Você está na página 1de 43

Trabalho de Edificações

Estruturas e Alvenaria

Amanda Cortez, Amanda Ferreira, Carolina Stellet e Julya Marçal

Estruturas na Construção Civil

A execução das obras que guiam a construção civil, e assim das estruturas que às constitui, deve ser realizada de acordo com um planejamento

O avanço tecnológico e a busca por novos materiais fez com que se

expandisse a variedade de estruturas.

Hoje em dia são utilizados basicamente três tipos de estrutura: estrutura de

Concreto Armado, estrutura de Madeira e estrutura de Aço ou Metálica

basicamente três tipos de estrutura: estrutura de Concreto Armado, estrutura de Madeira e estrutura de Aço

Estruturas de Concreto Armado

Material estrutural mais utilizado na construção civil ao redor do mundo

Estrutura predominante no Brasil

O Concreto Armado une a resistência à compressão e durabilidade do

concreto com a resistência à tração do aço.

Larga utilização, pois seus materiais constituintes possuem alta disponibilidade e o aço ainda possuí facilidade de aplicação.

pois seus materiais constituintes possuem alta disponibilidade e o aço ainda possuí facilidade de aplicação.

Aplicação

Edificações com diversos pavimentos

Pontes

Obras de saneamento

Paredes de contenção

Viadutos

Portos

Túneis

Estádios

Barragens

Usinas Hidrelétricas

Paredes de Contenção

Estações de tratamento de água

Pavimentos Rodoviários e de aeroportos

• Paredes de Contenção • Estações de tratamento de água • Pavimentos Rodoviários e de aeroportos
• Paredes de Contenção • Estações de tratamento de água • Pavimentos Rodoviários e de aeroportos

Vantagens

Econômico pois conta com uma matéria-

prima com custo relativamente baixo

Relativa rapidez na construção

Sua conservação, pois possui boa durabilidade;

Impermeabilidade;

Não exige mão de obra muito especializada

Resistente ao fogo, às influências atmosféricas, ao desgaste mecânico, ao choque de vibrações

Adaptabilidade, favorecendo a arquitetura por sua fácil modelagem

Desvantagens

Elevado peso próprio

Dificuldade na realização de reformas e demolições, pois são de difícil execução, se tornando trabalhosas e caras;

Ocorrem fissurações, que sempre

ocorrem e devem ser controladas;

Não proporciona adequado índice de isolamento térmico e acústico, principalmente quando instalado em lajes maciças com espessura reduzida;

Estruturas Metálicas

Desde quando se iniciou a utilização de estruturas metálicas na construção

civil até os dias de hoje, o aço tem possibilitado aos arquitetos, engenheiros e construtores, soluções arrojadas, eficientes e de alta qualidade.

Com uso desse metal, foi possível criar construções cada vez maiores e mais leves. Essas criações não seriam possíveis com a rigidez e o peso do concreto

construções cada vez maiores e mais leves. Essas criações não seriam possíveis com a rigidez e
construções cada vez maiores e mais leves. Essas criações não seriam possíveis com a rigidez e

Aplicação

Galpões Metálicos

Prédios comerciais, residenciais e hospitalares

Estruturas tubulares, geralmente empregadas na condução de cabos de telefonia

e internet, no escoamento de petróleo.

Estruturas reticuladas, que são perfis treliçados

Silos, tanques e esferas de armazenagem, para armazenar material a granel, como grãos, líquidos e gases.

• Silos, tanques e esferas de armazenagem, para armazenar material a granel, como grãos, líquidos e
• Silos, tanques e esferas de armazenagem, para armazenar material a granel, como grãos, líquidos e

Vantagens

Liberdade no projeto de arquitetura

Flexibilidade

Proporciona maior área útil

Menor prazo de execução

Racionalização de materiais

Alívio de carga nas fundações

Garantia de qualidade, por conta do rígido

controle durante todo o processo industrial;

Organização do canteiro de obras

Precisão construtiva, pois nas estruturas de concreto a precisão é medida em cm , e na estrutura metálica em mm

Reciclabilidade

Desvantagens

Custo

Sua execução exige mão-de-obra qualificada

O aço torna viável a fabricação apenas de elementos lineares ( vigas, pilares e treliças). Para lajes, o aço tem que ser

associado ao concreto;

Limitação do mercado, em algumas regiões do Brasil, por exemplo, não há a tradição de utilizar esse tipo de

estrutura;

Pouco indicado em construções

pequenas, já que é uma estrutura industrial, não justifica economicamente

a encomenda de poucas peças.

