Você está na página 1de 33

EXEMPLO DE UM MANUAL DA UNIDADE CURRICULAR TRABALHO FINAL DE CURSO

(MONOGRAFIA)

INTRODUÇÃO
Este documento apresenta as regras formais que devem ser seguidas pelos alunos na
elaboração do Trabalho Final de Curso. As regras aqui constantes também poderão ajudar os
futuros graduados em trabalhos que venham a apresentar em ambiente profissional.
A apresentação cuidada não deve ser considerada um fator de valorização de um
trabalho escrito, mas sim uma precondição para a sua aceitação. Numa verdadeira
Universidade, um aluno não deve adquirir apenas o conjunto de conhecimentos específicos da
sua área de estudos, mas também regras de conduta social e profissional que o preparem para
a sua vida futura.
Este documento apresenta as regras formais que devem ser seguidas pelos alunos na
elaboração d Trabalho Final de Curos e deverá servir de referência para outros trabalhos
escritos, individuais ou de grupo, no âmbito da avaliação de conhecimentos nos cursos UNTL.
Estas regras constituem o “manual de estilo” para este efeito e devem ser seguidas de forma
rigorosa na elaboração dos referidos trabalhos.
Não existindo nenhum manual de estilo “correto” o presente texto foi elaborado de
acordo com dois objectivos principais:
1. Normalizar a forma de apresentação, seguindo padrões internacionais, evitando aos
estudantes desperdício de tempo com o acessório e concentrando-se no principal - o
conteúdo.
2. Explicitar de forma clara regras legais, académicas e profissionais que são exigidas nos
diversos contextos de trabalho para os futuros graduados.

[Data] 1
TRABALHO DE FIM DE CURSO (Monografia)

1. O Trabalho de Fim de Curso (TFC) é um trabalho científico elaborado por cada estudante
candidato à obtenção de um grau, e que constitui parte integrante do plano curricular
para a obtenção desse mesmo grau.

2. O TFC pode ser efectuado em forma de Monografia, Projecto, Tese ou outras formas de
avaliação definidas no Plano Curricular de cada curso respectivamente.

3. A unidade curricular Trabalho Final de Curso pressupõe a realização de um trabalho


individual que contemple um objectivo/justificação, um desenvolvimento temático,
sujeito a apresentação e discussão públicas.

4. Deve ser escrito em língua Portuguesa, ou língua Tétum padronizado, ou língua Inglesa.

5. O estudante poderá, mediante uma proposta aprovada pelo Conselho Pedagógico e


Científico da Faculdade, começar a preparar o seu TFC, independentemente da inscrição
do mesmo, assim que tenha obtido aprovação em, pelo menos, 80% dos créditos ECTS
do seu plano curricular.

6. A preparação do TFC deverá ser efectuada sob a orientação de um docente ou dois


docentes como o Orientador e Co-orientador respectivamente.

7. O estudante, com conhecimento prévio do seu Orientador, poderá requerer a existência


de um Co-orientador.

8. A elaboração do Trabalho Final de Curso é orientada por Professor ou Investigador


Mestrado ou Doutorado da Universidade Nacional de Timor Lorosa’e, ou por Doutor ou
Especialista nacional ou estrangeiro de mérito reconhecido pelo órgão competente da
UNTL, ouvido Conselho Pedagógico e Científico da Faculdade e respetivos docentes da
área científica da modalidade em questão.

9. Ao Orientador compete:
a. Supervisionar a elaboração do plano de actividades necessário à concretização do
Trabalho Final de Curso;
b. Apoiar a execução das acções a desenvolver, de acordo com o plano de actividades
proposto;
c. Colaborar com o Co-Orientador (caso exista) em todos os assuntos relacionados
com o trabalho a desenvolver;
d. Orientar a elaboração do trabalho final;
e. Zelar pelo cumprimento dos prazos de entrega do trabalho final;
f. Apoiar o Estudante na apresentação e discussão do acto público.

