Você está na página 1de 33

LAYA YOGA SAMPRADAYA

Laya Yoga é uma antiga forma de meditação, com concentração em centros de


energia ou chakras (Cakras). O sábio Gorakshnatha, um antigo sábio do Nepal, e
um discípulo de Matsyendranath é o moderno fundador do Lia yoga
tantrika. Existem cinco centros principais de energia na coluna e dois na cabeça. Laya
Yoga tenta localizar esses centros de energia e canalizá-los através da meditação. Laya
significa essencialmente dissolver todos os padrões cármicos ou condicionar e fundir-
se na realidade transcendental. Também significa concentração profunda e esforço
para obliterar o ego, elevando-se assim a um estado mais elevado de consciência,
chamado Turiya.

Laya yoga envolve técnicas de meditação que fazem com que a energia ou Prana se
mova de certas maneiras, para despertar a Kundalini, a energia enrolada na base da
espinha. Laya yoga canaliza as forças de energia na Kundalini em vez de meramente
controlar a mente. É importante que a Kundalini seja ativada através da execução de
asanas, prática de pranayama e fazendo um esforço consciente para guiar essa energia
desperta na coluna e permitir que ela mergulhe no chakra da coroa (Cakra /
m) . O objetivo final do laya yoga para os que iniciam, é atingir a suprema
consciência através do pranayama e do controle da respiração; é um método para
evitar flutuações da mente. A prática do laya yoga limpa e cura a mente e o corpo. Ela
eleva a consciência do buscador. Como a maioria das pessoas vive apenas em três
níveis de consciência - material, egoísta e sensual - o laya yoga nos abre para níveis
mais elevados de consciência. Ensina o buscador a localizar os diferentes centros da
espinha e meditar neles, transformando assim a consciência.

Laya significa “re-absorver”, “fusão”, “dissolução” e, como um sistema de Yoga,


reabsorver todas as energias e forças normalmente dissipadas na vida diária. O
estudante deve ter profundo conhecimento da filosofia Raja
Yoga, Sankhya e Tantra . Envolve a excitação da Kundalini Shakti, seu controle e
conversão em forças e poderes superiores. Tejas e Ojas (forças superiores) são
produzidas por meio dessas práticas e os mais altos de todos os êxtases emocionais e
mentais são criados por essas técnicas. Como todos os aspectos superiores do Yoga,
essas práticas devem ser realizadas com um Guru competente que tenha a
experiência pessoal da excitação e do controle de tal shakti.
Laya é o estado de espírito quando se esquece todos os objetos dos sentidos e se
absorve no objeto da meditação. Laya permite que se tenha perfeito controle sobre os
cinco Tattvas , mente e Indriyas. As flutuações da mente vão parar. A mente, corpo e
Prana serão totalmente subjugados. Para o Laya Yoga, o Sambhavi Mudra é um
método eficaz, no qual se concentra intensamente em qualquer um dos Shat Chakras
(Six Body Cakras). Exercício Trataka desempenha um papel vital na obtenção de
sucesso em Laya. No devido curso da prática, o Yogin fica estabelecido em
Samadhi. Ele se torna um Jivanmukta.

Dikshan: a iniciação em Laya Yoga significa que um vínculo foi estabelecido entre um
espírito humano vestido em um corpo e o Eterno, o Mais Elevado e o Espírito Santo de
Deus, Brahman, que permanece incorpóreo. A energia da iniciação é uma transmissão
de poder do Espírito Santo e reconciliação com Deus no Espírito Santo. Facilita a
concentração no Espírito e na Verdade, bem como a oração genuinamente piedosa e
inspirada. Pode-se dizer que a iniciação é sempre uma introdução no Espírito Santo,
submetido à prática da dissolução espiritual em Deus.

O Laya Yoga envolve técnicas de concentração para mover a energia de certas


maneiras com o propósito de despertar as forças adormecidas para serem usadas ao
longo do caminho evolucionário. Essas forças (ou a Força) são de alguma forma
mágicas em sua natureza e só devem ser usadas por um adepto para fins dharmicos,
curando ou ajudando outros ao longo do caminho espiritual. Outros nomes pelos quais
esse yoga é conhecido são Kundalini e Tantra. O conhecimento sobre os centros de
energia conhecidos como Chakras está contido neste reino do yoga. Métodos e
técnicas, como as Kriyas Laya Yoga, são usadas para mover a energia da base da
espinha para a mente, para atingir níveis mais elevados de consciência.
O seguinte é um caminho de síntese de um programa de pesquisa científica feito em
conexão com uma técnica de meditação específica, a chamada Laya
Yoga. meditação. Laya Yoga é um método em que o sujeito usa alguns sons sutis
internos para se conectar com vibrações energéticas superiores e estados superiores de
consciência. Durante a prática de Laya Yoga, o consumo de oxigênio e o metabolismo
diminuem consideravelmente, mostrando um estado de repouso profundo. Durante a
prática de Laya Yoga, o ritmo da respiração diminui significativamente, mostrando um
estado de relaxamento profundo e repouso do sistema nervoso. Durante o Laya Yoga,
a atividade do coração diminui, já que o músculo cardíaco está em segurança. Uma
forte concentração de ácido láctico no sangue está geralmente associada a cansaço,
níveis elevados de stress, esgotamento nervoso, tensão psíquica e hipertensão. Durante
o Laya Yoga, a concentração do ácido lático está diminuindo rapidamente. A resistência
eletrodérmica da pele diminui sob a influência de estresse, preocupações ou
ansiedade. Ao praticar Laya Yoga, a resistência eletrodérmica aumenta dramaticamente,
o que mostra um profundo descanso associado à diminuição de ansiedades e
distúrbios emocionais. Os praticantes dessa técnica controlam o estresse muito melhor
do que aqueles que não o praticam. Portanto, a prática dessa técnica fortalece o
sistema nervoso do indivíduo e permite que ele reaja com melhor eficácia aos desafios
do meio ambiente. Enquanto Laya Yoga é praticado, as ondas cerebrais com uma
frequência de 8-9 ciclos por segundo são propagadas para a região frontal do cérebro,
com a ocorrência ocasional de ondas síncronas com uma frequência de 5-7 ciclos por
segundo.

A Laya Yoga é também chamada de Kundalini Yoga, porque a elevação da energia


da Kundalini para uni-la à consciência suprema é o objetivo principal, que é alcançado
através da meditação profunda ( dhyana ). Inclui a prática de posturas ( asanas ) e
controle da respiração ( pranayama ) para energizar os canais sutis ( nadis ),
removendo os obstáculos ao samadhi ou à não-dualidade. Através da repetição de um
mantra ou som de semente, um estado mais elevado de concentração profunda
( dharana ) pode ser alcançado no qual a forma divina inerente ao mantra se
manifesta. Parte do Laya Yoga que lida com os sons do mundo interior é
a Nada Yoga.
Yantras são vistos como o corpo ou forma da divindade, enquanto mantras são a
mente, consciência, espírito ou nome. Yantras e mantras podem trazer um em sintonia
com as mesmas forças reguladoras que criaram a natureza em todas as suas formas,
incluindo a estrutura de nossa psique e nossa capacidade de pensar. A disciplina é
usada para retirar a consciência do mundo exterior e direcioná-la para o mundo
interior. Consiste tanto no ato de desenhar e pintar o yantra quanto de centrar-se no
yantra, reconstruindo-o primeiro dentro da mente.

Yantra está no Yoga, onde a compreensão das formas geométricas básicas produz
uma apreciação do que é chamado de "matemática espiritual". A idéia é conduzir a
mente pelo uso dessas formas geométricas através de seus próprios labirintos até o
Volitivo. Mudra no Laya Yoga, uma linguagem de Mudras ou posturas de mãos, pés,
corpo, olhos e mente é uma parte do estudo Yantric. Uma parte legítima do Laya Yoga
é a Mandala Drishti ou a forma geométrica olhando. Concentrando-se no símbolo
apropriado para o Chakra (Cakra) envolvido.

Likhita significa escrever, e na prática de Meditação do Yoga, está escrevendo Mantras


ou Bijas. Nesta forma, o aluno geralmente pratica o Mauna ou o silêncio e concentra-se
internamente no significado do Mantra enquanto escreve o Mantra. AUM escrevendo é
um excelente a partir deste particular Sadhana. O AUM é escrito em uma forma
particular em sânscrito, mas não é necessário circulá-lo ou transformá-lo em um
“sunburst”, a menos que se deseje meditar sobre a refulgência do “Som de Todos os
Sons”. Likhita A prática do japa é uma técnica especialmente maravilhosa para aqueles
que são cinestesicamente inclinados e que precisam fazer algo com o corpo. Pessoas
com Transtornos Obsessivos Compulsivos (TOC) encontrarão grande benefício com
essa prática, uma vez que ela envolve os sentidos no momento presente sem muita
disciplina e esforço.

Prana Yoga ou Swara Yoga é a ciência da respiração nasal, fornecendo um método


prático para usar os hemisférios direito e esquerdo do cérebro à vontade. Ele lida com
a relação entre a respiração nasal e os nervos sutis do corpo ou nadis, por um lado, e
os ciclos da Lua e os elementos, por outro. O Swara Yoga oferece métodos para
determinar a dominância da narina direita / esquerda e para sincronizar a narina
dominante com atividades específicas da vida cotidiana.

Dhyana é uma introspectiva em Laya Yoga, usando as várias formas de meditação da


luz. Às vezes, também é chamado de Samyama Yoga ou Antaranga Yoga e
pertence à Escola Laya Yoga, embora haja muitas técnicas de meditação ensinadas fora
das regras rígidas do Laya Yoga. Uma coisa a ser observada na meditação é a quietude
e ser capaz de "vigiar" a quietude sem interferir nela. Tem sido dito que a prática final
da meditação é simplesmente "observar". Usando o poder da luz e do som com a
respiração como o veículo para atravessar e ir além da mente.

Laya-Yoga torna a meditação "absorção" ou "dissolução" (laya) seu foco. O mundo


laya é derivado da raiz li, "se dissolver" ou "desaparecer", mas também "agarrar-se" e
"permanecer grudado". Essa conotação dual da raiz verbal li é preservada na palavra
laya. Os laya-yogins procuram se dissolver meditativamente, apegando-se unicamente
ao Eu transcendental. Eles se esforçam para transcender todos os traços de memória e
experiências sensoriais, dissolvendo o microcosmo, a mente, no transcendental Ser-
Consciência-Bem-aventurança. Seu objetivo é desmantelar progressivamente seu
universo interior por meio de intensa contemplação, até que apenas a Realidade
transcendental singular, o Self, permaneça.

Os laya-yogins estão preocupados em transcender os padrões kármicos em sua própria


mente até o ponto em que seu cosmos interior se dissolve. Neste esforço, eles utilizam
muitas práticas e conceitos do Tantra-Yoga, que também podem ser encontrados no
hatha-Yoga, especialmente o modelo do corpo sutil com seus centros e correntes
psicoenergéticas. Central para Laya-Yoga, além disso, é a importante noção de
Kundalini-Shakti (S'akti), o poder da serpente, que representa a força vital universal, tal
como se manifesta no corpo humano. A excitação e manipulação dessa tremenda força
também é o principal objetivo do hatha-yogin. De fato, o Laya-Yoga pode ser
entendido como a fase mais alta e meditativa do Hatha-Yoga.

LAYA YOGA COMO O CORAÇÃO DE TANTRA

A Laya-Yoga, que está no coração do Tantra-Yoga , focaliza a “absorção” ou


“dissolução” meditativa ( laya ) dos elementos sutis e outros fatores da psique ou
mente ao ponto da realização extática ( samadhi ) e, finalmente, libertação. A
palavra laya é derivada da raiz li, que significa "se dissolver" ou "desaparecer", mas
também "agarrar-se" e "permanecer grudada". Essa conotação dual da raiz verbal li é
preservada na palavra laya. Os laya-yogins procuram meditativamente dissolver -se
por agarrados unicamente ao Eu transcendental. Eles se esforçam para transcender
todos os traços de memória e experiências sensoriais, dissolvendo o microcosmo, a
mente, no Ser-Consciência-Bem-aventurança transcendental. Seu objetivo é
desmantelar progressivamente seu universo interior por meio de intensa
contemplação, até que apenas a Realidade transcendental singular, o Self, permaneça.