Estruturas de Madeira

A utilização da madeira na construção civil é uma realidade desde os tempos mais antigos

Utilizada tanto de maneira funcional, como em estruturas e coberturas,

quanto de maneira decorativa.

De lá pra cá as técnicas de construção com madeira mudaram e se aprimoraram, houve melhoramento em relação à resistência ao tempo.

técnicas de construção com madeira mudaram e se aprimoraram, houve melhoramento em relação à resistência ao
técnicas de construção com madeira mudaram e se aprimoraram, houve melhoramento em relação à resistência ao

Aplicação

Residências

Passarelas

Construções rurais

Pontes (com grande utilização do eucalipto)

Cimbramentos

Edificações em ambientes altamente corrosivos, como locais à beira-mar

Telhados e coberturas

Cimbramentos • Edificações em ambientes altamente corrosivos, como locais à beira-mar • Telhados e coberturas
Cimbramentos • Edificações em ambientes altamente corrosivos, como locais à beira-mar • Telhados e coberturas
Cimbramentos • Edificações em ambientes altamente corrosivos, como locais à beira-mar • Telhados e coberturas

Vantagens

Produto natural e renovável

Ótimo isolante térmico, podendo reduzir

a energia utilizada na climatização de

ambiente

Fácil trabalhabilidade

Boa absorção acústica

Segurança

Montagem rápida

Preço competitivo com o de outros materiais nobres

Resistência mecânica à tração e compressão

Resistência a choques e cargas dinâmicas

Desvantagens

Material heterogêneo e anisotrópico

É relativamente vulnerável ao

ataque de insetos e fungos

Inflamabilidade

Sensível ao ambiente, podendo

aumentar ou diminuir suas dimensões de acordo coma variação de umidade

Patologias e Cuidados nas Fases das Obras

Controle de Qualidade

Justificativa: Quantidade de problemas nas edificações e exposição de vidas

Objetivo: Evitar problemas patológicos

Atuação: Nas diversas fases da obra (projeto, produção, execução,

transportes e outros)

: Nas diversas fases da obra (projeto, produção, execução, transportes e outros) Principais causas das patologias

Principais causas das patologias

Concreto Armado Fase de Projeto

Representação gráfica da estrutura e fornecimento das especificações do

concreto, do aço e das peças

Modelos físicos e matemáticos feitos através da técnica de discretização

Softwares que analisam a estrutura de modo global

• Softwares que analisam a estrutura de modo global Planta de fôrma Detalhamento de armadura Esquema

Planta de fôrma

• Softwares que analisam a estrutura de modo global Planta de fôrma Detalhamento de armadura Esquema

Detalhamento de armadura

• Softwares que analisam a estrutura de modo global Planta de fôrma Detalhamento de armadura Esquema

Esquema estrutural

Concreto Armado Fase de Projeto

Possíveis problemas na estrutura, originados nessa fase:

Erro na consideração das cargas atuantes

Fissuras e trincasnessa fase: • Erro na consideração das cargas atuantes • Análise incorreta do solo e suas

Análise incorreta do solo e suas resistências

Recalquestrincas • Análise incorreta do solo e suas resistências • Dimensionamento inadequado das peças Grandes

Dimensionamento inadequado das peças

Grandes deformações e fissurasRecalques • Dimensionamento inadequado das peças • Incompatibilização dos projetos Atraso da obra para

Incompatibilização dos projetos

Atraso da obra para revisão dos projetosGrandes deformações e fissuras • Incompatibilização dos projetos Fissura em parede Recalque Deformação de laje

dos projetos Atraso da obra para revisão dos projetos Fissura em parede Recalque Deformação de laje

