquanto isso durar, as pessoas são testadas para verificar se elas são
merecedoras dessa comunicação, e se almas impuras, infelizes ou sofredoras conseguirem chegar até
o médium, o esforço deve ser para ensiná-las em vez de permitir que elas controlem a situação,
ajudá-las com mão firme, ajudá-las não da maneira que elas, sendo cegas, imaginam, mas ajudá-las a
entrar no caminho espiritual --, vocês não devem desistir, e sem perseverar, humildemente, e tentar
saber o que, em seu íntimo, impede que os espíritos puros e vivos se manifestem.

Sempre que o homem tem contato com o mundo dos espíritos de Deus, essa é a coisa mais
elevada, bela e útil que ele jamais poderá atingir. Mas isso exige um preço a ser pago. Se vocês
compram uma casa, vão pagar um preço maior do que se comprarem um barraco. Isso é
considerado natural, não poderia ser diferente. Mas quando se trata do desenvolvimento espiritual
do homem, de valores espirituais, o homem não está tão disposto a aceitar esse mesmo estado de
coisas. Tudo que vocês derem será devolvido multiplicado por cem, quando se trata de valores
espirituais, enquanto nas questões materiais o que existe, na melhor das hipótese, é uma troca exata
de valores.

A salvação está nas mãos de cada pessoa. Somente vocês podem romper as correntes que os
prendem, mas primeiro o desejo sincero nesse sentido precisa crescer até ficar maior do que
qualquer outra coisa. Nesse momento, os espíritos de Deus vão ajudá-los ainda mais.

Agora podemos passar às perguntas.


Palestra do Guia Pathwork No. 11 (Palestra Não Editada)
Página 5 de 11

PERGUNTA: Eu não entendi uma coisa. Você disse que o mundo dos espíritos de Deus é o
que devemos contatar, enquanto o outro vai nos prejudicar, do ponto de vista espiritual e até físico.
Mas tudo é o mundo de Deus. Não entendi.

RESPOSTA: É o seguinte. Existe a grande criação de Deus, com Sua maravilhosa lei, que
abrange todos os espíritos que Ele também criou e aos quais deu o livre arbítrio. Um grande número
desses espíritos aceitou voluntariamente as leis e a ordem de Deus e, dessa forma, continuou feliz.
Um grande número de outros espíritos quebrou a ordem, também voluntariamente, e com isso criou
infelicidade e desarmonia para si mesmos. Pois a felicidade reside apenas na sabedoria das leis de
Deus. Todos os espíritos que, em alguma ocasião, quebraram a lei e não conseguiram voltar a
reconhecer essa lei como a única sabedoria, como o único caminho correto, ficam de fora dessa
ordem – voluntariamente, assim como poderiam voluntariamente aceitá-la, o que todos farão um
dia. Mas enquanto isso não acontecer por sua própria vontade e convicção, eles vão permanecer fora
do mundo de Deus. Deus não força nenhuma criatura. É preciso que tudo aconteça pelo livre
arbítrio de cada um. No fim das contas, e essa é a beleza e a perfeição das leis de Deus, todos os
filhos de Deus voltarão, voltarão para a iluminação e a sabedoria, voltarão para a felicidade e a
liberdade que somente podem ser encontradas na lei divina. Não são somente os espíritos, mas um
número quase igual de seres humanos que se enquadra nessas duas categorias. Um dos grupos é
aquele que pertence à ordem divina e talvez até ajude, trabalhe e coopere com o grande plano da
salvação. Esse grupo, entre outras coisas, descobrirá, no decorrer da jornada espiritual, em que
ponto continua se desviando, ainda que inconscientemente, das leis. E existem muitos outros que
não a aceitam, que criam o caos em seu ambiente e em si mesmos, pois desejam seguir suas próprias
leis, que são muito incompletas.

PERGUNTA: Eu queria fazer uma pergunta sobre meu pai, se for possível. Ele faleceu há
quatro anos, e acontece que hoje seria seu aniversário, e eu me sinto muito próxima dele. Mas ao
mesmo tempo fico preocupada com o seu bem-estar.

RESPOSTA: Será um prazer responder a sua pergunta, mas preciso de um certo tempo, e
vou dar a resposta da próxima vez que você vier.

PERGUNTA: Eu gostaria de saber como fazer para entrar em contato com o guia pessoal.

RESPOSTA: Isso só pode ser feito se a finalidade for seguir este caminho de perfeição, se o
motivo de tal contato for contribuir para o desenvolvimento da pessoa, para a solução de um
problema específico desse desenvolvimento. E esse desejo precisa ser muito forte e sincero, não
pode ser absolutamente morno! e se essa for realmente a única razão, se não houver simples
curiosidade nesse desejo. Se e quando isso for percebido pelos espíritos de Deus – o que pode
demandar um longo tempo de testes, de paciência, de resistência; não se pode renunciar cedo demais
ao desejo – o contato será feito. O guia pessoal em questão vai se dar a conhecer, desde que a
resposta não possa ser obtida de outra maneira, vamos dizer por meio de seres humanos. Pois os
espíritos de Deus não respondem perguntas que podem ser respondidas no mundo de vocês. A
tarefa deles não é livrar vocês de um pouquinho de trabalho para descobrir a resposta. Eles
respondem apenas o que seria impossível vocês descobrirem pelos canais humanos. Se todos esses
requisitos forem preenchidos, como eu já disse, um dia você entrará em contato, de uma forma ou
de outra. O guia pessoal pode responder e responderá com prazer muitas perguntas se, por exemplo,
numa determinada situação você não souber qual é a vontade de Deus; ou se você quiser descobrir
Palestra do Guia Pathwork No. 11 (Palestra Não Editada)
Página 6 de 11

tendências e emoções que possui e que ainda são inconscientes; ou se você estiver em conflito, se
estiver em desarmonia com seus semelhantes e não souber a razão dentro de você. (Pois se ocorrer
uma situação dessas, pode ter certeza, por mais que o outro esteja evidentemente errado, deve haver
algo em você que é responsável pelo fato de você ser afetado pela ação do outro.) Essas e outras
perguntas semelhantes são respondidas se você abrir a porta para a verdade. E isso só pode
acontecer se você estiver preparado para aceitar a verdade em qualquer circunstância, mesmo que
venha a ouvir o que menos gostaria de ouvir. Se você superar a resistência natural a ouvir uma
verdade não lisonjeira ou incômoda, a porta se abre e nós podemos passar. Eu poderia acrescentar
que, mesmo que de vez em quando você ouça algo que teme ouvir, ficará extremamente feliz depois
de ter estabelecido contato, não apenas porque a verdade sempre tem esse efeito, mas também
porque vai saber, pela primeira vez, que esse mundo dos espíritos, com todas as suas leis, é um fato
e não uma teoria. Isso vai deixar você realmente feliz.

No entanto, são muitas as formas de recepção de uma resposta. Uma delas pode ser enquanto
vocês meditam ou procuram ficar serenos e fazer a pergunta, desejando apenas a verdade e a
vontade de Deus, e subitamente passa por sua mente um pensamento, um pensamento novo. Esse
pensamento cresce e, quanto mais cresce, mais vocês percebem como ele é certo. De qualquer
ângulo que considerarem, não haverá dúvida sobre a correção e a verdade desse pensamento. Essa
pode ser uma maneira. É a inspiração. Mais tarde, talvez vocês tenham uma percepção direta na
forma de audição de uma voz interior, uma voz nova, muito diferente dos pensamentos ou idéias
que brotam de vocês. Ou podem ver algo que lhes dará a resposta em forma pictórica. Também
acontece muitas vezes que essas respostas são dadas um pouco mais tarde, por meio de outro ser
humano que recebe uma inspiração. Pode ser um teste para vocês o tipo de resposta, como vocês a
recebem, quais são suas reações, etc. O mundo dos espíritos de Deus tem muitas maneiras de
trabalhar e transmitir o conhecimento necessário a vocês. Mas depende sempre de vocês, e sempre é
necessário ter abertura. Nessas condições, vocês recebem. Se forem pacientes e se não quiserem
apenas uma resposta específica, ou se não tiverem resolvido receber a resposta de uma determinada
maneira, mas deixarem que Deus decida como ela virá até vocês, poderão estabelecer aos poucos um
contato pessoal e maravilhoso, talvez muito diferente do que haviam imaginado, mas o que Deus
decidir, a forma que Ele escolher será sempre o melhor para vocês. Assim, ao buscarem esse contato
pessoal, essa deva ser a motivação, e esse deve ser o modo de proceder.

PERGUNTA: É um privilégio para mim estar aqui esta noite pela primeira vez, e uma grande
honra conhecer você e ouvir sua palestra. Gostaria de perguntar uma coisa que me fala muito de
perto. O divino interior e o mestre que vem para falar, vamos dizer, você com relação a essa
médium ou o mestre que fala comigo, qual é a relação entre esse mestre e meu eu divino ou o eu
divino da médium?

RESPOSTA: Você quer dizer em termos gerais ou específicos?

PERGUNTA: Específicos.

RESPOSTA: Bem, vou responder essa pergunta primeiro em termos gerais, qual é a diferença
entre a centelha divina ou o eu divino, como você chama, e uma entidade do mundo dos espíritos de
Deus. Para muitas pessoas de fato nem sempre fica muito claro o que fala com elas, será o
subconsciente, o superconsciente ou a centelha divina ou o eu superior – seja qual for o nome dado
Palestra do Guia Pathwork No. 11 (Palestra Não Editada)
Página 7 de 11

– ou será outra entidade? Não é muito fácil responder essa pergunta, e ainda mais difícil determinar
a diferença. Vou esclarecer a questão o melhor que puder.

Vamos começar com o subconsciente. A voz do subconsciente é muito rápida para dar
respostas, muito nítida e muitas vezes alta. O único meio de determinar se a voz é do subconsciente
ou de uma das outras alternativas é ficar quieto e fazer exatamente o que indiquei na resposta à
pergunta sobre entrar em contato com o mundo de Deus. Se todas aquelas condições forem
preenchidas, a verdade e a vontade de Deus prevalecerão, e não importa, a esse respeito, se é o eu
divino ou uma entidade pertencente ao mundo de Deus. Pois ambos seguem as leis espirituais e
cumprem a vontade de Deus. Se o desejo de cumprir a vontade de Deus for maior do que algum
tipo de pensamento desejoso, ou medo, a resposta virá. Somente cada um pode concluir em seu caso
específico que não há auto-engano, pensamento desejoso ou ansiedade maiores do que o desejo de
saber a verdade numa auto-análise e autoteste objetivos. A vaidade pode atrapalhar, ou o desejo de
impressionar os outros, esse grande obstáculo do caminho espiritual. Se for feito esse teste e a
resistência for superada, a resposta pode ser dada do eu para o eu, ou do espírito guardião ou do que
você chama “mestre”. A resposta virá numa voz muito baixa e suave, nada que force ou pressione.
Essa voz não grita, é uma voz serena, quase impessoal, sem nada de força, como acontece muitas
vezes com a voz do subconsciente. Primeiro é preciso resolver essa questão, pois com freqüência a
voz do subconsciente é erroneamente tomada por uma das outras alternativas que você mencionou
na pergunta.

Agora vamos voltar a atenção para a sua pergunta: o eu superior ou uma criatura espiritual de
Deus. De fato não faz muita diferença se é um ou outro, pois, como eu disse, ambos querem a
mesma coisa. A questão só interessa do ponto de vista técnico, por assim dizer. O eu superior
certamente se manifesta. Mas nem sempre ele aparece com clareza, pois está coberto por muitas
camadas de imperfeições, camadas de matéria densa, tudo que a vida na terra exige. Se essas camadas
não estivessem presentes, a vida na terra seria desnecessária. Se o eu superior pudesse se manifestar
com toda essa liberdade e facilidade, vocês não precisariam viver muitas vidas. Vocês estariam muito
mais adiantados, não precisando passar por nenhuma outra encarnação. Sempre que há falhas e
imperfeições, o eu superior é barrado. Essa é a razão pela qual Deus enviou seus ajudantes, pois eles
têm a capacidade de trabalhar com vocês naquilo que o eu superior ainda não pode ajudar. Além
disso, a voz do eu superior é tão distante e suave, às vezes tão inacessível, que ele não fala
claramente por meio de muitas palavras, mas apenas atua através de vocês, guiando vocês para que
tenham aquilo a que chamam de “consciência”. O eu superior pode levar uma pessoa a combater o
eu inferior. O eu superior pode, quando é ouvido, dar-se a conhecer no decorrer da vida, por meio
de determinados atos e reações, mas ele não pode conversar com a pessoa como o espírito pode. No
caso de um médium, por exemplo, o eu superior não pode se manifestar na medida em que um
espírito pode, vamos dizer, falar durante uma hora inteira, fazer palestras, responder perguntas. Se
isso fosse possível, esse médium teria atingido uma altura tal no seu desenvolvimento que não
precisaria de outras encarnações. Se isso fosse conseguido por um mero transe, seria igualmente fácil
trazer o eu superior à tona em todas as situações da vida. Mas é mais fácil que o corpo espiritual do
médium se ausente por algum tempo e dê espaço para outro espírito. Até mesmo isso é difícil, se o
espírito do mundo de Deus quiser se manifestar. É preciso eliminar bloqueios durante essa hora. Em
outras palavras, o eu superior age e guia até certo ponto, mas não fala com coerência. Ele inspira,
mas não fala da maneira como eu falo por intermédio desta médium, ou não fala com uma pessoa
capaz de ouvir. Ficou claro?
Palestra do Guia Pathwork No. 11 (Palestra Não Editada)
Página 8 de 11

PERGUNTA: Sim, extremamente bem explicado, agradeço muito.

RESPOSTA: Sobre a pergunta pessoal que você me fez, gostaria de sugerir a você, querido
amigo, que poderíamos nos reunir uma noite, você e alguns outros amigos, muito poucos, e eu vou
falar a você de maneira mais pessoal, se você quiser.

PERGUNTA: Você disse que se uma pessoa está em desarmonia com outra, eu entendi que
você disse que é necessariamente culpa daquela pessoa...

RESPOSTA: Não foi isso que eu disse. A desarmonia real, presente naquele momento, nem
sempre resulta necessariamente da outra pessoa. Mas se uma desarmonia puder afetar você, é porque
existe alguma imperfeição em você.

PERGUNTA: Mas como saber isso?

RESPOSTA: Por exemplo, pedindo a ajuda dos seus amigos espirituais se você não conseguir
descobrir a resposta, seguindo este caminho, conhecendo a si mesmo, todos os centímetros da sua
alma, suas reações. Nem sempre é possível descobrir a resposta imediatamente. Nem sempre o
caminho está na superfície, no acontecimento imediato, na desarmonia específica, mas pode estar
abaixo da superfície. Pode haver toda uma reação em cadeia envolvida, uma falha levando a outra,
até que finalmente aparece a manifestação exterior, ocasionada também pelas falhas da outra pessoa.
Se você continuar no nosso caminho, a honestidade consigo mesmo se tornará uma segunda
natureza, de modo que você entenderá totalmente todas as suas motivações interiores, passadas e
presentes. Quando você conhecer todas as suas emoções, deficiências, atitudes erradas, terá
condições de relacionar todos os acontecimentos exteriores a elas, seguindo essa reação em cadeia de
trás para a frente, por assim dizer. A falha daquele momento pode muito bem ser da outra pessoa,
no todo ou em parte. Mas é tão importante saber, para quem trilha este caminho, que sempre que
acontece algo desagradável no exterior ou no interior, só pode ser o efeito de uma causa. Portanto,
você deve fazer uma meditação, assim que possível, e perguntar a si mesmo de que maneira você
pode ser ocasionado a situação, direta ou indiretamente. Que imperfeição poderia estar relacionada a
esse fato? E se você quiser realmente descobrir essa verdade específica, se nada em você fizer com
que recue, você encontrará a resposta. Isso eu posso assegurar. Esse é um dos casos em que os
espíritos de Deus podem ajudar e ajudam e entram em contato com você, como você mesmo já sabe
por experiências anteriores a respeito de outras questões. Vagarosamente, os pensamentos são
orientados, desde que o desejo de conhecer a verdade seja sincero e não superficial. Aliás, essa é uma
questão importante, pois muitas vezes os seres humanos querem seguir este caminho até certo
ponto, mas não com a concordância de todo o seu ser. É preciso lutar para obter essa concordância
de todo o ser, e portanto é importante reconhecer o desejo morno para não se enganar, achando que
fez tudo que podia e mesmo assim não houve resultado. Nesse caso, você deve se testar para ver se
não existe em você uma forte resistência a dar esse passo final para revelar toda a verdade sobre o
seu íntimo ou o eu inferior.

PERGUNTA: Até a honestidade é muito difícil...

RESPOSTA: É claro que é difícil.


Palestra do Guia Pathwork No. 11 (Palestra Não Editada)
Página 9 de 11

PERGUNTA: Às vezes você acha que está sendo honesto, mas se vai mais fundo, vê que
existe mais alguma coisa.

RESPOSTA: O caminho é longo, íngreme e estreito. Está nas suas mãos decidir se será
vitorioso. Mas a dificuldade da honestidade pode ser superada – em primeiro lugar com meditação
adequada sobre a honestidade consigo mesmo, e depois perguntando a si mesmo por que é tão
difícil. Se você fizer essa pergunta, poderá dar a resposta. Se você souber o porquê, será fácil
meditar sobre a questão. Normalmente, a resposta – estou falando em termos muito gerais – é que a
pessoa não gosta de reconhecer e admitir uma fraqueza, ou não gosta de interromper uma reação
interior ou uma atitude erradas, ou não quer, de alguma forma, pagar o preço. O eu inferior gosta de
permanecer na sua velha cova, que literalmente não passa disso! Ele não gosta de ação, de esforço e
mudança. Uma vez que isso for admitido, o passo seguinte será mais fácil. Uma vez que você admitir
que não gosta de deixar de lado o ego, ou sua vaidade ou o que for, você pode curar a preguiça do
eu inferior com as verdades espirituais que já aprendeu. Uma vez que você descobrir por que tem
dificuldades a esse respeito, você já terá conseguido muito mais do que imagina. É melhor descobrir
essa resistência interior e cuidar dela do que, talvez, corrigir um erro superficial por meio de um ato.
Pois dessa maneira a raiz pode muito bem permanecer, e dessa forma nada é ganho. Além do fato
de que, enquanto o mal não for arrancado pela raiz, ela pode reaparecer em determinadas condições,
e a ação certa exterior, nesse caso, passa a ser uma mentira. Portanto, é melhor cometer a mesma
falta externamente muitas e muitas vezes se ela for sempre reconhecida e tratada, do que praticar
atos sem consonância com a natureza interior. Se num caso desses você conseguir descobrir a
resposta dentro de si mesmo, terá uma linda vitória, a sensação de alívio, de liberação, de paz, de
verdade. E estará um passo mais perto de Deus. Entendeu?

PERGUNTA: Nas igrejas organizadas existem padres – estou pensando na minha infância –
que, quando você pede conselhos e pergunta se isso é bom ou se isso é pecado – estou pensando
num episódio em particular – eles nunca respondem. Dizem sempre “você sabe muito bem qual é a
resposta.” Você acha que um padre como esse é inspirado?

RESPOSTA: Ah, sim, sem dúvida. Há muitas respostas que a pessoa pode descobrir em si
mesma, se realmente quiser – todas as respostas que dizem respeito ao desenvolvimento pessoal, ao
autoconhecimento, aos próprios defeitos. Mas tirando isso, é necessário obter conhecimento de
fora, por exemplo, conhecimento das leis espirituais, conhecimento sobre o que fazer para superar
determinados defeitos e ajudar a conseguir a purificação. Se esse conhecimento do exterior não
existir, muitas vezes é impossível descobrir a resposta certa ou qual o próximo passo a dar. Quanto
mais conhecimento é obtido do exterior, tanto mais respostas certas a pessoa poderá descobrir em
seu próprio íntimo.

PERGUNTA: Você fala em meditação como se fosse algo muito fácil.

RESPOSTA: Não, não é fácil, mas pode ser aprendido. Onde existe uma vontade existe um
caminho. E sempre que há dificuldades, é minha tarefa ajudar a superar essas dificuldades. Mas uma
reunião geral como esta não é a hora nem o lugar para entrar nessa questão. Portanto, se você tem
dificuldades, talvez eu possa conversar com você pessoalmente um dia desses.
Palestra do Guia Pathwork No. 11 (Palestra Não Editada)
Página 10 de 11

PERGUNTA: Por que as grandes personalidades, cientistas, artistas, em outras palavras os


grandes gênios da história nunca se manifestam através de médiuns? Eles se manifestam em contato
direto com aqueles que são os receptáculos adequados ou... o que eles fazem de fato?

RESPOSTA: É impossível dar uma resposta geral a essa pergunta. Há muitos cuja tarefa no
mundo espiritual é inspirar as pessoas que têm um talento semelhante. Existe uma razão muito boa
para eles raramente ou nunca se manifestarem através de médiuns. Apesar de muitos médiuns
alegarem que este ou aquele falou através deles, isso não é verdade. O mundo dos espíritos de Deus
não quer isso porque constitui uma tentação para aquele médium ou para as pessoas de seu grupo se
sentirem importantes e superiores. E isso não deve acontecer. Além disso, o significado não
aumenta se, por exemplo, é Goethe quem fala através de um médium, em vez de qualquer outro
espírito da ordem divina. Mas se Goethe fosse falar aqui, o médium poderia ter a oportunidade de
dizer “Goethe falou por meu intermédio”, e os outros ficariam impressionados e talvez
menosprezassem os outros que não tivessem Goethe. O mundo dos espíritos de Deus quer evitar
isso. Portanto, sempre que ocorrer uma coisa desse tipo, ela precisa ser considerada com muito,
muito cuidado. Além disso, nem todos esses grandes gênios estão tão adiantados em termos de
desenvolvimento espiritual como em termos de um talento específico. O destino deles no mundo
dos espíritos pode ser diferente de todos os outros. Portanto, não posso fazer nenhuma afirmativa
genérica. Alguns deles reencarnam; outros vivem no mundo dos espíritos em uma esfera de
purificação; outros vão para a escola que existe ali; alguns se preparam para a próxima vida; outros
ainda têm uma tarefa a cumprir no mundo dos espíritos, relacionada ou não com seu talento, ou
precisam aperfeiçoar algum outro aspecto. E alguns podem já ter atingido um alto grau de perfeição.

Vou partir agora, e quero dizer a cada um de vocês, nunca se sintam sozinhos. Deus ama
muito a todos vocês. O amor de Deus está com todos vocês. Fiquem em paz, sigam o caminho. Ele
lhes trará a felicidade. Que Deus abençoe a todos, meus amigos!

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por
escrito da Fundação. A Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou
pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida,
de acordo com a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou
abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua
comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork
Foundation tenham concordado em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de
transformação pessoal reconhecidos pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Telefone : (011) 3721-0231 E-mail: pathworksp@pathwork.com.br Visite: www.pathwork.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter)
Telefone: (71) 3237-4962 E-mail: pathworkbahia@yahoo.com.br Visite www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília (Chapter)
Telefone: (61) 3442-8108 E-mail: fvervloet@gmail.com
Pathwork® Ceará (Chapter)
Telefone : (085) 8731-1122 E-mail: reginalencar@gmail.com
Pathwork® Goiás (Chapter)
Telefone: (62) 8118-0446 E-mail: ritapath@hotmail.com
Palestra do Guia Pathwork No. 11 (Palestra Não Editada)
Página 11 de 11

Pathwork® Minas Gerais (Chapter)


Tel: (31) 9959-5547 E-mail: pathworkmginstituto@gmail.com Visite: www.pathworkminas.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Telefones: (083) 9967-8303/(083) 3235-5188/(083) 3224-2362 E-mail: claubetenobrega@terra.com.br Visite: www.pathworkpb.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro (Chapter)
Telefone:: (21) 2529-2322 E-mail: gmdell@globo.com Visite www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Telefone: (51) 9177-3178 E-mail: suefonseca@hotmail.com. Visite www.pathworksul.com.br
Visite: www.pathwork.org.
Visite: www.pathworkbrasil.com.br
Palestra do Guia Pathwork nº 12
Palestra Anteriormente Editada
17 de Setembro de 1957

O TRABALHO DO ESPÍRITO – A VIDA NO MUNDO ESPIRITUAL

Trago-lhes divinas bênçãos, meus queridos amigos.

Ouvimos as pessoas dizerem, repetidamente: “Se Deus existe, e realmente existe uma ordem
divina, como pode ser que tantas coisas terríveis aconteçam na Terra?” Vocês todos sabem, todos
aprenderam que os seres humanos fazem os seus próprios destinos. Ter de carregar fardos tão
pesados é o resultado da quebra de leis espirituais, com freqüência inconscientemente. Ainda assim,
isto não vai explicar a vocês, suficientemente, eventos como as guerras, nos quais, pela decisão de
uns poucos, muitos que parecem inocentes têm de sofrer um pesado destino. Ao que eu respondo:
em primeiro lugar, mesmo em desastres de grupo ou de massa, um indivíduo nunca precisará
experimentar nada que não sirva ao seu próprio destino. Em segundo lugar, todas as pessoas, exceto
aqueles muito poucos que já alcançaram um estado mais alto de purificação, também estão
compartilhando a responsabilidade pelas guerras e outros desastres de massa. Não apenas os
políticos ou aqueles poucos que visível e publicamente moldam a história mundial devem ser
responsabilizados pelas guerras, mas cada pessoa que, com pensamentos e emoções impuras, polui a
“reserva”cósmica, e isso, um dia, deve ter o seu efeito.

Cada pensamento de ódio, de separação, de egoísmo, de injustiça, de discriminação, de querer


mais para si do que para o vizinho, enfim, cada pensamento que quebre as leis de Deus é um tijolo
naquela enorme estrutura espiritual – a guerra – a qual precisa primeiro ser formada em espírito
antes de poder manifestar a destruição em um plano material. Se somente uma pequena parte da
humanidade semeasse as sementes da paz, as guerras não existiriam, apesar de alguns políticos
inescrupulosos. A maioria das pessoas, incluindo os meus amigos aqui, ancoram pensamentos de
ansiedade, e senão pensamentos de ódio, então de desconfiança e separação, como por exemplo
entre um grupo e outro – e tudo isso viola a lei da irmandade. Cada pensamento deste tipo, cada
emoção é uma contribuição significativa para o desencadeamento da guerra.

Isto não se aplica a pensamentos e sentimentos apenas, ou a reações individuais a questões e


opiniões políticas gerais. Mesmo quando as pessoas estão livres de reações falsas referentes à
sociedade em geral, mas reagem em suas vidas privadas de maneiras negativas e errôneas, esta
energia contribuirá para precipitar uma guerra ou uma outra catástrofe de massa. Somente quando
você se purifica de dentro para fora, limpa as suas emoções e pensamentos e então preenche o seu
destino da melhor forma onde quer que você esteja, é que você pode se tornar um condutor da paz.
De maneira indireta, ao viver espiritualmente, as pessoas podem fazer mais a favor ou contra a
guerra do que políticos ou homens de estado, meus queridos amigos.

Questionem-se honestamente, entrem no sentimento, examinem-se quando vocês enviam –


talvez até agora inconscientemente – tal “veneno” que auxilia e favorece os poderes que promovem
a guerra. Olhem para alguns dos seus irmãos com os quais vocês talvez tenham dificuldades. Pode

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation
Palestra do Guia Pathwork No. 12
Página 2 de 7

ser que eles os tenham ferido e vocês não consigam superar ou entender isto. Contudo, tentem olhar
a questão de um outro ponto de vista. Tentem ver que talvez a outra pessoa tenha reagido a você
por cegueira, ignorância e uma grande insegurança interior, erroneamente tentando se proteger.
Considerem quantas vezes vocês mesmos tiveram uma reação parecida e talvez tenham ferido um
outro ser humano, não porque queriam, mas porque dentro de sua própria insegurança cega vocês
acharam que esta era a melhor maneira de se protegerem. Na mesma medida que vocês mesmos
fazem isto, isto será inevitavelmente feito a vocês por outros, embora nem sempre pela mesma
pessoa. À medida que vocês reconhecem e entendem esta situação, vocês reconhecerão o
comportamento do outro, até então inexplicável, pelo que é, simplesmente da maneira que expliquei
aqui. Com este entendimento, a ferida desaparecerá e a compreensão do outro lado aumentará
consideravelmente porque vocês mesmos a experimentaram e tornaram parte de sua consciência. Da
compreensão vem a empatia e este é o caminho do amor. Com ele vocês constroem a sua felicidade,
ganham conhecimento e sabedoria, preenchem as suas vidas e assim contribuem para a causa da paz.
Cumpram esta pequena tarefa, meus amigos, cada um de vocês, encarem-na seriamente e não
superficialmente, e então sentirão uma grande libertação. Vocês se libertarão de um fardo.

Então tentem não focalizar sempre em vocês mesmos e em sua dor. Tentem ver o outro.
Esqueçam de si mesmos por um momento, tentem entender o outro no sentido que expliquei
anteriormente. Vejam a dor dele e não a sua, vejam a insegurança dele e não a sua. E peçam a Deus
que lhes dê a luz da verdade e do conhecimento para olhar para toda a situação como ela realmente
é, e não da maneira que vocês estão tentando mostrá-la do seu ponto de vista. Posso prometer a
vocês, meus amados, que se vocês verdadeiramente desejarem entender a necessidade e a solidão do
outro, então vocês não experimentarão seus atos errôneos como dolorosos para vocês. Vocês
podem se libertar do seu sofrimento concentrando-se no “tu” ao invés do “eu” e pedindo a Deus
para dar-lhes a visão completa da verdade. Se este desejo estiver genuinamente presente, ele será
atendido. Mas nós sabemos muito bem que temos de estar realmente decididos para sermos
verdadeiramente motivados por um desejo genuíno. Considerem esta uma ocasião para se testarem.

E agora, meus queridos amigos, eu gostaria de atender a um desejo de alguns dos meus amigos
e, como exceção, falar da vida nos mundos do espírito. Eu vou voltar ao assunto no futuro quando
surgir oportunidade, porque neste curto período de tempo eu só posso dizer um pouco a respeito da
imensurável complexidade dos mundos do espírito e suas diferentes condições e inter-
relacionamentos.

Quando os seres humanos ouvem sobre as esferas do além, frequentemente pensam que é
tudo muito parecido com as condições na Terra e não conseguem acreditar. Mas na verdade, meus
queridos, tudo que vocês têm no seu mundo também existe no mundo espiritual, e muito mais. Pois
os objetos terrestres são apenas um reflexo, uma imitação das coisas espirituais correspondentes. Na
realidade, elas não poderiam existir no seu mundo a menos que existissem primeiro em espírito.
Portanto as coisas espirituais não são, como os seres humanos com frequência pensam, símbolos. É
o contrário: as coisas terrestres são símbolos que representam a realidade espiritual. Há muito
material nisto para se meditar. No entanto, as coisas do mundo espiritual estão em relação diferente
às entidades espirituais do que uma coisa terrestre, uma paisagem terrestre, está para os seres
humanos. No mundo espiritual, as paisagens ou objetos são a expressão mental, o produto da
mentalidade do respectivo ser espiritual; no mundo humano, os objetos ou paisagens parecem não
Ter nada a ver com o indivíduo. Acredita-se que existam independentemente do indivíduo,
Palestra do Guia Pathwork No. 12
Página 3 de 7

puramente funcionais, se é que pode se dizer assim. É lógico que, para os seres humanos, isto é
difícil de entender. Mas, oportunamente, o seu conhecimento aumentará.

Existe um número infinito de esferas, da mais superior à mais pura à mais profunda e mais
impura com gradações, para vocês, imensuráveis nos entremeios. Nem todos os seres que já não
estão sujeitos ao ciclo da encarnação já estão nas esferas espirituais mais superiores . Eles precisam
se desenvolver mais, um desenvolvimento que acontecerá no mundo espiritual. O mundo mais
superior é o que nós chamamos “a casa de Deus”, embora isto não deva ser entendido literalmente.
Espíritos de desenvolvimento superior que ainda não vivem na esfera mais alta recebem acesso
ocasional a estes esplendores superiores. Estes mundos consistem de matéria sutil de tamanha
harmonia e beleza imensuráveis que vocês, meus amigos, possivelmente não consigam imaginar. A
mais bela paisagem na Terra é contaminada com impureza e desarmonia se comparada a esta beleza.
A mais bela e magistralmente executada música na Terra é dissonância se comparada aos sons
espirituais – e assim por diante. Eu não tenho palavras para descrevê-lo e vocês não têm os
conceitos. Tudo é criado de raios, tudo está em movimento, em mudança, e ainda assim em
equilíbrio. Esta contradição aparente não pode ser esmiuçada em seus conceitos verbais, assim como
também me é impossível transmitir a vocês até uma idéia aproximada dos esplendores encontrados
nas esferas superiores e mais superiores.

Os seres que lá residem têm de cumprir suas tarefas no Grande Plano, até que todos os seres
tenham retornado a Deus. Reina uma maravilhosa ordem e organização. As mais diversas esferas
existem aqui. Só posso falar-lhes muito pouco a respeito delas. Há esferas de música e cor, onde os
sons são cores e as cores são sons – e, ao mesmo tempo, também são fragâncias. Na Terra tudo é
separado, não há unidade.

Uma esfera no mundo espiritual poderia ser chamada de esfera da ciência. Contudo, não é
como a sua ciência humana. Todo o conhecimento que existe, o qual a humanidade descobre apenas
parcial e gradualmente, desfila abertamente. Existe a esfera da história, se é que posso chamá-la
assim. Esta não trata apenas da história da Terra, mas também da história da Criação, e aqui tudo
pode ser observado. Vocês só têm de imaginar um filme. Tudo fica gravado no sopro de Deus, e
pode-se rever tudo. Espíritos suficientemente avançados no seu desenvolvimento e que tenham um
interesse específico podem assumir uma tarefa em particular. Eles são então guiados a esta esfera
por seres espirituais especialistas e, com a ajuda deles, estudam por algum tempo para aprender o
que é necessário e vantajoso para a tarefa escolhida. Eles aprendem o Plano da Salvação, a história
da Criação e tudo que diz respeito a ela. Aqui também estão os planos para o futuro esboçados por
alto, sempre apenas como um esqueleto, deixando para cada alma espaço suficiente para determinar
o tempo e o resultado com o seu livre arbítrio. Esta esfera também é de beleza inimaginável. Então
há a esfera onde os espíritos das crianças mortas vivem para ser treinados e educados. Esta esfera
também é de grande beleza. E existem muitas, muitas mais.

As esferas que já não pertencem a estes patamares contêm, também, notável beleza. E lá,
também, a beleza é muito maior do que o que há de mais lindo na sua Terra. Muitas possibilidades e
variedades das esferas que acabei de mencionar existem também aqui. Mas a sua perfeição não é tão
completa quanto a das esferas similares entre os patamares superiores. Tudo depende da estágio de
desenvolvimento das entidades. A receptividade para a felicidade, harmonia e complitude depende
inteiramente do estágio de desenvolvimento.
Palestra do Guia Pathwork No. 12
Página 4 de 7

Existem esferas de purificação das quais a Terra é uma. Estas esferas de purificação existem
em vários níveis de desenvolvimento. Existem, mais além, muitos tipos de escolas e universidades.
Existem hospitais, meus queridos, onde almas aflitas são cuidadas e curadas. Existem locais de
descanso, também em diferentes graus, tudo correspondente ao desenvolvimento, para espíritos que
deixaram os seus corpos para trás e também para espíritos que vieram descansar no mundo
espiritual após o cumprimento de uma grande tarefa. Estes seres precisam de descanso por um certo
período de tempo.

Outras esferas poderiam ser chamadas de esferas de recepção. Também são bonitas e, com
frequência, mais do que na sua esfera terrestre, para entidades espirituais que talvez ainda não
estejam no nível de merecerem contentamento contínuo. Entretanto, cumpriram com suas vidas
bem, dentro dos limites de suas possibilidades e precisam e merecem um tempo de recuperação
antes que possam retomar o seu caminho de desenvolvimento.

Dentro de uma extensa esfera com diversos departamentos, existem lugares específicos onde
as encarnações são preparadas. Em hospitais de um tipo muito específico entidades espirituais
medicinalmente treinadas trabalham na preparação de fluidos, como eu já expliquei. Elas misturam
os fluidos, tornando a entidade inconsciente no momento. Em outra parte desta esfera as
encarnações são discutidas. Aqui, seres superiores especificamente treinados conhecem com
exatidão as leis e as encarnações passadas de uma alma individual, estudaram a carga para ainda
carregar os méritos, as habilidades, o que foi cumprido e o que ainda permanece. Conhecem o
caminho inteiro do destino da alma individual de forma que são capazes de averiguar e planejar as
circunstâncias e condições mais vantajosas para a próxima vida na Terra, incluindo os méritos e
obstáculos que cada entidade deve trazer para a Terra para fazer o maior progresso. O ser que está
para encarnar discute a vida vindoura com os seres superiores, expressa os seus desejos e ouve
conselhos.

Existem, então, as diferentes esferas de purificação e gradação, cada uma de acordo com
estágios de desenvolvimento. Futuramente eu falarei mais a respeito de como os destinos das
entidades se desdobram, como o desdobramento influencia o processo de purificação e em que
consiste este processo. Vocês então compreenderão as funções das diferentes esferas de purificação.
Aqui, eu vou apenas dizer, muito brevemente, que há uma esfera específica onde uma vida é vista, às
vezes até muitas vidas. Algumas vezes, a última vida é relacionada com a que a precedeu e somente a
comparação das duas provoca a compreensão completa. Agora o espírito que recém concluiu a sua
vida terrestre vê a sua vida com tal clareza que não mais pode fingir e dar desculpas da maneira que
os humanos gostam de fazer. Estes têm uma tendência a desalojar os seus reais motivos e a usarem
uma máscara de maneira que as suas correntes puras ficam poluídas por qualidades impuras. Mas
aqui tudo é claro e aberto.

Isto não deve ser confundido com o famoso fenômeno pós-morte em que a pessoa vê a sua
vida desenrolar-se frente a seus olhos em uma sequência muito breve. Isto é outra coisa. Sempre
ocorre, mas neste caso acontece muito brevemente e o espírito humano vê o quadro de sua vida
passada quase indiferentemente, por assim dizer. Parece se tratar da vida de outra pessoa. Não se
afeta, não fica emocionado. Vê a vida de forma objetiva. Na esfera da purificação, o processo é
muito mais prolongado e dura o tempo necessário para que vocês entendam o que, até agora,
recusaram-se a entender. O que pode ser doloroso. Você realmente sente que se trata de você. Você
re-experiência a sua vida. E aí acontece que a vida terrestre é avaliada um tanto diferentemente do
Palestra do Guia Pathwork No. 12
Página 5 de 7

que o é aqui na Terra, onde você ainda está no seu corpo. Uma vez que o corpo cerca o espírito e o
aprisiona, o sofrimento de cada tentativa e sopro do destino é grande. Experimentar alguma coisa
difícil lhes parece assustador. Mas, desde que tudo esteja bem por fora, vocês ficam felizes.

Já nestes domínios da purificação – os quais, de maneira alguma, são esferas superiores – a


experiência de olhar para cenas que se revelam da sua última vida é inteiramente diferente. É
possível que um destino pesado que você tenha sofrido na Terra o tenha deixado muito triste na
ocasião, mas, desde que você tenha passado por ele bem, do ponto de vista espiritual, ele lhe dá
agora, ao experimentá-lo de novo, olhando o filme, um sentimento de infinita paz. Dá-lhes uma
sensação de felicidade por ter passado no teste e aprendido o que havia para ser aprendido. No
entanto, um tempo agradável passado com satisfação pode lhes causar uma grande inquietação se,
durante este tempo, a tarefa espiritual não foi cumprida.

Vocês re-experienciarão a vida frequentemente logo depois de terem deixado o corpo, e isto é
importante entender, mas vão sentí-la e julgá-la de forma diferente. Os momentos felizes na Terra
podem, portanto, não coincidir com sentimentos de felicidade quando, um dia, vocês olharem
novamente para a sua vida. A pessoa que puder atingir, já na Terra, esta mesma compreensão
profunda da sua vida e realmente experimentá-la e sentí-la da maneira como o fará na esfera da
purificação, já terá realizado muito. A sua purificação será muito menor e menos dolorosa e lhe dará
paz e satisfação. Esta é a verdade por trás do equívoco humano de que aquele que carrega o fardo
mais pesado na Terra experimenta grande alegria no mundo espiritual, e vice-versa. Agora, eu não
digo que isto vai sempre acontecer. Alguém pode ir de encontro a um destino difícil e não provar-se,
mas apenas tornar-se mais exacerbado e separado de Deus. Outra pessoa pode provar-se respeitável
durante períodos de boa fortuna, trabalhando até mais ativamente em seu desenvolvimento
espiritual. Mas isto é mais raro. Experimentar completamente um destino pesado frequentemente já
traz um avanço e uma noite a menos nas dívidas cármicas e ajuda a empreender o seu
desenvolvimento mais profundo com um peso diminuído.

Então, na esfera da purificação, você vê a sua vida passada de um ponto de vista que,
frequentemente, é completamente diferente da perspectiva terrestre. E este ponto de vista
corresponde à verdade. Cada vez mais devemos observar a tristeza e o remorso, uma vez que tantos
seres se arrependem de não terem reagido diferentemente nesta ou naquela situação. Perguntam-se,
repetidamente: “Por que eu não consegui – ou não quis – ver isto? Agora tudo faz sentido.” Ou:
“Por que eu não entendi a ajuda que foi oferecida? Por que eu me fechei para ela? Por que eu não
quis ver o verdadeiro significado da vida, cumprindo a tarefa para que eu vim? Por que eu me
recusei a acreditar que esta vida não era a única realidade, que havia mais, que ela era apenas um elo
da corrente?” E muito daquilo que a pessoa jogou para o lado como não importante ou acidental se
torna claro nesta fase da purificação. Lá no fundo, o espírito entenderá as causas. O significado se
abrirá claramente destas cenas da vida, que não refletem somente a vida externa, mas também as
correntes e reações da alma.

Você entenderá que foi você que recusou outras escolhas porque eram muito desconfortáveis,
preferindo convencer-se de que “ de qualquer jeito, tudo é sem sentido, então por que fazer alguma
coisa?” Vocês, seres humanos, não querem fazer o esforço envolvido em se desenvolverem e
frequentemente vocês, ou pelo menos uma parte de vocês, se recusa a aceitar este fato.
Palestra do Guia Pathwork No. 12
Página 6 de 7

Algumas esferas servem para treinar os espíritos para tarefas no mundo espiritual que se
referem a humanos, espíritos e muito mais. Espíritos especiais são treinados para ser o que
poderíamos chamar de espíritos com missão. Eles se dividem em diferentes grupos. Tomemos um
infortúnio na Terra, por exemplo um acidente de trem. Não é tarefa destes espíritos com missão
proteger as pessoas que não estão destinadas a morrer. Esta é sempre a tarefa do espírito guardião.
Os espíritos com missão desempenham a tarefa de receber os seres que vêm a nós tão de repente e
completamente despreparados. Outros espíritos com missão são especificamente treinados para
receber pessoas que morrem de maneira diferente, guiá-las e oferecer-lhes ajuda. Um outro tipo de
espíritos com missão vão, de tempos em tempos, às profundezas, às esferas da escuridão para trazer
luz e ajudar certos seres se a atitude deles justificar isto. Se a perspectiva destes seres muda, os anjos
com missão podem erguê-los a uma esfera superior. Outros especialistas entre os espíritos com
missão cuidam daqueles que deixaram seus corpos em um estado de completa descrença. Eles lhes
oferecem ajuda e guiança, que podem ser aceitas ou rejeitadas com o livre-arbítrio. Existem muitas
outras possibilidades. Eu lhes dei apenas um pequeno esboço geral e alguns exemplos.

Certamente, para aqueles amigos que ainda não se ocuparam com questões espirituais, tudo
isto pode parecer estranho e peculiar. A compreensão só pode vir quando os obstáculos internos
forem eliminados e o auto-conhecimento estiver acontecendo, quando você estiver disposto a
examinar-se honestamente e ver se ainda permanece alguma resistência contra a aceitação destas
verdades. Repetidamente observamos a resistência. Pode ser, como eu disse antes, que as pessoas se
intimidem de conhecerem-se verdadeiramente, de desenvolverem-se no caminho, de superarem suas
resistências. Preferem afastar o que é desagradável reconhecer em si mesmos. No entanto, este é um
requisito de desenvolvimento espiritual para todos, não apenas para os que estão à frente do
caminho.

Pode ser, também, que este encolher-se seja causado pelo medo do desapontamento. É um
medo de que talvez não seja assim, um medo de agarrar-se à esperança de que esta vida difícil não
seja a última, nem a única e final. Esta é uma outra atitude que pode estar no fundo da resistência a
aceitar a realidade maior. Ambas as motivações podem existir simultaneamente na mesma pessoa.

A fé é compreensão superior, a fé é saber e este saber é graça. É preciso fazer juz à graça. Isto
acontece quando a boa vontade da pessoa se torna manifesta e conquista as correntes transversais
inconscientes que tentam negar a verdade. Pois se a boa vontade da pessoa não relaxar, as correntes
negativas inconscientes acabarão penetrando na consciência. Aqui, pode-se lidar com elas,
transformá-las e, assim, alinhá-las com a boa intenção externa. Se a intenção de conhecer e
ultrapassar a própria natureza inferior for decisiva, a base para receber a graça do conhecimento e
experiência mais profundos da realidade estará estabelecida. Pois o seu mundo terrestre não é a
realidade, meus amigos, mas o mundo espiritual é imperecível e a única verdade a que vocês podem
sempre agarrar-se.

[ P & R não traduzidas.]

Agora, meus queridos, eu já lhes dei o suficiente por hoje. Gostaria de dizer a todos vocês que
ficaremos felizes se vocês progredirem e perseverarem neste caminho. Que todos vocês recebam as
bençãos de Deus, estejam em paz, trilhem o seu caminho com coragem e com o conhecimento de
que todos os seus esforços são do maior benefício. Nada que vocês empreendam no domínio
Palestra do Guia Pathwork No. 12
Página 7 de 7

espiritual pode dissolver-se ou ser em vão. Nada! E, novamente, que as bençãos de Deus cheguem a
vocês e a todos os meus amigos, perto ou longe. Estejam em Deus!

