Você está na página 1de 36

O REINADO DE D.

PEDRO II:
MODERNIZAÇÃO E IMIGRAÇÃO

EQUIPE DE HISTÓRIA
CMB / 8º ANO
NO CAPÍTULO ANTERIOR... VIMOS QUE
OS CONSERVADORES APROVARAM A
LEI DE INTERPRETAÇÃO DO ATO
ADICIONAL
23 DE JULHO DE 1840:
DECLARADA A MAIORIDADE DE D.
PEDRO II
(ENEM 2015) - ESSAS IMAGENS DE D. PEDRO II
FORAM FEITAS NO INÍCIO DOS ANOS DE 1850,
POUCO MAIS DE UMA DÉCADA APÓS O GOLPE DA
MAIORIDADE.
CONSIDERANDO O CONTEXTO HISTÓRICO EM
QUE FORAM PRODUZIDAS E OS ELEMENTOS
SIMBÓLICOS DESTACADOS, ESSAS IMAGENS
REPRESENTAVAM UM
 A) jovem imaturo que agiria de forma
irresponsável.
 B) imperador adulto que governaria
segundo as leis.
 C) líder guerreiro que comandaria as
vitórias militares.
 D) soberano religioso que acataria a
autoridade papal.
 E) monarca absolutista que exerceria
seu autoritarismo.
DESAFIOS DE D. PEDRO II
O SISTEMA POLÍTICO DO SEGUNDO
REINADO
...PARLAMENTARISMO ÀS
AVESSAS
OS PRINCIPAIS PARTIDOS
POLÍTICOS
Conservador Liberal
(Saquarema) (Luzia)

 Defendiam  Defendiam a
a
centralização descentralização
 Ambos defendiam a escravidão

 E sua política praticamente era a mesma

 Defendiam os interesses das elites
POLÍTICA CONTURBADA...
A REVOLUÇÃO PRAIEIRA (P. 222 – 223)
O PODER DO IMPERADOR
(ATIVIDADE DA PÁGINA 224)
QUESTÕES!!!!
 A) quem é o personagem central e o que
ele está fazendo?
 B) quem ou o que os personagens
montados a cavalo representam?
 C) quem será essa mulher velha de vestido

longo e chapéu igual ao de Napoleão


Bonaparte?
 D) o que o artista pretendeu com essa

charge?
 E) o que e pode concluir sobre a Monarquia

Constitucional brasileira?
ECONOMIA DO SEGUNDO
REINADO
 NO REINADO DE DOM PEDRO II, O CAFÉ
LIDEROU AS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS
E CONTRIBUIU PARA A MODERNIZAÇÃO
E A CONSOLIDAÇLÃO DO IMPÉRIO
A ELITE DO CAFÉ: DO VALE DO
PARAÍBA AO OESTE PAULISTA
VALE DO PARAÍBA OESTE
PAULISTA
A CULTURA DO CAFÉ
 Agricultura extensiva:
- esgota o solo
- demanda novas terras
- exige muita mão de
obra
 Oeste paulista: terras mais
férteis (terra roxa)
 Surge a elite: os Barões do Café
O MERCADO INTERNO NO IMPÉRIO (P.
229)
MODERNIZAÇÃO DO IMPÉRIO:
FERROVIAS E INDÚSTRIAS
ERA MAUÁ (1850 – 1860)
A PRESSÃO INGLESA E O FIM DO
TRÁFICO
ATIVIDADE
Quais as razões que
explicam essa mudança de
atitude por parte do
Governo Inglês???
A QUESTÃO DA MÃO DE OBRA E
DAS TERRAS
PRINCIPAIS MEDIDAS SOBRE O FIM
DO TRÁFICO
1- 1831: “Lei pra inglês ver”
- Manteve o tráfico clandestino.

2- 1845: Bill Aberdeen


Navios ingleses interceptariam
navios de traficantes de
escravos no Atlântico Sul.
3- Lei Eusébio de Queiróz: fim definitivo
do tráfico.

Gerou o tráfico interprovincial


Aumento o preço do escravo
PREÇO MÉDIO DE UM ESCRAVO
(SEXO MASCULINO)
NA REGIÃO DO VALE DO PARAÍBA
IMIGRANTES NO BRASIL
IMIGRANTES NO BRASIL
 Debates sobre a mão de obra
assalariada desde 1830.

 Contexto após a Lei Eusébio de


Queiroz

 Itália e Alemanha: revoluções


liberais e crises políticas.
PARA SABER MAIS!!!
A LEI DE TERRAS 1850
A GUERRA DO PARAGUAI
1864-1870