Você está na página 1de 284

tfécnicasSimplesqueComp{ementam

!4.cupunturae

~
~
/{
a Mo~a6usfão
SegundaEdição
r-
~
j(
, 'Técnicas
SimpfesqueCompfementam
a

NOTA
A medicina é uma atividade em constante mudança. Devem ser sempre adotadas
!JLcupuntura
e
medidas de segurança padronizadas e, à medida que novas pesquisas e experiências
clínicas expandem nossos conhecimentos, pode haver necessidade de mudanças ou
de adequação no protocolo terapêutico e no uso de medicamentos. Aconselha-se aos
leitores pesquisar as mais recentes informações fomecidas pelo fabricante da droga a
ser utilizada, a fim de verificar a dose recomendada, o método e a duração do trata-
a Mo?(abustiW r
mento e as contra-indicações. É responsabilidade do médico, com base em sua expe- 1 >, J
riência e no seu conhecimento do paciente, determinar a posologia e o melhor trata-
mento para cada paciente, individualmente. O editor e o autor não assumem qualquer Segunda Edição ",}l ( ::~ b'

responsabilidade em relação a qualquer dano e/ou prejuízo às pessoas ou às proprie-


dades, decorrentes desta publicação.
A Editora
J.

Tetsuo Inada
Professor Adjunto e Ph.D. (Aposentado) do Instituto de Biologia
da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)
I
Veterinário e Médico Especialista em Acupuntura
pelo Instituto de Acupuntura do Rio de Janeiro (IARJ)
I
Especialista em Acupuntura pelo Colégio Médico de Acupuntura (CMA)
da Associação Médica Brasileira (AMB)
l
Copyright @ 2007 da 2i! Edição pela Editora Roca Ltda.
ISBN: 978-85-7241-692-4

Nenhuma parte desta publicação poderá ser reproduzida, guardada pelo sistema "retrieval"
ou transmitida de qualquer modo ou por qualquer outro meio, seja este eletrônico, mecâni-
co, de fotocópia, de gravação, ou outros, sem prévia autorização escrita da Editora.

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE
SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ.

I32t
2. ed.

Inada, Tetsuo
Técnicas simples que complementam a acupuntura e a moxabustão
/ Tetsuo Inada. - 2. ed. - São Paulo: Roca, 2007

Inclui bibliografia
ISBN 978-85-7241-692-4

1. Acupuntura - Técnicas complementares. 2. Moxabustão -


Técnicas complementares. I. Título.

07-0959. CDD: 615.892


CDU: 615:814.1

2007

Todos os direitos para a língua portuguesa são reservados péla

EDITORA ROCA L TOA.


Rua Dr. Cesário Mota Jr., 73
CEP 01221-020 - São Paulo - SP
Tel.: (11) 3331-4478 - Fax: (11) 3331-8653
E-mail: vendas@editoraroca.com.br - www.editoraroca.com.br

Impresso no Brasil
Printed in Brazil
J'Lgradecimento

. Ao amigo Tomoichi Sogo, pelos incentivos e auxílios prestados nos


levantamentos bibliográficos, que muito serviram para a publicação
deste livro.
. Ao Dr. Orlando José Gonçalves Filho, pelo material referente à Acu-
puntura em crianças.
. Ao Dr. Wu Tou Kwang, pelas valiosas referências bibliográficas envia-
das há mais de 15 anos.
. Ao Dr. Lo Sz Hsien, pela boa vontade e brilhante tradução durante a
visita do Dr. Wen Dang, em 1999 e 2000, o que permitiu enriquecer o
Capítulo 11 deste livro.
. Ao Dr. Jocimar Ferreira Gomes, profundo conhecedor de Ling Gui Ba
Fa e Zi Wu Liu Zhu, por sua contribuição ao Capítulo da Cronoa-
cupuntura Simplificada.
. Ao Sr. Gilmar Ferreira Vita, pela digitação e organização dos Capítu-
los deste livro.
. Finalmente, a todos aqueles que direta e indiretamente contribuíram
na elaboração deste livro.
Prefácio

Com imensa satisfação posso expressar o quanto a Acupuntura Brasileira é


gratificada por uma oportuna e feliz publicação: um excelente livro escrito
pelo Prof. Dr. Tetsuo Inada.
Colocado, de maneira soberba, reflete o extenso conhecimento e a ex-
periência clínica do autor, em uma linguagem totalmente compreensível
sobre as técnicas utilizadas pela Acupuntura no decorrer dos milênios exis-
tentes na Medicina Tradicional Chinesa.
As preciosas orientações desta obra são de imensurável valor, não so-
mente para os iniciantes desta especialidade médica, como também para
os mais experientes.

DR. RUYYUKlMATSUTANIGAWA
Presidente da Associação Médica
Brasileira de Acupuntura
Introdução

o objetivo deste livro é apresentar e reapresentar algumas técnicas muito


simples * e bastante eficazes que podem complementar e auxiliar a prática
da Acupuntura e da Moxabustão. Essas técnicas também são conhecidas
como "Técnicas Afins à Acupuntura" ou "Outras Técnicas de Acupuntura"
e algumas dessas, como a Ventosa e a Sangria, são muito conhecidas, ao
passo que outras, como o Gua Sha e a Percussão dos acupontos, são pouco
divulgadas.
Sabe-se que a utilização de agulhas semipermanentes de Akabane,
acupuntura cutânea, bombeamento de íons de Manaka, Gua Sha, magnetos,
microesferas de metais, sementes de plantas, etc., nos principais acupontos,
após a realização de uma sessão de Acupuntura e Moxabustão, pode au-
mentar a eficácia do tratamento.
Durante aproximadamente 25 anos colecionei dados sobre essas técni-
cas, participando dos Congressos, Simpósios e Jornadas Médicas deAcu-
puntura, experimentei e observei que a utilização dessas técnicas tão sim-
ples melhorava os resultados terapêuticos da Acupuntura e da Moxabustão.
Devido à escassez de um livro-texto que englobe somente essas técni-
cas, resolvi publicar esses dados distribuídos em 23 capítulos.
O Capítulo 1 (Agulhas de Acupuntura, Inserção, Obtenção de Qi,
Tonificação e Sedação) apresenta a evolução, o desenvolvimento e a utili-
zação das agulhas atuais a partir das nove agulhas antigas citadas no Ling
Shu, Capítulo 1.
O Capítulo 2 (Acupuntura no Abdome) é uma coletânea de técnicas para
se realizar o diagnóstico e o tratamento pelo abdome.
O Capítulo 3 (Acupuntura com Agulha Intracutânea) resume as técnicas
de inserção e fixação de agulhas semipermanentes com fita adesiva.

* Algumas técnicas são tão simples e até consideradas empíricas, como o Gua Sha e a utilização
das sementes, que podem não ter boa aceitação por parte dos médicos e alguns pacientes.
I XII -INTRODUÇÃO

o Capítulo 4 (Acupuntura com Agu- O Capítulo 10 (Acupuntura na Emer-


lha de Pressão) apresenta uma técnica não gência Médica) é uma coleção de técni-
invasiva, bastante simples, que pressiona cas de tratamentos com acupuntura, que
o ponto de acupuntura com agulha de pode ser utilizada em conjunto com os
pressão, sem perfurar a pele. Por isso não atendimentos emergenciais da Medicina
deveria receber a denominação de Acu- Ocidental.
puntura. O Capítulo 11 (Acupuntura nos Pon-
O Capítulo 5 (Acupuntura com Agu- tos Huatuo Jiaji) contempla um resumo
lha Quente)* mostra uma técnica pouco da técnica de inserção de agulhas nos
difundida e pouco utilizada no nosso meio, acupontos situados nos dois lados da co-
talvez devido ao risco de lesão de pele, luna vertebral, muito eficaz nos tratamen-
vasos sangüíneos e nervos periféricos. tos de nevralgia intercostal, nevralgia pós-
Particularmente, presenciei a utilização de herpética e das dores causadas por certas
agulha quente no tratamento de animais discopatias. Foi descoberto pelo famoso
(paralisia de cauda dos cavalos), bem-su- médico Huatuo (119-207).
cedido, realizado pelo Dr. Wang Qinglan O Capítulo 12 (Acupuntura no Punho
da Universidade Agrícola de Beijing, em e no Tornozelo) apresenta uma técnica
1994. muito eficaz de inserção de agulhas na ca-
O Capítulo 6 (Acupuntura com Agu- mada subcutânea, desenvolvida pelo Dr.
lha Única) resume a técnica desenvolvida Xin Shu Chang.
pelo Dr. Sorei Yanaguiya que utilizava O Capítulo 13 (Acupuntura com Trans-
apenas uma agulha para o tratamento das fixação e Direcionamento das Agulhas)
enfermidades mais comuns. reúne os conhecimentos de transfixação e
O Capítulo 7 (Acupuntura e Bombea- direcionamento das agulhas que permitem
mento de Íons) é uma súmula da técnica aumentar a eficácia dos tratamentos.
desenvolvida pelo Dr. Yoshio Manaka, que O Capítulo 14 (Cronoacupuntura Sim-
utiliza o fio semicondutor. Na realidade, ples) apresenta uma versão bastante simpli-
esse fio não bombeia os íons, mas movi- ficada da complexa Cronoacupuntura.
menta os elétrons em direção à área da O Capítulo 15 (Digitopressão e Digi-
lesão, aliviando as dores. topercussão nos Acupontos) é uma cole-
O Capítulo 8 (Acupuntura em Crian- tânea de técnicas simples para pressionar
ças) reúne algumas técnicas aplicáveis às e percutir os acupontos com os dedos das
crianças, sem traumatizá-Ias. Trata da in- mãos, utilizadas mais em crianças e em
serção de agulhas filiformes. pessoas que têm medo das agulhas.
O Capítulo 9 (Acupuntura Cutânea) O Capítulo 16 (Estimulação dos Acu-
apresenta, de forma ampliada, uma téc- pontos com Miniesferas e Sementes) apre-
nica bastante conhecida que utiliza os mar- senta uma técnica que se originou do an-
telos de cinco e sete agulhas (martelos em tigo método de fixar grãos de arroz inte-
flor de ameixeira e de sete estrelas). gral no acuponto. É eficaz e pode ser

* O autor não tem experiência na utilização de agulha quente e prefere a agulha aquecida com moxa.
- XIII I
INTRODUÇÃO

utilizado como complemento da Acupun- xabustão. Essa técnica muito conhecida e


tura, muito útil no tratamento de enfermi- divulgada foi incluída para enriquecer o
dades em crianças. livro.
O Capítulo 17 (Gua Sha) apresenta a O Capítulo 21 (Sangria) contém um
técnica bastante simples de raspar ou es- resumo das técnicas mais antigas, muito
covar a superfície do corpo com o auxílio útil no tratamento de patologias com es-
de espátula, moeda, escova, etc., a fim de tagnação de sangue, porém é contra-indi-
retirar a energia perversa que ali se encon- cada em patologias com sudorese, perdas
tra e que tende a penetrar na profundidade. de líquidos (Jinye) e hemorragias.
O Capítulo 18 (Injeções de Medica- O Capítulo 22 (Ventosaterapia) tam-
mentos nos Acupontos) resume a técnica bém resume os conhecimentos de uma téc-
de injetar medicamentos no acuponto ou nica muito antiga cuja eficácia é aumen-
em outras áreas do corpo. Necessita de tada quando associada à sangria.
cuidados especiais na aplicação, para evi- O Capítulo 23 (Técnicas Consagradas)
tar possíveis acidentes como o choque apresenta uma coletânea de técnicas mui-
anafilático; por isso, deve ser feita somen- to eficazes, utilizadas por autores consa-
te por profissionais habilitados. grados.
O Capítulo 19 (Magnetoterapia eAcu- Cabe lembrar que nenhuma das técni-
puntura) apresenta a magnetoterapia e a cas apresentadas neste livro tem valor ab-
utilização dos magnetos nos pontos de soluto, o que quer dizer que elas não devem
Acupuntura. Apesar de parecerem inócuos, ser utilizadas isoladamente no tratamento
os magnetos possuem um campo eletro- das enfermidades. Após o diagnóstico com
magnético* que pode ser nocivo à saúde. base nos princípios da Medicina Tradicio-
Portanto, devem-se utilizar magnetos de nal Chinesa, as técnicas simples referidas
potência menor que 2.500 Gauss e evitar neste livro podem ser utilizadas como com-
a colocação ou fixação de muitos magne- plemento do tratamento.
tos no corpo por período longo. Espero que o leitor tire o máximo pro-
O Capítulo 20 (Moxabustão) apresenta veito dessas técnicas, utilizando o bom sen-
uma coletânea de diferentes tipos de mo- so e também o senso crítico.

"Ninguém é dono da verdade, mas se é dono de meia verdade,


já é meio dono."

ANÔNIMO

* Para saber se o campo eletromagnético é nocivo ou não, deve-se realizar o "Ri digital" ou "Ring test" do Dr. Omura.
/

I ncfice

1. Agulhas de Acupuntura, Inserção, Obtenção de Qi /


Tonificaçãoe Sedação 1
Agulhas Filiformes 3
Métodos de Inserção de Agulhas Filiformes 6
Inserção de Agulha sem o Auxílio de Mandril ou Guia 6
Inserção de Agulha com o Auxílio de Mandril ou Guia 7
Ângulos de Inserção das Agulhas 9
Profundidade de Inserção das Agulhas 10
Acupuntura e a Obtenção de Qi (De-Qi) 11
Métodos para Obtenção de Qi 12
Regulação do Qi 14
Retenção do Qi 14
Propagação da Sensação do Qi 14
Métodos para Circular ou Propagar o Qi 15
Método de Tonificação (Reforço) e Sedação (Redução) 18
Métodos de Tonificação (Reforço) e Sedação (Redução)
pela Manipulação de Agulhas 18
Tonificação e Sedação com Base na Lei dos Cinco Movimentos 23

2. ~cupuntura no Abdome 33
AcupunturaAbdominal com Base no Ba-guá 34
Seleção de Acupontos do Abdome para o Tratamento 36
Métodos de Agulhamento 36
Profundidade das Inserções 37
Combinações mais Usadas de Acupontos do Abdome 37
Exemplos de Tratamentos de Algumas Enfermidades 38
Cuidados Necessários para Acupuntura Abdominal 39
Acupuntura no Abdome (com Base no Ho-Tu) 40
Diagnóstico em Acupuntura no Abdome (com Base no Ho-Tu) 41
Diagnóstico Diferencial de Umbigos Patológicos 42
Tratamento pelo Umbigo 43
I
XVI - íNDICE

Material Necessário para Acupuntura Abdominal 44


Tempo de Permanência das Agulhas 44
Percussão dos Acupontos do Abdome com Martelo de Madeira e Agulha Grossa 44
Diagnóstico pela Palpação Abdominal 47
Localização Anatômica dos Acupontos do Abdome e Suas Indicações Terapêuticas... 47

3. Acupuntura com Agulha Intracutânea (Técnicade Akabane) 51


Material e Tipo de Agulhas 52
Método de Inserção 52
Indicações 53
Precauções 54
Tempo de Permanência da Agulha Intracutânea 54
Tratamentos Complementares de Algumas Enfermidades 55

4. Acupuntura com Agulha de Pressão 57


Material ... 58
Método de Aplicação 58
Indicações 59

5. Acupuntura com Agulha Quente 61


Material 61
Método de Aplicação 63
Precauções . 64

6.Acupuntura com Agulha Única 65


Técnica 65
TratamentosComplementaresde AlgumasEnfermidades 66

7.Acupuntura e Bombeamento de Íons (lon Pumping) 73


Fio Semicondutor de Manaka 74
Condições de Polarização 77
Cuidados Necessários na Utilização do Fio Semicondutor 78
Tratamento com Fio Semicondutor de Manaka 79

8. Acupuntura em Crianças 81
Material e Método de Aplicação 81
Tratamento 84

9. Acupuntura Cutânea 85
Material Necessário 86
Método de Martelagem 86
Seqüência para Realização da Acupuntura Cutânea 87
Métodos para Seleção das Áreas a Serem Tratadas 87
íNDICE- XVII I

Duração do Tratamento 97
Cuidados Necessários 97
Tratamento Complementar para Algumas Enfermidades 98
Acupuntura com Rolete 106

10.Acupuntura na EmergênciaMédica 109


Técnicas Utilizadas na Emergência 109
Tratamentos Emergenciais para Algumas Enfermidades 110

11. Acupuntura nos Pontos Huatuo ]iaji 121


Localização Anatômica dos Acupontos Jiaji 123
Aplicações Clínicas dos Acupontos Jiaji 124
Indicações dos Acupontos Jiaji 124
Técnica de Aplicação 125

12. Acupuntura no Punho e no Tornozelo 127


Princípios para a Escolha dos Acupontos 127
Distribuição das Áreas ou Zonas Cutâneas 130
Método de Agulhamento 134

13. Acupuntura com Transfixação e Direcionamento das Agulhas 135


Classificação da Técnica de Transfixação 136
Classificação de acordo com a Direção da Agulha 136
Classificação de acordo com o Ângulo Formado entre Agulha e Superfície
da Pele 137
Classificação de acordo com os Canais de Energia 138
Cuidados Necessários para Realizar a Transfixação 139

14. Cronoacupuntura Simples 143

15. Digitopressão e Digitopercu;;são nos Acupontos 149


Técnicas 149
Seleção dos Acupontos a Serem Tratados " 153

16. Estimulação dos Acupontos com Miniesferas e Sementes 155


Estimulação com Miniesferas de Metal 155
Estimulação com Sementes de Planta 156

17. G ua Sha 157


MaterialNecessáriopara a Práticade GuaSha 158
Posições do Paciente para a Prática de Gua Sha 159
I XVIII - íNDICE

Técnica de Gua Sha 160


Áreas do Corpo a Serem Tratadas com a Técnica de Gua Sha e suas Indicações 161
Diagnóstico 167
Critérios para a Escolha da Região do Corpo a Ser Tratada
pela Técnica de Gua Sha 169
Tratamentos 169

18.Injeções de Medicamentos nos Acupontos "'"'''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''' 171


Vantagens 172
Seleção de Acupontos para Injeção 172
Indicações 172
Contra-indicações 172
Material Necessário 172
EscolhadosAcupontos""""""'''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''' 172
Cuidados Necessários 173
Possíveis Acidentes 173
Tratamentocom Injeções nosAcupontos nas Doenças mais Importantes 174

19.Magnetoterapia e Acupuntura 183


O que é Magnetoou Imã? 184
O que é Magnetismo? 184
O que é Campo Magnético? '"'''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''' 184
Utilização dos Magnetos na Medicina 186

20. Moxabustão 191


Moxabustão Direta sem Cicatriz................................................................................... 194
Moxabustão Direta com Cicatriz ................................................................................... 194
Moxabustão Direta com Incenso ""'"''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''.............. 195
Moxabustão Direta com Incenso e Moxa ...................................................................... 195
Moxabustão Indireta sobre Fatia de Gengibre (Zingiber Officinale) ou
Alho (Allium Sativum) """"'"'''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''''' 196
Moxabustão Indireta sobre Camada de Sal 197
Moxabustão Indireta com Bastão de Moxa 198
Moxabustão Indireta em Caixa de Madeira 201
Moxabustão Indireta sobre o Cabo da Agulha """"""'''''''''''''''' 202
Moxabustão Indireta com Moxa Adesiva 203
Moxabustão Indireta sem Fumaça e sem Odor 204
Moxa Elétrica 204
Aplicadores 205
Precauções . 206
Indicações ""'"'''''''''''''''''''''''''' 207
Contra-indicações 207
Aperfeiçoamento do Método da Moxabustão 208
Tratamentos com Bastão de Moxa 211
íNDICE- XIX I

21. Sangria 237


Funções da Sangria 238
Material e Método de Aplicação 238
Precauções 239
Pontos mais Recomendados 239
Contra-indicações 242

22. Ventosaterapia 243


Tipos de Ventosas 244
Métodos de Utilização 245
Ventosas Simples e Múltiplas 246
Ventosas Associadas a Outras Técnicas 246
Ventosas Rápidas e Ventosas Móveis 247
Retirada das Ventosas 247
Indicações 248
Contra-indicações 248
Precauções . 248
Algumas Indicações Importantes 249
Experiências Clínicas do Dr. Shi Xuemin 250

23. Técnicas Consagradas 251


Alinhamento Vital 251
Cólica Menstrual (Dismenorréia) 252
Cólica Nefrítica 252
Desbloqueio da Estagnação de Energia no Canal Principal do Rim 253
Dificuldades de Tomada Decisão 254
Gota . 255
Hérnia Discal Lombar 257
. Lombociatalgias 257
Ombro Dolorido 260
Paralisia Fadal Periférica (de Bell) 260
"Pés Frios" 261
"Pés Quentes" ................................................................................................................ 262
Sete Dragões contra Sete Demônios .............................................................................. 263
Todas as Formas de Lombalgia ..................................................................................... 264

Referências Bibliográficas 265

Índice Remissivo 269


JLgu/Jias
deJLcupuntura} 1
Inserção}
06tenção
deQi} Tonificação
eSedação
Antigamente, no período neolítico, utilizavam-se agulhas de pedras afia-
das, jade ou sílex. As agulhas de pedra eram denominadas Bianshi. Também,
no período neolítico, utilizavam-se agulhas feitas de ossos de animais ou
de bambu. Posteriormente, com o desenvolvimento da cerâmica, passaram
a ser usadas agulhas feitas com pedaços de cerâmica afiados12.
No Ling Shu, Capítulo 1, tradução e comentários de Wong73, encontra-
se o trecho em que o Imperador Amarelo, Huang Di (2698-2598 a.C.),
interroga o médico Chi Po:

Eu, dono de um povo imenso, alimento as cem famílias e delas coleto os


impostos. Eu lamento não poder mais vê-Ias e vir a depender das doenças,
desejo que elas não estejam sujeitas às drogas tóxicas e ao uso das pontas de
. pedra e que sejam tratadas pelas agulhas finas, afim de assegurar a
"1"
circulação dos vasos, regularizar o sangue e a energia, favorecer suas saídas
N
0\
e entradas pelo ponto de reunião...
"?
"1"
M

~ Por esse trecho do Ling Shu po~e-se deduzir que a Acupuntura era
~ muito
0\ mais antiga do que se imagina, pois só a Idade do Metal, período em
que o homem começou a dominar o metal, foi 9000 a.C. O cobre e o ouro
foram os primeiros metais utilizados pelo homem, provavelmente pela atra-
tiva forma bruta e pela dutibilidade que os permitia serem martelados com
pedra até se conseguir modelá-Ios e cortá-Ios. A escassez de jazidas puras
fez o homem descobrir princípios da metalurgia. Observou-se que pela
ação do calor era possível liquefazer o metal e separá-Io dajazida de miné-
rio. O calor também tomava possível moldar os metais depois de fundidos,
sendo este o princípio da verdadeira metalurgia.
12- AGULHASDEACUPUNTURA,INSERÇÃO,OBTENÇÃODEQf, TONIFICAÇÃOESEDAÇÃO

o bronze (liga de cobre com estanho) (sétima agulha) e outra é semelhante à


foi utilizado por volta de 2300 a.C. e ser- agulha di (terceira agulha)12 (Fig. 1.1).
viu para fabricar objetos de uso diário, As "nove agulhas antigas" de Acupun-
inclusive o arado que impulsionava a agri- tura, além de mostrarem a longa história
cultura. que é o símbolo numérico* da Acupuntu-
A descoberta mais relevante dessa ra, possibilitaram a evolução e o desen-
época foi a forja ou fornalha de ferro. Quan- vol vimento das agulhas atuais 73.
do misturado ao carbono, o ferro trans- A seguir, são descritas as "nove agu-
forma-se em aço, que fornece o gume lhas antigas" (Fig. 1.1) e suas funções12,73.
mais afiado de todos. O aço, portanto, foi
descoberto posteriormente aos outros 1. Agulha chai (agulha sagital)
metais e a evidência mais antiga disso Com a ponta em forma de flecha, era uti-
provém da Ásia Ocidental, onde se fun- lizada para realizar punções superficiais,
diam e forjavam utensílios e armas entre eliminando as energias perversas externas,
2000 e 1500 a.c. A partir do domínio do que penetram no corpo, e reduzindo as
ferro e do aço, a utilização do cobre fi- tumefações da pele (Fig. 1.1).
cou cada vez mais limitada.
Com o domínio dos metais começa- 2. Agulhayuan (agulha ovóide)
ram-se a fabricar agulhas de cobre, de pra- Cilíndrica e com a ponta arredondada; era
ta, de ferro e de aço inoxidável. utilizada para massagens superficiais
Assim, o desenvolvimento da meta- (Fig. 1.1).
lurgia possibilitou o aparecimento das
"nove agulhas antigas 73,78. 3. Agulha di (agulha rombuda)
Em 1968, na província de Hebei, Chi- Longa, com a ponta rombuda, se parece
na, foram encontradas as "nove agulhas com grão de milho miúdo e não atravessa ::s
antigas" no túmulo de Liu Shen, Príncipe a pele. Age somente na superfície e era ~ U1

Jing de Zhong-Shan, no monte Xiling, dis-


trito de Man-Cheng, da Dinastia Han do
usada para tratar a dor (Fig. 1.1). ;j
-1'0 -
o,
'"
4. Agulhafeng (agulha triangular) N
Oeste, do século II a.c. Dessas nove agu- ./..
lhas, quatro eram de ouro e as demais, de Apresenta extremidade triangular, com
prata. As cinco agulhas de prata encon- cortes nos três lados; era indicada para tra-
travam-se deterioradas por seus 2.000 tar sangria e doenças crônicas, como abs-
anos de história, ao passo que as de ouro cessos e tumores (Fig. 1.1).
ainda estavam intactas. Estas agulhas pos-
suem um cabo quadrado e um pequeno 5. Agulhapi (agulha em forma de
buraco. Dentre as de ouro, uma tem três espada)
faces, semelhante a uma agulhafeng (quar- Servia para perfurar os abscessos e dre-
ta agulha), duas são parecidas à agulha hao nar o pus (Fig. 1.1).

* Nove x nove = oitenta e um: oitenta e uma dificuldades do Nan Ching (Nan Jing); oitenta e um capítulos do Su
Wene LingShu.
AGULHASDEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQ/, TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO
- 3 I
2 3 4 5 6 7 8 9
Ó v"

"1-
M
-
0\
"?
"1-
N

:;; FIGURA 1.1 - As nove agulhas antigas de Acupuntura, conforme Zhu Lian (Instituto de Acupuntura
~ de Beijing, 1955), citado porWong73. 1 = chai; 2 = yuan; 3 = di; 4 = feng; 5 = pi; 6 = yuan li;
S\ 7 = hao; 8 = chang; 9 = da.

6. Agulhayuan li (agulha redonda) 9. Agulha da (agulha grande)


Com uma extremidade redonda e pontuda, Em forma de bastão pontiagudo?3, sua
servia para tratar doenças agudas como ponta era levemente arredondada. Se-
artralgias (Fig. 1.1). gundo Auteroche & Auteroche5, a agulha
da era cilíndrica, espessa e com a extre-
7. Agulha hao (agulha filiforme) midade pontiaguda; com ela eram trata-
Longa; era usada para tratar de obstruções, dos os edemas das articulações, porque
dores articulares, paralisias, etc. Desde a permitia que saísse água das articulações
Antiguidade foi o tipo de agulha mais im- intumescidas (Fig. 1.1).
portante e utilizado. As agulhas filiformes
utilizadas pela Acupuntura são um aper-
feiçoamento da sétima das "nove agulhas Agulhas Filiformes
antigas", descrita no Capítulo I do Ling As agulhas filiformes ou capilares são fa-
Shu (Fig. 1.1)73. bricadas com aço inoxidável; algumas são
de ouro ou de prata.
8. Agulha chang (agulha longa) As agulhas de ouro e prata são maleá-
Muito longa, fina e pontiaguda; era utili- veis, por isso são de dificil manuseio, além
zada nos casos de paralisias, obstruções e de terem custo alto.
tratamento de artrodinia (dores articula- A agulha de aço inoxidável é dura, po-
res do reumatismo crônico ou síndrome rém é flexível, não quebra, é fácil de ma-
bi) (Fig. 1.1). nusear, não enferruja, resiste bem ao calor
14 - AGULHAS DE ACUPUNTURA, INSERÇÃO,OBTENÇÃO DE Q/, TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO

e é barata. Pode ser fabricada em diferen- expresso em cun ou milímetros e núme-


tes tamanhos (comprimento e diâmetro). ros e milímetros, respectivamente, confor-
As agulhas filiformes são formadas me a Tabela 1.1.
por cinco partes: o cabo, pode ser envol- Algumas marcas de agulhas, como as ~
vido por trança de fio de cobre ou de alu- japonesas e coreanas, obedecem a uma ~
mínio ou próprio aço ou ser liso como nas outra numeração em relação ao diâmetro, ~
agulhas japonesas; cabeça ou extremo do como visto na Tabela 1.2. ~ \O

cabo, apresenta forma arredondada; a pon- N a prática, é melhor expressar o tama- !:


ta, o outro extremo bem afiado; o corpo, nho da agulha (comprimento e diâmetro)
parte entre a ponta e o cabo; a raiz ou base, em milímetros, que é a medida interna-
o limite entre o cabo e o corpo (Fig. 1.2). cional estabelecida pelo Bureau Internacio-
nal de Pesos e Medidas.
O comprimento do cabo deve ser igual
ao do corpos. Na prática, o cabo deve ter
um comprimento médio de 20mm para fa-
cilitar a manipulação, sendo, em geral, me- Esterilização das Agulhas,
nor que o corpo, a não ser nas agulhas Bandejas de Aço Inoxidável,
curtas. Pinças e Outros
Com a descoberta do vírus da himunode-
Tamanho ficiência humana (HIV, human ímmuno-
deficiency vírus) no início da década de
O comprimento e o diâmetro determi- 1980, a possibilidade de transmissão do ví-
nam o tamanho das agulhas, o que pode ser rus da hepatite B, muito resistente ao calor,

I I :vr11'IIIIIII'"II"llf~
I I I
I I I I I
I I I I I
I I I I !
Ponta . Corpo Base Cabo Cabeça

FIGURA1.2 - Agulha filiforme.

Tabela 1.1 - Comprimento e diâmetro das agulhas chinesas

Comprimento

Cun 0,5 1,0 1,5 2,0 2,5 3,0 3,5 4,0 4,5 5,0
Milímetros 15 25 40 50 60 75 90 100 115 125

Diâmetro

Números 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35
Milímetros 0,45 0,42 0,38 0,34 0,32 0,30 0,28 0,26 0,23 0,22
AGULHAS DE ACUPUNTURA, INSERÇÃO,OBTENÇÃO DE Q/, TONIFICAÇÃO ESEDAÇÃO- 5 I

Tabela 1.2 - Comprimento e diâmetro das agulhas japonesas e coreanas

Comprimento'

Cun 0,5 1,0 1,3 1,6 2,0 2,5 3,0


Milímetros 15 29 38 47 59 75 90

Diâmetro'

Números O 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Milímetros 0,14 0,16 0,18 0,20 0,22 0,24 0,26 0,28 0,30 0,32 0,34

, Fonte: Ido-No-Nippon-Sha, Inc. 45. Oppama-Hondo, l-Chome, Yokosuka237, Japan.

e o perigo silencioso do vírus da hepa- Autoc1ave à temperatura de 120°C e


tite C, a esterilização foi deixada de lado 2atm por 15min também oferece muita se-
~ para dar lugar a agulhas reservadas a um
o-- gurança na esterilização, porém seu custo
~ único paciente ou descartáveis. é elevado.
~ As agulhas descartáveis, feitas de aço A esterilização química, com o decor-
~
00 inoxidável, têm flexibilidade adequada, o rer do tempo, também destrói a ponta da
S; que permite sua inserção com facilidade. agulha.
O calibre deve ser ajustado ao comprimen- O uso constante e a esterilização após
to do corpo da agulha. A ponta da agulha cada sessão desgastam a ponta da agulha.
é ovalada, quando examinada ao micros-
Por isso, a agulha, mesmo sendo de aço
cópio óptico, portanto evitam lesões no
inoxidável, que é resistente, tem um pe-
tecido, que provocam dor. A superfície do ríodo de uso útil.
corpo da agulha deve ser lisa, o que dimi-
Os recipientes metálicos como bande-
nui o atrito, facilitando sua penetração no
jas de aço inoxidável, pinças, etc., podem
tecido. Os cabos das agulhas devem ga-
ser fervidos em uma solução aquosa a 2%
rantir a firmeza na manipulação. As em-
balagens devem ser individuais e fecha- de bicarbonato de sódio, a qual aumenta
das e as agulhas, esterilizadas com o gás o ponto de ebulição para 120°C e reduz o
óxido de etileno; tendo o prazo de valida- potencial corrosivo da água61.
de impresso na embalagem. A assepsia da pele é muito importan-
A esterilização das agulhas em estufa te, devendo-se, nos casos de sangria e ven-
a 170°C, durante 60min, conforme reco- tosa, utilizar, inicialmente, o álcool iodado
mendado pela Organização Mundial da a 2% e, em seguida, remover o álcool
Saúde (OMS), oferece bastante seguran- iodado com álcool a 70oGL. Após a san-
ça, mas o calor excessivo acaba destruin- gria e uso de ventosa, deve-se novamente
do a ponta da agulha. passar o álcool iodado' no local.

, Cuidado com pacientes com hipersensibilidade ao iodo.


16- AGULHASDEACUPUNTURA,INSERÇÃO,OBTENÇÃODEQ/,TONIFICAÇÃOESEDAÇÃO

Métodos de Inserção
de Agulhas Filiformes
Regras para Segurar as Agulhas
Entre as regras para segurar as agulhas,
afirmeza é a mais importante. Os dedos
(polegar, indicador e médio) seguram
firmemente a agulha. A mente do médico
deve estar fixada na ponta da agulha e a
atenção, dirigida ao doente. É preciso, FIGURA1.3 - Mão de inserção.
ao mesmo tempo, examinar os vasos do
doente (pulsos), para saber se estão em
plenitude ou vazios, antes de se punturar, A mão direita serve para segurar a agulha
a fim de evitar os perigos. e inserir, girar ou torcer; e a mão esquerda
(Ling Shu, Capítulo 1)73 serve para palpar, raspar, pressionar, etc.
Na inserção da agulha. é preciso
preocupar-se com o Yang (do tônus do
doente) e de suas duas" energias" Inserção de Agulha
(energia proveniente do Baço e energia sem o Auxílio de Mandril
supeificial dos músculos - Energia Wei).
É preciso vigiar a energia mental
ou Guia
(emoções) e a energia dos órgãos
(energia vital) e determinar a evolução Inserção de Agulha Curta
da doença. Deve-se distinguir o bloqueio
dos vasos no nível dos acupontos Shu Segurando a agulha curta com a mão de
específicos. inserção e com a unha do polegar ou indi-
(Ling Shu, Capítulo 1F3 cador da mão de pressão, pressionar late-
A mão direita, que segura a agulha, é co- ralmente o acuponto selecionado, e imo-
nhecida como mão de inserç.ão. Segura- bilizando a pele local, inserir a agulha
se a agulha com os dedos polegar, indica- tangenciando a borda da unha (Fig. IA).
dor e médio, com firmeza, como se
estivesse segurando um lápis ou uma ca-
neta (Fig. 1.3).
Inserção de Agulha Longa
A mão esquerda é conhecida como Segurando a agu\ha longa com a mão de
mão de pressão. Serve para localizar o acu- inserção, encostar a ponta dela no acuponto ~
ponto, imobilizar a pele em volta do previamente escolhido. A seguir, com o au- ~
-.J

acuponto, pressioná-lo lateralmente ou xílio dos dedos polegar e indicador da mão ~


pinçar a pele para ajudar na inserção de de pressão, envolver a extremidade da agu- $N
agulhas. lha com uma bola de algodão embebido .10-

Li Zhiming (1927-1987), citado por em álcool 700GL e introduzir a agulha len-


Youbang & Liangyue79, defendia a impor- tamente, pressionando com a mão direita
tância da coordenação de ambas as mãos. (Fig. 1.5).
AGULHAS DEACUPUNTURA, INSERÇÃO,OBTENÇÃO DE Qf, TONIFICAÇÃO ESEDAÇÃO- 7 I

Inserção de Agulha
Superficial e Horizontalmente
Segurando a agulha com a mão de inser-
;!;
0\ ção (Fig. 1.6), encostar sua ponta no acu-
~ ponto previamente escolhido e, com a
.q-
~ ajuda da mão de pressão, pinçar a pele,
~ incluindo o acuponto entre o polegar e o
00

b; indicador, e inserir a agulha superficial e


horizontalmente à pele, impulsionando a
mão de inserção.
FIGURA1.4 - Inserção de agulha curta.

Inserção de Agulha em Pele


Enrugada ou Partes Moles
Segurando a agulha com a mão de inser-
ção (Fig. 1.7), encostar sua ponta no acu-
ponto previamente escolhido com o auxí-
lio do dedo polegar e indicador da mão de
'"
pressão, esticar a pele ao redor do acu-
ponto e inserir a agulha com movimento
rápido e breve com a mão de inserção. Tal
procedimento é utilizado nas partes mo- ~~
les ou enrugadas do abdome.
FIGURA1.5 - Inserção de agulha longa.

Inserção de Agulha com


o Auxílio de Mandril
ou Guia
As agulhas muito finas são flexíveis e mais
difíceis de manusear. Portanto, a inserção
é facilitada por um tubo-guia ou mandril
(Fig. 1.8).
Introduzir a agulha no tubo-guia que
tem um comprimento menor que o da agu-
lha e colocá-Io perpendicularmente sobre
o acuponto. Segurar o tubo-guia com a
mão esquerda e dar uma leve batida com
a polpa do dedo indicador ou médio da
mão direita sobre o cabo da agulha para Figura 1.6 - Inserção de agulha, superficial e
inseri-Ia no acuponto. horizontalmente à pele.
I 8 - AGULHAS DE ACUPUNTURA, INSERÇÃO,OBTENÇÃO DE Q/, TONIFICAÇÃO ESEDAÇÃO

'D
...,
00
00
U1
~
-
IV
.,.
""
'D
IV
~

FIGURA 1.7 - Inserção de agulha em pele


enrugada ou partes moles.

FIGURA 1.9 - Waichi Sugiyama, criador do


tubo-guia ou mandril.

~
A
i
m TTT""""T'IT"()

B
~
FIGURA 1.10 - Tubos-guia ou mandris hexago-
nal (A) e circular (8).

FIGURA 1.8 - Inserção de agulha com o auxílio


de mandril.

Em seguida, retirar o tubo~guia e con-


5 A
~
B
FIGURA 1.11 - Tubos-guia com extremidades
tinuar a introdução e manipulação da agu- côncava (A) e convexa (8).
lha conforme a necessidade de tonifica-
ção ou sedação.
O tubo-guia é conhecido, no Japão,
como Shinkan. Foi criado na época do Edo
ou era do Tokugawa (1616-1868) por um
famoso acupunturista, Waichi Sugiyama
(1610-1694) (Fig. 1.9)15.
O tubo-guia pode ser hexagonal ou
circular (Fig. 1.10), possuindo uma extre-
A B
midade convexa ou côncava (Fig. 1.11).
A extremidade convexa do tubo-guia FIGURA 1.12 - Tubos-guia com extremidades
(Fig. 1.12) serve para ajudar a localizar o côncava (A) e convexa (8), pressionando a pele.
AGULHAS DE ACUPUNTURA, INSERÇÃO,OBTENÇÃO DE Q/, TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO- 9 I

i!
acuponto. Geralmente o acuponto é uma §
depressão existente na pele. Os japoneses
//////---r

~
chamam-no de tsubó, que significa bura- .--' ""X''''''
, ~ \
co ou orifício. A extremidade convexa do " 90° ' '-
tubo-guia, ao ser pressionada contra a I
,/ 45° \,,''''''''
I " """""~15 - 20°
pele, próxima ao acuponto, desliza e en-
caixa na depressão (Fig. 1.12). A extre-
midade côncava, quando adaptada ao
acuponto e pressionada, forma uma cúpu- FIGURA1.13 - Ângulos de inserção das agulhas.
la (Fig. 1.12), com o objetivo de provocar
certa analgesia no local e facilitar a inser-
ção da agulha. Horizontal
O tubo-guia hexagonal tem vantagem
sobre o circular, pois, quando colocado na A agulha é introduzida quase horizontal-
superfície ligeiramente inclinada, man- mente à pele, formando um ângulo de 15°
tém-se estático, ao contrário do circular a 20° com a superfície da pele. Também
que tende a rolar e cair. conhecida como inserção transversal ou
subcutânea, é muito utilizada no couro
Atualmente existe o tubo-guia descar-
cabeludo (acupuntura escalpeana), na
tável de polietileno que acompanha as
face e no abdome.
agulhas descartáveis, tomando o procedi-
mento mais seguro. O ângulo de inserção é muito impor-
tante na maioria dos acupontos. A inserção
em ângulo reto predomina no tratamento
7 Ângulos de de doenças ou síndromes do interior ou
profundas. Já a inserção oblíqua é mais
~
:;
Inserção das Agulhas indicada para acupontos próximos às
N
r;- São os ângulos formados entre o corpo da
'" vísceras importantes nas quais as paredes
00
ob agulha e a superfície da pele. A agulha pode abdominais ou torácicas são finas, com
t-
a-,
ser inserida em três posições (Fig. 1.13). poucos músculos77. Por exemplo, os acu-
pontos VC 15 (Jiuwei) e F 14 (Qimen) do
tórax são inseridos em ângulo oblíquo.
Perpendicular A inserção horizontal serve para tra-
tar doenças que se localizam na superfí-
A agulha é introduzida verticalmente, de
cie (no sistema Wei); também é muito uti-
modo a formar um ângulo de 90° com a
lizada na acupuntura escalpeana. Por
superfície da pele. É a posição mais co- exemplo, nos acupontos Sishencong (Ex-
mum de inserção. tra), as quatro agulhas são introduzidas
horizontalmente em direção a VG 20 (Bai-
Oblíquo hui). No acuponto B 2 (Zanzhu) é inseri da
uma agulha em direção a B 1 (Jingming)
A agulha é introduzida em direção oblí- e do acuponto VB 14 (Yangbai) pode se
qua, formando um ângulo de 45° com a introduzir uma agulha horizontalmente em
superfície da pele. direção ao acuponto Yuyao (Extra).
110 - AGULHAS
DEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQ/, TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO

Na inserção oblíqua e horizontal o di- inserções superficiais. Pacientes idosos,


recionamento da agulha também é muito magros e crianças com constituição frágil
importante. Por exemplo, na tonificação devem ser tratados com poucas agulhas e
utiliza-se a inserção oblíqua ou até hori- inserções superficiais. Na primavera e no
zontal, dirigindo-se a ponta da agulha no verão as inserções devem ser superficiais,
sentido da circulação de energia nos ca- no outono e no inverno, devem ser mais
nais. Já na sedação a ponta da agulha é profundas.
direcionada no sentido contrário ao da cir- Huang Xian Ming, citado por You-
culação de energia no canal. bang & Liangyue79, é experiente na téc-
O direcionamento horizontal da agu- nica de inserção e a divide em perpendi-
lha é muito importante para orientar o sen- cular e horizontal. A primeira, também co-
tido do Qi. Por exemplo, nos casos de nhecida como inserção profunda, indicada
vômitos, inserir a agulha em VC 13 (Shang- no tratamento de síndrome do interior, frio
wan), VC 12 (Zhongwan), VC 11 (Jianli), e TIn. Por exemplo, CS 5 (Jianshi) pene-
VC 10 (Xiawan), E 21 (Liangmen) e E 25 trando na direção do TA 6 (Zhigou) trata
(Tianshu), com a ponta dirigida para bai- distúrbios mentais maníacos; a última,
xo, em ângulo oblíquo ou horizontal. Nes- também conhecida como inserção superfi-
ses casos, escolher a transfixação de agu- cial, é indicada no tratamento de síndrome
lha, como em VC 13 (Shangwan) a VC 11 do exterior, wei e calor. Por exemplo,
(Jianli) ou VC 10 (Xiawan), associados a inserindo-se a agulha no Yuwei* (Extra) em
outras agulhas inseridas obliquamente, di- direção ao Yuyao** (Extra), trata-se o olho
recionando a ponta para baixo. edemaciado e vermelho, devido ao calor
patogênico. Inserindo-se a agulha no TA 23
(Sizhukong) em direção ao VB 8 (Shuaigu)
Profundidade de ou no VB 5 (Xuanlu) em direção ao VB 4 'D
-.-J

Inserção das Agulhas (Hanyan), trata-se a enxaqueca causada por :k


fogo de Fígado e Vesícula Biliar (é a téc- ~
N

A profundidade da inserção da agulha de- nica de transfixação e direcionamento das ~o-,


pende de localização dos a-cupontos no agulhas; ver capo 11). ~
corpo, localização das doenças, constitui- Segundo Youbang & Liangyue79, o Dr. .)..
ção do paciente e estações do ano. Nos Ma Shiming, do Hospital Municipal de
acupontos localizados próximos ao globo Medicina Tradicional Chinesa, em Hang
ocular e abdome a inserção deve ser su- Zhou, é habilidoso na técnica de inserção
perficial para não lesar o globo ocular e superficial com rotação freqüente. A pro-
as vísceras. Os pacientes obesos e as doen- fundidade de penetração da agulha varia
ças localizadas no interior devem ser tra- de 0,2 a 0,3cun (aproximadamente 4 a
tados com inserção profunda e as doen- 6mm) e, após a inserção, que deve ser
ças localizadas na superfície, tratadas com perpendicular, impor movimentos rota-

* Yuwei (Extra), significa cauda de peixe. Situa-se a O,lcun lateralmente à comissura externa do olho.
** Yuyao (Extra), significa cintura do peixe. Situa-se no meio da sobrancelha que se assemelha a um peixe pequeno.
AGULHAS
DEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQ/, TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO
- 11 I

tórios rápidos com pressão adequada até minal e atinge a superfície do órgão ou da
o paciente ter a sensação de inserção no víscera.
local (sensação de agulha). O Dr. N ang Fengyi, conforme citado
A agulha para a inserção rasa deve apre- por Youbang & Liangyue79, é habilidoso
sentar um diâmetro 0,2 ou 0,23mm e o com- na técnica de inserção profunda e perfu-
primento deve ser de 15 ou 20mm, de acordo rante no VC 12 (Zhongwan), para o trata-
com a experiência de cada terapeuta. mento de gastrite aguda e crônica, espas-
Mesmo para inserir agulha no acu- mogástrico, gastroptose, etc.
ponto VB 30 (Huantiao), o Dr. Ma Shi- A agulha é inserida vagarosamente
ming utiliza a agulha pequena, de no má- conforme o movimento respiratório do
ximo 1,5cun de comprimento, e promove paciente, ultrapassando toda a espessura
rotação freqüente para irradiar a sensação da parede abdominal, e atinge e toca a su-
até o pé. perfície da parede gástrica. É muito peri-
7 O efeito terapêutico dessa técnica, goso inserir a agulha profundamente no
VC 12 (Zhongwan), tanto que se deve ad-
~ como qualquer outra técnica de Acupun-
~ tora, é decorrente de chegada de Qi, pro- vertir os iniciantes para ter cautela com essa
J; moção ou regulação de Qi, ativação da técnica. Antes de experimentar essa técni-
00
ca, é necessário ter os conhecimentos sobre
~ circulação
~
sangüínea dos músculos e re-
gulação da vitalidade mental. anatomia e topografia dos órgãos internos.
Durante o tratamento, o paciente deve Essa mesma técnica pode ainda ser
realizar alguns exercícios, como massa- utilizada para tratar as patologias compli-
gem dos membros afetados, movimentos cadas de Fígado. Após a inserção profun-
de flexão, extensão, abdução e outros. da, a extremidade da agulha deve tocar le-
vemente a superfície do Fígado.
Ao se inserir a agulha superficialmen-
te e induzir um movimento de rotação rá-
pida, pode-se aplicar a técnica de sedação Acupuntura e a
ou tonificação de acordo com o princípio
de tonificar a deficiência e sedar o excesso.
Obtenção de Qi (De-Qi)
Numa crise de asma, por exemplo, em o essencial na Acupuntura é chegar ao Qi.
(Ling Shu, Capítulo 1) 61
vez de inserir várias agulhas em ambos os
lados do tórax e das costas, o Dr. Ma Shi- Segundo Wong73, a pesquisa concreta do
ming seleciona somente o VG 25 (Suliao), "ponto energético" pela manipulação das
insere a agulha nesse acuponto a 0,2 a agulhas permite escapar à cilada das in-
0,3cun de profundidade e promove a rota- terpretações falaciosas. Cada nome tem
ção rápida. uma indicação utilitária. A primeira das
Existe uma modalidade de inserção prioridades é a obtenção do Qi (De-Qi)*,
que perfura e ultrapassa a parede abdo- que testemunha a "chegada de energia"

* De-Qí é uma sensação de inserção de agulha de Acupuntura semelhante à sensação de peso, de pressão, de
vazio, de adormecimento, de distensão, de frio, de calor, de cãibra muscular e de dor. Atualmente é conhecida
como sensação de agulha ou de agulhamento.
112 - AGULHAS
DEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQJ,TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO

pelas sensações subjetivas de dor, de . Sensação de estremecimento ou tre-


intumescimento, de peso, de entorpeci- mores musculares rápidos.
mento, etc.
Após a escolha correta dos acupontos
. Sensação de Qi elétrico.

a serem tratados, obedecendo os oito prin- Não confundir a sensação de Qi elé-


cípios e o ângulo de inserção, deve-se apli- trico com a sensação de choque elétrico
car a agulha e promover a chegada do Qi. causado pela punção de pequena rede ner-
Assim, a ponta da agulha deve ser dire- vosa; a propagação deste último é bem
donada para a área doente e a agulha, ma- mais rápida.
nipulada com movimento contínuo de por Quando a doença é crônica e o pacien-
e tirar ou girar ou torcer, para se obter o te está fraco, o Qi pode demorar a chegar.
Qi imediatamente e mantê-Io alcançando Se a sensação de Qi é diferente de um lado
a área afetada. a outro do corpo, a energia está claramen-
Para o profissional, a chegada do Qi te desequilibrada. A sensação de picadas
manifesta-se pela tensão ou aperto em tor- das agulhas durante o dia todo, embora 'D
no da agulha. desconfortável, é desejável, pois direciona Cf3
00

Para o paciente, a chegada de Qi ma- o espírito para a região tratada e, assim, ~


nifesta-se pela sensação subjetiva de dor,
aumenta os efeitos do tratament05. t
~
'D
N
entorpecimento, peso, inchaço, frio, calor, ~
etc., mesmo a sensação de Qi elétric05.
Os diferentes tipos de "sensação de
Métodos para
Qi" (sensação de agulha) sentidos pelos Obtenção de Qi
pacientes foram classificados por Aute- Se, após a inserção da agulha na profun-
roche & Auteroche5:
didade exigi da, o Qi não se manifestar,
deixar a agulha e esperar algum tempo. A
. Sensação de prurido. isso se chama de "esperar o Qi". Se mes-
. Sensação de entorpecimento. mo assim o Qi não chegar, devem-se efe-
. Sensação de cansaço. tuar as manobras para a chegada do Qi.
. Sensação de inchaço (edema). A demora na chegada do Qi em al-

. Sensação de distensão ou peso.


guns pacientes pode ser causada por obs-

. Sensação de mistura das cinco ante-


riores.
trução local do canal de energia. Existem
também pacientes com constituição fraca

. Sensação de compressão ao redor das


que não respondem à perfuração com agu-
lha, independentemente do método em-
agulhadas *. pregado, portanto não se podem esperar
. Sensaçãode frio (passageira). ~ resultados terapêuticos. Nesses casos, as-
. Sensação de calor (passageira). sociar agulha com moxabustão.

* Se essa sensação de compressão for forte demais, a ponto da agulha ficar presa, haverá necessidade de manobra
de dispersão.
AGULHAS DE ACUPUNTURA, INSERÇÃO, OBTENÇÃO DE Q/, TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO - 13 I

Procurar o Qi
~
Após a inserção e a penetração de agulha
I
na profundidade exigida, se o Qi ainda não ~
for obtido, deve-se inserir a agulha até um
nível mais abaixo da epiderme, mover a
agulha para frente e para trás e empurrá-Ia
novamente, repetindo essa operação várias
vezes até se obter o Qi5.

FIGURA 1.15 - Massagear o trajeto do canal de


"Pancadas" Leves energia.

no Cabo da Agulha
cientes nos quais a sensação de inserção
Com o dedo médio ou indicador, dar uma
de agulha é demorada77.
leve pancada no cabo da agulha, com o in-
tuito de obter a chegada do Qi (Fig. 1.14)5,12.
"'Í"
N Movimentos de Introduzir
0\
~ .
~ Massagear O Trajeto (Empurrar) e Puxar a Agulha
~ do Canal de Energia (Bicada de Pássaro)
00
t-
0\
Após inserção e penetração da agulha na Se após a inserção da agulha no acuponto
profundidade adequada, se o Qi ainda não corretamente selecionado e na profundi-
for percebido, massagear ou percutir le- dade adequada, o Qi não for obtido, reali-
vemente o trajeto do canal de energia cor- za-se um pequeno movimento de puxar e
respondente ao acuponto onde a agulha está empurrar de pequena amplitude (Fig. 1.16),
inse~ida ou na periferia desse acuponto mas com grande rapidez5,12.
(Fig. 1.15). Esse método é usado em pa- Caso clínico - Um paciente do sexo
masculino, com 35 anos, desenvolveu uma
dor lombar aguda por transportar um obje-
to pesado. O exame físico mostrou ponto

Q
sensível entre a quarta e a quinta vértebra
lombar e a contratura da musculatura lo-
cal. Devido ao comprometimento do
Dumai, o acuponto VG 26 (Renzhong) foi

/ escolhido para agulhamento e a dor


diminuiu consideravelmente, mas ainda
-,- permanecia uma pequena dor no local. En-
tão foi realizada uma inserção de agulha
no local, com o movimento de introduzir e
FIGURA1.14 - "Pancadas" no cabo da agulha. puxar, o que eliminou completamente ador.
114 - AGULHASDEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQ/, TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO

Mudar o Local de Inserção


Quando não se localiza o acuponto ou
quando se insere a agulha no lado do acu-
\
ponto, o Qi não chega e é necessário reti-
rar a agulha e reinseri-Ia corretamente no
acuponto, para obter o Qi5.

Regulação do Qi
Depois da chegada do Qi, realizar o le-
vantamento e empuxo (puxar e introdu-
zir) vagaroso da agulha, movimento de
rotação da agulha da esquerda para a di-
reita, para frente e para trás para que o
,f\ paciente tenha uma sensação confortável,
I
dor ou distensão. Em outras palavras, para
I
I a regulação do Qi, realizam-se movimen-
I tos de puxar e empurrar, de torcer ou de
I
girar a agulha vagarosamente 79.
FIGURA 1.16 - Puxar a agulha até a superfície.

Retenção do Qi
Movimentos de Sacudir ou Conforme o Su Wen (Capítulo 25), uma vez
que se obtém o Qi ou quando esse alcança
Vibrar o Cabo da Agulha para o meridiano, a mão direita deve segurar a
Promover a Chegada do Qi agulha como se estivesse "agarrando um
Também conhecida como .tremer, signifi- tigre feroz" durante a manipulaçã079.
ca aplicar com a mão direita um tremor
de amplitude muito pequena, mas de ex-
trema rapidez, promovendo sensação se- Propagação da
'D
melhante aos movimentos criados por Sensação do Qi J
'{'
00
1I1
eletroacupuntura5.
Não basta apenas sentir a chegada do Qi :., N
sob a agulha para obter o êxito no trata- ~
/ c;,
mento com a inserção de agulha fina. E ne- ~
Apoiar ou Pressionar
cessário fazer o Qi circular ou se propagar ....
Reunir os dedos polegar, indica~or e mé- e chegar ao local afetado pelo desequilí-
dio da mão direita e, com sua ponras, pres- brio, bem como fazer com que o Qi corre-
sionar forte e intermitentemente a região to expulse o Qi perverso para fora do corpo.
em tomo do acuponto, após inserção de Por exemplo, para o tratamento de afec-
agulha5. ção ocular, é indicado o VB 20 (Fengchi),
AGULHASDEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQ/, TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO
- 15 I

...~, ,
cuja eficácia é mais marcante quando a
1 ..."'- '....
sensação de Qi correto se propaga, e che- ~ fi .-l,. T \ ""'''''-(r'o-_-
I";: I
ga ao globo ocular e expulsa o Qi perver- I, I: ',-?, \ J.- I
I, ~ 1i~-- ,I
so ali instalado. 1t~/"i
1\ ~
No caso de paralisia ou de parestesia I '-"1--,I,...\~"
/-) -- -'--Ti
-"-.'
I
IJI I 1'--'- '.'
em que há comprometimento do nervo I
periférico, a sensação de Qi não se propa-
ga a longa distância. Assim, deve-se inse-
rir uma outra agulha onde a sensação pa-
rou. Por exemplo, no caso de paralisia do
membro superior, ao inserir agulha no 1
IG 15 (Jianyu), pode-se dizer que a sen-
sação de Qi pára no IG 11 (Quchi); então
se deve aplicar a agulha no IG 11. Esse
procedimento é denominado "retomada de
Qi", porque indica onde ele parou e reto-
mou até atingir todo o projeto ou segmento
1
do corpo afetado.
FIGURA1.17 - Empurrar a agulha até a profun-
didade.

'7 Métodos para Circular


-'7
~ ou Propagar o Qi
N
r--
~ Puxar-empurrar
00
r--

~ Puxar a agulha até a superfície e empur-


rá-Ia até a profundidade faz o Qi circular
ou se propagar (Figs. 1.16 e 1.17)5.
~ ;;

Rotação
Depois de inserir a agulha e introduzi-Ia a
FIGURA 1.18 - Rotação.
uma profundidade adequada, deve,se
torcê-Ia ou rodá-Ia (girar) para direita ou
para esquerda continuamente, numa am- Arranhar
plitude de 180 a 360° (Fig. 1.18) (alguns
autores recomen\am 90 a 360°). Rotação Após a inserção atingir a profundidade
somente em um sentido (horário ou anti- desejada, segura-se a agulha com o pole-
horário), pode emaranhar as fibras do teci- gar e o indicador da mão esquerda e arra-
do colágeno ou muscular, lesá-Ios e pro- nha-se o cabo da agulha com a unha do
duzir dor5,77. dedo indicador da mão direita (Fig. 1.19).
116 - AGULHAS
DEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQJ,TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO

~ ~
§ s
~ ~
..

1
! -------------- - t

2 -f-
] - ---------- --
3
_J- -------------- [
'D
--.)
00
00
VI
~
IV
FIGURA1.20 - Os três níveis de profundidade. t
1 = Céu; 2 = Homem; 3 = Terra. ~
I N
.I.

Agitar
Após obter o Qi, mexer a agulha da es-
--~ querda para a direita como se agitasse uma
sineta, com amplitude de aproximadamen-
te 90° (Fig. 1.22). Esse movimento au-
FIGURA 1.19 - Arranhar. menta o orifício deixado pela agulha e
também não deve ser repetido mais de três
vezes. Essa manobra visa propagar o Qi e
Alguns autores recomendam utilizar a unha cria um vazio sob a agulha (dispersão)5.
do dedo polegar direito de 6 a 18 vezes e a
maioria dos pacientes relatam a sensação
de frio. Esse procedimento, além de obter <l íf
o Qi, acelera a propagação dele5,n. ~ /-~...
~ S
IS =
I
I I
~
I "
Girar-agitar Ir 4
\ \--
\ -.-
'
1,
Inicialmente inserir a agulha corretamen-
te no acuponto e introduzi-Ia até o nível
,'-.
\
'

"terra" (Fig. 1.20) (a profundidade máxi-


ma do acuponto, no nível de músculos e
ossos). Após obter o Qi, puxar a agulha
,
até o nível "homem" (Fig. 1.20) ou até o ,,
nível "céu" (sob a pele) (Fig. 1.20). Em
\
seguida, inclinar a agulha 45° em relação 1
à superfície da pele e girá-Ia lentamente,
no máximo três voltas (Fig. 1.21)5. FIGURA1.21 - Girar a agulha.
AGULHAS DEACUPUNTURA, INSERÇÃO,OBTENÇÃO DE Q/, TONIFICAÇÃO ESEDAÇÃO- 1 7 I
... ~
o indicador da mão direita e imprimir-lhe
um ligeiro movimento de rotação, soltá-
Ia e afastar subitamente os dedos polegar
e indicador, como um pássaro que abre
as asas para voar (Fig. 1.23). Repetir esta
operação de vôo (girar a agulha uma vez
e soltar o cabo subitamente) algumas ve-
zes até o Qi se propagar. A agulha vibra e
esse método permite propagar a sensa-
ção de Qi até uma região distante do
acupont05.

Curvar

Após inserir a agulha e obter o Qi, segu-


FIGURA 1.22 - Agitar.
rando seu cabo com o polegar e o indica-
dor da mão direita, imprimir-lhe um ligei-
ro movimento de rotação (movimento
Obstrução
sutil, 45°, uma vez), para curvar seu cabo
Após obter o Qi, pressionar o ponto com de modo que a parte tonificada fique no
o dedo polegar ou indicador da mão es- lado convexo formado pelo seu corpo e a
querda, para obstruir a região oposta ao parte dispersada no lado côncavo do seu
sentido em que se deve propagar o Qi. corpo (Fig. 1.24). Nesse caso, também o
Essa manobra tem por objetivo controlar
e dirigir o sentido da propagação do Qi.
Se desejar que o Qi suba, os dedos da
mãO'esquerda devem ser colocados abai-
xo do acuponto agulhado, pressionando-se
continuamente para cima, enquanto a mão
direita direciona a ponta da agulha para
cima. Se desejar que o Qi desça, os dedos
da mão esquerda devem ser colocados aci-
-'-
I
~ ma do acuponto agulhado, pressionando-se
~ continuamente para baixo. As duas mãos
~ devem trabalhar em sinergia para conse-
~ guir propagar o Qi até o local da doença5.
00
"o-,

Voar
Após inserir corretamente a agulha e ob-
ter o Qi, segurar seu cabo com o polegar e FIGURA 1.23 - Voar.
118 - AGULHAS
DEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQJ,TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO

Sedação - É O conjunto de procedi-


mentos terapêuticos que consiste em di-
minuir o excesso (plenitude), bem como
eliminar o Qi perverso e harmonizar a hi-
peratividade das funções fisiológicas dos
Zang-fu5,n.
A tonificação e a sedação podem ocor-
rer por:

..Manipulação ou manuseio das agulhas.


Utilização das leis dos cinco movi-
mentos.

Métodos de Tonificação
(Reforço) e Sedação
(Redução) pela
Manipulação de Agulhas '"
---1
qo
00
o bom médico espera primeiro a V1

FIGURA 1.24 - Curvar. chegada de Qi e, só então, pratica os


métodos de tonificação e sedação, para
-
~
N
"""
o,
'"
restabelecer o equilíbrio do paciente. N
.J;.
(Ling Shu, Capítulo 1)5
corpo da agulha não gira, apesar de im-
primir um ligeiro movimento de rotação5.

Inserção e Retirada
Método de Tonificação Quando se introduz a agulha lentamente
(Reforço) e Sedação* no acuponto e se retira rapidamente, isso
provoca um efeito de tonificação.
(Redução) Quando se introduz uma agulha
rapidamente no acuponto e se retira
Tonificação - É o conjunto de procedi- lentamente, provoca-se um efeito de
mentos terapêuticos da Acupuntura que sedação.
consiste em fortalecer e aumentar o Qi dos (Ling Shu, Capítulo 1)5
Canais de energia e dos Zang-fu. Assim, Para tonificar deve-se inserir a agulha len-
a tonificação é utilizada para tratar sín- tamente, até a profundidade exigida e
drome de deficiência e aumentar a resis- retirá-Ia rapidamente até que chegue no
tência do corpo5,n. nível abaixo da epiderme, segurá-Ia um

* Segundo os autores franceses é dispersão.


AGULHASDEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQJ,TONIFICAÇÃO - 19
ESEDAÇÃO I

pouco e depois retirá-Ia. O objetivo dessa vel "Terra", puxando-a em três etapas até a
manobra é fazer o Yang Qi penetrar5. camada "Céu". É o que se denominada uma
Para sedar deve-se inserir a agulha penetração e três puxadas (ver Fig. 1.20).
rapidamente de uma só vez, atingir a pro-
fundidade exigida e, depois, retirá-Ia len-
tamente. O objetivo dessa manobra é fa- Inserção a Favor da
zer o Qi perverso sair da profundidade em Corrente e Contra-corrente
"" direção à superfície.
N
O'>
O método descrito é reconhecido atual- Se inserir a agulha no acuponto no
'9
:;; sentido da corrente de energia nos canais
N mente como o melhor.
c;- reforça a energia, é uma tonijicação.
V")
00 (Ling Shu, Capítulo 9)5,73
00
r--
Se inserir a agulha no acuponto no
O'> Empurrar e Elevar sentido contra-corrente de energia nos
canais enfraquece a energia, é uma
Para tonificar, empurrar a agulha com for-
sedação.
ça, da superfície no sentido do nível mais (Ling Shu, Capítulo 9)5,73
profundo, e elevar com suavidade. O ob-
jetivo é servir-se da força de arremesso Em resumo: para tonificar, inserir a agu-
da agulha e fazer o Yang Qi penetrar5. lha com inclinação e dirigir sua ponta a
Para dispersar, elevar a agulha com
força, do nível profundo até a superfície,
e empurrar suavemente. O objetivo é atrair
a energia perversa para o exterior5.
Nesse método, a tonificação e a seda-
ção dependem da força utilizada no mo-
vimento de empurrar e elevar a agulha.

