Você está na página 1de 55

CONJUNTOS NUMÉRICOS 1ª) Não se define 00.

2ª) As potências a2 e a3 costumam ser chamadas QUADRADO


Introdução de a e CUBO de a, respectivamente.

Praticamente todas as aplicações da Matemática envolvem A potenciação possui algumas propriedades importantes, que
números, como você pôde observar na aprendizagem progressiva apresentamos a seguir:
dessa ciência ao longo de sua vida. Por isso, torna-se  am  an = am + n
FUNDAMENTAL a necessidade de conhecer os CONJUNTOS am
  a m  n , (a  0 e m  n)
NUMÉRICOS. an
Os conjuntos numéricos que estudaremos são: NATURAIS,  (am)n = am . n
INTEIROS, RACIONAIS, IRRACIONAIS e REAIS.  (a  b)n = an  bn
n
CONJUNTO DOS NÚMEROS NATURAIS: IN a  an
    n , (b  0)
b b
Os números naturais sempre foram e ainda são usados nos
processos de contagem e nas operações. EXERCÍCIOS
O conjunto dos números naturais pode ser assim
representado:
1. Calcule o valor das expressões:
N = {0, 1, 2, 3, 4, 5, ..., n, ...}
a) 68+1 b) 10 : 2 + 3
c) 54 + 12 : 2 d) 30 : 10 + 5
O símbolo IN será usado para indicar o CONJUNTO dos
e) 60 + 20 : 20 f) 4  6 + 10 : 2
números naturais e a letra n, para indicar um ELEMENTO
QUALQUER desse conjunto. As reticências indicam que IN é g) 10 – 8 : 2 + 3 h) 32 : 4 : 2 : 2
um conjunto INFINITO.
O conjunto dos números naturais diferentes de zero é
representado pro IN*. Logo: 2. Calcule o valor das expressões:
a) 72 – 10 + (23 – 5) b) 15 + (15  6 + 4) : 5
3
N* = {1, 2, 3, 4, 5, ...} = IN – {0} c) 30 : (3  7 + 9) + 2 d) 23 + 100 : 5  32

Ou seja, o conjunto dos números naturais sem o zero. e) 2  1 5 16  f) 7 2



 81 : 26  36 
Representando alguns elementos de N na reta numerada,
temos: 3. Calcule o valor das expressões:
a) 30 + 10 : 10 b) 4  32 + 15 : 5
0 1 2 3 4 5 c) 7.800 : 100  2 + 4 d) 48 : 16 + 20 : 4
e) 32  (19 – 80 + 32) f) 25 + 22  3 – 2  3 + 1
Operações em IN
Respostas:
No conjunto IN definem-se as operações fundamentais 1.
ADIÇÃO e MULTIPLICAÇÃO. Suas inversas são, a) 49 b) 8 c) 60 d) 8
respectivamente a SUBTRAÇÃO e a DIVISÃO EXATA. e) 61 f) 29 g) 9 h) 2
Observe o quadro abaixo:
2.
a e b: parcelas a) 42 b) 17 c) 9 d) 1 e) 2 f) 2
Adição a+ b=c
c: soma ou total
a: minuendo 3.
Subtração a–b=c b: subtraendo a) 31 b) 39 c) 160 d) 8 e) 243 f) 32
c: resto
a e b: fatores Divisão com Resto
Multiplicação a  b = c
c: produto
a: dividendo Sejam a e b números naturais com b  0. Dividir a por b é
Divisão Exata a : b = c b: divisor encontrar dois números naturais q e r tais que:
c: quociente
a=bq+r (r < b)
Potenciação em IN

Seja a e n números naturais. Definimos a POTENCIAÇÃO O número a é o DIVIDENDO, b é o DIVISOR, q é o


em IN da seguinte maneira: QUOCIENTE e r é o RESTO da divisão.
 an = a  a  a  …  a (n vezes) (n  2) Obs.: O resto r deve sempre ser menor que o divisor b.
 a1 = a
 a0 = 1 Exemplo: Na divisão de 35 por 4, o quociente é 8 e o resto é 3.
Veja:
Exemplos: 35 4
 24 = 2  2  2  2 = 16 3 8
 51 = 5 Pois 35 = 4  8 + 3 e 3 < 4.
 30 = 1
Se, na divisão de a por b (b  0) encontramos o resto igual a
O número “a” é denominado BASE, o número “n” é o zero (r = 0), concluímos que a = b  q. Dizemos, então, que a
EXPOENTE e o resultado b é a POTÊNCIA. divisão de a por b é EXATA ou, ainda, que a é DIVISÍVEL por b
ou, ainda, que a é MÚLTIPLO de b e que b é DIVISOR de a.
Observações:

1
Um exemplo disso é a divisão de 45 por 9:  É divisível por 10, pois o algarismo das unidades é 0;
 Não é divisível por 11. Veja por quê: a soma dos algarismos
45 9 de ordem ímpar é 0 + 6 + 7 = 13. A soma dos algarismos de
0 5 ordem par é 5 + 9 + 3 = 17. Mas a diferença absoluta é 17 –
13 = 4, que não é divisível por 11.
Pois 45 = 9  5. Daí, 45 é múltiplo de 9, e 9 é divisor de 45.
EXERCÍCIOS
EXERCÍCIOS
1. Sem efetuar divisões, diga quais dos seguintes números são
1. (CAP-UERJ) O resultado da expressão (2.412 : 12 – 8) – 13 divisíveis por 2.
+ (48 – 6  2) é: a) 117 b) 330 c) 777
d) 55.552 e) 88.885 f) 99.908
a) 46 b) 98 c) 226 d) 228
2. Sem efetuar divisões, quais dos números a seguir, quais
deles são divisíveis por 3?
2. (PUC-MG) Na divisão do número natural p pelo número a) 123 b) 331 c) 509
natural m, o quociente é 13 e o resto, 5. O menor valor de p d) 681 e) 712 f) 888
é:
a) 18 b) 44 c) 57 d) 83 3. Considere os números: 540, 1.336, 4.775, 5.313, 6.308,
9.894 e 10.000. Diga quais deles são divisíveis por:
a) 4 b) 5
3. (UFMG) Na divisão de dois números naturais, o quociente é
16 e o resto é o maior possível. Se a soma do dividendo e do 4. Considere os números 3.456, 4.567, 5.678, 6.789 e 7.890.
divisor é 125, o resto é: Diga quais deles são divisíveis por:
a) 6 b) 8
a) 4 b) 5 c) 6 d) 7 c) 9 d) 10

5. (ESPCEX) Qual é o menor número que se deve subtrair de


Respostas: 21.316 para se obter um número que seja simultaneamente
1.d 2.d 3.c divisível por 5 e 9?

Critérios de Divisibilidade a) 1 b) 30 c) 42 d) 31

O processo geral para determinar se um número natural a é


divisível por um número natural b é efetuar a divisão e verificar 6. (ESPCEX) Determinar o menor número natural que se deve
se o resto obtido é zero. intercalar entre os algarismos 4 e 6 do número 146, para que
Esse processo é funcional, é claro, para números pequenos, o número assim obtido seja divisível por 4 e 6.
mas pouco prático para números maiores.
Existem alguns critérios que permitem verificar, sem efetuar a) 1 b) 3 c) 5 d) 7
a divisão, se um determinado número é divisível por 2, 3, 4, 5, 6,
8, 9, 10 ou 11. Assim, um número natural é divisível por: Respostas:
1. 55.552; 930; 99.908.
2 Se o algarismo das unidades é par, ou seja, for 0, 2, 4, 6 ou 8. 2. 123; 681; 888.
Se a soma dos valores absolutos de seus algarismos é 3.
3 a) 540; 1.336; 6.308; 10.000 b) 540; 4.775; 10.000
divisível por 3.
Se o número formado pelos dois últimos algarismos da
4 4.
direita é divisível por 4.
5 Se o algarismo das unidades é 0 ou 5. a) 3.456 e 7.890 b) 3.456
c) 3.456 d) 7.890
6 Se ele é divisível por 2 e 3 ao mesmo tempo.
Se o número formado pelos três últimos algarismos da
8 5. d 6. a
direita for divisível por 8 ou quando estes forem 000.
Se a soma dos valores absolutos de seus algarismos é
9 Múltiplos e Divisores
divisível por 9.
10 Se o algarismo das unidades é 0.
Se a diferença absoluta entre a soma dos algarismos de Dado um número natural n  0, convencionaremos
11 ordem ímpar e a soma dos algarismos de ordem par, representar por M(n) o conjunto dos MÚLTIPLOS de n e por
contados da direita para a esquerda, é divisível por 11. D(n) o conjunto dos DIVISORES de n.
O conjunto M(n) é formado por todos os números naturais
Exemplo: O número 379.650: que são divisíveis por n; e o conjunto D(n) é formado por todos
 É divisível por 2 porque o algarismo das unidades é par; os números naturais que dividem n com resto igual a zero.
 É divisível por 3 porque a soma dos seus algarismos 3 + 7 + Na prática, para obtermos os múltiplos de um número n  0,
9 + 6 + 5 + 0 = 30 e 30 é divisível por 3; basta multiplicarmos cada número natural por n.
 Não é divisível por 4 porque os dois últimos algarismos da
direita formam o número 50 que não é divisível por 4; Exemplos:
 É divisível por 5 porque o algarismo das unidades é 0;  M(5) = {5  0, 5  1, 5  2, 5  3, 5  4, ...} = {0, 5, 10, 15,
 É divisível por 6, pois é divisível por 2 e 3 ao mesmo tempo; 20, ...}
 Não é divisível por 8 porque os três últimos algarismos da  M(3) = {3  0, 3  1, 3  2, 3  3, 3  4, ...} = {0, 3, 6, 9,
direita formam o número 650 que não é divisível por 8; 12, ...}
 Não é divisível por 9 porque a soma dos algarismos é 30, e
30 não é divisível por 9;

2
Obs.: Em particular, os múltiplos de 2 são chamados naturais Os divisores comuns de 54, 48 e 36 são os elementos do
PARES. Os naturais que não são múltiplos de 2 são os naturais conjunto:
ÍMPARES. D(54)  D(48)  D(36) = {1, 2, 3, 6}

A determinação de todos os divisores de um número natural O maior desses divisores comuns (no caso, 6) é chamado
não-nulo é uma tarefa um pouco mais complexa, principalmente MÁXIMO DIVISOR COMUM de 54, 48 e 36. Escrevemos:
para números maiores.
Por ora, vejamos alguns exemplos simples em que basta MDC (54, 48, 36) = 6
efetuar divisões elementares.
Podemos, então, definir:
Exemplos:
 D(36) = {1, 2, 3, 4, 6, 9, 12, 18, 36}; Dados dois ou mais números naturais, chama-se MÁXIMO
 D(24) = {1, 2, 3, 4, 6, 8, 12, 24}; DIVISOR COMUM desses números o maior natural que é
 D(9) = {1, 3, 9}; divisor, ao mesmo tempo, de todos eles.
 D(7) = {1, 7}.
Regra Prática para Determinar MDC
Números Primos e Compostos
Exemplo: Vamos calcular o MDC (360, 816).
Seja n um número natural diferente de 0 e diferente de 1.
Dizemos que n é um número:
1º) Identificamos algum número primo que dividirá
 PRIMO se possui apenas dois divisores naturais: 1 e n (ele
OBRIGATORIAMENTE todos os números dados. Podemos
mesmo);
iniciar com o 2:
 COMPOSTO se possui ao menos um outro divisor natural
360, 816 2
além de 1 e n.
180, 408
Exemplos:
2º) Continuamos identificando números primos que dividirão AO
 17 é um número primo, pois D(17) = {1, 17};
MESMO TEMPO OBRIGATORIAMENTE todos os números
 12 é um número composto, pois D(12) = {1, 2, 3, 4, 6, 12}.
que resultarem das divisões anteriores. Faça isso sucessivamente
até não ser mais possível identificar um número primo que
Seja P o conjunto dos NÚMEROS PRIMOS. Assim:
dividirá ao mesmo tempo todos os números resultantes. Observe:
P = {2, 3, 5, 7, 11, 13, 17, 19, 23, ...}
360, 816 2
180, 408 2
Obs.1: 2 é o único número primo par do conjunto dos números
90, 204 2
primos.
45, 102 3
Obs.2: Lembre-se de que 1 NÃO é primo, por definição.
15, 34
O conjunto C dos NÚMEROS COMPOSTOS pode ser assim
(não há número primo que divide 15 e 34 ao mesmo tempo)
descrito:
C = {4, 6, 8, 9, 10, 12, 14, 15, 16, 18, ...}
3º) O MDC(360, 816) é o produto desses fatores, ou seja,
MDC(360, 816) = 23  3 = 24.
Decomposição em Fatores Primos (Fatoração)
Obs.: Existe um outro processo prático para determinação do
É de grande importância na teoria dos números naturais o MDC. É o método por DECOMPOSIÇÃO EM FATORES
seguinte teorema: PRIMOS. Como exemplo, vamos determinar o MDC (360, 816)
novamente, mas através deste método:
Todo número natural composto pode ser escrito, de forma
única, como um produto de fatores primos. 1º) Fatora-se completamente 360 e 816:
 360 = 23  32  5
O processo a que se refere esse teorema é chamado  816 = 24  3  17
FATORAÇÃO ou DECOMPOSIÇÃO EM FATORES PRIMOS.
2º) Tomemos os fatores comuns e de menor expoente dessa
Exemplo: Vamos decompor em fatores primos o número 2.520. fatoração: 23 e 3. O MDC (360, 816) será o produto desses
fatores:
2.520 2 MDC (360, 816) = 23 3 = 24
1.260 2
630 2 Portanto, 2.520 =
315 3 =2223357=
Mínimo Múltiplo Comum (MMC)
105 3 = 23  32  7
Consideremos, como exemplo, os conjuntos dos múltiplos de
35 5
6, 9 e 12:
7 7
 M(6) = {0, 6, 12, 18, 24, 30, 36, 42, 48, ...}
1
 M(9) = {0, 9, 18, 27, 36, 45, 54, 63, 72, ...}
 M(12) = {0, 12, 24, 36, 48, 60, 72, 84, ...}
Máximo Divisor Comum (MDC)
Os múltiplos comuns de 6, 9 e 12 são os elementos do
Consideremos, como exemplo, os conjuntos dos divisores de
conjunto:
54, 48 e 36:
M(6)  M(9)  M(12) = {0, 36, 72, 108, ...}
 D(54) = {1, 2, 3, 6, 9, 18, 27, 54}
 D(48) = {1, 2, 3, 4, 6, 8, 12, 16, 24, 48}
 D(36) = {1, 2, 3, 4, 6, 9, 12, 18, 36}

3
O menor desses múltiplos comuns diferente de zero (no caso,
36) é chamado MÍNIMO MÚLTIPLO COMUM de 6, 9 e 12. MDC (a, b)  MMC (a, b) = a  b
Escrevemos:
MMC (6, 9, 12) = 36 Exemplo: Sejam os números naturais 8 e 12. O MMC (8, 12)
=24 e o MDC (8, 12) = 4. Observe que MDC (8, 12)  MMC (8,
Podemos definir, portanto: 12) = 24  4 = 96 = 8  12 = a  b.

Dados dois ou mais números naturais, chama-se MÍNIMO Problemas de Aplicação de MDC e MMC
MÚLTIPLO COMUM desses números o menor natural não-
nulo que é múltiplo ao mesmo tempo de todos eles. Muitos problemas práticos podem ser resolvidos através dos
conceitos de MDC e MMC. Vejamos alguns exemplos.
Regra Prática para Determinar MMC
Exemplo 01: Três cometas A, B e C passam próximos à Terra
Exemplo: Vamos calcular o MMC (360, 150, 45): em intervalos regulares de 12 anos, 15 anos e 35 anos,
respectivamente. Se os três passaram em 1930, em que ano
1º) Identificamos algum número primo que divide pelo menos ocorrerá novamente a passagem dos três?
um dos números dados. Podemos iniciar com o 2. Agora,
efetuamos as divisões (quando exatas) e repetimos o número Resolução:
(quando a divisão não é exata). Vejamos quantos anos devem transcorrer, após 1.930, para que
cada um dos cometas passe próximo à Terra:
360, 150, 45 2  A  12, 24, 36, 48, ...
180, 75, 45  B  15, 30, 45, 60, ...
 C  35, 70, 105, 140, ...
2º) Continuamos a divisão pelo mesmo número 2, enquanto
houver pelo menos uma divisão exata. Observe que, na verdade, estamos trabalhando com os
MÚLTIPLOS não nulos de 12, 15 e 35.
360, 150, 45 2 É claro que o tempo a transcorrer (em anos) para a próxima
180, 75, 45 2 passagem dos três cometas é o MENOR MÚLTIPLO COMUM
90, 75, 45 2 (MMC) de 12, 15 e 35.
45, 75, 45 Como MMC(12, 15, 35) = 22.3.5.7 = 420, logo, o fenômeno
ocorrerá novamente daqui há 420 anos, ou seja, no ano 2.350
3º) Não havendo agora, na última linha, nenhum número (1.930 + 420).
divisível por 2, procuramos algum outro número primo que Resposta: ano 2.350.
divide pelo menos um deles. Pode ser o 3. Continuamos com esse
procedimento até que na última linha só apareça o número 1. Exemplo 02: Possuo três peças de tecido medindo 60m, 48m e
32m. Desejo recortá-las em pedaços de mesmo comprimento, do
360, 150, 45 2 maior tamanho possível, sem que haja perda de tecido. Qual será
180, 75, 45 2 a medida de cada pedaço e quantos serão os pedaços obtidos?
90, 75, 45 2
45, 75, 45 3 Resolução:
15, 25, 15 3 Para que não haja perda de tecido, a medida de cada pedaço
5, 25, 5 5 deverá ser, em metros, um DIVISOR COMUM de 60, 48 e 32.
1, 5, 1 5 Para que o pedaço seja do MAIOR tamanho possível, basta tomar
1, 1, 1 o MAIOR DIVISOR COMUM (MDC) daqueles três números.
Como MDC(60, 48, 32) = 4, concluímos que cada pedaço deverá
4º) O produto dos números primos à direita do traço vertical é o medir 4m.
MMC dos três números. Portanto:  A primeira peça dará 60  4 = 15 pedaços
 A segunda peça dará 48  4 = 12 pedaços
MMC(360, 150, 45) = 23  32  52 = 1.800  A terceira peça dará 32  4 = 8 pedaços
Teremos, então, no total, 35 pedaços.
Obs.: Existe um outro processo prático para determinação do Resposta: 35 pedaços de 4m cada um.
MMC. É o método por DECOMPOSIÇÃO EM FATORES
PRIMOS. Como exemplo, vamos determinar o MMC (360, 150, EXERCÍCIOS
45) novamente, mas através deste método:
1. Verifique quais são números primos: 103, 105, 107, 117,
1º) Fatora-se completamente 360, 150 e 45 : 147, 998.
 360 = 23  32  5
 150 = 2  3  52 2. Determine o MDC dos números a seguir:
 45 = 32  5 a) mdc (35, 10) b) mdc (30, 18) c) mdc (15, 40)
d) mdc (46, 22) e) mdc (85, 75) f) mdc (30, 42)
2º) Tomemos os fatores comuns de maior expoente dessa
fatoração e também os não comuns de maior expoente: 32, 52 e 3. Determine o MDC dos números a seguir:
23. O MMC (360, 150, 45) será o produto desses fatores: a) mdc (48, 80, 72) b) mdc (28, 16, 12)
c) mdc (84, 126, 210) d) mdc (520, 650, 720)
MMC (360, 150, 45) = 23  32  52 = 1.800
4. Determine:
Propriedade do MDC e MMC de dois números a) mmc (50, 75) b) mmc (60, 24)
naturais c) mmc (21, 30) d) mmc (28, 48)
e) mmc (5, 10, 15) f) mmc (10, 12, 45)
Dados dois números naturais a e b, temos que: g) mmc (6, 10, 30, 45) h) mmc (6, 8, 12, 15)

4
5. Determine: Problemas envolvendo Números Naturais
a) mmc (12, 18, 24) b) mmc (21, 28, 36)
c) mmc (48, 72, 100) d) mmc (18, 30, 72) Muitas questões de concursos envolvem problemas de
e) mmc (11, 33, 44) f) mmc (32, 51, 63) envolvendo números naturais. Neste tipo de problema, você deve
“traduzi-lo” da linguagem comum para a linguagem matemática.
6. Sejam os números A, B e C dados pelas suas fatorações Vamos traduzir para a linguagem matemática algumas frases
completas: da linguagem comum muito presentes em questões, utilizando a
 A = 53  7  112 letra “x” para representar o valor desconhecido:
 B = 2  3  72  11
 C = 2  52  7  13 Linguagem
Linguagem comum
Encontre os valores de: matemática
a) mdc (A, B) b) mdc (A, C) Um número natural x
c) mdc (B, C) d) mdc (A, B, C) O dobro de um número 2x
O triplo de um número, mais quinze 3x + 15
7. Se: O triplo de um número mais quinze 3(x + 15)
 A = 22  5  7 Um número mais o seu dobro e menos o
 B = 23  32  11 x + 2x – 3x
seu triplo
 C = 2  3  52  11 A soma de dois números consecutivos x + (x + 1)
Determine:
a) mmc (A, B) b) mmc (A, C) Na resolução de problemas, você deve:
c) mmc (B, C) d) mmc (A, B, C)  Representar com uma letra a incógnita do problema;
 Armar a equação do problema;
8. (UFMG) De uma praça partem, às 6 horas da manhã, dois  Resolver a equação;
ônibus A e B. Sabe-se que o ônibus A volta ao ponto de  Verificar se a solução satisfaz as condições do problema.
partida a cada 50 minutos, e o ônibus B, a cada 45 minutos.
O primeiro horário, após as 6 horas, em que os ônibus Exemplo 01: Um pai tem 37 anos e seu filho 7. Daqui a quantos
partirão juntos é: anos, a idade do pai será o triplo da idade do filho?
a) 7h 35min b) 11h 35min c) 11h 50min
d) 13h 30min e) 13h 50min Resolução:
 Idade do pai daqui a x anos: 37 + x
9. (UFMG) As dimensões de uma caixa retangular são 18cm,  idade do filho daqui a x anos: 7 + x
30cm e 48cm. O menor número possível de cubos iguais  Equação representando a idade do pai igual ao triplo da
que enchem totalmente essa caixa é: idade do filho daqui a x anos:
(37 + x) = 3  (7 + x)
a) 18 b) 48 c) 120 d) 144 e) 240 Resolução da equação:
(37 + x) = 3  (7 + x)  37 + x = 21 + 3x  37 – 21 = 3x – x 
10. (UFMG) O menor número inteiro positivo que, ao ser 16 = 2x  x = 16 : 2 = 8
dividido por qualquer um dos números, 2, 3, 5 ou 7, deixa Prova:
resto 1, é:  Idade do meu pai: 37 + 8 = 45 anos;
a) 106 b) 210 c) 211 d) 420 e) 421  Idade do filho: 7 + 8 = 15 anos.
Portanto, a idade do pai (45 anos) é igual ao triplo da idade do
filho (15 anos).
11. (CEFET-MG) Dois números têm para mínimo múltiplo Resposta: Daqui a 8 anos.
comum 240, e para máximo divisor comum 20. Calcule a
soma desses números sabendo que um deles é 60. Exemplo 02: Pensei em um número; multipliquei-o por 3; somei
12 ao resultado; dividi o resultado por 3 e obtive 19. Qual o
a) 260 b) 280 c) 140 d) 160 e) 120 número pensado?
Respostas: Resolução:
1. 103 e 107. Basta fazer os passos do problema ao contrário, assim:
2.  1º passo: 19  3 = 57
a) 5 b) 6 c) 5 d) 2 e) 5 f) 2  2º passo: 57 – 12 = 45
 3º passo: 45 : 3 = 15
3. Portanto, o número pensado é o 15.
a) 8 b) 4 c) 42 d) 10 Prova: (15  3 + 12) : 3 = 19
Resposta: 15.
4.
a) 150 b) 120 c) 210 d) 336
e) 30 f) 60 g) 90 h) 120 EXERCÍCIOS

5. 1. (PUC-RJ) Um escritor escreveu, em um certo dia, as 20


a) 72 b) 252 c) 3.600 d) 360 e) 132 f)34272 primeiras páginas de um livro. A partir desse dia, ele
escreveu, em cada dia, tantas páginas quantas havia escrito
6. no dia anterior, mais 5 páginas. Se o escritor trabalhou 4
a) 77 b) 175 c) 14 d) 7 dias, ele escreveu:
a) 80 páginas b) 85 páginas
7. c) 95 páginas d) 110 páginas
a)23.32.5.7.11 b)22.52.3.7.11 c) 23.32.52.11 d)23.32.52.7.11
2. (FGV-SP) Um vendedor de vinhos quer reduzir o preço de
8.d 9.c 10.c 11.c seu vinho de R$ 5,00 para R$ 4,00 o litro, sem reduzir sua
receita de vendas. Para isso, ele quer adicionar água ao seu
5
vinho. Tendo um estoque de 320 litros, o vendedor deverá Assim:
adicionar:  O oposto de +3 é – 3.  O oposto de – 3 é +3
a) de 50 a 100 litros de água.  O oposto de – 9 é + 9  O oposto de 18 é – 18
b) de 150 a 200 litros de água.
c) menos de 50 litros de água. Obs.: O oposto de zero é o próprio zero.
d) exatamente 50 litros de água.
Módulo (ou Valor Absoluto)
3. (UNIRIO) Três dúzias de ovos valem 4 dúzias de maçãs; 5
dúzias de maçãs valem 3 dúzias de pêras. Sabendo que uma Chamamos de MÓDULO ou VALOR ABSOLUTO de um
dúzias de pêras custa R$ 6,00, podemos afirmar que uma número inteiro a distância, em unidades, desse número até o zero,
dúzia de ovos custará: na reta dos inteiros.

a) R$ 4,60 b) R$ 4,80 c) R$ 5,00 d) R$ 5,20


-4 -3 -2 -1 0 +1 +2 +3 +4
4. (CESGRANRIO) César tem 15 lápis a mais que Osmar, e
José tem 12 lápis a menos que Osmar. O total de lápis é 63. 3 unidades 3 unidades
Quantos lápis tem Osmar?
Assim, por exemplo, o módulo de 3 é igual ao módulo de – 3,
a) 21 b) 20 c) 19 d) 18 uma vez que ambos estão à igual distância do zero na reta dos
inteiros.
Respostas: Veja:
1.d 2.a 3.b 4. b  O módulo de +3 é igual a 3 (indica-se | +3 | = 3);
 O módulo de – 3 é igual a 3 (indica-se | - 3 | = 3).
CONJUNTO DOS NÚMEROS INTEIROS: Z
Vejamos estes outros exemplos:
Os números inteiros freqüentemente são usados em situações  | +6 | = 6  | -15 | = 15  | -78 | = 78
que envolvem uma certa SIMETRIA.
Obs.: O módulo de zero é o próprio zero.
Exemplos:
 Registro de temperaturas acima e abaixo de 0ºC, ou seja, Operações em Z
temperaturas positivas e negativas;
 Registro de saldos credores e saldos devedores, ou seja,
Sem entrar em detalhes teóricos, vamos relembrar com
saldos positivos e negativos;
exemplos práticos as operações elementares em Z.
O conjunto dos números inteiros é assim representado:
Adição e Subtração
Z = {..., -5, -4, -3, -2, -1, 0, 1, 2, 3, 4, 5, ...}
Exemplos:
 3 – 7 – 2 + 6 – 4 – 9 + 5 = 3 + 6 + 5 – 7 – 2 – 4 – 9 = 14 –
Representando alguns elementos de Z na reta numerada,
22 = - 8
temos:
 (-5) – 7 – (-13) – 2 = - 5 – 7 + 13 – 2 = 13 – 5 – 7 – 2 = 13 –
14 = - 1
-4 -3 -2 -1 0 +1 +2 +3 +4

Convém destacar os seguintes subconjuntos de Z: Multiplicação e Divisão Exata


 Z* = Z – {0} = {..., -3, -2, -1, 1, 2, 3, ...} (inteiros sem o É importante relembrar as seguintes regras de sinais:
zero, ou seja, apenas positivos e negativos).
 Z+ = {0, 1, 2, 3, 4, ...} (inteiros positivos e mais o zero, ou a > 0 e b > 0  a.b > 0 e a : b > 0
seja, não-negativos).
a>0eb<0a.b<0ea:b<0
 Z  = {..., -4, -3, -2, -1, 0} (inteiros negativos e mais o zero,
a<0eb<0a.b>0ea:b>0
ou seja, não positivos). Exemplos:
 Z* = Z+ - {0} = {1, 2, 3, 4, ...} (inteiros positivos).
 (-3)  (-6)  (+5) = (+18)  (+5) = +90
 Z* = Z- - {0} = {..., -4, -3, -2, -1} (inteiros negativos). (5)  (3)  (9) ( 5)  ( 27) 5  27 22
     11
(2) (  2) 2 2
No conjunto Z, é sempre possível efetuar a adição, a
multiplicação e a subtração; já a divisão entre dois números
inteiros nem sempre resulta num número inteiro. Potenciação com Expoente Natural

A partir das regras de sinais da multiplicação, podemos


Números Opostos ou Simétricos deduzir as regras de sinais para a potenciação com expoente
natural.
Os NÚMEROS OPOSTOS são aqueles que se situam à
mesma distância do zero, em lados opostos da reta dos inteiros.
Exemplos:
 (-5)2 = (-5)  (-5) = 25
 (-2)3 = (-2)  (-2)  (-2) = -8
-4 -3 -2 -1 0 +1 +2 +3 +4
 (-7)1 = -7
 (-3)0 = 1

Oposto Obs.: É importante estar atento para a diferença entre as


potências –24 e (-2)4, veja:

6
 -24 = -2  2  2  2 = -16 8. (CORREIOS/2007) Qual é o resultado do produto de
(-2)4 = (-2)  (-2)  (-2)  (-2) = 16

 3  pelo simétrico da diferença entre –9 e o cubo de
1 2

Portanto: 3 ?
se a < 0 e n é par, então an > 0; 1
a) –2 b) –1 c)  d) 0
se a < 0 e n é ímpar, então an < 0. 18

Representação dos Números Inteiros no diagrama de Respostas:


Venn 1.
a) 11 b) – 7 c) – 5 d) – 1
O diagrama de Venn é uma figura plana qualquer que e) – 62 f) – 48 g) – 175 h) 0
representa um determinado conjunto. Abaixo, o conjunto dos
números inteiros está representado por esse tipo de diagrama. 2.
Observe que o conjunto dos números naturais está contido no a) 6 b) – 18 c) – 9 d) – 37 e) 7 f) – 25
conjunto dos inteiros.
3.
Z a) – 8 b) – 33 c) – 40 d) 0 e) – 70
N (N  Z) f) 53 g) 12 h) 78 i) – 74 j) – 6

4.
a) 3 b) – 16 c) 0 d) 10
EXERCÍCIOS e) 17 f) 21 g) 17 h) 39

5.
1. Calcule:
a) 94 b) 1 c) 8 d) – 59 e) – 1.700
a) 15 – 7 + 3 b) –4–2–1
f) 32 g) 10 h) – 9 i) 63 j) – 1
c) –9+6–2 d) 8 + 14 – 23
e) 10 – 53 – 19 f) – 70 – 28 + 50
6. d 7. b 8. a
g) 152 – 436 + 109 h) – 65 + 55 + 45 – 35

2. Calcule o valor das expressões:


CONJUNTO DOS NÚMEROS RACIONAIS: Q
a) (- 5 + 9) + [ - 4 + (5 – 2 + 6) – 9 ] – (1 – 7)
b) – 20 + { - 5 + [ (- 12 + 30) + (- 4 – 7)]} A divisão nem sempre é possível no conjunto Z. Observe:
c) - 4 + (5 – 6) + 5 – [ 3 – (2 – 3) + 4 ] + 8 – 9 30 13
 6  Z , mas Z
d) – 18 + { - 2 – [ 10 – 4 + (- 1 – 5) + 11 ]} – 6 5 2
e) 13 – [ - 1 – (5 – 6 – 7) - 2 + [ - 3 – (4 – 6) + 2]
f) – {7 + 11 – [ (- 5 + 11) – 8 ]} + [- 10 – (2 – 17)] Introduzindo-se os conceitos de fração e número racional é
que passa a ter sentido a segunda divisão apresentada acima.
3. Calcule o valor das expressões: Chamamos NÚMERO RACIONAL todo número obtido da
a) 4  3 – 20 b) 15 – 6  8 divisão (razão) entre dois inteiros, com o divisor não nulo.
c) 12  5 – 100 d) – 40 + 8  5 São racionais: OS INTEIROS, OS DECIMAIS EXATOS E
e) – 28 – 6  7 f) 35 + (- 9)  (- 2) AS DÍZIMAS PERIÓDICAS.
g) 18 – (- 6)  (- 1) h) (- 4)  (- 7) + 50
i) – 20 + (- 6)  (+ 9) j) (+ 8)  (- 2) + 10 Exemplos:
12 12
   4 (inteiro)
4. Calcule o valor das expressões: 3 3
a) (- 12) : 3 + 7 b) 50 : (- 2) + 9 13 13
c) – 16 + 48 : 3 d) (- 54) : (- 6) + 1    3,25 (decimal exato)
4 4
e) 7 : (- 7) + 9  2 f) 36 : (- 4) + 5  6
8 8
g) (- 1.350) : (- 50) – 10 h) 42 : 6 + (- 1.056) : (- 33)    2,666... (dízima periódica)
3 3
5. Calcule o valor das expressões:
a) 45 + (- 7)2 b) 26 – (+ 5)2 Todo número racional pode ser escrito na forma de número
c) 10 – (- 2)3 d) – 32 + (- 3)3 inteiro ou decimal exato ou dízima periódica, conforme se
e) (- 10)3 – 700 f) (- 2)4 + (- 4)2 observa nos exemplos acima.
g) (- 3)2 + 50 h) (- 2)3 + (- 1)9 Podemos definir, portanto, o CONJUNTO DOS NÚMEROS
i) (- 8)2 – 2 – (- 1) j) (- 1)7 – (- 1)6 – (- 1)5 RACIONAIS da seguinte forma:

6. (CESGRANRIO) Se a2 = 996, b3 = 997 e c4 = 998, então  a 


Q  x | x  , a  Z, b  Z *
(abc)12 vale:  b 
a) 9912 b) 9921/2 c) 9928 d) 9988 e) 9999
Representando alguns elementos de Q na reta numérica,
temos:
7. (CORREIOS/2007) O valor numérico da expressão
3
 271.312  318  2 1 5
  é: -1  0 +1  +2
 125  3 2 3
 
Observe que o conjunto Q é uma ampliação de Z, pois os
a) 5.333 b) 29336 c) 512330 d) 236339
racionais incluem os inteiros, acrescidos dos decimais exatos e
periódicos.

