Você está na página 1de 100

@@@

PORTUGUÊS
REGÊNCIA
Abraçar é VTD no sentido de “apertar com os braços”.
Ex.:
- A mãe abraçou o filho pequeno por alguns minutos.
- Quando encontrou o amigo, abraçou-o fortemente.
Abraçar também é VTD no sentido de “adotar, seguir, escolher”.
Ex.:
- O advogado abraçou a causa com fervor.
- Os povos bárbaros abraçaram o cristianismo.
ABRAÇAR
1GR1GT541HT94H4T4H44HHTHTH
Agradar é VTD na acepção de “acariciar, acarinhar, fazer carinho”.
Ex.:
- Com as mãos calosas, a mãe agradava o filho.

Agradar é VTI, exigindo a preposição “a”, na acepção de “satisfazer,


contentar, fazer agrado a”.
Ex.:
- Parece que os bares da cidade não agradaram aos turistas.
AGRADAR
ERUT9848TGRJGJTJHJGTIOOJIJ484
Ajudar, com o sentido essencial de “auxiliar, prestar ajuda” é VTD:
Ex.:
- Joana sempre procurou ajudar os mais próximos da família.
- Marcos, não se preocupe, todos vieram ajudá-lo.
Se ao verbo ajudar seguir-se um infinitivo transitivo precedido da
preposição “a”, regerá o verbo ajudar um objeto direto ou objeto indireto
indiferentemente.
Ex.:
- Eu sempre o / lhe ajudei a comprar mantimentos.
- Ajudaram-nas / lhes a guardarem as roupas sujas.
Se, ao verbo ajudar seguir-se um infinitivo intransitivo, só poderá o
verbo ajudar reger objeto direto.
- Ninguém o ajudou a sair.
- Ninguém o ajudou a viver.
AJUDAR
4WI9TI09RJGROK04T04ROLGT0
Anteceder pode ser VTD ou VTI, com a preposição a.
Ex.:
- A velhice antecede a morte.
- A velhice antecede à morte.
ANTECEDER
TH14T59H84195TH415411HY51YH
Aspirar é um VTD na acepção de “respirar, sorver ar, inalar.”
Ex.:
- Na sala, aspirava a poeira dos carpetes imundos.
- O perfume que aspiro traz-me boas recordações.
- No período junino, é bom não aspirar a fumaça das fogueiras.
Aspirar é um VTI na acepção de “desejar, pretender, almejar”.
Apesar de transitivo indireto, este verbo rejeita os pronomes “lhe, lhes”
para o objeto indireto; aceita apenas as formas tônicas analíticas “a ele, a
ela, a eles, a elas”.
Ex.:
- Em sua jornada, sempre aspirou ao cargo de gerente da empresa. = “...
sempre aspirou a ele ...”.
- A oportunidade à qual ele aspirava finalmente chegou.
- Jamais aspirei a estas honrarias. = “Jamais aspirei a elas”.
Obs.: alguns verbos transitivos indiretos que exigem a preposição a não
admitem o uso de lhe, lhescomo seus complementos, mas sim a ele, a ela,
a eles, a elas). Eis alguns deles:
Ex.:
- Anuir (= dar consentimento, aprovação; estar de acordo)
- Visar (= almejar)
- Aspirar (= almejar)
- Assistir (= ver)
- Referir-se
- Aludir (= referir-se)
- Recorrer (= pedir auxílio)
ASPIRAR
R49IT09I4RIKGTRGT5E6G522GH2H
Assistir é VTI na acepção de ver, presenciar, estar atento a.
O objeto indireto deve vir encabeçado pela preposição “a”. À semelhança
do verbo “aspirar” no sentido de “desejar”, rejeita os oblíquos “lhe, lhes”
para o objeto indireto; aceita apenas as formas “a ele, a ela, a eles, a elas”.
Ex.:
- Maria assistiu à novela.
- Nunca mais assisti a um bom jogo de futebol. = Nunca mais assisti a
ele.
No sentido de caber, pertencer direito ou obrigação assistir é um VTI e
exige a preposição "a".
Ex.:
-Esse direito assiste a todos."
-Esse é um direito que lhe assiste."
No sentido de ajudar, prestar assistência, auxiliar, socorrer assistir é
indistintamente VTD ou VTI.
Ex.:
- Alguns familiares assistiram o / ao homem.
- Imediatamente assisti a / à vitima.
No sentido de morar, residir assistir é é VI.
Exige o acompanhamento de um ajunto adverbial com a preposição em.
Ex.:
-Assistimos numa cidade conturbada
ASSISTIR
4ETGFI4R0IGTKJGOPETHHH262H
Atender com o sentido de dar atenção, ser atencioso, cuidar, servir é
indistintamente VTD ou VTI.
Ex.:
- Eu sempre atendo os / aos meus amigos.
- Maria não sabia atender o / ao telefone.
Quando atender significa preocupar-se com, é um VTI e exige as
preposições “a”, “em” ou “para”.
Ex.:
- Faleceu porque não atendeu aos sintomas iniciais da doença.
- Ele sempre atendia para os conselhos dos mais velhos.
ATENDER
4RGT155REGT0GTJHIJTHJTHTHGF4T4T
Chamar no sentido de mandar vir, convocar é um VTD.
Ex.:
- O diretor chamou os empregados para uma reunião de urgência.
- Os meninos, chamei-os, mas até agora não vieram.
CHAMAR
541Y511U471I1U81I6416854O658OO
Chamar na acepção de cognominar, apelidar, alcunhar, qualificar, tachar,
será, indistintamente, VTD ou VTI. Vem sempre acompanhado de um
predicativo do objeto que poderá ou não ser introduzido pela preposição
de.
Ex.:
- Chamei-o bobo.
- Chamei-o de bobo.
- Chamei-lhe bobo.
- Chamei-lhe de bobo.