Penetrar e Puxar
Nesse método a profundidade do acuponto
é dividida em três camadas (Céu, Homem
e Terra) (Figs. 1.20 e 1.25). A camada su-
perficial é "Céu", a mediana é "Homem" e
a mais profunda é "Terra".
A tonificação é obtida pela penetra- ,f.
ção da agulha, em três etapas, até a ca- I
mada "Terra" e pela retirada da agulha I
de uma só vez, até atingir o Céu. É o que I
I
se chama de três penetrações e uma pu- j I
xada (ver Fig. 1.20).
Obtém-se a sedação por meio da pene-
tração da agulha, em uma só vez, até o ní- FIGURA1.25 - Penetrar e puxar.
120 - AGULHAS DE ACUPUNTURA, INSERÇÃO,OBTENÇÃO DE QI, TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO

favor da corrente de Qi; para sedar, inse- para si e a dispersão será feita alongan-
rir a agulha com inclinação e dirigir sua do o polegar em movimento contrário.
ponta contra a corrente de Qi. . Para os três meridianos Yang do pé e
os três meridianos Yin do braço, a to-
nificação será feita alongando o pole-
Rotação gar para diante e a sedação será feita
Segundo Auteroche & Auteroche5, para a puxando o polegar para si.
tonificação o movimento de rotação da
agulha deve ser de 45 a 90°, da direita para Além disso, o professor Shi Xue Ming,
a esquerda, puxando o polegar para si e, atualmente uma das maiores autoridades
depois, voltado ao ponto de partida. Em ou- chinesas em matéria de manipulação das
tras palavras significa girar a agulha vaga- agulhas, simplificou a teoria de Yang Ji 'D
rosamente com pouca amplitude no senti- Zhou da seguinte forma: para a tonificação ;ji 00

do anti-horário. na superfície anterior, a agulha gira no sen- ~


Para a sedação, o movimento de rota- tido da circulação de energia no meridia- t
ção deve ser de 180 a 360°, da esquerda no Renmai. Na superfície posterior, ela §
para a direita, alongando o polegar diante gira no sentido da circulação de energia .i:-
de si e, depois, voltando ao ponto de par- no meridiano Dumai. Para a dispersão, a
tida. Em outras palavras, significa girar a agulha gira no sentido inverso da circula-
agulha rapidamente com grande amplitu- ção de energia nos canais Ren e Du.
de no sentido horário.
O sentido de rotação aconselhado por
Auteroche & Auteroche5 está fundamen- Respiração
tado na interpretação dos mais antigos
ensinamentos da Medicina Chinesa. Para tonificar um vazio, insere-se a agu-
Segundo esses autores, existem outras lha no momento da expiração (Fig. 1.26, A)
teorias relativas ao sentido de rotação das e retira-se no momento da inspiração
agulhas e o Yang Ji Zhou (1601), autor de (Fig. 1.26, B).
Zhen Jiu Da Cheng, base~ndo-se em "ir Quando se expira o ar, o Qi sai do pei-
ao encontro-seguir", desenvolveu a se- to, o abdome está vazio e o Qi fraco. Se a
guinte teoria5: agulha for inserida nesse momento, toni-
fica-se com o Qi correto e preenche-se o
. Para os três meridianos Yang do braço vazIO.
Para sedar uma plenitude, insere-se
e os três meridianos Yin do pé, a toni-
ficação será feita puxando o polegar a agulha no momento da inspiração

~
A

FIGURA 1.26 - Tonificação baseada


~
B
~

na respiração.
,~-
J,y .
-

(A) Expiração;
- -~

(8) inspiração.
AGULHAS DEACUPUNTURA, INSERÇÃO,OBTENÇÃO DE Qf, TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO- 21 I

~
:-~~-
A
J ..

- ~ .
~
B
,/"
J

,~/
'" ..
-
~

FIGURA 1.27 - Sedação baseada na respiração. (A) Inspiração; (8) expiração.

(Fig. 1.27,A), retirando-a no momento da fício com bola de algodão embebido em


expiração (Fig. 1.27, B). álcool e massagear o local. Esse procedi-
Quando se inspira, o Qi penetra no mento impede a saída do Qi correto pelo
peito. Se a agulha for inserida nesse mo- orifício deixado pela agulha (isso lembra
mento, estará de frente com o Qi; quando a injeção de um medicamento em que,
se expira, o Qi sai do peito, o abdome fica após a retirada da agulha, faz-se compres-
vazio e se, nesse momento, a agulha for são com bola de algodão embebido em ál-
retirada, o Qi também sai e eliminando-se cool para impedir a saída do líquido pelo
assim o Qi incorreto. orifício e massagem, em seguida, para
Em resumo, tonifica-se quando a agu- espalhar o medicamento).
lha segue o sentido normal do Qi e seda- Na sedação, deve-se puxar a agulha
se quando a agulha vai contra o sentido lentamente até o nível abaixo da epider-
"'i" normal do Qi5. me e, em seguida, imprimir um movimen-
N
o-, to de balanço ou espiral à direita na agu-
-
'9
"'i"
N
Nota: alguns autores afinnam que a lha, a fim de aumentar ou alargar o orifício
t-
.;,
"?
tonificação é alcançada pela inserção de saída. Uma vez extraída a agulha, não
00
t- da agulha na inspiração e por sua reti- comprimir o orifício com bola de algodão,
o-,
rada na expiração e a sedação é alcan- nem massagear o local. Esse procedimen-
çada pela inserção da agulha na expi- to permite a eliminação do Qi perverso
ração e por sua retirada na inspiração. pelo orifício deixado pela agulha.

Nota: caso apareça alguma efusão de


Fechar e Abrir o Orifício
gota de sangue pelo orifício deixado
Depois de tonificar, retira-se a agulha e
pela agulha, pode-se usar a ventosa
tapa-se o orifício.
Para que o orifício não se feche antes da para succionar o sangue estagnado.
eliminação da doença, aumenta-se a'
passagem pelos movimentos da agulha Nove-seis
que abrem o caminho.
(Su Wen, Capítulo 54)5
A teoria do I Ching estabelece uma rela-
Na tonificação, deve-se puxar a agulha ção entre Yange os números ímpares e Yin
rapidamente num único movimento, fa- e os números pares5,21.
zendo sua ponta subir até o nível abaixo O número nove é o máximo dos nú-
da epiderme e, em seguida, retirar a agu- meros ímpares, é múltiplo de três e, sen-
lha, comprimindo imediatamente o ori- do Yang, é usado nove vezes nas manipu-
I 22 - AGULHAS
DEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQI, TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO

lações para tonificar. O número seis é o fazer o paciente sentir cansaço no final de
máximo dos números pares, também múl- cada sessão ou nos dias seguintes5.
tiplo de três e, sendo Yin, é usado seis ve- A manutenção ou retirada da agulha
zes nas manipulações para sedar. Esse do acuponto, após obtenção de Qi e ma-
método é associado ao de rotação ou ao nipulação correta, depende do estado da
de empurrar e elevar. doença. Assim, retiram-se imediatamen-
Para tonificar, deve-se inserir a agulha te as agulhas após a obtenção de Qi e ma-
com força e puxá-Ia com suavidade, ou gi- nipulação correta nas afecções agudas
rar a agulha, puxando o polegar para si nove como colapsos, choques, dores violentas,
vezes. Se não obtiver resposta, repetir esta espasmos e síncopes (a serem tratadas
manobra três vezes (3 x 9 = 27 vezes). com a finalidade de sedação) e mantêm-
Para sedar, deve-se inserir a agulha se as agulhas, após a obtenção de Qi, nas
com suavidade e puxá-Ia com força, ou doenças causadas por frio e deficiência,
girar a agulha, alongando o polegar diante com a finalidade de tonificação.
de si seis vezes. Se não conseguir disper- Naqueles casos em que não se conse-
sar a energia perversa, repetir a manobra gue obter o Qi, ou se deseja prolongar a
mais duas vezes (2 x 6 = 12 vezes)5. ação das agulhas de Acupuntura, assim
como em portadores de doenças crôni-
cas, debilitados, ansiosos, medrosos, nos
Manter a Agulha quais não se deve insistir muito em obter
no Acuponto o Qi, deve-se deixar a agulha no local
O tempo de permanência da agulha no durante 10 a 30min, até obter a sensação
acuponto sempre foi o motivo de muitas de Qi5,78.
controvérsias. Percebe-se o sucesso da tonificação
No Ocidente, a maior parte dos prati- pelo aparecimento de uma sensação de
cantes de Acupuntura é de adeptos à idéia calor ou plenitude sob a agulha, ao passo
de deixar a agulha por algum tempo, mas que o da sedação é percebido com o apa-
deve-se reconhecer que, comparando essa recimento de uma sensação de frio ou va-
técnica a ensinamentos clássicos, eles zio sob a agulha (a agulha fica solta e, às
manipulam pouco ou não manipulam a vezes, desprende da pele facilmente).
agulhas. Se, ao inserir a agulha no acuponto, a
Deve-se lembrar de que a obtenção de penetração da agulha for fácil, como se
Qi é sempre obrigatória e depois desta e estivesse perfurando a manteiga, deve-se 'D
da manipulação correta, pode-se retirar tonificar. Caso contrário, deve-se sedar. éi3
00
imediatamente a agulha5,78. A Tabela 1.3 resume o método de ~
N

Alguns textos antigos consideram que tonificação e sedação. ~


0\
'D
retirar a agulha, depois da obtenção de Qi, N
.).
representa uma tonificação e que mantê- Nota: para muitos autores a rotação
Ia no acuponto por mais tempo represen- da agulha no sentido horário é to-
ta dispersão. Mas a manutenção da agu- nificação e, no sentido anti-horário,
lha no acuponto por muito tempo pode é sedação.
AGULHAS DE ACUPUNTURA, INSERÇÃO, OBTENÇÃO DE Q/, TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO - 23 I

Tabela 1.3 - Resumo do método de tonificação e sedaçãos,78

Tonificação Sedação

"" Inserção e retirada Inserção lenta e retirada rápida Inserção rápida e retirada lenta
M
0\
-""
"?

N
Empurrar e elevar Empurrar a agulha com força
e elevar com suavidade
Empurrar a agulha com
suavidade e elevar com força
t-
.;.,
"? Penetrar e puxar
00
Penetrar a agulha em três Penetrar a agulha de uma só vez
t-
0\ etapas (Céu-Homem-Terra) e até o nível Terra e puxá-Ia em
puxá-Ia de uma só vez até o três etapas (Terra-Homem-
nível Céu Céu)

Inserção a favor da Ponta da agulha dirigida a favor Ponta da agulha dirigida contra
corrente e contra a da corrente de energia nos a corrente de energia nos
corrente canais canais

Rotação Movimento de rotação com Movimento de rotação com


pequena amplitude, da direita grande amplitude, da esquerda
para a esquerda, puxando o para a direita, alongando o
polegar para si polegar para adiante
Respiração Inserir a agulha no momento Inserir a agulha no momento
da expiração e retirar no da inspiração e retirar no
momento da inspiração momento da expiração
Abrir e fechar Ao retirar a agulha, comprimir Ao retirar a agulha, imprimir
o orifício imediatamente o orifício e o movi mento de balanço ou
massagear o local espiral, a fim de alargar o
orifício; não comprimir e nem
massagear
Nove-seis Os movimentos de empurrar- Os movimentos de empurrar-
elevar ou de rotação, devem elevar ou de rotação, devem
ser feitos nove vezes ou ser feitos seis vezes ou
3 x 9 = 27 vezes 2 x 6 = 12 vezes

Tonificação e Sedação Tonificação e Sedação


com Base na Lei dos Utilizando Acupontos do
Cinco Movimentos Próprio Canal de Energia
Esse método, se associado com tonifica-
Acuponto de Máxima
Concentração de Energia
ção ou sedação pela manipulação das agu-
lhas, é o ideal e muito eficaz porque colo- Cada canal de energia possui o seu acu-
ca em prática a utilização da lei dos cinco ponto de máxima concentração de energia.
movimentos de maneira sincrônica, regu- Esse acuponto faz parte do grupo de cinco
lando o Qi dos Canais de Energia e dos acupontos Su antigos que estão também re-
Zang-fu. lacionados às leis dos cinco movimentos78.
I24 - AGULHASDEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQ/, TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO

Por exemplo, o canal de energia do ficar ou sedar o Pulmão, basta escolher o


Pulmão pertence ao movimento Metal, as- acuponto próprio P 8 (Jingqu) e realizar
sim o acuponto Su antigo King, P 8 (Jingqu) manipulação em tonificação ou em seda-
é o acuponto Metal de máxima concentra- ção. Se desejar tonificar ou sedar o Intes-
ção de energia do Pulmão (Tabela 1.4)18. tino Grosso, basta eleger o IG 1 e realizar ~
O acuponto de máxima concentração manipulação para tonificação ou sedação ~
-.)
de energia também é conhecido como e, assim, sucessivamente. ~
'"
acuponto próprio17 e corresponde ao mes- 'D
IV
Acupontos Mãe/Filho .;.
mo movimento do canal a que pertence.
Por exemplo, o acuponto próprio do Intes- A lei de geração dos Cinco Movimentos
tino Grosso (movimento Metal) é IG 1
(Regra Mãe-Filho) pode ser utilizada para
(Shangyang), o acuponto Su antigo Ting tonificação e sedação (Tabela 1.5).
que corresponde também ao movimento Desse modo, o movimento Água gera
Metal.
o movimento da Madeira, o movimento
Assim, esses acupontos de máxima con- Madeira gera o do Fogo, o movimento Fogo
centração de energia podem ser utilizados gera o da Terra, o movimento Terra gera o
para tonificação ou sedação por meio das do Metal, o movimento Metal gera o da
técnicas de manipulação das agulhas. Água e assim sucessivamente. Nesse pro-
Essa é a forma mais simples de tonifi- cesso, o movimento Gerador se chama Mãe
cação e sedação. Assim, se desejar toni- e o movimento Gerado, Filho*.

Tabela 1.4 - Acupontos Su antigos de máxima concentração de energia e sua correspondência


com os Zang-fu

ÓrgãoNíscera Acupontos de Máxima Acupontos


(Zang-fu) Movimentos Concentração de Energia Su Antigos

Pulmão Metal P 8 Uingqu) King


Intestino Crosso Metal IC 1 (Shangyang) Ting
Estômago Terra E 36 (Zusanli) Ho
Baço-Pâncreas Terra BP 3 (Taibai) Yu
Coração Fogo C 8 (Shaofu) , Yong
Intestino Delgado Fogo ID 5 (Yanggu) King
Bexiga Água B 66 (Tonggu) Yong
Rim Água R 10 (Yingu) Ho
Circulação-Sexo Fogo CS 8 (Laogong) Yong
Tripo Aquecedor Fogo TA 6 (Zhigou) King
Vesícula Biliar Madeira VB 41 (Zulinqi) Yu
Fígado Madeira F 1 (Oadun) Yong

* Existe uma tendência em substituir a terminologia clássica utilizada na Medicina Tradicional Chinesa, mas isso
deve ser feito com cuidados para não descaracterizá-la.
AGULHASDEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQ/, TONIFICAÇÃO - 25
ESEDAÇÃO I

Tabela 1.5 - Acupontos de tonificação e sedação e sua relação com os Cinco Movimentos -
Regra Geradora (Mãe)/Gerado (Filho)

ÓrgãoNíscera Movimentos Tonificação Sedação

Pulmão Metal P 9 (Taiyuan) (Terra) P 5 (Chize) (Água)


Intestino Grosso Metal IG 11 (Quchi) (Terra) ID 2 (Chiangu) (Água)
Rim Água R 7 (Fuliu) (Metal) R 1 (Yongquan) (Madeira)
Bexiga Água B 67 (Zhiyin) (Metal) B 65 (Shugu) (Madeira)
Fígado Madeira F 8 (Ququan) (Água) F 2 (Xingjian) (Fogo)
Vesícula Biliar Madeira VB 43 (Xiaxi) (Água) VB 38 (Yangfu) (Fogo)
Coração Fogo C 8 (Shaofu) (Madeira) C 7 (Shenmen) (Terra)
Intestino Delgado Fogo ID 3 (Houxi) (Madeira) ID 8 (Xiaohai) (Terra)
Circulação-Sexo Fogo CS 9 (Zhongchong)(Madeira) CS 7 (Oaling)(Terra)
Triplo Aquecedor Fogo TA 3 (Zhongzhu) (Madeira) TA 10 (Tianjing) (Terra)
"<t
Baço-Pâncreas Terra BP 2 (Oadu) (Fogo) BP 5 (Shangqiu) (Metal)
N
'" Estômago Terra E 41 Uiexi) (Fogo) E 45 (Lidui) (Metal)
~
"<t
N
.-
.;,
~
00
.-
'" Cada canal de energia tem, dentro dos do Gerado), no caso de sedação, pois a ma-
cinco acupontos Su antigos, um que serve nipulação das agulhas nesses pontos é mui-
para tonificação e outro para sedação. Por to dolorosa e, às vezes, impossívell7.
exemplo, o acuponto P 9 (Taiyuan) (Ter- Por exemplo, o B 67 (Zhiyin) (Metal),
ra) é o de tonificação do Pulmão, porque acuponto Ting do canal da Bexiga com o
o movimento Terra gera o Metal. A lei de qual se pretende tonificar a Bexiga, deve
geração obedece ao princípio de que o ser substituído pelo acuponto "avó", B 40
Gerador (Mãe) sempre auxilia o Gerado (Weizhong) (Terra). O E 45 (Lidui) (Metal),
(Filho). Então, tonificar o Gerador (Mãe), acuponto Ting do canal do Estômago, com
tonifica o Gerado (Filho). Já o acuponto o qual se pretende sedar o Estômago, deve
P 5' (Chize) (Água) é o de sedação, pois o ser substituído pelo acuponto "neto", E 44
movimento Água é o Gerado do Metal. (Neiting) (Água).
Ao se sedar o Gerado (Filho), seda-se o
Gerador (Mãe), pois o enfraquecimento
do Gerado (Filho) faz o Gerador (Mãe) Tonificação e Sedação -
ceder sua energia para suprir o desgaste Utilização de Acupontos de
do Gerado (Filho), com isso ocorre a seda- Outros Canais de Energia de
ção da progenitora78. acordo com a Regra Gerador
Se os acupontos escolhidos para tonifi- (Mãe)/Gerado (Filho)
cação ou sedação forem os acupontos Ting
da extremidade dos dedos da mão ou do pé,
Tonificação Indireta
eles devem ser substituídos pelo acuponto
"avó" (Gerador do Gerador), no caso de Em vez de se tonificar o acuponto do pró-
tonificação e pelo acuponto "neto" (Gerado prio canal de energia afetado, tonifica-se
126 - AGULHASDEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQJ,TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO

o acuponto Gerador (Mãe) do outro canal nal de energia do Rim (movimento Água),
de energia, que também é Gerador (Mãe) que também é Gerado (Filho) do Metal (Ta-
do canal de energia afetado. bela 1.6).
Por exemplo, na deficiência de ener-
gia do Pulmão (movimento Metal), toni-
ficar o BP 3 (Taibai), que é o acuponto Tonificação e Sedação pela
pertencente ao movimento Terra, Gerador Utilização Conjunta da Lei
(Mãe) do Metal que se encontra no canal dos Cinco Movimentos
de energia do Baço-Pâncreas (movimen-
to Terra), que também é Gerador (Mãe) Esse método foi muito utilizado pelo Dr.
do Metal (Tabela 1.6). Sorei Yanagiya, que aplica as leis de ge-
ração e dominância78 em conjunto, nos
tratamentos das enfermidades43.
Sedação Indireta Os acupontos Su antigos (Tabela 1.7)
Em vez da sedação do acuponto do pró- são utilizados de maneira conjunta para
prio canal de energia afetado, faz-se a tonificação e sedação, obedecendo as leis
sedação do acuponto Gerado (Filho) do dos cinco movimentos, a fim de se obter
outro canal de energia, que também é Ge- um resultado terapêutico mais eficaz.
rado (Filho) do canal de energia afetado. Por exemplo, no vazio do pulso do
Por exemplo, no caso de excesso de Estômago com hipoatividade desta víscera
energia do Pulmão (movimento Metal), (Fu), acompanhada de hipossecreção gás-
sedar o R 10 (Yingu), o acuponto perten- trica, digestão lenta e retenção de alimen-
cente ao movimento Água, que é Gerado tos no estômago, o seguinte procedimento
(Filho) do Metal, o qual se encontra no ca- é útil para corrigir esse distúrbi043.

Tabela 1.6 - Tonificação e sedação com acupontos de outros canais de energia


'-D
-J
00
Deficiência/Órgãos Tonificação Excesso/Órgãos Sedação 00
v.

Pulmão BP 3 (Terra) Pulmão R 1 O (Água) -a.,..


N

Rim P 8 (Metal) Rim F 1 (Madeira) '-D


N
.j,.
Fígado R 10 (Água) Fígado C 8 (Fogo)
Coração F 1 (Madeira) Coração BP 3 (Terra)
Circulação-Sexo F 1 (Madeira) Circulação-Sexo BP 3 (Terra)
Baço-Pâncreas C 8 (Fogo) Baço-Pâncreas P 8 (Metal)
Intestino Crosso E 36 (Terra) Intestino Crosso B 66 (Água)
Bexiga IC 1 (Metal) Bexiga VB 41 (Madeira)
Vesícula Biliar B 66 (Água) Vesícula Biliar ID 5 (Fogo)
Intestino Delgado VB 41 (Madeira) Intestino Delgado E 36 (Terra)
Triplo Aquecedor VB 41 (Madeira) Triplo Aquecedor E 36 (Terra)
Estômago ID 5 (Fogo) Estômago IC 1 (Metal)
AGULHASDEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQ/, TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO
- 27 i

Tabela 1.7 - Tonificação e sedação com acupontos de outros canais de energia

Hipoativo Hiperativo

Órgãos/Vísceras Tonificação Sedação Sedação Tonificação

Pulmão P9 BP 3 P10 C8 P5 R10 P10 C8


Intestino Crosso IC 11 E 36 IC 5 ID 5 IC 2 B 66 IC 5 ID 5
Rim R7 P8 R3 BP 3 R1 F1 R3 BP 3
Bexiga B 67 IC 1 B 40 E 36 B 65 VB 41 B 40 E 36
Fígado F8 R10 F4 P8 F2 C8 F4 P8
Vesícula Biliar VB 43 B 66 VB 44 IC 1 VB 38 ID 5 VB 44 IC 1
Coração C9 F1 C3 R10 C7 BP 3 C3 R10
Intestino Delgado ID 3 VB 41 ID 2 B 66 ID8 E 36 ID 2 B 66
Circulação-Sexo CS 9 F1 CS 3 R10 CS 7 BP 3 CS 3 R10
Triplo Aquecedor TA 3 VB 41 TA 2 B 66 TA 10 E 36 TA2 B 66
Baço-Pâncreas BP 2 C8 BP 1 F1 BP 5 P8 BP 1 F1
Estômago E 41 ID 5 E 43 VB 41 E 45 IC 1 E 43 VB 41

. O canal de energia do Estômago per- cente ao movimento Madeira, que,


tence ao movimento Terra que deve nesse caso éVB 41 (Zulinqi), pela ini-
ser tonificado pela aplicação da lei bição da dominância, permite-se for-
dos cinco movimentos. O acuponto talecer o Estômago.
Su E 41 (Jiexi) deve ser escolhido
.,;-
N
0\ para tonificação, pois pertence ao Em outro exemplo de plenitude do pul-
"?
~ movimento Fogo que é a Mãe (Gera- so do Estômago com hiperatividade dessa
N
t- dora) da Terra. A tonificação da Mãe víscera (Fu), como acontece em casos de
.;.,
o<p (Geradora) tonifica o Filho (Gerado) hipersecreção de suco gástrico, resultan-
00
t-
0\
. (Tabela 1.7). do em gastrite, úlcera gástrica ou duodenal,
. O acuponto Fogo do canal de energia o seguinte procedimento normalmente
corrige o distúrbi043:
do movimento Fogo, regido pelo Yang,
ou seja, ID 5 (Yanggu), também deve
ser tonificado, a fim de se tonificar o . O canal de energia do Estômago per-
movimento Fogo. tence ao movimento Terra, que deve ser
. Se o acuponto Su E 43 (Xiangu), per-
tencente ao movimento Madeira, for
sedado pela aplicação da lei dos cinco
movimentos. O acuponto Su E 45
sedado, ele permite fortalecer o Estô- (Lidui) deve ser escolhido para sedação,
mago, uma vez que inibe o domínio pois pertence ao movimento Metal que
do movimento Madeira dentro do pró- é o Filho (Gerado) da Terra (Gerado-
prio canal do Estômago. ra). A sedação do Filho (Gerado), seda
. A Vesícula Biliar (Madeira) domina o a Mãe (Geradora) (Tabela 1.7).
Estômago (Terra). Ao sedar-se a Ve- . Também o acuponto Metal do canal
sícula Biliar pelo acuponto Su, perten- de energia do mesmo movimento
I 28 - AGULHAS
DEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQ/, TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO

(Metal), regido pelo Yang, ou seja, IG 1 nado canal principal de energia encontra-
(Shangy.ang), deve ser sedado para se com a circulação de Qi em máxima in-
dispersar a plenitude (o excesso) de tensidade (Tabela 1.8). '-D
energia do movimento Terra. Por exemplo, no intervalo entre 3h e ~
. Se o acuponto Su E 43 (Xiangu) per-
tencente ao movimento Madeira for
5h o canal principal de energia do Pulmão
encontra-se com a circulação de energia
00

~
t
tonificado, ocorre a sedação, uma vez em máxima intensidade (Tabela 1.8). §
que ele domina o próprio movimento No Ling Shu, Capítulo 1, está escrito: .;.
Terra dentro do canal do Estômago43.
. A Vesícula Biliar (Madeira) domina o
(...) no momento de realizar a
Acupuntura, é preciso, conforme o vazio
e a plenitude, tonificar ou sedar73. Em
Estômago (Terra). Deve-se tonificar a
Vesícula Biliar pelo acuponto Su per- outras palavras, isso significa que o
melhor momento para sedar ou dispersar
tencente ao movimento Madeira, que, é quando o canal se encontra em
no caso é o VB 41 (Linqui do pé), pela plenitude e o melhor momento para
lei da dominância, sedando o Estôma- tonificar é quando o canal está vazio.
go que se encontra em hiperatividade.
Assim, de acordo com a lei do meio-
dia e da meia-noite, o melhor para o Pul-
Seguindo esse raciocínio, temos a Ta-
mão em plenitude é inserir a agulha no
bela 1.7, na qual se resume o que deverá
acuponto P 5 (Chize) no intervalo entre
ser realizado em cada circunstância.
3h e 5h, quando o canal de energia do Pul-
Observa-se que, entre os quatro acu-
mão se encontra com a circulação de Qi
pontos que devem ser estimulados para em máxima intensidade (Tabela 1.8). Em
tonificar ou sedar um órgão ou uma vís- contrapartida, o melhor para tonificar o
cera, está o próprio acuponto de tonifica- vazio do Pulmão é inserir a agulha no
ção ou sedação deste órgão ou víscera. acuponto P 9 (Taiyuan), no horário entre
Os resultados terapêuticos, após a uti- 5h e 7h, intervalo em que o canal de ener-
lização desse método, são bastante con- gia do Pulmão se encontra com a circula-
vincentes, o que já era esperado, pois uti- ção de Qi diminuída.
lizam os cinco movimentos em sincronia. Mas, na prática, os intervalos que coin-
Esse método também é amplamente cidem com a noite e a madrugada são inviá-
utilizado na Acupuntura Constitucional. veis. Para resolver esse impasse, deve-se
inserir a agulhapo acuponto próprio ou na
fonte durante o dia (Tabela 1.8).
Tonificação e Sedação com
Base na Lei do Meio-dia
e da Meia-noite Tonificação e Sedação
com Base na Regra
Na China antiga, o dia era dividido em 12 Interior-Exterior
intervalos de 2h49. Essa divisão é utiliza-
da ainda hoje pela lei do meio-dia e da Esse método baseia-se nos dois dos oito
meia-noite, pois a cada 2h, um determi- princípios, Interior (Li) e Exterior (Biao),
978-85-7241-692-4

Tabela 1.8 - Tonificação e sedação com base na lei do meio-dia e da meia-noite; utilização de acupontos próprios ou fontes

Horáriode Tonificação Sedação


Cinco Máxima Acuponto Horário Acuponto Horário Acuponto Acunponto »
C'J
Canais Movimentos Energia Mãe Ideal Filho Ideal Próprio Fonte c
I
»
v-.
Pulmão Metal 3h - Sh P9 Sh - 7h PS 3h - Sh P8 P9
Intestino Grosso Metal sh - 7h IG 11 7h - 9h IG2 sh - 7h IG 1 IG4 n»c
"c
Estômago Terra 7h - 9h E 41 9h - 11 h E 4S 7h - 9h E 36 E 42 z--i
11h -13h BP S 9h - 11 h BP 3 BP 3 c
Baço-Pâncreas Terra 9h - 11 h BP 2
Coração Fogo 11h - 13h C9 13h-1Sh C7 11h-13h C8 C7
AJ
Intestino Delgado Fogo 13h - lsh ID 3 lSh - 17h ID8 13h - lsh ID S ID4 on
»,
_o
Bexiga Água lsh - 17h B 67 17h - 19h B 6S lSh - 17h B 66 B 64 o
R3 --i
""

Rim Água 17h - 19h R7 19h-21h R1 17h - 19h R10 Z


on
19h-21h CS 9 21 h - 23h CS 7 19h-21h CS 8 CS 7 »,
Circulação-Sexo Fogo o
Triplo Aquecedor Fogo 21h-23h TA3 23h - 1h TA 10 21h-23h TA 6 TA4
Vesícula Biliar Madeira 23h - 1h VB 43 1h - 3h VB 38 23h - 1h VB 41 VB 40 --i
oz
Fígado Madeira 1h - 3h F8 3h - Sh F2 1h - 3h F1 F3
on
»,
o
v-.

on
»,
o
I
N
\O
I 30 - AGULHASDEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQ/,TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO

que consistem em combater a doença do Yang (ouro). Entretanto, a prática daAcu-


interior tratando o exterior ou vice-versa. puntura na Europa, como no Extremo
Por exemplo, na deficiência de ener- Oriente, conforme mencionado por Dumi-
gia do Pulmão (Interior), escolher o trescu20, provaram de uma maneira extre-
acuponto com movimento Terra do canal mamente convincente que o resultado te-
de energia do Intestino Grosso (Exterior), rapêutico da Acupuntura é devido ao
que é o IG 11 (Quchi); no excesso de ener- estímulo mecânico produzido pela inser-
gia do Pulmão (Interior), escolher o ção e manipulação das agulhas, indepen-
acuponto com movimento Água do canal dentemente da natureza dos metais com
de energia do Intestino Grosso (Exterior), os quais são fabricadas.
que é o IG 2 (Erjian) (Tabela 1.9). A concepção da Medicina Tradicional
Chinesa de que a agulha de ouro pode to-
nificar e a agulha de prata pode sedar fica
Tonificação e Sedação com mais controvertida ao se consultar os tra-
Base na Natureza do Metal balhos de Ye Xinqing (1908-1969), citado
da Agulha por Youbang & Liangyue79, que utilizava
com habilidade a agulha de ouro para dis-
Quantoà natureza dos metais com os quais persar, em combinação com ervas diver-
as agulhas são fabricadas, cabem algumas sas para tonificar, o que faz pensar que o
considerações, embora haja uma certa ouro não serve somente para tonificar.
polêmica. Segundo Soulie De Morant63, em re-
De acordo com a concepção da Medi- ferência do tipo de metal que constitui a
cina Tradicional Chinesa, o ouro e a prata agulha de Acupuntura: "não escapava aos
têm propriedades diferentes que se tradu- chineses antigos a importância do tipo de
zem por uma ação do tipo Yin (prata) e metal."

Tabela 1.9 - Tonificação e sedação pela regra interior-exterior


'D
-J
00
Deficiência Tonificar Excesso Sedar 00
V1
.c.,
N
Pulmão IC 11 (Terra) Pulmão IC 2 (Água) t
Rim Rim o,
B 67 (Metal) B 65 (Madeira) 'D
N
.;.
Fígado VB 43 (Água) Fígado VB 38 (Fogo)
Coração ID 3 (Madeira) Coração ID 8 (Terra)
Circulação-Sexo TA 3 (Madeira) Circulação-Sexo TA 10 (Terra)
Baço-Pâncreas E 41 (Fogo) Baço-Pâncreas E 45 (Metal)
Intestino Crosso P 9 (Terra) Intestino Crosso P 5 (Água)
Bexiga R 7 (Metal) Bexiga R 1 (Madeira)
Vesícula Biliar F 8 (Água) Vesícula Biliar F 2 (Fogo)
Intestino Delgado C 9 (Madeira) Intestino Delgado C 7 (Terra)
Triplo Aquecedor CS 9 (Madeira) Triplo Aquecedor CS 7 (Terra)
Estômago BP 2 (Fogo) Estômago BP 5 (Metal)
AGULHASDEACUPUNTURA,
INSERÇÃO,
OBTENÇÃO
DEQ/, TONIFICAÇÃO
ESEDAÇÃO
- 31 I

As agulhas são as sucessoras das pun- tência elétrica dos acupontos, mas não ob-
ções de pedra (Bianshi), porém estas não servou diferenças em relação ao fato de se-
tinham a energia própria do metal, que era rem metais diferentes30. Entretanto, quando
exigida pelo Imperador Amarelo Huang contatou um estilete feito em ouro num acu-
Di (2698-2598 a.C.). ponto proximal (no início de um canal de
'1"
Segundo Soulie De Morant63, o tipo energia) e um segundo estilete feito de prata
~ de metal tem uma importância que às vezes no acuponto distal (no final de um canal de
~ parece inegável. Assim, em uma dor lom-
'1" energia), ele verificou que esse procedimen-
~ bar com irradiação bilateral, puncionando
if) to aliviava a dor causada por pressão exer-
:;bo lado esquerdo com uma agulha de prata cida entre os estiletes. A inversão da posi-
S; e o lado direito com uma agulha de ouro, a ção dos estiletes era incapaz de aliviar a dor.
dor, no lado esquerdo, desapareceu e, no O metal da agulha exerce certa in-
lado direito, apenas aliviou. Retirando a fluência que pode ser comprovada pelo
agulha de ouro e substituindo-a por outra exame do pulso e também pelo relato do
de prata, no mesmo acuponto, a dor do lado paciente. Afinal, a sabedoria dos antigos
direito também desapareceu imediatamen- chineses não deve ser desprezada e não é
té3. Quase sempre as agulhas de ouro são por acaso que entre as nove agulhas anti-
retidas por mais tempo do que as de prata gas de Acupuntura encontradas na provín-
as quais entortam no momento da punção cia de Hebei, no ano de 1969, no túmulo
e ficam soltas depois de 1 ou 2min63. Príncipe Liu-Shen, da Dinastia Han do
Se tivermos que calcular a diferença, Oeste (11século a.c.), cinco eram de pra-
devemos dizer que o ouro tonifica cerca ta e quatro eram de ouro com cabo qua-
de 10 a 20% a mais do que um metal neu- drado e orifício transversal. As agulhas de
tro (aço e platina) e que a prata dispersa ouro estão intactas até hoje.
cerca de 10 a 20% a mais do que o metal A teoria sobre tonificação e sedação é
neutro. Se realmente existe essa diferen- muito complexa e controvertida. A maio-
ça, por que não utilizar esses recursos, as- ria dos praticantes afirma que a estimu-
sociando-os às técnicas de manipulação? lação leve, após a inserção da agulha e sua
Segundo Soulie De Morant63, o mais manutenção no acuponto por mais tempo
tonificante dos metais é o cobre vermelho, (acima de 15min) é tonificação. Um estí-
porém oxida instantaneamente em conta- mulo forte, após a inserção e retirada da
to com a pele. Segue o ouro como tonifi- agulha, depois da obtenção da sensação
cante, mas a prata é o mais antitérmico, de Qi, é sedação.
analgésico e descongestionante de todos. O Dr. Yang Runrning, chefe do Depar-
O zinco tem ação calmante muito pronun- tamento de Acupuntura do Hospital Xiyuan,
ciada nos estados nervosos. O ferro parece dando ênfase aos métodos de tonificação e
verdadeiramente neutro. A platina e o ní- sedação, comenta que se devem combinar
quel parecem neutros ou pouco calmantes. os métodos de girar, torcer, puxar e empur-
O ouro e a prata ainda possuem poder rar com os de tonificação e sedação. Assim,
microbicidas (efeito oligodinâmico). quando se gira o cabo da agulha no sentido
O Dr. Yoshio Manaka utilizou agulhas horário faz-se tonificação e no sentido an-
de ouro e prata na tentativa de medir a resis- ti-horário, sedaçã079.
132 - AGULHAS DE ACUPUNTURA, INSERÇÃO,OBTENÇÃO DE Q/, TONIFICAÇÃO E SEDAÇÃO

o êxito do tratamento não depende de êxito no tratamento. Existem acupontos


apenas da tonificação ou da sedação bem com tendência à tonificação, como VC 4
feita, nem do tipo de metal da agulha, mas (Guanyuan), VC 6 (Qihai), VC 12 (Zhong-
de um conjunto de procedimentos. wan) e acupontos com tendência à sedação,
Em primeiro lugar é preciso estabele- como E 45 (Lidui), P 11 (Shaoshang), C 7
cer o diagnóstico correto por meio dos exa- (Shenmen), etc17. Nesse grupo ainda po-
mes de pulso, de língua, etc. e definir se há dem ser incluídos os acupontos extras, com
plenitude ou deficiência. Conforme Dan 17, características e indicações para as enfer-
o diagnóstico correto já representa 50% ou midades diagnosticadas, a fim de aumen-
mais de êxito no tratamento. tar ainda mais os efeitos terapêuticos.
Em segundo lugar, a manipulação cor- Ainda, segundo Dan 17,o médico deve
reta (tonificação ou sedação) representa concentrar sua mente em suas mãos e o '"
em torno de 25% de êxito no tratamento. paciente deve concentrar a mente no local ~
00

Há profissionais que não manipulam a da enfermidade. Esse procedimento au- ~


agulha após a inserção, mas se elas estão menta o efeito terapêutico, uma vez que t
inseri das corretamente nos acupontos in- movimenta o Qi para a região enferma ou §
dicados, de acordo com o diagnóstico, o dipersa o Qi perverso. ~
tratamento é eficiente, pois os acupontos A Fitoterapia, a alimentação correta,
têm efeito de auto-regulação. o controle do estresse, a recreação, a hi-
Em terceiro lugar, a característica do giene mental, os exercícios físicos, a mas-
acuponto escolhido de acordo com o sagem, a prática de Tai Chi Chuan ou de
diagnóstico correto representa mais 25% Qi Cong, devem fazer parte do tratamento.
.9Lcupunturano.9L6dome 2
Para realizar o tratamento, o desenvolvimento do diagnóstico pelo abdome
é, sem dúvida, tão antigo que tem bases no Clássico das Dificuldades (Nan
Ching)27,42.
Na dinastia Han (206 a.C.-220), era utilizada a palpação abdominal
como parte do diagnóstic027. Os japoneses importaram a Medicina Tradi-
cional Chinesa durante a dinastia Han e adaptaram as técnicas de acordo
com necessidades, circunstâncias e condições culturais da época27. Uma
~ dessas técnicas foi o diagnóstico e o tratamento realizados no próprio ab-
~ dome.
~
r- Os autores Kiiko Matsumoto e Stephen Birch, citados por Gardner-
~ Abbate27 mencionam que a palpação abdominal também era usada na di-
~ nastia Ming (1368-1643); na China não era dada tanta importância à prática
da Medicina Interna da época. Mas, no Japão, na mesma época, os conhe-
cimentos clássicos importados, inclusive o diagnóstico abdominal, eram
largamente aplicados na prática.
Em 1685, o acupunturista Mubunsai publicou Coleção de Acupuntura
Secreta; sustentou que, examinar o abdome e tratar diretamente os acupontos
ali existentes, era suficiente para curar nove das dez doenças27.
Acupunturistas e fitoterapeutas japoneses do século XVII deram um
grande impulso ao desenvolvimento do método de diagnóstico pela palpa-
ção do abdome, no qual o tratamento também era realizado no próprio
abdome.
Yoshimatsu Todo, o mais influente acupunturista da escola neoclássica
japonesa, que ficou famoso pelos seus achados abdominais para o diagnós-
tico e também por sua obra Medicina Definitiva (Idam), em 1752, afirmou:
"o abdome é afonte da vida e milhares de doenças têm suas raízes nele"27.
O abdome, ou hará para os japoneses, é a moradia do Qi, a força da vida
dos órgãos e vÍsceras.
KikuchP5, ao chamar a atenção sobre o diagnóstico abdominal, des-
creve que quase todas as doenças encontram raÍzes no abdome. Nele estão
as raÍzes da vida e o autor compara o sistema digestório (Estômago e Intes-
I34 - ACUPUNTURA
NOABDOME

tinos) com as raízes das plantas. De fato, A temperatura da pele do abdome é


essa comparação é muito interessante, pois muito importante. Se a sua superficie é fria,
as plantas absorvem os nutrientes direta- há deficiência de Yang ou houve penetra-
mente da terra, por suas raízes, e os ani- ção do frio.
mais absorvem os nutrientes dos alimen- Todos esses achados semiológicos
tos oriundos da terra pelos intestinos. descritos podem ser detectados por meio
A palpação é um dos melhores e mais de palpação, inspeção e percussão.
profícuos métodos de exploração do ab- Neste capítulo serão abordadas algumas
dome, o que é válido tanto para a Medici-
técnicas de AcupunturaAbdominalI6,27,36,42
na Ocidental como para a Oriental.
cujos resultados são excelentes e que po-
De acordo com a Medicina Tradicional
dem ser utilizadas isoladamente ou como
Chinesa, o abdome dolorido, que é alivia-
complemento da Acupuntura Clássica.
do com a pressão, é causado por deficiên- Por serem muito eficazes e como não
cia, e o abdome dolorido, que é agravado
são encontradas na maioria dos livros-
com a pressão, decorre de excess02,77.
texto de Acupuntura, torna-se necessário
Um abdome dilatado, cuja pele está
esticada "como um couro de um tambor", registrar, pelo menos, um resumo, neste
livro.
é causado por estagnação de Qi (meteo-
rismo)l.
Se o abdome é dilatado "como odre
cheio de água", com oligúria e retenção Acupuntura Abdominal
de urina, é causado por coleção de líquido com Base no Ba-guá 16
na cavidade (ascite)l.
Se o abdome estiver dolorido ao re- O abdome é uma parte do corpo muito im-
portante em cuja cavidade estão alojados
dor do umbigo e houver massas endureci-
das no lado esquerdo dele, pode se tratar
os sistemas digestórios, urinário e genital. ~
de "prisão de ventre"2.
De acordo com a teoria da Medicina ~
--.)

Um acúmulo no abdome, duro à pres- Tradicional Chinesa, o abdome possui t


são, mas móvel e intermitente, principal- duas partes, uma superior (jiaa ou aque- §
mente em crianças, pode ser de acúmulo cedor médio) e outra inferior (jiaa ou ./.
de vermes2. aquecedor inferior) e o limite entre essas
Massas duras imóveis no interior do duas partes é a linha horizontal que passa
abdome, com dor em local fixo, indica a pelo umbigo. O jiaa superior, ou aquece-
estagnação de sangue77. Nesse caso deve- dor superior, está localizado no tórax.
se investigar também a possibilidade de No abdome encontramos a maioria
um tumor. dos acupontos Ma Frontal dos órgãos e
Se as massas são moles e móveis (mas- vísceras (Zang-fu), que tanto servem para
sas intermitentes e indefinidas), com do- o diagnóstico como para o tratamento das
res, indicam a estagnação de Qi77. enfermidades de cada um dos órgãos e
O abdome retraído ou escavado, como vísceras correspondentes.
visto em pessoas idosas, decorre de defi- Na Medicina Oriental o abdome é tão
ciência de Qi. importante, quanto o Sistema Nervoso
Central (o cérebro). Um agente externo,
como o frio ou a umidade, pode atacar a
superfície abdominal e penetrar-lhe,
afetando órgãos e vísceras e causando
doenças.
Devido à grande importância do ab-
dome, na China existe um termo espe-
cial que indica: "Intestino-Cérebro" (abdo-
me) e "Crânio-Cérebro" (cabeça)16.
3111
.+--.
.~ --~."
~
NOABDOME-
ACUPUNTURA

5
2

1117
35 ,

Se a energia perversa pode penetrar


pelos acupontos existentes na superfície
do abdome, ela pode ser eliminada pelos
mesmos acupontos. Assim surgiu a Acu-
,. puntura Abdominal, que serve tanto para
~ eliminar a energia perversa como para
\D
1. Água (Kan)
2. Terra (Kun)
-- 6. Céu (Qian)
7. Lago (Dui)
;;
N
regular a função dos órgãos e vísceras 3. Trovão (Zhen) 8. Montanha (Cen)
J; (Zang-fu) dos Canais e Colaterais. 4. Vento (Xun) 9. Fogo (Li)
5. Ponto de cruzamento das
t-
d; A AcupunturaAbdominal com base no oito direções cardinais
0\ Ba-guá (céu posterior), ou oito trigramas
básicos de Rei Weng Wang e Duque Chou FIGURA2.1 - Ba-guá (céu posterior).
(Fig. 2.1), é muito eficaz para tratar doenças
crônicas e síndromes de deficiência. Para
certas doenças crônicas que não respondem \" 'J! ;
a outras técnicas de Acupuntura, deve ser
experimentada a Acupuntura Abdominal.
Para entender melhor a Acupuntura
Abdominal com base no Ba-guá deve-se ;;
1
transportar as oito direções cardinais do \\ j ~
I(/ /
<g
Ba-guá (ou Pa-kuá) sobre o abdome (Fig. . A ",,- ./
2.2). O ponto de cruzamento das oito di- VC 12
reções cardinais deve coincidir com o
E 24 .. 8

E 24
umbigo, no acuponto VC 8 (Shenque). O
fogo (Li) coincide com o VC 12 (Zho,ng-
8~=~t
~"I/~
j

BP 15 83 1.11-
wan), a água (Kan) com o VC 4 (Gua- 5-11178BP 15
/1"
nyuan), o trovão (Zhen) com o BP 15 (Da-
hen) direito, o lago (Dui) com o BP 15 E26
.t>55~8
1 E26

~
(Dahen) esquerdo, o vento (Xun) com o
E 24 (Huaroumen) direito, a terra (Kun)
com o E 24 (Huaroumen) esquerdo, a
montanha (Gen) com o E 26 (Wailing) di-
FIGURA2.2 - As oito direções cardinais do Ba-
reito e o céu (Qian) com o E 26 (Wailing) guá sobre o abdome. BP = Baço-Pâncreas;
esquerdo (Fig. 2.2). E = Estômago; VC = Vaso da Concepçâo.
I 36 - ACUPUNTURA NO ABDOME

Seleção de Acupontos do (Guanyuan), R 17 (Shangqu) e R 13 (Qi-


xue), para tratar as doenças do Baço e dos
Abdome para o Tratamento Rins. Para as doenças do Baço pode-se,
Há basicamente duas maneiras de sele- ainda, selecionar o acuponto BP 15 (Da-
cionar os acupontos do abdome para o tra- heng).
tamento.

Métodos de Agulhamento
Com Base na Localização
Agulhamento das
da Doença TrêsEstrelas, em Seqüência
Deve-se observar o desenho do Ba-guá so- Utilizado para as doenças que afetam uma
bre o abdome (ver Fig. 2.2) e selecionar os grande extensão dos membros, como bra-
acupontos de acordo com a localização da quialgia. A partir do acuponto E 24 (Hua-
doença. roumen), do mesmo lado da dor, inserir
Por exemplo, selecionar oVC 12 (Zhon-
três agulhas em seqüência (Fig. 2.3). ~
gwan) e os acupontos ao redor dele para
tratar as doenças relacionadas à cabeça.
Quanto maior a extensão da dor ou sua ir- ~
radiação no membro, maior será a distân- g
Outro exemplo é selecionar o VC 4
cia entre as três agulhas. é;
N
(Guanyuan) e os acupontos ao redor ou pró- .):.
ximos a ele para tratar as doenças dos Rins,
da Bexiga, do útero, do ovário, etc. Agulhamento em Flor
Para tratar as doenças dos membros su- de Ameixeira
periores deve-se selecionar o E 24 (Huarou-
men) direito ou esquerdo e os acupontos Utilizado para as doenças de evolução mais
situados ao redor ou próximos a ele; o trata- longa (crônica), como crises de cefaléia que
mento deve ser feito homolateralmente. Em se estendem por um longo período. Nesse
casos agudos, como dor no membro supe- caso, deve-se inserir uma agulha no VC 12
rior direito, pode-se tratar.o E 24 (Hua- (Zhongwan) e, ao redor dele, inserir mais
roumen) e os acupontos ao redor dele, bila- quatro agulhas, em forma de cruz (Fig. 2.4).
teralmente.
Para tratar as doenças dos membros E 24 (Huaroumen)
inferiores; deve-se selecionar o E 26 (Wai-
ling) direito ou esquerdo e os acupon-tos
I.
.
situados ao redor ou próximos a ele, de-
pendendo do lado afetado.
.
Com Base na Teoria dos
Órgãos e Vísceras (Zang-fu)
Por exemplo, selecionar VC 12 (Zhong- FIGURA2.3 - Método de agulhamento das três
wan),VC 10 (Xiawan),VC 6 (Qihai),VC 4 estrelas, em seqüência.
ACUPUNTURA
NO ABDOME- 37 I

.
. .. /
VC 12 (Zhongwan)
Profundidade
das Inserções
As agulhas são inseridas perpendicular-
mente à superfície do abdome e podem ser
utilizados três níveis de profundidade:

. Superficial (Céu).
. Intermediário (Homem).
. Profundo (Terra).

FIGURA2.4 - Método de agulhamento em flor


de ameixeira. De maneira geral, inserir a agulha
mais superficialmente para tratar as doen-
ças agudas e mais profundamente para tra-
As cinco agulhas representam as cinco pé- tar as doenças crônicas.
talas da flor de ameixeira.
Não há necessidade de realizar as ma-
nipulações requeridas nas outras técni-
cas de Acupuntura, nem é necessária a
Agulhamento Triangular
obtenção da sensação de agulhamento, a
Utilizado para tratar doenças localizadas chegada de Qi, etc.
numa área restrita do corpo, por exemplo, Segundo Wen (1999), acertar a pro-
ombralgia direita. fundidade de acordo com a doença, é mais
Inserir uma agulha no E 24 (Huarou- importante. Na China há um ditado que
men) e, ao seu redor, inserir mais três afirma: "uma diferença de milímetros no
-.,j-
agulhas, formando um triângulo (Fig. início pode significar uma diferença de
~
'D 2.5). As agulhas ao redor do acuponto quilômetros no final."
:;
N
principal aumentam o efeito terapêutico
J; desse acuponto.
"'i'
00
r--
~ Combinações mais
./
E 24 (Huaroumen)

.-.
Usadas de Acupontos
do Abdome
. Combinação Céu-Terra: VC 12
(Zhongwan) e VC 4 (Guanyuan) -
essa é a combinação básica; tonifica a
energia adquirida, ancestral. A inser-
ção de agulhas nesses acupontos to-
nifica o Baço e os Rins, respectiva-
FIGURA 2.5 - Método de agulhamento trian- mente; muito indicada para os casos
gular. de síndrome de deficiência.
I 38 - ACUPUNTURA
NOABDOME

. Combinação Céu-Terra reforçada:


VC 12 (Zhongwan), VC 10 (Xiawan),
Exemplos de Tratamentos
VC 6 (Qihai) e VC 4 (Guanyuan) -
de Algumas Enfermidades
essa combinação é igual à anterior, Seqüela de Acidente Vascular
mas é reforçada com o VC 10 (Xia- Cerebral16
wan), que potencializa a função do
VC 12 (Zhongwan), e com o VC 6 . VC 12 (Zhongwan), VC 10 (Xiawan),
(Qihai), que potencializa a função do VC 6 (Qihai) e VC 4 (Guanyuan):
VC 4 (Guanyuan). A inserção de agu- constituem a combinação Céu-Terra
lhas nesses acupontos também tonifi- reforçada para tratar síndrome de defi-
ca o Baço e os Rins; é mais indicada ciência grave.
para tratar síndromes de deficiência . E 24 (Huaroumen): agulhamento das
grave, como seqüelas de acidente vas- três estrelas, em seqüência, homola-
cular cerebral. teralmente e, se for grave, bilateral-
. Combinação dos quatro portões do
abdome: E 24 (Huaroumen) e E 26
mente. Trata síndromes parestésicas e
paréticas dos membros superiores.
(Wailing) direito e esquerdo, respecti- . E 26 (Wailing): agulhamento das três
vamente - essa combinação remove estrelas, em seqüência, homolateral-
a estagnação de Qi e sangue; muito mente e, se for grave, bilateralmente.
indicada para tratar síndrome Bi dos Serve para tratar síndromes pares-
membros superiores e inferiores, se- tésicas e paréticas dos membros infe-
qüelas de acidente vascular cerebral nores.
e outras síndromes parestésicas e . R 17 (Shangqu) e R 13 (Qixue): agu-
paréticas. lhamento cruzado. Por exemplo, no
. Combinação de acupontos bilaterais: caso do acidente vascular cerebral
isquêmico (AVCi) com hemiplegia do
BP 15 (Daheng) bilateralmente, E 25
(Tianshu) bilateralmente e E 26 lado esquerdo: tratar R 17 (Shangqu)
(Wailing) bilateralmente - essa com- homolateralmente e R 13 (Qixue) con-
binação permite regular o Qi do Baço tralateralmente e vice-versa. \O
-J
e dispersar a umidade; também é 'I"
00
U>
indicada para tratar os distúrbios do ~
IV

sistema digestório, síndromes Bi, etc.


Cefaléia16 .j:.

o,
\O
. VC 12 (Zhongwan)eVC4(Guanyuan): ~
o tratamento com Acupuntura no Ab- tratamento básico com intuito de for-
dome oferece muitas vantagens e facili- talecer o Qi adquirido e o Qi ancestral.
dades, pois utiliza poucos acupontos.
O acuponto VC 8 (Shenque) localiza-se
. VC 12 (Zhogwan): agulhamento em
flor de ameixeira ao redor desse pon-
bem no centro do abdome. Nos casos de to. As quatro agulhas inseri das ao re-
síndrome de deficiência grave deve-se rea- dor do VC 12(Zhongwan)tratam a ca-
lizar a moxabustão indireta sobre o sal co- beça, portanto tem influência sobre a
locado no orifício do umbigo. cefaléia.
ACUPUNTURA
NOABDOME- 39 I

Torcicolo 16 . E 24 (Huaroumen): agulhamento em


flor de ameixeira, no qual as quatro
. VC 12 (Zhongwan): trata a área da ca- agulhas, inseridas homolateralmente ao
beça e do pescoço. redor do E 24 (Huaroumen), tratam as
. R 17 (Shangqu): corresponde à base do doenças do ombro.
pescoço. Se a dor nessa região for uni-
lateral, tratar o lado afetado. Se afetar
. R 17 (Shangqu): corresponde à base
do pescoço; muito útil no tratamento
a região posterior, tratar R 17 (Shang- da ombralgia, pois tem relação com a
qu) bilateralmente e acrescentar VC 10 origem do plexo braquial.
..;- (Xiawan). Se a cervicalgia for crônica,
N
0\ realizar o tratamento com a combina-
-
"?
..;- ção básica (Céu-Terra) reforçada. Problemas Digestivos16
N
t-
.;,
'1
00
t-
Assim basta acrescentar os acupontos
VC 10 (Xiawan), VC 4 (Guanyuan) e
. BP 15 (Daheng) bilateralmente: toni-
0\ fica o Qi do Baço e regula a transfor-
VC 6 (Qihai). mação e o transporte do Qi adquirido.
. VC 12 (Zhongwan) eVC 4 (Guanyuan):
tratamento com a combinação básica
Gonalgia16
(Céu-Terra) para fortalecer o Qi adqui-
. VC 12(Zhongwan)eVC4(Guanyuan): rido e o Qi ancestral.
tratamento com a combinação básica
(Céu-Terra) para fortalecer o Qi adqui- Paralisia Facia[16

.
rido e o Qi ancestral.
E 26 (Wailing): agulhamento triangular . VC 12 (Zhongwan), VC 10 (Xiawan),
homolateraJmente ao redor do acuponto. VC 4 (Guanyuan) e VC 6 (Qihai): tra-
O E 26 (Wailing) corresponde ao mem- tamento com a combinação básica re-
bro inferior e o agulhamento triangular forçada.
trata doenças localizadas num local res- . VC 12 (Zhongwan): agulhamento em
flor de ameixeira ao redor desse acu-
.trito do corpo, como gonalgia.
. R 13 (Qixue): como a gonalgia e go-
nartrose podem estar relacionadas com
ponto que tem influência sobre a ca-
beça e a face.
a deficiência de Qi dos Rins, o agulha-
mento desse acuponto, que serve para Cuidados Necessários
tonificar os Rins, é de grande impor-
tância. para Acupuntura
Abdominal
Ombralgia16 . Limpeza das mãos do médico com
água e sabão.
. VC 12 (Zhongwan)eVC4(Guanyuan): . Limpeza da superfície do abdome com
álcool etílico a 70oGL.
tratamento com a combinação básica
(Céu-Terra) para fortalecer o Qi adqui-
rido e o Qi ancestral.
. A profundidade de agulhamento deve
ser cerca de 1cun, variando de pessoa
I 40 - ACUPUNTURA
NOABDOME

para pessoa. Na inserção da agulha, Acupuntura no Abdome


deve-se ter cuidado para não atingir a
cavidade peritoneal.
(com Base no Ho-Tu)27,42 ~
-.)

. A inserção deve ser perpendicular


superfície do abdome (a agulha pene-
à No centro do abdome se encontra a cica-
'1"
00
~
N

triz umbilical, que corresponde ao acu- ~


~
tra verticalmente).
. A penetração da agulha deve ser in-
dolor.
ponto VC 8 (Shenque, que significa Pa-
lácio da Alma), no qual é proibida a in-
~
.I>-

. A seleção do acuponto a ser tratado


serção de agulha. Porém é permitida a
aplicação de moxabustão indireta em

. deve ser precisa.


O tempo de permanência da agulha
deve ser de aproximadamente 30min.
condições específicas, como colapso, di-
arréia aguda, perda de consciência, sín-

. Não se deve manipular a agulha para


se obter a sensação de agulhamento e,
dromes de deficiência, etc.
A área do umbigo funciona como um
microssistema para diagnóstico e trata-
muito menos, usar a eletroestimulação.
mento. Diversas cartografias foram pro-
duzidas com diferentes interpretações
Número e Curso de Sessões
de acordo com as experiências clínicas de
. A quantidade de sessões deve ser 2 a 3 cada um, porém o mais comum e, talvez,
vezes por semana (de acordo com a gra- o mais antigo, é o mapa abdominal com
vidade do caso) e 6 sessões, no máxi- base no Nan Ching (Fig. 2.6)27,42.
mo, constituem um tratamento. A base para esse mapa foram os cin-
co movimentos clássicos chineses, com
Vantagens da Acupuntura a diferença de o Metal ficar no lado di-
Abdominal reito do abdome e a Madeira, no lado es-

. É uma técnica de fácil aplicação, in-


querdo. Deve-se imaginar o paciente
observando a distribuição dos cinco mo-
dolor e de respostas em curto prazo.
. Pode ser utilizada em combinação
vimentos para entender o mapa abdomi-
nal do Nan Ching.
com outras técnicas de Acupuntura.
A Terra fica no centro, o que está de
acordo com o Ho-Tu, o mapa do rio Ho
Desvantagens da (Fig. 2.7) que deu origem à teoria dos cin-
Acupuntura Abdominal co movimentos (fases).
. Não é utilizada para tratar os proble- Do ponto d~ vista dos antigos, o um-
mas de coluna, como discopatias (hér- bigo é o centro do universo e esse centro
nias e degeneraçõesdiscais). é representado pela Terra' e pela teoria dos
. Doenças agudas não respondem bem cinco movimentos; órgão e víscera cor-
à Acupuntura Abdominal. respondentes são Baço e Estômago.

, Lembrando a teoria do geocentrismo.


ACUPUNTURA
NOABDOME- 41 I

Sul

\I
'-' ( / (Fogo)
0-0-0-0-0-o-o
...

/'-\
Leste
(Madeira)

I
~
Ó
EBiTerra
Oeste
(Metal)

......o
G Norte
(Água)

0~0 FIGURA2.7 - Ho-Tu (mapa do rio Ho). O


leste;. = terrestre.
= ce-

'\ (2)
"-./ nha mediana, ter boa conformação, com
o tecido a sua volta forte e resistente, bor-
FIGURA
2.6- Mapa abdominal do Nan Ching:
1 = Água (Rim); 2 = Fogo (Coração); 3 = Ma- da sem reentrâncias ou endentações, de-
deira (Fígado); 4 = Metal (Pulmão); 5 = Terra pressões ou colapsos27.
(Baço).
'Í"
N
a-,
"?

~ O microssistema do umbigo é capaz


Diagnóstico em
r--

~ de revelar diversos distúrbios ocultos por Acupuntura no Abdome


00
~ meio de inspeção e palpação. (com Base no Ho-Tu)
A Medicina Oriental Japonesa apre-
No Japão, o desenvolvimento do método
cia o umbigo como a primeira cicatriz da
de palpação do abdome teve início no sé-
vida e, como toda a cicatriz, pode restrin- culo XVII e tem proporcionado, ao longo
gir .0 fluxo de Qi e de sangue para vários desses séculos, elementos muito úteis para
órgãos e canais. Como todas as cicatrizes, diagnosticar as enfermidades dos órgãos
o umbigo deve ser palpado para determi- e das vísceras.
nar o seu nível de envolvimento no blo- Desde essa época muitos praticantes
queio do fluxo de Qi27. de Acupuntura produziram diversas car-
Se o umbigo serve para diagnosticar tografias (mapas) abdominais com base
as doenças, é importante conhecer as ca- nos clássicos e de acordo com suas expe-
racterísticas de um umbigo normal, que riências clínicas. O grande número de car-
indica saúde. De acordo com oNan Ching, tografias surgidas e as variações certamen-
o umbigo de uma pessoa saudável deve te dificultam a escolha da melhor.
ser profundo, não muito grande e nem pe- A palpação deve ser iniciada superfi-
queno, não deve ser plano ou raso, nem cialmente usando os três dedos da mão di-
protruso, deve ser centralizado sobre a li- reita (indicador, médio e anelar) e, em se-
I 42 - ACUPUNTURA
NOABDOME

guida, deve ser realizada profundamente. " '-.lI


Os locais a serem palpados são o centro do \ 7, I

umbigo, que representa o Baço, acima _.-J '\ \ / / ~


f( --..
do umbigo, o Coração, abaixo do umbi- \ (
go, o Rim, o lado direito do umbigo, o Pul-
mão e o lado esquerdo do umbigo, o Fí- ~ j
"-- .!
gado (Fig. 2.8).
~ \1
Sussmann66 cita um tipo de diagnós- \
tico abdorninaljaponês, de Okabe e Kino-
2
shita, ligeiramente diferente do diagnós-
tico abdominal com base no Ho-Tu, em 5
4. 3
que a periferia, logo acima do umbigo, re- 1
presenta o Estômago e a área do Coração '\
\, (.
fica mais acima (Fig. 2.9). '\ ti
Embora haja variações nas cartogra-
fias abdominais, os sinais para identificar
~/
excesso e deficiência são praticamente os FIGURA 2.8 - Diagnóstico em Acupuntura Abdo-
mesmos para a maioria dos autores66. minal com base no Ho-Tu: 1 = Rim; 2 = Cora-
ção; 3 = Fígado; 4 = Pulmão; 5 = Umbigo-
. Sinais de excesso: Baço.

- Parede abdominal tensa, elástica e


dolorida à palpação superficial.
- Pele quente.
\V/I
. Sinais de deficiência: /
\ I ,--\)

- Parede abdominal flácida, pouco


elástica e dor que é aliviada por pres-
são e massagens.
- Pele fria.
~
\
Diagnóstico Diferencial 2
'"
-..J
00
00
de Umbigos Patológicos27 5 v.
.:.,

. A depressão na borda do umbigo indi-


ca síndrome de deficiência. Uma de- \
4-{)3
1
N
.j>,

o,
'"
N

pressão localizada na borda superior \ 1/


./:.

~
.

do umbigo indica deficiência de Qi do


Baço*. A depressão na borda lateral
FIGURA2.9 - Diagnóstico abdominal de Okabe
esquerda do umbigo indica deficiên- e Kinoshita: 1 = Rim; 2 = Coração; 3 = Fígado;
cia de sangue do Fígado, e a depressão 4 = Pulmão; 5 = Estômago e Umbigo-Baço.

* A borda superior do umbigo deveria representar o Coração, mas os autores consultados descrevem que ela repre-
senta o Baço.
ACUPUNTURA
NOABDOME- 43 I

na borda lateral direita do umbigo in-


dica deficiência de Qi do Pulmão. Uma
. Áreas sensíveis ao redor do umbigo,
com desconforto e dor à palpação, in-
,.
N
0\
depressão na borda inferior do umbi- dicam problemas internos, afetando os
-
'li'
,. go é decorrente da deficiência de Qi órgãos ou as vísceras.
N do Rim.
r-;- . O uso prolongado de corticóides, como
v;
00
00
. Edema abaixo do umbigo pode ser cau- a prednisona, pode tomar a área ao re-
.--
0\ sado por deficiência de Yang do Rim, dor do umbigo insensível à palpação,
com retenção de umidade. Ocasional-
mente, o edema pode estar no lado di-
reito do umbigo, indicando deficiência
. prejudicando o diagnóstico.
A ausência de reatividade é causada
pela deficiência acentuada de Qi. Isso

. de Qi do Pulmão.
Uma pulsação relativamente cheia ao
redor do umbigo é normal. Uma pul-
explica porque as pessoas em idade
avançada apresentam menos respos-
tas à palpação.
sação sobre o umbigo é anormal. Uma
pulsação vazia ou ausente indica defi-
. Se a área ao redor do VC 9 (Shuifen)
apresenta depressão e sensibilidade,
ciência de Qi do Baço. Se a pulsação
indica um desequilíbrio na eliminação
for cheia e muito forte, batendo ao
de líquidos.
redor do umbigo, deve-se suspeitar da
existência de aneurisma da aorta ab- . Uma ligeira depressão ao redor do
VC 9 (Shuifen) é considerada normal.
dominal.
. Um umbigo normal é intruso (para
. Um anel do umbigo fraco, com ausên-

dentro). Uma protrusão do umbigo in- cia de pulsações, sugere deficiência de


dica deficiência de Qi do Baço e, cli- Baço e Estômago, com possível defi-
nicamente, significa deficiência de ciência pancreática.
imunidade.
Nota: o diagnóstico feito somente pela
. Um umbigo muito largo também sig-
inspeção e palpação do umbigo não
nifica a deficiência de imunidade.
. Um umbigo muito pequeno, estreito e
longo, indica diminuição do fluxo de
tem valor absoluto, devendo ser com-
plementado pela inspeção da língua,
palpação dos pulsos radiais, etc.
Qi do Pulmão ao aquecedor inferior.
Pela teoria de órgãos e vísceras (Zang-
fu), o Qi do Pulmão não foi recebido
pelos Rins. Esse formato de umbigo
Tratamento pelo Umbigo
também pode ser uma característica Gardner-Abbate27cita duas modalidades
herdada, decorrente da nutrição fetal de tratamento pelo umbigo.

. prejudicada.
Um umbigo muito raso indica deficiên-
Modalidade Chinesa -
cia de vitalidade ou, para a teoria de
órgãos e vísceras (Zang-fu), deficiên-
Moxabustão sobre o Umbigo
. cia de Qi dos Rins.
Um umbigo descentralizado
linha mediana frontal) indica
(fora da
deficiên-
. Moxabustão
Artemisia
indireta com bastão de
vulgaris (ver detalhes no
cia de Qi do Baço e dos Rins. capo 20).
I 44 - ACUPUNTURA
NOABDOME

. Moxabustão indireta sobre sal coloca-


li
i
i! .0
do no umbigo (ver detalhes no capo 20). ~
. Moxabustão indireta sobre fatia de gen- '"
-.I

. gibre (ver detalhes no capo 20).