7
O conjunto Q* é constituído, é claro, pelos números racionais Para multiplicarmos frações, multiplicamos entre si os
diferentes de zero. numeradores e, em seguida, multiplicamos entre si os
a denominadores. A fração resultante pode ser simplificada, se
A forma (com b  0) usada para representar um racional é possível.
b
denominada FRAÇÃO. O inteiro a é o NUMERADOR e o
inteiro b é o DENOMINADOR da fração. Exemplo:
 2  6 5 (  2)  6  5 60 1
      
Equivalência de Racionais  3  5 8 3 5  8 120 2

No conjunto Q dos racionais define-se a relação de Na prática, podemos efetuar simplificações de numeradores
EQUIVALÊNCIA da seguinte forma: com denominadores (ainda que de frações diferentes) antes de
multiplicar.
a c
  ad  bc
b d Exemplo:
1 1
Exemplo: 3 5 4 3.1.1 3
3 6  . .  
  porque 3  8 = (-4)  (-6) = 24 5 8 7 1.2.7 14
4 8 1 2

Como conseqüência importante desta definição, podemos Inverso de um Número Racional


dizer que uma fração não se altera se multiplicarmos ou a
dividirmos numerador e denominador por um mesmo inteiro não- Chama-se INVERSO de um número racional 0o
b
nulo. Em símbolos:
b
a ap número racional  0 , obtido do primeiro invertendo-se
 (p  0) a
b bp
numerador e denominador.
Exemplo:
3 3 2 6 6  10 60 60 : 5 12 Exemplos:
      
5 5 2 10 10  10 100 100 : 5 20 3 5 8 7
 O inverso de é  O inverso de  é 
5 3 7 8
Reduzindo Frações ao Mesmo Denominador 1 1
 O inverso de 5 é  O inverso de – 10 é
5 10
É útil, especialmente na adição e subtração, reduzir frações
ao mínimo denominador comum. Para isso, tomamos o mínimo Observações:
múltiplo comum dos denominadores como denominador comum 1ª) Não se define o inverso de zero;
e utilizamos a igualdade de frações. 2ª) O produto de um racional pelo seu inverso é igual a 1. De
a b ab
fato:   1.
2 3 b a ab
Exemplo: Vamos reduzir e ao mínimo denominador
3 4
comum. Divisão de Frações
Como MMC (3, 4) = 12, temos:
Para dividir duas frações, multiplicamos a primeira pelo
2 2 4 8 3 3 3 9
       inverso da segunda.
3 3 4 12 4 43 12
Exemplos:
Operando com Frações 3  1  3  2  6 3
 :       
8  2  8  1  8 4
Adição e Subtração de Frações
6
Para adicionar (ou subtrair) frações de mesmo denominador,
 5  6  1  6  2
conservamos o denominador e adicionamos (ou subtraímos) os 3 5 3 15 5
numeradores.
O inverso de um número racional m pode ser indicado por
Exemplo: 1
3 7 6 3  7  6 2 2 (m  0).
      m
5 5 5 5 5 5
Exemplo:
Se as frações têm denominadores diferentes, basta reduzi-los 7 1 13 13
ao mesmo denominador e proceder como no caso anterior.  O inverso de é  1. 
13 7 7 7
Exemplos: 13
3 1 2 9 4 16 9  4  16 3 1 Potenciação de Frações – Expoente Natural
        
8 6 3 24 24 24 24 24 8 Para se elevar uma fração a um expoente natural, elevam-se
3 1 20 6 5 20  6  5 19 numerador e denominador a esse expoente.
 2      
5 2 10 10 10 10 10
Exemplos:
2 3
Multiplicação de Frações  3 32 9  2 ( 2 ) 3  8 8
    2       
5
  5 25  3 33 27 27

8
1 0 5 2
 13  13  31   1  2  1 
        1 c)   d)   
 21  21  18   10  3  3
2 2
Potenciação de Frações – Expoente Inteiro Negativo 3  1   1  2
e)     4 f)    3
2  2   2 
a 2 2
Sendo  0 um número racional, definimos a potenciação  5  1 
b g)   h)  
8   6 
com expoente inteiro negativo da seguinte forma:
i) 4-2 j) (- 2)-4
n n
a  b Respostas:
    (n  IN)
b a  1.
a) 2 b) -13/8 c) -19/42
Observe que basta tomar o inverso da base e elevar ao d) -1/12 e) 0 f) 5/12
expoente natural simétrico.
2.
Exemplos: a) 7/3 b) -5/6 c) 10/27 d) 7/5 e) 11/8 f) 91/12
3 3 3
 2  3 ( 3) 27 3.
       
 3  2 23 8 a) -5/6 b) -18/7 c) -11/6 d) 3/5 e) 36/49 f) 3/2
4 4
1 1 1
 2 4     4  4.
2
  2 16 a) 9/4 b) -8/27 c) -1/105 d) 7/9 e) -9/4
f) -35/4 g) 64/25 h) 36 i) 1/16 j) 1/16
Obs.: 0-5 não se define, pois não existe o inverso de 0.
Forma Decimal dos Números Racionais
A partir dessa definição, o inverso de um número racional x 
1 Conforme já vimos, todo racional resulta da divisão de dois
0 pode ser indicado por ou x-1.
x inteiros. Essa razão ou é um número inteiro ou pode ser escrita na
forma de NÚMERO DECIMAL.
Para isso, basta efetuar a divisão do numerador pelo
EXERCÍCIOS
denominador da fração. Caso a divisão não resulte em inteiro,
podemos obter, então:
1. Calcule:
5 2  1  1  1 I) Um NÚMERO DECIMAL EXATO, ou seja, com número
a)     b)  2    
3 3  3  2  8 finito de casas decimais.
 1  1  2  2  1   3 
c)       d)       Exemplos:
 3 6  7  5  3  4  3 5
   0,75   0,3125
5  1   1   1   1   2  4 16
e)       f)        
12  4   6   4   2   3 
II) Uma DÍZIMA PERIÓDICA, ou seja, com infinitas casas
2. Efetue as multiplicações: decimais.
 1   5  4 
a) ( 7 )     b)    Exemplos:
 3  8   3  2 83
  0,666...   1,10666...
 1  5   1  2 3 75
c) ( 2)         d)  3  .
 3  9   2  5
 1  3   1 1  3 
Frações Decimais
e)   1  .  2   f) 1   .  5 
 2  4   2 3  2  Chamamos de FRAÇÕES DECIMAIS as frações de
denominador uma potência de 10 (10, 100, 1.000, 10.000, etc).
3. Efetue as divisões:
 1   2   7  Exemplos:
a)   :   b)  6 :  
3 21 37
 3  5   3    
10 100 1000
1  1   1 
3 d) 1   :  3  
c) 4  2   2 
3 Transformando Número Decimal em Fração

2 A transformação de um número decimal em fração é feita
1 3 2 9 aplicando-se algumas regras práticas que apresentamos a seguir.
1 f) : :
e) 7 4 3 12 Veremos como proceder para o caso dos decimais exatos e,
1 3 posteriormente, para as dízimas periódicas.

3 2
Transformando Decimal Exato em Fração Inteira
4. Calcule o valor de cada expressão:
2 3 Escrevemos o número sem a vírgula e colocamos, no
 3   2  denominador, uma potência de base 10 com expoente igual ao
a)   b)  
 2   3  número de casas decimais do número dado.
9
Exemplos: Exemplo: Multiplique 2,3 por 0,138.
34 34 17 3 3 138
 3,4  1    0,003  3   2,3  0,138 
10 5 1000  23
10 10
3174
Leitura de um Número Decimal
Uma casa decimal do 2,3 mais três casas decimais de 0,138 é
igual a 4 casas decimais que deverá ter o resultado 3174. Logo:
No número decimal exato, temos a PARTE INTEIRA e a
2,3  0,138 = 0,3174
PARTE DECIMAL. A parte inteira é o numeral à esquerda da
vírgula; e a parte decimal é o numeral à direita da vírgula.
Divisão de Decimais
Exemplo: No decimal exato 3,52:
Do dividendo e do divisor, observe qual deles possui maior
 3 é a parte inteira;  52 é a parte decimal. número de casas decimais. Avance (para a direita) esse mesmo
número de casas decimais nos dois números. Assim você estará
Para se ler um número decimal, procede-se do seguinte transformando-os em inteiros. Daí é só realizar a divisão
modo: normalmente. Se dividendo e divisor possuírem mesmo número
1º) Lêem-se os inteiros; de casas decimais, apenas elimine a vírgula e faça a divisão.
2º) Lê-se a parte decimal, seguida da palavra:
 décimos – se houver apenas uma casa decimal; Exemplo 01: Dividir 32,4 por 0,008.
 centésimos – se houver apenas duas casas decimais;
 milésimos – se houver apenas três casas decimais; Como 0,008 possui o maior número de casas decimais (3),
 décimos de milésimos – se houver apenas quatro casas avançaremos 3 casas no 0,008 e também no 32,4. Daí:
decimais;  32,4 : 0,008 = 32400 : 8 = 4050
 centésimos de milésimos – se houver apenas cinco casas
decimais; Exemplo 02: Dividir 0,32 por 0,04.
E assim por diante.
Como 0,32 e 0,04 possuem mesmo número de casas decimais,
Exemplos: basta eliminar a vírgula e fazer a divisão. Daí:
 1,7 – um inteiro e sete décimos;  0,32 : 0,04 = 32 : 4 = 8
 5,23 – cinco inteiros e vinte e três centésimos;
 12,006 – doze inteiros e seis milésimos. Potenciação de Números Decimais Exatos

Obs.: Quando a parte inteira for zero, lê-se apenas a parte A potenciação é uma multiplicação de fatores iguais.
decimal.
Exemplos:
Exemplos:  (1,3)2 = 1,3  1,3 = 1,69
 0,34 – trinta e quatro centésimos;  (0,4)3 = 0,4  0,4  0,4 = 0,064
 0,089 – oitenta e nove milésimos
 0,1 – um décimo. Vale observar que são válidas as convenções para os
expoentes um e zero.
Operando com Números Decimais  (8,72)1 = 8,72  (6,49)0 = 1

As operações elementares com números decimais obedecem A Radiciação no Conjunto dos Racionais
a regras simples, conforme veremos a seguir.
Sendo a um número racional e n um número natural não-
Adição e Subtração de Decimais nulo, definimos RAIZ ENÉSIMA de a  a  da seguinte forma:
n

Colocamos vírgula embaixo de vírgula e efetuamos a


operação normalmente. Na subtração, é importante que o
n
a  b  bn  a
minuendo tenha no mínimo o mesmo número de casas decimais Exemplos:
que o subtraendo; caso, contrário, completamos o minuendo com  2
9  3 porque 32 = 9
zeros.
 5
32  2 porque 25 = 32
Exemplo 01: Some 31,45 com 2,137. 81 3 3 81
4
31,450  4  porque   
 31,45 + 2,137  16 2 2
  16
- 2,137
3
33,587 1 1  1 1
 3    porque     
125 5  5 125
Exemplo 02: Subtraia 3,158 de 6,4.
6,400 Na igualdade n a  b , n é o ÍNDICE, a é o RADICANDO e
 6,4 – 3,158 
- 3,158 b é a RAIZ ENÉSIMA de a.
3,242
Observações:
Multiplicação de Decimais 1ª) O índice 2 pode ser omitido. Assim: 2
a  a.
Efetuamos normalmente a multiplicação dos dois fatores sem 2ª) Não se define a raiz enésima de a  a quando n for par e a
n

as vírgulas. Posteriormente, retorne (para esquerda) do resultado for negativo (  9 , por exemplo, não existe).
final um número de casas decimais igual à soma dos números de
3ª) É importante lembra que são verdadeiras as igualdades
casas decimais dos dois fatores.
16  4 e  16  4 ; mas é FALSA a igualdade 16  4 .

10
Potenciação de racionais – Expoente Racional 2.
a) 0,07 b) 0,009 c) 2,4 d) 7,21
Sendo p um número racional, definimos a potenciação com e) 0,015 f) 0,0005 g) 9,02 h) 8,028
expoente racional da seguinte forma:
3.
m a) 0,3 b) 0,27 c) 51,9 d) 312,7 e) 0,87
n
am  an f) 2,49 g) 13,64 h) 0,698 i) 4,762 j) 0,0051

4.
(Com m  Z, n  N* - {1}) a) 4,3 b) 1,88 c) 9,46 d) 11,78
Exemplos: e) 15,44 f) 1,393 g) 1,2 h) 6,48
3
2
 8  23  2 2 5.
1 a) 2 b) 11,2 c) 25,1 d) 3,2 e) 7,49 f) 0
2
 20,5  22  21  2
1 1 9 6.
 5120,111 ...  512 9  29   9  2 9  21  2
a) 2,99 b)13,51 c)1,008 d) 1 e) 0,17 f) 5,95

Dízimas Periódicas
EXERCÍCIOS
Dízimas periódicas são racionais que, na sua forma decimal,
1. Escreva por extenso os números: possuem INFINITAS e PERIÓDICAS CASAS DECIMAIS.
a) 0,8 b) 0,27 c) 0,003
d) 1,9 e) 2,63 f) 10,245 Exemplos:
2 1
2. Represente os decimais com algarismos:   0,666...   0,1666...
3 6
a) sete centésimos
b) nove milésimos Numa dízima periódica, existe um numeral que se repete,
c) dois inteiros e quatro décimos logo após a vírgula. A esse numeral chamamos PERÍODO da
d) seis inteiros e vinte e um centésimos dízima.
e) quinze milésimos Ao numeral à esquerda da vírgula, chamamos PARTE
f) cinco décimos de milésimos INTEIRA (ou simplesmente INTEIRO) da dízima.
g) nove inteiros e dois centésimos Há ainda algumas dízimas periódicas que possuem, além da
h) oito inteiros e vinte e oito milésimos parte inteira e do período, um outro numeral que também se situa
após a vírgula mas antes do período no qual chamamos
3. Transforme as frações decimais em números decimais: ANTEPERÍODO.
3 27 519 3.127
a) b) c) d)
10 10 10 10 Exemplos:
87 249 1.364 698  Na dízima 0,666... , 0 (zero) é a parte inteira e 6 é o período;
e) f) g) h)  Na dízima 0,1666... , 0 (zero) é a parte inteira, 6 é o período
100 100 100 1000
e 1 é o anteperíodo.
4.762 51
i) j)
10.000 10.000 Classificação das Dízimas Periódicas
4. Calcule: As dízimas periódicas se classificam em DÍZIMAS
PERIÓDICAS SIMPLES e DÍZIMAS PERIÓDICAS
a) 4 – 1,8 + 2,1 b) 3,2 – 1,5 + 0,18 COMPOSTAS.
c) 18,3 + 0,16 – 9 d) 10,9 + 7,1 – 6,22
e) 10 + (18 – 12,56) f) 1,703 – (1,35 – 1,04) Uma dízima periódica é simples quando possui apenas
g) (5,8 – 2,6) – (7,2 – 5,2) h) (4 + 3,75) – (0,23 + 1,04) PARTE INTEIRA e PERÍODO.
5. Calcule o valor das expressões:
Exemplos:
a) 3  1,5 – 2,5 b) 8 + 2  1,6
 2,888...  5,242424...  0,123123...
c) 6,5  4 – 0,9 d) 0,6  3 + 1,4
e) 3,9  5 – 12,01 f) 1,6  1,6 – 2,56
Uma dízima periódica é COMPOSTA quando possui
PARTE INTEIRA, PERÍODO e ANTEPERÍODO.
6. Calcule o valor das expressões:
a) 3 – (0,1)2 b) 15,2 – (1,3)2
c) (6,5)0 + (0,2)3 d) (0,6)2 + (0,8)2 Exemplos:
5 + (1,2)2 – (0,7)2  2,4888...  5,71222...  3,0232323...
e) 4  (0,5)2 – 0,83 f)

Respostas: Transformando Dízimas Periódicas em Fração Inteira


1.
a) Oito décimos. Dízimas Simples
b) Vinte e sete centésimos.
c) Três milésimos. Para transformarmos uma dízima periódica simples numa
d) Um inteiro e nove décimos. fração inteira, adicionamos à parte inteira uma fração cujo
e) Dois inteiros e sessenta e três centésimos. numerador é o período da dízima e cujo denominador é um
f) Dez inteiros e duzentos e quarenta e cinco milésimos. número formado por tantos noves quantos são os algarismos do
período.

11
Exemplos: Caso 02: Números Decimais Exatos
31 31 3 7
 0,313131...  0    2,333...  2  
99 99 9 3 Todo número decimal exato pode ser escrito como um fator
de uma potência de 10. Observe:
Dízima Periódica Composta
Exemplo 02: Escrever o número 0,000032 como um fator de
No caso da dízima periódica composta, avance a vírgula uma potência de base 10.
(para direita) tantas casas decimais quanto o número de
algarismos do anteperíodo e coloque no denominador da dízima Solução:
uma potência de base 10 com expoente igual ao número de Elimine a vírgula do número decimal; com o novo número (32,
algarismos do anteperíodo. sem vírgula nem casas decimais), divida-o por uma potência de
10 com expoente igual ao número de casas decimais do número
original. Leve para o numerador a potência de 10 com expoente
Exemplos:
negativo. Ou seja:
2 308
34  32
34,222... 9  9  308   154 0,000032 = 6  32.10  6
 3,4222...   10
10 10 10 90 45
Portanto, 0,000032 = 32.10-6
5
12 
12,555... 9  113
 0,12555...  2
 EXERCÍCIOS
10 100 900
1. Escreva os seguintes números como fatores de potência de
EXERCÍCIOS 108:
a) 52.000.000.000 b) 12.500.000.000
1. Escreva sob forma de frações: c) 4.581.000.000 d) 100.000
a) 0,555... b) 0,373737...
c) – 0,888... d) – 1,212121... 2. Escreva os seguintes números como fatores de 10-5:
e) 0,050505... f) 2,010101... a) 0,00006 b) 0,00000125
g) 0,5666... h) 1,4333... c) 0,000854 d) 0,00007218

2. Calcule: Respostas:
1 4 1.
a) 0,777... + b) – 0,555... a) 520.108 b) 125.108 c) 45,81.108 d) 0,001.108
2 3
2
1  2.
c) 0,222... –   d) 5– 0,444... a) 6.10-5 b) 0,125.10-5 c) 85,4.10-5 d) 7,218.10-5
 3
1 2 1 Representação dos Números Racionais no diagrama de
e) 2+ f) 0,555... + -
3  0,666... 3 6 Venn
1  1  2
g) 100 – 0,111... + h)  0,222...   : No diagrama de Venn, o Conjunto dos Números Racionais
12  3 3
pode ser representado da maneira a seguir:
Respostas:
1.
a) 5/9 b) 37/99 c) -8/9 d) 40/33
e) 5/99 f) 199/99 g) 17/30 h) 43/30 Q Z N (N  Z  N)
2.
a) 23/18 b) 7/9 c) 1/9 d) 13/3
e) 25/11 f) 19/18 g) 35/36 h) 5/6
EXERCÍCIOS
Números inteiros e decimais exatos como fatores de
potências de base 10
1
1
Caso 01: Números Inteiros 1
1
1. (UNB-DF) A expressão 5 é equivalente a:
Alguns números inteiros muito extensos podem ser escritos 3
1
como potências de 10. Observe: 1
1
5
Exemplo 01: Escrever o número 23.000.000.000 como um fator
de uma potência de base 10. a) 3/2 b) 2/3 c) 1/3 d) 1/2

Solução: 1  2 
Conte a quantidade de zero do número. Neste caso: 9. Tome o 2. (CESGRANRIO) O resultado de 0,333...    : 2
número original sem esses zeros, ou seja, 23, multiplicado por 2  3 
uma potência de 10 com expoente igual ao número de zeros é:
(109). Ou seja:
23.000.000.000 = 23.109 a) 1/3 b) 1/2 c) 7/6 d) 3/2
Portanto, 23.000.000.000 = 23.109.

12
2 1  ( 2) 2  ( 2) 1 EXERCÍCIOS
3. (UECE) O valor de 2 2
é:
2 2
1. Dois quintos de meu salário são reservados para o aluguel e
a) -15/17 b) -15/16 c) -16/17 d) -17/16 a metade é gasta com a alimentação, restando ainda R$
90,00 para gastos diversos. Qual é o meu salário?

4. (Medicina/ABC – SP) Calcular a expressão numérica: 2. Numa sala, 1/3 dos alunos têm 10 anos, 1/6 têm 11 anos e
15 alunos têm 9 anos. Qual é o número de alunos da sala?
1 1
  0,111...
5 2 3. Lia comprou um objeto que foi pago em 3 prestações. Na 1ª
3 prestação ela pagou a terça parte do valor do objeto, na 2ª
 0,11
5 prestação a quinta parte e na última R$ 35,00. Quanto ela
pagou pelo objeto?
a) 5/27 b) 10/27 c) 1150/297 d) 100/27
4. Douglas tem uma caixa de tomates. No domingo, 1/8 dos
tomates da caixa estragaram; na segunda-feira estragou 1/3
5. (PUC-MG) Sejam x = 0,222... e y = 1,4666... dízimas do que sobrou de domingo. Sobraram 70 tomates em boas
periódicas. O quociente y : x, em forma de fração, é: condições. Calcule o total de tomates na caixa.

a) 6/5 b) 7/3 c) 33/5 d) 34/5 e) 46/9 5. Um fazendeiro repartiu 240 bois entre seus três herdeiros da
2
seguinte forma: o primeiro recebeu do segundo e o
3

6. (UFMG) A expressão

a 1 / 9  a 1 / 3 
2
 1 
2
:    com a 
terceiro tanto quanto o primeiro e o segundo juntos. Quanto
recebeu o primeiro herdeiro?
 a2  a 
0, é equivalente a: 6. A soma de dois números é 40. Se o valor menor é 3/5 do
5/9 5/9 -7/9 -7/9 7/9 maior, calcule o número maior.
a) –a b) a c) –a d) a e) a
7. Numa indústria, uma torneira despeja 6 litros por minuto e
outra despeja 10 litros por minuto. Em quanto tempo as duas
7. (UFMG) Simplificando a expressão: torneiras encherão um reservatório com 832 litros?
9.10 6 . 0,0049 . 2,5.10 3
8. A idade atual de um pai é de 60 anos. Seus três filhos têm,
Obtém-se:
respectivamente, 7 anos, 11 anos e 16 anos. Daqui a quantos
anos a idade do pai será igual a soma das idades dos filhos?
a) 105 b) 10,5 c) 1,05 d) 0,105 e) 0,0105
9. Paulo tem 38 anos e Daniel tem 12 anos. Daqui a quantos
8. (CORREIOS/2007) Os astrônomos costumam utilizar duas
anos Paulo terá o dobro da idade de Daniel?
unidades para representar distâncias: a unidade astronômica
(UA) e o ano-luz (AL). A UA corresponde à distância entre
10. Eduardo tem R$ 1.325,00 e Alberto, R$ 932,00. Eduardo
o Sol e Terra que é de 150 milhões de quilômetros e o AL, à
economiza R$ 32,90 por mês e Alberto, R$ 111,50. Depois
distância que a luz percorre em um ano: 9,5 trilhões de
de quanto tempo terão quantias iguais?
quilômetros. Uma distância de 30 AL corresponde a uma
distância de:
Respostas:
a) 1.900.000 UA b) 2.400.000 UA
1. R$900 2. 30 3. R$75 4. 120 5. 48
c) 2.800.000 UA d) 3.320.000 UA
6. 25 7. 52min 8. 13 9. 14 10. 5
Respostas:
1.a 2.b 3.c 4.c
5.c 6.c 7.e 8.a CONJUNTO DOS NÚMEROS IRRACIONAIS: R – Q

Problemas com Números Racionais Introdução

Como já vimos, num desses tipos de problemas você deve A radiciação nem sempre é possível no conjunto Q dos
“traduzi-lo” da linguagem comum para a linguagem matemática. números racionais. Observe que, por exemplo:
Vamos traduzir para a linguagem matemática algumas frases 36 6
3
da linguagem comum muito presentes em problemas, utilizando a   8  2  Q   Q
25 5
letra “x” para representar o valor desconhecido:
3
Pode-se provar, no entanto, que raízes do tipo 2, 5,
Linguagem
Linguagem comum 3
matemática 5 , etc, não são racionais, ou seja:
4
x 1
A metade de um número ou x 3
2 2  2Q  3
5 Q  5 Q
1 4
A terça parte de um número, mais dois x2
3
Isso quer dizer que, por exemplo, não existe número racional
x 2 cujo quadrado é 2; não existe número racional cujo cubo é 5, e
A terça parte de um número mais dois
3 assim por diante.
A diferença entre dois quintos de um 2 x
x
número e sua quarta parte 5 4
13
Números como esses são chamados NÚMEROS  3 é um número racional. É também um número REAL;
IRRACIONAIS e formam o CONJUNTO R – Q DOS  - 5 é um número racional. É também um número REAL;
NÚMEROS IRRACIONAIS.  1,75 é um número racional. É também um número REAL;
Portanto:  0 é um número racional. É também um número REAL;
 a   1,252525... é um número racional. É também um número
R  Q  x | x  , a  Q, b  Q*  REAL;
 b 
 10 é um número irracional. É também um número REAL.
Escritos na forma decimal, os números irracionais NÃO SÃO
EXATOS NEM PERIÓDICOS. São, na verdade, DECIMAIS Representação dos Números Reais no diagrama de
INFINITOS e APERIÓDICOS. De fato, usando uma simples Venn
calculadora, encontramos:
 2  1,41421313562... No diagrama de Venn, o Conjunto dos Números Reais pode ser
representado da maneira a seguir:
3
 5  1,709975947...
R
3
 5  0,944087511...
4 Q
Z
Os números irracionais não provêm necessariamente da N
radiciação. São também irracionais, por exemplo, os números:
  = 3,141592654... (pi)
 e = 2,71828182... (número de Euler) R–Q
 log 2 = 0,301029995... (logaritmo de 2 na base 10)
Observe que N  Z  Q  R; (R – Q)  R e Q  (R – Q) = 
EXERCÍCIOS
Observações:
1. Quais dos seguintes números são racionais e quais são 1ª) A raiz quadrada, quarta, sexta, oitava,... de um número
irracionais? negativo NÃO representa um número real.
a) 0,444... b) 7,8282...
c) 6,1317... d) 0,123456... Exemplos:
e) – 3,414587... f) – 7,2121...   9  3 porque (– 3)2 = 9, e não – 9.