Fissura em parede

dos projetos Atraso da obra para revisão dos projetos Fissura em parede Recalque Deformação de laje

Recalque

dos projetos Atraso da obra para revisão dos projetos Fissura em parede Recalque Deformação de laje

Deformação de laje

Concreto Armado Produção e Execução

Concreto Pré Moldado

Não tem a necessidade de escoramento

Pode ser montado em fábrica ou no canteiro de obra

Concreto moldado in loco

Processos:

Montagem das fôrmas

Montagem das armaduras e embutidos

Concretagem

Desforma e retirada do escoramento

armaduras e embutidos • Concretagem • Desforma e retirada do escoramento Fôrmas Concretagem Escoramento

Fôrmas

armaduras e embutidos • Concretagem • Desforma e retirada do escoramento Fôrmas Concretagem Escoramento

Concretagem

armaduras e embutidos • Concretagem • Desforma e retirada do escoramento Fôrmas Concretagem Escoramento

Escoramento

Concreto Armado Produção e Execução

Em edificações, as fôrmas e escoras atuam ajudando na sustentação do pavimento até que ele ganhe resistência para sustentar o pavimento acima dele.

Deve-se atentar para as ações que atuam durante a construção além das que

são facilmente estimadas (peso próprio do concreto, das fôrmas e escoras), como peso dos trabalhadores, equipamentos, materiais, entulhos e etc.

Se necessário, para evitar sobrecarga, pode ser alterado o processo de construção.

Concreto Armado Produção e Execução

Concreto Armado – Produção e Execução Etapas de Concretagem e Problemas • Mistura: Cimento, água, areia

Etapas de Concretagem e Problemas

Mistura: Cimento, água, areia e brita são misturados nas quantidades adequadas, em betoneiras ou

centrais dosadoras.

Problemas: Não errar nas quantidades de materiais colocados pois pode alterar o traço ou o fator água/cimento

Não errar nas quantidades de materiais colocados pois pode alterar o traço ou o fator água/cimento

Mistura em Betoneira

Concreto Armado Produção e Execução

Etapas de Concretagem e Problemas

Transporte: Após misturado, o concreto é

transportado ao local de lançamento

Problemas: Pode ocorrer segregação do concreto e perda de consistência

Lançamento: O concreto é colocado para moldagem das peças nas fôrmas Problemas: Em lançamentos com alturas acima de 2 metros também pode ocorrer segregação.

Adensamento: Consiste em movimentar o concreto para eliminação de vazios e excesso de água

evitando que a mistura fique porosa e desuniforme.

Problemas: Deficiência ou excessos de vibrações podem causar exsudação ou segregação

Cura: Se resume em manter a superfície do concreto úmida por um tempo permitindo completa

hidratação do cimento.

Problemas: Se for mal feita, pode causar fissuração e permeabilidade

cimento. Problemas : Se for mal feita, pode causar fissuração e permeabilidade Transporte de concreto Adensamento

Transporte de concreto

cimento. Problemas : Se for mal feita, pode causar fissuração e permeabilidade Transporte de concreto Adensamento

Adensamento

cimento. Problemas : Se for mal feita, pode causar fissuração e permeabilidade Transporte de concreto Adensamento

Cura

Concreto Armado Patologias

Trincas e Fissuras

Causas:

Sobrecarga

Falha na preparação do concreto

Retração por secagem

Falha de lançamento

Agentes agressivos

Falta de coesão e segregação do concreto

Causas:

Erro no adensamento

Erro no lançamento

Alteração do fator água/cimento

Deformação Excessiva

Causas:

Erro de projeto (Limites de utilização)

Erro de execução: desforma prematura de lajes

Armadura de baixa resistência

prematura de lajes • Armadura de baixa resistência Fissuras Concreto coeso e concreto não coeso Deformação

Fissuras

de lajes • Armadura de baixa resistência Fissuras Concreto coeso e concreto não coeso Deformação Excessiva