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por
escrito da Fundação. A Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou
pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida,
de acordo com a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou
abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua
comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork
Foundation tenham concordado em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de
transformação pessoal reconhecidos pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Telefone : (011) 3721-0231 E-mail: pathworksp@pathwork.com.br Visite: www.pathwork.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter)
Telefone: (71) 3237-4962 E-mail: pathworkbahia@yahoo.com.br Visite www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília (Chapter)
Telefone: (61) 3442-8108 E-mail: fvervloet@gmail.com
Pathwork® Ceará (Chapter)
Telefone : (085) 8731-1122 E-mail: reginalencar@gmail.com
Pathwork® Goiás (Chapter)
Telefone: (62) 8118-0446 E-mail: ritapath@hotmail.com
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Tel: (31) 9959-5547 E-mail: pathworkmginstituto@gmail.com Visite: www.pathworkminas.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Telefones: (083) 9967-8303/(083) 3235-5188/(083) 3224-2362 E-mail: claubetenobrega@terra.com.br Visite: www.pathworkpb.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro (Chapter)
Telefone:: (21) 2529-2322 E-mail: gmdell@globo.com Visite www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Telefone: (51) 9177-3178 E-mail: suefonseca@hotmail.com. Visite www.pathworksul.com.br
Visite: www.pathwork.org.
Visite: www.pathworkbrasil.com.br
Palestra do Guia Pathwork No. 13
Palestra Anteriormente Editada
27 Setembro 1957

PENSAMENTO POSITIVO - O TIPO CERTO E O TIPO ERRADO

Eu os saúdo no Nome do Senhor, meus amigos, e trago-lhes as Suas bênçãos. Existem muitas
pessoas que quando entram em contato com Deus, com a Verdade Absoluta, com o Mundo
Espiritual, acreditam que essa experiência - a certeza de tudo isso - pode chegar-lhes através de
alguma "prova" impressionante que esperam receber pessoalmente. Mas pode não ser assim, meus
amigos.Quando vocês desejam esse tipo de "prova", pensam que por meio dela poderão eliminar as
suas dúvidas que, em si mesmas, são bastante compreensíveis. Todavia jamais poderão tais dúvidas
desaparecer em virtude do tipo de prova pelo qual vocês esperam.Dúvida é o oposto de fé; e fé,
meus amigos, é na realidade nada mais que experiência, a certeza de tudo do que vocês podem
duvidar no presente: ela é a experiência interior. E tal experiência não pode vir a existir através de
acontecimentos externos.Portanto lidamos aqui com dois níveis completamente diferentes de
consciência. Para realizar algo no seu interior vocês têm que preparar também as respectivas
condições internas, descobrindo e vencendo os seus bloqueios, empecilhos e obstáculos interiores;
resumindo, tudo que se põe em seu caminho para a fé em sua verdadeira acepção.

Suponhamos que você recebesse o tipo de prova pelo qual espera sem que os seus obstáculos
internos tenham sido removidos em primeiro lugar. No momento você ficaria impressionado e
poderia dizer: "Realmente, isso é estranho, isto é maravilhoso, é espantoso." Porém, após esse efeito
inicial ter-se gasto, as dúvidas existentes no seu íntimo viriam novamente ter à superfície. Você diria
consigo mesmo: "Talvez o médium o soubesse" ou, na melhor das hipóteses, poderia dizer que se
trata de "coincidência." Você então pode ver que quando ocorrências externas não são
consubstanciadas por dentro, o maior dos efeitos exteriores fatalmente gastar-se-á ou esmaecerá
após um intervalo de tempo, porque esses dois níveis de percepção não podem jamais substituir um
ao outro; eles podem apenas ser integrados pelo aumento constante do desenvolvimento interno.A
experiência da Verdade Absoluta é como um organismo vivo; ela não pode chegar a você nem pelos
acontecimentos exteriores mais miraculosos. Pode apenas ser alimentada, cuidada e desenvolvida
como qualquer organismo vivente. Também o crescimento físico acontece com vagar, passo a passo,
porém com certeza; você quase não nota o crescimento enquanto ele está ocorrendo, mas vê de
repente o resultado do gradual desenvolvimento anterior. Assim se dá com todo crescimento físico e
não é nem um pouco diferente com o crescimento espiritual ou emocional. Nenhum aparente atalho
tem jamais qualquer efeito duradouro e é, portanto, uma farsa. Os atalhos, as medidas instantâneas
destinadas a eliminar o esforço de colocar em movimento um crescimento vagaroso estão de acordo
com os poderes da escuridão. Os seus caminhos são, de imediato, muito efetivos, bastante rápidos,
mas nunca duradouros.

Por sua vez, o crescimento e o desenvolvimento graduais estão em concordância com a Lei
Divina e serão, no devido tempo, coroados de sucesso. Portanto seria bom que todos vocês que se
encontram em tal posição se lembrassem que não se pode chegar ao tipo de fé de que tratamos aqui
através de uma única experiência, não importa quão espantosa possa ela ser. Mas você obterá essa fé

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation
Palestra do Guia Pathwork No. 013
Página 2 de 10

trabalhando espiritualmente, trilhando este Caminho de Perfeição, vindo a conhecer a si mesmo


como realmente é, compreendendo os seus conflitos internos e descobrindo de que maneira
compreendo os seus conflitos internos e descobrindo de que maneira - mesmo que apenas por uma
reação emocional - infringiu as Leis Espirituais. À medida que você avança para se libertar, passo a
passo, das suas cadeias internas as dúvidas aparecerão com freqüência cada vez menor. Elas não vão
desaparecer subitamente, mas irão voltar cada vez mais raramente, sempre com menor força até
desaparecerem gradualmente de uma vez por todas. Essa é a única maneira, meus amigos. Qualquer
coisa que lhes seja simplesmente dada de forma para dentro terá apenas um efeito passageiro e
nunca duradouro. Como eu já disse anteriormente, essa é a Lei para todas as coisas Divinas. Tudo
que é substancial e permanente cresce devagar, com um máximo de esforço pessoal e, pouco a
pouco, enquanto acontece, você pode nem mesmo estar consciente da extensão em que você e a sua
fé, sua experiência do Absoluto, e a sua percepção dela, crescem.

Não são apenas as pessoas no começo deste Pathwork ou aquelas no seu limiar que precisam
saber a respeito desses fatos. Pois, como já expliquei, mesmo aqueles que já se encontram engajados
no processo do seu correto desenvolvimento interior acham-se por vezes, embora com menos
freqüência e menos impacto, assaltados por suas primeiras dúvidas. Para esses momentos inevitáveis
de descrença eu desejo dar-lhes um simples conselho, meus amigos, para que vocês possam saber
como enfrentá-lo. A maioria de vocês sabe que existem duas forças dentro da alma humana. Há o
Eu Superior ou Centelha Divina, que é a parte do homem na qual existe o esforço "para cima"; é
aquela parte do homem que deseja a perfeição para ser humano como um todo - a integração total.
E nessa parte você sabe tudo de que o seu ser consciente duvida e ela quer transmitir esse
conhecimento para a sua consciência. A outra parte, o Eu Inferior - o qual inclui não apenas os seus
defeitos e fraquezas, mas também a sua ignorância e todas as facetas pelas quais você consciente ou
inconscientemente descumpre a Lei Divina - está também dividida, com muita freqüência em duas
outras partes. Uma teme a certeza do Mundo Espiritual pois, o conhecimento também significa
responsabilidade e o ser humano na sua natureza inferior prefere permanecer ignorante, porque
assim ele está livre da obrigação de conquistar o seu Eu Inferior, o que não é realmente fácil de
conseguir. A outra deseja profundamente a verdade de tudo de que ainda duvida pois, difícil como
possa parecer, ela significa felicidade e bem-aventurança eternas. Mas o medo em seu Eu Inferior,
cada um por suas próprias razões, tentam fazer com que o Ser Humano duvide dessas últimas para
evitar a decepção. Portanto o Eu Superior e o Eu Inferior estão em guerra um com o outro, e
sempre que existe desarmonia interna significa que as duas naturezas do Ser Humano estão lutando.
Assim, sempre que a dúvida reaparece é o Eu Inferior do Ser Humano que fala. Quando a dúvida se
vai, quem fala é o Eu Superior. Então você sabe que Deus, a sua maravilhosa criação, o Seu Mundo
Espiritual são verdades em que tudo é possível, onde a infelicidade não pode existir. Mas quando o
Eu Inferior é mais forte, você crê que a dúvida, o desespero, a desesperança podem, ao final, ser
todos verdadeiros. Agora resta apenas uma questão para ser resolvida por vocês que é saber qual dos
lados é o certo; qual deles é realmente a verdade? Esta é a verdadeira questão que resulta de toda
essa efervescência. Tudo que vocês devem fazer enquanto persiste a dúvida é recolherem-se em
quietude. Formulem esse debate em um pensamento claro e conciso e façam a Deus esta simples
pergunta: "Qual é a verdade?" E então mantenham-se abertos para a resposta. Não esperam que ela
possa sempre lhes ser dada imediatamente. Nos dias que se seguirem simplesmente continuem
conscientes dela. De uma forma ou de outra vocês a receberão, no devido tempo.
Palestra do Guia Pathwork No. 013
Página 3 de 10

Na realidade, porém, a resposta já está definida dentro de você, embora talvez você ainda não
o saiba. Isso é evidente pelo simples fato de que, quando você está em dúvida, você fica deprimido.
E quando está no estado de experiência da Verdade você se sente feliz. A verdade sempre deve fazê-
lo feliz, mesmo aquela que lhe é desagradável. Todos os meus amigos no Pathwork já o
experimentaram e sabem que inevitavelmente encontram facetas não lisonjeiras e desagradáveis
dentro de si mesmos. Mas quando o desejo da verdade no interior torna-se maior que todo o resto,
essa verdade desagradável irá sempre fortalecer e trazer felicidade. Da mesma forma, se você
observar de perto o seu sentimento, vai descobrir que a inverdade, agradável como possa parecer de
imediato, nunca lhe dá paz verdadeira, pois, lá no fundo o seu Eu Superior tem a resposta correta e
você deve senti-la. A verdade, portanto, nunca vai deixá-lo deprimido, meu amigo. E aí você
encontra a resposta para a questão que você ainda não resolveu quando está em dúvida. Mas se você
não estiver satisfeito com a sua própria voz interior que lhe diz a verdade e caso deseje mais
respostas, faça a Deus esta pergunta. Formule os seus sentimentos: "Qual é a verdade? Estou pronto
para receber a resposta." Eu lhe prometo a resposta, desde que você não a esqueça, que você não a
retire da sua mente, mas de forma relaxada e serena, você continue a levar sua vida, pacientemente
porém com consciência, e a verdade lhes será mostrada, a verdade de qual dos dois lados em luta
dentro de você tem a resposta correta. E mesmo aqueles no início deste Pathwork podem fazer uso
deste conselho e lidar com a questão de maneira semelhante.

E quando você tiver ultrapassado os obstáculos no seu interior e estiver maduro o bastante
para permanecer em um estado de Verdade, as provas que você desejou a princípio - o propósito de
ser capaz de acreditar - virão a você também do exterior, não apenas uma, mas centenas de vezes. O
propósito, porém, não será fazê-lo ver a realidade como ela de fato é, fazê-lo sentir-se convencido
ou superar as suas dúvidas, mas tais provas, que são muito mais do que você jamais sonhou possível
e muito mais maravilhosas do que você jamais pensou, simplesmente surgirão como subprodutos
naturais da sua vitória interior. Em outras palavras, o objetivo não é convencê-lo pois, como já
expliquei, isso de qualquer modo é impossível. Mas elas são o resultado, ou parte do resultado
natural de se andar no Caminho de Deus. Quando você não mais precisar dessa prova, vai recebê-la
em abundância. Esses incidentes serão apenas uma confirmação adicional para você e isso com
certeza vai fazê-lo feliz, embora não represente a condição pela qual você pode acreditar na Verdade
e aceitá-la. Isso também é sabedoria profunda e Lei Divina e não deveria ser diferente.

Agora quero falar a respeito de um assunto muito discutido entre vocês, meus amigos - o tema
do Pensamento Positivo. Pensamento Positivo é, na verdade, essencial para a pessoa que quer
crescer espiritualmente. Contudo, infelizmente ele é com freqüência mal interpretado e aplicado de
forma errada. Construir pensamentos limpos e adequados de acordo com a Lei Divina é,
naturalmente, um dos princípios fundamentais. Uma vez que, como você sabe, os seus pensamentos
são realidade, eles têm forma e substância. E por meio de pensamentos impuros você cria formas
desarmoniosas que devem, cedo ou tarde, produzir seus efeitos em sua vida e no seu destino. Não
são apenas os pensamentos, todavia, que têm esse efeito, mas também os sentimentos e reações
emocionais - ou pensamentos subconscientes. Em todo caso, a grande tentação de pessoas espiritual
e emocionalmente imatura é pôr tudo que é desconfortável no subconsciente onde causa
infinitamente mais prejuízo que qualquer pensamento consciente, por pior que seja. No consciente
pode-se lidar com ele e resolvê-lo enquanto que na mente inconsciente ele permanece latente como
uma bomba-relógio, e de lá as formas desarmoniosas constroem-se de forma tão destrutiva quanto
do pensamento consciente. O estudante diligente do princípio do Pensamento Positivo é portanto,
com freqüência, encorajado a fazer exatamente o que é pior para ele. Ele está tão preocupado em
Palestra do Guia Pathwork No. 013
Página 4 de 10

não acolher pensamentos negativos que tende a forçar todos aqueles que existam nele para o
subconsciente e assim negligencia a discrepância que passa a existir - aquilo que ele quer pensar e
aquilo que ainda realmente pensa e sente. Deveria ser enfatizado que os pensamentos podem ser
controlados pela sua direção consciente de vontade, assim como as ações também o podem.
Contudo os seus sentimentos não podem ser controlados assim; você não pode controlar
diretamente os seus sentimentos. Todos vocês sabem disso. Vocês podem saber muito bem que
odiar é pecaminoso, mas quando ainda existe ódio em vocês, essa corrente interna não pode ser
modificada simplesmente porque vocês tentam forçar-se; ou, se você não ama uma pessoa, você não
pode forçar-se a fazê-lo, não importa quanto o queira. A mudança só pode ser produzida de forma
bastante indireta: por controle remoto, se posso usar essa expressão. A cada passo "para cima" que
você dá no seu Pathwork, pouco a pouco, os seus sentimentos mudarão de maneira automática,
natural e gradual. Mas uma das condições para realizá-lo é que você torne o seu subconsciente
conhecido à sua consciência. E ao tentar com muita força o sistema de Pensamento Positivo pode
trabalhar exatamente na direção oposta e induzi-lo a pensar superficialmente naquilo que não tem
verdadeiras raízes em você. Assim você vive uma mentira, por mais bem-intencionada que seja, e
essa é a mais prejudicial de todas as coisas ! Portanto é imperativo confrontar aquilo que ainda existe
realmente em você, encará-lo de frente. Porém quando você está tão preocupado com esse
Pensamento Positivo - que é correto na sua forma adequada - você é posto em perigo pela sua
própria boa vontade e também em parte pela parte de você que detesta reconhecer correntes
desagradáveis no seu interior e que negligencia o que realmente existe em você, trancando-o no lugar
onde vai fermentar e agir mais tenazmente em seu desfavor do que se seus pensamentos
permanecessem conscientes. Esse é um importante fator que vocês devem lembrar: por certo vocês
devem praticar o Pensamento Positivo. Observe os seus pensamentos, mas de forma calma, com
distanciamento e de maneira relaxada, sem sentimento de culpa para que as suas emoções não sejam
sempre paralelas aos seus pensamentos ou ao jeito que você quer que os seus pensamentos e
sentimentos sejam. Você tem que aprender a ver o seu próprio Eu Inferior, a aceitar a sua existência
atual embora ela seja temporária, o quão temporária depende inteiramente de você mesmo. Porém
ele é ainda uma realidade neste plano e você não pode fechar os olhos para qualquer realidade em
qualquer que seja o plano em que exista!

Outro mal-entendido, uso errôneo ou abuso que surge com freqüência no princípio do
Pensamento Positivo é o seguinte. O ser humano quer ser feliz. Este é o mais natural dos desejos e
provém do Eu Superior bem como do Eu Inferior. Mas só o Eu Superior sabe que há um preço a
pagar. Esse preço é todo o esforço que tem que ser dispendido no Pathwork - autoconhecimento,
superação dos defeitos, o aprendizado das leis espirituais em geral e a sua aplicação particular e
pessoal, etc. O Eu Inferior, por outro lado, quer alcançar a felicidade por meios externos e sem o
preço da conquista de si mesmo. E a base para conquistar a natureza inferior é o autoconhecimento,
que é tão difícil, a honestidade para consigo mesmo e a auto-análise. O Eu Inferior em seu orgulho
quer ser perfeito sem fazer o trabalho necessário e freqüentemente cansativo para consegui-lo. É
assim que o Eu Superior e o Eu Inferior ambos querem a felicidade, cada um de uma forma
diferente. O seu Eu Superior sabe que somente pela perfeição interna pode ser alcançada a perfeição
exterior e que isso é a felicidade. Já o seu Eu Inferior não está preparado para pagar preço algum; ele
quer "comer e guardar" ao mesmo tempo. Se você tem dificuldade em sua vida, sabe que elas são
apenas o resultado da sua natureza inferior, o resultado de infringir a Lei Divina em algum aspecto e
freqüentemente em muitos aspectos. A pessoa madura tem que estar preparada para pagar este
preço, para aceitar o funcionamento da Lei - e assim para honrar a Deus. Ela não tentará se furtar ao
pagamento.Todavia, o Pensamento Positivo mal aplicado ou incompreendido quer obter a perfeição
Palestra do Guia Pathwork No. 013
Página 5 de 10

exterior rápido demais, simplesmente aprendendo a controlar o pensamento, e isso não é suficiente.
Então a natureza inferior do ser humano toma emprestado este princípio porque ele se adequa
muito bem ao que ela quer.

O primeiro passo para o verdadeiro Pensamento Positivo é aceitar as conseqüências do que se


fez no passado. Quer diga respeito a uma encarnação anterior ou a esta mesma vida, a pessoa
madura e seguidora verdadeira do Pensamento Positivo dirá: "Eu contrariei a Lei e os efeitos têm
que ser aplicados. Isto significa que eu tenho, entre outras coisas, que aceitar tais condições".
Observamos com freqüência pessoas que tentam com muito esforço praticar o Pensamento
Positivo. Mas uma razão para tanto esforço é que subconscientemente – e os pensamentos não
sendo claramente formulados - no seu desejo de felicidade com origem no Eu Inferior, elas estão
inclinadas a discutir com Deus e com o destino por causa das dificuldades e durezas que existem na
vida. Você pode objetar o quanto queira intelectualmente que as suas dificuldades não são produto
da vontade de Deus e que você mesmo é responsável por elas, mas emocionalmente você não
aprendeu essa verdade enquanto não estiver disposto a pagar o preço. E pagar significa aceitar as
suas dificuldades, sabendo que são apenas temporárias, pois Deus é amor e quer que todos os Seus
filhos sejam felizes, mas a felicidade só pode ser conseguida, entre outras coisas, pela aceitação das
leis de Causa e Efeitos e pela ausência da tentativa de evadir-se do efeito pelo mero controle do
pensamento. A felicidade não pode chegar para você enquanto você se amar tanto que um pouco de
dor se torna tão terrível que você não quer suportá-la. Somente pela aceitação dessa dor é que você
pode tornar-se distanciado o bastante do seu próprio ego para que a dor não seja mais necessária
para o seu desenvolvimento. Isto não quer dizer que você deva "resignar-se" e tornar-se
desesperançado, chafurdando nas suas pequenas dores e tribulações. Significa que você deve estar
perfeitamente consciente de que cada dificuldade na sua vida é auto-inflingida e, portanto você tem
que passar por ela, suportá-la, aceitá-la e, mais importante de tudo, achar dentro de você a causa, de
forma a eliminá-la de uma vez por todas. Essa causa só pode ser achada através do auto-
conhecimento. Encontre em você a falha que é responsável pela sua dificuldade externa e elimine-a
sabendo que a manifestação externa da raiz má não pode desaparecer imediatamente, mas tem que
ser dissolvida, pelo processo de crescimento lento e orgânico. E enquanto este durar, honre a Deus
aceitando as Suas leis. Não ame a si mesmo tanto a ponto de esquivar-se a um pouco de dor, antes
suporte-a corajosamente e com humildade, não fazendo do seu pequeno conforto algo tão
importante. Esta é a melhor e a mais verdadeira maneira de praticar o Pensamento Positivo. Com
tal atitude você será penetrado pela profunda convicção de que o Mundo de Deus é um mundo feliz
no qual você não tem nada a temer, no qual você tem muito o que esperar com antecipação. O seu
senso de tempo vai mudar gradualmente. Não apenas em virtude de conhecimento intelectual, mas
pelo profundo sentimento através do qual você sabe que o tempo pelo qual dura a sua pequena dor
é muito curto quando visto do ponto de vista espiritual, que é o único verdadeiro.

Todos vocês têm ouvido muitas vezes, seja de mim ou de outros, que não é importante o fato
de vocês terem dificuldades, mas como vocês as enfrentam.E eu já lhes mostrei como vocês as
devem receber. "Aquele que quer ganhar a sua vida vai perdê-la. Aquele que está pronto a abrir mão
da sua vida vai ganhá-la". O que significa isto, meus amigos? Significa exatamente o que acabei de
explicar. Se vocês estão constantemente tão temerosos de um pouco de dor, se vocês se apegam tão
fortemente ao seu ego e à sua pequenina sensibilidade ou vaidade, vocês não abrem mão da sua
vida,.Antes, agarram-na com demasiada força e portanto vocês devem perdê-la - Perder no sentido
espiritual é o que isso significa, e assim você não pode encontrar paz, harmonia ou felicidade nem de
dentro nem de fora. Mas aquele que não se leva tão a sério, cujo conforto e tudo o mais que diz
Palestra do Guia Pathwork No. 013
Página 6 de 10

respeito ao ego não é tão terrivelmente importante, cujas próprias pequenas dores e vaidades feridas
não importam tanto, que não pensa constantemente, "se eu mostrar a minha afeição ou meus
verdadeiros sentimentos, o que as pessoas vão pensar? Eu posso me machucar ou por alguma coisa
em perigo", aquele que verdadeiramente abre mão de si mesmo - ou dá a sua vida - e não se apega a
si mesmo de forma tão tensa receberá a vida, no sentido espiritual. Ele encontrará harmonia ao
deixar-se ir com a Lei e encontrará o amor e o respeito dos outros, o qual nunca poderia ter
alcançado ao apegar-se tanto a si mesmo.

Portanto é da mais absoluta importância no Caminho espiritual que se aprenda a abrir mão da
própria vida no verdadeiro sentido, e isso inclui também ser capaz de aceitar a dor. A aplicação do
Pensamento Positivo sem a devida compreensão deixa de fora todo este capítulo do
desenvolvimento espiritual.

No próximo encontro falarei sobre como os espíritos vêem os seres humanos, toda a unidade
da personalidade humana e como isso afeta o processo de purificação ou o Caminho da perfeição ou
a terapia psicológica ou como quer que vocês o chamem. Eu quero lhes dar o ponto de vista
espiritual sobre esse assunto.

E agora, amigos, estou pronto para as suas perguntas e vou respondê-las da melhor forma
que puder.

Pergunta: Se, por exemplo, eu quiser perguntar algo com respeito à palestra anterior, eu não o
saberia antes.

Resposta: "Não há problema. Vocês terão a oportunidade de fazer perguntas espontâneas em


relação à palestra anterior. Antes de voltar-me para as perguntas planejadas, perguntarei se existe
alguma coisa que vocês gostariam de perguntar com respeito à palestra precedente. Só depois
passarei às perguntas combinadas.

Pergunta: Por que uma resposta às nossas dúvidas deveria vir como um anticlímax?

Resposta: "Vou dizer-lhe por quê. Quando o ser humano espera respostas de Deus e do
Mundo Espiritual, ele de certo modo imagina que isso deva acontecer de uma forma muito
dramática, talvez até melodramática; quer dizer, algum tipo de "milagre". Porém não é esse modo
pelo qual Deus age. Deus atua através de você e através de outros seres humanos, e as respostas
dadas parecem acontecer de uma maneira tão natural que no momento vocês podem até ficar
incertos de se realmente houve uma resposta. Há também uma razão muito boa para isso, na
verdade um número de razões. Uma delas é que o mais elevado estado de felicidade e Graça - a
experiência, o fato da existência do Outro Mundo e de sua proximidade em relação a você - não
deve ser tornado demasiado fácil. O homem tem que ser testado muitas e muitas vezes para
determinar se ele é digno de viver em Verdade constantemente. Em resumo, o ser humano tem que
trabalhar por isso; ele tem que manter os olhos abertos, os seus sentimentos interiores e a sua
percepção, sintonizadas com o Mundo Espiritual. Ele não deve considerá-lo uma coisa já garantida;
deve treinar tais sentimentos pela observação e consciência. Assim ele trabalha "para cima" usando
tudo que lhe é dado pelo Mundo Espiritual, e é assim que deve ser. Portanto se ele desempenha
adequadamente a tarefa o resultado será infinitamente melhor; ele não será sustentado por qualquer
acontecimento ou experiência externa, mas pela força e pela sabedoria que ele desenvolveu no seu
Palestra do Guia Pathwork No. 013
Página 7 de 10

interior e encontrará força e felicidade constante às quais são construídas sobre a rocha e que jamais
podem ser puxadas de sob os seus pés novamente. Destarte as respostas ocorrem de uma maneira
"comum", quase que como por acaso, muito naturalmente - e não "sobrenaturalmente". É por isso
que parece um anticlímax. Se você não está certo, então tome esta incerteza, formule a sua pergunta
claramente e peça a verdade. Pergunte se essa foi uma resposta ou não, e você irá recebê-la
novamente sem sombra de dúvida. Infelizmente isso raramente ocorre às pessoas, mesmo àqueles
que estão acostumados a rezar, a voltar-se para Deus com todos aqueles pequenos problemas e
incertezas. Vocês têm a tendência de deixar que essas incertezas se formulem em seus sentimentos e
isso cria uma desordem na sua alma. Todos esses conflitos não aclarados, grandes ou pequenos, os
enfraquecem. Seria muito aconselhável, portanto, voltar-se sempre para Deus com todas as coisas
quando vocês não têm certeza. Peça iluminação; peça a verdade. Pergunte qual a sua vontade
quando uma decisão tem que ser tomada. Assim você vai alcançar o estado sobre o qual estamos
sempre falando, que é aquele que você deseja, bem mais cedo."

Pergunta: Até que ponto a ausência de desejo é um passo necessário para o caminho da
perfeição ,e eu me refiro especialmente às diferenças entres os ensinamentos do Oriente do
Ocidente.

Resposta: Essa ausência de desejo é também freqüentemente mal compreendida, não apenas
pelos ocidentais mas também pelos orientais. É desnecessário dizer que algum desejo deve
permanecer no coração humano; é novamente a mesma velha questão de que o como é mais
importante, o seu aspecto - não um sim ou um Não, mas o como. Em outras palavras, por um lado
deve haver desejo; por outro lado ele deve gradualmente cessar. O desejo tem que permanecer para
procurar por Deus, para experimentá-lo, para servi-lo e, ao servi-lo, servimos aos nossos irmãos e
irmãs. Isso não deve ser apenas um desejo intelectual ou um desejo que vem de um senso de dever
porque se reconhece que é a coisa certa, mas só esse desejo trará a felicidade, ou antes, o
preenchimento da felicidade. Pelo crescimento espiritual simplesmente muda o objeto do desejo.
Contudo, a ausência de desejo deve se estabelecer no que diz respeito ao ego. Esse distanciamento é
algo sobre o que eu sempre lhes falo, meus amigos. Mas repito, ele não pode vir a existir por meio
de força é apenas o resultado natural do crescimento espiritual. Novamente você só poderá atingir
esse estado de ser indiretamente, não apenas desejando ser assim. Aqui também é importante que se
seja capaz de aceitar a dor de maneira sadia, como já expliquei. Se você está tão armado contra a dor,
se tudo em você se contrai com o só pensar nela, então você deseja muito não sentir dor - portanto
você não está desapegado.Dessa forma vocês têm que treinar a si mesmos para saber que a sua dor,
a sua vaidade e o seu conforto não são em nada mais importantes que os de outra pessoa qualquer.
E quando você sente um pouquinho que seja que você não importa para si mesmo mais que
qualquer outra pessoa que você talvez nem conheça pessoalmente e quando você não se considerar
mais importante, você estará um passo mais próximo desse distanciamento - e portanto do seu
caminho para a felicidade.

Quando o sucesso ou o fracasso pessoal não o prenderem por dentro - e ambos podem fazê-
lo, um de forma agradável e o outro de forma desagradável - você terá atingido um pouco desse
distanciamento no qual, e só no qual, você encontrará a verdadeira segurança. Pois a segurança que
você busca é sempre dependente de coisas que estão fora do seu controle. Tudo tem que ser à sua
maneira para que você possa se sentir feliz, satisfeito e seguro. Mas quando não é assim, você fica
perdido e em poder de forças do seu interior que não pode controlar. Em outras palavras, você é
controlado por elas e perde a serenidade ou o que pensava sê-lo quando tudo ia bem. Sendo
Palestra do Guia Pathwork No. 013
Página 8 de 10

distanciado da maneira a que me refiro você é independente; você não precisa de condições externas
para lhe dar harmonia e segurança. Você segue com a corrente e nunca faz pressão contra ela. Nada
pode tocá-lo ou expulsá-lo. Eu percebo que isso é de difícil compreensão para as pessoas que ainda
não atingiram esse ponto. Eu nem gosto de falar muito a esse respeito, pois à medida que o
desenvolvimento prossegue da sua maneira própria, ele vem por si mesmo e não precisa ser muito
discutido; se por um lado, ao ouvir antes estas palavras uma pessoa pode sentir o seu verdadeiro
sabor, vocês podem, por outro lado, ficar temerosos de se tornar distanciados porque vocês
fatalmente não entenderão corretamente, meus amigos. Vocês pensam que esse tipo de
distanciamento significa que vocês não amam mais ou não se importam; que se tornam resignados e
indiferentes. Mas isso não é absolutamente verdadeiro! Indiferença quer dizer não vibrar com
vitalidade. E quanto mais alto você está no caminho, mais vivo você se torna. Você se importa e
ama, mas de forma diferente, sem as angústias do ego, sem o lado obscuro que todo o Bem tem no
seu plano. Os seus desejos e a satisfação deles não o fazem realmente feliz; eles podem dar-lhe um
momento de satisfação, mas nunca paz de espírito, sentimento, felicidade estável que nunca pode ser
perdida e que nunca causa o medo de ser perdida, como você freqüentemente tem no seu
inconsciente por temer as conseqüências, , por temer a emoção que você não é maduro o suficiente
para sustentar.

Então não tenha medo, meus amigos. Na verdade isso é algo pelo qual se deve ansiar. Não vai
acontecer de súbito, mas você vai crescer com ele. Como tudo o mais, ele também vai desenvolver-
se gradualmente e organicamente se você prosseguir no caminho, e assim você não vai sequer ter
consciência no início, não vai perceber que qualquer transformação está ocorrendo em você. Sentirá
apenas que está cada vez mais em paz; as coisas que não derem certo não o afetarão mais - a
princípio menos que antes, e finalmente nem um pouco. Você não será presa da raiva, da ansiedade,
da hostilidade ou do que quer que seja. Você vai viver cada vez mais constantemente em um estado
de alegria. E não pense que as pequenas alegrias vão então lhes dar menos prazer. Pelo contrário,
agora a sua capacidade de sentir-se alegre é atrapalhada pela sua própria alma perturbada, por todos
os seu desejos e quereres, alguns dos quais não são possíveis de realização. Enquanto então você vai
realmente aproveitar.

Enquanto você estiver sob o domínio do seu ego, com os seus medos e ansiedade, você não
pode viver no presente. Você às vezes vive no passado - e isso é ruim. Também é verdade que você
comumente vive no futuro, o que, à sua maneira, é igualmente ruim. E isso se aplica da mesma
forma a pessoas idosas porque, ao viver no futuro, você pensa que é suficiente pensar em amanhã
ou na próxima hora, e não vive o momento presente. Você vive com demasiada freqüência no
amanhã. O que significa isso? Significa que existe algum desejo conectado com isso e a ansiedade
resulta do tipo errado de desejo. Se você teme alguma coisa, você deseja que essa coisa não aconteça.
É assim com a maioria de vocês, quase toda a sua vida é vivida de certa forma no futuro e assim
deixam que a vida lhes escape. Vocês deixam de ver e apreciar as coisas mais belas bem diante dos
seus olhos; não vêem porque estão ocupados demais com os seus desejos. O agora está perdido para
muito de vocês por causa dos seus desejos. Se este tipo de distanciamento não é atingido, vocês
constantemente perdem a felicidade de "agora", e eu lhes suplico a todos, meus amigos, para quem a
idéia desta ausência de desejo ou distanciamento é ainda um pouco assustadora, não pensem a
respeito. Ele virá como um subproduto, se e quando você seguir este Caminho de Felicidade. Isto é
o que eu tenho a dizer a esse respeito.
Palestra do Guia Pathwork No. 013
Página 9 de 10

Pergunta: Quando você fala de Pensamento Positivo você diz que nós deveríamos ser
conscientes do ódio ou do ressentimento que sentimos. Mas como poderemos relacionar o tipo de
pensamento que devemos ter com os sentimentos em nós e não estar em conflito?

Resposta: Quando você meditar, escute o que vai no seu interior. Observe apenas os seus
sentimentos interiores, as suas reações e tendências. Não tente encobrir os seus verdadeiros
sentimentos por qualquer que seja o motivo. Diga a Deus "eu quero a Verdade, também a verdade
temporária a meu respeito, sobre todos os meus sentimentos e pensamentos verdadeiros. " Não é
possível alcançar a Verdade Absoluta a menos que se descubra primeiro a "verdade temporária " de
si mesmo - desagradável o quanto possa ser. Pergunte a Deus, portanto, pela sua própria verdade e
esteja preparado para encará-la. Ponha-se, acima de tudo o mais, em um estado de ter a vontade para
isso através da meditação sobre estas palavras; por exemplo, pelo fato de que não lhe é possível
alcançar o seu objetivo sem isso, você só pode se libertar de todas as coisas conhecendo, encarando
e conquistando a si mesmo. Observe-se clinicamente. Então apenas preste atenção; registre tudo
com bastante distanciamento. Diga a você mesmo: "Essa é a maneira que eu gostaria de pensar e
sentir, mas nesse ou naquele respeito meus verdadeiros sentimentos, meus pensamentos interiores
ainda se desviam daquilo que eu até agora compreendi intelectualmente, mas essa compreensão
ainda não atingiu as minhas emoções." Observe continuamente, sempre de novo, todos os dias. Às
vezes haverá uma discrepância maior, outras ela será menor; isso depende de muitos fatores. Por
meio desse processo, caso você o pratique por algum tempo, você aprende várias coisas ao mesmo
tempo. Primeiro, aprende a ver-se como é e com isso a humildade que falo a tantos porque todos
vocês querem ser perfeitos e estar no topo da montanha quando ainda nem atingiram o primeiro
vale. E isso é também um tipo de orgulho, combinado com preguiça. Você quer estar lá sem chegar
lá. Novamente o seu Eu Inferior não quer pagar o preço. Assim você aprende a humildade; aprende
a aceitar a si mesmo como é; aprende a conhecer a sua verdadeira natureza interior com as suas
muitas faces e não apenas aquelas que você quer. O processo como um todo é exatamente saudável
e vai dar-lhe infinitamente mais força que qualquer tipo de fantasia que você possa ser tentando a
usar, provocada por uma compreensão errada do Pensamento Positivo. Isso é muito mais
pensamento positivo pois você aprende a viver em realidade, a realidade que você mesmo produziu
no presente pelas suas atitudes anteriores. Se você fizer isso por algum tempo e se acostumar a
aceitar as imperfeições que vivem em sua natureza inferior de forma objetiva, quase friamente, sem
sentir-se muito perturbado a respeito - cada vez menos perturbado - após um período você chegará
ao próximo passo.

Esse próximo passo é meditar sobre a Lei Divina que diz respeito à sua tendência que a
rompeu. Quem quer que siga este caminho, quem quer que sinceramente queira trilhar este caminho,
será claramente guiado para o próprio professor, aquele que é o melhor para a sua personalidade e
os seus problemas específicos. Isto deve acontecer e sempre acontecerá, porque você não pode
tomar este Caminho sem ensinamentos externos. Então aprenderá que meditação específica é
melhor para você e para o problema com qual você está lidando. As mesmas coisas em diferentes
indivíduos podem necessitar de abordagens para cada pessoa; O ódio ou o ressentimento podem ter
diversas raízes, diversas causas ou motivos em pessoas diferentes. Portanto são necessárias
diferentes meditações para diferentes pessoas. Mas isso virá mais tarde. Primeiro essa observação
clínica do Eu, do Eu Inferior em relação ao Eu Superior, tem que ser praticada e totalmente
dominada antes que a segunda fase possa se estabelecer. Você tem que aprender primeiro a aceitar-
se como é, a descer do ponto elevado onde você se pôs. Aceitar-se humildemente e sem sentimentos
de culpa, "Isto é o que eu sou, mas este é o jeito que eu quero ser e para superar a discrepância eu
Palestra do Guia Pathwork No. 013
Página 10 de 10

devo ter paciência, força de vontade e tenho que trabalhar firme e incessantemente, pois de outra
forma não posso esperar ter o lugar espiritual pelo qual me esforço." Depois de ter aprendido isto, a
sua segunda fase em particular lhe será dada a conhecer - disso você pode ter certeza.

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por
escrito da Fundação. A Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou
pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida,
de acordo com a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou
abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua
comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork
Foundation tenham concordado em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de
transformação pessoal reconhecidos pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Telefone : (011) 3721-0231 E-mail: pathworksp@pathwork.com.br Visite: www.pathwork.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter)
Telefone: (71) 3237-4962 E-mail: pathworkbahia@yahoo.com.br Visite www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília (Chapter)
Telefone: (61) 3442-8108 E-mail: fvervloet@gmail.com
Pathwork® Ceará (Chapter)
Telefone : (085) 8731-1122 E-mail: reginalencar@gmail.com
Pathwork® Goiás (Chapter)
Telefone: (62) 8118-0446 E-mail: ritapath@hotmail.com
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Tel: (31) 9959-5547 E-mail: pathworkmginstituto@gmail.com Visite: www.pathworkminas.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Telefones: (083) 9967-8303/(083) 3235-5188/(083) 3224-2362 E-mail: claubetenobrega@terra.com.br Visite: www.pathworkpb.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro (Chapter)
Telefone:: (21) 2529-2322 E-mail: gmdell@globo.com Visite www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Telefone: (51) 9177-3178 E-mail: suefonseca@hotmail.com. Visite www.pathworksul.com.br
Visite: www.pathwork.org.
Visite: www.pathworkbrasil.com.br
Palestra do Guia Pathwork No. 14
Palestra Anteriormente Editada
11 de Outubro de 1957

O EU SUPERIOR, O EU INFERIOR E A MÁSCARA

Saudações em nome do Senhor. Abençoada esta hora na qual me é permitido falar-lhes


meus amigos.

Todos vocês sabem que possuem não apenas um corpo físico, mas também, vários corpos
sutis, cada um dos quais representa algo diferente. Os seus pensamentos têm formas espirituais
definidas e criadas não somente por eles, mas igualmente pelos sentimentos, vez que um sentimento
na realidade não passa de um "pensamento não pensado" ainda não tornado consciente. Embora
pensamentos e sentimentos criem formas diferentes, ambos as criam muito definidas e substanciais.
Assim como o corpo físico, cada corpo sutil tem uma aura : a vibração e a emanação daquele corpo.
Tais formas existem realmente no espírito. Todas elas flutuam e modificam-se já que tudo no
espírito está em perpétuo movimento.

A aura do corpo físico mostra a saúde ou doença física e todas as outras condições do ser
encarnado. As reações emocionais, intelectuais ou espirituais, por sua vez, aparecem na aura do
respectivo corpo sutil.

Cada ser vivo é dotado de um Eu Superior ou Centelha Divina. Ele é o mais delicado e o mais
radiante dos corpos sutis, com a mais alta freqüência de vibração, pois quanto mais elevado o
desenvolvimento espiritual, mais veloz é a vibração. O Eu Superior cercou-se, lenta e gradualmente,
de várias camadas de matéria mais densa, não tanto quanto o corpo físico, mas ainda assim
infinitamente mais densa que ele próprio. Assim, passou a existir o Eu Inferior. O objetivo do
desenvolvimento espiritual é eliminar o Eu Inferior de forma que o Eu Superior fique novamente
livre de todas as camadas externas que adquiriu. Você será capaz de sentir com facilidade na sua
própria vida, com relação a si mesmo ou a outros, que certas partes do Eu Superior já estão livres,
enquanto outras permanecem encobertas. O quanto está livre ou escondido e, no último caso, o
quão profundamente, depende do desenvolvimento geral da pessoa. O Eu Inferior consiste não
apenas dos defeitos comuns e fraquezas individuais que variam com cada pessoa, mas também, de
ignorância e preguiça. Ele odeia mudar e superar-se. Possui uma vontade muito forte que nem
sempre pode manifestar-se externamente e quer as coisas à sua maneira sem pagar o preço. É muito
egoísta e orgulhoso e sempre tem uma grande quantidade de vaidade pessoal.

Todas essas características são, geralmente, parte do Eu Inferior, independente de outras


falhas individuais.

Podemos determinar muito bem, quais formas-pensamento provém do Eu Superior e quais


vem do Eu Inferior. Podemos também determinar que tendências, desejos e esforços originários do
Eu Superior podem estar misturados com tendências do Eu Inferior.

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation
Palestra do Guia Pathwork No. 014
Página 2 de 5

Quando mensagens do Eu Superior são contaminadas pelos motivos do Eu Inferior, cria-se


uma desordem na alma que faz o seu portador emocionalmente doente. Por exemplo, uma pessoa
pode querer algo egoísta, mas como ela não quer admitir internamente que isso é egoísmo, começa a
racionalizar esse desejo egoísta e a enganar-se com relação a ele. Nós podemos ver esse tipo comum
de auto-engano em seres humanos, porque as formas do Eu Superior têm um caráter totalmente
diferente daquelas do Eu Inferior.

Existe uma outra camada que infelizmente não é ainda suficientemente reconhecida entre os
seres humanos em todo o seu significado; ela é o que chamo de Máscara.

A Máscara é criada da seguinte maneira : quando um indivíduo reconhece que pode entrar em
conflito com o mundo que o cerca ao ceder ao Eu Inferior ele pode, não obstante, não estar pronto
para pagar o preço de eliminá-lo. Isso significa em primeiro lugar, ter que encará-lo como ele
realmente é, com todos os seus motivos e impulsos uma vez que só se pode superar aquilo de que se
tem plena consciência. Isso quer dizer tomar o caminho estreito, o caminho espiritual.

Muitas pessoas não querem pensar nisso profundamente, preferindo reagir emocionalmente
sem pensar em como o seu Eu Inferior pode estar envolvido nessa reação. A mente subconsciente
sente que é necessário apresentar ao mundo uma imagem diferente do Eu para evitar certas
dificuldades, desconfortos e desvantagens de todos os tipos. Dessa forma, as pessoas criam, uma
outra capa do Eu que não tem nada a ver com a realidade, nem com a do Eu Superior, nem com a
realidade temporária do Eu Inferior. Essa Máscara superposta é o que se poderia chamar de
falsidade; ela é irreal.

Retornarei ao exemplo acima. O Eu Inferior ordena à pessoa que seja totalmente impiedosa a
respeito de um desejo egoísta. Não é difícil, mesmo para alguém da mais limitada inteligência,
perceber, que caso se deixem levar por esse desejo, ele ou ela será relegado ao ostracismo ou poderá
perder a estima dos outras, o que ninguém pode querer.

Ao invés de superar o seu egoísmo por meio de um lento processo do desenvolvimento, uma
tal pessoa freqüentemente age como se ele ou ela, já naquele momento não fosse mais egoísta. Mas
ela o é na verdade e sente o egoísmo. O seu recuo diante da opinião pública e a sua generosidade são
apenas uma farsa, de modo algum em concordância com os seus verdadeiros sentimentos. Em
outras palavras, a atitude correta neste caso não é absolutamente sustentada pelos sentimentos
interiores não purificados e, portanto a pessoa está em uma guerra interna.

O ato em si torna-se uma compulsão necessária e não de livre escolha. Uma tal bondade
imposta não vale a pena, no verdadeiro sentido. Enquanto uma pessoa pode dar algo, ela pode
detestar a idéia. Tal pessoa não é apenas egoísta por dentro, por convicção interior, como também
é falsa à sua natureza, violando a sua realidade e vivendo uma mentira.
Não estou de forma alguma sugerindo que é aconselhável ceder à natureza inferior; deve-se
lutar pela iluminação e pelo desenvolvimento para que os sentimentos e desejos sejam purificados.
Mas isso não é alcançado, pelo menos não deveria haver auto-engano. A pessoa deveria no mínimo
ter uma visão clara e verdadeira acerca da discrepância entre os sentimentos e ações. Dessa forma
nenhuma máscara pode se formar.
Palestra do Guia Pathwork No. 014
Página 3 de 5

UM PONTO FINAL NO AUTO-ENGANO

No entanto, acontece muito comumente que uma pessoa assim tente acreditar em seu próprio
altruísmo e dessa maneira engana-se a si mesma, com relação aos seus verdadeiros sentimentos e
motivos, escondendo-os e recusando-se a vê-los. Depois de algum tempo a raiz maléfica aprofunda-
se no inconsciente, onde irá fermentar e criar formas, que produzem seus efeitos e que não podem
ser eliminados porque a pessoa não tem consciência dela. O exemplo do egoísmo é somente um dos
casos; existem muitas outras características e tendências que passam pelo mesmo processo, meus
amigos.

Quando as pessoas estão emocionalmente enfermas, isso, é sempre um sinal de que, de uma
forma ou de outra, uma Máscara foi criada. Elas não percebem que estão vivendo uma mentira.
Construíram uma camada de irrealidade que nada tem que ver com o seu ser real. Portanto não estão
sendo verdadeiras com a sua real personalidade.

Como eu disse antes, ser verdadeiro para consigo mesmo não significa que você deva ceder ao
Eu Inferior, mas que se deve ter consciência dele. Não se engane, caso você ainda aja de acordo
com a necessidade de proteger-se e não segundo uma visão iluminada e uma convicção interna.
Tenha consciência de que os seus sentimentos ainda não foram purificados neste ou naquele
aspecto.