2. O número – 4,735862... é:   9  3 porque 32 = 9, e não – 9.


a) inteiro negativo Então,  9  R , ou seja,  9 não é um número real.
b) racional negativo
c) irracional negativo Portanto:
d) irracional positivo  a: um número racional
n n: par
a R
3. (PUC-SP) Sabe-se que o produto de dois números
irracionais pode ser um número racional. Um exemplo é: 2ª) A raiz cúbica, quinta, sétima, nona,... de um número negativo
a) 1. 3 = 3 EXISTE e representa um número real.
b) 2 . 3 = 6
Exemplos:
c) 4 . 3 = 9  3
 8  2  3
 5  1,709...
d) 3 . 12 = 36
EXERCÍCIOS
4. Seja x um número irracional, 4  x  9 . Então x é
igual a: 1. Responda:
a) Todo número natural é real?
a) 25 b) 36 c) 50 d) 64 b) Todo número inteiro é real?
c) Todo número racional é inteiro?
d) Todo número real é racional?
Respostas: e) Todo número rracional é real?
1. f) Todo número irracional é real?
a) Racional b) Racional c) Irracional
d) Irracional e) Irracional f) Racional 2. Sendo 2  1,41 e 3  1,73 , calcule um valor
aproximado de:
2. c 3. d 4. c
a) 1+ 2 b) 5– 3
CONJUNTO DOS NÚMEROS REAIS: R c) 3 - 2 d) 2 - 3

A união dos conjuntos dos números RACIONAIS com os e) 2+3 2 f) 4 3 -1


IRRACIONAIS resulta no CONJUNTO R dos NÚMEROS g) 3 + 2 -1 h) 
2. 5. 2  3 
REAIS.
Logo: 0
R = Q  (R – Q)  1 
9 3 8  
3. (UNIP-SP) Qual o valor de  2  ?
Exemplos:  22  3  27
14
3 7. (UEMG) Um jardineiro plantará coqueiros ao redor de um
 1 2 
 2 1  .5 campo retangular de 465m de comprimento por 375m de
 2 3  largura, do modo que sejam iguais as distâncias entre eles e
4. (PUC-GO) Calcule: .
 1  5 seja a maior possível. Sendo a distância entre eles igual a
3  2 :
 3  6 um número inteiro de metros, o número de coqueiros
Respostas: necessários é:
1.
a) sim b) sim c) não d) não e) sim f) sim a) 100 b) 112 c) 96 d) 85 e) 80

2. 8. (UFMG) Seja m um número inteiro entre 38 e 104.


a) 2,41 b) 3,27 c) 0,32 d) – 0,32 Dividindo-se m por 12 ou 18 ou 24, obtém-se o mesmo resto
e) 6,23 f) 5,92 g) 2,14 h) 12,37 5. Então m pertence ao intervalo:

3) 6 4) 54.925/1.728 a) [38, 44] b) [45, 56] c) [57, 70]


d) [71, 80] e) [81, 104]
TESTES Utilize as informações do texto abaixo para
responder às questões 9 e 10.
1. (CESGRANRIO/PREF-MA/2004) Identifique cada
afirmação abaixo como verdadeira (V) ou falsa (F). “Com a produção de petróleo da plataforma P-50, que está
( ) (7 + 13)2 = 72 + 132 deixando as águas da Baía de Guanabara rumo ao norte da
( ) – 42 = – 16 Bacia de Campos, Rio de Janeiro, a Petrobras atinge a auto-
( ) 210 + 210 = 220 suficiência na produção de petróleo para o Brasil. (...) Com
A seqüência correta é:
3
a) F – F – V b) F – V – F c) V – F – F capacidade para 180 mil barris diários de petróleo, ou do
d) V – V – F e) V – V – V 25
volume diário produzido no País, a P-50 tem capacidade para
2. (CESGRANRIO/PREF-MA/2004) Num armazém estavam comprimir 6 milhões de metros cúbicos de gás natural e de
guardadas 25 caixas cheias, com 12 latas de óleo cada uma, estocar 1,6 milhão de barris de petróleo em seus 22 tanques.”
além de 7 latas de óleo fora da caixa. Foram retiradas do
armazém 13 caixas completas, mais 10 latas. Quantas latas Disponível em http://www.icarobrasil.com.br (adaptado)
de óleo restaram no armazém?
9. (CESGRANRIO/TRANSPETRO/2006) De acordo com as
a) 95 b) 131 c) 141 d) 156 e) 170 informações do texto acima, o volume diário de petróleo
produzido no País, em milhares de barris, é de:
3. (CESGRANRIO/SEAD-AM/2005) Um restaurante
popular oferece dois tipos de refeição: a comum e a a) 1.500 b) 1.850 c) 2.160 d) 3.600 e) 5.000
especial. Certo dia, foram servidas 35 refeições comuns e 14
especiais, e o restaurante arrecadou R$ 238,00. Se a refeição
comum custa R$ 4,00, qual o preço, em reais, da especial? 10. (CESGRANRIO/TRANSPETRO/2006) Considere que,
dos 22 tanques citados na reportagem, 10 sejam do tipo A e
a) 7,00 b) 8,00 c) 9,00 d) 10,00 e) 11,00 os restantes, do tipo B. Se os tanques do tipo B podem
armazenar, cada um, 5 mil barris a mais do que os do tipo A,
4. (PUC-MG) Três despertadores são graduados da seguinte a capacidade de armazenamento de cada tanque do tipo B,
maneira: o primeiro deverá despertar de 3 em 3 horas; o em milhares de barris, é:
segundo de 2 em 2 horas, e o terceiro de 5 em 5 horas. Se
despertarem juntos às 8 horas da manhã, deverão despertar a) 26 b) 31 c) 70 d) 75 e) 86
novamente juntos às:
a) 2 horas da madrugada seguinte
b) 8 horas da manhã do dia seguinte 11. (PUC-MG) Três pessoas formaram uma sociedade. A
c) 12 horas do mesmo dia primeira entrou com 3/7 do capital, a segunda entrou com
d) 14 horas do dia seguinte 1/3 , e a terceira entrou com 1,75 milhões de reais. O capital,
e) 20 horas do mesmo dia em milhões de reais, investido pelos dois primeiros sócios, é
de:
5. (FUVEST) No alto de uma torre de uma emissora de
televisão, duas luzes piscam com freqüências diferentes. A a) 3,5 b) 4,8 c) 5,6 d) 6,7 e) 7,9
primeira pisca 15 vezes por minuto e a segunda pisca 10
vezes por minuto. Se num certo instante as luzes piscam
simultaneamente, após quantos segundos elas voltarão a 12. (PUC-MG) Um vendedor, para expor maçãs à venda,
piscar simultaneamente? colocou-a em caixas de 4 dúzias cada uma. Se as tivesse
colocado em caixas de 3 dúzias cada uma, teria gasto mais
a) 12 b) 10 c) 20 d) 15 e) 30 56 caixas. A quantidade de maçãs que estavam à venda era:

a) 4.806 b) 6.048 c) 8.064 d) 6.804 e) 4.608


6. (PUC-SP) Um enxadrista quer decorar uma parede
retangular, dividindo-a em quadrados, como se fosse um
tabuleiro de xadrez. A parede mede 4,40m por 2,75m. Qual 13. (PUC-MG) Retira-se de um barril ¼ de seu volume e, em
o menor número de quadrados que ele pode colocar na seguida, 21 litros. Se o que restou corresponde a 2/5 de sua
parede? capacidade, o seu volume total, em litros, é:

a) 40 b) 55 c) 30 d) 88 e) 16 a) 25 b) 28 c) 30 d) 45 e) 60

15
14. (C.NAVAL) Numa cesta havia laranjas. Deu-se 2/5 a uma
pessoa, a terça parte do resto a outra e ainda restaram 10 20. (CESGRANRIO/FENIG/2005)
laranjas. Quantas laranjas havia na cesta? B
x
a) 15 b) 12 c) 30 d) 25 e) 50 A x+3 12
x
5
2
15. (FCC/TRE/RN) Para montar um kit básico de higiene
bucal, um técnico selecionou cinco produtos: M, N, P, Q e Na figura acima, x representa uma medida em centímetros. Qual
R; e do estoque inicial de cada um deles, retirou uma fração o menor valor inteiro de x para que o caminho traçado, de A a B
para a composição dos kits. A tabela abaixo indica a tenha medida maior do que 112 centímetros?
quantidade inicial do estoque e a quantidade de cada
produto utilizada em uma unidade do kit. a) 39 b) 40 c) 41 d) 42 e) 43

Produto M N P Q R
Estoque inicial 2,5kg 0,8kg 450ml 600ml 750ml 21. (FCC/TRT/4R) Um armário tem quatro prateleiras. Do
2 3 2 7 1 total de processos que um auxiliar judiciário deveria
Fração retirada
5 4 9 15 3 arquivar nesse armário, sabe-se que: 1/5 foi colocado na
Quantidade do produto primeira prateleira, 1/6 na segunda, 3/8 na terceira e os 62
0,25kg 0,1kg 10ml 70ml 25ml processos restantes, na quarta. Assim sendo, o total de
em um kit
processos arquivados era:
Quantos kits de cada produto M, N, P, Q e R serão produzidos,
respectivamente? a) 240 b) 210 c) 204 d) 120 e) 105
a) 4, 6, 10, 4, 10
b) 2, 2, 5, 1, 10 22. (FCC/TRE/PI/2002) Um lote de processos deve ser
c) 4, 6, 100, 14, 25 dividido entre os funcionários de uma seção para serem
d) 25, 10, 202, 18, 90 arquivados. Se cada funcionário arquivar 16 processos,
e) 40, 60, 100, 40, 100 restarão 8 a serem arquivados. Entretanto, se cada um
arquivar 14 processos, sobrarão 32. O número de processos
16. (CESGRANRIO/CMB/2005) José viaja 350 quilômetros do lote é:
para ir de carro de sua casa à cidade onde moram seus pais.
Numa dessas viagens, após alguns quilômetros, ele parou a) 186 b) 190 c) 192 d) 194 e) 200
para um cafezinho. A seguir, percorreu o triplo da
quantidade de quilômetros que havia percorrido antes de
parar. Quantos quilômetros ele percorreu após o café? 23. (CESGRANRIO/FENIG/2005) Certo comerciante
comprou 25 vasos de cerâmica a R$7,20 a unidade. Sabendo
a) 87,5 b) 125,6 c) 262,5 d) 267,5 e) 272,0 que, no transporte, um dos vasos se quebrou e que o
comerciante deseja lucrar R$120,00 na venda dos vasos, por
17. (CESGRANRIO/FENIG/2005) Considere as seguintes quantos reais deverá vender cada um dos 24 vasos restantes?
afirmativas:
I - o inverso do número racional 0,5 é 2; a) 12,50 b) 12,00 c) 11,80 d) 11,50 e) 11,00
II - o produto de 4 números negativos é positivo;
III - se y – (- 60) = -12, então y = 72;
IV - dividir um número diferente de zero por 0,25 equivale a 24. (CESGRANRIO/FENIG/2005) Um prêmio de
multiplicá-lo por 4. R$12.000,00 foi oferecido aos 3 primeiros colocados num
concurso de contos. O segundo colocado recebeu
Atribuindo V às afirmações verdadeiras e F às falsas, tem-se a R$1.000,00 a mais que o terceiro e Pedro, primeiro
seguinte seqüência: colocado, recebeu o dobro do prêmio do segundo. O prêmio
de Pedro, em reais, foi:
a) V–V–F–V b) V–F–V–V c) V–F–F–V
d) F–V–V–F e) F–V–F–F a) 6.500,00 b) 5.250,00 c) 4.500,00
d) 3.250,00 e) 2.250,00

18. (FCC/TRE/PB/2001) A expressão numérica 25. (USP) Comparando-se os números reais racionais: a = 10-49
e b = 2.10-50:
1 1
 a) a excede b em 8.10-1
5 4 tem como valor: b) a excede b em 2.10-1
2 c) a excede b em 8.10-49
 0,5  0,666...
3 d) a excede b em 5
e) a é igual a 5 vezes b
a) 1/3 b) 1/5 c) 0,3 d) 0,9 e) 1
0
 2 
(5) 2  32   
19. (FCC/TRT/22R/2004) Dos X reais que foram divididos  3 
26. (MACK) é igual a:
entre três pessoas, sabe-se que: a primeira recebeu 2/3 de X, 2 1 1
diminuídos de R$ 600,00; a segunda, ¼ de X; e a terceira, a 3  
5 2
metade de X , diminuída de R$ 4.000,00. Nessas condições,
3150 1530
o valor de X é: a) b) 90 c)
17 73
a) 10.080 b) 11.000 c) 11.040 17
d) e) –90
d) 11.160 e) 11.200 3150
16
27. (UFMG) Na representação dos números reais por pontos da 7
linha reta, a unidade de comprimento está dividida em três 35. (Unb-DF) Sabendo-se que do vencimento de José
8
partes iguais, como na figura.
5
B A equivalem a R$ 322,35, pergunta-se: quanto valem do
6
–2 –1 0 1 2 3 vencimento de José?

AB a) R$ 307,00 b) R$ 310,40 c) R$ 300,70


O valor de é: d) R$ 314,00 e) R$ 315,40
AB
1 1
a) b) c) 1 d) 3 e) 9
9 3 36. (CESGRANRIO/FENIG/2005) Certa mercadoria foi
comprada por R$4,00 o quilograma e vendida por R$0,10
1 1 0 cada 20g. Qual foi o lucro, em reais, obtido pelo
1 1 3   2 1
28. (UECE) A expressão       0,4     comerciante na venda de 5kg desta mercadoria?
3 6  5   3 5
é: a) 1,00 b) 2,00 c) 3,00 d) 4,00 e) 5,00

a) 8 b) –3 c) 5 d) 4 e) 2
2
37. (UFMG) De um recipiente cheio de água tiram-se do seu
3
29. (PUC-RJ) O valor de 0,444... é: conteúdo. Recolocando-se 30 litros de água, o conteúdo
passa a ocupar a metade do volume inicial. A capacidade do
a) 0,222... b) 0,333... c) 0,444... recipiente é:
d) 0,555... e) 0,666...
a) 75 litros b) 120 litros c) 150 litros
a d) 180 litros e) 200 litros
30. (USP) Seja a fração geratriz da dízima 0,1222... com a e
b
b primos entre si. Nestas condições, temos: 38. (CESGRANRIO/PREF-MA/2004) Observe os seguintes
números:
a) ab = 990 b) ab = 900 c) a – b = 80
2
d) a + b = 110 e) b – a = 79 2 2,3 0,003434... 0
5
1
0,3  Quais os que representam números racionais?
31. (FUVEST) 4  0,036 : 0,04 é igual a: a) O primeiro apenas.
5
1 b) O quarto, apenas.
c) O segundo e o quarto, apenas.
a) 8,95 b) 0,95 c) 0,85 d) 0,04 e) 8,85 d) O segundo, o terceiro e o quarto, apenas.
e) Todos.

32. (FUVEST) Os números x e y são tais que 5  x  10 e 39. (CESGRANRIO/PREF-MA/2004) Dona Joana vende
x potes de geléia por R$3,30. Desse valor, R$1,80
20  y  30 . O maior valor possível de é: correspondem ao que ela gasta e o restante, ao lucro de
y
Dona Joana. Para ter R$18,00 de lucro, quantos potes de
1 1 1 1 geléia Dona Joana precisa vender?
a) b) c) d) e) 1
6 4 3 2
a) 5 b) 7 c) 10 d) 12 e) 15

33. (FUVEST) Na figura estão representados geometricamente


os números reais 0, x, y e 1. Qual a posição do número xy? 40. (CESGRANRIO/PREF-MA/2004) Um prêmio de
R$4.200,00 será dividido entre três pessoas: A, B e C. Como
2
resultado da divisão, A receberá do total e C, R$320,00
0 x y 1 3
a menos que B. Quanto receberá C, em reais?
a) À esquerda de 0.
b) Entre 0 e x. a) 540,00 b) 860,00 c) 1.400,00
c) Entre x e y. d) 2.480,00 e) 2.800,00
d) Entre y e 1.
e) À direita de 1.
41. (CESGRANRIO/PREF-MA/2004) Uma fábrica produz
34. (UFMG) Um veículo percorre uma certa distância cadernos de dois tipos diferentes: com 100 e com 200
trafegando com velocidade constante durante 3 horas. folhas. A fábrica recebeu uma encomenda de 150 cadernos
2 de 100 folhas e 220 cadernos de 200 folhas, mas, no
Quanto tempo ele gastaria para percorrer daquela
3 momento, só possui 50.000 folhas em seu estoque. Quantas
3 folhas serão necessárias para que a fábrica possa completar
distância numa velocidade constante que fosse da a encomenda?
5
anterior?
a) 2.000 b) 4.000 c) 7.000 d) 9.000 e) 11.000
a) 1h 12min b) 2h 42min c) 3h 20min
d) 4h 15min e) 4h 40min
17
RAZÃO
42. (CESGRANRIO/PREF-MA/2004) Se multiplicarmos um
número N por ¾ e dividirmos o resultado por 3/5, podemos Introdução
afirmar que N foi:
a) dividido por 4/3 Um dos assuntos da Matemática mais utilizados na vida
b) dividido por 5/4 diária é a comparação de quantidades. E uma das maneiras mais
c) dividido por 9/20 simples de comparar quantidades é realizar uma divisão.
d) multiplicado por 5/4 Esta comparação, por meio de uma divisão, é muito usada
e) multiplicado por 9/20 conforme você pode observar nas seguintes situações:
 Quando queremos determinar a velocidade média de um
43. (CESGRANRIO/REFAP/2007) carro, dividimos a distância percorrida pelo tempo que ele
gastou em percorrê-la;
 Quando queremos saber o consumo de combustível de um
veículo, dividimos a distância que o veículo percorreu pela
quantidade de litros que o veículo gastou, etc.

São, portanto, inúmeras aplicações da comparação entre duas


quantidades obtidas por uma DIVISÃO (ou QUOCIENTE), cujo
resultado é denominado RAZÃO.

Exemplo: Numa sala de pré-concurso existem 20 homens e


Se 1.024 megabytes correspondem a 1 gigabyte, quantos 50 mulheres. Podemos comparar o número de homens e o
kilobytes correspondem a 2 gigabytes? de mulheres com o total de alunos com o uso de divisões.
Comparando o número de homens primeiramente:
a) 210 b) 211 c) 216 d) 220 e) 221
n º total de hom ens 20 2
 
44. (CESGRANRIO/TO/2004) Na época das cheias, os n º total de alunos 70 7
ribeirinhos que criam gado utilizam os sistema de 2
Chegamos a uma fração irredutível
que significa que,
"maromba" (currais elevados construídos sobre palafitas) 7
para abrigar sua criação. Para dar de comer a 10 animais, o PARA CADA 7 ALUNOS DA SALA, 2 SÃO HOMENS ou A
criador precisa cortar 120 kg de capim por dia. Quantos RAZÃO ENTRE O NÚMERO DE HOMENS E O NÚMERO
quilos de capim deverão ser cortados para alimentar 45 TOTAL DE ALUNOS é de 2 para 7.
animais durante uma semana?
Podemos usar o mesmo raciocínio para comparar o número de
a) 3.780 b) 4.240 c) 4.800 d) 5.280 e) 5.400 mulheres:
n º total de mulheres 50 5
 
n º total de alunos 70 7
45. (FCC/TRT/21R/2003) Um funcionário recebeu R$ 300,00
para comprar sacos plásticos de um certo tipo. Pesquisando 5
Chegamos a outra fração,
, que significa que, A CADA 7
os preços, encontrou na loja x e na loja y os seguintes 7
resultados: ALUNOS DA SALA, 5 SÃO MULHERES ou A RAZÃO
ENTRE O NÚMERO DE MULHERES E O TOTAL DE
LOJA PACOTES CONTENDO PREÇO POR PACOTE ALUNOS É DE 5 PARA 7.
x 500 sacos R$ 20,00
y 1000 sacos R$ 30,00 Definição

É verdade que: Dados dois números racionais a e b (com b diferente de


a) na compra de 5 000 sacos, economizará exatamente R$ a
20,00 se o fizer na loja y. zero), denomina-se RAZÃO de a para b o quociente ou a : b
b
b) na compra de 3 000 sacos, economizará exatamente R$ (lê-se “a está para b”).
30,00 se o fizer na loja y. Há três maneiras de indicar uma razão. Observe:
c) na compra de 7 000 sacos, economizará exatamente R$
6
50,00 se o fizer na loja y. A razão de 6 para 5 é 6 : 5 ou ou 1,2.
d) ele tem dinheiro suficiente para comprar 8 200 sacos na 5
loja x. a
Na razão , o número a chama-se ANTECEDENTE e o
e) ele tem dinheiro suficiente para comprar 12 500 sacos b
na loja y. número b chama-se CONSEQÜENTE.

EXERCÍCIOS

1. Determine qual é a razão de:


a) 3 para 7 b) 9 para 2
Respostas: c) 6 para 18 d) 18 para 6
1.b 2.c 3.a 4.d 5.a 6.a 7.b 8.d 9.a 10.d
11.c 12.c 13.e 14.d 15.a 16.c 17.a 18.d 19.c 20.c 2. Numa prova de 20 questões, um aluno acertou 12. Dê a
21.a 22.e 23.a 24.a 25.e 26.c 27.a 28.a 29.e 30.e razão do:
31.c 32.d 33.b 34.a 35.a 36.e 37.d 38.e 39.d 40.a a) número de questões que acertou para o número total de
41.d 42.d 43.e 44.a 45.b questões.

18
b) número de questões que errou para o número total de Portanto:
questões.
c) número de questões que errou para o número total de PROPORÇÃO é uma equivalência (igualdade) entre duas ou
questões que acertou. mais razões.
d) número de questões que acertou para o número total de
questões que errou. a c
A proporção  pode ser lida como “a está para b assim
3. Num concurso público, constatou-se que a razão entre o b d
número de homens e o número de mulheres era 3/5. Se o como c está para d” e também representada como:
total de inscritos era 1.600 pessoas, determine:
a) o número de mulheres que fizeram o concurso. a : b :: c : d
b) a razão entre o número de aprovados e o número total de
inscritos, sabendo que 5/12 dos homens foram Nesta proporção, os números a e d são os EXTREMOS e os
aprovados e 17/25 das mulheres não conseguiram números b e c são os MEIOS.
aprovação. É de grande importância o seguinte teorema:

4. Até pouco tempo, de cada 5 crianças que nasciam no mundo Em toda proporção, o PRODUTO DOS EXTREMOS É
uma era chinesa e, entre as chinesas, de cada 5 crianças 3 IGUAL AO PRODUTO DOS MEIOS.
eram meninas. Sabendo-se que para as outras nacionalidades
havia equilíbrio entre o número de meninas e o de meninos, a c
pergunta-se: Ou seja, numa proporção  é sempre válido que:
b d
a) nascidas 250 crianças, quantas meninas chinesas
seriam esperadas?
b) Qual era a razão entre o número de meninos recém-
a.d=b.c
nascidos chineses e o das recém-nascidas de outras
nacionalidades? 3 6
Exemplo: Mostrar que as razões e formam uma
4 8
Respostas: proporção.
3 9 1
1. a) ou 3:7; b) ou 9:2; c) ou 1:3; d) 3
7 2 3 Solução:
3 2 2 3 Veja que o produto dos extremos é igual ao produto dos meios:
2. a) ; b) ; c) ; d) 3 . 8 = 4 . 6 = 24.
5 5 3 2
57 3 6
3. a) 1.000; b) Portanto, a proporção  é válida.
160 4 8
1 Obs.: O teorema anterior será muito útil para resolver problemas
4. a) 30; b)
5 como veremos mais adiante.

PROPORÇÃO Propriedade Fundamental das Proporções

Equivalência de Frações a1 a a
Seja uma proporção  2  ...  n ; é sempre válida
b1 b2 bn
No estudo do Conjunto dos Números Racionais, vimos que a seguinte propriedade:
a
uma fração (com b  0) não se altera se multiplicarmos o
b a1  a 2  ...  a n a a a
 1  2  n
numerador e o denominador pelo mesmo número inteiro p (p  b1  b 2  ...  b n b1 b2 bn
0). Em símbolos:
a ap
 (p  0) x y z
b bp Exemplo: Sabendo que x + y + z = 18 e que   ,
2 3 4
calcule os valores de x, y e z.
Exemplo:
3 3.2 6 6.10 60 60 : 5 12 Solução:
      
5 5.2 10 10.10 100 100 : 5 20 x y z xyz x y z
      
2 3 4 234 2 3 4
Assim, no Conjunto dos Racionais, define-se relação de
equivalência como uma igualdade de razões: Como x + y + z = 18, vem que:
18 x 18 y 18 z
a c  x4  x6  z8
 9 2 9 3 9 4
b d
Definição Portanto, x = 4, y = 6 e z = 8.

A qualquer equivalência (igualdade) de razões denominamos EXERCÍCIOS


a c
proporção. Em símbolos, se é equivalente a , dizemos que
b d 1. Utilize a propriedade fundamental e verifique se os pares de
a c razões formam ou não uma proporção:
 é uma proporção.
b d 3 6 6 7 4 20
a) e b) e c) e
4 8 7 6 5 25

19
5 15 6 3 7 28 Valores Inversamente Proporcionais
d) e e) e f) e
2 6 9 4 3 12
Dada a seqüência de valores a1, a2, a3, ..., dizemos que estes
2. Humberto, Aline e Junior possuem uma livraria cujo o valores são INVERSAMENTE PROPORCIONAIS aos valores
investimento foi de 9 mil reais. Humberto entrou com 2 mil de uma outra seqüência b1, b2, b3, ... quando forem iguais os
reais, Aline com 3 mil reais e Nilson com 4 mil reais. O produtos entre cada valor de uma seqüência e o valor
lucro da livraria é dividido em partes proporcionais ao correspondente da outra seqüência. Em símbolos:
investimento de cada um deles. O lucro do mês de maio foi
de 1800 reais, calcule quanto cada um vai receber neste mês. a 1 .b1  a 2 .b 2  a 3 .b 3  ...

3. Dois sócios entram num negócio com um capital de Exemplo: Os valores 2, 3, 5 e 12 são inversamente proporcionais
R$5.000,00 e R$3.000,00. No final, obtêm um lucro de ao valores 30, 20, 12 e 5, nesta ordem, pois os produtos 230,
R$24.000,00. Quanto caberá a cada um? 320, 512 e 125 são todos iguais.

4. Uma mistura está formada por 4 partes de álcool e 3 partes Relação entre Proporção Inversa e Proporção Direta
de água. Quantos litros de álcool há em 140 litros dessa
mistura? Sejam duas seqüências de números, todos diferentes de zero.
x y z Se os números de uma são INVERSAMENTE
5. Na proporção múltipla   , determine os valores de
3 5 6 PROPORCIONAIS aos números da outra, então os números de
x, y e z sabendo que x + y + z = 112. uma delas serão DIRETAMENTE PROPORCIONAIS AOS
INVERSOS dos números da outra.
6. Sabendo que a está para b assim como 8 está para 5 e que 3a
– 2b = 140, calcular a e b. Exemplo: Vimos que os valores 2, 3, 5 e 12 são inversamente
proporcionais aos valores 30, 20, 12 e 5, pois 230 = 320 =
7. Dois números estão entre si na proporção de 3 para 4. 512 = 125 = 60. Podemos reescrever as igualdades acima
Determine-os sabendo que a soma dos seus quadrados é como:
igual a 100. 2 3 5 12
    60
1 1 1 1
Respostas: 30 20 12 5
1. a) sim; b) não; c) sim; d) sim; e) não; f) sim
Assim, os números 2, 3, 5 e 12 são diretamente proporcionais aos
2. R$ 400,00, R$ 600,00 e R$ 800,00
1 1 1 1
números , , e , nesta ordem.
3. R$ 15.000,00 e R$ 9.000,00 30 20 12 5

4. 80 litros. Ou seja, os números 2, 3, 5 e 12 são inversamente proporcionais


aos números 30, 20, 12 e 5 e diretamente proporcionais aos seus
5. x = 24, y = 40 e z = 48 1 1 1 1
respectivos inversos , , e , respectivamente.
30 20 12 5
6. a = 80 e b = 50
Obs.: Esta relação nos permite trabalhar com seqüências de
7. 36 e 64 números inversamente proporcionais como se fossem
diretamente proporcionais.
DIVISÃO PROPORCIONAL
DIVISÃO EM PARTES PROPORCIONAIS
Valores Diretamente Proporcionais
Divisão em Partes Diretamente Proporcionais
Dada a seqüência de valores a1, a2, a3, ..., dizemos que estes
valores são DIRETAMENTE PROPORCIONAIS aos valores de Dividir um número n em partes diretamente proporcionais aos
uma outra seqüência b1, b2, b3, ... quando forem iguais as razões números a, b, c, ... significa encontrar os números A, B, C, ... tais
entre cada valor de uma seqüência e o valor correspondente da que:
outra seqüência. Em símbolos: A B C
    ...  A  B  C  ...  n
a b c
a1 a a
 2  3  ...  c
b1 b2 b3 Exemplo: Dividir 48 em partes diretamente proporcionais aos
números 3, 4 e 5.
O resultado constante c das razões obtidas das duas
seqüências de números diretamente proporcionais é chamado Solução:
CONSTANTE DE PROPORCIONALIDADE. Divida 48 pela soma dos números dados:
48 48
Exemplo: Os valores 6, 7, 10 e 15, nesta ordem, são diretamente    4 = c  constante de proporcionalidade
3  4  5 12
proporcionais aos valores 12, 14, 20 e 30 respectivamente, pois
6 7 10 15 Multiplique a constante c pelos números dados para encontrar as
as razões , , e são todas iguais, sendo a constante
12 14 20 30 partes:
1  4.3 = 12  4.4 = 16  4.5 = 20
de proporcionalidade igual a .
2
Portanto, as partes procuradas são 12, 16 e 20.

20
Divisão em Partes Inversamente Proporcionais Inverta os números da seqüência de proporção inversa. Portanto:
1 1 1
, , .
Dividir um número n em partes inversamente proporcionais 3 2 4
aos números a, b, c, ... significa encontrar os números A, B, C, ... Multiplique cada número acima com o número de mesma
tais que: posição da outra seqüência. Portanto:
A.a  B.b  C.c  ... A  B  C  ...  n 1 1 1 2 1 5
 2 , 1 ,  5  , ,
3 2 4 3 2 4
Exemplo: Dividir 130 em partes inversamente proporcionais aos
números 2, 3 e 4.
Divida o número 290 pela soma dos resultados acima:
Solução: 290 290 290 12
    290.  120
Divida 130 pela soma dos inversos dos números dados: 2 1 5 8  6  15 29 29
 
130 130 12 3 2 4 12 12
   130.  120
1 1 1 643 13
  Multiplique cada número da soma acima (do denominador) pelo
2 3 4 12
resultado encontrado:
Multiplique o resultado encontrado por cada inverso dos 2 1 5
 .120  80  .120  60  .120  150
números: 3 2 4
1 1 1
 120.  60  120.  40  120.  30 Portanto, as partes são: 80, 60 e 150.
2 3 4

Portanto, as partes são: 60, 40 e 30. EXERCÍCIO

Divisão Composta Direta 1. Dividir 625 em partes diretamente proporcionais a 5, 7 e 13.

Chamamos de DIVISÃO COMPOSTA DIRETA à divisão de 2. Dividir 1.200 em partes diretamente proporcionais a 26, 34
um número em partes que devem ser diretamente proporcionais a e 40.
duas ou mais seqüências de números dados, cada uma. 2
3. Dividir 96 em partes diretamente proporcionais a 1,2; e
5
Para efetuarmos a divisão composta direta, devemos: 8.
1º) Encontrar uma nova seqüência onde cada valor será o produto
dos valore correspondentes das seqüências dadas; 4. Dividir 21 em partes inversamente proporcionais a 3 e 4.
2º) Efetuar a divisão do número em partes diretamente
proporcionais aos valores da nova seqüência encontrada. 5. Dividir 444 em partes inversamente proporcionais a 4, 5 e 6.