10. O Co-Orientador, nacional ou estrangeiro, deve ser indicado entre Doutor e Especialista
de mérito, nas condições referidas no ponto n.º 8 do presente documento, competindo-
lhe:
a. Colaborar na elaboração do plano de actividades;

[Data] 2
b. Apoiar a execução das acções a desenvolver, de acordo com o plano proposto;
c. Colaborar com o orientador em todos os assuntos relacionados com o trabalho a
desenvolver;
d. Coadjuvar na elaboração do trabalho final;
e. Substituir o Orientador no júri de avaliação da prova pública, no caso de
impossibilidade deste.
11. O Orientador terá que pertencer à área científica em que se insere o Trabalho Final de
Curso e deverá ser escolhido por ser, preferencialmente, doutorado. No entanto poderá
ser escolhido um professor com mestrado e, em último caso, um professor com
licenciatura.
12. Um Professor ou Investigador pode Orientar entre 4 e 8 Trabalhos Finais de Curso por
Semestre.

INSCRIÇÃO NO TFC
13. A inscrição no TFC é obrigatória, sendo efectuada nos mesmos moldes e prazos fixados
no calendário académico para as inscrições nas restantes disciplinas.
14. A inscrição no TFC é permitida desde que o estudante:
a. tenha já obtido a aceitação da sua candidatura de acordo as normas estipuladas
pela Faculdade ou Escola Superior que frequenta;
b. tenha no máximo três disciplinas pendentes, além do TFC, para completar o
curso.

PROPOSTA DO PLANO DE ACTIVIDADES E ORIENTADOR


15. O estudante deverá optar por uma das modalidades para a escolha do Tema e
respectivo Orientador do TFC:
a. Modalidade de autoproposta do tema do TFC e respectivo Orientador e Co-
Orientado (caso exista) feito pelo estudante até uma semana antes do início do
semestre no qual se enquadra a unidade curricular do TFC. O estudante apenas
poderá fazer esta proposta caso tenha obtido aprovação em, pelo menos, 80%
dos créditos ECTS do seu plano curricular. A proposta deverá ser apresentada
ao Director de Departamento e deverá ser analisada pelo Conselho Pedagógico
e Científico da Faculdade para aprovação. Depois da proposta ter sido aprovada,
o aluno poderá preparar o TFC e fazer a inscrição dentro dos prazos
estabelecidos no calendário académico. Esta modalidade apresenta-se como
uma possibilidade para os alunos que demonstram elevado grau de maturidade,
de responsabilidade, de preparação, de autonomia e de organização.

b. Modalidade de designação do tema e do respectivo Orientador e do Co-


Orientador do TFC através despacho do Conselho Pedagógico e Científico da
Faculdade de designação, no espaço de quinze dias após a inscrição do
estudante na unidade curricular.

16. A autoproposta conforme foi referida no ponto a. do artigo 15.º , deverá conter as
seguintes informações:

[Data] 3
a. Tipo de Trabalho Final de Curso;
b. Dados do Estudante – nome, número, contacto telefónico, endereço de correio
electrónico e fotografia;
c. Dados do Orientador e Co-Orientador (caso exista) – nome, grau académico,
título profissional, Instituições a que está vinculado profissionalmente;
d. Tema a desenvolver e área científica;
e. Resumo do plano de actividades para a realização do TFC, não podendo exceder
as 500 palavras;
17. No caso de se deparar com dificuldades no processo de elaboração da proposta do plano
de actividades ou na escolha do Orientador, o Estudante deverá, em tempo útil,
transmiti-las ao Director de Departamento. Este deverá tomar medidas para esclarecer
as dúvidas do Estudante e apoiá-lo na procura de soluções.
18. A não inscrição de uma proposta até ao prazo fixado conforme o calendário académico,
implica a reprovação do Estudante à unidade curricular.
19. Em prazo a definir pela Faculdade, o estudante deverá entregar uma proposta do plano
de actividades do TFC e um parecer do Orientador e Co-Orientador (caso exista) sobre
o tema e plano de actividades ao Director de Departamento.
20. O indeferimento de qualquer proposta implicará uma justificação escrita por parte do
Conselho Pedagógico e Científico da Faculdade.