Então você terá uma boa base de onde começar. Ser-lhe-á mais fácil encarar a si mesmo desta
forma quando perceber que sob as camadas do seu Eu Inferior vive o Eu Superior, sua realidade
última e absoluta, que você, com o tempo, alcançará. Para alcançá-lo, você deve primeiro, enfrentar
o Eu Inferior, a sua realidade temporária, ao invés de encobri-la, porque isto põe uma distância
ainda maior entre você e a realidade absoluta, ou seja o seu próprio Eu Superior.

Para encarar o Eu Inferior você deve, a todo custo, arrancar a Máscara. Isto pode ser
conseguido ao visualizar-se as três partes de que falo aqui (Eu Superior, Eu Inferior e Máscara).

Mentir para si mesmo e não pensar de forma alguma sobre as próprias emoções e motivos
verdadeiros pode parecer adequado às vezes, mas não é. A pessoa que quer ficar feliz, sadia e em paz
interior precisa, para preencher verdadeiramente esta vida presente e estar em harmonia com Deus e
assim com o Eu Interior, encontrar a resposta definitiva para as seguintes perguntas: Qual é o meu
Eu real? O que é meu Eu Superior ? O que é o meu Eu Inferior ? Onde pode haver uma Máscara,
uma falsidade ?

É importante que todos vocês tentem treinar o seu olho interior para ver a si mesmos e a
outros seres humanos desse ponto de vista. Quanto mais se tornem espiritualmente despertos, tanto
mais fácil será perceberem a si mesmos e aos outros.

Quando vocês entrarem em contato com o Eu Superior, uma vez que sua intuição tenha
despertado através do desenvolvimento pessoal no nível do espírito, vocês sentirão uma clara
diferença entre a Máscara e o Eu Superior. Sentirão as manifestações desagradáveis da Máscara, da
sua em primeiro lugar, não importa o quão satisfatória ela possa parecer.
Palestra do Guia Pathwork No. 014
Página 4 de 5

O que resta por realizar então é a penetração das camadas subconscientes da personalidade
com essas verdades também, de forma tal que toda a resistência interior seja superada.

Se, é que vocês querem trilhar este caminho e ser curados das suas doenças emocionais, é
importante que entendam tudo isso. Vocês têm que encarar o Eu Inferior que existe em cada ser
humano, mas saber também que esse Eu Inferior não é o "Eu" absoluto ou o Eu Verdadeiro. O Eu
Superior que é perfeição aguardando para crescer, libertando-se dessas camadas de imperfeição, é o
Eu verdadeiro.

Talvez vocês tenham perguntas a fazer sobre este tema, meus amigos.

PERGUNTA : Como é possível desfazer o que o Eu Inferior manifestou sob a forma de


doença física ?

RESPOSTA : Em primeiro lugar, você não deve tentar eliminar as conseqüências primeiro.
Se o seu Eu Inferior criou uma doença, ela primeiramente tem que ser aceita. Você deve tentar
descobrir as raízes ou a parte do seu Eu Inferior que criou a enfermidade. O Eu Inferior tem que ser
encontrado e completamente explorado.

O seu objetivo deve ser a purificação e a perfeição por si mesmas. Você o faz pelo amor de
Deus que traz em si e não para evitar a convivência com o desconforto. É verdade que exige muita
superação e força interior para antes purificar suficientemente os motivos, mas isso é um
fundamento necessário.

Enquanto você o faz, está ao mesmo tempo aprendendo muitas outras coisas. A força
espiritual aumenta à medida que você aprende a aplicar uma absoluta honestidade a respeito de si
mesmo. Uma vez que os seus motivos sejam puros, a doença não terá a metade da importância que
tem o estado da sua alma.

Na medida em que o ego e o conforto de tudo que lhe diz respeito perde a relevância, você
terá seguido uma lei espiritual muito importante. A sua saúde espiritual será gradualmente restaurada.
Esta lei tem relação com o abandono do seu Ego que foi ensinado por Jesus. Só ao fazê-lo você
ganhará a sua vida.

Assim, comece por encarar o seu Eu Inferior com coragem, otimismo, humildade e em
espírito de descoberta. Uma vez que o tenha descoberto e abandonado todas as máscaras e camadas
de cobertura você começará a trabalhar com esses diferentes aspectos do Eu Inferior. Isto é feito
pela auto-observação e testando-se a si mesmo, diariamente, observando sempre o quanto as suas
correntes internas desviam-se ainda daquilo que você deseja que sejam.

À medida que você faz isso e se torna senhor do seu Eu Inferior, você aprende a verdadeira
auto-honestidade e, a sua motivação para o desenvolvimento torna-se cada vez mais pura. A sua
visão vai se ampliar, a iluminação lhe será dada e os seus sintomas e problemas, gradualmente,
desaparecerão.

Você não deve, portanto, sequer pensar primeiro na sua enfermidade, mas na raiz do
problema. Esse será o único sucesso duradouro. Se você quer verdadeiramente purificar-se, e não
Palestra do Guia Pathwork No. 014
Página 5 de 5

meramente livrar-se de conseqüências desagradáveis que lhe são mais visíveis ou notáveis, ajuda e
orientação, virão para que você possa lutar com o seu Eu Inferior, visto que ninguém pode fazê-lo
sozinho.

E com isto, meus amigos, eu os deixarei. Sigam o seu caminho em paz, saibam que Deus está
presente dentro de vocês.

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por
escrito da Fundação. A Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou
pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida,
de acordo com a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou
abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua
comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork
Foundation tenham concordado em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de
transformação pessoal reconhecidos pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Telefone : (011) 3721-0231 E-mail: pathworksp@pathwork.com.br Visite: www.pathwork.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter)
Telefone: (71) 3237-4962 E-mail: pathworkbahia@yahoo.com.br Visite www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília (Chapter)
Telefone: (61) 3442-8108 E-mail: fvervloet@gmail.com
Pathwork® Ceará (Chapter)
Telefone : (085) 8731-1122 E-mail: reginalencar@gmail.com
Pathwork® Goiás (Chapter)
Telefone: (62) 8118-0446 E-mail: ritapath@hotmail.com
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Tel: (31) 9959-5547 E-mail: pathworkmginstituto@gmail.com Visite: www.pathworkminas.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Telefones: (083) 9967-8303/(083) 3235-5188/(083) 3224-2362 E-mail: claubetenobrega@terra.com.br Visite: www.pathworkpb.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro (Chapter)
Telefone:: (21) 2529-2322 E-mail: gmdell@globo.com Visite www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Telefone: (51) 9177-3178 E-mail: suefonseca@hotmail.com. Visite www.pathworksul.com.br
Visite: www.pathwork.org.
Visite: www.pathworkbrasil.com.br
Palestra do Guia Pathwork No. 15
Palestra Não Editada
25 de outubro de 1957

A INFLUÊNCIA ENTRE O MUNDO ESPIRITUAL E O MUNDO MATERIAL

Saudações em nome do Senhor. Eu lhes trago bênçãos, eu lhes trago amor, meus amigos. Eu
saúdo a todos os meus velhos amigos, bem como aos novos que encontraram, pela primeira vez o
seu caminho até aqui. Saúdo também aos meus bons amigos que não se encontram presentes esta
noite, e também àqueles que estão longe, além do mar. Todos aqueles que lêem minhas palavras
devem saber que não são esquecidos. Todos vocês são bem-vindos e, embora este evento possa
parecer novo e estranho para alguns, eu lhes rogo que abram suas mentes. Muitas coisas são
possíveis, coisas das quais vocês seres humanos não têm, até aqui, nenhum conhecimento. A
humanidade verá muito mais coisas nas décadas que estão por vir.

Esta noite desejo falar sobre a influência entre o Mundo Espiritual e o Mundo Material. Muito
já foi dito sobre a influência do mundo do Espírito sobre o mundo da Matéria, mas pouco se disse a
respeito da influência exercida em sentido contrário. Sim, porque um afeta o outro. Em primeiro
lugar, discutiremos a influência do Espírito sobre a sua esfera terrestre. As esferas espirituais estão
por todo o Universo: nos planetas, nos diferentes sistemas estelares e mesmo no espaço entre eles.
Mas, até mesmo na sua esfera, terrestre, vocês têm todos os tipos de esferas espirituais cobrindo
toda a escala, da mais baixa a mais elevada. Isso porque a distância do Mundo do Espírito não é
mensurada por suas medidas geográficas. Portanto, é possível que muitas esferas existam no mesmo
ponto geográfico ou material. Elas se interpenetram. Assim, é possível que um ser humano viva na
Terra, nesta sala, por exemplo, e também esteja ligado a uma determinada esfera espiritual, enquanto
outra pessoa no mesmo recinto, pode estar ligada a outra esfera de um nível bastante diferente. Eu
reconheço, meus amigos, que lhes é extremamente difícil imaginar semelhante coisa, visto que para
vocês distância é uma questão de espaço. Não obstante, na Realidade Absoluta não é assim. Por
conseguinte, uma pessoa pode estar em contato com uma esfera de acordo com o seu
desenvolvimento espiritual geral. Mas, uma vez que ninguém na terra se encontra harmonicamente
desenvolvido - caso você o fosse, não teria que viver aqui -, você pode em um momento estar em
contato com uma esfera espiritual e, quando outro estado de espírito o domina, as correntes
provindas da sua alma, o seu subconsciente e o seu consciente, vão estabelecer contato com uma
esfera bem diferente, e com uma terceira em outra oportunidade, e assim por diante.

Já expliquei o Eu Superior, o Eu Inferior e a Máscara. Cada ser humano possui os dois


primeiros. O terceiro, a Máscara, eu posso afirmar que é possuído por 90% da humanidade, mais ou
menos. É apenas uma questão de grau. Para aqueles que se encontram aqui pela primeira vez, seria
vantajoso ler a minha última palestra, para que esta possa ser plenamente compreendida. Assim,
sempre que o Eu Superior tenha sido re-desenvolvido e atingido o seu estado original, pelo
abandono das camadas circundantes que constituem o Eu Inferior, ele busca as esferas mais
elevadas e radiantes e automaticamente liga-se a elas, embora você ainda viva na Terra, bem aqui e
muito embora, em termos de distância, essas esferas luminosas estejam a centenas de milhares de
milhas. E sempre que o Eu Inferior esteja ainda forte e não permita que o Eu Superior brilhe, a

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 15 (Palestra Não Editada)
Página 2 de 12

conexão é feita com as Forças das Trevas, de acordo com a atitude e o desenvolvimento pessoal.
Em outras palavras, o Eu Inferior de uma pessoa pode ser mais inferior que o de outra. E visto que
cada esfera é densamente povoada por espíritos que se enquadram nela, todos vocês estão
constantemente em contato com espíritos de variado desenvolvimento, bem como com as forças e
correntes que se originam da nossa esfera específica.

Algumas pessoas dizem, quando o seu Eu Inferior assume o controle, que um espírito mau é
responsável, querendo com isso dizer que não têm culpa. Isso não é verdade. É certo que espíritos
maus podem influenciá-lo, e eles o fazem, mas somente se e quando você o permite, através da sua
indolência no desenvolvimento espiritual, e através da sua inclinação para tomar a linha de menor
resistência. Com freqüência você julga que, simplesmente porque as suas falhas não são tão grandes
quanto as de certas pessoas de desenvolvimento muito baixo, - um criminoso, digamos - elas não
importam tanto. Mesmo que as suas falhas sejam menores, que não sejam crimes ou pecados
flagrantes e reconhecidos, você é responsável. Quanto maior o seu desenvolvimento, maior é a sua
responsabilidade, maior o seu dever de aperfeiçoar-se. Quanto mais livre você for de tendências
muito malignas e daninhas em seu interior, evidentemente que maior é o seu desenvolvimento.
Portanto, você possui mais esclarecimento e mais força e, por conseqüência, mais pode ser esperado
da sua parte. Uma falha menor, por assim dizer, em você pode ser tão pesada quanto um crime para
uma pessoa de pouco ou nenhum esclarecimento espiritual. Portanto, não compare as suas falhas e
os seus desvios em relação a Lei Espiritual com qualquer um. A sua comparação pode estar
totalmente errada, pois não lhe é possível julgar em que ponto se encontra em comparação com os
outros. Eu digo isso porque é comum que as pessoas façam concessões a si mesmas, dizendo ou
pensando: "Eu não sou o único a fazê-lo, outras pessoas fazem pior, " ou colocando a culpa em
maus espíritos cujas influências sobre elas, como gostam de pensar, é meramente uma questão de
coincidência.

Da mesma forma, se entidades superiores do Mundo de Deus podem guiá-lo, ajudá-lo e


influenciá-lo, só pode ser porque a sua atitude interior o proporcionou.

Onde quer que viva um ser humano, um número de seres espirituais de vários estágios de
desenvolvimento deve necessariamente estar próximo. Em cada esfera existem especialistas de todos
os tipos. Eu já o disse antes e direi novamente, porque isso ainda não foi plenamente compreendido
em todo o seu significado. O Mundo do Espírito, em todas as suas gradações, é muito mais
especializado que a sua esfera terrestre. Isso se aplica à Ordem Divina, ao Mundo das Trevas, bem
como a todas as variações intermediárias existentes. Cada um de vocês atrai, esses especialistas, cuja,
particularidade possui, boa ou má qualidade. Sim, pois semelhante atrai semelhante inevitavelmente,
como um ímã. Quando um ser humano cresce, ele é cercado pelos seus espíritos guardiões, os quais
pertencem à ordem e à organização dos Mundos Divinos, e que só podem aproximar-se do seu
protegido caso este invoque verdade e vontade Divinas e se empenhe em elevar-se. Caso contrário,
terão que, manter-se à distância e assistir, por assim dizer. Eles só interferirão para proteger de
acordo com méritos passados, segundo precisas Leis Espirituais a respeito das quais são muito
cuidadosos e às quais jamais transgridem, pois essas leis são perfeição, amor, sabedoria e justiça.
Essa mesma pessoa, por outro lado, é também cercada por um número de outros espíritos, não
incorporados à ordem divina. Alguns podem pertencer ao Mundo das Trevas. Se essa pessoa não é
criminosa ou realmente pecadora, os espíritos muito ruins, permanecerão longe, pois não podem
conseguir nada - sua especialidade - com essa pessoa.
Palestra do Guia Pathwork No. 15 (Palestra Não Editada)
Página 3 de 12

Contudo, mesmo os especialistas das falhas, ditas menores, ou cotidianas da humanidade,


pertencem ao mundo das Trevas; eles também estão operando de acordo com as próprias leis e
realizam tanto para os seus propósitos quanto, digamos, um espírito de assassinato que consegue
influenciar um ser humano. Se a sua falha é o egoísmo, haverá um especialista em egoísmo ligado a
você. Se o seu defeito é a inclinação para acessos de fúria, você terá um especialista desse tipo por
perto, o qual aguardará a oportunidade na qual você permitirá que ele assuma o controle, que
influencie e, assim, viva por seu intermédio. Isso dá a ele uma grande satisfação, não apenas
porque assim ele cumpre a sua tarefa, mas também porque dessa forma ele pode satisfazer a sua
fraqueza específica. Por outro lado, essa mesma pessoa pode ser completamente destituída, digamos,
de inveja. Ela não terá um especialista em inveja ligado a si. Outra pessoa, porém não inferior à
primeira em seu desenvolvimento geral, pode ter um espírito assim em suas proximidades, porque
possui esse defeito.

Portanto deve-se ter em mente que são as suas próprias falhas que atraem os especialistas
respectivos para perto de você em primeiro lugar e que eles constantemente aguardam uma
oportunidade de viver através de você. Assim, um faz o jogo do outro e você só pode livrar-se deles
pelo seu esforço pessoal para superar os seus defeitos. Mas antes que possa fazê-lo, você primeiro
tem que reconhecer todas as suas falhas; é comum que você não tenha consciência delas
simplesmente porque não quer ser afligido por um conhecimento pouco lisonjeiro como esse.
Poucas pessoas querem realmente conhecer os seus defeitos. A maioria admite que possui algumas
falhas, mas admiti-lo de uma maneira superficial e realmente tornar-se plenamente consciente disso
são duas coisas diferentes.

Portanto, para a sua própria proteção, cada um de vocês deve encarar a si mesmo em total
honestidade; podem ter certeza de que quaisquer que sejam as suas falhas particulares, vocês
levarão à sua volta os respectivos especialista, os quais estão esperando por uma oportunidade para
inspirá-los a ceder aos seus defeitos específicos. E uma vez sucumbir não exige muito
trabalho, vez que esse é o Caminho, fácil e confortável, acontece muitas vezes que tais inspirações
sejam seguidas. Quanto mais forte é a falha em você, quanto menor a consciência de sua plena
importância, mais próximo o especialista estará de você !

Assim, é ao mesmo tempo certo e errado que as pessoas que sabem da existência do Além e
das criaturas espirituais digam que um espírito mau as influenciou. Quando elas o afirmam, e elas
querem dizer com isso o que acabei de explicar aqui, assumindo plena responsabilidade pela energia
que forneceram, isso é correto; mas quando o dizem por quererem assim absorver-se da
responsabilidade e da culpa pessoais, então é errado.

Entre essas criaturas inferiores e as entidades mais elevadas do Mundo de Deus existem
muitos espíritos que são, em suas atitudes, muito semelhantes a vocês mesmos; eles podem ser
pessoas falecidas que basicamente têm boas intenções e que não são particularmente más, não
pertencendo ainda, contudo, à Ordem Divina e que são, portanto, cegas em muitos aspectos. Elas
buscam com freqüência influenciar seres humanos porque isso os ajuda de alguma forma, ou
simplesmente porque não têm nada melhor para fazer. Eles poderiam aprender com você, caso
tomassem o caminho espiritual, do auto-desenvolvimento. Mas se você não é mais forte que eles,
esses espíritos vão influenciá-lo, por vezes não de forma ruim, até querendo algo de bom, mas sendo
cegos, eles não o inspiram da melhor maneira para o seu benefício espiritual. Em algumas ocasiões a
sua orientação pode trazer-lhe vantagem material que pode ou não interferir em seu
Palestra do Guia Pathwork No. 15 (Palestra Não Editada)
Página 4 de 12

desenvolvimento espiritual e em outras a sua influência pode ser real ou aparentemente inofensiva,
porém de certa forma isso lhe é desfavorável em última análise. Quando e com que intensidade isso
pode acontecer, novamente, não é coincidência. A influência desses seres espirituais é
inevitavelmente invocada pelas suas atitudes interiores.

Se você meditar sobre isso, sobre si mesmo, sua vida, seus desejos, poderá, descobrir quais os
espíritos que o cercam. E, creia-me, aqueles dentre vocês que trilham o caminho da perfeição - e
essa é a única proteção real que possuem - não serão importunados ou influenciados por espíritos
que não cumpre a vontade de Deus em todos os aspectos. Oh, existem outros meios de proteção,
mas contam apenas com um efeito temporário. Se, por exemplo, quando você se sentir em uma
disposição de espírito muito desarmônica, em qualquer tipo de desarmonia, i.e., você sente um
conflito com outros seres humanos no ar, tiver a presença de espírito e puder orar, buscar Deus
dentro de si mesmo e pedir orientação espiritual, isso com certeza o ajudará e eu o recomendo
enfaticamente. Mas isso só o auxiliará nesse momento, porque você não terá sempre essa presença
de espírito. Algumas vezes você estará cansado, vai abandonar-se e então cairá presa dessas
influências que, como eu disse, só podem ter um efeito sobre você por causa daquilo que já existe
em seu interior. Portanto, a única cura e proteção definitiva e permanente para você é arrancar as
plantas más pela raiz! Isso acontece no caminho de perfeição, de auto-desenvolvimento, no
caminho da felicidade. E se você estiver disposto a tomar este Pathwork, será guiado, receberá ajuda.
Mas, primeiro, essa vontade e essa decisão devem ser claramente formuladas em seu íntimo; Então a
sua Graça Divina pode automática e imediatamente aproximar-se e, entre outras coisas, ela pode
conduzi-lo à ajuda humana adequada da qual você também precisa para adentrar este Pathwork.
Você será conduzido ao lugar ou à pessoa que melhor se adequar ao seu temperamento e ao seu
caráter.

É assim que as diferentes esferas espirituais, com as suas respectivas criaturas, influenciam o
homem; o ser humano não é uma presa arbitrária para essas influências, mas ele mesmo as
determina. E rejeitando qualquer influência que não lhe venha do Mundo Divino, ele não apenas
assume o controle da sua própria vida, como também enfraquece as Forças da escuridão. Isso
porque quanto menos material elas tiverem para trabalhar no mundo da matéria, mais poder
perderão, com o decorrer do tempo.

Há também um outro tipo de influência que o homem tem no Mundo do Espírito. Eu tentarei
fornecer um quadro dela, embora este só possa ser muito limitado. Você sabe que, como eu disse
muitas vezes, seus pensamentos e sentimentos são criações espirituais. Eles criam formas de todos
os tipos no mundo Espiritual. Se a sua vida está em concordância com o seu destino, se você realiza
o máximo que é possível, de acordo com o seu desenvolvimento, - e isso é, infelizmente, muito
raro - Você criará formas que construirão esferas, estruturas e paisagens harmoniosas no Mundo
Espiritual. Isso pode soar incrível para alguns de vocês. Contudo, meus amigos, eu lhes asseguro que
é verdade! Chegará um dia em que vocês serão convencidos dessa verdade. Na realidade, quando
vocês o virem, saberão que, em espírito, sempre o souberam. Esse conhecimento foi apenas
temporariamente apagado da sua consciência enquanto estiveram encarnados.

As pessoas que cedem ao seu Eu Inferior criam formas que correspondem à qualidade, à força
e ao tipo do seu Eu Inferior. Isso não exclui o fato de que elas criam também simultaneamente
formas belas e harmoniosas na medida em que o seu Eu Superior tem permissão para funcionar.
Vamos assumir, teoricamente, que toda humanidade, - cada indivíduo - seguisse a linha de menor
Palestra do Guia Pathwork No. 15 (Palestra Não Editada)
Página 5 de 12

esforço, cedesse ao seu Eu Inferior, o alimentasse em lugar de lutar contra ele; o que aconteceria, do
nosso ponto de visão? Essas esferas que mencionei, e que se interpenetram, mudariam de panorama.
A humanidade fortaleceria e aumentaria as esferas desarmônicas, as quais expulsariam as esferas
harmoniosas de, Luz, Amor e Felicidade e as lançariam para um papel secundário de forma tal que
influenciaria a humanidade cada vez menos e apenas a influência das forças desarmônicas poderia
ter efeito. O gênero humano então forneceria constantemente material para o mundo das trevas, e
por sua vez a influência deste seria proporcionalmente maior sobre vocês. Por outro lado, vamos
supor outra vez teoricamente que toda a humanidade - cada pessoa individual - percorresse o
Caminho de Perfeição; mesmo que esse Caminho fosse diferente para cada indivíduo (porque o que
pode ser o Caminho necessário para uma pessoa pode ser excessivamente difícil para outra cujo
desenvolvimento geral não é grande o bastante para esses esforços), se cada filho de Deus que ainda
é mais ou menos pouco desenvolvido tentasse o seu melhor, as esferas da escuridão e da
desarmonia, do mal e da inveja, do ódio, e do preconceito, da guerra e da cobiça seriam repelidas e
teriam que dissolver gradualmente.

A Criação Divina jamais pode dissolver-se; ela pode apenas ser afastada de forma a não poder
afetar o mundo Material, enquanto essa atitude negativa permanecer no controle. Mas a desarmonia
com todas as suas faces pode e deve, por fim, ser destruídas e dissolvidas. Assim você pode ver
muito bem como não apenas o Mundo do Espírito o afeta, mas como você afeta o Mundo do
Espírito. Um ciclo contínuo é posto em movimento, quer seja vicioso ou benigno. Isso jamais
mudará enquanto o Mundo Material continuar existindo. Tem que ser assim.

Por exemplo, se um grupo de seres humanos, mesmo que pequeno, reúne-se no desejo
honesto e sincero de servir a Deus e ao seu Grande Plano, você sabe que forma nós vemos no
Mundo Espiritual caso esse desejo não continue apenas um desejo, mas seja também posto em
execução? Vemos um templo muito belo sendo construído no Mundo do Espírito. Este grupo aqui
ao qual me manifesto, está construindo um templo assim, pedra a pedra. Ele ainda não está
completamente erigido, falta ainda o telhado, ele ainda não está mobiliado, mas a construção está
bem adiantada. Não pensem que falo simbolicamente; estou falando a verdade. Esse templo já existe
em nossa esfera correspondente. E vocês, meus amigos, que verdadeiramente pertencem a esse
grupo, enquanto os seus corpos estão descansando, dormindo como dizem vocês, seus espíritos são
com freqüência conduzidos a esse lugar e se alegram nele, cada um de vocês se regozija. Isso porque
cada um pode ver onde colocou uma pedra. Cada um de vocês que realmente tente com
honestidade e sinceridade e que trabalha neste Pathwork, assentar muitas pedras; não apenas a
médium, mas todos vocês que trilham este Pathwork com o meu auxílio.

E agora, antes que eu passe às suas perguntas, quero mencionar mais uma que toca um
aspecto mais psicológico do ser humano. Novamente seria necessário para os novos amigos ler o
que eu disse antes para realmente entender o que vou falar aqui. Muitas vezes um ser humano
permite-se aquilo que é chamado devaneio, ou sonhar acordado. Ninguém pensa que haja nada de
errado com isso. Não é um passatempo prejudicial. Vocês pensam não causar mal a ninguém. Mas
eu digo que causam! E o mal é feito a vocês mesmos. E eu tentarei explicar por quê. Quando
pessoas muito jovens o fazem, é diferente. Mas quando elas realmente amadurecem vão superá-lo Se
uma pessoa continua a sonhar acordado na idade adulta, isso significa que de alguma forma não
amadureceu; caso tivesse, não viveria em fantasia, mas em realidade. Se esse devaneio é mantido, ele
tem efeitos muito danosos, pois, caso você o esteja fazendo, está de algum modo fugindo da
realidade. A sua vida é dura, a sua vida é difícil e conjurando essas imagens do que gostaria que ela
Palestra do Guia Pathwork No. 15 (Palestra Não Editada)
Página 6 de 12

fosse você foge da sua vida real e dos seus problemas. Isso significa que você não consegue resolver
seus verdadeiros problemas, uma vez que não deseja olhar para eles e ir às suas raízes.

Como vocês sabem, não existe pensamento sem substância e forma. Esses devaneios criam
também as suas formas. E essas formas-pensamento interpõem-se no caminho de qualquer
realização que você fosse capaz de produzir. É muito tentador escapar dessa forma aparentemente
inofensiva, mas o meu conselho é: não se deixe tentar. Porque essas formas-pensamento o impedem
de atingir a verdadeira realização. Além disso, existe o elemento tempo; todo esse tempo que você
investe nesse passatempo pode ser utilizado em verdadeira meditação, em auto-reconhecimento e
desenvolvimento. O devaneio pode ser comparado, de certa forma, ao consumo de drogas. Tomar
uma droga uma vez não irá prejudicar o seu corpo ou seu espírito, mas uma vez que você começa,
existe o perigo de ficar viciado. E existem muitas pessoas viciadas em sonhar acordadas. Elas usam a
sua energia para construir essas formas-pensamento; dessa forma elas se retiram da realidade da vida;
a realidade que elas poderiam produzir caso não criassem essas formas-pensamento particulares.
Vocês têm perguntas ligadas ao assunto, meus amigos ?

PERGUNTA: Como isso se aplicaria à publicidade ?

RESPOSTA: Isso não se enquadra exatamente na questão do devaneio; contudo, o que você
tem em mente é também prejudicial, de forma diferente. Aqui, novamente, depende apenas do
indivíduo. Se um indivíduo toma a informação que recebe da publicidade, certos tipos dela, como
realidade, então o que pode acontecer é que essa pessoa pode encorajar a sua Máscara, o que é
exatamente o mesmo. O Mundo de Sonhos do qual eu estava falando é, embora também possa ser
influenciado pela propaganda, algo que existiu muito antes dela. Em outras palavras, a publicidade
não é realmente a sua causa, mas pode encorajá-lo.

PERGUNTA: Onde se encontra a linha de demarcação entre o conceito do artista e o


devaneio?

RESPOSTA: Essa é uma pergunta muito boa. Eu o colocaria desta maneira: quando o artista
põe o seu devaneio em criações reais, então eles cessam de ser devaneios. Quando o artista joga com
esses pensamentos de fantasias com o propósito de criar, de realizar, de dar algo a outras pessoas e
não para drogar-se com o fim de não ver uma realidade desagradável, então ele está no caminho
certo e não está passando a fronteira. E novamente, como em todas as coisas: apenas cada indivíduo
por si mesmo pode determinar onde fica a fronteira. Ninguém mais pode fazê-lo para ele. Isso só
pode ser conseguido através de um severo auto-exame.

PERGUNTA: Você mencionou certa vez que era difícil para o Mundo Espiritual focalizar sua
visão em corpos físicos a menos que houvesse uma boa razão para isso. Eu fiquei a imaginar como
era possível para você ou para outros a leitura ?

RESPOSTA: Isso é possível porque o pensamento contido na palavra escrita é uma forma.
Todo pensamento é forma, quer seja escrito, falado, desenhado, tocado como música, não há
qualquer diferença. Nós vemos as formas-pensamento.

PERGUNTA: Em outras palavras, vocês não vêem a escrita, mas o significado por trás dela?
Palestra do Guia Pathwork No. 15 (Palestra Não Editada)
Página 7 de 12

RESPOSTA: Sim, está correto. Nós podemos ver a escrita também, da mesma forma que
podemos enxergar o corpo humano. Mas novamente, apenas se houver um propósito específico.
Caso contrário nós vemos a forma.

PERGUNTA: Na escrita, vocês veriam a cor, a emanação da forma-pensamento,


independente do tipo de pessoa ?

RESPOSTA: Não, não independente, porque a cor, a vibração, a freqüência, tudo o que
mencionei da última vez, é determinado também pelas características daquela pessoa, pelo seu
estado de espírito, pela sua atitude geral, etc. Tudo isso é levado em consideração e forma um todo.

PERGUNTA: Então, algo que é escrito por uma pessoa seria uma coisa muito diferente que o
mesmo escrito por outra pessoa ?

RESPOSTA: Sim, muito diferente.

PERGUNTA: posso perguntar, com relação a este tema: isso é de algum modo semelhante a
certas leituras psicométricas de pessoas que acreditam poder realmente determinar a aura de uma
peça de arte ou de algum objeto ?

RESPOSTA: Sim, isso mesmo.

PERGUNTA: Falando de devaneios e fantasias, eu escrevi uma peça de teatro sobre uma
encarnação passada no Egito e me pergunto, será que eu mesmo não estive no Egito em uma vida
passada ?

RESPOSTA: Nesta oportunidade eu posso dar uma breve explicação a todos os meus novos
amigos aqui, que espíritos pertencentes à Ordem do Plano Divino não podem dar e não darão uma
informação como essa a menos que ela sirva a um propósito muito bom, a menos que seja
importante para o desenvolvimento da pessoa. Se e quando essa informação torna-se necessária para
você, esse conhecimento lhe será dado, quer através de mim ou de outro espírito ou através de um
esclarecimento que vai chegar diretamente a você. Mas enquanto isso for apenas uma especulação
interessante, nós não fornecemos tal informação. Porque, se nós lidássemos com isso de forma tão
leviana, não haveria razão para que a memória fosse tirada de uma vida para a próxima. Oh, eu sei,
existem muitos espíritos, manifestando-se através de muitos médiuns, que são bastante liberais com
essa informação. mas eles não são espíritos dos nossos. É fácil dizer; isso satisfaz a curiosidade
humana e jamais pode ser provado. Um espírito poderia facilmente dizer-lhe "sim" ou "não", e você
não saberia. Você ficaria satisfeito. Mas nós não fazemos dessa forma. Quando tal conhecimento
vem, ele tem real significado. Ele deve ser uma chave para a sua vida presente. Por vezes é dado um
esclarecimento na questão de vidas passadas; geralmente o país é irrelevante. E realmente ele é de
pouca importância ou pelo menos raramente não o é. Mas outras circunstâncias são relevantes.
Sempre que a verdade sobre uma encarnação anterior o penetra - e isso se aplica a todos vocês - ela
deve trazer-lhe um sentimento de vitória, de liberação. É como se uma chave fosse posta na
fechadura e uma porta fosse aberta e de repente você entendesse muitas, muitas coisas na vida
presente. Dificuldades, aflições, testes, etc. Se esse sentimento não acompanha tal informação, não
confie nela. Alguma pergunta a esse respeito ?
Palestra do Guia Pathwork No. 15 (Palestra Não Editada)
Página 8 de 12

PERGUNTA: Quando, na opinião do mundo espiritual, uma pessoa é iniciada ?

RESPOSTA: Bem, uma vez que essa pergunta me é feita repetidamente, tentarei respondê-la
de forma breve; contudo, antes de fazê-lo quero dizer o seguinte: o perigo com os seres humanos é
que eles utilizam, fluentes e rapidamente, certas palavras-chaves e rótulos, e um ser humano
pronuncia essa palavra a respeito de outros; iniciação e isso e aquilo. Isso é prejudicial. E por vezes
seria até melhor se vocês não conhecessem tais palavras. Do nosso ponto de vista, eu diria que a
iniciação tem lugar quando uma pessoa realmente, de todo o coração, não apenas em pensamento e
em teoria, mas na prática dá a sua vida a Deus. Quando todas as outras considerações
absolutamente não importam. Quando Deus é sempre posto em primeiro lugar. Isso não significa
que vocês devam tornar-se fanáticos ou entrar em clausuras; pelo contrário. Deus não gosta de
fanatismo. O que se quer dizer com tal submissão a Deus é que o conforto material, os desejos do
Ego tornam-se secundários em relação a todas as considerações pertinentes a Deus e ao seu Grande
Plano, e o preenchimento desta vida de acordo com a vontade de Deus. Quando isso é reconhecido
e é atingido um certo estágio no qual isso é conscientemente posto em prática, então podemos dizer
que a sua palavra, "iniciação", pode ser aplicada.

PERGUNTA: A médium queria fazer uma pergunta: quais são as razões ou leis espirituais em
relação ao casamento entre irmãos e irmãs, biologicamente e de acordo com a lei civil ?

RESPOSTA: Quando as pessoas encarnam na Terra com outras pessoas, seja na mesma
família ou no mesmo ambiente, há sempre boas razões, razões cármicas. Razões de realização.
Agora, irmãos e irmãs encarnam nessa condição porque comumente o amor deve ser aprendido
entre essas almas, mas amor apenas de uma certa maneira. Em outros casos, as pessoas devem
achar-se como maridos e esposas; e quando a paixão e o sexo, eros, como vocês dizem,
desempenha um papel, com freqüência é possível aprender a amar onde existia ódio. É mais fácil
assim. Já entre irmãos e irmãs esse elemento é retirado, porque nesse estágio pode ser que o amor
deva ser aprendido sem essa ajuda. Essa pode simplesmente ser a tarefa, eu não digo que seja
sempre esse o caso, mas ele se aplica com tal freqüência que o casamento deve ser proibido entre
almas encarnadas que são irmãos e irmãs.

PERGUNTA: Você poderia explicar-me como a realização da vontade de uma pessoa se


adequará à frase "seja feita a Tua Vontade ?

RESPOSTA: Não há problema aqui, meu caro. Porque quando uma pessoa no Pathwork
descobre alguma coisa, ela deve primeiro perguntar a Deus, "é esta a tua vontade, Pai ? Eu estarei
aberto para receber a tua resposta." E se você estiver aberto, se você não tirar esse pensamento da
sua mente porque espera que possa ser de certa maneira, se você estiver pronto para aceitar que a
resposta de Deus seja contrária àquilo que deseja, então você a receberá. Essa é a única coisa certa a
fazer. Onde está o problema ?

PERGUNTA: Por que, se eu receber a resposta de Deus e essa for contrária ao meu desejo,
então como isso se encaixa com os ensinamentos do tipo "pedi e será dado," etc ?

RESPOSTA: Mas o seu pedido não pode ser contrário à vontade de Deus. E eu lhes ensino
antes de tudo o mais e em todas as coisas a aprender a estarem abertos à Vontade de Deus. Você só
pode aprender a pôr a sua própria vontade de lado. Se você colocar a vontade de Deus em primeiro
Palestra do Guia Pathwork No. 15 (Palestra Não Editada)
Página 9 de 12

lugar, se você não amar a si mesmo mais do que ama a Deus, quando você tiver aprendido isso,
sempre será capaz de receber a resposta. E quando você a tiver recebido, então poderá como você
diz, fazer o seu pedido. Isso responde a sua pergunta ?

PERGUNTA: Responde à minha idéia e eu compreendo você e sei o que você pensa, mas
ainda não responde ao que eu quis dizer, porque a outra direção espiritual é ir exatamente para
aquela parte de "fazer o pedido," aquilo que a pessoa pensa que quer.

RESPOSTA: Não, não, a vontade de Deus tem sempre que ser estabelecida primeiro. E a
direção em que você está pensando também significa isso. Mas talvez o como tenha sido
suficientemente enfatizado: como receber a vontade de Deus primeiro, e como conseguir por a
própria vontade de lado. Então, quer corresponda à sua vontade ou não você pode fazer o seu
pedido, de acordo com a vontade d'Ele. Isso é dito também, nessa direção, mas talvez não se esteja
ensinando o bastante como esquecer o seu Ego e os seus desejos.

PERGUNTA: Porque existe no homem um impulso para buscar a vida espiritual ?

RESPOSTA: Oh, porque o Eu superior ou Centelha Divina está presente em todos e essa
Centelha Divina o impulsiona, exatamente nessa direção. Quanto menor o desenvolvimento do
homem, quanto mais camadas do Eu Inferior cobrem o Eu Superior, tanto mais esse impulso é
encoberto e se torna não-existente. Mas quando um certo desenvolvimento é atingido, o desejo do
Eu Superior o empurra. E novamente algumas vozes do seu Eu Inferior tentam afastá-lo dele. É
essa a luta que vocês têm que manter dentro de si mesmos, cada um de vocês. E quanto maior o seu
desenvolvimento, mais infeliz se tornará caso não siga a voz do seu Eu Superior, ou pode-se
também dizer, as vozes de Espíritos Divinos a inspirá-lo.

Esses espíritos superiores só podem estar à sua volta porque o seu Eu Superior já se libertou o
suficiente, pelo menos em alguma medida. Se, você não der ouvido a essas vozes, se você deixar que
outras considerações, quaisquer que possam ser, interponham-se em seu caminho, você
necessariamente ficará infeliz. Você vai se sentir frustrado, não terá paz de espírito. Se você escolher
seguir essa voz, se você decidiu seguir este Pathwork e permanecer nele não importa o que aconteça,
e seguir adiante, a felicidade será o resultado, passo a passo. Na medida em que você estiver lutando
pelo o seu caminho ascendente, nessa mesma medida a felicidade deverá ser sua. Mas é sempre a
Centelha Divina, o Eu Superior existente no homem, que o impulsiona para a frente e você não
encontrará paz antes de achar o que se dispôs a achar. Aquele que bate entrará; aquele que procura,
achará.

PERGUNTA: Ao tentar separar o Eu Superior do Eu Inferior para realmente conhecermo-


nos, acontece por vezes que parte do Eu Superior fique misturada ao Eu Inferior e vice-versa. Existe
alguma pista que possa nos ajudar a compreender isso, a traçar uma diferença entre os dois ?

RESPOSTA: Sim, existe; mas nós não teremos tempo para isso agora. De fato, esse assunto
cobriria quase uma palestra inteira. E em uma das oportunidades futuras eu darei uma palestra sobre
esse tema. E essa palestra será uma complementação, eu diria, de outras anteriores sobre a formação
psicológica da alma humana. Seria também muito importante que os seus psicólogos, analistas e
psiquiatras compreendessem isso. Na minha última palestra eu falei sobre o Eu Superior, o Eu
Inferior e a Máscara talvez na próxima palestra - verei se é possível - eu discuta como as correntes
Palestra do Guia Pathwork No. 15 (Palestra Não Editada)
Página 10 de 12

do Eu Superior se projetam, penetram o Eu Inferior e em alguns pontos, se posso usar essa


expressão, o atravessam e saem limpas e sem diluição; e em outros pontos - se vocês o visualizarem,
como eu lhes pedi que fizessem - essas correntes do Eu Superior podem ser alteradas, posta em
canais errados pelo Eu Inferior através de certos defeitos que têm sua sede no Eu Inferior. Eu falarei
mais longamente sobre isso, em outra ocasião.

PERGUNTA: Existe uma relação entre os sonhos que se tem quando se dorme e o sonho
acordado, o devaneio ?

RESPOSTA: Pode haver, em um certo sentido. Os seus devaneios podem lançar luz sobre
certos fatos psicológicos, presentes no interior do indivíduo. Essa questão leva-me a um conselho
que quero dar-lhes; esta pode ser uma boa oportunidade para fazê-lo, em uma palestra geral, quando
todos os amigos com os quais eu trabalho pessoalmente, e também os meus amigos de outros
lugares, podem ouvi-lo de vez. Eu sugeriria a todos vocês que trabalham comigo pessoalmente, a
escrever os seus devaneios, o tema dos seus sonhos acordados, nos seus cadernos de notas. Tragam-
nos para as suas sessões pessoais ou escrevam sobre eles em seus protocolos mensais, aqueles que se
encontram distantes. Pois, como você muito acertadamente disse, existe uma ligação. Os sonhos
mostram o seu subconsciente, os devaneios também lançam luz sobre os seus desejos inconscientes
de uma forma levemente diferente, mas igualmente sobre outros aspectos da sua formação interna.
Portanto, pode ser muito útil para o seu progresso considerar o caráter dos seus devaneios. Por
favor, todos vocês, incluam isso nas várias tarefas para casa que eu lhes designe.

PERGUNTA: A próxima palestra será em inglês ?

RESPOSTA: Sim, elas serão todas em Inglês agora, exceto algumas palestras particulares.

PERGUNTA: Eu tenho uma pergunta que provavelmente precisa de uma resposta longa
demais. É a respeito das distâncias e medidas geográficas. O Mundo Espiritual no qual você se
encontra e vive estende-se também às estrelas muito distantes, à Via Láctea e assim por diante ?

RESPOSTA: Sim, a tudo por todo o Universo.

PERGUNTA: Você pode viajar à vontade, em outras palavras, para qualquer espaço no
universo ?

RESPOSTA: O espaço não é obstáculo.

PERGUNTA: Mas a distância deve existir, de alguma forma ?


Palestra do Guia Pathwork No. 15 (Palestra Não Editada)
Página 11 de 12

RESPOSTA: A distância existiria apenas do ponto de vista humano. Eu sei que lhes é
impossível imaginar.

PERGUNTA: 2 milhões de anos-luz, digamos, não representam qualquer medida para vocês?

RESPOSTA: Não. Da mesma forma, suponhamos: eu estou aqui e se acho que quero ir a
Suíça, no mesmo minuto estou lá, caso queira. No minuto seguinte, ou em meio minuto ou numa
fração de minuto - nós não possuímos tais medidas - mas medidos em nossa maneira de tempo e
espaço, eu estaria de volta.

Para mim não há distância se não houver distância espiritual. E, contudo, ir daqui para a porta
poderia ser uma distância insuperável para um espírito.

PERGUNTA: Por causa da densidade do médium ?

RESPOSTA: Atitude espiritual, essa é a distância.

PERGUNTA: Em outras palavras, estar em Ras Algeth ou qualquer das grandes estrelas, para
você, é o mesmo que percorrer aquilo que chamamos de uma curta distância ?

RESPOSTA: Não faz qualquer diferença. Não existem no Mundo Espiritual medidas de
tempo e espaço como as que vocês têm aqui. A medida que possuímos é puramente individual,
espiritual e psicológica. Mas não pense que quando eu digo "psicológico" quero dizer que isso é
apenas uma idéia. É um fato. Digamos, um espírito que atingiu um certo desenvolvimento tem todo
o Universo à sua disposição até a esfera que atingiu, ou até a altura de desenvolvimento que
alcançou. Mais alto ele não pode ir antes que alcance o respectivo desenvolvimento.

PERGUNTA: Em outras palavras, um espírito de desenvolvimento inferior não pode fazê-lo?

RESPOSTA: Oh não. Ele tem à sua disposição apenas o que se encontra no interior do seu
reino de desenvolvimento ou abaixo dele. Aí ele é livre.

PERGUNTA: Você diria que é semelhante à leitura de um livro que nos leva de volta há
milhões de anos atrás, assim como o pensamento do espírito que está onde quer que pense que
deseja ir ?
Palestra do Guia Pathwork No. 15 (Palestra Não Editada)
Página 12 de 12

RESPOSTA: Sim, sim. Mas não é apenas uma idéia, é realmente assim.

PERGUNTA: Mas a mente humana não pode concebê-lo ?

RESPOSTA: Não, eu posso compreender que lhes é quase impossível conceber tal coisa, a
menos que o percebam, que o sintam em meditação. Mas então vão descobrir que não podem
expressar o seu conhecimento para os outros.

Com isso, meus amigos, retornarei para o meu mundo. E eu lhes deixarei as bênçãos de Deus.

Que vocês possam ficar em paz. Deus está com você.

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por
escrito da Fundação. A Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou
pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida,
de acordo com a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou
abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida
sua comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork
Foundation tenham concordado em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de
transformação pessoal reconhecidos pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Telefone : (011) 3721-0231 E-mail: pathworksp@pathwork.com.br Visite: www.pathwork.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter)
Telefone: (71) 3237-4962 E-mail: pathworkbahia@yahoo.com.br Visite www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília (Chapter)
Telefone: (61) 3442-8108 E-mail: fvervloet@gmail.com
Pathwork® Ceará (Chapter)
Telefone : (085) 8731-1122 E-mail: reginalencar@gmail.com
Pathwork® Goiás (Chapter)
Telefone: (62) 8118-0446 E-mail: ritapath@hotmail.com
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Tel: (31) 9959-5547 E-mail: pathworkmginstituto@gmail.com Visite: www.pathworkminas.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Telefones: (083) 9967-8303/(083) 3235-5188/(083) 3224-2362 E-mail: claubetenobrega@terra.com.br Visite: www.pathworkpb.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro (Chapter)
Telefone:: (21) 2529-2322 E-mail: gmdell@globo.com Visite www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Telefone: (51) 9177-3178 E-mail: suefonseca@hotmail.com. Visite www.pathworksul.com.br
Visite: www.pathwork.org.
Visite: www.pathworkbrasil.com.br
Palestra do Guia Pathwork nº 16
Palestra não editada
8 de novembro de 1957

O ALIMENTO ESPIRITUAL

Saudações em nome do Senhor. Abençoada seja esta hora, abençoados sejam todos vocês,
meus amigos. Tenho novamente o prazer de dar as boas vindas a novos amigos que aqui estão esta
noite, e quero dizer a todos: fiquem descontraídos. Nesta hora, não pensem em nenhuma de suas
dúvidas. Deixem apenas a sua alma falar e lhes dar a resposta. Isso pode acontecer, se vocês se
abrirem. Não é surpreendente que uma pessoa, ao se deparar pela primeira vez com este fenômeno
– um espírito capaz de falar por meio de um ser humano – não consiga aceitá-lo de pronto. No
entanto, há muitas coisas possíveis das quais vocês ainda não sabem nada. Portanto, fiquem
receptivos e aguardem. Vocês acabarão vendo que não existe apenas isto, mas muitas outras coisas
que atualmente nem imaginam. Vocês não vão conseguir aceitar apenas com o intelecto, mas na
verdade vão vivenciar tudo isso. E não apenas coisas que nada têm a ver com vocês pessoalmente,
mas as suas vidas vão mudar quando conhecerem determinadas verdades. Isso vai dar à sua vida
direção e sentido, enquanto hoje muitas vezes vocês não sabem o que afinal é esta vida e por que
vocês precisam passar por tantas agruras, tantas provações. No entanto, tudo isso tem um sentido.
Além disso – estou falando com todos, meus amigos – descontraiam, relaxem, fiquem abertos.
Vocês vão tornar a receber respostas, como já ocorreu tantas vezes.