O Laya-Yoga é um ataque frontal à ilusão da individualidade. Como Shyam Sundar


Goswami, que escreveu o livro de maior autoridade sobre o assunto, explicou:
“Layayoga é aquela forma de yoga na qual a ioga, que é samadhi, é alcançada através
da laya. Laya é uma concentração profunda que causa a absorção dos princípios
cósmicos, passo a passo, no aspecto espiritual da Suprema Consciência-Poder. É o
processo de absorção dos princípios cósmicos em profunda concentração, libertando
assim a consciência de tudo o que não é espiritual, e no qual é mantido o poder divino
e luminoso, denominado kundalini . Os laya-yogins estão preocupados em
transcender esses padrões cármicos dentro de sua própria mente até o ponto em que
seu cosmos interior se dissolve. Neste esforço eles utilizam muitas práticas e conceitos
do Tantra-Yoga, que também podem ser encontrados no Hatha-Yoga, especialmente o
modelo do corpo sutil ( sukshma-sharira ) com seus centros psicoenergéticos ( cakra ) e
correntes ( nadi ).

Além disso, é central para a Laya-Yoga a importante noção da kundalini - shakti , o


poder da serpente, que representa a força vital universal manifestada no corpo
humano. A excitação e manipulação dessa tremenda força também é o principal
objetivo do hatha-yogin. De fato, o Laya-Yoga pode ser entendido como a fase mais
alta e meditativa do Hatha-Yoga. À medida que a força desperta da kundalini sobe
do centro psicoenergético na base da espinha até a coroa da cabeça, ela absorve uma
parte da energia vital nos membros e no tronco. Isto é esotericamente explicado como
a reabsorção dos cinco elementos materiais ( bhuta ) em suas contrapartes sutis. A
temperatura do corpo cai de forma mensurável nessas partes, enquanto a coroa se
sente como se estivesse pegando fogo e é muito quente ao toque. A fisiologia desse
processo ainda não é compreendida. Subjetivamente, no entanto,
os iogues experimentam uma dissolução progressiva de seu estado comum de ser,
até que recuperem a sempre presente auto-identidade ( atman ) que não conhece
limites corporais ou mentais.

Enquanto você precisa de um professor para ajudá-lo a aprender qualquer forma de


meditação, você particularmente precisa da ajuda de um professor para aprender
a meditação laya yoga. Existem cinco centros principais de energia em sua espinha e
dois em sua cabeça. O meditador laya yoga sabe exatamente como localizar esses
centros através do treinamento gentil de um professor. Quando esses centros são
encontrados, eles funcionam muito bem como portas para diferentes reinos da
consciência superior. Enquanto você precisa de um professor para ajudá-lo a aprender
qualquer forma de meditação, você particularmente precisa da ajuda de um professor
para aprender a meditação laya yoga. Existem cinco centros principais de energia em
sua espinha e dois em sua cabeça. O meditador laya yoga sabe exatamente como
localizar esses centros através do treinamento gentil de um professor. Quando esses
centros são encontrados, eles funcionam muito bem como portas para diferentes
reinos da consciência superior. Os cinco centros correspondem aproximadamente às
principais áreas da coluna. Um está localizado na área do cóccix. O segundo centro está
na área do sacro. O terceiro está localizado na medula espinhal, atrás do umbigo. Então
o centro do coração, que mencionamos. O centro da garganta é encontrado dentro da
coluna, na base do pescoço, diretamente atrás do botão do colarinho. O primeiro
centro da cabeça é o ponto de meia polegada acima de onde suas sobrancelhas se
encontram em sua testa - é chamado de terceiro olho. O segundo centro da cabeça
está no topo da sua cabeça. Tecnicamente, esta área não é um centro, mas é
considerada a principal fonte de luz e energia espiritual que é expressa em todo o
corpo. Embora seja benéfico perceber onde estão seus centros, não é sábio concentrar-
se nesses centros ou meditar em qualquer um deles sem a ajuda de um professor. A
estimulação excessiva de um centro pode causar dor, confusão ou desejos
intensos. Por outro lado, a maioria das pessoas vive em apenas três níveis de
consciência - o material, sensual e egóico - sem nunca abrir os sete centros que trazem
uma consciência mais elevada. Laya Yoga, com um professor qualificado, é um esforço
extremamente interessante.

LAYA YOGA: MEDITAÇÃO EM SONS INTERNOS

Laya Yoga é a absorção da mente no som. O objetivo dessa prática é alterar a


consciência normal de si, concentrando-se em ouvir um som místico interno. A mente
ficará estável e absorvida no som no qual ela se concentra. No espaço, o som é
produzido pelo movimento das ondas sonoras no ar. Assim também, no corpo, há
correntes que fluem e produzem som quando se pratica o pranayama.

Para fazer esta prática, sente-se em siddhasana e concentre a atenção no ponto entre
as sobrancelhas. Vire os olhos para cima e deixe as tampas permanecerem fechadas. Os
olhos, ouvidos, nariz e boca devem estar fechados. Com uma mente calma e
controlada, ouça um som no ouvido direito e, eventualmente, você ouvirá um som
claro. No começo, os sons serão muito altos e variados, mas com a prática continuada
eles se tornarão cada vez mais sutis. A princípio, podem-se ouvir sons que parecem
bater e disparar, como o bater de um tímpano. Depois de algum tempo, no estágio
intermediário, os sons se parecerão com aqueles produzidos por uma concha ou por
sinos. Finalmente, depois de mais prática, os sons se assemelharão aos ruídos de
tilintar, ao som de uma flauta ou ao zumbido das abelhas. Todos esses sons são
produzidos e não podem ser ouvidos por mais ninguém.

Quando a mente do aluno está empenhada em ouvir esses sons, ele fica cativado por
eles e supera todas as distrações. Como resultado desta prática, a mente desiste de sua
atividade dirigida para o exterior e se torna calma, não desejando objetos de
gratificação dos sentidos. A mente e a respiração tornam-se refinadas e a atenção da
pessoa está concentrada dentro dela. Então o iogue esquece todos os objetos externos
e perde a consciência de si mesmo, e a mente é absorvida em êxtase. A absorção que é
produzida quando a mente entra no som (nada) emana poderes espirituais e uma
espécie de êxtase, e a pessoa esquece toda a sua existência material. Se alguém deseja
atingir esse estado de união, deve praticar ouvindo o som anahata no coração com
uma mente calma e concentrada. Quando a mente se concentra no som, fica estável. A
atividade mental é suspensa quando a mente é absorvida pelo som. O aspirante
realizado interpenetra o som anahata e atinge o estado de samadhi através deste
método, laya yoga.

Esses sons internos só podem ser ouvidos por aqueles cujos nadis estão livres de
impurezas e que são bem praticados em pranayama. O som anahata vem de
sushumna e, como com outros sons, não pode ser ouvido pelo aspirante até que este
nadi esteja livre de todas as impurezas. Assim, a prática de concentração e absorção
com nada (som) só é possível após uma preparação considerável. Um iniciante pode
executar bhramari kumbhaka , no qual um zumbido parecido com um drone de
abelha é produzido na garganta de uma pessoa. Esta prática requer o controle da
respiração, para que a respiração possa ser exalada muito lentamente, produzindo o
som por um período de tempo significativo.

Assim como focar a atenção nos olhos produz poderes especiais de visão, direcionar a
atenção para os ouvidos permite detectar sons especiais. Ao direcionar toda a força da
atenção para esses sentidos, os poderes mais profundos se desenvolvem. Direcionar os
pensamentos para qualquer senso particular do corpo desperta a percepção consciente
dos poderes que correspondem a esse sentido. Concentração nos órgãos do corpo que
estão envolvidos em qualquer prática aumenta seu poder e sensibilidade, e intensifica e
fortalece esse sistema de órgãos.

A concentração se mostra em cinco estágios mentais progressivos: análise, reflexão,


êxtase, êxtase e meditação. O primeiro estágio é o de adquirir conhecimento sobre a
natureza do objeto. O segundo passo é o da pura reflexão; aqui o estágio inferior de
análise é transcendido. No terceiro estágio, o poder da reflexão dá lugar a um estado
feliz de consciência, que mais tarde se funde no puro êxtase do quarto estágio. No
quinto estágio, uma perda de consciência de todas as sensações e consciência externa
dá lugar a um estado de meditação completa. Em samadhi, não há nem ver nem ouvir,
nem consciência física nem mental; existência pura e total absorção no absoluto é
experimentada.

NADA YOGA

A mente está fixada em nada ou anahata som ouvido no ouvido. Obtém laya ou
dissolução. O yogue entra em samadhi e alcança o conhecimento do eu. Isso é nada
de yoga. Essencialy Nada yoga também é chamado de Laya Yoga. Kundalini Yoga
também é chamado de Laya Yoga. Quando a mente fica absorvida nos sons anahata,
você alcança o conhecimento das coisas ocultas. Você vai ouvir para-vak. Você
desenvolverá o olho da intuição. Por fim, a mente é absorvida em Brahman ou no
Absoluto.

Sente-se em padmasana ou siddhasana ou sukhasana (cruzando as


pernas). Feche as orelhas com os polegares. Este é shanmukhi mudra ou vaishnavi
mudra. Ouça a música de anahata soa. Agora você terá uma concentração
maravilhosa. Faça japa e ajapa japa de sauham com respiração em qualquer
mantra. Pratique pranayama por um ou dois meses. Você ouvirá os dez
sons claramente e apreciará a música da alma.

Os sábios descobriram que mano-laya seguido de mano-nasa era um meio sager


para alcançar a Auto-realização do que o árduo processo de controlar a mente e
cultivá-la, que é sempre atendido pelo perigo da mente saltar para os antigos sulcos
dos vasanas. qualquer momento. No curso de outras investigações práticas, os sábios e
videntes descobriram que o som tem o poder de atrair a mente e absorvê-la, por assim
dizer. Assim mano-laya e mano-nasa através do nada yoga, união ou fusão em som foi
encontrado para ser um meio eficaz e seguro para a auto-realização.

Brahman era um e não-dual. Ele pensou: 'Ekoham, bahu syam'. Isso causou vibração,
eventualmente, trazendo som e esse som foi Om, de onde todas as outras
manifestações. Assim, o som é virtualmente a base compreensível de toda a
criação. Naturalmente, portanto, tem o poder de absorver as outras
manifestações. Brahman é incompreensível em seu aspecto transcendente. A
aproximação mais próxima a Isto é apenas som, ou podemos chamar o som de Aparam
Brahma. Como no macrocosmo, também no microcosmo. Nossos corpos físico e astral,
nossos indriyas (sentidos) e a mente, todos devem ter o som como base. Ao
penetrarmos profundamente neles, eles deveriam apenas nos levar a soar. Ao
analisarmos nossa existência individual, deve nos levar a soar antes de alcançarmos o
Eu transcendente. Normalmente, quando ligamos nossos dois ouvidos e tentamos
ouvir dentro de nós,

Anahata significa, literalmente, invicto, sem se incomodar. Anahata som é assim


chamado porque não é o resultado de bater ou bater certas coisas, como o
levantamento de uma nota sobre o violino ou a vina. Vem do anahata chakra. Porque o
som anahata vem desse chakra, o chakra é assim chamado. Ao afetar a união da mente
com o som anahata , estaremos realmente fazendo com que o efeito desapareça na
causa ou, em outras palavras, haverá mano-nasa. Estabelecer-nos primeiro no anahata
Sound e depois ir para o nosso próprio Self é apenas uma forma de krama mukti
(libertação gradual). Anahata sons ou a melodia são os sons místicos. Este é um sinal
de purificação dos nadis ou correntes astrais devido ao pranayama. Os sons também
podem ser ouvidos após a emissão do Ajapa Gayatri Mantram 'Hamsa soham' a cem
mil (100.000) vezes. Os sons são ouvidos pela orelha direita com ou sem fechar as
orelhas. Nada que se ouve é de 10 tipos. O primeiro é chini ( Cini , como o som
dessa palavra queixo, cin); o segundo é chini - chini ; o terceiro é o som do sino; o
quarto é o da concha; o quinto é o de tantri (alaúde); o sexto é o som
de tala (címbalos); o sétimo é o da flauta; o oitavo é o de bheri (tambor); o nono é o
de mridanga (tambor duplo) e o décimo é o das nuvens, isto é. trovão.

Anahata sons são os sons místicos ouvidos pelo Yogin durante sua meditação. É um
sinal da purificação de Nadis. Alguns alunos podem ouvi-lo claramente através de
qualquer uma das orelhas e algumas pelas duas orelhas. Existem sons altos e sutis. Do
alto, deve-se contemplar o sutil e do sutil ao sutil. Iniciantes podem ouvir o som apenas
quando as orelhas estão fechadas. Alunos avançados podem se concentrar no som do
Anahata mesmo sem fechar as orelhas. Anahata som também é chamado Omkara
Dhvani. Eles procedem do centro de Anahata do Sushumna Nadi.