Ventosa sobre o umbigo.
~'i/
01111111111111'
. ~ - -o
l
<l"''''''''IIIO
00
00
VI
~
N
-.,.
o,
'"
N
//i"~
Ã'~ "o" .J,..
Modalidade Japonesa - ~~. I %.0
Tratamento dos Acupontos i
~
R 6 (Zhaohai), R 7 (Fuliu)
FIGURA2.10 - Agulhamento em oito direções
e R 3 (Taixi) para Reduzir cardinais em volta do umbigo.
Tensão e Sensibilidade ao
redor do Umbigo
de 0,5 a lcun. Não se deve manipular
.Segundo Gardner-Abbate27, o acu-
ponto R 6 (Zhaohai), para osjapone-
as agulhas como nos outros métodos
de obtenção do Qi27.
ses, situa-se a lcun abaixo do osso do
maléolo, em vez de 0,5cun como vis-
to nos textos originais em chinês. O Material Necessário para
acuponto R 3 (Taixi), para os japone- Acupuntura Abdominal
ses, situa-se no local correspondente
Utilizar agulhas descartáveis de aço ino-
ao acuponto R 5 (Shuiquan).
.Além de tratar os acupontos citados,
xidável,previamente esterilizadas, com ta-
manho de 0,2 x 3mm ou 0,23 x 3mm.
pode-se realizar agulhamento em oito
direções cardinais, um tratamento de
tonificação para os pacientes com Tempo de Permanência
deficiência de Qi de Pulmão, Baço e
Rins, com sintomas de fadiga, fra-
das Agulhas
queza, etc. Reter as agulhas por um período de 10 a
. Os oito acupontos encontrados ao re- 20min.
dor do umbigo correspondem a oito
direções cardinais (norte, sul, leste,
oeste, nordeste, noroeste, sudeste e
Percussão dos
sudoeste) e estimula as funções dos Acupontos do Abdome
oito Canais Extraordinários. com Martelo de Madeira
. Esses oito acupontos estão situados a
e Agulha Grossa36,42
1cun do centro do umbigo (Fig. 2.10).
Deve-se inserir as agulhas em um ân- No Japão, o uso de martelo de madeira e
gulo de 15 a 45°, em direção ao cen- agulhas grossas (pinos), em substituição
tro do umbigo, a uma profundidade às agulhas filiformes, tem pelo menos
NOABDOME-
ACUPUNTURA 45 I

quatro séculos. No século XVI, o acu-


punturista da corte imperial, Mubun Ryu,
utilizava o martelo de madeira e agulha ;----
grossa de ouro (pino de ouro) (Fig. 2.11)
e concentrava o tratamento exclusiva-
mente na área abdominal. Ele criou um \ .9)
\ /
mapa de diagnóstico abdominal de
Mubun Ryu (Fig. 2.12). Uma agulha
grossa de ouro era colocada sobre o acu-
ponto, no abdome, a ser tratado com o au-
xílio do polegar, do indicador e do dedo
médio da mão esquerda, e a mão direita,
segurando o cabo de martelo de madeira,
batia ou percutia diversas vezes a extre-
midade superior da agulha grossa de
ouro, sem perfurar, causar lesão na pele FIGURA 2.12 - Mapa de diagnóstico abdomi-
e, muito menos, a dor (Fig. 2.13). nal de Mubun Ryu.
O Dr. Yoshio Manaka, ao estudar a téc-
nica, testou diversos tipos de martelo de
madeira e agulha grossa, inclusive feita Enquanto Mubun Ryu tratava somen-
de madeira. Essa técnica é ideal para tra- te o abdome, o Dr. Yoshio Manaka am-
tar pacientes que têm medo ou pavor de pliava o tratamento ao corpo inteiro e es-
agulhas e pode ser utilizada pelo próprio tabelecia que, em casos mais específicos,
paciente ou por alguém da família, em o tratamento com o martelo de madeira e
casa, diariamente42. agulha grossa (pino) era feito de acordo
Para diminuir o forte impacto do mar- com a freqüência dos Canais de Energia.
telo 'de madeira sobre a agulha, o que re- Essas freqüências foram calculadas com
sulta em dor, a peça de madeira que cons- o metrônomo (instrumento para marcar o
titui a cabeça do martelo forrada com um
couro fino.

:r
II
11
I1
11

'T ~ "I'
.ç. 1-:
$ 1111n'1\
f
~
'; ...,..,...,.,.,'.".,~.
~.,:.'.:
~ \tI, I~,r
~~
I/")

'1
00
r--
0\
A

B-
FIGURA2.11 - Martelo de madeira (A) e agulha FIGURA 2.13 - A utilização de pino de ouro e
(pino) de ouro (8). martelo de madeira.
I 46 - ACUPUNTURA
NOABDOME

Tabela 2.1 - Freqüência dos canais de energia

Canais Y;n Batidas Canais Yang Batidas

Renmai 104 Dumai 104


Pulmão 126 Intestino Crosso 108
Baço 132 Estômago 132
Coração 126 Intestino Delgado 120
Rim 120 Bexiga 112
Pericárdio 176 Tripo Aquecedor 152
Fígado 108 Vesícula Biliar 120

grau de celeridade do movimento musi- no qual um homúnculo é projetado no in-


caIr e estão listadas na Tabela 2.142. terior desse mapa (Fig. 2.15). Isso facilita
Kobayashi36 apresentou uma técnica o tratamento, pois, se o paciente apresen-
simples, muito interessante e bastante tar queixas localizadas na cabeça, deve-
eficaz de tratamento pela percussão dos se percutir os acupontos situados na área
acupontos do abdome. Ele utilizava mar- correspondente ao Coração no mapa de
telo de madeira de Manaka e dois tipos Mubun Ryu (Figs. 2.12 e 2.15), em toni-
de pino de metal, um com a ponta romba, ficação ou sedação, de acordo com o
para tonificação e outro com a ponta mais diagnóstico feito pela palpação do abdo-
aguda, para sedação (Fig. 2.14). me (ver descrição adiante).
A técnica apresentada por ele tem ba-
ses fundamentadas no mapa de diagnósti-
co abdominal de Mubun Ryu (Fig. 2.12)42,

15 em
1~ )
n
t U
E
co,
~L
A
'!11'"
0,5 em
<E---?>
o

<E 3> 'D


2 em --J
00
00
1I1
Couro r .:.,
N
fino 10 em ..-
'"
'D
N
FIGURA 2.15 - Homúnculo no interior do .J,.
B 1 C mapa abdominal de Mubun Ryu: B = Bexi-
ga; BP = Baço-Pâncreas; C = Coração;
FIGURA2.14 - Martelo de madeira (A) e pinos E = Estômago; F = Fígado; P = Pulmão;
de pontas romba (8) e aguda (C). R = Rim; VB = Vesícula Biliar.

* Manakaet al.42não explicamcomofoi utilizadoo metrônomo.


ACUPUNTURA
NOABDOME- 47 I

Se o paciente apresentar queixa de dor Localização Anatômica


no ombro, devem-se tratar os acupontos
situados nas áreas do Baço e do Pulmão,
dos Acupontos do Abdome
no referido mapa de Mubun Ryu, e assim e Suas Indicações
por diante (Figs. 2.12 e 2.15). Terapêuticas
Esses acupontos podem ser tratados
também com a inserção de agulhas em Coração
tonificação ou sedação, de acordo com o
diagnóstico.
. VC 15 (Jiuwei): localiza-se na linha
mediana da parede abdominal, logo
abaixo do apêndice xifóide (Fig. 2.16).

Diagnóstico pela
. VC 14 (Juque): localiza-se na linha
mediana da parede abdominal, a 1cun

..;-
Palpação Abdominal abaixo do VC 15 (Jiuwei) (Fig. 2.16).

~ o diagnóstico é realizado inicialmente Esses dois acupontos tratam as doen-


~ pela palpação superficial do abdome e, em ças localizadas na cabeça.
J;
00
seguida, pela palpação profunda. Deve-se
~
a, prestar atenção na temperatura da super-
Estômago
fície do abdome, umidade ou secura, rigi-
dez ou flacidez da parede abdominal. . VC 12 (Zhongwan): localiza-se na li-
nha mediana da parede anterior do ab-

. Na palpação superficial do abdome,


dome, a 4cun acima do umbigo, no
ponto médio entre a articulação xifoes-
caso se sinta alguma depressão na pare-
ternal e o umbigo (Fig. 2.16). Segundo
de abdominal, o diagnóstico é de defi- Cricentil4, alguns acupunturistas si-
ciência. Se for sentida uma elevação tuam esse acuponto entre a ponta do
ou nodulação à palpação, é de excesso. processo xifóide e o umbigo.
. Se, na palpação profunda do abdome, Esse acuponto serve para tratar o pró-
for sentida resistência ou rigidez, esta prio Estômago e, por ser a maior área
decorre de excesso. Placidez sem re- no mapa abdominal de Mubun Ryu,
sistência é causada por deficiência. também é a parte mais importante e
. Pele do abdome fria pode ser causada serve para tratar todas as doenças do
aquecedor médio e algumas do aque-
por deficiência de Yang ou invasão de
frio externo. Se está quente, isso pode cedor superior.
decorrer de deficiência de Yin com
Outros acupontos situados dentro da
exacerbação de Yang ou de excesso de
área do Estômago, no mapa abdominal
calor por invasão de calor externo.
de Mubun Ryu, podem ser tratados com
VC 13 (Shangwan), VC 11 (Jianli), VC 10
Nota: o diagnóstico pela palpação (Xiawan) e VC 9 (Shuifen), além de R 17
abdominal deve ser complementado (Shangqu), R 18 (Shiguan), R 19 (Yindu)
com palpação dos pulsos radiais, ins- e R 20 (Tonggu), localizados nas proxi-
peção da língua, etc. midades do VC 12 (Zhongwan).
I 48 - ACUPUNTURA
NOABDOME

Intestino Grosso Rim 'i)


-..J
qo

. E 25 (Tianshu) esquerdo: localiza-se


a 2cun lateralmente e à esquerda da
. E 27 (Daju): localiza-se a 2cun abaixo ~
00
lJ1

do umbigo e a 2cun lateralmente à li- ~


linha mediana, no nível do umbigo nha mediana, no nível do VC 5 (Shi- ~ ..
(Fig.2.l6). men) (Fig. 2.16).
. Esse acuponto trata aerocolia,
ção intestinal, diarréia, etc.
constipa- . E 28 (Shuidao): localiza-se a 3cun abai-
xo do umbigo e a 2cun lateralmente à
. Pode-se percutir também o E 26 (Wai- linha mediana, no nível de VC 4 (Gua-
ling) esquerdo e o E 24 (Huaroumen), nyuan) (Fig. 2.16).
localizados abaixo e acima do E 25
(Tianshu). Esses dois acupontos são indicados
para tratar dismenorréias, distúrbios au-
ditivos, dor de garganta, lombalgias, me-
Intestino Delgado
. E 25 (Tianshu) direito: localiza-se a
2cun lateralmente e à direita da linha
nopausas, problemas renais, etc.

mediana, no nível do umbigo (Fig. 2.16). Bexiga

Esse acuponto trata doenças como úl-


. VC 3 (Zhongji): localiza-se na linha
mediana da parede abdominal, a 5cun
cera duodenal. abaixo do umbigo (Fig. 2.16).

~)

I
- - - - VC 15 Uiuwei)
- -- - VC 14 Uuque)

- - - - VC12 (Zhongwan)
t-~- - - - - vc ao(Shenque)
. /.-
. I
.
-
e- -
-
- -

-
-
-

-
-
-

-
-
E25 (Tianshu)

E27(Daju)
E 28 (Shuidao)

,
~-
~- -
-
~ -- - -
-
VC4 (Cuanyuan)
-VC3(Zhongji)

FIGURA2.16 - Localização anatômica dos acupontos.


ACUPUNTURA
NOABDOME- 49 I

. VC 4 (Guanyuan): localiza-se na li-


nha mediana da parede abdominal, a
3cun abaixo do umbigo (Fig. 2.16).

Esses dois acupontos servem para tra-


tar cistite, cólica menstrual, disúria e do-
res no baixo-ventre.

Triplo Aquecedor
. VC 8 (Shenque): localiza-se no cen-
tro do umbigo (Fig. 2.16).
A Medicina Oriental Japonesa apre-
cia o umbigo como a primeira cica-
triz da vida27 e dá maior atenção ao
mesmo, pois sabe-se que a energia es- --- - - - F 13 (Zhangmen)
sencial à vida recebida da mãe, duran-
te a vida intra-uterina, entra pelo cor- FIGURA2.17 - Localização anatômica dos acu-
dão umbilical. pontos.

Esse acuponto serve para promover o


equilíbrio geral do corpo e representa oTri-
pIo Aquecedor. Pode ser realizada moxa- Fígado
bustão indireta em casos de colapso (defi-
ciência extrema de Yang, Yin, Qi e sangue).
. F 13 (Zhangmen): localiza-se na pare-
de ântero-lateral do abdome, junto à
margem inferior da décima primeira
Pulmão costela (Fig. 2.17); com o cotovelo fle-
tido em 90°, lateralmente ao tronco, o
. F 14 (Qimen):localiza-sena parede acuponto situa-se no nível do olécrano.
anterior do tórax, no sexto espaço in-
tercostal e no nível da linha mediana, a
. VB 29 (Juliao): localiza-se na região
ântero-lateral da coxa, no ponto médio
4cun lateralmente à linha mediana da linha que une a espinha ilíaca ân-
(Fig. 2.17). tero-superior à parte mais saliente do
..;-
~
0\
. VB 24 (Riyue): localiza-se na parede trocanter maior do fêmur (Fig. 2.18).
'9 anterior do tórax, no sétimo espaço
;;
N intercostal e no nível da linha marnilar Esses acupontos tratam dor nos joelhos,
r;-
I()
00 (Fig. 2.17). dor nas pernas, lumbago lateral, síndrome
00
t"-
0\
de Méniere, etc.
Esses acupontos tratam doenças do Outros acupontos situados dentro da
pulmão, como asma, bronquite e, também, área do Fígado, no mapa abdominal de
dor nos braços. Mubun Ryu, podem ser tratados, de acor-
I 50 - ACUPUNTURA
NOABDOME

l-V' 29UuU,o)

- E 19 (Burong)
-E 20 (Chengman)

..
, .,
FIGURA 2.18 - Localização anatômica do VB 29 FIGURA2.19 - Localização anatômica do E 19
Uuliao). (Burong) e do E 20 (Chengman).

do com a localização da doença, como cal, diarréia, dor na região cervical, lassi-
VB 26 (Daimai), VB 27 (Wushu), VB 28 dão, letargia, má digestão, etc.
(Weidao), BP 12 (Chongmen), BP 13 (Fu-
she), BP 14 (Fujie) e BP 15 (Daheng).
Nota: os locais a serem percutidos
com martelo de madeira e pino de me- '"
.....
Baço tal tornam-se sensíveis à palpação &:
. E 19 (Burong): localiza-se junto ao
rebordo costal, a 2cun lateralmente à
quando alguma parte do corpo ou os ~
órgãos correspondentes aos referidos
U1

~
o-
linha mediana e no nível do VC 14 acupontos estão em desequilíbrio. Na ~
.j:.
(Juque), a 6cun acima do umbigo prática, nem sempre o local a ser per-
(Fig. 2.19).
. E 20 (Chengman): localiza-se a 5cun
acima do umbigo e a 2cun lateralmen-
cutido corresponde exatamente ao
acuponto. Para obter êxito no trata-
mento, dev~-se palpar e encontrar o
te à linha mediana, no nível do VC 13
ponto sensível nas imediações dos
(Shangwan) (Fig. 2.19).
acupontos. Observar atentamente o
Esses acupontos servem para tratar "homúnculo" no interior do mapa ab-
contratura dos músculos da região cervi- dominalde MubunRyu (ver Fig. 2.15).
JLcupuntura
com 3

JlguffinIntracutânea
(rrécnicadeJL/(a6ane)
É uma técnica que consiste em inserir superficialmente uma pequena agu-
,. lha no acuponto ou no ponto Ashi e fixá-Ia com uma fita adesiva (espara-
~ drapo). O tempo de permanência dessa agulha varia de 2 a 3 dias ou mais,
~ conforme a indicação específica para cada caso. Devido à retenção tem-
J;
00 porária nos acupontos da pele, a pequena agulha intracutânea é também
~
a,
denominada de agulha semipermanente. Não confundir com a técnica de
Okibari, ou agulha permanente, uma controversa e peculiar técnica japo-
nesa, na qual várias agulhas metálicas são permanentemente introduzidas
no tecido subcutâneo22.
Ernst & White22 citam inúmeros trabalhos que relatam os malefícios
do Okibari, como casos de granulomas em tomo da agulha permanente,
agulhas na cavidade abdominal, no parênquima renal, etc.
A técnica de Akabane, embora pareça moderna, baseia-se no antigo
método de punções superficiais, mencionado no Ling Shu (Capítulo lf3.
Bem mais tarde, passou-se a fixar as agulhas filiformes de prata menores
nos acupontos por 2 a 3 dias, para tentar aliviar dor crônica e rebelde, mas,
as agulhas geralmente dobravam ou causavam danos no tecido epitelial
por irritação excessiva 15.
A técnica de agulha intracutânea foi popularizada por Kobei Akabane,
em 1962, como Hinaishin*, nas décadas de 1950 e 1960. Apesar do estí-
mulo fraco, o resultado era eficiente e, às vezes, surpreendente pelo fato de
ser contínuo. O estímulo prolongado tem a vantagem de permitir a melho-
ra rápida e aumentar o intervalo entre as sessões. É uma técnica bastante
segura, pois o cabo em forma de grão de trigo ou anel impede a penetração
da agulha no corpo.
As punções superficiais proporcionadas pelas agulhas deAkabane aliviam
a dor, equilibrando o Yin e o Yang, e ativam a circulação de Qi e de sangue.

* Hinaishin: onde Hi significa pele; nai, dentro e shin, agulha. Literalmente, agulha dentro
da pele.
152 - ACUPUNTURA
COMAGULHAINTRACUTÂNEA
(TÉCNICA
DEAKABANE)

Material e
~

~l
Tipo de Agulhas
As agulhas intracutâneas são curtas (3 a
8mm de comprimento) e são fabricadas
-----
A
em aço inoxidável ou liga de prata. Exis-
tem alguns modelos de agulhas para esse
propósito: a intracutânea reta com cabo
D~ 'f
em forma de grão de trigo; a intracutânea FIGURA
3.1 - (A-O) Modelos de agulhas intra-
reta com cabo em forma de anel; a intra- cutâneas.
cutânea com cabo plano ou achatado; e a
intra-cutânea com cabo circular tipo "per- lha com outro pedaço maior de fita ade-
cevejo" ou "tachinha", muito utilizada em siva (Fig. 3.3).
Acupuntura auricular (Fig. 3.1). Para simplificar, pode-se dispensar a
fita adesiva menor, colocando-se somente
um pedaço de fita adesiva maior para reco-
Método de Inserção brir toda a agulha. A fixação desta com fita
Após lavar as mãos com água e sabonete adesiva impede o seu deslocamento durante
neutro, realizar assepsia rigorosa da pele os movimentos e facilita sua extração.
com álcool iodado a 2% ou álcool 700GL, Para retirar a agulha, basta descolar a
pegar a agulha intracutânea pelo cabo com fita adesiva da pele e, caso a agulha per-
o auxílio de uma pinça (devidamente es- maneça retida na pele, extraí-Ia com o au-
terilizada) e com o polegar e o indicador xílio de uma pinça. O cabo da agulha intra-
da outra mão esticar a pele próxima ao
'D
acuponto escolhido para o tratamento e -J
'f
00
introduzir a agulha obliquamente à pele, !.fi
~
formando um ângulo de aproximadamente N
..-
15° com a superfície da pele, numa pro- '"
'D
N
fundidade de 2 a 3mm. .;.
A agulha intracutânea deve ser presa
na diagonal com pinça, a aproximadamente
lmm do corpo da agulha e deve-se tocar a
extremidade da agulha suavemente no acu-
ponto; com o dedo indicador da mão es-
querda, puxar suavemente a pele em dire-
ção à ponta da agulha e evitar empurrar a
agulha em direção à pele (Fig. 3.2)13.
Após a inserção da agulha intracu-
tânea no acuponto, fixar um pequeno pe-
daço de fita adesiva (esparadrapo) de
0,5 x 0,5cm na pele abaixo do cabo da FIGURA 3.2 - Inserção de agulha intracutânea
agulha e, em seguida, recobrir toda agu- com o auxílio de pinça.
ACUPUNTURA
COMAGULHAINTRACUTÂNEA DEAKABANE) 53
(TÉCNICA - I

oferecido resultados significativos nos tra-


tamentos15.
A B---- A agulha intradérmica tipo "perce-
vejo" ou "tachinha" é utilizada prefe-
rencialmente na Acupuntura auricular e,
r---' I
também, sobre a face e nos locais que ne-
I (;--r--- cessitam de punções superficiais verticais.
' 1
B Com o auxílio de uma pinça, pegar a
agulha pelo cabo circular, direcionar a sua
ponta sobre o acuponto e pressionar leve-
mente para que penetre verticalmente na
pele. Em seguida, fixá-Ia com um pedaço

"
N
a,
c ~ - de fita adesiva, de preferência da cor da
pele. Pode-se também, com o auxílio de
uma pinça, colocar a agulha sobre um pe-
'?
~ FIGURA 3.3 - (A-C)Fixação da agulha intra-
daço de fita adesiva, segurando-a pela bor-
J; cutãnea
00
com fita adesiva (esparadrapo). da, aplicá-Ia sobre o acuponto e pressioná-
00
r-- Ia. Existe uma peça denominada "aplicador
a,
magnético de agulha auricular Yang", que
cutânea em fonna de grão de trigo, anel,
contém um imã na extremidade para fa-
percevejos, etc. impede sua penetração no
cilitar a colocação da agulha na orelha
interior do tecido epitelial.
(Fig. 3.4).
A aplicação da agulha intracutânea
deve obedecer à linha de força ou à dire-
ção das fibras elásticas e colágenas no te- Indicações
cido conjuntivo; a agulha nunca deve ser
aplicada contra a direção dessas fibras, o Segundo Akabanel, há duas classes de
que causa irritação e dano no tecido acupontos que podem ser tratadas com
epiteliallocal. Na dobra da pele, a aplica- Acupuntura intracutânea: o acuponto mais
ção. sempre deve ser no sentido da prega, sensível, acuponto dolorido focaI15, ou
para não causar irritação por aprofunda- acupontos Ashi e os mais ativos. A primei-
mento indevido da agulha. A inserção a ra classe de acupontos é localizada por
favor ou contra o sentido da circulação meio de palpações cuidadosas ou solici-
energética dos canais de energia não tem tando-se ao paciente que assuma uma po-

!
..1Q ~)

cr-

FIGURA3.4 - Aplicador magnético de agulha auricular Yang.


154 - ACUPUNTURA
COMAGULHAINTRACUTÂNEA
(TÉCNICA
DEAKABANE)

sição que provoque dor e aponte o local tizadas, com hematoma. Nesse caso,
desta, então seleciona-se o ponto mais sen- pode-se inserir agulha intracutânea no
sível - o ponto focal doloridoI5. A segun- lado oposto.
da classe de acupontos é aquela mais ativa,
indicada para tratar afecções nas quais a
. Há pacientes que são alérgicos a fitas
adesivas comuns (esparadrapos co-
agulha intracutânea proporciona excelen- muns); nesses casos, devem ser utili-
tes resultados.
zadas fitas adesivas hipoalergênicas ou
As agulhas intracutâneas são mais antialergênicas.
indicadas para o tratamento de doenças
crônicas e rebeldes e dores persistentes
. Quando inserir agulhas intracutâneas
nas partes visíveis do corpo, como a
bem localizadas ou delimitadas, como face, é bom escolher fitas adesivas da
cãibras, cefaléias rebeldes, constipação cor da pele.
intestinal, epilepsia, gastralgia, hiperten-
são arterial, incontinência urinária, lom-
. Quando a agulha intracutânea é man- :s
tida por muito tempo, podem surgir u~.
balgia crônica, nevralgia do trigêmeo,
dor e infecções. Nesse caso, retirar a ~-I>
ombralgia crônica, etc.
agulha imediatamente e tratar as in- &:

fecções adequadamente. ~
-I>

Precauções . Utilizar o menor número de agulhas


intracutâneas, se possível apenas uma,
. o paciente deve ser informado sobre como complemento ao tratamento pela
Acupuntura Clássica.
a necessidade e as vantagens do uso
da agulha intracutânea e os respecti-
vos cuidados a serem tomados.
. Tomando-se todas as precauções ci-
tadas, praticamente não há contra-in-
. Após a escolha do acuponto ou local
em que será inserida a agulha intra-
dicações ao uso da agulha intracutâ-
nea, tanto que AkabaneI recomenda
cutânea, deve-se lavar bem as mãos que todo o principiante em Acupun-
com sabonete neutro e realizar uma tura aprenda e pratique primeiro essa
rigorosa assepsia da pele com o álcool técnica.
iodado ou álcool 700GL *.
. Se a agulha intracutânea, uma vez in-
serida na pele, causar dor ou inibir o Tempo de Permanência
movimento, ela deve ser removida e
reinserida. da Agulha Intracutânea
. As agulhas intracutâneas devem ser o tempo de permanência das agulhas
descartáveis e as pinças devem ser es- intracutâneas nos acupontos varia de acor-
terilizadas. do com as estações do ano. No verão, a
. Não se deve inserir a agulha intracu-
tânea em locais com inflamação ou ul-
duração deve ser limitada a I ou 2 dias,
pois, com a transpiração excessiva, os es-
ceração, bem como em áreas trauma- paradrapos aderem menos à pele e se des-

* A vantagem do álcool 700GL em relação ao álcool a 96°GL é sua maior demora para evaporar, o que aumenta
sua ação anti-séptica.
ACUPUNTURA COM AGULHA INTRACUTÂNEA(TÉCNICADE AKABANE)- 55 I

colam com mais facilidade e propiciam a Os acupontos ativos BP 10 (Xuehai)


infecção local, embora esta seja rara. Se e Shiqizhuixia (Extra) (Fig. 3.5), locali-
ainda for necessário prosseguir o trata- zados entre as apófises espinhosas da
mento, remover a agulha e, após uma rigo- quinta vértebra lombar e o sacro, e BP 6
rosa assepsia do local, utilizar, se possível, (Sanyinjiao), são escolhidos para receber
álcool iodado a 2%, reinserir a agulha, as agulhas intracutâneas.
afastando-a alguns milímetros ao lado do Após o desaparecimento dos sinto-
acuponto anterior. No inverno, as agulhas mas, as agulhas intracutâneas podem ser
podem ser mantidas por mais tempo, con- removidas.
forme a necessidade de cada caso. Com um tratamento por mês, durante
3 a 5 meses consecutivos, obtém-se resul-
Tratamentos tado bastante satisfatório.

Complementares de
Algumas Enfermidades Estagnação do Sangue
nas Extremidades
Cervicalgia
O acúmulo de sangue nas extremidades,
Pedir ao paciente para movimentar a ca- principalmente nos membros inferiores,
beça e o pescoço em todas as direções e devido a frio e outros fatores que podem
solicitar que ele aponte o local onde a dor evoluir para ulcerações crônicas, pode ser
é mais intensa. Por meio de palpação cui- tratado com agulhas intracutâneas.
dadosa com o polegar ou indicador sele- Após uma assepsia rigorosa do local
cionar o ponto mais sensível, ou ponto utilizado, inserir agulha intracutânea nos
dolorido focall5, e, em seguida, introdu- acupontos TA 4 (Yangchi) das mãos direita
zir a agulha intracutânea e fixá-Ia com um
e esquerda e nos acupontos E 41 (Jiexi) di-
pedaço de fita adesiva.
reito e esquerdo, respectivamentel.

Constipação Intestinal Hemorróida


Introduzir uma agulha intracutânea no
Exceto nos casos crônicos de fístula anal,
E 25 (Tianshu) esquerdo, acuponto mais
a agulha intracutânea é muito eficaz para
~ ativo, transversalmente
~
ao sentiâo do flu-
aliviar a dor causada pela hemorróida. As
~ xo de energia do canal principal do Estô-
~ mago, ou seja, obedecendo a direção' das agulhas intracutâneas podem ser inseridas
em B 28 (Pangguangshu) e Shiqizhuixia
~ linhas de força da pele. Essa técnica pode
00

S; ser associada ao tratamento da constipa- (Extra) (Fig. 3.5), localizados abaixo do


ção intestinal pela Acupuntura Clássica. processo espinhoso da quinta vértebra
lombar e o sacro, na linha mediana dor-
sal. Essa técnica também pode ser utiliza-
Dismenorréia
da para aliviar a dor no pós-operatório de
A maioria dos casos de dismenorréia apre- hemorróida.
senta dor aguda e intensa no baixo-ventre, Se existir prolapso retal, recomenda-se
com irradiação para coxa, lombalgia, etc. Moxabustão no VG 20 (Baihui)l5.
156 - ACUPUNTURA COM AGULHA INTRACUTÂNEA(TÉCNICADE AKABANE)

Shiqizhuixia
(Extra)
)v\
\\
\ ',,--!

~ ~" J
FIGURA 3.5 - Shiqizhuixia (Extra).
~=~ \~
FIGURA 3.6 - Ponto axilar sensível para tratar
hipertensão arterial leve.

Hipertensão Arterial
Primária Leve Pode-se selecionar ainda a classe de
acupontos mais ativos! para tratar ombral-
A micropunção com sangria no acuponto
gias, para as quais a agulha intracutânea
BP 1 (Yinbai) é importante para os casos
oferece excelente resultado terapêutico.
de hipertensão arterial. Além de se reali-
Nesse caso, basta selecionar os acupontos
zar um tratamento com Acupuntura Clás-
de acordo com a indicação terapêutica. Por
sica, deve-se complementá-lo com inser-
exemplo, quando a dor está localizada na
ção de agulha intracutânea nos pontos
parte posterior do ombro, envolvendo o
axilares mais sensíveis (pontos doloridos
canal do Intestino Delgado, a inserção de
focais) direito e esquerdo (Fig. 3.6).
agulha intracutânea no ID 11 (Tianzong) '" -J
Se a hipertensão arterial for modera- auxilia muito no alívio da dor. 00
00
da ou intensa, será necessário um acom- tA
~
N
panhamento rigoroso pelo cardiologista. .fo
Parto &.
'"
N

Ombralgia A agulha intradémica também é muito .I>.


eficaz para aliviar a dor durante o parto,
Pedir ao paciente que movimente o braço além de aumentar a contração uterina.
para localizar o ponto mais sensível e, em De preferência, inserir a agulha, um
seguida, por meio de palpação cuidadosa, pouco antes do parto, no Shiqizhuixia (Ex-
com o auxílio do dedo polegar ou indica- tra) (Fig. 3.5) e nos locais sensíveis próxi-
dor, localizar o ponto dolorido focall5 no mo a este. Uma vez realizado o tratamento,
ombro, inserir nele uma agulha intracutâ- a parturiente sente-se muito aliviada das
nea e fixá-Ia com fita adesiva. dores. Após o parto, inserir a agulha intra-
Evita-se inserir muitas agulhas na mes- cutânea no BP 6 (Sanyinjiao) para acalmar
ma área, ao mesmo tempo. o útero! . ...
.9Lcupuntura
com 4
.9Lgullia
dePressão

A agulha yuan é o aperfeiçoamento da segunda das nove agulhas antigas


mencionadas no Nei Ching (Fig. 4.1). Possui extremidade esférica e é re-
comendada para massagem (Ling Shu, Capítulo 1)73. Diferentemente das
outras agulhas cutâneas, não perfura a pele, por isso a terapia com ela não
deveria receber o nome de acupuntura. O estímulo que gera é resultante de
uma pressão bem delimitada num acuponto ou em outra área bem menor e
com maior eficácia.

'7
N
0\
-'7
'f
N
r--
.;.,
00
00
r--
0\

FIGURA4.1 - Yuan, a segunda das nove agulhas antigas.


I 58 - ACUPUNTURA
COMACULHADEPRESSÃO

Material Agulha de pressão maior: pegá-Ia com


os dedos polegar, indicador e médio, como
A agulha de pressão, fabricada com aço se estivesse segurando uma caneta, e pres-
inoxidável (Fig. 4.2), possui uma extremi- sioná-Ia sobre o acuponto escolhido até '"
dade esférica que serve para pressionar o se obter a "sensação da chegada do Qi". ~ 00

acuponto ou a área específica a ser tratada. A pressão exerci da sobre a agulha ~ N