Muitos problemas do homem estão relacionados com o pão de cada dia, com questões
materiais. Por mais importante que seja o pão de cada dia, sua importância é secundária em relação
ao pão espiritual de que o homem necessita. Tem-se falado muito sobre a importância dos alimentos
certos, das vitaminas e minerais, das proteínas e dietas. Ah, sem dúvida é bom que a humanidade
tenha começado a fazer descobertas a esse respeito. Mas nós, espíritos, vemos uma enorme
discrepância entre a nutrição material e a falta de nutrição espiritual. Esta é tão importante quanto
aquela. Vemos pessoas espiritualmente famintas, desnutridas; tantas sofrem de deficiência espiritual
de vitaminas. A alma, ou o espírito precisa muito de alimento, muitas vezes sem que a pessoa o
perceba. E é somente quando esse alimento é fornecido, absorvido e digerido que todas as outras
necessidades começam automaticamente a serem atendidas, incluindo o pão material de cada dia.
Quando o espírito está à míngua, as conseqüências são inevitáveis.

O mesmo se aplica à higiene. A humanidade fez grandes progressos no sentido da higiene


física. Hoje em dia, as pessoas se banham diariamente e mantêm o corpo limpo. Ao mesmo tempo,
há muitas almas por aí sem higiene. Talvez vocês estejam se perguntando como fazer a higiene da
alma e nutrir o espírito. O que precisa ser feito na prática? A nutrição espiritual é o consumo regular
de verdades espirituais – até as repetições são importantes! – e de leis espirituais; e ver a vida do
ponto de vista espiritual, que com freqüência contrasta com o ponto de vista material, para que um
dia a sua perspectiva também mude nesse sentido. Essa nutrição espiritual precisa tornar-se um
hábito regular, pois é possível que vocês tenham vivido sem ela por muito tempo. Vocês ficam tão
acostumados a isso, exatamente como alguém se acostuma a comer o tipo errado de alimentos que
não fornece os fatores essenciais de que o corpo necessita para permanecer forte e vigoroso. Pode-

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 16 (Palestra Não Editada)
Página 2 de 10

se viver um bom tempo assim, sem jamais ligar o efeito à causa. A pessoa fisicamente subnutrida se
queixa de cansaço, fraqueza ou de outros sintomas físicos, sem pensar no motivo verdadeiro. O
mesmo se aplica à pessoa espiritualmente desnutrida. Os problemas emocionais, a falta de paz
interior e todos os outros sintomas dessa deficiência raramente são associados, de modo consciente,
à sua causa.

O alimento espiritual não chega sozinho até vocês. Vocês precisam buscá-lo, da mesma forma
que buscam a nutrição física. Vocês precisam trabalhar pelo pão. Precisam providenciá-lo, comprá-
lo, prepará-lo, comê-lo. Isso é tão verdadeiro com relação ao pão espiritual como ao pão material.
Vocês conquistam o pão espiritual mediante o desejo sincero de recebê-lo. Vocês preparam o
alimento espiritual buscando a fonte certa para vocês, depois de algum trabalho para consegui-lo. E
vocês o digerem refletindo e meditando sobre o que ouviram ou leram, procurando aplicar de
alguma forma os ensinamentos ao seu caso, para que algo mude para melhor em seu íntimo.
Portanto, a nutrição espiritual é, de um lado, ouvir palestras, ler a literatura adequada, e também
conversar sobre o assunto com pessoas que sabem mais que vocês. E, por outro lado, a nutrição
espiritual também é a prece e a meditação da maneira correta. Também neste caso é preciso lutar
consigo mesmo para vencer a resistência. Sempre existe uma voz que diz “estou muito cansado. Não
estou com vontade; não faz mal se eu não fizer isso hoje. Que diferença fará? Por que Deus iria se
importar se eu orar para Ele hoje?” Não, meus amigos, Deus não se importa. Mas a sua alma e o seu
espírito vão morrer de fome. Se vocês se abrirem todos os dias, receberão a força e a luz que os
mantêm, que os guiam no rumo certo.

A limpeza da alma, que é igualmente importante, se não mais ainda, deve ser feita desta forma.
Muitas vezes a pessoa não tem consciência de determinados defeitos e também de atitudes, opiniões,
reações emocionais. As pessoas trazem muitas dessas tendências desde tenra idade, devido a alguma
influência em seu meio ambiente e também devido a certos acontecimentos de sua vida. Tais
atitudes podem ou não ter tido justificativa naquela época anterior. Mas no momento atual são
totalmente obsoletas e muito prejudiciais. No entanto, sem saber de sua existência e do dano que
elas causam, as pessoas continuam mantendo inconscientemente essas antigas reações e continuam a
reagir de determinada maneira por causa delas. Portanto, vocês precisam examinar a si mesmos, ver
o que realmente pensam, o que realmente sentem, o que realmente querem. Assim, vocês fazem um
inventário de suas tendências e correntes emocionais. Com esse reexame, vocês podem se livrar
daquilo que não tem mais sentido para vocês e mudar as correntes emocionais de acordo com isso.
Dessa forma, vocês colocam a sua alma em ordem e daí serão capazes de mudar a direção de sua
vontade, quando necessário. Poderão até mudar seus desejos, depois disso. É somente quando
fizerem isso conscientemente que vocês poderão identificar esses vários sentimentos, desejos,
atitudes, etc. Nesse momento, vocês serão capazes de verificar, com a nutrição espiritual que
absorverem do exterior, se essas tendências estão de acordo com as leis espirituais. Vão verificar se
violaram alguma lei espiritual no passado, de maneira totalmente inconsciente, devido à direção
interior errônea. Quando essas tendências inconscientes estão presentes em vocês, elas geram muito
dano, geram conflito, geram uma desordem em seu íntimo. Aí temos a alma não limpa ou “não
higiênica”. É assim que a vemos. Há muita coisa aí que não deveria estar, que deveria ser lavada –
colocada para fora.

Limpem a alma como vocês limpam o corpo. E isso deve ser feito todos os dias. Todos os
dias recapitulem o dia que passou e examinem suas reações aos diversos episódios ocorridos naquele
dia. Esta é a única forma de limpar o espírito, a alma. Somente assim vocês ficarão abertos e
Palestra do Guia Pathwork No. 16 (Palestra Não Editada)
Página 3 de 10

receptivos ao alimento adequado, para poderem crescer espiritualmente todos os dias. Com esta
atitude, nada que acontecer poderá deprimi-los. Não, meus amigos, esta é a verdade. Nem as coisas
desagradáveis da vida terão o poder de abatê-los. Pois vocês serão capazes de aprender mais sobre si
mesmos e sobre a lei espiritual, sobre a verdade divina e o que ainda precisam conseguir e o que já
conseguiram. As suas falhas, que são inevitáveis, darão a vocês força no lugar de fraqueza, quando se
encararem diariamente desta maneira e se considerarem as falhas pensando assim: “o que posso
aprender com elas? O que isso me mostra do que ainda preciso trabalhar no meu esforço de
autopurificação?” Nada que acontece nas suas vidas é bom ou mau em si mesmo. Não acreditem
nessa falácia. A melhor coisa que pode acontecer a vocês poderia parecer um desastre num
determinado momento. E será um desastre se estiverem com a atitude errada. E um acontecimento
que parece muito propício pode se transformar em algo muito desfavorável se não tirarem dele uma
lição espiritual. Portanto, tudo que lhes acontece pode ser bom se fizerem com que seja bom, se
usarem o acontecimento de um ponto de vista espiritual, se aprenderem com ele, para poderem
continuar a crescer espiritualmente, crescer para serem felizes!

Esta é a única maneira que poderão comandar a própria vida, ao invés de serem escravos e
comandados por ela. Vocês podem. Está nas suas mãos, se quiserem. Mas muitas vezes vocês não
querem usar esse poder. Não, parece muito mais fácil ceder à depressão ou à desesperança, pois isso
lhes permite serem passivos e, consciente ou inconscientemente, culparem o destino, as
circunstâncias ou outras pessoas pelo que lhes aconteceu. Não, meus amigos, dessa maneira vocês,
de fato, se tornam escravos. Tornam-se dependentes de acontecimentos exteriores, sobre os quais
não têm controle algum. Ao contrário, digam a si mesmos: “Se alguma coisa desagradável acontece,
a resposta está dentro de mim – sua causa e também sua solução”.Orem nesse instante a Deus para
ajudá-los a encontrar a resposta, com a vontade inquebrantável de se olharem de frente. Se fizerem
isso, se superarem a resistência inicial – e a dificuldade está só nesse primeiro momento – vocês vão
obter a resposta, tão certo como o sol sucede à chuva e como a vida sucede à morte. Isso trará uma
grande felicidade para as suas almas. Uma felicidade como até então não conheciam, porque não há
outra felicidade comparável àquela que a pessoa tem quando conquista a si mesma, quando decide:
“não serei mais um escravo. De agora em diante, vou dirigir minha vida. Para tanto, preciso, em
primeiro lugar, encarar o que há dentro de mim que pode não me agradar ou não me deixar à
vontade”. É simples, é difícil apenas no primeiro instante da decisão, e não depois que vão em
frente.

O homem tem muito mais poder do que pensa. A força de vontade que jaz em seu íntimo,
ainda não desenvolvida, é algo que vocês não imaginam, meus amigos – nenhum de vocês. Como a
força de vontade é muito importante na vida de uma pessoa, vou falar dela agora. Em primeiro
lugar, quero dizer que não existe pessoa viva que não tenha força de vontade. Isso não existe. Quem
diz “Sou fraco, não tenho força de vontade” está enganando a si mesmo, porque lhe parece muito
mais fácil ser comandado em vez de comandar a vida, em vez de assumir a responsabilidade sobre
tudo que diz respeito à sua vida. Trata-se apenas de desenvolver a força de vontade. A segunda
questão é em que direção se deve desenvolver a força de vontade. Para todos que dizem que não
têm força de vontade, é bom saberem que usam constantemente essa força de vontade, sem
perceberem. Vocês a usam subconscientemente, e com freqüência na direção errada, porque ela é
usada de maneira inconsciente, ao invés de consciente. Há muitas pessoas que dizem que tudo o que
uma pessoa quer, ela pode conseguir. Isso é mais ou menos verdade. Mas se o que querem é de fato
o melhor, isso já é outra história. Portanto, a pessoa que quer, acima de tudo, crescer espiritualmente
e se aproximar de Deus precisa examinar o direcionamento de sua força de vontade.
Palestra do Guia Pathwork No. 16 (Palestra Não Editada)
Página 4 de 10

Tal exame deve ser feito à luz da lei espiritual e da verdade. Como eu disse há algum tempo,
há correntes provenientes do eu superior que muitas vezes são distorcidas pelo eu inferior. Prometi
que falaria sobre isso mais explicitamente. Este é um bom exemplo, porque a força de vontade é, em
si mesma, um patrimônio valiosíssimo. De fato, sem ela não pode haver progresso espiritual
nenhum. Portanto, a força de vontade provém do eu superior. Ela é uma pura corrente de luz e
força pura enquanto é usada para uma finalidade espiritual, para o crescimento espiritual, para Deus,
com Deus, em Deus. No momento em que a vontade consciente a utiliza na direção errada, ela é
distorcida pelo eu inferior e se transforma numa força impura. Vamos tomar, por exemplo, um
criminoso. É muito evidente, perceptível, que ele usa sua força de vontade na direção errada. Quer
impor sua vontade a qualquer custo. Para ele, a satisfação dos desejos pessoais está tão acima de
tudo que ele se dispõe a prejudicar os outros para atingir seu objetivo – o ego. Uma pessoa mais
desenvolvida não agiria assim, porque sabe que o crime é um pecado. No entanto, também ela pode
usar força de vontade no sentido errado, embora inconscientemente e, é claro, não em atos que
claramente prejudicam os outros, mas em sentimentos e reações interiores que também colocam em
primeiro plano a satisfação do ego. Isto constitui uma violação da lei e tem conseqüências em
termos de desarmonia interior e/ou conflitos exteriores. Todo esse procedimento fica no
subconsciente, porque essa pessoa de alguma forma sabe que o que quer é errado, mas não está
preparada para renunciar a seu desejo. Quer realizá-lo, apesar de tudo. Portanto, a força de vontade
continua a fluir na direção errada, sem a percepção consciente. Em muitos casos, este é um fator
muito importante nas pessoas emocionalmente perturbadas.

Tudo isso não tem relação com o crime ou o pecado na acepção ampla. Existem pecados e
pecados. É apenas uma questão de grau. Tudo que se desvia da lei espiritual é pecado – ou
ignorância, se quiserem. É a mesma coisa. Pois bem, é comum uma pessoa querer muito alguma
coisa que não constitui um pecado reconhecido; pode até mesmo não violar as normas reconhecidas
da ética da sua sociedade. No entanto, o que ela quer pode ser errado para ela, para sua vida. Poderia
ser certo para outra pessoa, porque o pecado, ou a violação da lei espiritual, não é apenas algo
estabelecido em geral igualmente para todos, mas também algo muito pessoal que difere para cada
pessoa. Para uma pessoa, tornar-se escritor pode ser seu destino, pode ser a melhor maneira de
cumprir as tarefas que deve cumprir nesta vida. Outra pessoa, ao tornar-se escritora, pode ter
deixado de lado a tarefa que realmente veio cumprir. Vocês não podem dizer que tornar-se escritor é
um pecado, mas para aquela pessoa específica, pode ser a coisa errada. Se ela usar cegamente sua
força de vontade, vai se tornar escritora, mas não será feliz, porque vocês só podem ser felizes se
cumprirem a tarefa que assumiram para esta encarnação. E todos têm uma tarefa, meus amigos,
todos! Estejam no ponto em que estiverem, existe uma tarefa, quer tenham uma família ou vivam
totalmente sós. Mas não olhem muito adiante ao procurar descobrir a tarefa. Nem mesmo pensem
primeiro em outras pessoas que vocês gostariam de ajudar. Vocês vão poder fazer isso também, com
certeza, mas somente depois que descobrirem a si mesmos. Antes de poderem cumprir uma tarefa
com outras pessoas, vocês precisam cumprir a tarefa interior. Isto significa obter desenvolvimento
espiritual, purificação, todo autoconhecimento que for possível, de acordo com a sua força e
desenvolvimento. Dessa forma, vocês estarão no caminho certo, e já estarão cumprindo parte da sua
tarefa, seja qual for o restante dela. Se começarem com vocês mesmos, o restante virá até vocês, sem
precisarem mover um dedo, posso assegurar. Comecem com vocês mesmos.

Voltando à questão da força de vontade, o mais importante, para usar a força de vontade na
direção certa, é a pessoa dizer, antes de tudo: “De uma vez por todas, seja qual for a minha vontade,
Palestra do Guia Pathwork No. 16 (Palestra Não Editada)
Página 5 de 10

vou usá-la de acordo com a vontade de Deus”. Ao fazerem isso, meus amigos, a força de vontade
que já existe em vocês muitas vezes vai mudar de curso. E mesmo que vocês a princípio não gostem,
fatalmente acabarão ficando contentes, porque Deus sabe melhor que vocês o que é bom e o que
lhes proporciona mais felicidade. Subitamente, todos os seus problemas vão desaparecer, isso eu
garanto. Para aqueles cuja força de vontade ainda está em grande parte latente, subitamente ela
irromperá com uma força limpa que jamais suspeitaram existir em seu íntimo. Todo o cansaço, toda
a fraqueza, todo o desgaste – físico ou emocional – desaparecerão, embora passassem
despercebidos, se vocês disserem com sinceridade que colocam a vontade de Deus acima de tudo o
mais, se prometerem a Ele e mantiverem a promessa, se disserem e vivenciarem o seguinte: “A força
de vontade que eu tiver, seja qual for, será usada de acordo com a Tua vontade”. Este é o início da
mudança da vida de vocês para melhor. Este é o alicerce – se não se esquecerem disso e agirem
assim, embora muitas vezes pareça muito mais tentador satisfazer a vontade de vocês mesmos.
Vocês gostam de pensar: “Por que Deus teria algo contra eu agir desta ou daquela forma? É uma
coisa tão pequena, não pode fazer nenhum mal; não pode fazer nenhuma diferença”. E depois, é
claro, vocês nem querem esperar para descobrir a resposta, porque já optaram pela resposta que
preferem. Assim, colocam a sua vontade acima da vontade de Deus. Não existem coisas pequenas e
grandes, meus amigos. O que parece enorme para vocês pode ser muito pequeno em termos da
verdade absoluta, e vice-versa. A coisa mais ínfima pode ser um degrau para a coisa maior e mais
importante. A coisa mais ínfima pode ser um sintoma muito significativo, chave de todos os seus
problemas. Não passem por cima dela. Não a desprezem. E acreditem que o que Deus quer é
necessariamente melhor do que a visão curta de vocês permite entrever, mesmo que signifique um
pequeno sacrifício a princípio. Quando vocês colocam a vida, real e verdadeiramente, nas mãos de
Deus, quando se entregam a Ele, inevitavelmente ficam felizes. Simplesmente não há outra
alternativa. É a única conseqüência possível. Mas isso muitas vezes leva a uma porta que parece ser
um sacrifício naquele momento, quando o seu olhar ainda está turvo. Depois, vocês não vão
conseguir se entender: o que parecia tão importante e tão atraente, ou tão difícil de fazer, tão difícil
de renunciar, vai parecer um fardo que carregavam, e de fato era! Pois tudo que os separa de Deus é
um fardo – tudo, meus amigos.

Quando vocês mobilizam a sua força de vontade, para usá-la acima de tudo de acordo com a
vontade de Deus, vocês ficam com a combinação certa de atividade e passividade, de iniciativa e
desprendimento. Sempre que é correto usarem de força para lutar, para superar, para serem ativos,
vocês terão força suficiente para fazê-lo. Vocês terão o apoio do mundo dos espíritos de Deus para
ajudá-los. E sempre que for certo se deixarem levar pela correnteza e não lutarem contra ela, vocês o
farão em paz. Naquele momento e naquela situação, a passividade será a atitude correta.

Não perguntem: “Como vou saber o que Deus deseja? Qual é a vontade Dele? Como vou
saber quando lutar e ser ativo e quando ser passivo?” Se realmente quiserem saber, terão a resposta.
Se realmente quiserem saber, vão encontrar tempo para meditar sobre o assunto em questão e
perguntar a Deus. E Ele vai mostrar a resposta – e pode fazê-lo de muitas, muitas formas. Já falei
sobre isso muitas vezes e não preciso repetir. O problema não é que não saibam qual é a vontade de
Deus. O problema reside unicamente em querer realmente saber qual é a vontade Dele, em decidir
cumprir a vontade Dele, mesmo que seja aparentemente contra seu interesse neste pequeno
momento atual. Se satisfizerem essas condições, fatalmente receberão a resposta. E muitas e muitas
vezes nós notamos que recebem resposta para as suas preces, à sua pergunta sobre qual será a
vontade de Deus, sempre, mas muitas vezes vocês não querem ver. Propositadamente, ficam de
olhos fechados. Meus queridos amigos, apenas na primeira vez é muito difícil fazer isso – realmente
Palestra do Guia Pathwork No. 16 (Palestra Não Editada)
Página 6 de 10

entregar a vida a Deus, com tudo que isso implica. Depois que tiverem feito isso e sentido a paz e a
alegria, nunca mais será difícil, porque terão adquirido confiança. E por que é tão difícil da primeira
vez? Porque resta uma dúvida em seu íntimo: “Talvez a vontade de Deus me faça infeliz.” Se vocês
se examinarem com sinceridade, vão ver que esta é a razão que os leva a hesitar em realizar esse
procedimento simples. Tudo tem uma explicação. E agora, meus queridos, podemos passar às
perguntas.

PERGUNTA: Será que você poderia nos dizer se existe vida consciente em outros planetas?

RESPOSTA: Sim, existe. Cada planeta, estrela, etc. é uma esfera onde existe vida espiritual –
as muitas esferas de que temos falado.

PERGUNTA: Mas estou falando de seres conscientes orgânicos.

RESPOSTA: Um ser espiritual também é orgânico, pois todos os órgãos existem na matéria
radiante. E sem dúvida existe consciência! Mas não há vida como a vida material de vocês. A matéria
é diferente, de densidade diferente. Esses espíritos, naturalmente, podem se materializar. Podemos
fazer isso e o fazemos em determinadas circunstâncias. Se isso acontecer, vocês achariam que o
espírito materializado é de carne e osso. Mas a vida em outros planetas não é exatamente na forma
material de vocês. A matéria radiante apresenta grandes variações. O que pode ser matéria radiante
para vocês, que não conseguem perceber com seus olhos, para nós é matéria densa de diferente
vibração e tipo. Por outro lado, os poderes da escuridão, a matéria deles é tão grosseira, muito mais
grosseira que a matéria de vocês, de modo que vocês também não conseguem vê-la. Ela não é
radiante, muito pelo contrário, é muito grosseira para que consigam percebê-la. Vocês pensam que
toda a vida no além é matéria sutil, mas não é. Qualquer diferença no grau de densidade é
automaticamente invisível para um espírito acostumado a outra vibração, a menos que os espíritos
sejam tão altamente desenvolvidos que tenham o poder de focar a visão conforme os diferentes
graus de densidade. Se não houver materialização, vocês não conseguem ver a textura da matéria
existente em outras esferas.

PERGUNTA: Se houver uma súbita sensação de felicidade conosco ou uma fragrância


agradável ocasional, isso significa que existem espíritos harmoniosos à nossa volta?

RESPOSTA: Sem dúvida. Quando esses espíritos harmoniosos chegam muito perto de vocês,
fatalmente existe também um motivo, por exemplo, uma vitória interior. Nada acontece sem uma
causa e efeito. A percepção da fragrância é mais que isso é uma experiência espiritual que é um sinal.
Esse sinal é dado para incentivar a seguir naquela direção, ou pode ser um lembrete para trilhar este
caminho. De qualquer forma, é um sinal de graça. Significa ajuda e força para facilitar a próxima
vitória.

PERGUNTA: Será que eu estou avançando espiritualmente?

RESPOSTA: Preciso de um pouco de tempo… Sim, sem dúvida, meu amigo. Você está
avançando, mas precisa reexaminar alguns fatores dos quais ainda não tem consciência. Depois que
o fizer, você verá tão claramente o seu grau de desenvolvimento espiritual que não precisará mais
perguntar, porque todos esses problemas serão resolvidos. Enquanto esses problemas ainda
estiverem presentes, significa que existem alguns fatores, como eu disse, que você não reconheceu,
Palestra do Guia Pathwork No. 16 (Palestra Não Editada)
Página 7 de 10

que não examinou do ponto de vista adequado. Mas a sua vontade de se desenvolver
espiritualmente, a sua busca, é uma coisa maravilhosa, e permitiu que você caminhasse até este
ponto e ficar em condições de ouvir o que tenho a dizer. Está entendendo?

PERGUNTA: Não é concebível que um ser humano faça um erro em boa fé quanto à
vontade de Deus?

RESPOSTA: Sim, isso pode acontecer por algum tempo, mas não quando você chega ao
estado que mencionei. Certamente, pessoas que não recebem a nutrição espiritual adequada podem,
mesmo assim, estar dispostas a seguir a vontade de Deus. Mas elas não sabem como descobrir, ou
não têm paciência de esperar a resposta. Ou então, não percebem que, de fato, já veio uma resposta.
Portanto, podem cometer erros. Mas quando vocês, meus amigos, que ouvem (ou lêem) estas
palestras, têm os requisitos necessários para descobrir da maneira certa, vocês têm muito mais
responsabilidade, e não podem deixar de receber a vontade de Deus, se estiverem realmente abertos.
Estar realmente aberto significa que, antes de mais nada, vocês estão prontos para ouvir aquilo de
que menos gostam. Com esse tipo de abertura, vocês colocam seu destino e sua vida nas mãos de
Deus, e recebem a resposta. Nesse caso, não pode haver dúvidas. E nesse caso vocês não cometem
erros, nunca. Vocês podem perguntar duas, três, quatro vezes, se não tiverem certeza da primeira
vez se foi realmente uma resposta e não, talvez, uma coincidência. E a resposta virá novamente,
talvez de maneiras diferentes – por meio de outra pessoa, através de um sinal, por meio de algum
acontecimento, pela voz interior, em um sonho, talvez pela sensação de iluminação, esse profundo
conhecimento que nada consegue abalar. De muitas maneiras, vocês vão receber a resposta. É claro
que cometerão erros se derem atenção superficial ao assunto, se pensarem no assunto com muita
superficialidade e não esperarem realmente pela resposta. Mas se vocês agirem com sinceridade e se
abrirem e perguntarem repetidamente e esperarem pela resposta, não haverá erros.

PERGUNTA: Nós podemos nos lembrar da identidade atual na vida futura, e vamos trabalhar
os problemas antigos?

RESPOSTA: Se vocês vão lembrar da vida atual na próxima depende muito de cada um. É
verdade que, nos tempos que estão por vir, quando a espiritualidade estiver muito mais
desenvolvida, muitas pessoas vão conseguir se lembrar das vidas anteriores, coisa que não
conseguiam fazer até então. Mas nem todos serão capazes. Vejam, há pessoas hoje que conseguem,
ao longo do seu desenvolvimento, lembrar algo de uma vida anterior. Elas recuperam essa memória.
À medida que o desenvolvimento avança, mais e mais a cortina se levanta. Portanto, é possível hoje,
e será ainda mais possível no futuro. Isso é determinado apenas pelo desenvolvimento de cada um.
Quanto mais desenvolvida a pessoa, mais ela se esforça para atingir a perfeição e trabalhar a
espiritualidade, e mais é capaz de saber o que foi em encarnações anteriores. Nesse caso, o
conhecimento é usado para uma boa finalidade. Quanto aos problemas, você tem toda razão. Você
lida exatamente com os mesmos problemas, vida após vida, até chegar a resolvê-los. Quando você
não resolve um problema nesta vida, ele se repete na próxima, mesmo que em outras circunstâncias.
Você pode viver num país diferente, ter outro padrão de vida, mas os problemas virão enquanto não
tiverem sido resolvidos por você. E o que são os problemas? Nada mais que materializações das suas
falhas. Quando você purifica suas falhas, os problemas desaparecem. E quando você não o faz, os
problemas reaparecem sob outras formas, mas reaparecem na próxima vida.
Palestra do Guia Pathwork No. 16 (Palestra Não Editada)
Página 8 de 10

PERGUNTA: Nos escritos de Johannes Grever, ela fala sobre o Velho Testamento, quando
grandes homens como Moisés, por exemplo, perguntam aos espíritos sobre decisões que deve
tomar. Se começar uma guerra, venceremos ou não? Mas nos ensinam que devemos tomar nossas
próprias decisões, e essas pessoas eram muito mais avançadas do que nós do ponto de vista
espiritual.

RESPOSTA: Essas pessoas estavam muito preocupadas em cumprir a vontade de Deus, o que
também é uma decisão, às vezes a mais difícil de todas. Que elas tenham perguntado a um espírito
em vez de usar seus próprios canais pessoais nesses casos, com relação ao bem-estar de seu povo,
foi por um motivo bom e forte. Os outros talvez não acreditassem em seu líder se ele dissesse que
tinha chegado pessoalmente à resposta. Essas pessoas acreditavam muito nos espíritos de Deus e
aceitavam seu testemunho. Se pudessem ouvir pessoalmente, ficavam satisfeitas, mas talvez não
acreditassem em uma pessoa isolada. Portanto, nas questões relativas ao bem-estar geral, os espíritos
eram consultados.

PERGUNTA: O ser humano sempre tem um ou mais guardiões espirituais, e os espíritos


superiores ajudam os inferiores?

RESPOSTA: Os espíritos inferiores também têm guardiões, sem dúvida. Mas, como todos os
seres humanos, eles não conseguem enxergá-los. E às vezes esses guardiões estão distantes, não
conseguem chegar perto. Isso acontece de acordo com a sua própria atitude. Mas cada espírito tem,
em algum lugar e de alguma forma, um guardião. Quanto aos seres humanos, todos têm um
guardião. Alguns têm mais de um, outros apenas um. Depende do caso, mas jamais existe injustiça.
Às vezes um espírito guardião é mais poderoso que três ou quatro. Uma pessoa que tem mais a
realizar fica com anjos da guarda mais poderosos do que aquela que vive o dia-a-dia sem desejar
progredir espiritualmente. Portanto, tudo isso é decidido com muita justiça. Mas cada um tem no
mínimo um anjo da guarda.

PERGUNTA: O mundo dos espíritos vê alguma coisa sobre as naves espaciais e discos
voadores que agora são mencionados com tanta freqüência e parece que estão sendo confirmados
pela observação?

RESPOSTA: Não tenho autorização para dar informações a esse respeito. Eu já disse antes e
vou repetir. Existe uma razão muito boa. Dentro de alguns anos vocês vão entender por que eu não
posso falar sobre isso.

PERGUNTA: Fiquei pensando na sua última palestra, quando você falou sobre os muitos
espíritos que ficam à volta do ser humano – os espíritos da escuridão e os espíritos superiores.
Quando os invocamos, isso em geral é consciente?

RESPOSTA: Não, não é consciente. Na verdade, é quase sempre inconsciente. É muito,


muito raro isso ser feito de maneira consciente, pelo menos no que diz respeito aos espíritos da
escuridão. Se uma pessoa realmente faz isso, ela mesma é um espírito muito mau. No tocante aos
espíritos da verdade e da luz, vocês devem e podem invocá-los conscientemente. Mas mesmo se não
o fizerem, no momento em que superam uma falha, lutam contra o eu inferior, desejam acima de
tudo cumprir a vontade de Deus, vivem de acordo com a lei divina, vocês emanam uma substância
que atrai esses espíritos da luz. Da mesma forma, quando vocês cedem ao eu inferior, violam a lei
Palestra do Guia Pathwork No. 16 (Palestra Não Editada)
Página 9 de 10

divina, vocês emanam uma qualidade que atrai, como um ímã, os espíritos da escuridão. Quando,
por exemplo, vocês irradiam raiva, atraem para si um espírito da raiva. Quando irradiam egoísmo,
atraem um especialista nessa área, que incentiva vocês a intensificarem esse defeito. E assim por
diante. O que sai de vocês é atraído para vocês. O semelhante atrai o semelhante.

PERGUNTA: Existe uma atividade recíproca nessa atração?

RESPOSTA: Sim.

PERGUNTA: Dos dois lados?

RESPOSTA: Dos dois lados, sem dúvida! E não apenas essa atividade recíproca, mas também
aprendizado. Veja, com os espíritos da escuridão acontece assim. Eles cumprem uma tarefa no
mundo da escuridão quando levam a melhor sobre uma pessoa, principalmente com as pessoas que
amam a Deus. Eles têm um grande interesse em afastá-las de Deus. Os ateus, os criminosos, com
esses eles não precisam se preocupar. Já estão do lado deles, mesmo. Mas as pessoas que amam a
Deus, que buscam Deus, essas os espíritos da escuridão têm particular interesse em conquistar, em
fazê-las ceder à fraqueza. Eles conseguem recompensas especiais no mundo deles por esse trabalho.
E eles sabem muito bem que não podem conseguir nada inspirando essas pessoas a fazerem coisas
perversas, alheias a sua natureza. Mas podem conseguir com os defeitos aparentemente inofensivos
que atraem essas pessoas, devagar mas firmemente, para a escuridão, a depressão, o desprezo por si
próprias e, portanto, para longe de Deus. Não é tanto por causa da falta em si, mas porque essas
pessoas ficaram desgostosas consigo mesmas e, assim, podem desistir totalmente da luta. Eu digo
constantemente que tropeçar sempre na mesma falha não é mau, desde que ela seja reconhecida e a
pessoa aprenda com ela e a encare com a atitude certa e construtiva. De fato, não há progresso
possível sem esse tropeço. Sem ele, nada que esteja profundamente arraigado pode ser superado.
Mas quando esse tropeço é acompanhado por uma atitude de desesperança e desprezo por si
mesmo, as nuvens ficam cada vez maiores. A pessoa fica mais e mais envolvida com os respectivos
espíritos sombrios, com o mundo todo da escuridão. Vocês não precisam cometer um crime para
viverem no mundo da escuridão. Existem outras vibrações que surtem o mesmo efeito. Por outro
lado, se a pessoa não é um instrumento desses poderes da escuridão, ela luta -- e isso só pode ser
feito se ela conhecer extremamente bem seus defeitos, pois só pode ser tentada pelos espíritos
sombrios através dos defeitos – e vocês sabem o que acontece com o espírito sombrio? Ele ascende
no seu desenvolvimento, ele aprende, não diretamente, não imediatamente, porque ainda está muito
na escuridão, e a princípio só reconhece a derrota. Essa derrota custa a ele um lugar no seu mundo.
Se ele sofrer derrota após derrota, chegará a um ponto em que começará a sofrer. Somente esse
sofrimento vai levá-lo para perto de Deus, porque somente então ele vai se voltar para Deus, como
uma espécie de ultimo recurso, em total desespero. Enquanto ele tiver vitórias no seu mundo de
escuridão, tiver força e poder, ele não se voltará para Deus. Portanto, cada vitória de cada ser
humano, a menor vitória, desencadeia uma enorme reação em cadeia no universo, com muitos
outros seres que vocês nem sabem que existem. Meus amigos, se vocês pudessem saber o quanto
conseguem com a vitória, não apenas com relação a si mesmos e o seu ambiente imediato, mas
também para muitos outros espíritos, vocês realmente se esforçariam muito mais. Não são somente
esses espíritos malignos que são afetados pela vitória de vocês, mas também os espíritos errantes que
não pertencem a lugar nenhum. É comum eles estarem à sua volta e aprenderem com as suas
vitórias, de forma muito mais direta que os espíritos sombrios. Assim, quando vocês dominam a si
próprios, são de fato parte integrante e vital do grande plano da salvação. Vocês passam a ser
Palestra do Guia Pathwork No. 16 (Palestra Não Editada)
Página 10 de 10

soldados ativos na luta. Soldados da linha de frente. O soldado da linha de frente precisa de
melhores armas, mais força e melhor proteção do que aquele que luta na retaguarda. Essas armas e
essa força são proporcionadas a vocês pelo mundo dos espíritos de Deus, na forma de orientação,
iluminação, reconhecimento.

E agora, meus queridos, vou retirar-me para o meu mundo. Abençôo cada um de vocês.
Abençoados sejam os seus entes queridos, abençoados sejam vocês. Aceitem a força que flui agora
para vocês, que lhes permitirá resolver os seus problemas com Deus, em Deus.

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por escrito da Fundação. A
Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida, de acordo com a Política
de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem
ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork Foundation tenham concordado
em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de transformação pessoal reconhecidos
pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® Foundation
PO Box 6010, Charlottesville, VA 22906-6010, USA - Visite: www.pathwork.org
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Rua Roquete Pinto, 401 - 05515-010 São Paulo, SP - Tel: (11) 3721-0231- pathworksp@pathwork.com.br - www.pathworksp.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter). ACM 2501, Ed. Prof. Center sala 412, Candeal - 40288-900 Salvador - Telefax (71) 3353-7091 - pathworkbahia@yahoo.com.br –
www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília - Goiás (Chapter)
S.T.N. Centro Clínico Life Center, sala 113 - 70630-000 Brasília, DF - Tel: (61) 3340-5253 - eloisaprata@brturbo.com.br
Pathwork® Ceará (Chapter)
Rua Joaquim Ferreira, 911 - 60832790 Fortaleza - Tel.(85)34768142 cel- (85)88730027– karinebb@uol.com.br
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Rua Santa Catarina 1630 - Pilotis e sala 102 Bairro de Lourdes - 30170-081 Belo Horizonte, MG - Tel: (31) 3335-8457 - rnlac@terra.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Rua Josias Lopes Braga, 497, Bairro Bancários - 58000-000 João Pessoa, PA - Tel: 083 3235-5188 / 9967-8303 / 3224-2362 - claubetenobrega@terra.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro Espírito Santo(Chapter)
Rua Duque Estrada, 57/102 Gávea - 22451-090 Rio de Janeiro, RJ - Tel: (21) 2529-2322 / 82244333 - Fax: (21) 2113-0941 - gmdell@globo.com -
www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Av. Iguaçu, 485, cj. 401 - 09047-430 Porto Alegre, RS - Tel: (51) 3331-8293- renatemullercaminha@terra.com.br. www.pathworksul.com.br
Palestra do Guia Pathwork No. 17
Palestra Anteriormente Editada
22 de novembro de 1957

O CHAMADO

Saudações, em nome do Senhor! Trago-lhes as Suas bênçãos, meus amigos. Existem muito
poucas pessoas, que não acreditam realmente em Deus. Quase todas as pessoas acreditam pelo
menos um pouco em uma Inteligência Mais Elevada, em uma Sabedoria Superior que criou este
Universo. Porém poucos há que saibam prosseguir de forma conseqüente a partir desse pensamento.
Eles limitam Deus todo o tempo. Muitos de vocês admitem que Deus existe e Deus, ou seja,
Inteligência Superior - ou qualquer que seja a forma que queiram chamar - são, é claro, uma e a
mesma coisa. Todavia vocês não crêem que possa ser possível nesta maravilhosa criação que uma
entidade de inteligência mais elevada que os seres humanos achasse possível, caso certas condições
estejam preparadas e preenchidas, manifestar-se a vocês, através de um instrumento humano. Isso,
pensam vocês, é inacreditável. É algo em que vocês não podem crer.

Mas por quê, meus amigos ? Por que é tão difícil de acreditar ? Certamente não é incrível que
devam existir criaturas de inteligência mais elevada, de maior sabedoria, dotada de mais amor que os
seres humanos! Então deveria haver uma possibilidade de estabelecer comunicação com elas.

Há cem anos atrás teria parecido impossível que uma máquina pudesse voar; ou que alguém
pudesse girar um balão e ouvir uma música que está sendo executada a centenas de quilômetros de
distância; ou que com o giro de um botão fosse possível ver imagens e assim por diante. Só porque
algumas outras pessoas, em que vocês parecem acreditar, declaram que isso é possível e científico,
vocês admitem mesmo que nunca tenham experimentado pessoalmente. Seguindo esse exemplo, se
a comunicação com o Mundo Espiritual de Deus está sendo manifestada a vocês, ainda assim vocês
dizem, em algum lugar das suas mentes, que é impossível. Tem que ser, senão um truque, uma
ilusão, o subconsciente do médium ou algo parecido. Será que isso é realmente razoável, meus
amigos? Se tantas outras coisas assombrosas são possíveis neste seu mundo, por que não deveria ser
igualmente possível que Deus enviasse seus emissários da Verdade em benefício de vocês? Isto, em
si mesmo, não é mais espantoso que muitas outras coisas que vocês aceitaram livremente.

Além do mais, há certas pessoas que sabem e admitem que uma comunicação com o Além é
possível. Elas a experimentaram; elas não têm dúvida possível a esse respeito. No entanto, elas
negam que há a possibilidade de tal comunicação com entidades mais elevadas que elas mesmas. Isso
é mesmo razoável ainda! Embora seja verdadeiro que a comunicação com Criaturas Divinas é
infinitamente mais difícil de obter, e é assim que deve ser,achar que seja impossível é o cúmulo da
falta de lógica. Se Deus criou qualquer possibilidade de comunicação com a gente do outro lado,
então ele deve ter também dado a você os meios de comungar com esferas mais elevadas de onde
possa receber ensinamentos que ampliem a sua espiritualidade e o tragam para perto de Deus.
Então, meus amigos, a comunicação com Esferas Divinas é possível; ela sempre existiu e sempre
existirá. A sua freqüência depende apenas do ser humano, se ele preenche os requisitos necessários.
Esses requisitos já foram ocasionalmente mencionados por mim no passado e podem ser

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation
Palestra do Guia Pathwork No. 017
Página 2 de 12

mencionados novamente no futuro, mas o assunto é muito longo para ser tratado agora. Porém,
quaisquer de vocês que estejam seriamente interessados podem descobrir da sua mecânica, o que é
necessário para obter a comunicação com as Esferas Divinas e qual a diferença entre uma
comunicação aconselhável como essa e aquela com espíritos errantes e presos à Terra e como
determinar tal diferença. De fato, quaisquer de vocês que realmente queiram julgar têm o dever de
fazê-lo, de outro modo vocês não terão o direito de dizer, nem para si mesmo, que isso é impossível.
Não, meus amigos, vocês não têm o direito de julgar.

Há muitas pessoas que são chamadas! Deus as está chamando. Depende do desenvolvimento
espiritual da pessoa, a revelação desse chamado. Sem dúvida existem muitas, muitas pessoas vivendo
sobre a Terra que não o experimentaram. Elas ainda estão na infância espiritual e tal chamado não
teria significado para elas, que não atingiram ainda a força e o desenvolvimento necessário para
segui-lo. Por isso Deus aguarda até que tenham alcançado a devida maturidade no curso de várias
encarnações, no qual reúnem experiência, sabedoria e um desenvolvimento espiritual, passo a passo.
Mas em algum momento esse chamado surgirá e eu me aventuro a dizer que todos vocês nesta sala,
meus amigos, foram chamados.

Vocês podem perguntar como se sente esse chamado. Como já reiterei várias vezes, o ser
humano consiste de duas naturezas: o self superior e o inferior, que lutam entre si. O Self Superior
registra esse chamado e empurra a pessoa em uma certa direção que e o self consciente não pode
imediatamente interpretar. O Self consciente sente apenas um certo anseio, uma certa insatisfação
com a vida atual, mesmo quando se cumprem todas as obrigações diárias da melhor maneira
possível. Não obstante, existe uma voz no interior, uma certa pressão como se a pessoa fosse
empurrada em alguma direção, sem no entanto saber ainda para onde. Mas isso será descoberto
contanto que ela não lute contra e não ceda ao Self Inferior.

Em primeiro lugar a pessoa não sabe para onde vai, porque existe esse impulso ou, o que
significa ele. Se o Self Inferior não estivesse vivo no seu interior, seria comparativamente fácil seguir
o Chamado. Mas o Self Inferior não deseja qualquer esforço, ele não quer mudança alguma e retém
a pessoa, fornecendo-lhe várias desculpas para que ela não siga o Self superior. As desculpas são
múltiplas: "Não há tempo". Ou tomam a forma de dúvidas e daí por diante. Todas elas são
racionalizações. E aqueles que são inexperientes em diferenciar e despir-se das máscaras, pretextos e
auto-ilusões acreditam na voz do Self Inferior, porque querem acreditar nessas racionalizações. É tão
mais fácil, mas até que essa luta seja terminada com sucesso, de uma vez por todas, ninguém pode
ter paz - nunca, meus amigos! Esse Chamado tornar-se-á cada vez mais forte, à medida que se
prossegue, e quanto mais se lhe resiste mais insatisfeita ficará a pessoa com a sua vida. Quanto mais
Deus possa esperar de uma pessoa, devido a seu desenvolvimento espiritual básico, mais insatisfeita
ela ficará se não seguir esse Chamado.
A humanidade tem perguntado repetidamente porque há tantas pessoas inferiores a outras que
são mais felizes que estas. Parece ser uma injustiça. Por que é assim? Isso é verdade porque, pode-se
esperar menos de uma criança de uma classe mais baixa do que de outra de uma classe mais alta. Se
você não entrega de acordo com as suas capacidades, você inevitavelmente ficará insatisfeito com a
sua vida exterior bem como a interior.

Agora que você entendeu como o Chamado é sentido, eu vou explicar o que se segue a ele e o
que se espera de você. O seu Self Inferior faz alguma idéia do que seja. Se não fizesse ele não lutaria
contra. Mas o que Deus quer de você quando Ele o chama? Ele não espera que você seja um mártir
Palestra do Guia Pathwork No. 017
Página 3 de 12

ou que realize tarefas tremendas, embora Ele possa esperar estas últimas de alguns; ele não espera
isso da maioria de vocês. Você pode preencher o que Ele quer de você entre as suas quatro paredes
e ninguém tem que sabê-lo. Quem pode dizer o que é uma grande tarefa e o que é uma tarefa
pequena? Simplesmente porque você é famoso e está em evidência não quer dizer que a sua tarefa
seja maior do que se você trabalhasse espiritualmente em solidão sem que ninguém o saiba.

O que Deus quer de todos e de cada um, como o primeiro passo e preliminar necessária antes
que se possa realizar e dar a outros, é o auto-desenvolvimento, a auto-purificação e o auto-
conhecimento. É o ato de rasgar as máscaras, de rasgar todas as auto-ilusões a respeito de si mesmo
e dos motivos exteriores. Deus espera isto de você. Quem quer que não seja feliz e harmonioso
pode responder a si mesmo desta forma: "Eu não segui realmente o Chamado de Deus". E assim só
você mesmo será capaz de responder qualquer questão a esse respeito. Quão feliz é você? Quão
equilibrado é você? Quão harmônico é você "por dentro"? Isso não quer dizer necessariamente no
exterior, pois você pode ter problemas externos, mas se você está verdadeiramente no caminho e
preenche todas as coisas que Deus quer de você, não importa quais sejam as suas dificuldades
exteriores, você necessariamente será feliz. E essa deveria ser a sua medida e confirmação de onde
você está e do quanto está preenchendo. Eu quero que cada um de vocês, quando for para casa hoje
à noite, pense sobre o seguinte: "Quão feliz eu sou? Quão satisfeito estou com a minha vida e
comigo mesmo?". Se existe qualquer desarmonia ou insatisfação você então saberá a resposta.