Sente-se no seu Asana habitual. Feche as orelhas com os polegares. Ouça e observe
minuciosamente o som interno através dos ouvidos. O som que você ouve de dentro
fará com que você surda a todos os sons externos. Feche os olhos também. No começo
de sua prática, você ouvirá muitos sons altos. Mais tarde, eles são ouvidos de maneira
suave. A mente, a princípio concentrada em qualquer som, fixa-se firmemente a isso e
é absorvida nele. A mente torna-se insensível às impressões externas, torna-se uma
com o som como leite com água e depois se absorve rapidamente em Chidakasa
(Cidakasa). Assim como a abelha que bebe o mel sozinho não se importa com o odor,
também a Chitta (Citta), que é sempre absorvida no som interno, não anseia por
objetos sensuais, pois é atada pelo cheiro doce ou Nada e tem abandonou sua
natureza flitting.
O som proveniente de Pranava Nada, que é Brahman, é da natureza da
refulgência. A mente fica absorta nela. A mente existe enquanto há som, mas com sua
cessação, existe aquele estado denominado Turiya. É o estado supremo. É o estado
de Unmani . A mente fica absorvida junto com Prana pela constante concentração em
Nada. O corpo parece ser um tronco de madeira e não sente calor ou frio, alegria ou
tristeza. Diferentes tipos de sons procedem do coração (sons Anahata). Nada que é
ouvido pelos ouvidos é de dez tipos. O primeiro é o som " Chini " (como a pronúncia
da palavra); o segundo é ' Chini-chini'; o terceiro é o som de um sino; a quarta é a de
uma concha; o quinto é o de um alaúde; o sexto é o som dos címbalos; o sétimo é a
melodia de uma flauta; o oitavo é a voz de um tambor (Bheri); o nono é o som de um
tambor duplo (Mridanga); e o décimo é o som do trovão.

Você não pode esperar o som imediatamente depois de fechar os ouvidos. Você deve
se concentrar e mantiver sua mente unidirecionada. O som particular que você ouve
hoje, você não pode ouvir todos os dias. Mas você ouvirá qualquer um dos dez sons
de Anahata . A descrição acima é de Laya a Nada, Anahata. Da mesma maneira, Laya
pode ser efetuada pela concentração na ponta do nariz (Nasikagra Drishti), no espaço
entre as duas sobrancelhas (Bhrumadhya Drishti), meditação nos cinco Tattvas,
no Sauham (Souham) Mantra, Aham Brahma Asmi , Tat Tvam Asi, Mahavakyas e
outros métodos também.

LAYA YOGA SADHANA

Sente-se em padma ou siddha asana. Praticar yoni mudra fechando as orelhas


com os polegares. Ouça o som interno através da orelha direita. O som que você ouve,
fará você ficar surdo a todos os sons externos. Tendo superado todos os obstáculos,
você entrará no estado de Turiya dentro de 15 dias. No começo de sua prática, você
ouvirá muitos sons altos. Eles gradualmente aumentam o tom e são ouvidos cada vez
mais sutilmente. Você deve tentar distinguir sons cada vez mais sutis. Você pode mudar
sua concentração do som grosseiro para o sutil, ou do sutil para o grosseiro, mas você
não deve permitir que sua mente seja desviada deles para outros objetos. A mente, a
princípio concentrada em qualquer som, fixa-se firmemente a ela e absorve-se
nela. Chidakasa - o Akasha, Espaço onde Chitta, a Consciência prevalece. O som
proveniente de Pranava, que é Brahman, é da natureza da refulgência; a mente fica
absorvida nela; essa é a sede suprema de Vishnu. A mente existe enquanto há som,
mas com sua cessação, existe aquele estado denominado Turiya. Este som é absorvido
em Brahman e o estado silencioso é o lugar supremo. A mente que junto com Pranava
tem suas afinidades kármicas destruídas pela constante concentração sobre nada é
absorvida no Inatingível. Não há dúvida disso. Sendo libertado de todos os estados e
de todos os pensamentos, você permanecerá como um morto. Você se tornará uma
alma liberada por mukta.

MANTRA YOGA

Mantra-Yoga, o caminho do som transformador, é um aspecto integrante do Tantra,


mas também pode ser perseguido como um caminho de ioga separado. É
freqüentemente considerado o menos complexo de todas as formas de Yoga, porque
não envolve práticas complicadas. A essência do Mantra-Yoga é a recitação regular e
prolongada, japa de um ou mais sons potentes (mantra), que despertam os Cakras
(chakras) e o poder da serpente Kundalini.

Bhakti Yoga é o yoga mantra mais popular conhecido como Yoga do Amor e da
Compaixão. O termo bhakti, derivado da raiz bhaj, é geralmente traduzido como
devoção ou amor. Bhakti-Yoga é, portanto, o Yoga de amar a auto-dedicação e a
participação de amor na Pessoa divina. No Bhakti-Yoga, a força emocional do ser
humano é purificada e canalizada para o Divino. Em sua disciplina de
autotranscendência extática, os bhakti-yogins, ou bhaktas, tendem a ser mais
abertamente expressivos do que o típico raja-yogin, ou jnanin. Os seguidores de
Bhakti-Yoga, por exemplo, não evitam derramar lágrimas de desejo pelo Divino. Nessa
abordagem, a Realidade transcendental é geralmente concebida como uma Pessoa
suprema e não como um Absoluto impessoal. Muitos praticantes deste caminho até
preferem olhar para o Divino como outro.

Mantras (ou mantrams) são palavras, frases ou sílabas que são cantadas
pensativamente e com crescente atenção! A meditação mantra-yoga envolve cantar
uma palavra ou frase até que a mente e as emoções sejam transcendidas e o
superconsciente seja claramente revelado e experimentado. Desde que a mente
vagueia tanto, a música de um mantra facilmente resgata a mente e a traz de volta ao
objeto da meditação. Tanto o ritmo quanto o significado se combinam para guiar a
mente em segurança de volta ao ponto de meditação - a consciência superior ou o
foco espiritual específico.

Um fundo em Mantrams

Mantrams típicos são: Aum (Om), que significa Espírito, a Palavra de Deus, que
cria, preserva e transforma. O mais profundo e simples dos mantrams é
o AUM ou o OM . É chamado "o nome de Deus no som". O
mantra AUM compunha três sílabas e meia. A sílaba "A". O primeiro aspecto é o
estado de vigília, vaiswaanara. Nesse estado, a consciência é voltada para o
externo. Com seus sete instrumentos e dezenove canais, experimenta o mundo
fenomenal. A sílaba 'U'. O segundo aspecto é o estado de sonho, taijasa. Nesse
estado, a consciência é voltada para dentro. Ele também tem sete instrumentos e
dezenove canais, que experimentam as impressões mentais sutis. A sílaba 'M' . O
terceiro aspecto é o sono profundo, prajna. Nesse estado, não há desejo nem
sonho. No sono profundo, todas as experiências se fundem na unidade da consciência
indiferenciada. O dorminhoco é cheio de felicidade e experiências de felicidade e pode
encontrar o caminho para o conhecimento dos dois estados precedentes.

Outro é o mantra Shivaista do Himalaia: AUM NAMAH SHIVAYA, que geralmente


é traduzido como "Om Homenagem ao Mais Alto Senhor Deus". Bem conhecido é o
mantram hindu: Asato Ma Sat Gamaya !, que significa "conduza-me do irreal ao
real".
Existem milhares de mantrams Veda, que são principalmente da antiga língua
sânscrita. Possivelmente, com o tempo, as afirmações serão em inglês a partir de
mantras sânscritos bem conhecidos. O que tal desenvolvimento exigiria é que um
grande número de grandes meditadores dos tempos modernos esteja tão sintonizado
com o Senhor e tão à vontade nos reinos da consciência superior que esses mantras
antigos possam ser facilmente revelados a eles. Todos os mantrams são o resultado de
uma revelação, geralmente para algum adepto que medita profundamente. Os mantras
estão sempre em sânscrito, que é a linguagem celestial dos deuses, os devas desceram
à Terra externamente ou interiormente como Avataras da Encarnação. Não há Avatara
(o Homem de Deus) sem conhecer muito bem o idioma sânscrito!

Meditação Mantram

Geralmente a meditação mantram envolve cantar em voz alta no início até que o corpo
esteja calmo e a atmosfera ao redor de si mesmo seja serena e agradável para a
meditação. Em seguida, a meditação sussurra quase que automaticamente ocorre e a
força vital começa a se afastar do canto "alto-alto" para sussurrar o canto. Em sussurro
cantando o prana, a força vital no corpo é equilibrada e harmonizada, preparando o
caminho para um estado mais profundo de serenidade - e do equilíbrio da mente e das
emoções. O cântico do sussurro dissolve-se facilmente e a força vital move-se ainda
mais para dentro enquanto você entra no canto mental. O cantar mental é praticado
enquanto os pensamentos estão ocorrendo na mente. Sempre que a mente está
distraída, o mantra é simplesmente cantado na mesma área da mente em que a
distração está ocorrendo. O mantra sempre ganha se for dada uma chance. Como o
mantram liberta-o de um pensamento, depois de outro, e também ajuda a dissolver as
distrações, o mantra começa a alcançar a fronteira da superconsciência. O canto se
torna sem esforço. Nenhum esforço, nem afastar distrações é necessário. Cantar se
torna um prazer. Paz e alegria gentil enchem sua mente.

O que o mantram faz a seguir

Neste ponto de cantar mental sem esforço, o mantram pode fazer duas coisas: ele
pode se dissolver em superconsciência ou pode ajudar a ventilar a mente
subconsciente, o armazém de seus antigos pensamentos, sentimentos e lembranças
que foram tristemente negligenciados ou que não foram bem-sucedidos. tratado. O
mantra pode criar uma oportunidade para que pensamentos e sentimentos antigos,
velhos medos e culpas sejam liberados, curados ou liberados. O que acontece
depois? Se o seu canto mental primeiro se torna sem esforço e ventila as pressões
subconscientes, ele então se move para o seu eu superconsciente. Ou, o canto sem
esforço contorna o subsolo subconsciente de sua mente, entrando diretamente na
sublime superconsciência. De qualquer maneira, você chega em sua natureza extática e
celestial. As palavras do mantram desmoronam e desaparecem. Apenas o surge
energia do mantram enquanto sua consciência se torna feliz e cheia de luz.

Êxtase Através Do Mantra Yoga


Nesse estágio extasiante de arrebatamento contínuo, você sente que chegou em
casa. Você sente que esta é sua verdadeira natureza - e sua verdadeira propriedade,
que foi ignorada devido ao domínio da mente, das emoções e do mundo exterior. Você
provavelmente terá um prazer de quinze a vinte minutos no prazer e conforto de seu
eu superconsciente; e então o mantram começará a sair. Você encontrará sua
consciência superior quer para voltar ao mundo exterior. Quer expressar, tocar sua
vida e seus entes queridos. As palavras do mantram ressurgem na mente e você inverte
todo o processo, indo gradualmente ao sussurro - e depois em voz alta. Em última
análise, um meditador mantram vive no êxtase do mantra, sempre brilhando com o
significado e percepção espiritual das sílabas especiais. Para ter certeza de que um
mantram é certo para você, busque um mantram somente de um Sri Guru ou Mestre
que esteja qualificado para ensinar e iniciar você.

MANTRAS

Os mantras são sons articulados, que unem o subconsciente, a consciência e a


superconsciência. Um mantra deve ser construído especificamente e não apenas
qualquer som. Mantris são criadores de mantras. A filosofia hermética e os
antigos Arcanos usavam sons vocais chamados runas para evocar certas forças
psíquicas, altas e baixas. Embora alguns dos Mantras sejam associados aos deuses, eles
eventualmente unem funções dos cinco corpos, os Pancha Koshas (PanCa koSas). O
mais profundo e simples dos mantrams é o AUM ou o OM . É chamado "o nome de
Deus no som".

O despertar da Kundalini é efetuado pelo Mantra, que também é uma porção do


Bhakti Yoga. Todos os aspirantes devem repetir o Mantra dado pelo
seu Guru muitas centenas de vezes. Durante o tempo de Diksha de um Uttama
Adhikari, o Guru pronuncia um mantra específico e a Kundalini é despertada
imediatamente. A consciência do estudante é elevada a um grau muito alto. Isso
depende da fé do aluno em seu Guru e no Mantra. Os mantras, quando recebidos do
Guru em pessoa, são muito poderosos. Os aspirantes da Kundalini Yoga devem fazer
este Mantra Sadhana apenas depois de obter um Mantra apropriado de um
Guru. Portanto, não estamos tocando esse ponto em detalhes. Mantras quando
aprendidos através de amigos comuns ou através de livros não podem produzir
nenhum benefício. Os mantras são numerosos e o Guru deve selecionar um Mantra
específico pelo qual a consciência de um estudante em particular pode ser despertada.

