Você está na página 1de 35

Algumas considerações

sobre o sistema
previdenciário brasileiro e
reforma

Paulo Tafner

S em inário R eform a d a Previd ênc ia


Centro Cu l tu ral d a FGV
R io d e Janeiro – Fevereiro d e 2017.
A DEMOGRAFIA E AS LEIS
FUNDAMENTAIS DA
ECONOMIA NÃO
RESPEITAM A
CONSTITUIÇÃO

NENHUMA CONSTITUIÇÃO
A PEC 287

Vamos começar com


algumas projeções
da reforma da
previdência
proposta
REFORMAS CRUCIAIS: IMPACTOS DAS
MEDIDAS SOBRE A TRAJETÓRIA DE GASTOS
Evolução da Despesa Previdenciária como proporção do PIB – (2% a.a)

Idade Desindexação Acumulação Aposentadoria


Ano Regra Atual
Mínima ao SM benefícios Especial

2016 7,7% 7,7% 7,7% 7,7% 7,7%


2020 10,1% 9,9% A IDADE 9,7%
MÍNIMA É O8,9% 9,3%
2025 12,2% 11,6% MAIS PODEROSO
11,3% 10,6% 11,4%
INSTRUMENTO DE
2030 14,8% 12,7% 13,6% 13,0% 13,9%
REDUÇÃO DA
2035 16,8% TRAJETÓRIA
14,1% DA DESPESA
15,6% 14,8% 15,8%
2040 18,0% 14,5% PREVIDENCIÁRIA
16,0% 15,8% 16,9%
2045 19,0% 14,7% 16,6% 16,7% 17,8%
2050 19,2% 14,7% 16,6% 16,9% 18,1%
2055 19,2% 14,5% 16,4% 16,8% 18,0%
MÉDIA
2060 18,8% 13,5% BRASIL 16,8% 17,3% 17,6%
IMPACTO ESTIMADO -27,9% -10,6% -8,1% -6,1%
EXCELENTE NOTÍCIA
Esperança de vida total e por sexo ao nascer e aos 60 anos no Brasil: 1980 – 2010
1980 2010
Esperança de sobrevida
Homens Mulheres Total Homens Mulheres Total

Ao nascer 58,4 65,5 62,0 71,6 78,8 75,3


Ganho no período 13,2 13,3 13,3
Ganho (%) no período 22,6% 20,3% 21,5%
Aos 60 anos 13,9 17,6 15,8 20,1 23,6 21,9
Ganho no período (anos) 6,2 6,0 6,1
Ganho no período (%) 44,6% 34,1% 38,6%

EM MÉDIA A CADA 3 ANOS A ESPERANÇA DE


VIDA AO NASCER AUMENTOU 1 ANO. E AOS 60
ANOS, AUMENTOU 1 ANO A CADA 5 ANOS
Previdência Social – Fatos

E isso foi só o começo!

Em 2000 eram 8 ativos


para cada inativo. Em
2060 serão apenas 2.
DINÂMICA DEMOGRÁFICA
Taxas de variação de grupos etários e população por década (% a.a.)
Grupos etários (taxa média de variação) População em 106
Períodos Ano
0 - 14 15-59 60 e + 80 e + 90 e + TOTAL TOTAL 0 - 14 15 -59 80 e + 90 e +
2000 O numero de crianças cai à
2000 173,4 52,1 107,1 1,8 0,3
metade; a População em
2000/10 -0,43 1,63 3,25 4,21 Idade Ativa
3,31 1,20 cresce
2010 9%, mas
195,5 49,9 126,0 2,7 0,4
a população de 80 anos ou
mais cresce 10,6 vezes e a
2011/20 -1,19 0,95 4,10 4,43 de 90 anos
6,55 0,82 ou2020
mais cresce
212,1 44,3 138,5 4,1 0,7
16,7 vezes. Serão muito mais
benefícios e por muito mais
2021/30 -1,20 0,28 3,56 4,69 5,44 0,51tempo
2030 223,1 39,3 142,3 6,5 1,3

2031/40 -1,02 -0,27 2,70 4,98 5,39 0,22 2040 228,2 35,4 138,5 10,6 2,1

2041/50 -1,06 -0,78 2,06 3,52 5,26 -0,08 2050 226,3 31,8 128,0 15,0 3,6

2051/60 -1,16 -0,96 1,02 2,44 3,50 -0,37 2060 218,2 28,3 116,3 19,1 5,0

Fonte: IBGE – elaboração do autor

7
Mudança demográfica
Gráfico 1A – População segundo grupos etários (número de indivíduos) - Brasil: 2000

8,42 ativos para


cada inativo

52,11 107,11

12,72

Fonte: IBGE - projeções demográfica (revisão 2013).