Concreto coeso e concreto não

coeso

baixa resistência Fissuras Concreto coeso e concreto não coeso Deformação Excessiva de laje com descolamento de

Deformação Excessiva de laje com descolamento de piso

Estruturas Metálicas Fases de Obra

Projetos

Projeto Estrutural: definição de cargas, perfis, seções transversais e

cálculo dos esforços

Projeto de Fabricação: detalhamento das peças e ligações

Projeto de Montagem: posicionamento das peças, ordem de montagem e metodologia da mesma

das peças, ordem de montagem e metodologia da mesma Modelo de estrutura métalica Detalhamento de viga

Modelo de estrutura métalica

das peças, ordem de montagem e metodologia da mesma Modelo de estrutura métalica Detalhamento de viga

Detalhamento de viga metálica

Estruturas Metálicas Fases de Obra

Fabricação

Nessa etapa os metais são transformados em estruturas pré-

moldadas.

Dentre os processos fabris, geralmente encontramos:

Furação

Desempeno e dobramento

Inspeção de dimensão

Inspeção de Solda

Acabamento

Solda

Preparo da superfície

Pintura

Inspeção de pintura

Expedição

• Acabamento Solda • Preparo da superfície • Pintura • Inspeção de pintura • Expedição Soldagem

Soldagem

• Acabamento Solda • Preparo da superfície • Pintura • Inspeção de pintura • Expedição Soldagem

Pintura

Estruturas Metálicas Fases de Obra

Montagem

São partes da etapa de montagem em campo:

Planejamento: processo de montagem, equipamentos necessários,

organização do espaço

Estocagem no canteiro de obras

Movimentação das peças

Ligação: Aparafusada ou soldada

Movimentação das peças • Ligação: Aparafusada ou soldada Canteiro de obras - organização Içamento de peças

Canteiro de obras - organização

Movimentação das peças • Ligação: Aparafusada ou soldada Canteiro de obras - organização Içamento de peças

Içamento de peças

Estruturas Metálicas Cuidados

No transporte e armazenamento

Transporte:

Disposição das peças no veículo: ordem de embarque de acordo com o

processo de montagem e peças mais pesadas devem ser embarcadas primeiro.

Utilização de caibros para evitar contato direto entre as peças e não causar danos a estrutura

Armazenamento:

Recomendável espaço suficiente para estoque em segurança

Respeitar limite de peso

Peças separadas por pontaletes de madeira para facilitar o içamento

• Respeitar limite de peso • Peças separadas por pontaletes de madeira para facilitar o içamento

Transporte

Estruturas Metálicas Cuidados

Técnicas de Içamento

Atividade feita com uso de gruas e guindastes

Determinação da carga útil da peça e o centro de gravidade da

mesma

Estabilidade estrutural na montagem

Plano de montagem que garante estabilidade estrutural para que o funcionamento da estrutura seja adequado até na fase de construção

Profissionais qualificados

Serviço que exige profissionais capacitados

Diminui as chances de erros na execução da estrutura

Estruturas Metálicas Cuidados

Proteção contra corrosão

Pinturas e revestimentos de acordo com a classificação do ambiente

Protege também outros elementos, como vedações e lajes

Ligações das peças

Controle desses processos tanto em fábrica quanto em obra é importante para durabilidade da estrutura

A má execução pode gerar desgastes nas peças ou até fissuras

Proteção contra incêndio

Aplicação de revestimento com argamassa contendo vermiculita

Revestimento de placas e mantas

contendo vermiculita • Revestimento de placas e mantas Pintura Furos não previstos no projeto R e

Pintura

vermiculita • Revestimento de placas e mantas Pintura Furos não previstos no projeto R e v

Furos não previstos no projeto

de placas e mantas Pintura Furos não previstos no projeto R e v e s t

Revestimento de argamassa

Estruturas de Madeira

Projeto

Arquitetos e Engenheiros devem ter plenos conhecimentos das propriedades das espécies de madeira mais apropriadas para a construção em questão:

- Fundamental para evitar futuras deteriorações;

- Determinar o tipo de construção, detalhes do sistema de proteção e construtivos;

- Assegurar a vida útil da edificação.