A agulha de pressão já foi feita com deve ser aumentada gradativamente e, uma ~
chifre e osso de animais e madeira dura. vez atingida a pressão ideal, a pele na re- §
Seu comprimento médio deve ser gião em volta da agulha deve ficar averme- .J:..
lhada e os sintomas devem ser aliviados.
7cm, podendo chegar até 12cm (dos quais
9cm constituem o cabo e o restante, o Em seguida, deve-se diminuir a pressão gra-
dativamente e, após remover a agulha,
corpo da agulha). O material da agulha
massagear suavemente o local. Se for ne-
também pode ser constituído de mo-
cessário um estímulo mais forte, deve-se
libdênio. Sua extremidade esférica pare-
pressionar a agulha com mais força e mais
ce uma semente de milh079 (Fig. 4.3). rapidez, até causar uma sensação de des-
conforto, distensão e, até mesmo, uma
ligeira dor que pode irradiar além do acu-
Método de Aplicação ponto pressionado. Após a obtenção des-
sas sensações, retirar a agulha de pressão
Agulha de pressão menor: apoiar a extre-
e massagear suavemente o local.
midade esférica no acuponto a ser trata- Lembre-se de que nessa técnica não
do, segurando o cabo com os dedos pole- há necessidade de se manipular a agu-
gar, médio e anular e apoiando, com o lha com a rotação, preocupando-se somen-
indicador, a extremidade superior do te com a pressão vertical induzi da pela
cabo (Fig. 4.4). A quantidade de estímu- polpa do dedo indicador ou pela força
lo é controlada pela pressão exercida pelo dos três dedos pressionando a agulha no
indicador. sentido vertical.

~~~~

FIGURA4.2 - Agulha de pressão de aço inoxidável.

c ~) ;-~--. -~~~ I

FIGURA4.3 - Agulha de pressão com extremidade esférica.


ACUPUNTURA
COMAGULHADEPRESSÃO
- 59 I

Quando a agulha de pressão é aqueci-


da em fogo de lamparina de álcool, pode
ser utilizada para a cauterização de verru-
gas, manchas senis, nevo pigmentar super-
ficial, pequenos hemangiomas na pele, etc.
Mas, hoje em dia, todas essas alterações
na epiderme são mais bem tratadas pela
Dermatologia.
A agulha de pressão tem um efeito par-
ticular muito interessante em algumas
doenças e merece ser citada aqui a expe-
riência clínica de Dr. Shi Huaitang no tra-
tamento de uma paciente de 60 anos que
'"" FIGURA 4.4 - Método de aplicação de agulha o procurou queixando-se de entorse na ar-
&!, de pressão.
"? ticulação do tornozelo direito, com ede-
'""
N
ma, dor e dificuldade de caminhar. No dia
r-;-
V1 seguinte, o quadro piorou. Ela foi tratada
com agulha de pressão no punho esquer-
~ Indicações
do, na área correspondente ao tornozelo.
A agulha de pressão (Ling Shu, Capítulo 7) Dez minutos depois, a paciente conseguiu
serve para "dispersar e repartir a energia" mover o tornozelo direito e andar. Como
e também para "pressionar os vasos e ob- havia edema, estagnação de sangue, no
ter o Qi"73. local, ela foi tratada com martelo com agu-
Se o Qi está diminuindo, os fatores lhas em forma de flor de ameixeira du-
patogênicos penetram nos vasos, então, rante 30min* e se recuperou totalmente no
pressionando-se os acupontos, comple- dia seguinte 79.
menta-se o Qi deficiente. A aplicação de A técnica utilizada pelo Dr. Huaitang
agulha de pressão nos acupontos Ting e é semelhante à técnica de pressão com
Y01igaumenta o Qi. Assim, esse método é estilete de metal em Sujok, Acupuntura nas
indicado para tratar patologias de defi- mãos e nos pés, desenvolvida pelo Dr. Park
ciência de Qi, como diarréia, dor abdo- Jae Woo, da Coréia do Sul.
minal, gastralgia por deficiência, indiges- Os acupontos da orelha também po-
tão, vômitos, etc. É muito útil para auxiliar dem ser tratados com agulha de pressão
no tratamento de doenças infantis, cbmo (estilete metálico) 71.Na falta de agulha de
desnutrição, e todas as afecções gastroin- pressão ou estilete metálico, pode-se uti-
testinais. lizar uma de caneta esferográfica.

* Embora no texto não esteja escrito, a martelagem durante 30min provoca efusões de pequenas gotas, o que é
muito eficaz para eliminar sangue estagnado.
JLcupuntura 5
comJlgulliaQuente

Também conhecida como acupuntura com agulha de fogo, é um método


que consiste em tratar o paciente com uma agulha relativamente grossa e
aquecida em fogo de lamparina de álcool. A agulha aquecida deve ser
inserida rapidamente no acuponto a ser tratado e retirada imediatamente.
No Ling Shu, Capítulo 7, que versa sobre a aplicação das agulhas, está
escrito que a agulha é flambada até ficar vermelha ou quente, o que permi-
te eliminar os bloqueios (Bi doloroso) e aliviar as dores reumáticas inten-
sas8,73.A agulha quente dispersa o frio e a umidade que penetra nos ossos
e reaquece os canais de energia e seus colaterais. É usada no tratamento de
abscessos, de linfonodos endurecidos (escrófula) e em determinadas doenças
de pele 73.

Material
A agulha quente é o aperfeiçoamento da nona agulha da Antiguidade, de-
nominada da (Grande); é longa: 4cm (Fig. 5.1)13.

""
~
'"
"?
""
'"
r-
oA
00
00
r-
'"

FIGURA5.1 - Da, a nona das nove agulhas antigas.


I62 - ACUPUNTURA
COMAGULHAQUENTE

No Zhen Jiu Dacheng, escrito em 1601, superficiais e têm o corpo mais fino e
na Dinastia Ming (1368-1643), foram re- bem mais curto. Podem ser agrupadas de
tomados os estudos sobre agulhas quen- três a nove agulhas curtas de aço inoxi-
tes. Essa obra foi responsável pelas gran- dável, distribuídas em um cabo seme-
des compilações médicas da época. lhante ao martelo em flor de ameixeira
As agulhas podem ser feitas de co- ou de sete estrelas.
bre, de tungstênio ou de aço inoxidável. O Dr. Shi Huaitang, conforme citado
Atualmente, utilizam-se mais as agulhas porYoubang & Liangyue79, fez pesquisas
de aço inoxidável por serem mais resis- sobre as nove agulhas antigas, aperfei-
tentes e flexíveis. As agulhas de cobre çoando-as. Do aperfeiçoamento da nona
conduzem bem o calor, mas seus corpos agulha antiga (agulha de fogo, Da) surgi-
amolecem depois do aquecimento, por ram mais seis tipos de agulhas de fogo,
isso são menos recomendadas ou menos feitas çom tungstênio, um material resis-
utilizadas. tente ao fogo, que não deforma, não que-
O corpo da agulha é relativamente bra e continua rígido mesmo em altas tem-
grosso, com diâmetro de 0,5 a 1,2mm; o peraturas.
comprimento varia de 2 a 9cm79. As agu- Os seis tipos de agulha de fogo, aper-
lhas muito longas não são aconselhadas, feiçoados pelo Dr. Shi, são:
pois se curvam e entortam facilmente du-
rante a inserção. . Agulhade fogo fina, com 0,5mmde
O cabo da agulha mais curta é geral- diâmetro(Fig.5.2,A).
mente feito com madeira ou bambu, para . Agulhade fogo média,com 0,75mm
isolar o calor. Pode ser utilizado, no lugar de diâmetro(Fig.5.2,B).
do cabo, um tampão de algodão. . Agulha de fogo grossa, com 1,2mm
As agulhas longas são utilizadas para de diâmetro (Fig. 5.2, C).
inserções profundas e são semelhantes às . Agulhade fogo com três cabeçasou
agulhas filiformes, porém seus diâmetros com três agulhas médias juntas (cada
são maiores (entre 0,5 a 1,2mm). As agu- agulha tem 0,75mm de diâmetro e
lhas curtas são utilizadas para inserções lcm de comprimento [Fig. 5.2, D]).

A~
'D
" I
'1"
00
B~ v.

-.
~
..
'"
I

c~ ~ 'D
N
./:..

FIGURA
5.2
D- - Agulhas de fogo aperfeiçoadas pelo Dr. Shi Huaitang: (A) fina, (8) média, (C) grossa e
(O) com três cabeças.
ACUPUNTURA
COMAGULHAQUENTE
- 63 I
. Agulha de fogo curta e grossa com
1,2mm de diâmetro.
perfurado pela agulha quente com uma
bola de algodão seco estéril, para evitar o
. Agulha de fogo em forma de espada. sangramento.
A inserção profunda é apropriada para
"" Os cabos das agulhas de fogo têm Sem tratar abscessos, artrite reumatóide, ar-
~
'D de comprimento e são confeccionados troses, bócio, calo (hiperceratose plantar),
~ com madeira, exceto a agulha de fogo com ciatalgia, colite crônica, disenteria crônica,
~ três cabeças, que tem 9cm de comprimen- dismenorréia, dor lombar, epicondilite,
~ to e é feita de aço inoxidável.
t-
e;.,
furunculose, gastroenterite crônica, impo-
tência sexual, lipoma, nevralgia do trigê-
meo e periartrite escapuloumeral. Para
Método de Aplicação perfurar e drenar o pus, deve-se utilizar
uma agulha mais grossa; uma agulha mais
Após selecionar os acupontos a serem tra- fina pode ser reservada para tratar endu-
tados, desinfetar a região a ser tratada e recimento de linfonodos (escrófula) e
marcar o acuponto com agulha de pres- edema do tipo Yin. No lipoma, a agulha
são. Não é aconselhável marcar os acupon- ultrapassa o limite interno. No tratamento
tos com tintas ou corantes que podem dei- do calo, a agulha deve ultrapassar toda a
xar manchas escuras na pele. sua espessura.
Conforme a sensibilidade do pacien-
te, pode-se realizar previamente aneste-
sia local superficial (botão anestésico) Inserção Rápida e Superficial
com solução de procaína I % ou lidocaína
a I %, com ou sem 0,2% de cloridrato de É útil para tratar doenças localizadas na su-
adrenalina, para prevenir uma hemorragia. perfície e doenças causadas por fatores
Há dois tipos de inserção: profunda e patogênicos externos, como vento, frio, ca-
lor e umidade. Estes causam dores reu-
superficial.
máticas intensas, sensação de frio e pares-
tesia, que podem ser tratadas com uma
Inserção Rápida e Profunda agulha quente. Mas para tratar as doenças
de pele, como as "tinhas" (dermatomico-
Uma vez escolhido o local a ser tratado, ses), devem-se fazer inserções superficiais
realizar a assepsia. Segurar o cabo da agu- com várias agulhas curtas distribuídas em
lha longa com a mão direita e aquecê-Ia um cabo de madeira. Pode-se também uti-
em uma lamparina de álcool. Inicia-se o lizar agulhas cutâneas aquecidas. Aquecer
aquecimento a partir do corpo próximo à as agulhas em chama de lamparina de ál-
base do cabo em direção à ponta da agu- cool 96°GL, puncionar a pele muito sua-
lha. Quando a ponta da agulha estiver vemente, evitando queimaduras. De modo
flambada ou vermelha, imobilizar, com a geral, a inserção rápida e superficial é in-
mão esquerda, a região a ser tratada e, com dicada para tratar hemangioma pequeno,
o auxílio da mão direita, inserir rapida- nevo pigmentar, nevralgia do trigêmeo, pa-
mente a agulha no acuponto escolhido e ralisia facial, ulceração na mucosa, ulcera-
retirá-Ia imediatamente. Comprimir o local ção na pele, verruga mole e verruga plana.
I 64 - ACUPUNTURA
COMAGULHAQUENTE

Precauções agulha caso o corpo dela esteja quente

. Informar o paciente sobre o método e


e a ponta, fria*.
. Não utilizar agulhas aquecidas nos

.
confortá-lo para que não tenha medo
e evite desmaios.
O paciente deve ficar em posição ade-
. pacientes com hiperemia.
Deve-se evitar ao máximo o uso de

. quada e confortável.
No momento da inserção da agulha
. agulhas quentes no rosto.
Após a retirada da agulha, o acuponto '",
deve ser pressionado com força ime- ~ I

. quente o paciente deve ficar imóvel.


Após a escolha do acuponto ou sítio a di:tamente para evitar sangramento.
Nao massagear e nem esfregar o 10-
~I
~
ser tratado é indispensável fazer a as-
sepsia local. Pode-se usar tintura de
cal, para não lesar os tecidos. ~!
iodo em pacientes não alérgicos.
. Examinar a agulha antes de fIambá-la
O Dr. Shi Huaitang obteve grande êxi-
to com os seis tipos de agulhas de fogo e

. e verificar se está íntegra.


Para não dobrar e torcer o cabo da agu-
lha durante a inserção profunda, o pro-
relatou que a natureza da doença - fria ou
quente, deficiência ou excesso -, não é le-
fissional deve manejá-lo com cuidado, vada em consideração quando se trata com
pressionando a agulha com intensida- agulhas de fogo. As agulhas de fogo revi-
de suave e uniforme. goram a circulação de Qi com o calor. Não
. Na inserção profunda, tomar cuidado
para não atingir grandes vasos sangüí-
existe método de sedação ou tonificação.
Essa técnica, apesar de eficaz, ainda
neos, como artérias e veias que estão é pouco utilizada em nosso meio, talvez
mais na superfície, bem como nervos devido ao risco de lesão dos vasos san-
periféricos, tendões, órgãos e vísceras. güíneos e nervos periféricos. A agulha
. A agulhadeveseraquecidaprogressi- quente pode ser substituída por agulhas
vamente, começando-se pelo corpo e aquecidas com moxa, que apresentam ris-
terminando-se na ponta. Não inserir a cos mais baixos (ver capo 20).

* A agulha deve ficar vermelha; do contrário, a doença não será eliminada.


.9Lcupunturacom /
6
.9Lgullia
Unica

Conhecida como Ippon-bari de Dr. Sorei Yanaguiya, é uma técnica fácil


e eficaz, que consiste em inserir somente uma agulha para tratar síndromes
dolorosas e algumas enfermidades23.
Segundo Femández27, o Dr. Yanaguiya era muito experiente na utili-
zação dessa técnica e desejava que fosse divulgada e utilizada pelos povos
do Ocidente.
Particularmente, conheci a técnica utilizada com êxito pelo professor
Watanabe, que concedeu as figuras do livro do Dr. Sorei Yanaguiya. Nes-
tas, apenas a lombalgia estava sendo tratada com quatro agulhas longas,
ombro dolorido e gonalgia com apenas duas agulhas e as demais síndro-
mes dolorosas, com apenas uma agulha.

~ Técnica
-
'="

"?
'1"
t- Conforme descrito por Femández27, antes de efetuar a inserção da agulha,
N

.n
00 massagear lentamente o local para ativar a circulação de sangue. Palpar
ob
t-
'=" com a unha do dedo (indicador ou polegar), durante 5 a 6 respirações, e,
com isso, localizar mais facilmente a região a ser tratada.
A agulha deve ser introduzida lentamente para não causar dor e ex-
traída depois de 24 respirações, na primavera e no verão e 36 respirações,
no outono e no invemo*. Deve-se realizar punções mais profundas em
pacientes obesos e menos profundas em pacientes magros. As agulhas
mais grossas devem ser usadas para tratar pessoas robustas e mais finas,
para tratar as pessoas de constituição frágil e as crianças.

* Dr. Femández não explica a extração das agulhas com base no número de respirações.
I 66 - ACUPUNTURA COM AGULHA ÚNICA

Tratamentos Dor de Dente (Mandibular)


Complementares de
Algumas Enfermidades
. Colocar o paciente em decúbito late-
ral com o lado afetado para cima, boca
semi-aberta, mãos abertas, para se
Constipação Intestinal conseguir relaxamento muscular.
. Colocar o paciente, relaxado, em de-
. Enrolar uma pequena toalha, colo-
cúbito dorsal e localizar o acuponto a cá-Ia na boca do paciente e pedir para
2cun abaixo do umbigo e a lcun do que ele a morda com força. Assim,
lado esquerdo (Fig. 6.1). surge uma depressão abaixo do mús-
. Inserir a agulha na inspiração e retirá-Ia culo masseter, que é o acuponto onde
a agulha deve ser introduzida horizon-
na expiração, para tratar síndrome de
plenitude. Inserir a agulha na expira- talmente para frente, numa profundi-
ção e retirá-Ia na inspiração, para tra- dade de lcun (Fig. 6.2), até se obter a
tar síndrome de vazio (ver capo 1). "sensação de agulhamento".
. Ao se obter a "sensação de agulha-
mento", e se esta se irradiar até o ânus,
. Se houver dor no dente afetado, deve-
se retirar a agulha e não massagear o
pode-se retirar a agulha na expiração acuponto.
ou na inspiração conforme a síndro-
me: plenitude ou vazio de energia. Nota: massagear o acuponto antes de
. Caso o paciente sinta ânsia de vômito, inserir a agulha e nunca depois de re-
tirá-Ia.
retirar a agulha imediatamente.

'D
-.J
'f
00
v.
--- ~
N
.j:.
-
"\ c"
'D
N
~

~r~,\
7"'"''''

FIGURA6.1 - Acuponto para tratar constipação FIGURA


6.2 Acuponto
- para tratar dor de den-
intestinal. te mandibular.
COMAGULHAÚNICA-
ACUPUNTURA 67 I

Segundo Umlaufll, deve-se inserir a


agulha número 2 na margem posterior do
ramo ascendente da mandíbula, entre o ân-
gulo formado pela mandíbula e a inserção
do lóbulo da orelha; o sentido e a direção da
agulha é para frente e para baixo.

Dor de Dente (Maxilar)


. Colocar o paciente em decúbito late-
ral com o lado afetado para cima, boca
serni-aberta, mãos abertas, para se con-
seguir um relaxamento muscular.
'1"
N
a-
"?
. Inserir a agulha de cima para baixo
-'1" num acuponto localizado acima do
N osso zigomático (Fig. 6.3), numa pro-
r-
oA FIGURA 6.3 - Acuponto para tratar dor de den-
00 fundidade de lcun, passando-a por te maxilar.
ob
r-
a- dentro do osso zigomático.
. Ao se obter a "sensação de agulha-
mento" ou fazer a dor irradiar para o ção de agulhamento". Caso não se
dente afetado, retirar a agulha. consiga obter a sensação de Qi, puxar
a agulha e reiniciar a inserção, mudan-
Segundo Umlaufll, deve-se inserir a do um pouco a direção da agulha.
agulha número 3 entre TA 22 (Heliao) e
TA 23 (Sizhukong), atrás da cavidade
zigomática, num ângulo de 45° a 60° e
nU1I.laprofundidade de 25 a 35mm.

Dor na Face Anterior da Coxa


. Colocar o paciente sentado ou em de-
cúbito dorsal e fIexionar a coxa, for-
mando um ângulo reto com o abdo-
v
me (Fig. 6.4); em seguida, localizar
o acuponto numa depressão formada
pela inserção dos músculos tensor da
fáscia lata e sartório.
. Inserir a agulha perpendicularmente
à superfície, ou seja, tangenciando a
superfície do abdome, numa profun- FIGURA6.4 - Acuponto para tratar dor na face
didade de 2cun, até se obter a "sensa- anterior da coxa.
I 68 - ACUPUNTURA
COMAGULHAÚNICA

. Introduzir agulhas por baixo da patela,


partindo de pontos situados nos dois
ângulos superiores da patela, nos ca-
sos em que a dor da coxa atinge os
joelhos (Fig. 6.4). ~ '"
-..)
r'
00
u.
.:..,
N
.j:o

Dor na Face Lateral da Coxa

. Colocar o paciente em decúbito dor-


sal ou lateral, flexionar a coxa até
~ i

quase encostá-Ia no abdome e locali-


zar, no final da dobra da pele, o acu-
ponto (Fig. 6.5).
. Inserir a agulha perpendicularmente
à superfície da pele (puxar e inserir)
e, ao se obter a "sensação de agulha-
FIGURA6.5 - Acuponto para tratar dor na face
mento", retirar a agulha. lateral da coxa.

Enfermidades da Garganta acuponto, no qual, inseriu a agulha,


(Amigdalite, Faringite) fique hiperemiado, o objetivo já foi

. Colocar o paciente sentado ou deita-


atingido.

do em decúbito dorsal, segurando e


apertando com força um pedaço de Enfermidades do Nariz
bambu de 4 a 5cm de diâmetro, cor- (Rinite, Sinusite)
tado transversalmente (Fig. 6.6).
. No ângulo formado entre o primeiro . Colocar o paciente em decúbito dor-
e o segundo metacarpo, mais próxi- sal, com a boca semi-aberta e as mãos
mo ao primeiro, encontra-se o acu- abertas, para se conseguir um relaxa-
ponto (Fig. 6.6). mento muscular.
. Inserir a agulha numa profundidade . Inserir a agulha horizontalmente para
de 3, 6 ou 9mm. Ao se introduzir a baixo, entre as sobrancelhas, numa
agulha, caso o paciente tenha a "sen- profundidade de 0,5 a lcun até se ob-
sação de agulhamento" no antebra- ter a "sensaçãode agulhamento" e, em
ço, puxar a agulha e mudá-Ia de dire- seguida, retirá-Ia (Fig. 6.7).
ção, reintroduzindo-a suavemente até
a "sensação de Qi" surgir na gargan- Nota: esse acuponto corresponde ao
ta, o que é suficiente para obter efei- Yintang (Extra); pode-se direcionar a
tos terapêuticos. Caso não se obtenha extremidade da agulha para as narinas
a "sensação de agulhamento" e o direita e esquerda, respectivamente.
ACUPUNTURA
COMAGULHAÚNICA- 69 I

\~
~',---
'\

~/ ..........
.....
"-
'\

FIGURA6.6 - Acuponto
des da garganta.
para tratar enfermida-
~-~
FIGURA 6.7 - Acuponto para tratar enfermida-
des do nariz (rinite, sinusite).
Enfermidades do Ouvido
. Colocar o paciente em decúbito late-
Realizar movimentos de pistonagem
ral, com o lado afetado para cima e a
até obter a "sensação de agulhamen-
cabeça ligeiramente inclinada para trás.
to", depois irradiar essa sensação à ca-
A boca deve ficar semi-aberta, para se
beça ou ao globo ocular afetado.
conseguir um relaxamento muscular.
. Localizar o acuponto VB 12 (Wangu)
e inserir a agulha em direção ao ori- Lombalgia
fício ou meato auditivo, numa profun-
didade de 1 a 1,5cun, e, ao se obter
. Colocar o paciente em decúbito ven-
tral e inserir a agulha no ponto "A",
'1"
"a sensação de agulhamento", retirá-Ia
N numa inclinação formando um ângulo
a, (Fig. 6.8).
-
"i'
'1"
N
t- Nota: caso se sinta um obstáculo ao
.;.
"?
00
t- introduzir a agulha, puxá-la um pouco
a,
e redirecioná-la na reintrodução.

Enfermidades da Vista
. Colocar o paciente em decúbito lateral
direito ou esquerdo, dependendo do
lado afetado (lado afetado para cima).
. Localizar o acuponto VB 20 (Fengchi)
(Fig. 6.9) e inserir a agulha em dire-
ção ao globo ocular do mesmo lado,
passando por baixo do osso mastóide, FIGURA6.8 - Acuponto para tratar enfermida-
numa profundidade de 0,5 a lcun. des do ouvido.
I 70 - ACUPUNTURA
COMAGULHAÚNICA

~
\

.\~-
-JIL I j

~
FIGURA6.9 - Acuponto (Extra) para tratar en-
fermidades da vista.

de 45° com a linha mediana dorsal, e "~/ '"


-..)
um ângulo de 40° com a superfície do 00
FIGURA6.10 - Tratamento da lombalgia. 00
v,
corpo (Fig. 6.10). Introduzir a agulha ~
N
lentamente e, caso haja um obstáculo ::
'"
ósseo, puxá-Ia e reintroduzi-Ia, mu- . Inserir a agulha verticalmente, acom- 't!3
.j:o
dando sua direção até se obter "sen- panhando o úmero. Puxá-Ia e mudar
sação de agulhamento". Essa sensa- um pouco a sua direção para direita
ção pode, às vezes, irradiar-se para os ou esquerda e reintroduzi-Ia até sur-
membros inferiores. A profundidade gir a "sensação de agulhamento". A
do agulhamento deve .ser de aproxi- profundidade do agulhamento deve
madamente 2cun. ser de I a 2cun.
. Inserir a agulha no ponto "B", com as
mesmas inclinações já citadas, porém
a sua ponta deve ser dirigida para cima Ombralgia com Irradiação
(Fig. 6.10). para Face Radial do Antebraço
. braços relaxados.
Colocar o paciente sentado, com os
Ombralgia com Irradiação
para Face Cubital do .Inserir a agulha no ID 9 (Jianzhen),
de baixo para cima (Fig. 6.12), até se
Antebraço
obter a "sensação de agulhamento".
. Colocar o paciente sentado e, ao ele- Caso não se obtenha essa sensação,
var os braços dele, encontrar dois ori- puxar a agulha, mudar a. sua direção
fícios na superfície da articulação esca- para direita ou para esquerda e rein-
puloumeral. O orifício anterior corres- troduzi-Ia; ao se perceber a "sensação
ponde ao IG 15 (Jianyu) (Fig. 6.11). de agulhamento", fazer com que esta
COMAGULHAÚNICA-
ACUPUNTURA 71 I

-.,j-

~
'"
~ FIGURA6.11 - Tratamento da ombralgia com FIGURA 6.12 - Tratamento da ombralgia com
;'1i irradiação
t'- para membros superiores. irradiação para face radial do antebraço.
.;,
00
ob
t'-
'"
se irradie em direção aos dedos da tativa de fazer as extremidades das agu-
mão, atingindo-se, assim, o objetivo lhas se encontrarem (Fig. 6.13).
da terapia.
Técnica semelhante à de Yanaguiya,
utilizada pelo Dr. Xu Benren, denomina-
Ombralgia /Idos da "técnica de agulhamento rápido"79.
40 (1.0550 Anos de Idade" O Dr. Xu, inspirado pela obra Traba-
lhos Completos de Acupuntura, de Xu
. Colocar o paciente sentado, com os Feng, da dinastia Ming (1368 a 1643),
braços relaxados e as mãos levemen- seleciona menor número de acupontos
te cerradas, localizar os acupontos (um ou dois) para o tratamento de enfer-
IG 15 (Jianyu) e TA 14 (Jianliao). midades.
. Inserir uma agulha no IG 15 (Jimiyu) Por exemplo, em casos de hemiplegia,
em direção ao TA 14 (Jianliao) e outra ele acredita que um bom efeito é obtido com
agulha no TA 14 (Jianliao) em direção agulhamento de IG 18 (Futu) para tratar a
ao IG 15 (Jianyu), passando por baixo paralisia dos membros superiores e VB 30
das fibras do músculo deltóide*, na ten- (Huantiao) para tratar a paralisia dos mem-

* Corresponde à técnica de transfixação (ver capo 13).


I 72 - ACUPUNTURA COM AGULHA ÚNICA

'l)
-.J
'I"
00
U>
'"
N
-'"
+-

'l)
N
./.

,.;

FIGURA6.13 - Tratamento das ombralgias dos 40 e 50 anos de idade.

bras inferiores. IG 18 está localizado no de energia da Vesícula Biliar com o canal de


canal de energia Yangming da mão, que energia da Bexiga. O Dr. Xu tratou 104 ca-
contém maior quantidade de Qi e sangue. sos de trombose cerebral com taxa de eficá-
VB 30 é um acuponto confluente do canal cia de 91,3%79.
JLcupuntura
e /
7

~om6eamento
deIons
(IonPumping)
A técnica do Ion Pumping foi desenvolvida pelo Dr. Yoshio Mana~a, na
década de 1940. O Dr. Manaka foi médico, poeta, artista, pesquisador,
sábio e profundo conhecedor de Acupuntura. Sempre preocupado em ex-
plicar os fundamentos da Medicina Tradicional Chinesa com bases racio-
nais e científicas.
Em 1940, baseando-se na teoria de que as lesões provocadas por quei-
~ maduras acumulavam íons potássio (K+) em conseqüência da destruição
! da parede celular e que esse acúmulo era responsável por dor e demora
~ na cicatrização, ele descobriu uma técnica para aliviar a dor e acelerar a
~ cicatrização, utilizando um fio semicondutor. A essa técnica ele deu o
~ nome de Ion Pumping, que significa "bombeamento de íons".
O primeiro caso tratado por ele foi o de uma criança com queimadu-
ra, na Clínica de Odahara, Japão, que mesmo após todo o tratamento
para aliviar a dor provocada pela queimadura, não parava de chorar por
sentir muita dor3o. O Dr. Manaka considerou que a dor forte era causada
pelo' excesso de íons potássio (K+) liberados pela lesão da parede celu-
lar por queimaduras, o que é válido também para outros tipos de lesões
ou traumatismos. Assim, com a criança deitada sobre uma mesa isolada,
ele enrolou o pólo negativo do fio do gerador de Van De Graaf a uma
parte sadia do corpo dela, cobriu a área afetada pela queimadura com
uma folha fina de zinco esterilizada, enrolando-a com uma corrente de
metal que passava pelo diodo de germânio ligado ao pólo positivo do
aparelho. Após ligar o aparelho de Van De Graaf por 10min, a dor foi
aliviada imediatamente e a cicatrização também foi rápida30,42. A folha
de zinco pode ser substituída por folha ou laminado de alumínio devida-
mente esterilizado.
Posteriormente, o Dr. Manaka eliminou o gerador de Van De Graaf,
usando somente o fio semicondutor de diodo.
Apesar de ser chamado de Ion Pumping, ou "bombeamento de íons",
não significa que bombeie íons através do fio semicondutor, mas que esse
I 74 -ACUPUNTURAEBOMBEAMENTO
DEíONS(IONPUMPINC)

fio é capaz de movimentar os elétrons e ligar o terminal positivo na outra agulha,


regular o fluxo de energia dos canais. inserida no acuponto distante (Fig. 7.4, B).
Existe o fio semicondutor de Manaka
com três terminais ou triplo (com dois ter-
Fio Semicondutor minais positivos e um negativo) e quatro
deManaka terminais (com dois terminais positivos e
dois negativos).
Com o intuito de transferir o excesso de
As agulhas utilizadas para essa finali-
carga de íon potássio (K+) da área lesada
dade sempre devem ser do mesmo metal,
pela queimadura a uma outra área de te-
de calibre igual e, de preferência, de um
cido normal, o Dr. Manaka, utilizando
metal bom condutor de eletricidade. Teo-
cobre ou prata, idealizou um fio semicon-
ricamente, a área dolorida apresenta mi-
dutor com extremidades positiva e nega-
crolesões e, assim como em casos de quei-
tiva (Fig. 7.1). Na extremidade negativa
encontra-se embutido, no terminal, um maduras, deve apresentar excesso de íons
potássio (K+) extracelulares.
diodo semicondutor (Fig. 7.2), cujo pólo
Quando se aplica uma agulha no
negativo está ligado ao metal do termi-
nal negativo (Fig. 7.3). O pólo positivo acuponto Ashi e outra no acuponto dis-
do diodo, sem entrar em contato com o tal, liga-se o terminal positivo na agulha
metal do terminal negativo, é ligado ao do acuponto Ashi e o terminal negativo
fio condutor de aproximadamente 1,8m na agulha do acuponto distal, ocorrendo
de comprimento, no qual a outra extremi- uma polarização direta e, após alguns mi-
dade do fio é ligada ao terminal positivo. nutos, a diminuição da carga iônica po-
sitiva na área dolorida.
A aplicação clínica do fio semicondu-
tor de Manaka é simples. Basta inserir uma O fio semicondutor compõe-se essen- 'D
agulha no acuponto Ashi ou no acuponto ad- cialmente de um fio de cobre ou de prata qcJ 00

jacente à área da dor e outra no acuponto e um diodo conectado no terminal negati- ~


distante e ligar o terminal positivo no acu- vo, como já foi visto. O diodo é feito com t
ponto Ashi (no ponto dolorido) e o termi- uma base de silício (Fig. 7.5) ou germânio , I §
nal negativo na outra agulha inserida no (Fig. 7.6), constituindo os materiais tipos"'" I
acuponto distante (Fig. 7.4, A). Nos trata- n e p, cuja composição permite um fluxo
mentos de paresia e parestesia deve-se in- unidirecional de corrente elétrica através 1
I

verter a polaridade do fio semicondutor de do fio condutor, o que cria parte de um I


Manaka, isto é, conectar o terminal negati- circuit09,42 (Figs. 7.7 a 7.9). Tanto o ma-
vo na agulha inserida no acuponto locali- terial tipo n quanto o tipo p é constituído
zado na área com paresia ou parestesia, e por uma base de sílício (Si4-) (Fig. 7.5) ou

(+) (-)

~ /( ~ ~
FIGURA7.1 - Fio semicondutor de Manaka.
ACUPUNTURA
EBOMBEAMENTO
DEíONS(lONPUMPINGj
- 75 I
Movimento dos elétrons
germânio (Ge4-) (Fig. 7.6), na qual é adi-
e-~
cionado um determinado número de áto-
mos de impureza (uma parte por milhão),
quantidade suficiente para modificar as
+~~ propriedades elétricas do material9.
No material tipo fi com base de silício
Corrente convencional
~ (Si4-) contendo quatro ligações covalentes,
VD se for adicionado antimônio (Sb5-) com
+
cinco elétrons de valência como elemen-
..~
to de impureza (Fig. 7.7), existirá um quinto
FIGURA7.2 - Diodo semicondutor. e- = movi- elétron adicional, que estará dissociado de
mentação dos elétrons; VD = tensão. qualquer ligação covalente. Em outras

'T
N Diodo "Garra jacaré"
0\

-
'f
'T
N
t- I
I

oA ...
'1
00
t-
0\ (-)

(+)

FIGURA7.3 - Fio semicondutor de Manaka, com o diodo no pólo negativo.

I
+~
..
~
--~-+
+++
A Dor Ponto distante

.. I
.fi~_t.:i~-:;.~

++1++
+++
B Parestesia Ponto distante

FIGURA 7.4 - Aplicação clínica do fio semicondutor de Manaka no tratamento de dor (A) e
parestesia (8).
I 76 - ACUPUNTURA
EBOMBEAMENTO
DEíONS(lONPUMPING)

'D
....
'f
00
v.
c.,
N
~
-
""
'D
N
.;.

FIGURA 7.5 - Base de silício (Si4-) com ligação Atómo doador


covalente de seus átomos. de elétrons

FIGURA7.7 - Material tipo n com impureza


(antimônio [Sb]). Si = silício.

N Omaterial tipo p, também com base


de silício (Si-4) contendo quatro ligações
covalentes, se for adicionado átomo de im-
pureza, como o de boro (B-3) com três
elétrons, faltará um elétron no conjunto,
constituindo assim um buraco, que será
representado pelo sinal positivo devido
à falta de carga negativa7 (Fig. 7.8).
No material tipo p o elétron é chamado
FIGURA 7.6 - Base de germânio (Ge4-) com li-
de portador miooritário e o vazio de elé-
gação covalente de seus átomos.
trons, de portador majoritário.
Em resumo, o diodo semicondutor é
palavras, esse elétron estará livre para se formado juntando-se simplesmente os ma-
mover dentro do material tipo 09. teriais tipos o e p (construídos com base
O antimônio (Sb5-), com cinco elé- de silício ou germânio)9 (Fig. 7.9).
trons de valência, é chamado de doador Um diodo ideal é aquele que conduz
corrente somente em um sentido. Em ou-
de elétrons. No lugar do antimônio pode
ser utilizado o arsênico (As-5) ou o fósfo- tras palavras, o diodo ideal é um dispositi-
ro (P-5), que também contêm cinco elé- vo que apresenta dois terminais, um posi-
trons na última camada do átomo9. tivo (receptor de elétrons) e outro negativo
No material tipo o, o elétron é chamado (doador de elétrons) (Fig. 7.10), com sím-
de portador majoritário e o vazio de pró- bolo característico ou representação esque-
tons, de portador miooritário. mática9 (Fig. 7.11).
ACUPUNTURA DEíONS(lONPUMPINC) 77
EBOMBEAMENTO - I

(+) (-)

t \ 10= amA O Vo= OV". 10= amA \~


+

FIGURA 7.9 - Junção dos materiaistiposn e p


para constituir o diodo semicondutor. ID = cor-

rente convencional; VD = tensão.

Atómo receptor
de elétrons
. Na polarização direta V D > OV, ou "li-

FIGURA 7.8 - Material tipo p com impureza gada", isto é, quando se aplicam po-
(boro [B]). Si = silício. tenciais positivo ao material tipo p e

negativo ao material tipo fi, o diodo se-

micondutor é polarizado diretamente9


Condições de Polarização (Fig.7.13).

. Na ausência de uma tensão de polari- . Na polarização reversa V D < OV, ou


zação aplicada, V D = OV, o fluxo lí- seja, quando se aplicam os potenciais

quido de carga, em qualquer direção, negativo ao material p e positivo ao

para um diodo semicondutor é nul09 material fi,o diodo semicondutor é po-

(Fig.7.12). larizado reversamente e a corrente que

(+) (-)
'7 Faltade elétronsou Sobra de elétrons
N
a-, receptor de elétrons ou doador de elétrons
'f
:; -+++- - - + + -+-+-
N
+-+-+ - - + + + --- +
-
r;-
or;
00 -+++- - - + + -+-+-
00
r--
r-- +-+-+ - - + + +---+
a-,
-+++- - - + + -+ -+-
+-+-+ - - + + + --- +
p n
Regiãode depleção

10= amA - 10= amA


Se Vo = OV
(Nenhuma polarização)

FIGURA 7.10 - Diodo ideal. Id = corrente convencional; região de depleção = ausência de porta-
doresminoritários Vd = tensão.
e majoritários;
I 78 - ACUPUNTURA
EBOMBEAMENTO
DEíONS(IONPUMPING)

+0
-
Corrente convencional

0-
...
Is 10 = 1m- Is
.Im
.;..1
~ elétrons

fc1-
Corrente real

p t" I
FIGURA 7.11 - Representação esquemática do
diodo.

C L '" +1 ,- '0 ..-J


surge sob essa condição é chamada Vo > OV
10 = 1m- Is
de corrente de saturação reversa9
(Fig.7.14).
FIGURA7.13 - Tensão de polarização. VD > OV;
ID > OmA. e- = movimentação dos elétrons;
ID = corrente convencional; 1m= corrente ma-
Cuidados Necessários joritária; Is = corrente de saturação reversa;
VD = tensão.
na Utilização do Fio
Semicondutor34,42
. Pedir ao paciente para retirar todos os
rência a um metal que seja bom con-
dutor de eletricidade.
tipos de metais do corpo, como jóias,
relógio, roupas de tecido sintético,
. A inserção
rasa.
deve ser superficial ou
para evitar interferências eletromag-
néticas que prejudicam o efeito tera- . O fio semicondutor deve estar ligado
pêutico do fio semicondutor. Vestir o entre duas agulhas, por meio de clipe
paciente com avental feito com teci- ou "garrajacaré"; deve-se ter o cuidado
do de algodão. de conectar o terminal positivo na agu-
. Fazer a escolha correta e a localização lha inserida no local da dor ou ponto

.
precisa dos acupontos. .
. Utilizar agulha fina número 3 ou com
Is
O,20mm de diâmetro, dando prefe- 1m= O

P, I n I
p n

L'o~I,-, 1+'o~l, ~ 'D


-.j
00
00
li>

L VO~A +

Vo= ov
- 10=OmA ~ Vo < OV
10 = 1m- Is
10 = Is
'"
N
t
'"
'D
N
.;.

FIGURA 7.12 - Tensão de polarização9. FIGURA 7.14 - Tensão de polarização reversa9.


VD = OV; ID = OmA. ID = corrente convencio- ID = corrente convencional; 1m= corrente ma-
nal; VD = tensão. joritária; Is = corrente de saturação reversa.
ACUPUNTURA
EBOMBEAMENTO
DEíONS(lONPUMPING)
- 79 I

Ashi e inverter essa polaridade quando Ombro Dolorido Agudo


tratar paresia ou parestesia.
. Manter o fio semicondutor conectado Inserir uma agulha (I) no meio da área
às agulhas por 10 a 15min. dolorida ou acima dela, por exemplo,
. Observar a reação do paciente; caso TA 17 (Yifeng), e outra (2) no acuponto
distal, por exemplo, TA 4 (Yangchi). Em
ele sinta agitação, desconforto, mal-
estar, náusea, etc., retirar o fio e as seguida, conectar o terminal positivo do
agulhas. fio semicondutor na agulha 1 e o terminal
negativo na agulha 2. Esse método utiliza
os acupontos do mesmo canal.
Tratamento com Fio
Semicondutor de Manaka
Casos clínicos
A seguir, exemplos de tratamentos de al-
. Mulher, 39 anos, que sofreu contusão
gumas enfermidades e síndromes dolori-
'tN das com fio semicondutor de Manaka há 15 dias na face anterior da perna,
~ (para facilitar o entendimento, as agulhas ao cair do cavalo. O hematoma já es-
tava em fase de reabsorção, mas ela
~ inseridas
t""- são identificadas pelos números
~ I e 2). ainda sentia muita dor. Foi aplicada
00
t""-
a,
uma agulha no E 36 (Zusanli) e outra
no E 43 (Xiangu); após conectar o ter-
Asma minal positivo na agulha inserida no
E 36 e o terminal negativo na agulha
Inserir uma agulha (1) no acuponto P I inserida no E 43 (Xiangu), a paciente
(Zhongfu) e outra (2) no acuponto P 9 (Tai- relatou que a dor diminuiu muito de-
yuan) contralateral. Em seguida, conec- pois de lOmin; no terceiro dia ela já
tar o terminal positivo na agulha 1 e o ter- estava totalmente sem dor.
minal negativo na agulha 2, durante 10 a
15min. Quatro a cinco sessões constituem
. Homem, 45 anos, que sofeu uma fra-
tura no antebraço esquerdo durante
um ciclo de tratamento.
um acidente automobilístico e, como
conseqüência, houve lesão do nervo
Gonalgia mediano provocando paresia do mem-
bro superior. Após a inserção de agu-
Inserir uma agulha (1) no acuponto Ashi lhas nos pontos IG 15 (Jianyu), IG 10
do joelho afetado e outra (2) no joelho (Shousanli), TA 5 (Waiguan) e IG 4
oposto, no ponto correspondente à dor. Em (Hegu), em ambos os braços, foi
seguida, conectar o terminal positivo do conectado o fio semicondutor com o
fio semicondutor na agulha I e o terminal terminal negativo no braço e no ante-
negativo na agulha 2, deixando assim por braço afetado (esquerdo) e o terminal
10 a 15min. Se a área dolorida for exten- positivo conectado nas agulhas inse-
sa, inserir duas agulhas no joelho afetado ridas no braço e no antebraço sadio
e conectar o fio semicondutor triplo com (direito). Após 20 sessões, o paciente
dois terminais positivos. se recuperou consideravelmente, com-
I
80 - ACUPUNTURA
EBOMBEAMENTO
DEíONS(lONPUMPING)

plementando o tratamento com Fisio- insucessos no tratamento pela Acupun-


terapia. tura, deve-se solicitar imediatamente
. Homem, 45 anos, oficial da Escola de outros exames de imagem.
Equitação do Exército, que sofreu uma
queda de cavalo durante a prática de Existem várias maneiras de utilizar o
hipismo, atingindo o ombro esquerdo. fio semicondutor de Manaka, por exem-
A radiografia do ombro esquerdo não plo, tratar os acupontos situados no mesmo
mostrou alterações, porém as dores canal de energia, acupontos situados em
persistiam durante mais de 7 dias e o canais unitários, como aqueles dos canais v:;
paciente se recusava a fazer uso de me- do Estômago e do Intestino Grosso, acu- ~ 00

dicamentos analgésicos. Foi aplicada pontos opostos, contralaterais, doloridos e ~N

uma agulha no acuponto Ashi (ponto auriculares, dos Canais Distintos, dos Vasos t
mais dolorido) do ombro esquerdo e Maravilhosos, etc. Assim, nos casos de dor §
outra no acuponto correspondente, no no ombro, pode-se aplicar uma agulha no .),.

ombro direito; após se conectar o ter- ombro, outra no ponto do ombro no pavilhão
minal positivo na agulha inserida no auricular e conectar o fio semicondutor
ombro esquerdo e o terminal negati- adequadamente, conforme já explicado.
vo na agulha aplicada no ombro di- Em resumo, cada profissional deve pes-
reito, o paciente conseguiu movimen- quisar e desenvolver o seu próprio método.
tar o braço esquerdo praticamente sem Como qualquer técnica, essa também
dor, após IOmin. Não houve necessi- é excelente, desde que seja bem indicada e
dade de realizar outras sessões. utilizada. Sempre é bom utilizá-Ia em as-
sociação com outros métodos, lembran-
Nota: em casos de acidentes com com- do-se que Acupuntura Clássica e Moxa-
prometimento do ombro, se a radiogra- bustão, Farmacoterapia e Dietoterapia
fia não mostrar alterações e mostrar Chinesas são fundamentais.
JLcupuntura 8
emCrianças

Embora a Acupuntura em crianças não tenha contra-indicações, tem-se


evitado aplicar agulhas nelas, principalmente em bebês.
As crianças respondem muito bem ao estímulo dos acupontos com al-
gum objeto de ponta fina, ligeiramente arredondado, sem perfurar a pele, até
que se obtenha uma hiperemia. Na falta desse objeto, pode-se utilizar até a
unha do dedo da mão. A técnica surgiu na China, durante a dinastia Song
(960-1279), e destina-se ao tratamento de enfermidades em crianças de 20
dias até 8 anos de idade46.
Mas essa técnica, na realidade, é bem mais antiga, pois no Ling Shu,
Capítulo 6, o Imperador Amarelo, Huang Di (2698-2598 a.c.), pergunta:
Como se deve punturar as crianças?
E Chi Po responde:
Em crianças de músculos frágeis, falta sangue. Sua energia ainda é
fraca. A Acupuntura éfeita rapidamente na superfície, com agulhafiliforme.
Deve-se punturar somente duas vezes ao dia73.
A Acupuntura em crianças foi muito utilizada na região ocidental do
Japão, especialmente em Osaka, onde há relatos de mais de 300 anos, se-
gundo Yoneyama e Mori, citados por Sussmann66. O estímulo é suave e
bem mais tolerável do que na Acupuntura e na Moxabustão e o resultado
é fantástico.
Apesar de no Ling Shu, Capítulo 6, estar escrito que, em crianças de
músculos frágeis, falta sangue e energia é fraca, o sistema homeostático é
eficiente e, por isso, a criança responde muito bem até mesmo ao estímulo
'T
M fraco 73.
0\
"?

:;
N

~
00
t-
Material e Método de Aplicação
0\
. Na falta de instrumento para realizar essa técnica,
pode-se percutir sua-
vemente o acuponto escolhido para tratamento com a unha do dedo
indicador ou médio, numa freqüência de 100 a 200 batidas/min até se
I 82 - ACUPUNTURA EM CRIANÇAS

obter hiperemia da área tratada. Pode- de comprimento e 2,2mm de diâme-


se também percutir os acupontos com tro. A ponta da agulha deve ser em for-
escova de dentes. ma de tulipa, feita por um profissional
. Apalpador-estimulador: esse instru- (ourives), num comprimento de 5mm.
mento simples, feito de metal, é en- A extremidade fina dessa tulipa Ílm- ~
contrado no comércio (Fig. 8.1). Con- ciona como agulha, tem 2 a 3cm de -~.J
tém um estilete simples de 7cm de
comprimento com uma das extremi-
comprimento e não deve ser pontiagu- t
da, para não perfurar a pele. §
dades apresentando ponta arredonda-
da e diâmetro em tomo de 2mm, sendo
. Preparar dois cilindros com ouro 10 .I.
quilates, com 5mm de comprimento
a outra extremidade um pouco maior,
com 4mm de diâmetro, para ser adap- e 2,2mm de diâmetro, que sirva como
tada numa outra peça cilíndrica oca contrapeso.
(Fig. 8.1, A) com diâmetro interno em
tomo de 3 a 4mm. No interior da peça
cilíndrica oca (Fig. 8.1, A), coloca-se Montagem das
o estilete e sobre ele uma mola em Agulhas
espiral para permitir que o estilete re-
cue e avance durante a percussão dos
. Com o auxílio do bico de Bunsen, fe-
char parcialmente, ou pela metade, um
acupontos cutâneos. Uma outra peça
dos orifícios do tubo de vidro.
cilíndrica (Fig. 8.1, B) é acoplada na
peça cilíndrica oca (Fig. 8.1, A), fun- . Pela outra extremidade, introduzir no
tubo de vidro os dois cilindros de ouro
cionando como cabo do aparelho.
. Agulha especial para crianças: segun-
.
que vão funcionar como contrapesos.
Introduzir a agulha de ouro branco pe-
do Auteroche & Auteroche5, essa agu-
lha, embora de grande utilidade, é la parte mais larga.
pouco conhecida. . Fechar parcialmente, com o auxílio do
bico de Bunsen, o outro orificio do tubo
de vidro, por onde sairá a ponta da agu-
Material Necessário para lha feita de ouro branco. O orifício do
Fabricação de Agulha tubo de vidro por onde sai a agulha deve
Especial para Crianças ser circular e uniforme, de maneira a
. Providenciar um tubo de vidro utiliza- acomodar perfeitamente o formato da
tulipa (Fig. 8.2). Para que o orifício fi-
do para a fabricação de pipetas em la-
boratórios de microbiologia, de 5mm que circular e uniforme deve-se girar a
de diâmetro externo e 2,5mm de diâ- extremidade do tubo uniformemente
metro interno. O comprimento total do sobre a chama do bico de Bunsen.
tubo de vidro deve ser de 5cm, mas . Quando o tubo de vidro é colocado
deve-se prever um comprimento maior verticalmente, a ponta da agulha é di-
devido à possibilidade de quebras. rigida para baixo e deve ultrapassar
. Preparar uma agulha com cilindro de o orifício do tubo em aproximada-
mente 2 a 3mm.
ouro branco de 14 quilates, com 2,8cm
l
ACUPUNTURA
"
EMCRIANÇAS
- 83 I

B
~ ~
(OOOOOOIJ)OO(Y)i))

a:J
c
FIGURA 8.1 - (A-C) Apalpador-estimulador.

Para tratar criança, pode-se preparar mente arredondada. O cabo da agulha


agulhas utilizando-se os mesmos tubos deve ser grosso o suficiente para se adap-
de vidro e contrapesos esféricos feitos de tar ao interior do tubo de vidro. O com-
aço inoxidável em substituição a duas primento total da agulha deve ser de 2,8
barras de ouro de 10 quilates. O número a 3cm. O tamanho do tubo de vidro pode
de esferas deve corresponder ao peso das variar de acordo com a conveniência de
duas barras de ouro e o diâmetro da esfe- cada profissional. O modelo da Figura
ra deve ser um pouco menor do que o diâ- 8.3 foi muito utilizado pelo Dr. Frederico
metro interno do tubo de vidro. A agulha Spaeth e adaptado pelo Dr. Orlando José
pode ser de aço inoxidável, com diâme- Gonçalves Filho, para o tratamento de
tro de 0,30 a 0,35mm, e ter ponta ligeira- crianças.

-
""
N
)
o-,
j;
""
FIGURA 8.2 - Agulha para tratar crianças.
N
r;-
>n
00
00
,....
o-,

~
A

.~ "'~"""~':;::''''''''''~:'':'':;'-;::'
.~',,'i'''':''=:--~_:~..~-
. .
""' ':--. }
B

FIGURA8.3 - (A e B) Agulha para tratar crianças.


184 -ACUPUNTURAEMCRIANÇAS

Um outro modelo de utensílio para


Acupuntura em crianças é um dispositivo
em forma de "pincel", que contêm várias '"
-.J
agulhas filiformes embutidas num cilin- &
U1

dro (semelhante a um pincel de barbeiro) ~


e tampa protetora (Fig. 8.4). ~
O>
'"
N
~

Tratamento
A .8 É realizado de acordo com as teorias bá-
sicas da Medicina Chinesa, obedecendo
aos mesmos princípios utilizados na tera-
FIGURA
8.4 Dispositivo
- com agulhas em for-
ma de pincel (A) e tampa protetora (8). pia com agulhas filiformes.
JLcupuntura
Cutânta 9

Também é conhecida como Acupuntura com agulha de sete estrelas*,


Acupuntura com agulhas em flor de ameixeira** e Acupuntura epidérmica.
O método consiste em estimular superficialmente a pele com um mar-
telo (Fig. 9.1) que contém um conjunto de cinco ou sete agulhas distribuí-
das numa peça cilíndrica, denominada "cabeça" do martelo.
A Acupuntura Cutânea é o aprimoramento das antigas técnicas de esti-
mulação de superfície da pele com uma agulha fina e curta (Ling Shu,
Capítulo 1)13.
Como a utilização do martelo praticamente não causa dor e pode ser
bem-tolerada pelas crianças, essa técnica pode ser utilizada no tratamento
delas. É denominada Acupuntura epidérmica porque o estímulo limita-se à
pele e, se houver perfuração da epiderme e da derme, poderão brotar
gotículas de sangue, principalmente quando há estagnação de sangue no
local.
A Acupuntura Cutânea é um método de fácil aplicação, produz um
bom efeito terapêutico e oferece a vantagem de ser bastante seguro.

,.
N
0\
-,.'"
'9

t-;-
<n
'1
I J
~
00
r--
0\

FIGURA9.1 - Martelo de cinco ou sete agulhas.

* As sete estrelas têm correlação com a Constelação da Ursa Maior.


** A flor de ameixeira tem cinco pétalas.
I 86 - ACUPUNTURA
CUTÂNEA

Material Necessário mínimo pressionam o cabo contra a emi-


nência hipotenar ou simplesmente segu-
A Acupuntura cutânea é realizada com ram a extremidade do cabo com os dedos
martelos que podem ser confeccionados polegar, indicador e médio.
por um profissional ou podem ser adqui- A martelagem deve ser rítmica pelo
ridos no comércio.
movimento do punho que levanta e abai-
O martelo deve ser leve e ter cabo lon-
xa a cabeça do martelo. As pontas das
go (15 a 20cm), cuja cabeça é guarnecida
agulhas devem tocar a superfície da pele
por cinco ou sete agulhas bem distribuí-
em ângulo reto, pois os impactos perpen-
das, conforme citado. O martelo, princi-
diculares não provocam dores. As extre-
palmente seu cabo, pode ser confeccionado
com diferentes materiais, como metal, chi- midades das agulhas embutidas na cabe-
fre de boi ou de búfalo, bambu, plástico, ça do martelo devem estar todas num
etc., que permitam sua flexibilidade du- mesmo plano, as pontas não devem ser de-
rante o tratamento. feituosas, pois isso pode causar dor du-
Existem também modelos de martelo rante a martelagem. Para verificar se há
de sete estrelas modernos com "refis" es- defeitos nas extremidades das agulhas
terilizáveis ou descartáveis. basta tocá-Ias levemente com um pedaço
de algodão. As fibras de algodão podem
ficar retidas nas extremidades defeituosas
Método de Martelagem das agulhas.
Os estímulos provocados pelas marte-
Em primeiro lugar, limpar o local esco-
lhido para o tratamento com algodão em- lagens nos locais escolhidos para o trata-
bebido em álcool 700GL ou álcool iodado mento podem ser leves e fortes (alguns
a2%. autores ainda incluem estímulos interme- 'D-.J
Em seguida, segurar o cabo do mar- diários ou moderados). A intensidade des- :k
telo com o auxílio dos dedos polegar e ses estímulos é calculada por menor ou ~
médio e o indicador levemente apoiado maior força desempenhada pelos movi- ~ cr-
sobre ele (Fig.9.2). Os dedos anelar e mentos dos punhos, bem como pela me- ~ -I>-

FIGURA9.2 - Método de martelagem (como segurar o martelo).


ACUPUNTURA
CUTÂNEA
- 871

nor ou maior distância dada entre o mar-


AJ-étodos para Seleção das
telo e a pele, assim como menor ou maior Areas a Serem Tratadas
tempo de contato das agulhas com a pele.
Em geral, realizam-se, em média, 100 Há quatro métodos de seleção das áreas
movimentos de martelagem por minuto. a serem estimuladas com Acupuntura
Um estímulo leve produz um ligeiro ru- Cutânea:
bor na pele, ao passo que um estímulo for-
te produz intensa vermelhidão, podendo
surgir pequenas efusões de sangue.
. Seleção de acordo com as partes ana-
tõmicas afetadas.
. Seleção seguindo os trajetos dos ca-
nais de energia.
Seqüência para
Realização da
. Seleção de acupontos de acordo com
as diferenciações das síndromes.
~Acupuntura
a-
Cutânea . Seleção de acupontos de reação posi-
'9 tiva à dor.
::;
'" Antes de iniciar o tratamento, o paciente
r--
.;, deve ser informado sobre a técnica e ser
"'1
00 orientado para ficar em posição adequa-
r--
a- Seleção Segundo as
da e confortável. Partes Anatômicas
Geralmente, inicia-se a martelagem
nos dois lados da coluna vertebral, em Ambos os lados da coluna
três linhas de cima para baixo e de den- vertebral
tro para fora, atingindo os acupontos Jiaji
Inclui as regiões dorsal, lombar e sacral.
ou, ao longo do trajeto do canal de ener-
Martelar desde a primeira vértebra dorsal
gia, Taiyang (Bexiga) iniciando-se no
até as vértebras sacrais, em três linhas
nível das primeiras vértebras torácicas e
terminando nas vértebras sacrais. (Fig. 9.3):
'Em cada acuponto realizam-se de 5
a 10 martelagens, podendo-se atingir até
. Primeira linha: lcm ao lado da linha
30 martelagens. A área da pele tratada mediana (corresponde à área dos acu-
deve ficar avermelhada. pontos Jiaji).
Na cabeça, inicia-se a martelagem da . Segunda linha: 2cm ao lado da linha
mediana.
linha de inserção anterior dos cabelos à
sua linha de inserção posterior. Pode-se . Terceira linha: 3 ou 4cm ao lado da
também seguir o trajeto dos canais de linha mediana.
energia do Dumai, da Bexiga e da Vesí-
cula Biliar. Além das martelagens em li- Indicações: da primeira à oitava vér-
nhas verticais, podem-se realizar marte- tebra torácica, auxilia no tratamento de pa-
lagens em linhas horizontais. Para tratar tologias do Pulmão, do Coração, doenças
tórax, abdome e membros superiores e psíquicas e dores na coluna vertebral. Da
inferiores, faz-se a martelagem de cima nona à primiera vértebra lombar, auxilia
para baixo. no tratamento de patologias do Fígado, da
I 88 - ACUPUNTURA
CUTÂNEA

Terceira linha

Segunda linha
Primeira linha

I
I I II
I II I I I '"
-J
I I I II I "f
00
ti>
I I I I 11 c.,
I II III N

I II1
"""

I : I1I o-
'"
I ri N
I Ir II II .;.
I II II I
I 1I I' I
I
I
: III
I I II I
I II I I I
I I 11 I
I II II I
I ': "I
II JI J II II tI

, :: 11 I
I II II I
: 1I I' I
I I1 ,li
I II I I I
I II I"
I 11 I I I
I II I I I

iU U!

FIGURA 9.3 - Martelagem de ambos lados da coluna vertebral.

Vesícula Biliar, do Baço, do Pâncreas, do celhas e as linhas de inserção dos ca-


Estômago e dores na coluna vertebral 10- belos (Fig. 9.4).
cal. Da segunda vértebra lombar às vérte- - Indicações: auxilia nos tratamentos
bras sacrais, trata doenças do Rim, Intes- de cefaléia temporal e hemicrania.
tinos, sistema urogenital e dores da coluna
vertebrallombossacral.
. Área ocular: martelar levemente as
pálpebras superior e inferior, em dire-
ção centrífuga e em sentido semicir-
Cabeça cular, em 2 a 3 linhas (Fig. 9.4).
- Indicações: auxilia nos tratamentos
. Região frontal: martelar 3 a 5 linhas ho- das doenças de pálpebras e parali-
rizontais no espaço entre as sobran- sia facial.
ACUPUNTURA
CUTÂNEA
- 89 I

. Área nasal: martelar suavementeao . Região occipital: martelar a partir da


longo do dorso e em ambos os lados protuberância do occipital, em direção
do nariz, em 2 a 3 linhas (Fig. 9.4). à linha posterior dos cabelos, em 3 aS
- Indicação: auxilia no tratamento de linhas, seguindo o trajeto dos canais de
rinite.
. Área labial: martelar ao redor dos lá-
bios (Fig. 9.4).
- Indicação: auxilia no tratamento de
paralisia facial. ~
. Região parietal: martelar a partir da ,I' - ~, ...~
linha de inserção anterior dos cabelos
"/.,,
I
'.'" -'.'"''
\
,...............
.,
J.I' :::::::::::::::::::::,
em direção à sua linha de inserção pos-
terior, seguindo a linha mediana, ou A
~
r """1;:"'11
~\} \ ::\
~
... ~".
.t~...... ..':
seja, ao longo dos canais de energia do . :.
:: ..., J
Dumai, da Bexiga e da Vesícula Biliar. .::
~*.'"
Pode-se realizar também estímulos em
linhas horizontais, de um lado a outro
~.:
-"::.."
da cabeça (Fig. 9.5).
- Indicações: auxilia nos tratamentos

de cefaléia parietal e neurastenia.


'T
N
. Áreajacial ou área da bochecha: mar-
0\ telar a partir de comissura labial e sulco FIGURA9.4 - Martelagem em regiões frontal,
"?
;; nasolabial, em direção à borda inferior ocular, nasal, labial e anterior do pescoço.
N
r--
.;, do arco zigomático e à região anterior
00
00
r--
da orelha, em 2 a 3 linhas (Fig. 9.5).
0\
- Indicação: auxilia no tratamento de
. paralisia facial.
. Área auricular: martelar circularmen-
te ao redor da orelha, em 2 a 3 linhas
(Fig. 9.5).
- Indicação: auxilia no tratamento das
patologias do ouvido.
. Área mandibular: martelar a partir do
ângulo da mandíbula, seguindo ao lon-
go da sua borda inferior até a região
mentoniana, em 2 a 3 linhas (Fig. 9.5).
- Indicação: auxilia no tratamento de
paralisia facial.
. Área mastóidea: martelar radialmen-
te a partir do osso mastóideo (Fig. 9.5).
- Indicação: auxilia no tratamento das
FIGURA9.5 - Martelagem em regiões parietal,
patologias do ouvido. fadal, auricular, mandibular e mastóidea.
I 90 - ACUPUNTURA
CUTÂNEA

energia do Dumai, da Bexiga e da


Vesícula Biliar (Fig. 9.6).
- Indicação: auxilia no tratamento da

cefaléia occipital. r~
.
~'- lI'
Pescoço
. Região anterior do pescoço: martelar
em 2 a 4 linhas, de cima para baixo,
,(
"ti'......
,,~
ao longo de ambos os lados da traquéia
(Fig.9.7).
- Indicação: auxilia no tratamento
....

:.'.
.'
.'
"::
.."..'"
".
~
........ ...'.
.. '. . .~
'...'.
,-::..
:'
.. '. ':':J
das doenças do pescoço. '...:'i . . .!J..
. Região posterior do pescoço: martelar
..
.".::..
.'..
,.
"'..!.
ii
em 2 a 4 linhas, desde a linha de inser-
:: :...:.
~

ção posterior dos cabelos até a altura


da sétima vértebra cervical (Fig. 9.7). FIGURA 9.7 - Regiões anterior, posterior e late-
- Indicação: auxilia no tratamento da ral do pescoço.
cervicalgia posterior.
. Região lateral do pescoço: martelar
sando pelas bordas anterior e posterior
em 2 a 3 linhas, de cima para baixo,
do músculo esternocleidomastóideo
a partir do processo mastóideo, pas-
(Fig. 9.7).
- Indicação: auxilia no tratamento da
cervicalgia lateral.

Tórax e Escápula
. Região peitoral: martelar ao redor da
aréola da glândula mamária, em 2 a 3
linhas (Fig. 9.8).
- Indicações: auxilia nos tratamentos
das dores nas mamas, agalaxia, etc.
. Região do esterno: martelar ao longo :s 00

das bordas laterais do esterno, de cima ~


para baixo, em I a 2 linhas (Fig. 9.8). ~
+-

- Indicação: auxilia no tratamento de i;


dor na parede torácica. ~
. Espaços intercostais anterior e poste-
rior: martelar ao longo dos espaços
intercostais da região torácica, em di-
FIGURA9.6 - Martelagem da região occipital. reção centrífuga (Fig. 9.8).
ACUPUNTURA
CUTÂNEA
- 91 I

'1"
N
0\
-
"?

~
r-;-
on
~
00
t-
0\

.'.,', .',', ,
.. " , '.
I:::',H;:>' '->
...' ..,.
~:.~..: :: ::.' . .fi>..,
" "
' ::
"'" :~:':":
',',
"- .:...:,'
, ;',, : ,-:
"""" ',' ,
~~. ""'"
..,....
''''''''''
"" '''
'9:
' """
., ,.,.. ,', ,
"'"''''
'"''''''
.........
:'.
,.~.'
::::::;=:.'
""'. '.'
. .'. ""'.'.
. '-:::...:::::.'
: . ':::::::
,. .,..
,
.
...
,
., .,
.. .. ...
..
.. .
. . ,.
..
.. ,,
.' , ,
:':: :'=
'.:::,'
" , ., ,, ,.
,,,

FIGURA 9.8 - Martelagem de região peitoral, esterno, espaços intercostais anteriores, região supra-
clavicular, regiões abdominais superior, inferior, inguinal e púbica, hipocôndrio, face anterior ou
ventral do membro superior, face palmar da mão, face anterior do membro inferior, áreas da
rótula, da articulação do tornozelo e do dorso do pé.
I 92 - ACUPUNTURA
CUTÂNEA

- Indicação: auxilia no tratamento da . Região púbica: martelar transver-


nevralgia intercostal. salmente ao longo da borda superior
. Regiões supra e infraclavicular: mar- da sínfise pubiana, em 2 a 3 linhas
telar ao longo das bordas superior e (Fig. 9.8),
inferior da clavícula, em 1 a 2 linhas - Indicação: auxilia no tratamento de
(Fig. 9.8). doenças do sistema urogenital.
- Indicação: auxilia no tratamento de
dor na clavícula.
. Região do hipocôndrio: martelar ao 'D
longo da borda do arco costal, em 2 a ~
3 linhas (Fig. 9.8). ~
--.J

Abdome
- Indicações: auxilia nos tratamentos t
de dor no hipocôndrio, patologias do §
. Região abdominal superior: martelar Fígado (lado direito) e do Baço (lado .I:.
esquerdo ).
de cima para baixo, da extremidade
inferior do apêndice xifóide até o um-
bigo e da altura dos arcos costais até a
linha horizontal traçada, no nível do Nádegas
umbigo, em 8 a 9 linhas verticais . Região glútea: martelar radialmente,
acompanhando, se possível, os traje- de dentro para fora, em ambos os la-
tos dos canais de energia do Renmai, dos, da extremidade inferior das vér-
do Rim, do Estômago e do Baço. Tam- tebras sacrais até às nádegas, em 3 a 5
bém se pode martelar horizontalmen- linhas (Fig. 9.9).
te, em 4 a 5 linhas, até o nível do um- - Indicações: auxilia nos tratamentos
bigo (Fig. 9.8). de ciatalgias com irradiações para
- Indicações: auxilia nos tratamentos os membros inferiores e lombossa-
de doenças do Estômago, do Baço e cralgias.
da Vesícula Biliar.
. Região abdominal inferior: martelar de
cima para baixo, da linha horizontal Membros Superiores
traçada no nível do umbigo até a borda
superior do púbis, em 8 a 9 linhas verti- . Articulação do ombro: martelar em
cais, e também martelar 4 a 5 linhas volta da articulação, em 2 linhas cir-
horizontalmente (Fig. 9.8). culares (Figs. 9.,8 a 9.10).
- Indicações: auxilia nos tratamentos - Indicação: auxilia no tratamento de
de constipação intestinal, dor no dor escapuloumeral.
baixo-ventre e enurese. . Região do ombro: martelar ao longo
. Região inguinal: martelar a partir da da parte superior do osso escapular,
espinha ilíaca ântero-superior, descen- de dentro para fora, numa direção in-
do pela região inguinal até a virilha, clinada (Figs. 9.9 e 9.10).
em 2 a 3 linhas (Fig. 9.8). - Indicações: auxilia nos tratamentos

- Indicação: auxilia no tratamento das de dores na região do ombro e dores


doenças dos órgãos genitais'. nos membros superiores.
ACUPUNTURA - 93
CUTÂNEA I

'<t
N
a-
"i'
'<t
N
t-
.;, .....
...
00
00
t-
a-
....
....

-,

FICURA 9.9 - Martelagem de região glútea, região do ombro, face posterior ou dorsal do membro
superior, face dorsal da mão, face posterior do membro inferior e cavidade poplítea.
I94 - ACUPUNTURA
CUTÂNEA


--1
'{'
00
U>
.:.,
N
.j:.
'"

N
.;.

FIGURA9.10 - Martelagem de região do ombro, articulação do ombro, face lateral do membro


superior, face dorsal da mão, área da rótula, face lateral do membro inferior, face medial do mem-
bro inferior, áreas da articulação do quadril e do tornozelo.
ACUPUNTURA
CUTÂNEA
- 95 I

. Face anterior ou ventral dos membros ção do punho, ao longo dos espaços
superiores: martelar de cima para bai- entre os ossos metacarpais, em uma
xo, da face anterior da articulação do única linha (Figs. 9.9 e 9.10).
ombro até a fossa do cotovelo e, em se- - Indicação: auxilia no tratamento de
guida, descer até a linha transversal do dor no dorso da mão.
punho, em 3 linhas. Na face anterior
do punho, martelar em 3 linhas trans-
. Dedos das mãos: martelar ao longo
de ambos os lados de cada dedo, da
versais. Na fossa do cotovelo, martelar base até a extremidade. Podem-se
em 3 linhas transversais (ver Fig. 9.8).
martelar os acupontos Sifen (Extra) e
- Indicação: auxilia no tratamento de
Ting ou Jing em cada extremidade dos
dor na face anterior dos membros
dedos, até aparecerem pequenas efu-
superiores.
. Face posterior ou dorsal dos membros
sões de sangue.
- Indicações: auxilia nos tratamentos
superiores: martelar, de cima para bai-
de artrite dos dedos das mãos e ata-
xo, da face posterior da articulação do
ques de mania.
ombro até o cotovelo e, a seguir, descer
até a face dorsal da articulação do pu- . Articulação dos dedos das mãos: mar-
nho. Na face dorsal da articulação do telar ao redor da articulação dos de-
punho, martelar em 3 linhas transver- dos, em 2 linhas.
sais. Na face dorsal do cotovelo, marte- - Indicação: auxilia no tratamento de
artrite dos dedos das mãos.
lar em 3 linhas circulares (ver Fig. 9.9).
- Indicações: auxilia nos tratamentos . Extremidade dos dedos das mãos:
de dor no cotovelo e dor na face pos- martelar a extremidade dos dedos
terior dos membros superiores. (polpa dos dedos) das mãos com for-
. Face lateral dos membros superiores:
martelar, de cima para baixo, a partir
ça até surgirem efusões de sangue. A
polpa dos dedos das mãos correspon-
do músculo deltóide, passando pela de aos acupontos Shixuan (Extras).
face lateral do cotovelo, face radial do - Indicações: auxilia nos tratamentos
"" antebraço, atinge a lateral do punho
N de apoplexia, coma, dormência nas
0\
-""
"? (Fig.9.1O). extremidades dos dedos, febre e in-
N
t- - Indicação: auxilia no tratamento de flamação da garganta.
.;, dor na face lateral dos membros,su-
'1
00
t- penores.
0\
. Face palmar das mãos: martelar, de Membros Inferiores
cima para baixo, a partir da articula-
ção do punho, ao longo dos espaços . Face anterior dos membros inferiores:
entre os ossos metacarpais, em uma martelar, de cima para baixo, da região
única linha (ver Fig. 9.8). inguinal até a borda superior da rótula,
- Indicação: auxilia no tratamento de em 3 a 5 linhas e, em seguida, da bor-
dor na face palmar da mão. da inferior da rótula até a articulação
. Face dorsal das mãos: martelar, de do tornozelo, passando pela face ante-
cima para baixo, a partir da articula- rior da tíbia, em 3 linhas (ver Fig. 9.8).
196 - ACUPUNTURA
CUTÂNEA

- Indicação: auxilia no tratamento de - Indicação: auxilia no tratamento de


dor na face anterior dos membros dor na articulação do quadril. ~
, 00
inferiores. . Area da articulação do tornozelo: mar- ~
. Área da rótula: martelar em volta da telar circularmente em volta de ambos ~
rótula, em 2 a 3 linhas (ver Figs. 9.8 os maléolos (interno e externo), em 2 '"
&:

e 9.10). ou 3 linhas (ver Fig. 9.10). ~


- Indicação: auxilia no tratamento de
- Indicação: auxilia no tratamento de
dor na face anterior do joelho.
. Face posterior dos membros inferio-
res: martelar, de cima para baixo, da
.
dor no tornozelo.
Área do dorso do pé: martelar ao longo
dos espaços entre os metatarsos (ver
prega glútea posterior até a cavidade
poplítea, em 3 a 4 linhas. Em seguida, Figs. 9.8 e 9.10).
martelar a partir da cavidade poplítea - Indicação: auxilia no tratamento de
dor no dorso do pé.
até a parte superior do calcanhar, em
3 a 4 linhas (ver Fig. 9.9). . Área das bordas externa e interna do
- Indicação: auxilia no tratamento de pé: martelar uma linha em cada borda
dor na face posterior dos membros do pé.
inferiores (ciatalgia). - Indicação: auxilia no tratamento de
. Área da cavidade poplítea: martelar
2 a 3 linhas transversalmente (ver
dores nas partes laterais (externa e
interna) dos pés.
Fig.9.9).
- Indicações: auxilia no tratamento de
. Área da planta do pé: martelar ao lon-
go do arco do pé, em 2 a 3 linhas.
dor na face posterior do joelho.
. Face lateral dos membros inferiores:
- Indicação: auxilia no tratamento de
dor na planta do pé.
martelar, de cima para baixo, a .partir
do trocanter maior até a parte supe-
. Dedos dos pés: martelar ambos os
rior do maléolo externo, passando pela lados dos dedos dos pés e também em
lateral do joelho, em 3 linhas (ver volta das articulações dos dedos.
Fig.9.1O). - Indicação: auxilia no tratamento de

- Indicação: auxilia no trat~mento de artralgias dos dedos dos pés.


dor na face lateral dos membros in-
feriores.
. Face medial dos membros inferiores:
Tratamento Seguindo os