COMPOSIÇÃO, NOMEAÇÃO E FUNCIONAMENTO DO JÚRI


21. Compete ao Conselho Pedagógico e Científico da Faculdade do Curso a nomeação do
júri para apreciação do Trabalho Final de Curso, nos trinta dias posteriores à entrega do
TFC. O júri será constituído por:
a. O Director de Departamento, que preside;
b. Orientador ou Co-Orientador do Trabalho Final de Curso, que não podem
presidir ou constituir maioria nesse júri;
c. Um Professor ou Investigador doutorado, ou mestrado, ou um Especialista
nacional ou estrangeiro de mérito reconhecido pelo Conselho Pedagógico e
Científico da Faculdade, no domínio em que se insere o Trabalho Final de Curso;
22. O despacho de nomeação do júri determina qual dos seus membros preside ao mesmo.
23. Sempre que possível, pelo menos um dos membros do júri deverá ser exterior à
instituição que confere o grau.
24. O despacho deve ser comunicado por escrito, no prazo de cinco dias, aos membros do
júri e ao candidato e as provas deverão ser anunciadas em local público da Universidade.

AVALIAÇÃO PRÉVIA DO TFC

25. Em data a definir pela Faculdade, o estudante deverá entregar, ao Director de


Departamento e ao(s) Orientado(res), uma versão provisória do TFC em formato
normalizado da Faculdade e da UNTL, em língua Portuguesa, ou língua Tétum
padronizado, ou língua Inglesa. É obrigatório que o resumo seja escrito em Português e
Inglês.

[Data] 4
26. O trabalho deve ser objecto de avaliação prévia do Director de Departamento e do(s)
Orientado(res), nos termos previstos na ficha em Anexo.

27. No prazo de 15 dias, o Director de Departamento e o(s) Orientado(res) deverão emitir


um parecer sobre a avaliação prévia de acordo com a ficha em Anexo. O estudante
receberá uma cópia das modificações ou recomendações sugeridas e terá que
reformular obrigatoriamente o trabalho.

28. Após o processo de verificação da versão provisória e depois se anunciar publicamente


a nomeação do júri, o estudante deverá, entregar a versão definitiva do TFC, em formato
normalizado e com a indicação do nome do orientador(es) e dos membros do júri.

ENTREGA DEFINITIVA DO TFC E ACTO PÚBLICO DE DEFESA


29. A versão definitiva do TFC deverá ser entregue, no máximo, até cinco dias após a o
anúncio público do despacho de nomeação de júri.
30. A prova de discussão e acto público de defesa do Trabalho de Fim de Curso deve ter
lugar no prazo de trinta dias após o despacho de nomeação de júri.
31. Excepcionalmente, poderá ser utilizada uma época especial para o acto público referido
no número anterior. Caberá à Faculdade definir a calendarização desta época especial.
32. Em caso de falta ou impedimento do presidente do júri este é substituído pelo membro
mais graduado e, caso dois ou mais membros tenham o mesmo grau académico, o que
o assim tiver há mais tempo.
33. As deliberações do júri são tomadas por maioria dos membros que o constituem,
através de votação nominal justificada, não sendo permitidas abstenções. As notas de
avaliação devem estar em conformidade com o artigo 19º do Regulamento Académico
da UNTL.
34. A prova referida no número anterior não poderá exceder uma duração superior a
noventa minutos, devendo ser proporcionado ao candidato tempo idêntico ao utilizado
pelos membros do júri para usar a palavra.
35. Sem prejuízo do disposto nos números anteriores, compete ao Presidente do júri
estabelecer, no início da prova, a ordem e duração concreta de cada uma das
intervenções, bem como resolver quaisquer dúvidas, arbitrar eventuais contradições,
velar para que todos os direitos sejam respeitados e garantir a dignidade do acto.
36. Das reuniões do júri são lavradas actas, das quais constam os votos de cada um dos seus
membros e a respectiva fundamentação, que pode ser comum a todos ou a alguns
membros do júri.

AVALIAÇÃO DO TFC
37. O resultado da avaliação será expresso de acordo com o enunciado no artigo 19º,
obtendo aprovação o TFC cuja classificação quantitativa média do voto dos membros do
júri seja igual ou superior a cinco valores (número inteiro) e classificação qualitativa igual
ou superior a “C”.