Se você realmente quiser seguir o Chamado, você pode! Não diga "eu não sei como nem para
onde me voltar; não posso fazê-lo sozinho". Por certo que não. No entanto, primeiro você tem que
querê-lo realmente; primeiro você tem que decidir clara e incondicionalmente, e então Deus irá guiá-
lo para onde quer que seja e pelos meios que forem melhores para que você receba ajuda externa, de
forma que você possa se desenvolver no melhor grau que possa ser esperado de você. Não é
bastante que você leve uma vida decente e seja uma pessoa dita ética que não faz mal aos outros e
que não viola as leis terrenas. Isso pode ser suficiente para alguém que seja uma alma mais jovem,
mas não para qualquer um de vocês, meus amigos. Assim, dê a resposta a si mesmo esta noite e
teste-se a si mesmo: "O quanto eu realmente quero seguir esse Chamado, mesmo que isso signifique
que tenho que usar o poder da vontade, esforço paciência e, talvez, alguma dor?" O auto-
reconhecimento e o ato de rasgar as máscaras são sempre dolorosos durante o processo, embora
sejam um grande alívio depois. É um alívio que trará uma nova paz ao interior da sua alma, uma vez
que você tenha superado a resistência inicial. Então você deve se aperceber que primeiro tem que
batalhar com o seu Self Inferior; você tem que engajar o poder da sua vontade consciente a fim de
ser capaz de conquistar o seu self Inferior.

Combinada com o seu Self Superior, sua vontade consciente certamente vencerá. Mas não seja
superficial a esse respeito. Ponha-se à prova, sempre, com relação a quão sincero você é, quão
profundo é o seu desejo de fazer a vontade de Deus. Quanto você está disposto a sacrificar? Esse
sacrifício pode ser do conforto, da auto-ilusão, do egoísmo, do apego às suas várias faltas e
fraquezas. Quão disposto está você a abrir mão de tudo isso? A princípio vai parecer um tremendo
sacrifício da sua parte, mas só enquanto você está na batalha. Depois virá a percepção de que você
se libertou de fardos e cadeias que eram diretamente responsáveis pela sua infelicidade. Depois irá
reconhecer, sem sombra de dúvida, que a vontade de Deus para você na realidade não é sacrifício,
pois traz-lhe felicidade em cada plano da existência: físico, emocional, mental e espiritual. Mas
enquanto você não tiver realmente obtido essa vitória, a decisão e suas conseqüências parecerão a
você um sacrifício - e Deus também quer isso de você. É por isso que ele não lhe dá a percepção de
Palestra do Guia Pathwork No. 017
Página 4 de 12

tudo isso antes, mas só depois! Em outras palavras, até que você tenha se decidido completamente a
fazer a Vontade de Deus, o que quer isso possa significar, e até que você tenha submetido o seu Self
Inferior (e isso pode ser feito se o poder da sua vontade penetrar em todas as camadas de
consciência), você não deveria nem tentar pensar no quê deveria fazer ou em quais sejam as
conseqüências práticas dessa sua decisão. O que se segue ser-lhe-á dado a conhecer através da
orientação, da inspiração. Você não tem que se preocupar com isso agora. Para começar você tem
que preparar o terreno, pôr a pedra fundamental através dessa luta interior inicial para ser capaz de
tomar a Grande Decisão. Somente então você pode cruzar o primeiro limite no Caminho de Deus.
Mas essa luta não pode ser resolvida em um dia. É às vezes uma árdua batalha e quando você entra
nela deve saber ao que está se dispondo. Todavia, eu posso prometer-lhes, meus amigos, que se
vocês forem em direção a ela dessa maneira e atingirem o estágio no qual possam dizer "eu o quero,
cem por cento", vocês venceram a mais importante e a mais difícil de todas as batalhas e nada do
que possa vir nesse Caminho pode ser comparado a ela. Você sairá dessa batalha não apenas
vitorioso, mas também muito mais forte do que antes, e, nem é preciso dizer, também mais feliz.
Você não será mais a mesma pessoa de antes. E então Deus vai ajudá-lo ao próximo estágio e nisso
você pode seguramente acreditar. Peça a Deus a força para vencer essa batalha. Tudo que você tem
a fazer é pensar em pedir a Deus por sua ajuda.

Muitas pessoas fazem preces maravilhosas, usando palavras bonitas e poéticas, mas elas
raramente pensam em seus problemas espirituais imediatos. E isso é um grande erro, pois há
também certas leis que cobrem essa questão. Se você pedir ajuda pode recebê-la, particularmente
essa ajuda que eu mencionei. Espera-se que você se volte para Deus com essas dificuldades e se não
lhe ocorre fazer isso, é uma pena. Se você realmente quiser essa ajuda com todo o seu coração e
pedi-la a Deus, Ele responderá. Eu posso prometê-lo.

A única questão restante é o quão honestamente você a quer. O quanto do seu self Inferior
ainda é poderoso o bastante para puxá-lo na direção oposta? E enquanto você não o encara e não
quer perceber o seu significado, você não pode vencer e a sua prece não terá o efeito desejado
porque ela não é de todo o coração e é cheia de reservas. Eis por que eu estou dando a vocês estas
palavras, para que possam saber como vencer a sua batalha e seguir o seu Chamado. Só então você
encontrará a paz e a harmonia junto com a realização pela qual você ainda anseia - você todo.

Todos sabem que o egoísmo é errado. Da mesma forma todos sabem que dar a seus irmãos e
irmãs é certo. Está de acordo com a Lei Divina e uma pessoa fica feliz ao fazê-lo. Porém, há muitas
diferenças nessa doação. Para muitas pessoas, a saída mais fácil, se posso dizer assim, é dar
financeiramente. Fere menos e significa o menor sacrifício. Por outro lado, todo mundo sabe que o
amor é a maior das dádivas. E cada um de vocês não pede nada mais do que ser capaz de dar amor.
Mas quantos de vocês se acham na posição de dizer: "Se pelo menos eu pudesse, mas como? Eu não
posso, mas eu gostaria de fazê-lo. Eu sou incapaz de amar tanto quanto eu quero amar. "Oh, sim,
meus queridos, isso significa que a sua alma está doente de alguma forma e ela deve ser curada. Você
não pode efetuar essa cura sozinho, mas Deus o ajudará.

Se todas as suas correntes internas estivessem de acordo com a Lei Divina você certamente
seria capaz de amar. Cada uma das suas faltas e insuficiências é um obstáculo direto ao
desenvolvimento do amor. Quando digo desenvolvimento quero dizer que esse amor que você
deseja dar já está em seu interior. Você não pode recebê-lo do exterior. Ele existe dentro de você, na
verdade. Está apenas coberto por certas camadas que impedem que ele brilhe de forma a que você
Palestra do Guia Pathwork No. 017
Página 5 de 12

possa se manifestar. Essas camadas são, como eu já disse, as suas faltas, seus temores e sua
ignorância da Lei Espiritual. Tais camadas, portanto, têm que desaparecer, e isso só pode ser
realizado por seus esforços muito pessoais e sérios. Esse É o Caminho de Deus! Isso significa seguir
o Chamado! Cada uma das suas faltas é um obstáculo direto ou indireto ao amor. Você nunca pode
aprender a amar forçando-se a isso diretamente, mas o amor crescerá e evoluirá como uma
conseqüência quando você se houver purificado. Uma das melhores meditações é pensar a respeito
disso: "Quais são os meus defeitos? E como podem eles possivelmente ser um empecilho à
manifestação do amor que obviamente deve estar escondido dentro de mim?" Eu desafio cada um
de vocês a apresentar-me um exemplo pois, à primeira vista vocês podem pensar que alguns defeitos
absolutamente não têm influência no desenvolvimento do amor; e, no entanto, assim é !

Ao mesmo tempo existe uma estrada maravilhosa e direta, contrária àquela indireta que acabo
de mencionar. Ambos, devem ser tomadas simultaneamente para estender esse crescimento do
amor no seu interior. Se você puder aprender a fazer o que lhe digo agora, você usará uma poderosa
arma para curar-se de muitas correntes doentias dentro de sua alma e desdobrar o amor que existe
em você!

Cada indivíduo vivo tem a compreensível tendência a querer parecer superior quando lida com
os seus semelhantes. Ele esconde os seus defeitos, oculta suas deficiências e quer mostrar o seu
melhor lado. Por quê? Isso ocorre porque ele anseia por admiração, aceitação e amor. Ele pensa que
ao mostrar o seu lado melhor ele receberá esse amor. E ainda assim todos vocês sabem que se você
quer receber amor, primeiro tem que dá-lo.

Você realmente dá amor ao impressionar outras pessoas? De fato, isso é o que você está
fazendo, consciente ou inconscientemente. Por outro lado, você decididamente dá amor no sentido
mais profundo quando se doa e se mostra como realmente é, sem máscaras, mesmo que isso
signifique um pouco de humilhação. Sim, meus amigos, dessa forma é que se dá a maior das dádivas.
E por quê? Porque os seus semelhantes sentem-se tão inseguros quanto você. Caso eles o vejam
tão perfeito quanto você quer parecer, os seus complexos de inferioridade crescerão ainda mais. Eles
pensarão ou sentirão, também consciente ou inconscientemente: "Ele é tão perfeito, ou ela é tão
perfeita; por que não posso ser tão perfeito assim? E eles vão se sentir solitários e deprimidos e vão
desprezar-se ainda mais. Portanto eles irão, em sua cegueira e como única defesa, colocar uma
concha ainda mais espessa ao redor de si mesmo, que os separará ainda mais dos seus irmãos e
irmãs, de forma muito semelhante ao que você faz ao tentar tanto parecer independente, duro e, oh,
tão perfeito!

Por outro lado, se você se mostra como realmente é, com todas as suas fraquezas, sem
nenhum fingimento, você dá uma grande e generosa dádiva, porque o seu irmão, ou sua irmã, dirá e
sentirá: "Bem, ele não é melhor do que eu"; e isso vai deixá-lo se sentindo melhor. Ele vai relaxar,
vai se sentir menos solitário. Então sabe o que vai acontecer? Você vai receber, dessa forma,
exatamente o que você intentava ganhar: amor, admiração! Você vai recebê-lo porque primeiro abriu
mão. Você conhece a Lei Espiritual: primeiro você tem que abrir mão daquilo que você quer ganhar!
Você desistiu da admiração, o que quer dizer que você abriu mão de causar uma impressão. Você
desistiu de querer amor dos outros por parecer tão maravilhoso e ao invés disso você os presenteou
diminuindo a solidão que sentiam em sua suposta imperfeição. Cada um pensa que está sozinho
com suas imperfeições, mesmo que possa ver e criticar as dos outros o tempo todo. Esse é um dos
paradoxos do self cego e não desenvolvido. Você abriu mão da sua vaidade; você abriu mão de um
Palestra do Guia Pathwork No. 017
Página 6 de 12

pouco do seu ego. E esse é o porque de você ter que receber dessa maneira, e só dessa maneira, o
que nunca conseguiu receber do outro jeito que o seu Self Inferior escolheu até aqui em sua
cegueira. Se você abre mão de si mesmo assim, você entrega a maior dádiva que pode dar a outro ser
humano - e, portanto, a Lei tem que fazer efeito. É um meio tão simples, meus queridos, tão
simples que nenhum de vocês nunca pensaria nele. E ainda assim, à primeira vista, ele não parece
tão fácil. Parece difícil descer daquele lugar tão elevado que você construiu, de forma consciente ou
inconsciente, para si mesmo. Uma vez que tenha dado esse passo apesar de toda a resistência, você
tem que ver a Lei Divina em funcionamento dentro e fora de você. Esse resultado por certo virá. E
sempre que existir um problema que você não puder resolver, tente isso ! Você não tem que
exagerar; não tem que se dirigir a estranhos e se rebaixar. Isso pode até ser embaraçoso para os
outros se não é feito com muita naturalidade e sem ostentação. Simplesmente tire a sua máscaras e
seja natural.

Descubra o que e quem você realmente é e seja essa pessoa !

Aqui, também, você vai receber ajuda, oportunidade e a inspiração de quando e como você
pode fazê-lo se você decidir e pedir a Deus por sua ajuda nesse aspecto também. De repente, se
você se mantém aberto a isso, você vai encontrar em uma posição - talvez com algum membro de
sua família ou algum amigo - na qual você descobre pela primeira vez na sua vida, e se torna
consciente disso, do que você até aqui pôs em prática, que você não se deu como realmente é. Uma
vez que tenha adquirido consciência disso, você será capaz de agir como realmente é, e sem qualquer
dissimulação.

Nada de exageros doentios! Nada de extremos! Pois, como em tudo o mais, aqui também
existem dois extremos. Há também certas pessoas que indulgem em um auto-desprezo,
diminuindo-se aos olhos dos outros. Elas dizem, "eu sou tão ruim; eu sou tão pecador, eu sou isso e
sou aquilo". Essa é uma máscara tão falsa quanto o outro extremo. Uma pessoa assim quer por esses
meios realizar o mesmo que o outro grupo de que falei. É muito esperto da parte delas, embora esse
comportamento seja adotado freqüentemente de forma inconsciente. Acusando-se a si mesmas elas
tomam a arma da mão dos outros. Desse modo, eles acham impossível acusá-lo e então até
inclinados a contradizê-las em suas auto-acusações; assim o Ego é confortavelmente apoiado. Além
do mais você freqüentemente pensa, ao acusar a si mesmo, que isso é suficiente, que você não tem
que fazer nenhum esforço adicional para superar as suas deficiências. Isso existe também e é tão
ruim quanto os outros extremos.

Assim, se você pensar nessas palavras, pense nos dois extremos. Qualquer um que tenda mais
para um deles não achará tão fácil passar ao outro extremo. Só é importante no início que você
conheça a sua fraqueza e a sua tendência, pois apenas o que for realmente genuíno terá efeito, e
disto você pode ter certeza! Isso também é uma Lei.

E agora, meus amigos, eu estou pronto para as suas perguntas.

Pergunta: Será que eu posso ter auxílio para descobrir o problema psicológico subjacente ao
meu estado físico ?

Resposta: Sim, querido amigo. Responderei sua pergunta de uma forma geral, que também se
aplicará a você em parte. Eu não posso responder completamente de forma pessoal agora; não seria
Palestra do Guia Pathwork No. 017
Página 7 de 12

justo com os outros nem para com você. Todavia darei algumas explicações gerais que irão, ao
mesmo tempo, ser úteis a todos. Sempre que existe uma dita doença psicossomática, a sua causa ou
raiz tem que ser buscada no subconsciente. Isso é muito difícil de fazer sozinho; não obstante,
existem certos pontos que eu posso indicar para ajudá-lo a avançar um pouco nesse rumo. Em
primeiro lugar eu o aconselharia a descobrir todas as suas faltas, pois dificilmente haverá um ser
humano que seja realmente consciente de todos os seus defeitos, a menos que tenha passado por um
tal processo de purificação com ajuda de fora. E isso pode ser descoberto. Não é fácil; significa
talvez também um pouco de humilhação, o que é bom e sadio para você, particularmente na
conexão que mencionei há a pouco. Pergunte àqueles que lhe são queridos e àqueles que lhe são
próximos, juntamente com aqueles a quem você conhece melhor: "Diga-me, por favor, quais são os
meus defeitos. Pode dizer-me francamente; eu não ficarei zangado com você; vou considerar com
cuidado o que você me disser". E depois que você conseguir que eles o façam, considere cada um
dos defeitos que foram mencionados, mesmo que esteja convencido do que é injusto, pois você
ainda achará alguns grãos de verdade que lhe dará uma pista adicional.

Essa é uma estrada muito importante e muito direta para chegar às raízes. Para começar,
quanto menos defeito você conhece, mais provas tem de que não se conhece bem. Depois disso eu
diria que o melhor modo de descobrir fatos a respeito do seu subconsciente (e isso é uma parte da
análise de sonhos, mas nem todo mundo sabe como fazê-lo) é o que eu chamo de Revisão Diária.
Desse modo você pode descobrir as suas verdadeiras reações a certas coisas e pode começar a
arrumar certas máscaras e disfarces. Você pode descobrir onde as suas ações vão contra uma Lei
Espiritual. Isso pode ser conduzido da seguinte maneira: Deixe que o dia inteiro passe à frente dos
seus olhos e na sua memória; pense em tudo que aconteceu, que tenha lhe dado, de alguma forma,
um sentimento ou uma reação desarmoniosa. E não importa quão errada estivesse a outra pessoa,
no momento em que você foi tocada por isso, deve algo de errado no seu interior. Se você
prosseguir com esse processo por algum tempo, e não o fizer apenas uma ou duas vezes, mas
fielmente, você verá pouco depois que um padrão claro começa a se formar. A princípio esses
incidentes parecerão inteiramente desconexos e isolados; eles não farão sentido no começo. Mais
tarde você começará a sentir e, no devido tempo, a compreender claramente um padrão. Eu
sugeriria até que você anote em poucas palavras as ocasiões, suas reações e a associação. Isso o
ajudará muito.

Você deve rezar por iluminação e orientação, todas as vezes, em que conduzir essa revisão
diária. Então as idéias fluirão no seu interior e fornecerão novas pistas, embora de início elas talvez
não façam sentido para você. Não descarte essas idéias; não resista a elas. Mais tarde todas elas
formarão um quadro claro. É como um quebra-cabeça quando você começa a procurar as peças,
embora ainda não possa ver a figura; mas, se for paciente, você será bem-sucedido. Assim você
desvelará as suas ansiedades e complexos ocultos que, naturalmente, são responsáveis pela sua
doença. A maior parte é ansiedade e medo. Isso é verdadeiro para quase todos eles, de uma forma
ou de outra. Um medo que você não se permite perceber conscientemente, um que foi empurrado
para o subconsciente. Então você tem que retirá-lo de lá e isso exige um pouco de esforço e de
tempo, antes que possa lidar com ele de forma correta em sua mente consciente e com consciência
de certas Leis Espirituais das quais você se desviou no interior da sua alma. O reconhecimento dos
seus defeitos é de fundamental importância e está em relação direta com as suas ansiedades ocultas.
Essa é a única maneira de resolvê-las.
Palestra do Guia Pathwork No. 017
Página 8 de 12

E eu lhes digo, meu amigo, que há um grande medo dentro de você, parte do qual você não
quer perceber. Um medo que cria uma espécie de hostilidade em certos aspectos da sua vida que,
também você não quer perceber. Quando você descobre isso, você tem a raiz e tudo o que resta a
ser realizado é a reeducação de certas correntes emocionais.

Se você partir nessa direção seriamente e não esperar um resultado amanhã ou na semana que
vem e, mesmo assim, continuar a trabalhar, você chegará inevitavelmente às raízes e assim
desmanchará esse nó na sua alma que cria certos sintomas físicos. Está claro? (sim, obrigado.)

Pergunta: Eu gostaria de perguntar se você poderia explicar o milagre de Therese V.

Resposta: O que você não entende a respeito dele? (Ela sangra toda semana; ela não come e
não tem comida por muitos anos, etc.) Bem, eu não posso dar-lhe, nesse curto tempo, um tipo de
explicação técnica de como essas coisas funcionam, mas há muitas, muitas coisas possíveis neste
mundo.

O que vocês chamam de "milagres" são simplesmente leis que vocês não entendem de forma
semelhante a muitas pessoas que não entendem as leis que governam a comunicação com o Além;
que um espírito possa manifestar-se através de um médium. Eu não poderia nem mesmo explicar
isso em um período tão curto porque levaria muitas palestras para tentá-lo e então apenas até certo
ponto. No entanto há muitas leis espirituais que governam a obtenção de domínio por uma pessoa
sobre o seu corpo físico, e essa pessoa não é a única que o fez.

Existem outras, também, cujas funções físicas são completamente controladas. Quando isso
acontece, certas influências do Mundo Espiritual podem acontecer. Isso é todo um capítulo. (Isso
necessariamente significa que tal pessoa é muito desenvolvida espiritualmente?) Normalmente sim.
Essas pessoas têm uma tarefa a cumprir. Elas trazem algo para a humanidade que elas despertam.
Elas produzem o que é chamado de "milagre". Aqui eu quero enfatizar o ponto, embora vocês todos
o saibam, de que não existem milagres no sentido em que essa palavra é comumente entendida, a
menos que você considere o Universo inteiro como um milagre, o que ele é, é claro! Mas existem
apenas leis, algumas das quais você entende e muitas das quais você não entende. A humanidade
caiu no hábito de chamar as leis ou acontecimentos que não entende de "milagres".

Pergunta: Eu gostaria de perguntar a respeito da evolução dos animais. Quando o animal mais
elevado se torna um ser humano, por exemplo, quando um cavalo bom e gentil torna-se o tipo mais
baixo de ser humano tal como um criminoso, eu não posso imaginá-lo.

Resposta: Não, você não pode dizer que um cavalo se transforma em um ser humano. Isso
não é correto. Existem muitas partes que formam um todo. E ele não tem necessariamente que ser
um criminoso. Não, não é assim. Ocorre apenas que essa pessoa sabe muito pouco, é ainda muito
cega, e se ele se torna um criminoso é apenas porque o seu livre-arbítrio o dirige para se entregar a
essa parte mais baixa da sua natureza.

Veja, as partículas de almas contidas em animais são, se posso explicá-lo de forma, digamos,
visual, diferentes aspectos da formação interna humana. Talvez um cavalo - se posso explicá-lo de
forma tão grosseira - representaria um aspecto, e assim por diante. Porque a alma animal não é o
Palestra do Guia Pathwork No. 017
Página 9 de 12

todo, mas apenas uma parte dele. E antes que a encarnação ocorra, as almas coletivas desses
respectivos animais são reunidos no Mundo Espiritual e, por um longo tempo, são submetidas a um
processo extremamente complicado que seria impossível de explicar a vocês. Elas são tornadas
inconscientes e os seus fluidos e corpos sutis são submetidos a um processo pelo qual novos corpos
sutis podem se formar em volta da Centelha Divina original, mais próximas do estado em que
estava antes. Então a primeira encarnação pode começar e há, assim, um estado limpo. O que quer
que esse ser decida, ele pode fazer. Está um pouco mais claro? (Sim) Percebo que é extremamente
complicado para qualquer um de vocês entender. (Por exemplo, os animais têm as mesmas doenças
que os seres humanos, mas os seres humanos aprendem com suas doenças; o que pode um animal
aprender com uma doença que ele tenha?) Esse não é o ponto. Nesse estágio, antes da encarnação
humana, não há nada a aprender; é simplesmente algo pelo qual se passa.

Pergunta: As grandes idéias têm o seu começo no Mundo Espiritual ou elas começam aqui e
são tomadas de volta?

Resposta: Oh, não. Elas começam no Mundo Espiritual, naturalmente. Existem para cada
especialidade, para cada arte e para cada ciência - e eu mencionei isso antes - esferas especiais e
diferentes criaturas vivendo nessas esferas que trabalham e criam. Quando esses seres são
encarnados, trazem um pouco disso com eles. Apenas parte, é claro. Eles não podem lembrar tudo
e isso eles desenvolve aqui com a ajuda dos seus amigos no Mundo Espiritual que o guiam de forma
adequada. Mas é criado no Mundo Espiritual, porque a terra inteira não é origem ou causa; é apenas
o efeito. Assim, tudo tem que ser criado no Mundo Espiritual.

Pergunta: Existem espíritos ou mestres ou médium no Mundo Espiritual limitados na


expressão da sua capacidade de aconselhar-nos em relação a alguns problemas materiais?

Resposta: Oh, sim, eles são, na verdade, limitados até certo ponto. Eles apenas podem fazê-lo
de acordo com a Lei, que é muito firme e sabiamente regulada. Aqui novamente vocês tocam o que
lhes é impossível entender. Vocês podem apenas ter uma vaga idéia. Por exemplo, os espíritos não
podem de forma alguma interferir para dar orientação se a interferência for um obstáculo ao livre-
arbítrio, porque vocês vivem nesta terra com seu livre-arbítrio para um propósito muito bem
definido. Não é tão importante que tudo seja agradável e indolor. Apenas vocês, seres humanos,
pensam que isso seja de grande importância. Quando você tem uma doença, quando você tem uma
dor, quando você tem um problema ou alguma espécie de infelicidade, você pensa que é o fim do
mundo e o seu objetivo é ser sempre feliz e eliminar seus problemas da maneira mais fácil, mas essa
não é a questão. A questão é como você pode superá-los, como você pode resolver os seus
problemas e como você pode abordá-los de um ponto de vista espiritual. Apenas assim você pode se
tornar forte e realmente independente. Se houvesse interferência indevida, você não seria capaz de
aprender. (Mesmo que peçamos por um auxílio específico?) Certamente a ajuda pode ser dada e isso
também é regulado de acordo com a Lei. Mesmo o fato de você pedir já é um sinal de que você
aprendeu alguma coisa. Mas aqui, novamente, você tem que ser cuidadoso no como pedir. Eu os
aconselharia a pedir assim: "Mostre-me Pai, a verdadeira razão das minhas dificuldades, para que eu
possa resolvê-las". Não peça que essa dificuldade seja apenas removida. Essa seria a maneira errada e
imatura de pedir. Mas se você pedir da maneira certa, você terá uma resposta. Tente aprender com
as suas dificuldades e quando você pedir dessa maneira, você terá uma resposta. E talvez você tenha
uma resposta bem diferente daquela que você imaginou, meu caro.
Palestra do Guia Pathwork No. 017
Página 10 de 12

Pergunta: Até que ponto podemos esperar ser úteis, através de meditação e prece, a amigos
que precisam de cura?

Resposta: Eu não me dedicaria a essa matéria, à cura, porque há muito poucas pessoas, na
verdade, que têm a força de curar através da prece. Porém a sua prece e o seu pensamento voltado
para amigos, ou para qualquer um nesse caso, em meditação, é de enorme utilidade. Você nem pode
avaliar o quanto você ajuda ao fazê-lo. Como você sabe, cada pensamento, e pensamento é uma
forma substancial no Mundo Espiritual e nenhum pensamento jamais é perdido, especialmente um
que seja construtivo e bom que vem de você por amor e boa vontade. Esses pensamentos somam-se
ao reservatório cósmico e fluem no Universo, de forma que as Forças do Bem tornam-se muito
mais fortes em comparação com as Forças do Mal, pois cada mau pensamento é adicionado àqueles
reservatórios e fornece-lhe força. E se, de acordo com muitos fatores, nos quais eu não posso
adentrar agora, possa ser dada ajuda direta a esse amigo - talvez de uma forma diferente do que
vocês seres humanos possam conceber no momento - então a sua prece terá um resultado imediato.
Se, ao contrário, essa pessoa querida tem que passar por algumas dificuldades em favor de sua
felicidade futura e permanente e liberdade das suas amarras, então sua prece ainda não será perdida.
Você pode estar bem certo disso. Essa forma é preservada, por assim dizer, e terá o seu efeito
adequado no tempo certo. Então nada do tipo é perdido, jamais. Eu nunca poderia recomendar com
a devida ênfase que as poucas pessoas privilegiadas que encontraram Deus em suas almas em alguma
medida, devotem mais tempo para a prece não apenas por si mesmos, mas também pelas outras
pessoas. Pelo desenvolvimento geral, pelas almas infelizes que ainda não atingiram o brilho da luz
são essas preces oferecidas. Tantos pensamentos são desperdiçados em elucubrações improdutivas
e mesmo nocivas. Se o mesmo tempo pudesse ser utilizado produtivamente - e não há nada mais
produtivo do que a prece - então você adicionaria uma grande força a esse Plano de Salvação que se
desenrola em todo o Universo.

Pergunta: Eu gostaria de saber se tudo é uma manifestação da crença do homem.

Resposta: O que exatamente você quer dizer com as palavras "uma manifestação da crença do
homem"? (Quero dizer tudo que conhecemos sobre a Terra. Isso é o resultado do que o homem
acredita que seja?) É muito difícil responder a isso com "sim" ou "não". Tentarei colocar assim: A
esfera terrena ou o mundo material foi criado para o homem com um certo propósito definido que
eu já mencionei muitas vezes e não sinto que tenha que retomar o assunto novamente agora. O
principal objetivo é o desenvolvimento. Nesta esfera terrestre, o desenvolvimento acontece
infinitamente mais rápido. Contudo, a sua esfera da terra com todas as coisas nela contida -
paisagem, montanhas, mares, casas, qualquer objeto que você tenha - existe objetivamente e não
altera a sua forma de acordo com as atividades das pessoas. Em outras palavras, você vê esta sala da
mesma forma que uma pessoa muito mais desenvolvida ou uma muito menos desenvolvida. Os
objetos nesta sala permanecem os mesmos para qualquer ser humano com um senso de percepção
normal, enquanto o Mundo Espiritual é realmente a representação das idéias, atitudes, pensamentos
e mentalidade do espírito. Lá, tudo é resultado de pensamentos, sentimentos e atos.

Portanto, sempre há espíritos do mesmo nível de desenvolvimento juntos em uma esfera.


Outros espíritos, digamos, menos elevados, não poderiam sequer ver as paisagens ou objetos que os
espíritos vêem e que são produtos de sua personalidade. Mas na Terra não é assim e existe uma
razão muito boa para isso. Mas, por outro lado, há algumas partículas de verdade no que você diz,
mas não no que concerne aos objetos reais. É muito mais no sentido do que o homem faz com a sua
Palestra do Guia Pathwork No. 017
Página 11 de 12

vida. Ele pode guiar e determinar a sua própria vida em alto grau, e nisto você está certo. Qualquer
um que tenha suficiente fé irá também automaticamente seguir as Leis Divinas. E qualquer um que
esteja seriamente tentando aprender e manter as Leis Divinas ganhará essa Fé que pode ainda estar
faltando no começo deste caminho. Aqui, também, ninguém pode ter essa fé forçando-se a si
mesmo; ela só pode crescer organicamente através do autodesenvolvimento. Ela crescerá pela
vivência dessas leis, mesmo que possa ser difícil no começo. E então o homem guia a sua própria
vida e produz todas as condições que precisa para encontrar Deus. Enquanto que, ao não seguir
essas Leis Divinas, ele produz condições desfavoráveis. Nesse aspecto é verdade o que você pensa.

Você compreende a diferença que estou tentando explicar? (Posso fazer outra pergunta?) Sim.
(A razão pela qual pergunto isto é porque quando lemos a Bíblia, ela diz, "pela sua fé você pode
mover o inamovível") Oh, sim, isso é bem verdade. Esses são chamados milagres, os ditos fatos
sobrenaturais. Mais perguntas?

Pergunta: Você poderia nos dar em poucas palavras a diferença entre Misticismo e Magia
Branca e Negra?

Resposta: Esse é um assunto muito longo para esta noite. Eu sugiro que você lembre essa
pergunta na próxima vez e talvez você possa fazê-lo no início do período de perguntas, quando eu
terei mais tempo para o assunto.

Vou me retirar e deixar vocês com as bênçãos do senhor. Recebam o Seu amor pois há
realmente uma grande bênção nesta sala, agora. E se vocês estiverem abertos para ela, embora nem
todos vocês possam ver essa força brilhante, vocês podem senti-la, recebê-la e usá-la por Deus.

Fiquem em paz !

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por
escrito da Fundação. A Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou
pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida,
de acordo com a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou
abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua
comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork
Foundation tenham concordado em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de
transformação pessoal reconhecidos pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Telefone : (011) 3721-0231 E-mail: pathworksp@pathwork.com.br Visite: www.pathwork.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter)
Telefone: (71) 3237-4962 E-mail: pathworkbahia@yahoo.com.br Visite www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília (Chapter)
Telefone: (61) 3442-8108 E-mail: fvervloet@gmail.com
Pathwork® Ceará (Chapter)
Telefone : (085) 8731-1122 E-mail: reginalencar@gmail.com
Pathwork® Goiás (Chapter)
Telefone: (62) 8118-0446 E-mail: ritapath@hotmail.com
Palestra do Guia Pathwork No. 017
Página 12 de 12

Pathwork® Minas Gerais (Chapter)


Tel: (31) 9959-5547 E-mail: pathworkmginstituto@gmail.com Visite: www.pathworkminas.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Telefones: (083) 9967-8303/(083) 3235-5188/(083) 3224-2362 E-mail: claubetenobrega@terra.com.br Visite: www.pathworkpb.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro (Chapter)
Telefone:: (21) 2529-2322 E-mail: gmdell@globo.com Visite www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Telefone: (51) 9177-3178 E-mail: suefonseca@hotmail.com. Visite www.pathworksul.com.br
Visite: www.pathwork.org.
Visite: www.pathworkbrasil.com.br
Palestra do Guia Pathwork no. 18
Palestra Não Editada
6 de dezembro de 1957.

O LIVRE ARBÍTRIO

Saudações em nome do Senhor, meus amigos. Abençoada é essa hora, abençoados são todos
vocês. Não é fácil para algumas pessoas que aqui vêm pela primeira vez entender que é de fato uma
personalidade muito diferente que fala através dessa pessoa humana. Vai ser necessário estudo e
mente aberta para acreditar que tal coisa seja possível. Já que a cada vez temos aqui a presença de
novos amigos, também é difícil fazer minhas palestras de uma maneira que elas possam ser
claramente entendidas por todos. Se eu fosse levar em consideração apenas os novatos, não estaria
fazendo justiça a todos os meus amigos que freqüentam regularmente essas palestras. Por outro
lado, se eu dirigir essas palestras somente para meus amigos habituais, os novatos não conseguiriam
acompanhá-las. Assim, existe uma complicação que não é facilmente superada, como vocês bem
podem ver. No entanto, eu farei o melhor possível nessas circunstâncias. Nesse momento, eu
gostaria de enfatizar mais uma vez – também para aqueles mais assíduos – repetir algumas coisas que
são essenciais! Não só é verdade que as pessoas esquecem muitas coisas, cujo conhecimento é
importante para o progresso espiritual delas, mas também pode ocorrer que uma pessoa esteja
perfeitamente ciente de algumas facetas do intelecto, sem conhecer essas facetas no coração. Há
uma diferença muito grande entre conhecimento intelectual ou superficial e o que é denominado
iluminação. Em algum momento vocês conseguem adquirir esse conhecimento profundo e total,
que muitas vezes sobrevém depois de ouvirem uma mesma coisa 25 vezes, às vezes com abordagens
do mesmo tema a partir de muitos ângulos diferentes, até que na vigésima sexta vez que ouvem
vocês conseguem adquirir a iluminação sobre aquele tema específico.

O assunto que eu vou discutir nessa noite é o livre arbítrio. A humanidade está sempre
discutindo esse assunto. Há um grupo que alega que o livre arbítrio não existe em absoluto. Tudo é
sorte ou destino. Há outro grupo que diz mais ou menos que tudo é livre arbítrio. Há um terceiro
grupo que diz que algumas coisas são determinadas pelo livre arbítrio de uma pessoa, e outras não
são. Qual deles está certo? Vamos examinar esse assunto juntos, a partir do ponto de vista espiritual
e a partir do ponto de vista da realidade absoluta. Para uma pessoa que não acredita em uma
existência após essa vida nem em uma outra vida passada; para uma pessoa que não acredita ou não
consegue acreditar no mundo espiritual, na lei e na ordem divinas; para uma pessoa que acredita lá
no fundo apenas nessa vida presente, a terceira alternativa seria lógica, ou seja, que alguns fatores são
determinados pelo destino e não pelo livre arbítrio de uma pessoa, enquanto outros fatores não são.
Por exemplo, vocês não podem escolher onde nascem, como nascem, onde, quando e como irão
morrer, e nem mesmo algumas fases definidas da vida. No entanto, para uma pessoa que sente, sabe,
e vivenciou a verdade da lei da causa e efeito – reencarnação -, esse ponto de vista não poderia estar
correto.

Olhando o quadro todo, cada indivíduo tem total livre arbítrio, mesmo que temporariamente
pareça que esse livre arbítrio não pode se manifestar porque os aspectos que vocês não conseguem
controlar nessa vida foram, de fato, determinados por vocês em vidas passadas. Eles são apenas os

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 18 (Palestra Não Editada)
Página 2 de 12

efeitos resultantes de causas que vocês mesmos colocaram em movimento. Vou dar um exemplo.
Suponham que um assassino, que cometeu um ato que não apenas é contrário à lei divina, mas
também à dos homens, seja pego. Ele vai para a prisão. Vamos supor, além disso, que ele tenha
perdido a memória; ele teve amnésia depois de ter cometido esse ato. Quando ele se dá conta, está
na prisão e não sabe o motivo, porque não se lembra do que fez. Podem dizer-lhe que ele fez isso e
aquilo, mas ele esqueceu o que fez. No entanto, isso não altera o fato de que ele cometeu o crime. Se
ele sabe e lembra ou não, não faz nenhuma diferença. Devido à perda da memória e à incapacidade
de acreditar no que estão lhe dizendo, ele está convencido de que esse é um destino muito injusto,
porque ele só vê uma parte – a parte atual – e não vê as conexões e as reações em cadeia. O passado
que o levou a seu estado presente está escondido dele, mas mesmo assim existe como uma realidade.
Esse é o livre arbítrio em funcionamento. Sempre que houver obstáculos ou impedimentos ao livre
arbítrio, que vai contra os seus interesses aparentes e imediatos, é porque existem causas criadas por
vocês mesmos, apesar de não conseguirem lembrar-se delas. Da mesma forma, sempre que vocês
têm a possibilidade de exercer o livre arbítrio no presente e sempre que têm vantagens – verdadeiras
ou aparentes --, é porque vocês mesmos deram origem a isso, seja nessa mesma vida ou em uma
vida anterior. Isso não faz a menor diferença com relação a essa lei. A liberdade ou falta de liberdade
do presente depende inteiramente dos atos, pensamentos e reações interiores do passado! Hoje em
dia a maioria das pessoas reconhece que essa lei funciona visivelmente em vários aspectos de sua
vida presente.

Muitas, muitas causas podem ser rastreadas até alguma ação interna ou externa de vocês nessa
existência atual. Até pouco tempo atrás, a humanidade não tinha meios de penetrar fundo o
suficiente na alma humana para encontrar essas causas ocultas – boas ou más, favoráveis ou
desfavoráveis. Como eu disse, existem várias causas provenientes dessa mesma vida das quais vocês
não se lembram; é necessário grande esforço e tempo de sua parte para revelá-las. E não ocorreria a
vocês, nesse caso, alegar que não são responsáveis somente porque, no momento, não se lembram
delas. Em determinado momento, por livre e espontânea vontade, vocês decidiram agir e pensar de
forma tal que gera um determinado resultado. Não existe ação, feito, pensamento ou mesmo
sentimento que não tenha algum resultado. Alguns resultados acontecem mais rápido, de maneira
que suas raízes ainda são rastreáveis; outros tomam um caminho mais longo, porém isso não altera o
fato de que nada acontece em sua vida pelo qual não sejam responsáveis, ou tenham sido
responsáveis em um momento ou outro. Vocês sabem disso. Portanto, a idéia de que o livre arbítrio
existe só parcialmente é errada, ou, na melhor das hipóteses, é uma meia-verdade. O que quer que
façam ou pensem hoje, qualquer que seja sua reação interior agora, terá um resultado ou efeito
amanhã, mês que vem, ano que vem, e de muitas formas também em sua próxima vida. Assim,
vocês têm de fato total livre arbítrio, meus amigos! Sempre que o homem não consegue reconhecer
ou lembrar das raízes que plantou no passado, ele diz que é o destino.

Muitas pessoas pensam que o livre arbítrio significa que podem fazer ou pensar qualquer coisa
que quiserem sem causar nenhum efeito. Essa é a idéia que elas fazem de livre arbítrio, o que,
claramente, é um grande erro. Deus criou esse universo, que consiste em um infinito número de leis.
Ele criou Seus filhos, e deu-lhes o livre arbítrio para que pudessem escolher entre seguir ou não
essas leis, muito antes de existirem esta terra e este mundo material. A obediência a essas leis traz
felicidade, amor, harmonia, luz e sabedoria suprema, porque Deus, que é perfeito, não pode criar
nada além da perfeição. Se uma criatura fosse obrigada a permanecer dentro do marco dessas leis –
em outras palavras, se ela não tivesse livre arbítrio - as leis não seriam o que são, nem estariam de
acordo com a natureza de Deus. Haveria uma discrepância na criação. Não pode haver beleza,
Palestra do Guia Pathwork No. 18 (Palestra Não Editada)
Página 3 de 12

harmonia, sabedoria, alegria e amor se isso tiver que ser vivido de forma imposta, contra a vontade
do indivíduo, contra o próprio reconhecimento do indivíduo da sabedoria e da perfeição dessas leis.
Deus então não seria um Deus de liberdade, mas um Deus de escravidão, mesmo que Suas criaturas
pudessem ser felizes em um sistema imposto. Assim, cada criatura – homem ou espírito – tem a
possibilidade, através de sua própria escolha, de viver ou não de acordo com essas leis. Aí está a
chave dessa questão, não somente para se compreender melhor a questão do livre arbítrio, mas
também do aparecimento do mal, da escuridão e da crueldade – em resumo, da queda dos anjos.
Muitas pessoas se perguntam como um Deus de amor pode ter criado o mal. Mas Deus não criou o
mal. Como vocês podem compreender agora, Ele deu a cada criatura a oportunidade de escolher
livremente entre seguir ou não suas leis de perfeição.

Vocês podem dizer que se submeter a essas leis divinas é difícil, e realmente é difícil para o
homem, sob alguns aspectos. Todas as pessoas que, em algum momento, se afastam das leis divinas,
acham difícil voltar a obedecê-las. Mas para aquelas que nunca se afastaram – e são muitas –, não é
difícil. A dificuldade está somente em purificar a si mesmos, passo a passo, para voltar ao estado em
que se encontravam uma vez, quando a obediência às leis não representava nenhuma dificuldade.
Aqui eu gostaria de enfatizar que vocês não preferiram se afastar das leis divinas porque era muito
difícil obedecê-las. Pensem nisso somente como uma linha lateral de raciocínio, pois ela nos levará a
outro tema. Em qualquer aspecto da sua personalidade no qual não se desviaram da lei divina – e
não é necessário que isso tenha acontecido em todos os aspectos - ou em qualquer aspecto no qual
vocês conseguiram se purificar em encarnações anteriores, voltando ao estado em que se
encontravam em algum momento, nesses aspectos vocês não terão dificuldade alguma em obedecer
às leis. Assim, a dificuldade varia de pessoa para pessoa. Para uma, pode ser difícil não roubar. Para
outra, isso não é absolutamente difícil; difícil é não perder a calma. Para uma terceira, pode ser difícil
não sentir inveja – e assim por diante. Portanto, vocês devem ter por objetivo, através do
desenvolvimento e do progresso espiritual, atingir o estado em que são capazes de viver respeitando
a lei divina em todos os aspectos possíveis, em que não sentem dificuldade alguma nisso. E isso,
naturalmente, só pode ser conseguido por opção própria, pelo exercício do livre arbítrio!

Talvez o que eu disse também esclareça a idéia que vocês têm de “punição”, uma idéia contra
a qual tantos se revoltam. Não existe um Deus que distribui punições arbitrárias. Deus criou leis
perfeitas e condições perfeitas que Seus filhos têm a oportunidade de seguir livremente ou não. Se
vocês escolherem a palavra “punição” para isso, muito bem, mas vocês hão de convir que ela dá
uma idéia totalmente errada dos fatos como realmente são. A criação de Deus é perfeita; Suas leis
têm tal sabedoria e amor supremos que, seja o que for que as pessoas façam – mesmo aquelas que se
desviam de Suas leis – elas acabam encontrando o caminho de volta a Suas leis e, assim, ao estado de
total contentamento e perfeição. A equação precisa ser uma igualdade! Isso precisa acontecer, de
uma maneira ou de outra. Entender isso talvez seja uma das maiores dificuldades do homem. Mas
vou tentar dar a vocês uma vaga idéia do que se trata, embora seja difícil para mim, usando a
linguagem humana, um obstáculo muito grande para nós, espíritos. À primeira vista, parece que
quanto mais vocês se afastam de Deus e de Suas leis de perfeição, mais difícil é encontrar o caminho
de volta. De certa forma é assim, mas só de certa forma. Eu poderia dizer que a dificuldade
“técnica” aumenta quando vocês procuram voltar ao estado de perfeição no qual um dia se
encontravam, no sentido que mencionei anteriormente. Por outro lado, quanto mais longe de Deus,
mais infelizes vocês ficam, e exatamente por isso esse estado de infelicidade torna necessário voltar
para Deus. Assim, na quebra das leis e na infelicidade que daí decorre reside o próprio remédio e o
meio de, em última análise, atenuar o estado de descontentamento. Isso, naturalmente, é o que
Palestra do Guia Pathwork No. 18 (Palestra Não Editada)
Página 4 de 12

realmente conta. É algo que vocês só conseguirão entender se encararem a vida e o mundo não
apenas do ponto de vista humano e atual, mas do ponto de vista total e inteiro da criação e da
realidade absoluta. Além disso, trata-se de um tema muito bom para meditação. Como ponto de
partida para apreender essa verdade, vocês podem pensar no fato de que muitas pessoas vivem
numa espécie de estado mediano de contentamento (elas podem não ter nenhum problema ou
conflito em especial, mas sem dúvida falta-lhes a verdadeira felicidade) e nunca se esforçam para
buscar mais sabedoria, verdade e felicidade maiores e mais profundas. Elas não fazem nada para
progredir espiritualmente. No entanto, quando passam por uma crise ou infelicidade, isso representa
para elas um ponto de partida para começar a atingir um grau mais elevado de consciência e,
portanto, também de felicidade. Esse exemplo pode facilitar o entendimento desse fator muito
importante que não costuma ser reconhecido pela humanidade, com a possível exceção de algumas
grandes pessoas.

Enquanto vocês forem dependentes de acontecimentos exteriores, sobre quais não têm
controle algum, jamais serão felizes. Vocês podem ter um contentamento temporário, mas estarão
sempre com medo de perdê-lo porque não podem controlar os outros, nem o poder deles sobre
vocês, e não podem controlar as circunstâncias externas. A única felicidade durável e que não pode
ser tirada por ninguém, o único chão firme que vocês podem ter, é quando se desenvolvem, quando
se purificam a curam a alma e todas as correntes doentias e erradas que os desviam da lei divina.
Quando vocês descobrem as causas internas responsáveis por suas provações e aflições, também
encontram a felicidade. Infelizmente, isso vocês não fazem a maior parte do tempo, a menos que
ocorram alguns fatos realmente desagradáveis na sua vida. Mas Deus não “envia” propositadamente
esses fatos desagradáveis. Como vocês se afastaram da lei, em algum momento – seja nesta vida ou
numa vida anterior – vocês criaram as condições que se materializam nesse exato momento. Não é
absolutamente necessário saber quando e o que viveram em uma vida passada para encontrar as
raízes responsáveis pela dificuldade atual, pois desde que uma tendência não seja purificada, ela
simplesmente existe em vocês e, portanto, é passível de ser conhecida, se vocês realmente quiserem.
Se vocês descobrirem suas falhas e fraquezas, chegam necessariamente - de maneira direta ou
indireta – até as raízes responsáveis por tudo que não lhes agrada na vida atual. Assim, se vocês
começarem a investigar como e em que aspecto se afastaram da lei divina, vocês encontrarão uma
resposta. Se vocês tentarem de fato subir por essa longa ladeira, terão condições de iniciar um
processo de purificação que é a saída da escuridão onde vocês entraram de modo totalmente
independente. Ninguém colocou vocês lá !

