Você está na página 1de 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE

CENTRO DE ENGENHARIA ELÉTRICA E INFORMÁTICA


DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA

RELATÓRIO
EXPERIMENTO 5: MÁQUINA SÍNCRONA - REATÂNCIA
DE DISPERSÃO

Ulisses Gomes Lima - 114110603

Disciplina: Laboratório de Máquinas Elétricas


Turma: 01
Professor: Edgar Roosevelt Braga Filho

Data do experimento: 27/02/2018

Campina Grande - PB
Sumário

1 Dados de Placa dos Dispositivos 2

2 Resultados Obtidos 2

3 Reatância de Dispersão e Métodos de Regulação 2

4 Análise dos Resultados 3

5 Referências Bibliográficas 4

1
1 Dados de Placa dos Dispositivos
Os dados de placa dos dispositivos utilizados, relativos aos valores nominais
são mostrados na Tabela 1

Tabela 1: Dados de Placa dos Dispositivos


Máquina CC Máquina Sı́ncrona
Vcc campo 190V Vexc 220Vcc
Vcc ar 160V f 60Hz
Icampo 0,4A RPM 1800
Iar 3,1A P (1/2)CV
RPM 1800 Polos 4
P 0,5CV V 4 tensões - trif

2 Resultados Obtidos
O experimento tem como objetivo trazer resultados obtidos da determinação
da reatância de dispersão de uma máquina sı́ncrona a rotor saliente, cuja máquina
primária a ela acoplada consistia de uma máquina de corrente contı́nua configurada
em ligação independente, com rotação na velocidade sı́ncrona. Ensaiou-se, então, uma
situação em que uma carga fortemente indutiva, representada por um motor de indução,
era acoplada ao alternador, para levantar a curva correspondente a fator de potência
nulo. Mantendo a corrente de armadura (Iar ) no valor nominal, mediu-se o valor da
corrente de campo (If ) e da tensão de armadura (Var ), como mostrado a seguir

Tabela 2: Resultados relativos a fator de potência nulo.


If Var Iar
0,68A 389V 0,8A

3 Reatância de Dispersão e Métodos de Regulação


A partir do ponto obtido na Tabela 2, determinou-se a caracterı́stica a fator
de potência nulo, que encontra-se em anexo. Juntamente a ela, estão a curva de circuito
aberto e a reta de curto-circuito, obtidas com os dados do experimento anterior. Assim,
foi possı́vel construir o triângulo de Potier, para encontrar o valor da reatância sı́ncrona
(Xl ) e do fator de forma (α) correspondentes às condições nominais

Xl = 28, 51Ω/f ase


α = 0, 45

2
Foram também determinados os valores da regulação para os métodos de
Potier, IEEE e Blondel para as condições nominais de operação

RegP otier = 108, 09%


RegIEEE = 102, 78%
RegBlondel = 93, 08%

Após isso, foram feitas as construções de Potier para outros três casos:
3IaN OM/4, IaN OM/2
e IaN OM/4 para, assim, poder obter os pares (Ia , if ) necessários para
o contorno da caracterı́stica composta ou de excitação relativos aos três métodos
anteriormente citados, considerando fator de potência igual a 0,8. As curvas encontram-
se em anexo, como também todos os cálculos feitos.

4 Análise dos Resultados


O experimento mostrou que é possı́vel determinar o valor da reatância de
dispersão, como também a regulação de uma máquina de polos salientes. Após a
aplicação dos métodos de Potier, IEEE e Blondel, verifica-se que o de Blondel é o mais
adequado para máquinas de rotor saliente, pois considera em seus cálculos a influência
das reatâncias de eixo direto e em quadratura, enquanto que os outros dois não, sendo
mais adequado para máquinas de polos lisos. Além disso, o método de Blondel é o mais
preciso, pois ele analisa todos os efeitos da máquina: dispersão, saturação e reação de
armadura.

3
5 Referências Bibliográficas
1. FITZGERALD, A. E.; JUNIOR, Charles Kingsley; UMANS, Stephen D.. Máquinas
Elétricas. Tradução de Anatólio Laschuk. Porto Alegre: Bookman, 2006.

2. MARQUES, L. S. B.; SAMBAQUI, A. B. K.; DUARTE, J.. Apostila de


Máquinas Elétricas. Instituto Federal de Santa Catarina. Joinville, 2013.