Defeitos que aparecem nas construções são

freqüentes e erroneamente atribuídos ao material usado, quando são verdadeiramente causados pela condição do material quando instalado, ou por deficiências do projeto, da construção ou da manutenção.

Uma das principais causas do desempenho não satisfatório tem sido o uso de madeira com teor de umidade não adequado.

Uma das principais causas do desempenho não satisfatório tem sido o uso de madeira com teor
Uma das principais causas do desempenho não satisfatório tem sido o uso de madeira com teor

Estruturas de Madeira

Alguns cuidados a ser tomados

- Evitar o contato direto com o solo;

- Manter as partes próximas às paredes livres de plantas, pois estas podem propiciar a retenção de umidade, causando o apodrecimento;

- O uso de barreiras impermeáveis sobre as superfícies do solo sobre as quais há peças de madeira e o uso de filmes impermeáveis entre a alvenaria, o

solo e as peças;

- As bordas das portas e janelas devem ter detalhes construtivos das molduras adequados para se evitar a penetração de água ou ar úmido;

- Beirais e calhas tornam-se elementos muito importantes em regiões de chuvas constantes e demoradas;

- Medidas de prevenção contra insetos, como cupins.

Estruturas de Madeira

Com um bom projeto em pauta, a madeira tem excelente função estrutural.

Construções feitas por pessoas despreparadas e sem conhecimento técnico, como pedreiros, carpinteiros, que são preparados para executar e não pra projetar, podem gerar complicações e diminuir a durabilidade do material.

Além disso, a questão ambiental gera grande preocupação, pois o uso da

madeira é rápida e equivocadamente associado à devastação das florestas.

Pensamento leigo, pois corresponde a um material renovável e seu uso não acarreta danos irreversíveis ao equilíbrio do ecossistema se for feito com responsabilidade ambiental e de forma sustentável.

danos irreversíveis ao equilíbrio do ecossistema se for feito com responsabilidade ambiental e de forma sustentável.

Estruturas de Madeira

Cotações de preços e fornecedores

O projeto pode ser realizado pela própria construtora ou por uma empresa terceirizada;

Deve-se avaliar o custo-benefício, priorizando as empresas que possuem notória especialização.

terceirizada; • Deve-se avaliar o custo-benefício, priorizando as empresas que possuem notória especialização.

Alvenaria

Alvenaria é o conjunto de tijolos, blocos ou

peças unidas entre si, com ou sem argamassa de ligação, formando um elemento estrutural vertical.

Principais funções:

Estabelecer separação entre os ambientes e vedar espaços;

Suportar cargas de telhados e lajes;

Resistir cargas gravitacionais e impactos;

Fornecer conforto acústico e térmico aos ambientes.

Garantir durabilidade do interior da edificação.

• Fornecer conforto acústico e térmico aos ambientes. • Garantir durabilidade do interior da edificação .
• Fornecer conforto acústico e térmico aos ambientes. • Garantir durabilidade do interior da edificação .

Tipos de Alvenaria

Estrutural

Tipos de Alvenaria Estrutural Vedação

Vedação

Tipos de Alvenaria Estrutural Vedação

Alvenaria Estrutural

Material utilizado na base da edificação, garantindo isolamento e a sustentação de toda a construção.

Estrutura central para a estabilidade do edifício.

A alvenaria estrutural pode ser dividida em três tipos:

Alvenaria Estrutural Armada

Alvenaria Estrutural Não Armada

Alvenaria Estrutural Parcialmente Armada

Vantagens: menos desperdícios de materiais, maior garantia de obras

com menos entulhos e sujeiras, e menor tempo de execução da obra.

Desvantagem: necessária a avaliação de um arquiteto e um engenheiro estrutural para qualquer alteração da edificação.

Alvenaria de Vedação

Função de delimitar ou dividir um espaço.

Alvenaria sujeita à deformações da estrutura de concreto, recalque de fundações e movimentações térmicas.