38. A não aprovação no TFC implica a realização de novo TFC, no semestre seguinte.

[Data] 5
PLÁGIOS E FRAUDES
39. A violação de regras do trabalho académico e criações intelectuais estão sujeitas às
penalizações disciplinares da UNTL.
40. Constituem condutas que violam regras do trabalho académico e criações intelectuais:
a. A utilização indevida do trabalho de outrem, cujo acto se designa por plágio. O
plágio não se caracteriza apenas pela transcrição de frases inteiras de um outro
autor. Pode-se considerar plágio também a transcrição, sem marcação de
autoria, de uma simples expressão ou mesmo de uma ideia;

b. A realização de actos de auto-plágio, que consiste na apresentação repetida do


mesmo trabalho ou de porções importantes de trabalhos anteriores sem a
adição de material significativamente novo feito com o propósito de o fazer
passar como trabalho novo e original;

c. A usurpação de criações intelectuais, entendendo-se esta pela utilização de


criação intelectual alheia, sem prévia autorização do respectivo autor quando
necessária por força de lei ou de convenção. Considera -se, designadamente,
usurpação, a apropriação ilegítima de dados, de software ou de todas as demais
criações intelectuais protegidas por propriedade intelectual mesmo que o
usurpador não retire ou não vise retirar dessa apropriação qualquer vantagem
económica, própria ou alheia. Consideram-se ainda abrangidas pela usurpação,
todos os procedimentos, mesmo que na forma tentada, intencionalmente
destinados a eliminar medidas legítimas de protecção de criações intelectuais
protegidas por propriedade intelectual;

d. A apresentação selectiva de resultados, para publicação ou não, com omissão


voluntária de resultados indesejáveis;

e. A interpretação de resultados de investigação negligente ou deliberadamente


falsa;

f. A distorção intencional de métodos, nomeadamente métodos estatísticos, de


forma a chegar a conclusões diferentes daquelas que os dados justificam.

41. Quando parafrasear ou citar o trabalho de um autor, o estudante deve indicar a sua
fonte. O assunto abordado deve ser reescrito e reorganizado, tomando-se cuidado para
não ser confundido com plágio.

42. A citação de fontes secundárias (citar quem cita) com as referenciações adequadas
devem ser evitadas.

REGRAS A UTILIZAR NA REDACÇÃO E APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS ESCRITOS CIENTÍFICO

1. Tamanho da folha: todos os trabalhos devem ser apresentados em folhas de tamanho


A4.
2. Capa: a capa é uma cobertura (frontal e final) que tem como objetivo proteger o
conteúdo do trabalho, pelo que deve ser de papel resistente. Deverá seguir o modelo

[Data] 6
apresentado no Anexo __A_____. Na lombada deverá aparecer o logótipo da UNTL, o
acrónimo, o título do Trabalho, o nome do autor, a indicação do tipo de trabalho e o ano
da realização (ver Anexo ___B_____.
3. Folha de Rosto: a folha de rosto é a primeira folha do corpo do trabalho. Deverá ser
impressa em papel branco e sem quaisquer ilustrações. Tem obrigatoriamente que
conter impressos os elementos constantes no Anexo __C___.
4. Tipo de Letra: no corpo do texto, a letra a utilizar deverá ser em formato Times New
Roman com tamanho 12 e espaçamento normal entre letras.
5. Nos títulos e nas legendas de figuras e quadros são aceites formatos de letra não
serifada (e.g., Arial, Helvetica, Lucida, Tahoma ou Verdana).
6. Espaço entre linhas: as linhas deverão ter um espaçamento de um espaço e meio em
todo o texto.
7. Parágrafos: O espaço entre parágrafos deve ser de linha dupla.
8. Os textos deverão adoptar o alinhamento ou configuração gráfica de «justificado».
9. Margens: as margens superior, inferior e laterais deverão medir 2,5 cm.
10. Paginação: as páginas serão numeradas consecutivamente com algarismos árabes a
partir da primeira página da Introdução. A numeração de páginas, com fonte “Times
New Roman” a tamanho 10, deve ser centrada na margem inferior. Exceptuam-se a
Capa e o Resumo e as restantes páginas que antecedem a introdução (Dedicatória e
Agradecimentos)
11. Paginação dos Anexos: Todas as páginas que constituírem os anexos não devem ser
numeradas (na continuação do texto do trabalho), embora os anexos sejam numerados
(e.g., Anexo 1, Anexo 2, Anexo 3).
12. Notas de rodapé: são numeradas continuamente desde o início do trabalho.
13. Cabeçalho: cada página, a partir da Introdução, deve ter um cabeçalho na margem
superior externa com o título do trabalho centrado, com fonte “Times New Roman” a
10, de forma integral ou abreviada.
14. Gráficos, Figuras e Quadros: deverão ser elaborados em Times New Roman tamanho
dez e numerados com numeração árabe. As legendas ou notas deverão ser colocadas
por baixo nas figuras e gráficos e por cima nos quadros.
15. Os diversos capítulos do trabalho serão indicados em numeração romana maiúscula; os
subcapítulos, se existirem, em numeração árabe, e havendo alíneas, estas serão
representadas em numeração romana minúscula.
16. Excepto no caso da dedicatória e agradecimentos ou na eventualidade de se expor
dados qualitativos (partes de entrevistas, etc.), ou ainda no uso de uma estratégia