Isso me leva ao assunto da direção da vontade e da força de vontade. A questão muitas vezes
é ter ou não ter, e empregar ou não empregar a força de vontade. Uma premissa evidente e lógica é
que vocês desejam, acima de tudo, cumprir a vontade de Deus. Já discuti extensamente como toda
criatura viva pode descobrir qual é a vontade de Deus em qualquer situação, e como fazer para
descobrir, e por isso não vou entrar nesse assunto agora. No entanto, à parte decisões isoladas e
rumos específicos a tomar na vida, há muitas tendências sutis no homem que tornam necessário
saber quando e como usar as correntes da vontade interior. É verdade, como muitos alegam, que
vocês podem conseguir quase tudo pela força de vontade. As forças psíquicas interiores de uma
pessoa, uma vez acionadas, são muito mais potentes do que qualquer um de vocês tem idéia no
presente, mas quando e como e em que direção é aconselhável usar esses poderes – essa é outra
questão. Quando vocês devem aceitar a vontade de Deus e não fazer força contra ela? Quando é
certo utilizar os poderes adormecidos? Essa é uma questão que confunde muita gente, mesmo sem
saber. O primeiro passo é descobrir se existe essa confusão. Se existir, formulem seus pensamentos
Palestra do Guia Pathwork No. 18 (Palestra Não Editada)
Página 5 de 12

claramente, concisamente. Conscientizem-se do que vocês desejam, e se tiverem alguma dúvida de


que o desejo está de acordo com a vontade de Deus ou não, investiguem da maneira como eu
sempre ensino. Uma vez dirimida essa dúvida, vocês terão muito mais paz interior. Em outras
palavras, formas de pensamento claras e concisas de qualquer coisa que vocês desejem é a primeira
condição. Qualquer pessoa que tenha conseguido alguma coisa nesta vida – seja o que for – fez isso.
As pessoas que não colocam Deus acima de tudo podem, portanto, conseguir coisas que não
correspondem à vontade d’Ele. Vocês têm, sempre, a oportunidade de descobrir isso logo no início.

Não importa se os desejos se referem a coisa materiais que não representam um desvio da lei
divina, ou se os desejos referem-se ao crescimento espiritual e a auto-purificação, há muitos casos
em que vocês podem usar a força de vontade e isso não é feito com a freqüência ou com a força
necessárias. Muitos dos meus amigos desejam seguir esse caminho, mas ainda não usaram esse poder
interior em todos os pequenos aspectos – que são muitos – encontrados nessa estrada. Sem dúvida
há muitas dificuldades a superar na personalidade, falhas que devem ser admitidas e vencidas, e
muitas coisas a aprender. Tudo isso pode ser conseguido com mais facilidade se vocês usarem o
poder certo da maneira certa. Primeiramente, gostaria de dizer que vocês podem querer e desejar
com o intelecto e com a alma. A força de vontade intelectual também pode ser forte, mas nunca tem
o efeito da força de vontade da alma. O poder da vontade pode ser usado de duas maneiras muito
diferentes. Uma delas é uma pressão, uma tensão que acaba com a paz de vocês. Ela afasta vocês do
estado de distanciamento, tão necessário para atingir a maturidade espiritual e emocional. A outra
maneira flui com liberdade, com força e vitalidade, sem jamais perturbar a serenidade de vocês. Ela
opera lá no fundo, e, no entanto com muita consciência; ela deseja com força, mas com paciência.
Ela deixa vocês livres e distanciados, mas jamais passivos e resignados. Uma corrente de vontade
vem do eu superior; a outra, do eu inferior. Se vocês desejarem algo que é contra a lei e a vontade
divinas, não terão paz. No entanto, também é possível que vocês desejam algo que é totalmente
certo para vocês, mas que o façam da maneira errada, com uma mistura de correntes ou motivações
erradas.

Vamos supor, por exemplo, que vocês queiram fazer o melhor do ponto de vista profissional.
Este, sem dúvida, é um desejo legítimo. Não ter esse tipo de desejo seria errado, porque estariam
faltando a centelha, a vitalidade. A falta de desejo, o distanciamento, podem representar um perigo –
o perigo de que a pessoa passe devagar, imperceptivelmente a princípio, para um estado de
resignação, de não se importar, de não ter vida. Nesse caso, como em tudo o mais, é muito difícil
atingir e manter-se no caminho do justo meio termo, sem atravessar a fronteira para um dos dois
extremos. Só é possível encontrar e manter-se nesse caminho do justo meio termo se vocês
meditarem nisso diariamente e se questionarem sempre, com total honestidade, a respeito das
motivações interiores. Vocês desejam dar o máximo para gratificar a vaidade pessoal? Vocês desejam
dar o máximo sem o mínimo de motivos egoístas e vãos? Depois de responderem a essas perguntas,
vocês podem começar a redirecionar os motivos conscientemente, e então a força de vontade
interior poderá fluir livremente. Quando a motivação é pura, não existem angústias inconscientes ou
subconscientes para atrapalhar o livre fluir da força de vontade. Quanto maior o desenvolvimento,
maiores serão os entraves subconscientes à força de vontade – caso o desejo não seja puro e certo.
Portanto, também nesse caso o primeiro passo é tornar consciente o que estava inconsciente há
tanto tempo. Somente assim vocês poderão avaliar em que aspectos devem relaxar e renunciar à
força de vontade, e, por outro lado, em que aspectos vocês podem e devem usar uma força de
vontade ainda maior do que usaram anteriormente. Quando se depararem com uma forte pressão do
ego, vocês devem aprender a se distanciarem de si mesmos. Vocês só poderão aprender a eliminar
Palestra do Guia Pathwork No. 18 (Palestra Não Editada)
Página 6 de 12

gradualmente a pressão do ego através do exame repetido desses impulsos do ego. Depois de
separarem essas duas tendências interiores – a tendência do egoísmo ou da vaidade, e aquela parte de
vocês que deseja servir aos outros através da profissão, seja ela qual for – vocês poderão desenvolver
a força de vontade na direção certa, pois já terão se livrado de todas as máscaras ou motivações
erradas. Nesse momento, vocês poderão “ensinar” a vontade a sair do plexo solar, e não do cérebro.
Existe aí uma diferença muito sutil e importante. Sei que enquanto vocês não tiverem
experimentado até certo ponto essa diferença, essas palavras não passarão de palavras para vocês,
talvez até sem sentido. No entanto, vocês podem ter essa experiência tentando, e depois que tiverem
tido essa experiência, saberão e entenderão muito bem qual é a diferença entre querer com o cérebro
e querer com a alma. Separem dentro de vocês essas duas tendências, que tantas vezes se misturam.
A tendência impura dilui e estraga a tendência pura. O resultado é uma confusão interior, porque
vocês mesmos não estão inteiramente certos de qual é qual, nem que existem em seu íntimo essas
duas tendências muito diferentes. Depois da separação, abandonem a força de vontade da tendência
que vai contra a lei divina. Ela só pode trazer desarmonia. Reativem a centelha interior e a força de
vontade profunda dirigida à tendência pura que não coloca o ego no centro do mundo.

Eu sei, queridos amigos, o quanto isso é difícil. Para alguns de vocês, essas palavras podem ser
grego, mas outros conseguem captar um pouco do que digo, pois já têm maior compreensão. Mas o
conhecimento real e profundo exige esforço. Não se pode adquiri-lo apenas ouvindo uma palestra
uma vez. Isso nunca é suficiente. O que eu acabei de dizer a vocês representa uma das muitas chaves
que irão libertá-los da prisão em que vocês se colocaram, uma abertura das cadeias em que vocês se
prenderam, porque, enquanto vocês não começarem a se livrar dessas cadeias, vão se sentir
frustrados, infelizes e descontentes com a vida que levam. Comecem a agir agora, para que todas as
suas correntes interiores estejam de acordo com a lei divina, e não contra ela. A lei divina não
compreende apenas aquelas que dizem que vocês não devem matar, roubar, cometer crimes ou
pecados conhecidos. Esses são casos mais amplos, mais extremos. As pessoas a quem essas leis mais
amplas já não se aplicam, porque aprenderam a superar essas tendências em encarnações passadas,
precisam começar a aplicar a lei divina interiormente – aplicá-la às tendências, às correntes, às
reações emocionais, e não apenas aos atos, e nem mesmo apenas aos pensamentos. Os sentimentos
também precisam ser mudados, e isso é impossível a menos que vocês se vejam como realmente
são.

E agora, queridos amigos, estou pronto para as perguntas. Antes de vocês fazerem as
perguntas previstas, talvez queiram esclarecer alguma dúvida com relação a esse assunto.

PERGUNTA: Não tenho certeza se você já respondeu a minha pergunta, mas vou perguntar
assim mesmo porque talvez você tenha alguma coisa a acrescentar. Todo ser humano é senhor de
seu próprio destino, ou os acontecimentos da vida humana foram predeterminados por uma ordem
superior?

RESPOSTA: Bem, acho que já respondi cabalmente a essa pergunta.

PERGUNTA: Estou pensando em todas as pessoas que fizeram uma grande carreira, no
teatro ou nos negócios, por exemplo. Elas não pensam em outra coisa senão no próprio ego, e
algumas nem sequer têm talento, mas chegam até lá em cima. O que é isso?
Palestra do Guia Pathwork No. 18 (Palestra Não Editada)
Página 7 de 12

RESPOSTA: O que você quer dizer com “O que é isso?” O que você não entendeu?

PERGUNTA: Quero dizer que eles fazem carreira e não desenvolvem o lado espiritual...

RESPOSTA: É claro que não, pois alguém que vive para a vontade do ego, a esse respeito,
não se desenvolve. Mas uma coisa eu posso dizer. Mesmo que a pessoa que alimenta uma corrente
errada, doentia ou ignorante, e mesmo alguém que não cumpre seu destino, a razão da atual
encarnação, pode avançar espiritualmente em outros aspectos da personalidade, talvez em um
segmento totalmente diferente da alma. Talvez essa pessoa supere outra falha, mesmo que não tenha
vivido a vida de acordo com o plano, e mesmo que reforce uma corrente negativa em outro aspecto.
Essa vida pode, mesmo assim, não ser um total desperdício do ponto de vista espiritual.

PERGUNTA: O que você quer dizer com plexo solar em oposição a cérebro?

RESPOSTA: Um desejo pode vir do intelecto ou do cérebro, ou do que às vezes é


denominado alma. Na região do plexo solar fica o campo magnético espiritual – em matéria radiante
e, portanto invisível para o olho humano – e o campo magnético onde não apenas existem todas as
emoções, mas onde também estão marcados e profundamente gravados todos os fatores relativos a
todo o ciclo de existência de uma pessoa. A importância de vidas anteriores, dos méritos e dos
chamados pecados está ali contida, e tudo o mais – todo o Livro da Vida.Todos os sentimentos ou
desejos ou pensamentos não podem emanar apenas da região do cérebro, mas também dessa parte.
Muitas pessoas ainda não tiveram essa experiência. Quando elas querem alguma coisa ou quando
pensam ou formam idéias, isso acontece aqui no cérebro. Mas, uma vez que é atingido um
determinado estágio de desenvolvimento espiritual, vocês vão ver que podem desejar e até pensar
com a região do campo espiritual. Quando os pensamentos vêm dali, eles são de um tipo muito
diferente, têm um caráter muito diferente dos pensamentos que têm origem no cérebro. O mesmo
se aplica à força de vontade. A vontade que vem da região do cérebro resulta em tensão, a menos
que seja confirmada pela vontade que vem do campo magnético espiritual. É claro que até uma coisa
certa pode criar raízes primeiro no cérebro, mas enquanto ela permanecer apenas nessa região jamais
terá um caráter vigoroso, jamais penetrará em toda a unidade da personalidade humana. Desejar ou
pensar com o campo espiritual acarreta necessariamente o eu superior ou a chama divina do homem.
Quem quer que tenha tido essa experiência poderá confirmar esse fato. Quem quer que tenha tido
um pensamento, uma idéia ou um desejo originado desse campo espiritual ficará pleno de felicidade
e certeza. Ele saberá, sem sombra de dúvida, que tem um pensamento verdadeiro, e que a verdade
nesse momento está viva em seu íntimo. E a fé, ou a chamada fé, nunca acontece a partir do
cérebro. Se for uma simples convicção intelectual, é uma fé fraca. Mas a fé que vem daqui, que vem
do campo espiritual e da chama divina, é a convicção e a experiência da verdade. Assim, as pessoas
que não têm fé estão erradas quando julgam que a crença é uma questão de “poderia ser assim, ou
poderia não ser.” A fé, em sua verdadeira acepção, é sempre uma certeza que foi vivenciada
pessoalmente, embora essa experiência não possa ser transmitida a outros que ainda não passaram
por ela. O fato de muitas pessoas terem um tipo errado de fé não significa que a fé, em sua
verdadeira acepção, não exista. Da mesma forma, uma pessoa emocionalmente instável e imatura
pode ter desejos fortes e até compulsivos, parcial ou totalmente subconscientes. Esses desejos não
Palestra do Guia Pathwork No. 18 (Palestra Não Editada)
Página 8 de 12

têm origem no cérebro, mas certamente também não se originam no campo espiritual magnético.
Ao se revelar o subconsciente de uma pessoa, o que vem à tona não são apenas as correntes
doentias, erradas e deformadas, não apenas a ignorância e a pouca visão, não apenas as falhas e
pontos fracos (em resumo, aquilo que denomino o eu inferior do homem), mas também o eu
superior. Às vezes ele está bem no fundo, profundamente oculto, primeiro debaixo de máscaras
protetoras de falsidade que de fato nada têm a ver com a verdadeira natureza da pessoa; depois
oculto pelo eu inferior; e finalmente por aquela parte do eu superior que, até aquele momento, não
se deixou atuar. Nesse eu superior ou chama divina – que, naturalmente, tem alguma liberdade em
todas as pessoas – reside a sabedoria, a verdade, o amor, em grau muito grande. Portanto, há uma
diferença muito importante em pensar e querer com o cérebro ou com o campo espiritual. Este
precisa ser cultivado, naturalmente, e não pode funcionar se a pessoa não passar por um rígido
processo de desenvolvimento e auto-purificação.

PERGUNTA: Eu gostaria de perguntar se é possível conciliar o seu método e a nossa forma


de fazer psicoterapia?

RESPOSTA: É claro que sim! Qualquer pessoa que esteja realmente interessada e aberta pode
conseguir isso. Eu teria muito prazer em dizer a vocês as idéias e o sistema que utilizo. E posso dizer
que isso não pode ser benéfico apenas para vocês, mas também para qualquer outra pessoa que
esteja interessada. Talvez no futuro eu venha a ter a oportunidade de trabalhar com um grupo dessas
pessoas: psiquiatras, psicólogos, terapeutas. Podemos montar um curso assim no futuro. Talvez
esteja implícita na sua pergunta a questão de existir alguma possibilidade para um médico humano,
que não consegue ver a alma como um espírito pode, de usar esse sistema. Certamente o fato de nós
podermos enxergar a pessoa por dentro ajuda enormemente e encurta o processo. Mesmo assim,
esse sistema também pode ser usado por seres humanos, e não há dúvida de que os médicos
humanos que o usarem terão um sucesso consideravelmente maior e conseguirão melhores
resultados.

PERGUNTA: Da última vez eu perguntei sobre a diferença entre o místico e o oculto e a


magia negra e branca.

RESPOSTA: Bem, magia negra e branca e a diferença entre elas todos vocês já sabem muito
bem, tenho certeza. Portanto, vou responder a essa pergunta falando sobre a diferença entre
misticismo e magia. Vejam, nós não usamos exatamente essas palavras ou termos, mas eu entendo o
que elas significam para vocês. Mesmo entre os seres humanos existe confusão no tocante a esses
termos. O que uma pessoa tem em mente ao usar essa palavra pode ser muito diferente do que outra
pessoa entende. Portanto, usar essas palavras pode resultar em mal-entendidos. O verdadeiro
sentido do misticismo é atingir e experimentar Deus na maior medida possível a um ser encarnado.
O caminho místico, portanto, significa total purificação, e a meta é única e exclusivamente Deus,
cumprir Sua vontade, senti-Lo. Mas o verdadeiro místico, em última análise, nem mesmo deseja ter
essa experiência, a mais elevada de todas, como meta final, porque isso seria um objetivo egoísta, e o
egoísmo está diametralmente oposto ao misticismo. Portanto, a meta do verdadeiro místico, aos
nossos olhos, é servir! A sua meta é atingir a perfeição e atingir aquele estado de felicidade em que
Palestra do Guia Pathwork No. 18 (Palestra Não Editada)
Página 9 de 12

vocês podem servir da melhor forma a seus semelhantes. E somente uma pessoa muito saudável,
muito integrada, muito harmônica, uma pessoa muito feliz pode realmente dar, amar e ajudar.
Assim, a meta do místico é Deus, mas não por que essa união com Deus significa uma felicidade
inexprimível, um contentamento inimaginável – embora esse seja um maravilhoso subproduto, por
assim dizer – mas servir a Deus servindo a seus semelhantes, através do total cumprimento da
vontade de Deus em todos os segmentos da vida. A magia explora meramente as forças psíquicas. O
objetivo do mago, mesmo do mago branco, é a exploração e a utilização de determinadas forças
psíquicas. É verdade que a magia branca usa essas forças para o bem. Mas a magia não vai além do
controle dessas forças psíquicas, enquanto o místico, ao caminhar para sua meta final, também
encontra algumas dessas forças psíquicas, e pode até usá-las ocasionalmente. Mas a meta continua
clara em sua mente, e ele não se afasta do caminho por causa do fascínio, que representa uma grande
tentação e um sério perigo de que o místico se extravie ou perca os poderes que aprender a usar. Ele
não se deixa seduzir por experiências que muitas vezes são espantosas e revolucionárias. Muitas
pessoas começam seguindo o caminho do misticismo, mas deixam de segui-lo porque ficam
impressionadas demais com as forças da magia que, em algum momento, se manifestam.

PERGUNTA: E o ocultismo?

RESPOSTA: O ocultismo nada tem a ver com isso. Oculto significa apenas as coisas que
vocês ainda não conhecem ou que ainda não comprovaram cientificamente. Ocultismo significa só
isso. Oculto é tudo que não foi provado cientificamente ou que ainda não foi desvendado entre o
mundo de vocês e o nosso.

PERGUNTA: Nem os fenômenos psíquicos?

RESPOSTA: Não só os fenômenos psíquicos, qualquer coisa. Há vinte anos, a energia


atômica era oculta.

PERGUNTA: O que é o estado de êxtase?

RESPOSTA: O estado de êxtase é quando uma pessoa tem a experiência de forças divinas,
seres divinos, ou do próprio Deus. Não é muito fácil de acontecer. Mas quando as pessoas
trabalham com seriedade naquele caminho místico, chega a época em que isso também
necessariamente acontece.

PERGUNTA: As drogas podem induzir esse estado?

RESPOSTA: Não nesse sentido; seria um falso êxtase. Vocês têm alguns êxtases pequenos e
insignificantes neste seu mundo. Vocês podem chamar de êxtase uma boa refeição, um bom vinho,
o prazer que alguma coisa dá. É apenas uma questão de grau. O êxtase, naquele sentido, não pode
ser induzido por meios artificiais. Somente a pessoa que tenha tido essa experiência pode confirmar
a vocês a diferença, vasta, enorme, que existe entre o êxtase de sentir Deus e qualquer outra coisa na
terra ou no céu. Esse êxtase nada tem a ver com a imaginação ou o subconsciente, nem pode ser
Palestra do Guia Pathwork No. 18 (Palestra Não Editada)
Página 10 de 12

reproduzido por meios artificiais. Isso seria totalmente sem sentido, ilógico, contra qualquer lei do
universo. Vocês só conseguem ter substitutos fracos, muito fracos. O êxtase verdadeiro só pode
acontecer através do esforço pessoal, do desenvolvimento, da purificação. Quando o eu superior se
liberta das camadas do eu inferior, ele brilha a tal ponto que rivaliza com as forças divinas. Assim,
está qualitativamente preparado para o influxo das correntes divinas. Nesse momento o êxtase
verdadeiro pode acontecer, caso contrário não pode.

PERGUNTA: A prova do verdadeiro êxtase não é a melhoria constante e permanente da vida


da pessoa em questão?

RESPOSTA: Sem dúvida! Mas essa melhoria permanente, muitas vezes e na maior parte,
começa muito antes de se chegar ao êxtase. Qualquer pessoa que siga o caminho da purificação e da
perfeição, necessariamente chega, depois de um prazo comparativamente curto, curto mesmo pelos
padrões humanos, ao ponto em que essa melhoria é perceptível. A princípio isso acontece
simplesmente na mente dessa pessoa, e mais tarde também em todos os acontecimentos externos, e
de forma muito permanente e definitiva, apesar de alguns tropeços e testes ocasionais que são
inevitáveis no começo. Mas isso é insignificante. Em geral, existe essa melhoria muito constante,
permanente e verdadeira, que é perceptível muito antes do êxtase, e mesmo antes da exploração das
forças psíquicas, em muitos casos.

PERGUNTA: Gostaria de saber se as pessoas que foram para o Além continuam sentindo
amor por seus filhos ou parentes.

RESPOSTA: Não posso responder a essa pergunta com um “sim” ou “não”. É tão diferente,
depende muito da pessoa. Vocês não podem generalizar a esse respeito, como não podem
generalizar essa questão em relação a qualquer ser humano. Existem alguns espíritos que, durante
muito tempo – desde que, naturalmente, tenha havido amor em sua vida – continuam apegados à
seus parentes. Mas esse não é um estado necessariamente muito bom. Quanto mais avança o
desenvolvimento espiritual, mais o ser aprende a distanciar-se de seus parentes e de seus velhos
laços. Isso não significa que o amor termina, mas o crescimento espiritual significa que, cada vez
mais, o amor passa a abarcar todas as criaturas, não apenas as pessoas próximas e queridas que o
bebê espiritual aprendeu a amar primeiro. Quanto mais se adianta esse crescimento, mais esse amor
passa a abranger um número maior de seres. Amar mais pessoas do modo certo não diminui o amor
sentido em relação a alguns poucos. Há mais uma coisa a considerar. Quando vocês voltam ao
mundo espiritual, encontram primeiro todos os entes queridos desta vida. E de acordo com sua
própria vontade e desejo, vocês permanecem no estado em que se encontravam por ocasião da
chamada morte. Mas quando vocês começam a se desenvolver, encontram muitos outros espíritos.
E percebem que estiverem muito ligados a alguns deles em vidas anteriores, ou em vidas em
diferentes planos, não apenas no plano terrestre. Ali vocês vão reencontrar conhecidos, entes
amados, velhos amigos. Quando não houver mais necessidade de reencarnar, o amor que vocês
atualmente só conseguem dar a algumas pessoas, vocês sentirão por todas as criaturas. Assim,
algumas pessoas falecidas ainda se sentem muito ligadas aos velhos parentes da última vida. Outras
também sentem esse amor, mas não estão mais presas por ele. Elas se voltam para outras coisas,
para outras tarefas. E esse é um estado infinitamente melhor.
Palestra do Guia Pathwork No. 18 (Palestra Não Editada)
Página 11 de 12

PERGUNTA: Eu gostaria de saber se os espíritos do mundo espiritual continuam ligados a


seu país e a seu nome?

RESPOSTA: A mesma resposta que dei à última pergunta vale para esta.Depende muito do
indivíduo. Naturalmente, os espíritos ligados à terra, ou os espíritos que ainda não estão muito
desenvolvidos muitas vezes mantêm as ligações terrenas passadas, seja patriotismo fanático, orgulho
familiar, profissão, ou o que for. Não imaginem que, ao morrer, o estado de vocês será totalmente
diferente porque deixaram uma casca para trás. Toda a sua personalidade, seu modo de pensar, seus
sentimentos e opiniões, se forem muito arraigados, suas idiossincrasias e fixações, tudo isso não faz
parte do corpo; faz parte do corpo sutil, que continua vivo. E seja qual for a personalidade de vocês
agora, assim ela será depois da morte. Assim, quando uma pessoa morre com um sentimento muito
forte ou fanático de patriotismo, ela não sentirá de modo diferente após a morte. E, assim, poderá
ficar presa. Mas se a pessoa já tiver começado a se distanciar dessas coisas e a adquirir uma visão
mais ampla, ela conseguirá avançar muito melhor do ponto de vista espiritual, quando estiver no
além. Ela será guiada com mais facilidade, e viverá uma vida mais agradável. Quem morrer, por
exemplo, sentindo modo, continuará sentindo medo no além. Quem morrer serenamente será
sereno no além. O que vocês forem, na época da morte, vocês vão sentir, vão experimentar e vão
viver no além; e esse será o seu mundo, porque os seus pensamentos, suas opiniões, seus
sentimentos e suas atitudes criam esse mundo à sua volta. Eu poderia dizer que é um mundo
psicológico, o que não significa que seja um mundo de fantasia. É real. Para vocês, as idéias abstratas
não têm forma. No mundo espiritual, todas as idéias abstratas têm forma e substância. É assim que
cada pessoa constrói seu mundo através de sua personalidade.

PERGUNTA: Eu gostaria de saber se isso se aplicaria a uma pessoa que é um gênio, mas que
nasceu..., vamos dizer, por exemplo, o homem que inventou o Sputnik. Ou seja, por uma causa que
talvez não seja boa.

RESPOSTA: Aplica-se a qualquer pessoa, meu caro. Se um gênio inventa algo grande e usa
sua invenção para uma finalidade má, é uma história. Tudo isso será levado em consideração em
algum momento. Sua verdadeira e mais íntima motivação, será revelada, sem nenhum pretexto e
falsa justificativa. Ele será julgado de modo muito mais rigoroso e profundo do que vocês humanos
jamais poderiam fazer. Mas nosso assunto agora é o estado de ser após a morte. Isso se aplica a esse
caso também, é claro, se aplica a qualquer pessoa. Nesse caso, a pessoa poderia ter-se convencido de
que agiu com base em motivações diferentes das reais. Essa falsidade também criará uma forma.
Mas é impossível para os seres humanos determinar o que e quando e como uma pessoa será julgada
no além. Às vezes vocês podem ter uma vaga idéia, mas mesmo assim não têm como saber o que
entra em jogo nessas considerações. Vocês não conseguem olhar dentro da alma de uma pessoa.
Não conseguem saber qual é o desenvolvimento geral, as vidas passadas, os atuais obstáculos
internos e externos, os méritos, etc. Vocês só enxergam uma pequena parte. Todo o resto da história
da pessoa está oculto para vocês.

PERGUNTA: Uma pessoa ligada a seu país pode voltar àquele mesmo país?
Palestra do Guia Pathwork No. 18 (Palestra Não Editada)
Página 12 de 12

RESPOSTA: Você quer dizer como espírito ou numa próxima encarnação?

PERGUNTA: As duas coisas.

RESPOSTA: Depende. Como espírito, pode. Se for um espírito ligado à terra ou


desorganizado, por assim dizer, se não pertencer ao mundo divino, pode ter liberdade, até certo
ponto, de ir para onde quiser, e nesse caso sem dúvida escolheria o local ao qual está ligado. Em
outras palavras, o que for mais forte nele determinará seu destino no além. Se seu amor por Deus
for mais forte que qualquer outra coisa, ele pode, através desse amor, superar a ligação ao país. Mas
se esse amor pelo país for mais forte, isso decidirá seu destino. Mas em alguns casos, por alguns
motivos, pode não ser dada ao espírito essa liberdade de movimentação. Seria muito complicado
falar mais disso agora. Se um espírito voltar ao seu antigo país, o seu tempo de permanência lá
também dependerá de sua atitude. Sempre que ele mudar de atitude, pode passar a coisas melhores.
É diferente, naturalmente, se um espírito, pertencente à ordem das forças divinas, tiver uma tarefa a
cumprir com relação a um povo ou a um país. Mas se um espírito tiver essa ligação forte e for ao
país por conta própria, não será muito feliz. No que diz respeito à reencarnação, é muito improvável
que um espírito reencarne no mesmo país. Isso pode acontecer de vez em quando, se houver boas
razões. Mas exatamente num caso desses haveria mais razões para essa pessoa viver em outra parte –
talvez mesmo o país que ela mais odiava na última vida, pois o motivo do ciclo de reencarnações é o
desenvolvimento espiritual e a perfeição. E sempre que está faltando alguma coisa, é preciso haver
uma harmonização através de experiências variadas.

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por escrito da Fundação. A
Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida, de acordo com a Política
de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem
ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork Foundation tenham concordado
em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de transformação pessoal reconhecidos
pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® Foundation
PO Box 6010, Charlottesville, VA 22906-6010, USA - Visite: www.pathwork.org
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Rua Roquete Pinto, 401 - 05515-010 São Paulo, SP - Tel: (11) 3721-0231- pathworksp@pathwork.com.br - www.pathworksp.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter). ACM 2501, Ed. Prof. Center sala 412, Candeal - 40288-900 Salvador - Telefax (71) 3353-7091 - pathworkbahia@yahoo.com.br –
www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília - Goiás (Chapter)
S.T.N. Centro Clínico Life Center, sala 113 - 70630-000 Brasília, DF - Tel: (61) 3340-5253 - eloisaprata@brturbo.com.br
Pathwork® Ceará (Chapter)
Rua Joaquim Ferreira, 911 - 60832790 Fortaleza - Tel.(85)34768142 cel- (85)88730027– karinebb@uol.com.br
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Rua Santa Catarina 1630 - Pilotis e sala 102 Bairro de Lourdes - 30170-081 Belo Horizonte, MG - Tel: (31) 3335-8457 - rnlac@terra.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Rua Josias Lopes Braga, 497, Bairro Bancários - 58000-000 João Pessoa, PA - Tel: 083 3235-5188 / 9967-8303 / 3224-2362 - claubetenobrega@terra.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro Espírito Santo(Chapter)
Rua Duque Estrada, 57/102 Gávea - 22451-090 Rio de Janeiro, RJ - Tel: (21) 2529-2322 / 82244333 - Fax: (21) 2113-0941 - gmdell@globo.com -
www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Av. Iguaçu, 485, cj. 401 - 09047-430 Porto Alegre, RS - Tel: (51) 3331-8293- renatemullercaminha@terra.com.br. www.pathworksul.com.br
Palestra do Guia Pathwork No. 19
Palestra Não Editada
20 de dezembro de 1957

JESUS CRISTO

Saudações em nome de Deus e Jesus Cristo. Abençoados sejam vocês, meus amigos,
abençoada seja esta hora. Meus queridos amigos, venho falando para a maioria de vocês já há alguns
meses, e ainda não mencionei Jesus Cristo, quem é Ele, o que Ele fez. Esta época do ano, quando
vocês celebram o nascimento de Cristo, creio que é o momento apropriado para escolher esse tema.

Não é apenas na esfera terrena, mas também nos mundos espirituais que a luz de Cristo está
se espalhando. Vocês poderiam dizer “bem, mas no mundo espiritual não existe tempo”, e têm
razão. No entanto, por mais difícil que seja explicar a vocês sobre esse período, todos os anos,
depois de um intervalo de tempo regular, vamos dizer, estendendo-se para muito além da terra, a
luz de Cristo surge com força renovada, rememorando o maior feito que já foi realizado. Essa luz é
tão forte e tão penetrante e tão gloriosa que vocês não podem absolutamente imaginar. Existe tanto
contentamento, tanto regozijo, tanta felicidade e tanta sabedoria vinda dessa luz! Porque a sabedoria
e a luz são uma só coisa. Vocês dizem, na linguagem humana: iluminação! No mundo espiritual, luz
e conhecimento, luz e amor são coisas idênticas. E essa luz, nessa época, penetra ainda mais longe
nas mais profundas esferas das sombras, nos mundos da escuridão. Pode haver apenas um lampejo,
apenas um reflexo, apenas um clarão fraco de luz. No entanto, existe um influxo, e nessa época,
quando os seres que vivem no mundo da escuridão vêem essa luz, a reação deles é diferente.
Aqueles que já estão prontos para avançar espiritualmente acolhem com alegria essa luz, dispostos a
segui-la. Outros, que ainda não avançaram tanto, encolhem-se à sua vista sentindo extrema dor,
porque é muito doloroso para eles, é uma dor insuportável. E, portanto, o ser humano que
conseguiu trazer para fora a luz interior – porque é a mesma luz – ficará protegido contra as
criaturas do mundo da escuridão.

Pois bem, quem é Cristo? Algumas religiões cristãs dizem que Ele é Deus. Não é assim, Ele
mesmo disse, e vocês podem encontrar isso nas Escrituras Sagradas, que ele não é Deus. Ele não é o
Pai, o Criador. Alguns dizem que Jesus era um sábio, como muitos outros que a história registrou,
um sábio, um grande mestre com grande sabedoria, mas não mais que alguns outros que viveram em
outras épocas em outros países. Isso também está errado. Estou dizendo a vocês a verdade, meus
amigos, quer vocês queiram acreditar agora ou não. Jesus, o homem, era a encarnação do Cristo. E
esse espírito é o mais elevado, o mais exaltado de todos os seres criados. Ele é a primeira criação
direta nascida de Deus. Sua substância é a mesma de Deus. Todos vocês têm algo dessa substância, a
que eu dou o nome de eu superior ou chama divina, que precisa ser revelada gradualmente, através
do desenvolvimento espiritual. Mas nenhuma outra criatura tem essa substância no mesmo grau que
Cristo. E essa é a diferença.

Vejo muitas e muitas vezes que os seres humanos pensam ou sentem: “Por que Ele? Se ele é o
Filho de Deus, nós também somos. Por que Ele deveria ser melhor? Ou mais exaltado ou superior?

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 19 ( Palestra Não Editada )
Página 2 de 10

Por que? Isso não é justo." Pensamentos e sentimentos como esses muitas vezes se ocultam na alma
do homem, mesmo quando ele não ousa torná-los conscientes. Nesse mesmo pensamento reside o
germe da queda dos anjos. Esse mesmo pensamento, essa mesma atitude começou há muito tempo,
antes de a terra material existir e dar origem à existência da desarmonia e do mal. Sem dúvida,
ninguém que tenha pensado assim percebeu, na ocasião, o perigo dessa atitude, ou percebeu o que
ela continha, não percebeu que nessa atitude de ciúme, por assim dizer, na realidade existe falta de fé
em Deus, em sua capacidade de amar. Mesmo que Deus tenha criado seu Filho como o mais
elevado de todos os seres e dado o máximo de Sua substância a Ele, se vocês tiverem a confiança e a
fé que o Criador merece, não vão achar que isso é injusto ou que falta alguma coisa em vocês. Oh,
hoje em dia as pessoas não vão tão longe com esses pensamentos, mas aquele leve sentimento de
resistência contra Cristo em muitas pessoas representa o germe da queda, o germe do mal. Foi assim
que tudo começou.

Como Jesus Cristo salvou a humanidade? De que forma o feito Dele foi o maior? Qual era o
objetivo de Sua vida na Terra, de Sua única encarnação? O objetivo de Sua vida não era apenas
espalhar Seus ensinamentos. Por mais verdadeiros e belos que sejam esses ensinamentos, eles
também podem ser encontrados em outras fontes – talvez em outra forma, mas mesmo assim iguais.
Portanto, sem dúvida esse não foi o único objetivo. O segundo objetivo de Sua vida, e ainda não o
principal e mais importante, foi que através de Sua vida e morte Ele mostrou simbolicamente qual
deve ser o curso do desenvolvimento, ou as etapas do desenvolvimento, para o homem, para todo
aquele que quiser reconquistar o reino dos céus. Provas, provações, permanecer fiel a Deus em
tempos de adversidade, a crucificação do ego, do ego pessoal com toda a sua vaidade e voluntarismo
– isso foi simbolizado pelo corpo de Jesus, e a ressurreição do Seu espírito significa a vida eterna de
contentamento e felicidade do ser espiritual de cada pessoa, depois que o ego foi crucificado. Isso
não pode acontecer senão pela dor. Mas mesmo essa parte de Sua tarefa não é, como eu disse, a
principal e mais importante. As duas tarefas aqui mencionadas podem ser consideradas linhas
paralelas, ou propósitos que acompanham o objetivo principal que Ele precisava atingir. Em outra
ocasião, vou falar com mais detalhes como a principal tarefa Dele significou a salvação, pois Ele era
o Messias! Mas por enquanto só vou dizer isso. Se Ele tivesse falhado, outro espírito teria tentado,
pois absolutamente não havia certeza, antes, que Ele cumpriria a tarefa, mas Ele era a escolha
natural, a conclusão lógica, por assim dizer. Alguém precisava vir a terra e passar por todo esse
sofrimento completamente sozinho, em alguns momentos sem qualquer proteção divina, e resistir
ao mal, a toda tentação, por seu Próprio livre arbítrio. Pois somente assim as leis espirituais
poderiam continuar intactas, para que, com justiça, mesmo contra as próprias forças do mal, cada
pessoa pudesse reencontrar o caminho para Deus. Deus é o poder, e com esse poder Ele certamente
poderia ter feito qualquer coisa, inclusive violar Suas próprias leis. Mas isso teria significado que um
grande número de criaturas que ainda não estavam prontas para encontrar o caminho, no momento
em que essa decisão fosse tomada por Deus, teriam ficado permanentemente separadas de Deus e
da vida eterna de contentamento. Isso poderia incluir qualquer um de vocês. Foi apenas através de
um vasto e complexo plano de salvação que todos, até a última das criaturas caídas, pode em algum
momento reencontrar o caminho para Deus. Isso é difícil para vocês entenderam agora com as
palavras que estou proferindo, mas prometo que no futuro entrarei em mais detalhes sobre tudo
isso. Mas isso deve ser suficiente por enquanto para dar a vocês uma idéia da extrema gravidade e
seriedade da tarefa. Pois apenas dessa maneira ninguém jamais poderá dizer que Deus não é justo,
nem o maior. Ninguém poderá dizer que Deus usou esse poder para violar Seu dom de livre arbítrio
a todas as pessoas. E isso só poderia ter acontecido através do cumprimento dessa tarefa, pois assim
Palestra do Guia Pathwork No. 19 ( Palestra Não Editada )
Página 3 de 10

o livre arbítrio não é quebrado, nenhum poder é usado indevidamente. E Jesus Cristo provou isso
do modo mais absoluto.

Alguém poderia perguntar: “nós podemos encontrar e alcançar Deus; podemos atingir a
perfeição apenas através de Jesus Cristo?” A resposta é sim e não, meus amigos. É um desses casos
aparentemente paradoxais em que as duas respostas estão corretas. Vou procurar explicar o que
quero dizer. Vocês podem atingir uma etapa de desenvolvimento através de qualquer uma das
grandes religiões, também das religiões não cristãs, e conhecer a verdade absoluta. Nenhum espírito
do mundo de Deus jamais dirá a vocês para abandonarem sua igreja, seu templo, sua fé. Pois se
vocês encontraram aquilo de que precisam em termos de felicidade, de alimento espiritual na fé que
adotaram, continuem com ela. Como eu já disse, todas as grandes religiões contêm uma dose
suficiente de verdade básica, suficiente para aquilo que precisam para seu desenvolvimento espiritual.
Cabe a vocês, descobrir quais dessas verdades vocês precisam para o seu desenvolvimento pessoal, e
colocá-las em prática. Quando falo de satisfação da fé, não quero dizer que ela satisfaça a
consciência superficial. Isso não é suficiente. Ela precisa satisfazer o espírito, o seu Eu superior, e
esse eu superior é muito exigente. Mas se vocês seguirem os ensinamentos da sua religião, pelos
quais vocês aprendem e fazem a única coisa que realmente importa, o auto conhecimento e a auto-
purificação, a honestidade absoluta consigo mesmo – sem isso, a purificação é impossível – a religião
à qual vocês pertencem ou que escolheram vai lhes dar satisfação espiritual. Essa purificação, essa
crucificação do eu inferior é a única coisa que importa, é o mais importante de tudo, e onde vocês
encontram a ajuda necessária, a orientação e a inspiração de que precisam para chegar a esse ponto
não importa tanto, mesmo que a filiação religiosa de vocês, por diversas razões, não reconheça
Cristo. Através da auto purificação somente, vocês elevarão a consciência a um ponto em que
estarão abertos para a verdade em todos os seus aspectos, no tocante ao papel que Cristo
desempenhou na história da criação, ou aliás, de qualquer coisa. Portanto, a esse respeito, a resposta
para a pergunta se vocês precisam reconhecer Jesus Cristo nesse momento e só podem atingir Deus
através dele é não. A percepção da verdade absoluta com respeito a essa pergunta, em outras
palavras, só pode ocorrer através de um processo de autopurificação - que infelizmente poucas
pessoas fazem - quer o reconhecimento de alguns fatores aconteça ainda durante esta vida, ou
depois dela. Qualquer pessoa que passe por esse processo de autopurificação, por mais difícil que
seja, preparará o terreno para poder receber e vivenciar a verdade absoluta em todas as suas facetas,
quer parte disso ainda ocorra durante a encarnação atual ou, devido a certas circunstâncias,
posteriormente. Mas o terreno precisa ser preparado, e isso significa perfeição através da purificação.
Enquanto existir, por exemplo, uma certa teimosia na alma - com respeito a qualquer coisa, não
apenas esse assunto --, a verdade absoluta, ou experiências ou percepção da verdade absoluta, é
impossível. Pois essa teimosia e voluntarismo são exatamente o que dificulta a elevação da
consciência, pois essa imperfeição é um empecilho. Digo muito enfaticamente que apenas aquele
que crucifica seu eu inferior está pronto para a verdade pura, com respeito a qualquer coisa da
criação e do divino. E o fato de Cristo ser o Messias, de Cristo ser o mais exaltado de todas as
criaturas, é uma parte muito importante da grande verdade e da história da criação ou dos fatos
como realmente são! Isso, quer vocês já tenham ou não a capacidade e a disposição para reconhecê-
los.

Mas isso não significa, meu amigo, que você deva orar para Cristo, não. Somente Deus, o
Criador, deve ser o destinatário das preces. O que Deus espera de vocês e o que faz parte da
perfeição e do desenvolvimento, pelo menos até um certo ponto, é a gratidão à pessoa sem cujo
feito ninguém poderia voltar à luz divina, e sem cujo feito a corrente de retorno a Deus ficaria
Palestra do Guia Pathwork No. 19 ( Palestra Não Editada )
Página 4 de 10

quebrada para todas as criaturas que não estavam prontas no momento em que essa decisão fosse
tomada por Deus. Em algum momento, chegará a hora, mesmo que alguns de vocês ainda não
estejam prontos, mesmo se ainda houver outras coisas a realizar que, como eu disse, podem ser
feitas em qualquer religião, ou aliás, fora de qualquer religião organizada, em que essa gratidão pelo
maior feito, sem o qual vocês todos estariam perdidos, invadirá vocês e será dada Àquele a quem é
devida. E essa é a vontade de Deus. Vocês não deveriam menosprezar Cristo tão apressadamente.
Deveriam pensar em tudo isso, mesmo que não reconheçam “oficialmente” a religião cristã. Assim
como todas as religiões contêm verdade suficiente para permitir a purificação, da mesma forma
todas têm erros. Dessa forma, é importante só seguirem o que o seu espírito exigir, os anseios do eu
superior. O resto virá sozinho. Mas isso não altera o fato de que vocês devem abrir o coração, e não
colocar completamente de lado a pessoa a quem vocês mais devem, depois de Deus. Espero que
tenham me entendido. Espero que não interpretem essas palavras de outro modo senão exatamente
o que disse.

Não é preciso haver uma divisão entre judaísmo e cristianismo. Essa nunca foi a intenção de
Deus e do mundo espiritual. Se isso aconteceu, o erro foi do homem. Vocês inventaram esses
nomes e rótulos e dão a eles um sentido especial. Para nós, judaísmo e cristianismo, e isso e aquilo,
não significam nada. Quando Cristo nasceu como Jesus naquela época específica, entre pessoas
específicas, havia boas razões para que fosse assim, e a intenção era que uma só e a mesma verdade
de expandisse, crescesse, e que nunca houvesse essa divisão. A divisão é o caos; a divisão é a
natureza da queda dos anjos, ou o resultado da queda, com todas as suas tormentas e ódio. A divisão
é a separação de Deus, e essa tragédia inicial, que ocorreu muito antes de a terra existir, está-se
repetindo muitas vezes ao longo do tempo, mas um dia essa doença será curada para sempre. A
união com Deus, a meta e o objetivo, é o contrário de divisão e separação. E se essa divisão entre
judaísmo e cristianismo ocorreu após a vida de Jesus, foi por culpa do homem, nasceu da mesma
raiz ruim da divisão inicial. Deveria haver unidade entre judaísmo e cristianismo, não importa como
vocês chamem, completude, integração. Portanto, como Cristo representa uma parte tão importante
do retorno de vocês a Deus e, assim, merece a sua gratidão pessoal, algum contato com Ele – pois
Ele é de fato o melhor amigo que vocês poderiam ter, seu mais forte ajudante – vocês não
conseguirão atingir Deus sem Ele, no cômputo final. A esse respeito, a resposta à questão, se vocês
só podem alcançar Deus através dele, é sim. A constante negação desses fatos implicaria uma
teimosia no coração de vocês que é um sintoma de imperfeição e enquanto alguma imperfeição
estiver viva em vocês, não será possível a união com Deus.