Exemplo: Dividir o número 480 em partes diretamente 2


proporcionais aos números 2, 3 e 5 e também diretamente 6. Dividir 1.090 em partes inversamente proporcionais a ,
3
proporcionais aos números 3, 4 e 6, respectivamente.
4 7
e .
Solução: 5 8
Divida 480 pela soma dos produtos dos termos de mesma posição
das duas seqüências: 7. Dividir 108 em partes diretamente proporcionais a 2 e 3 e
480 480 480 inversamente proporcionais a 5 e 6.
    10
2.3  3.4  5.6 6  12  30 48
8. Dividir 560 em partes diretamente proporcionais a 3, 6 e 7 e
inversamente proporcionais a 5, 4 e 2.
Multiplique cada produto pelo resultado encontrado:
9. Repartir uma herança de R$ 460.000,00 entre três pessoas
 (2.3).10 = 60  (3.4).10 = 120  (5.6).10 = 300
na razão direta do número de filhos de cada uma e na razão
inversa das idades delas. As três pessoas têm,
Portanto, as partes são: 60, 120 e 300.
respectivamente, 2, 4 e 5 filhos e as idades respectivas de
24, 32 e 45 anos.
Divisão Composta Mista
10. Dois irmãos repartiram uma herança em partes diretamente
Chamamos de DIVISÃO COMPOSTA MISTA à divisão de
proporcionais às suas idades. Sabendo que cada um deles
um número em partes que devem ser diretamente proporcionais
ganhou, respectivamente, R$ 3.800,00 e R$ 2.200,00, e que
aos valores de uma seqüência dada e inversamente proporcionais
as suas idades somam 60 anos, qual é a idade de cada um
aos valores de uma outra seqüência dada.
deles?
Para efetuarmos uma divisão composta mista, devemos:
11. Certa quantia foi dividida entre duas pessoas em partes
1º) Inverter os valores da sucessão que indica proporção inversa,
proporcionais a 2 e 3. Sabendo que a segunda recebeu a
recaindo assim num caso de divisão composta direta;
mais que a primeira R$ 1.000,00 determinar qual o valor
2º) Aplicar o procedimento explicado anteriormente para as
total da quantia distribuída.
divisões compostas diretas.
Respostas:
Exemplo: Dividir o número 290 em partes que devem ser
1. 125, 175 e 325
diretamente proporcionais aos números 2, 1 e 5 e inversamente
2. 312, 408 e 480
proporcionais aos números 3, 2 e 4, respectivamente.
3. 12, 4 e 80
4. 9 e 12
Solução: 5. 180, 144 e 120
21
6. 420, 350 e 320 1 1
7. 48 e 60 e) p e m
4 4
8. 60, 150 e 350
9. R$ 120 mil, R$ 180 mil e R$ 160 mil 7. (FCC) p é inversamente proporcional a q + 2. Sabendo que
10. 38 anos e 22 anos p = 1 quando q = 4, quanto vale p quando q = 1?
11. R$ 5.000,00
a) -2 b) 2 c) 0 d) 0,5 e) 1,5
TESTES
8. (FUMEC) 30% do lucro de uma firma foram destinados ao
1. (CESGRANRIO) Sessenta dos 520 pássaros de um aviário aumento de seu capital. O restante foi distribuído entre os
não foram vacinados; morreram 92 pássaros vacinados. Para dois sócios, proporcionalmente ao capital por eles
os pássaros vacinados, a razão entre o número de mortos e empregado na construção da firma. Sabendo-se que o capital
de vivos é: correspondente ao sócio A foi de R$ 20.000,00, que o
capital empregado pelo sócio B foi de R$ 50.000,00 e que o
a) 4/5 b) 1/4 c) 3/4 d) 4 e) 5/4 sócio A recebeu, na distribuição dos lucros, R$ 60.000,00,
qual o lucro total da firma?
Atenção: O enunciado abaixo refere-se às questões 2 e 3.
Na tabela abaixo têm-se as idades e tempos de serviço de três a) R$ 210.000,00 b) R$ 240.000,00 c) R$ 300.000,00
soldados na corporação, que devem dividir entre si um certo d) R$ 280.000,00 e) R$ 320.000,00
número de fichas cadastrais para verificação.
9. (FCC/TRT/4R) Uma certa mistura contém álcool e
Soldado Idade,em anos Tempo de serviço, em anos gasolina na razão de 1 para 5, respectivamente. Quantos
Abel 20 3 centímetros cúbicos de gasolina há em 162 litros dessa
Daniel 24 4 mistura?
Manoel 30 5 a) 135.000 b) 32.400 c) 1.350
d) 324 e) 135
2. (FCC/Agente Penit.-AP/2002) Se o número de fichas for
518 e a divisão for feita em partes diretamente proporcionais 10. (FCC/TRT/4R) Dois analistas judiciários devem emitir
às suas respectivas idades, o número de fichas que caberá a pareceres sobre 66 pedidos de desarquivamento de
Abel é: processos. Eles decidiram dividir os pedidos entre si, em
quantidades que são, ao mesmo tempo, diretamente
a) 140 b) 148 c) 154 d) 182 e) 210 proporcionais às suas respectivas idades e inversamente
proporcionais aos seus respectivos tempos de serviço no
3. (FCC/Agente Penit.-AP/2002) Se o número de fichas for Tribunal Regional do Trabalho. Se um deles tem 32 anos e
504 e a divisão for feita em partes diretamente proporcionais trabalha há 4 anos no Tribunal, enquanto que o outro tem 48
às suas respectivas idades, mas inversamente proporcionais anos e lá trabalha há 16 anos, o número de pareceres que o
aos seus respectivos tempos de serviço na corporação, o mais jovem deverá emitir é:
número de fichas que caberá a:
a) Daniel é 180. a) 18 b) 24 c) 32 d) 36 e) 48
b) Manoel é 176.
c) Daniel é 170. 11. (FCC/TRT/22R/2004) Das pessoas atendidas em um
d) Manoel é 160. ambulatório certo dia, sabe-se que 12 foram encaminhadas a
e) Daniel é 162. um clínico geral e as demais para tratamento odontológico.
Se a razão entre o número de pessoas encaminhadas ao
4. (Covest-PE) Uma pessoa, em repouso, respira 17 vezes por clínico e o número das restantes, nessa ordem, é 3/5, o total
minuto e, a cada vez, inala 0,6 litro de ar. Do ar respirado, de pessoas atendidas foi:
1/5 é de oxigênio, que será absorvido pelo organismo. Do
total de oxigênio absorvido, somente 1/5 chega à corrente a) 44 b) 40 c) 38 d) 36 e) 32
sanguínea. Quantos litros de oxigênio entram na corrente
sanguínea em 1 (uma) hora? 12. (FCC/TRT/22R/2004) Certo mês, o dono de uma empresa
concedeu a dois de seus funcionários uma gratificação no
a) 24,28 b) 24,18 c) 24,08 d) 24,48 e) 24,38 valor de R$ 500,00. Essa quantia foi dividida em partes que
eram diretamente proporcionais aos respectivos números de
5. (FUVEST) Na maquete de um prédio, feita na escala 1 : horas de plantões que cumpriram no mês e, ao mesmo
1000, a piscina com a forma de um cilindro circular reto, tempo, inversamente proporcionais às suas respectivas
tem a capacidade de 0,6cm3. O volume, em litros, dessa idades. Se um funcionário tinha 36 anos e cumpriu 24 horas
piscina será: de plantões e, o outro, de 45 anos, cumpriu 18 horas, coube
a) 600 b) 6.000 c) 60.000 ao mais jovem receber:
d) 600.000 e) 6.000.000
a) R$ 302,50 b) R$ 310,00 c) R$ 312,50
6. (FUVEST) Na tabela, y é inversamente proporcional ao d) R$ 325,00 e) R$ 342,50
quadrado de x (x > 0). Calcule os valores de p e m.
13. (FCC/TRE/CE/Téc.Judiciário/2002) Ao fazer a
x 1 2 m manutenção dos 63 microcomputadores de certa empresa,
2 p 8 um funcionário observou que a razão entre o número de
y
aparelhos que necessitavam de reparos e o número dos que
1 1 1 1 não apresentavam defeitos era, nessa ordem, 2/7. Nessas
a) p e m b) p e m
8 4 2 2 condições, é verdade que o número de aparelhos com
1 1 1 1 defeitos era:
c) p e m d) p e m
2 4 4 8
a) 3 b) 7 c) 14 d) 17 e) 21
22
14. (FCC/TRE/CE/Téc.Judiciário/2002) Dois técnicos 21. (CESGRANRIO/TO/2004) Os índios Baniwa fazem parte
judiciários foram incumbidos de catalogar alguns do complexo cultural de 22 povos indígenas da Amazônia
documentos, que dividiram entre si em partes inversamente brasileira. Somam cerca de 12 mil pessoas, das quais 4 mil
proporcionais aos seus respectivos tempos de serviço no vivem no Brasil e o restante, na Colômbia e na Venezuela.
cartório da seção onde trabalham. Se o que trabalha há 12 A razão entre o número de índios Baniwa que vivem no
anos deverá catalogar 36 documentos e o outro trabalha há 9 Brasil e que vivem no exterior é:
anos, então o total de documentos que ambos deverão 1 1 1 2 3
catalogar é: a) b) c) d) e)
2 3 4 3 4
a) 76 b) 84 c) 88 d) 94 e) 96 22. (CESGRANRIO/EPE/2006) Na figura abaixo, as duas
balanças estão equilibradas.
15. (FCC/TRT/4R) Três auxiliares receberam a tarefa de
organizar 675 pastas em armários. Decidiram dividir o total
de pastas entre eles, em partes diretamente proporcionais ao
número de horas diárias que dedicariam a esse trabalho. Se
o primeiro dedicou 2 horas diárias, o segundo, 3 horas e o
terceiro, 4 horas, o número de pastas que o primeiro recebeu
foi:
A razão entre as massas das caixas identificadas pelas letras A e
a) 150 b) 200 c) 225 d) 280 e) 300 B, nessa ordem, é expressa pela fração:
1 2 3 4 5
16. (FCC/TRE/PI/Téc.Jud./2002) Se a razão entre dois a) b) c) d) e)
2 3 4 5 6
números é 4/5 e sua soma é 27, o menor deles é:
a) primo. 23. (CESGRANRIO/PREF-MA/2004) Há dez anos, a razão
b) divisível por 5. entre as idades de Maria e Rita era 4/3. Daqui a dois anos,
c) múltiplo de 7. será 10/9. O número de anos correspondente à soma das
d) divisível por 6. duas idades é:
e) múltiplo de 9.
a) 26 b) 28 c) 34 d) 36 e) 38
17. (FCC/TRE/PI/Téc.Jud./2002) Dois sócios constituíram
uma empresa com capitais iguais, sendo que o primeiro 24. (CESGRANRIO/INSS/2005) A razão entre o número de
fundou a empresa e o segundo foi admitido 4 meses depois.
3
No fim de um ano de atividades, a empresa apresentou um homens e mulheres, funcionários da firma W, é . Sendo
lucro de R$ 20.000,00, eles receberam, respectivamente: 5
a) R$ 10.500,00 e R$ 9.500,00 N o número total de funcionários (número de homens mais o
b) R$ 12.000,00 e R$ 8.000,00 número de mulheres), um possível valor para N é:
c) R$ 13.800,00 e R$ 6.200,00
d) R$ 15.000,00 e R$ 5.000,00 a) 46 b) 49 c) 50 d) 54 e) 56
e) R$ 16.000,00 e R$ 4.000,00
25. (CESGRANRIO/BNDES/2006) Para um determinado
18. (FCC/TRT/22R/2004) Uma empresa gerou um lucro de R$ bem, o relativo de preços de março em relação a fevereiro
420.000,00, que foi dividido entre seus três sócios, da foi igual a 1,25. Portanto, o relativo de preços de fevereiro
seguinte maneira: a parte recebida pelo primeiro está para a desse bem, em relação a março, vale:
do segundo assim como 2 está para 3; a parte do segundo
está a do terceiro assim como 4 está para 5. Nessa divisão, a a) 0,75 b) 0,80 c) 1,00 d) 1,20 e) 1,25
menor das partes é igual a:
26. (CESGRANRIO/SEAD-AM/2005) Em um bazar
a) R$ 80.000,00 b) R$ 96.000,00 c) R$ 120.000,00 trabalham dois funcionários, um há 4 anos e outro há 6 anos.
d) R$ 124.000,00 e) R$ 144.000,00 O dono do bazar resolveu gratificar esses funcionários no
fim do ano, dividindo entre eles a quantia de R$ 600,00 em
19. (FCC/TRT/17R/2004) Dos funcionários de certa empresa, partes proporcionais ao tempo de serviço de cada um. A
sabe-se que: I – O número de homens excede o de mulheres gratificação do funcionário mais antigo, em reais, foi de:
em 16 homens; II – A razão entre a terça parte do número de
homens e o dobro do número de mulheres, nessa ordem, é a) 360 b) 340 c) 250 d) 230 e) 120
3/16. Nessas condições, o total de funcionários dessa
empresa é: 27. (CESGRANRIO/CMB/2005) As famílias de duas irmãs,
Alda e Berta, vivem na mesma casa e a divisão das despesas
a) 272 b) 268 c) 256 d) 252 e) 248 mensais é proporcional ao número de pessoas de cada
família. Na família de Alda são três pessoas e na de Berta,
20. (FCC/TRT/22R/2004) Na liquidação de uma falência, cinco. Se a despesa, num certo mês, foi de R$ 1.280,00,
apura-se um ativo de 2,4 milhões de reais e um passivo quanto pagou, em reais, a família de Alda?
constituído pelas seguintes dívidas: ao credor X, 1,6 milhões
de reais; ao Y, 2,4 milhões de reais; e ao Z, 2 milhões de a) 520,00 b) 480,00 c) 450,00
reais. É CORRETO afirmar que Z deverá receber: d) 410,00 e) 320,00
a) R$ 150.000,00 a mais que X
b) R$ 150.000,00 a menos que Y 28. (CESGRANRIO/PROMINP/2006) Para reduzir o
c) 5/8 do que caberá a X consumo de energia elétrica, uma empresa instalou dois
d) 5/8 do que caberá a Y painéis solares que, juntos, ocupam 560m2. Se as áreas dos
e) a metade do que X e Y receberão juntos dois painéis são diretamente proporcionais a 3 e a 1, qual a
diferença, em m2, entre essas áreas?

a) 140 b) 210 c) 280 d) 300 e) 320


23
29. (FCC/TRT/23R/2007) Relativamente a duas seções de uma Grandezas Inversamente Proporcionais
Unidade do Tribunal Regional do Trabalho, sabe-se que:
- o número de funcionários de uma excede o da outra em 15 Quando duas grandezas variam sempre uma na razão inversa
unidades; da outra, dizemos que essas grandezas são INVERSAMENTE
- a razão entre os números de seus funcionários é igual a 7/12. PROPORCIONAIS.
Nessas condições, o total de funcionários das duas seções é: São exemplos de grandezas diretamente proporcionais:
 Quantidade de peças fabricadas em uma fábrica e tempo
a) 65 b) 63 c) 59 d) 57 e) 49 para produzi-las;
 Tempo de uma obra e número de trabalhadores dessa obra;
30. (FCC/TRF/4R/2007) Um lote de 210 processos deve ser  Tempo em dias para realizar um serviço e tempo diário em
arquivado. Essa tarefa será dividida entre quatro Técnicos horas de trabalho;
Judiciários de uma Secretaria da Justiça Federal, segundo o  Número de dentes de uma engrenagem e quantidade de
seguinte critério: Aluísio e Wilson deverão dividir entre si voltas que a mesma realiza num determinado tempo, etc.
2/5 do total de processos do lote na razão direta de suas
respectivas idades: 24 e 32 anos; Rogério e Bruno deverão De um modo geral, podemos dizer que duas grandezas são
dividir os restantes entre si, na razão inversa de seus inversamente proporcionais quando aumentando uma a outra
respectivos tempos de serviço na Secretaria: 20 e 15 anos. diminui na mesma razão; ou quando diminuindo uma, a outra
Se assim for feito, os técnicos que deverão arquivar a menor aumenta na mesma razão.
e a maior quantidade de processos são, respectivamente:
a) Aluísio e Bruno. REGRA DE TRÊS SIMPLES
b) Aluísio e Rogério.
c) Wilson e Bruno. Definição
d) Wilson e Rogério.
e) Rogério e Bruno. Chamamos de REGRA DE TRÊS ao processo de cálculo
utilizado para resolver problemas que envolvam duas ou mais
GABARITO grandezas direta ou inversamente proporcionais.
1.b 2.a 3.e 4.d 5.d 6.b 7.b 8.c 9.a 10.e Quando o problema envolve somente duas grandezas, trata-se
11.e 12.c 13.c 14.b 15.a 16.d 17.b 18.b 19.a 20.e de um problema chamado de REGRA DE TRÊS SIMPLES.
21.a 22.c 23.c 24.e 25.b 26.a 27.b 28.c 29.d 30.a Nos exemplos a seguir verificaremos como proceder na
resolução desse tipo de problema.

REGRA DE TRÊS Obs.: Poderemos chamar a regra de três simples de direta ou


inversa, dependendo da relação existente entre as duas grandezas
Introdução envolvidas no problema.

GRANDEZAS PROPORCIONAIS Exemplo 01: Um carro consumiu 50 litros de álcool para


percorrer 600km. Supondo condições equivalentes, esse mesmo
Constantemente, você ouve ou faz afirmações como: carro, para percorrer 840km, consumirá quantos litros de álcool?
 A nota que vou obter na prova de Matemática depende do
número de questões que acertei; Resolução:
 O tempo que se gasta numa viagem depende da velocidade As grandezas são: litros de álcool e quilômetros percorridos.
do veículo; Faça um esquema da situação inicial:
 A quantia em dinheiro que vou gastar quando coloco
combustível em meu carro depende do volume de litros de álcool quilômetros percorridos
combustível colocado; 50 600

Em todas essas afirmações, você observa GRANDEZAS que Complete o esquema com a situação procurada:
variam uma dependendo da outra. Essas grandezas são chamadas
GRANDEZAS VARIÁVEIS DEPENDENTES que se litros de álcool quilômetros percorridos
relacionam entre si. 50 600
Como exemplo, na primeira situação acima, as grandezas x 840
envolvidas são: nota da prova e número de questões certas.
Grandezas Diretamente Proporcionais Agora é necessário classificar as duas grandezas em direta ou
inversamente proporcionais. Observe que para percorrer 840km,
Quando duas grandezas variam sempre na mesma razão, serão necessários mais litros de álcool.
dizemos que essas grandezas são DIRETAMENTE Portanto:
PROPORCIONAIS.
São exemplos de grandezas diretamente proporcionais: “Para percorrer MAIS quilômetros, serão necessários MAIS
 Quantidade de peças fabricadas em uma fábrica e número de litros de álcool”.
operários para produzi-las;
 Extensão de uma obra e número de trabalhadores dessa Logo, as grandezas são diretamente proporcionais.
obra;
 Tempo de uma viagem e distância percorrida; Neste caso, forme uma proporção sem alterar nenhuma das
 Quantidade de farinha e quantidade de trigo para produzir a razões:
farinha, etc. 50 600

x 840
De um modo geral, podemos dizer que duas grandezas são Usando o teorema da proporção:
diretamente proporcionais quando aumentando uma a outra 600.x = 50.840  600x = 42.000  x = 70
também aumenta na mesma razão; ou quando diminuindo uma,
a outra também diminui na mesma razão.

24
Portanto, para percorrer 640km serão necessários 70 litros de 8. Para fazer um determinado serviço, 15 homens gastam 40
álcool. dias; para fazer o mesmo serviço em 30 dias quantos novos
operários têm de ser contratados
Exemplo 02: Com 8 pedreiros podemos construir um muro em 3
dias. Quantos dias levarão 6 pedreiros de mesma capacidade para 9. Numa viagem de automóvel, uma pessoa gastou 9 horas
fazer o mesmo trabalho? andando à velocidade de 80km/h. Na volta, quanto tempo
irá gastar, se andar com velocidade de 100km/h?
Resolução:
As grandezas são: número de pedreiros e dias. 10. As dimensões de um tanque retangular são 1,5m, 2,0m e
Faça um esquema da situação inicial: 3,0m. Com uma torneira de vazão10litros por minuto, qual o
menor tempo gasto para enchê-lo?
nº de pedreiros dias
8 3 11. Se a massa de 1000cm3 de certo líquido é 3,75kg, qual a
massa de 1,35m3 do mesmo líquido?
Complete o esquema com a situação procurada:
12. Trabalhando 10 horas por dia, certa máquina faz um
nº de pedreiros dias trabalho em 240 dias. Se a mesma máquina funcionar 8
8 3 horas por dia, em quanto dias fará o mesmo trabalho?
6 x
13. Um edifício projeta uma sombra de 12m no mesmo instante
Agora é necessário classificar as duas grandezas em direta ou em que um objeto de 2m de altura projeta uma sobra de
inversamente proporcionais. Observe que 6 pedreiros de mesma 80cm. Calcule a altura do edifício
capacidade levarão mais que 3 dias para construir o mesmo
muro. 14. Uma torneira enche um tanque de 100 litros em 1 hora,
Portanto: enquanto uma segunda gasta 2 horas. As duas juntas
encherão o tanque em quanto tempo?
“Com MENOS pedreiros, o muro será feito em MAIS dias”.
15. Para vender todos os ingressos de um cinema Aline gasta 15
Logo, as grandezas são inversamente proporcionais. minutos e Junior 30 minutos. Trabalhando juntos, qual o
Neste caso, forme uma proporção invertendo uma das razões. tempo gasto para venderem os ingressos?
Inverteremos a primeira:
16. Para escrever um texto, usando 54 letras por linha, foram
6 3
 necessárias 15 linhas. Quantas linhas serão necessárias para
8 x 30 letras em cada linha?
Usando o teorema da proporção:
6.x = 8.3  6x = 24  x = 4 17. Para fazer uma cerca, são necessários 80 postes distantes
entre si de 2,5m. Quantos postes serão necessários, se a
Portanto, 6 pedreiros farão um muro em 4 dias. distância entre eles for de 2m?

EXERCÍCIOS 18. Uma vara de 5 m, colocada em posição vertical, projeta no


chão uma sombra de 3,5m. Calcule a altura de um prédio
1. Determine o número de tacos de 6cm de largura por 24cm que, na mesma hora e o mesmo local, projeta uma sombra
de comprimento necessários para assoalhar uma sala de de 12,6m.
3,6m de largura por 4,2m de comprimento.
19. Com 72kg de lã, faz-se uma peça de fazenda de 63m de
2. Uma caixa d'água comporta 360 litros e tem uma torneira comprimento. Quantos kg de lã seriam necessários para
que a enche em 15 horas e outra que a esvazia em 20 horas. fazer 84m da mesma fazenda?
Abrindo-se as duas torneiras simultaneamente, qual o
número de horas necessárias para encher a caixa? 20. Numa cidade, há 22.410 estrangeiros. A razão entre o
número de habitantes é de 18 para 100. Quantos habitantes
3. Um pátio retangular tem 1,8dam de comprimento e 75dm de há na cidade?
largura. Para pavimentar o pátio foram escolhidos ladrilhos
quadrados de 25cm de lado. Determine o número de Respostas:
ladrilhos gastos. 1) 1.050 2) 60 3) 2.160 4) 20.000
4. Determine o número de voltas que uma roda de 50dm de 5) 25 6) 1h 4min 7) 10 8) 5
raio precisa dar, para percorrer uma distância de 628km. 9) 7h 12min 10) 15h 11) 5.062,5kg 12) 300
13) 30m 14) 40min 15) 10min 16) 27
5. Uma lavoura de grãos com 100km2 de área plantada fornece 17) 100 18) 18m 19) 96 20) 124.500
uma produção de 5 toneladas por hectare. Sabendo-se as
máquinas usadas colheram 2000 toneladas por dia. Qual o REGRA DE TRÊS COMPOSTA
tempo gasto para se fazer a colheita desta lavoura?
Definição
6. Um trem, com velocidade de 48km/h, gasta 1 hora e 20
minutos para percorrer certa distância. Para fazer o mesmo Os problemas de regra de três composta são aqueles que
percurso a 60km/h o trem gastaria envolvem mais de duas grandezas.
Nos exemplos a seguir verificaremos como proceder na
7. Uma turma de operários faz uma obra, cujo coeficiente de resolução desse tipo de problema.
dificuldade é 0,2 em 8 dias. Em quantos dias a mesma turma
faria outro trabalho, com coeficiente de dificuldade 0,25? Exemplo 01: 5 operários, trabalhando durante 6 dias, produzem
400 peças. Quantas peças desse mesmo tipo serão produzidas por
7 operários, trabalhando durante 9 dias?
25
Resolução: 2 200 5 2 2 5 2 10
As grandezas envolvidas são: número de operários, dias e  .   .    10.x  2.20  10x = 40
x 500 4 x 5 4 x 20
número de peças produzidas.
x=4
Faça um esquema da situação inicial:
Portanto, o motociclista percorre 500km, viajando 5 horas por
nº de operários dias peças dia, em 4 dias.
5 6 400

Complete o esquema com a situação procurada: EXERCÍCIOS

nº de operários dias peças 1. Uma olaria produz 1.470 tijolos em 7 dias, trabalham 3
5 6 400 horas por dia. Quantos tijolos produzirá em 10 dias,
7 9 x trabalhando 8 horas por dia?

2. Oitenta pedreiros constroem 32m de muro em 16 dias.


Agora, isole a grandeza que tem a incógnita, compare cada uma
Quantos pedreiros serão necessários para construir 16m de
das outras grandezas com a grandeza isolada. Se for diretamente
muro em 64 dias?
proporcional, não altere a razão comparada; caso seja
inversamente proporcional, inverta a razão comparada. Assim:
3. Um ônibus percorre 2.232km em 6 dias, correndo 12 horas
 As grandezas peças e dias são diretamente proporcionais,
por dia. Quantos quilômetros percorrerá em 10 dias,
pois como os dias aumentaram, em MAIS dias são
correndo 14 horas por dia?
produzidas MAIS peças.
 As grandezas peças e número de operários são também
4. Numa fábrica, 12 operários trabalhando 8 horas por dia
diretamente proporcionais, pois como aumentou o número
conseguem fazer 864 caixas de papelão. Quantas caixas
de operários, com MAIS operários são produzidas MAIS
serão feitas por 15 operários que trabalham 10 horas por
peças.
dia?
A proporção fica:
5. Vinte máquinas, trabalhando 16 horas por dia, levam 6 dias
400 5 6 para fazer um trabalho. Quantas máquinas serão necessárias
 .
x 7 9 para executar o mesmo serviço, se trabalharem 20 horas por
Resolvendo: dia, durante 12 dias?
400 5 6 400 30 400 10
 .      10.x  400.21  10x
x 7 9 x 63 x 21 6. Numa indústria têxtil, 8 alfaiates fazem 360 camisas em 3
= 8400  x = 840 dias. Quantos alfaiates são necessários para que sejam feitas
1080 camisas em 12 dias?
Portanto, 7 operários, em 9 dias, farão 840 peças.
7. Um ciclista percorre 150km em 4 dias, pedalando 3 horas
Exemplo 02: Um motociclista percorre 200km em 2 dias, se por dia. Em quantos dias faria uma viagem de 400km,
rodar 4 horas por dia. Em quantos dias esse motociclista pedalando 4 horas por dia?
percorrerá 500km, se rodar 5 horas por dia?
8. Num internato, 35 alunos gastam R$ 15.400 pelas refeições
Solução: de 22 dias. Quantos R$ gastariam 100 alunos pelas refeições
As grandezas envolvidas são: quilômetros percorridos, dias e de 83 dias neste internato ?
horas por dia.
Faça um esquema da situação inicial: 9. Empregaram-se 27,4kg de lã para tecer 24m de fazenda de
60cm de largura. Qual será o comprimento da fazenda que
km dias horas/dia se poderia tecer com 3,425 toneladas de lã para se obter uma
largura de 90cm?
200 2 4
10. Os 2/5 de um trabalho foram feitos em 10 dias por 24
Complete o esquema com a situação procurada:
operários, que trabalham 7 horas por dia. Em quantos dias se
poderá terminar esse trabalho, sabendo que foram
km dias horas/dia
licenciados 4 operários e que se trabalham agora 6 horas por
200 2 4 dia?
500 x 5
11. O consumo de 12 lâmpadas iguais, acesas durante 5 horas
Como já sabemos, isolamos a grandeza que tem a incógnita x, por dia, em 39 dias, é de 26 quilowatts. Conservando apenas
comparamos cada uma das outras grandezas com essa grandeza 9 dessas lâmpadas acesas durante 4 horas por dia, de quanto
isolada. Então: será o consumo em 30 dias?
 As grandezas quilômetros e dias são diretamente
proporcionais, pois como os quilômetros aumentaram, em 12. Se 15kg de papel correspondem a 3.000 folhas de 20cm de
MAIS dias percorrem-se MAIS quilômetros. largura por 30cm de comprimento, a quantas folhas de 15cm
 As grandezas horas/dia e dias são inversamente por 20cm corresponderão 7kg de papel?
proporcionais, pois como aumentou o número de horas/dia,
com MAIS tempo de trabalho diário, MENOS serão os dias 13. São necessários 1064 quilos de feno para alimentar 14
necessários para a viagem. cavalos, durante 12 dias. Que quantidade de feno seria
preciso para a alimentação de 6 cavalos, durante 60 dias?
A proporção fica:
2 200 5 14. 30 operários gastam 15 dias de 8 horas para construir 52m
 .
x 500 4 de muro. Quantos dias de 9 horas gastarão 25 operários,
Resolvendo: para construir 39m de um muro igual?

26
15. 6 operários, em 15 dias, fizeram a metade de um trabalho de d) esvazia-se em 7 horas.
que foram encarregados. Ao fim desse tempo, 4 operários e) esvazia-se em 12 horas.
abandonaram o serviço. Em quanto tempo os operários
restantes poderão terminar o trabalho? 9. (USP) Uma família composta de 6 pessoas consome em 2
dias 3kg de pão. Quantos quilos serão necessários para
Respostas: alimentá-las durante 5 dias estando ausentes 2 pessoas?

1. 5.600 2. 10 3) 4.340 4) 1.350 5) 8 a) 3 b) 2 c) 4 d) 6 e) 5


6) 6 7) 8 8) 166 mil 9) 200cm 10) 21dias
11) 12kw 12) 2.800 13) 2.280 14) 12dias 15) 45dias 10. (UFMG) Dez máquinas, funcionando 6 horas por dia,
durante 60 dias, produzem 90.000 peças. O número de dias
para que 12 dessas máquinas, funcionando 8 horas por dia,
TESTES produzam 192.000 peças é:

1. (UFMG) Se a massa de 1.000cm3 de certo líquido é 3,75kg, a) 40 b) 50 c) 70 d) 80 e) 90


a massa de 1,35m3 do mesmo líquido é:
a) 5,0625kg b) 50,625kg c) 506,25kg 11. (FCC/TRE/RN) O estoque de determinado produto de um
d) 5.062,5kg e) 50.625kg laboratório tem previsão de duração de 18 dias a partir desta
data. Porém, o fabricante avisou que vai atrasar em 9 dias a
2. (UFMG) Para a remoção dos escombros de um próxima entrega do produto, obrigando assim o laboratório a
desabamento, foram previstos 80 homens trabalhando programar uma redução no consumo diário anterior.
durante 12 dias. Desejando acelerar o ritmo das obras, Supondo que a redução do consumo seja a mesma todos os
quantos homens devem ser acrescentados para que o serviço dias, a razão entre o novo consumo diário e o previsto
esteja pronto em 8 dias? inicialmente é:

a) 40 b) 21 c) 54 d) 120 e) 60 a) 5/6 b) 3/4 c) 2/3 d) 1/2 e) 1/3

3. (UFMG) Quando um litro de óleo mineral é misturado com 12. (FCC/TRT/4R) Num mesmo instante, dois automóveis
um milhão de litros de água doce, esta deixa de ser potável. começaram a rodar em uma estrada, um em direção ao
A quantidade de óleo mineral suficiente para “estragar” outro, quando a distância entre eles é de 480km. Se a
3,5.1011 litros de água do solo que abastecem anualmente velocidade média de um deles é de 105km/h e a do outro é
uma determinada cidade é: de 95km/h, após quanto tempo da partida eles se cruzarão
a) 3.500 b) 35.000 c) 350.000 nessa estrada?
d) 3.500.000 e) 35.000.000 a) 1 hora e 40 minutos.
b) 1 hora e 55 minutos.
4. (PUC-SP) Um elevador pode levar 20 adultos ou 24 c) 2 horas.
crianças. Se 15 adultos já estão no elevador, quantas d) 2 horas e 20 minutos.
crianças podem ainda entrar? e) 2 horas e 24 minutos.

a) 5 b) 6 c) 7 d) 8 e) 9 13. (FCC/TRT/4R) Trabalhando individualmente, o


funcionário A é capaz de cumprir certa tarefa em 8 horas, o
5. (UFMG) Um menino percorre, de bicicleta, 7km em 35min, funcionário B em 6 horas, e o funcionário C em 5 horas.
Nessas condições, se trabalharem juntos na execução dessa
1
com velocidade constante. Aumentando essa velocidade tarefa, o esperado é que ela seja cumprida em,
5 aproximadamente:
de seu valor, o tempo que leva, em minutos, para percorrer a) 1 hora e 40 minutos
12km, é: b) 2 horas, 2 minutos e 2 segundos
c) 2 horas e 20 minutos
a) 30 b) 40 c) 50 d) 60 e) 72 d) 2 horas, 22 minutos e 30 segundos
e) 2 horas e 54 minutos
6. (UCMG) Se, para encher um tanque, uma torneira A gasta
3h, e outra, B, gasta 7 horas, ambas abertas ao mesmo 14. (FCC/TRT/4R) Um motorista fez um certo percurso em 6
tempo levam: dias, viajando 8 horas por dia com a velocidade média de
a) 1h 50min b) 2h 06min c) 2h 10min 70km/h. Se quiser refazer esse percurso em 8 dias, viajando
d) 2h 20min e) 2h 30min 7 horas por dia, deve manter a velocidade média de:

7. (UCMG) Dois operários, juntos, realizam uma tarefa em 5 a) 55km/h b) 57km/h c) 60km/h
horas. Sabendo que, trabalhando isoladamente, o primeiro d) 65km/h e) 68km/h
gasta a metade do tempo do segundo, concluímos que o
primeiro operário, sozinho, realiza a tarefa em: 15. (FCC/TRE/PB/2001) Fernando percorreu 118,3km em seu
automóvel com 13 litros de combustível. Se o litro do
a) 6h 40min b) 7h 10min c) 7h 50min combustível custa R$ 1,85, o valor pago por Fernando para
d) 7h 30min e) 8h 10min percorrer 318,5km foi de:

8. (CESGRANRIO) Uma torneira enche um tanque em 4 a) R$ 52,70 b) R$ 60,90 c) R$ 64,75


horas. O ralo do tanque pode esvaziá-lo em 3 horas. Estando d) R$ 66,35 e) R$ 68,90
o tanque cheio, abrimos simultaneamente a torneira e o ralo.
Então o tanque: 16. (FCC/TRE/PB/2001) Estima-se que Osama Bin Laden
a) nunca se esvazia. tenha gasto U$ 1.000.000,00 no ataque aos EUA.
b) esvazia-se em 1 hora. Considerando o dólar a R$ 2,72, o número de cestas básicas
c) esvazia-se em 4 horas.