martelar, de cima para baixo, da viri-
lha até a face interna do joelho e, a Trajetos dos Canais de Energia
seguir, pela face interna da perna, atin- A martelagem é idêntica ao método ante-
gir a parte superior do maléolo inter- rior e o estímulo com martelo segue o tra-
no, em 3 a 4 linhas (ver Fig. 9.10).
jeto do canal de energia. Pode tratar todo
- Indicações: auxilia no tratamento de
dor na face interna dos membros in- o trajeto e o seu acoplado, obedecendo ao
feriores. princípio da Medicina Chinesa. Ao se
. Área do articulação do quadril: martelar
circularmente em volta do grande tro-
martelar o canal de energia no sentido da
sua corrente energética, pode-se melho-
canter, em 3 a4linhas (ver Fig. 9.10). rar a circulação de Qi.
ACUPUNTURA - 97
CUTÂNEA I

A Acupuntura Cutânea com estímulo sionados com o polegar da mão esquerda


forte sobre a cicatriz pode desbloquear o e, assim que se retira o dedo, rapidamente
Qi do canal de energia bloqueado por fi- martela-se o ponto com agulha cutânea e,
brose cicatricial. depois, pressiona-se mais uma vez e reali-
za-se martelagem sucessivamente.

Tratamento de Acupontos de
acordo com a Diferenciação Duração do Tratamento
de Síndromes
Para tratar patologias crônicas, a martela-
Esse método segue a teoria básica da Me- gem é realizada uma vez em dias alterna-
dicina Chinesa, que seleciona os acupontos dos; 10 a 15 sessões constituem um ciclo
de acordo com suas funções e também se de tratamento.
baseia na diferenciação de síndromes, com Para tratar patologias agudas, pode-se
o tratamento seguindo a mesma seqüência realizar a martelagem 2 a 3 vezes ao dia e,
da terapia com agulhas filiformes. quando houver melhora, pode-se estimu-
Por exemplo, em casos de gastrite, lar uma vez por dia ou em dias alternados.
devem-se martelar os acupontos VC 12 Após o ciclo de uma semana, o trata-
"<t (Zhongwan), CS 6 (Neiguan) e E 36 mento pode ser interrompido por uma se-
N
0\ (Zusanli).
mana e recomeçado, se necessário.
-"<t
"?

N
r-;-
V)
00

~ Tratamento dos Acupontos Cuidados Necessários


Sensíveis e de Resposta
Positiva à Dor . As agulhas embutidas na cabeça do
martelo devem ser inspecionadas cui-
Os acupontos de resposta positiva à dor dadosamente, para verificar se há fer-
pela palpação, ou acupontos sensíveis, rugens ou extremidades dobradas.
são os Ashi, e podem ser tratados com
martelo de sete estrelas.
. É necessário realizar assepsia rigoro-
sa da área a ser tratada; para isso, uti-
Normalmente, nos acupontos dolori- liza-se álcool iodado a 2% ou o álcool
dos ou próximo a eles, encontram-se nó- etílico 70oGL.
dulos, cordões doloridos que são mús- . A cabeça do martelo com agulhas deve
culos contraídos (dor miofascial). Esses ser esterilizada com álcool 70oGL, por
nódulos e cordões são encontrados nos 30min ou mais tempo.
músculos das colunas vertebral e lombar, . Essa técnica não deve ser utilizada
dorsal e cervical, onde a coluna vertebral sobre áreas traumatizada e nas quais
e os músculos das adjacências são mais há ulcerações e infecções, como erisi-
propensos a dores. pela (nesse caso, martelar as áreas do
Segundo Yamamura78, os nódulos e os corpo não afetadas ou tratar de acordo
pontos doloridos são inicialmente pres- com a diferenciação de síndromes).
I98 - ACUPUNTURA
CUTÂNEA

Tratamento bos os lados da traquéia, espaços intercos-


tais anterior e posterior e a extremidade
Complementar para inferior do apêndice xifóide.
Algumas Enfermidades Nos casos de abundância de secreção,
martelar VC 17 (Shanzhong) e E 40 (Feng-
Alopecia Areata long), seguindo os princípios básicos de
Martelar ambos os lados da coluna verte- seleção de acupontos de acordo com a
bral, região posterior do pescoço e peri- Medicina Tradicional Chinesa. Essa téc-
feria da área afetada. Essa técnica é bas- nica é excelente para tratar asma em
tante eficaz a longo prazo. cnanças.
Na crise de asma, pode-se martelar o
Amenorréia acuponto P 10 (Yuji), ao longo do trajeto
do canal de energia do Pulmão (10 a 15min)
Para amenorréia recente de curta dura-
e a face lateral do pescoço, bilateralmente
ção e sem sintomas aparentes, martelar e ao longo do músculo esternocleidomas-
ambos os lados da coluna, mais intensa- tóideo. Nas crises de asma crônica também
mente nas regiões lombar e sacra!. Tam-
se recomenda Sangria associada à Vento-
bém se deve martelar a região inguinal e
saterapia.
o acuponto BP 6 (Sanyinjiao). Este já se-
gue a regra de tratamento com base na
propriedade e na função do acuponto. Bronquite
Para amenorréia de longa duração com Martelar ambos os lados da coluna verte-
dor lombar e dor no baixo-ventre, martelar
bral, mais intensamente do lado da colu-
ambos os lados da coluna. Realizar mar-
na dorsal; ambos os lados da região pos-
telagem nas regiões lombar, sacral e ingui-
terior do pescoço, mais intensamente no
nal; martelar também os acupontos VC 12
nível da quinta à sétima vértebra cervical
(Zhongwan), VC 4 (Guanyuan) e BP 6
e a região anterior do pescoço, em ambos
(Sanyinjiao). Essa técnica dá bONsresulta-
dos no tratamento de amenorréia recente. os lados da traquéia.
Na Shanghai College of Traditional Essa técnica é mais adequada para
Medicine, o tratamento da amenorréia com tratar bronquites recentes em crianças e
Acupuntura Cutânea obedece à teoria bá- menos indicada para tratar bronquites
sica da Medicina Chinesa, pois utiliza os crônicas.
'D
acupontos B 18 (Ganshu), B 23 (Shen- "00
00
shu), B 20 (Pishu), F 3 (Taichong), BP 3 Cefaléia
l.J1
~
(Taibai), E 36 (Zusanli), BP 6 (Sanyinjiao) N
.,.
e os Jiaji da décima primeira vértebra à Martelar a área dolorida, ambos os lados &;
vértebra sacra!. da coluna vertebral, com estímulos mais .~,.
fortes entre a primeira vértebra lombar e
a sacra!. Os acupontos VB 20 (Fengchi),
Asma
VB 14 (Yangbai), Taiyang (Extra) e Yin-
Martelar ambos os lados da coluna, região tang (Extra) podem ser fortemente es-
anterior do pescoço, principalmente am- timulados.
ACUPUNTURA - 99
CUTÂNEA I

Ciatalgia de diabetes mellitus. Nesses casos,


também são necessárias as orienta-
Martelar B 23 (Shenshu), B 30 (Baihuan- ções da Endocrinologia, Nutrologia e
shu), VB 30 (Huantiao), B 36 (Chengfu), Medicina Interna.
B 51 (Yinmen), B 54 (Weizhong), VB 34
(Yanglingquan), B 31 (Shangliao), B 49
(Zhibian), B 57 (Chengshan), VB 39 Dismenorréia
(Xuangzhong) e B 60 (Kunlun)61. Martelar ambos os lados da coluna e tam-
bém a região inguinal. Estimular os acu-
Conjuntivite pontos VC 6 (Qihai), BP 6 (Sanyinjiao),
VC 4 (Guanyuan), B 18 (Ganshu) e os tra-
Martelar ambos os lados da região poste-
jetos dos canais Ren e dos Rins.
rior do pescoço, principalmente no nível
A Shanghai College of Traditional
da primeira à quarta vértebra cervical, e Medicine recomenda tratar a dismenor-
também a área ocular (suavemente nas
réia com Acupuntura Cutânea do seguinte
pálpebras). modo:
Devem-se martelar os acupontos
VB 20 (Fengchi), B 2 (Zanzhu), Yuyao (Ex-
tra), Taiyang (Extra) e IG 4 (Hegu), de
. Para tratar dor associada ao frio, reco-
menda-se utilizar os acupontos prin-
acordo com os princípios básicos de sele- cipais B 23 (Shenshu), B 20 (Pishu),
ção de acupontos da Medicina Tradicio- VC 4 (Guanyuan), BP 10 (Xuehai),
nal Chinesa.
VC 12 (Zhongwan), R 6 (Zhaohai),
Essa técnica é eficaz para aliviar os
BP 1 (Yinbai), F 1 (Dadun), VG 4
sintomas causados por conjuntivite.
(Mingmen) e martelar os lados da co-
luna vertebral no nível da décima pri-
Diabetes mellitus meira vértebra torácica até o final da
vértebra sacral. Pode-se complemen-
Martelar ambos os lados da coluna, prin-
tar com martelagem dos acupontos
cipalmente ao lado da sétima à décima
VC 6 (Qihai), BP 15 (Daheng), E 25
..;-vértebra torácica, região posterior do pes- (Tianshu), E 29 (Guilai), VC 3 (Zhong-
~
'D
coço, borda inferior da mandíbula (área
ji), F 3 (Taichong) e BP 3 (Taibai).
~ mandibular) e área do mastóide. Martelar
~ também os
tt) 12 acupontos Jing, Shixuan
. Para tratar .dor associada à estagna-
ção de Qi e sangue devem-se marte-
~
r--(Extra), VB 20 (Fengchi), VG 14 (Dazhui), lar os acupontos BP 6 (Sanyinjiao),
~ VG 12 (Shenzhu), VG 4 (Mingmen), IG 4
VC 6 (Qihai), IG 4 (Hegu), VB 29 (Jiu-
(Hegu), CS 6 (Neiguan), E 36 (Zusanli),
liao), Yaoyang (Extra), B 18 (Ganshu),
VC 12 (Zhongwan) e BP 6 (Sanyinjiao),
conforme a seleção de acupontos e de BP 8 (Diji), VC 2 (Cugu), B 31 (Shang-
acordo com as síndromes. liao), B 32 (Ciliao), B 33 (Zhongliao)
e B 34 (Xialiao), respectivamente. Na
Nota: é importante lembrar que a martelagem da coluna vertebral, dar ên-
Acupuntura Cutânea serve somente fase aos acupontos Jiaji. Martelar dia-
para aliviar as manifestações clínicas riamente até obter um bom resultado.
1100 - ACUPUNTURA
CUTÂNEA '-1;1\0
L>:

~t. p,Cf,\<w.t\'"

Distensão OUTorção Lombar pois, aplicar a ventosa sobre o local. Esse


método é indicado para tratar lesões re-
Martelar o acuponto B 40 (Weizhong) com centes com hematoma evidente, lesões
agulha cutânea, promover a sangria e, de- crônicas com estase de sangue ou agres-
pois, aplicar ventosal2.
são por frio perverso nos canais colate-
rais 12.
Êmese Gravídica
Martelar os acupontos principais E 34
Epilepsia
(Liangqiu), E 36 (Zusanli), CS 6 (Neiguan),
VC 12 (Zhongwan), F 3 (Taichong), BP 4 Martelar ambos os lados da coluna verte-
(Gongsun), B 20 (Pishu), Yintang (Extra), bral, todas as regiões da cabeça (frontal,
Taiyang (Extra). Martelar ambos os lados temporal, parietal e occipital), área man-
da coluna da quinta à nona vértebra torá- dibular, região posterior do pescoço, re-
cica (Jiaji); martelar os acupontos secun- gião sacral e no meio da sola dos pés (área :s
00
dáriosB 13 (Feishu),B 18 (Ganshu),VC 17
das plantas dos pés). As regiões poste- ~
(Shanzhong), VC 13 (Shangwan) e E 44
rior do pescoço e sacra! devem ser mar- ~
(Neiting).
Martelar diariamente e, após a me- teladas mais intensamente. Os acupontos ~
IV

lhora, martelar em dias alternados. PC 6 (Neiguan) e F 2 (Xingjian) também .;.


devem ser martelados.

Enurese
Nota: as epilepsias representam um
Martelar ambos os lados da coluna verte- universo clínico tão diversificado que
bral, mais intensamente do lado de colu- a sua conceituação se torna difícil e
na lombar e sacro, região abdominal infe- o tratamento deve ser obrigatoria-
rior, região inguinal e os acupontos VC 6 mente acompanhado por neurologia,
(Qihai), VC 3 (Zhongji) e BP 6"(Sanyin- psiquiatria, medicina interna ou neu-
jiao ). ropediatria. A Acupuntura auxilia
muito nos tratamentos de epilepsias,
Eczema diminuindo as crises, por isso todos
os pacientes q~e apresentam crises
Martelar ambos os lados da coluna verte-
epilépticas deveriam acrescentar Acu-
bral e a área mais afetada.
puntura ao seu tratamento.
Sangria associada à Ventosaterapia
também é indicada para auxiliar no trata-
mento de eczema.
Epistaxe
Entorse Martelar a região posterior do pescoço, a
região nasal e os acupontos VB 20 (Feng-
Martelar fortemente as áreas doloridas à chi), IG 20 (Yingxiang), PC 6 (Neiguan)e
pressão, até que sangre um pouco e, de- P 7 (Lieque).
ACUPUNTURA - 101
CUTÂNEA I

Gastrite Hipertensão Arterial


Primária Leve
Martelar ambos os lados da coluna, mais
intensamente entre a quinta e a décima Martelar região occipital, área mastóidea,
segunda vértebra torácica, região abdomi- ambos os lados da coluna vertebral (dorsal,
nal superior e área mandibular. Também lombar e sacral), mais intensamente ao lado
se martelam os acupontos VC 12 (Zhong- da coluna vertebrallombossacral. Também
wan), PC 6 (Neiguan) e E 36 (Zusanli), se devem martelar a região lateral do pes-
conforme a seleção de acupontos com coço, as palmas das mãos, as solas dos pés
base nas diferenciações de síndromes. e a área ocular. Os acupontos E 9 (Renying),
VB 20 (Fengchi), BP 6 (Sanyinjiao), CS 6
Hemiplegia (Neiguan), E 36 (Zusanli) e IG 11 (Quchi)
devem ser martelados.
Martelar a região posterior do pescoço e
as regiões temporal, parietal e frontal da Nota: a hipertensão arterial também
cabeça, bilateralmente. Os acupontos TA 5 representa um universo clínico imen-
.~ (Waiguan) e PC 6 (Neiguan) também de- so e deve ser obrigatoriamente acom-
I!'<t vem ser martelados. panhada pela cardiologia ou pela
'"
I~ medicina interna. A Acupuntura cer-
I~ Hemorragia Uterina Funcional tamente ajudará muito nos tratamen-
0\

tos desse mal que acomete grande


Martelar ambos os lados da coluna verte-
parcela da população mundial.
bral (dorsal, lombar e sacra!), mais inten-
samente as colunas vertebrais lombar e
sacral, região abdominal inferior e região Hipertireoidismo
inguinal. Os acupontos BP 1 (Yinbai) e o
BP 6 (Sanyinjiao) devem ser estimulados. Martelar a região posterior do pescoço,
No livro Shanghai College of Tradi- ambos os lados da coluna vertebral, mais
tional Medicine, encontra-se o tratamento intensamente entre a quinta e a sétima vér-
pela Acupuntura Cutânea com os seguintes tebra torácica, área da glândula tireóide.
acupontos: BP 10 (Xuehai), B 17 (Geshu), Os acupontos VB 20 (Fengchi), VG 14
B 20 (Pishu), BP 6 (Sanyinjiao), BP 3 (Dazhui), VC 22 (Tiantu), VC 12 (Zhong-
(Taibai), B 18 (Ganshu), BP 1 (Yinbai), wan), CS 6 (Neiguan), TA 5 (Waiguan),
B 15 (Xinshu), VG 20 (Baihui), VC 4 F 14 (Qimen), IG 4 (Hegu) e BP 6 (Sanyin-
(Guanyuan), B 31 (Shangliao), B 32 (Ci- jiao) devem ser estimulados com Acupun-
liao), B 33 (Zhongliao), B 34 (Xialiao) e tUfa Cutânea.
os acupontos vertebrais Jiaji da primeira
vértebra torácica à vértebra sacral. B 23 Nota: o hipertireoidismo merece a
(Shenshu), BP 4 (Gongsun), CS 6 (Nei- atenção da endocrinologia; aAcupun-
guan), VC 6 (Qihai), B 22 (Sanjiaoshu) e tura poderá ajudar muito no alívio das
FI (Dadun) são utilizados como acupon- manifestações clínicas dessa enfer-
tos complementares. midade.
1102 - ACUPUNTURA
CUTÂNEA

Impotência Sexual na região lombossacral. Estimular a região


inguinal e os acupontos VC 4 (Guanyuan),
Martelar ambos os lados da coluna verte- B 18 (Ganshu) e B 19 (Danshu).
bral, região inguinal, borda superior do
púbis, região abdominal inferior e os acu-
pontos VC 4 (Guanyuan), BP 6 (Sanyin- Lombalgia (Lumbago)
jiao), VC 12 (Zhongwan), E 36 (Zusanli),
Martelar ambos os lados da coluna verte-
R 12 (Dahe) e B 32 (Ciliao).
bral, mais intensamente na região lombar,
nos níveis da quinta vértebra lombar. Se a
Incontinência Uriná ria dor irradia para o membro inferior, mar-
Martelar ambos os lados da coluna verte- telar o membro afetado, conforme o tra-
bral, mais intensamente nas regiões lom- tamento indicado para os membros infe-
bar e sacral, região abdominal inferior e nores.
região inguinal. Os acupontos VC 4 (Guan-
yuan), VC 3 (Zhongji), VC 6 (Qihai), R 12 Nota: lombalgias também representam
(Dahe), BP 6 (Sanyinjiao), VB 20 (Feng- um universo clínico muito amplo, me-
chi), VG 14 (Dazhui) e VC 12 (Zhongwan) recendo a atenção da ortopedia, da
devem ser estimulados com martelos em neurologia, da neurocirurgia, da me-
flor de ameixeira ou de sete estrelas. dicina interna, etc. A Acupuntura tam-
Esse método oferece bons resultados bém oferece excelentes resultados para
no tratamento da incontinência urinária determinados tipos de lombalgia, mes-
leve. mo as lombociatalgias provocadas por
processos compres si vos de hérnia de
disco do tipo "não cirúrgico ", que pode
Insolqção ser tratada pela Acupuntura; não es-
Martelar ambos os lados da coluna, fos- quecendo, também, do uso de analgé-
sa do cotovelo, VG 26 (Renzhong); pro- sicos e antiinflamatórios não hormo-
mover sangria da polpa dos ded"os ou dos nais, que podem ser potencializados
acupontos Shixuan (Extra). pela Acupuntura. Deve-se lembrar de :s 00

que a Fisioterapia com reeducação ~


postural global (RPG) e a Hidroterapia ~
Insônia são muito importantes como tratamen- '~ "
Martelar acupontos Sishencong (Extra), to para recuperação. Enfim, a associa- ~
ambos os lados da coluna vertebral, entre ção de várias técnicas de tratamento
conduz a um resultado terapêutico
a quinta e a décima vértebra torácica, e
face medial dos membros superiores. mais satisfatório.

Leucorréia Nevralgia Intercostal


Martelar ambos os lados da coluna verte- Martelar ambos os lados da coluna ver-
bral, com maior intensidade e freqüência tebral. Os acupontos TA 6 (Zhigou), F 14
ACUPUNTURA - 103
CUTÂNEA I

(Qimen) e espaços intercostais anteriores Paralisia Fadal Periférica


e posteriores devem ser estimulados in-
tensamente. Os acupontos B 18 (Ganshu), Martelar a área facial do lado afetado, área
F 6 (Zhongdu), VB 34 (Yanglingquan), nasal, área ocular, área mandibular, área au-
TA 6 (Zhigou), B 19 (Danshu), VB 24 ricular, área da região mastóidea, região
(Riyue) e os acupontos vertebrais Jiaji da frontal da cabeça e região posterior do pes-
quinta e da décima vértebra torácica de- coço. Os acupontos VG 26 (Renzhong),
vem ser estimulados. TA 17 (Yifeng), IG 4 (Hegu), VB 14 (Yang-
Os acupontos complementares B 17 bai), Taiyang (Extra) devem ser estimula-
(Geshu), BP 17 (Shidou), VB 36 (Waiqiu), dos com martelo em flor de ameixeira ou
F 3 (Taichong), B 14 (Juenyinshu) e B 13 de sete estrelas.
(Feishu), também devem ser estimulados. O efeito terapêutico é excelente quan-
do o tratamento é realizado na fase inicial
da doença.
Nevralgia do Trigêmeo
Nota: a Acupuntura também oferece de
Martelar as áreas facial, ocular, frontal e bons a ótimos resultados nos tratamen-
""
a região posterior do pescoço. tos de paralisiafacial periférica. Após
N
~
"? o diagnóstico neurológico confirmar
que a paralisia facial é de origem pe-
~
.,.,
Obesidade riférica, um tratamento torna-se com-
00

~ Martelar
~
ambos os lados da coluna verte- pleto quando se associa à Fisioterapia.
bral, regiões abdominais superior e infe-
rior. Os acupontos E 36 (Zusanli), BP 6
Periartrite Escapuloumeral
(Sanyinjiao), CS 6 (Neiguan) e VG 14
(Dazhui), também devem ser estimulados. Martelar ambos os lados da primeira à
quarta vértebra torácica, a periferia da ar-
Nota: a Acupuntura Cutânea é ape- ticulação do ombro afetado, e realizar es-
nas um tratamento auxiliar para obe- tímulos fortes na área sensível até surgi-
sidade. É muito importante o obeso rem pequenas efusões de sangue, que
receber orientação dietética adequa- devem ser sugadas com ventosa. Esse mé-
da, bem como realizar exercícios físi- todo é útil quando o ombro dolorido apre-
cos. O tratamento da obesidade deve senta bloqueio de Qi e sangue.
ser multidisciplinar; envolvendo nu-
trologia, dietética, psiquiatria, endo- Psoríase
crinologia e outros métodos de Acu-
puntura, como a auricular; nas mãos Martelar região posterior do pescoço, re-
(Sooji), Moxabustão, etc. Também de- gião lombossacral e áreas afetadas, com
vem-se acrescentar outras técnicas estímulos moderados. O tratamento pode
que envolvem relaxamento e higiene ser realizado diariamente ou em dias al-
mental. ternados.
1104 - ACUPUNTURA
CUTÂNEA

Prostatite mento da coluna vertebral que comanda


os membros superiores).
Os acupontos indicados para tratar essa en-
fenuidade são BP 6 (Sanyinjiao), F 8 (Qu-
quan), VC 4 (Guanyuan), VC 2 (Qugu), '"
Rinite Aguda e Crônica "00
E 29 (Guilai), E 28 (Shuidao). Martelar 00
os acupontos Jiaji da sétima vértebra to- Martelar a área nasal, região posterior do ~
N

rácica à segunda lombar. pescoço, ambos os lados da coluna verte- ~ o.


bral. Os acupontos IG 20 (Yingxiang), IG 4 ~
(Hegu) e VB 20 (Fengchi) devem ser esti- ..
Resfriado mulados.
Martelar ambos os lados da coluna verte-
bral, palmas das mãos, cotovelo e região
nasal e os acupontos VB 20 (Fengchi), Soluço
VG 14 (Dazhui), IG 4 (Hegu), B 12 (Feng- Martelar ambos os lados da coluna verte-
men), VG 12 (Shenzhu), B 13 (Feishu), bral, mais intensamente entre a nona e a
IG 11 (Quchi), IG 20 (Yingxiang) e Taiyang décima segunda vértebra torácica, linha
(Extra). mediana do abdome (Renmai). Os acu-
Esse método possui ação mais preven-
pontosB 17 (Geshu),B 18 (Ganshu),B 21
tiva do que curativa e pode ser utilizado (Weishu), E 25 (Tianshu) e BP 15 (Daheng)
para aliviar os sintomas do início do res- devem ser estimulados.
friado.

Reumatismo Articular Taquicardia Paroxística


(Artrite Reumatóide) Martelar a região posterior do pescoço,
ambos os lados da coluna vertebral, am-
Martelar ambos os lados da coluna verte-
bos os lados da traquéia e área mandibu-
bral, todas as articulações afetadas, como
lar. Os acupontos C 7 (Shenmen), CS 6
as dos dedos das mãos, cotovelos, face
(Neiguan), VC 14 (Juque), BP 6 (Sanyin-
dorsal das mãos (martelar entre os ossos
jiao), R 3 (Taixi) e B 15 (Xinshu) devem
metacarpais), face palmar das mãos (mar- ser estimulados com martelo em flor de
telar também entre os ossos metacarpais), ameixeira ou martelo de sete estrelas.
área da rótula (martelar a sua volta), área
do tornozelo (martelar circularmente em
volta dos maléolos externos e internos), Tenossinovite e Tendinite
área do dorso do pé (martelar entre os os-
sos metatarsais, dedos dos pés, etc.). Martelar ambos os lados da coluna verte-
Para as artralgias dos membros su- bral e realizar martelagens com estímulos
periores também martelar a região poste- fortes na área afetada, massagear o local
rior da cabeça e do pescoço e ambos os após os estímulos.
lados da coluna, entre a quinta vértebra Os acupontos VB 34 (Yanglingquan),
cervical e a quarta vértebra dorsal (seg- VB 37 (Guangming), F 3 (Taichong), B 18
ACUPUNTURA
CUTÂNEA
- 105 I
(Ganshu) e B 19 (Danshu) devem ser es- ID 3 (Houxi), TA 10 (Tianjing), B 60
timulados. (Kunlun), B 61 (Pushen), B 62 (Shenmai)
e B 63 (Jinmen) podem ser utilizados como
Nota: a recuperação da tenossinovite acupontos complementares.
e da tendinite normalmente é lenta,
pois o tendão é um tecido conjuntivo
Tosse
denso modelado, cujas fibras, deno-
minadas colágenas, se dispõem aper- Martelar ambos os lados da coluna verte-
tadas, com pouca ou sem irrigação bral, mais fortemente na região das vér-
sangüínea. O colágeno (proteína da tebras torácicas, principalmente ao longo
fibra colágena) do tendão é estável e, do canal de energia da Bexiga (Taiyang),
assim, sua renovação lenta explica a até a pele local ficar avermelhada e apa-
recuperação demorada do tendão. O recerem pequenas efusões de sangue e, em
mesmo não acontece com o colágeno seguida, aplicar Ventosaterapia.
do tecido conjuntivo frouxo que rece-
be grande fluxo de sangue pelos ca-
Úlcera Gástrica e Duodenal
pilares aí presentes e apresenta rege-
neração mais rápida. O uso de corti- Martelar ambos os lados da coluna verte-
cóides, deficiência de insulina e defi- bral, mais fortemente entre a quinta e a
ciência de vitamina C, dificultam a décima segunda vértebra torácica, área
regeneração dos tecidos constituídos mandibular, região lateral do pescoço, re-
de fibras colágenas. gião abdominal superior e região abaixo
Portanto, nos tratamentos de tenos- do apêndice xifóide. Os acupontos VC 12
sinovite e tendinite, o médico deverá (Zhongwan), CS 6 (Neiguan) e E 36 (Zu-
informar ao paciente sobre a demora sanli) também devem ser estimulados.
na recuperação e, na medida do pos-
5Ível, imobilizar a área afetada.
Urticária
Martelar ambos os lados da coluna ver-
Torcicolo
tebral e as áreas afetadas. Os acupontos
Martelar a região posterior e lateral do VB 20 (Fengchi), VG 16 (Fengfu), B 12
pescoço e a região do ombro. Estimular (Fengmen), B 13 (Feishu), IG 11 (Quchi),
durante mais tempo a região afetada, até IG 4 (Hegu), B 40 (Weizhong), BP 6 (San-
"" que apareçam pequenas efusões de san- yinjiao), os acupontos Jiaji da segunda à
~ quinta vértebra torácica e ambos os lados
'C! gue, e sugar com ventosa. VG 16 (Fengfu),
da vértebra sacra!.
~
N
VB 20 (Fengchi), VB 21 (Jianjing), VG 14
~ (Dazhui), B 11 (Dashu), B 12 (Fengmen),
r-- ID 14 (Jianwaishu)
J; e os acupontos de
Vertigem
O'> ambos os lados da coluna, da primeira à
sétima vértebra cervical, devem ser esti- Martelar ambos os lados da coluna verte-
mulados com Acupuntura Cutânea. bral, principalmente entre a nona vértebra
1106 - ACUPUNTURA
CUTÂNEA

torácica e a segunda vértebra lombar, mar- Indicação


telar todas as regiões da cabeça (frontal,
parietal e occipital). Os acupontos Yzntang A indicação é a mesma da Acupuntura
(Extra), Taiyang (Extra), ID 19 (Tinggong), Cutânea feita com martelo de sete estre-
TA 17 (Yifeng), VB 20 (Fengchz),B 18 (Gan- las ou martelo em flor de ameixeira. Pa-
shu), VG 20 (Baihui), VC 6 (Qihai), VC 4 cientes com constituição fraca, crianças,
(Guanyuan), B 23 (Shenshu), C 7 (Shen- casos de doenças localizadas na superfí-
men), IG 4 (Hegu), VG 23 (Shangxing), cie do corpo, etc.
VG 16 (Fengfu).
Método
Acupuntura com Rolete Deslizar o rolete (Fig. 9.11) repetidamente,
com pressão uniforme, ao longo do trajeto
Um outro instrumento, que é uma varian-
dos canais principais de energia ou seguir
te da Acupuntura Cutânea, denominado
os métodos indicados para Acupuntura
rolete (Fig. 9.11), ganhou popularidade
Cutânea com os martelos já citados. A in-
desde a Revolução Cultural na China. Foi
tensidade da pressão pode ser leve ou forte,
criado, em 1954, pelos Drs. Yu Zhongquan
de acordo com constituição física, idade e
e Xiong Xiuwu como uma nova agulha tolerância. O rolete é deslizado sobre a área
cutânea rolante, porque a perfuração com
escolhida para o tratamento até a pele lo-
martelo de sete estrelas não era uniforme,
cal ficar avermelhada.
ou seja, era desigual.
Os canais de energia mais utilizados
O rolete era feito de um cilindro de
para o tratamento são:
borracha de 1,5 a 2,5cm de diâmetro e 2 a
3cm de comprimento. Na superfície do
cilindro de borracha foram embutidas de
. Canal principal de energia da Bexi-
ga: geralmente o rolete é deslizado
50 a 90 agulhas curtas de aço inoxidável
de cima para baixo. Para os pacientes
do mesmo tamanho, com as extremida-
com fraqueza geral, deficiência de Qi
des ligeiramente ovaladas, enfileiradas e
do Pulmão e do Rim, o rolete deve
com uma alça de metal em forma de U
ser deslizado de B 13 (Feishu) até
longo (Fig. 9.12).
10
-..J
00
00
VI
~
N
.f'.
'"
10
N
.l:.

FIGURA 9.12 - Rolete antigo feito de cilindro


FIGURA9.11 - Rolete. de borracha.
ACUPUNTURACUTÂNEA-1071

B 23 (Shenshu) ou até B 28 (Pang- superiores que estiverem afetados. Se


guangshu), estimulando todos os acu- os canais Yin e Yang dos membros in-
.;- feriores estiverem afetados, deslizar o
N pontos Shu dorsais e assim tratando
0\
'9 os órgãos e vísceras. rolete a partir do dedo do pé, em dire-
.;-
'"
c;-
or)
. Os canais de energia dos membros su- ção à área cardíaca (sentido inverso ao
periores e inferiores também são esco- dos membros superiores).
'?
00
'"
0\ lhidos para o tratamento. Se os canais . Os canais de energia que passam pelo
Yin dos membros superiores estão afe- abdome podem ser tratados com rolete.
tados, deslizar o rolete a partir da área Deslizar o rolete de cima para baixo e
cardíaca até a extremidade dos dedos de dentro para fora, primeiro tratando o
da mão, o mesmo movimento é reali- canal Renmai e, em seguida, os canais
zado com os canais Yang dos membros de Rim, Estômago, Fígado e Baço.
Jicupuntura na 10

T,mergêm;ia
Médica

A Acupuntura fascinou o mundo ocidental com informações sobre analge-


sia em pequenas intervenções cirúrgicas, com notícias que vieram da Chi-
na em 195871. Mas a atuação terapêutica da Acupuntura vai além da anal-
gesia e do tratamento das dores crônicas, pois também trata com êxito
-.,j-ansiedade, asma, constipação intestinal, depressão, dismenorréia, edema, epi-
~ lepsia, hemorragia uterina funcional, insônia, soluço, tosse, urticária, etc.
;
<'I Em 1976, os pesquisadores M. Ericksson, D. Chiu, B. Pomeranz e B.
J; Sjolund provaram que o efeito analgésico da Eletroacupuntura pode ser
00

~ suprimido pela naloxona e, posteriormente, outros pesquisadores demons-


0\ traram a existência dos polipeptídeos opióides endógenos e outros neuro-
transmissores capazes de atuar nos mecanismos de ação analgésica da
Acupuntura71, no início da década de 1980. A partir daí, a Acupuntura
ganhou o reconhecimento científico e atualmente é o objeto de projetos de
pesquisa em instituições de pesquisa.
Segundo Umlaufl1, o potencial da Acupuntura ainda não foi totalmente
explorado, podendo ainda atuar no campo da emergência médica. O autor,
na avaliação econômica do tratamento da dor em caso de emergência, cita
as pe-squisas que confirmam a diminuição de 50% do uso de anestésicos,
analgésicos e outros medicamentos em pacientes durante e no pós-opera-
tório, quando se utiliza a Eletroacupuntura.

Técnicas Utilizadas na Emergência


Pressão Digital e Massagem dos Pontos de Acupuntura
Essa técnica é útil para aliviar as dores de menor intensidade. Podem-se
utilizar as polpas dos dedos polegar ou indicador ou, ainda, a unha do dedo
(ver capo 15). A pressão digital pode ser contínua ou descontínua. A pres-
são contínua é intensa, com duração de 20 a 30s, e a descontínua é suave e
interrompida, também conhecida como pressões repetidas.
1110 - ACUPUNTURA
NAEMERGÊNCIA
MÉDICA

A massagem digital dos pontos de ciatalgia. O ponto da analgesia no pavi-


Acupuntura é feita no sentido circular anti- lhão auricular, situado no meio da concha
horário (sedação) durante 2min ou mais. cimba, abaixo do ponto do Rim, é muito ~

Pode-se realizar a pressão dos acu- útil par aliviar as dores junto com o ponto ~
00

~
pontos do pavilhão auricular usando-se
agulha de pressão, caneta, lápis ou unha
da supra-rena165.
-
N
~

'"
~
do polegar71 ou indicador. N
Injeção de Medicamentos ./:.

nos Acupontos
Acupuntura Clássica
É a injeção de doses mínimas de medica-
Utilizam-se agulhas filiformes de diversos mentos nos acupontos. As doses menores
tamanhos e calibres. Quando se trata de
produzem menos efeitos colaterais. Por
dor por excesso, a técnica utilizada deve exemplo, com 1mL de dolantina injetado
ser obviamente a de sedação, que consiste no acuponto obtêm-se bons resultados e
em inserir a agulha rapidamente, girá-Ia poucos efeitos colaterais, ao passo que 2,5
com grande amplitude, rotacioná-la 180 a a 5mL da mesma droga, injetados de ma-
360°, puxá-Ia vagarosamente em três eta- neira convencional, produzem enjôo, náu-
pas e, antes de retirá-Ia da pele, rodá-Ia para sea e outras manifestações12,71.
aumentar o orifício. Deve-se inserir tam-
bém a agulha em direção oposta à circula-
ção de energia nos canais. Existem outras Tratamentos Emergenciais
manobras de sedação que podem ser con-
sultadas nos livros-textos. É conveniente para Algumas Enfermidades
observar que há algumas divergências
quanto ao sentido da rotação das agulhas,
Pressão Digital e Massagens
tanto nos textos clássicos como nos atuais. dos Pontos de Acupuntura1O,38

Angina (Dor de Garganta)


Moxabustão
. P 11 (Shaoshang).
Pode-se utilizar o bastão ou o cone de
. P 1 (Zhongfu).
moxa sobre os pontos de Acupuntura. A
técnica utilizada pode ser a "bicada de
. IG 4 (Hegu).

pássaro" ou interrompida, uma técnica de Pressão contínua com a polpa do dedo


sedaçã05 (ver capo 20). polegar ou indicaqor.

Acupuntura Auricular Ansiedade, Angústia e Inquietação


Os pontos do pavilhão auricular também . C 7 (Shenmen).
podem ser utilizados nos casos de emer-
gência. O ponto do ciático, que se locali-
. CS 9 (Zhongchong).

za na raiz inferior da fossa triangular, por Pressão contínua com a polpa do dedo
fora da anti-hélice52, é eficaz para tratar a polegar ou indicador.
ACUPUNTURA
NA EMERGÊNCIA
MÉDICA- 111 I

Cãibra Pressão contínua com a polpa do dedo

.. F 3 (Taichong).
VB 40 (Qiuxu).
polegar ou indicador.

Cólica Menstrual
Pressão repetida com a polpa do dedo
polegar ou indicador. . BP 8 (Diji).
. BP 6 (Sanyinjiao).
Nota: o alongamento do músculo afe-
Pressão contínua com a polpa do dedo
tado pela cãibra também auxilia mui-
polegar ou indicador.
to no seu controle.

Exemplo: Cãibra nos músculos da Cólica Renal


panturrilha (Fig. 10.1).
. F 3 (Taichong).
. VB 38 (Yangfu).
Cólica Biliar . VB 25 (Jingmen).
. VB 24 (Riyue).
. VB 38 (Yangfu).
Pressão contínua com a polpa do dedo
polegar ou indicador.

Pressões repetidas com a polpa do


dedo polegar ou indicador. Convulsões Infantis

Cólica Intestinal
. Acuponto Extra no lóbulo da orelha
(Fig. 10.2).

. F 3 (Taichong).
. BP 9 (Yinlingquan).
Pressão contínua com unha, agulha de
pressão, caneta esferográfica ou lápis.

.
'1"
N
o-,
"?
;;
N
r-
oA
00
00
r-
o-,
...

FIGURA 10.1 - Alongamento do músculo afetado pela cãibra.


1112 - ACUPUNTURA NA EMERGÊNCIAMÉDICA

FIGURA 10.2 - Acuponto Extra para tratar con- FIGURA10.3 - Yintang (Extra).
vulsões infantis.

Desmaio Dor de Dente (Para Aliviar a Dor


enquanto se Aguarda a Consulta
. VG 26 (Renzhong). com o Dentista)
. R 1 (Yongquan).
. IG 1 (Shangyang).
Pressão contínua com a polpa do dedo . IG 4 (Hegu).
polegar ou indicador.
Pressão contínua com a polpa do dedo
Nota: é obrigatório realizar exame polegar ou indicador.
'D
completo do paciente para saber a ,
co
causa do desmaio (pode ser arritmia 00
Dor Gástrica (Gastralgia) V\
~
cardíaca, hipoglicemia ou distúrbios N

neurológicos). .. CS 6 (Neiguan).
E 36 (Zusanli).
..-
b,
'D
N

Dor de Cabeça (Cefaléia)


. E 21 (Liangmen). .i:.

. VB 20 (Fengchi).
Pressão contínua com a polpa do dedo

. IG 4 (Hegu).
polegar ou indicador.
. P 7 (Lieque).
. Yintang (Extra) (Fig. 10.3).
Nota: após tratar com Acupuntura,
mesmo com alívio da dor gástrica,
Nota: é necessário investigar a causa deve-se investigar a causa.
da cefaléia para poder escolher um
tratamento adequado. Dores Generalizadas

Pressão contínua com a polpa do dedo . B 60 (Kunlun).


polegar ou indicador. . B 62 (Shenmai).
ACUPUNTURA
NAEMERGÊNCIA
MÉDICA- 113 I

Pressão contínua com a polpa do dedo .. R 1 (Yongquan).


polegar ou indicador. E 36 (Zusanli).

Pressão contínua com a polpa do dedo


Dor de Ouvido (Para Aliviar a Dor) polegar ou indicador.
. IG 4 (Hegu).
.
..;- VB 12 (Wangu).
-.
N
0\
"?
.N.;-
ID 19 (Tinggong).
Hipotensão Arterial
. C 1 (Jiquan).
J;
00

~
Pressão contínua com a polpa do dedo
polegar ou indicador.
. C 7 (Shenmen).
0\

Pressões repetidas com a polpa do dedo


polegar ou indicador.
Epilepsia (Tratamento
Complementar)
.. VG 20 (Baihui). Náusea
ID 3 (Houxi). . F 3 (Taichong).

Pressão contínua com a polpa do dedo Pressão contínua com a polpa do dedo
polegar ou indicador. polegar ou indicador.

Epistaxe (Tratamento Palpitação


Complementar)
.. . C 7 (Shenmen).
IG 4 (Hegu).
CS 3 (Quze).
. CS 6 (Neiguan).

Pressão contínua com a polpa do dedo


Pressão contínua com a polpa do dedo
polegar ou indicador.
polegar ou indicador.

Hemorróida (Para Aliviar a Dor) Queimadura

. VG 20 (Baihui). . B 65 (Shugu).
. B 60 (Kunlun).
. B 25 (Dachangshu).
Pressão contínua com a polpa do dedo

. VG 1 (Changqiang).
polegar ou indicador.

Pressão contínua com a polpa do dedo


Síncope
polegar ou indicador.
. VG 26 (Renzhong).

Hipertensão Arterial Primária Leve Pressões repetidas com a polpa do dedo


. E 9 (Renying). polegar ou indicador.
1114 - ACUPUNTURA
NAEMERGÊNCIA
MÉDICA

Soluços
. Acuponto extra no dedo médio da mão Tratamento
---
. (Fig. 10.4).
Acuponto do diafragma na orelha
(Fig. 10.5).
de soluços

Pressão contínua com a unha ou pol-


'D
pa do dedo polegar ou indicador. -.I
00
00
'"
~N
..-
Tontura '"
'D

.
N
./:.
Yintang (Extra) (ver Fig. 10.3).

Beliscar repetidamente com a polpa FIGURA10.4 - Acuponto Extra no dedo médio.


do dedo polegar e indicador ou massagear
para Cima.

. F 3 (Taichong).

Pressão repetida com a polpa do dedo


polegar ou indicador.

Torção Lombar
. B 60 (Kunlun).
. VG 3 (Yaoyangquan).

Pressão contínua com a polpa do dedo


polegar ou indicador.
FIGURA1 0.5 - Acuponto do diafragma na orelha.

Vertigem
. CS 6 (Neiguan).
Acupuntura Clássica65,71,77
. VB 20 (Fengchi).
. E 36 (Zusanli).
Ana 1gesia
. BP 6 (Sanyinjiao). . IG 4 (Hegu): para a metade superior
do corpo.
Pressão contínua com a polpa do dedo . CS 6 (Neiguan): para a metade supe-
polegar ou indicador. rior do corpo.
ACUPUNTURA
NA EMERGÊNCIA
MÊDICA- 115 I

. E 36 (Zusanli): para a metade inferior Choque Agudo

.
do corpo.
. VG 20 (Baihui).
BP 6 (Sanyinjiao): para a metade in-
. VG 26 (Renzhong).
ferior do corpo.
. IG 4 (Hegu).
. CS 6 (Neiguan).

Angina do Peito
. VC 4 (Guanyuan).

(Tratamento no Caminho
do Pronto-socorro)* Cinetose (Enjôo durante Viagem)
. C 1 (Jiquan).
. . B 60 (Kunlun).

.
C 7 (Shenmen).
CS 6 (Neiguan).
. P 7 (Lieque).

Dispnéia
Apoplexia . VC 17 (Shanzhong).
. VG 20 (Baihui). . Dingchuan (Extra) (Fig. 10.6), situado
. VG 26 (Renzhong).
a 0,5cun ao lado do VG 14 (Dazhui).
. E 40 (Fenglong). Nota: após o tratamento com aAcupun-
. F 3 (Taichong). tura, encaminhar o paciente ao pronto-
.;-
N
a., . R 1 (Yongquan). socorro, pois, após um grande alívio
-.;-
li?

N
r--
. Shixuan (Extra) (ver Fig. 10.8). dos sintomas, pode ocorrer o efeito" re-
bote".
.,)
"?
00
b; Asma (Crise de Asma)

. VC22 (Tiantu).
. R 27 (Shufu).
. VC 17 (Shanzhong).
. P 7 (Lieque).
Cãibras
(
. VG 26 (Renzhong).
. P 7 (Lieque).
. F 3(Taichong).
. VB 40 (Qiuxu). FIGURA 10.6 - Dingchuan (Extra).

* A Acupuntura estimula a liberação de endorfina, por isso é muito útil nos casos que necessitam ser tratados com
morfina.
1116 - ACUPUNTURA
NAEMERGÊNCIA
MÉDICA

Dor de Dente (Para Aliviar a Dor Excitação Psíquica (Agitação)


enquanto se Aguarda a Consulta
com o Dentista) . C 7 (Shenmen).

. IG 1 (Shangyang).
. IG 4 (Hegu). Febre (Tratamento Complementar)
. VG 14 (Dazhui).
Edema de Glote
. IG 11 (Quchi).

. IG 11 (Quchi).
.. F 13 (Zhangmen).
Sangrar o ápice da orelha (Extra) (Fig.
Hemorragia Uterina Funcional
(Tratamento Complementar)
10.7). . BP 1 (Yinbai).

Nota: o paciente deve ser encaminhado


imediatamente ao pronto-socorro. Insolação
. Moderada
Epilepsia (Tratamento - IG 11 (Quchi).
Complementar) - VG 14 (Dazhui).

. Grande mal
. - P 6 (Kongzui).
Grave
\D
-.J
00
00
v.
- VG 26 (Renzhong). c.,
- VG 26 (Renzhong). -'"
N
.,.
- ID 3 (Houxi).
- B 40 (Weizhong). \D
- B 62 (Shenmai).
.
N
- R 1 (Yongquan). .):.
Pequeno mal
- Shixuan (Extra) (Fig. 10.8).
- VG 20 (Baihui).
- B 65 (Shugu).
- VC 12 (Zhongwan).
- E 40 (Fenglong).

FIGURA10.7 - Ápice da orelha (Extra). FIGURA 10.8 - Shixuan (Extra).


ACUPUNTURA MÊDICA- 11 7
NAEMERGÊNCIA I

Politraumatismo (Tratamento no Vômitos


Caminho do Pronto-socorro) . VC 12 (Zhongwan).
. E 2 (Sibai). .. E 36 (Zusanli).
. IG 11 (Quchi).
.
CS 6 (Neiguan).
. IG 4 (Hegu). F 3 (Taichong).
. VB 20(Fengchi).
. C 1 (Jiquan).
Pela Moxabustão
Indireta35,56
Queimadura
. B 65 (Shugu). Agalaxia
. P 7 (Lieque).
.. VB 21 (Jiajing).
VC 17 (Shanzhong).
Nota: aAcupuntura é muito eficaz para
aliviar a dor provocada por queima- .. BP 6 (Sanyinjiao).
VB 41 (Zulinqi).
'"1"
N
a,
'9
duras e acelera a cicatrização destas.
.. E 18 (Rugen).
ID 1 (Shaoze).
~ Retenção Urinária (Tratamento
~
t- Complementar)
a,
. BP 6 (Sanyinjiao). Afonia
. VC 4 (Guanyuan). ..
. VC 3 (Zhongji).
P 6 (Kongzui).
VC 22 (Tiantu).
. BP 9 (Yinlingquan). . Zona da voz (Extra) (ver capo 20) (Fig.
. B 28 (Pangguangshu). 10.9).
. B 32 (Ciliao).

Soluços
. B 17 (Geshu).
. VG 26 (Renzhong).
. VC 22 (Tiantu).
. P 6 (Kongzui).
. CS 6 (Neiguan).

Urticária
. BP 10 (Xuehai).
. E 36 (Zusanli).
. IG 11 (Quchi).
. IG 4 (Hegu).
. BP 6 (Sanyinjiao). FIGURA 10.9 - Zona da voz (Extra).
1118 - ACUPUNTURA
NA EMERGÊNCIA
MÉDICA

Asma, Bronquite e Enfisema Dismenorréia


Pulmonar (Tratamento
. Zigong (Extra) (Fig. 10.12).
Complementar)
.. . VC 2 (Qugu).
E 40 (Fenglong).
B 13 (Feishu).
. VC 4 (Guanyuan).

Cãibra Enxaqueca
.. B 64 (Jinggu).
Neihuaijian (Extra) (Fig. 10.10).
. IG 4 (Hegu).
. P 7 (Lieque).

Cólica Intestinal
. BP 4 (Gongsun).
Diarréia
.. VC 8 (Shenque).

. E 36 (Zusanli).
Ponto especial para o tratamento
diarréia (Fig. 10.11).
de

Dor de Dente (Para Aliviar ,,-"1


a Dor enquanto se Aguarda a 1I
Consulta com o Dentista)
. IG 1 (Shangyang):
. dentes do maxilar.
E 45 (Lidui): dentes da mandíbula. FIGURA10.11 - Ponto especial para tratar diarréia.

.o
\D
-.)
00
00
V>
~
N
!:
'"
\D

~\ N
.):..

FIGURA10.10 - Neihuaijian (Extra). FIGURA10.12 - Zigong (Extra).


ACUPUNTURA MÉDICA-
NA EMERGÊNCIA 119 I

Hipotensão Arterial
. C 9 (Shaochong).
"<t
M
Q',
"?
.. VC 4 (Guanyuan).
R 1 (Yongquan).
:;
N
r-;-
'"
~r- Soluço
Q',
. VC 22 (Tiantu).
Terçol (Hordéolo) FIGURA 10.13 - Acuponto especial para tratar
. Acuponto especial para tratar terçol hordéolo (terçol).
(Fig. 10.13).
Nota: quadros importantes, como os
Urticária
de angina do peito, edema de glote, in-
. BP 10 (Xuehai). solação grave, politraumatismo e quei-
madura grave devem ser encaminha-
Vômitos dos imediatamente ao pronto-socorro,
. E 25 (Tianshu). mas enquanto se aguarda a chegada
.. VC 12 (Zhongwan).
BP 1 (Yinbai).
do transporte (ambulância) podem ser
tratados com as técnicas citadas.
5kupuntura 1WS 11

Pontos Huatuo Jiaji

Na palavra liaji, lia significa lateral ou lado e li significa coluna ou vérte-


bra espinat19. Os sete pares de acupontos liaji da coluna vertebral cervical
foram descobertos mais tarde e não receberam o nome de Huatuo.
Também denominados "Forro das costas", são, ao todo, 48 acupontos
extras situados nos dois lados das 24 vértebras (cervicais, torácicas e lom-
bares) (Fig. 11.1).
Os acupontos liaji, situados a 0,5cun lateralmente à borda do processo
espinhoso, nos dois lados da primeira vértebra torácica até a quinta vértebra
lombar, num total de 34 (17 de cada lado), denominados de Huatuo, foram
descobertos e utilizados pela primeira vez pelo famoso médico Huatuo
(119-207) (Fig. 11.2), que viveu uma parte daDinastiaHan (207 a.C.-220)58.
A primeira descrição sobre os acupontos Huatuo liaji foi encontrada
na obra Fórmulas de Emergências e tem sido utilizada para tratar doenças
crônicas79.
Huatuo foi considerado o primeiro médico a realizar intervenções ci-
rúrgicas (primeiro cirurgião do mundo, no século II) utilizando a proprie-
dade anestésica do cânhamo da Índia32.
"" Quando o famoso general Kuan Yu foi atingido no braço por uma fle-
~ cha envenenada, Huatuo foi o médico responsável pela cirurgia e retirada
:; da referida flecha do braço do generalll,32.
N

J; Sua notoriedade histórica foi tanta que vale a pena comentar algu-
~
t"- mas informações colhidas da literatura sobre esse famoso médico. Nas-
o-,ceu em Hsuchow, Kiangsu, onde ainda existe um templo dedicado a
ele. Há uma estátua em seu templo memorial e na pedra do seu túmulo
está inscrito o seguinte epíteto: "O Médico Divino da Dinastia Han"
(207 a.C.-220)1l.
O seu currículo médico era recheado de conhecimentos, pois, além de
Acupuntura, Anestesia, Cirurgia, Fisiatria, Ginecologia, Obstetrícia e Pe-
diatria, dominava um tipo de artes marciais que beneficiava a saúde*.

* Artes marciais semelhantes aos exercícios de Tai-chi-chuan.


1122 - ACUPUNTURA
NOSPONTOS
HUATUO
]IA]I

'"
.....
00
00
v.
~
N
+>-
&,
'"
N
.i:.

FIGURA 11.2 - Huatuo (119-207).

Considerado o Médico Divino do sé-


culo II32, por ser excelente em Acupuntu-
ra e utilizar com sucesso poucos acu-
pontos, foi discípulo do famoso médico
Hsu-chou. Para nossa época, em que pro-
curamos concentrar a atenção em uma
única especialidade, parece impossível um
homem acumular tantos conhecimentos ao
mesmo tempo.
Para não alongar muito, cito aqui
apenas dois trechos referentes ao sucesso
nos diagnósticos e tratamentos realizados
por ele:
Um dia, um paciente procurou o Hua-
tuo com queixa de dor na garganta.
Huatuo disse ao paciente: Você tem um
verme no estômago, mas não se assuste!
Uma mistura de ervas medicinais vai cu-
rar a sua doença.
O paciente tomou essa mistura e, em
seguida, vomitou vermes longos e se sen-
tiu aliviado. De acordo com os julgamen-
FIGURA11.1 -Acupontos]iaji, situados a O,5cun tos modernos, o verme deveria ser Dra-
lateralmente à borda do processo espinhoso. cuncalua medinensis32.
ACUPUNTURA
NOSPONTOS jlAjl- 123
HUATUO I

Um outro paciente procurou Huatuo matá-lo, mandou prendê-lo. Numa certa


época de prisão, Huatuo pediu ao Rei
por causa de uma dor no abdome.
que o deixasse voltar para sua
Huatuo disse: Você tem uma doença província, alegando que a sua esposa
crônica e deveria operar o abdome, mas, estava muito doente e precisava de seus
mesmo com a cirurgia, sua vida não se cuidados médicos. O Rei concedeu a
estenderá mais do que 10 anos. O pacien- permissão para Huatuo voltar a sua
província, mas, em seguida, mandou
te concordou em se submeter à cirurgia e
o seu súdito seguir seus passos para
ficou curado, mas acabou morrendo 10 vigiá-lo e o encontrou cuidando do seu
anos depois32. povo, O Rei, indignado, mandou buscá-
Apesar de tantos conhecimentos mé- 10 e prender de novo. Sabendo que
estava condenado à morte, Huatuo
dicos acumulados, Huatuo jamais busca-
acabou de escrever um livro na prisão
va fama e fortuna. Na época, o primeiro- e pediu ao carcereiro que o entregasse
ministro Chen Kuei Tseng, da Província à sua esposa, mas ela, com medo da
de Pei, e o Oficial de Defesa Huan Wan represália do Rei, acabou queimando
o livro.
tentaram persuadi-Io para que apoiasse,
ocupasse um cargo e fosse médico do go- Talvez, por esse motivo, conforme ci-
verno, mas ele recusou, preferindo ser mé- tado no Chen 's History of Chinese Medi-
dico do pOV032. cal Science, de Dr. Hong Yen Hsu e William
Segundo a história contada pelo Dr. G. Peacher, Huatuo não deixou livro escri-
Wen Dang, Diretor do Departamento de to. Segundo Hong Yen Hsu (1977), Huatuo
Acupuntura e Moxabustão do Hospital foi assassinado por Tsao Chao, aos 97 anos
Jiuxianquiao de Beijing, da República Po- de idade, no 12Qano de ChienAn, ou seja,
pular da China, durante a sua presença no no ano de 207.
VII Congresso Brasileiro de Medicina
Chinesa e Acupuntura em 1999:
Huatuo era disputado pelos três Reinos
Localização Anatômica
. (San Kuo), Shu do Oeste, Wei do Norte dos Acupontos Jiaji
e Wu do Sudeste, que tentavam dominar
a China na época*, no final da Dinastia Situa-se 0,5 a 0,8cun lateralmente à linha
"<t Han13,24, mediana posterior da coluna vertebral, no
N
o-,
'? nível da margem inferior do processo es-
;<'I Certa vez, um desses Reis sentia muita pinhoso ou no mesmo nível dos acupontos
r;-
or) dor de cabeça e consultou Huatuo, que do Dumai que está entre os espaços in-
o;>
00
t- disse à majestade que a dor era tervertebrais.
o-, decorrente de um tumor no cérebro
e para curar a cefaléia era necessária Anatomicamente, nesse local existe
uma cirurgia, O Rei não concordou e, ramificação dorsal do nervo espinal, arté-
desconfiado de que Huatuo queria rias intercostais e ramificação posterior da

* Período de participação dos Três Reinos (San Kuo) (221-280: Shu - Oeste, Wei - Norte e Wu - Sudeste; ocorreu
poucos anos após a morte de Huatuo, (em 207). Alguns autores consideram Huatuo uma lenda.
1124 - ACUPUNTURA
NOSPONTOS
HUATUO
jlAjl

artéria lombar. Os nervos espinais dorsais Quando um sistema específico Zang-


estão intimamente relacionados ao siste- fu sofre alguma alteração, nódulos ou sen-
ma Zang-fuI9. sibilidades podem ser observados nos
Cada acuponto Jiaji é inervado, por- acupontos Jiaji correspondentes. Portan-
tanto, por um ramo medial do nervo espi- to, os acupontos Jiaji também auxiliam
nal dorsal. no diagnóstico do desequilíbrio do siste-
Os planos musculares encontrados nas ma Zang-fu.
regiões dorsal e lombar também são im- As funções e as aplicações clínicas dos
portantes, quando se referem aos acu- acupontos Jiaji podem ser agrupadas de
pontos Jiaji. acordo com as distribuições anatõmicas ao
longo da coluna vertebral61 (Tabela 11.1).
. Músculos trapézio, latíssimo do dorso
e rombóide: constituem a camada mais
Indicações dos
. superficial.
Músculos serráteis póstero-superior e
inferior: constituem a camada média.
Acupontos Jiaji
Auxiliam nos Tratamentos
. Músculos sacroespinal e intertransver-
sal: constituem a camada profunda. do Sistema Zang-fu
Por exemplo, os acupontos Jiaji, situa-
dos entre a primeira e a nona vértebra to-
Aplicações Clínicas rácica, servem para tratar Pulmão e Co-
ração (os mais importantes estão entre a
dos Acupontos Jiaji terceira e a quinta vértebra torácica).
As funções dos acupontos Jiaji são seme- Os acupontos Jiaji, da décima segun- 'D
lhantes às dos acupontos Shu dorsais. da vértebra torácica à quinta vértebra lom- ~ 00
lJ1
~
N
-I>

6--
Tabela 11.1 - Indicações para os acupontos jiaji 'D
N
.10.

Localização dos Acupontos


(vértebras) Indicações

C1-C4 Doenças da cabeça (olho, nariz, ouvido, boca, etc.)


C1 -C7 Doenças do pescoço (cervicalgias)
C4 - T1 Doenças dos membros superiores (braquialgia, ombralgia, etc.)
T1 - T9 Doenças de parede e cavidade torácicas (Coração, Pulmão,
nevralgia intercostal, etc.)
Ts - T12 Doenças dos órgãos internos do abdome superior (Fígado,
Estômago, Baço-Pâncreas, etc.)
T12-Ls Doenças dos órgãos internos do baixo-ventre (Rim, Intestino
Delgado, Intestino Grosso, Bexiga, Útero, etc.) e doenças
da coluna lombar
Lz - Ls Doenças dos membros inferiores e cavidade pélvica
ACUPUNTURA HUATUOj/Aj/- 125
NOSPONTOS I

bar, servem para tratar os Rins e o Intesti- Nas crises agudas de dor, os acupontos
no grosso 79. Jiaji correspondentes podem ser adicio-
nados aos acupontos Shu dorsais e, em ca-
sos de deficiência de energia, devem ser
Atuam nas Proximidades estimulados os acupontos B 43 (Gao-
e por Metameria huang) e B 52 (Zhishi), com técnica de
tonificaçã079 ou moxabustão.
Servem para tratar dores nas regiões cer-
Existem três tipos de inserção de agu-
vical, dorsal e lombar. Os acupontos Jiaji lha de acordo com o direcionamento da sua
são ótimos para tratar nevralgia intercos-
ponta: perpendicular, oblíquo e horizontal.
tal e nevralgia pós-herpética. Nesse caso,
o agente viral de varicela produz umida-
de e calor no local, provocando uma dor Inserção Perpendicular
lancinante com sensação de queimadura.
"1"
N A profundidade da inserção é de 2,5 a
0\
"? 3cun. Mais utilizada para tratar dor cervi-
"1"
'"
Tratam os Membros cal, torácica ou abdominal.
t'-
.;,
00 Superiores e Inferiores
00
t'-
0\ Nos casos de neuropatia periférica com Inserção Oblíqua
comprometimento do plexo braquial ou
cervicobraquialgia podem ser utilizados A inclinação da agulha varia de 45 a 60°. A
também os acupontos Jiaji da região cer- inserção inclinada trata artrose das articu-
vical. Para as lombociatalgias, pode-se in- lações das vértebras (artroses interface-
serir agulhas no Jiaji da região lombar, tárias). A extremidade da agulha é dirigida
principalmente entre a quarta e a quinta para o ligamento interespinal, numa pro-
vértebra lombar e entre a quinta vértebra fundidade de 1 a 1,5cun.
lombar e o sacro.

Inserção Horizontal
Técnica de Aplicação de Cima para Baixo
Inserir a agulha perpendicular ou obliqua- É a transfixação de agulha de um acuponto
mente, inclinando sua ponta em direção à Jiaji a outro que fica abaixo ou em dire-
linha mediana, a uma profundidade de 0,3 ção craniocaudal. Essa técnica trata dor
a 0,8cun. Pode-se também martelar o lo- localizada lateralmente à linha mediana.
cal com agulhas de sete estrelas ou flor de
ameixeira, assim como utilizar agulhas
aquecidas ou moxabustão. Inserção Horizontal a Partir
Ao se aplicar a agulha no acuponto do Acuponto Shu Dorsal
Jiaji, no paciente deve surgir a "sensação
de agulhamento"; caso isso não ocorra, É a transfixação de agulha de um acuponto
deve-se manipular a agulha para se obter Shu dorsal em direção ao Jiaji. Essa técnica
essa sensação. combinada trata as doenças do Zang-fu79.
5tcupunturano 12

Punhoeno%rnoze[o

É uma técnica de inserção de agulha na camada subcutânea,desenvolvida


pelo Dr. Xin Shu Chang, entre 1965 e 1975. É muito eficaz e não necessita
da obtenção da "sensaçãode agulhamento"75.
A agulha é inserida oblíqua (30°) ou quase horizontalmente e a estru-
tura que mais interessa é a pele (epiderme e derme).
A pele é uma barreira física entre o corpo e o meio externo. Protege o
;1; corpo, impedindo a penetração de agentes físicos e químicos externos no-

! civos, bem como evita a perda de água, eletrólitos e outras substâncias.


~ Controla, ainda, a temperatura, além das funções de secreção e percepção,
~ por meio de rede vascu1ar, glândulas sebáceas, sudoríparas e de complexa
~ e especializada rede nervosa cutânea78.
Para a Medicina Tradicional Chinesa, na pele circula a energia de
defesa (Wei Qi) pelos Canais Tendinomusculares que têm por função
impedir a penetração de agentes perversos ou combatê-los caso ocorra a
invasão.
A pele é segmentada ou dividida longitudinalmente conforme a dis-
tribuição dos 12 canais de energia e seus colaterais, formando assim um
total de 12 áreas ou zonas cutâneas, seis de cada lado do corpo (Figs. 12.1
a 12.3).
A inserção de agulhas nos acupontos do punho e do tornozelo pode ser
utilizada para aliviar os sintomas de muitas doenças.

Princípios para a Escolha


dos Acupontos28
1. Escolher os acupontos de acordo com suas indicações terapêuti-
cas. Por exemplo, com base na segmentação longitudinal que cons-
titui as áreas ou zonas cutâneas, escolher o acuponto do membro
superior 1 (Figs. 12.1 e 12.2) para aliviar a dor, no caso de cefaléia
frontal, dor nos olhos, etc.; escolher o acuponto inferior 1 para
aliviar a dor epigástrica, dor no ca1câneo, etc.
1128 - ACUPUNTURA
NO PUNHOENOTORNOZELO

Linha mediana frontal

Área 1
trX{({e

.
Área 2
111
Área 3
D
Área 4

Área 5
111
Área 6
...
FIGURA12.1 - Distribuição das áreas ou zonas cutâneas no corpo (vista frontal)28.
ACUPUNTURA NO PUNHO E NO TORNOZELO - 129 I

Linha torácica horizontal


(diafragma)

FIGURA 12.2 - Distribuição das áreas ou zonas cutâneas no corpo (vista lateral)28.
1130 - ACUPUNTURA
NO PUNHOENOTORNOZELO

2. Escolher os acupontos de acordo tuada ao lado da Área 2. Nela estão parte


com a localização da doença. Por da cabeça, incluindo seu vértice, as ore-
exemplo, escolher os acupontos do lhas, a artéria carótida, a parte lateral do
punho para tratar as doenças loca- pescoço, a parte anterior da axila, a parte
lizadas acima do diafragma e os lateral de tórax e abdome, a parte anterior
acupontos do tornozelo para tratar da coxa, do joelho e da perna e o dorso do
doenças abaixo do diafragma. pé (ver Figs. 12.1 e 12.2).
3. Direcionar a ponta da agulha para Área ou Zona Cutânea 4 - É a área
o local da doença. Por exemplo, ao situada lateralmente, no limite entre as
escolher o acuponto do membro faces anterior e posterior do corpo. Nessa
inferior 1 (ver Fig. 12.1), para ali- área estão a parte póstero-lateral da cabe-
viar a dor no calcâneo, direcionar
ça, a parte póstero-lateral do pescoço, a
a ponta da agulha para o ca1câneo. face ântero-lateral dos membros superio-
4. Tratar unilateralmente, se a doen-
res, a parte lateral do tórax, o abdome, as
ça afeta apenas um lado do corpo.
faces laterais da coxa, do joelho e da tíbia
5. Tratar bilateralmente, quando se
e o tornozelo (Figs. 12.1 a 12.3).
pretende aliviar as manifestações -
Área ou Zona Cutânea 5 É a área
gerais da doença.
situada em ambos os lados do corpo. Nela
se encontram a região lateral, a parte da
Distribuição das Áreas região posterior da cabeça e a parte da face
ou Zonas Cutâneas63,66 posterior do pescoço, a face póstero-late-
ral dos membros superiores, a escápula, a
Área ou Zona Cutânea 1- É a área deli-
face lateral da região dorsal e lombar,
mitada por duas linhas paralelas à linha a face lateral das nádegas e a face póstero-
mediana frontal (Renmai). Nessa área
lateral dos membros inferiores (Figs. 12.1--J
'O
estão a fronte, os olhos, o nariz, a boca, a
a 12.3).
, ,
~
v.
língua, os dentes anteriores, a garganta, Area ou Zona Cutânea 6 - E a área .:.,
N
a traquéia, o esMago, o coração, a face
medial posterior do braço, o epigástrio, o
que fica em ambos os lados da linha me- ~
0\

umbigo, o abdome, o útero, o períneo, as


diana dorsal (Dumai) e se estende tam- ~
+-

bém na face posterior dos membros supe-


genitálias e a face medial posterior da per-
riores e inferiores, respectivamente. Nela
na (ver Figs. 12.1 e 12.2).
Área ou Zona Cutânea 2 - É a área se encontram a região posterior da cabe-
frontal localizada em ambos os lados da ça, do pescoço, a coluna vertebral dorsal,
a coluna lombar, o sacro, o ânus, a face
Área 1. Nessa área estão a região tempo-
ral, a maxila, a mandíbula, os dentes mo- interna das nádegas e a face posterior dos
lares, a articulação temporomandibular membros inferiores (Figs. 12.1 a 12.3).
(ATM), a tireóide, asglândulas mamárias, As áreas assim distribuídas no corpo
os pulmões, as laterais do abdome, o fí- correspondem, aproximadamente, ao tra-
gado, o baço e a face medial dos mem- jeto dos canais de energia (Tabela 12.1).
bros inferiores (ver Figs. 12.1 e 12.2). A Tabela 12.2 lista as localizações dos
Área ou Zona Cutânea 3 É uma - acupontos do punho e do tornozelo, com
área estreita, frontolateral do corpo, si- indicações terapêuticas.
ACUPUNTURA
NO PUNHOENOTORNOZELO
- 131 I

Linha mediana dorsal

FIGURA 12.3 - Distribuição das áreas ou zonas cutâneas no corpo (vista dorsal)28.
1132 - ACUPUNTURA
NOPUNHOENOTORNOZELO

Tabela 12.1 - Distribuição das áreas no corpo e suas correspondências com os canais de energia

Área Membro Superior D Membro Inferior


I
Coração Rim
A
2 Pericárdio F Fígado
R
3 Pulmão Baço-Pâncreas
A
4 Intestino Grosso Estômago
C
5 Triplo Aquecedor M Vesícula Biliar
A
6 Intestino Delgado Bexiga

Tabela 12.2 - Acupontos do punho e do tornozelo, localização e indicações terapêuticas28,75 'D


"
00
00
lJ1
Área Acuponto Localização (Fig. 12.4) Indicações Terapêuticas
.c.,
N
-1'0

Punho 1 Na depressão sobre a face ulnar Asma, cefaléia frontal, '"


'D
N
do tendão do músculo flexor depressão, doenças dos .L.
ulnar do carpo, a 2cun acima olhos e do nariz, faringite,
da prega transversal do insônia, mania, nevralgia
punho, pouco acima do C 4 facial, palpitação, sudorese
(Lingdao) noturna, zumbido, etc.

Tornozelo 1 Na borda medial do tendão Dor no calcâneo, dismenorréia,


calcâneo, a 3cun acima do dor abdominal periumbilical,
maléolo medial enurese, epigastralgia,
leucorréia, prurido, etc.

2 Punho 2 Entre os tendões dos músculos Agalaxia, asma, bronquite,


palmar longo e flexor radial do dispnéia, dor no peito, dor de
carpo, a 2cun acima da prega dentes (molares), etc.
transversal do punho, que
corresponde ao CS 6 (Neiguan)

Tornozelo 2 Na borda posterior da tíbia, a Dor abdominal, dor no


3cun acima do maléolo hipocôndrio, dor no joelho
medial, próximo ao BP 6 (face medial), dor no tornozelo
(Sanyinjiao) (face medial), enterite, etc.

3 Punho 3 Entre a artéria radial e a borda Cefaléia temporal, dor torácica,


medial do osso radial, na face hipertensão arterial, etc.
ventral, a 2cun acima da prega
transversal do punho, pouco
acima do P 7 (Lieque)
ACUPUNTURA NO PUNHO E NO TORNOZELO - 133 I

Tabela12.2 - (Cont.)Acupontosdo punho e do tornozelo, localizaçãoe indicaçõesterapêuticas28,75

Área Acuponto localização (Fig. 12.4) Indicações Terapêuticas

Tornozelo 3 Na borda anterior da tíbia, a Dor no joelho (face anterior)


3cun acima do meléolo medial
e a 2cun abaixo do F 5 (Ligou)

4 Punho 4 Entre a borda lateral do osso Cefaléia no alto da cabeça,


radial e a face dorsal do doenças do ouvido, dor na
braço, justolateralmente ao articulação
tendão do músculo extensor temporomandibular, dor no
breve do polegar, a 2cun cotovelo, dor torácica,
acima da prega transversal do periartrite escapuloumeral, etc.
punho, abaixo do IG 6 (Pian/i)

Tornozelo 4 Na face anterior da perna, entre Dor nas articulações


a tíbia e a fíbula, a 3cun acima falângicas e flacidez dos
do maléolo lateral membros inferiores, dor no
quadríceps, paralisia dos
membros inferiores, dor no
ombro (face lateral), no
pescoço, etc.

5 Punho 5 No meio da face dorsal do Dor nas articulações dos dedos,


antebraço, entre os ossos punho e cotovelo, periartrite
radial e ulnar, a 2cun acima da escapuloumeral, dor no
prega transversal do punho, pescoço, tontura, vertigem, etc.
próximo ao TA 5 (Waiguan)

Tornozelo 5 Na face lateral da perna, a 3cun Dor na articulação do quadril,


acima do maléolo lateral, entre na face lateral de coxa e perna,
a borda póstero-Iateral da torção do tornozelo, etc.
fíbula e o tendão do músculo
"'1"
N fibular longo, próximo ao
0\
"? VB 39 (Xuanzhong)
:;
N
r--
.;, 6 . Punho 6 Entre a borda do osso ulnar e a
'1 Cefaléia occipital, dor na coluna
00
r-- borda medial do tendão do cervical e torácica
0\
músculo extensor ulnar do
carpo, na face dorsal a 2cun
acima da prega transversal do
punho, entre ID 6 (Yang/ao) e
ID 7 (Zhizheng)

Tornozelo 6 Na borda lateral do tendão Ciatalgia, distensão lombar


calcâneo, a 3cun acima do aguda, dor na articulação
maléolo lateral, próximo ao sacroilíaca, espasmo do
B 59 (Fuyang) gastrocnêmio, etc.
1134 - ACUPUNTURA
NO PUNHOENOTORNOZELO

Método de Agulhamento
Inserir a agulha num ângulo de 30° ou
menos, direcionando a sua extremidade \D

para a região proximal ou distal, ultrapas- cr


00

sando rapidamente a pele e atingindo o N~


tecido subcutâneo, a fim de minimizar a ::
dor. Inserir a agulha em toda a sua exten- §
são, paralelamente à superfície da pele, de .i,.
A modo que o seu corpo seja sentido à pal-
pação da superfície (Fig. 12.5).

..,u

FIGURA 12.4 - (A-B) Acupontos do punho e do FIGURA


12.5 - Método de agulhamento.
tornozelo28.
.9Lcupuntura
com 13
rrransfbcação
e f})irecionamento
das .9LguffuJs
Com exceção do Youbang & Liangyue79, a maioria dos textos não abor-
da essa importante técnica na qual usa uma agulha bem longa.
No Ling Shu, Capítulo 1, há referência sobre a oitava das nove agulhas
antigas de Acupuntura, a agulha Chang (ver Fig. 1.1), a mais longa, com
comprimento de 7cm, para tratar artrodinia (dores articulares por reuma-
tismo crônico) 73.
Auteroche & Auteroche5 referem que picadas transfixantes que reú-
nem os acupontos, bem como a profundidade e o comprimento da inserção
de agulhas, aumentam a "sensação de Qi".
A agulha "Barba de Trigo", referida no texto da Shangai College of
Traditional Medicine, também é longa e se baseia nas antigas nove agu-
lhas. O seu comprimento varia de 12,5 a 60cm, o que toma possível, na sua
inserção, a união de vários acupontos.
Segundo Runshen, citado por Youbang & Liangyue79, a técnica de
transfixação é conhecida como agulhamento de atravessar o mar, de atra-
vessar a viga, etc. É uma técnica especial de inserção de agulha longa e
fina, de um acuponto a outro, passando por vários acupontos. Essa técnica
é utilizada quando o agulhamento de um único acuponto não é eficaz, por
exemplo, no tratamento das enxaquecas rebeldes, epicondilite, escrófula
"" (tuberculose dos linfonodos cervicais), neuropatia diabética, ombralgia
~ aguda, paralisia facial, etc.
~
r--
O acuponto em que se inicia a transfixação é denominado acuponto de
iJ partida; o acuponto-alvo, para onde a extremidade da agulha é dirigida, é
~ denominado acuponto de chegada. Os acupontos compreendidos entre eles
são os intermediários (Fig. 13.1).
1136 - ACUPUNTURA
COMTRANSFIXAÇÃO
EDIREClONAMENTO
DASAGULHAS

FIGURA 13.1
~ --
- Transfixação de agulha longa. A=
B
O
c
O

acuponto de partida; B = acuponto intermediá-


rio; C = acuponto de chegada.

Classificação da
Técnica de Transfixação
A técnica de transfixação pode ser classi-
ficada de acordo com direções das agulhas,
ângulos formados entre agulha e supem-
cie da pele e canais de energias ligados
pela transfixação.

Classificação de acordo
com a Direção da Agulha
Unidirecional
A direção da transfixação é de ponto A (de
transfixação) para ponto B (de chegada). FIGURA 13.2 - Transfixação unidirecional dos
Exemplo: de VG 20 (Baihui) para acupontos A a B.
VG 19 (Houding) (Fig. 13.2) ou IG 4 (He-
gu) para CS 8 (Laogong).

Bidirecional

A agulha pode ser introduzida tanto a par-


tir do ponto A para o B como do ponto B
para o A.
Exemplo: VB 20 (Fengchi) direito a
VB 20 (Fengchi) esquerdo ou vice-versa Q!lIIIIIUUII

(Fig. 13.3).

MuItidirecional

A partir do acuponto de transfixação e após


a "sensação de agulhamento", a agulha é FIGURA 13.3 - Transfixação bidirecional de A
dirigida a outros acupontos de chegada. para B e de B para A.
ACUPUNTURA
COMTRANSFIXAÇÃO
EDIRECIONAMENTO - 137
DASAGULHAS I

Exemplo: VG 20 (Baihui) em direção Classificação d,.e


a quatro pontos do Sichencong (Extra)
(Fig. 13.4).
acordo com o Angulo
""
Formado entre Agulha
N
e Superfície da Pele
!
"" Transfixação Adjacente
N
r-- Horizontal
ii Descrita por Runshen conforme Youbang
~ e Liangyue 79é muito utilizada para o trata- O corpo da agulha transfixada deve estar
mento de nódulos formados no tecido
entre a pele e o músculo, horizontalmente.
mole.
Exemplo: de VB 14 (Yangbai) a Yuyao
O cisto sinovial que aparece no punho (Extra) (Fig. 13.5).
pode ser tratado com essa técnica. É a
"picada quíntupla" ou "pontos cardeais",
no qual uma das agulhas é inserida perpen- Oblíqüa
dicularmente no centro do nódulo e outras
quatro são introduzi das horizontalmente A transfixação é realizada obliquamente,
ou obliquamente ao redor da primeira, em formando um ângulo entre a agulha e a su-