A alvenaria de vedação pode ser dividida em dois tipos:

Alvenaria de Vedação Tradicional

Alvenaria de Vedação Racionalizada

pode ser dividida em dois tipos: • Alvenaria de Vedação Tradicional • Alvenaria de Vedação Racionalizada

Execução da Alvenaria

A execução da alvenaria pode ser dividida em três partes:

Marcação;

Elevação;

Encunhamento.

• A execução da alvenaria pode ser dividida em três partes: • Marcação; • Elevação; •

Materiais e Equipamentos

Argamassa de assentamento

Colher e pincel de pedreiro;

Balde e talocha;

Linha de pedreiro;

Miras;

Nível;

Prumo de pião e fio-de-prumo;

Alisador de juntas;

Máquina de bancada para o corte tijolos, tijoleiras, entre outros;

Máquina para abertura de roços, que são os cortes de pedra

acima do nível do pavimento.

Materiais e Equipamentos

Materiais e Equipamentos

Verificações Preliminares

Verificação da estrutura (geometria, desempeno e

alinhamentos).

Compatibilidade entre as dimensões da parede que vai ser construída com as dimensões do componente (tijolo ou

bloco).

Realizar limpeza e nivelamento dos pavimentos;

Verificar ferros de espera na estrutura para ligação das alvenarias;

Assegurar fornecimento de material no piso.

Verificar se alvenarias serão assentadas em cima de uma base, seja o baldrame, alicerce ou algum outro elemento estrutural.

Primeira Etapa: Marcação

Existem dois tipos de juntas:

Junta Amarrada;

Junta a Prumo;

Com a junta definida, inicia-se o assentamento da primeira fiada. O assentamento deve ser iniciado pelos cantos,

espalhando-se uma camada de argamassa no piso com a colher

de pedreiro.

O assentamento deve ser iniciado pelos cantos, espalhando-se uma camada de argamassa no piso com a

Segunda Etapa: Elevação

A elevação inicia-se pelos cantos, executando-se

• A elevação inicia-se pelos cantos, executando-se primeiramente o início e o fim de algumas fiadas,

primeiramente o início e o fim de algumas fiadas, o que se chama “castelo”. As fiadas dos castelos servirão de base para o alinhamento das fiadas da parede. Depois de executados os castelos, preenche-se o interior das paredes, fiada por fiada.

Terceira Etapa: Encunhamento

Ligação entre o topo da parede de alvenaria e a viga/laje de

concreto armado que se situam acima. A técnica mais comum

é

o encunhamento com tijolos comuns, assentados inclinados

e

pressionados entre a última fiada e a viga ou laje superior.

com tijolos comuns, assentados inclinados e pressionados entre a última fiada e a viga ou laje

Ligação entre Estruturas

Existem duas formas para realizar esta ligação:

“Amarrando” ou cruzando os blocos das duas paredes

Fazer as paredes sem amarração dos componentes e, a cada duas ou três fiadas são inseridas pequenas barras de aço nas juntas, dentro da camada de argamassa, ligando as duas paredes.

ou três fiadas são inseridas pequenas barras de aço nas juntas, dentro da camada de argamassa,

Vergas e Contravergas

São pequenas vigas de concreto armado, que devem ser feitas em cima e em baixo das aberturas da alvenaria, como vãos de portas e janelas, para evitar trincas nos cantos desses vãos.

Podem ser feitas também usando o próprio componente da alvenaria (blocos canaletas preenchidos com concreto e com barras de aço no seu interior), ou podem ser pré-moldadas na própria obra.

canaletas preenchidos com concreto e com barras de aço no seu interior), ou podem ser pré-moldadas

Embutimento de Instalações

A forma mais tradicional de se embutir as instalações em

alvenarias de vedação é através do corte da parede, com posterior preenchimento com argamassa.

Passar as tubulações nos furos dos blocos.

através do corte da parede, com posterior preenchimento com argamassa. • Passar as tubulações nos furos
através do corte da parede, com posterior preenchimento com argamassa. • Passar as tubulações nos furos