- Wagner o chamou mentiroso.


- Wagner o chamou de mentiroso.
- Wagner lhe chamou mentiroso.
- Wagner lhe chamou de mentiroso.

- Chamaram-no incompetente.
- Chamaram-no de incompetente.
- Chamaram-lhe incompetente / de incompetente.
- Chamaram-lhe de incompetente.

- Chamei-a idiota e ela se irritou.


- Chamei-a de idiota e ela se irritou.
- Chamei-lhe idiota e ela se irritou.
- Chamei-lhe de idiota e ela se irritou.

- Chamavam-no tolo.
- Chamavam-no de tolo.
- Chamavam-lhe tolo.
- Chamavam-lhe de tolo.
CHAMAR
G2r25g21r512g5r156g156r1g561r65g156r1g561gg
Convidar no sentido de solicitar, brindar com convite, é VTD e pede um
complemento sem preposição.
Ex.:
- Gostaríamos de convidar você e sua família para um almoço.
Substituindo esse complemento pelo pronome teremos:
- Gostaríamos de convidá-los para um almoço.
CONVIDAR
GERIGT40W9TI4KJYOG5KJYH5YHYU62UJ
O verbo chegar é regido pela preposição “a”:
Ex.:
- Chegamos ao local indicado no mapa. (Certo)
- Chegamos no local indicado no mapa. (Errado)
- Chegamos a casa cansados. (Certo)
- Chegamos em casa cansados. (Errado)
Essa é a forma padrão. No entanto, é comum observarmos o uso da
preposição “em” nas conversas informais, cujo estilo é coloquial:
Ex.:
- Chegamos no cemitério cedo.
CHEGAR
5447h74tr4h98th784rh849th848h4thhth
Desfrutar é verbo transitivo direto, assim como o verbo usufruir. Portanto,
é errado dizer, por exemplo: “fulano desfruta do final da tarde”. O correto
é “fulano desfruta o final da tarde”...
DESFRUTAR / USUFRUIR
H1T66571I518765I18O55O1O86T
ESQUECER / LEMBRAR