27
que este dinheiro poderia comprar, se cada cesta básica fabricação de um microcomputador exige, no mínimo,
custa R$ 13,60, é de: 240kg de combustível e 22kg de produtos químicos.
a) 100.000 b) 150.000 c) 200.000 Considerando-se essas informações, é correto afirmar que,
d) 250.000 e) 300.000 para fabricar uma centena de microcomputadores serão
gastos, no mínimo:
17. (FCC/Agente Penit.-AP/2002) Numa fábrica, duas a) 240kg de combustível.
máquinas de rendimentos diferentes, funcionando b) 2,4 toneladas de combustível.
ininterruptamente, mantêm constante, cada uma, uma certa c) 24 toneladas de combustível
produção por hora. A primeira produz por hora 36 peças a d) 220kg de produtos químicos.
mais do que a segunda. Se, em 8 horas de funcionamento, as e) 22 toneladas de produtos químicos.
duas produzem juntas um total de 1712 peças, o número de
peças produzidas pela: 25. (CESGRANRIO/PREF-MA/2004) Foram colocados 52
a) segunda em 3 horas de funcionamento é 270. sacos de areia em um pequeno caminhão que pode carregar,
b) segunda em 5 horas de funcionamento é 400. no máximo, 560 tijolos ou 70 sacos de areia. Quantos tijolos
c) primeira em 2 horas de funcionamento é 200. o caminhão ainda pode carregar?
d) primeira em 4 horas de funcionamento é 500.
e) primeira em 6 horas de funcionamento é 720. a) 160 b) 154 c) 150 d) 148 e) 144

18. (FCC/TRT/4R) Sabe-se que enchendo 72 garrafas, cada 26. (FCC/TRF/4R/2007) Um digitador gastou 18 horas para
uma com capacidade de 0,80 litros, é possível engarrafar copiar 2/7 do total de páginas de um texto. Se a capacidade
todo o líqüido de um reservatório. Se o volume de cada operacional de outro digitador for o triplo da capacidade do
garrafa fosse 900cm3, o número de garrafas utilizadas seria: primeiro, o esperado é que ele seja capaz de digitar as
páginas restantes do texto em:
a) 640 b) 90 c) 86 d) 64 e) 48 a) 13 horas.
b) 13 horas e 30 minutos.
19. (FCC/TRT/2R/2004) Uma máquina é capaz de imprimir c) 14 horas.
4.500 cópias em 5 horas de trabalho ininterrupto. Outra d) 14 horas e 15 minutos.
máquina, com capacidade operacional de 80% da primeira e) 15 horas.
imprimiria 3.600 cópias em:
a) 4 horas. 27. (FCC/TRT/23R/2007) Se os funcionários de certa empresa
b) 4 horas e 30 minutos. consomem, em média, a água de 2,4 garrafões a cada 2 dias,
c) 4 horas e 45 minutos. quantos dias espera-se que eles levariam para consumir a
d) 5 horas. água de 36 garrafões, todos com a mesma capacidade do
e) 5 horas e 30 minutos. primeiro?
a) 28 b) 30 c) 35 d) 36 e) 40
20. (FCC/TRT/22R/2004) Pretende-se que uma máquina tire
em 4 dias o mesmo número de cópias que ela já havia tirado 28. (FCC/TRF/2R/2007) Em uma gráfica, foram impressos
em 7 dias, operando 6 horas por dia. Se sua capacidade de 1.200 panfletos referentes à direção defensiva de veículos
produção for aumentada em 2/5, então, para executar tal oficiais. Esse material foi impresso por três máquinas de
trabalho, ela deverá operar diariamente por um período de: igual rendimento, em 2 horas e meia de funcionamento. Para
a) 7 horas e 12 minutos imprimir 5.000 desses panfletos, duas dessas máquinas
b) 7 horas e 24 minutos deveriam funcionar durante 15 horas:
c) 7 horas e 30 minutos a) 10 minutos e 40 segundos.
d) 7 horas e 35 minutos b) 24 minutos e 20 segundos.
e) 7 horas e 48 minutos c) 37 minutos e 30 segundos.
d) 42 minutos e 20 segundos.
21. (CESGRANRIO/SEAD-AM/2005) Em seis dias, 3 e) 58 minutos e 30 segundos.
pedreiros terminam uma obra. Em quantos dias 2 pedreiros
fariam o mesmo serviço? 29. (FCC/TRE/RN) O estoque de determinado produto de um
laboratório tem previsão de duração de 18 dias a partir desta
a) 4 b) 5 c) 7 d) 9 e) 10 data. Porém, o fabricante avisou que vai atrasar em 9 dias a
próxima entrega do produto, obrigando assim o laboratório a
22. (CESGRANRIO/PROMINP/2006) Além da destruição programar uma redução no consumo diário anterior.
causada pela lava incandescente, uma erupção vulcânica Supondo que a redução do consumo seja a mesma todos os
provoca, também, um grande acúmulo de cinzas na região dias, a razão entre o novo consumo diário e o previsto
atingida. O peso de uma camada de 2,5cm de cinzas, inicialmente é:
cobrindo uma área de 100m2, é 8 toneladas. Uma camada de a) 5/6 b) 3/4 c) 2/3 d) 1/2 e) 1/3
cinzas de 12,8 toneladas que ocupe uma área de 200m2 terá
uma espessura de quantos centímetros? 30. (FCC/TRF/1R/2006) Operando ininterruptamente, uma
máquina é capaz de tirar X cópias de um texto em 6 horas,
a) 1,6 b) 2,0 c) 3,2 d) 3,6 e) 4,0 enquanto que, nas mesmas condições, outra copiadora
executaria o mesmo serviço em 4 horas. Se essas duas
23. (CESGRANRIO/TRANSPETRO/2006) Se 3 operários, máquinas operassem juntas, que fração das X cópias elas
trabalhando 6 horas por dia, constroem um muro em 20 dias, após 2 horas de funcionamento ininterrupto?
em quantos dias 5 operários, trabalhando 8 horas por dia,
construiriam o mesmo muro? a) 5/12 b) 1/2 c) 7/12 d) 2/3 e) 5/6

a) 4 b) 5 c) 6 d) 8 e) 9 GABARITO
1.d 2.a 3.c 4.b 5.c 6.b 7.d 8.e 9.e 10.d
24. (CESGRANRIO/TO/2004) De acordo com uma pesquisa 11.c 12.e 13.b 14.c 15.c 16.c 17.d 18.d 19.d 20.c
realizada pela Organização das Nações Unidas (ONU), a 21.d 22.b 23.e 24.c 25.e 26.e 27.b 28.c 29.c 30.e
28
PORCENTAGEM 800 100
Daí:   x = 40
x 5
Razão Centesimal
Resposta: 5% de R$ 800,00 é igual a R$ 40,00.
Chamamos de RAZÃO CENTESIMAL a toda razão cujo
denominador seja igual a 100. Exemplo 02: Numa classe de 40 alunos, 25% são meninas.
Quantos são os meninos?
Exemplos:
37 em cada 100  37/100 19 em cada 100  19/100 Resolução:
Se 25% dos alunos são meninas, os meninos representam 75%
Diversas outras razões não centesimais podem ser facilmente dessa mesma classe. Portanto:
reescritas no forma centesimal.
alunos %
Exemplos: 40 100
 3 em cada 10  3/10 = 30/100  30 em cada 100 x 75
 2 em cada 5  2/5 = 40/100  40 em cada 100
 1 em cada 4  1/4 = 25/100  25 em cada 100 Daí:
40 100
Outros nomes usados para uma razão centesimal são:   100.x = 40.75  100x = 3000  x = 30
x 75
RAZÃO PORCENTUAL, ÍNDICE PORCENTUAL ou
Portanto, a sala possui 30 meninos.
PERCENTIL.

Forma Porcentual Forma Unitária

Além da forma porcentual, existe uma outra forma de


Uma razão centesimal pode ser indicada no FORMA
expressarmos uma razão porcentual a qual chamamos de forma
PORCENTUAL anotando-se o antecedente (numerador) da razão
unitária.
centesimal seguido do símbolo % (lê-se: por cento).
A forma unitária da razão p/100 é o número decimal que
obtemos dividindo o valor de p por 100.
Exemplos:
12 3
 12% (doze por cento)  3% (três por cento) Exemplos:
100 100 23 6
 23% = = 0,23  6% = = 0,06
100 100
Porcentagem
133 0,05
 133% = = 1,33  0,5% = = 0,005
Dados dois números quaisquer a e b (b  0) dizemos que a é 100 100
igual a p% de b quando a razão a : b for igual a p%. Em
símbolos: Aumentos e Reduções Porcentuais
a p
a é p% de b   Quando queremos calcular um aumento ou uma redução de
b 100
p% sobre determinado valor, é comum calcular o resultado em
duas etapas:
4 16 1ª) Calculamos a porcentagem p% do valor dado;
Exemplo: 4 é 16% de 25, pois   16%
25 100 2ª) Adicionamos ou subtraímos do valor original a porcentagem
encontrada, para obter, respectivamente, o valor aumentado ou
Na expressão acima, o valor de b é a referência do cálculo reduzido em p% do valor dado, conforme o caso desejado.
porcentual. Dizemos então que a é uma porcentagem do
número b. Usando a forma unitária, poderemos calcular aumentos e
Todo problema de porcentagem depende, basicamente, de reduções percentuais de modo mais rápido, usando um dos
determinarmos um dos valores dados na expressão acima, a, b ou seguintes raciocínios:
p em função dos outros dois. Ou seja, trata-se de uma regra de
três simples. Para calcular um aumento de p%:
Observações:  Quando aumentamos em p% um valor V, ficamos com (100
Nas questões de concursos públicos é comum encontrarmos: + p)% de V.
 expressões como: lucro, rendimento, desconto,  Então, basta multiplicar o valor V pela forma decimal de
abatimento, prejuízo, etc. indicando uma porcentagem em (100 + p)% para termos o resultado desejado.
situações específicas;
 a expressão “principal” indicando o valor de referência que Exemplo: Jonas, que ganha R$ 650,00 por mês trabalhando
corresponde a 100%. numa fábrica, teve seu salário reajustado em 20%. Qual seu novo
salário?
Exemplo 01: Calcular 5% de R$ 800,00.
Resolução:
Resolução: Basta multiplicar 650 por (100 + 20)%:
Fazendo uma regra de três simples: 650.120% = 650.1,2 = 780

R$ % Portanto, o novo salário de Jonas é de R$ 780,00.


800 100
x 5 Para calcular uma redução de p%:

29
 Quando reduzimos em p% um valor V, ficamos com (100 – 6. 12% dos vencimentos de um médico equivalem a R$
p)% de V. 636,00. Qual o total dos seus vencimentos?
 Então, basta multiplicar o valor V pela forma decimal de
(100 – p)% para termos o resultado desejado. 7. Um avião com 120 lugares foi fretado para uma viagem do
Rio de Janeiro a Fortaleza e partiu lotado. Durante o vôo,
Exemplo: Um sofá que custa R$ 900,00 foi vendido à vista com constatou-se que 60% dos passageiros estavam viajando
desconto de 25%. Qual foi o seu preço à vista? pela primeira vez de avião e, entre eles, 87,5% não
conheciam Fortaleza. Se o número de turistas que já haviam
Resolução: ido a Fortaleza corresponde a 25% do total, que
Basta multiplicar 900 por (100 – 25)%: porcentagem do total de turistas já havia viajado de avião e
900.75% = 900.0,75 = 675 estado na capital cearense?

Portanto, o preço à vista do sofá foi de R$ 675,00. 8. Seja o gráfico abaixo:

Aumentos sucessivos A expansão da rede


Usuários residenciais de Internet em 2001 (em milhões)
Para aumentarmos um valor V sucessivamente em p1%, Ativos*
p2%, p3%, ..., pn% de tal forma que cada um dos aumentos, a Totais** 11,9 11,9 12,0
partir do segundo, incida sobre o resultado do aumento anterior, 11,3
basta multiplicar o valor V sucessivamente pelas formas unitárias 11,1
de (100 + p1)%, (100 + p2)%, (100 + p3)%, …, (100 + pn)%. 10,4
9,8 9,8 9,8
Exemplo: A caixa de comprimidos Neosaldor, que custava R$
6,00, sofreu dois aumentos sucessivos: de 5% e 10%. Qual o
novo preço da caixa desse comprimido?

Resolução:
Basta multiplicar 6 por (100 + 5)% e (100 + 10)%: 6,1
6.105%.110% = 6.1,05.1,10 = 6,93 5,6 6,0 6,0
5,3 5,5
Portanto, a caixa de comprimidos custa agora R$ 6,93. 5,0
4,5 4,4
Reduções sucessivas
jan. fev. mar. abr. mai. jun. jul. ago. set.
Para reduzirmos um valor V sucessivamente em p1%, p2%,
p3%, ..., pn% de tal forma que cada uma das reduções, a partir da *Aqueles que acessaram a rede pelo menos uma vez por mês
segunda, incida sobre o resultado da anterior, basta multiplicar o ** Todos aqueles que têm acesso em casa
valor V sucessivamente pelas formas decimais de (100 – p1)%,
(100 – p2)%, (100 – p3)%, …, (100 – pn)%.
Analise cada uma das afirmações seguintes, assinalando V ou F e
Exemplo: Uma TV que custa R$ 1.200,00 teve dois abatimentos justificando as falsas:
sucessivos para ser vendida à vista numa queima de estoque: um a) O gráfico mostra que, de modo geral, aproximadamente
de 20% e outro de 25%. Qual seu preço à vista? metade dos usuários residenciais acessou a rede ao menos
uma vez por mês.
Resolução: b) O aumento percentual de usuários ativos foi menor que 1%,
Basta multiplicar 1.200 por (100 – 20)% e (100 – 25)%: considerando os números de agosto e setembro.
1200.80%.75% = 1200.0,80.0,75 = 720 c) Suponha que em setembro 30% dos usuários ativos
acessaram sites de comércio eletrônico e, desse total, 16%
Portanto, o preço à vista da TV é de R$ 720,00. das visitas resultaram em compras. Então podemos dizer
que aproximadamente 2,5% do total de usuários residenciais
efetuaram compras eletrônicas.
EXERCÍCIOS
d) O percentual de usuários ativos, em relação ao total, foi
maior no mês de abril.
1. Numa festa havia 4.000 pessoas, das quais 15% eram
crianças. Quantos eram os adultos? Respostas:
1. 3.400
2. Um trabalhador ganha R$ 960,00 por mês. São reservados 2. R$ 172,80
25% para o aluguel, 35% para a alimentação, 22% para 3. R$ 1.008,00
gastos diversos e o restante ele coloca numa caderneta de 4. 18%
poupança. Qual o valor que ele deposita na poupança? 5. 88%
6. R$ 5.300,00
3. Guilherme ganhava R$ 700,00 por mês. Em maio, teve um 7. 17,5%
aumento de 20% e em junho teve um novo aumento de 20%. 8. a) V b) F; 1,67% c) V d) F; o
Qual passou a ser o salário de Guilherme depois de junho? percentual de março (51,02%) foi maior que o de abril
(50,96%)
4. Numa cidade, o preço da passagem de ônibus subiu de R$
3,00 para R$ 3,54. Qual foi a taxa porcentual de aumento?
TESTES
5. Numa classe de 50 alunos faltaram 6. Qual a taxa porcentual
dos presentes? 1. (FUVEST) Em 1997, o concurso vestibular para ingresso em
certa faculdade contava com 3.751 inscritos. Em 1998 o
mesmo concurso com 4.251 inscritos. O acréscimo do
30
número de candidatos de um ano para o seguinte foi, em 10. (Unic-MT) A razão entre o número de homens e o de
termos percentuais, aproximadamente igual a: mulheres com curso universitário completo numa certa
cidade é de 3 para 2. Sabendo-se que 28% da população
a) 9% b) 11% c) 12% d) 13% e) 15% dessa cidade tem curso universitário completo, a
porcentagem de homens nessa cidade que têm esse nível de
2. (UNB) Uma mistura contém duas substâncias A e B que escolaridade é:
estão entre si na razão de 3 para 8, respectivamente. A a) 16,8% b) 11,2% c) 10,25%
porcentagem de B nessa mistura é, aproximadamente: d) 17,85% e) 28%
a) 72,73% b) 73,8% c) 75,64%
d) 77,6% e) 78,42% 11. (Esam-RN) A prestação de uma geladeira no valor de R$
110,00 passou, três meses depois, para R$ 123,20. Nessas
3. (UFES) Uma certa mercadoria que custava R$ 12,50, teve mesmas condições, um automóvel no valor de R$ 9.500,00
um aumento, passando a custar R$ 14,50. A taxa de reajuste deverá sofrer um acréscimo de:
sobre o preço antigo é de: a) R$ 1.244,00 b) R$ 1,240,00 c) R$ 1.140,00
a) 2% b) 20% c) 12,5% d) R$ 1.040,00 e) R$ 940,00
d) 11,6% e) 16%
12. (UEL-PR) Um artigo é vendido em uma loja por R$ 125,00.
4. (UFOP) Uma pessoa pagou 30% de uma dívida. Se R$ Sobre esse preço são dados dois abatimentos sucessivos: um
3.500,00 correspondem a 20% do restante a ser pago, a de 16% e outro de p%. Se o preço de tal artigo reduziu-se a
pessoa pagou: R$ 81,90, então p é igual a:
a) R$ 5.500,00 b) R$ 6.000,00 c) R$ 6.500,00
d) R$ 7.000,00 e) R$ 7.500,00 a) 18 b) 20 c) 22 d) 24 e) 26

5. (PUC-SP) Segundo um artigo da revista Veja, durante o ano 13. (UFMG) Uma loja aumenta o preço de um determinado
de 1998, os brasileiros consumiram 261 milhões de litros de produto cujo valor é R$ 600,00 para, em seguida, a título de
vinhos nacionais e 22 milhões de litros de vinhos importados. promoção, vendê-lo com desconto de 20% e obter ainda os
O artigo informou ainda que a procedência dos vinhos mesmos R$ 600,00. Para que isso aconteça, o aumento
importados consumidos é dada pela seguinte tabela: percentual do preço deverá ser de:

Itália  23% Alemanha  13% a) 20% b) 25% c) 30% d) 40% e) 50%


Portugal  20% Argentina  6%
Chile  16% Outros  6% 14. (UFOP) O dono de uma loja de tecidos paga 40% de
França  16% impostos sobre o preço de venda de uma determinada
mercadoria. Sobre o restante, 70% são utilizados para cobrir
O valor aproximado do total de vinhos importados da Itália e de os custos e 30% correspondem ao lucro. Se o preço de custo
Portugal, em relação ao total de vinhos consumidos pelos da mercadoria é R$ 63,00, então o lucro obtido com a venda
brasileiros, em 1998, foi de: é de:
a) R$ 233,00 b) R$ 100,00 c) R$ 73,00
d) R$ 63,00 e) R$ 27,00
a) 2,3% b) 3,3% c) 4,3% d) 5,3% e) 6,3%
15. (UNIUBE) Um objeto, após sofrer um acréscimo de 50%,
6. (Esam/RN) A diferença de preços de uma televisão entre as
passou a custar R$ 90,00. Seu preço antes desse reajuste era
lojas M e S, é de R$ 180,00. Se a loja M oferecesse um
de:
desconto de 15%, o preço da televisão, nas duas lojas, seria
a) R$ 45,00 b) R$ 58,00 c) R$ 60,00
igual. O preço da televisão na loja S é, em reais, igual a:
d) R$ 75,00 e) R$ 80,00
a) 980 b) 1.020 c) 1.120
d) 1.200 e) 1.300
16. (FCC/TRE/RN) O preço para execução de um trabalho de
prótese dentária é o resultado da adição do custo do material
7. (UFJF) Marcos tem um gasto fixo mensal de 40% do seu
com o valor da mão-de-obra. Em certo trabalho no qual o
ordenado. Do que lhe sobra ele compromete 12,5% numa
valor da mão-de-obra foi orçado em 80% do custo do
prestação de um som e 17,5% num curso de dança, sendo que
material, o protético fez desconto de 5% ao cliente, que
do restante ele deposita um terço na poupança. Ainda lhe
pagou R$ 513,00. O preço estipulado pela mão-de-obra foi
restam R$ 140,00. Marcos ganha por mês:
de:
a) R$ 389,00 b) R$ 300,00 c) R$ 285,00
a) R$ 700,00 b) R$ 650,00 c) R$ 550,00
d) R$ 270,00 e) R$ 240,00
d) R$ 500,00 e) R$ 550,00
17. (FCC/TRT/4R) O preço de um aparelho eletrodoméstico é P
8. (UFES) Um empregado recebe um salário mensal para
reais. Como eu só possuo X reais, que correspondem a 70%
trabalhar 8 horas diárias. Trabalhando 2 horas extras todo dia,
de P, mesmo se me fosse concedido um abatimento de 12%
ele tem um acréscimo de 50% em seu salário. Quanto ele
no preço, ainda faltariam R$ 54,00 para que eu pudesse
ganha a mais por hora extra?
comprar esse aparelho. Nessas condições, a quantia que
a) 50% b) 60% c) 80%
possuo é:
d) 100% e) 120%
a) R$ 254,00 b) R$ 242,00 c) R$ 237,00
d) R$ 220,00 e) R$ 210,00
9. (UERJ) Uma máquina que, trabalhando sem interrupção,
fazia 90 fotocópias por minuto foi substituída por outra 50%
18. (FCC/TRT/4R) Considere que em certo mês 76% das ações
mais veloz. Suponha que a nova máquina tenha que fazer o
distribuídas em uma vara trabalhista referiam-se ao
mesmo número de cópias que a antiga fazia em uma hora de
conhecimento de vínculo empregatício e que, destas, 20%
trabalho ininterrupto. Para isso, a nova máquina vai gastar
tinham origem na área de indústria, 25% na de comércio e as
um tempo mínimo, em minutos, de:
209 ações restantes, na área de serviços. Nessas condições, o
a) 25 b) 30 c) 35 d) 40 e) 45
31
número de ações distribuídas e NÃO referentes ao 26. (CESGRANRIO/BNDES/2006) Em uma empresa, a razão
reconhecimento de vínculo empregatício era: do número de empregados homens para o de mulheres é 3/7.
Portanto, a porcentagem de homens empregados nessa
a) 240 b) 216 c) 186 d) 120 e) 108 empresa é:

19. (FCC/TRT/22R/2004) Um técnico judiciário arquivou 20% a) 30% b) 43% c) 50% d) 70% e) 75%
do total de processos de um lote. Se 35% do número restante
corresponde a 42 processos, então o total existente no lote 27. (CESGRANRIO/INSS/2005) Do total de funcionários da
era: empresa Fios S/A, 20% são da área de informática e outros
a) 110 b) 120 c) 140 d) 150 e) 180 14% ocupam os 21 cargos de chefia. Quantos funcionários
dessa empresa NÃO trabalham na área de informática?
20. (FCC/TRE/CE/Téc.Judiciário/2002) Suponha que, em uma
eleição, apenas dois candidatos concorressem ao cargo de a) 30 b) 99 c) 110 d) 120 e) 150
governador. Se um deles obtivesse 48% do total de votos e o
outro, 75% do número de votos recebidos pelo primeiro, 28. (CESGRANRIO/REFAP/2007) Nos últimos anos, a dívida
então, do total de votos apurados nessa eleição, os votos não externa do Brasil despencou. De acordo com a reportagem
recebidos pelos candidatos corresponderiam a: “A decolagem dos negócios”, publicada na Revista Veja de
23 de maio deste ano, a dívida externa brasileira, que, em
a) 16% b) 18% c) 20% d) 24% e) 26% junho de 2003, era de R$171 bilhões, baixou para R$69
bilhões em fevereiro de 2007. Em termos percentuais, a
21. (CESGRANRIO/TRANSPETRO/2006) Fernanda foi ao redução da dívida observada nesse período foi,
mercado com o dinheiro exato para comprar 2 kg de carne. aproximadamente, de:
Como o mercado estava oferecendo 20% de desconto no
preço da carne, ela aproveitou para comprar uma quantidade a) 102% b) 73% c) 60% d) 40% e) 27%
maior. Se Fernanda gastou todo o dinheiro que levou,
quantos quilos de carne ela comprou? Gabarito:
1.d 2.a 3.e 4.e 5.b 6.b 7.d 8.d 9.d 10.a
a) 2,40 b) 2,50 c) 2,60 d) 2,70 e) 2,80 11.c 12.c 13.b 14.e 15.c 16.e 17.e 18.d 19.d 20.a
21.b 22.d 23.c 24.e 25.c 26.a 27.d 28.c
22. (CESGRANRIO/TRANSPETRO/2006) Em uma escola,
60% dos estudantes são do sexo masculino e 30% dos
estudantes usam óculos. Das estudantes do sexo feminino, JUROS SIMPLES
25% usam óculos. Qual a porcentagem aproximada de
estudantes do sexo feminino, entre os estudantes que usam Introdução
óculos?
a) 10% b) 15% c) 25% d) 33% e) 67% Vamos iniciar nosso estudo de juros apresentando alguns
conceitos fundamentais para plena compreensão deste conteúdo:
23. (CESGRANRIO/PREF-MA/2004) Ao completar 1 ano e 8  CAPITAL ou PRINCIPAL (C): Quantia em dinheiro
8 aplicada com o fim de render juros.
meses, um capital atingiu de seu valor inicial. Isso
5  JURO ou RENDIMENTO (J): Remuneração pelo uso do
significa que esse capital: capital por um certo intervalo de tempo.
a) diminuiu 1,6%.  TAXA DE JUROS (i): Porcentagem fixa do capital a título
b) diminuiu 58%. de juros em certo período (mês, ano, dia, semestre, etc.)
c) aumentou 60%.  MONTANTE ou VALOR FUTURO (M): É a soma do
d) aumentou 85%. capital com os juros.
e) aumentou 160%.
JUROS SIMPLES
24. (CESGRANRIO/EPE/2006) Em uma fazenda de produção
de soja, a plantação ocupava uma área de A hectares que Definição
proporcionava uma determinada produção anual de grãos.
Com a utilização de novas técnicas de plantio e de colheita, Chamamos de regime de JUROS SIMPLES àquele que é
foi possível reduzir a área A em 20% e, ainda assim, obter calculado sempre sobre o capital INICIAL, ou seja, sempre a
um aumento de 20% na produção anual de grãos. Considere partir de um capital FIXO.
que a produção média por hectare plantado seja obtida pela
razão entre a produção anual da fazenda e a área plantada. Calculando Juros Simples
Após a adoção das novas técnicas, a produção média por
hectare plantado dessa fazenda aumentou em: Em operação com juros simples, os juros são diretamente
proporcionais ao capital, à taxa e ao tempo.
a) 10% b) 20% c) 30% d) 40% e) 50% Estando a taxa i e o tempo t expressos na mesma unidade de
tempo, os juros simples J produzidos por um capital C podem ser
25. (CESGRANRIO/PROMINP/2006) Segundo dados da calculados por uma regra de três simples:
Federação das Indústrias de São Paulo, em maio de 2006
foram abertas, em São Paulo, 25.000 vagas industriais a C 100%
menos do que em abril. Se a redução no número de vagas J i.t %
abertas nesse Estado, de abril para maio, foi de 62,5%,
quantas vagas industriais haviam sido abertas em abril? Exemplo: Uma pessoa toma R$ 1.500,00 emprestados em um
a) 35.000 b) 38.000 c) 40.000 banco a juros simples com uma taxa mensal de 4%. Determine os
d) 45.000 e) 50.000 juros pagos ao final de 1 ano e 4 meses.

Resolução:

32
Basta aplicar os dados na regra de três não se esquecendo de EXERCÍCIOS
converter o tempo em meses (1 ano e 4 meses = 16 meses):
1. Calcule o montante de uma aplicação financeira a juros
1.500 100% simples nas seguintes situações:
J 16.4%
Capital Taxa Tempo de rendimento
Realizando os cálculos, os juros totalizarão R$ 960,00. a) R$ 10.000,00 3% ao mês 6 meses
b) R$ 500,00 18% ao ano 4 meses
Utilizando Fórmula c) R$ 4.000,00 2% ao mês 1,5 ano
O juro simples (J) de um capital (C) aplicado por um tempo 2. Calcule o juro produzido por R$ 5.000,00, durante 1 ano e 8
(t) a uma taxa fixa (i) também pode ser calculado pela fórmula: meses, a uma taxa de 2,5% ao mês.

C.i.t 3. Qual o capital que, empregado a 2% ao mês a juros simples,


J
100 produz, em 3 meses, R$ 240,00?

Calculando Montante 4. Calcule a que taxa anual foi empregado um capital de R$


12.000,00 que produziu R$ 1.200,00, durante 2 anos
Sabemos que montante é a soma do capital com os juros. Em aplicado a juros simples.
símbolos:
5. Calcular o tempo em que o capital de R$ 4.800,00 rendeu
M= C+J R$ 720,00, à taxa de 5% ao mês a juros simples.

No entanto, podemos calcular esse mesmo montante a partir 6. Mário tomou emprestado R$ 240.000,00 a juros simples
do capital C, da taxa de juros i e do tempo t. Basta fazer um durante 3 meses, à taxa de 60% ao ano. Que quantia
aumento porcentual de p% sobre o capital. Esse aumento de p% devolveu após os 3 meses?
corresponde ao produto i.t, que é o percentual acumulado do
capital no período em que rendeu juros. Então: 7. (FGV-SP) O sr. Mathias tem R$ 12.000,00 para investir
pelo prazo de um ano. Ele pretende aplicar parte numa
C 100% aplicação A que tem um rendimento esperado de 15% ao
M (100 + i.t)% ano sobre o valor investido, e o restante numa outra
aplicação B, que dá um rendimento de 20% sobre o valor
O fator (100 + it)% é chamado FATOR DE investido.
ACUMULAÇÃO DE CAPITAL para juros simples ou FATOR a) Qual o rendimento anual esperado se ele aplicar R$
DE ACUMULAÇÃO SIMPLES. 7.000,00 em A e R$ 5.000,00 em B?
b) Qual o máximo que deve investir em A para auferir um
Exemplo: Calcular o montante produzido por um capital de R$ ganho esperado de no mínimo R$ 2.200,00 daqui a um
5.000,00 aplicado a uma taxa de juros simples de 10%a.a., pelo ano?
prazo de 2 anos.
8. (FGV-SP) Carlos adquiriu um aparelho de TV em cores
Resolução: pagando uma entrada de R$ 200,00 mais uma parcela de R$
Basta multiplicar 5.000 pelo fator de acumulação (100 + 10.2)%: 450,00 dois meses após a compra. Sabendo-se que o preço à
5000.(100 + 10.2)% = 5000.120% = 5000.1,2 = 6000 vista do aparelho é R$ 600,00:
a) Qual a taxa mensal de juros simples do financiamento?
Portanto, o montante é de R$ 6.000,00. b) Após quantos meses da compra deveria vencer a
parcela de R$ 450,00 para que a taxa de juros simples
Taxas Proporcionais do financiamento fosse de 2,5% ao mês?

