Você está na página 1de 7

Miniteste sobre a AL 1

Domínio 1: Metais e ligas metálicas

NOME ___________________________________________________________ Turma _______ Número _______

AL 1: Um ciclo do cobre

A reciclagem do cobre pode realizar-se por processos físicos, como a fusão, ou por processos
químicos envolvendo a transformação das espécies químicas em que o metal existe, ou seja, na
realização e observação de uma sequência de reações envolvendo este elemento, simulando a sua
reciclagem.
Na figura está representado um ciclo de transformações químicas do cobre

1. As etapas I, II, IV e V envolvem, respetivamente, a adição de:


(A) NaOH (aq), HNO3 (aq), H2SO4 (aq) e Zn (s)
(B) HNO3 (aq), H2SO4 (aq), Zn (s) e NaOH (aq)
(C) H2SO4 (aq), HNO3 (aq), NaOH (aq) e Zn (s)
(D) HNO3 (aq), NaOH (aq), H2SO4 (aq) e Zn (s)

2. A transformação que ocorre na etapa III envolve uma operação que consiste em…
(A) arrefecer. (B) aquecer.
(C) centrifugar. (D) destilar.

3. Na etapa I liberta-se uma substância gasosa que é … , pelo que essa etapa deve ser realizada …
(A) ... inflamável ... longe de fontes de ignição.
(B) ... irritante ... em local bem ventilado.
(C) ... tóxica ... na hotte.
(D) ... corrosiva ... na hotte.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo 12Q 131


4. Em que etapas do ciclo do cobre estão envolvidas reações de oxidação-redução?
(A) I, II, III e IV.
(B) I, III e V.
(C) I e II.
(D) I e V.

5. Numa das reações do ciclo do cobre, o óxido de cobre (II), CuO, reage com ácido sulfúrico, H2SO4.
De que tipo é esta reação e que espécie de reagente é o óxido de cobre (II)?
(A) Oxidação-redução e o CuO é o agente redutor.
(B) Ácido-base e o CuO é um óxido ácido.
(C) Oxidação-redução e o CuO é o agente oxidante.
(D) Ácido-base e o CuO é um óxido básico.

6. Quando se obtém, no ciclo do cobre, óxido de cobre (II) (sólido negro) e água a partir de hidróxido
de cobre (II), de que tipo de reação se trata e como se classifica do ponto de vista energético?
(A) Decomposição, endotérmica.
(B) Precipitação, exotérmica.
(C) Ácido-base, exotérmica.
(D) Oxidação-redução, endotérmica.

7. Um grupo de alunos utilizou uma amostra de 0,376 g de fio de cobre. No final do ciclo, a massa de
cobre obtido pelo grupo de alunos foi 0,302 g.
7.1 O rendimento final do ciclo foi de...
(A) 81,1%.
(B) 80,3%.
(C) 75,0%.
(D) 78,9%.
7.2 A massa final de cobre obtido pelo grupo de alunos é inferior à da amostra inicial de cobre.
Qual das seguintes situações descreve um passo/facto experimental que poderá justificar a
diferença verificada?
(A) Adição de ácido sulfúrico em excesso, H2SO4.
(B) Algum zinco, Zn (s), que não reagiu, não foi completamente removido e permaneceu com
o produto no final da experiência.
(C) Algum sólido foi perdido no processo de decantação.
(D) O cobre obtido no final do ciclo não ficou completamente seco.

8. Neste ciclo, o cobre (reagente inicial) é transformado em diferentes compostos antes de ser
recuperado como cobre metálico na última etapa. Escreva as equações químicas que traduzem as
reações químicas envolvidas em cada uma das etapas do referido ciclo.

132 Editável e fotocopiável © Texto | Novo 12Q


Miniteste sobre a AL 3
Domínio 1: Metais e ligas metálicas

NOME ___________________________________________________________ Turma _______ Número _______

AL 3: Funcionamento de um sistema tampão

A ingestão de alimentos ou bebidas de caráter ácido ou básico muito variado não afeta de modo
considerável o pH do sangue. Tal deve-se ao facto de o sangue possuir sistemas tampão que
impedem variações acentuadas do seu pH. Um dos sistemas tampão mais importantes que regulam
o pH do sangue é o par CO2 /HCO−
3.

Grupo I

Com o objetivo de verificar experimentalmente o efeito de um sistema tampão, um grupo de alunos


efetuou uma titulação de uma base fraca (CO2− 3 existente numa solução de carbonato de sódio,
Na2CO3) por um ácido forte (HCℓ). Para tal, utilizaram 40,0 cm3 de uma solução de Na2CO3 e uma
solução de HCℓ 0,240 mol dm–3.
A seguir apresenta-se a curva de titulação obtida.