direção à extremidade da primeira, tendo- perfície da pele. Esse ângulo é sempre re-
se cuidado para que as pontas das agulhas ajustado de forma que a extremidade da
estejam dirigidas para a base do nódulo. agulha seja direcionada para o ponto de

Sichencong VB 14 (Yangbai)
(Extra)

Yuyao (Extra)

FIGURA13.4 - Transfixação multidirecional de FIGURA 13.5 - Transfixação horizontal à super-


agulhas a partir de um acuponto. fície da pele.
1138 - ACUPUNTURA
COMTRANSFIXAÇÁO
EDIRECIONAMENTO
DASAGULHAS

chegada. Em geral, os dois acupontos es- Classificação de


tão situados diagonalmente opostos. acordo com os Canais
Exemplo: De ID 6 (Yanglao) a C 5 'D

(Tongli) (Fig. 13.6) ou de VB 40 (Qiuxu) a de Energia --J


00
00
u.
R 6 (Zhaohai). .:.:,
Mesmos Canais N
t
'"
'D

Perpendicular Os acupontos, tanto o de transfixação ~


como o de chegada, pertencem ao mesmo
A agulha é introduzida perpendicular- canal de energia. A transfixação é feita,
mente do acuponto de transfixação ao pon- em geral, horizontalmente e esse proce-
to de chegada. dimento serve para regular o Qi desse
Exemplo: De TA 5 (Waiguan) a CS 6 canal.
(Neiguan) (Fig. 13.7) ou de VB 39 (Xuan- Exemplo: De TA 2 (Yemen) a TA 3
zhong) a BP 6 (Sanyinjiao). (Zhongzhu).

ID 6 (Yang/ao) Diferentes Canais


Os acupontos de transfixação e de chega-
da estão localizados em canais diferentes.

. Podem unir o acuponto de transfixa-


ção no canal interior com o ponto de
chegada no canal exterior.
Exemplo: De CS 5 (Jianshi) a TA 6
C 5 (Tongli)
(Zhigou) ou de R 7 (Fuliu) a B 59 (Fu-
yang).
FIGURA13.6 - Transfixação obl'íqua.
. Podem unir o acuponto de transfixa-
ção de um canal Yang com o acuponto
de chegada de outro canal Yin ou vice-
versa.
Exemplo: De TA 3 (Zhongzhu) a C 8
(Shaofu).
. Podem unir o acuponto de transfixa-
ção de um canal com o acuponto de
chegada de outro canal de mesma
natureza, Yin ou Yang, e adjacente um
ao outro.
Exemplo: De F 3 (Taichong) a R 1
CS 6 (Neiguan)
(Yongquan) ou de E 38 (Tiaokou) a
FIGURA 13.7 - Transfixação perpendicular. B 57 (Chengshan).
ACUPUNTURA
COMTRANSFIXAÇÃO
EDIRECIONAMENTO
DASAGULHAS
- 139 I

Cuidados Necessários Posição do Paciente


para Realizar Deve ficar em posição confortável, de pre-
a Transfixação ferência em decúbito dorsal, lateral ou
ventral, conforme a seleção de acupontos
Material de transfixação e de chegada a serem tra-
tados. A posição de decúbito é preferível
As agulhas devem ser filiformes, de aço à posição sentada, porque evita a desagra-
inoxidável, com 6 a 7cm de comprimen- dável situação de desmaio ou lipotimia em
to e 0,24 a 0,28mm de diâmetro. Devem alguns pacientes que têm receio da agu-
ser inspecionadas para se verificar o es- lha, principalmente da longa.
tado das pontas e dos cabos (se estão
soltos).
Como Segurar as Agulhas
Esterilização Os dedos polegar e indicador direitos
seguram o corpo da agulha envolvida
Como todas as agulhas de Acupuntura, as em gaze esterilizada e embebida em ál-
de transfixação também devem ser previa- cool 70oGL, ficando à mostra ou livre,
mente esterilizadas e descartáveis. Caso aproximadamente lcm da ponta. O res-
contrário, as agulhas devem ser envolvi- tante do corpo e do cabo da agulha fica
das em gaze e esterilizadas em auto clave escondido na palma da mão direita para
(l20°C, 1 atm, durante 15 a 20min) ou o paciente que tem medo não observar o
em estufa (l50°C, durante 60min). comprimento da agulha. Assim o restan-
te da agulha é introduzido de parte em
parte, direcionando-se ao acuponto de
Assepsia do Acuponto chegada.

'Tde Transfixação
N
o-,
! Lave o local com água e sabão de coco ou
'T
Como Inserir e
~ sabonete neutro, passe a tintura de iodo e,
V) Transfixar a Agulha
t- em seguida, use o álcool 700GL para re-
:;h

o-,mover o iodo. O polegar esquerdo pressiona o acuponto


de transfixação e os dedos indicador, mé-
dio e anular são colocados entre esse acu-

Assepsia das Mãos ponto e o de chegada. A mão direita aponta


e segura a agulha no ponto de transfixação,
Deve-se lavar bem as mãos com sabão de o polegar esquerdo impulsiona a ponta da
coco ou sabonete neutro, passar tintura agulha com o auxílio dos dedos indica-
de iodo e, em seguida, remover com o dor, médio e anelar esquerdo. Em segui-
álcool 70oGL. da, a agulha é impulsionada cuidadosa-
1140 - ACUPUNTURA
COMTRANSFIXAÇÃO
EDIRECIONAMENTO
DASAGULHAS

Yintang (Extra)
mente em direção ao acuponto de che-
gada, sem causar dor, após a obtenção da
"sensação de agulhamento".

Como Reconhecer a
Chegada do Qi ou a
Obtenção da HSensação
de Agulhamento"
o operador sente a tensão em volta do
corpo da agulha, enquanto o paciente re-
lata a sensação de peso, distensão, dor-
mência, calor ou de que algo está andan-
do sobre a superfície do corpo. Se não
sentir nenhuma das reações citadas, deve-
se mudar a direção da agulha e transfixá-
Ia novamente. FIGURA13.8 - Direcionamento da agulha.

No direcionamento da agulha, sua ex-


tremidade ou ponta se dirige no sentido
da área ou "região-alvo" a ser tratada. A Acupuntura Escalpeana Clássica e
Por exemplo, no tratamento da rinite, as variantes do Dr. Tom Sintan Wen, bem
insere-se a agulha no Yintang (Extra) e di- como "Yamamoto New Scalp Acupunc-
reciona-se a sua ponta obliquamente para ture", do Dr. Toshikatsu Yamamoto, são
uma das narinas; em seguida, puxa-se a técnicas que utilizam a transfixação e o ~
agulha, redirecionando a sua ponta obli- direcionamento das agulhas34. A Acupun- ~
quamente para a outra narina (Fig. 13.8). tura Escalpeana, do Dr. Mingqing Zhu, ~
No tratamento da rigidez do pescoço, além de utilizar a transfixação e o dire- ~
N

pode-se inserir uma agulha no VG 20 cionamento, retém as agulhas no local por .I:.

(Baihui) e, com inclinação de 15°, direcio- 24 a 48h8o; nessa técnica, cuidados espe-
ná-Ia para trás, ao VG 19 (Houding) (ver ciais devem ser tomados para evitar pos-
Fig. 13.2). síveis infecções no couro cabeludo.
Ao tratar as doenças da face, inserir a Na Acupuntura do Punho e do Torno-
agulha no VG 20 (Baihui) e, com inclina- zelo, a agulha é inserida num ângulo de
ção de 15°, direcionar a sua extremidade 30° ou menos e, após ultrapassar a pele e
para frente28. atingir o tecido subcutâneo, a sua extre-
Na tonificação, a ponta a agulha deve midade é direcionada para a região proxi-
ser direcionada no sentido da circulação mal ou distal, de acordo com o caso.
de energia nos canais; na sedação, a pon- Na Tabela 13.1 encontra-se a relação
ta da agulha deve ser direcionada no sen- de doenças (sintomas) e acupontos de trans-
tido contrário ao da circulação de energia. fixação e de chegada.
ACUPUNTURA COM TRANSFIXAÇÃOE DIRECIONAMENTO DAS AGULHAS - 141 I

Tabela 13.1 - Técnica de transfixação de agulha do acuponto de transfixação em direção ao


de chegada

Acupontos Acupontos
Doenças (sintomas) de transfixação de chegada

Apoplexia VB 20 (Fengchi) VB 20 (Fengchi)


Asma Oingchuan (Extra) Oingchuan (Extra)
Asma com excesso de muco E 40 (Feng/ong) BP 7 (Lougu)
Asma com muita tosse B 13 (Feishu) Oingchuan (Extra)
Cefaléia VB 20 (Fengchi) VB 20 (Fengchi)

Cefaléia com vertigem e desmaio VC 24 (Shenting) VC 23 (Shangxing)


Cefaléia do vértex VC 21 (Qianding) VC 20 (Baihui)
"i"

N Cefaléia frontal VC 24 (Shenting) VB15 (Linqi)


-
a,
"?
"i"
N
r-
Cefaléia com dor no globo ocular Taiyang (Extra) TA 20 Uiaosun)

.n
"? Convulsão infantil Yintang (Extra) Yuyao (Extra)
r-
00
a, Desmaio Yintang (Extra) B 2 (Zanzhu)
VC 20 (Baihui) Sishencong (Extra)
Desvio da boca VB 7 (Qubin) VB 2 (Tinghui)
Desvio da boca (de difícil tratamento) VC 24 (Chengjian) E 4 (Oicang)
Diarréia matinal (deficiência de Qi dos Rins) B 52 (Zhishi) VC 4 (Mingmen)

Diarréia com alimentos mal digeridos BP 4 (Congsun) R 1 (Yongquan)


Dor abdominal BP 5 (Shangqiu) E 41 Uiexi)

Dor epigástrica E 34 (Liangqiu) E 33 (Yinshi)

Dor de garganta TA 13 (Naohui) IC 14 (Binao)


TA 10 (Tianjing) IC 14 (Binao)

Dor hipocondrial VB 40 (Qiuxu) R 6 (Zhaohai)


F 13 (Zhangmen) VB 25 Uingmen)
Dor no ombro IC 15 Uianyu) TA 13(Naohui)
IC 15 Uianyu) IC 14 (Binao)

Dor precordial TA 3 (Zhongzhu) C 8 (Shaofu)


IC 4 (Hegu) CS 8 (Laogong)

Dor supra-orbitária VB 1 (Tongziliao) Yuyao (Extra)


B 2 (Zanzhu) Yuyao (Extra)

Edema (deficiência de Yang do Baço) R 7 (Fuliu) B 59 (Fuyang)

Enxaqueca TA 23 (Sizhucong) VB 8 (Shuiagu)


Taiyang (Extra) VB 8 (Shuiagu)
(Continua)
1142 - ACUPUNTURA
COMTRANSFIXAÇÁO
EDIRECIONAMENTO
DASAGULHAS

Tabela 13.1 - (Cont.) Técnica de transfixação de agulha do acuponto de transfixação em direção


ao de chegada

Acupontos Acupontos
Doenças (sintomas) de transfixação de chegada
'D
--J

Epicondilite IG 11 (Quchi) C 3 (Shaohai) 'f'


00
v.
IG 3 (Sanjian) IG 4 (Hegu)
N
"""

Epilepsia (com obstrução por mucosidade) VG 2 (Yaoshu) VG 3 (Yaoyangguan) '"


'D
N
Epistaxe C 6 (Yinxi) ID 5 (Yanggu) .i:.
B 4 (Quchai) VB 15 (Linqi)
IG 20 (Yingxiang) E 2 (Sibai)

Gastralgia aguda VC 14 Uuque) VC 12 (Zhongwan)

Gonartrose VB 33 (Xiangguan) F 8 (Ququan)

Hemiplegia VB 20 (Fengchi) VB 20 (Fengchi)


E 8 (Touwei) B 7 (Tongtian)
IG 11 (Quchi) C 3 (Shaohai)

Hipertensão arterial primária leve F 3 (Taichong) R 1 (Yongquan)

Indigestão VC 13 (Shangwan) VC 12 (Zhongwan)

Inflamação na garganta TA 10 (Tiangjing) IG 14 (Binao)

Insônia CS 4 (Ximen) TA 8 (Sanyangluo)

Menstruação irregular VG 2 (Yaoshu) VG 3 (Yaoyangquan)


R 5 (Shuiquan) R 6 (Zhaohai)

Ombralgia aguda E 38 (Tiakou) B 57 (Chengshan)

Palpitação ID 6 (Yanglao) C 5 (Tongli)


Paralisia facial e dor facial Taiyang (Extra) E 6 Uiache)
VG 26 (Rhenzhong) E 4 (Dicang)
E 4 (Dicang) E 6 Uiache)

Paralisia da pálpebra superior B 2 (Zanzhu) Yuyao (Extra)

Ptose das pálpebras Yuyao (Extra) VB 14 (Yangbai)

Síncope F 3 (Taichong) R 1 (Yongquan)


E 43 (Xiangu) R 1 (Yongquan)

Torção do tornozelo BP 5 (Shangqiu) E 41 Uiexi)


VB 40 (Qiuxu) R 6 (Zhaohai)

Torcicolo VG 14 (Dazhui) B 11 (Dashu)

Tosse P 7 (Lieque) P 9 (Taiyuan)


Zumbido ID 5 (Yanggu) ID 4 (Wangu)
TA 21 (Ermen) ID 19 (Tinggong)
Cro1Wacup
untura 14

Simpfes

A Cronoacupuntura consiste em métodos como Ling Gui Ba Fa, Zi Wu


Liu Zhu e Fei Teng Ba Fa, que se baseiam no agulhamento de acupontos
"ativos" ou "abertos" a cada duas horas do dia33.
O Ling Gui Ba Fa, ou oito métodos da Tartaruga Sagrada, baseia-se
no agulhamento de oito acupontos maravilhosos ou confluentes "ativos"
ou "abertos" a cada duas horas do dia33.
O Zi Wu Liu Zhu, ou acúmulo e fluxo ou movimentos energéticos
obedecendo a lei da meia-noite e meio-dia, baseia-se no agulhamento
de cinco acupontos Su antigos "abertos" ou "ativos" a cada duas horas
do dia55.
O Fei Teng Ba Fa, ou oito métodos de voar e pairar, é semelhante ao
Ling Gui Ba Fa, e também se baseia no agulhamento dos oito acupontos
maravilhosos ou confluentes "ativos" ou "abertos". O Fei Teng Ba Fa
não utiliza a fórmula com resto, como no Ling Gui Ba Fa, e enfoca prin-
't cipalmente o Tronco do Dia44. Não será descrito neste capítulo devido a
N

p? sua complexidade.

~
r-- Como na Cronoacupuntura há necessidade de se conhecer os Tron-
i2 cos celestes, os Ramos terrestres, os complicados cálculos matemáticos,
~ a utilização de tabelas de conversão de calendário lunar gregoriano e
manuseio de discos, torna-se muito dificil, nos dias de hoje, utilizar esse
método, já que o tempo do médico é bastante reduzido.
Com a finalidade de tornar mais fácil e rápida a sua utilização, o Ling
Gui Ba Fa e o Zi Wu Liu Zhu foram resumidos em apenas duas tabelas
(Binômio do Dia e Binômio da Hora), conforme Gomes (1998), citado e
adaptado por Inada33.
Para encontrar os acupontos "ativos", basta somar o dia ao número
encontrado na tabela do Binômio do Dia no mês corrente e, em seguida,
procurar os acupontos "ativos" na tabela do Binômio da Hora.
Se a soma ultrapassar 60, subtrair 60 do total.
Por exemplo, quais foram os acupontos "ativos" entre 9h e llh do dia
13 de agosto de 2001 ?
1144 - CRONOACUPUNTURA
SIMPLES

Ao consultar a tabela para o cálculo do A seguir, procurar na tabela do Binô-


Binômio do Dia (Tabela 14.1), no mês de mio da Hora (Tabela 14.2), o dia 45 e na
agosto de 2001, encontramos o número 32. coluna da hora (9 - llh), encontramos os
Somar: 32 + 13 = 45. acupontos "ativos": PC 6 e PC 7.

Tabela 14.1 - Tabela para o cálculo do Binômio do Dia

Ano Meses

jan. Fev. Mar. Abr. Mai. jun. ju/. Ago. Set. Out. Nov. Dez.

2001 * O 31 59 30 O 31 1 32 3 33 4 34
2002 5 36 4 35 5 36 6 37 8 38 9 39
2003 10 41 9 40 10 41 11 42 13 43 14 44
2004 15 46 15 46 16 47 17 48 19 49 20 50
2005 21 52 20 51 21 52 22 53 24 54 25 55
2006 26 57 25 56 26 57 27 58 29 59 30 O
2007 31 2 30 1 31 2 32 3 34 4 35 5
2008 36 7 36 7 37 8 38 9 40 10 41 11
2009 42 13 41 12 42 13 43 14 45 15 46 16
2010 47 18 46 17 47 18 48 19 50 20 51 21
2011 52 23 51 22 52 23 53 24 55 25 56 26
2012 57 28 57 28 58 29 59 30 1 31 2 32
2013 3 34 2 33 3 34 4 35 6 36 7 37
2014 8 39 7 38 8 39 9 40 11 41 12 42
2015 13 44 12 43 13 44 14 45 16 46 17 47
'D
--.)
2016 18 49 18 49 19 50 20 51 22 52 23 53 00
2017 24 55 23 54 24 55 25 56 27 57 28 58 00
li>
2018 29 O 28 59 29 O 30 1 32 2 33 3 c.,
IV
.j:>.
2019 34 5 33 4 34 5 35 6 37 7 38 8 -
43 13 44 14 '"
2020 39 10 39 10 40 11 41 12 'D
IV
2021 45 16 44 15 45 16 46 17 48 18 49 19 .I.
2022 50 21 49 20 50 21 51 22 53 23 54 24
2023 55 26 54 25 55 26 56 27 58 28 59 29
2024 O 31 O 31 1 32 2 33 4 34 5 35
2025 6 37 5 36 6 37 7 38 9 39 10 40
2026 11 42 10 41 11 42 12 43 14 44 15 45
2027 16 47 15 46 16 47 17 48 19 49 20 50
2028 21 52 21 52 22 53 23 54 25 55 26 56
2029 27 58 26 57 27 58 28 59 30 O 31 1
2030 32 3 31 2 32 3 33 4 35 5 36 6
2031 37 8 36 7 37 8 38 9 40 10 41 11
2032 42 13 42 13 43 14 44 15 46 16 47 17
2033 48 19 47 18 48 19 49 20 51 21 52 22
2034 53 24 52 23 53 24 54 25 56 26 57 27
2035 58 29 57 28 58 29 59 30 1 31 2 32
2036 3 34 3 34 4 35 5 36 7 37 8 38
2037 9 40 8 39 9 40 10 41 12 42 13 43
2038 14 45 13 44 14 45 15 46 17 47 18 48
CRONOACUPUNTURA
SIMPLES
- 145 I

Tabela 14.1 - (Cont.) Tabela para o cálculo do Binômio do Dia

Ano Meses

)an. Fev. Mar. Abr. Mai. )un. lu/. Ago. Set. Qut. Nov. Dez.

2039 19 50 18 49 19 50 20 51 22 52 23 53
2040 24 55 24 55 25 56 26 57 28 58 29 59
2041 30 1 29 O 30 1 31 2 33 3 34 3
2042 35 6 34 5 35 6 36 7 38 8 39 9
2043 40 11 39 10 40 11 41 12 43 13 44 14
2044 45 16 45 16 46 17 47 18 49 19 50 20
2045 51 22 50 21 51 22 52 23 54 24 55 25
2046 56 27 55 26 56 27 57 28 59 29 O 30
2047 1 32 O 31 1 32 2 33 4 34 5 35
2048 6 37 6 37 7 38 8 39 10 40 11 41
2049 12 43 11 42 12 43 13 44 15 45 16 46
2050 17 48 16 47 17 48 18 49 20 50 21 51
"'i" 2051 22 53 21 52 22 53 23 54 25 55 26 56
N
o-, 2052 27 58 27 58 28 59 29 O 31 1 32 2
~
"'i"
2053 33 4 32 3 33 4 34 5 36 6 37 7
t-
N
2054 38 9 37 8 38 9 39 10 41 11 42 12
.;,
00 2055 43 14 42 13 14
43 44 15 46 16 47 17
00
t-
o-, 2056 48 19 48 19 49 20 50 21 52 22 53 23
2057 54 25 53 24 54 25 55 26 57 27 58 28
2058 59 30 58 29 59 30 O 31 2 32 3 33
2059 4 35 3 34 4 35 5 36 7 37 8 38
2060 9 40 9 40 10 41 11 42 13 43 14 44
2061 15 46 14 45 15 46 16 47 18 48 19 49
2062 20 51 19 50 20 51 21 52 23 53 24 54
2063 25 56 24 55 25 56 26 57 28 58 29 59
2064 30 1 30 1 31 2 32 3 34 4 35 5
20ç5 36 7 35 6 36 7 37 8 39 9 40 10
2066 41 12 40 11 41 12 42 13 44 14 45 15
2067 46 17 45 16 46 17 47 18 49 19 50 20
2068 51 22 51 22 52 23 53 24 55 25 56 26
2069 57 28 56 27 57 28 58 29 O 30 1 31
2070 2 33 1 32 2 33 3 34 5 35 6 36
2071 7 38 6 37 7 38 8 39 10 40 11 41
2072 12 43 12 43 13 44 14 45 16 46 17 47
2073 18 49 17 48 18 49 19 50 21 51 22 52
2074 23 54 22 53 23 54 24 55 26 56 27 57
2075 28 59 27 58 28 59 29 O 31 1 32 2
2076 33 4 33 4 34 5 35 6 37 7 38 8
2077 39 10 38 9 39 10 40 11 42 12 43 13
2078 44 15 43 14 44 15 45 16 47 17 48 18
2079 49 20 48 19 49 20 50 21 52 22 53 23
2080 54 25 54 25 55 26 56 27 58 28 59 29

* Os números se repetem a cada 80 anos, por exemplo, de 2001 a 2080, de 2081 a 2160, de 2161 a
2240, e assim sucessivamente, até 4818, ano em que o calendário gregoriano deverá ser corrigido com
acréscimo de mais um dia, segundo Matsumura45.
1146 - CRONOACUPUNTURA
SIMPLES

Tabela 14.2 - Utilização dos oito acupontos confluentes e cinco acupontos Shu antigos em
Cronoacupuntura

Dia Binômio da Hora

23h - 1h 1h - 3h 3h - sh Sh - 7h 7h - 9h 9h - 11h

1 pc 6-VB 38 BP 4-F 2 VB41-ID8 R 6-C 7-R 3-PC 7 P 7- TA 6 TA 5-BP 5-BP 1 '-O


-..)
2 R 6-ID 2 TA 5-C 3 B 62-E 43-VB 40 VB41-PC5 R 6-IG 5-IG 1 BP4
3 R 6-E 36 R 6-BP 3-F 3 TA 5-TA 10 B 62-P 8-P 11 pc 6 BP 4-R 10-R 2
'i"
00
4 TA 5-IG 3-ID 4 B 62-PC 3 R 6-B 60-B 67 TA 5 BP 4-VB 34-VB 43 VB 41
v.
~
IV
5 R 6- TA 1 TA 5-R 7 BP4 VB 41-F 8 R6 P 7-PC 7
6 R 6-VB 38 TA 5-F 2 B 62-ID 8 B 62-ID 8 R 6-C 7-R 3-PC 7 BP 4-BP 5-BP 1 t
7 R 6-ID 2 TA 5-C 3 B 62-E 43-VB 40 VB41-PC5 R 6-IG 5-IG 1 P7 c"
'-O
8 B 62-E 36 VB 41-BP 3-F 3 R 6-TA 10 BP 4-P 8-P 11 VB 41 6R-10R-2R IV
9 ID 3-IG 3-ID 4 R 6-PC 3 TA 5-B 60-B 67 B 62 R6
.):..
VB41-VB 34-VB 43
10 B 62-TA 1 R 6-R 7 R6 BP 4-F 8 VB 41 R 6-PC 7
11 R 6-VB 38 P 7-F 2 ID 3-ID 8 R 6-C 7-R 3-PC 7 TA 5-TA 6 BP 4-BP 5-BP 1
12 R 6-ID 2 BP 4-C 3 VB 41-E 43-VB 40 B 62-PC 5 R 6-IG 5-IG 1 TA 5
13 B 62-E 36 VB 41-BP 3-F 3 R6-TA 10 P 7-P 8-P 11 ID 3 R 6-R 10-R 2
14 R 6-ID 3-ID 4 TA 5-PC 3 BR 63-B 60-B 67 R6 R 6-VB 34-VB 43 BP 4
15 TA 5-TA 1 B 62-R 7 VB 41 R 6-F 8 P7 ID 3-PC 7
16 BP 4-VB 38 VB 41-F 2 R 6-ID 8 BP 4-C 7-R 3-PC 7 VB 41-TA 6 B 62-BP 5-BP 1
17 PC 6-ID 2 BP 4-C 3 VB 41-E 43-VB 40 ID 3-PC 5 R 6-IG 5-IG 1 TA 5
18 VB 41-E 36 B 62-BP 3-F 3 R 6-TA 10 TA 5-P 8-P 11 B 62 R 6-R 10-R 2
19 R 6-ID 3-ID 4 TA 5-PC 3 B 62-B 60-B 67 pc 6 R 6-VB 34-VB 43 P7
20 R 6- TA 1 BP 4-R 7 TA 5 B 62-F 8 R6 TA 5-PC 7
21 B 62-VB 38 pc 6-F 2 BP 4-ID 8 VB41-C 7-R 3-PC 7 R 6- TA 6 R 6-BP 5-BP 1
22 VB 41-ID 2 R6-C3 BP 4-E 43-VB 40 TA 5-PC 5 B 62-IG 5-IG 1 R6
23 VB41-E 36 ID 3-BP 3-F 3 R6-TA10 TA 5-P 8-P 11 B 62 PC 6-R 10-R 2
24 R 6-ID 3-ID 4 BP 4-PC 3 VB 41-B 60-B 67 R6 R 6-VB 34-VB 43 TA 5
25 R 6-TA 1 P 7-R 7 TA 5 B 62-F 8 pc 6 BP 4-PC 7
26 R 6-VB 38 BP 4-F 2 VB 41-ID 8 R 6-C 7-R 3-PC 7 BP 4-TA 6 TA 5-BP 5-BP 1
27 BP 4-ID 2 VB 41-C 3 R 6-E 43-VB 40 R 6-PC 5 TA 5-IG 5-IG 1 B 62
28 R 6-E 36 R 6-BP 3-F 3 BP4-TA 10 VB 41-P 8-P 11 R6 BP 4-R lO-R 2
29 pc 6-ID 4 BP 4-PC 3 VB 41-B 60-B 67 R6 R 6-VB 34-VB 43 TA 5
30 R 6- TA 1 TA 5-R 7 BP4 VB 41-F 8 R6 BP 4-PC 7
31 PC 6-VB 38 BP 4-F 2 VB 41-ID 8 R 6-C 7-R 3-PC 7 P 7-TA 6 TA 5-BP 5-BP 1
32 R 6-ID 2 TA 5-C 3 B 62-E 43-VB 40 VB 41-PC 5 R 6-IG 5-IG 1 BP 4
33 TA 5-E 36 BP 4-BP 3-F 3 VB41-TA10 R 6-P 8-P 11 P7 ID 3-R 10-R 2
34 VB 41-ID 3-ID 4 R 6-PC 3 BP 4-B 60-B 67 VB 41 B 62-VB 34-VB 43 R6
35 R 6- TA 1 TA 5-R 7 BP 4 VB41-F8 R6 P 7-PC 7
36 R 6-VB 38 TA 5-F 2 B 62-ID 8 R 6-C 7-R 3-PC 7 TA 5-TA 6 BP 4-BP 5-BP 1
37 R 6-ID 2 TA 5 -c 3 B 62-E 43-VB 40 VB41-PC5 R 6-IG 5-IG 1 P7
38 B 62-E 36 VB 41-BP 3-F 3 R6-TA10 BP 4-P 8-P 11 VB 41 R 6-R 10-R 2
39 BP 4-ID 3-ID 4 VB41-PC3 R 6-B 60-B 67 P7 TA 5-VB 34-VB 43 B 62
40 BP 4-TA 1 VB41-R7 B 62 R 6-F 8 TA 5 B 62-PC 7
41 R 6-VB 38 P 7-F 2 ID 3-ID 8 R 6-C 7-R 3-PC 7 TA 5-TA 6 BP 4-BP 5-BP 1
42 R 6-ID 2 BP 4-C 3 VB 41-E 43-VB 40 B 62-PC 5 R 6-IÇ 5-IG 1 TA 5
43 B 62-E 36 VB 41-BP 3-F 3 R6-TA10 P 7-P 8-P 11 ID 3 R 6-R 1O-R 2
44 R 6-ID 3-ID 4 TA 5-PC 3 B 62-B 60-B 67 R6 R 6-VB 34-VB 43 BP4
45 VB 41-TA 1 R 6-R 7 R6 TA 5-F 8 B 62 pc 6-PC 7
46 B 62-VB 38 R 6-F 2 TA 5-ID 8 B 62-C 7-R 3-PC 7 R 6- TA 6 R 6-BP 5-BP 1
47 pc 6-ID 2 BP 4-C 3 VB 41-E 43-VB 40 ID 3-PC 5 R 6-IG 5-IG 1 TA 5
48 VB41-E36 B 62-BP 3-F 3 R 6-TA 10 TA 5-P 8-P 11 B 62 R 6-R 10-R 2
49 R 6-ID 3-ID 4 TA 5-PC 3 B 62-B 60-B 67 PC 6 R 6-VB 34-VB 43 P7
50 R 6-TA 1 BP 4-R 7 TA 5 B 62-F 8 R6 TA 5-PC 7
51 P 7-VB 38 ID 3-F 2 R 6-ID 8 TA 5-C 7-R 3-PC 7 B 62-TA 6 VB 41-BP 5-BP 1
52 TA 5-ID 2 B 62-C 3 R 6-E 43-VB 40 R 6-PC 5 BP 4-IG 5-IG 1 VB 41
53 VB 41-E 36 ID 3-BP 3-F 3 R 6-TA 10 TA 5-P8-P11 B 62 pc 6-R 10-R 2
54 R 6-ID 3-ID 4 pc 6-PC 3 VB 41-B 60-B 67 R6 R 6-VB 34-VB 43 TA 5
55 R 6- TA 1 P 7-R 7 TA 5 B 62-F 8 pc 6 BP 4-PC 7
56 R 6-VB 38 BP 4-F 2 VB 41-ID 8 R 6-C 7-R 3-PC 7 BP 4-TA 6 TA 5-BP 5-BP 1
57 ID 3-ID 2 R6-C3 TA 5-E 43-VB 40 BP 4-PC 5 VB 41-IG 5-IG 1 R6
58 BP 4-E 36 TA 5-BP 3-F 3 B62-TA10 R 6-P 8-P 11 TA 5 B 62-R 10-R 2
59 pc 6-ID 3-ID 4 BP 4-PC 3 VB 41-B 60-B 67 R6 R 6-VB 34-VB 43 TA 5
60 R 6-TA 1 TA 5-R 7 BP 4 VB 41-F 8 R6 BP 4-PC 7
CRONOACUPUNTURA - 1471
SIMPLES

Tabela 14.2 - (Cont.) Utilização dos oito acupontos confluentes e cinco acupontos Shu
antigos em Cronoacupuntura

Dia Binômio da Hora

llh - 13h 13h - lsh lSh - 17h 17h - 19h 19h - 21h 21h - 23h

1 ID 3 R 6-P 5-P 10 TA 5 B 62-PC 9-R 3-BP 3 VB 41-VB 44 R 6-F 4


2 VB 41-B 40-B 66 R6 R 6-TA 2-VB 41-IG 4 TA 5-F 1 B 62-ID 5 R6-C8
3 BP4 VB 41-PC 8-F 3-P 9 R 6-ID 1 P 7-C 4 ID 3-E 44 B 62-BP 9
4 R 6-TA 3-ID 3-B 64 BP 4-C 9 VB 41-E 41 B 62-BP 2 R 6-IG 11 TA 5-P 9-C 7
5 VB41-E45 ID 3 R 6-IG 2 TA 5 B 62-B 65-E 42 pc 6-R 1
6 VB 41 R 6-P 5-P 10 BP4 VB 41-PC 9-R 3-BP 3 B 62-VB 44 R 6-F 4
7 VB 41-B 40-B 66 R6 R 6-TA 2-VB 41-IG 4 TA 5-F 1 B 62-ID 5 pc 6-C 8
8 R6 TA 5-PC 8-F 3-P 9 B 62-ID 1 R6-C4 TA 5-E 44 BP 4-BP 9
9 BP 4-TA 3-ID 3-B 64 VB41-C9 R 6-E 41 R 6-BP 2 TA 5-IG 11 B 62-P 9-C 7
10 BP 4-E 45 TA 5 B 62-IG 2 R6 TA 5-B 65-E 42 B 62-R 1
11 B 62 pc 6-P 5-P 10 BP4 VB 41-PC 9-R 3-BP 3 ID 3-VB 44 R 6-F 4
12 B 62-B 40-B 66 R6 R 6-TA 2-VB 41-IG 4 BP 4-F 1 VB41-ID5 R6-C8
13 R6 TA 5-PC 8-F 3-P 9 B 62-ID 1 pc 6-C 4 BP 4-E 44 P 7-BP 9
14 VB 41-TA J-ID J-B 64 R6-C9 BP4-E41 TA 5-BP 2 B 62-IG 11 R 6-P 9-C 7
15 R 6-E 45 R6 TA 5-IG 2 B 62 pc 6-B 65-E 42 BP 4-R 1
16 R6 TA 5-P 5-P 10 B 62 R 6-PC 9-R 3-B P 3 R 6-VB 44 BP 4-F 4
17 ID 3-B 40-B 66 R6 pc 6-TA 2-VB 41-IG 4 BP 4-F 1 VB 41-ID 5 R6-C8
18 R6 BP 4-PC 8-F 3-P 9 VB 41-ID 1 R6-C4 BP 4-E 44 TA 5-BP 9
19 VB41-TA3-ID3-B 64 R 6-C 9 P7-E41 TA 5-BP 2 B 62-IG 11 pc 6-P 9-C 7
20 B 62-E 45 VB 41 R 6-IG 1 BP4 VB 41-B 65-E 42 R 6-R 1
21 P7 ID 3-P 5-P 10 R6 TA 5-PC 9-R 3-BP 3 BP 4-VB 44 VB 41-F 4
22 TA 5-B 40-B 66 B 62 VB 41-TA 2-VB 41-IG4 R 6-F 1 BP 4-ID 5 VB41-C8
23 pc 6 BP 4-PC 8-F 3-P 9 VB 41-ID 1 R 6-C 4 P 7-E 44 TA 5-BP 9
24 B 62-TA 3-ID 3-B 64 R 6-C 9 TA5-1E4 BP 4-BP 2 VB 41-IG 11 R 6-P 9-C 7
25 B 62-E 45 VB 41 R 6-IG 2 P7 ID 3-B 65-E 42 R 6-R 1
26 B 62 R 6-P 5-P 10 TA 5 B 62-PC 9-R 3-BP 3 VB 41-VB 44 R 6-F 4
27 R 6-B 40-B 66 TA 5 BP 4-TA 2-VB 41-IG 4 VB41-F1 R 6-ID 5 P 7-C 8
28 TA 5 B 62-PC 8-F 3-P 9 R6-ID 1 TA 5-C 4 B 62-E 44 VB 41-BP 9
29 ID 3-TA 3-B 64 R 6-C 9 TA5-E41 BP 4-BP 2 VB41-IG 11 R 6-P 9-C 7
30 VB 41-E 45 B 62 R 6-IG 2 TA 5 B 62-B 65-E 42 R 6-R 1
31 ID 3 R 6-P 5-P 10 TA 5 B 62-PC 9-R 3-BP 3 VB 41-VB 44 R 6-F 4
32 VB 41-B 40-B 66 R6 R 6-TA 2-VB 41-IG 4 TA 5-F 1 B 62-ID 5 R 6-C 8
33 ID 3 R 6-PC 8-F 3-P 9 TA 5-ID 1 B 62-C 4 pc 6-E 44 R 6-BP 9
34 TA 5-TA 3-ID 3-B 64 B 62-C 9 R 6-E 41 R 6-BP 2 BP 4-IG 11 VB 41-P 9-C 7
35 VB 41-E 45 ID 3 R 6-IG 2 TA 5 B 62-B 65-E 42 pc 6-R 1
"T 36 VB 41 R 6-P 5-P 10 R6 VB 41-PC 9-R 3-BP 3 BP 4-VB 44 R 6-F 4
N 37 VB 41-B 40-B 66 R6 R 6-TA 2-VB 41-IG 4 TA 5-F 1 B 62-ID 5 pc 6-C 8
0\

-"T
"? 38
39
R6
R 6-TA 3-ID 3-B 64
TA 5-PC 8-F 3-P 9
TA 5-C 9
B 62-ID
B 62-E 41
1 R6-C4
VB41-BP2
TA 5-E 44
R 6-IG 11
BP 4-BP 9
P7-P9-C7
N 40 R 6-E 45 R6 BP 4-IG2 VB 41 R 6-B 65-E 42 BP 4-R 1
r-;- 41 B 62 BP4 VB 41-PC 9-R 3-BP 3 ID 3-VB 44 R 6-F 4
V) pc 6-P 5-P 10
00 BP 4-F 1 VB41-ID5 R6-C8
42 B 62-B 40-B 66 R6 R 6-TA 2-VB 41-IG 4
00
r- 43 R6 TA 5-PC 8-F 3-P 9 B 62ID 1 pc 6-C 4 BP 4-E 44 P 7-BP 9
0\
44 VB41-TA 3-ID J-B 64 R6-C9 BP4-E41 TA 5-BP 2 B 62-IG 11 R 6-P 9-C 7
45 TA 5-E 45 BP 4 VB41-IG2 R6 P 7-B 65-E 42 ID 3-R 1
46 BP 4 VB 41-P 5-P 10 R6 BP 4-PC 9-R 3-BP 3 TA 5-VB 44 B 62-F 4
47 I D 3-B 40-B 66 R6 pc 6-TA 2-VB 41-IG 4 BP 4-F 1 VB41-ID5 R6-C8
48 R6 BP 4-PC 8-F 3-P 9 VB 41-ID 1 R6-C4 BP 4-E 44 TA 5-BP 9
49 VB 41-TAJ-ID3-B64 R 6-C 9 P7-E41 TA 5-BP 2 B 62-IG 11 pc 6-P 9-C 7
50 B 62-E 45 VB 41 R 6-IG 2 4BP VB 41-B 65-E 42 R 6-R 1
51 pc 6 BP 4-P 5-P 10 VB 41 R 6-PC 9-R 3-BP 3 R 6-VB 44 TA 5-F 4
52 R 6-B 40-B 66 BP4 TA 5-TA 2-VB 41-IG 4 B 62-F 1 R 6-ID 5 TA 5-C 8
53 pc 6 BP 4-PC 8-F 3-P 9 VB 41-ID 1 R6-C4 P 7-E 44 TA 5-BP 9
54 B 62-TA 3-ID 3-B 64 R6-C9 TA 5-E 41 BP 4-BP 2 VB 41-IG 11 R 6-P 9-C 7
55 B 62-E 45 VB 41 R 6-IG 2 P 7 ID 3-B 65-E 42 R 6-R 1
56 B 62 R 6-P 5-P 10 TA 5 B 62-PC 9-R 3-BP 3 VB 41-VB 44 R 6-F 4
57 BP 4-B 40-B 66 VB 41 ID 3-TA 2-VB 41-IG 4 R 6-F 1 TA 5-ID 5 B 62-C 8
58 VB 41 R 6-PC 8-F 3-P 9 BP 4-ID 1 VB 41-C 4 R 6-E 44 R 6-BP 9
59 ID 3-TA 3-ID 3-B 64 R6-C9 TA 5-E 41 BP 4-BP 2 VB 41-IG 11 R 6-P 9-C 7
60 VB 41-E 45 B 62 R 6-IG 2 TA 5 B 62-B 65-E 42 R 6-R 1
1148 - CRONOACUPUNTURA
SIMPLES

Num outro exemplo, para calcular os coluna das horas, encontrar todos os
acupontos que estão "ativos" no dia 30 de acupontos "ativos" das 21h às 23h e das
abril de 2002, basta consultar a tabela do 23h à 1h.
Binômio do Dia (Tabela 14.1), no mês de O Dr. Gao Wu, o autor de Coleções
abril de 2002, se encontra o número 35. de Acupunturistas Notáveis, do período
Somar: 35 + 30 = 65. Ming (1368-1643), fez duras críticas a cer-
Como a soma ultrapassou 60, subtrair tos métodos praticados por seus contem-
60 do total (65 - 60 = 5). porâneos. Um desses é a Cronoacupuntura
Ao iniciar os atendimentos pela Acu- com base na teoria dos Troncos Celestes
puntura, basta calcular o Binômio do Dia e Ramos Terrestres. O Dr. Gao escreveu:
e, durante as sessões, consultar e seguir o
Binômio da Hora, onde estão indicados "As pessoas, atualmente... sustentam
os acupontos "ativos" do Ling Gui Ba Fa absurda11Jente que hoje, a uma certa
e do Zi Wu Liu Zhu. hora, um certo ponto abrir-se-á e,
Durante uma sessão de Acupuntura, nessa hora, todas as doenças pode- 'D
caso haja mudança de Binômio da Hora, rão ser tratadas com Acupuntura e 00q;J
isto é, a mudança de um intervalo de ho- Moxa. Amanhã, um outro dia, a uma ~
rário a outro seguinte, pode-se retirar as certa hora, um outro ponto abrir-se-á ~
agulhas dos acupontos "ativos" anteriores e todas as doenças serão tratadas com §
e inseri-Ias nos acupontos "ativos", indi- Acupuntura e Moxa. Essa doutrina en- .f,.
cados no intervalo de horário em vigor. gana muita gente...61"
Essas recomendações dependem muito
do bom senso, pois, se faltam poucos mi- Realmente, ele teve toda a razão, pois
nutos para a mudança de um intervalo de não existe técnica que por si só seja capaz
horário para o seguinte, deve-se esperar de curar todas as enfermidades.
para iniciar a sessão. Na minha experiência, a Cronoacu-
Em seguida, procurar na tabela do Bi- puntura melhora os resultados terapêu-
nômio da Hora (Tabela 14.2) o dia 5 e, na ticos da Acupuntura e da Moxabustão.
f})igitopressão15
ef})igitopercussão
nosJLcupontos
É uma técnica simples que consiste em pressionar, massagear, percutir,
pinçar ou beliscar os acupontos ou determinadas áreas do corpo com os
dedos da mão. A digitopuntura é tão simples que o médico pode marcar o
r" acuponto para o paciente ou alguém da família realizar o tratamento em
~ casa, como complemento das sessões de Acupuntura.
~ Acredita-se que essa técnica bem antiga tenha surgido em 1601, na di-
~
o
nastia Ming (1368-1643), conforme referência no texto Zhen Jiu Dacheng5.
~ A digitopressão é ideal para tratar pessoas que têm medo das agulhas,
para crianças e situações de emergência em que o médico não dispõe de
agulhas.
Youbang & Liangyue79, citam os sucessos de Dr. Xu Shiqian, que
conseguia tratar ataques histéricos de uma paciente por meio de digi-
topressão dos acupontos VG 20 (Baihui) e VG 16 (Fengfu). Citam tam-
bém o caso de um artista que sofria de espasmo facial no lado direito e
não podia trabalhar. O Dr. Xu selecionou o acuponto ID 18 (Quanliao)
esquerdo (contralateral) para pressionar com o dedo e obteve êxito. O
paciente foi orientado para pressionar o ID 18 (Quanliao) esquerdo e con-
seguiu trabalhar.

Técnicas
Inúmeras são as técnicas utilizadas na massagem indutiva chinesa para
tonificar ou sedar e algumas delas aplicam um conhecimento mais pro-
fundo de Medicina ChinesalO. Uma dessas técnicas é o Do-In (caminho da
casa), muito eficiente e bastante conhecido nos dias de hoje.
Existem basicamente cinco técnicas para realizar a digitopressão nos
acupontos, a quinta, apesar de simples, pertence ao Tui-Ná (empurrar-
beliscar)26,41.
1150 - DIGITOPRESSÃO
EDIGITOPERCUSSÃO
NOSACUPONTOS

Pressionar o vento-frio patogênico alojado no canal


de energia. Por exemplo, numa ombralgia
Coloca-se a polpa do polegar ou dedo no trajeto do canal de energia do Intestino
médio da mão sobre o acuponto selecio- Grosso (Yangming), cuja dor se irradia
nado para o tratamento e pressiona-se qua- para braço e antebraço, pressionar ao lon-
se perpendicularmente, induzindo estimu- go do trajeto desse canal, a partir de IG 15
lação digital em tonificação ou sedação. (Jianyu) até o IG 4 (Hegu), para eliminar
Para tonificação, deve-se pressionar o fator patogênico (digitopressão no sen-
superficial e levemente o acuponto com o tido contracorrente).
polegar ou dedo médio e soltar imediata-
mente após. Repetir essa operação de 80
a 100 vezes ou durante 3 a 5min (pressio- Diversas Maneiras de
nar repetidamente). Pressionar os Acupontos
Para sedação, deve-se pressionar pro-
funda e fortemente o acuponto com o po- As diversas maneiras de pressionar os acu-
legar ou dedo médio, mantendo a pressão pontos dependem da área do corpo a ser
por um certo tempo e, depois, soltar par- tratada e a finalidade a ser alcançada.
cial e levemente. Repetir essa operação de
80 a 100 vezes ou durante 3 a 5min. . Pressão digital com o polegar (Fig.
A digitopressão leve e superficial ser- 15.1). Essa técnica pode ser utiliza-
ve para tratar crianças, idosos, doenças da nos acupontos do abdome, como
crônicas e áreas do corpo onde há pouca VC 12 (Zhongwan), VC 4 (Guanyuan),
musculatura. A pressão forte e profunda é VC 6 (Qihai).
utilizada para casos de perda de consciên- . Pressão digital com os dois polegares
cia, pacientes com constituição forte, áreas (Fig. 15.2). Essa técnica é utilizada para
do corpo onde há massa muscular espes- pressionar, ao mesmo tempo, dois acu-
sa, doenças do couro cabeludo.e doenças pontos simétricos, como VB 20 (Feng-
localizadas profundamente ou doenças dos
órgãos internos. '"
--J
00
00
A pressão digital pode ser associada VI
~
a outros métodos, como pressionar e rea- N
.j:>.
lizar movimentos circulares ao mesmo o.,
'"
N
tempo. Esse método serve para aliviar as .i:.

reações produzidas por digitopressãolO.


Para facilitar a chegada do estímulo aos
tecidos mais profundos, pode-se massa-
gear circularmente o acuponto antes de
pressioná-Io12.
Existe uma modalidade de digitopres-
são realizada ao longo do canal de ener-
gia. Essa modalidade é útil para eliminar FIGURA 15.1 - Pressão digital com o polegar.
DIGITOPRESSÁO
EDIGITOPERCUSSÁO
NOSACUPONTOS
- 151 I

FIGURA15.4 - Pressão digital com unha e dedo.

FIGURA15.2 - Pressão digital com os dois po-


legares.
extremidades dos dedos, acupontos
situados na orelha, etc.
chi), IG 20 (Yingxiang), VB 14 (Yang-
bai), E 25 (Tianshu), etc. Percutir
. Pressão digital com o polegar em pin-
ça (Fig. 15.3). Essa técnica utiliza o Os acupontos selecionados para o trata-
polegar e os dedos restantes, forman- mento podem ser estimulados com a per-
do uma pinça, de tal modo, que o pri- cussão cdm a extremidade do dedo mé-
meiro exerce a pressão em IG 4 dio, três dedos, quatro dedos ou todos os
(Hegu), E 36 (Zusanli), BP 10 (Xue- dedos da mão.
hai), IG 10 (Shousanli), etc. Na percussão com um dedo utiliza-se
. Pressão digital com unha do dedo (Fig.
15.4). Essa técnica é útil para tratar
o médio com as falanges fletidas (Fig.
15.5). Percute-se o acuponto flexionan-
os acupontos situados nas regiões es- do-se apenas o punho. Essa técnica é uti-
treitas do corpo, acupontos Ting das lizada nos acupontos Shu dorsais, nos oito
acupontos extraordinários e naqueles lo-
calizados nas regiões estreitas do corpo.
A percussão com os cinco dedos é feita
"" reunindo-os; é conhecida como "flor de
N
0\ ameixeira", pois uma flor contém cinco pé-
~
"" talas. Essa técnica é empregada para se-
('j
t';"
'"
00
dação dos acupontos.
00
t-
0\

Pinçar
Os acupontos ou as áreas selecionadas
FIGURA 15.3 - Pressão digital com o polegar para o tratamento podem, ainda, ser pinça-
em pinça. dos. Essa técnica utiliza dois dedos, o po-
1152 - DIGITOPRESSÃO
EDIGITOPERCUSSÃO
NOSACUPONTOS

," ...~--<-~ (Dazhui) (Fig. 15.7); é realizada bilateral-


~ r~""'" ","',
".
I :iJ..'!',_/'"'
I
, mente. Serve para dispersar o Yang, por-
:: "

'fE;;[
-=:"-' tanto é eficaz para diminuir a pressão alta,
I I
I I bem como é útil para clarear a visãol2.
I I
I

:t
~
II

' Beliscar e Massagear


FIGURA 15.5 - Percutir com o dedo médio. ou Puxar e Enrolar
Essa técnica faz parte do Tui-Ná, que sig-
legar e o indicador, para pinçar tendões nificaempurrare beliscar.
na profundidade, músculos do pescoço Com os dedos polegar e indicador
(Fig. 15.6) ou dois acupontos simétricos, deve-se preguear e segurar a pele e o teci-
como VB 20 (Fengchi), TA 5 (Waiguan) e do subcutâneo ao lado da coluna verte-
CS 6 (Neiguan), IG 11 (Quchi) e C 3 (SOOo- bral, no trajeto do canal de energia Taiyang
hai), BP 6 (Sanyinjiao) e VB 39 (Xuan- do pé (Fig. 15.8). Enquanto os indicado-
zhong), etc. res puxam a pele para cima, os polegares a
enrolam e puxam para baixo. A operação é
realizada de 3 a 5 vezes de baixo para cima
Pressionar e Puxar a partir de VG 1 (Changqiang)12.26,41ou a
partir de B 30 (Baihuanshu) até atingir o
Pressionar o acuponto com o polegare des- B 11 (Dashu). A pele ao longo do canal
lizar em direção ao outro ponto, repetindo
de energia Taiyang do pé deve ficar leve- ~
essa operação por sete vezesl2. Essa téc- mente avermelhada. Essa técnica serve ~
v.
nica é utilizada no trajeto que vai do acu-
para tratar neurastenia, equilibrar o Yin e ~
ponto VB 20 (Fengchi) à altura do VG 14
Yang, dispersar o calor excessivo e, pelo ~
fato de ser realizada sobre os acupontos ...~
Shu dorsais, estimula os órgãos e vísceras

,~~
,J""",
\ .~. f:Ei'?-;- 'o"
'--"",, ',~.
" "(;~7" , :"
,,', --"'--",,,,:;.P/ '---""':
'-'; " :<J: :"
'- (\'"
"~,o
",
'<"",j
,,
," "'-
,, ","",
, '. , , ,
'."
",

FIGURA15.6 - Pinçar. FIGURA 15.7 - Pressionar e puxar.


DIGITOPRESSÁO
EDIGITOPERCUSSÁO
NOSACUPONTOS
- 153 I

! "
"" lI,
~

\'-
')
0\ /
-""
"i' I; J
'"
r- I
oA
"i'
00
r-
0\

FIGURA 15.8 - Beliscar e massagear ou puxar e enrolar.

(Zang-fu) 12, além de ser muito benéfica Indicações


para os idosos, pois regula o sistema ner-
voso autônomo, acalmando a mente. Tem indicação ampla e praticamente to-
das as doenças tratáveis com a Acupun-
tura, como cefaléia, cólica menstrual, dor
Seleção dos Acupontos abdominal, dor de dente, enjôo, insônia,
a Serem Tratados paralisia facial, tosse, vômitos, etc., po-

. Acupontos sobre os canais: a escolha


dem ser resolvidas com a digitopressão.
Também pode ser utilizada em situa-
ê feita de acordo com a localização
ções de emergência para tratar coma, des-
da doença sobre o canal.
. Acupontos Jiaji: tratam as dores da
maio, etc., até se chegar ao centro médico
adequado.
coluna vertebral; situam-se a O,Scm ao
lado da linha mediana.
. Acupontos Ashi: de acordo com a Cuidados Necessários
queixa do paciente, tratam áreas afe-
tadas e doloridas, áreas sensíveis à . Em pacientes idosos e em crianças
palpação e áreas com hipotrofia mus- deve ser aplicada pressão leve.
cular. . Evitar pressionar região cervical an-
. Pontos sobre os troncos nervosos pe- terior (devido à presença da glândula
riféricos, plexos nervosos sensíveis à tireóide), área axilar, glândula mamá-
palpação, fossa supraclavicular, axi- ria, virilha lateral do tórax, fontanelas
las, etc. (em crianças), áreas da pele com le-
1154 - DIGITOPRESSÃOE DIGITOPERCUSSÃONOS ACUPONTOS

sões e ulcerações, placas de urticária, . Evitar a digitopressão após uma re-


tumor, etc. feição copiosa.
. Não aplicar digitopressão em pacien-
tes com dor abdominal que piora com
. As unhas do terapeuta devem ser apa-
radas para evitar ferimentos na pele 'D-..)
a pressão (excesso). do paciente. ~
. Em pacientes grávidas, evitar pres-
sionar IG 4 (Hegu) e BP 6 (Sanyin-
. O paciente deve permanecer numa ~
posição que seja confortável e que C~
v.

I\

jiao), que podem estimular a contra- permita ao terapeuta realizar o trata- ~


..
ção uterina. mento.
T,stimu[ação
dos 16

JLcupontos
com
MiniesferaseSementes
Estimulação com Miniesferas de Metal
É uma técnica que se originou do antigo método de fixar grãos de arroz
integral no acuponto. O arroz no oriente é sagrado e representa a energia.
As miniesferas de metais, com diâmetro em tomo de lmm, são coloca-
das nos acupontos e fixadas com fita adesiva. Por serem muito pequenas,
são conhecidas como pontos semipermanentes porque se mantêm nos
acupontos por 2 a 3 dias ou mais. Existem miniesferas de metais prateadas
e douradas, que podem ser utilizadas com finalidade de sedar e tonificar,
respectivamente. As miniesferas de metais podem ser encontradas soltas
ou preparadas e presas em fita adesiva prontas para o uso.
Essa técnica é de grande utilidade no tratamento de enfermidades
infantis quando combina com as técnicas de Shoni-Shin (acupuntura para
crianças). As miniesferas são eficazes no tratamento de crianças com dis-
túrbios respiratórios como bronquites. Nesses casos, coloca-se as minies-
feras de metais semipermanentes nos acupontos principais, indicados para
tratar essa enfermidade: B 13 (Feishu), VG 12 (Shenzhu), B 20 (Pishu),
~ B 23 (Shenshu), VG 4 (Mingmen), P 9 (Taiyuan), R 3 (Taixi), BP 3 (Taibai)
! e outros acupontos de acordo com os princípios da Medicina Tradicional
~ Chinesa, tomando-se o devido cuidado de se utilizarem fitas adesivas
~
00 antialérgicas e, se possível, da cor da pele.
b; As crianças aceitam bem essa técnica e, após 2 a 3 dias, toma-se neces-
sário remover as miniesferas, pois sua permanência por muito tempo no
mesmo lugar fere a pele sobre o acuponto. Se for preciso continuar o trata-
mento, após a retirada da fita adesiva e da miniesfera, realizar-se limpeza e
assepsia da pele local e recolocam-se as miniesferas afastando-se um pouco
do acuponto anterior.
As miniesferas podem ser utilizadas em adultos como complemento da
Acupuntura. Após o tratamento pela Acupuntura Clássica, podem ser colo-
cadas miniesferas de metais nos acupontos principais. Por exemplo, no tra-
1156 - ESTIMULAÇÁO
DOSACUPONTOS
COMMINIESFERAS
ESEMENTES

tamento de tontura causada por labirinto- reza quente ou fria está de acordo com a
patia pode ser colocada miniesfera de metal proposta do Dr. Tian Chonghuo.
prateado nos acupontos ID 19 (Tinggong) A semente pode ser utilizada de acor-
e TA 17 (Yifeng), pois isso aumenta a efi- do com a sua indicação fitoterápica. Por
cácia do tratamento. exemplo, no tratamento da litíase renal com
Existem também as miniesferas fei- cólicas nefríticas, podem-se colocar a se-
tas com cristais de quartzo e outras pe- mente de "quebra-pedra" (Phyllantus
dras semipreciosas. Acredita-se que as niruri) no acuponto Tsri do Rim, R 9 (Zhu-
cores desses materiais possuam proprie- bin), e a semente de "cana-do-brejo" (Cos-
dades curativas, porém pesquisas devem tus spicatus) no B 23 (Shenshu). Esse mé-
ser realizadas para comprovar essa teoria. todo alivia a dor e ajuda a expelir os pe-
quenos cálculos em pouco temp025.
As plantas podem ser classificadas em
Estimulação com quentes ou frias. Por exemplo, o pimentão,
Sementes de Planta a pimenta e a mostarda são plantas quen-
tes, o pepino e a melancia são frias. Utili-
Assim como uma miniesfera de metal é
zam-se sementes de plantas quentes para
capaz de estimular os acupontos, o uso das
tratar patologias do frio e vice-versa25.
sementes das plantas nele, fixadas com fita Para acalmar a mente e aliviar a an-
adesiva, por alguns dias, apresentam efei-
siedade, pode-se colocar sementes de ma-
tos muito interessantes.
racujá (Passiflora incarnata) nos acupon-
O efeito terapêutico, segundo os pra-
tosVC 14(Juque)eC7 (Shinmen) e fixá-Ias
ticantes desse método, é físico e energé- com fita adesiva25.
tico. O efeito físico decorre da pressão me- Uma semente muito utilizada na Auri-
cânica exercida pelas sementes sobre o
acuponto e o efeito energético, do fato de
culoterapia é a de Vaccaria segetalis, que ~
apresenta superfície rugosa e se fixa bem ~
"
a semente concentrar o potencial energé-
tico suficiente para germinar e dar origem aos acupontos. As sementes menores e t
rugosas são mais fáceis de serem mantidas :!b
N
a uma planta, seja arbusto, seja arvore.
Embora essa técnica rudimentar des- nos acupontos com fita adesiva. .f.
perte certa desconfiança, por alguns te- Pelo exposto, o princípio de estimula-
rapeutas ocidentais e certos pacientes, o ção de acupontos com utilização de semen-
Dr. Tian Chonghuo (detentor do prêmio tes é bastante simples, desde que se co-
de pesquisa do Ministério da Saúde Pú- nheça o efeito terapêutico da planta e os
blica na China, pelo desenvolvimento de princípios básicos da Acupuntura. A téc-
emplasto adesivo de ervas para alívio da nica deve ser utilizada como complemen-
asma) defende a aplicação de ervas nos to da Acupuntura e da Moxabustão.
acupontos, uma técnica baseada na natu- Enfim, mesmo com a convicção de que
reza quente ou fria das ervas79. A utili- essa técnica funcione, por efeito mecânico
zação de linimentos sobre a pele com a ou energético, são necessárias pesquisas
finalidade de aliviar a dor muscular e a para a comprovação da sua eficácia, pois
utilização de sementes de ervas de natu- convicção não é prova científica.
Guaslia 17

Gua Sha é uma técnica simples que consiste em raspar ou escovar a super-
fície do corpo com o auxílio de espátula, moeda, colher, escova, etc., a fim
de retirar a energia perversa que penetrou no corpo. Na China, essa técnica
foi muito utilizada pelos camponeses.
Por sua simplicidade e também pelo fato de não provocar efeitos cola-
terais pode ser usada para tratar doenças causadas por invasão de fatores
patogênicos externos, como cefaléia, resfriado, torcicolo, etc.
O termo Gua significa raspar, escovar, arranhar e o Sha tem um signi-
;1; ficado mais complexo: areia ou sujeiraS!.
! Segundo o dicionário Inglês-Chinês de Matheus, conforme citado por
~ Nielsen & KaptchukSl, o termo Sha significa "cólera". Já no Dicionário
~ Médico Inglês-Chinês de Ou Ming, de 1998, a síndrome Sha é a doença
00

&;que apresenta elevações cutâneas miliares (semelhantes a grãos de milho)


de cor avermelhada. Em outras palavras, é a doença com manifestações
cutâneas, causadas por exposição a vento, frio, umidade ou calor externo,
que provoca bloqueio ou obstrução de canais de energia e colaterais. Além
das manifestações cutâneas, surgem diarréia, dor muscular, febre com ca-
lafrios, rigidez, vômitos, etc.
Sabemos que a febre com calafrios decorre da luta travada entre a
energia de defesa (Wei Qi) e os fatores patogênicos que invadiram a su-
perfície do corpo. A rigidez e as dores musculares resultam da obstrução
dos canais de energia e colaterais pela invasão de vento-frio, ao passo que
as diarréias e vômitos são provocados por invasão, no aquecedor médio,
da energia perversa.
Os seis fatores patogênicos, ao invadirem o corpo, penetram nos canais
de energia e colaterais, provocando a estagnação de Qi e sangue na superfí-
cie, mais no nível do Taiyang (Bexiga e Intestino Delgado), o que, pelos
defensores da técnica Gua Sha, ficou conhecido como areia, sujeira (Sha).
A sabedoria chinesa de primeiro tratar o exterior para depois cuidar
do interior do corpo é utilizada na técnica Gua Sha, a qual trata o exterior
1158 -GUA SHA

pela raspagem e faz com que a energia devem ser feitas preferencialmente pela
perversa aflore cada vez mais à superfí- manhã, exceto para tratar choro noturno,
cie para ser eliminada pelos poros ou que devem ser feitas à noite, antes de dor-
pelos acupontos que são aberturas dos mir. Os estímulos devem ser aplicados
canais de energia. Assim, a técnica de diariamente, durante aproximadamente
Gua Sha faz eliminar os fatores patogê- três meses. O Dr. Wu recomenda escovar
nicos aliviando as dores e também re- os antebraços, o centro do peito em dire-
move a estagnação de Qi e sangue. ção à região supra-umbilical, em volta do
Existem variantes da técnica de Gua umbigo (nesse caso, a escovação deve ser
Sha nas quais, em vez de raspar, impri- feita em círculo, no sentido horário), ao
mem-se palmadas na superfície do corpo; longo da coluna vertebral, desde o pes-
são conhecidas como Pak Sha. Uma ou- coço até a bacia. Após a escovação ao
tra variante, na qual se realizam belisca- longo da coluna vertebral, pode-se rea-
das na pele, é conhecida como Niu Sha51. lizar o aquecimento de dois acupontos,
Youbang & Liangyue79 citam a expe- VG 12 (Shenzhu) e VG 4 (Mingmen), uti-
riência clínica de Dr. Qu Zuyi sobre a téc- lizando bastão de moxa. Esse método me-
nica de raspagem para eliminar o tétano lhora a saúde, corrige tendências para
neonatal de um bebê com febre há quatro contrair alergia e resfriado, trata bron-
dias após o seu nascimento, seguida de quite, choro noturno, cólica, diarréia crô-
convulsões, aspecto cianótico, mãos e pés nica, intolerância alimentar, regurgitação
frios, olhos e mandíbulas cerradas, con- de leite, etc.
vulsões, etc. O Dr. Qu colocou um lenço
nas costas do bebê e raspou os acupontos Nota: o hábito de escovação durante
Huato Jiaji, bilateralmente para cima e o banho é bastante saudável. \D
-.j
para baixo, 20 vezes com um pedaço de 9"
00
u,
vidro orgânico (1 x 6cm) e, também ras- ~
t0
..-
pou VG 14 (Dazhui), B 13 (Feis.hu), B 60 Material Necessário para c"
(Kunlun), R 3 (Taixi), pelo menos 100 ve- a Prática de Gua Sha \D
t0
.J:,.
zes cada, para eliminar os fatores patogê-
nicos (calor) e a mucosidade, bem como . Espátula feita com chifre de búfalo ou
aumentar a resistência. Outros acupontos, de boi (Fig. 17.1). Na falta desta, po-
como CS 8 (Laogong), R 1 (Yongquan), dem-se utilizar moedas, colher, régua,
VC 4 (Guanyuan) e VG 4 (Mingmen), fo- escova de dentes com cerdas macias,
ram raspados, além de percutir os acu- etc., ou qualquer outro material que
pontos com os dedos das mãos até baixar se assemelhe à espátula, cuja borda
a febre e controlar as convulsões. não seja cortante.
Segundo Dr. Wu Tou Kwang74, a téc- . Óleo (ou líquido lubrificante) de ger-
nica de escovação com escova de dentes gelim, amêndoa, lavanda, etc. Na fal-
ta destes, pode-se utilizar água limpa.
de cerdas médias é muito boa para tratar
crianças de um dia até 6 anos de idade. . Martelo de sete estrelas ou em flor de
As escovações, 3 a 4 vezes em cada área, ameixeira.
CUASHA-1591

Posições do Paciente para


a Prática de Gna Sha
o paciente deve permanecer numa posi-
ção bastante confortável, sentado numa
cadeira (Fig. 17.2) ou deitado em decú-
bito dorsa1(Fig. 17.3), ventral (Fig. 17.4)
ou lateral direitoou esquerdo (Fig. 17.5)ou
posição de quadrúpede (Fig. 17.6), que
permita a raspagem de toda a superfície a
ser tratada.

,.
M
~
~
,.
N
t-
tA
'1
00
t-
~
L

FIGURA17.2 - Posição sentada com os braços


FIGURA 17.1 - (A e B) Espátulas feitas com chi- cruzados e a cabeça ligeiramente inclinada para
fre de búfalo ou boi. frente.

FIGURA 17.3 - Decúbito dorsal.

FIGURA 17.4 - Decúbito ventral.


11 60 - CUA SHA

'--- ------

'D
-J
FIGURA 17.5 - Decúbito lateral esquerdo. '{'
00
u.
.:.,
N
...
'"
'D
N
.t..

FIGURA17.6 - Posição de quadrúpede.

Técnica de Gua Sha Alguns autores recomendam depilar


a superfície a ser raspada.
Mergulhar a espátula no óleo ou líquido Após a raspagem, petéquias ou equi-
lubrificante e raspar a área escolhida para moses surgem por causa da estagnação de
o tratamento, preferencialmente de cima
Qi e de sangue. Nesse caso, deve-se pun-
para baixo. O ângulo formado entre a
cionar superficialmente com a agulha de
espátula e a superfície do corpo deve ser
acupuntura ou golpear com martelo de sete
de cerca de 30°. Raspar 9 vezes o local ou
estrelas ou em flor de ameixeira e aplicar
3 x 9, ou seja, 27 vezes, até a pele ficar
avermelhada. ventosa para efetuar a sangria.
A intensidade da força aplicada sobre Se, após 9 a 27 raspagens, o local não
a espátula para a raspagem depende da ficar hiperemiado, os fatores patogênicos
sensibilidade de cada paciente. Em geral, podem ter se aprofundado ou a escolha
a raspagem não deve ser dolorosa, sendo do local a ser tratado não foi adequada.
possível aumentar ou diminuir sua inten- Quando se utilizam o martelo de sete
sidade conforme a sensibilidade de cada agulhas ou em flor de ameixeira e sangria,
um e a área a ser tratada. é necessário desinfetar a área a ser tratada
CUASHA-161 I

com tintura de iodo e, em seguida, remo- Não se recomenda Gua Sha em vés-
ver o excesso de iodo com álcool 70oGL. peras de festividades, principalmente nas
Quando há dor e inflamação na arti- regiões do corpo que ficam expostas, pois
culação, deve-se raspar os músculos situa- as equimoses resultantes da raspagem po-
dos acima e abaixo da articulação. Deve- dem permanecer por alguns dias.
se raspar sempre no sentido longitudinal,
seguindo os trajetos dos canais de energia
ou ao longo das fibras musculares e ten- Áreas do Corpo a Serem
dões. Evite raspar no sentido transversal. Tratadas com a Técnica
À medida que prossegue a raspagem, de Gua Sha e suas
podem surgir inicialmente petéquias e, em
seguida, as equimoses. Coloração clara da Indicações
equimose se deve à invasão de vento-frio
recente com estagnação de Qi. Já a colo-
Regiões Cervical
e Dorsal Alta
ração escura da equimose se deve à inva-
são de vento-frio antigo com estagnação Técnica
de sangue.
Colocar o paciente sentado com os bra-
ços cruzados e a cabeça ligeiramente in-
Indicações da clinada para frente (ver Fig. 17.2).
,. Técnica de Gua Sha
N
a,
"i' 1. Raspar suavemente sobre a linha
:; A maioria das doenças causadas por inva-
N de implantação dos cabelos, de
r;-
'" são de fatores patogênicos externos (ven-
baixo para cima (Fig. 17.7).
'1
00 to, frio, umidade, calor e secura), quando
t-
a,
recentes, pode ser tratada unicamente pela
técnica de Gua Sha, porém as invasões
mais antigas devem ser combinadas com
a Acupuntura.
Exemplos: dor de garganta (vento-frio
ou vento-calor), enxaqueca (vento-calor),
gripe (vento-frio ou vento-calor), insola-
ção (calor), resfriado (vento-frio-umida-
de), torcicolo (vento), tosse (vento-frio).

Contra-indicações da
Técnica de Gua Sha
Se a pele apresentar abrasões, abscessos,
contusões, furúnculos, lesões com infec-
ções, queimaduras, varizes, verrugas, etc.,
não deve ser raspada. FIGURA 17.7 - Regiões cervical e dorsal alta.
1162 -CUASHA

2. Raspar suavemente sobre a linha


mediana posterior (Duma i), de
cima para baixo (ver Fig. 17.7).
3. Raspar suavemente sobre os tra-
jetos interno e externo do canal
principal da Bexiga, de cima para
baixo (ver Fig. 17.7).
4. Raspar suavemente sobre a linha
de implantação lateral do cabelo,
de baixo para cima e as partes la-
terais do pescoço, de cima para
baixo (Fig. 17.8).

FIGURA 17.8 - Região cervical (lateral).


Indicações
Dores localizadas na cabeça e no pes-
3. Raspar suavemente sobre o tra-
coço, como dores no globo ocular, nariz,
jeto externo do canal principal
garganta, etc., podem ser aliviadas com
da Bexiga, de cima para baixo
Gua Sha na região cervical e doenças ou
dores localizadas no tórax, como as do (Fig. 17.9).
Pulmão e das vias aéreas superiores, po- 4. Raspar suavemente as partes late-
dem ser aliviadas com Gua Sha na região rais da região dorsal, acompanhan-
dorsal alta. do a inclinação dos arcos costais
(Fig. 17.9).
5. Raspar suavemente sobre a linha
Regiões Dorsal Baixa mediana (Dumai), trajetos inter-
e Lombar no e externo do canal principal da
Bexiga, todos de cima para baixo
Técnica (Fig. 17.9).

Colocar o paciente sentado com os bra-


ços cruzados e a cabeça ligeiramente in- Indicações
clinada para frente (ver Fig. 17.2), ou em
decúbito ventral, com a cabeça apoiada Dores localizadas principalmente no ab-
sobre o travesseiro (ver Fig. 17.4). dome superior, como gastrite, úlcera gás- 'D
trica, plenitude pós-prandial e outras doen- ;f 00

1. Raspar suavemente sobre a linha ças cujos sintomas decorrentes de pato- ~ te>

mediana (Dumai), de cima para logias do Fígado e Baço podem ser alivia- ~
baixo (Fig. 17.9). dos com a técnica de Gua Sha na região §
2. Raspar suavemente sobre o tra- dorsal baixa. ./.
jeto interno do canal principal As dores localizadas, na região lom-
da Bexiga, de cima para baixo bar, causadas por torção lombar, síndro-
(Fig. 17.9). mes dolorosas miofasciais dos músculos
CUASHA-1631

7
N
00-

-
"?

7
'"
r-
oA
00
ob
r-
00-

11111

~!llH7 \\'

. ~ 11U ~
~.

_lI "-

FIGURA 17.9 - Regiões dorsal baixa e lombar.


11 64 - CUA SHA

da região lombar, bem como dores abdo- Bexiga, Intestino Delgado, Intestino Gros-
minais causadas pela colite, constipação so, Reto, Próstata, etc., podem ser alivia-
intestinal, diarréia, etc., podem ser alivia- dos com Gua Sha na região do quadril.
das com Gua Sha na região lombar. Ciatalgias relacionadas com a contra-
tura dos grupos musculares da região,
como músculos piriforme, glúteo, também
Região do Quadril podem ser tratadas com Gua Sha na região
e das Nádegas do quadril. Dores, espasmos e paralisia
Técnica dos membros inferiores, que irradiam a
partir do quadril também podem ser alivia- ~ 00

Colocar o paciente em decúbito ventral dos com Gua Sha na região do quadril e t:
(ver Fig. 17.4) ou lateral (ver Fig. 17.5),
com o travesseiro sob a cabeça.
das nádegas. ~ -o,
'D
N

1. Raspar suavemente a partir da li- Região do Ísquio e do Cóccix ./.


nha mediana do sacro, em dire- Técnica
ção radial (Fig. 17.10).
A melhor posição para realizar Gua Sha
no ísquio e no cóccix é a "de quadrúpede"
Indicações
(ver Fig. 17.6).
Distúrbios localizados na região pélvica,
como problemas de menstruação, Útero, 1. Raspar suavemente a área afetada
de cima para baixo.
2. Para tratar o cóccix, raspar a par-
tir do sacro, em direção à extre-
midade do cóccix.

Indicações
Afecções localizadas na região do ísquio
// e do cóccix, como coccixalgia, fístula anal,

~
~ )...
hemorróidas e prolapso anal, podem ser
tratadas com Gua Sha.

-/I~ Região do Ombro


Técnica
Colocar o paciente sentado com os bra-
ços cruzados e a cabeça ligeiramente in-
FIGURA
17.10 - Região do quadril e das nádegas. clinada para frente (ver Fig. 17.2).
CUASHA - 1 65 I

1. Raspar suavemente a partir do pes- ainda, em decúbito lateral, com a cabeça


coço, em direção à articulação es- apoia-da no travesseiro (ver Fig. 17.5).
capuloumeral (Fig. 17.11).
1. Raspar suavemente a partir do
ombro, em direção ao antebraço,
Indicações
obedecendo aos trajetos dos ca-
Dores localizadas na região do ombro, pes- nais de energia afetados, como In-
coço e braços. testino Grosso, Triplo Aquecedor,
Pulmão, etc. (Fig. 17.12).

Região dos
Membros Superiores Indicações

Técnica Dores no braço, antebraço, no cotovelo, etc.

Colocar o paciente em decúbito dorsal, com


o travesseiro sob a cabeça (ver Fig. 17.3) Região dos
ou em decúbito ventral (ver Fig. 17.4) ou, Membros Inferiores

o Técnica
Colocar o paciente em decúbito dorsal,
com a cabeça apoiada sobre o travesseiro
(verFig. 17.3) ou emdecúbito ventral (ver
Fig. 17.4) ou, ainda, em decúbito lateral
direito ou esquerdo, com a cabeça apoia-
da sobre um travesseiro (ver Fig. 17.5),
..;-
'" conforme o lado a ser tratado.
a-,
"?
-
..;-
N
t- 1. Raspar suavemente, de cima para
.;,
O?
00 baixo, iniciando no sulco glúteo
t-
a-,
em direção ao oco poplíteo, obe-
decendo ao trajeto do canal prin-
cipal de energia (Fig. 17.12).
2. Raspar suavemente, de cima para
baixo, iniciando no oco poplíteo
em direção ao calcâneo, seguin-
do o trajeto do canal principal da
Bexiga (Fig. 17.12).
3. Raspar suavemente, de cima para
baixo, começando da virilha em
FIGURA 17.11 - Região do ombro. direção ao joelho (Fig. 17.13).
1166 - CUASHA

\ (
~ ~

---I
, /
/""

FIGURA 17.12 - Regiões dos membros superiores e inferiores.


GUASHA-167I

Indicações trite, no oco poplíteo na insolação, B 2


(Zanzhu), para enxaquecas, B 42 (Pohu),
Ciatalgia e dores nos membros inferiores.
para terçol ou hordéolo, Taiyang (Extra),
para cefaléia.
A técnica de Gua Sha pode ser utiliza-
Região do Tórax da em conjunto com aAcupuntura, poden-
do aumentar a eficácia desta. Esta associa-
Técnica
ção deve obedecer à teoria da Medicina
Colocar o paciente em decúbito dorsal, Tradicional Chinesa, como anamnese, in-
com o travesseiro sob a cabeça (Fig. 17.3). terrogatório, inspeção da língua, palpação
dos pulsos chineses, palpação dos acupon-
1. Raspar suavemente sobre a linha tos Mo frontais e Shu dorsais, a fim de se
mediana ventral (Renmai) ou so- estabelecer um diagnóstico sindrômico e
bre o osso externo, de cima para etiológico correto.
baixo, em direção ao apêndice xi-
fóide (Fig. 17.13).
2. Raspar suavemente a partir da li- Diagnóstico
nha mediana, em direção à axila,
obedecendo o trajeto das costelas A palpação da superfície do corpo com a
(Fig. 17.13). polpa dos dedos deixa, temporariamente,
""" 3. Raspar suavemente a partir da marcas esbranquiçadas na pele. Se, após
~ a retirada dos dedos, a marca esbran-
0\ axila em direção à linha mediana
!
""" (Dumai), obedecendo ao trajeto quiçada desaparecer lentamente, indi-
'"
t- das costelas abaixo do mamilo. ca-se a raspagem utilizando-se a técnica
oA
00
ob Gua Sha.
t-
0\
As patologias recentes tem mais in-
Indicações dicação para o tratamento com a técnica
Don;s e patologias localizadas no tórax, Gua Sha do que as doenças antigas e crô-
nIcas.
como problemas do Pulmão (asma, en-
fisema pulmonar, tosse crônica, etc.), Quando o corpo é invadido pelos fa-
podem ser aliviadas com Gua Sha nessa tores patogênicos e estes ainda estão alo-
região. jados no nível energético mais superficial,
observam-se esses sintomas ao se reali-
zar o diagnóstico:

Outras Regiões
. Sensação de peso e cansaço.
A técnica Gua Sha pode ser realizada em . Dor de cabeça (cefaléia occipital ou
diversas outras regiões do corpo confor- do tipo Taiyang).
. Febre com calafrios.
me a necessidade, como, por exemplo, na
face ântero-Iateral do pescoço, para dor . Aversão ao vento-frio.
de garganta, na dobra do cotovelo para gas- . Pulso superficial.
/168 -CUASHA

'. )

FIGURA17.13 - Região do tórax e faces anterior e medial dos membros inferiores.


GUASHA- 1 69 I

nesa, obedecendo à teoria da Medicina


Critérios para a Escolha Tradicional Chinesa.
da Região do Corpo a Ser Para auxíliar no tratamento simples
Tratada pela Técnica de pela técnica de Gua Sha pode-se raspar o
Gua Sha local da dor de cima para baixo ou raspar
acima ~ abaixo da área afetada (Fig.
Deve-se escolher a região a ser tratada pelo 17.14). Pode-se, ainda, raspar áreas adja-
Gua Sha orientando-se pela posição ana- centes à dor ou áreas distantes, de acordo
tômica do órgão afetado ou escolher acu- com os princípios da Medicina Tradicio-
pontos locais, adjacentes ou distantes, nal Chinesa.
acupontos Mo frontais ou Shu dorsais, de Por exemplo, na gastralgia, raspar a
acordo com a teoria da Medicina Tradi-
linha média frontal (Renmai) sobre o
cional Chinesa.
acuponto local VC 12 (Zhongwan), sobre
o acuponto adjacente E 21 (Liangmen) e
raspar a região dorsal baixa, no nível dos
Exemplos
acupontos B 21 (Weishu) e B 20 (Pishu),
Dor no cotovelo (epicondilite ou cotovelo que são acupontos Shu dorsais do Estô-
de tenista), que normalmente é de dificil mago e do Baço, respectivamente.
tratamento: caso se realize o tratamento Para auxiliar no tratamento de dor de
pela técnica de Gua Sha deve-se tratar re- garganta, raspar os dois lados do pesco-
gião cervical, região do ombro, região dor- ço, no nível das cartilagens tireóidea e cri-
sal alta, antebraço. cóidea.
Cefaléia, rinite, sinusite: além de tra- Para auxiliar no tratamento de enxa-
tar pela Acupuntura, pode-se acrescentar queca com dor no globo ocular, raspar os
Gua Sha nas regiões cervical, dorsal alta acupontos B 2 (Zanzhu), TA 23 (Sizhu-
e ombros ou nos acupontos B 2 (Zanzhu), kong), VB 14 (Yangbai) e Taiyang (Extra).
Taiyang (Extra), etc. Em caso de asma, bronquite e tosse
Para asma e enfisema, além do trata- crônica, raspar a linha mediana do tórax
mento com Acupuntura, deve-se acres- (Renmai), principalmente sobre o acu-
centar Gua Sha nas regiões dorsal alta, ponto VC 17 (Shanzhong) e ao longo dos
cervical, linha mediana do tórax, facean- trajetos interno e externo do canal de ener-
terior dos membros superiores ao longo gia da Bexiga, na região dorsal alta. Deve-
"T
'" do trajeto do canal principal do Pulmão se raspar também a linha mediana dorsal
~ ou nos acupontos P 1 (Zhongfu). (Dumai), de cima para baixo.
"T
'"
t- Para insolação, raspar o acuponto B 40
.r.
(Weizhong), de acordo com a teoria da
t- Tratamentos
~
0\ Medicina Tradicional Chinesa. Para hor-
A técnica de Gua Sha pode auxiliar no déolo, raspar o acuponto B 42 (Pohu).
tratamento de mais de 100 doenças, in- Nas doenças de origem externa causa-
clusive as crônicas. O tratamento pode ser das pela invasão de fatores externos per-
realizado em conjunto com Acupuntura, versos, raspar ao longo dos trajetos interno
Moxabustão e Fitoterapia Tradicional Chi- e externo dos canais principais da Bexiga
11 70 - GUA SHA

e do Intestino Delgado e também sobre o bressair da cavidade orbitária durante as


canal Dumai. crises de dor. Outras denominações como
As doenças, na Antiguidade, recebe- o "Sha de sol" ou "Sha de lua" também
ram a denominação Sha e, de acordo com existiram, referindo-se às cefaléias diurnas
a localização dos sintomas, horário, etc., e noturnas, respectivamente.
receberam nomes específicos como "Sha Enfim, Gua Sha é uma técnica com-
de olho de caranguejo", um tipo de cefa- plementar que promove resultados sur-
léia em que o paciente relata a sensação preendentes, que deve ser utilizada para
subjetiva de que o globo ocular parece so- auxiliar as diversas técnicas de tratamento.

'D
"
'f
00
u,
~
N
t
'"
'D
N
.;.

~i
,~~
~«i

~
" /

"'-...

'-==-'

1\
-)

FIGURA 17.14 - Cua Sha - tratamento simples: raspar acima e abaixo da área afetada.
Injeçõesde 18

Medicamentos nos
.9Lcupontos
Injetar uma substância medicamentosa no acuponto constitui um método
terapêutico complementar praticado de acordo com os princípios básicos
da Medicina Tradicional Chinesa combinada com as Farmacologias
Oriental e a Ocidental!2.
A injeção de substâncias medicamentosas nos acupontos ativa suas ações
terapêuticas e a dos canais de energia, regulando as funções dos órgãos e
vísceras. Pode-se, ainda, injetar doses mínimas de anestésicos nos acupontos
e obter respostas surpreendentes no bloqueio das dores, pois há somação ou
sinergismo da ação da Acupuntura com o efeito do anestésico.
Cabe lembrar que nem todas as substâncias a serem injetadas são me-
dicamentos, como água bidestilada, ar, sangue e plasma.
O que injetar? A escolha do medicamento a ser injetado nos acupontos
depende da finalidade terapêutica que se deseja obter.
As substâncias mais utilizadas para injetar nos acupontos são:

. Água bidestilada (estéril).


. Solução fisiológica.
. Solução de glicose a 5 ou 10%.
.. Sangue (próprio sangue) ou plasma (próprio plasma).
Ar.

- ..
'T
N
0\ Fitoterápicos.
'9
'T
Medicamentos alopáticos (antibióticos, analgésicos, etc.).
N
t- . Medicamentos homeopáticos.
00
t-
0\
.. Anestésicos locais (procaína).
.;,
'? Vitaminas (B l' B 6 e B 12)'

De modo geral, todos os medicamentos injetáveis por via intramuscu-


lar ou subcutânea podem ser aplicados nos acupontos.
A dosagem a ser injetada deve ser sempre menor do que a convencio-
nal. Em geral, deve-se injetar 1/2 até 1/10 da dose convencional. Nos
1172 -INJEÇÕES
DEMEDICAMENTOS
NOSACUPONTOS

acupontos onde há considerável massa gia, obedecendo os princípios básicos


muscular, o volume do líquido a ser inje- da Medicina Tradicional Chinesa.
tado deve ser maior. Por exemplo, no
acuponto VB 30 (Huan-tiao), que está
sobre a nádega, podem-se injetar de 5 a Indicações
20mL de solução medicamentosa12.
Como complemento do tratamento de
algias periféricas, por exemplo, artralgias,
dores musculares, nevralgias, etc.
Vantagens
.. Técnica de fácil manejo.
Menos efeitos colaterais em razão do Contra-indicações 12

uso de doses menores. Por exemplo,


lmL de Dolantina@ (c1oridrato de me-
.. Em crianças pequenas.
Em áreas do corpo onde houve infec-
peridina), injetado no acuponto, pro- ções ou doenças de pele.
duz bons resultados tanto quanto 2,5
a 5mL da mesma substância injetados
. É proibido injetar no abdome de mu-
lheres grávidas.
de maneira convencional, com menos
efeitos colaterais (sem enjôo, náuseas
. Não injetar em pacientes alérgicos
com história de alergia a medicamen-
e outras manifestações)12. tos (para evitar choque anafilático).
. O estímulo produzido pelo líquido Realizar previamente teste cutâneo
para alergia.
injetado é maior do que o produzido
pela Acupuntura e costuma ser mais . Em pacientes que apresentam distúr- 'D
duradouro, porque a absorção do lí- bios da coagulação. ;f 00
U1
quido injetado é lenta. ~

Material Necessário
-~
N
..
'D
N

Seleção de Acupontos
para Injeção
. Seringas descartáveis de 3, 5 e lOmL