Veja agora as abreviações usadas em taxas de juros: Respostas:


1. a) R$ 11.800,00 b) R$ 530,00 c) R$ 5.440,00
2. R$ 2.500,00
abreviação significado
3. R$ 4.000,00
a. d. ao dia 4. 5% ao ano
a. m. ao mês 5. 3 meses
a. b. ao bimestre 6. R$ 276.000,00
a. t. ao trimestre 7. a) 17,08% b) R$ 4.000,00
a. q. ao quadrimestre 8. a) 6,25% ao mês b) 5 meses
a. s. ao semestre
a. a. ao ano TESTES
Dizemos que duas taxas são PROPORCIONAIS quando seus
1. (PUC-SP) Calcular o montante produzido por um capital de
valores formam uma proporção direta com os respectivos
R$ 10.000,00 durante 3 anos, considerando o regime de
tempos, considerados numa mesma unidade.
juros simples a uma taxa de 5%a.t.:
a) R$ 11.500,00 b) R$ 13.000,00 c) R$ 16.000,00
Exemplo: As taxas de 72% ao ano e de 6% ao mês são
d) R$ 17.500,00 e) R$ 18.000,00
proporcionais, pois:
72% 6% 2. (FEI-SP) O juro de uma aplicação de R$ 1.000,00 em 18

12 meses 1 mês meses, se a taxa de juros simples é de 42%a.a. é, em R$, de:
Ou seja: a) 720,00 b) 420,00 c) 756,00
72% está para 12 meses (1 ano) assim como 6% está para 1 mês. d) 630,00 e) 1.200,00

33
3. (UFOP) Um capital aplicado a 5%a.m. a juros simples 12. (FCC/TRT/22R/2004) Um capital de R$ 5.000,00 foi
triplicará em: aplicado por alguns meses a juros simples, à taxa mensal de
a) 3 anos b) 80 meses c) 20 bimestres 2%. Ao final desse prazo, o montante foi retirado e aplicado
d) 2 semestres e) 50 meses à taxa mensal de 1,5%, por um período de 6 meses a mais
que o da primeira aplicação, produzindo juros simples no
4. (UNB) Um principal de R$ 5.000,00 é aplicado à taxa de valor de R$ 810,00. Nessas condições, durante quantos
juros simples de 2,2%a.m., atingindo depois de certo meses esteve aplicado o capital inicial?
período um montante equivalente ao volume de juros
gerados por outra aplicação de R$ 12.000,00 a 5%a.m. a) 7 b) 6 c) 5 d) 4 e) 3
durante 1 ano. O prazo de aplicação do primeiro principal
foi de: 13. (CESGRANRIO/BNDES/2006) Um artigo, cujo preço à
a) 10 meses b) 20 meses c) 2 anos vista é R$ 210,00, pode ser comprado a prazo com dois
d) 1,5 ano e) 30 meses pagamentos iguais: o primeiro no ato da compra e o segundo
um mês após. Se os juros são de 10% ao mês, qual é o valor,
5. (UFMG) Uma loja oferece um relógio por R$ 3.000,00 à em reais, de cada pagamento?
vista ou 20% do valor à vista, como entrada, e mais um
pagamento de R$ 2.760,00 após 6 meses. A taxa de juros a) 110 b) 115,50 c) 121 d) 126 e) 130
simples cobrada é de:
a) 30%a.a. b) 1%a.d. c) 3%a.m. 14. (Banco do Brasil) Uma geladeira é vendida à vista por R$
d) 360%a.a. e) 12%a.a. 1.000,00 ou em duas parcelas, sendo a primeira como uma
entrada de R$ 200,00 e a segunda, dois meses após, no valor
6. (BACEN) O preço de uma mercadoria é R$ 2.400,00 e o de R$ 880,00. Qual a taxa mensal de juros simples
comprador tem 1 mês para realizar o pagamento. Caso utilizada?
queira pagar à vista, a loja dá um desconto de 20%. O a) 6% b) 5% c) 4% d) 3% e) 2%
mercado financeiro oferece rendimento de 35% ao mês.
Assinale a opção correta: 15. (AFTN/1998) Indique, nas opções a seguir, qual a taxa
a) a melhor opção é o pagamento à vista unitária anual proporcional à taxa de juros simples de 5% ao
b) não há diferença entre as modalidades de pagamento mês.
c) no pagamento a prazo, o comprador lucra, no fim do a) 60,0 b) 1,0 c) 12,0 d) 0,6 e) 5,0
mês, R$ 192,00
d) no pagamento a prazo, o comprador lucra, no fim do 16. (Sefaz/1998) Dois capitais, em juros simples, estão entre si
mês, R$ 210,00 assim como 4 está para 6. Para que, em período de tempo
e) no pagamento a prazo, o comprador lucra, no fim do igual, seja obtido o mesmo rendimento, a taxa de aplicação
mês, R$ 252,00 do menor capital deve superar a do maior em:

7. (FCC/TRT/4R) Uma pessoa tem R$ 2.000,00 para investir. a) 20% b) 60% c) 40% d) 50% e) 70%
Se aplicar 3/4 dessa quantia a juros simples, à taxa mensal
de 5%, então, para obter um rendimento mensal de R$ 17. (TTN) Uma certa importância foi aplicada a juros simples
90,00, deverá investir o restante à taxa mensal de: de 48%a.a., durante 60 dias. Findo o prazo, o montante
apurado foi reaplicado por mais 120 dias, a uma taxa de
a) 1% b) 2% c) 3% d) 4% e) 5% 60%a.a., mantendo-se o mesmo regime de capitalização.
Admitindo-se que o último montante foi de R$ 207,36, qual
8. (FCC/TRE/PB/2001) Paulo, com sua capacidade de foi o capital inicial da primeira operação?
negociação, emprestou R$ 1.500,00 a Bosco, recebendo, a) R$ 160,00 b) R$ 170,00 c) R$ 180,00
após 60 dias, R$ 510,00 de rendimento. A taxa de juros d) R$ 190,00 e) R$ 200,00
mensal paga por Bosco foi de:
18. (TRT) Dividir o capital de R$ 441.000,00 em duas partes de
a) 15% b) 17% c) 20% d) 22% e) 25% modo que a primeira, aplicada a 5,5% ao mês, e a segunda, a
60% ao ano, produzam, no fim do mesmo tempo de
9. (FCC/TRT/22R/2004) Num mesmo dia, são aplicados a aplicação, juros de mesmo valor.
juros simples: 2/5 de um capital a 2,5% ao mês e o restante, a) R$ 210.000,00 e R$ 271.000,00
a 18% ao ano. Se, decorridos 2 anos e 8 meses da aplicação, b) R$ 210.000,00 e R$ 231.000,00
obtém-se um juro total de R$ 7.600,00, o capital inicial era: c) R$ 220.000,00 e R$ 241.000,00
d) R$ 230.000,00 e R$ 231.000,00
a) R$ 12.500,00 b) R$ 12.750,00 c) R$ 14.000,00 e) R$ 240.000,00 e R$ 251.000,00
d) R$ 14.500,00 e) R$ 14.750,00
19. (AFTN) Dois capitais foram aplicados a uma taxa de
10. (FCC/TRE/CE/Téc.Judiciário/2002) Um capital de R$ 72%a.a., sob regime de juros simples. O primeiro pelo prazo
2.500,00 foi aplicado a juros simples e, ao final de 1 ano e 3 de 4 meses e o segundo por 5 meses. Sabendo-se que a soma
meses, o montante produzido era R$ 3.400,00. A taxa dos juros totalizou R$ 39.540,00 e que os juros do capital
mensal dessa aplicação foi de: excederam os juros do primeiro em R$ 12.660,00, a soma
dos dois capitais inicias era de:
a) 1,5% b) 1,8% c) 2,2% d) 2,4% e) 2,5% a) R$ 140.000,00
b) R$ 143.000,00
11. (FCC/TRT/2R/2004) Uma pessoa tem R$ 20.000,00 para c) R$ 145.000,00
aplicar a juros simples. Se aplica R$ 5.000,00 à taxa mensal d) R$ 147.000,00
de 2,5% e R$ 7.000,00 à taxa mensal de 1,8%, então, para e) R$ 115.000,00
obter um juro anual de R$ 4.932,00, deve aplicar o restante
à taxa mensal de: Gabarito:
1.c 2.d 3.b 4.b 5.a 6.c 7.c 8.b 9.a 10.d
a) 2% b) 2,1% c) 2,4% d) 2,5% e) 2,8% 11.a 12.d 13.a 14.b 15.d 16.d 17.a 18.b 19.b

34
FUNÇÕES Por isso, dizemos que existe uma RELAÇÃO
BIUNÍVOCA entre os pares de números correspondentes,
Introdução ou seja, cada número de acertos faz correspondência
com apenas um valor de nota.
No estudo científico de muitos fatos é comum que se A esse conjunto de correspondências e a qualquer outro
procure identificar grandezas mensuráveis e, em seguida, que possui essas características citadas denominamos
estabelecer as relações existentes entre essas grandezas. FUNÇÃO.
Exemplo 01: Quando quer fazer um estudo da variação da Definição
temperatura em certa cidade, o Instituto de Meteorologia mede a
temperatura a intervalos regulares, por exemplo, a cada 2 horas, e Dados dois conjuntos A e B não vazios, uma FUNÇÃO de
monta uma tabela que relaciona entre si as grandezas hora e
A em B (f: A  B) é toda relação que a cada elemento x de A
temperatura.
faz corresponder um único elemento y de B.
Vamos supor que a tabela seja assim:
Vamos representar essa relação biunívoca entre as
Hora 0 2 4 6 8 10 12 14 16 18 20 22 24 notas y do aluno na prova e número x de acertos através de
Temp. (ºC) 7 5 3 2 5 12 18 20 20 15 11 8 6 diagramas de Venn. Utilizaremos flechas para representar
as correspondências entre esses valores de A e B assim:
A cada hora corresponde uma única temperatura. Dizemos, por
isso, que a temperatura é FUNÇÃO da hora. A B
25 50
Exemplo 02: Para fretar um ônibus de excursão com 40 lugares, 30 60
paga-se, ao todo, R$ 360,00. Quanto cada passageiro deverá 35 70
pagar se a lotação do ônibus não for completa? 40 80
45 90
Para achar a quantia que cada um deverá desembolsar (y), basta
dividir o preço total (R$ 360,00) pelo número de passageiros (x).
A fórmula que relaciona y com x é: (F: A  B; y = 2x)
(lê-se: função de A em B tal que y é igual a 2x)
360
y
x A representação acima ilustra claramente a definição de
função: todo elemento de A deve estar associado a um único
Observe na tabela a correspondência entre x e y: elemento de B.
Essa representação é chamada de DIAGRAMA DE
x 4 12 15 18 20 24 36 40 FLECHAS.
y 90,00 30,00 24,00 20,00 18,00 15,00 10,00 9,00
No estudo de função, ainda existem as definições:
 O conjunto A é denominado DOMÍNIO da função. Ele pode
Noção Intuitiva
ser representado por D(f);
 O conjunto B é denominado CONTRA-DOMÍNIO da
Considere a seguinte situação:
função. Ele pode ser representado por CD(f);
“Numa prova de 50 testes tipo certo-errado, cada uma valendo 2
 O elemento y de B associado ao elemento x de A é
pontos, a nota (y) de um aluno é função do número (x) de testes
denominado IMAGEM de x e pode ser representado por
que ele acertar”.
f(x);
 O subconjunto de B formado pelos elementos que são
Vamos determinar, como exemplo, algumas notas obtidas por
imagens dos elementos de A é denominado CONJUNTO-
esse aluno em função dos seus acertos:
IMAGEM (ou IMAGEM DA FUNÇÃO). O conjunto-
imagem da função pode ser representado por Im(f).
Se ele acertar: Sua nota será
25 questões 50,0
30 questões 60,0 EXERCÍCIO
35 questões 70,0
40 questões 80,0 1. O número de alunos matriculados em uma escola de
45 questões 90,0 esportes é função do tempo, e a lei que relaciona tais
grandezas é dada por n(t) = 4t2 – t + 50, em que n(t) é o
A esse conjunto de pares de correspondências entre número número de alunos dessa escola daqui a t meses.
de acertos e suas respectivas notas 25  50, 30  60,...  , a) Quantos alunos essa escola terá daqui a dois meses?
b) Qual é o acréscimo de alunos registrado do sexto para o
denominamos RELAÇÃO. sétimo mês?
Podemos determinar uma fórmula matemática que associa o
número de acertos (x) do aluno à sua respectiva nota (y). Tal 2. (Unicamp-SP) O preço unitário de um produto é dado por:
fórmula pode ser:
k
p   10 , para n  1
n
y = 2x
a) Encontre o valor da constante k, sabendo-se que,
Através da tabela anterior de acertos e das notas, percebemos quando adquiridas 10 unidades, o preço unitário
que para cada valor de x acertos, a única nota correspondente é foi de R$ 19,00.
aquela que é o dobro desse número de acertos, ou seja, 2x. b) Com R$ 590,00, quantas unidades do referido produto
É impossível, por exemplo, o aluno acertar 42 questões podem ser adquiridas?
e ter outra nota a não ser 84,0 pontos.
35
3. A lei f(x) = 2x2 – 12x + 25 representa o número de multas Portanto, o esboço do gráfico de f(x) fica assim determinado:
anuais (em milhares), indicado por f(x), que serão aplicadas
daqui a x anos, em uma certa cidade.
a) Quantas multas são aplicadas atualmente nessa cidade?
b) Quantas multas serão aplicadas daqui a 2 anos? E daqui
a 5 anos?
c) Em quanto tempo serão aplicadas 57.000 multas?

4. (UMC-SP) A produção de uma fábrica de televisores varia,


mês a mês, com a fórmula:

P(m) = 25(m – 3)2 + 300

Em que m = 1, 2, 3, ... corresponde, respectivamente, aos meses


de janeiro, fevereiro, março, etc. Determine:
a) O número de televisores produzidos em março, junho e
setembro, respectivamente;
b) Os meses em que são produzidos 400 televisores. Exemplo 02: Esboçar o gráfico da função definida por
f ( x )  2x  3 definida no domínio D(f) = {x  IR; 0  x  5} .

Respostas: Resolução:
1. a) 64 b) 51 O domínio da função compreende todos os infinitos elementos do
2. a) 90 b) 50 eixo x que estão localizados de 0 a 5. Assim, o gráfico dessa
3. a) 25.000 b) 9.000; 15.000 c) daqui 8 anos. função será o mesmo gráfico do exemplo anterior, porém, com os
4. a) 300; 525; 1.200 b) janeiro e maio. pontos interligados, representando a união dos infinitos pontos.
Portanto, fica assim determinado:
Gráfico de uma Função

Denominamos GRÁFICO de uma função f ao conjunto G


formado por todos os pares ordenados (x, y) tais que x são os
elementos do domínio D(f) da função e y suas respectivas
imagens. Ou seja:

G = {(x, y)| x  D(f) e y CD(f)}

Exemplo: Sejam A = {2, 3, 4, 5} e B = {7, 10, 13, 16, 19} e f: A


 B uma função definida pela lei f(x) = 3x + 1. Determine o
gráfico dessa função.

Solução:
Calculamos inicialmente as imagens dos elementos do domínio:
Exemplo 03: Esboçar o gráfico da função definida por
f ( x )  2x  3 definida no domínio D(f) = IR.
 f(2) = 3.2 + 1 = 7  f(3) = 3.3 + 1 = 10
 f(4) = 3.4 + 1 = 13  f(5) = 3.5 + 1 = 16
Resolução:
Agora basta formamos os pares ordenados (x, y) tais que x  A e Temos a mesma lei dos exemplos anteriores, y = f(x) = 2x – 3,
y  B: (2, 7); (3, 10); (4, 13); (5, 16). mas o domínio é formado por todos os números reais. Assim,
além do segmento AF devemos considerar pontos à direita, com
Portanto, o gráfico da função é o conjunto G = {(2, 7); (3, 10); (4,
abscissa x > 5, e pontos à esquerda, com abscissa x < 0. O gráfico
13); (5, 16)}
é neste caso a reta AF (não tem fim de um lado, nem do outro)
assim determinado:
Esboço de Gráfico

O ESBOÇO DO GRÁFICO é a representação desses pares


ordenados num sistema de coordenadas cartesianas através de
pontos.

Exemplo 01: Esboçar o gráfico da função definida por


f ( x )  2x  3 definida no domínio D(f) = {0, 1, 2, 3, 4, 5}.

Resolução:
Primeiro determinamos os pares do gráfico da função:

 f(0) = 2.0 – 3 = -3  f(1) = 2.1 – 3 = -1


 f(2) = 2.2 – 3 = 1  f(3) = 2.3 – 3 = 3
 f(4) = 2.4 – 3 = 5  f(5) = 2.5 – 3 = 7

Os pontos definidos são, portanto: A(0, -3); B(1, -1); C(2, 1);
D(3, 3); E(4, 5); F(5, 7)

36
Análise de Gráficos Composição da delegação brasileira nas Olimpíadas

Muitas observações a respeito do comportamento de


uma função podem ser obtidas a partir do seu gráfico.
Através dele, podemos ter uma visão do crescimento
(ou decrescimento) da função, dos valores máximos (ou
mínimos) que ela assume, de eventuais simetrias, do
comportamento para valores de x muito grandes, etc.
Agora vamos analisar alguns gráficos e observar os
comportamentos das respectivas funções.

Exemplo 01:

Eleitores menores de 18 anos no Brasil

Observando o gráfico, podemos dizer que:


 O número de homens na delegação sempre foi superior ao
de mulheres;
 O número de mulheres na delegação cresceu continuamente
de 1960 a 2000;
 Em 2000 o número de homens (105) e o número de
mulheres são próximos;
 De 1980 a 2000 a relação entre o número de homens e o de
mulheres passou de cerca de 6:1 para cerca de 1,1:1.

EXERCÍCIOS
Examinando o gráfico, podemos dizer que:
 Em 1989, os eleitores menores eram 4,03% do eleitorado; 1. O gráfico mostra a variação do barril de petróleo na manhã
 Em 1992, os eleitores menores eram 3,56% do eleitorado; de terça-feira de 11 de setembro de 2001, quando foram
 De 1996 a 1998, o eleitorado dos menores decresceu (ou realizados os atentados terroristas em Nova Iorque e
caiu) de 2,34% para 1,76%; Washington.
 De 1998 a 2000, esse eleitorado cresceu (ou subiu) de
1,76% para 2,86%.

Exemplo 02:

Produção de automóveis no Brasil

a) Qual foi a cotação de abertura do barril?


b) Qual foi a cotação máxima registrada nesse dia?
c) Entre que horários consecutivos foi registrada queda na
cotação do barril?
d) Pode-se afirmar que o aumento percentual na cotação
do barril (levando-se em consideração a cotação de
segunda-feira e a do fechamento de terça-feira) foi
superior a 5%?

2.

Examinando o gráfico, podemos dizer que:


 A produção máxima ocorreu em 1997 (cerca de 2,10
milhões);
 A produção mínima ocorreu em 1990 e 1991 (cerca de 0,90
milhão);
 A produção cresceu continuamente de 1991 a 1997;
 A produção decresceu de 1997 a 1999 e retomou o
crescimento de 1999 a 2000.

Exemplo 03:

37
a) Em que períodos a produção de automóveis cresceu?  Para x = -1, y = f(-1) = 2.(-1) + 1 = -1;
b) Em que mês o número de veículos não vendidos foi etc.
maior? Qual foi esse número?
O gráfico é a reta desenhada na figura acima. Observe que D(f) =
3. Classifique como C (certo) ou E (errado), justificando: IR.

Exemplo 02: Esboçar o gráfico da função definida por f(x) = -2x


+ 3.

Resolução:
Temos:
 Para x = -1, y = f(-1) =
-2(-1) + 3 = 5;
 Para x = 0, y = f(0) =
-2.0 + 3 = 3;
 Para x = 1, y = f(1) =
-2.1 + 3 = 1;
 Para x = 2, y = f(2) =
-2.2 + 3 = -1;
etc.

O gráfico é a reta desenhada na figura acima. Observe que D(f) =


a) O gráfico ao lado representa uma função. Im(f) = IR.
b) A cada ano aumenta o número de pessoas que declaram
o imposto de renda. Observações:
c) De 1997 a 1998 houve um acréscimo de mais de 1,5 1ª) Os valores de a e b são denominados COEFICIENTES, sendo
milhões de declarações. que a é o COEFICIENTE ANGULAR e b o COEFICIENTE
d) Se, a partir de 2001, o número de pessoas que declaram LINEAR de f(x).
imposto de renda crescer à proporção de 1,8 milhão ao 2ª) A função polinomial do 1º grau f(x) = ax + b, com D(f) = IR,
ano, em 2005 esse número ultrapassará 22 milhões. tem imagem IR. Portanto, Im(f) = IR.
Respostas: Crescimento e Decrescimento
1.
a) US$ 29,20
Observando o gráfico de f(x) = 2x + 1 (exemplo 01), à
b) US$ 30,65
medida que AUMENTAM os valores de x, as ordenadas y dos
c) 10h15min e 10h30min; 10h45min e 12h; 12h15min e
pontos do gráfico também AUMENTAM. Dizemos que essa
12h30min função é CRESCENTE.
d) sim. 10%  2,745 e 5%  1,3725. Assim, um acréscimo de Já na função g(x) = -2x + 3 (exemplo 02), à medida que
5% levaria a cotação para US$ 28,82. AUMENTAM os valores de x, DIMINUEM as ordenadas y dos
pontos do gráfico. Trata-se de uma função é DECRESCENTE.
2. a) janeiro a março; abril a maio; julho a agosto Sempre que o coeficiente angular a de uma lei de uma função
b) setembro; 36.400 polinomial do 1º grau for POSITIVO, a função será
CRESCENTE.
3. a) V b) V c) V d) F Sempre que o coeficiente angular a de uma lei de uma função
polinomial do 1º grau for NEGATIVO, a função será
DECRESCENTE.
FUNÇÃO POLINOMIAL DE 1º GRAU De modo geral:

Definição Se a > 0, a função definida por f(x) = ax + b é crescente;


Se a < 0, a função definida por f(x) = ax + b é decrescente.
Dados os números reais a e b, sendo a  0, podemos
considerar a função que a todo número real x faz corresponder o Zero e Equação do 1º grau
número ax + b:
f: IR  IR, com f(x) = ax + b Denominamos ZERO (ou RAIZ) de uma função a todo valor
de x para o qual se tem f(x) = 0.
Esta função é denominada FUNÇÃO POLINOMIAL DO 1º No caso da função afim temos:
GRAU (ou FUNÇÃO AFIM). O gráfico é uma RETA não b
paralela a nenhum dos eixos coordenados. f ( x )  ax  b  ax  b  0  ax   b  x  
a
Exemplo 01: Esboçar o gráfico da função definida por f(x) = 2x Logo, a raiz de f(x) = ax + b é a solução da EQUAÇÃO DO
+ 1. b
1º GRAU ax + b = 0, ou seja, o número x =  .
a
Resolução: b  b
Temos: Notemos que, para x   , temos y = f     0 e,
 Para x = 0, y = f(0) = 2.0 a  a
+ 1 = 1;  b 
portanto, a raiz da função é a abscissa do ponto   , 0  onde o
 Para x = 1, y = f(1) = 2.1  a 
+ 1 = 3; gráfico corta o eixo dos x.
 Para x = 2, y = f(2) = 2.2
+ 1 = 5;

38
Exemplo 01: Determinar a raiz de f(x) = 2x + 1. 5. Leia o texto abaixo e, em seguida, responda às questões:

Resolução: Na última terça-feira, São Paulo voltou a mergulhar em seu


1 pesadelo recorrente. A greve de metroviários, uma insistente
Temos: 2x + 1 = 0  2x = -1  x   . chuva fina e a suspensão pelo segundo dia consecutivo do
2
rodízio de veículos fizeram com que o paulistano ficasse parado
1
Portanto, a raiz é  . O gráfico corta o eixo dos x no ponto em um congestionamento que, às 19 horas, chegou a 215
2 quilômetros de extensão. É o segundo maior índice de lentidão
 1  registrado pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET).
 , 0 . Ano após ano, a situação se agrava. A CET estima que a
 2 
monstruosa frota registrada na capital – 5,2 milhões de veículos,
Exemplo 02: Resolva a equação 2(x – 1) + 3(x + 1) = 4(x + 2): ou um para cada dois moradores – cresça na proporção de 500
carros por dia.
(Veja São Paulo, 4/7/2001).
Resolução:
2(x – 1) + 3(x + 1) = 4(x + 2)  2x – 2 + 3x + 3 = 4x + 8  5x + a) De acordo com a notícia, como se expressa a frota de
1 = 4x + 8  5x – 4x = 8 – 1  x = 7 veículos v que haverá na cidade de São Paulo daqui a t anos
(contados a partir da data da notícia)?
EXERCÍCIOS b) Mantido tal crescimento, daqui a quantos meses a frota
alcançará 6,1 milhões de veículos?
1. O salário fixo mensal de um segurança é de R$ 560,00. Para
aumentar sua receita, ele faz plantões noturnos em uma
boate, onde recebe R$ 60,00 por noite de trabalho. 6. (FGV-SP) A receita mensal de vendas de uma empresa (y)
a) Se em um mês o segurança fizer 3 plantões, que salário relaciona-se com os gastos mensais com propaganda (x) por
receberá? meio de uma função afim. Quando a empresa gasta R$
b) Qual é o salário final y quando ele realiza x plantões? 10.000,00 por mês de propaganda, sua receita naquele mês é
de R$ 80.000,00; se o gasto mensal com propaganda for o
dobro daquele, a receita mensal cresce 50% em relação
2. (UCGO) Um pecuarista mede o desenvolvimento de um àquela.
bezerro em kg, todos os meses. Ligando os pontos por ele a) Qual é a receita mensal se o gasto mensal com
observados num gráfico, obtém-se a figura abaixo. Mantida propaganda for de R$ 30.000,00?
esse relação entre o tempo (t), medido em meses, e o “peso” b) Obtenha a expressão de y em função de x.
p, medido em kg, qual será o “peso” do bezerro no 6º mês?

7. Resolva as seguintes equações do 1º grau:


75
a) 13(2x – 3) – 5(2 – x) = 5(-3 + 6x)
50
b) 3(x + 2) = 2(x – 7) + x + 20

0 1 2 3 4 x 1 3x 2
c)   
2 3 5 5
3. A função f, definida por f(x) = -2x + m, está representada
f ( 1)  f (0) 2x  3 11  x 29
abaixo. Qual é o valor de ? d)  
f ( 2) 5 3 30
y
5x  36 2x x  12
e) 1  2
4 2 2

f) –x + 4(2 – x) = -2x – (10 + 3x)


1

0 1 x
8. (UFPB) Uma herança foi dividida entre a viúva, a filha, o
filho e o cozinheiro. A filha e o filho ficaram com a metade,
distribuída na proporção de 4 para 3, respectivamente. A
4. (Vunesp-SP) Apresentamos ao lado o gráfico do volume do
viúva ganhou o dobro do que coube ao filho, e o cozinheiro,
álcool em função de sua massa, a uma temperatura fixa de
R$ 500,00. Calcule o valor da herança.
0ºC. Baseado nos dados do gráfico, determine:
a) A lei da função apresentada no gráfico;
b) Qual é a massa (em gramas) de 30 cm3 de álcool.
9. (UEPA) Um executivo muito previdente distribui seus
3 1
volume (cm ) vencimentos mensais da seguinte maneira: para plano
8
50 (40, 50) 1 1
de saúde; para poupança; para alimentação e
4 6
moradia e os R$ 6.600,00 restantes para lazer. Quanto o
executivo poupa mensalmente?
(0, 0) 40 massa (g)

39
Respostas: Sinal
1. a) R$ 740,00 b) y = 560 + 60x y > 0  x < 5/2
2. 112,5 kg y>0 y < 0  x > 5/2
3. -8 5/2
5m
4. a) v  b) 24g y<0
4
5. a) v(t) = 5,2 + 0,18t b) 60 meses
6. a) R$ 160.000,00 b) y = 4x + 40.000
 22 
7. a) S = {34} b) S = R c) S   
 3  INEQUAÇÕES DE 1º GRAU
 157 
d) S    e) S = {12} f) S =  Chamamos inequações do 1º grau às sentenças:
 22 
8. R$ 7.000,00
 ax + b > 0  ax + b < 0  ax + b  0
9. R$ 3.600,00
 ax + b  0  ax + b  0
Sinal
onde a e b são números reais, a  0, e x é a incógnita.
Estudar o sinal de uma função qualquer y = f(x) é determinar
os valores de x para os quais y é positivo, os valores de x para os Fazendo y = ax + b, resolver cada inequação acima significa
quais y é zero e os valores de x para os quais y é negativo. determinar para quais valores de x temos, respectivamente:

Consideremos uma função afim y = ax + b e vamos estudar  y>0  y<0  y0  y 0  y0
b
seu sinal. Já vimos que essa função se anula para x =  (raiz).
a Isto pode ser feito analisando os sinais da função definida por
Há dois casos possíveis: y = ax + b.

1º) a > 0 (a função é crescente) Vamos resolver inequações do 1º grau e algumas inequações
em que pode ser aplicado o estudo de sinal da função afim.
b
 y > 0  ax + b > 0  x > 
a Exemplo 01: Resolver a inequação 4(x + 1) – 5  2(x + 3):
b
 y < 0  ax + b < 0  x < 
a Resolução:
4(x + 1) – 5  2(x + 3)  4x + 4 – 5  2x + 6  4x – 1  2x
Conclusão: y é positivo para valores de x maiores que a raiz; y é + 6  6 + 1  4x – 2x  7  2x  x  7/2.
negativo para valores de x menores que a raiz.
 7
2º) a < 0 (a função é decrescente) Portanto, a solução é S = x  IR; x  .
 2
b
 y > 0  ax + b > 0  x < 
a Exemplo 02: Resolver a inequação 1  2x  3  x  5 :
b
 y < 0  ax + b < 0  x > 
a Resolução:
De fato, são duas inequações simultâneas:
Conclusão: y é positivo para valores de x menores que a raiz; y é
negativo para valores de x maiores que a raiz. 1  2x  3 (I) e 2 x  3  x  5 (II)

Exemplo 01: Estudar o sinal de y = 2x – 1. Vamos resolver (I) 1  2x  3 :


Temos: 1  2x  3  3  1  2 x  2  2 x  1  x  x - 1
Resolução:
Essa função polinomial do 1º grau apresenta a = 2 > 0 e raiz x =
Vamos resolver (II) 2x + 3 < x + 5:
½. Seu gráfico é crescente e corta o eixo Ox no ponto ½.
Temos: 2x + 3 < x + 5  2x – x < 5 – 3  x < 2

Sinal Procuremos agora a intersecção das duas inequações:


y>0 y>0x>½
y<0x<½ S1 -1 2
½
S2
y<0
S1S2

Portanto, a solução final é S = x  IR;1  x  2.


