Você está na página 1de 2

MAT1161 – Cálculo de uma Variável PUC-Rio

Equações de Parábolas:

Vamos estudar parábolas com equações do tipo y = a x2 + b x + c. Essas parábolas são gráficos
de funções quadráticas.

Exemplo: Seja f a função dada por f (x) = 2 x2 − 4 x − 6.


Pela expessão f (x) vemos facilmente que o gráfico de f é uma parábola voltada para cima e que
passa pelo eixo y no ponto (0, −6).
Calculando as raı́zes, vemos que a expressão f (x) pode ser também escrita como f (x) = 2 (x +
1)(x − 3), pois x1 = −1 e x2 = 3 são as soluções de f (x) = 0 e o número 2 é o coeficiente
principal (o número que multiplica x2 ). Geometricamente, escrever a expressão de f na forma
f (x) = 2 (x + 1)(x − 3) indica que o gráfico de f é uma parábola voltada para cima que passa pelo
eixo x nos pontos (−1, 0) e (3, 0).
Vejamos uma terceira expressão para a mesma f . Expandindo 2 (x − 1)2 − 8 obtemos 2 x2 − 4 x − 6,
ou seja, também é verdade que f (x) = 2 (x − 1)2 − 8 (verifique!). Geometricamente, escrever a
expressão de f na forma f (x) = 2 (x − 1)2 − 8 indica que o gráfico de f é uma parábola voltada
para cima cujo vértice é o ponto (1, −8). Isso é óbvio? Claramente (1, −8) é um ponto do gráfico
de f , pois f (1) = 2 (1 − 1)2 − 8 = 0 − 8 = −8, mas você sabe explicar por que este ponto é o
vértice?

Em geral:
f (x) = a x2 + b x + c .
Se f tem raı́zes reais x1 e x2 , podemos escrever

f (x) = a (x − x1 )(x − x2 ) .

E vale também que


f (x) = a (x − xv )2 + yv ,
onde (xv , yv ) é o vértice da parábola.

Vamos responder a pergunta do exemplo, ou seja, vamos mostrar que (1, −8) é o vértice da
parábola que é o gráfico da função dada por f (x) = 2 x2 − 4 x − 6 = 2 (x − 1)2 − 8:

(x − 1)2 ≥ 0 ∀x

2 (x − 1)2 ≥ 0 ∀x
2 (x − 1)2 − 8 ≥ −8 ∀x
f (x) ≥ −8 ∀x.
Além disso vale a igualdade se e somente se x = −1. Ou seja, o menor valor de f (x) é −8 e
quando f (x) = −8 necessariamente x = 1. Por isso (1, −8) é o vértice. Sai daı́ também que
Im(f ) = [−8, ∞).

Obs.: É interessante notar que quando usamos f (x) = 2 (x − 1)2 − 8, além de vermos o vértice,
também fica mais fácil calcular as raı́zes:

f (x) = 2 (x − 1)2 − 8 = 0

2 (x − 1)2 = 8
(x − 1)2 = 4
x − 1 = 2 ou x − 1 = −2
x = 3 ou x = −1 .
Exemplo: Seja f é a função dada por f (x) = 5 x2 + 3 x + 8. Vamos escrever a expressão f (x)
no formato a (x − xv )2 + yv .
Solução 1. Completando quadrados: Temos que ter em mente que (x − xv )2 = x2 − 2 x xv + xv 2 .
 
2 2 3
f (x) = 5 x + 3 x + 8 = 5 x + x + 8 =
5
   2  2 !
2 3 2 3 3 3
5 x +2 x +8=5 x +2 x+ − +8=
10 10 10 10
 2  2   2
3 3 3 151
5 x+ − +8=5 x− − + .
10 10 10 20

Solução 2. Usando simetria da parábola: Vamos encontrar primeiro dois pontos na parábola
com mesma segunda coordenada, equivalentemente vamos encontrar os pontos de interseção da
parábola com uma reta horizontal. E aı́, xv será a primeira coordenada do ponto médio desses
dois pontos. Qualquer reta de equação y = β com β ≥ yv serve, mas não sabemos ainda o
valor de yv . O que sabemos é que o gráfico de f passa pelo eixo y no ponto (0, 8), então a
reta horizontal de equação y = 8 certamente “corta”o gráfico de f . Temos f (x) = 8 se e só se
0 = 5 x2 + 3 x = x (5 x + 3), assim os dois pontos são (0, 8) (que já sabı́amos) e (−3/5, 8). Logo
xv = (0 − 3/5)/2 = −3/10. Calculando yv = f (xv ) = f (−3/10) = 151/20 temos
  2
3 151
f (x) = 5 x − − + .
10 20

-3/5 -3/10