Mudança demográfica
Gráfico 1G – População segundo grupos etários (número de indivíduos) - Brasil: 2060

2,06 ativos para Serão 5,02


cada inativo nonagenários e
mais de 500 mil
centenários

28,33 116,29 56,45

Fonte: IBGE - projeções demográfica (revisão 2013).


Previdência Social – O caso brasileiro

Gastamos demais:

Evolução e gastos em
perspectiva comparada
Previdência Social – Brasil: fatos MEXICO

Trajetória do envelhecimento e dos gastos previdenciários (% PIB) no


Brasil – 1988-2015
12,0

11,2
2015
10,0
2010
2005
229% de
8,0 aumento
% 2000
P
I
1995
B 6,0 O GASTO CRESCEU 3
VEZES MAIS RÁPIDO
DO QUE O
4,0
ENVELHECIMENTO
3,4

1988 80% de aumento


2,0 6,52 11,7

0,0
6,0% 7,0% 8,0% 9,0% 10,0% 11,0% 12,0%

Percentagem de idosos (60 anos +) no total da população


Previdência Social – Brasil: os fatos
Gastos previdenciários (como proporção do PIB) e percentagem de idosos na
população – diversos países 2011-2015

ITÁLIA

País jovem
com gasto ÁUSTRIA

elevado POLONIA

% ALEMANHA
P BRASIL
I
B

MONGOLIA MEXICO

BOLIVIA JAPÃO
KWAIT

GEORGIA

Percentagem de idosos (60 anos +) no total da população


Previdência Social – Fatos

Escolhas equivocadas
Grandes números (Despesas em R$ bilhão 2012-16)
APOSENTADORIA - TC APOSENTADORIA – IDADE URBANA

13 VEZES A DESPESA 07 VEZES O PROGRAMA


COM TRANSPORTE MINHA CASA MINHA VIDA

APOSENTADORIA – IDADE RURAL PENSÃO POR MORTE

50 VEZES A DESPESA TODO O GASTO COM SAÚDE


COM SANEAMENTO
Incentivos incorretos
Incentivos incorretos - Aposentadoria
Tabela 3 – Idades de aposentadoria em países selecionados – 24 países
Igualdade Igualdade
País Homem Mulher País Homem Mulher
gêneros /a gêneros /a

Homens e mulheres
Alemanha 65 65 SIM Grécia 65 60

Argentina 65 60 Holanda 65 65

Austrália 65
têm
60
a mesma Hungria
idade62 62
SIM

de65 aposentadoria em
SIM
Áustria 65 SIM Islândia 67 67 SIM
Chile 65 três
60 de cada Itália quatro65 60

Coréia do Sul /a 65 65 desses países.


México 65 65
SIM SIM
Costa Rica 62 60 Noruega 67 67 SIM
Dinamarca 67 67 SIM Peru 65 65 SIM
El Salvador 60 55 Polônia 65 60

Espanha 65 65 SIM Portugal 65 65 SIM


Estados Unidos /b 67 67 Reino Unido /c 65 65
SIM SIM
Finlândia 65 65 SIM Suíça 65 65 SIM
Fonte: Cechin e Cechin (2007, atualizado pelo autor
/b Prevista para 2033; /c Previsto para 2027; / d Para mulheres apenas em 2020
Incentivos – Aposentadoria - Brasil
Tabela 4 – Idades de aposentadoria - Brasil - 2014

Urbano Rural Total


Aposentadoria
Homem Mulher Homem Mulher Homem Mulher
Ou seja, quem se aposenta por
Por idade idade são 66 os pobres
62 61 e se57 63 59
R$ 863
aposentam
Por tempo de contribuição 55
aos52
66 anos,
54
se
51 55 52
homem e aos 62, se mulher. R$ 1.776
Por invalidez Quem se aposenta 52 53por TC50são os47 52 53
trabalhadores mais instruídos, que
ganham mais, que estão menos sujeitos
Fonte: Fonte: Boletim Estatístico da Previdência Social.2013

ao desemprego e à informalidade
Representa menos de 25% das
aposentadorias, consome,
porém, mais de 45% dos
gastos. Além disso .....
Contribuição e benefício: um
castelo de cartas