Mantras podem excitar as emoções e dar sugestões à mente. Os mantras afetam


tanto quem os entoa como quem os ouve. A palavra mantra vem do sânscrito
" mantrana ", que significa conselho ou sugestão . Em certo sentido, uma palavra
tão profunda de Guru é um mantra. Em nossa vida diária, usamos palavras para fazer
tudo, obter tudo o que precisamos. Cada mantra ou palavra é um padrão sonoro que
sugere à mente os significados inerentes a ela, e a mente imediatamente responde.

De acordo com Ramana Maharshi, a repetição de mantras (japa), com atenção


direcionada para a fonte do som, envolve completamente a mente. Isso é tapas -
penitência. A fonte não está apenas nas cordas vocais, mas também a ideia do som
está na mente, cuja fonte é eu. Assim, a prática da repetição do mantra é mais do que
uma sugestão, um pouco de conselho ou uma ideia. É um meio de entrar em contato
com o nosso ego. Mantras podem ser usados para culto religioso,
para japa (repetição), para curar, para ajudar na evolução espiritual, para a purificação,
para fazer oferendas e no Mantra Yoga. Alguns mantras são apenas cantos ou
expressões de proximidade do Divino. Mas alguns santos que foram inspirados pelo
amor divino e fé inabalável usaram esses mantras em sua própria prática espiritual e
seus seguidores começaram a usar esses mantras, chamando-os de mahamantras ou
grandes mantras.

Primeiramente, é a fé que cria o efeito dos mantras. Melodia, entonação, pronúncia,


seja silenciosa ou em voz alta, todas são importantes na recitação de mantras. Além
disso, o ciclo de batidas em que os mantras são recitados é importante, mas muda de
acordo com o estado de consciência daquele que está cantando. Um aumento na
velocidade de cantar aumenta a velocidade da mente, do batimento cardíaco e da
respiração. O ciclo de batimentos dos mantras afeta as
emoções. Uma velocidade rápida às vezes cria uma vibração contínua e quando é
feita em grupos cria um bom efeito, porque a mente trabalha em sincronia com o ciclo
de batida e não tem tempo para fantasiar. O cantar rápido de mantras esgota a mente,
o coração e a respiração, e o relaxamento vem depois que o canto
termina. Retardando o ciclo de batidas dos mantras também cria a mesma vibração
contínua, mas diminui a velocidade da mente, do coração e da respiração enquanto o
canto está acontecendo. Induz um estado hipnagógico, mas só é bom quando o cantar
dos mantras é feito individualmente. Um ciclo de batida de velocidade média é bom
para grupo e canto individual de mantras. Não perturba o batimento cardíaco ou o
padrão de respiração e torna a mente mais desperta, alerta e consciente.

O lugar de onde o som emana influencia sua qualidade tonal. Os tons profundos são
produzidos pelas cordas vocais em conjunto com a região abdominal, as middletones
em conjunto com as regiões do tórax, coração e garganta e tons agudos em conjunto
com a região superior do corpo. A música clássica indiana usa todas as três regiões em
uma ordem gradual, mas a região intermediária é mais usada e produz um impacto
emocional maior sobre os ouvintes.

MANTRA E SAHASRARA

Mantra Yoga é um estudo intrincado do som e sua influência na energia, na mente e


no mundo externo. Mais do que apenas cantar certos sons, isso vai mais
profundamente na essência do que o som é como vibração, que tipo de sons afetam
qual área do corpo, mente - quais são as reações mentais, etc. Então vem a aplicação
de certos sons. fórmulas para criar os resultados desejados. Basicamente, tudo se
resume à realidade de que tudo é energia e que a energia está em um estado de
vibração - a vibração é sólida. Prática de Mantra irá desdobrar o Sétimo
Chakra: Sahasrara. A CONSCIÊNCIA DE DEUS em si é o sétimo elemento; uma forma
de poder primitivo que é a consciência de todas as outras forças. Este elemento não é
do mundo físico, mas o permeia até o nível mais profundo. Consciência como um
elemento é parte do reino eterno do universo, que parte de cada indivíduo que passa
de corpo para corpo. Onde quer que você vá, deve haver uma consciência de estar lá,
seja céu, inferno ou terra, você está consciente de estar lá. É a essência constante. É
difícil dizer como se experimenta esse elemento em particular, porque este é o
elemento que faz a experiência, o testemunho de toda a vida.
CHACRA DE SAHASRARA está realmente centralizado acima da cabeça, embora sua
percepção passe por todos os aspectos do corpo. Sendo este o centro de sua
experiência consciente, ele tem a forte tendência na vida normal de se envolver no
turbilhão de energias mentais que o mantém entretido por eras a fio. No entanto, ele
tem o poder de dirigir todas as funções das energias nos seis níveis abaixo, quando é
livre. Deste Chakra, um tem acesso imediato às energias do universo acima e ao
conhecimento da eternidade. Para isso, a consciência deve estar voltada para cima e
para longe das preocupações corporais ou terrenas. A glândula PINEAL é influenciada
pela energia desse centro e, por sua vez, influencia diretamente a glândula
pituitária. Em estudos feitos com luz e cor, por exemplo, foi visto que os impulsos de
energia que chegam através dos nervos ópticos, de qualquer cor que se esteja olhando,
influenciou a glândula pineal a produzir certos hormônios que tendem a governar os
hormônios subsequentemente produzidos pela pituitária. Cada cor e forma tem uma
influência específica em todo o sistema endócrino. Como experiência, tente olhar para
uma mandala atraente, depois mude para um membro atraente do sexo oposto, nu, e
observe suas reações mentais, emocionais e fisiológicas ao que seus olhos estão
vendo. Observe e tire suas conclusões; então você pode decidir escolher
cuidadosamente em que focar sua atenção. CENTRO é a direção, ou poderíamos dizer
para dentro. A partir deste centro você pode ir para o norte, sul, leste, oeste, para baixo
ou para cima, mas eles estão todos longe do centro de si mesmo. Influenciou a
glândula pineal a produzir certos hormônios que tendem a governar os hormônios
subsequentemente produzidos pela pituitária. Cada cor e forma tem uma influência
específica em todo o sistema endócrino. Como experiência, tente olhar para uma
mandala atraente, depois mude para um membro atraente do sexo oposto, nu, e
observe suas reações mentais, emocionais e fisiológicas ao que seus olhos estão
vendo. Observe e tire suas conclusões; então você pode decidir escolher
cuidadosamente em que focar sua atenção. CENTRO é a direção, ou poderíamos dizer
para dentro. A partir deste centro você pode ir para o norte, sul, leste, oeste, para baixo
ou para cima, mas eles estão todos longe do centro de si mesmo. Influenciou a
glândula pineal a produzir certos hormônios que tendem a governar os hormônios
subsequentemente produzidos pela pituitária. Cada cor e forma tem uma influência
específica em todo o sistema endócrino. Como experiência, tente olhar para uma
mandala atraente, depois mude para um membro atraente do sexo oposto, nu, e
observe suas reações mentais, emocionais e fisiológicas ao que seus olhos estão
vendo. Observe e tire suas conclusões; então você pode decidir escolher
cuidadosamente em que focar sua atenção. CENTRO é a direção, ou poderíamos dizer
para dentro. A partir deste centro você pode ir para o norte, sul, leste, oeste, para baixo
ou para cima, mas eles estão todos longe do centro de si mesmo. depois, mudar para
um membro atraente do sexo oposto, nu, e observar suas reações mentais, emocionais
e fisiológicas ao que seus olhos estão vendo. Observe e tire suas conclusões; então
você pode decidir escolher cuidadosamente em que focar sua atenção. CENTRO é a
direção, ou poderíamos dizer para dentro. A partir deste centro você pode ir para o
norte, sul, leste, oeste, para baixo ou para cima, mas eles estão todos longe do centro
de si mesmo. depois, mudar para um membro atraente do sexo oposto, nu, e observar
suas reações mentais, emocionais e fisiológicas ao que seus olhos estão
vendo. Observe e tire suas conclusões; então você pode decidir escolher
cuidadosamente em que focar sua atenção. CENTRO é a direção, ou poderíamos dizer
para dentro. A partir deste centro você pode ir para o norte, sul, leste, oeste, para baixo
ou para cima, mas eles estão todos longe do centro de si mesmo.

PODER DO SOM E DO NOME

O poder dos sons é tremendo. Idéias são geradas na mente pela mera audição de
sons. Todo nome tem um formulário correspondente a ele. Sabda e artha (palavra e seu
significado) são inseparáveis. A forma relacionada a um nome é imediatamente
manifestada na mente no momento em que o nome é ouvido pelos ouvidos e
transmitido à consciência mental. Existem nomes denotando formas que são
abominadas e existem nomes que denotam formas que são muito desejadas. Dores e
prazeres tornam-se as experiências na mente quando ela está consciente de objetos
odiosos e prazerosos, respectivamente, através da audição deles. Quando alguém grita
de repente: "Scorpion! Scorpion!" "Cobra! Cobra!", Você imediatamente apreende o
escorpião ou a cobra e pula de susto. Quando alguém te chama de "burro" ou "burro"
você fica irritado e demonstra raiva. Por que você faz isso? Porque existe em sua mente
a consciência de seu suposto contato ou identidade com algo que você acha que é
muito perigoso ou muito inferior a você. Então você fica aterrorizado ou sente que está
depreciado. É por isso que você pula de medo quando ouve falar da presença de um
escorpião ou de uma cobra perto de você, e não tolera que você seja tratado como um
burro ou um burro. Através da raiva, você deseja mostrar que não é um burro.

Quando tal é o poder do nome de uma coisa comum deste mundo, que tremendo
poder deve existir em nome de Deus! Deus é a conclusão ou a plenitude da
existência. Daí o nome que o denota também é completo e perfeito. Portanto, o poder
do nome de Deus é incalculável, pois é a altura ou o zênite do poder. O nome de Deus
pode conseguir qualquer coisa. Não há nada impossível para isso. É o meio para a
realização do próprio Deus. Mesmo que o nome de uma coisa neste mundo gere a
consciência dessa coisa na mente, o nome de Deus gera a consciência de Deus na
mente purificada e se torna a causa direta da realização da mais alta perfeição, isto é,
Deus, liberdade. e imortalidade.

LAYA TANTRA

A palavra tantra literalmente significa "expansão". Um tantra yogi se concentra em


expandir todos os níveis de sua consciência para desvendar e realizar a Realidade
Suprema. O tantra enfoca o aspecto dinâmico da divindade chamado Shakti, ou "a Mãe
Cósmica". O devoto tântrico se esforça para sintonizar-se com a energia dinâmica
espiritual, a fim de transformar as limitações pessoais e liberar os bloqueios
subconscientes. O verdadeiro tantra yoga é um caminho puro, mas foi abusado por
alguns adeptos autoproclamados. A Tantra Yoga não está preocupada com a
sexualidade, mas com a força criativa e transmutando esta energia em canais
superiores. Às vezes, os auto-intitulados professores interpretaram erroneamente o
simbolismo do tantra yoga em práticas sexuais para homens e mulheres. Pelo contrário,
o objetivo do tantra yoga é despertar e harmonizar os aspectos masculino e
feminino dentro cada pessoa, a fim de despertar espiritualmente e perceber todo o
universo como uma expressão da Mãe Cósmica, a força da vida divina, ou Espírito.

Meditação da Tantra Yoga


Tantra A meditação da yoga é praticada da seguinte maneira: um devoto do tantra
senta-se com calma e purifica a mente e o coração de pensamentos e desejos
rebeldes. O devoto então sente a força vital dentro de seu ser e gradualmente, através
da imaginação e do sentimento, direciona a força vital para subir na espinha, do cóccix
para o pescoço e depois para a testa. Quando força vital considerável é reunida na
testa, o tantra yogi, através da prática, direciona a força vital para fora da testa e forma
um corpo de luz e energia de três a seis pés antes dele ou dela. O corpo de luz na
frente do devoto é encorajado a se tornar denso e expandir até que seja tão grande
quanto uma forma humana. O iogue tântrico, então, dirige o amor e a devoção para o
corpo dinâmico de luz, que é uma representação profunda de sua alma e
essência. Geralmente, depois de quinze a trinta minutos dessa meditação, o iogue
convida a luz e a energia a retornarem lentamente à testa e descerem pelo corpo até a
base da espinha. Através da prática, a surpreendente renovação é sentida através da
meditação tântrica e o despertar espiritual é acelerado. O tantra percebe que a força
vital e a essência de cada pessoa são verdadeiramente divinas; é do Senhor. O espírito
de cada um é de Deus.