1. Com base no gráfico é possível identificar duas zonas tampão. Os valores de pH em que se situam
essas zonas são:
(A) 4,0 a 6,0 e 9,0 a 11,0. (B) 4,0 a 6,0 e 7,0 a 9,0.
(C) 6,0 a 8,0 e 7,0 a 9,0. (D) 6,0 a 8,0 e 9,0 a 11.

2. A qual dos pontos assinalados na curva de titulação corresponde um valor de pH, da mistura
reacional, em que a espécie predominante é o hidrogenocarbonato de sódio, NaHCO3?
(A) Ponto A. (B) Ponto B. (C) Ponto C. (D) Ponto D.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo 12Q 133


3. Qual é o ponto da curva a que corresponde uma zona tampão em que as espécies responsáveis
são o par HCO–3 /H2 CO3?
(A) Ponto A. (B) Ponto B. (C) Ponto C. (D) Ponto D.

4. Qual é o ponto da curva a que corresponde uma zona tampão em que as espécies responsáveis
são o par CO2– −
3 /HCO3 ?
(A) Ponto A. (B) Ponto B. (C) Ponto C. (D) Ponto D.

5. Qual das seguintes equações químicas traduz a reação global entre a solução de carbonato de
sódio e o ácido clorídrico?
(A) Na2CO3 (aq) + HCℓ (aq)  NaCℓ (aq) + H2O (l) + CO2 (g)
(B) Na2CO3 (aq) + 2 HCℓ (aq)  2 NaCℓ (aq) + CO2 (g)
(C) Na2CO3 (aq) + 2 HCℓ (aq)  NaCℓ (aq) + H2O (l)
(D) Na2CO3 (aq) + 2 HCℓ (aq)  2 NaCℓ (aq) + H2O (l) + CO2 (g)

6. Considerando os valores dados inicialmente, a concentração da solução de Na2CO3 utilizada na


titulação foi de…
(A) 0,30 mol dm–3 (B) 0,15 mol dm–3 (C) 0,075 mol dm–3 (D) 0,60 mol dm–3

Grupo II
1. As soluções tampão…
(A) resistem a variações bruscas de pH provocadas apenas pela adição de ácidos.
(B) resistem a variações bruscas de pH provocadas apenas pela adição de bases.
(C) resistem a variações bruscas de pH provocadas pela adição de ácidos ou bases.
(D) só se encontram nos organismos vivos e fluidos biológicos.

2. Qual dos seguintes pares de espécies químicas é um sistema tampão importante para a
manutenção do pH dos líquidos intracelulares?
(A) H2 PO− 2−
4 /HPO4 (B) HCℓ/Cℓ– (C) H2 SO4 /HSO−
4 (D) CH3 CO2/CH3CO−
2

3. O par H2 CO3 /HCO−


3 desempenha um papel importante na estabilidade do pH do sangue humano.

3.1. Se o pH do sangue baixa, é de esperar que…


(A) o HCO− +
3 atue como ácido e elimine o excesso de iões H3 O , com formação de H2 CO3 .
(B) a concentração de HCO−
3 aumente.
(C) a concentração de H2CO3 diminua e a concentração de HCO−
3 aumente.
(D) o HCO− +
3 atue como base e elimine o excesso de iões H3 O , com formação de H2 CO3 .

3.2. Se o pH do sangue aumenta, é de esperar…


(A) uma diminuição na concentração de HCO− +
3 e um aumento na concentração iões H3 O .
(B) uma diminuição da concentração de H2CO3 e um aumento da concentração de HCO−
3 .
(C) uma diminuição na concentração de HCO−
3 e um aumento na concentração de H2CO3 e de
+
iões H3 O .
(D) um aumento na concentração de H2CO3 e uma diminuição na concentração de HCO−
3.

134 Editável e fotocopiável © Texto | Novo 12Q


Miniteste sobre a AL 6
Domínio 2: Combustíveis, energia e ambiente

NOME ___________________________________________________________ Turma _______ Número _______

AL 6: Determinação da entalpia de combustão de diferentes álcoois

Alguns álcoois são combustíveis alternativos aos derivados do petróleo e a sua utilização tem
menores consequências ambientais.
Com o objetivo de determinar algumas entalpias de combustão, um grupo de alunos usou etanol,
propan-1-ol, butan-1-ol e pentan-1-ol como combustíveis. Para o efeito, efetuaram numa hotte a
montagem laboratorial esquematizada na figura.

Foram utilizadas iguais massas de água submetidas a iguais variações de temperatura.