Com uma alíquota de 32% consegue compor Receberá, porém, em média 312
135 salários, o que equivale a pouco mais de benefícios. Há 177 benefícios
11 anos de aposentadoria integral. recebidos, sem cobertura

SE FOR PROFESSOR OU
PROFESSORA O DESEQUILÍBRIO
SERÁ AINDA MAIOR
O caso das mulheres é ainda mais grave: Mas receberá , em média 390
terá composto apenas 116 salários, benefícios. Há 274 benefícios
suficiente para menos de 10 anos de recebidos, sem cobertura
recebimento de benefício. contributiva.
Incentivos incorretos – Pensão (1)
Tabela 5 – Regras de Pensão por morte – Alguns países - Europa

Espanha Suíça
Contribuição: 15 anos Contribuição: 1 ano
Fato: Morte por acidente Fato: Viúva com ou sem filho
ou doença Divorciada com filho
Valor: 52% sem criança Valor: máximo 80%
72% se tiver criança
Cessa: novo casamento ou Cessa: com aposentadoria
aposentadoria ou outro casamento
Acumulação: Não permite Acumulação: Não permite

Suécia Finlândia
Contribuição: 5 anos Contribuição: 5 anos
Fato: Viúvas até 65 anos Fato: Morte por acidente
ou doença
Valor: 55% sem criança Valor: máximo 75%
filhos até 18 anos depende idade óbito
Cessa: novo casamento ou Cessa: novo casamento ou
aposentadoria ou 65 aposentadoria
Acumulação: Não permite Acumulação: 6 meses
Incentivos incorretos – Pensão (2)
Tabela 5 – Regras de Pensão por morte – Alguns países - América

Argentina Canadá
Contribuição: 2,5 anos Contribuição: 3 anos
Fato: Morte por acidente Fato: Viúva 60-64 anos
ou doença. 5 anos mat. Antes se filho menor
Valor: 50% sem criança Valor: 37,5%
70% se tiver criança 60% se filho menor
Cessa: Vitalício Cessa: com aposentadoria
outro casamento, 65
Acumulação: Sim, parcial Acumulação: Não permite

México Estados Unidos


Contribuição: 5 anos Contribuição: 15 anos
Fato: Viúvas. Casada > 5 anos Fato: Viúva ou divorciada
casamento > 10 anos
Valor: 50% sem criança Valor: máximo 75%
20% p/filho até 100% depende idade óbito
Cessa: novo casamento ou Cessa: novo casamento
aposentadoria
Acumulação: 6 meses Acumulação: Sim, parcial
Incentivos – Pensão – Brasil (3)
Tabela 6 – Pensão por Morte - Brasil

América Contribuição Outros requisitos Valor Prazo


Viúva - 2 anos casamento
Brasil mínimo 18 100% - com filhos 3 anos - < 21 anos
ou união estável
contribuições 100% - sem filhos 6 anos - 21 a 26 anos
10 anos - 27 a 29 anos
15 anos - 30 a 40 anos
20 anos - 41 a 43 anos
Vitalícia - 44 ou mais
Permite acumulação
integral
Incentivos incorretos - Acumulação
Acumulação de benefícios - Brasil

Total Masculino Feminino


Situação
1992 2001 2013 1992 2001 2013 1992 2001 2013

Apenas pensionistas 60,4 59,6 52,4 47,6 44,4 41,1 61,3 61,0 54,1

Acumulam outra renda 39,6 40,4 47,6 52,4 55,6 58,9 38,7 39,0 45,9

Pensionistas que são


8,3 16,6 28,2 7,8 15,3 29,0 8,3 16,7 28,1
aposentados

Pensionistas que
29,7 20,8 16,1 42,2 33,6 23,7 28,8 19,6 14,9
trabalham

Pensionistas que são


1,6 3,0 3,3 2,3 6,8 6,2 1,5 2,6 2,9
aposentados e trabalham

Total de pensionistas 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0 100,0
Previdência Social – Projeções

Mantidas as regras atuais,


em poucos anos, o Brasil
gastará entre 18% e 21%
do PIB somente com o INSS
podendo atingir 25%
considerados os regimes
próprios.
Incentivos incorretos e
seus impactos na
poupança
 A taxa de reposição da renda
é virtualmente de 100%
O valor do teto é quase igual à
renda média dos trabalhadores;
e ....
 O teto está situado no percentil
92 do rendimento médio dos
homens e no percentil 96 do
rendimento médio das mulheres
Como financiar o
sistema se teremos
apenas 2 ativos para
sustentar cada inativo?