Superando hábitos negativos

Outro aspecto interessante do tantra yoga é sua dedicação à transmutação de hábitos


negativos ou obsessões - fumar, beber e comer demais, por exemplo. É claro que o
tântrico insiste em que você desista de quaisquer maus hábitos ao simplesmente soltá-
los. Entretanto, se você não pode desistir de um comportamento autodestrutivo, não
importa o quanto tenha tentado, por que não usar uma abordagem tântrica? O
começo tântrico percebe que ele falhou em abandonar seus hábitos autodestrutivos
porque eles estavam tão fortemente estabelecidos por longos períodos de
tempo. Freqüentemente, antes de começar a praticar o tantra yoga, ele tentou parar de
se machucar por fumar, beber e comer demais, mas falhou miseravelmente depois de
muitas lutas. Agora, através do tantra ele tenta expandir sua consciência enquanto
transforma velhos hábitos. Se beber é problema dele, por exemplo, ele pensa em Deus
enquanto bebe! Em vez de ignorar a Deus ou se sentir rebelde, ele se esforça para
sentir o amor, a alegria e as bênçãos de Deus. O tantrico se esforça para sentir a alegria
ou o amor de Deus enchendo-o, assim como a intoxicação do álcool. Em pouco tempo,
o iniciante tântrico não precisa beber. O pensamento de Deus o enche de alegria.

Transformações

Da mesma forma, o fumante se esforça para sentir a presença de Deus na satisfação de


fumar. Com o tempo, desde que o profundo amor a Deus seja cultivado, o cigarro ou
cachimbo não é necessário para sentir prazer e contentamento. Overeaters usam
princípios semelhantes. Gradualmente, sua satisfação está em Deus - não em
comida. Overeaters também fazem essas práticas tântricas:

1) Enquanto comem, eles se esforçam para perceber que a comida é uma expressão do
espírito infinito; que eles são seres espirituais participando do espírito. Essa consciência
da comida os libera de uma abordagem animal desesperada às refeições e lanches.
2) Às vezes eles misturam todos os alimentos em seu prato em uma massa homogênea
que não parece tão atraente para os olhos e a mente. Livres de fascínio visual, a comida
é simplesmente concebida como energia, algumas horas de combustível.

Os verdadeiros iogues tântricos pensam em Deus todas as suas horas de vigília. Nesta
devoção, eles são libertados de hábitos destrutivos e entram na iluminação.

LAYA, TANTRA OU KUNDALINI YOGA

Uma abordagem celibatária para o crescimento espiritual é bastante comum em muitas


das tradições religiosas do mundo. Muitas práticas de yoga sugerem que o
envolvimento sexual é um prejuízo para um maior desenvolvimento do self e, portanto,
deve ser evitado, se possível. No entanto, ioga tântrica sugere que a sexualidade
pode ser uma força muito poderosa que pode ser aproveitada para aumentar a
autoconsciência. Assim, a ioga tântrica é incomum, pois não apenas permite
sentimentos sexuais e contato, mas também usa a experiência sexual como um meio
para a iluminação. Os Tantrics sustentam que há uma enorme energia bloqueada na
sexualidade, que, se liberada da extremidade inferior da coluna, pode fluir até a coluna
vertebral para levar a iluminação divina ao cérebro. Eles acreditam que dentro do
interior da coluna, em uma região oca chamada canalis centralis, existe um canal de
energia chamado " sushumna ". Ao longo deste canal, da base do períneo até o topo
da cabeça, flui a mais poderosa de todas as energias psíquicas, a energia da
Kundalini. Do outro lado do canal estão dois canais adicionais de
energia,Ida "correspondente ao macho e a outra a" Pingala"correspondente à fêmea.
Ida está à direita da base da espinha e a pingala começa à esquerda. Diz-se que essas
correntes psíquicas de reboque se enroscam em torno da espinha. e o sushumna como
cobras, cruzando os chakras (roda de energia do centro da consciência) A tarefa
vitalícia do iogue Kundalini é evoluir através das várias qualidades e desafios dos
chakras, trazendo o foco da energia Kundalini para cima da base de sua coluna para o
topo de sua cabeça.

Uma vez que o yogi tenha alcançado o domínio do eu, relaxando a tensão corporal,
silenciando a tagarelice mental e liberando bloqueios de energia, ele está pronto para
se unir a um parceiro cujas energias e espírito complementam o seu de tal forma que
juntos formam um "todo". Os parceiros devem primeiro alcançar uma consciência
altamente desenvolvida dentro de seu ser, um processo que pode levar uma vida
inteira, antes de estar pronto para se envolver em um abraço tântrico. Na experiência
de fazer amor tântrico, conhecida como "maithuna", os amantes passam por uma
variedade de meditações e rituais antes de realmente fazerem contato físico. Eles
mantêm o elo espiritual ou vínculo durante todo o processo de fazer amor. Eles
visualizam o fluxo de prânica correntes entre eles. Na ioga tântrica, os amantes não
tentam atingir o orgasmo. Na verdade, eles trabalham duro para não ter um. Eles estão
tentando atrair as forças da energia Kundalini para cima através de suas mentes
corporais, liberando assim o poder dos vários chakras (cakras). Essa força transforma o
iogue psicologicamente, mudando sua personalidade à medida que a Kundalini se
eleva a cada chakra sucessor. A ênfase não está na liberação sexual como um fim em si
mesmo, mas no sexo como um canal através do qual a evolução do eu pode
prosseguir. O objetivo do Laya Tantraespiritual é a união de aspectos dinâmicos e
estáticos da personalidade. É um pouco diferente das práticas que se referem à
renúncia e à falta de desejo.

KUNDALINI SHAKTI (ŚAKTI)

Kundalini Laya Yoga às vezes é considerado um yoga distinto, embora geralmente


envolva uma combinação de: raja, hatha, tantra, laya e mantra yogas. Seu objetivo
principal é o estímulo da força da vida espiritual na base da espinha,
chamada Kundalini, para que ela se eleve facilmente dos centros inferiores do seu ser
para os centros espirituais em sua cabeça, onde a consciência superior é percebida,
experimentada e, por fim. vivia. Kundalini é solar feminino, Atma ou de nível Divino
de energia sutileza, Atma Poder ou Purusha energia, que se acumulou em todos os
melhores momentos de todas as suas encarnações anteriores. É produzido e
acumulado quando se vive nos estados de amor terno e refinado. Os recursos
da Kundalini das pessoas são diferentes. Dependem do número e da qualidade de
vida que já se viveu, assim como de como se vive a vida presente. A
Kundalini participa da atividade do organismo de várias maneiras, incluindo o
"reabastecimento" da parte incorporada da consciência. Quanto maior é a kundalini,
mais rico é o potencial espiritual e as expressões espirituais.

Essa energia não é incorporada toda vez que a parte encarnadora da alma (jiva) entra
em um novo corpo, mas é “armazenada” em uma espécie de “caixa de dinheiro” que se
assemelha à forma de um balão magro. O tamanho dessa estrutura, quando ela é
desenvolvida, é medida por quilômetros; Ele está localizado no período mais sutil
correspondente dentro do nosso planeta, no nível de seu manto. Assim, como segue
acima, K undalini Shakti (Sakti) não está localizado no muladhara chakra e, mais
ainda, não tem nada a ver com o cóccix, como alguns autores escrevem em seus
livros. A Kundalini está conectada ao corpo com um canal energético especial que
entra no corpo na parte frontal do chakra muladhara.

“ Levantamento” da Kundalini Śakti Devi

A energia da Kundalini , sendo Divina, idêntica à energia ou Devi, Deusa do Criador


por sua qualidade, ainda é individualizada. É como uma gota, não fundida ainda com o
Oceano da Consciência Primordial. Quando uma pessoa amadurece na gama de
encarnações até o estágio em que a encarnação atual pode se tornar a última e quando
todos os defeitos da parte encarnada da consciência são eliminados - chega o tempo
em que a Kundalini pode ser trazida ao corpo, levantada através e se fundiu com a
parte restante da consciência. O propósito do “levantar” da kundalini é o seguinte:

* primeiro - mesclar a energia Atmica individual acumulada com o Criador


(Paramatman),

* segundo - para realizar a “queimada” das células do corpo com a energia Átmica ou
Purushica que as cura e transforma,

* terceiro - aprender a identificar-se com a Alma Divina: Atman, Purusha.


Este último torna-se possível quando a Kundalini Devi vem através do corpo (deve
ser realizada em uma posição horizontal do corpo) e forma uma nova acumulação de
energia por trás do sahasrara do chakra. Segue-se do exposto que antes de começar a
“levantar” a Kundalini , é preciso pensar duas vezes. Como se a energia da Kundalini é
transferida para a Paramatman, a pessoa como uma individualidade a perde. E a única
maneira correta de sair desta situação para tal pessoa é fundir a jiva com o Criador na
encarnação atual também. Se isso não acontecer; por exemplo, se o adepto que não se
estabeleceu em sutileza reverte para estados emocionais grosseiros por causa de uma
certa razão que nem todos conseguem controlar - da próxima vez que ele encarna sem
esse inestimável potencial energético e tem que acumulá-lo novamente começando do
zero.

CHAKRAS (CAKRAS)

Os chakras são bioenergia ou energia vital, prana , estruturas fluidas do organismo


humano. Chakras são órgãos responsáveis pela geração de emoções e outros estados
psíquicos do homem. Entre suas funções estão o armazenamento, conversão e
redistribuição das bioenergias dentro do organismo. Essas energias também podem
fluir entre os chakras ou entre os chakras e os órgãos que correspondem à esfera de
influência deste chakra. Os canais através dos quais as bioenergias fluem são chamados
de nadis , meridianos. Não há chakras “bons” ou “ruins”, embora existam fantasias na
literatura. Cada chakra desempenha seu papel no trabalho do organismo, até mesmo
seis Dungpa cahkras abaixo de Muladhara. Existem 72.000 nadis.
Existem sete chakras principais , no total. Às vezes, outro número é citado, mas isso
é resultado de uma percepção mais profunda e do desenvolvimento
espiritual. Também outros centros de energia ou estruturas criadas artificialmente
dentro ou fora do corpo são chamados de chakras. Existem opiniões erradas quanto à
localização dos chakras. Por exemplo, em algumas publicações
incompetentes anahata onde o coração espiritual está contido é colocado em uma
área de estômago, e manipura - na região umbilical. Os chakras não estão localizados
na coluna vertebral, como está escrito em alguns livros. Na realidade, os chakras estão
localizados da seguinte maneira:

Sahasrara - um chakra que tem uma forma de um disco mentiroso e está localizado
sob o osso parietal na região dos hemisférios do prosencéfalo, mas na ponta da sua
própria mão acima da cabeça. Seu diâmetro é de cerca de 12 centímetros, sua altura é
de cerca de 4 centímetros para iniciantes, pessoas comuns.

Ajna - um grande chakra chamado terceiro olho, localizado no meio da cabeça,


coincidente com as partes centrais do cérebro; soun Om (Aum).

Vishudha (viSuddha) - um chakra localizado na metade inferior do pescoço até o


nível das clavículas; Anandamaya Kosha (Bainha), som Ham.

Anahata (anAta) - um chakra do tórax localizado na área entre a clavícula e o plexo


solar. Vijnanamaya Kosha (Bainha), som Yam.

Manipura - um chakra da parte superior do abdômen; Manomaya Kosha (Bainha),


Ram som;

Svadhisthana - um chakra da parte inferior do abdômen; Pranamaya Kosha (Bainha),


som Vam;

Muladhara - um chakra, localizado na parte inferior da pélvis entre o cóccix e o osso


compartilhado; o conjunto de kundalini shakti serpente lótus. Annamaya Kosha
(Bainha), som Lam.