[Data] 7
metodológica própria explicitamente enunciada, só é permitido o uso de linguagem
impessoal, referencialmente na 3ª pessoa gramatical singular.
17. Todas as siglas usadas no Quadro devem ser descritas na legenda. Os títulos das figuras
são apresentados em baixo (Anexo__). Nos gráficos, cada eixo é legendado e são
colocadas as unidades.
18. Os quadros e figuras são sempre indicados no texto, aparecendo depois do texto.
19. Quando possível, os quadros devem ter a dimensão da largura do texto e a única linha
divisória a usar é uma horizontal que divide o título do quadro dos títulos das colunas e
do corpo do quadro. Não se usam quadros verticais. As figuras devem também ter a
mesma dimensão do texto ou da coluna de texto. (Anexo__)
20. Recomenda-se que não se usem linhas em branco, nem páginas em branco.
Excepcionalmente podem usar-se linhas em branco para evitar que um subtítulo fique
isolado no fundo de uma página.
21. Produtos Registados: No caso de ser necessária a referência à marca de um produto,
deverá ser colocado o símbolo ® ou ™, seguido da empresa ou elemento detentor da
marca entre parêntesis.
22. Unidades de Medida: deverão ser utilizadas as unidades de medida do Sistema
Internacional. As medidas de comprimento, altura, peso e volume devem ser expressas
em unidades do sistema métrico (metro, quilograma ou litro) ou seus múltiplos
decimais. A temperatura deve ser expressa em graus Celsius. Deve ser deixado um
espaço entre os numerais e as unidades de medida que serão reproduzidas sempre em
minúsculas.
23. Abreviaturas, siglas e acrónimos: A utilização de abreviaturas, siglas e acrónimos deve
ser restringida à forma padrão, evitando a utilização das mesmas no título. A designação
completa à qual se refere uma abreviatura, uma sigla ou um acrónimo deve preceder a
primeira indicação destas no texto, a não ser que se trate de uma unidade de medida
padrão. Não utilizar pontos nas siglas (exemplo: UE em vez de U.E.).
24. Fórmulas e equações: As equações e as fórmulas devem ser colocadas numa nova linha
e centradas em relação ao texto. Se necessário as fórmulas devem ser referenciadas
com numeração (Anexo _).
25. Apresentação de datas: A menção a datas de elevada grandeza cronológica, tais como
II milénio, século X, segundo quartel do século XV, não referindo especificamente o ano,
seguirá o sistema de a.C. (antes de Cristo) e d.C. (depois de Cristo).
26. Numerais: Os números, quando não forem seguidos por unidades de medida, deverão
ser apresentados por extenso, de primeiro a décimo e de um a dez (inclusive), e por
algarismo s a partir deste último número.