MUITA PRODUTIVIDADE
O desafio da produtividade – Como estamos?
Evolução da Produtividade média do trabalho – Alguns países (1950-2014)
80

70
JAPÃO

Em 1987 Brasil e Coréia tinham a


Produto por tabalhador (US mil de 2011) / ano

60
mesma produtividade. Em 2014
a produtividade coreana já era KOREA CHILE
50
mais do dobro da brasileira.

40

Argentina
30

20 BRASIL

10

CHINA
0
1950 1955 1960 1965 1970 1975 1980 1985 1990 1995 2000 2005 2010
O desafio da produtividade – Como estamos?
Taxa média anual de crescimento da produtividade média do trabalho – Ásia 2000-2014
China
Turkmenistan
India
Bangladesh
Kazakhstan
Mongolia
Sri Lanka
Tajikistan
Cambodia
VietNam
Bhutan
Uzbekistan
Indonesia
Azerbajan
Russian
Philippines
Thailand
Korea
Kyrgystan
Nepal
Turkey
Malaysia
Singapore MÉDIA
Jordan ÀSIA
Maldives
Islamic Iran
Pakistan
Cyprus
Japan
Israel
Qatar
Bahrain
Saudi Arabia MÉDIA
Kuwait BRASIL
Syrian
Brunei
Oman
-5,0 -4,0 -3,0 -2,0 -1,0 0,0 1,0 2,0 3,0 4,0 5,0 6,0 7,0 8,0 9,0 10,0
O desafio da produtividade – Como estamos?
Taxa média anual de crescimento da produtividade média do trabalho – América
do Sul 2000-2014
Peru

Paraguai

Suriname

Uruguai

Equador

Colombia

Chile

Argentina

Brasil

Venezuela

-1,0 -0,5 0,0 0,5 1,0 1,5 2,0 2,5 3,0 3,5
O desafio da produtividade – Como estamos?
Taxa média anual de crescimento da produtividade média do
trabalho – Países da África – 2001-2011
Guine Equatorial
Angola
Nigeria
Etiópia
Chade
Ruanda
Moçambique
Gana
Tanzania
Serra Leoa
Uganda
Zambia
Marrocos
Lesoto
Ilhas Mauricios
Sudão
Burkina Faso
São Tomé e Principe
Cabo Verde
Congo
Malavi
Tunisia
Botswana
Egito
Africa do Sul
Quenia
Brasilville
Dijbout
Namíbia MÉDIA
ÁFRICA
Mauritânia
Mali
Gambia
Senegal
Suazilândia
Niger
Camarões
Burundi
Guine Bissau
Guinea
Benin
Togo
Gabão
República Centro Africana
MÉDIA
Costa do Marfim
Comorro
BRASIL
Libéria
Madagascar
Zimbabwe

-4 -2 0 2 4 6 8 10
Bônus demográfico,
produtividade e o
bonde da história...
PRODUTIVIDADE: Oferta de mão de obra – O Bônus
População brasileira segundo recortes etários: 1900-2060
150

140

130

120
i 65
n
i
110 Entre 15 e milhões
d
100
59 anos
v
í
90
d
u
2021
o 80
s
70
(

m
i 60 Até 14 e 60
l
h 50
anos ou mais
ã
o
40
)

30

20
Inicio do
10 Bônus
0
1900 1910 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1980 1990 2000 2010 2020 2030 2040 2050 2060
Produtividade e o Bônus desperdiçado
ISSO JÁ SE
PERDEU
HIPERINFLAÇÃO

Mantida a
tendência
vamos perder
o que resta de
A ESTRATÉGIA bônus
DE demográfico
CRESCIMENTO
PELA DEMANDA

INÍCIO DO AJUSTE
BÔNUS MACRO

População e produtividade em número índice


EM SÍNTESE:

NÃO TEMOS MAIS


TEMPO A PERDER ...

É hora de reformas
Obrigado.

paulo.tafner@gmail.com