E agora, meus amigos, quero dizer a cada um de vocês, realmente, não importa a que religião
pertençam, abram o coração, a mente. Tenham a mente aberta! Não deixem a fé a que estão
acostumados, como eu disse. Isso não é necessário, a menos que tenham vontade. Mas considerem a
possibilidade de o que eu disse a vocês ser verdade, mesmo que vocês não acreditem que é um
espírito que lhes fala, um espírito do mundo espiritual que tem o conhecimento de que esses são
fatos e não simples opiniões, como vocês na terra têm sobre esses assuntos. Mesmo que tenham
essas dúvidas – e provavelmente a maioria de vocês aqui ainda tem algumas dessas dúvidas –
pensem que pode ser assim afinal de contas, e que aquilo que seus pais ou antepassados ou as
pessoas em quem vocês confiam e que influenciaram a sua vida disseram, pode não ser inteiramente
correto. Sem dúvida eles possuem algumas verdades, pois a verdade existe em toda parte, mas não
existe um só grupo na humanidade que possua toda a verdade. E vocês, como pessoas que buscam a
espiritualidade, abram as portas para a verdade, não importa de que lado ela venha. Não mantenham
suas opiniões por teimosia. Não acreditem que isso significa “ceder” ou que possa indicar uma “falta
Palestra do Guia Pathwork No. 19 ( Palestra Não Editada )
Página 5 de 10

de caráter”, meus amigos. Como essa noção é imatura! Não se trata absolutamente disso! A questão
é sempre essa: o que é verdadeiro? Deus é a verdade, bem como a sabedoria e o amor. Se vocês
negarem a verdade em nome de alguma noção tola, teimosa e infantil, negam Deus, pelo menos em
um aspecto da sua personalidade. E essa é a única questão que conta. Nada mais conta, e só pode ser
parte do eu inferior do homem, mesmo se estiver revestido de motivos e capas aparentemente bem
fundamentados.

E agora, meus amigos, quero trazer mensagens a alguns de vocês. Isso é um pouco diferente.
No entanto, não vou apontar ou nomear as pessoas a quem as mensagens são dirigidas, e tenho boas
razões para isso. Mas se ouvirem com cuidado, também com a alma, aquele a quem a mensagem se
dirigir saberá “isto tem a ver comigo”. Talvez algumas partes dessa mensagem pareçam um pouco
confusas a princípio, mas se olharem bem para seu íntimo – e devem fazê-lo, porque é disso que
podem precisar! – vocês descobrirão, depois de algum tempo, que a mensagem faz sentido.

Quero dizer a um amigo aqui, você está ferido, profundamente ferido. Você está ferido e
realmente triste. Felizmente, não existe amargura em você. Você foi injustiçado, e isso o magoa
profundamente. Mas vou lhe dizer, sustente, eleve sua alma até a mágoa, pois uma mágoa aceita sem
amargura, sem ressentimento, é um maravilhoso remédio para a alma. Jamais vai prejudicar a sua
alma se você a reconhecer e não permitir que a amargura se insinue. Isto o fará mais forte, e quando
a escuridão desaparecer novamente, haverá uma nova alegria em seu coração. O sol vai brilhar
novamente para você também! Não pense que Deus o abandonou, não pense que está sozinho.
Esse é um túnel pelo qual você precisa passar, meu amigo. Essas palavras darão a você um pouco de
luz para ajudá-lo a levar a carga. Acho que me fiz entender.

Minhas palavras agora são para outro amigo, que também está ferido. Mas com você a mágoa
é diferente. Você vai sentir um certo peso em relação a essa mágoa. Se continuar procurando saber o
que é esse peso e for totalmente honesto consigo mesmo, você vai descobrir que está ressentido. E
vai ver que se aprofundar um pouco mais, existe uma causa dentro de você. Claro, sempre existe
uma causa, também no primeiro caso que mencionei. Mas no segundo caso, a causa é mais fácil de
encontrar, muito mais fácil, se você estiver disposto a se enxergar sem rodeios, meu caro. E esse é o
único meio de sair disso como uma pessoa mais forte e melhor. Enquanto você não souber qual é a
causa interior, você vai passar por episódios semelhantes, talvez em outra forma, muitas e muitas
vezes. Para você, não é o único meio de lidar com o problema. Encontre a resposta em seu íntimo.
Se for realmente esse o seu desejo, você receberá ajuda, se não conseguir sozinho.

Para outra amiga quero dizer que existe um espírito aqui que está saudando sua mulher. Há
muito que ele é esperado, isto é, há muito que se espera um sinal dele. E ele traz a seguinte
mensagem para a sua mulher. Ele está feliz no mundo espiritual. Está trabalhando, estudando muito,
mas está feliz. Está aprendendo muito. Ele não teve muita dificuldade em se adaptar aqui, porque
sempre foi aberto para a verdade espiritual. Mesmo assim, há muitas coisas a aprender, muita coisa
para se adaptar, para reconhecer em si mesmo e, portanto, também com relação a sua última vida.
Coisas que não pareciam importantes para ele ou para você na ocasião, assumiram agora um
significado diferente, e por outro lado coisas que eram importante não são tão importantes em si
mesmas, desse seu novo ângulo de visão. E ele pede três coisas à sua mulher. Primeiramente, ele
pede perdão por todas as pequenas e inevitáveis mágoas de toda uma vida. Eu sei, você vai dizer que
já perdoou, que já nem pensa mais nisso agora. Mas essas “pequenas coisas”, sendo sintomas de
alguma coisa mais importante na alma de um ser, assumiram uma certa importância para ele agora.
Palestra do Guia Pathwork No. 19 ( Palestra Não Editada )
Página 6 de 10

Portanto, ele está muito preocupado com as coisas que você talvez você tenha perdoado
superficialmente, mas que podem ter deixado vestígios no subconsciente. A segunda coisa que ele
pede, por outro lado, é que de vez em quando você pode achar outra vez que “poderia ter feito isso
ou deixado de fazer aquilo”. E isso também é mau. Todas essas torturas que você se inflige, achando
que poderia ter feito dele um homem mais feliz em um outro aspecto, precisam parar, não apenas na
consciência superficial, mas bem lá no fundo. Isso agora já acontece mais raramente, mas ainda há
ocasiões em que você pensa nele e tem esses pensamentos ou sentimentos. A terceira coisa que ele
pede é que você tire a venda dos olhos. Tanta coisa ficaria mais fácil para você. Tire a venda. Ele
pede isso muito enfaticamente.

Outra mensagem para outro amigo é que você vem procurando há muito tempo. Você
experimentou vários caminhos, meu amigo. Você descobriu muitas coisas, aprendeu muitas coisas.
Apesar disso, ainda não existe paz verdadeira no seu coração. Mas você também realizou algumas
coisas no seu desenvolvimento, e é por isso que Deus está ajudando você a prosseguir, mostrando
mais um caminho. Não recuse a mão que é estendida a você. Pois é somente assim que você poderá
sair e realmente entrar na luz e afastar toda a escuridão que ainda o envolve, quer você admita, quer
não. Esse é o único caminho, meu caro amigo! O único meio é passar pelo reconhecimento do eu e
a crucificação do eu inferior. Esse é o único caminho e você não pode percorrê-lo totalmente
sozinho. Ninguém é tão forte assim. Não perca a oportunidade nesta encarnação! Não perca a
oportunidade, amigo! Você tem todos os trunfos na mão, se posso falar assim. Você já conseguiu
tanta coisa. Não deixe que um dia você venha a dizer “por que, por que não agi daquele modo?”
Não existe nem a metade da dificuldade nem do sofrimento que você imagina. Entregue-se à
experiência. Por favor! Essa é uma conclamação urgente.

Tenho outra mensagem para um amigo querido que está com o coração cheio de alegria. Não
se decepcione se as coisas não caminharem exatamente do modo que você deseja. Até mesmo isso
faz parte do aprendizado, até isso é necessário. Existe um nó oculto no que está acontecendo. Se
você pensar bem, saberá por que. Mas tudo está bem com você.

E para todos os outros amigos aqui presentes, aos quais não trouxe nenhuma mensagem
especial, mensagens pessoais pelas quais fossem tocados, digo que existe um ente querido do mundo
espiritual perto de vocês nesse exato momento. Existem muitos espíritos aqui esta noite, que
normalmente não vêm a este círculo. Eles foram trazidos para cá por seus guias ou professores ou
guardiões para aprender e trazer amor a seus entes queridos. Portanto, cada um de vocês sentirá
quem é, se tornarem-se quietos interiormente e deixarem o sentimento fluir. Assim vocês saberão
quem é. Existe também um pai aqui que deseja ser mencionado, e ele quer dizer a seu filho que está
infinitamente melhor. Já não está escuro. E ele agradece ao filho. Muitas criaturas estão aqui nesta
sala, não apenas esses entes queridos que mencionei, amigos ou parentes de vocês, mas também
anjos de Deus que estão abençoando esta noite, para que cada um de vocês possa ir para casa com
uma dádiva do mundo espiritual, uma dádiva espiritual que deve crescer na alma de vocês. Mas
vocês precisam cuidar dela, alimentá-la, para que ela se transforme em uma coisa forte e bonita que
lhes mostrará um novo rumo e constituirá um apoio na sua vida, um apoio que faz falta a tanto
tempo.
Palestra do Guia Pathwork No. 19 ( Palestra Não Editada )
Página 7 de 10

Agora vou responder às perguntas, meus queridos.

PERGUNTA: A pergunta que eu pretendia fazer já foi respondida na palestra. Em vez disso
vou perguntar o seguinte. Metade do mundo, talvez até mais que a metade, não é cristã. Algum dia
eles vão aceitar Cristo?

RESPOSTA: Bem, na realidade eu já respondi isso na palestra. Veja, eu disse que todo ser
pode encontrar a perfeição, a perfeição pessoal, através de qualquer religião. Naturalmente, há
pessoas que mantêm uma religião, ou porque ela satisfaz a consciência superficial e, assim, dá a
sensação do dever cumprido, mas na realidade são pessoas espiritualmente acomodadas, ou porque
elas não pensam com nenhuma independência, não passam de ovelhas de um rebanho. Não vou
discutir essas pessoas agora; elas podem ser encontradas em qualquer fé, cristã ou não. Mas se uma
pessoa deseja seriamente a verdade e o desenvolvimento, mas não dá vazão inteiramente ao eu
superior, deixando o eu inferior influenciar os esforços do eu superior, ela pode fazer as coisas pela
metade. Ou seja, de certa forma ela é espiritualmente ativa, por exemplo, ao seguir determinadas
normas de sua fé, ao meditar sobre belas coisas abstratas, o que faz com que ela se eleve um pouco.
Mas ela não faz a coisa mais importante necessária para o verdadeiro crescimento espiritual, que é a
purificação! Não importa qual seja a fé, se a pessoa não faz isso, esse trabalho fica para uma
encarnação futura. No entanto, a pessoa que faz isso, independentemente de sua fé, acaba atingindo
um estado de consciência no qual finalmente se abre para a verdade em todos os aspectos. Se uma
pessoa morre como budista, por exemplo, e teve pouca ou nenhuma oportunidade de ouvir falar da
verdade de Cristo, mas se essa pessoa não tiver fugido de si mesma, tiver passado por esse processo
de arrancar todas as máscaras e revelar todas as falsas motivações, ela estará aberta, no mundo
espiritual, para tudo que faz parte da grande verdade, seja ou não uma confirmação de suas crenças
anteriores. Mas, alguém que segue o caminho com frieza, e a imperfeição permanece, vamos dizer
na forma de teimosa, essa pessoa entrará no mundo espiritual e continuará em uma esfera na qual
precisa aprender sob que aspecto ainda é imperfeita, seja qual for a sua falha. E qualquer falha está
em relação direta com a verdade absoluta, relativa a isso ou a outras coisas. E enquanto esse ser,
mesmo que isso leve uma ou cem encarnações, com os estados de purificação intermediários no
mundo espiritual, enquanto não se atingir essa perfeição da alma, a verdade, em relação direta com a
falta de perfeição, ficará oculta. Mas quando essa perfeição é atingida, todas as barreiras caem. A
questão não é que vocês precisam aceitar isso ou aquilo para atingir o reino dos céus. Essa é uma
idéia muito infantil e primitiva. A questão é essa. Se vocês não conseguirem se abrir para o que ela é,
existe necessariamente algo em seu íntimo que ainda é imperfeito. E essa imperfeição precisa ser
superada. Está claro?

PERGUNTA: A falta de imaginação é considerada uma falta de caráter no mundo espiritual, e


o que pode ser feito para procurar superá-la?

RESPOSTA: Depende muito do modo como essa falta de imaginação se manifesta. Do ponto
de vista espiritual a perfeição, naturalmente, inclui também a imaginação. Vocês também podem
treinar a imaginação, como podem treinar qualquer coisa. Se você estiver de fato empenhado em se
colocar no lugar dos outros e meditar sobre isso, pedindo a Deus o esclarecimento e a compreensão
total que lhe for possível, e se continuar fazendo isso constantemente, a sua imaginação em relação
aos outros aumentará. Mas se, se trata apenas de imaginação artística, nem todos precisam tê-la.
Cada pessoa tem uma tarefa diferente, talentos diferentes. Mas um certo tipo de imaginação com
Palestra do Guia Pathwork No. 19 ( Palestra Não Editada )
Página 8 de 10

relação a seus semelhantes é um subproduto necessário da perfeição e do desenvolvimento.


Portanto, deve ser treinada.

PERGUNTA: Existe algum meio de captar a quarta e a quinta dimensão? Estou falando para
nós, pessoas comuns.

RESPOSTA: Sem dúvida existe um meio, caro amigo, mas nunca através de palavras. As
palavras jamais podem transmitir isso, é somente através do desenvolvimento, do desenvolvimento
pessoal a que me refiro sempre. Se você elevar seu nível de consciência até esse ponto, você sentirá e
captará, e como acontece com toda a verdade espiritual, a verdade divina, você sentirá, você
perceberá, mas não terá meio de expressar a outras pessoas. É somente assim que isso pode ser
captado.

PERGUNTA: Eu quero fazer uma pergunta sobre aquela divisão. Entendo que ela aconteceu
por causa do livre arbítrio do homem...

RESPOSTA: Não, livre arbítrio do espírito, meu caro, muito antes de o homem existir.

PERGUNTA: Mas por que Deus onipotente permitiu que a divisão desse origem a tanto
sofrimento até o dia de hoje, incluindo o próprio Jesus Cristo ?

RESPOSTA: Se Deus não tivesse permitido, não haveria livre arbítrio. Uma criatura espiritual
jamais pode ser divina e unir-se a Deus se não for uma criatura livre. Vale a pena passar pelo
sofrimento desde que o sofrimento tenha se originado do livre arbítrio do espírito individual; vale a
pena passar por ele para unir-se a Deus. Mas como uma medida forçada, uma criatura não livre
jamais poderia unir-se a Deus.

PERGUNTA: Foi dito que “pelos frutos os conhecerás”, mas como podemos saber quem
está no caminho espiritual?

RESPOSTA: Isso, meu querido, diz respeito a uma questão muito pessoal sua. Acho que
vamos discutir o assunto em nossa sessão privada, mais a fundo, de maneira mais pessoal. Agora
vou dizer apenas isso. Trata-se principalmente de intuição. Eu poderia dar a você muitas respostas
que seriam pistas, mas isso não resolveria o seu problema, porque você tem dúvida sobre o que
poderia ser falso ou mentira, e é exatamente disso que você tem medo. Uma pessoa talvez diga
todas as coisas que você sabe que são condições para o caminho, mas esse conhecimento pode ser
meramente intelectual. Outra pessoa talvez seja modesta e não diga nada, mas pode estar no
caminho com muito mais sinceridade que a primeira. A verdade só pode ser percebida pelo amor,
sinceridade, autenticidade, harmonia, profunda alegria de viver que emana de uma pessoa e,
naturalmente, alguma sabedoria – não inteligência, mas sabedoria e modéstia. Tudo isso você precisa
julgar com o coração, tanto quanto com o cérebro. Mas enquanto você tiver medo, o coração não
pode julgar. Portanto, essa pergunta se responderá por si mesma no futuro.

PERGUNTA: Você disse que o espírito de Cristo foi criado como o mais elevado. Devo
entender que foi uma exceção e que Ele já foi criado assim e não precisou passar por
desenvolvimento e encarnações?
Palestra do Guia Pathwork No. 19 ( Palestra Não Editada )
Página 9 de 10

RESPOSTA: Nunca. Não, mas a esse respeito Cristo não é o único. Há muitos outros seres
no mundo espiritual que não passaram pelo ciclo de encarnação. Alguns deles nunca se encarnaram;
alguns vieram espontaneamente uma vez, para cumprir uma determinada missão. Nem todos os
seres que existem precisam passar pela vida na Terra. Somente aqueles que fizeram parte da
chamada queda dos anjos. Cristo, sem dúvida, não foi um deles. Cristo, como eu disse, foi a
primeira criação de Deus, a mais direta. A única diferença entre Deus e Cristo é que Deus é o
Criador e Cristo é a criação. Fora isso, Deus e Cristo são um só em substância, amor e sabedoria.

PERGUNTA: Cristo guardou na memória, como ser humano, o que Ele precisou fazer e
quem Ele era? Ele tem idéia de tudo isso?

RESPOSTA: Ele teve alguns flashes mais tarde, mas não de tudo. Se tudo estivesse totalmente
claro para Ele, Sua tarefa não teria sido tão difícil e tão enormemente admirável. Mas parte Ele
precisava saber, e ficou sabendo aos poucos.

PERGUNTA: Como se pode conciliar as palavras de Jesus ao dizer “Meu Deus, por que me
abandonaste?"

RESPOSTA: Essa é a prova de que Jesus não conhecia toda a tarefa, com todas as suas
implicações como homem. Ele tinha que passar por essa escuridão, por essas terríveis provações
sem saber tudo, por mais que Ele conhecesse outros aspectos. Essas palavras também provam que
Jesus Cristo não era Deus, como alguns alegam. E mais, é a prova de que Jesus, como homem, não
estava totalmente ciente do que precisava atravessar, por quê, e qual a finalidade exata de tudo
aquilo. Exatamente nessa incerteza reside a dificuldade de suas provações e aflições, e isso fazia
parte do plano, da tarefa. Seus sofrimentos foram tão intensos porque Seu intelecto não conhecia
todos os fatos. Se Ele conhecesse o quadro todo de antemão, tudo teria sido mais fácil e o
elemento de livre arbítrio não teria sido tão forte. Ele precisava provar que Sua confiança em Deus
era completa, por mais difícil que fosse. Com isso, Ele não apenas deu um exemplo aos outros, mas
também esse era, como eu disse, o elemento mais importante da tarefa que Ele cumpriu, ou seja, a
salvação.

PERGUNTA: Sei que você não pode responder agora, mas você nunca falou sobre a queda
dos anjos aqui em nosso grupo, e é uma questão que muita gente não sabe.

RESPOSTA: Eu disse que vou falar em outra ocasião, não sei quando. Há um motivo muito
bom para eu não ter escolhido esse assunto logo no início, mas prometo que vou falar sobre ele.

Com essas palavras, meus amigos, deixo vocês esta noite. Como eu disse, existe um presente,
um presente espiritual para cada um de vocês que aqui estão. Mas vocês precisam se dar ao trabalho
de desembrulhá-lo, por assim dizer. Isso dá um pouco de trabalho. Mas se o fizerem, serão
ricamente recompensados, e o pequeno trabalho é a chave que permite a vocês fazerem amplo uso
desse presente. Vocês vão ver que Deus dá com muito mais generosidade do que jamais poderiam
imaginar – e não apenas para os amigos aqui presentes, mas para todos que não puderam
comparecer hoje e que lerão minhas palavras, e para meus queridos amigos de além-mar que são
fiéis combatentes do caminho da perfeição. Eles também estão incluídos.
Palestra do Guia Pathwork No. 19 ( Palestra Não Editada )
Página 10 de 10

Assim, meus queridos, procurem nesses dias, em honra ao Salvador, pensar que ele salvou
vocês pessoalmente, que sem Ele vocês não poderiam atravessar a escuridão que ainda os separa do
objetivo. Procurem cultivar um pouco de gratidão pessoal, pois Ele merece. Vão em paz, fiquem
com Deus!

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por
escrito da Fundação. A Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou
pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida,
de acordo com a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou
abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua
comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork
Foundation tenham concordado em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de
transformação pessoal reconhecidos pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Telefone : (011) 3721-0231 E-mail: pathworksp@pathwork.com.br Visite: www.pathwork.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter)
Telefone: (71) 3237-4962 E-mail: pathworkbahia@yahoo.com.br Visite www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília (Chapter)
Telefone: (61) 3442-8108 E-mail: fvervloet@gmail.com
Pathwork® Ceará (Chapter)
Telefone : (085) 8731-1122 E-mail: reginalencar@gmail.com
Pathwork® Goiás (Chapter)
Telefone: (62) 8118-0446 E-mail: ritapath@hotmail.com
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Tel: (31) 9959-5547 E-mail: pathworkmginstituto@gmail.com Visite: www.pathworkminas.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Telefones: (083) 9967-8303/(083) 3235-5188/(083) 3224-2362 E-mail: claubetenobrega@terra.com.br Visite: www.pathworkpb.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro (Chapter)
Telefone:: (21) 2529-2322 E-mail: gmdell@globo.com Visite www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Telefone: (51) 9177-3178 E-mail: suefonseca@hotmail.com. Visite www.pathworksul.com.br
Visite: www.pathwork.org.
Visite: www.pathworkbrasil.com.br
Palestra do Guia Pathwork no. 20
Palestra Não Editada
1 de janeiro de 1958

DEUS: A CRIAÇÃO

Saudações em nome do Senhor! Abençoados sejam todos vocês, abençoada seja esta hora.
Queridos amigos, a maioria de vocês acredita que, quando faço uma palestra, escolho o tema
livremente, arbitrariamente, com minha própria autoridade. Não é bem assim. Acho que seria
interessante, vocês ouvirem mais uma vez como é escolhido o tema e o que é feito no mundo
espiritual com relação à vossa pequena comunidade. Primeiramente, vocês precisam entender que,
como contraparte da sua pequena comunidade terrena, que aos poucos vai aumentando, existe uma
comunidade consideravelmente maior no mundo espiritual, que rege tudo que diz respeito à sua
comunidade. Essa organização do mundo espiritual está ajudando, guiando, decidindo muitos
fatores sobre os quais vocês nada sabem, mas que dizem respeito a todos vocês, e estão em contato
com vocês, com muito mais intensidade do que qualquer um imagina. Não existe a menor
coincidência, nem mesmo quanto às pessoas que vêm aqui uma vez e não ficam, porque não
possuem maturidade espiritual para entender o que se passa ou porque não querem se desenvolver
espiritualmente e seguir este caminho de perfeição, que exige um suprimento contínuo de alimento
espiritual. No início, vêm aqui mais pessoas que se enquadram nessa categoria; mas, como eu disse,
não se trata de mera coincidência. Isso tem um propósito, uma finalidade. Nesse momento só posso
falar muito por cima dessas razões. Enquanto os amigos que pertencem ao núcleo central, e que
ajudam a construir esta comunidade, não tiverem se provado suficientemente com relação a muitos
de seus pontos fracos, a presença de pessoas que ainda não conseguem dar o devido valor a essa
comunicação com o mundo de Deus será um teste para elas. Todo teste, toda prova é o resultado
direto ou indireto da própria imperfeição, e sua finalidade também é inevitavelmente aprender com a
experiência e, assim, corrigir as fraquezas individuais. Vocês, que pertencem ao núcleo central, têm
uma grande responsabilidade e, portanto precisam tornar-se fortes. E isso só pode ser conseguido
por meio de acontecimentos de todo tipo, mesmo aqueles que aparentemente não são importantes,
que aparentemente são coincidências. Quem realmente segue o caminho, ativamente e com os olhos
abertos, observará e testará tudo que lhe acontece durante o dia, para poder aprender mais sobre si
mesmo. À medida que vocês, espiritual e emocionalmente, se tornaram mais fortes, mais elevados e
mais perfeitos, não só os seus conflitos pessoais vão diminuir, mas também o caráter e o
desenvolvimento espiritual da maioria das pessoas que se juntam ao grupo mudarão. Assim, vocês
vêem que não é por mero acaso que, sempre no início, a maioria das pessoas que vêm até vocês não
é do calibre que vocês poderiam desejar. Mas vocês observaram que isso já começou a mudar, e
mudará ainda mais com o passar do tempo. Ao mesmo tempo, as pessoas que se enquadram na
categoria que mencionei e procuram vocês no início dessa comunidade também não são guiados até
aqui aleatoriamente. Elas podem ter alguns méritos de vidas anteriores – ou da vida atual – em
função dos quais merecem uma ajuda e orientação especiais, para permitir que seu progresso
espiritual vá mais longe e mais depressa. Mas, sempre de acordo com a lei, elas devem aceitar ou
recusar essa ajuda por sua livre vontade. Apesar desses méritos, muitas vezes elas não têm a
maturidade espiritual necessária para aceitar a ajuda. Mesmo assim, é preciso dar a elas a
oportunidade. Se elas aproveitarem, será uma grande vitória para elas e, portanto para o mundo de

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 20 ( Palestra Não Editada)
Página 2 de 11

Deus. Se não aceitarem, a recusa tem uma boa finalidade, que é o necessário teste e aprendizado
para as pessoas que têm braços e ombros fortes, do ponto de vista espiritual, para que se tornem
dignas da grande realização que as espera.

Portanto, não há coincidência alguma! Nenhum de vocês veio aqui só por coincidência,
mesmo que pensem assim – que pareça ser assim. Por acaso, vocês ouviram falar desse grupo e
vieram aqui, e vieram por causa da experiência, ou até por curiosidade. No entanto, há muito mais
coisas aí. Outros, que poderiam vir pelos mesmos motivos de vocês, para início de conversa nunca
ouviram falar desse grupo, nunca tiveram uma oportunidade. Tudo isso é determinado pela
organização do mundo espiritual, que rege vocês: quem é escolhido e quem é deixado de lado, pelo
menos nesse momento. Determinados espíritos, encarregados dessa tarefa e que recebem
treinamento para fazer esse trabalho, fazem um reconhecimento, levando em conta todos os fatores
pertinentes às pessoas em questão. E se fica demonstrado que uma pessoa deve se juntar a vocês,
deve ao menos ter uma chance de fazer isso, esses espíritos entram em contato com os respectivos
espíritos da guarda daquela pessoa, que guia seu protegido a alguém do círculo de vocês e inspira
esse alguém a talvez convidar aquela pessoa a juntar-se ao seu grupo. Isso pode dar a vocês uma
vaga idéia da quantidade de trabalho e cuidado envolvidos, mesmo com respeito aos mínimos
detalhes.

Além disso, a escolha do tema das palestras exige uma dose considerável de trabalho no
mundo espiritual. Nem sempre é fácil determinar o tema certo para a ocasião certa, e eu
pessoalmente não poderia fazer isso sozinho. Vocês não têm a menor idéia da organização e da
ordem do mundo espiritual de Deus. A eficiência dos espíritos, com alto grau de educação para
executar tarefas específicas, a necessidade de trabalho em equipe, é algo que ultrapassa a
compreensão de vocês. Existem, por exemplo, diversos espíritos mais elevados, acima de mim na
hierarquia, a quem devo consultar sobre a escolha do tema, sobre os conselhos dados a
determinadas pessoas, sobre várias outras decisões. Por outro lado, esses espíritos também levam em
consideração minhas opiniões, minhas experiências, meus conselhos. Tenho diversos ajudantes, aos
quais dou missões, ou que ajudam com outras tarefas relativas à formação da comunidade de vocês.
A partir de todos esses relatos feitos por espíritos envolvidos nesse trabalho, uma comissão, vamos
dizer, toma a decisão final sobre cada tema e até que ponto devo ir na resposta a determinadas
perguntas que podem surgir inesperadamente. Essas decisões têm por base um grande número de
fatores, sendo necessário levar em conta todas as leis pertinentes. É uma espécie de trabalho de
escrituração -- vou usar esse termo à falta de uma expressão melhor --, onde muitos detalhes são
minuciosamente avaliados e ponderados. Vocês não fazem idéia de quanto trabalho o nosso mundo
realiza com relação à comunidade de vocês; quantas coisas é preciso considerar, e também com
relação ao futuro, como é difícil concluir se determinadas informações reveladas cedo demais podem
ser prejudiciais a alguns dos ouvintes e leitores, embora essas mesmas informações possam ser úteis
para o progresso de outros; em outras palavras, como é difícil encontrar formas e meios de estimular
o progresso de cada pessoa pertencente ao grupo, dando-lhe a quantidade certa de alimento
espiritual no momento certo; e, ao mesmo tempo, planejar com sabedoria o futuro do grupo como
um todo. Vocês, no seu mundo, são tão cegos. Só percebem o certo quando está diante de seus
olhos. Não percebem que, muitas vezes, uma verdade ouvida cedo demais pode ser mais prejudicial
do que se for ouvida tarde demais. Sim, meus amigos, é verdade! Por outro lado, para outras pessoas
pode ser de importância vital ouvir uma determinada verdade ou lei espiritual num determinado
momento. Em casos assim, a informação a ser dada precisa ser enunciada de tal forma que não seja
entendida por aqueles que ainda não estão prontos e maduros. Com isso vocês podem ter uma vaga
Palestra do Guia Pathwork No. 20 ( Palestra Não Editada)
Página 3 de 11

idéia da organização que é a contraparte da sua no mundo espiritual, profundamente envolvida com
muitos detalhes que vocês ignoram completamente, que trabalha com amor, cuidado e sabedoria
para conduzir tudo ao melhor resultado para todos os envolvidos – também para aqueles que vocês
ainda nem conhecem, e que vão se juntar a vocês no futuro. O cálculo de todos esses dados exige
especialistas, esforços incessantes, previsão e o conhecimento cabal do funcionamento da lei divina,
além de grande devoção a Deus e a Seu grande plano de salvação. O crescimento da comunidade de
vocês do modo adequado é da maior importância dentro do plano, e tem um significado mais
profundo que a maioria de vocês percebe. Com essas explicações vocês podem entender que aquilo
que se apresenta para vocês, a princípio, como uma reação em cadeia de coincidências, nada mais é
que uma grande orientação colocada em ação. Assim, vocês também podem entender que o quadro
interior de cada pessoa que aqui vem foi levado em conta nos mínimos detalhes, e que não apenas
os temas das palestras são determinados pela reunião de todos esses detalhes, mas também como
serão dadas determinadas explicações, como serão tratados determinados assuntos. Vocês sabem
agora que eu não venho aqui e escolho um tema à vontade. Sempre que o homem consegue entrar
em contato com o mundo de Deus, isso nunca acontece aleatoriamente, porque há muitas coisas a
considerar, muitas coisas em jogo, das quais vocês nada sabem.

Da última vez eu disse que ia falar sobre a queda dos anjos. Para falar bem sobre esse assunto,
para que vocês possam entender tanto quanto qualquer ser humano é capaz de entender, preciso
abordar o assunto nessa ordem: Deus, a criação, a queda dos anjos e o plano de salvação. Mesmo
que eu trate desses assuntos da maneira mais concisa e condensada, vocês certamente vão entender
que não é possível falar de tudo em uma só palestra. Podem ser necessárias talvez duas, três, ou até
quatro palestras no total. Na última palestra iniciei o tema com uma explicação sobre o espírito de
Jesus Cristo, que faz parte integrante desse tema. Vamos ver quantas palestras serão precisas para
falar desses assuntos. Primeiro, vou fazer uma exposição da maneira mais sucinta possível, para mais
tarde acrescentar alguns fatores complementares. Naturalmente terei de mencionar algumas coisas
que já foram expostas anteriormente e que meus amigos mais antigos já conhecem. Isso é inevitável
não somente por causa dos amigos para quem isso é novidade, mas também porque permitirá
apresentar um quadro geral e consecutivo. Quero ressaltar com a maior ênfase que se trata de uma
das maiores questões da existência e, portanto é muito difícil apresentá-la de modo a poder ser
compreendida, mesmo pelos que são espiritualmente avançados. Assim, não tentem absorver o que
ouvirem apenas com o seu intelecto limitado; dessa maneira, não vão chegar a lugar nenhum.
Procurem ouvir com o coração, com a alma, com os sentidos interiores, para poderem sentir a
verdade em vez de entendê-la racionalmente. Somente isso lhes proporcionará o verdadeiro
entendimento, ou melhor, pode ser o material onde depositar a semente da iluminação. Além disso,
eu gostaria de pedir a vocês, meus amigos, que não fizessem perguntas sobre esse assunto antes de
terminar essa série, porque muitas das perguntas que vocês vão querer fazer a esse respeito terão
sido respondidas quando eu terminar. Mas eu gostaria de sugerir que vocês anotassem as perguntas,
à medida que elas forem surgindo, e, quando eu terminar, avaliem as perguntas de novo e perguntem
depois se não estiverem satisfeitos com a resposta, se não estiver claro.

Vou começar com Deus! O que eu poderia dizer sobre Deus, meus amigos? Sua grandeza é
tanta que jamais poderia ser posta em palavras. E principalmente para um ser humano, é impossível
sentir, perceber, quanto mais saber o que é Deus. Gostaria de dizer apenas isso sobre o Criador:
Deus é personalidade e também princípio. As religiões e filosofias humanas sempre debateram essa
questão. Alguns dizem que Deus é uma pessoa. Outros sustentam que Deus não é substância, Deus
é apenas princípio e força. Como eu já disse, ambas as opiniões são verdadeiras. Deus, em Seu
Palestra do Guia Pathwork No. 20 ( Palestra Não Editada)
Página 4 de 11

aspecto masculino é criador e, como tal, uma pessoa. O aspecto masculino é o criativo, não apenas
no tocante a Deus, mas originando-se d’Ele como princípio do universo com todos os seres. Nessa
qualidade, são tomadas decisões, determinações, são feitas destinações. Nessa qualidade, Deus,
como criador, como personalidade, criou o universo com todas as suas leis e criou outros seres,
embora estes em conjunto com o aspecto divino feminino. Quando se diz que Deus criou Seus
filhos à Sua imagem, isso significa que todos os aspectos divinos reaparecem em menor grau em
todos esses seres criados. Assim, a capacidade de criação também existe em algum grau em todo ser.
A melhor descrição dessa substância divina que Deus tem no grau máximo, que Cristo tinha em grau
menor, no entanto maior que o de todas as outras criaturas, é a de uma substância fluida da matéria
mais radiante que se pode imaginar. É a força vital. Deus, bem como todas as criaturas na forma
mais elevada de desenvolvimento, podem, por assim dizer, dissolver essa substância, esses fluidos,
para que a personalidade compacta se transforme em um fluxo, um princípio, uma corrente divina, o
que não significa a aniquilação da individualidade como ser pensante, capaz de tomar decisões.
Nesse estado, prevalece o aspecto divino feminino. É o estado de ser, o estado de lento crescimento
e formação orgânica. Sempre que Deus deseja, os fluidos podem se retrair, para que volte a
prevalecer Seu aspecto masculino. O mesmo se aplica a todos os seres criados, no estado mais
elevado de desenvolvimento. Se o seu aspecto feminino prevalece, eles se fundem com Deus em
estado de ser. Quando o aspecto masculino prevalece, eles ajudam na criação, de acordo com a
vontade de Deus, da lei divina. Sei, que é impossível vocês entenderem de fato tudo isso. Pode ser
apenas um começo de um esclarecimento mais profundo que está por vir. Mesmo os espíritos mais
elevados não conseguem apreender totalmente o amor, a sabedoria, a perfeição de Deus e a
variedade infinita de Sua criação. A nós só resta a admiração, o júbilo, o louvor a Ele!

Como disse na última palestra, Deus gerou como sua primeira criação o espírito de Jesus
Cristo. E como também já disse, a maior parte dessa substância divina está em Cristo. Por isso
algumas religiões referem-se a Deus Pai e Deus Filho. Vocês podem ver que isso é verdade, embora
seja um erro dizer que se trata de uma só e a mesma pessoa. Afinal, muitas outras criaturas passaram
a existir, tantas que não seria possível contá-las com os números existentes no mundo de vocês.
Certa vez, me perguntaram: "Por que Deus criou todos esses seres? Sendo onisciente, Ele deve ter
percebido a infelicidade que resultaria disso." Essa é uma questão muito importante, tão profunda
que eu gostaria de abordar brevemente esse assunto. Deus é amor, e o amor precisa ser dividido.
Essa é a natureza do amor. É claro que Deus sabia que, ao criar seres dotados de livre arbítrio, eles
poderiam usar essa faculdade de modo tal a gerar a infelicidade, pelo menos temporariamente. No
entanto, e nisso está a grandeza de Deus, Ele criou seres capazes de escolher livremente com o
poder a eles concedido. Ou eles teriam a sabedoria de não abusar do poder e viver de acordo com a
perfeição da lei divina em estado de eterno contentamento, ou, se decidissem por outro caminho,
finalmente chegariam a compreender muito melhor a perfeição da lei divina, depois de ter
atravessado o Vale da Sombra da Morte, e assim, no fim das contas seriam ainda mais semelhantes a
Deus. A infelicidade temporária daqueles que tomaram a decisão errada não é nada comparada com
o contentamento e a felicidade da eternidade, depois de se ter passado pela infelicidade auto-
infligida. A balança mostra isso tão claramente que um espírito nem precisa ser muito desenvolvido
para perceber esse fato.

Assim, Deus criou muitos seres e muitos mundos muito antes de existir um mundo material:
mundos de harmonia, felicidade, beleza infinita, e infinitas possibilidades de revelação dos aspectos
divinos criativos de todos os seres. A substância divina de cada ser criado era livre, não coberta por
matéria estranha, não da natureza de Deus. Eu já disse muitas vezes a vocês que sua tarefa é revelar
Palestra do Guia Pathwork No. 20 ( Palestra Não Editada)
Página 5 de 11

essa substância divina, libertá-la dessas camadas contrárias a Deus e que impedem a união com
vocês mesmos e com Deus. Essa substância divina também é designada o eu superior ou centelha
divina do homem. Ela é divina em todos os aspectos e possui parte daquela divindade. Também é
chamada às vezes Espírito Santo, embora essa expressão tenha provocado muitos mal-entendidos
entre os seres humanos. O Espírito Santo não é um ser, nem é parte de uma trindade divina, de
acordo com uma interpretação difundida. Ele é simplesmente a substância divina que toda criatura
tem – em certo grau e em certa medida – livre de outras substâncias ou ainda recoberta por outras
substâncias. Vocês podem ver que a idéia da Trindade muitas vezes foi mal entendida, porém por
trás desse equívoco também existe uma grande dose de verdade.

Agora vocês vão querer saber como essas camadas estranhas acabaram recobrindo aquela
substância divina que cada ser possuía originalmente. E essa é a história da queda dos anjos. (Outro
nome desses seres puros, semelhantes a Deus, ou Espíritos Santos, é anjos). Mas antes de entrar
nessa questão gostaria de dizer que é um grande erro supor que essa substância divina, existente em
todas as pessoas, é Deus ou idêntica a Deus, o Criador. Deus é um ser e o que vocês têm em vocês é
de substância divina e tem muitos dos atributos divinos, embora não no mesmo grau que o próprio
Deus. É semelhante a Deus. Somente essa substância libertada e purificada dentro de vocês é capaz
de se unir a Deus, de tornar-se um só com Deus. Nenhuma substância dessemelhante de Deus pode
unir-se a Ele. É um erro igual aos mencionados anteriormente confundir a substância semelhante a
Deus, existente em toda criatura, com a substância do próprio Criador.

Os homens muitas vezes defendem a idéia de que Deus não deveria ter dotado Suas criaturas
de livre arbítrio, pois nesse caso a queda não teria acontecido. Ou, pelo menos, Deus deveria ter
interferido quando tudo começou. Mas isso é visão curta, é cegueira. Só pode haver felicidade para
uma criatura no estado de união com Deus. E para estar em união com Deus, vocês precisam ser da
mesma substância, dotados dos mesmos aspectos e qualidades. Caso contrário, a união é impossível
– mesmo do ponto de vista químico é impossível! Como Deus é liberdade e a liberdade é um dos
aspectos divinos mais importantes, as criaturas de Deus precisam ter essa mesma liberdade, caso
contrário seriam diferentes de Deus e, assim, incapazes de unir-se a Ele. Essa liberdade, ou livre
arbítrio e livre escolha, acarreta a possibilidade de usar o livre arbítrio para contrariar a lei divina. Na
livre escolha correta e na abstenção do abuso do poder reside a divindade, residem o amor e a
sabedoria e muitos outros atributos divinos. É da maior importância vocês todos entenderem essa
idéia, pois com isso poderão responder a muitas das perguntas que por enquanto podem não ter
entendido.
Deus também criou um número infinito de leis. Essas leis previam a possibilidade do retorno
a Deus se e quando qualquer um dos seres criados fizesse mau uso de seu poder e liberdade. Essas
leis funcionam em ciclos que precisam se fechar; o que quer que aconteça, esses ciclos seguem sua
corrente, e as leis operam de forma tal que, em última instância, tudo que um dia se afastou de Deus,
da lei divina, volta para Ele. Quanto maior a distância de Deus, maior a infelicidade, pois apenas em
Deus e com Deus existe felicidade. Mas exatamente essa infelicidade constitui o incentivo mais forte
para voltar a Deus. Este pensamento também se presta muito bem para profunda meditação. Se
vocês captarem parte dessa verdade podem vir a entender muitas coisas, até agora ocultas. Se os seus
olhos, seus sentidos internos estiverem suficientemente purificados, vocês reconhecerão essa lei até
na vida cotidiana, mesmo nos pequenos incidentes.

Portanto, os mundos espirituais existiram por muito, muito tempo, e todos os seres criados
viviam num estado de contentamento que vocês não podem imaginar. Desde o início, todas as
Palestra do Guia Pathwork No. 20 ( Palestra Não Editada)
Página 6 de 11

criaturas tinham a possibilidade de escolher livremente entre viver de acordo com a lei divina ou
opor-se a ela. Certa vez, um espírito sucumbiu a essa tentação. Simbolicamente, vocês contam isso
na história de Adão e Eva no Paraíso. Na verdade isso aconteceu de maneira muito diferente,
embora a idéia esteja certa. Talvez vocês possam compreender parte disso se imaginarem que vocês
têm um grande poder. Pode ser que saibam que usar esse poder de uma determinada forma poderia
ser perigoso para vocês. Enquanto esse poder não for explorado, vocês podem ter curiosidade em
saber o que de fato ocorreria se o usassem. A tentação fica cada vez mais forte. Quanto mais forte
fica, menos vocês pensam em meios de combater a tentação. Vocês nem mesmo têm a intenção de
continuar a usar o poder, só querem experimentar um pouco, só para ver. E todo o conhecimento
teórico que tiverem – depois de experimentar, talvez não seja possível não se deixar levar por ele –
desmorona sob o peso cada vez maior da tentação. Depois que sucumbiu a essa tentação, esse
espírito colocou em movimento algo que já não podia mudar, assim como ele sabia que aconteceria,
mas não queria se lembrar quando cedeu. O resultado não foi uma mudança imediata, e sim gradual.
A passagem da harmonia para a desarmonia aconteceu de maneira tão gradual e lenta como a
passagem de vocês da desarmonia para a harmonia. Esta é evolução, aquela poderia ser chamada de
involução – e nenhuma pode acontecer repentinamente. Gostaria de dar outro exemplo que pode
ajudar a entender, procurando sentir quando pensarem nesse exemplo. Vamos supor que uma
pessoa fique tentada a consumir uma droga. Ela não tem intenção de sucumbir inteiramente.
Também sabe, como todo o mundo, que isso significaria sua ruína, em todos os aspectos. Mas ela
acha que pode experimentar só uma vez, para ver como é. Mas depois dessa primeira vez, não
consegue mais se livrar. Foi apanhada. Esse é um exemplo aproximado do que estou tentando dizer,
mas o mesmo princípio se aplica a esse caso. O mesmo princípio se aplica a tudo que é contrário à
lei divina. Esse espírito que foi o primeiro a sucumbir, gerou um poder que vai em direção contrária
à lei divina, mas era o mesmo poder, apenas seu uso era diferente. E com esse poder ele pôde afetar
e influenciar muitos outros espíritos, pouco a pouco – mas não todos os espíritos. Houve uma
divisão entre os que sucumbiram e os que resistiram. Com os primeiros começou a chamada queda
dos anjos. Nesse processo, todo aspecto divino transformou-se em seu oposto: harmonia tornou-se
desarmonia, beleza -- feiúra, luz – escuridão, sabedoria – cegueira, amor – ódio e medo e egoísmo, e
união transformou-se em separação. À medida que a unidade se dividiu mais e mais, aumentou a
força dessa “atração”. Assim o mal começou a existir.

Expliquei certa vez que os mundos espirituais são mundos psicológicos. Isso não significa que
sejam sem substância ou forma. Apenas no seu mundo material os pensamentos e sentimentos são
abstratos. Em outros mundos, o espírito cria o mundo em que vive, de acordo com seu estado
mental. Esse estado mental cria automaticamente, como ação reflexa, uma esfera formada por
paisagens, casas, objetos, etc. Assim, somente espíritos de desenvolvimento igual podem
compartilhar um mundo, o que em determinados estados de desenvolvimento facilita a vida, mas
também torna mais lento o desenvolvimento. Se vocês se lembrarem que suas atitudes,
pensamentos, sentimentos, opiniões, metas, criam o seu mundo, entenderão que o mundo espiritual
mais elevados é belo e luminoso, enquanto os mundos dos espíritos caídos é escuro e feio. E desde
que o grande plano foi colocado em funcionamento, existem entre o escuro e o claro, muitos
mundos com graus variados de harmonia e desarmonia, conforme o estado de desenvolvimento que
os espíritos caídos tiverem alcançado. O seu mundo material é um deles.

A maioria de vocês sabe que o espírito em seu mais alto grau de desenvolvimento combina os
aspectos masculino e feminino. Não existe separação. Também mencionei isso no início desta
palestra. O fato de existirem homens e mulheres nesta terra, como entidades separadas é, como
Palestra do Guia Pathwork No. 20 ( Palestra Não Editada)
Página 7 de 11

vocês agora entenderão prontamente, o resultado dessa divisão. Portanto, cada ser tem sua
contraparte. O impulso do homem de encontrar o parceiro certo nada mais é que esse profundo
anseio pelo reencontro com a parte separada. Todo ser passa por algumas encarnações com seu
verdadeiro duplo, ou contraparte, porque, através da felicidade que isso acarreta, reside o dever de
preencher alguma coisa. E em algumas outras encarnações precisam ser vividas sem essa
contraparte. Nesse caso também existe um preenchimento, de outro tipo, mas que não significa
necessariamente uma vida de celibato. Pode haver outros parceiros com os quais não só é possível
usufruir de uma grande felicidade, mas também cumprir outros deveres, pagar carmas, e assim por
diante. Portanto, se vocês passarem uma encarnação sem o seu verdadeiro duplo, mas tiverem outro
parceiro com o qual têm algo a cumprir, não pensem que a sua contraparte no mundo espiritual vai
ficar magoada ou sentir ciúmes por causa do amor que vocês tiverem pelo parceiro atual. Não, não é
assim que as coisas funcionam na realidade absoluta. Aprender a amar é dar um passo em direção a
Deus, à sua realização, à sua libertação, e assim também da sua contraparte, não importa como vocês
aprenderem. O sexo – o impulso por esse tipo de amor – é, em síntese, o anseio pela união com a
sua contraparte, para restabelecer o todo. A direção dada a essa força depende apenas de vocês.

