Você está na página 1de 2

O que é Arte Moderna:

Arte moderna é a designação dada para a produção artística


que surgiu entre o final do século XIX e meados do século
XX.

Sucedendo o romantismo e o realismo, a arte moderna


começou a se ramificar em vanguardas a partir das artes
plásticas, com os pintores do chamado Impressionismo, que
dedicavam-se em retratar cenas exteriores da vida cotidiana,
como paisagens e pessoas.

A arte moderna seria o primeiro período artístico que


abrangeria novas formas de se fazer arte, como a fotografia
e o cinema, que surgiram durante a Revolução Industrial.

A Modernidade foi um período de transformações


vertiginosas e caóticas, que ficou marcada pela efemeridade
e sensação de fragmentação da realidade.

Os chamados artistas modernistas, na primeira metade do


século XX, acreditavam que as formas “tradicionais” das
artes plásticas, design, literatura, música, cinema e da vida
organizacional e cotidiana tornaram-se totalmente
ultrapassadas. Devia-se “criar” uma nova cultura, com o
objetivo de transformar as características culturais e sociais
já estabelecidas, substituindo-as por novas formas e visões.

A partir da nova concepção da modernidade cultural, após o


declínio do pensamento iluminista, a ideia de “destruição
criativa” passa a ser uma condição essencial da
modernidade, e os artistas são os principais protagonistas
dessa época. Os artistas passariam a sentirem-se
responsáveis (uma “função heroica”) de representar e definir
a essência a humanidade.

As guerras, as novas tecnologias, a industrialização e as


demais “evoluções estruturais” fizeram os artistas sentirem
a necessidade de explorar todas as novidades que lhes
apareciam.
Tal condição foi propícia para o aparecimento de várias
vanguardas revolucionárias, que viam na estética artística a
oportunidade de mudar o mundo.

Os movimentos de vanguarda tinham como objetivo tentar


resolver ou achar respostas para os problemas que surgiram
na era moderna, seja no campo social ou político. Entre estes
movimentos, destacam-se o surrealismo, o expressionismo,
o futurismo, dadaísmo, cubismo e demais vanguardas que
direcionavam a arte moderna às causas revolucionárias da
época, que paradoxalmente, defendia a realidade que se
estabelecia, ao mesmo tempo, que a negava
completamente.
Os artistas modernos, a partir dessas novas formas artísticas
que se estabeleciam, desenvolviam as suas técnicas de
criação e reprodução, fazendo surgir subjetivamente uma
nova forma de pensar o sistema vigente.

O modo de pensar e o posicionamento do artista perante os


processos da modernidade (a mudança, a efemeridade e a
fragmentação), eram de extrema importância para a
formação de uma estética modernista.

Arte moderna no Brasil


A Arte Moderna se instaurou oficialmente no Brasil com a
Semana de Arte Moderna de 1922 e, de acordo com alguns
pesquisadores, se estendeu até a década de 1970.

Os artistas brasileiros estavam em constante contato com os


movimentos artísticos que se expandiam na Europa,
continente conhecido como o "berço da arte" no mundo.
Baseados nos conceitos do modernismo europeu, levaram
para o Brasil as características e filosofias das novas
vanguardas que, a princípio, não foram bem aceitas pelos
tradicionais críticos brasileiros.

Entre os principais artistas modernistas brasileiros estão: Di


Cavalcanti, Vicente do Rêgo, Anita Malfatti, Lasar Segall,
Victor Brecheret, Tarsilla do Amaral e Ismael Nery.