Você está na página 1de 1

Nome: Raul Porto Lopes

Referência: Vespasiano, B.S.; Dias, R.; Correa, D.A. A utilização do Questionário
Internacional de Atividade Física (IPAQ) como ferramenta diagnóstica do nível de
aptidão física: uma revisão no Brasil. Revista Saúde Vol.12, Num. 32, p. 49-54, 2012.

Metodologia: O artigo realiza uma revisão bibliográfica sobre as pesquisas realizadas
no Brasil que utilizaram como parâmetro o questionário do IPAQ nas versões curta,
longa e adaptada.

Conceitos gerais: A qualidade de vida quando analisada juntamente a diminuição de
risco de doenças, acaba aumentando e quando associada à prática de exercício físico,
tem sido cada vez mais relatada em novas pesquisas, vale enfatizar que a prática regular
de exercício físico, independentemente das outras rotinas de estilo de vida, reduz de
forma significativa os riscos de morbidade e mortalidade.

O Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) surgiu em decorrência de
estudos realizados por agências normativas de saúde, como a Organização Mundial de
Saúde (OMS), o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos
(CDC) e o Instituto Karolinska, na Suécia. Nessas agências, a proposta era testar e
validar uma ferramenta que permitisse quantificar os níveis de atividade física de
diferentes populações específicas, além de realizar comparações de diferentes
populações em nível internacional. Validado em 12 países, o IPAQ é um questionário
que permite estimar o tempo semanal gasto em atividades físicas de intensidade leve,
moderada e vigorosa. Disponível em três versões, o questionário apresenta uma no
formato longo, uma no curto e outra adaptada. No formato longo há 27 questões
relativas a atividades físicas realizadas em uma semana normal, com intensidade leve,
moderada e vigorosa com duração de 10 minutos contínuos, divididos em quatro
categorias de atividade física, sendo elas: trabalho, transporte, atividades domésticas e
lazer. A versão do formato curto apresenta sete questões, cujas informações estimam o
tempo despendido por semana em diferentes dimensões de atividade física, como
caminhadas e esforço físico entre as intensidades leve, moderada e vigorosa6, 13. Já a
versão adaptada apresenta 15 questões que avaliam os níveis de atividade física para
populações especiais, sendo aplicadas a idosos, obesos, crianças, entre outros..(p.50).

É possível concluir que o IPAQ, tanto na versão longa com 27 questões quanto na
versão curta com sete questões e na versão adaptada com 15 questões, mostra-se uma
ferramenta com baixo custo financeiro, de boa aplicabilidade e aceitação para verificar
os níveis de atividade física em diversas faixas etárias e populações diferenciadas.
Entretanto, algumas limitações do IPAQ devem ser ressaltadas como as menores
correlações do referido questionário quando realizadas comparações com outros
instrumentos de medição de níveis de atividade física. Nesse sentido, para melhor
avaliar correlações entre IPAQ, pedômetros e acelerômetros, são necessárias futuras
investigações.(p.53).