Os chakras externos são pétalas que são junções de canais de energia - este é o
insight do avatara; e existem muitas outras estruturas espirituais dentro delas. E deve
haver uma cor nos chakras, como é recomendado em alguns livros. Chakras devem
ter dentro de si tenro branco - goldish luz. É desejável que todos os chakras sejam
sempre puros e desenvolvidos. Existem métodos meditativos especiais para esse
propósito. A condição dos chakras está intimamente relacionada com a condição dos
órgãos localizados nas partes do corpo que correspondem a um chakra particular. Os
chakras desempenham um papel importante no fornecimento de energia aos órgãos,
enquanto doenças dos órgãos afetam negativamente a condição dos chakras. O nível
de desenvolvimento dos chakras individuais corresponde às características psicológicas
de cada um. Então, quando os seguintes chakras são desenvolvidos:

sahasrara - hemisférios do prosencéfalo; existe uma capacidade pronunciada de


pensar estrategicamente, isto é, a capacidade de ver a “imagem completa”, de
compreender toda a situação “de cima”; isso permite que essas pessoas sejam gerentes
de pensamento amplo;
ajna - o resto do cérebro, bem como olhos, nariz e nasofaringe; uma pessoa possui
uma capacidade de “pensamento tático”, que lhe permite lidar com sucesso com
problemas “particulares” em ciência, negócios, vida familiar, etc .;

vishudha - orelhas, todo o pescoço, tireóide, ambas as mandíbulas, incluindo dentes e


outros; A fronteira entre as “esferas de influência” de ajna e vishudha coincide com o
palato; elemento éter, akasha; a capacidade de percepção estética é observada; bons
pintores, músicos e outros artistas são pessoas com vishudha bem desenvolvida;

anahata - coração, pulmões, braços e glândulas mamárias; a capacidade de amar


emocionalmente, amar não “da mente”, mas “do coração”, elemento ar. O principal de
todos no caminho espiritual é o chakra anahata, porque é com a ajuda desse chakra
que se pode realizar o propósito principal da vida, ou seja, o autodesenvolvimento
espiritual. Segue-se da fórmula de “Deus é Amor” que, se quisermos nos fundir com
Deus, nós também temos que nos transformar em Amor Divino - em consciências que
vivem constantemente no estado de Amor Divino. A pessoa alcança isso apesar de
permanecer constantemente com a consciência no anahata chakra e ser a emoção do
amor irradiada para todas as pessoas, para todos os seres vivos.

manipura - estômago e outras estruturas do sistema digestivo; a capacidade de agir


energeticamente, elemento fogo; mas às vezes, quando o lótus é impuro, ele é
acompanhado de uma disposição para o domínio da irritação e outras manifestações
de raiva;

svadhisthana - bexiga urinária, pernas, uma função reprodutiva bem pronunciada,


elemento água;

muladhara - os órgãos de reprodução; estabilidade psicológica em várias situações,


equilíbrio de elementos, elemento terra.

Como a condição dos chakras influencia diretamente o funcionamento de órgãos


localizados nas mesmas partes do corpo, a mera limpeza do chakra correspondente
pode facilmente curar muitas doenças crônicas. É importante mencionar que o trabalho
no desenvolvimento de chakras e outras estruturas sutis do organismo é incompatível
com a ingestão de ' comida morta ', álcool (mesmo na forma de produtos lácteos
contendo álcool) e outros psicodélicos , pois tais substâncias destroem aquelas sutis
estruturas. Quebrar esta regra causa doenças graves.

LAYA KRIYA

Classicamente, o kriya yoga é uma mistura de práticas de karma, jnana e bhakti. A


palavra kriya significa "fazer, fazer um esforço" ou "transformar". Uma das principais
maneiras pelas quais o kriya é praticado é um programa diário de autodisciplina da
mente e do corpo, introspecção e devoção a Deus. Outra maneira pela qual o kriya
yoga é praticado no mundo hoje é dirigir a força da vida para subir e descer a
espinha dorsal , transformando o estado de ser do meditador até que ocorra a
realização espiritual. Esta técnica é geralmente transmitida privadamente através da
iniciação de um Guru ou praticante de longa data deste método.
O destino da Laya Kriya é a profunda religiosidade emergindo da "Laya"
(desaparecimento) da mente, ou seja, abraçando a religião da "não-mente" ou a nova
mente em que as negatividades da mente foram negadas. No entanto, antes de
embarcar nesta profunda religião (Sat-Chit-Ananda) que é mencionada brevemente
no final do primeiro artigo da Kriya como Ensinamentos de Laya Yoga, pode valer a
pena refletir sobre os quatro tipos de religiões da mente como deveríamos começar de
onde estamos. Ambas as formas de kriya são profundamente relacionadas e muito
antigas - bem mais de cinco mil anos e provavelmente muito mais antigas. Vários
milhões de pessoas praticam as duas formas de kriya yoga em todo o mundo hoje.

Como a maioria dos devotos da ioga começa seus caminhos? Que desdobramentos
eles compartilham em comum uns com os outros - e com os que buscam outros
caminhos pelo mundo afora? Prática faz você perfeito. O sucesso em sua busca é
inevitável se você deixar de lado fantasias, covardia e preguiça. Entretanto, o sucesso é
impossível se, não importa quantas horas e anos você pratique técnicas de consciência
mais elevada, faça essas técnicas incorreta ou egoisticamente. A experiência da
consciência superior vem mais cedo do que o esperado para aqueles que prosseguem
com devoção, boa vontade, fé e uma mente equilibrada. Fazer em vez de fantasiar ou
falar sobre as técnicas é a chave. À medida que você prossegue com seriedade, você
experimenta vários níveis incomuns e absolutamente agradáveis de consciência.

NADIS - CANAIS EM YOGA

"Nad" significa movimento. No Rig Veda, isso significa fluxo. Em Laya Yoga e
Tantra, nadis são os canais da energia Prana e os 14 nadis principais são os canais
da Kundalini Śakti. Os Nadis são canais, mas não apenas nervos (snayu). Os canais sutis
ou Yoga Nadis são os canais da mente e os canais de chitta, o sentimento de ser ou
ser. Os canais grosseiros de energia sutil são visíveis como cordas, vasos ou tubos,
incluindo meridianos de acupuntura, nervos, músculos, artérias, veias, linfa, etc.
A Ayurveda menciona 72.000 Nadis diferentes. Tantrika Laya Yoga identifica 14 nadis
principais dos quais os três seguintes são os mais importantes:

Sushumna Passa pela coluna vertebral, originando-se no Muladhara Chakra e


terminando no Sahasrara Chakra, mergulhando em um ramo anterior e
posterior antes de chegar ao Ajna Chakra. O Sushumna geralmente
permanece adormecido quando os outros Nadis fluem fortemente e são
ativados apenas quando a respiração entra pelas duas narinas
simultaneamente. Ele também pode ser ativado através do pranayama e
do Swara Yoga e opera automaticamente ao amanhecer e ao anoitecer,
acalmando o sistema e facilitando a meditação.

Ida O Ida Nadi começa e termina à esquerda do Sushumna, mas também está
conectado com o testículo esquerdo nos machos. Termina na narina
esquerda, estimulando o lado direito do cérebro. É feminino em energia,
carrega energia prânica e é um dos mais importantes nadis mentais. Ao
nutrir e purificar o corpo e a mente, também é chamado de Ganga nas
escrituras tântricas. Quando Sushumna não está funcionando, ativar o Ida
Nadi é a melhor maneira de facilitar a meditação.

O Pingala Nadi começa e termina à direita de Sushumna. É o portador da


Pingala energia solar, masculina, acrescentando vitalidade, força física e
eficiência. É também purificador como Ida Nadi, mas purificador como
fogo. É ativado pela respiração na narina direita, onde estimula o lado
esquerdo do cérebro. Bhedana pranayama é usado para ativar este nadi e
é recomendado para atividades físicas, debates e, na verdade, duelos.

O remanescente dos 14 NADIS principais (meridianos, canais de energia, riachos)


são Gandhari , Hastajihva , Yashasvini , PUSHA , Alambusha , kuhu , Shankini ,
Sarasvati , Payasvini, Varuni , Vishvodara . Todos estão conectados com o trabalho
de Kubdalini.

O Kuhu Nadi, por exemplo, causa a ejaculação junto com o Chitrini Nadi. O domínio
desse nadi é o objetivo principal do exercício de Vajrauli , permitindo que o aspirante
masculino eleve o fluido seminal do segundo chakra ao Chakra Soma dentro do Chakra
Sahasrara, junto com o fluido vaginal de sua contraparte feminina. É essa prática que é
frequentemente conhecida como Sexo Tântrico, que criou muita atração para o Tantra
no Ocidente.

LAYA YOGA SAMPRADAYA

Laya Yoga é muito importante uma das 12 direcções do yoga mais


esotérico. Laya significa desaparecimento, dissolução de si na Harmonia do Absoluto,
Parama Brahman. Isso implica desligar a mente, que reside no chakra da cabeça ajna -
de modo que o organismo possa começar a agir não sob os comandos da mente, mas
sob o controle de Deus. Um exemplo disso é a dança espontânea realizada no estado
da meditação sacinda (sachinda) chamada latihan kedjivan também, que é o exemplo
mais típico de treinamento em laya yoga. Mantra AUM (OM) é a primeira bijam da
Laya Yoga praticada no Ajna Chakra em conexão com a Meditação da Transmissão da
Luz Divina (Laya Dhyanam).

Existem outros métodos. Por exemplo, pode-se “entregar a laya” a mão segurando uma
varinha radiestésica e com a ajuda desta haste para descobrir algo que não pode ser
visto pelos olhos ou ouvido pelos ouvidos: obter respostas sobre depósitos de minério
ou sobre linhas de comunicação subterrâneas , para realizar diagnósticos médicos e
fazer muitas outras coisas. A radiestesia também é laya yoga, seu caso particular. Do
mesmo modo, pode-se aprender a pintar quando sua mão, como que por si mesma,
desenha um lápis ou um pincel. Do mesmo modo, pode-se aprender a escrever textos
... Em todos esses casos, a mão é controlada por algum espírito, e se o homem merece,
então pode ser o Espírito Santo. Quanto à dança espontânea , existem métodos
especiais que podem ajudar a aprender a render o corpo a laya. Por exemplo, se os
braços são levantados, então é mais fácil para o corpo começar a se mover, para a
coluna vertebral se curvar. Pelo contrário, se os braços caírem, é difícil começar a
dançar nesse estado.

É o mesmo com qualquer direção de arte em que queremos aplicar o princípio de laya:
é preciso conhecer os métodos básicos, ser um especialista nessa área até certo
ponto. Por exemplo, para pintar, é preciso saber misturar os corantes, aplicá-los na tela
ou no papel. É claro que, para dançar, é preciso conhecer os princípios da plasticidade
do corpo. Claro, é preciso ser capaz de segurar uma caneta para escrever com ela. Em
relação à laya, temos que ter uma atitude crítica em relação ao que fazemos nesse
estado. A perda de atitude crítica pode facilmente nos fazer rir. Isso acontece quando
alguém viola os princípios éticos, porque a ética é o fundamento da Harmonia. Pelo
contrário, se tudo estiver certo com a ética, então a harmonia com tudo e com todos,
incluindo Deus, pode se tornar perfeita.

A ioga de Buddhi é o estágio o mais elevado do laya yoga. Este termo é traduzido
como “yoga da consciência” e denota um sistema de métodos para o desenvolvimento
da consciência, cittam (chittam). A ioga de Buddhi permite atravessar os estágios finais
da evolução pessoal. Dentro da moldura do “caminho das oito vias” da ioga de
Patanjali (yama, niyama, asana, pranayma, pratyahara, dharana, dhyana,
samadhi), buddhi yoga representa o conteúdo do oitavo estágio. Há indicações para
isso no Bhagavad Gita. Há também o seguinte preceito no Novo Testamento: Deus é
Espírito e aqueles que O adoram devem adorar em espírito e em verdade (João 4: 23-
24). Isso é o homem tem que se perceber não como um corpo, mas como um espírito,
ie uma consciência, um pedaço de consciência. E como uma consciência, o homem
deve construir relacionamentos com o Espírito de Deus, isto é, com a Consciência
Divina, a Consciência Suprema Universal - de modo a alcançar a Unificação com Ele
como resultado. Em buddhi yoga existem os seguintes estágios:

1. Retirada da consciência do corpo para o casulo , distribuindo-a para lá e depois -


dividindo o casulo em duas partes - a superior (a região da cabeça e do pescoço) e a
inferior (a região do tronco e pernas ).

2. Desenvolvimento da bolha inferior da percepção na escala do planeta, preenchendo


a forma do planeta consigo mesmo como um coração espiritual sutil.

3. Cognição do Nirvana, incluindo seu aspecto dinâmico. Dominar o estado de Nirodhi


através da meditação da reciprocidade total . Nele se atinge o estágio de “não-
eu”. Tudo isso é possível apenas transformando-se como um coração espiritual do
tamanho descrito acima.

4. A consciência desenvolvida do guerreiro espiritual, que dominou o estado de um


coração espiritual sutil que se expande para além dos limites do nosso planeta, se
funde então com várias manifestações do Fogo Divino, uma das manifestações do
Espírito Santo e com outros aspectos mais sutis da natureza. o Absoluto, Brahman,
exceto pelo Criador em Sua Morada.

5. Tendo conhecimento empiricamente de toda a estrutura do Absoluto, o guerreiro


espiritual é aceito pelo Criador em Sua Morada, gradualmente se acostuma ao estado
de Concentração com o Criador e então age a partir dele no mundo da evolução
purusha (atman ). O último é possível tanto dos estados não-encarnados como
encarnados.