Seres menos desenvolvidos, como os animais, as plantas e os minerais, ainda estão em um


estado de maior divisão ou cisão. O estado do homem, dividido em dois, por assim dizer, é a última
forma antes de poder acontecer o reencontro, a volta ao estado que a criatura já teve.

Os mundos desarmônicos que passaram a existir através desse apartamento de Deus, da


chamada queda, também são chamados inferno. Esses mundos simplesmente refletem o estado de
espírito das criaturas que ali vivem; ou seja, essas esferas passaram a existir como resultado direto do
estado de espírito desses seres. Mas o inferno não é penas uma esfera, pois ali existem muitas
esferas, assim como existem muitas esferas no mundo divino, o chamado céu. Quando ocorreu a
queda, nem todos os que participaram passaram para um estado igual de desarmonia e mal. Houve
muitas gradações, conforme os indivíduos. Assim, também como resultado automático, passaram a
existir diferentes esferas no mundo da escuridão, sempre em correspondência com o estado mental
de cada um. Mas no todo, pode-se dizer que cada aspecto divino se transformou – um pouco mais,
um pouco menos – em seu contrário.

Enquanto não se dá a purificação completa, algumas das características da queda continuam


dentro da pessoa, até certo ponto. Seria extremamente útil se cada um de vocês fizesse um auto-
exame para sentir isso claramente e, assim, trazer à consciência. Quando vocês considerarem suas
falhas individuais, procurem encontrar seu aspecto divino original. Nenhuma falha passou a existir
por si mesma. Ela é apenas uma distorção de algo que, um dia, foi divino. Vocês podem encontrar
esse aspecto divino das suas falhas. Dessa forma será muito mais fácil purificá-las e, ao mesmo
tempo, vocês perderão a sensação de impotência em relação a si mesmos. Perderão os complexos de
inferioridade. Mas isso exige que primeiro vocês descubram quais são suas falhas e, em seguida, as
enfrentem com coragem.

Quando esses mundos de infelicidade passaram gradualmente a existir e ocorreu a separação


de Deus para um grande número de seres, como eu já disse, a Lei Divina previu a possibilidade de
reconquistar o estado de existência feliz em que esses seres um dia se encontravam. Mas foi preciso
tomar algumas decisões e fazer algumas mudanças, sempre de acordo com o livre arbítrio dos
espíritos caídos, individualmente ou em grupo. Isso também foi previsto por Deus, que determinou
que a questão ficaria em aberto na ocasião, para ser concretizada oportunamente. Tudo isso faz
Palestra do Guia Pathwork No. 20 ( Palestra Não Editada)
Página 8 de 11

parte do plano da salvação, para o qual Deus arregimentou a ajuda de todos os espíritos que
permaneceram fiéis a Ele, bem como daqueles que atingiram e continuam atingindo
desenvolvimento suficiente, depois da queda, para também ajudar. A esse respeito vou falar na
próxima palestra. Pensem com cuidado em tudo o que eu disse até agora, mesmo que ainda faltem
algumas informações para completar o quadro básico para vocês. Mesmo com esse quadro
incompleto, vocês vão encontrar a resposta para diversas perguntas, se se derem ao trabalho de
pensar profundamente, meditar e pedir a ajuda de Deus para entender. Quando tiverem adquirido
essa compreensão, vocês terão condições de entender o que a vida realmente significa, a razão da
existência de vocês aqui, e sua tarefa pessoal nesta vida. Dentro desse plano, não há pessoa que não
tenha uma tarefa! Quem quer que tenha paz de espírito descobrirá sua tarefa. Quem não tem, ainda
não descobriu seu lugar. O eu mais íntimo de vocês lhes dirá se vocês a descobriram ou não, e essa
comunicação é feita através da felicidade ou da inquietação. Tudo que vocês precisam fazer é
perguntar a si mesmos. Se vocês ainda encontraram inquietação, pressa, nervosismo, falta de paz de
espírito, peçam a ajuda de Deus, fiquem abertos para poderem entender a Sua orientação. O
obstáculo que ainda pode haver entre vocês e a realização completa da sua tarefa de vida pode ser o
seu desenvolvimento pessoal. Talvez vocês sejam cegos para alguns aspectos da própria
personalidade, e isso é um entrave para a realização. Portanto, não procurem as respostas longe de
vocês. É em vocês que estão todas as respostas necessárias para conduzir a vida do modo que
agradará a Deus. Da próxima vez, vou falar em mais detalhes sobre esse plano de salvação, no qual
Jesus Cristo desempenhou o papel principal. Sem Ele, nenhum dos anjos caídos poderia voltar. É
muito importante entender isso em um determinado ponto do desenvolvimento.

E agora, meus amigos, podem fazer perguntas.

PERGUNTA: A pergunta que eu ia fazer já foi respondida.

PERGUNTA: Deus tem o poder da presciência e, nesse caso, até que ponto Ele usa esse
poder?

RESPOSTA: Sem dúvida Deus tem presciência, mas não no que diz respeito ao livre arbítrio
das pessoas – porque Ele deu o livre arbítrio. Se Ele soubesse de antemão o que vocês vão decidir
amanhã, não haveria livre arbítrio. A presciência total e o livre arbítrio de cada pessoa excluem-se
mutuamente. Certamente Deus tem presciência em muito alto grau, conhecendo Sua criação, Suas
leis, seu funcionamento, as infinitas possibilidades das decisões livres de Seus filhos, e também
conhecendo melhor que ninguém o caráter e a personalidade de todos os Seus filhos. Sua sabedoria
infinita, associada a todo esse conhecimento, permitem a Ele prever, em grande medida, e assim
fazer Seus planos. Mesmo um ser criado, mesmo um ser humano, que conheça alguém muito bem
pode supor, de acordo com as circunstâncias em questão e as características daquela pessoa, como
ela agirá em determinada situação. Mas isso não pode ser previsto com exatidão. Sem dúvida Deus
sabe que todas as Suas criaturas acabarão voltando para Ele em algum momento devido à perfeição
de Suas leis, mas Ele não sabe, por exemplo, se uma pessoa mudará de atitude hoje ou amanhã. Da
mesma forma, como expliquei na palestra, Deus não poderia saber com absoluta certeza se alguns de
Seus filhos usariam mal o poder que Ele lhes deu, nem quantos fariam isso. A possibilidade estava
dada, sim, mas Ele não tinha certeza se esse abuso ocorreria. Deus usa Seu conhecimento e poder
apenas na medida em que isso não violar Suas próprias leis. É muito importante entender isso, que
muito poucos seres humanos sabem. Muitas vezes o homem diz: “Por que Deus não fez isso ou
aquilo? Todo esse sofrimento não seria necessário”, etc. etc. Nesse caso Deus iria contra Suas
Palestra do Guia Pathwork No. 20 ( Palestra Não Editada)
Página 9 de 11

próprias leis, e como suas leis são perfeitas, esse não seria um ato perfeito. Não importa se um ser
humano, em sua cegueira, não consegue entender que o caminho de Deus é o melhor. Em algum
momento essa cegueira desaparecerá, e será reconhecido que Deus e Sujas leis são perfeitas e que só
é possível para cada um atingir a perfeição passando por esse sofrimento auto-infligido. Isso está
claro?

PERGUNTA: O que regula as conseqüências, boas ou más, que uma pessoa enfrentará nessa
vida ou como carma em uma próxima vida?

RESPOSTA: Quanto mais uma pessoa está no caminho espiritual do autodesenvolvimento,


quanto maior seu desenvolvimento espiritual, tanto mais cedo virão as conseqüências. Quanto
menor o desenvolvimento, ou se a pessoa não seguir este caminho, mais tempo levará. E isso
acontece por uma razão muito boa. Isso também está de acordo com a lei. Quanto mais rápido você
sobe, mais rápido a lei funciona. Um dos motivos é o seguinte: a pessoa que está no caminho já
adquiriu um certo grau de conhecimento e percepção espirituais e entende a causa e o efeito em sua
própria vida. Uma pessoa que não está no caminho não vai entender de qualquer maneira, e
portanto não importa se ela sofre as conseqüências nesta ou em outra vida, já que ela não vai fazer a
ligação com a causa, como quem está no caminho aprende a fazer. Além disso, a pessoa que não está
no caminho é espiritualmente mais fraca, e por isso suportar as conseqüências de uma vez poderia
ser demais. Elas são por assim dizer distribuídas, para ficarem mais leves, enquanto a pessoa que está
no caminho desenvolve automaticamente tanta força que é capaz de recuperar-se mais cedo. E o
fato de ser capaz de relacionar causa e efeito, e assim aprender a se entender melhor para se purificar
melhor, é uma enorme ajuda. Saber por que é preciso passar por alguma coisa é sempre mais fácil do
que não saber. Mas essa ajuda é uma espécie de prêmio que a pessoa que está no caminho ganhou
por esforço próprio. Creio que todos os que seguem o caminho confirmarão que, em qualquer
aspecto, em qualquer ocasião em que se desviam deste caminho ou cometem o menor erro, a
repercussão é quase imediata, enquanto a pessoa de quem se pode esperar menos parece sair em
grande parte impune – mas, acreditem, não para sempre, somente até a próxima vida. Quanto mais
vocês estão no caminho, mais rapidamente aparecem os sinais e repercussões, e vocês devem ficar
gratos por isso. Isso acontece pela graça de Deus, pois assim, vocês tem a oportunidade de saldar
suas contas imediatamente e corrigir seus erros antes de cometer outros mais graves, ativando um
ciclo errado.

PERGUNTA: Voltando à primeira pergunta e resposta, gostaria de saber se então devemos


inferir que o poder de Deus é relativo?

RESPOSTA: Não! Não, isso não significa que seja relativo. Deus tem poder absoluto! Seu
poder não é relativo nem limitado pelo fato de Ele não passar por cima de Suas próprias leis. Ele
segue Suas leis, apenas alguns dos seres que criou não seguem. Não é falta de poder o fato de não
usar o poder que se tem. Muito pelo contrário! Isso não é fraqueza, é força!

PERGUNTA: Eu gostaria de perguntar sobre o desenvolvimento da força de vontade e do


autocontrole.

RESPOSTA: Respondo a essa pergunta de bom grado. A força de vontade só pode ser
desenvolvida quando a pessoa entende plenamente a importância dela e do que está em jogo. Uma
pessoa não usa sua força de vontade latente quando não sabe como é importante ter essa força.
Palestra do Guia Pathwork No. 20 ( Palestra Não Editada)
Página 10 de 11

Todo o mundo pode observar o seguinte: quando uma pessoa corre grave perigo, subitamente
manifesta uma enorme força de vontade e potência, muito além do comum, porque nesse momento
ela percebe que sua vida corre risco. Precisa ter essa qualidade, caso contrário estará perdida. No
entanto, com relação a coisas que não parecem ter tanta importância, ou que de fato não têm tanta
importância, a pessoa não mostra nenhuma força de vontade. Portanto, em primeiro lugar é uma
questão de entender e de discriminar. Discriminar com clareza e concisão, formular as idéias com
precisão, esse é o primeiro passo. Quando você sabe o que está de um lado e o que está do outro,
qual é o problema, você é capaz de tomar uma decisão totalmente a sério, e esse é o passo seguinte
para desenvolver a força de vontade. Todo o mundo tem força de vontade. A força de vontade nada
mais é que uma força, um poder que é usado por muitos na direção errada. Quando o poder se
evapora nos canais errados, não sobra muito para que a força de vontade seja gerada para o que
realmente importa. Quanta força se perde com o medo, o ressentimento, o ódio! Cada falha pessoal
consome uma certa quantidade de força. Cada falha é uma cadeia que prende vocês, e à qual vocês
resistem subconscientemente. Conscientemente também podem resistir a outras coisas, o que
também diminui a força de vocês, pois a resistência é uma força negativa. Mas subconscientemente
todas as pessoas resistem a suas próprias falhas e imperfeições. Esse é o modo errado de se livrar das
falhas. Portanto, recapitulando, o primeiro passo é sempre perguntar a si mesmo "Para que eu quero
ter força de vontade?" Se fizerem essa pergunta claramente, poderão dar a si mesmos uma resposta
igualmente clara. Se a resposta for que, de alguma forma, vocês queriam ter força de vontade para
algo que não vale a pena, sem terem percebido isso conscientemente antes, é aconselhável não usar
o poder, a força de vontade naquela direção. Muitas pessoas, firmemente convencidas de que não
têm força de vontade, usam inconscientemente um poder valioso o tempo todo para as finalidades
mais destrutivas, e depois carecem da força necessária para a razão mais importante de todas: a
saber, o seu autodesenvolvimento e purificação, e seguir o caminho da perfeição! Quem fizer isso,
mais cedo ou mais tarde precisará resolver todos os seus problemas e conflitos, decorrentes
exclusivamente dos conflitos internos. Nesse caminho está a chave para tudo o mais que uma pessoa
necessitar e quiser para realizar o que é bom que seja realizado. Depois que vocês entenderem qual é
a razão desta vida, poderão ter o melhor resultado na encarnação presente. Somente depois de
entender o que está em jogo é que a pessoa consegue se mobilizar, por assim dizer, e se organizar
interiormente. A força de vontade também é uma questão de organização interior, planejamento
sensato, planejar de forma que a pessoa não assuma mais do que pode cumprir, e no entanto,
planejar o suficiente para o desenvolvimento. A força de vontade também é uma questão de tomar
as decisões interiores corretas e respeitá-las; viver, pelo menos a esse respeito, para começar, com
alguma ordem interior; discriminar e ponderar. Depois que a pessoa entende que tudo o mais na
vida, na vida interior e nos problemas externos, é resultado exclusivamente de negligência espiritual,
ela tomará a decisão certa, e a força necessária será liberada. Isso pode acarretar a desistência de
outros esforços, inclusive esforço interior, que é muito mais importante que o esforço exterior,
permitindo que a pessoa se concentre totalmente e se empenhe apenas nesses canais. Eu diria que,
em essência, é uma questão de entendimento. Agora, é muito freqüente o eu inferior da pessoa não
querer que ela entenda do que se trata. O eu inferior apresenta constantemente desculpas, “razões”,
pretextos por que a pessoa não pode fazer aquilo que é tão importante. São racionalizações, que a
mente superficial aceita porque essa é a linha de menor resistência. Portanto, em primeiro lugar, é
preciso combater o eu inferior; e esse eu inferior, essa substância estranha, essa substância não
divina está em guerra permanente contra a substância divina. Apenas a mente superficial, com o livre
arbítrio, pode determinar quais dos eus a pessoa quer seguir; a batalha só termina quando a pessoa
adquire consciência desses eus interiores. Assim, também é uma questão de saber o que de fato está
acontecendo no seu íntimo. Depois que isso for entendido, pode-se reunir a coragem para encarar o
Palestra do Guia Pathwork No. 20 ( Palestra Não Editada)
Página 11 de 11

eu inferior e lutar contra ele, ao invés de sempre ceder a ele. Ninguém deve achar que, quando falo
do eu inferior, estou necessariamente falando de algo terrivelmente pecaminoso e perverso. Não:
muitas pessoas, e todos vocês aqui, já passaram há muito, muito tempo pela etapa de
desenvolvimento em que o eu inferior pertencia àquela categoria. Mas enquanto ainda existe um eu
inferior – e existe em todo ser humano – ele continua se opondo a Deus, a Suas leis e à substância
semelhante a Deus que existe dentro de vocês e que quer ir para frente, quer o caminho da
perfeição, enquanto o eu inferior procura constantemente puxar para trás. Ele é acomodado, não
quer mudar. Essa é a qualidade mais significativa dele, mais importante ainda que todas as falhas
individuais. E se aplica a todas as pessoas, sem exceção. Quem conquistou o eu inferior – pelo
menos entendeu de uma vez por todas que ele precisa ceder e que vocês, a sua personalidade
condutora escolheu e determinou o caminho da perfeição onde se conquista o eu inferior – é de fato
uma pessoa feliz!

Meus caros amigos, quero abençoar cada um de vocês aqui presentes e todos os seus entes
queridos. Aceitem essa bênção, que tem substância e realidade, embora vocês não possam ver.
Levem com vocês essa força, essa harmonia, deixem que elas trabalhem por vocês na batalha contra
o eu inferior, pois é disso que trata a vida nesta terra. Fiquem em paz, fiquem com Deus!

Os seguintes avisos constituem orientação para o uso do nome Pathwork® e do material de palestras:
Marca registrada / Marca de serviço
Pathwork® é uma marca de serviço registrada, de propriedade da Pathwork Foundation, e não pode ser usada sem a permissão expressa por escrito da Fundação. A
Fundação pode, a seu critério exclusivo, autorizar o uso da marca Pathwork® por outras organizações regionais ou pessoas afiliadas.
Direito autoral
O direito autoral do material do Guia do Pathwork é de propriedade exclusiva da Pathwork Foundation. Essa palestra pode ser reproduzida, de acordo com a Política
de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação, mas o texto não pode ser modificado ou abreviado de qualquer maneira, e tampouco podem
ser retirados os avisos de direito autoral, marca registrada ou outros. Não é permitida sua comercialização.
Considera-se que as pessoas ou organizações, autorizadas a usar a marca de serviço ou o material sujeito a direito autoral da Pathwork Foundation tenham concordado
em cumprir a Política de Marca Registrada, Marca de Serviço e Direito Autoral da Fundação.
O nome Pathwork pode ser utilizado exclusivamente por facilitadores e helpers que tenham concluído os programas regionais de transformação pessoal reconhecidos
pela Pathwork Foundation.
Para obter informações ou para participar das atividades do Pathwork, por favor, contate:
Pathwork® Foundation
PO Box 6010, Charlottesville, VA 22906-6010, USA - Visite: www.pathwork.org
Pathwork® São Paulo (Afilliate)
Rua Roquete Pinto, 401 - 05515-010 São Paulo, SP - Tel: (11) 3721-0231- pathworksp@pathwork.com.br - www.pathworksp.com.br
Pathwork® Bahia (Chapter). ACM 2501, Ed. Prof. Center sala 412, Candeal - 40288-900 Salvador - Telefax (71) 3353-7091 - pathworkbahia@yahoo.com.br –
www.pathworkba.com.br
Pathwork® Brasília - Goiás (Chapter)
S.T.N. Centro Clínico Life Center, sala 113 - 70630-000 Brasília, DF - Tel: (61) 3340-5253 - eloisaprata@brturbo.com.br
Pathwork® Ceará (Chapter)
Rua Joaquim Ferreira, 911 - 60832790 Fortaleza - Tel.(85)34768142 cel- (85)88730027– karinebb@uol.com.br
Pathwork® Minas Gerais (Chapter)
Rua Santa Catarina 1630 - Pilotis e sala 102 Bairro de Lourdes - 30170-081 Belo Horizonte, MG - Tel: (31) 3335-8457 - rnlac@terra.com.br
Pathwork® Paraíba (Chapter)
Rua Josias Lopes Braga, 497, Bairro Bancários - 58000-000 João Pessoa, PA - Tel: 083 3235-5188 / 9967-8303 / 3224-2362 - claubetenobrega@terra.com.br
Pathwork® Rio de Janeiro Espírito Santo(Chapter)
Rua Duque Estrada, 57/102 Gávea - 22451-090 Rio de Janeiro, RJ - Tel: (21) 2529-2322 / 82244333 - Fax: (21) 2113-0941 - gmdell@globo.com -
www.pathworkrio.com.br
Pathwork® Rio Grande do Sul (Chapter)
Av. Iguaçu, 485, cj. 401 - 09047-430 Porto Alegre, RS - Tel: (51) 3331-8293- renatemullercaminha@terra.com.br. www.pathworksul.com.br
Palestra do Guia Pathwork nº 21
Palestra Não Editada
17 de janeiro de 1958

A QUEDA

Saudações em nome do Senhor! Abençoados sejam todos vocês. Meus queridos amigos, da
última vez falei como o mal passou a existir. Essa questão perturbou muitas pessoas que não
conseguem imaginar como um Deus de amor poderia permitir a existência do mal. Para os amigos
que aqui estão pela primeira vez esta noite, seria aconselhável ler as duas últimas palestras para
entender a palestra de hoje, que é uma continuação delas.

Em resumo, eu expliquei como, muito antes da existência do mundo material, uma parte dos
seres criados que haviam sido dotados de livre arbítrio e também de um certo poder, abusaram desse
poder. Expliquei como isso aconteceu, muito lentamente. A queda dos anjos, como é chamado esse
acontecimento, aconteceu muito lentamente – poderíamos dizer que foi um lento processo de
degeneração, no qual tudo que era divino, muito lenta e gradualmente, se transformou em seu
aspecto oposto. E com isso houve uma separação entre os que abusaram e os que não abusaram do
poder. Já disse muitas vezes – e isso se aplica a todos os seres, espirituais ou humanos – que as suas
atitudes, opiniões, sentimentos e pensamentos criam os mundos espirituais, mesmo que vocês ainda
vivam na terra. Assim, cada um de vocês cria um mundo, que será seu. Da mesma forma, os
espíritos que participaram da queda criaram novos mundos de acordo suas atitudes mudadas –
mundos escuros, mundos que muitas vezes são designados o inferno. As atitudes de desarmonia e
ódio criaram formas correspondentes. Não existe uma possibilidade apenas a esse respeito. Vamos
supor que um ser esteja em perfeito estado e tenha como característica peculiar uma grande força de
amor, o fogo do divino amor. Essa força de amor se transformou em seu oposto e criou um fogo de
ódio e perversidade. Assim, passaria a existir um mundo ígneo de intensa desarmonia. Vocês vêem
que todas essas lendas não são tão irreais quanto poderiam parecer. Vamos supor que outro
indivíduo, em perfeito estado de desenvolvimento, tenha como característica peculiar a serenidade, o
discernimento, a reflexão imparcial. Esses atributos permitiriam a esse ser fazer avançar a criação
divina de um determinado modo, através de lentos desdobramentos desse poder criador especial.
Dirigido para a força oposta, esse atributo criaria um mundo de frieza gelada, de escuridão gelada e
desolação. Há muito mais possibilidades de transformação da infinita variedade de atributos divinos
em sua natureza oposta, com a criação de mundos correspondentes no mundo da escuridão, assim
como há possibilidades infinitas nos mundos divinos. Essas esferas de fogo ou de frieza gelada – no
sentido espiritual, naturalmente – são apenas dois exemplos. Existem as esferas de lodo e sujeira.
Existem as esferas de intenso sofrimento por excesso de aglomeração, ou por isolamento, e muitas,
muitas outras variedades.

Como um dos mais importantes aspectos divinos é o livre arbítrio e a liberdade de escolha, ele
precisava também transformar-se em seu oposto! O primeiro espírito a sucumbir à tentação do
abuso do poder, que às vezes é chamado Lúcifer, ou Satanás, ou Demônio, que influenciou e levou

by Eva Broch Pierrakos


 1999 The Pathwork Foundation (An Unedited Lecture)
Palestra do Guia Pathwork No. 21 (Palestra Não Editada)
Página 2 de 12

outros a segui-lo, naturalmente seria o primeiro desse novo mundo que passou a existir. E ele
exercia poder total sobre seus seguidores e, ao contrário de Deus, usava esse poder. Deus dá a
liberdade de escolha, e isso tem mais importância do que a maioria de vocês percebe. Com essa
liberdade, existe necessariamente a possibilidade de abusar do poder dado, de usá-lo contrariamente
às leis divinas. Não pode haver felicidade divina, na verdade não pode haver nenhuma divindade, se
ela não puder ser atingida ou mantida por livre escolha. Da mesma forma, o oposto de Deus e Suas
leis é, naturalmente, a proibição dessa livre escolha e o domínio dos mais fracos pelos mais fortes.

Esse estado de coisas parecia insolúvel no que diz respeito à salvação dos seres caídos. Pois
mesmos que eles chegassem a ponto de desejar voltar a Deus, não teriam o poder para fazê-lo, pois
estavam sob o domínio daquele que reina no mundo da escuridão. Por um lado, como poderia Deus
não quebrar Suas próprias leis e salvar os seres que ansiavam por Ele? Se Ele usasse seu poder
infinito, passando por cima do livre arbítrio e da opção daqueles que decidiram usar o poder
concedido a seu próprio modo, na verdade Ele agiria, em princípio, como Lúcifer. Aqui, mais do
que em tudo o mais, era da máxima importância manter o princípio divino. Permanecer fiel a Si
mesmo e a Suas leis representava a diferença fundamental entre a maneira de Deus e a maneira de
Lúcifer. Como, de acordo com o plano de Deus, toda criatura deve em algum momento voltar a Ele,
por livre escolha, e reconhecer e reconquistar a divindade, era imperioso que Ele não usasse os
mesmos meios de força que Seu adversário, mesmo que o fim fosse bom. Não é só o fim o que
importa, os meios também importam! Somente a fidelidade a esses princípios poderia permitir ao
mais teimoso dos seres caídos, um dia, enxergar a enorme diferença entre as duas posturas e a
dignidade desses princípios divinos, mesmo que isso significasse um caminho de sofrimento para
aqueles que desejassem sair dessas circunstâncias penosas, criadas por eles mesmos. Como a vida
espiritual tem relação direta com a harmonia interior, a iluminação e a atitude geral, os espíritos que
haviam se tornado desarmônicos não podiam simplesmente ser “colocados” num mundo de
harmonia, como se viaja para um belo país. Em termos de espírito, o país é você, é o seu produto.
Portanto, os espíritos caíram precisavam e precisam atingir um estado em que, naturalmente,
produzissem outra vez mundos harmoniosos. É natural que isso só pode ser conseguido através do
mesmo processo lento de desenvolvimento que caracterizou a queda e sua degeneração. E também
precisa acontecer por livre escolha, como agora vocês já entendem, de modo que perguntas como
“por que Deus não eliminou o mal?”, etc., não são mais cogitadas por vocês. Por outro lado, era
preciso encontrar meios para que as criaturas que quisessem voltar para Deus e manter Suas leis, e
não as leis de Lúcifer, pudessem fazê-lo no âmbito das leis de Deus, segundo as quais não se deve
limitar o livre arbítrio de ninguém, nem do próprio Lúcifer. E esse é o grande plano de salvação, no
qual Cristo desempenhou o maior papel. Sobre isso falarei com mais detalhes da próxima vez.

Essas esferas de escuridão passaram a existir quando os espíritos viviam sob o domínio de
Lúcifer. A princípio, não havia nenhum anseio, nenhuma sensação da luz que eles haviam possuído
um dia. Somente depois de provar bastante o “remédio” que haviam escolhido, com toda a sua
desolação, é que começou a brotar em alguns daqueles seres um vago anseio por outra coisa, que
eles não sabiam bem o que era. Nem é preciso dizer que a memória de Deus e Seus mundos havia se
extinguido na medida em que a desarmonia foi se instalado, mas a lembrança ressurgiu quando a
atitude mudou, porém essa mudança só poderia ser extremamente lenta. A escuridão espiritual anula
o conhecimento, pois a luz espiritual é o conhecimento. Assim como acontece com os seres
humanos, se vocês não têm iluminação espiritual, precisam trabalhar espiritualmente para
reconquistar alguns vislumbres de luz. O vago anseio que a princípio algumas, e mais tarde mais
criaturas sentiram foi suficiente para trazer um raio de luz àquele mundo, como se uma aurora
Palestra do Guia Pathwork No. 21 (Palestra Não Editada)
Página 3 de 12

distante mudasse um pouco seus contornos. O frio já não era tão frio; o fogo já não era tão quente;
a imundície não era tão imunda; a solidão não era tão insuportável e sem esperança.

Quando um número suficiente de espíritos começou a sentir esse anseio e o anseio aumentou,
havia chegado o momento para passar a existir o mundo material. Vocês podem dizer que Deus
criou este mundo material – o que é verdade – pois nada pode ser criado sem a força criadora divina.
Mas é igualmente verdadeiro dizer que o mundo material foi criado pelo anseio de alguma coisa
superior. Esse mundo em que vocês vivem agora é o produto desse desejo de se elevar, onde
existem algumas condições em que o desenvolvimento pode ocorrer, e no qual a livre escolha por
Deus pode ser feita , o que é impossível nos mundos da escuridão. Em outras palavras, a esfera
terrestre é o produto do anseio dos espíritos caídos. Mas ela é também um produto do anseio de
todos os seres que permaneceram com Deus, cujo desejo mais profundo era e é trazer seus irmãos e
irmãs de volta a Deus. Portanto, tanto os mundos divinos como os mundos da escuridão
contribuíram para a criação da esfera terrestre; assim, existe a influência dos dois mundos, que se
manifesta de acordo com a atitude individual de um ser, que também neste plano tem o poder da
livre escolha. As condições e circunstâncias da esfera terrestre são diferentes, é claro, devido a essa
nova forma da matéria; por outro lado, as circunstâncias variam em todas as esferas.

Muito antes de esses espíritos caídos terem progredido o bastante para nascerem como
homens e mulheres, a força vital espiritual agiu e criou outras formas de vida – não apenas animais,
vegetais, minerais, mas a força vital original que atua se manifesta em todo ser criado – criou, por
assim dizer, outras substâncias, substâncias que naturalmente a princípio não tinham
autoconhecimento, assim como uma planta ou um mineral não têm autoconhecimento. Mas com o
passar do tempo, mais e mais seres entraram nesse estado de anseio por luz – talvez esse fosse o
único sentimento que aqueles seres tinham naquela época – aos poucos, de maneira muito gradual o
homem em forma material passou a existir, depois de vários estados intermediários. Quando isso
aconteceu, estava terminada uma importante fase. Foi nessa época que o primeiro vislumbre de
autoconhecimento nasceu, ou renasceu, ou redespertou. E mais e mais pessoas vieram viver na terra.

É somente com esse autoconhecimento, que abrange pensar e decidir, que pode haver
desenvolvimento. Em outras palavras, o autoconhecimento é uma condição necessária. Todas as
formas de vida anteriores ao homem chegaram apenas até esse ponto.

Agora todos vocês sabem que o homem produz seu mundo espiritual. Na terra, onde também
havia a influência de Deus, pela primeira vez desde a queda o homem tinha a possibilidade de
aprender, de mudar, de voltar-se para Deus, e assim criar um mundo melhor para si mesmo, em
matéria e em espírito. Para esse mundo ele ia após a morte material, e também quando seu corpo
descansava durante o sono. Desse mundo ele recebia inspirações e influências de toda espécie. É por
isso que o desenvolvimento não podia prosseguir com mais rapidez, pois todos os seres encarnados
a princípio se desenvolviam muito lentamente, recebendo constantes influências de sua própria
esfera. Se o mundo de Deus não tivesse também atuado na terra, não haveria nenhuma diferença
entre a esfera terrestre e a esfera do mundo da escuridão, pois nesse caso haveria apenas a influência
dessa segunda esfera.

Vocês todos, meus amigos, precisam entender que só posso fazer uma descrição muito, muito
aproximada de tudo isso. Estão envolvidas as maiores questões, que não podem ser plenamente
entendidas por nenhum ser humano, primeiro porque a linguagem humana é limitada demais, e o
Palestra do Guia Pathwork No. 21 (Palestra Não Editada)
Página 4 de 12

entendimento humano também é muito limitado. Portanto, normalmente nem falo muito sobre
tudo isso, porque o principal é que vocês aprendam a conhecer sua própria alma e, assim, se
desenvolver espiritualmente. No entanto, muitas vezes o homem se indaga sobre essas questões
fundamentais, não apenas por curiosidade superficial, mas em boa fé, e a ignorância e conceitos
errados sobre alguns desses pontos podem atrapalhar seriamente o desenvolvimento. É por isso que
fui encarregado de dar essa série de palestras, mesmo que alguns de vocês ainda não tenham
percepção interior suficiente para captar e sentir a verdade e o profundo significado de tudo isso não
apenas de modo geral, mas de modo muito específico na vida de vocês.

Como se manifestou a influência do mundo de Deus? Poderiam os anjos de Deus guiar e


inspirar esses seres humanos encarnados, vindos das esferas da escuridão, e ficar em contato com
eles? Isso seria impossível, pois de acordo com a lei universal, o homem deve dar o primeiro passo
para receber o ajuda do mundo de Deus. Como poderia ele dar esse passo, se todo o seu ser ainda
era tão rude que ele não tinha nenhuma vaga noção de Deus, nenhuma idéia do Seu mundo,
nenhuma idéia do que fazer? Por outro lado, o mundo de Deus era co-criador da terra material e
assim, de acordo com a lei do livre arbítrio, tinha direito de tornar sua influência manifesta na terra.
A resposta é que espíritos puros, que permaneceram nos mundos divinos, encarnaram em todas as
épocas. Sem dúvida eram muito poucos, mas a influência de um ser deves sobrepuja em muito a
força e a influência de uma centena de criaturas do mundo das trevas. Esses espíritos, encarnados do
mundo de Deus, trouxeram com eles a luz, o amor e a sabedoria. Eles cumpriram uma grande
missão com sua encarnação na terra, e sua influência teve alcance muito maior do que pode parecer
à primeira vista. Como essa influência cresceu firmemente através das eras, os espíritos caídos
puderam, durante sua encarnação na terra, escolher livremente a que lado dar ouvidos: ao que falava
a sua natureza inferior ou àquele que parecia levá-los sempre para cima, por difícil que fosse o
caminho. Através dessa livre escolha, a lei de Deus com relação a esse aspecto não foi violada.

A comunicação com o além não ocorreu apenas por meio de orientação e inspiração, mas
sempre existiu – e sempre existirá – uma forma mais direta de comunicação, ou seja, aquilo a que
vocês chamam de “mediunidade”, em várias formas: com que esferas do além depende inteiramente
da atitude, do objetivo, do desenvolvimento geral da pessoa em questão – não apenas do médium,
mas também das pessoas que recorrem àquele canal. Nem é preciso dizer que os seres humanos que
foram espíritos caídos não poderiam ter nenhuma outra comunicação, nesses primeiros tempos, a
não ser com o mundo das trevas. Mas os espíritos puros encarnados naturalmente se comunicavam
com o mundo de Deus, e isso sobrepujava tanto o perigo e os danos de uma comunicação com os
mundos infernais que, por assim dizer, “valia a pena”. Se podia haver comunicação com um dos
mundos, a ligação com o outro estava dentro da lei. Se uma delas fosse impossível, a outra seria
igualmente impossível. O raciocínio dos seres humanos a esse respeito, aliás, contém um grande
erro. Eles alegam que qualquer comunicação com o além é demoníaca e perigosa, que é a única
possível. Não poderia ter havido desenvolvimento algum nesses primeiros tempos se os espíritos
puros que estavam encarnados não pudessem ter estabelecido uma ligação muito direta com o
mundo de Deus, de onde a verdade poderia vir ao homem. Mas para ter esse benefício e permanecer
no âmbito da lei divina, como explicado no início desta palestra, era preciso haver uma igualdade,
para que cada pessoa pudesse exercer o direito de livre escolha. Era preciso haver uma influência
igual dos dois lados. Uma influência igual significa que um número menor de seres do mundo divino
vivia na terra, porque a força deles sempre sobrepuja e sobrevive à influência do mal. No entanto,
principalmente nos primeiros tempos, existia um grande intercâmbio entre o mundo material e o de
Lúcifer. Os espíritos das trevas diziam que eram deuses e fariam aos homens concessões de todo
Palestra do Guia Pathwork No. 21 (Palestra Não Editada)
Página 5 de 12

tipo se o homem, por sua vez, fizesse o que eles determinavam. Com todo o prejuízo e perigo, como
eu disse, as poucas comunicações com o mundo de Deus compensavam cem vezes esses danos. Os
espíritos puros encarnados tinham, por um lado a iluminação para espalhar a verdade divina e, por
outro, os requisitos necessários para estar em comunicação com o mundo de Deus, como
instrumentos. Sem isso, não poderia ser dado o bastante à humanidade, porque embora esses seres
puros não abrigassem nenhum mal, a casca material tira muita coisa para que eles pudessem dar, de
seu próprio ser, ensinamentos suficientes. Assim, a verdade foi disseminada da maneira que a
humanidade, em cada período específico, estava pronta para absorver.

E assim continuou por um longo tempo. Aos poucos, mais espíritos caídos chegaram ao
estado em que conseguiam reconhecer Deus. Seu anseio se tornou consciente e significativo. Dessa
forma a vontade pôde se desenvolver e superar os impulsos malignos, a natureza inferior. Essa
mudança que começou a ocorrer teve um efeito muito maior do que se pode perceber à primeira
vista. Nenhum de vocês entende plenamente que, se uma única pessoa se desenvolve, se realmente
faz tudo que está a seu alcance, ela não está apenas ajudando a si mesma, mas contribui com o mais
valioso poder cósmico para um grande reservatório que acabará tendo um efeito decisivo e se
espalhará consideravelmente, mesmo que a própria pessoa em questão não chegue nem a observar
uma parte desse efeito. Talvez ela veja alguma coisa em seu ambiente imediato: como, por causa de
repente, também seus semelhantes começam a mudar um pouquinho. Mas a pessoa não vai saber,
enquanto estiver na terra, como é imenso o efeito do menor dos esforços nessa direção. Nenhum
esforço desses é em vão, meus amigos! É como se vocês jogassem uma pedra num lago de águas
calmas. Formam-se anéis e mais anéis, que vão tão longe que os olhos não podem acompanhar –
mas eles estão lá. Se uma pessoa supera uma única fraqueza, isso constitui a melhor ajuda nesse
grande plano de salvação.

Da próxima vez vou começar desse ponto, falando mais sobre o papel de Jesus Cristo no
plano de salvação.

Agora podem fazer as perguntas, meus amigos, gostaria de me estender mais em algumas
respostas.

PERGUNTA: Eu queria perguntar o seguinte: a dissecação do cérebro de Einstein não


mostrou nenhuma diferença relevante, anatomicamente, com os outros seres humanos. Qual é, no
sentido metafísico, o veículo da inteligência e do intelecto do ponto de vista psicológico?

RESPOSTA: Essa experiência é o melhor exemplo de que a inteligência não está no corpo
físico. A capacidade de pensar, de criar e assim por diante nada tem a ver com os órgãos físicos, a
não ser, naturalmente, que o órgão físico seja lesionado, o que só afetaria o corpo sutil
correspondente. Creio que a maioria de vocês sabe que todo o raciocínio está no corpo sutil, em um
dos corpos sutis, assim como o sentimento está em outro corpo sutil. À medida que o
desenvolvimento ocorre, esses corpos sutis se integram e no fim transformam-se em um só, no
corpo sutil eterno, último, final. Não importa quantas camadas ainda existam, além da camada física,
elas acabarão por se desintegrar e culminarão no corpo espiritual, em uma forma purificada.
enquanto isso não acontecer, existe essa divisão, cada função pertencendo a uma camada especial ou
corpo sutil. A camada física tem como única função a vida física em seus diversos aspectos. Mas o
raciocínio ou o sentimento pertence a um plano diferente, e portanto ocorrem em uma camada ou
corpo diferentes.
Palestra do Guia Pathwork No. 21 (Palestra Não Editada)
Página 6 de 12

PERGUNTA: O raciocínio fica no corpo mental?

RESPOSTA: Sim, no corpo mental.

PERGUNTA: Eu gostaria de saber alguma coisa sobre os bodhisattvas em relação a Jesus


Cristo – existe alguma relação?

RESPOSTA: Diretamente não existe relação alguma. Essa palavra que vocês usam – nós
temos termos diferentes – designa um tipo especial de ser no mundo divino. Todos os seres criados
tinham, originalmente, um determinado aspecto divino particularmente desenvolvido, e a finalidade
da criação era que cada ser complementasse a criação desenvolvendo outros aspectos, para que se
atingisse a perfeição não apenas em um, mas em todos os aspectos. É assim que esse poder de
criação poderia ter sido usado por todos os seres, mas foi usado apenas pelos que não abusaram
desse poder. Portanto, a perfeição absoluta existe apenas em Deus e em Cristo, em quem existe mais
substância divina. A perfeição de todos os outros seres é relativa, mas poderia ter-se tornado total na
co-criação. Os chamados bodhisattvas são seres dotados de determinados aspectos da divindade,
cada um representando um aspecto diferente. Esse aspecto é a força particular deles, com a qual eles
contribuem para esse grande plano de salvação, de maneiras muito especiais e por diversos meios
especiais. Mas até o plano ser concluído, os seres puros envidam esforços para ajudar com sua força
particular, e somente depois o plano da criação será totalmente concluído, com o aperfeiçoamento
de cada ser em todos os aspectos. Atualmente apenas Cristo (com exceção de Deus, naturalmente), é
perfeito em todos os aspectos, tem todos os talentos totalmente desenvolvidos. Todos os outros
seres têm as características com que foram criados, e Deus deixou a cargo deles, a cargo de todos
nós, continuar Sua criação desenvolvendo todas as características, aspectos, talentos, etc., até a
perfeição. Portanto, não é totalmente verdadeiro dizer que todos os seres criados já foram um dia
completamente perfeitos, como é o Absoluto. Fomos perfeitos cada um à sua moda, e isso
naturalmente é sempre relativo. Vocês podem ser perfeitos no âmbito do seu desenvolvimento atual,
por exemplo, mas isso não significa que vocês sejam absolutamente perfeitos. Alguém com um
desenvolvimento muito menor que o de qualquer um de vocês aqui pode ser relativamente mais
perfeito que alguns de vocês, de quem se poderia esperar mais. Assim, a perfeição é relativa
enquanto o plano da criação não for consumado, com exceção de Deus e Cristo. E isso deve
responder a sua pergunta, pois os seres que você mencionou são perfeitos apenas em alguns
aspectos, enquanto Cristo é perfeito em todos.

PERGUNTA: Da última vez você respondeu a uma pergunta sobre a força de vontade e o
autocontrole. Mas eu acho que é importante cada um se enxergar no contexto de sua própria
realidade. Assim, seria necessário ter essa percepção para poder se aperfeiçoar. Como se pode chegar
a esse autoconhecimento?

RESPOSTA: Essa é uma pergunta muito boa e muito importante. Claro que eu falo muito
sobre esse assunto aos meus amigos com os quais trabalho privadamente, e também já falei sobre
esse tema uma vez ou outra em palestras gerais, mas a questão é tão básica e importante que nunca é
demais enfatizar, e é muito válido voltar a tocar no assunto de tempos em tempos. Como você bem
disse, antes de se poder fortalecer a força de vontade e o autocontrole, é preciso ter um certo grau
de autoconhecimento, para ter uma idéia bem clara da razão por que você quer desenvolver esses
atributos, qual é o seu objetivo, em que direção devem ser utilizados a força de vontade e o
Palestra do Guia Pathwork No. 21 (Palestra Não Editada)
Página 7 de 12

autocontrole. Por um lado, ter força de vontade, a razão precisa estar clara; por outro lado, descobrir
os verdadeiros objetivos e desejos, e o que é mais importante, adquirir autoconhecimento, vocês
precisam, definitivamente, já ter uma certa dose de força de vontade. Assim, há uma interação. Mas
de qualquer modo o primeiro passo na seqüência correta seria determinar quais são as questões em
jogo: por que é necessário ter autoconhecimento, quais são as vantagens, quais são as desvantagens
de não ter. Depois de entenderem isso claramente, vocês podem tomar a decisão correta. Vocês
precisam adquirir esse entendimento claro se realmente quiserem começar a pensar na questão
objetivamente, sem levar em conta as resistências da natureza inferior. Tudo que é necessário é não
fugir da questão e levar o assunto até o fim. Não é tão difícil assim; basta ter um pouco de coragem
e sabedoria. Todo o mundo tem, em seu íntimo, essa coragem e essa sabedoria; é apenas uma
questão de deixar que ela venha à tona. Assim, como acontece com a força de vontade, também
nesse caso trata-se de primeiramente tomar a decisão correta, decidir de uma vez por todas. O
problema é que as pessoas não conseguem fazer isso, e se esquivam das decisões relativas à vida
interior. Elas fogem dessas questões, sentindo de alguma forma que isso poderia ser desagradável;
preferem encobrir a questão ao invés de examiná-la com os olhos bem abertos, a mente imparcial,
sem mimar o eu preguiçoso que gosta tanto de se espojar no pântano da satisfação dos próprios
desejos. Deve-se determinar por que razão o autoconhecimento causa perturbação e desconforto.
Não é tão difícil encontrar a resposta, pelo menos não para a pessoa que sabe que existe Deus,
mesmo que muitas das Suas facetas e de Sua Criação ainda sejam ignorados. Se houver apenas uma
fraca crença e esse pensamento ou percepção for levado até as últimas conseqüências, haverá
necessariamente o entendimento de que é preciso se desenvolver. Esse autodesenvolvimento não
pode ocorrer sem o autoconhecimento. O autoconhecimento é a única coisa que realmente importa,
a única coisa, meus amigos! Nada mais serve para nada, nada mais suscitará o desenvolvimento,
permitirá que vocês tenham verdadeira fé e verdadeiro amor por Deus acima de todas as coisas, por
seus semelhantes e por si mesmos. Vocês precisam começar com vocês mesmos para poderem
conquistar tudo isso, conquistar a liberdade e a harmonia pelas quais anseiam no mais recôndito do
seu ser. Não importa o caminho que escolherem, se ele não incluir ou se não tiver como requisito
importante o autoconhecimento total, vocês não conquistarão nada! Por mais que aprendam e leiam
e façam isso ou aquilo, tudo isso não servirá para nada a menos que vocês usem o conhecimento
adquirido para trilhar esse caminho do autoconhecimento.

Como se faz isso? Não é fácil, naturalmente. Mas suas recompensar são as mais valiosas, pois
esse caminho é o único que traz como resultado a sua liberação. É lógico, portanto, que não pode
ser fácil. Significa, em primeiro lugar, ser capaz de ter humildade. Sim, meus amigos, ninguém gosta
de ouvir isso. A vontade, o ego e a vaidade existem em todos os seres humanos e são o maior
entrave para a perfeição, a fé, a harmonia e o amor. Sejam quais forem as falhas individuais, isso se
aplica a cada um que passa pelo ciclo das encarnações, em outras palavras, que não é um espírito
puro. Assim, se vocês quiserem adquirir autoconhecimento, precisam primeiramente aceitar a idéia
de que “preciso fazer o que é mais difícil para mim!” Esse é o segredo. Se o mais difícil para vocês
for mostrar uma determinada fraqueza, é exatamente disso que a sua alma precisa para se libertar de
suas cadeias. Ou se for difícil para vocês renunciar à sua vaidade em outro aspecto, ao seu egoísmo,
é exatamente isso que vocês devem atacar – livremente, porque assim decidiram, não porque a vida
os obrigue a agir assim. Vocês vêem, meus amigos, as leis divinas foram feitas de tal modo que
aquilo de que vocês precisam acaba, de uma forma ou de outra, vindo até vocês. Mas seria muito
mais fácil se vocês não ficassem esperando