Você está na página 1de 3

TEÓRICOS DO ABSOLUTISMO E SUAS OBRAS:

* Thomas Hobbes – escritor de “O Leviatã” cuja ideia central é de que para manter o poder o Rei e o exército devem ser
temidos pelo povo.

* Jacques Bossuet – desenvolveu a “Teoria do Direito Divino dos Reis” a qual justificava que o poder dos monarcas era
dado por Deus e portanto incontestável.

* Nicolau Maquiavel – autor de “O Príncipe” que é interpretado pela frase (que não foi escrita no livro mas é uma síntese
deste): “Os fins justificam os meios”, ou seja, o governante poderia se usar de qualquer ato para preservar seu poder.

3. (UEMG 2013) O Absolutismo como forma de governo esteve presente na península Ibérica, na França e na Inglaterra,
tendo impactado e influenciado as maiores economias de seu tempo. Seus pensadores mais conhecidos e suas teorias
foram:

a) Nicolau Maquiavel e sua teoria de que o indivíduo estava subordinado ao Estado; Thomas Hobbes, criador da teoria do
Contrato; Jacques Bossuet e Jean Bodin, que defenderam que o Rei era um representante divino.

b) Nicolau Maquiavel e a teoria do Contrato; Thomas Hobbes e a teoria da supremacia do Rei como representante divino;
Jacques Bossuet e Jean Bodin, que defenderam a subordinação do indivíduo ao Estado.

c) Maquiavel, Jacques Bossuet e Jean Bodin, cujas teorias só se diferenciaram na aplicabilidade teológica, bem como
Thomas Hobbes, que preconizou o indivíduo como senhor de seus direitos.

d) Maquiavel e Thomas Hobbes, que conceberam o Contrato Social, Jacques Bossuet, que estabeleceu o conceito de
individualismo primordial, e Jean Bodin, que defendeu a primazia da esfera governamental.

Resposta A
Maquiavel e Hobbes se utilizam de argumentos racionais – não religiosos – em suas teorias; o primeiro defendendo a
autoridade do “Príncipe”, ou seja, do governante sobre a sociedade, enquanto o segundo, autor do Leviatã, que parte da
ideia de que “o homem é o lobo do homem” e para viver em sociedade os homens devem estabelecer um contrato social,
no qual cada indivíduo renuncia a uma parte de sua liberdade e de seus direito a um governante, responsável por gerir o
conjunto da sociedade. Importante destacar que a ideia de “contrato social” de Hobbes antecede ao livro de mesmo nome
de Rousseau (que defenderá o fim do absolutismo).

2. (UFG 2014) Analise as imagens a seguir.


As pinturas se relacionam a distintas concepções de poder, uma absolutista e outra republicana, expressas nas figuras 1 e
2 ao

Resposta E
Somente a alternativa [E] está correta.
De fato no Absolutismo o Estado era forte e soberano vinculado à figura dos reis. Já o Republicanismo defende que
soberano é o povo e qualquer pessoa pode ser retratada, uma figura anônima. O pensador inglês do século XVII Hobbes
foi um típico defensor do Estado Absolutista enquanto Jean Jacques Rousseau, pensador do século XVIII, defendeu o
Republicanismo afirmando que o povo é soberano e todo poder emana do povo. A proposição [A] é falsa ao afirmar que no
Absolutista o Estado era submisso ao poder religioso. A proposição [B] está equivocada. A Estética Barroca nasceu no
Concílio de Trento no contexto da Contra Reforma e era associada à Igreja católica. A alternativa [C] está incorreta, pois a
figura feminina não era associada à autoridade no Estado Absolutista. A proposição [D] é falsa. A aristocracia feudal
estava em decadência no contexto do Absolutismo Monárquico. A burguesia estava em ascensão econômica e sustentava
o Estado através de impostos.