Exemplo 02: Estudar o sinal da função y = -2x + 5:

Resolução: EXERCÍCIO
Essa função do 1º grau apresenta a = -2 < 0 e raiz x = 5/2. Seu
gráfico é decrescente e corta o eixo Ox no ponto 5/2. 1. Resolva, em R, as inequações:
a) 3x – 4  x + 5
b) 19 – 17x < -4 + x
40
c) 2(x + 3) < -2(3x + 1) EQUAÇÕES DE 2º GRAU
1 3
d) x   2x
2 2 Chamamos EQUAÇÃO do 2º GRAU na incógnita x à
x x 1 x2 x 3 sentença:
e)  x  
3 2 5 4 ax2 + bx + c = 0
2. Uma companhia de telefones celulares oferece a seus onde a, b e c são números reais chamados COEFICIENTES, com
clientes duas opções: na primeira opção, cobra R$ 38,00 a  0.
pela assinatura mensal e mais R$ 0,60 por minuto de
conversação; na segunda, não há taxa de assinatura, mas o Exemplos:
minuto de conversação custa R$ 1,10.  Na equação 2x2 + 3x + 1 = 0: a = 2, b = 3 e c = 1;
a) Qual é a opção mais vantajosa para 1 hora de  Na equação 2x – x2 = 0: a = -1, b = 2 e c = 0;
conversação mensal?  Na equação x2 – 4 = 0: a = 1, b = 0 e c = -4.
b) A partir de quanto tempo deve-se optar pela primeira
opção? Estaremos considerando equações no conjunto universo U =
R, exceto quando for citado outro universo. Assim, estaremos
3. (UF-SE) Na fabricação de um lote de peças de certo sempre interessados em determinar as raízes reais da equação.
produto, o custo total é igual à soma de um valor fixo de R$
400,00 com o custo de produção unitário de R$ 0,50. Se o
1º Caso: Resolução de Equações Incompletas
preço unitário de venda dessas peças for de R$ 0,85, qual é
o número mínimo de peças que devem ser fabricadas e
As equações do 2º grau que têm b = 0 ou c = 0 são chamadas
vendidas para que se comece a ter lucro?
EQUAÇÕES INCOMPLETAS.
4. Resolva, em R, as inequações:
Exemplo 01: Resolver a equação x2 – 2x = 0.
a) -2 < 3x – 1 < 4
b) -3 < -x < 1
Resolução:
c) -4 < 4 – 2x  3
Começamos colocando x em evidência: x . (x – 2) = 0.
d) 2 – x < 3x + 2 < 4x + 1
Lembrando que um produto é igual a zero somente se pelo menos
um dos fatores é zero, devemos ter: x = 0 ou x – 2 = 0
5. Resolva, em R, os seguintes sistemas de inequações:
3x  2  5x  2 Portanto, a solução é o conjunto S = {0, 2}.
3  2 x  1 
a)  b) 4x  1  3x  4
3 x  1  5 3  2x  x  6 Exemplo 02: Resolver a equação 4x2 – 1 = 0.

Resolução:
6. (FGV-SP) Uma empresa B tem hoje um saldo devedor de
R$ 300.000,00 e uma outra empresa C tem hoje um saldo 1 1
Temos: 4x2 – 1 = 0  4x2 = 1  x    x .
devedor de R$ 250.000,00. O saldo devedor de B diminui 4 2
R$ 6.000,00 por mês e o de C diminui R$ 2.500,00 por mês.  1 1
A partir de quantos meses (contador de hoje) o saldo Portanto, a solução é o conjunto S =  ,  .
devedor de B ficará menor que o de C?  2 2

Respostas:
1. Exemplo 03: Resolver a equação 2x2 + 8 = 0.
 9  23 
a) S   x  R; x   b) S   x  R; x   Resolução:
 2  18  Temos: 2x2 + 8 = 0  x2 = -4;
c) S  x  R; x  1 d) S  x  R; x  2 Nenhum número real é raiz da equação, porque x2  0, qualquer
 51  que seja x real.
e) S  x  R ; x   Portanto, a solução é o conjunto S = .
 113 
2. 2º Caso: Resolução de Equações Completas
a) A segunda opção
b) A partir de 1h16min mensais de uso As equações do 2º grau que têm b  0 e c  0 são chamadas
EQUAÇÕES COMPLETAS. Para resolvê-las, utilizaremos a
3. 1143 peças FÓRMULA DE BÁSKHARA abaixo:
4.
 1 5
a) S   x  R;  x  b) S  x  R ;  1  x  3  b  b 2  4ac
 3 3 x , onde  = b2 – 4ac
2a
 1 
c) S   x  R ;  x  4 d) S  x  R; x  1
 2  onde a, b e c são os coeficientes da equação.

5. Obs.: A fórmula de Báskhara pode ser utilizada para a


a) S  x  R ; 1  x  2 b) S= determinação de raízes de qualquer equação de 2º grau, seja
completa ou não; mas aqui a utilizaremos apenas para as
equações completas.
7. 15 meses
Exemplo: Resolver a equação 2x2 + 3x + 1 = 0.

41
Solução:  2 2 
Como a = 2, b = 3 e c = 1 temos: Portanto, S =  1  , 1 .
 2 2 
 1
 3  3 2  4.2.1  3  1 x '  
x    2
2. 2 4 x "  1 Exemplo 02: Na equação 9x2 + 12x + 4 = 0:

 1 
Portanto, a solução é o conjunto S =  ,  1 .  = b2 – 4ac = 122 – 4.9.4 = 0.
 2  Como  = 0, a equação possui duas raízes reais iguais.
12  0 2
As raízes são: x   x '  x"   .
EXERCÍCIOS 2. 9 3
 2
1. Determine as raízes (zeros) reais de cada uma das seguintes Portanto, S =   .
 3
funções:
3 Exemplo 03: Na equação 2x2 + 5x + 9 = 0:
a) f(x) = 3x2 – 7x + 2 b) f ( x )   x 2  x 1
2
c) f(x) = - 3x2 + 6 d) f(x) = x – 2x2  = b2 – 4ac = 52 – 4.2.9 = -47.
e) f(x) = x2 + 5x + 7 Como  < 0, a equação não possui raízes reais.
O conjunto-solução em IR é S = .
2. Resolva as equações:
a) 9x2 – 4 = 0 b) 2x2 – 11x = 0 c) 2x2 + 18 = 0 Exemplo 04: Na equação x2 + 8x + m = 0, o discriminante  = b2
d) 2x – 5x + 2 = 0 e) –6x2 + 5x – 1 = 0
2
f) (3x + 2)2 = 20x+5 – 4ac = 82 – 4.1.m = 64 – 4m.
Respostas:  Para que a equação tenha raízes reais distintas, devemos ter
1 1  > 0: 64 – 4m > 0  64 > 4m  16 > m  m < 16;
1. a) x’ = 2 e x” = b) x’ = 2 e x” =  c) x’ =
3 2  Para que a equação tenha raízes reais iguais, devemos ter 
2 e x” =  2 d) x’ = 0 e x” = 2 e) não = 0: 64 – 4m = 0  64 = 4m  m = 16;
existem raízes reais  Para que a equação não tenha raízes reais, devemos ter  <
0: 64 – 4m < 0  64 < 4m  16 < m  m > 16;
2 2 11  Para que a equação tenha raízes reais, devemos ter   0: 64
2. a) x’ = e x” =  b) x’ = 0 e x” = c) não – 4m  0  64  4m  16  m  m  16.
3 3 2
1
existem raízes reais d) x’ = 2 e x” = e) x’ = EXERCÍCIOS
2
1 1 1
e x” = f) x’ = 1 e x” =  1. Determine m para que a função definida por f(x) = x2 – 3x +
2 3 9 m tenha duas raízes reais e distintas.

Existência de Raízes 2. Determine p a fim de que o gráfico de f(x) = 2x2 + x + (p –


1) não intercepte o eixo das abscissas.
Denominamos DISCRIMINANTE da equação do 2º
grau ax2 + bx + c = 0 o número b2 – 4ac, que 3. Para que valores de p a equação px2 + (p + 1)x + (p + 1) = 0
representamos pela letra grega  (delta). tem um zero real duplo? Determine, em cada caso, tal raiz.

Respostas:
 = b2 – 4ac
9
1. m 
Observando a dedução da fórmula de Báskhara, 4
podemos concluir que: 9
2. p 
8
A equação do 2ºgrau tem raízes reais se, e somente se,   0 1
3. p   raiz é -2; p = -1  raiz é 0.
3
As raízes são dadas por:
FUNÇÃO POLINOMIAL DE 2º GRAU
b 
x
2a Dados os números reais a, b e c, sendo a  0, podemos
considerar a função que a todo número real x faz
Temos ainda: corresponder a número ax2 + bx + c.
  > 0  as duas raízes são números reais distintos;
  = 0  as duas raízes são números reais iguais; f: IR  IR; f(x) = ax2 + bx + c
  < 0  não existem raízes reais.
Esta função é denominada FUNÇÃO POLINOMIAL
Exemplo 01: Na equação 2x2 + 4x + 1 = 0: DO 2º GRAU (ou FUNÇÃO QUADRÁTICA). O gráfico
é uma curva denominada PARÁBOLA.
 = b2 – 4ac = 42 – 4.2.1 = 8.
Como  > 0, a equação possui duas raízes distintas. Exemplo 01: Esboçar o gráfico da função quadrática f: IR  IR
definida por f(x) = x2 – 4x + 3.
4 8 42 2 2 2 2
As raízes são: x     1 
2. 2 4 2 2 Solução:

42
 Para x = -1, y = f(-1) = (-1)2 – 4(-1) + 3 = 8 O gráfico é a parábola desenhada na figura acima. Observe
 Para x = 0, y = f(0) = 02 – 4.0 + 3 = 3 que D(f) = IR e Im(f) = {y  IR; y  4 } = ] – , 4].
 Para x = 1, y = f(1) = 12 – 4.1 + 3 = 0 Dizemos que essa parábola tem CONCAVIDADE para
 Para x = 2, y = f(2) = 22 – 4.2 + 3 = -1 BAIXO.
 Para x = 3, y = f(3) = 32 – 4.3 + 3 = 0
 Para x = 4, y = f(4) = 42 – 4.4 + 3 = 3 Concavidade
 Para x = 5, y = f(5) = 52 – 4.5 + 3 = 8
etc. Na função definida por y = ax2 + bx + c (a  0):
 Quando a > 0, o gráfico é uma parábola de concavidade
para cima;
 Quando a < 0, o gráfico é uma parábola de concavidade
para baixo.

Vértice

Quando vamos desenhar uma parábola é importante que


fique bem claro qual é o vértice da mesma. Por isto, é
interessante que saibamos previamente determinar o vértice. Isto
pode ser feito aplicando uma fórmula simples que indicaremos
agora:
Seja o vértice de uma parábola definido como o ponto V(xV,
yV). Então:

b 
xV   y V  f x V   
2a 4a

Exemplo: Determinar as coordenadas do vértice da função


definida por y = x2 – 4x + 3.

O gráfico é a parábola desenhada na figura acima. Observe Solução:


que D(f) = IR e Im(f) = {y  IR; y  -1} = [-1,  [. Temos inicialmente que a = 1, b = -4 e c = 3. Então:
Dizemos que essa parábola tem CONCAVIDADE voltada (  4)
xV   2
PARA CIMA. 2. 1
A curva é SIMÉTRICA em relação à reta s assinalada na
y V  f x V   f ( 4)  2 2  4.2  3  1
figura. O ponto V, onde o eixo de simetria s corta a curva, é
denominado VÉRTICE da parábola. Portanto, V = (3, -1).

Exemplo 02: Esboçar o gráfico da função f: IR  IR definida Imagem. Valor máximo e mínimo.
por f(x) = -x2 + 2x + 3.
Vamos determinar a imagem da função quadrática f(x) = ax2
Solução: + bx + c.
 Para x = -2, f(-2) = -(-2)2 + 2(-2) + 3 = -5
 Para x = -1, f(-1) = -(-1)2 + 2.(-1) + 3 = 0 Caso a > 0:
 Para x = 0, f(0) = -02 + 2.0 + 3 = 3
 Para x = 1, f(1) = -12 + 2.1 + 3 = 4 A função definida por f(x) = ax2 + bx + c tem imagem Im =
 Para x = 2, f(2) = -22 + 2.2 + 3 = 3 {y  IR; y  yV}.
 Para x = 3, f(3) = -32 + 2.3 + 3 = 0 Observamos que, da
 Para x = 4, f(4) = -42 + 2.4 + 3 = -5 esquerda para a direita, os
etc. valores da função vão
diminuindo até
chegarmos em x = xV e
depois eles vão
aumentando. Dizemos
que f é decrescente no
intervalo ] -, xV] e
crescente em [xV, + [.
b
Em x  x V   a
2a
função tem o seu VALOR

MÍNIMO, que é f x V   y V   . Também se diz que x = xV
4a
é o PONTO MÍNIMO de f, neste caso.

Caso a < 0:

A função definida por f(x) = ax2 +bx + c tem imagem Im = {y 


IR; y  y V }.

43
Neste caso a função é 4. (UFAL) Uma empresa de turismo promove um passeio para
crescente no intervalo ] -, n pessoas, com 10  n  70, no qual cada pessoa paga uma
xV] e decrescente em [xV, taxa de (100 – n) reais. Nessas condições, o dinheiro total
b arrecadado pela empresa varia em função do número n. Qual
+ [. Em x  x V   é a maior quantia que a empresa pode arrecadar?
2a
ela tem o seu VALOR
MÁXIMO, que é 5. (FGV-SP) Num parque de diversões A, quando o preço de
ingresso é R$ 10,00, verifica-se que 200 freqüentadores

f x V   y V   . comparecem por dia; quando o preço é R$ 15,00,
4a comparecem 180 freqüentadores por dia.
Também se diz, neste caso,
que x = xV é PONTO MÁXIMO de f. a) Admitindo que o preço (p) relaciona-se com o número
de frequentadores por dia (x) através de uma função do
Exemplo: Determinar a área máxima que pode ter um retângulo 1° grau, obtenha essa função.
de perímetro igual a 20cm. b) Num outro parque B, a relação entre p e x é dada por p
= 80 – 0,4x. Qual é o preço que deverá ser cobrado
Solução: para maximizar a receita diária?
Lembremos que a área A do retângulo de base x e altura h é A =
x . h.
Como o perímetro é 20cm vem: x Respostas:
2x + 2h = 20  x + h = 10  h = 10 – x 1.
h h 25  5 25 
Logo: A = x (10 – x) = - x2 + 10x. a) valor mínimo:  ; ponto de mínimo:   ,   .
x
8  4 8 
Observe que a área A é uma função quadrática de x, com a < 0. b) valor máximo: 12; ponto de máximo: (2, 12).
Então A tem um valor máximo que é: c) valor mínimo: 0; ponto de mínimo: (1, 0).
 100 7 4 7 
yV     25 d) valor máximo: ; ponto de máximo:  ,  .
4a 4 18  3 18 
Portanto, A área máxima é 25cm2. 2.
a) V
b 10 b) V
Nota: A área é máxima quando x  x V    5.
2a 2( 1) c) F; Im = {yR; y 100}
Logo, a área máxima quando o retângulo tem base x = 5cm e d) V
altura h = 10 – x = 10 – 5 = 5cm. e) F; o custo total é R$ 50.000,00

3. 20m
4. R$ 2.500,00
EXERCÍCIO 5.
1
1. Determine o valor máximo (ou mínimo) e o ponto de a) p( x )   x  60 ; b) R$ 40,00
4
máximo (ou de mínimo) de cada uma das funções abaixo,
definidas em R:
a) y = 2x2 + 5x b) y = -3x2 + 12x Raízes e sinais da função quadrática
1 4 1
c) y = 4x2 – 8x + 4 d) y   x 2  x  Para encontrar as raízes da função definida f(x) = ax2 +
2 3 2
bx + c, a  0, devemos resolver a equação do 2º grau:
2. (UCGO) Suponha que numa fábrica de refrigeradores o
custo, em reais, de cada geladeira é dado pela função C(x) = ax2 + bx + c = 0
x2 – 40x + 500, em que x é a quantidade de geladeiras
produzidas. (Obs.: o gráfico desta função é uma parábola de Sendo  = b2 – 4ac os seguintes casos podem ocorrer:
concavidade voltada para cima, que só tem significado
econômico no primeiro quadrante). Assinale V ou F nas 1º)  > 0  há duas raízes reais distintas x’ e x”:
proposições seguintes, justificando as falsas:
a) Quando se produzem 10 geladeiras, o custo de cada Neste caso a parábola corta o eixo dos x nos pontos de
geladeira é de R$ 200,00. abscissas x’ e x”. Vejamos como são os sinais de f(x).
b) A produção de 20 geladeiras é a que proporciona o
menor custo de cada geladeira. Caso a > 0 Caso a < 0
c) O conjunto imagem da função anteriormente definida é
qualquer número real não negativo.
d) A função Ct(x) = x3 – 40x2 + 500x representa o custo
total de produção quando se produzem x geladeiras.
e) O custo total para se produzirem 50 geladeiras é de R$
1.000,00.

3. (UCDB-MT) Uma bola é lançada para cima, verticalmente,


tem sua altura h (em metros) dada em função do tempo t
(em segundos) decorrido após o lançamento pela fórmula h
= -5t2 + 20t. Qual é a altura máxima atingida pela bola? (x < x” ou x > x’)  f(x) > 0 (x < x” ou x > x’)  f(x) < 0
x” < x < x’  f(x) < 0 x” < x < x’  f(x) > 0
x = x” ou x = x’  f(x) = 0 x = x” ou x = x’  f(x) = 0

44
2º)  = 0  há duas raízes reais reais x’ = x”:  1 
Portanto, a solução é o conjunto S   x  IR ; x  ou x  2 .
 2 
Neste caso a parábola tangencia o eixo dos x no ponto de
abscissa x’. Vejamos os sinais de f(x). Exemplo 02: Resolver as inequações:

a) x2 – 10x + 25 > 0 b) x2 – 10x + 25  0


Caso a > 0 Caso a < 0
Solução:
Seja y = x2 – 10x + 25.
As raízes são x’ = x” = 5.
a = 1 > 0  concavidade para
cima.
a) Temos y > 0 para x  5.
Portanto S = {x  IR; x  5}.

x  x’  f(x) > 0 x  x’  f(x) < 0 b) Temos y = 0 para x = 5 e y


x = x’  f(x) = 0 x = x’  f(x) = 0 < 0 para nenhum valor de x. Logo, y  0 somente para x = 5.
Neste caso, S = {5}.
3º)  < 0  há duas raízes reais x’ = x”:

Neste caso a parábola não tem nenhum ponto comum com Exemplo 03: Resolver as inequações:
o eixo dos x. Vejamos os sinais de f(x).
a) 4x2 – 3x + 1 > 0 b) 4x2 – 3x + 1 < 0
Caso a > 0 Caso a < 0
Solução:
Seja y = 4x2 – 3x + 1.
y = 4x2 – 3x + 1 não
possui raízes reais.
a = 4 > 0  concavidade
para cima.
a) Temos y > 0 para todo x
real. Logo, S = IR.
b) Temos y < 0 para nenhum x real. Logo, S = .
f(x) > 0,  x  IR f(x) < 0,  x  IR
EXERCÍCIOS
INEQUAÇÕES DE 2º GRAU 1. Resolva, em R, as inequações:
a) x2 – 3x + 2 > 0 b) –x2 + x + 6 > 0
Chamamos inequações do 2º grau a qualquer uma das sentenças: c) -2x2 + 3x  0 d) x2 – 6x + 9  0
e) x2 – 5 < 0
 ax2 + bx + c > 0  ax2 + bx + c < 0
 ax2 + bx + c  0  ax2 + bx + c  0 2. (ESPM-SP) Qual é o número de soluções inteiras da
 ax2 + bx + c  0 inequação x2 – 6x < 7?

onde a, b e c são números reais, a  0, e x é a incógnita. 3. (UCDB-MT, adaptado) Uma empresa fundada em 1990
tem, para cada ano n de funcionamento, um lucro igual a
Fazendo y = ax2 + bx + c, resolver cada inequação acima L(n) = 100.000(-n2 + 22n).
significa determinar para quais valores de x temos, a) Em que período a empresa apresentou lucro crescente?
respectivamente: b) A partir de que ano a empresa terá prejuízo?

y>0 y<0 y0 y 0 y0


Respostas:
Isto pode ser feito analisando os sinais da função definida por 1.
y = ax2 + bx + c. a) S = {xR; x < 1 ou x > 2}
b) S = {xR; -2 < x < 3}
Exemplo 01: Resolver a inequação 2x2 – 5x + 2 > 0.  3
c) S   x  R; 0  x  
Solução:  2
Começamos estudando os sinais de y = 2x2 – 5x + 2. d) R
As raízes de y são x’ = 2 e
x” = 1/2 2. 7 soluções.
a = 2 > 0  parábola 3. a) de 1990 a 2001. b) A partir de 2012.
côncava para cima.
Resolver 2x2 – 5x + 2 > 0
significa dar os valores de TESTES
x que tornam verdadeira a
sentença y > 0 é 1. (UECE) No gráfico abaixo, tem-se representada, em
verdadeiro para x < 1/2 ou porcentagem, a oscilação do preço do vestuário, nos meses
x > 2. do ano de 1988, a partir do preço em janeiro de 1988.
(Fonte: Revista Isto É Senhor).

45
V. f(19/3) + f(-19/3) = 0.

50% De acordo com esses dados, a alternativa CORRETA é:


40% a) Todas as alternativas são falsas
30% b) Apenas as alternativas I e II são verdadeiras
20% c) Apenas a alternativa V é falsa
10% d) Apenas a alternativa III é verdadeira

J F M A M J J A S O N D (mês) 5. (UFMG) A expressão L = 0,004t + 79,8 fornece o


comprimento L, em centímetros, de uma barra de metal em
A partir desse gráfico, conclui-se que: função de sua temperatura t, em graus Celsius (ºC). Essa,
a) não houve baixa no preço do vestuário durante o 1º barra, inicialmente à temperatura de 50ºC, sofre um
semestre de 1988. aquecimento e sua temperatura é, então, aumentada em
b) de maio para junho, houve uma diminuição de mais de 20%. O aumento percentual correspondente, no
10% no preço do vestuário. comprimento da barra, é de:
c) O maior preço foi o alcançado no mês de outubro.
d) de agosto a setembro, o aumento no preço foi menor a) 0,02% b) 0,05% c) 0,04% d) 0,08% e) 0,16%
que 10%.
e) a maior diferença de preço ocorreu no mês de abril para 6. (UFMG) Em uma experiência realizada com camundongos,
o mês de maio. foi observado que o tempo requerido para um camundongo
percorrer um labirinto, na enésima tentativa, era dado pela
2. (FGV-SP) Uma empresa produz e vende determinado tipo função f(n) = 3 + 12/n minutos. Com relação a essa
de produto. A quantidade que ela consegue vender varia experiência, pode-se afirmar que o camundongo:
conforme o preço, da seguinte forma: a um preço y ela a) consegue percorrer o labirinto em menos de 3 minutos
consegue vender x unidades do produto, de acordo com a b) gasta 5 minutos e 40 segundos para percorrer o
x labirinto na quinta tentativa
equação y  50  . Sabendo-se que a receita (quantidade c) gasta oito minutos para percorrer o labirinto na terceira
2
vendida vezes o preço de venda) obtida foi de R$ 1.250,00, tentativa
pode-se dizer que a quantidade vendida foi: d) percorre o labirinto em quatro minutos na décima
tentativa
a) 25 unidades b) 50 unidades c) 40 unidades e) percorre o labirinto, numa das tentativas, em três
d) 35 unidades e) 20 unidades minutos e 30 segundos

3. (Fesp-UPE) Em um determinado dia a temperatura de 7. (FGV-SP) O número de unidades produzidas (y) de um


Recife foi registrada no gráfico abaixo, como função do produto, durante um mês, é função do número de
tempo. De acordo com este gráfico, qual das afirmações a funcionários empregados (x) de acordo com a relação:
seguir é incorreta? y  50 x . Se 49 funcionários estão empregados, então
°C podemos afirmar que:
35 a) o acréscimo de um funcionário aumenta a produção
30 mensal em 50 unidades.
25 b) o acréscimo de 15 funcionários aumenta a produção
20 mensal em 75 unidades.
15 c) o acréscimo de 32 funcionários aumenta a produção
10 mensal em 100 unidades.
0h 6h 12h 18h 24h d) o acréscimo de 51 funcionários aumenta a produção
a) A temperatura a partir das 18h ficou entre 20ºC e 25ºC. mensal em 120 unidades.
b) A menor temperatura registrada neste dia foi superior a
15ºC. 8. (UFES) Num tanque, as variações na população de espécies
c) A temperatura máxima ocorreu antes das 9h. de peixes A, B e C são descritas, no período de 10 meses,
d) Das 2h até às 6h a temperatura ficou entre 15ºC e 25ºC. pelos gráficos abaixo:
e) Entre 12h e 16h a temperatura ficou sempre acima dos
20ºC.

4. (FUNREI-MG) Na figura abaixo, está representado o


gráfico de uma função real de variável real y = f(x):

f(x)

0 1 2 3 4 5 6 x Assinale a alternativa CORRETA:


-1 a) No período de 0 a 2 meses, a população B manteve-se
menor que a C.
-2 b) No quinto mês, havia menos de 3.500 peixes nesse
Considerando os elementos desse gráfico, analise as tanque.
afirmativas seguintes: c) No período de 0 a 5 meses, as populações B e C
mantiveram-se crescentes.
I. A função f em questão possui exatamente 3 raízes reais. d) A população C atingiu o seu máximo no terceiro mês.
II. A função f é crescente no intervalo [1/4, 7/3] e) No período de 3 a 7 meses, a população B manteve-se
III. A função f é decrescente no intervalo [10/3, 9/2]. maior que a A.
IV. f(3) + f(1) < f(2) + f(5)
46
9. (Fuvest-SP) Os gráficos de duas funções polinomiais P e Q
estão representados na figura seguinte:

Então, no intervalo [-4, 8], P(x) . Q(x) < 0 para:


a) –2 < x < 4
b) –2 < x < -1 ou 5 < x < 8
c) 4  x  2 ou 2 < x < 4
d) 4  x  2 ou 5  x  8
e) –1 < x < 5
A seqüência CORRETA é:
10. (Fesp-UPE) Em certo país, o imposto (I) é calculado em a) F – F – V b) V–V–F c) F–V–F
termos da renda (R) do cidadão, utilizando a equação I = t.R d) V – F – V e) V–F–F
– D, onde a taxa (t) e a dedução (D) dependem da renda de
acordo com a tabela: 12. (UEL-PR) O custo C, em R$, da produção de x exemplares
de um livro é dado por C(x) = 2000 + 3,5x. Se cada
Renda (R) Taxa (t) Dedução (D) exemplar é vendido por R$ 8,00, quantos exemplares, no
Até 10.000 0 0 mínimo, devem ser vendidos para que a editora não tenha
Entre 10.000 e 40.000 0,2 2.000 prejuízo?
A partir de 40.000 0,4 10.000 a) 438 b) 442 c) 445 d) 450 e) 455

Qual dos gráficos a seguir melhor expressa o imposto como 13. (Vunesp-SP) Por uma mensagem dos Estados Unidos para
função de renda? o Brasil, via fax, a Empresa de Correios e Telégrafos (ECT)
Obs.: Os valores da renda e imposto nos gráficos foram divididos cobra R$ 1,37 pela primeira página e R$ 0,67 por página
por 1.000. que segue, completa ou não. Qual o número mínimo de
páginas de uma dessas mensagens para que seu preço
ultrapasse o valor de R$ 10,00?

a) 8 b) 10 c) 12 d) 14 e) 16

14. (EFOA-MG) Em certa cidade foi feita a medida do índice


de poluição às 8 horas e encontrou-se 25ppm (partes por
milhão). Observou-se um crescimento linear do índice de
poluição de 10ppm por hora até às 14 horas. A partir desse
horário, o índice decresceu à razão de 15ppm por hora.
Considerando que são aceitáveis níveis de poluição menores
do que 70ppm, pode-se analisar, no dia analisado:
a) a poluição permaneceu em níveis aceitáveis todo o
tempo.
b) a poluição atingiu níveis inaceitáveis por menos de 1
hora.
c) o nível aceitável de poluição foi ultrapassado por mais
de 1 hora, mas menos de 2 horas.
d) o nível aceitável de poluição foi ultrapassado durante 2
horas e 30 minutos.
e) o nível aceitável de poluição foi ultrapassado por mais
de 2 horas e 45 minutos.
11. (UFSM-RS) O salário mensal, em reais, de um vendedor é 15. (ENEM-MEC) O gráfico mostra a porcentagem da força de
dado por S(x) = 112 + 0,05x, onde x é o total de suas vendas trabalho brasileira em 40 anos, com relação aos setores
mensais. Baseando-se na situação proposta, assinale V nas agrícola, de serviços e industrial/mineral.
afirmativas verdadeiras e F nas falsas.
 Se, no mês, o vendedor totalizar R$ 1.500,00 em
vendas, seu salário será de R$ 197,00;
 O vendedor deverá vender R$ 40.000,00 para que seu
salário seja de R$ 2.112,00;
 Entre os gráficos a seguir, o que melhor representa S(x)
é o III.

A leitura do gráfico permite constatar que:


a) Em 40 anos, o Brasil deixou de ser essencialmente
agrícola para se tornar uma sociedade quase
exclusivamente industrial.

47
b) A variação da força de trabalho agrícola foi mais 22. (UNI-RIO)
acentuada no período de 1940 a 1960.
c) Por volta de 1970, a força de trabalho agrícola tornou- Altura
se equivalente à industrial e de mineração. (m)
d) Em 1980, metade dos trabalhadores brasileiros
constituía a força de trabalho do setor agrícola.
e) De 1960 a 1980, foi equivalente o crescimento 20
percentual de trabalhadores nos setores industrial/
mineral e de serviços. 0 10 solo 1.000 Alcance (m)

16. (Fatec-SP) O dono de uma rede hoteleira verificou que em A figura acima representa a trajetória parabólica de um projétil,
certa região tem havido um decréscimo no número de disparado para cima, a partir do solo, com uma certa inclinação.
hóspedes em seus pacotes promocionais, e esse decréscimo O valor aproximado da altura máxima, em metros, atingida pelo
tem sido linear em relação ao tempo. Em 1982, a média foi projétil, é:
de 600 pessoas por semana, enquanto em 1990 a média a) 550 b) 535 c) 510 d) 505 e) 500
semanal foi de 432. Dessa forma, o número médio de
hóspedes por semana: 23. (PUC-SP) Usando uma unidade monetária conveniente, o
a) em 1995, foi de 322. lucro obtido com a venda de uma unidade de certo produto é
b) em 1994, foi de 345. x – 10, sendo x o preço de venda e 10 o preço de custo. A
c) em 1993, foi 370. quantidade vendida, a cada mês, depende do preço de venda
d) em 1992, foi 392. e é, aproximadamente, uma função quadrática de x, cujo
e) em 1991, foi 411. valor máximo, na unidade monetária usada, é:

17. (ITA-SP) Os dados experimentais da tabela abaixo a) 1.200 b) 1.000 c) 900 d) 800 e) 600
correspondem às concentrações de uma substância química
medida em intervalos de 1 segundo. Assumindo que a linha 24. (FGV-SP) O lucro de uma empresa é dado por L(x) =
que passa pelos três pontos experimentais é uma parábola, 100(10 – x)(x – 2), onde x é a quantidade vendida. Podemos
tem-se que a concentração (em moles) após 2,5 segundos é: afirmar que:
a) o lucro é positivo qualquer que seja x..
Tempo (s) Concentração (mols) b) o lucro é positivo para x maior que 10.
1 3,00 c) o lucro é positivo para x entre 2 e 10.
2 5,00 d) o lucro é máximo para x igual a 10.
3 1,00 e) o lucro é máximo para x igual 3.

a) 3,60 b) 3,65 c) 3,70 d) 3,75 e) 3,80 25. (FCC) Sabe-se que –2 e 3 são raízes de uma função
quadrática. Se o ponto (-1, 8) pertence ao gráfico da função,
18. (UFAL) Um motorista, a uma velocidade v, avista um então:
obstáculo e faz o carro parar o mais rápido possível. Nesse a) o seu valor máximo é 1,25.
intervalo de tempo o carro percorre uma distância d. A b) o seu valor mínimo é 1,25.
c) o seu valor mínimo é 12,5.
v v2
fórmula d   fornece d (em metros) em função de d) o seu valor máximo é 12,5.
10 250 e) o seu valor mínimo é 0,25.
v (em km horários). Nessa fórmula, se d = 50m, tem-se v
igual a: 26. (PUC-MG) A função definida por f(x) = (8 – 2m)x + m – 5
a) 50km/h b) 75km/h c) 100km/h é estritamente crescente. Sobre o número m, é correto
d) 125km/h e) 150km/h afirmar:
a) m está entre 4 e 5.
19. (FUVEST) O valor, em R$, de uma pedra preciosa é sempre b) m menor do que 4.
numericamente igual ao quadrado de sua massa, em gramas. c) m é maior do que 5.
Infelizmente uma dessas pedras, de 8 gramas, caiu e se d) m é qualquer número real.
partiu em dois pedaços. O prejuízo foi o maior possível. Em e) m é qualquer número real positivo.
relação ao valor original, o prejuízo foi de:
27. (USP-SP) Existem n números inteiros que são soluções,
a) 92% b) 80% c) 50% d) 20% e) 18% simultaneamente, das inequações 3x  4  5 e 6 – 5x < 17.
Assinale a opção que apresenta o valor correto de n:
20. (Vunesp-SP) A poligonal ABCD da figura é o gráfico de
uma função f cujo domínio é o intervalo [-1, 7]. Sabe-se que a) 7 b) 6 c) 5 d) 4 e) 3
AB é paralelo a CD e BC é paralelo ao eixo dos x. Nessas
condições, f(7) – f(4,5) é igual a: 28. (UECE) Seja a função f, de R em R, dada por f(x) = kx + t,
a) 3/2 y D onde k e t são constantes reais. Se os pontos (-1, 3) e (0, -1)
b) 5/3 pertencem ao gráfico de f, então:
c) 17/10 B C a) f é crescente, para qualquer x real.
d) 9/5 2 b) 3/4 é a raiz da equação f(x) = 0.
e) 2 A c) o ponto (-10, 41) pertence ao gráfico de f.
-1 0 2 4 7 x d) f(x) < 0 se x < 1/4.
e) f(x)  0 se x  1/4.
21. (UniSantos-SP) O custo para se produzirem Q unidades de
um produto é dado por C = 3Q2 – 600Q + 40.000. O valor 1
29. (FATES-SP) Se f: IR  IR é definida por f ( x )  m  x ,
do custo mínimo é: 3
m real, então:
a) 1.000 b) 10.000 c) 500 d) 200 e) 2.000 a) f(a + b) = f(a) + f(b).
b) f(x)  0 se x  3m.
48
c) o gráfico de f corta o eixo das abscissas no ponto (0, FUNÇÃO EXPONENCIAL
3m).
d) seu gráfico forma com o eixo das abscissas um ângulo Introdução – Potências
de medida menor que 90º.
e) sua raiz pode ser um número irracional. Sendo dados um número real a e um número natural n > 1,
2 chama-se POTÊNCIA DE BASE a e EXPOENTE n o número a
30. (PUC-MG) Seja f(x) = 3x – 6x – p. É CORRETO afirmar: definido como:
a) qualquer que seja o valor de p, a função será
representada por uma reta. an = a.a.a....a (n vezes)
b) se p < 0, o gráfico apresenta máximo.
c) se p = 0, a função não possui raízes. Propriedades das Potências
d) se p = 1, possuirá apenas uma raiz.
e) se p = 2, o ponto (1, 7) pertence ao gráfico de f. Para as potências an com a > 0 e n  IR valem as propriedades:
 a1 = a
31. (UERJ) Sabe-se que o polinômio P(x) = -2x3 – x2 + 4x + 2  a0 = 1
pode ser decomposto na forma P(x) = (2x + 1)(-x2 + 2).  an . am = an + m
Representando as funções reais f(x) = 2x +1 e g(x) = -x2 + 2,  an : am = an – m
num mesmo sistema de coordenadas cartesianas, obtém-se o  (an)m = an.m
gráfico.  (a.b)n = an.bn
y n
f a  an
    n (b  0)
b b
g m
 a n  n a m (n  0 e n  1)
x
1
 2 1 2  a n  n
 a
2
n  m n 
 am  a 

Tendo por base apenas o gráfico, é possível resolver a inequação


-2x3 – x2 + 4x + 2 < 0. Todos os valores de x que satisfazem essa Raízes n-ésimas
inequação estão indicados na seguinte alternativa:
Dados um número real não negativo a e um número natural
a) x <  2 ou x > -1/2 n, n > 0, chama-se RAIZ ENÉSIMA de a o número real e não
b) x <  2 ou x > 2 negativo b tal que bn = a.
c) x <  2 ou –1/2 < x < 2 O símbolo n a , chamado RADICAL, indica a raiz enésima
d)  2 < x < -1/2 ou x > 2 de a. Nele, a é chamado RADICANDO e, n, ÍNDICE.