BRAHMAN - O mais alto Deus e o Espírito Santo em um

Brahman é um termo sânscrito que significa tanto a Consciência de Brahman (Deus


como o Espírito Santo) quanto uma pessoa que conhece Brahman. Para esclarecer o
significado da palavra Brahman , é preciso dizer algumas palavras sobre o antigo
sistema filosófico indiano de conhecimento chamado Vedanta. A filosofia Vedanta
originou-se na Índia antes mesmo de Krishna e foi baseada nos ensinamentos pagãos
dos quatro Vedas. Naquela época, os indianos não sabiam da existência de Ishvara -
Deus-Pai (isto é, o Criador que habita em Sua Morada). Esta foi a razão pela
qual Brahman foi considerado pela filosofia Vedanta como a Suprema Divindade e até
como o Absoluto.. Foi Krishna quem contou às pessoas da Índia sobre Deus-o-pai. No
Bhagavad Gita Ele também descreve a diferença entre os conceitos
de Ishvara (Avatara) e Brahman (Deus, Todo-Espírito) :

“14:27. … Brahman, imperecível e imortal, baseia-se em Mim. Eu sou a base do dharma


eterno e a morada da felicidade suprema. ”

“3:15. Saiba que a realização de destinos se origina de Brahman. E Brahman representa


o Supremo. O Brahman onipresente sempre apóia o sacrifício ”.

“14: 3. Para mim o ventre é o Grande Brahman. Nele, introduzo o sêmen e isso resulta
no nascimento de todos os seres, ó Bharata.

“14: 4. Em qualquer útero que os mortais nascem, ó Kaunteya, Brahman é o seu ventre
Supremo. E eu sou o pai que os procria.

O Espírito Santo - Brahman em Sânscrito, é o Criador manifestando-se na


Criação. Esta Manifestação é Professores Divinos, Hierarquia Espiritual, saindo da
Morada do Criador. Eles são aqueles nas pessoas antigas que se desenvolveram para o
estado da Divindade e alcançou a eterna morada na Morada do Criador. A função
cósmica do Espírito Santo é supervisionar a evolução de todas as almas de níveis
inferiores de desenvolvimento. É o Espírito Santo quem organiza e supervisiona nossos
destinos. Ele mesmo o faz, diretamente ou chamando para ajudar numerosos espíritos
que possuem várias qualidades, seja “paradisíaco” ou “diabólico”. Quando percebemos
ondas de bem-aventurança vindo de algum lugar em resposta a nossos pensamentos
ou ações retas - este é o Espírito Santo manifestando a Si mesmo. Em tais casos, as
pessoas dizem que Ele está nos concedendo Sua Bênção. Na tradição cristã, o Espírito
Santo é considerado uma parte do Deus Triúno ( Trindade ).

“Quanto à tradição cristã, a melhor descrição do Espírito Santo é encontrada na oração


ortodoxa do czar celestial , que eu considero ser a melhor de todas as orações
ortodoxas. Aqui está:

“Czar Celestial, o Consolador, o Espírito da Verdade!

“Onipresente e todo-permeável!

“Tesouro de todo bem e fonte de toda a vida!

“ Venha e permaneça em nós!

“E purifica-nos de toda impureza!

"E salve nossas almas, oh feliz!"

Abaixo seguem vários trechos descrevendo o Espírito Santo no livro O Livro de


Jesus de B.Cullen :
“O Espírito Santo flui através de você assim que você começa a perceber que Ele
flui. Conforme Ele passa por você, cada célula do seu corpo fica cheia de nova
energia. Você se torna curado, rejuvenescido, revivido para uma nova vida ”.

“Ele é infinito. Ele penetra tudo. Você dificilmente pode se afastar do Espírito
Santo; talvez em sua consciência apenas.

"O Espírito Santo sempre flui através de cada átomo no espaço."

“Quando você vive 'agora', o Espírito Santo flui através de você e lhe traz mais do que
você precisa, porque para satisfazer suas necessidades e mostrar a você que o Reino é
uma grande glória para seu Pai. … O Reino Celestial está próximo. Por que não aceitar
isso? Apenas formas estranhas de pensar levam as pessoas a acreditar que é impossível
alcançar o Reino ”.

AVATARA - HOMEM SANTO celestial

Ishvara é um termo sânscrito que significa senhor, governante, governador e


guardião. No Bhagavad Gita, o termo Ishvara tem o mesmo significado de Deus-o-
Pai, o Criador, Elohim, Allah, Tao no significado Taoísta, Consciência Primordial,
Adibuddha. Ishvara é Api Guru (Guia Ancião), Brahman em forma humana, chamado
avatara.

Avatar / a também Messias, Cristo é uma Encarnação de Deus, Deva em um corpo


humano na Terra. Os avatares são almas que atingiram a auto-realização plena durante
a vida nas encarnações atuais ou anteriores e vieram então em uma aparência humana
da Morada da Consciência Primordial para o povo encarnado. São Partes de Deus-o-Pai
coessenciais a Ele e representando-o na Terra. A história salvou os nomes de apenas
alguns deles. Huang Di encarnou muitas vezes desde a Idade da Pedra no território da
China. São amplamente conhecidos os nomes de Rama, Krishna, Dattatreya, Buda,
Mahavatar Babaji, Jesus Cristo, Siva-Shankar, Shirdi Sai Baba, Haidhakan Babaji,
Anandamurti, Premananda, Shyam Shivananda. Atualmente, Avataras ou Sathya Sai
Baba vivem e pregam na Índia e são menos conhecidos como Lalita Mohan
Babaji. Deus,

A Escola Espiritual Eterna, também chamada de "Irmandade do Mistério" ou "O


Caminho da Absorção", foi fundada sobre os ensinamentos e práticas da Laya Yoga,
transmitida nos tempos antigos pelo Senhor Shiva aos seus discípulos e devotos
chamados chela. Chohan (Senhor) Shiva fundou um total de doze linhas de transmissão
de ioga, que constituem sistemas completos e abrangentes de ensino e treinamento
em todas as etapas do caminho do desenvolvimento espiritual do homem. Laya Yoga é
uma linha de transmissão vigiada pelos grandes Mahatmas do Ashram localizados no
Vale Himavanti. Nós até o rotulamos como "A Luz do Himavanti". A linha de sucessão,
ou seja, a tradição espiritual da qual a Laya Yoga se originou, também é chamada
de Himavanti Sampradaya.ou, em termos mais precisos, a Irmandade da Confraria de
Himavanti (HCB). O caminho de sete estágios ( Marga ) de crescimento espiritual que
faz com que se dissolva em uma graça infinita do oceano de compaixão do Deus
supremo é uma base para toda a espiritualidade representada por sucessões de Gurus
(Líderes Espirituais), que por sua vez passam em uma das formas mais antigas e
esotéricas de ensino de Yoga. Tradicionalmente, na liderança de toda a linha de
transmissão, bem como suas formas aparecem: Guru Shiva (O Misericordioso), mais
familiar em suas numerosas emanações como o Venerável Pai, Babaji e sua esposa,
conhecida como Devi Parvati (Filha do Montanha, ou seja, o venerável Mahatma
Himavant). Avadhutas: especial encontrado e ordenado para manter a Linhagem Laya
Yoga espiritual chamada de pequenos Avataras. Acharyas : aqueles ordenados no
processo de transmissão espiritual para desempenhar o papel de mensageiros ou
apóstolos da linha de sucessão pertencente ao Yoga Laya Védico, constituem a base
dos ensinamentos do yoga.

Sri Swami Paramahansa Lalita Mohan Babaji e outros Mestres de Laya recomendam
as seguintes medidas de desenvolvimento de Bhakti - Amor Divino do Coração:

Viveka : discriminação
Vimoka : liberdade de todos os outros e anseio por Deus e Guru
Abhyasa : pensamento contínuo de Deus e Guru
Kriya : fazendo o bem aos outros
Kalyana : desejando bem a todos
Satyam : veracidade
Aryavam : integridade
Daya : compaixão
Ahimsa : não violência
Dana : caridade
SIDDHI EM LAYA YOGA

Siddhis Menores

Um Layayogi esquece o corpo para concentrar a mente no Senhor Supremo. Ele


conquista o calor e o frio dominando o controle da respiração e controlando seu
sistema nervoso. Um iogue gera calor psíquico no corpo através da prática
de Bhastrika Pranayama. Ele pode suportar extremos de clima sem desconforto. Ele
senta na neve e derrete pelo calor gerado em seu corpo. Um Yogi cobre seu corpo com
um lençol mergulhado em água muito fria e o resseca pelo calor do Yoga liberado de
seu corpo. Alguns adeptos secaram até trinta folhas em uma única noite. Um Yogi
perfeito cria seu corpo no final pelo calor Yogico gerado por seu poder de Yoga. O
Laya Yogi adquire os seguintes Siddhis menores primeiramente como:

1. Liberdade de fome e sede.

2. Liberdade dos efeitos do calor e do frio.

3. Liberdade de Raga-Dvesha.

4. Doora Darshan, clarividência ou Dooradrishti.

5. Doora Sravan, clariaudiência ou Doora Sruti e Doora Pravachana.

6. Mano-Jaya, controle da mente.

7. Kama Rupa: O Yogi pode assumir qualquer forma que desejar.

8. Parakaya Pravesha: Ele pode entrar em outro corpo, pode animar um corpo morto e
entrar nele transferindo sua alma.

9. Iccha-Mrityu: Morte à sua vontade.

10. Devanam Saha Kreeda e Darshana: Brincando com os deuses depois de vê-los.

11. Yatha Sankalpa: Pode conseguir o que quiser.

12. Trikala-Jnana: Conhecimento do passado, presente e futuro.

13. Advandva: Além dos pares de opostos.

14. Vak-Siddhi: O que quer que o Yogi predisse virá a acontecer pela prática de Satya,
Profecia.

15. O Yogi pode transformar o metal base em ouro.

16. Kaya-Vyuha: Levar tantos corpos quanto o Yogi gosta de esgotar todos os seus
Karmas em uma vida.

17. Darduri-Siddhi: O poder de saltar de um sapo.

18. Patala-Siddhi: Yogi se torna o Senhor do desejo, destrói tristezas e doenças.

19. Ele obtém conhecimento de sua vida passada.

20. Ele obtém conhecimento do aglomerado de estrelas e planetas.


21. Ele obtém o poder de perceber os Siddhas.

22. Ele obtém o domínio dos elementos (Bhuta Jaya), o domínio do Prana (Prana Jaya).

23. Kamachari: Ele pode se mudar para qualquer lugar que goste.

24. Ele recebe onipotência e onisciência.

25. Vayu-Siddhi: O Yogi se eleva no ar e sai do chão.

26. Ele pode apontar o lugar onde está um tesouro escondido.

Oito Siddhis Maiores

Um Purna Layayogi realizado no caminho da Kundalini Laya Yoga está na posse de


oito Siddhis principais, Anima, Mahima, Laghima, Garima, Prapti, Prakamya, Vasitvam e
Ishitvam.

1. Anima : O Yogi pode se tornar tão minucioso quanto lhe agrada.

2. Mahima : Isso é o oposto da Anima. Ele pode se tornar tão grande quanto ele
gosta. Ele pode fazer seu corpo assumir um tamanho muito grande. Ele pode
preencher todo o universo. Ele pode assumir um Virat Svarupa.

3. Laghima : Ele pode tornar seu corpo leve como algodão ou


penas. Vayustambhanam é feito através deste Siddhi. Em Jalastambhanam também o
poder é exercido em um grau muito pequeno. O corpo é transformado em luz por
Plavini Pranayama. O iogue produz uma diminuição de sua gravidade específica
engolindo grandes correntes de ar. O Yogi viaja no céu com a ajuda deste Siddhi. Ele
pode viajar milhares de quilômetros em um minuto.

4. Garima : Isso é o oposto de Laghima. Neste o Yogi adquire um aumento da


gravidade específica. Ele pode tornar o corpo pesado como uma montanha ao engolir
correntes de ar.

5. Prapti : O Yogi em pé na terra pode tocar as coisas mais altas. Ele pode tocar o sol,
a lua ou o céu. Através deste Siddhi, o Yôgi atinge seus objetos desejados e poderes
sobrenaturais. Ele adquire o poder de prever eventos futuros, o poder da clarividência,
clariaudiência, telepatia, leitura de pensamento, etc. Ele pode entender as línguas dos
animais e pássaros. Ele também pode entender idiomas desconhecidos. Ele pode curar
todas as doenças.

