Você está na página 1de 2

Cada dia mais o plástico tem se tonado presente na maioria dos aspectos das

construções civis: telhas, janelas, pisos, revestimentos, sistemas de hidráulica, ventilação e


caixa d’água, além da parte estrutural e maior contribuição para o design. Não é à toa
que o material conquistou esse setor da indústria, com propriedades tão vantajosas para
cada tipo de utilização, como: anti-corrosão, isolamento térmico e acústico,
impermeabilidade, flexibilidade, durabilidade, resistência, sustentabilidade e inovação,
transporte e higiene.

Segundo a empresa portuguesa Ambiente, especializada em reciclagem, as participações


dos materiais plásticos representam 10% de uma casa média. Outro dado europeu indica
que 17% do total da produção da indústria de plásticos são consumidos pela construção
civil. No Brasil, não há muitos dados, mas a Abiplast (Associação Brasileira da Indústria do
Plástico) estima em seu relatório mais recente, que 14,6% dos plásticos transformados
sejam absorvidos em canteiros de obras.

Com o crescimento estimado em 5,2% pelo SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da


Construção Civil de São Paulo), o setor vem investindo em produtos com novas
composições para garantir um desenvolvimento mais sustentável, atendendo uma
demanda crescente de produtos com diferenciais ambientais.

A tecnologia tem sido uma forte aliada no lançamento de produtos que buscam
preservar os recursos naturais e ao mesmo tempo trazer mais agilidade e qualidade para
as construções. Neste cenário, o plástico se apresenta como uma fonte de soluções para
o setor, como os plásticos de engenharia, que são muito utilizados na área de
acabamento das obras em componentes internos de metais, acessórios para banheiro e
cozinha, elétrica (interruptores e disjuntores) e na infraestrutura de construção (formas).

Outro fator que se destaca neste sistema é a rapidez na construção, sendo possível
erguer uma casa com acabamento completo em até uma semana (pelo método
tradicional é necessário um período de 90 dias), facilidade de limpeza, conservação e
baixa manutenção.

As telhas também podem ser produzidas com PVC (policloreto de vinil) e além dos
diferenciais técnicos, inerentes à resina, como resistência a agentes químicos e leveza, as
telhas de PVC se mantêm estáveis às tempestades, granizos e outras intempéries. Frente
às variações de temperatura, sua estabilidade estrutural e de cor são superiores às telhas
convencionais, sendo um produto ambientalmente correto, já que o PVC é totalmente
reciclável e pode ser uma alternativa mais ecoeficiente em relação a outros materiais.

O plástico também está sendo usado para conferir mais agilidade e qualidade em obras
de saneamento pelo Brasil. Os poços de visita, conhecidos tradicionalmente como
bueiros, feitos de polietileno, estão sendo produzidos com tecnologia moderna,
tornando as tarefas de instalação e manutenção mais simples, econômicas e
ecologicamente corretas. Uma das características dos poços de visita de polietileno linear
é a durabilidade, já que possuem excelente resistência a quebra sobre pressão e
resistência de impacto. Com isso, estão menos sujeitos a fissuras e orifícios que levam ao
vazamento, evitando contaminações do solo.

Uma variedade de características presentes que possibilitam uma gama de aplicações,


tornando o plástico assim um elemento extremamente versátil, por isso é crucial
conhecer a especificidade dos elementos para a aplicação correta, garantindo então a
qualidade da obra.