[Data] 8
27. A bibliografia deve ser ordenada alfabeticamente e por tipologias, se for o caso, deve
ser apresentada segundo o Método de Harvard. No que respeita à aplicação do Método
de Harvard, deve ser seguida a seguinte estrutura geral: Sobrenome, N. [Nome] (Ano).
Título da Obra [em itálico]. Lugar de Publicação, Nome da Editora.
28. Os trabalhos devem ser compostos pelos elementos que a seguir se apresentam:
1. Capa (Anexo ______);
Folha em branco;
2. Folha de Rosto (Anexo ___C____);
Folha na qual estarão incluídos o nome do estudante, o título do trabalho, a
assinatura do aluno atestando a originalidade do trabalho, e no canto inferior
direito o seguinte: "Trabalho apresentado à Universidade Nacional de Timor
Lorosa’e como parte dos requisitos para obtenção do grau de … em …"(Anexo
______);
3. Agradecimentos (Página facultativa);
4. Índice
5. Resumo - em português (seguir a estrutura definida pela Faculdade);
6. Abstract - Resumo em inglês
7. Palavras-chave (Indicar 3 a 5 palavras);
8. Lista de abreviaturas
9. Índice de Figuras
10.Índice de Quadros
11.Introdução (seguir a estrutura definida pela Faculdade);
12.Desenvolvimento (seguir a estrutura definida pela Faculdade porque depende do
tipo do trabalho. Por exemplo, pode ter a descrição dos Materiais e Métodos,
Resultados, etc);
13.Discussão e/ou Conclusão (seguir a estrutura definida pela Faculdade);
14.Referências (as referências devem ser citadas no texto de acordo com o modelo
da American Sociological Association - Sistema de Harvard);
15.Anexos ou Apêndices (estas secções incluem os materiais necessários à
elucidação do trabalho. Os anexos podem conter diversas ilustrações,
formulários, questionários, autorizações, entre outros elementos de outros
autores. Os anexos são numerados e organizados segundo a sequência da sua
apresentação no texto, e devem constar no índice. Os apêndices contêm
elementos do próprio autor: questionários, pedidos de consentimentos e outros
documentos. As tabelas podem figurar em apêndice, desde que o seu tamanho

[Data] 9
seja superior à metade da mancha gráfica e não exceda a página A4. Os apêndices
são alfabetizados segundo a sequência da sua apresentação no texto.)

CASOS OMISSOS
29. Dúvidas e casos omissos serão sanados pelo Decano da Faculdade.

Modalidade de Autoproposta do TFC


Fases Calendário Etapas
1º Até 1 semana antes do início do 2º Autoproposta do tema e do(s)
Semestre, desde que o aluno tenha a Orientador(es) para o Director de
aprovação em 80% dos créditos ECTS do Departamento
plano curricular
2º O Conselho Pedagógico e Científico
da Faculdade analisa a proposta e
decide se a aprova ou não.
3º Caso haja aprovação, o estudante
poderá iniciar a preparação do TFC
sob a orientação do Orientador.
4º Em prazo definido em calendário O estudante deverá formalizar a
académico inscrição para a realização do TFC.
5º Em prazo definido pela Faculdade Entrega, ao Director de
Departamento e ao(s)
Orientado(res), uma versão
provisória do TFC em formato
normalizado da Faculdade e da UNTL,
em língua Portuguesa, ou língua
Tétum padronizado, ou língua Inglesa
6º 15 dias depois da entrega da versão O Director de Departamento e o(s)
provisória do TFC Orientado(res) deverão emitir um
parecer sobre a avaliação prévia do
TFC.
7º O estudante deverá seguir as
recomendações feitas na avaliação
prévia.
8º Em data definida pela Faculdade Nomeação do júri.

[Data] 10
9º Até 5 dias após nomeação de Júri O Júri e o estudante deverão ser
notificados e deverá ser feito o
anúncio público da nomeação do Júri.
10º Até 5 dias depois do anúncio público da Entrega da versão definitiva do TFC.
nomeação de Júri.
11º Até 30 dias após nomeação do Júri Acto público de defesa do Trabalho
de Fim de Curso.

[Data] 11
Fases Calendário Etapas
1º Em prazo definido em calendário O estudante deverá formalizar a
académico inscrição para a realização do TFC.
2º 15 dias após o prazo de inscrição para aDespacho do Conselho Pedagógico e
realização do TFC Científico da Faculdade para
designar do tema e do respectivo
Orientador e do Co-Orientador do
TFC .
3º Em prazo definido pela Faculdade Entrega, ao Director de
Departamento e ao(s)
Orientado(res), uma versão
provisória do TFC em formato
normalizado da Faculdade e da UNTL,
em língua Portuguesa, ou língua
Tétum padronizado, ou língua Inglesa
4º 15 dias depois da entrega da versão O Director de Departamento e o(s)
provisória do TFC Orientado(res) deverão emitir um
parecer sobre a avaliação prévia do
TFC.
5º O estudante deverá seguir as
recomendações feitas na avaliação
prévia.
6º Em data definida pela Faculdade Nomeação do júri.
7º Até 5 dias após nomeação de Júri O Júri e o estudante deverão ser
notificados e deverá ser feito o
anúncio público da nomeação do Júri.
8º Até 5 dias depois do anúncio público da Entrega da versão definitiva do TFC.
nomeação de Júri.
9º Até 30 dias após nomeação do Júri Acto público de defesa do Trabalho
de Fim de Curso.