1. Os passos seguintes fazem parte do procedimento utilizado pelo grupo de alunos para determinarem
a entalpia de combustão de cada um dos álcoois.
1. Suspender o aquecimento, continuar a agitar, e anotar a temperatura mais elevada atingida
pela água.
2. Verter o álcool para a lamparina e medir a massa do conjunto.
3. Colocar 200 cm3 de água destilada no calorímetro e anotar a temperatura da água.
4. Efetuar os cálculos necessários.
5. Acender a lamparina e aquecer a água, agitando, até a temperatura se elevar 20 C.
6. Medir de novo a massa da lamparina para calcular a massa de álcool consumida.
A sequência correta dos passos do procedimento utilizado é:
(A) 2, 3, 5, 6, 1 e 4.
(B) 3, 2, 5, 1, 6 e 4.
(C) 2, 5, 3, 1, 6 e 4.
(D) 3, 2, 5, 6, 1 e 4.

Editável e fotocopiável © Texto | Novo 12Q 135


2. Para que as entalpias de combustão medidas para os diversos álcoois possam ser comparadas é
necessário controlar as variáveis em jogo, ou seja, manter as mesmas condições experimentais
durante os diversos ensaios. Nos diversos ensaios a variável...
2.1 independente é…
(A) o tipo de álcool utilizado.
(B) a massa de água destilada utilizada.
(C) a variação de temperatura a que é submetida a água destilada.
(D) a massa de álcool consumido na combustão.
2.2 dependente é…
(A) o tipo de álcool utilizado.
(B) a massa de água destilada utilizada.
(C) a variação de temperatura a que é submetida a água destilada.
(D) a massa de álcool consumido na combustão.

3. Com os dados recolhidos, foi construído o gráfico com a entalpia de combustão (em valor
absoluto) em função do número de átomos de carbono na molécula de álcool.

Baseando-se nestes resultados, pode concluir-se que, para um maior número de átomos de
carbono na molécula do combustível, uma...
(A) menor energia é necessária para quebrar ligações na molécula.
(B) maior energia é absorvida na reação de combustão.
(C) menor quantidade de oxigénio é requerida para a combustão completa.
(D) maior energia é libertada na reação de combustão.

4. A equação química que traduz a reação de combustão do etanol, incluindo a respetiva entalpia
padrão de combustão, é:
(A) C2H5OH (l) + 3 O2 (g)  2 CO2 (g) + 3 H2O (g); cH°  +1368 kJ mol–1
(B) C2H5OH (l) + 3 O2 (g)  2 CO2 (g) + 3 H2O (g); cH°  1368 kJ mol–1
1
(C) C2H5OH (l)  2 C (s) + 3 H2 (g) + 2 O2 (g); cH° = +278 kJ mol–1
1
(D) C2H5OH (l)  2 C (s) + 3 H2 (g) + 2 O2 (g); cH° = 278 kJ mol–1

136 Editável e fotocopiável © Texto | Novo 12Q


5. Na tabela indicam-se os valores das entalpias padrão de combustão do propan-1-ol e do propan-2-ol.

Álcool cH° / kJ mol–1


Propan-1-ol 2021
Propan-2-ol 2006

5.1 A diferença existente nos valores das entalpias padrão de combustão destes dois combustíveis
é devida…
(A) ao tamanho da cadeia carbonada.
(B) às interações intermoleculares que são mais fortes no propan-1-ol do que no propan-2-ol.
(C) à posição do grupo funcional –OH na cadeia carbonada.
(D) à energia das ligações químicas nos produtos formados em cada uma das reações de
combustão.
5.2 O valor da entalpia de combustão do propan-1-ol medido pelos alunos é significativamente
diferente do valor tabelado. A discrepância do resultado poderia ser reduzida…
(A) utilizando um copo de vidro para aquecer a água.
(B) diminuindo a massa de água no calorímetro.
(C) colocando o calorímetro numa posição mais alta em relação à chama da lamparina.
(D) utilizando um material mais isolante no invólucro que rodeia o calorímetro.
5.3 O valor da entalpia de combustão do propan-1-ol medido pelos alunos foi 1169 kJ mol–1.
O erro relativo, em percentagem, do valor da entalpia de combustão é…
(A) 42%.
(B) 73%.
(C) 58%.
(D) 63%.

6. No ensaio da combustão do butan-1-ol foram recolhidos os dados seguintes pelo grupo de alunos:

Antes da combustão Depois da combustão


Massa da lamparina + butan-1-ol / g 58,25 57,42
Temperatura da água / °C 20,7 41,0 (máxima)

Calcule a variação de entalpia de combustão para o butan-1-ol, admitindo que todo o calor
libertado na combustão foi absorvido pela água.
Apresente todas as etapas de resolução.
Dados: M(butan-1-ol)  74,14 g mol–1; c(água)  4,18 J g–1 C–1

Editável e fotocopiável © Texto | Novo 12Q 137

Você também pode gostar