ou de tuberculina ou de insulina.
./:.

. Acupontos locais (ponto Ashi) e peri-


. Agulhas números 5 ou 7, as mais fi-
nas são ideais, como aquelas utiliza-
ferias das áreas afetadas, dando-se pre-
das por dentistas.
ferência aos locais onde haja maior
massa muscular. . Agulhas longas ou número 9 para rea-

. Acupontos distantes das áreas afeta-


das, obedecendo à teoria da Medicina
lizar bloqueios e também agulhas lon-
gas nos acupontos VB 30 (Huantiao)
e B 36 (Chengfu).
Tradicional Chinesa.
. Selecionar um ou dois acupontos para
cada sessão.
. Tratar em dias alternados.
Escolha dos Acupontos
. Selecionar os acupontos principais . Marcar, em forma de cruz, a pele com
para injeção de acordo com a patolo- auxílio da unha ou pressionando-a
INJEÇÕES
DEMEDICAMENTOS
NOSACUPONTOS
- 1 73 I

com um estilete de ponta esférica, evi- . Deve-se alternar os acupontos, caso


tando-se perfurar vasos sangüíneos e seja necessária mais de uma injeção.
cicatrizes 12. Evitar injetar mais de três vezes no
mesmo acuponto.
. Se o paciente apresentar alguma ma-
Cuidados Necessários nifestação de dor ou qualquer outra
reação indesejável, suspender imedia-
Antes de injetar qualquer medicamento, tamente a injeção.
deve-se proceder o exame geral do pacien-
te e, após se obter um diagnóstico, elabo-
. Bloqueio dos acupontos: procaína 0,1
e 0,75%12. Após esterilização cuida-
rar o plano de tratamento. dosa, introduzir a agulha superficial-
No interrogatório, deve-se averiguar se mente no acuponto selecionado, inje-
o paciente teve alguma história pregressa tar um pouco de anestésico no tecido
de hipersensibilidade ou alergia a algum me- subcutâneo, de modo a formar um bo-
dicamento, como penicilina, procaína, etc. tão cutâneo e, depois, aprofundar mais
'1 Uma vez decidida a injeção de medi- a agulha quando obtiver "a sensação
N

fi? camentos nos acupontos, deve-se obede- de Qi", injeta-se a solução anestésica.
~ cer
.- aos seguintes cuidados: Esse tipo de bloqueio é muito utiliza-
tA
00
do na técnica de infiltração de anesté-
00
.-
o-,
. Verificarcuidadosamenteo medica- sicos nos pontos-gatilho, para tratar
dor miofascial.
mento a ser injetado quanto a dosa-
gem e concentração, prazo de valida- . Injeção do próprio sangue no acupon-
de, necessidade de diluição. to: coletar de 3 a 5mL de sangue ve-
. Inserir a agulha lenta e obliquamente noso e injetá-Ios, em seguida, nos acu-
pontos indicados para o tratamento.
na maioria dos acupontos escolhidos.
É possível inseri -Ia rápida e perpendi-
cularmente onde há bastante tecido
muscular.
Possíveis Acidentes
. Evitar ao máximo injeções nos acu- Às vezes ocorre formação de abscesso em
pontos situados na cabeça, face, pes- razão da alta concentração de solução
coço, tórax, palma das mãos, sola dos injetável ou porque a solução não foi bem
pés e articulações, face medial do an- absorvida ou por má esterilização. Nesse
tebraço, ou seja, regiões com pouca caso, tratar convenientemente com anti-
musculatura. Nesses locais, se ne- bióticos adequados.
cessário, aplicar volume menor de lí- Se ocorrer lesão dos nervos pela inje-
quidos. ção nos acupontos, tratar com vitaminas B1,
. Após inserir a agulha no acuponto, Bó e B12' Acupuntura, Fisioterapia, etc.
deve-se puxar o êmbolo da seringa Se houver alergia, deve-se suspender
(aspirar). Se não vier sangue, injetar a a injeção e aplicar medicamentos des-
solução medicamentosa lentamente e sensibilizantes e, se houver forte sensa-
comprimir o local com algodão este- ção de choque, tratar com medicamentos
rilizado; em seguida, retirar a agulha. de emergência.
11 74 -INJEÇÕES DE MEDICAMENTOSNOS ACUPONTOS

Injeções de medicamentos nos acu- como vitamina B12'água destilada, soro


fisiológico, anestésico local (sem
pontos podem ainda desencadear alguns
vasoconstritor), entre outras, em pontos
efeitos colaterais desconfortáveis ou in-
de Acupuntura como forma de aumentar
desejáveis, como dor, sensação de disten- seu efeito. O manuseio do tratamento
são ao redor do acuponto injetado, febre, medicamentoso deve ser realizado com
ou, até mesmo, a exacerbação temporária prudência, evitando-se as drogas contra-
de sintomas preexistentes. indicadas ou pouco toleradas. Não se
deve suspender repentinamente drogas
Esses efeitos indesejáveis podem de-
que, na sua ausência, podem colocar em
saparecer dentro de algumas horas ou de risco a vida do paciente.
I a 2 dias. O aparecimento desses efeitos Por outro lado, há autores que sugerem
indesejáveis deve ser informado aos pa- haver efeito benéfico do uso
cientes, a fim de evitar que esse fique alar- concomitante da Acupuntura e
mado. psicotrópicos, em especial os tricíclicos, 'D
Ao utilizar dois ou mais medicamentos, pois ambos agem sobre ofuncionamento ~
do sistema supressor endógeno de dor, e y:
deve-se ter muito cuidado ao se observar se -..J

haveria uma potencialização do efeito ~


eles são compatíveis entre si ou não. analgésicoe relaxantepor tais métodos. ~
'D
N
É muito importante realizar teste .1:.

cutâneo para verificar se o paciente é alér- Experiências em cães mostram que a


gico ou não ao medicamento que se pre- injeção de medicamentos nos acupontos
tende injetar. Deve-se sempre investigar a melhora muito a resposta ao tratamento
história pregressa de hipersensibilidade a pela Acupuntura.
medicamentos, como penicilina ou outros.
Em pacientes com hipersensibilidade a Tratamento com
diversos medicamentos, deve-se utilizar
somente solução fisiológica, solução de Injeções nos Acupontos
glicose a 5% ou água destilada. nas Doenças mais
Para evitar acidentes é ml!ito impor-
Importantes
tante lembrar e reler um trecho publicado
no Jornal da Sociedade Médica de Acu- Alopecia28
puntura de São Paulo (SOMA-SP), ano 3,
B 13 (Feishu),B 15 (Xinshu),B 17 (Geshu),
número 2, de julho de 1999, página 3, sob
VB 20 (Fengchi), VG 14 (Dazhui), VG 4
o título "Associação da Acupuntura com
Medicamento": (Mingmen) e IG 11 (Quchi).
Selecionar 2 a 3 acupontos em cada
Alguns medicamentos como os sessão e injetar 0,5 a 1rnL de solução de
corticosteróides, benzodiazepínicos e
vitamina B12 (O,lmg/rnL). Tratar diaria-
opióides exercem efeitos antagônicos à
mente. Dez aplicações constituem um cur-
Acupuntura, embora não cheguem a
bloquear completamente a resposta. Por
so de tratamento.
outro lado, há medicamentos como
antidepressivos tricíclicos que melhoram
a resposta ao tratamento pela Amigdalite Aguda28,61
Acupuntura. É comum que seja citada a
possibilidade de injetar substâncias IG 4 (Hegu).
INJEÇÕES DE MEDICAMENTOS NOS ACUPONTOS - 1 75 I

Injetar 0,5 a lmL de procaína a 1%. Escolher 2 a 3 acupontos em cada sessão


Tratar diariamente ou em dias alternados. e injetar lmL de Bl2 (O,lmg/mL) ou lmL
Dez aplicações constituem um curso de de Bl (100mg/mL) em dias alternados.
tratamento.

Bronquite Crônica28
Acidente Vascular Cerebral
B 12 (Fengmen), B 13 (Feishu), 10 11
Isquêmico com Seqüela
(Quchi), Dingchuan (Extra) que se loca-
(Hemiplegia)28,61
liza abaixo do processo espinhoso da sé-
1015 (Jianyu), 1014 (Binao), 104 (Hegu), tima vértebra cervical (Fig. 18.1), a 0,5cun
VB 31 (Fengshi), VB 34 (Yanglinquan), lateralmente ao acuponto VO 14 (Dazhui),
VB 30 (Huantiao) e E 36 (Zusanli). P 5 (Chize) e E 40 (Fenglong).

/""'""\ I
\,
"T
N
o,
"i'
:;
N
r;-
>r)
"i'
00
t-
o,

FIGURA18.1 - Dingchuan e jiaji (Extra).


11 76 -INJEÇÕES DE MEDICAMENTOSNOS ACUPONTOS

Escolher 2 a 3 pontos em cada sessão e Disenteria Bacteriana28


injetar 0,5rnL de vitamina B1 (100mg/rnL)
em dias alternados. E 25 (Tianshu).
Injetar 0,5 a lrnL de solução de gli-
cose a 25% ou 0,5 a lrnL de vitamina B1
Cefaléia Persistente28,61 (1OOmg/mL).

VB 20 (Fengshi).
Injetar 3,5mL de procaína a 0,25% as- Dismenorréia28
sociada a 0,5rnL de cafeína. B 31 (Shangliao) e B 32 (Ciliao).
Injetar lrnL de procaína a 1%, subcu-
taneamente, em cada um dos acupontos.
Ciatalgia28,61
Acuponto Jiaji (Extra), são 17 acupontos
Doença de Méniere28,61
localizados a 0,5cun lateralmente à colu-
na vertebral (Fig. 18.1), B 49 (Zhibian) e TA 17 (Yifeng) e ID 19 (Tinggong).
VB 30 (Huantiao). Injetar 0,5 a lrnL de solução de vita-
mina B 1(lOOmg/rnL) ou B12(O,lmg/mL),
. Injetar 0,5rnL de solução de glicose em dias alternados, revezando os acupon-
tos citados.
a 10% nos Jiaji da segunda à quinta
vértebra lombar do lado afetado ou
. Injetar 0,5 a lmL de vitamina B1
Dor no Hipocôndrio28
(lOOmg/rnL) associada à vitamina B12
(O,lmg/mL) no B 49 (Zhibian) e no o acuponto Jiaji (Extra) (Fig. 18.1) cor-
VB 30 (Huantiao) ou responde à localização metamérica da dor.
. Injetar 0,5 a lrnL de procaína aI % no
VB 30 (Huantiao) ou no pçmto Ashi.
Injetar 2rnL de procaína a 2% nos acu-
pontos Jiaji, diariamente ou em dias al-
ternados.
'"
-.J
'i"
Colecistite e Cólica Biliar28 00
U>
Enurese28,61 c.,
te>
..
F 14 (Qimen) direito e E 36 (Zusanh) direito.
Acupontos principais: B 23 (Shenshu) e $te>
Injetar 2,5rnL de Novocaína a 0,5%
B 28 (Pangguanshu). .i:.
em cada um dos acupontos, 1 a 2 vezes
Acupontos complementares: VC 3
ao dia.
(Zhongji), VC 9 (Shuifen), VC 4 (Guan-
yuan) e BP 6 (Sanyinjiao).
Cólica RenaP8,61 Injetar 0,5 a lmL de vitamina B1
(100mg/rnL) ou B12 (O,lmg/rnL).
B 23 (Shenshu) e BP 6 (Sanyinjiao).
Injetar 0,5 a lrnL de procaína a 0,5 a
Epicondilite28,61
1% em cada um dos acupontos, 1 a 2 vezes
ao dia. Acuponto Ashi.
INJEÇÕES
DEMEDICAMENTOS
NOSACUPONTOS
- 1 771

Injetar 0,5 a lmg de dexametasona Hepatite Crônica28,61


associada a 2rnL de procaína aI %.
B 18 (Ganshu), F 14 (Qimen), VB 24 (Ri-
Se a dor persistir após 7 ou 10 dias,
yue) e F 6 (Zhongdu).
repetir a aplicação.
Injetar 0,5 a lmL de vitamina B1
(lOOmg/rnL) em cada um dos acupontos
Nota: não ultrapassar três sessões.
.;- citados, do lado direito. É importante sa-
N
~
\O ber a etiologia da hepatite e, se for causa-
~r-- Epilepsia28 da por vírus, é necessário saber qual o tipo
~ . de vírus.
~ C 7 (Shenmen), B 15 (Xznshu), B 44 (Ylshe), Jian Shuming, citado porYoubang &
S; VC 15 (Jiuwei), VG 15 (Yamen), CS 6 Liangyue 79, tratou 308 casos de hepatite
(Neiguan) e E 36 (Zusanli). crônica, com injeção de lrnL de vitamina
Selecionar 2 a 3 acupontos em cada
B12 (0,015mg) no acuponto B 18 (Gan-
sessão, injetar 0,5 a lmL de vitamina B1 shu), em lados alternados cada dia, durante
(lOOmg/mL) ou B12 (O,lmg/rnL) e tratar 20 dias, e obteve uma taxa de eficácia de
em dias alternados.
96%. Porém, não é citada a etiologia da
hepatite.

Espermatorréia28
VC 4 (Guanyuan) e VC 3 (Zhongji).
Hipertensão Arterial
Primária Leve28,61
Selecionar um acuponto em cada ses-
são e injetar 0,5 a lrnL de vitamina B1 E 36 (Zusanli), CS 6 (Neiguan), BP 6
(lOOmg/rnL). Tratar em dias alternados. (Sanyinjiao), IG 4 (Hegu), F 3 (Taichong)
Cinco aplicações constituem um curso de e IG 11 (Quchi).
tratamento. Escolher 2 a 3 acupontos, em cada ses-
são, e injetar 0,5 a lrnL de procaína a 0,5 a
0,25%. Dez aplicações constituem um cur-
Furnnculo28,61
so de tratamento. É importante tratar a cau-
Selécionar de 1 a 2 linfonodos, de uma sa da hipertensão arterial. A injeção de
substâncias medicamentosas nos acupon-
área circunvizinha, que drenem o tecido
tos é um tratamento complementar.
afetado; injetar 0,5 a lrnL de solução de
Ringer.
Herpes-zoster26
O acuponto Jiaji (Extra) (Fig. 18.1) cor-
Gastralgia28,61
responde à localização metamérica da área
E 36 (Zusanli) e acupontos Jiaji da da oi- afetada.
tava à décima segunda vértebra torácica Injetar lrnL de uma mistura (O,lmg!rnL
(Fig.18.1). de vitamina B12 com 0,5rnL de procaína a
Injetar 0,5 a lmL de procaína a 0,5 a 10%) em cada acuponto. Tratar diariamen-
I% em cada um dos acupontos, em dias te. A injeção de procaína nos acupontos tem
alternados. por finalidade promover alívio da dor.
1178 -INJEÇÕES
DEMEDICAMENTOS
NOSACUPONTOS

Impotência Sexua[28,61 Injetar 0,5 a lmL de procaína a 2% ou


0,5 a lmL de vitamina B1 (lOOmg/mL)
VC 4 (Guanyuan), VC 3 (Zhongji) e B 23 ou B12 (O,lmg/mL) nos acupontos Jiaji,
(Shenshu). uma vez ao dia ou em dias alternados.
Injetar 5mg de propionato de testos-
terona, em dias alternados. Quatro apli-
cações constituem um curso de trata- Nevralgia do Trigêmeo28
mento.
B 2 (Zanzhu), E 2 (Sibai), E 7 (Xiaguan),
Injetar 0,5mL de vitaminaB1 (IOOmg/
Jiachengjiang (Extra), que se localiza a 'D
mL) a cada 2 a 3 dias.
lcun lateralmente aVe 24 (Chengjiang) ~ 00

(Fig. 18.2) e Taiyang (Extra), situado na ~


Indigestão28,61
depressão a lcun posteriormente ao pon- t
to médio, entre a extremidade lateral da §
E 25 (Tianshu), E 36 (Zusanli) ou E 37 sobrancelha e o canto externo do olho .j,.
(Shangjuxu). (Fig. 18.3).
Injetar 0,5 a lmL de vitamina Bl Selecionar 2 a 3 acupontos em cada
(lOOrog/mL) ou água destilada. Repetir no sessão e injetar 0,2 a 0,5mL de vitamina
dia seguinte, se necessário. B1 (lOOmg/mL) ou B12 (O,lmg/mL) com
seringa em dias alternados.

Mastite Aguda28,61
Obstrução Intestinal Aguda
Injetar 0,5 a lmL de solução de ringer em
um ou dois linfonodos subaxilares do lado
(do Tipo Íleo Paralítico)28
afetado. E 36 (Zusanli).
Injetar 0,25mg de neostigmina no
acuponto.
Menstruação Irregular28,61
VC 4 (Guanyuan), E 25 (Tianshu), E 36 Odontalgia28
(Zusanli), BP 6 (Sanyinjiao), B 20 (Pishu)
e B 23 (Shenshu). IG 4 (Hegu) e Taiyang (Extra) (Fig. 18.3)
Selecionar 3 a 4 acupontos em cada para tratar dentes do maxilar.
sessão e injetar 0,5 a lmL de solução de E 7 (Xiaguan) e E 6 (Jiache): para den-
glicose a 5%, em dias alternados. Dez tes da mandíbula.
aplicações constituem um curso de tra- Injetar 0,5 a lmL de procaína a 0,5%,
tamento. 1 a 2 vezes ao dia.

Nevralgia Intercosta[28,61 Paralisia Facial Periférica28,61


o acuponto Jiaji (Extra) (Fig. 18.1) cor- IG 4 (Hegu), IG 20 (Yingxiang), E 4 (Di-
responde à localização metamérica da dor. cang), TA 17 (Yifeng), Taiyang (Extra)
INJEÇÕES
DEMEDICAMENTOS
NOSACUPONTOS
- 1 79 I

(Fig. 18.3) e Qianzheng (Extra), situado a Periartrite da


0,5cun anterionnente ao lóbulo da orelha
Articulação do Ombro
(Fig. 18.3).
Injetar 0,25 a 0,5mL de vitamina Bl (Tendinite Supra-espinhal)28
(lOOmg/mL) em dias alternados. IG 15 (Jianyu).

(' ~
/
) \ \
l~ ~
~, ~
~

- - Jiachengjian
.;-
~
0\
"? 1

::t 1__- - -- VC24 (Chengjian)


N
t-
.;,
00
00 FIGURA18.2 - jiachengjian (Extra) e VC 24 (Chengjian).
t-
0\

Taiyang (Extra)

Yiming (Extra)

Qianzheng (Extra)

FIGURA 18.3 - Taiyang (Extra), Qianzheng (Extra) e Yiming (Extra).


1180 - INJEÇÕES
DEMEDICAMENTOS
NOSACUPONTOS

Injetar no acuponto 0,5 a lmL de Nota: a profundidade da injeção é de


procaína a 1% e glicose a 10% ou 2mL aproximadamente O,5cm.
de vitamina B12 (O,lmg/mL) ou 2mL de
novocaína a 2%. Realizar uma aplicação
a cada dois dias. Dez sessões constituem Síndrome da Articulação
um curso de tratamento.
Temporomandibular28
E 7 (Xiaguan).
Pneumonia28
Injetar lmL (0,5mg) de dexametasona
B 13 (Feishu) e IG 11 (Quchi). associada a lmL de procaína a 0,5%, a cada
Injetar 0,5mL de antibiótico em cada 3 a 5 dias, num total de cinco aplicações.
acuponto; realizar antes teste de sensibi-
lidade cutânea.
Síndrome da Menopausa28
Polineurité8 B 15 (Xinshu), B 20 (Pishu), B 23 (Shen-
shu), BP 6 (Sanyinjiao) e E 36 (Zusanli).
IG 11 (Quchi), TA 5 (Waiguan), VB 34 Selecionar 2 a 3 acupontos em cada
(Yanglingquan), VB 39 (Xuanzhong), IG 4
(Hegu) e F 3 (Taichong).
. sessão e injetar 0,5 a lmL de vitamina Bl
(lOOmg/mL) em cada acuponto, em dias
Selecionar 2 a 3 acupontos em <::ada alternados. Dez aplicações constituem um
sessão e injetar 0,5 a lmL de vitamina Bl curso de tratamento.
(lOOmg/mL) ou B12 (O,lmg/mL) em dias
alternados. Dez aplicações constituem um
curso de tratamento. 'D
Soluços (Espasmos -..)
00
00
VI
de Diafragma)28.61 ~
N
Resfriado28 ...
B 21 (Weishu), B 45 (Weicang), B 17 (Ge- ;ç
'D
VB 20 (Fengchi) e B 12 (Fengmen). shu), CS 6 (Neiguan), VC 15 (Jiuwei) e ~
Injetar 0,5 a lmL de vitamina Bl IG 10 (Shousanli).
(lOOmg/mL), durante 2 a 5 dias, conforme Selecionar três acupontos em cada
a necessidade.
sessão e injetar 0,5mL de vitamina BJ
(lOOmg/mL) em cada acuponto, em dias
Rinite Alérgica28.61 alternados. Dez aplicações constituem um
curso de tratamento.
IG 4 (Hegu) e IG 20 (Yingxiang).
Injetar 0,5 a lmL de vitamina BJ
(lOOmg/mL) ou B12 (O,lmg/mL). Tenossinovite Estenosante
de De Quervain28
Rouquidão28
Acuponto Ashi.
VC 23 (Lianquan). Injetar 0,5 a lmg de dexametasona
Injetar 2mL de solução fisiológica. associada a lmL de procaína a 1% no ponto
INJEÇÕES
DEMEDICAMENTOS
NOSACUPONTOS
- 181 I

mais sensível. Repetir a aplicação a cada (100mg/mL). Dez aplicações constituem


5 ou 7 dias. um curso de tratamento.

Tenossinovite dos Músculos Úlcera Gástrica28


Flexores dos Dedos28 B 21 (Weishu), B 20 (Pishu), VC 12 (Zhong-
Acuponto Ashi. wan), CS 6 (Neiguan) e E 36 (Zusanli).
Injetar, no ponto mais sensível, 0,5 a Escolher 1 a 3 acupontos em cada ses-
1mg de dexametasona associada a 1mL são e injetar 1 a 2mL de procaína a 1%
de procaína a 1%. Repetir a aplicação a em cada acuponto. Tratar diariamente.
cada 5 ou 7 dias. Dez sessões constituem um curso de tra-
tamento.

.;-
M
Tonturas e Vertigens28
Vômitos28
~ IG 4 (Hegu), F 3 (Taichong), CS 6 (Nei-
~ guan), VB 20 (Fengchi), TA 9 (Sidu) e E 36 (Zusanli), VG 9 (Zhiyang) e VG 10
~ Yiming (Extra) (situado a 1cun posterior- (Lingtai).
~ mente ao TA 17 [Yifeng] [Fig. 18.3]). Injetar 2mL de solução fisiológica nos
Escolher 2 a 3 acupontos em cada ses- acupontos E 36 (Zusanli), VG 9 (Zhiyang)
são e injetar 1 a 2mL de solução de glicose e VG 10 (Lingtai), diariamente, até cessar
a 5 ou 10% em cada um. Também se pode os vômitos.
injetar 0,5mL de vitamina B12(O,1mg/mL)
em cada acuponto e fazer as aplicações em Nota: particularmente, como professor
dias alternados. de Acupuntura Veterinária na Univer-
sidade Federal Rural do Rio de Janei-
ro, não acreditava na técnica de inje-
Torção Lombar28,61 ção de medicamentos nos acupontos.
Acuponto Ashi. Por insistência dos estudantes, realiza-
Injetar lOmL de solução de glicose a mos injeções de medicamentos (vitami-
10% ou 2mL de novocaína a 2% a cada 2 nas do complexo B, ou seja, Bl' B(j>B12)
a 5 dias. Pode-se, também, injetar sulfato nos animais que não respondiam aos
de magnésio a 25% associado a 2mL de tratamentos pela Acupuntura Clássica
procaína a 2%. Duas a três aplicações cons- e fomos surpreendidos com respostas
bastante animadoras. Os animais tra-
tituem um curso de tratamento.
tados eram cães com seqüela neuroló-
gica de cinomose com paralisia dos
Tuberculose28 membros posteriores, considerados
graves e até incuráveis. O medicamen-
B 13 (Feishu), P 1 (Zhongfu), B 43 (Gao- to foi injetado em alguns acupontos
huangshu), IG 11 (Quchi) e P 6 (Kongzui). considerados mais importantes, uma
Escolher 2 a 3 acupontos em cada ses- vez por semana; duas a três sessões de
são e injetar 0,5 a 1mL de vitamina B1 injeções foram suficientes.
Magnttoterapia e 19

JLcupuntura

A utilização dos magnetos ou imãs para o tratamento de doenças é uma


técnica tão antiga que há menções na literatura médica dos antigos aria-
nos. Homero (850 a.C.), Platão (429-347 a.C.) e Aristóteles (384 a.c.) já
os utilizavam para a cura de doenças64.
Na dinastia Song (960-1279), tempo do boneco de bronze, já se uti-
lizavam os magnetos, colocando-os sobre os acupontos78.
"" Na antiga Grécia, na região em que o imã era produzido, havia o cos-
~ tume de utilizá-Io como um colar que aliviava dor de dente, dor de ca-
~
"" beça, etc., sendo assim utilizado na medicina popular30.
~
>n
O médico suíço, místico e alquimista, Phillipus Aureolus Theofrascus
~
t- Paracelsus (1493-1541), disse: aquilo que constitui o magneto é uma força
0\ atrativa que está acima da compreensão, pois, além de atrair o ferro e
outras coisas, esta força é especialmente útil para curar doenças, infla-
mações, etc.
O Dr. Franz Anton Messmer (1734-1815), motivado pela obra de
Par~celsus, desenvolveu idéias de que o homem é influenciado por algu-
mas forças do Universo e divulgava a sua crença no "efeito astral" ou
magnetismo presente em todas as matérias do Universo. Assim como
Paracelsus, desenvolveu idéias de que os magnetos possuem poderes
medicinais, pois ao submeter um órgão doente a uma força magnética,
conseguia curar várias enfermidades64.
Messmer, acreditando no poder de cura da energia magnética utili-
zada na medicina popular, idealizou diversas técnicas para aumentar o
efeito terapêutico dessa energia. Obteve resultados extraordinários no tra-
tamento de distúrbios menstruais, gota, paralisia, etc. Porém, teve um fim
trágico, foi banido por seus colegas médicos por charlatanismo. Em 1784,
Luís XVI expulsou-o de Paris. Faleceu na Suíça, em 18153°.
Modernamente, no campo da indústria, da tecnologia e da informá-
tica, os magnetos são amplamente utilizados para armazenar informações
sob a forma de fitas magnéticas.
1184 - MAGNETOTERAPIA
EACUPUNTURA

Na medicina, o magnetismo já é um
fato marcante no diagnóstico pela imagem,
o que é Magneto ou Imã?
como a ressonância nuclear magnética54. É um material que atrai filetes ou lima-
Experiências biológicas demonstra- lhas de ferro ou qualquer outro material
ram que a fermentação dos alcoóis é re- que contêm ferro em sua composição
tardada sob a influência do campo mag- (Fig. 19.1).
nético do pólo norte do imã e é acelerada
sob a influência do campo magnético do
seu pólo sul. Essas experiências mostra- o que é Magnetismo?
ram que o campo magnético gerado pelo É uma força de atração mútua entre o
pólo norte do magneto inibe o crescimen-
magneto e o material composto de ferro.
to das bactérias responsáveis pela fermen- É a força que resulta dos movimentos dos
tação alcoólica, enquanto o campo mag- elétrons.
nético gerado seu pelo pólo sul estimula
~
o crescimento dos microrganismos fer- -.J
00

mentadores do álcoo164. o que é Campo 00


U1
~
N
A partir desses fatos pode-se concluir ..
Magnético? '"
que a exposição do organismo a altos cam- ,
~
N
pos eletromagnéticos, por um longo pe- E o espaço ao redor do magneto no qual.)..
ríodo, pode ter influência benéfica ou sua influência de atração ou repulsão é
maléfica e, por isso, o tratamento utili- sentida (Fig. 19.2).
zando os magnetos deve ser feito com bas- Um magneto ou imã possui dois pó-
tante critério. los: norte (N) e sul (S) (Fig. 19.2).

FIGURA 19.1 - Magneto ou imã atraindo limalhas de ferro.


MAGNETOTERAPIA - 185
EACUPUNTURA I

Se amarrarmos bem no meio uma bar- Como Descobrir o


ra de magneto com fio e a pendurarmos, Pólo de um Magneto
fixando a outra extremidade do fio no teto,
ou no vão de uma janela ou porta, após . Pelo método de suspensão.
algum tempo o pólo norte (N) do magneto . Pelo método de atração e repulsão.
dirige-se ao norte geográfico e o seu pólo . Pelo magnetômetro.
sul (S), ao sul geográfico (Fig. 19.3).
Segundo Souza64, modernamente No método de suspensão, citado an-
conclui-se que o lado atraído para o nor- teriormente, basta amarrar uma barra de
te geográfico deve ser denominado pólo magneto no meio e suspendê-Ia. Após al-
sul e o que é atraído para o sul geográfi- gum tempo, a barra de magneto orienta-
co, pólo norte. Para não gerar confusão se de acordo com o campo magnético ge-
neste livro, preferi seguir os conceitos já ográfico. A extremidade voltada para o
existentes. norte geográfico é o pólo norte (N) e a

""
(
c-\
o-, FIGURA19.2 - Magneto e seu campo magnético. N = pólo norte; 5 = pólo sul.
"?
;:;
'"
r;-
'"
ao;'
00
r-
o-,

N S

-- ~ """'---- - --+0---
Norte geográfico Sul geográfico

FIGURA 19.3 - Método de suspensão para descobrir o pólo de um magneto. N = pólo norte;
5 = pólo sul.
1186 - MAGNETOTERAPIA
EACUPUNTURA

outra, o pólo sul (S) (Fig. 19.3). Con- acessível, é a capacidade magnética de um
forme citado, há, modernamente, uma determinado magneto ou imã atrair e reter
orientação de que esse procedimento seja aproximadamente um grama de ferr067.
exatamente o contrário. Em virtude des-
sa divergência, segundo Souza64, o mé-
todo de suspensão da barra deixou de ser Efeito dos Campos Magnéticos
confiável. Sobre os Seres ViVOS54,64.67

..
Com o método de repulsão e atração é
Prolonga a vida dos animais (pólo sul).
possível identificar os pólos de um mag- Detém o crescimento de células ma-
neto desconhecido, desde que se tenha um lignas (pólo norte).
outro magneto com polaridade já conheci- . Promove o alívio da dor (pólo norte).
da. Assim, os pólos com nomes iguais se
repelem, os pólos com nomes diferentes
. Promove o crescimento das plantas
(pólo sul).
se atraem (Fig. 19.4).
O magnetômetro é um pequeno ins-
. Cura certas enfermidades (pólo norte
ou sul).
trumento com agulha e mostrador que per-
mite identificar o pólo desconhecido de
. Acelera a cicatrização de feridas (pólo
sul).
um determinado magneto. O instrumento
tem uma escala de -5 a +5 e uma agulha
. Acelera a consolidação de fraturas
ósseas (pólo sul).
fina em repouso no ponto zero. Se uma . Inibe o crescimento de bactérias (pólo
norte).
das extremidades da barra de um magneto
for aproximada do aparelho e a agulha os-
cilar para -5, o pólo do magneto é norte.
Caso contrário, é o pólo sul64. Utilização dos
Magnetos na Medicina
Os magnetos com potência menor que
Potência dos Magnetos
2.500 gauss são considerados seguros, não
A potência dos magnetos é expressa em importando se a sua polaridade é norte ou
gauss ou densidade de fluxo, que é uma sul. Contudo, nos casos em que funcio-
unidade de medida. Em linguagem mais nam como energéticos, em colchões e

'D
5 N N 5 -.)
00
00
VI

L=íIJ ~ ..
5 N 5 N
~
IV
-I>-

""
'D
IV
.;.

... 4-

FIGURA 19.4 - Método de repulsão e atração.


MAGNETOTERAPIAEACUPUNTURA - 1871

palmilhas, é preferível usar magnetos com O pólo sul deve ser utilizado para ace-
uma potência menor do que 1.000 gauss. lerar cicatrização das feridas assépticas,
Acima de 3.000 gauss a exposição pro- consolidação de fraturas ósseas e todas as
longada pode provocar um desequilíbrio doenças debilitantes em que se pretende
em uma pequena porcentagem de pessoas. estimular o metabolismo celular.
Por isso, a exposição a campos magnéti-
~ cos muito potentes não deve exceder a
""

! 30min, 1 ou 2 vezes por dia67. Propriedades Terapêuticas


~ Como o pólo sul estimula o crescimen- dos Pólos Norte e Sul
~
00 to e a proliferação de células, ele não deve
S; ser utilizado sobre o tumor. Já o pólo norte, O pólo norte do magneto é responsável
como inibe a proliferação de células, deve por resfriamento, sedação ou dispersão; a
ser aplicado constantemente sobre o tumor. sua polaridade é Yin ou negativa; enqua-
dra-se nos conceitos da Medicina Tradi-
O pólo sul pode ser aplicado no timo,
cional Chinesa67.
durante 30min por dia, para estimular a
imunidadé7. O pólo sul do magneto é responsável
pelo aquecimento; tonifica ou estimula;
A exposição das células malignas a
sua polaridade é Yang ou positiva; enqua-
um campo magnético norte proporciona
dra-se nos conceitos da Medicina Tradi-
resultados extremamente positivos, pois
cional Chinesa67.
destrói ou inibe o seu crescimento.
Segundo Tierra67 , o Dr. Albert Roy
Portanto, a utilização dos magnetos
Davis observou que os elétrons emitidos
nos tratamentos de algumas doenças é ba-
seada nos conhecimentos dos efeitos da e transmitidos pelas extremidades de dois
pólos magnéticos giravam em sentido con-
polaridade.
trário. Os elétrons provenientes do pólo
O pólo norte possui efeito inibitório,
sul do magneto giravam no sentido horá-
pois diminui o metabolismo celular e,
rio (para a direita), enquanto os proveni-
cOIp.isso, inibe o crescimento bacteriano.
entes do pólo norte giravam no sentido
Tudo depende da potência do magneto,
anti-horário (para a esquerda).
do tempo de exposição e das caracterís-
Segundo Souza64, existe um instru-
ticas de cada microrganismo, que deve-
mento que dá a leitura direta em cores; ao
rão ser pesquisadas. aproximar o pólo norte do magneto, o visor
O pólo sul aumenta o metabolismo do instrumento apresenta a cor azul (Yin),
celular e com isso acelera a multiplicação e mostra a cor vermelha (Yang) ao se apro-
celular e aumenta o crescimento bacteriano.
ximar o pólo sul do magneto.
Pelo exposto, o pólo norte deve ser Resumindo as propriedades físicas e
utilizado nos tratamentos de processos in- terapêuticas e comparando-as com os con-
fecciosos, para inibir crescimento bacte- ceitos da Medicina Tradicional Chinesa
riano e de dores agudas para diminuir a temos:
ação das substâncias algogênicas, como
nos casos de lesões traumáticas, artrites e . O pólo norte possui efeito inibitório,
todas as doenças em que se pretende di- acalma, emite luz azul, é Yin e, portan-
minuir o metabolismo celular. to, pode ser utilizado para sedação.
1188 - MAGNETOTERAPIAEACUPUNTURA

. O pólo sul possui efeito estimulante,


emite luz vennelha, é Yang e, portanto,
polaridades norte ou sul. De acordo com
Tierra67, os melhores resultados ocorrem
pode ser utilizado para tonificação. quando se usa a polaridade do magneto
corretamente, de acordo com a avaliação
clínica de cada caso.
Magnetos Naturais Para utilização dos campos magné-
e Artificiais ticos, na Acupuntura, existem magnetos
adesivos (os magnetos "Acuband")67, nos
Naturais - São aqueles encontrados na
quais os magnetos têm fonnato de peque-
natureza, sob a forma bruta de minérios.
nos discos com 1,5cm de diâmetro por
Seu poder de atração ou repulsão é fraco.
1,5mm de espessura e vêm fixados em
Artificiais - São aqueles aperfeiçoa-
band-aids de 2cm de diâmetro67.
dos pelo homem, com poder de atração
Apresentam potência de 3.000 a 9.000
ou repulsão aumentado pela passagem de
gauss e seu pólo norte é identificado com
corrente elétrica em fios adequadamente
sulcos, desenhos, relevos, superfície con-
bobinados ao redor do material ferromag-
nético. vexa, etc., e o pólo sul é identificado por
uma superfície plana e lisa.
Os magnetos artificiais potentes como
Existem outras formas e peças de
o de Neodímio (Neomax), são feitos de
magnetos, como pulseiras, colchões, al-
1/5 de boro com 4/5 de neodímio; o últi-
mo é um dos elementos mais raros na mofadas, travesseiros, palmilhas, jóias,
natureza. destinadas a diversos fins terapêuticos.
'"
-J
Um outro magneto mais potente é o 'i"
00
U>
alnico, uma liga de alumínio, níquel, fer- Tratamento: Magnetoterapia
~
N
ro, cobalto e cobre; pode ser 1.000 vezes -o,
.j:>.

mais potente do que um magneto natural.


Associada à Acupuntura '"
N
.j;,.
São os magnetos mais caros. Os magnetos Após conhecer os efeitos terapêuticos dos
artificiais, como ferrita (carbonàto de bá- pólos norte e sul dos magnetos e suas cor-
rio e ferro), são potentes e baratos, porém relações com os princípios ou conceitos
frágeis. da Medicina Tradicional Chinesa, toma-
Existem, no comércio, várias formas se mais fácil a sua utilização. Não é ne-
de magnetos sob a forma de placas, dis- cessário relacionar uma lista enorme de
cos, blocos e também em diversos tama- patologias com indicações de acupontos
nhos. Uma das dificuldades é saber a po- a serem tratados com os magnetos.
tência desses magnetos, uma vez que a O objetivo deste capítulo não é tratar
utilização de magnetos com potência fra- as doenças somente com a utilização de
ca pode resultar em insucessos nos tra- magnetos nos acupontos, uma vez que,
tamentos. para isso, seriam necessários muitos mag-
Muitos terapeutas que utilizam os mag- netos. Após realizar uma sessão de trata-
netos acreditam que os imãs com potên- mento normal com a Acupuntura, basta
cia menor do que 2.500 gauss podem ser selecionar alguns poucos acupontos (os
usados sem que se levem em conta suas mais importantes entre os principais) e
MAGNETOTERAPIA
EACUPUNTURA
- 189 I

colocar neles os magnetos com a polari- lizar uma longa viagem de ônibus.
dade indicada e fixá-los com esparadrapo. Após o tratamento, fixando o pólo
Por exemplo, no tratamento de asma sul do magneto nos acupontos F 3
por deficiência de Qi do Pulmão, após uma (Taichong) e B 40 (Qiuxu), a pa-
sessão normal de Acupuntura, o paciente ciente ficou livre das cãibras du-
pode ser tratado com o magneto, colocan- rante muitas viagens.
do-se o pólo sul do magneto em contato 2. Uma estudante de direito tinha di-
com B 13 (Feishu) ou com P 1 (Zhongfu) ficuldade para se concentrar nos
e fixando-o com esparadrapo. estudos. Após o tratamento com
Para a epicondilite lateral do braço Acupuntura e Moxabustão, foram
pode-se colocar um magneto com o pólo fixados os magnetos nos acupon-
norte (sedação) no ponto mais sensível e tos B 49 (Zhibian) e a paciente re-
latou melhora.
fixá-lo com esparadrapo. Por se tratar de
uma patologia de dificil recuperação, deve-
Deve-se selecionar acupontos nos
se manter o magneto por muito tempo, de
quais os magnetos possam permanecer por
2 a 3 meses, se necessário, além do trata-
mais tempo, evitando certas áreas do cor-
mento por outros métodos convencionais.
po, como dobras dos joelhos e outros lo-
Para a insônia, pode-se utilizar mag-
cais onde os esparadrapos não se fixem
neto em forma de placa, colocando seu direito. Também se evitam as áreas da
pólo norte em contato com o acuponto Yin-
face, por questões estéticas, a não ser que
tang (Extra), somente à noite. a indicação e a necessidade estejam aci-
Nas deficiências de Essência dos Rins
ma das questões estéticas.
e de Qi do Baço-Pâncreas, pode-se fixar Os oito acupontos de influência dos
magnetos com o pólo sul nos acupontos órgãos ou tecidos são ideais para comple-
B 23 (Shenshu) e B 20 (Pishu), respectiva- mentar os tratamentos com fixação de
"'1"mente. magnetos, escolhendo-se o pólo norte ou
~ 'A cãibra pode ser tratada fixando-se sul de acordo com a avaliação de cada caso
~ magnetos sobre certos acupontos. Na (Tabela 19.1).
:;; Medicina Tradicional
00
Chinesa, uma das
~
'" causas da cãibra (contraturas musculares)
é a deficiência de sangue do fígado. As- Contra-indicações
sim, os acupontos F 3 (Taichong) e VB 40 do Uso de Magnetos
(Qiuxu) podem ser selecionados para fi-
xar magnetos com o pólo sul em contato Não se deve utilizar os magnetos, sobre-
com os acupontos. tudo os de potência elevada, em:

. Grávidas.
Casos Clínicos . Pacientescom marca-passoscardíacos.
. Bebês.
1. Uma mulher com aproximada- . Próximos ao globo ocular.
mente 70 anos sofria de fortes . Cabeça.
cãibras toda vez que tinha de rea- . Área do coração.
1190 - MAGNETOTERAPIA
EACUPUNTURA

Tabela 19.1 - Oito acupontos de influência e com algodão embebido em álcool. Rea-
órgãos e tecidos ções alérgicas e pruridos podem ser cau-
sados pelo uso de esparadrapos. Deve-se
Acupontos Órgãos
de Influência ou Tecidos utilizar esparadrapos antialérgicos, hipo-
alergênicos ou micróporo.
F 13 (Zhangmen) Órgãos (Zang) Quando há exacerbação de dor, sen-
VC 12 (Zhongwan) Vísceras (Fu)
Qi
sação de peso na cabeça e dor de cabeça,
VC 1 7 (Shanzhong)
B 17 (Geshu) Sangue deve-se reavaliar o caso e experimentar in-
VB 34 (Yang/ingquan) Tendão verter a polaridade do magneto. Caso as
P 9 (Taiyuan) Vasos sangüíneos reações negativas persistam, suspender o
B 11 (Dazhu) Osso
Medula uso de magnetos.
VB 39 (Xuanzhong)
Enfim, a utilização dos magnetos nos
acupontos, implica em associar os conhe-
cimentos da Medicina Tradicional Chi-
Possíveis Reações Negativas nesa e da Magnetoterapia, cultivando a
Durante o Tratamento criatividade e desenvolvendo o espírito

. Dor de cabeça.
de pesquisa. ~
.. Pruridos.
Exacerbação da dor.
A Magnetoterapia é um método efi- ~
caz, simples, econômico, indolor, não é ~
-.)

.. Reações alérgicas.
Sensação de peso na cabeça.
invasivo e tem poucos ou nenhum efeito $N

colateral. Quando associada à Acupun- .).


. Sonolência. tura, aumenta a eficácia terapêutica da
mesma.
Se as reações negativas persistirem, Segundo Souza64, a Magnetoterapia
deve-se retirar o magneto e limpar o local não é magia e nem milagre, é um fato.
Mo{a6ustão 20

A palavra "moxa" pode ter se originado do termo japonês mogussá e foi


introduzida na Europa por Kraemfer (1651-1716)56.
No Japão, a Artemisia vulgaris, planta da qual se prepara a Moxa, foi
chamada de Yomoguigussá e, mais tarde, Moguigussá (a pronúncia era
moquicussá e foi simplificada para mocussá), que provavelmente deve ter
dado origem à palavra Moxa. Segundo Auteroche & Auteroche5, o termo
"moxa" teria como origem tanto o termo português mechia (mecha), quanto
o japonês mogussá.
A Artemisia sp. é uma planta que se alastra e domina a área onde ne-
nhuma outra planta consegue competir. Por isso foi considerada uma plan-
ta poderosa e utilizada como fortificante. Suas propriedades anti-helmínticas
também foram comprovadas em pesquisas2.
Na China, as folhas dessa planta são penduradas na porta da casa no
primeiro dia do ano, para espantar os males 17.
. No Japão, as folhas tenras dessa planta são fervidas, maceradas e colo-
cadas no arroz moti, no ritual do Ano Novo, a fim de aumentar a saúde e a
prosperidade.
O chá preparado com a folha de artemísia funciona como diurético,
portanto, ajuda a eliminar a toxina do organismo e também é útil no trata-
mento de diabetes mellitus.
""" A moxa é um material aveludado, também conhecido como "moxa lã",
~ preparado com folhas secas de uma planta cosmopolita denominadaArte-
'D
~
N
misia vulgaris (Fig. 20.1, A e B), pertencente à família das Compostas35.
J; Existem outras espécies de artemísia, como A. sinensis, abisinthium, etc.

~
r-- A Moxabustão é a forma simplificada da palavra Moxacombustão, que
'" é a técnica de queimar diversos tamanhos de cones (Fig. 20.2), preparados
com moxa e colocados sobre os acupontos (Fig. 20.3).
Na Medicina Oriental, o ideograma ~ significa longo tempo e 0;1\. re-
presenta o fogo. Os dois juntos, o primeiro sobre o segundo (~) (Ziú ou
Kiú), significam longo tempo do uso de fogo35.
1192 - MOXABUSTÃO

'D
-.J
'f
00
v.
:..,
IV
-
...
'"
'D
IV
A
./.

FIGURA 20.1 - (A) Artemisia vulgaris. (8) Artemisia vulgaris (inflorescência).

A Moxabustão é tão antiga quanto a tados. avc 4 (Guanyuan) é considerado


Acupuntura e, na China, já era utilizada fonte da vida ou a raiz principal da vida.
por famílias reais quando a Acupuntura Se a pessoa concentrar o Qi nesse acupon-
falhava46. to, ela dificilmente adoecerá.
A eficácia da Moxabustão é citada por a Dr. Wang Fengyi, em sua experiên-
Kikuchi35, segundo o qual o acuponto VC 4 cia clínica, considera o VC 4 (Guanyuan)
(Guanyuan) é excelente para a reanima- um depósito de essência para os homens
ção e para auxiliar no tratamento de todas e de sangue para as mulheres. A Moxa-
as enfermidades do abdome. É um acu- bustão nesse acuponto fortalece o Yang do
ponto cujo tratamento com Moxabustão é Rim, nutre o Rim para fortalecer a essên-
obrigatório em todos os pacientes debili- cia e a medula óssea. É empregado fre-
MOXABUSTÃO
- 193 I

,'I para cima ou para baixo) e, conseqüente-

.!
)1) mente, melhorando o funcionamento dos
órgãos.
No Ling Shu, comentário 73, está es-
IIlj
crito que a Moxabustão regula a circula-
ção de Qi e estimula a função dos órgãos.
A B c Trata o vazio de Yang e o frio e, com isso,
controla asma, diarréia, indigestão, etc.73
FIGURA 20.2 - (A-C) Cones preparados com Quando o pulso é cavo (vazio), recorre-se
moxa. à Moxabustã073.
O Dr. Wang Xuetai classifica a Mo-
xabustão de acordo com a temperatura
,- exercida nos acupontos, sendo os seus efei-
tos divididos em três tipos:

1. Moxabustão aquecedora: a tem-


peratura é suave e a pele não é
queimada, ficando apenas aver-
melhada. Serve para tratar síndro-
mes do frio.
2. Moxabustão com formação de
vesículas: a temperatura é alta e a
... pele é queimada. Serve para tra-
tar choques e colapsos.
FIGURA20.3 - Aplicação do cone de moxa so- 3. Moxabustão supurada: a tempe-
"" bre o acuponto.
N ratura é muito alta e a queimadu-
~
'? ra da pele do acuponto é grave,
""
'"
.... qüentemente para tratar anúria, amenor- seguida de supuração. Serve para
J,
00
cO
réia, impotência sexual e síndrome Wei19. tratar as patologias de deficiência
....
~ O outro acuponto muito eficaz para e síndromes frias 73.
reanimar uma criança doente é o VG 12
(Shenzhu). Pode ser realizada Moxabus- Assim, pode-se classificar a Moxabus-
tão indireta nesse acuponto, em todos os tão em:
casos de doença em crianças.
A artemísia possui sabor amargo e . Direta:
picante, produz calor penetrante e sua na- - Sem cicatriz.
tureza é Yang. Por isso serve para tratar - Com cicatriz.
deficiência de Yang, evita o colapso e o - Com incenso.
seu calor promove a eliminação de frio e - Com incenso e moxa.
umidade, removendo a obstrução dos ca- . Indireta:
nais de energia e regulando a circulação - Sobre fatia de gengibre ou alho.
de Qi e sangue (direciona o Qi e o sangue - Sobre a camada de sal.
1194 - MOXABUSTÃO

- Com bastões de moxa. próximos às articulações, acupontos das


- Em caixa de madeira. regiões dorsal e lombar, no canal de ener-
- Sobre o cabo da agulha. gia da Bexiga 17.
- Com moxa adesiva. Esse método é utilizado para o trata-
- Sem fumaça e sem odor. mento de síndromes Bi, patologias do frio,
- Moxa elétrica. como asma, diarréia crônica, resfriados,
etc. Atualmente, é o método preferido pela
maioria dos profissionais e é mais aceito
Moxabustão Direta pelos pacientes.
sem Cicatriz
Após passar uma fina camada de vaseli- Moxabustão Direta
na, colocam-se cones de moxa no acupon- com Cicatriz
to; quando 2/3 ou 3/4 deles estiverem quei-
mados e o paciente sentir dor provocada Primeiro, deve-se avisar ao paciente so-
pelo calor do fogo, retira-se o restante dos bre a possibilidade de formação de vesí-
cones com o auxílio de uma pinça. Colo- culas e posterior cicatriz. Então, se hou-
cam-se novos cones de moxa no mesmo ver consentimento do paciente, colocar um
local e repete-se a operação, utilizando 3, pequeno cone de moxa no acuponto, dei-
5 ou 7 cones em cada acuponto. xar queimar até a metade e removê-Io. O
O número de cones de moxa a ser uti- segundo cone é colocado sobre a cinza dei-
lizado em cada acuponto varia de acordo xada pelo primeiro; deixar queimar mais
com a natureza da enfermidade. Apesar da metade e remover. O terceiro cone é
de certas enfermidades exigirem um nú- colocado no mesmo lugar e deve ser re-
mero maior de cones de moxa a serem movido rapidamente antes de queimar por
queimados, certos acupontos só podem completo. E assim segue a formação de
receber um número limitado deles a cada vesículas que se rompem deixando a cica-
sessão, de acordo com o Código de Tra- triz na pele, conforme Xie Xiliang, citado
tado do Homem de Bronze, de Wang Wei porYoubang & Liangyue79. A Moxabus-
Yi, editado em 1127, durante a dinastia tão sem cicatriz e a com cicatriz são bas-
Song (1127-1279)13. tante semelhantes em natureza, diferindo 'D
Na Moxabustão sem cicatriz, quando apenas em intensidade. ~
00

a pele ao redor do acuponto ficar averme- A Moxabustão com cicatriz deve ser N~
lhada, mas sem formação de vesícula, e o usada para tratar patologias crônicas per- ~
paciente se sentir confortável com o alí- sistentes, como asma, bronquite, epilepsia, §
vio da dor, o objetivo foi cumprido. tuberculose, úlceras, etc. Caso o paciente .;.
Na Moxabustão sem cicatriz pode-se não suporte o calor da moxa, pode-se inje-
utilizar maior número de acupontos e o tra- tar um anestésico no acuponto ou colocar
tamento deve ser mais longo, para obter suco de alho, antes de se realizar a Moxa-
bons resultados, segundo Dr. Xie Xiliang 73. bustão. O suco de alho, além de aumentar
Deve-se aplicar Moxabustão direta a aderência do cone de moxa na pele, au-
sem cicatriz nos acupontos localizados menta o efeito irritativo17.
MOXABUSTÃO
- 195 I

A combustão do cone de moxa deve me ira sessão. Ela se recuperou com ape-
ser completa e, para aliviar a dor causada nas duas sessões.
pela queimadura, deve-se golpear ou per-
cutir em volta do cone de moxa. Em uma
semana pode haver cicatrização e com 5 a
Moxabustão Direta
6 semanas remove-se a crosta. com Incenso e Moxa
A melhor época para tratar a doença
É um método japonês de Moxabustão di-
do inverno com moxa é em pleno verão,
reta na pele, com minicone de "moxa lã"
pois nessa estação o calor da Moxabustão
amarelada, do tamanho de ponta de um
penetra mais no corpo.
lápis, colocada sobre o acuponto e acesa
Deve-se realizar três sessões de Mo-
com o incenso "senkó" verde, que também
xabustão com cicatriz, com intervalo de
é preparado com folha de artemísia (Fig.
10 dias. Se o acuponto cauterizado na ses-
20.5). Moxa amarela ou branca é um pre-
são anterior ainda não estiver cicatrizado,
parado puro de alta qualidade que, quan-
queimar ao lado e também escolher ou-
do queimado, produz odor e calor tera-
tros grupos de acupontos17.
pêutico agradáveis 15.
A Moxabustão direta com minicone
Moxabustão Direta de "moxa lã" amarelada é muito eficaz
,.
quando realizada no VG 20 (Baihui), pois
~ com Incenso
::;
N
r--
.;, o Dr. Tian Cong Ruo, citado por Youbang
'1
00
r-- & Liangyue 79,utiliza incenso diretamente
0\
na pele para tratar bronquite, prurido na
garganta e tosse, nos acupontos VC 22
(Tiantu), B 12 (Fengmen), B 13 (Feishu).
O método é bastante simples, pois consiste
em acender uma das extremidades do in-
censo, colocá-lo suave e rapidamente sobre
o acuponto e removê-lo assim que ouvir
um som sobre a pele (Fig. 20.4). Realiza-
se apenas uma aplicação em cada acuponto.
A localização exata do acuponto é muito
importante para esse tipo de Moxabustão.
O Dr. Tian Cong Ruo cita um caso clí-
nico de uma paciente com 51 anos de ida-
de que apresentava prurido na garganta
seguido de tosse contínua, sempre que se
resfriava. Fora tratada com medicamen-
tos, mas sem êxito. A paciente foi tratada
diretamente com incenso nos acupontos
VC 22 (Tiantu) e B 12 (Fengmen) na pri- FIGURA20.4 - Moxabustão com incenso.
1196 - MOXABUSTÃO

f 'D
-J
'f
00
v.
'-'
N

~ -
-I>
'"
'D
N
~
~

FIGURA 20.5 - Moxabustão com incenso e mi-


nicone de moxa.

FIGURA20.6 - Moxabustão indireta sobre fatia


tonifica o Yang e fortalece a função as- de gengibre ou alho.
cendente do Baço; é muito útil no trata-
mento de ptose de órgãos internos, como
queda de estômago, útero, bexiga e pro- Deve-se queimar de 3 a 7 cones de moxa
lapso de reto e vagina. Estimula a subida no mesmo acuponto. A área da pele que
foi tratada com moxabustão indireta com
do Yang, sendo muito eficaz para tratar
tonturas e melhorar o ânimo de pessoas fatia de gengibre ou alho deve ficar aver-
deprimidas. melhada (eritematosa), mas sem forma-
ção das vesículas.
Esse método é muito eficaz para de-
Moxabustão Indireta ficiência de Yang do Baço-Pâncreas, sín-
sobre Fatia de Gengibre dromes do frio, como a diarréia por frio,
dismenorréia, dor abdominal, dores ar-
(Zingiber Officinale) ou ticulares, ejaculação precoce, esterilida-
Alho (Allium Sativam) de, impotência sexual, paralisia facial,
Cortar transversalmente o rizoma (raiz) vômito, etc.
de gengibre ou bulbilho (dente) de alho Segundo Colin & Barry13, a Moxabus-
na espessura de 2 a 3mm, perfurá-Io vá- tão indireta intercalada com fatias de gen-
rias vezes com uma agulha e colocá-Io gibre entre a pele e a moxa serve mais para
sobre o acuponto escolhido para o trata- tratar patologias superficiais. A fatia de
mento. Sobre a fatia de gengibre ou alho, alho utilizada para a realização da Moxa-
colocar um cone de moxa e deixá-Io bustão indireta serve para eliminar afec-
queimar até o paciente sentir que o calor ções mais profundas.
está provocando dor (Fig. 20.6). Nesse O gengibre é muito utilizado na Fito-
momento, a fatia de gengibre ou alho é terapia Tradicional Chinesa e possui a
retirada com o auxílio de uma pinça, a propriedade de aquecer o estômago e
fim de evitar a queimadura. Em seguida, controlar a náusea, bem como eliminar o
renova-se o cone de moxa e a fatia de gen- Vento e a Umidade, servindo, então, para
gibre ou alho e queima-se novamente. tratar doenças exteriores ou interiores17.
MOXABUSTÁO-197I

---

FIGURA20.7 - (A e B) Moxabustão indireta sobre camada de sal.

Moxabustão Indireta o seu Yang. Por isso a Moxabustão indi-


sobre Camada de Sal reta com sal no umbigo é útil no trata-
mento de diarréia matinal, característica
Com o paciente em decúbito dorsal, co- de deficiência de Yang do Rim 17.
brir o umbigo (VC 8 [Shenque]) com sal Na prática diária é um pouco traba-
até iÜvelá-lo com a superfície abdominal lhoso aquecer o sal, colocá-Io no umbi-
(Fig. 20.7). Pode-se utilizar sal fino ou go, cortar uma fatia fina de gengibre ou
grosso com grânulos pequenos. Deve-se de alho, colocar cones de moxa, queimar,
aquecer o sal previamente em uma vasi- etc. Porém, em alguns casos agudos ou
lha metálica, colocando-o no fogo bran- de vazio profundo de Yang, torna-se ne-
do. Esse procedimento serve para retirar cessário, pois no umbigo se encontra o
a umidade do sal, pois isto pode estalar acuponto VC 8 (Shenque), que significa
durante a moxabustão, espalhar centelhas Palácio da Alma 19.A Moxabustão indi-
e provocar queimaduras. Para realizar a reta com sal no umbigo serve para tra-
;:t;moxabustão
o-, sobre a camada de sal, deve- tar colapso de Yang acompanhado de dor
! se colocar uma fatia fina de gengibre ou
"" abdominal, membros frios, prostração,
~
<n de alho entre o cone da moxa e o sal, para
vômitos incoercíveis, etc. Os médicos
d: evitar queimadura da pele em volta do antigos tratavam gonorréia com esse mé-
S; umbigo. todo.
O sal tem afinidade com o Rim e faz Os acupontos situados acima do um-
penetrar o calor nesse órgão, tonificando bigo servem para fortalecer a energia ad-
1198 - MOXABUSTÃO

quirida, por exemplo, VC 12 (Zhongwan)


e os pontos situados abaixo do umbigo for-
talecem a energia congênita, como o VC 4 ----------------------
(Guanyuan). Como o umbigo fica no meio, A
pode ser utilizado para fortalecer tanto a
'
energia adquirida como a congênita17.
L
B
,I
\ - -.
'f,
' ( (
f

\ ,
Moxabustão Indireta FIGURA 20.8 - (A e B) Bastão de Artemisia
vulgaris.
com Bastão de Moxa
o bastão de Artemisia vulgaris (Fig. 20.8)
matosa). Não se deve aproximar demais o
pode ser manejado com bastante facilida-
bastão da pele, pois, se houver queimadu-
de, consome menos tempo, possibilita
ra, esta impede a continuação do trata-
maior controle e apresenta grande eficá-
mento. A distância será sempre regulada
cia, portanto é o método mais utilizado
atualmente. de acordo com a sensibilidade do paciente
ao calor. Antes do início do tratamento
Foi criada durante a dinastia Ming
(1368-1644), época em que houve gran- deve-se marcar os acupontos com caneta
des mudanças na Medicina Tradicional hidrocor ou similar.
Chinesa. O bastão de moxa com calor mode-
O bastão é constituído por 97% de fo- rado serve para tratar todas as patologias
lhas secas aveludadas de Artemisia vul- causadas pelo frio, pois ativa a circula-
garis e 3% de uma mistura de outras plan- ção de Qi e sangue, a qual estaria nor-
tas medicinais, acrescidas de algumas malmente prejudicada pelo frio.
substâncias químicas, como enxofre e 'D
-J
sulfureto de arsênico (rosalgar), para fa- 00
00
cilitar a combustã05. V1
'-'
N
O bastão mais comum é o Pure Moxi ..
Rolls, constituído de 100% de moxa. &,
'D
N
O bastão de moxa pode ser utilizado .;,.
das formas apresentadas adiante.

Calor Moderado e Constante


Acender uma das extremidades do bastão
e mantê-lo acima do acuponto, a uma dis-
tância de 1 a 2cm (Fig. 20.9) e, quando o
paciente começar a sentir a dor provoca-
da pelo calor, afastar o bastão antes que
ocorra a queimadura. A pele ao redor do FIGURA20.9 - Bastão de moxa com calor mo-
acuponto deve ficar avermelhada (erite- derado e constante.
MOXABUSTÃO
- 199 I

Giratória
Acender uma das extremidades do bas-
tão e girá-Ia a uma distância de 2 a 3cm
acima do acuponto até a pele ficar aver-
melhada (Fig. 20.10). Esse método é in-
dicado para tratar dores reumáticas, pa-
ralisia facial periférica, dermatites, etc.

HBicada de Pássaro"
FIGURA 20.10 - Técnica giratória com bastão
ou HBicada de Pardal" de moxa.

Também conhecida como Moxabustão


com bastão em subida e descida. Acender
uma das extremidades do bastão e colo-
cá-Ia a 2cm acima do acuponto, proceden-
do os movimentos de subida e descida sem
tocar a pele (Fig. 20.11), lembrando os
movimentos de um pássaro comendo
grãos. Deve-se controlar atentamente a
A
-
reação do paciente para não provocar quei-
't madura. A duração do tratamento é de apro-
~ ximadamente I a 2min.
~ Esse método serve para tratar sín-
~ dromes agudas, como Bi do vento, do frio
~ e da umidade, localizadas nas articulações.
0\

'Se desejar que o calor penetre no cor-


B -
po, após a técnica de "bicada de pássaro",
FIGURA20.11 - (A e B) Aplicação de moxa em
pressionar o acuponto com a polpa do "bicada de pássaro".
dedo da mão esquerda. Essa operação
equivale à tonificação, na Moxabustão.
I F4
"1\ "_v/- ""JI~-\
HPassar Roupa"
(I I
\\ \/ :L Y',)
) I,
\
;~' I :/L':~~/
\ \ ~r', 'I"
\ '

Colocar a extremidade acesa do bastão de '} II~>' ""


,,\. "'--T~ ,-,-'
~t ~__r ,r-'
moxa a uma distância de 2cm da superfí- \(,,1 t-",
1,1 l.J
cie do corpo e realizar um movimento de ,~_/
vai -e- vem na horizontal, sobre o acuponto .... -.
ou sobre o trajeto do meridiano, como se
estivesse passando roupa com ferro elé- FIGURA
20.12 - Aplicação de moxa tipo "pas-
trico (Fig. 20.12). O bastão de moxa deve sar roupa".
I200 - MOXABUSTÃO

ficar paralelo ao plano da pele e a sessão


de moxabustão deve durar de 5 a lOmin.
Uma outra modalidade de Moxabustão
tipo "passar roupa" é o movimento circular
sobre uma área maior a ser tratada, como
nos casos de dermatoses. O movimento cir-
cular, iniciado externamente a um determi-
nado acuponto ou uma área a ser tratada,
descreve círculos que vão diminuindo até
chegar ao centro da área ou acuponto; a se- \D
-.J
00
guir, volta-se à origem e repete-se essa ope- 00
v.
ração algumas vezes, até a área se tomar ~
N
eritematosa. Não há regra que determine se FIGURA20.13 - Bastão de moxa Taiyi.
-'"
~

\D
é preciso girar no sentido horário ou anti- N
./:.
horário.
Esse método em que se descrevem cír- Nien Ying (cravo, gengibre, seco, canela,
culos corresponde à dispersão, na Moxa- pimenta de szechuan, mirra, ginseng e
bustão. Não se deve pressionar a área ou curry), "Raio de Fogo", "Baifa", etc.
os acupontos com os dedos da mão. Esse método foi muito estudado e uti-
lizado pelo Dr. Tian Conghu079, que cita
êxitos nos tratamentos de retenção uriná-
Moxabustão Taiyi ria complicada não resolvida, que é decor-
Esse tipo de bastão de moxa contém mis- rente de obstrução de Qi e de sangue no
tura de plantas medicinais em pó, como aquecedor inferior com medicamentos ou
canela, capim-cheiroso, gengibre seco, com Acupuntura. Ele obteve grande êxito
angélica e outras especiarias que propor- utilizando o bastão Taiyi. No primeiro dia
cionam melhor penetração do calorlS. selecionou os acupontos VC 9 (Shuifen),
Após selecionar o acuponto a ser tra- VC 8 (Shenque),VC 6 (Qihai), E 25 (Tian-
tado, cobri-lo com 5 a 7 camadas de tecido shu), num total de três sessões. À medida
de algodão. Em seguida, acender uma das que a urina gotejava, a paciente sentia
extremidades do bastão de moxa e pres- grande alívio na distensão abdominal. No
sionar a moxa acesa sobre o acuponto por segundo dia, o mesmo método foi aplica-
1 a 2s. Se o fogo apagar, acenda-o nova- do nos acupontos VC 4 (Guanyuan), E 28
mente (Fig. 20.13). Repetir a operação de (Shuidao), VC 8 (Shenque), também num
pressionar o acuponto com a ponta do bas- total de três sessões. No final do segundo
tão acesa sobre o tecido de algodão cerca dia, a paciente já podia urinar, embora com
de 10 vezes. Também se pode cobrir a ex- dificuldade. Após cinco dias consecutivos
tremidade acesa do bastão com sete cama- de tratamento, o distúrbio urinário desa-
das de tecido de algodão e pressionar o acu- pareceu totalmente, encerrando o trata-
ponto. Conforme as plantas medicinais que mento. O Dr. Tian Chonghuo utilizou esse
constituem o bastão de moxa, a moxabus- método com muita freqüência para as sín-
tão recebe um determinado nome, como dromes de difícil tratamento, como Bi de
- 201
MOXABUSTÃO I

vento-frio-umidade, síndrome Wei, dor combustão. Para um calor menos intenso,


abdominal e retenção urinária. fecha-se a tampa.
Esse método permite aquecer, ao mes-
mo tempo, vários acupontos, tratando,
Moxabustão Indireta dessa maneira, uma área bem maior do
em Caixa de Madeira corpo, geralmente nas partes superior
(invasão por energias perversas) e inferior
A caixa é constituída de madeira e tem as das costas (lombalgia), abdome superior
seguintes dimensões: 16cm de compri- (distúrbios digestivos) e baixo-ventre (dis-
mento, 12cm de largura e 9cm de altura túrbios geniturinários). O tempo de trata-
(Fig. 20.14). Pode ser um pouco menor: mento é 10min.
15cm de comprimento, 10cm de largura e A caixa de madeira é muito útil no tra-
9cm de altura. A 3cm de altura, fixa-se tamento do "triângulo de moxa" ouSanjiao-
uma grade metálica com malhas de 2mm. jiu, que engloba o VC 8 (Shenque) e mais
Para realizar a Moxabustão, deve-se dois acupontos extras que ficam abaixo do
colocar 2, 3 ou 4 pedaços de bastão de moxa umbigo, no vértice do triângulo eqüilátero
de 3 a 4cm de comprimento sobre a grade, traçado a partir do umbigo (Fig. 20.15).
na parte da caixa que fica a 3cm de distân- Clinicamente, essa técnica é indicada
cia da pele, para um aquecimento mais rá- para todas as enfermidades causadas por
pido e intenso. Para um aquecimento mais frio e deficiência de Yang.
lento e moderado, basta inverter a posição
da caixa, de maneira que a grade metálica
\ '- / j
fique a 6cm de distância da pele.
Após acender os fragmentos de bas-
\ !
tão de moxa, colocar a caixa sobre a parte
do corpo que se deseja tratar e fechá-Ia
cOql a tampa. Essa tampa serve para regu-
lar a intensidade do calor. Para promover '" \!?'
um calor mais intenso, abre-se a tampa para \"'-...

..;-
que entre mais o ar, o que faz aumentar a
'"
a-,
'f-
..;-

s
N
t'-
.;,
00
00
t'-
a-,
/
~ '.
é 'e

/
L
A
E37
/t=:D/
B
\
\\~

FIGURA20.14 - (A e B) Caixas de madeira para FIGURA20.15 - "Triângu 10 da moxa" ou San-


moxabustão indireta. jiaojiu.
I 202 - MOXABUSTÃO

Moxabustão Indireta ra que a combustão ocorra de baixo para


cima. A borda inferior da moxa deve ficar
sobre o Cabo da Agulha a uma distância de aproximadamente 2 a
Também conhecida como agulha aqueci- 3cm acima da pele, a fim de evitar a quei-
da pela moxa60. Inicialmente, selecionar madura. Uma vez consumida a moxa, es-
o acuponto de acordo com a doença e, perar resfriar a agulha, remover a cinza e
após a inserção da agulha, colocar uma colocar nova "mecha" de moxa no cabo
"mecha" de moxa no cabo da agulha, e da agulha e queimar novamente. Repetir
apertar com os polegares, indicadores e essa operação 3 a 5 vezes e, em seguida,
médios das mãos direita e esquerda para retirar a agulha.
que a moxa fique aderida ao cabo da agu- Esse método é a combinação perfeita
lha (Fig. 20.16). Em seguida, acender o da Acupuntura e Moxabustão, muito útil
fogo pela parte baixa da moxa, de manei- para tratar patologias causadas por frio,
umidade e deficiência de energia.
Na Moxabustão sobre o cabo da agu-
lha é indispensável, quando se aplica a
agulha, obter o Qi (sensação de agulha-
mento), caso contrário, a resposta ao tra-
tamento não será tão eficaz.
Na Moxabustão sobre o cabo da agu-
lha, o calor penetra e segue de maneira
A mais precisa o trajeto do canal de energia,
ao passo que, em outras formas de moxa,
o calor se propaga de forma mais difusa.
Quando se utiliza Moxabustão sobre :s 00

o cabo de agulha, recomenda-se colocar ~


um pedaço de papelão cortado diagonal- ~ .j:>.

mente até a metade ou um pedaço de "pa- 'D ;ç


pellaminado", a fim de evitar queimadu- ';:.
ra, pois podem cair fragmentos de moxa
B em combustão na pele (Fig. 20.17)5. A
agulha utilizada com esse propósito deve
ser mais curta e mais calibrosa (3cm de
comprimento por 0,35 ou 0,40mm de diâ-
metro) .

Moxabustão Indireta
-1-
com Moxa Adesiva
C
FIGURA 20.16 - (A-C) Moxabustão sobre o cabo Esse tipo de moxa é encontrado no co-
da agulha. mércio. O preparado cilíndrico de moxa é
MOXABUSTÃO
- 203 I

Moxabustão Indireta
sem Fumaça e sem Odor
-.,j"
N É um preparado em forma de bastão, a
a,
--.,j"
'?
N
partir do pó resultante das folhas de A.
t- vulgaris, de consistência dura que, no
.;,
00 momento da combustão, libera pouca fu-
00
t-
a, maça e quase nenhum odor. A fumaça li-
berada pela combustão de moxa prepara-
da com A. vulgaris é bem tolerada pela
maioria das pessoas, mas existem algu-
mas pessoas que não a suportam. Por isso,
deve-se utilizar esse tipo de bastão quan-
do o paciente não tolera odor da fumaça
FIGURA20.17 - Pedaço de papelão cortado de moxa preparada comA. vulgaris. A ou-
diagonalmente até o meio para a proteção
da pele.
tra vantagem é que pode ser utilizada em
consultórios fechados, com pouco areja-
mento. Esse tipo de bastão demora para
preso numa base circular que funciona pegar fogo, sendo necessário mergulhar
como adesivo. A base possui um orifício, sua extremidade em álcool e também mui-
por onde o calor de combustão da moxa ta cautela, pois, quando a combustão co-
passa e atinge o acuponto (Fig. 20.18). meça, a temperatura aumenta muito e pode
Esse tipo de moxa também pode ser fixa- causar queimadura.
do no cabo da agulha através do orifício Alguns profissionais consideram que
e, em seguida, queimada. Nesse caso, a o aroma resultante de fumaça de combus-
agulha deve ser mais curta e ter calibre tão de A. vulgaris também faz parte do tra-
maior (3cm de comprimento por 0,35 ou tamento. Assim, quando o paciente gosta
0,40mm de diâmetro). do cheiro da moxa, deve-se utilizá-Ia, mas
se ele não gosta, deve-se evitá-Ia.

Moxa Elétrica

M
~ B

c
Na realidade, não deve ser denominada
moxa porque não usa as folhas de A. vul-
garis. É um aparelho elétrico especial-
mente projetado para aquecer os acupon-

C!!1
A~
tos, simulando a Moxabustão indireta
com bastão de A. vulgaris. Pode ser uti-
lizada em pacientes hipersensíveis que
FIGURA20.18 - (A-C) Moxabustão indireta com não toleram o odor da fumaça do bastão
moxa adesiva. de moxa.
1204 -MOXABU5TÃO

Aplicadores rância do paciente. O ideal é aquecer o


local a ser tratado até a pele ficar ligeira-
mente avennelhada. Existem vários mode-
"Chapéu" para Moxa
los de aplicador de "moxa lã" (Fig. 20.20)
É constituído de uma pequena peça de que são indicados para tratar dores reumá-
metal em um fonnato que lembra um cha- ticas, dor abdominal causada pela inva-
péu (Fig. 20.19), feito para ser colocado são de frio, diarréia, paralisia facial, etc.76
sobre o cabo da agulha inserida no acu-
ponto. Sobre o "chapéu" coloca-se uma
pequena porção de moxa. Corresponde a Aplicador de Bastão de Moxa
uma modalidade de Moxabustão sobre o (Xun Jui Qi)
cabo da agulha. Pode-se queimar de 3 a 5
vezes cada acuponto escolhido. Esse dispositivo é um cilindro com jane-
Essa técnica de Moxabustão foi desen- las e um orifício circular no ápice, no qual
se introduz o bastão de moxa. Existe um
volvida, no Japão, por Kobei Akabane15.
parafuso que regula a distância da extre-
midade da moxa em combustão. Esse apa-
Aplicador de "Moxa Lã" relho é colocado sobre o acuponto. Pode-
se prendê-lo com auxílio de um elástico '"
É um aparelho com peça cilíndrica de me- (Fig. 20.21). ~ 00
v.
tal ou latão, com perfurações na parede e ~
N
./>.
na tampa, em cujo interior coloca-se a
'"
"moxa lã" para ser queimada. O cilindro '"
N
.J:.
é provido de cabo de madeira e sua base,
uma vez aqueci da, é colocada um pouco
acima da pele do local a ser tratado. O tem-
po de pennanência do aplicador varia con-
fonne cada caso e de acordo c.om a tole-
FIGURA20.20 - Aplicador de "moxa lã".

d{,
~ -'-
~

FIGURA 20.19 - "Chapéu" para moxabustão


sobre o cabo da agulha. FIGURA20.21 - Aplicador de bastão de moxa.
MOXABUSTÃO
- 205 I

Esse tipo de aplicador de bastão de


moxa faz com que o calor se concentre
num local sem dispersões15.

Cachimbo para Bastão


deMoxa
É uma peça em forma de cachimbo (Fig.
20.22), que apresenta um orifício para in-
troduzir o bastão de moxa acesa. Segurar FIGURA 20.22 - Cachimbo para bastão de moxa.
o dispositivo pelo cabo e aplicar sobre a
área a ser tratada.

Anéis de Soja ou de
Madeira Ipê para
Moxabustão Indireta
Sobre o anelou disco perfurado, prepara-
do com soja ou madeira (Fig. 20.23), colo-
car o cone de moxa e queimá-Io. Quando o
c~~
calor da moxa atingir a temperatura máxi-
ma tolerável pelo paciente, colocar mais
um anelou disco perfurado, aumentando a
distância entre a moxa e a pele.

Disco para Moxa Bastonete FIGURA 20.23 - Anéis de soja ou de madeira


o disco menor contém um orifício no para moxabustão indireta.

meio (Fig. 20.24), onde se coloca a moxa


bastonete, e o disco maior contém cinco
orifícios.
,.
N
""
"?

~ Molde ou Moldura para


~ Confeccionar Cones de Moxa
r--
""
76

Pode ser confeccionado em metal ou ma-


deira, apresenta escavações cônicas com
um pequeno orifício bem no fundo da ca-
A
~~~)
B