Esses verbos podem ser empregados com ou sem a companhia de


pronomes pessoas oblíquos átonos (ME, TE, SE, NOS, VOS). Quando vier
acompanhado desses pronomes, exige a presença da preposição DE.
Ex.:
-Eu nunca me esqueço de você.
-Eu nunca esqueço você.
-Nunca esqueça que meu amor por você é infinito.
-Nunca se esqueça de que meu amor por você é infinito.
-Eu esqueci as chaves.
-Eu me esqueci das chaves.
Esquecer e Lembrar: serão VTD quando não forem pronominais, ou seja,
quando não forem acompanhados de pronome oblíquo átono (esquecer-se,
lembrar-se):
Ex.:
- Esqueci que havíamos combinado sair.
- Ela não lembrou o meu nome.
Esquecer-se e Lembrar-se: serão VTI, com a preposição de, quando
forem pronominais:
Ex.:
- Esqueci-me de que havíamos combinado sair.
- Ela lembrou-se do meu nome.
ESQUECER / LEMBRAR
FE0GFT94T894U8T845JYJ5OYI5YY5
O verbo louvar é um VTD.Trata-se de um dos verbos cujo complemento
direto pode vir regido da preposição “a”.
Ex.:
- Louvei a Deus
- Louvamos a lua.
- Louvamos ao Senhor.
LOUVAR
1GR651H51TH541YJ165UJY651511
Namorar é VTD.
NAMORAR
GRGR0GIOKGITHJOIYJJYH9IYJI9YJHIJ9
Obedecer e Desobedecer: é VTI.
Ex.:
- Obedeço a todas as regras da empresa.
- Eu desobedeci à regra.
OBEDECER / DESOBEDECER
1YHJ6J5Y1J6574I8574I5I85I454I64I4I
Os verbos pagar e agradecer são VTI se o complemento for pessoa. Se se
referirem a uma coisa ou objeto serão VTD.
Ex.:
-Geraldo pagou o cheque ao José. (Só tem preposição “a” em “pagou AO
José”)
- Paguei o cheque ontem
- Paguei ao José ontem
- Agradeci-lhe por seus favores.
- Agradeça à sua mã pra mim.
PAGAR / AGRADECER
HT21HJ1Y5U75I6447I54I547I44II7II
O verbo perdoar é VTI se o complemento for pessoa:
Ex.:
- Se o Grêmio ganhasse, a torcida gremista não perdoaria aos jogadores
de seu clube.
Quando o complemento não é pessoa, perdoar é VTD.
Ex.:
- Jamais perdoarei as atitudes dele.
PERDOAR
RG15H65Y41U674141II18I18O11O1OO
Não se usa o termo do que para o verbo preferir, mas sim o a.
Ex.:
- Eu prefiro isso do que aquilo (ERRADO)
- Eu prefiro isso a aquilo (CERTO)
PREFERIR
HT21H12Y1J51I584IO45584541YJ2YJ
Querer no sentido de sentido de estimar ou gostar é VTI.
Ex.:
- Geraldo quer ao seu cachorro (Significa que Geraldo gosta, tem estima
por seu cão...)
QUERER
UFE8U9F8JJIR49JTI5YOJ5IYJ5Y9JYY
Os verbos ofender e magoar são VTD.
Ex.:
- Essa garota ofendeu meu pai.
- Maria ofendeu Cecília.
- Ofederam-me naquele bar.
- Ele magoou a mulher com sus críticas.
- Magoaram-na sem dó.
OFENDER / MAGOAR
11fg41rg415r4g4rg8r48g48r4g84r89ggrg
Renunciar: pode ser VTD ou VTI, com a preposição a.
Ex.:
- Nunca renuncie seus sonhos.
- Nunca renuncie a seus sonhos.
RENUNCIAR
HT1HY541U761574I48I4O4O1O2O01OO
- A mãe chamou mas o filho não respondeu.
- Seja educado e não responda!
RESPONDER
1YJ0651IKJ15I1765I4574I61U165155
Revidar é VTI.
Ex.:
- Ela revidou ao ataque.
REVIDAR
EF1651GF5R15GH44T5YH464U5T4U4
Visar com o sentido de ter o objetivo, pretender, ter em vista é VTI e exige
preposição:
Ex.:
- Visamos ao sucesso.
- Ele visava a um objetivo muito grande.
- As medidas visam à melhoria das condições de vida dos doentes
acamados.
- As campanhas realizadas visam a incentivar o consumo consciente da
água.
Visar com o sentido de mirar, olhar, focar é VTD e não exige preposição:
Ex.:
- O policial visou o bandido à distância.
- Visou a mãe ao longe, no meio da multidão.
- Todos os dias visava o pôr do sol, pensando na sua infância.
VISAR
21554f48e48948g48498g48g7498e7984g848gegg