32. (Vunesp-SP) A reta e a parábola da figura representam as n


a bb0 e bn  a
funções f e g, respectivamente, definidas de IR em IR. O
conjunto solução da inequação f(x) > g(x) é: Propriedades das Raízes Enésimas
y g f Sendo a e b reais não negativos, m inteiro e n e p naturais
maiores ou iguais a 2, valem as seguintes propriedades:
n n .p
-3 -1 1 x  am  a m. p
n
 a .b  n a .n b
-3
n
a a
 n  (b  0)
b n
b
a) ] –5/2, 1[ b) ] –1, 1[ c) ] 1, 2 [   a
n
m
 n am
d) ] –1, 2 [ e) ] –2, 1 [ p n p. n
 a  a
2
33. (Umesp-SP) O trinômio do 2º grau y = (k – 2)x + kx + k,
onde k é real, é sempre positivo se, e somente se: EXERCÍCIO
a) k > 2
b) k < 0 1. (Vunesp-SP) Uma fórmula matemática para se calcular
c) k > 8/3 aproximadamente a área, em metros quadrados, da
d) 2 < k < 8/3 superfície corporal de uma pessoa, é dada por:
e) k < 0 ou k > 8/3 2
11 3
p S(p) =
100
Em que p é a massa de uma pessoa em quilogramas.
Considere uma criança de 8kg. Determine:
Gabarito
1.d 2.b 3.c 4.d 5.b 6.e 7.c 8.c 9.c 10.b a) a área da superfície corporal da criança;
11.c 12.c 13.d 14.d 15.e 16.e 17.d 18.c 19.c 20.b b) a massa que a criança terá quando a área de sua
21.b 22.d 23.c 24.c 25.d 26.b 27.b 28.e 29.e 30.e superfície corporal duplicar (dado 2  1,4 ).
31.d 32.e 33.c

49
Respostas: Propriedades
1. a) 0,44m2; b) 22,4kg
1ª) Na função exponencial definida por y = ax, temos:
Definição de Função Exponencial
x = 0  a0 = 1
Chama-se FUNÇÃO EXPONENCIAL qualquer função f: IR
 IR dada por uma lei da forma: ou seja, o par ordenado (0, 1) satisfaz a lei y = ax para todo a (a >
0 e a  1). Isso quer dizer que o gráfico de qualquer função
f(x) = ax exponencial corta o eixo dos y no ponto de ordenada 1.

onde a é um número real dado, a > 0 e a  1. 2ª) Se a > 1, então a função f(x) = ax é CRESCENTE. Portanto,
dados os reais x1 e x2, temos:
Gráfico
se x1 < x2  a x1  a x 2
Vamos construir os gráficos de algumas funções
exponenciais e observar algumas propriedades. São crescentes, por exemplo, as funções exponenciais definidas
x
Exemplo 01: Construir o gráfico da função definida por y = 2 : x  3
por f(x) = 2x e g( x )    .
 2
Solução:
Vamos usar o método de localizar alguns pontos do gráfico e 3ª) Se 0 < a < 1, então a função definida por f(x) = ax é
ligá-los. decrescente. Portanto, dados os reais x1 e x2, temos:

x y se x1 < x2  a x1  a x 2
-3 1/8
-2 ¼ São decrescentes, por exemplo, as funções exponenciais
-1 ½ x
0 1 2
definidas por f ( x )    e g( x )  (0, 1) x .
1 2  3
2 4
3 8 4ª) Para todo a > 0 e a  1, temos:

se a x1  a x 2  x 1  x 2

5ª) Para todo a > 0 e todo x real, temos ax > 0; portanto, o gráfico
Exemplo 02: Construir o gráfico da função definida por
x
da função y = ax está sempre acima do eixo dos x.
1
y  :
2  Se a > 1, então ax aproxima-se de zero quando x assume
Solução: valores negativos cada vez menores.
 Se 0 < a < 1, então ax aproxima-se de zero quando x assume
x y valores positivos cada vez maiores.
-3 8
Tudo isso pode ser resumido dizendo-se que o conjunto-
-2 4
imagem da função exponencial definida por y = ax é:
-1 2
0 1
Im(f) = {y  IR; y > 0} = IR+*
1 1/2
2 1/4
Equações Exponenciais
3 1/8
Uma EQUAÇÃO EXPONENCIAL é aquela que apresenta a
incógnita no expoente de pelo menos uma potência.
Um método usado para resolver equações exponenciais
consiste em reduzir ambos os membros da equação a potências
Exemplo 03: Um importante número irracional, estudado em
de mesma base a (0 < a  1), e daí aplicar a propriedade:
Cálculo Diferencial e Integral, é indicado pela letra e.

Definição: a x1  a x 2  x 1  x 2
1
Para compreendê-lo, consideremos a expressão (1  x ) x em que x
1
x é real. Vejamos alguns valores que ela assume quando x se Exemplo 01: Resolva a equação    81 .
“aproxima” de zero: 3
Solução:
x
x 0,1 0,01 0,001 0,0001 0,00001 1 -1 x 4 -x 4
1    81  (3 ) = 3  3 = 3  -x = 4  x = -4.
2,594 2,705 2,717 2,7182 2,7183 3
(1  x) x
Portanto, a solução é o conjunto S = {-4}.
1
À medida que x se torna menor, a expressão (1  x ) x fica cada
vez mais próxima do número e  2,7183. Exemplo 02: Resolver a equação (3x)x + 1 = 729.

Solução:
50
2 x c) O número mínimo de dias necessários para que o
(3x)x + 1
= 729  3x(x + 1)
= 36  3 x  3 6  x2 + x = 6  número de infectados ultrapasse 3 milhões (use 210 ~
x 2  x  6  0  x = -3 ou x = 2 103).
Portanto, a solução é o conjunto S = {-3, 2}.
5. Resolva, em R, as seguintes equações exponenciais:
Exemplo 03: Resolver a equação 23x + 23x + 1 + 23x + 2 + 23x + 3 = 1
240. a) 2x = 32 b) 5x = 125 c) 2 x 
8
1
Solução: d) 4x  e) 8x = 0,125
23x + 23x + 1 + 23x + 2 + 23x + 3 = 240  23x + 23x .21 + 23x .22 + 23x 32
.23 = 240  23x + 23x .2 + 23x .4 + 23x .8 = 240
6. Resolva, em R, as seguintes equações exponenciais:
Fazendo 23x = y: 1
23x + 23x .2 + 23x .4 + 23x .8 = y + 2y + 4y + 8y = 240  15y = a)  
4 x
3 39 b)
e2
 e x 3

240  y = 16. 3 2
 3x  2
c) 8 2 x 1  4 x 1 d) 52x 1
3x 3x 4
Como 2 = y = 16  2 = 16 = 2  3x = 4  x = 4/3. e) 0,64x + 1 = 1,25-x + 3
Portanto, a solução é S = {4/3}.
7. Resolva, em R, as seguintes equações exponenciais:
a) 23x – 1 . 42x + 3 = 83 – x
EXERCÍCIOS
b) 23x + 2 : 82x – 7 = 4x – 1
c) (32x – 7)3 : 9x + 1 = (33x – 1)4
1. (FGV-SP) Curva de Aprendizagem é um conceito criado d) 103x : 0,01-x + 4 = 1
por psicólogos que constataram a relação existente entre a
eficiência de um indivíduo e a quantidade de treinamento ou 8. Resolva, em R, as seguintes equações:
experiência possuída por este indivíduo. Um exemplo de a) 2x + 1 + 2x – 2x – 2 = 44
Curva de Aprendizagem é dado pela expressão: b) 4x – 2x = 2
3 30
Q = 700 – 400e –0,5 t, em que c) 2 x 1  2 x 2  
2 x 1 2 x
Q = quantidade de peças produzidas mensalmente por um 28
d) 3  x  3 x 1 
funcionário; 3
t = meses de experiência;
e = 2,7183. Respostas:
a) De acordo com essa expressão, quantas peças um 1. a) 552; b) 300; sim
funcionário com 2 meses de experiência deverá 2. a) V; b) V; c) F; d) F
produzir mensalmente? 3. a) R$ 60.000,00; b) 10%; c) R$ 48.600,00; d) 5 anos
b) E um funcionário sem qualquer experiência, quantas 4. a) a = 3000 e b = 3/2; b) 6000; c) 7 dias
peças deverá produzir mensalmente? Compare esse
 5
resultado com o resultado do item a. Há coerência entre 5. a) S = {5}; b) S = {3}; c) S = {-3}; S =   ; S = {-1}
eles?  2
8   11   1
2. (UFPR) Duas populações, designadas por F e G, têm os 6. a) S =   ; b) S = {1}; c) S =   ; d) S =  2,  ; e)
3  6  2
respectivos crescimentos expressos por f(t) = 36 + t2 e g(t) =
10(2t), sendo t o número não negativo que representa o S = {-5}
tempo em meses. Então, analise as seguintes afirmações: 2  19 
7. a) S =   ; b) S = {5}; c) S =   ; d) S = {-8}
a) A população G duplica a cada mês. 5  8
b) g(51) – g(50) = g(50) 8. a) S = {4}; S = {1}; S = {2}; S = {-2, 1}
c) Quando t = 1, a população F é menor do que a
população G.
d) Em nenhum tempo a população F será igual à
população G.
FUNÇÃO LOGARÍTMICA
3. Uma imobiliária acredita que o valor v de um imóvel no
litoral varia segundo a lei v(t) = 60.000(0,9)t, em que t é o
número de anos contados a partir de hoje. Introdução – Logaritmo
a) Qual é o valor atual desse imóvel?
b) Qual é a desvalorização percentual anual desse imóvel? No estudo das exponenciais, só tratamos de casos que
c) Quanto valerá esse imóvel daqui a 2 anos? podíamos reduzir as potências à mesma base.
d) Daqui a quantos anos o imóvel valerá R$ 35.429,40? Entretanto, se tivermos de resolver uma equação como 2x =
(dado: 95 = 59.049). 5, não conseguiremos reduzir todas as potências à mesma base.
Nesse caso, como 4 < 5 < 8, ou seja, 22 < 2x < 23, e apenas
4. A lei seguinte representa o crescimento do número de poderemos garantir que 2 < x < 3. Com os estudos feitos até aqui,
pessoas infectadas por uma gripe, em uma certa metrópole: não sabemos qual é o valor de x nem como determiná-lo. Para
n(t) = a.2b.t, em que n(t) é o número de pessoas infectadas t enfrentar esse e outros problemas, vamos estudar agora os
dias após a realização desse estudo e a e b são constantes logaritmos.
reais. Sabendo que no dia em que se iniciou o estudo já
havia 3000 pessoas infectadas e que, após 2 dias, esse Definição de Logaritmo
número já era de 24.000 pessoas, determine:
a) Os valores das constantes a e b. Sendo a e b números reais e positivos, com a  1, chama-se
b) O número de infectados pela gripe após 16 horas do LOGARITMO de b na base a o expoente x ao qual se deve elevar
início dos estudos. a base “a” de modo que a potência ax seja igual a b.
51
formado por todos os logaritmos de base 2 dos números reais
loga b = x  ax = b positivos é o sistema de logaritmos de base 2.
Existem dois sistemas de logaritmos que são os mais
utilizados em Matemática:
Na expressão loga b = x, temos:  O SISTEMA DE LOGARITMOS DECIMAIS, que é o de
 a é a base do logaritmo; base 10. Esse sistema foi desenvolvido pelo matemático
 b é o logaritmando; inglês Briggs (1536-1630), o primeiro a destacar as
 x é o logaritmo. vantagens dos logaritmos de base 10 como instrumento
auxiliar dos cálculos numéricos;
Exemplos:  O SISTEMA DE LOGARITMOS NEPERIANOS, que é o
 log2 4 = 2, pois 22 = 4; de base e (e é um número irracional que vale 2,71828...). O
1 1 nome “neperiano” deriva de John Napier (1550-1617),
 log2 = -3, pois 2-3 = ; matemático escocês, autor do primeiro trabalho publicado
8 8
sobre a teoria dos logaritmos.
 log7 7 = 1, pois 71 = 7;
 log5 1 = 0, pois 50 = 1;
1
Indicaremos com log10 x, ou simplesmente log x, o logaritmo
1 decimal de x, e representaremos o logaritmo neperiano de x com
 log2 2= , pois 2 2  2 ;
2 loge x, ou ln x.
3
1
 log 1 125  3 , pois    125 . Propriedades Operatórias
5 5
Vamos agora estudar 4 propriedades operatórias envolvendo
Exemplo: Vamos calcular pela definição: logaritmos:

a) log 3 4 2 b) log32 0,125 1ª) Logaritmo do produto:

loga(b . c) = logab + logac


Resolução:
a) Fazendo log 3 4 2 = x, temos: 2ª) Logaritmo do quociente:
x 2
x
 4
3 x 3 
 2   2 2   21 
 
2
 21  x  1  x 
23
3
3
2
loga(b : c) = logab – logac

b) Fazendo log32 0,125 = y, temos: 3ª) Logaritmo da potência:


1 3
32y = 0,125  2 5 y   25y = 2-3  5y = -3  y   logabn = n . loga b
8 5
Conseqüências 4ª) Logaritmo de base potência:

Decorrem da definição de logaritmo as seguintes 1


propriedades: log b log a b
an n
 loga 1 = 0  loga a = 1 x2
Exemplo: Vamos calcular o valor de log b , sabendo que log
 a loga b  b  loga b = loga c  b = c 3 y
b x = -2 e log b y = 3:
EXERCÍCIO
Solução:
1. Calcule, através da definição, os seguintes logaritmos: 1
x2 1
a) log3 27 b) log2 64 c) log 1.000 Tem-se log b  log b x 2  log b y 3  2 log b x  log b y 
e) log 1 128
3 y 3
d) log8 32 f) ln e8
4 1
 2.( 2 )  .3  4  1  5
3
2. Calcule, pela definição, os seguintes logaritmos:

3
1 EXERCÍCIOS
a) log0,25 2 b) log 49 7 c) log 1
2
10
1. Supondo x, y e b reais positivos, com b  1 e sabendo que
d) log 10 10 e) log5 0,008 f) log 4 log 3 9 logbx = 2 e logb y = 3, determine o valor de:
x
Respostas: a) logb(x.y) b) log b   c) logbx2
y
1 1 5 7
1. a) 3; b) ; c) ; d) ; e)  ; f) 8  x3 
1
4
1
12
1
3
3
2
1
d) log b 
 y2


e) 
log b b. xy 
2. a)  ; b) ; c) ; d) ; e) -3; f)  
2 4 12 2 2
2. Supondo x e y reais positivos com log3 x = a e log3 y = b,
Sistemas de Logaritmos calcule, em função de a e b:
 x  3x 
O conjunto formado por todos os logaritmos dos números
reais positivos em uma base a (0 < a  1) é chamado SISTEMA
a) log 3  
 y2 
b) log 3 9 x y  c) log 3   
3 y 
   
DE LOGARITMOS DE BASE a. Por exemplo, o conjunto

52
3. Se log 2 = a e log 3 = b, calcule, em função de a e b os Exemplo 02: Vamos construir o gráfico da função y  log 0,5 x ,
seguintes logaritmos decimais:
definida para x > 0:
a) log 6 b) log 12 c) log 1,5 d) log 0,25
e) log 5 f) log 180 g) log 5 72 h) log 500 Solução:

Respostas: x y = log 1/2 x


1. a) 5; b) -1; c) 4; d) 0; e) 7/2 1/8 3
a b b 1/4 2
2. a)  2b ; b) 2  a  ; c) 1  a 
2 2 3 1/2 1
3. a) a + b; b) 2a + b; c) b – a; d) -2a; e) 1 – a; f) a + 2b + 1; g) 1 0
3 2 2 -1
a  b ; h) 3 – a 4 -2
5 5
8 -3
Mudança de base

Há situações em que nos defrontamos com um logaritmo em Propriedades


certa base e temos de convertê-lo a outra base. A fórmula para
mudança de um logaritmo qualquer numa base a para outra base Vejamos agora algumas propriedades envolvendo funções
c é a seguinte: logarítmicas:
log c b
log a b 
log c a 1ª) Se a > 1, então a função logarítmica definida por f(x) = log a x
é CRESCENTE.
Exemplo: Conhecendo-se log 5 e log 2, como calcular log 2 5? x1 < x2  log a x1 < log a x2

Solução: 2ª) Se 0 < a < 1, então a função logarítmica definida por f(x) =
log a x é DECRESCENTE.
log10 5 log 5
 log 2 5   x1 < x2  log a x1 > log a x2
log10 2 log 2
Portanto, para se calcular log 2 5 basta dividir log 5 por log 2. Equações Logarítmicas

EXERCÍCIO Vamos ver como são resolvidas quatro tipos de equações


logarítmicas.
1. Sabendo que log20 2 = a e log20 3 = b, calcule em função de
a e b: 1°) Equações redutíveis a uma igualdade entre dois logaritmos de
a) log6 18 b) log12 25 mesma base:
loga f(x) = loga g(x)
Respostas:
a  2b 2  4a A solução pode ser obtida impondo-se f(x) = g(x).
1. a) ; b)
ab 2a  b Exemplo: Vamos resolver a seguinte equação: log2(2x + 5) =
log27.
Definição de Função Logarítmica Temos que: log2(2x + 5) = log2 7  2x + 5 = 7  x = 1
Portanto, a solução é S = {1}.
Dado um número real a (0 < a  1), chama-se FUNÇÃO
LOGARÍTMICA de base a a função f: IR+*  IR dada pela lei: 2°) Equações redutíveis a uma igualdade entre um logaritmo e
um número real:
loga f(x) = b
f(x) = log a x
A solução pode ser obtida impondo-se f(x) = ab
Gráfico
Exemplo: Vamos resolver a seguinte equação: log2 (3x – 1) = 4.
Exemplo 01: Construir o gráfico da função y = log 2 x, definida Temos: log2 (3x – 1) = 4  3x – 1 = 24  3x – 1 = 16 
para x > 0: 17
x= .
3
Solução:
Vamos usar o método de localizar alguns pontos do gráfico e 17 
Portanto, a solução é S =   .
ligá-los. 3

x y = log 2 x 3°) Equações que são resolvidas por meio de uma mudança de
1/8 -3 incógnita.
1/4 -2
1/2 -1
Exemplo: Vamos resolver a equação log 4 x 2  3. log 4 x  4 .
1 0
2 1 Fazendo log4 x = y, temos: y2 – 3y = 4  y2 – 3y – 4 = 0  y = -
4 2 1 ou y = 4.
8 3 Assim, vem:
1
 log4 x = -1  x = 4-1  x 
4
 log4 x = 4  x = 44  x = 256
53
1  3. (FGV-SP) A função definida por P = 60.(1,04)t representa a
Portanto, a solução é S =  , 256 . estimativa do Produto Interno Bruto em bilhões de dólares
4  (PIB) de um país no ano t adotando-se a seguinte
convenção:
4°) Equações que envolvem utilização de propriedades ou de t = 0 representa o ano de 1996;
mudança de base. t = 1 representa o ano de 1997;
t = 2 representa o ano de 1998;
log 2 x 2 e assim por diante. Dados: 1,049 = 1,4233; log1,042 = 18;
Exemplo: Vamos resolver a equação 3. log1,043 = 28
log 2 2 x
a) Qual a estimativa do PIB em 2005?
log 2 x 2 b) Em que ano o PIB será o dobro do que era em 1996? E
 3  log2 x2 = 3.log2 2x  log2 x2 = log2 (2x)3  x2 =
log 2 2 x o triplo?
c) Em geral, em que ano o PIB será igual ao PIB inicial
1
8x3  8x3 – x2 = 0  x2(8x – 1) = 0  x = 0 ou x  . multiplicado por x?
8
1 
Como x > 0, então a solução será S =   . 4. (FGV-SP) Um automóvel vale hoje R$ 20.000,00. Estima-
8 
se que seu valor (y) daqui a x anos seja dado pela função
exponencial definida por y = a . bx. Sabendo-se que o valor
EXERCÍCIOS estimado para daqui a 3 anos é R$ 15.000,00:
a) Qual é o valor estimado para daqui a 6 anos?
1. Resolva, em R, as seguintes equações: b) Um outro automóvel tem um valor estimado (y) daqui
a) log4 (3x + 2) = log4 (2x + 5) a x anos, dado por y = c . (0,8)x. Daqui quantos anos o
b) log2 (5x2 – 14x + 1) = log2 (4x2 – 4x – 20) valor deste veículo se reduzirá à metade? Adote log2 =
c) logx (x2 – 5x) = logx 6 0,3.

2. Resolva, em R, as seguintes equações:


a) log3 (2x – 11) = 3 Respostas:
b) log 1 (4  x )  0 1. a) T = 2S/3; b) T
5 2. a) 200; b) 8 meses
3. a) 60(1,04)9 = 85,4 bilhões; b) ano de 2014; ano de 2024;
c) log 1 (2 x 2  9 x  4)  2 log1,04x
3 4. a) R$ 11.250,00; b) 3 anos
d) logx (x + 2) = 2
TESTES
3. Resolva, em R, as seguintes equações:
a) log22 x – 7log2 x + 6 = 0
1. (Unirio-RJ) Segundo dados de uma pesquisa, a população
b) 2log22x + 2 = 5log4x
de certa região do país vem decrescendo em relação ao
c) log x (log x – 1) = 12
tempo t, contado em anos, aproximadamente, segundo a
relação P(t) = P(0).2 -0,25.t. Sendo P(0) uma constante que
representa a população inicial dessa região e P(t) a
Respostas:
população t anos após, determine quantos anos decorrerão
1. a) S = {3}; b) S = {3, 7}; c) S = {6}
para que essa população fique reduzida à quarta parte da
 1  inicial:
2. a) S = {19}; b) S = {3}; c) S =  , 5 ; d) S = {2}
 2 
a) 6 b) 8 c) 10 d) 12 e) 15
 1 
3. a) S = {64, 2}; b) S = {2, 16}; c) S =  , 10.000
 1 .000 
2. (UFSE) A expressão P(n) = 40 – 40.2 -0,34n permite calcular
EXERCÍCIO o número de artigos que um operário recém-contatado é
capaz de produzir diariamente, após n dias de treinamento.
1. (UFRN) Os habitantes de um certo país são apreciadores Para que esse operário produza pelo menos 30 artigos por
dos logaritmos em bases potências de dois. Nesse país, o dia, o menor valor inteiro de n é:
Banco Zig oferece empréstimos com a taxa (mensal) de
juros T = log8 225, enquanto o Banco Zag trabalha com a a) 2 b) 3 c) 4 d) 5 e) 6
taxa (mensal) S = log2 15. Com base nessas informações:
a) estabeleça uma relação entre T e S.
b) determine em qual desses bancos um cidadão desse 3. (UERJ) Pelos programas de controle de tuberculose, sabe-
país, buscando a menor taxa de juros, deverá fazer se que o risco de infecção R depende do tempo t, em anos,
empréstimo. do seguinte modo: R = R0.e –k.t, em que R0 é o risco de
infecção no início da contagem do tempo t e k é o
2. (UFGO, adaptado) Suponha que o número de peças coeficiente de declínio. O risco de infecção atual em
produzidas por uma indústria aumente mensalmente de Salvador foi estimado em 2%. Suponha que, com a
acordo com a função definida por N(t) = 200.log3 (1 + t). implantação de um programa nessa cidade, fosse obtida uma
Nessa função, t é o número de meses contados a partir de redução no risco de 10% ao ano, isto é, k = 10%. Use a
um certo período e N é o número de peças produzidas. tabela abaixo para os cálculos necessários:
a) Quantas peças serão produzidas no segundo mês?
b) Quantos meses serão necessários para que a produção ex 8,2 9,0 10,0 11,0 12,2
obtida seja o dobro da produção do segundo mês? x 2,1 2,2 2,3 2,4 2,5

54
O tempo, em anos, para que o risco de infecção se torne pressão sistólica do sangue de uma pessoa, medida em
igual a 0,2%, é de: milímetros de mercúrio como função da idade x da pessoa
medida em anos (in indica a função logaritmo natural ou
a) 21 b) 22 c) 23 d) 24 e) 25 neperiano). Considerando a aproximação 0,70 para o
logaritmo natural de dois, a medida da pressão sistólica, em
4. (UMC-SP) O tempo de circulação do sangue (em segundos) centímetros de mercúrio, calculada pela fórmula acima para
de um mamífero (o tempo médio que todo o sangue leva uma pessoa com quinze anos de idade é igual a:
para circular uma vez e voltar ao coração) é proporcional à
raiz quarta do “peso” do corpo do mamífero, isto é: a) 10 b) 11 c) 12 d) 13 e) 14
1
T( M )  K.M 4
9. (PUC-SP) Um capital C, aplicado a juros compostos a uma
Para um elefante cujo “peso” é de 5.184 quilos o tempo foi taxa unitária i por período, produz, ao final de n períodos, o
estimado em 150 segundos. Pode-se afirmar que: montante M, dado por M = C(1 + i)n. Nessas condições,
a) a constante de proporcionalidade deve ser igual a 30. utilizando-se log 2 = 0,30 e log 3 = 0,48, o capital de R$
b) Um mamífero de 64 quilos tem o tempo de circulação 2.000,00, aplicado a juro composto à taxa de 20% ao ano,
superior a 1 minuto. produzirá o montante de R$ 5.000,00, ao final de um
c) Um elefante de 1.024 quilos tem o tempo de circulação período de:
igual a 100 segundos. a) 4 anos
d) A constante de proporcionalidade deve ser 40. b) 4 anos e 2 meses
e) Um mamífero de 2.500 quilos tem o tempo de c) 4 anos e 8 meses
circulação superior a 150 segundos. d) 5 anos
e) 5 anos e 6 meses
5. (UERJ) Uma empresa acompanha a produção diária de um
funcionário recém-admitido, utilizando uma função f(d), 10. (UF-São Carlos) A altura média do tronco de certa espécie
cujo valor correspondente ao número mínimo de peças que a de árvore, que se destina à produção de madeira, evolui,
empresa espera que ele produza em cada dia (d), a partir da desde que é plantada, segundo o modelo matemático:
data de sua admissão. Considere o gráfico auxiliar abaixo,
que representa y = ex. h(t) = 1,5 + log3(t + 1),

y = ex com h(t) em metros e t em anos. Se uma dessas árvores foi


cortada quando seu tronco atingiu 3,5m de altura, o tempo (em
anos) transcorrido do momento da plantação até o corte foi de:
2,72
a) 9 b) 8 c) 5 d) 4 e) 2

11. (UFAL) A expressão N(t) = 1500.2 0,2t permite o cálculo do


0,37 número de bactérias existentes em uma cultura, ao
0,13 completar t horas do início de sua observação (t = 0). Após
-2 -1 1 quantas horas da primeira observação haverá 250.000
bactérias nessa cultura? Dados: log 2 = 0,30; log 3 = 0,48.

Utilizando f(d) = 100 – 100.e –0,2d e o gráfico acima, a empresa a) 37 b) 35 c) 30 d) 27 e) 25


pode prever que o funcionário alcançará a produção de 87 peças
num mesmo dia, quando d for igual a:

a) 5 b) 10 c) 15 d) 20 e) 25

6. (UNIRIO) Um médico, após estudar o crescimento médio


das crianças de uma determinada cidade, com idades que
variavam de 1 a 12 anos, obteve a fórmula
 
h  log 10 0,7 . i , onde h é a altura (em metros) e i é a idade
(em anos). Pela fórmula, uma criança de 10 anos desta
cidade terá de altura:

a) 120cm b) 123cm c) 125cm d) 128cm e) 130cm

7. (Uniube-MG) A expectativa de lucro de uma pequena


empresa é expressa pela lei L(t) = 2000(1,25)t, sendo L(t) o
lucro após t meses. Considere log 4 = 0,602 e log 1,25 =
0,097. Pode-se afirmar, assim, que o lucro atingirá R$
8.000,00, no decorrer do:
Gabarito
a) 10ºmês b) 7º mês c) 5º mês d) 4º mês e) 3º mês 1. b 2. e 3. c 4. c 5. b
6. a 7. b 8. b 9. d 10. b
11. a
8. (UMC-SP) A fórmula empírica P(x) = 40 + 25 ln(x + 1),
válida para x entre zero e 65, calcula aproximadamente a
55