vidade e acompanha um estilete e um so- FIGURA20.24 - (A e 8) Discos para moxa bas-


quete (Fig. 20.25). tonete.
I 206 - MOXABUSTÃO

~ "

FIGURA 20.25 - Moldura para confeccionar cones de moxa.

Existem modelos de molde com uma voca atrofia nas articulações e diminui-
única cavidade cônica e moldes com ca- ção da circulação nos vasos, assim como
vidades de tamanhos diferentes. a Acupuntura excessiva acarreta o esgo-
Modo de preparar: tamento de QP3.

. Colocar uma pequena porção de moxa


lã na cavidade cônica.
. Em pacientes grávidas, utilizar Moxa-

..
bustão indireta com calor moderado,
Pilar com o soquete.
Retirar o cone invertendo o molde e aplica-se calor suave no baixo-ventre
e na parte inferior da coluna vertebral.
empurrar com estilete (Fig. 20.25).
. Durante o período menstrual deve-se
evitar a Moxabustão, porém, nos ca-
Apagador de Bastão de Moxa sos de hipermenorréia, pode-se tratar
o BP 1 (Yznbai) com essa técnica.
Antigamente apagava-se a moxa acesa com
água, mas isso umidificava a extremidade
. Recomenda-se o máximo de cuidado
com as pessoas que tem pele muito fina,
do bastão, dificultando a combustão na
hipoalgesia, dificuldade na cicatrização
próxima sessão. Daí, havia necessidade de
das feridas (diabetes mellitus), arterites
cortar uma boa parte da extremidade mo-
lhada do bastão de moxa com a tesoura, o 'D
.....
que acarretava uma perda de um pedaço '1"
00
u.
considerável do bastão após cada sessão. .:.,
N
~
Para evitar isso, podem ser usados apaga- '"
dores de moxa, feitos de metal e de ma- 'D
N
-I:..
deira (Fig. 20.26).

Precauções A B

A Moxabustão deve ser natural. Quando FIGURA 20.26 - (A e B) Apagadores de bastão


excessiva, produz "fogo nocivo", que pro- de moxa.
- 207
MOXABUSTÃO I

em membros inferiores, erisipelas, úl- Contra-indicações


ceras varicosas, varizes, etc.
. Não se deve realizar Moxabustão logo Algumas afecções, embora haja contra-in-
após as refeições e nem quando o pa- dicações do uso de calor, respondem à Mo-
..;- ciente está há muitas horas em jejum xabustão, como o "dedo em gatilho",
N
a- e sente fraqueza e mal-estar. quando se aplica moxa adesiva nos acu-
"?
..;-
N
r--
. Evitar Moxabustão em alguns acu- pontos CS 7 (Daling) e CS 8 (Laogong).
.;,
00
pontos próximos aos órgãos dos senti- Em geral, a Moxabustão é contra-in-
00
r-- dos ou próximos aos vasos sangüíneos dicada em:
a-
importantes, por exemplo, B 1 (Jing-
ming), E 1 (Chengqi) que está próximo . Pacientes com febre alta.
ao globo ocular e E 9 (Renying) que . Pacientes com síndrome de excesso de
está próximo à veia jugular e à artéria calor.
carótida comum. Alguns textos citam
estes e outros acupontos como proibi-
. Pacientes com síndrome de deficiên-
cia de Yin e exacerbação relativa de
dos para Moxabustão.
. Recomenda-se o máximo de cuidado
.
Yang.
Rosto e mama (Moxabustão direta
para não realizar estímulos excessivos com cicatriz). Pode-se realizar Moxa-
em pacientes inconscientes. Nesses bustão indireta, mas com muito cui-
casos, deve-se realizar moxabustão
dado para não causar queimadura.
colocando-se o dedo indicador da mão
esquerda do operador ao lado do acu-
. Hipertensão arterial: essa contra-indi-
cação não é relativa, pois alguns acu-
ponto a ser tratado, a fim de regular a
intensidade do calor. pontos, como E 36 (Zusanli) e E 40
(Fenglong), podem ser tratados com
Moxabustão, que possui um efeito re-
gulador tanto para hipotensão como
Indicações para hipertensão. É aconselhável que
seja aferida com mais regularidade a
A Moxabustão possui muitas indicações:
pressão arterial dos pacientes hiper-
. Deficiência de energia (Qi).
.
tensos submetidos à Moxabustão.
. Doenças por frio e umidade. Pacientes diabéticos com pele sensível:
. Prevenção de doenças. nesses casos, a contra-indicação maior
. Prevenção contra recaídas de doenças é a Moxabustão direta. A Moxabustão
indireta com bastão de moxa pode ser
tratadas.
. Tratamento de má posição fetal. utilizada, desde que seja realizada com
.. Doenças do sistema respiratório.
Paralisia facial.
muito cuidado. Em casos de queima-
dura, tratar imediatamente com creme
.. Lombalgias.
Tratamento de cansaço físico.
cicatrizante associado a antibiótico,
colocando-se uma gaze estéril por
. Tratamento de patologias crônicas. cima, para proteção.
1208 -MOXABU5TÃO

Nota: pacientes com leucopenia por


aplasia medular parecem responder ne-
gativamente à Moxabustão, com queda
da taxa de leucócitos, tanto granulóci-
tos como agranulócitos. É preciso ter
cautela nesses casos e devem ser feitas
pesquisas para esclarecer o fato.

Aperfeiçoamento do
Método da Moxabustão79
Na experiência clínica de Dr. Li Zhiming,
segundo Youbang & Liangyue79, está ci-
'D
tada a vantagem da Moxabustão ao tratar --1
'('
00
doenças. Se a Acupuntura falhar no trata- V>
~
t0
mento, a Moxabustão pode ser usada no FIGURA20.27 - Óculos com casca de noz. t
seu lugar. A Moxabustão pode não só su- '"
'D
t0
plementar a inadequação da Acupuntura, .).

como possui sua própria ação terapêuti-


ca. Melhor seria o efeito da combinação
de Moxabustão com Acupuntura.
O Dr. Li Zhiming escolheu os melho-
res dos antigos e modernos métodos de
Moxabustão e aplicou-os na clínica. É o
criador de Moxabustão com óculos com
casca de noz para tratar doenças oftálmi-
cas (Fig. 20.27) e desenvolveu um méto-
do bastante simples de Moxabustão para
tratar paralisia facial, introduzindo um pe-
daço de tubo de junco no meato auditivo
externo (Fig. 20.28). Também é o criador
de Moxabustão nos acupontos da orelha.
Adiante, são apresentados alguns méto- FIGURA20.28 - Moxabustão com tubo de junco.
dos desenvolvidos pelo Dr. Li Zhiming.

Moxabustão com Óculos medial para prender o bastão de moxa.


Feitos com Casca de Noz Para realizar a Moxabustão, colocar uma
casca de noz, previamente imersa no chá
Uma armação de óculos é feita de arame de crisântemo por 3 a Smin, na armação
ou de ferro, provida de um gancho no lado dos óculos; prender um pedaço de bastão
MOXABUSTÃO
- 209 I

FIGURA20.29 - (A) Óculos feitos com casca de noz; (8) gancho de metal com bastão de moxa.

de moxa de 1,5cm no gancho de ferro (Fig. um curso de tratamento. Dr. Li Zhiming


20.29) e fixá-Io na armação. Em seguida, relata que, em 74 casos de paralisia facial
acender a extremidade externa do bastão tratados, o índice curativo foi de 56,76%
e aplicar Moxabustão de 1 a 3 vezes no e o índice efetivo, de 98,65%79.
olho afetado. A prática clínica comprovou
que esse método é eficaz para o trata-
Moxabustão Auricular
mento de atrofia ótica, ceratite, conjunti-
vite, miopia e terço!. A orelha está intimamente relacionada aos
meridianos e órgãos Zang-fu. A Moxabus-
tão pode aquecer e drenar os meridianos,
Moxabustão com Tubo ativar o Qi e a circulação do sangue, ali-
de Junco viar a dor e regular a função dos órgãos
.;-
Zang-fu, segundo Dr. Li Zhiming79. A di-
~ Esse método serve para tratar paralisia ferenciação de síndromes também pode
~ facia!. Providenciar um tubo com dois ser utilizada na escolha de acupontos para
:A segmentos consecutivos de galho de junco.
00 Moxabustão auricular com fumigação de
r:
a-, Um oos segmentos deve ter 4cm de com- bastão de moxa, Moxabustão com caule
primento e abertura com 0,8 a lcm de diâ- de junco aceso ou Moxabustão com tubo de
metro; o tubo deve ser cortado em forma junco. Pode-se utilizar também incenso,
de bico de pato. O outro segmento deve aproximando a sua extremidade acesa ao
ter 3cm de comprimento e 0,6 a 0,8cm de ponto auricular, sem encostar na pele.
diâmetro. Esse segmento deve ser intro- Nogier & Boucinhas52 utilizam agulha
duzido no meato auditivo externo (Fig. quente no ponto da ciática e obtêm resul-
20.28), podendo-se ajustar seu diâmetro tados espetaculares (Fig. 20.30).
com fita adesiva. Colocar o cone de moxa A Moxabustão auricular oferece me-
seca, aproximadamente do tamanho de um lhor efeito terapêutico ao tratar afta, ca-
grão de amendoim, dentro do segmento xumba, condrite auricular, dor nos olhos,
em bico de pato e queimar de 3 a 9 cones herpes-zoster, paralisia facial, síndromes
em cada sessão. Dez sessões constituem Bi dolorosas, segundo Li Zhiming79.
I 210 - MOXABUSTÃO

combinação com outros acupontos im-


portantes, como VC 12 (Zhongwan) e
BP 6 (Sanyinjiao), reforçando, com isso,
o Aquecedor Superior. Se combinado com
VC 4 (Guanyuan) e VB 39 (Xuanzhong
ou Juegu), tonifica a constituição herda-
da e adquirida, bem como regula Yin e
Yang e prolonga a vida.
A Moxabustão por muito tempo no
E 36 (Zusanli) controla a pressão arterial,
segundo Dr. Li Zhiming, o que também é
confirmado pelo Dr. Chen Dazhong79.
O Dr. Chen Dazhong, citado por
Youbang & Liangyue79, descreve a téc-
nica de tonificação e sedação pela Moxa-
FIGURA 20.30 - Acuponto da ciática, de Nogier. bustão. Segundo ele, a doença é analisa-
da como síndromes por frio, por calor,
deficiente e excessiva e, no tratamento, ~ 00
podem-se usar as técnicas de tonificação, ~
Moxabustão no E 36 (Zusanli)
sedação, aquecimento e resfriamento e, ~
para Manter a Forma em geral, o agulhamento é considerado a ~
e Prolongar a Vida técnica de sedação e a Moxabustão, a de ~
tonificação. Contudo, estes não são con-
o termo zu significa perna, san significa
ceitos totalmente verdadeiros. Por exem-
três e li, alcançar um percurso equiva-
lente a 3,9km, ou seja, aproximadamente plo, foi descrito, no Ling Shu, que somen-
4km. A Moxabustão no acuponto E 36 te a Moxabustão pode tratar a estagnação
(Zusanli) é capaz de aumentar a força da de sangue, removendo-a. Foi menciona-
perna para caminhar 12km a mais. do, no Su Wen, que a Moxabustão foi uti-
O Dr. Li Zhiming79 valorizava o acu- lizada para tratar pacientes que viviam
ponto E 36 (Zusanli). Ele considerava a nas áreas nórdicas onde predominava o
Moxabustão no E 36 (Zusanli) para pro- vento- frio. Assim, as descrições, nos
mover a longevidade e afirmava que o clássicos indicam que a Moxabustão dis-
E 36 (Zusanli) era o acuponto Ho-Mar do persa o frio e faz circular o sangue, fun-
Meridiano do Estômago, relacionado à ções que pertencem às técnicas de seda-
Terra. O Baço e o Estômago são respon- ção. O Dr. Chen ainda cita como exemplo
sáveis pela transformação e pelo trans- a hipertensão arterial tratável pelo méto-
porte de energia adquirida dos alimentos. do de sedação com Moxabustão. Teori-
A aplicação freqüente de Moxabustão no camente, em Medicina Tradicional Chi-
E 36 (Zusanli) pode prevenir doenças nesa, a hipertensão arterial é analisada
epidêmicas e prolongar a vida. Deve-se como ascensão do Yang do Fígado, hiper-
aplicar Moxabustão nesse acuponto em atividade do Fogo do Coração e do Fígado
MOXABUSTÃO
- 211 I

e deve ser tratada com intuito de reduzir o A Moxabustão é bastante eficaz para
Yang, diminuir o Fogo, etc. evitar essas complicações e diminui o nú-
Na técnica de sedação pela Moxa- mero de erupções papulopustulosas de
bustão, faz-se a queimação rápida de sete acne vulgar.
cones de moxa pura lã do tamanho de um Não confundir acne vulgar com erup-
grão de trigo, em cada acuponto. Os acu- ções acneiformes, pois nestas a etiologia
pontos utilizados são VG 20 (Baihui), E 36 é diversa. Nos casos complicados deve-se
-T
~ (Zusanli) e VB 39 (Xuanzhong). procurar a orientação de um dermatolo-
'-O
; Explicação - O VG 20 (Baihui) é o gista.
r:; acuponto de reunião de todos os canais Acuponto principal - Aquecer as
Ir,
erupções papulopustulosas maiores com
t- Yang e a Moxabustão com queimação rá-
J;
bastão de A. vulgaris a uma certa distân-
0\ pida (sedação) acalma a mente. O E 36
cia da face ou realizar Moxabustão indi-
(Zusanli), acuponto Ho-Mar do canal de
reta, colocando uma fatia fina de alho
energia Yangming do pé (canal de energia
sobre a erupção da acne vulgar. Quando
principal do Estômago), é capaz de regu-
o paciente começar a sentir um forte
lar a pressão sangüínea. O VB 39 (Xuan-
calor, remover a película de alho com
zhong) acalma a mente, se a Moxabustão
auxílio de uma pinça. Repetir essa ope-
for feita por técnica de sedação. A combi-
ração 2 a 3 vezes, sem provocar queima-
nação desses três acupontos equilibra o Yzn dura.
e o Yang e, assim, regula a pressão arterial.
Acupontos complementares - 9P
(Taiyuan), IG 4 (Hegu) e F 3 (Taichong).
Número de sessões - 10 sessões em
Tratamentos com Bastão dias alternados. Se houver necessidade,
de Moxa pode-se realizar mais 5 a 10 sessões.
Explicação - Na Medicina Tradicio-
Acne Vulgar nal Chinesa, a pele é controlada pelo Pul-
mão. Por isso, indica-se a Moxabustão
É a enfermidade cutânea mais comum na
para tratar o P 9 (Taiyuan). O IG 4 (Hegu)
adolescência, atingindo quase todos os é o acuponto fonte do canal de energia
indivíduos no período de puberdade e pro- do Intestino Grosso que mantém a rela-
longando-se por tempo variável. Na maio-
/ ção exterior e interior com o Pulmão ou
ria dos adolescentes as lesões são míni- correspondência Zang-fu. O comprome-
mas e perfeitamente toleráveis. Entretanto, timento da energia do Fígado também
em outros, suas manifestações são cons- pode produzir acne vulgar, por isso se re-
pícuas e eventualmente intensas, causan- comenda o F 3 (Taichong).
do transtornos e problemas psíquicos e so- O alho contém alicina, um antibióti-
ciais que afetam a vida do adolescente. co natural que ajuda a combater a infec-
Nesses casos, se não houver tratamento, ção do folículo pilosebáce056.
há formação de cistos e abscessos na face O alho, apesar de ser quente, puxa o
e outras regiões do corpo, deixando cica- calor para fora, ajudando a combater a
trizes inestéticas e indeléveis59. acne.
I 212 - MOXABUSTÃO

Afonia Afia -o
-J
00
00
Mais conhecida como rouquidão após a Também conhecida como estomatite aftói- :c
sobrecarga das pregas vocais, provoca de, são ulceraçõesda mucosa oral cuja etio- t
edemas inflamatórios. Essa afecção é be- logia ainda não foi determinada. As ul- §
nigna e sua recuperação é acelerada com cerações são dolorosas e incômodas e o .J:,.

o uso da Moxabustão. Caso não haja re- tratamento local, com medicamentos, pro-
cuperação, deve-se procurar um otorrino- move alívio inconstante56. Como a Moxa-
laringologista, para se realizar um exame bustão é eficaz no alívio da dor e acelera a
mais minucioso com videolaringoscopia. cicatrização das ulcerações, convém asso-
Acupontos principais - P 6 (Kongzui), ciá-Ia ao tratamento medicamentoso.
VC 22 (Tiantu) e zona da voz (Fig. 20.31). Acupontos principais - ID 5 (Yang-
Número de sessões - 1 sessão por dia, gu) e R 3 (Taixi).
até o retomo da voz. Acupontos complementares - TA 20
Cuidados necessários - Nos casos de (Jiasun) e IG 1 (Shangyang).
hipertireoidismo e hipertensão arterial, Número de sessões - 1 sessão por dia,
evitar o uso repetido de Moxabustão na durante o período da erupção das aftas.
zona da voz (pescoço )56. Explicação - O ID 5 (Yanggu) é o
Explicação - O P 6 (Kongzui), tem acuponto que corresponde ao movimento
influência na garganta, acelerando a re- Fogo. O interessante é que a Moxabustão
cuperação da voz; o VC 22 (Tiantu) alivia realizada nesse acuponto remove o calor
e a umidade*. Segundo Zhong Yueqi, cita-
a dor de garganta e elimina a rouquidão.
A zona da voz é a área relacionada com do por Youbang & Liangyue79, a Moxa-
as pregas vocais. bustão sempre age quando a Acupuntura
não apresenta resultados. Pode ser apli-
cada para tonificar Qi e sangue quando
estes estão deficientes e remover as obs-
truções dos canais de energia que estão
bloqueados.
O R 3 (Taixi) tonifica o Yin do Rim e,
conseqüentemente, surge o equilíbrio en-
tre o Yin e o Yang do Rim, aliviando os
sintomas de umidade-calor. O acuponto

\U/ ~
I
1

/ //
TA 20 (Jiasun) é o local de reunião dos
canais de energia do Triplo Aquecedor,
Vesícula Biliar e Intestino Delgado e apre-
I
senta indicações nas afecções da maxila78.
O IG 1 (Shangyang) dispersa o calor e tem
influência sobre a boca; deve-se tratar o
FIGURA20.31 - Zona da voz. lado oposto.

* De acordo com a lei de transmutação entre Yin e Yang, quando o calor atinge o máximo, inicia-se o friol2.
MOXABUSTÃO
- 213 I

Anemia tar uma situação que julga difícil, como,


por exemplo, exames e concursos diver-
Éa diminuição do número de glóbulos sos. Nessas situações, a Moxabustão em
vermelhos ou da taxa de hemoglobina. alguns acupontos, realizada preventiva-
Seus sintomas são fraqueza ao menor es- mente, ajuda a relaxar, acalmar a mente e
forço, cansaço e palidez das conjuntivas e diminuir a ansiedade.
mucosas, etc.
Acuponto principal- CS 7 (Daling).
A causa da anemia deve ser inves-
Acupontos complementares - CS 6
tigada, sobretudo se for grave, pois ela pode (Neiguan) e C 7 (Shenmen).
esconder uma doença grave. Uma vez de-
Número de sessões - 3 sessões por
terminado que a anemia é simplesmente dia, com 3 a 5 dias de antecedência.
causada por deficiência de ferro, vitamina Explicação - Na Medicina Tradicio-
B12ou ácido fólico, após a prescrição mé- nal Chinesa, a ansiedade se deve ao ex-
dica desses medicamentos, a Moxabus-
cesso de energia acumulada nos canais Cir-
tão pode auxiliar muito na recuperação e
culação-Sexo e Coração. Isso justifica a
os resultados são surpreendentes.
Moxabustão nos acupontos dos canais Cir-
Acuponto principal - B 43 (Gao-
culação-Sexo e Coração relacionados. Po-
huang).
rém, existem outras etiologias diferentes e
Acuponto complementar - E 36 (Zu-
outros canais afetados que tornam neces-
sanli).
sário um diagnóstico com base nos prin-
Número de sessões - 1 sessão por dia,
cípios da Medicina Tradicional Chinesa56.
durante 15 dias. Descansar 7 dias e, se
Se a ansiedade é mais profunda e mais
necessário, repetir o tratamento por mais
7 dias. grave, permanente, indica desequilíbrio da
Explicação - Na Medicina Tradicio- personalidade e, nesse caso, é preciso re-
nal Chinesa, a anemia se deve ao vazio do correr a um especialista56: um psiquiatra.
'<t sangue, sendo seus sinais e sintomas com- Mas, nesses casos, ainda se pode ten-
tar Moxabustão nos seguintes acupon-
~ pará~eis aos efeitos causados pelo frio,
~ como sensibilidade ao frio e palidez das tos35: VC 12 (Zhongwan), VC 4 (Guan-
J; mucosas. Por isso o calor da Moxabustão
00
yuan), VG 20 (Baihui), VG 19 (Houding),
~ no acuponto B 43 (Gaohuang) estimula a VG 21 (Qianding), VG 12 (Shenzhu),
'" medula óssea vermelha a produzir mais VG 15 (Yamen), B 15 (Xinshu), B 18
glóbulos vermelhos. O acuponto E 36 (Ganshu), B 19 (Danshu), B 23 (Shenshu),
(Zusanli) estimula o apetite e melhora a VG 4 (Mingmen), VB 21 (Jianjing), IG 11
digestão e a absorção de alimentos, bem (Quchi) e IG 4 (Hegu).
como elimina o cansaço.

Asma
Ansiedade
É uma enfermidade do sistema respirató-
As emoções variam de pessoa para pes- rio, com obstrução das vias aéreas, de ca-
soa. Algumas delas sofrem ou apresentam ráter reversível, acompanhada de disp-
inquietude ou nervosismo antes de enfren- néia, expiração prolongada, sibilos, tosse
I214 - MOXABUSTÃO
e expectoração de muco. O tratamento A Moxabustão com cicatriz, realiza-
pela Acupuntura é complexo, assim como da nos períodos sem crises agudas, sobre-
pela Medicina Ocidental, porque existem tudo no verão, promove excelentes resul-
numerosas causas ou fatores desenca- tados 76.A asma, embora considerada uma
deantes desta hiper-reatividade da mu- doença mais de inverno, se tratada no ve-
cosa respiratória, que podem ser extrín- rão, permite que o calor da Moxabustão
secos ou intrínsecos. penetre mais, além disso, como o trata-
Existem quatro acupontos em que se mento é feito antes de chegar o inverno,
pode realizar Moxabustão para acalmar a ele tem caráter preventivo. Há um ditado
crise e ajudar aos pacientes a respirar muito interessante na China que diz: "doen-
melhor56. ças do inverno devem ser tratadas preven-
Acupontos principais - E 40 (Feng- tivamente no verão"17.
long) e B 13 (Feishu). Os principais acupontos utilizados
Acupontos complementares - B 43 para esse tipo de Moxabustão são VG 14
(Gaohuang) e P 1 (Zhongfu). (Dazhui), B 13 (Feishu), Dingchuan (Ex-
Número de sessões - 1 sessão de 2 tra), B 43 (Gaohuang), VC 22 (Tiantu) e
em 2 dias, durante 15 dias. Em casos de VC 17 (Shanzhong).
crises agudas pode-se realizar Moxabus- Os acupontos complementares indi-
tão diariamente. cados são B 11 (Dazhu), B 12 (Fengmen),
Explicação - A maioria das enfermi- B 15 (Xinshu), B 17 (Geshu), B 23 (Shen- :s00
dades crônicas do Pulmão correspondem, shu), VG 10 (Lingtai), VC 6 (Qihai) e E 36 t:
na Medicina Tradicional Chinesa, a um (Zusanli). ~
"'"
vazio do que é preciso ser estimulado com Em cada sessão, que pode ser feita dia- 6:
'D
o calor da Moxabustã056. Por isso os acu- riamente ou em dias alternados ou, ainda, ~
pontos B 13 (Feishu) e P 1 (Zhongfu) são 1 sessão a cada 10 dias, escolhe-se de 1 a 5
escolhidos para o tratamento. E 40 (Feng- acupontos entre os principais e comple-
long) elimina a mucosidade acumulada no mentares e realiza-se Moxabustão com ci-
Pulmão. B 43 (Gaohuang) estimula a me- catriz, usando-se de 3 a 9 cones do tama-
dula óssea vermelha a produzir hemácias. nho de um grão de trigo. O tamanho e a
quantidade dos cones, o tempo de tratamen-
Nota: alguns pacientes portadores de to e os acupontos a serem queimados não
asma não suportam o odor da fuma- só variam de autor para autor como também
ça de cigarro e também da fumaça re- em função da complexidade da enfermida-
sultante da combustão de moxa pre- de já referida. Atualmente, o método prefe-
parada com A. vulgaris. Nesses casos rido pelos médicos chineses é a Moxabus-
deve-se procurar arejar bem o am- tão sem cicatriz, a qual é a mais aceita pelos
biente com ventiladores e evitar a pacientes.
aplicação de Moxabustão no quarto KikuchP5, em seu livro sobre Moxa-
de dormir, pode-se utilizar bastão de bustão, indica os seguintes acupontos para
moxa sem fumaça e sem odor ou, em tratamento da asma: VC 22 (Tiantu), VC 12
último caso, aquecedor elétrico que (Zhongwan), VC 4 (Guanyuan), VG 14
simula a Moxabustão (moxa elétrica). (Dazhui), VG 12 (Shenzhu), B 13 (Feishu),
MOXABUSTÃO
- 215 I

E 36 (Zusanli) e o ponto especial para tra- de retorno fica bastante prejudicada, favo-
tar Asma. recendo o enfraquecimento da parede das
veias que promovem a formação de vari-
zes. Sintomas como sensação de pernas pe-
Cãibra sadas aumentam durante a menstruação.
A Moxabustão é bastante eficaz nes-
As cãibras são contraturas musculares for-
ses casos, devendo ser realizada paralela-
tes, dolorosas, de um ou um grupo de mús-
mente aos exercícios físicos.
culos estriados, esqueléticos, e podem afe-
Acupontos principais - BP 6 (Sanyin-
tar qualquer músculo, mais freqüentemente
jiao), VB 37 (Guangming) e E 32 (Futu).
os da panturrilha (músculos gêmeos). A ori-
Número de sessões - 1 sessão por dia,
gem da cãibra é diversa, podendo ser cir-
durante 10 dias. Após 7 dias de descanso,
culatória, metabólica, neurológica, medi-
camentosa e, muitas vezes, desconhecida, recomeçar, caso seja necessário.
daí a denominação cãibras idiopáticas56. Explicação - Na Medicina Tradicio-
Deve-se restringir o uso exagerado de café nal Chinesa, o cansaço nas pernas decorre
para diminuir as cãibras. principalmente da deficiência de Qi do
Acupontos principais - B 64 (Jing- Baço. O BP 6 (Sanyinjiao) foi escolhido
gu), Neihuaijian (Extra), que se localiza porque, além de tratar o Baço, trata os Rins
na parte mais saliente do maléolo interno. e o Fígado. Também foram selecionados o
Acupontos complementares - B 57 VB 37 (Guangming) e o acuponto do canal
;!; (Chengshan).
de energia da Vesícula Biliar, que serve para
eliminar o calor e a umidade, além de E 32
~ Número de sessões - 1 a 2 sessões
~ por dia até completar 10 sessões. Após 7 (Futu), o acuponto que transforma a umi-
~
00
dias de desncanso, recomeçar as sessões, dade 78,eliminando a sensação de peso nas
b; caso seja necessário. pernas.
Explicação - O canal principal da Be-
xiga é responsável por enviar a energia às
Cólica Intestinal
pernas. Por isso os acupontos B 64 (Jing-
gu) e B 57 (Chengshan) são indicados. Da É uma dor aguda no abdome que precede
mesma forma, o Neihuaijian (Extra), pelo a eliminação de fezes. Suas causas podem
fato de ser encontrado na proeminência ser infecções intestinais, penetração de
do maléolo interno, é indicado para tratar frio no abdome, colites de origem alimen-
cãibra. tar ou nervosa56. Mas, se a cólica não ce-
der ou se houver recidivas, deve-se enca-
minhar o paciente ao gastroenterologista.
Cansaço nas Pernas
Acuponto principal- BP 4 (Gongsun).
É uma sensação subjetiva de pernas pesadas Número de sessões - 1 sessão no mo-
(lassidão) em conseqüência de uma vida mento da crise. Depois, 1 sessão por dia,
sedentária, com estresse e pouca atividade durante 2 a 3 dias.
física, na qual se permanece muitas horas Explicação - As preocupações do dia
sentado ou de pé. A circulação sangüínea a dia sobrecarregam e perturbam a circula-
I 216 - MOXABUSTÃO

ção de energia no canal principal do Baço, diferencia da coriza aguda por apresentar
cuja alteração se manifesta sob a forma pruridos nos olhos, nariz e ouvido. O tra-
de má digestão. Por isso o BP 4 (Gongsun) tamento para rinite alérgica com Moxa-
tem boa indicação para tratar cólica in- bustão é o mesmo apresentado anterior-
testinal. mente para resolver coriza aguda.

Coriza Aguda Depressão


É o resfriado comum com acessos de es- É impossível emitir conceitos sobre depres-
pirros seguidos de abundante secreção são nervosa pelo fato de esta ser uma
nasal serosa ou seromucosa (rinorréia), doença bastante complexa e, em se tra-
ligeira dor de cabeça, com calafrios, mas tando de uma depressão profunda que ten-
sem febre. A coriza aguda é causada por de a prolongar, há necessidade de procurar
uma infecção das vias aéreas superiores o auxílio da Psiquiatria. Alterações emo-
por vírus que prevalecem nas mudanças cionais comuns, como irritabilidade, medo
climáticas ou no frio do outono e do in- e preocupações excessivas do dia a dia,
verno. acompanhadas por estresse e insônia, que
Sendo assim, o calor da Moxabustão evoluem para desmotivação pelo trabalho
é muito indicado para o tratamento da co- e pela vida, são consideradas depressão.
riza, a fim de dispersar o frio que pene- Outros fatores, como o hipertireoidismo e
trou no corpo. a menopausa, também provocam altera-
Acupontos principais - IG 4 (Hegu) ções emocionais e comportamentais que
e IG 20 (Yingxiang). podem ser confundidas com o quadro clás-
Acupontos complementares - VG 20 sico de depressão. Todos esses casos, além
(Baihui). de serem tratados pela alopatia, podem ser ::s
Número de sessões - 2 sessões por beneficiados com a Moxabustão. :k
v.
dia, durante 2 a 3 dias, para deter a secre- Acupontos principais - VG 20 (Bai- ~~
ção nasal e o começo da gripe. hui), E 36 (Zusanli), C 7 (Shenmen). 6:
'D
Explicação-OIG 4 (Hegu)temindi- Acupontos complementares - B 15 t;-'
~
cação para o tratamento de resfriado co- (Xinshu), VC 14 (Juque).
mum, pois dispersa o vento-frio. O IG 20 Número de sessões - 1 sessão por
(Yingxiang) também dispersa o vento-frio dia ou de 2 em 2 dias; 10 sessões formam
e remove a estagnação de Qi do nariz 78, um ciclo de tratamento. Após 7 dias de
por isso serve para tratar, entre outras pa- descanso, recomeçar o tratamento.
tologias do nariz, a coriza. Explicação - VG 20 (Baihui) serve
A abundante secreção nasal serosa para acalmar as emoções e para clarear a
(rinorréia) também é observada em rinite mente78. E 36 (Zusanli) serve para tonifi-
alérgica (febre do feno) que pode ser tra- car o Yang do corpo, evitando a depressão.
tada com Moxabustão, pois decorre da C 7 (Shenmen), B 15 (Xinshu) e VC 14
invasão das vias aéreas superiores por ven- (Juque) acalmam e fortalecem a mente.
to-frio e umidade. Além desta há outras Como, na Medicina Tradicional Chinesa,
etiologias complexas. A rinite alérgica se o coração rege a mente e a sensibilidade
MOXABUSTÁO-217I

do indivídu049, os acupontos Shu eM o do Acupontos complementares VB 34 -


Coração estão indicados para tratar a de- (Yanglingquan), E 36 (Zusanli) e ponto es-
pressão. pecial para tratar diarréia aguda, segundo
Kikuchi35 (Fig. 20.32).
Número de sessões - De 2 a 4 ses-
Diarréia sões por dia, nos casos de diarréia aguda;
uma sessão de 2 em 2 dias, nos casos de
É o aumento da freqüência de evacuações diarréia crônica.
com diminuição da consistência fecal. As
Explicação - Na Medicina Tradicio-
causas das diarréias são diversas são desde
nal Chinesa a diarréia aguda pode ser cau-
infecções e toxinas bacterianas, entero-
sada por invasão de umidade-frio ou umi-
viroses, protozoários (amebíases e giar-
dade-calor. A diarréia crônica pode ser
díases), crises agudas de certas enteroco-
causada por deficiência do Yang do Baço e
lopatias (colites ulcerativas, doença de deficiência de Yang dos Rins. A Moxabus-
Crohn, diverticuloses), medicamentos as
tão no VC 8 (Shenque) harmoniza os In-
"T (antibióticos, digitálicos, sais de magné- testinos, dispersa a umidade-frio e tonifica
~ sio,colchicina,laxativos)e funcionais (psi- o Yang dos Rins 78e fortalece o Qi do Baço.
:;
'" cossomáticas), alimentares à intoxicação Na diarréia por invasão de umidade-calor,
J; endógena, como uremia.
00
é preferível Acupuntura do que a Moxa-
~
o-, Conforme relatado por Requena56, no bustão. O VB 34 (Yanglingquan) é o ponto
início do século XX, um diplomata fran- de movimento Terra, juntamente com o
cês, renomado em Beijin, República Po- E 36 (Zusanli), que controla a diarréia.
pular da China, chamado Georges Soulié
de Morant, viu como se curavam os indi-

~
víduos afetados pela epidemia de cólera \
grave: simplesmente por meio da caute-
rização do ponto situado no umbigo, o
VC 8 (Shenque). Soulié de Morant impres-
f
/. .
sionou-se muito com o método e estudou
profundamente aAcupuntura, traduziu inú-
meros textos valiosos sobre a Medicina ~/
Tradicional Chinesa e ficou famoso por di- /
I
vulgar a Acupuntura no Ocidente.
Por esse fato destacado, vê-se a eficá- I
cia da Moxabustão nas diarréias diversas,
inclusive nas graves.
Mesmo assim, depois de tratar uma
diarréia com Moxabustão, convém bus-
car um diagnóstico para realizar um tra-
tamento específico, pois a diarréia pode
ser causada até por câncer do intestino. FIGURA 20.32 - Acuponto especial para tratar
Acuponto principal- VC 8 (Shenque). diarréia aguda.
1218 -MOXABUSTÃO

Dismenorréia
É caracterizada por menstruação doloro-
'D
sa, irregular, que pode ser acompanhada J
00
00
de perturbação emocional, como ansie- - Zigong V>
~
N
dade, crises de angústia e choros, fadiga, VC 3 -a.,
.j>.

irritabilidade, mal humor, etc. Se a dor no (ZhongN 'D


N
baixo-ventre for muito forte, a mulher .;.
pode ter acessos de vômitos e cefaléia.
É necessário sempre identificar o
agente etiológico com a ajuda da Gineco-
logia, pois pode ser de causa orgânica FIGURA20.33 - Acuponto Zigong (Extra) locali-
zado a 3cun lateralmente ao VC 3 (Zhongji).
(adenomiose, endometriose, mioma ute-
rino, etc.) e funcional. Uma vez afastada
todas as causas orgânicas ou fatores me-
cânicos de ordem obstrutiva e alterações Dor nas Articulações
endócrinas, o problema passa a ser enca- dos Dedos das Mãos
rado em termos funcionais (contratilida-
de miometrial). Sendo assim, a Moxabus- É uma artralgia nos dedos das mãos que
tão apresenta muita eficácia não só para pode estar associada à artrite reumatóide,
aliviar a dor como também para diminuir artrose nos dedos das mãos, etc. Se a dor
a tensão nervosa. nos dedos da mão vier acompanhada de
Acuponto principal- Zigong (Extra) sensação de adormecimento e parestesia,
(Fig. 20.33). há que se preocupar com dores de origem
Acupontos complementares - VC 2 cervical ou pela compressão do nervo me-
(Qugu) e VC 4 (Guanyuan). diano da mão. De qualquer forma, há ne-
Número de sessões - 7 a 10 sessões. cessidade de um diagnóstico por exames
Iniciar com moxabustão leve ou modera- específicos de sangue, pois artralgias dos
da com bastão de moxa, do 182 dia após a dedos das mãos com deformação das
última menstruação até aparecer a mens- falanges de formas evolutivas, formando
truação seguinte. O tratamento tem cará- "nódulos de Eberden" pode ser artrite reu-
ter preventivo, mas poderá ser realizado matóide que requer um tratamento mais
também no dia em que a dismenorréia se específico.
manifesta. A duração da Moxabustão, em Em casos de artralgias comuns dos
cada ponto, deve ser de 3 a 5min. dedos das mãos por processos de artrose
Explicação - Na Medicina Tradicional senil, a Moxabustão dá excelentes resul-
Chinesa, a dismenorréia pode ser causada tados aliviando as dores.
por coagulação de sangue afetando os ca- Acuponto principal - TA 5 (Wai-
nais do Fígado ou por penetração do frio guan).
afetando os canais dos Rins. A Moxabus- Acupontos complementares - Baxie
tão nos pontos citados tonifica o sangue e (Extra) (Fig. 20.34) e Ashi (pontos locais
elimina o frio acumulado nos canais de doloridos).
Fígado e Rins.
- 2191
MOXABUSTÃO

articular e no tecido subcutâneo. Na gota,


outras articulações podem ser afetadas,
como tornozelo, cotovelo, joelho, etc. Exis-
te também a pseudogota com deposição
de cristais de pirofosfato de cálcio nas ar-
ticulações, também chamada de condro-
calcinose articular.
A aplicação de Moxabustão é contra-
indicada para gota56, mas autores como
Mori47 recomenda a sua utilização.
Nos casos de Halux valgus, a Moxa-
"'i" bustão é bastante eficaz para aliviar as
N
0\
"?
dores.
:;
N Acupontos principais - BP 2 (Dadu)
r-;-
>n
"?
e BP 3 (Taibai).
00
r--
0\
Número de sessões - 1 sessão por dia,
todos os dias até o alívio completo da dor.
Explicação - BP 2 (Dadu) e BP 3
FIGURA20.34 - Acupontos Baxie (Extras).
(Taibai), além de serem adjacentes, são
acupontos Yong/Yu, que melhoram a cir-
culação de energia no canal do Baço. Por
Número de sessões - 1 sessão de 2 isso são escolhidos para Moxabustão.
em 2 dias; 15 sessões constituem um ci-
clo de tratamento e, após um descanso de
7 dias, recomeçar as sessões. Dor no Calcâneo
Explicação - A barreira externa TA 5
Também denominada calcanealgia ou
(Waiguan) é o acuponto que elimina a umi-
fasciite plantar, é causada pela inflama-
dade e o frio que penetra e se fixa nas arti-
ção da fáscia plantar que se liga à base
culações interfalângicas. Os quatro acu- do osso do calcâneo. A causa dessa in-
pontos Baxie (Extra) tratam dor e parestesia
dos dedos das mãos. flamação é o desgaste contínuo da base
do calcâneo em razão de longa permanên-
cia em pé, caminhadas sobre superfícies
Dor na Articulação rígidas e irregulares, uso de sapatos ou
do Primeiro Dedo do Pé tênis com salto rígido, pés valgos e alte-
rações de posturas que sobrecarregaram
É uma artralgia da articulação metatar- o calcâneo com o peso do corpo. Tudo
sofalângica do primeiro pododáctilo. Essa isso contribui para o desenvolvimento de
dor pode aparecer nos casos de reumatis- fasciite plantar, que pode evoluir para o
mo (artrite reumatóide) e também na maio- "esporão" do calcâneo.
ria das crises álgicas de gota por precipita- Normalmente, na fase inicial, os exa-
ção de cristais de ácido úrico na cavidade mes de raios X não mostram alterações
1220 - MOXABUSTÃO

significativas, sendo importantes para diag- além do uso de laser de arsenieto de gálio
nosticar o "esporão" já formado. Este é a (AsGa) nos pontos dolorosos.
resposta do tecido ósseo à inflamação pro- O tratamento pelo calor, principal-
longada com o aumento da calcificação mente o calor seco, alivia a dor, por isso a
sob a forma de osteófito, denominado "es- Moxabustão tem muita indicação.
porão" pelo fato de ser semelhante ao Acuponto principal - Acuponto do
esporão de galo. calcâneo (Extra) (Fig. 20.35)56, situado no
O diagnóstico é fácil pois existem meio do calcâneo, também conhecido co-
poucos problemas que causam dor tão in- mo Shimian (Extra) (ver Fig. 20.37).
tensa e sensibilidade tão bem localizada Acupontos complementares - B 60
no calcâneo, que é mais aguda pela ma- (Kunlun) e R 3 (Taixi).
nhã ao se levantar e tentar caminhar. Número de sessões - 1 sessão por dia,
Inúmeros tratamentos são propostos, durante 15 dias, forma um ciclo de trata-
como o uso de aspirina, antiinflamatórios mento. Após descanso de 7 dias, recome-
não hormonais e, quando estes não funcio- çar, se a dor persistir.
nam e a dor se intensifica ou nos casos de Explicação - O calcâneo é o local de
inflamação aguda, pode ser necessário in- transição do Yang e do Yin. Todo o Yin está
jetar esteróides na região exata onde o es- profundamente ligado ao canal de ener-
porão surge e fazer aplicação de ondas ultra- gia dos Rins e o Yang está ligado ao canal
sônicas (ionoforese) associada ao creme de da Bexiga, por isso se escolhem R 3 (Taixi)
corticóides. e B 60 (Kulun).
A remoção cirúrgica dos osteófitos
também é uma proposta terapêutica nos
casos mais avançados, mas isso fica a cri-
tério da ortopedia, que avalia os riscos e os
benefícios.
A melhora ou o alívio da dor só é '"
-.J
00
conseguida após um longo período de tra- 00
VI
tamento, pois a regeneração da fáscia, do ~
N
-I>-
tendão e do ligamento é bastante demora-
'"
'"
da pelo fato de esses tecidos serem pobres N
./:..
em irrigação sangüínea e de baixo meta-
bolismo, porém eles possuem terminações
sensitivas suficientes para mediar as sen-
sações dolorosas. Além disso, o paciente
ainda sobrecarrega o calcâneo afetado com
)
todo o peso corporal.
Outras propostas para auxiliar o tra-
tamento são: uso de sapatos com salto alto
FIGURA20.35 - Acuponto do calcâneo (Extra),
(mulheres), uso de protetor de calcâneo localizado no meio do calcâneo, também co-
(que é colocado por dentro do sapato), etc., nhecido como Shimian (Extra).
MOXABU5TÃO- 221 I

Dor de Dente artrose e descalcificação, a Moxabustão é


muito eficaz.
A dor de dente esconde sempre um sofri- Acupontos principais - B 62 (Shen-
mento que pode ser aliviado com Moxa- mai) e R 6 (Zhaohai).
bustão enquanto não se encontra o den- Acupontos complementares - B 60
tista, por exemplo, à noite ou nos finais (Kunlun) e R 3 (Taixi).
de semana.
Número de sessões - I sessão por dia;
Dois pontos básicos são indicados 15 sessões completam um ciclo de trata-
conforme a localização do dente afetad056. mento.
Acuponto principal para os dentes Explicação - Na deficiência de ener-
maxilares -
IG 1 (Shangyang). gia no canal do Rim pode haver uma faci-
Acuponto principal para os dentes
lidade na torção com eversão do pé e, na
mandibulares - E 45 (Lidui).
deficiência de energia no canal da Bexiga,
Observação - Aquecer o lado oposto
pode haver uma facilidade na torção com
ao da dor (contralateralmente).
inversão do pé. Por isso, para equilibrar a
Número de sessões - 4 sessões por
energia desses dois canais, foram escolhi-
dia, se necessário, de 4 em 4h. Mesmo
dos R 6 (Zhaohai) e B 62 (Shenmai).
com o desaparecimento da dor deve-se
procurar o dentista.
Explicação - O IG 1 (Shangyang) é
Enfermidades Crônicas da Pele
o acuponto distal do canal do Intestino
Grosso que passa pelo maxilar. O E 45 As enfermidades crônicas da pele por
(Lidui) é o acuponto distal do canal do exemplo eczernas, neurodermatites e pso-
;'!;
~ Estômago que passa pela mandíbula. Em ríases, têm várias origens e fatores, tanto
! Acupuntura e Moxabustão, os acupontos hereditários ou constitucionais como alér-
~ distais são muito eficazes para realizar tra- gicos e psíquicos56. Os diagnósticos de-
~ tamento de algias periféricas.
00
r- vem ser feitos por dermatologistas e os
~
tratamentos variam de acordo com as cau-
sas, compreendendo medidas simples,
Dor no Tornozelo
como ativação de órgãos eliminadores de
Pode decorrer de diversas causas, como catabólitos desnecessários (Pulmão, Fí-
artrite infecciosa, artrite reumatóide, aci- gado e Rins) por meio de medicamentos
dentes, torção, etc. apropriados ou plantas medicinais ou die-
No caso de torção ou acidente, é im- tas adequadas.
portante realizar uma radiografia para ve- A Moxabustão desempenha um papel
rificar se houve fratura. Em casos de tor- importante na eliminação de placas meno-
cedura recente com edema, hematoma e res localizadas de eczemas e de psoríases.
dor aguda a Moxabustão é contra-indi- Acuponto principal- BP 10 (Xuehai).
cada56. Nesses casos, a Acupuntura nos Acupontos complementares -
P 9
pontos correspondentes do tornozelo oposto (Taiyuan), IG 4 (Hegu) e E 36 (Zusanli).
dá bons resultados. Mas, se ao contrário, Número de sessões - 1 sessão de 2
a dor for mais antiga e se for constatada em 2 dias; 15 sessões completam um ciclo
1222 - MOXABUSTÃO

de tratamento. Descansar 7 dias e reco- bustão deve ser feita em outro ambiente que
meçar, caso seja necessário. não seja o quarto de dormir, devido à fu-
Explicação - A maioria das enfermi- maça. Realizar 15 sessões (uma série) e
dades da pele decorre do excesso de calor descansar 7 noites e repetir mais 15 ses-
no sangue e, outras vezes, da umidade- sões, num total de 4 a 5 séries. Se não hou-
calor. Apesar da Moxabustão ser um tra- ver melhora, acrescentar o acuponto VC 3
tamento à base de Fogo, o calor dela é ca- (Zhongji).
paz de dispersar o calor do sangue, re- Explicação - O B 67 (Zhiyin) é o acu-
frescando-o. KikuchP5 relata êxitos no tra- ponto que fortalece o Qi do aquecedor in- v;J
-.)
tamento de pruridos da urticária e outras ferior, portanto serve para tratar enurese. 00
00
tA
alergias, realizando Moxabustão no BP 10 :.,
(Xuehai), P 9 (Taiyuan) e IG 4 (Hegu). São Nota: sempre que terminar a Moxabus- t
acupontos fontes que harmonizam a cir- tão, verificar se o bastão de moxa está :=t;
N

culação de energia nos canais Pulmão e completamente apagado, para evitar .10.
Intestino Grosso. Sabe-se, pela teoria da acidentes.
Medicina Tradicional Chinesa, que o Pul-
mão comanda a pele e os pêlos. O E 36
(Zusanli) é o acuponto que fortalece o Qi Enxaqueca
adquirido.
É uma cefaléia periódica, hemicraniana e
pulsátil. Pode ser causada por inúmeras
Enurese enfermidades: aneurisma, glaucoma, hi-
pertensão arterial, infecções bacterianas
É a incontinência urinária em crianças (meningites), tumores no cérebro, etc.,
acima de 4 anos, durante o son056. Pode portanto, há necessidade de sempre se
ocorrer por problemas psicológicos e de- buscar uma etiologia.
bilidade constitucional do esfíncter da Para as enxaquecas comuns a Moxa-
Bexiga, que não consegue reter a urina bustão oferece resultados animadores e
durante o sono. Deve-se pesquisar se o auxilia o efeito dos medicamentos antál-
pai ou a mãe teve enurese durante a in- glCOS.
fância. A enurese pode durar até os 18 Acupontos principais - P 7 (Lieque)
anos de idade. A enurese pode esconder e IG 4 (Hegu).
má formação renal ou infecção urinária Número de sessões - 2 sessões por
crônica ou até mesmo parasitas intesti- dia, nos casos de crise.
nais. A Moxabustão dá resultados anima-
Explicação - Os pontos P 7 (Lieque)
dores para controlar essa incontinência. e IG 4 (Hegu) dispersam o vento-calor,
Deve-se reduzir a quantidade de líqui- aliviando cefaléia.
dos ingeridos à noite e procurar esvaziar
a Bexiga antes de deitar.
Acuponto principal- B 67 (Zhiyin). Epicondilite
Número de sessões - Aquecer, du-
rante 3 a 5min, o acuponto B 67 (Zhiyin), É uma dor aguda ou crônica no cotovelo,
todas as noites antes de dormir. A Moxa- que surge após a sobrecarga dessa articu-
MOXABUSTÃO
- 223 I

lação. Por ser muito comum em pratican- cotovelo. A Moxabustão promove a circu-
tes de tênis, é conhecida como "cotovelo lação de Qi e remove o sangue estagnado.
de tenista". Pode ser observada em tor-
neiros mecânicos e digitadores, que so-
brecarregam os músculos do antebraço. A Fadiga
epicondilite pode ser lateral ou medial,
Também conhecida como astenia ou es-
conforme os côndilos afetados.
gotamento físico, é um sintoma que pode
O epicôndilo lateral é a extremidade
surgir após uma jornada sobrecarregada
distal e lateral do úmero, é a origem co- de trabalho, ou após uma enfermidade que
mum dos músculos extensores (ulnar do consumiu grande parte da reserva do or-
carpo, dos dedos, radiais longo e curto ganismos6.
do carpo, dos dedos mínimos e acôneo). Quando ocorre fadiga sem causa apa-
O epicôndilo medial é a extremidade rente é preciso realizar exames para verifi-
distal medial do úmero. Dele se originam car se o paciente é portador de anemia, cân-
os músculos flexores (ulnar do carpo, su- cer, infecção ou insuficiência cardíaca.
perficial dos dedos, radial do carpo, pro- Mas, se a fadiga é simplesmente cau-
nador redondo e palmar longo). sada por esgotamento físico, a Moxabus-
O diagnóstico diferencial é muito im- tão oferece resultados surpreendentes.
portante, pois a dor no cotovelo pode ter Mesmo a fadiga causada pela anemia e
outras causas, como artrite reumatóide, por outras doenças pode ser beneficiada
gota e até mesmo infecções bacterianas. pela Moxabustão.
A epicondilite pode ter origem cervical, Acupontos principais - B 43 (Gao-
havendo pinçamento das raízes nervosas huang) e VC 8 (Shenque).
nos níveis de C4-CS' CS-C6,CçC7 e C7-T \. Acupontos complementares - VC 4
Nesse caso, a dor não se limita ao cotove- (Guanyuan) e E 36 (Zusanli).
lo, podendo afetar também região cervi- Número de sessões - No início, 1 ses-
cal, ombro, braço e antebraço, com uma são por dia e, depois de obtido certo alí-
vio, uma sessão a cada 2 dias e 15 sessões
sensação de adormecimento.
completam um ciclo de tratamento. Des-
Ao tratar epicondilite lateral, a forma
cansar 5 a 7 dias e recomeçar mais um
;1; clínica mais comum, a Moxabustão ofe-
o-, ciclo de 15 sessões, caso seja necessário.
~ rece bons resultados que podem ser asso- Explicação - Na Medicina Tradicional
~ ciados aos tratamentos medicamentosos
Chinesa, a fadiga se deve à deficiência de
~
00
e à Fisioterapia.
energia adquirida e à insuficiência de cir-
S; Acuponto principal- IG 11 (Quchi).
culação dessa energia nos canais princi-
Acuponto complementar - Ponto pais. B 43 (Gaohuang) tonifica o Qi e o
Ashi, ponto doloroso ou mais sensível. sangue 78, portanto a Moxabustão sobre
Número de sessões - 1 sessão por dia esse acuponto tonifica Qi e sangue. VC 8
e, após o alívio da dor, de 2 em 2 dias, até (Shenque) tonifica e fortalece o Qi do Baço
o desaparecimento completo da dor. e do Estômago 78,aumentando a p