6. Prakamya : Ele pode mergulhar na água e sair a qualquer momento que quiser. O
falecido Trilinga Swami de Benares costumava viver por seis meses embaixo do
Ganges. É o processo pelo qual um yogue se torna invisível às vezes. Por alguns
escritores, define-se como sendo o poder de entrar no corpo de outro (Parakaya
Pravesh). Sri Sankara entrou no corpo de Raja Amaruka de Benares. Tirumular no sul da
Índia entrou no corpo de um pastor. Raja Vikramaditya também fez isso. É também o
poder de manter uma aparência de juventude por qualquer período de tempo. Raja
Yayati tinha esse poder.
7. Vashitvam (vaSitvam) : Este é o poder de domesticar os animais selvagens e trazê-
los sob controle. É o poder de hipnotizar pessoas pelo exercício da vontade e de torná-
las obedientes aos próprios desejos e ordens. É a restrição de paixões e emoções. É o
poder de trazer homens, mulheres e os elementos sob sujeição.

8. Ishitvam (iSitvam) : É a obtenção do poder divino. O Yogi se torna o Senhor do


universo. O Yogi que tem esse poder pode restaurar a vida aos mortos. Kabir, Tulsidas,
Akalkot Swami e outros tinham esse poder de trazer de volta a vida aos mortos.

INSTRUÇÕES NO SIDDHIS

1. Pelo processo de Hatha Yoga, o Yôgi atinge o corpo físico perfeito - Rupalavanya
Bala Vajrasam-hanana Kaya Sampat . "A perfeição do corpo consiste em beleza, graça,
força e dureza adamantina." O poder de suportar frio extremo e calor (Titiksha), o
poder de viver sem água e comida e outros poderes entram na categoria de Kaya
Sampat (perfeição do corpo).

2. Como o corpo do Hatha Yogi é perfeito e firme, sua mente também é firme e
unidirecionada. Pelas práticas de Dharana e Dhyana, ele alcança o degrau mais alto na
escada do Yoga e alcança a Imortalidade através do Samadhi Yogic. O Yogi que
alcançou o estágio mais alto, terá os 8 maiores e todos os menores Siddhis.

3. A obtenção de poderes depende da quantidade de concentração em diferentes


Chakras e Tattvas e do despertar da Kundalini. A prática de Mudras, Bandhas, Asanas e
Pranayamas também ajudará muito na aquisição de Siddhis.

4. Os Siddhis que são obtidos pela prática de Mudras podem ser obtidos pela prática
de Bandhas, Asanas, Pranayamas e também pela concentração em diferentes
Chakras. Isso depende do temperamento e da capacidade dos aspirantes. Pode-se
obter o objetivo desejado por um exercício e outros por métodos diferentes. Portanto,
se alguém não for capaz de obter sucesso em um exercício específico, ele terá que
recorrer a outros exercícios.

5. Muitos dos 8 principais Siddhis não são, na maioria das vezes, possíveis e raros na
era atual (Kali Yuga), quando o corpo e a mente da grande maioria não estão aptos o
suficiente. Ainda hoje existem vários Siddhas que têm o poder de realizar alguns dos
Siddhis. Quando as pessoas se aproximam delas para fazer isto e aquilo, elas se
escondem ou geralmente dizem: “Eu não sei”. Elas não são muito particulares sobre
esses Siddhis. Seu objetivo é ignorar estes como irreal e aspirar a alcançar o mais
alto. Eles são os únicos Yogins reais. Muitos são capazes de usar alguns poderes e não
sabem como podem fazê-los.

6. Pode-se ler os pensamentos dos outros. Um homem em Londres ouve a mensagem


espiritual dos sábios na Índia. Você viu várias pessoas removendo o veneno das cobras
cantando alguns Mantras ou por simples toque. Ao dar algum tipo de folhas, doenças
incuráveis são curadas. Há homens que vão dizer com muita precisão o seu passado,
presente e futuro. Alguns são capazes de ver entidades astrais. Parar as funções do
coração e mudar a mente dos outros e outros poderes é devido às práticas do Yoga.
7. Hoje em dia você não consegue encontrar um homem que desenvolveu todos os
poderes. Quando alguém obtém certos poderes, ele pára por influência de Maya e do
falso Tushti (satisfação) e usa os poderes para seu sustento ou para a fama. Portanto,
ele não é capaz de prosseguir e atingir a perfeição. Não é o erro das Kriyas
Yóguicas. Você não deve perder a fé. Fé, atenção, sinceridade e sinceridade levarão
você ao sucesso.

DHARANA (CONCENTRAÇÃO)

Conserte a mente em algum objeto dentro ou fora do corpo. Mantenha-o firme por
algum tempo. Isso é Dharana . Você terá que praticar isso diariamente. Laya-Yoga tem
sua base em Dharana . Purifique a mente primeiro através da prática de Yama, Niyama
e, em seguida, leve para a prática de Dharana. Concentração sem pureza é
inútil. Existem alguns ocultistas que têm concentração. Mas eles não têm bom
caráter. Essa é a razão pela qual eles não fazem nenhum progresso na linha
espiritual. Aquele que tem um Asana estável e purificou o Yoga Nadis será capaz de se
concentrar facilmente. A concentração será intensa se você remover todas as
distrações. Um verdadeiro Brahmachari, que preservou seu Veerya, terá uma
concentração maravilhosa. Alguns estudantes tolos e impacientes
vão imediatamente para Dharana sem passar pelo treinamento ético preliminar. Este
é um erro grave. A perfeição ética é de suma importância.

Você pode se concentrar internamente em qualquer um dos sete Chakras e


externamente em qualquer bom Devata , Hari, Krishna ou Devi como Sri Layadevi. A
atenção desempenha um papel proeminente na concentração. Aquele que desenvolveu
seu poder de atenção terá boa concentração. Um homem cheio de paixão e todos os
tipos de desejos fantásticos, dificilmente pode se concentrar em qualquer objeto, nem
por um segundo. Sua mente estará pulando como um macaco. Aquele que
ganhou Pratyahara (retirando os sentidos dos objetos) terá uma boa
concentração. Você terá que marchar no caminho espiritual, passo a passo, passo a
passo. Coloque as bases de Yama, Niyama, Asana, Pranayama e Pratyahara para
começar. A superestrutura de Dharana e Dhyana será bem sucedido somente
então. Você deve ser capaz de visualizar muito claramente o objeto de concentração,
mesmo em sua ausência. Você deve invocar a imagem mental a qualquer momento. Se
você tem boa prática em concentração, pode fazer isso sem muita dificuldade.

No estágio inicial da prática, você pode se concentrar no som de um relógio ou na


chama da vela ou em qualquer outro objeto que seja agradável à mente. Esta é a
concentração concreta. Não pode haver concentração sem algo sobre o qual a mente
possa repousar. A mente pode ser fixada em um objeto agradável. É muito difícil no
começo fixar a mente em qualquer objeto que ela não goste. Se você quiser aumentar
seu poder de concentração, terá que reduzir suas atividades mundanas. Você terá que
observar Mouna (Mauna) todos os dias por duas horas ou até mais. Pratique a
concentração até que a mente esteja bem estabelecida no objeto da
concentração. Quando a mente fugir do objeto, traga-a de volta. Quando a
concentração é profunda e intensa, todos os outros sentidos não podem
operar. Aquele que pratica a concentração por uma hora ( muhurta é 48 minutos)
diariamente tem tremendos poderes psíquicos. Ele terá uma força de vontade forte.
Vedantins tentam consertar a mente em Atman. Este é o seu Dharana. Hatha Yogins e
Raja Yogins concentram sua mente nos seis Chakras. Bhaktas se concentram em seu
Ishta Devata. Outros objetos de meditação são descritos em Trataka e Laya Yoga. A
concentração é necessária para todos os aspirantes. Aqueles que praticam a
concentração evoluem rapidamente. Eles podem fazer qualquer trabalho com maior
eficiência em pouco tempo. O que os outros podem fazer em seis horas pode ser feito
facilmente em meia hora por alguém que tenha uma mente concentrada. Concentração
purifica e acalma as emoções que surgem, fortalece a corrente de pensamento e
esclarece as idéias. Concentração mantém um homem em seu progresso material
também. Ele vai se sair muito bem em seu escritório ou casa de negócios. O que era
nebuloso e nebuloso antes, se torna mais claro e definido; O que era muito difícil antes
se torna fácil agora; e o que era complexo desconcertante e confuso antes, vem
facilmente dentro do alcance mental. Você pode conseguir qualquer coisa pela
concentração. Nada é impossível para quem pratica concentração
regularmente. Clarividência, clariaudiência, mesmerismo, hipnotismo, leitura de
pensamento, música, matemática e outras ciências dependem da concentração.

Retire-se para um quarto silencioso. Feche seus olhos. Veja o que acontece quando
você pensa em uma maçã. Você pode pensar em sua cor, forma, tamanho, partes
diferentes, como pele, polpa, sementes, etc. Você pode pensar nos lugares, Austrália ou
Caxemira, de onde é importado. Você pode pensar em seu sabor ácido ou doce e seus
efeitos no sistema digestivo e no sangue. Através da lei de associação, idéias de
algumas outras frutas também podem tentar entrar. A mente pode começar a entreter
algumas outras idéias estranhas. Pode começar a vagar. Pode pensar em encontrar um
amigo na estação de trem às 4 da tarde. Pode pensar em comprar uma toalha ou uma
lata de chá ou biscoitos. Você deve tentar ter uma linha de pensamento definida. Não
deve haver qualquer quebra na linha de pensamento. Você não deve considerar
qualquer outro pensamento que não esteja relacionado com o assunto em questão. A
mente tentará seu melhor nível para correr em suas antigas ranhuras. Você terá que
lutar muito no começo. A tentativa é como subir uma colina íngreme. Você vai se
alegrar e sentir imensa felicidade quando tiver sucesso na concentração.

Assim como as leis da gravitação, coesão etc. operam no plano físico, também as leis
definidas do pensamento, como leis de associação, relatividade, contiguidade etc.,
operam no plano mental ou no mundo do pensamento. Aqueles que praticam a
concentração devem entender completamente essas leis. Quando a mente pensa em
um objeto, pode pensar em suas qualidades e também em suas partes. Quando pensa
em uma causa, pode pensar em seu efeito também. Se você ler com concentração o
Bhagavad Gita ou o Vigário de Wakefield várias vezes, você poderá obter novas idéias a
cada vez. Através da concentração, você obterá insight. Significados esotéricos sutis
irão brilhar no campo da consciência mental. Você entenderá a profundidade interna
do significado filosófico. Quando você se concentra em um objeto, não lute com a
mente. Evite tensão em qualquer parte do corpo. Pense suavemente no objeto de
maneira contínua. É muito difícil praticar concentração quando se está com muita fome
e quando se está sofrendo de uma doença aguda.

Se as emoções perturbarem você durante a concentração, não se importe com


elas. Eles vão passar em breve. Se você tentar expulsá-los, você terá que sobrecarregar
sua força de vontade. Tenha uma atitude indiferente. Para afastar as emoções, o
Vedantin usa a fórmula: “Eu sou um Sakshi das modificações mentais. Eu não me
importo. Saia". O bhakta simplesmente ora e ajuda vem de Deus. Treine a mente para
se concentrar em vários objetos, grosseiros e sutis, de vários tamanhos. Com o decorrer
do tempo, um forte hábito será formado. No momento em que você se senta para a
concentração, o humor virá de uma vez, com bastante facilidade. Quando você lê um
livro, precisa ler com concentração. Não adianta pular as páginas de maneira
apressada. Leia uma página. Feche o livro. Concentre-se no que você leu. Descubra
linhas paralelas em Gita, Upanishads, etc.

Para um neófito a prática da concentração é repugnante e cansativa no começo. Ele


tem que cortar novos sulcos na mente e no cérebro. Depois de algum tempo, digamos
dois ou três meses, ele fica muito interessado. Ele gosta de um novo tipo de
felicidade. A concentração é a única maneira de se livrar das misérias e tribulações. Seu
único dever é alcançar a concentração e a concentração para alcançar a beatitude final,
a auto-realização. Caridade e Rajasuya Yajna não são nada quando comparadas à
concentração. Quando os desejos surgem na mente, não tente satisfazê-los. Rejeite-os
assim que eles surgirem. Assim, pela prática gradual, os desejos podem ser
reduzidos. As modificações da mente também diminuirão muito. Você deve se livrar de
todos os tipos de fraqueza mental, superstições, falsos e errados Samskaras. Só então
você será capaz de concentrar sua mente.

Esta Laya Yoga & Kundalini Tantra Lesson pode estar se espalhando livremente !!!

Laya Yoga Sampradaya Ensinamentos Esotéricos

(Grande Mestre de Yoga da Laya Swami Lalitamohan GK, Laya Avatara)

Interesses relacionados