[Data] 12
ANEXO A

FACULDADE DE ENGENHARIA CIENCIA E TECNOLOGIA


DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL

INSCRIÇÃO PARA PROPOSTA DO TRABALHO DE MONOGRAFIA FOTO


ÁREA CIENTIFICA : HIDRÁULICA 3X4
ANO LETIVO : 2015/2016

1. ESTUDANTE:
Nome Completo:____________________________________NE_____________________________________
Contacto Telefónico: _____________________/email______________________________________________

2. ORIENTADOR
Nome Completo:__________________________________________Assinatura:________________________
Grau Académico: ___________________________________________________________________________
TÍTULO PROFISSIONAL: ______________________________________________________________________

3. CO-OIENTADOR (caso exista)


Nome Completo:_________________________________________Assinatura__________________________
Grau Académico: ___________________________________________________________________________
Título Profissional: __________________________________________________________________________

4. MONOGRAFIA
Tipo De Trabalho: ___________________________________________________________________________
Título: ____________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________________
Descrição Do Objetivo:_______________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________________
Língua Em Que Vai Ser Escrito O Trabalho: __________________________________

[Data] 13
Assinatura do orientador: ------------------------------------------------------

ANEXO B
INFORMAÇÕES SOBRE O Nº DE EXEMPLARES DO TRABALHO FINAL D

Informações sobre o nº de exemplares do Trabalho Final de C

São necessários _4__ exemplares impressos para examinador e moderador,


 3 exemplares para os membros do Júri e 1 para estudante;
Depois de Exame monografia os exemplares sendo feita a seguinte distribuição:
 1 exemplar para a biblioteca;
 1 exemplar para o Gabinete do Vice Reitor para os Assuntos Académicos.
 1 exemplar para Departamento Civil

É necessário 1 exemplar em formato digital, que tanto pode ser gravado num dispositivo de memória USB ou num CD
e ser constituído por apenas 1 ficheiro.

ABSENSIA E ONITORIZAÇÃO DA MONOGRAFIA

[Data] 14
Nome : : ……………………………………………………………………………
NRE : ……………………………………………………………….
Titulo Monografia :
………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………
Orientador : ……………………………………………………………..
Coorientador : ……………………………………………………………….

No. No dia Assistência Assinatura


e data do Orientação Orientador Coorientador
Capitulo

NOTAS DE AVALIAÇÃO DA ORIENTAÇÃO MONOGR

[Data] 15
Baseando a nomeação e divisão de tarefas da áreas especificação para orientar e avaliar o/os Estudante:

Nome : NRE :
1. ........................................................ ............................................................
2. ......................................................... ............................................................
Titulo Monografia :
……………………………………………………………………………………………

……………………………………………………………………………………………

……………………………………………………………………………………………

……………………………………………………………………………………………

Critérios de avaliação (0 até 10 valões):

1. Disciplinas do Estudante : 0.125 x …………………… =………….....


2. Cretividade /motivação : 0.20 x…………………….. =…………….
3. Capacidade de analisar Materia : 0.55 x ……………………. =…………….
4. Completa e bem organizado : 0.125 x …………………… =………… +

Total = …………..

Quantidade maximum da avaliação até 10

Hera, / /2015
Orientador, coorientador

……………………………..

ANEXO C
RESUMO DO TEMA/ACTIVIDADES DO TRABALHO FINAL DE CURSO A DESENVOLVER

[Data] 16
RESUMO DO TEMA/ACTIVIDADES DO TRABALHO FINAL DE CURSO A DESENVOLVER
(MÁXIMO DE 500 PALAVRAS)

a) Declaração de aceitação do Orientador e do Co-Orientador (caso exista):


___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

b) Parecer do Orientador e do Co-Orientador (caso exista) sobre o tema e o plano de


actividades proposto:
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
c) Língua em que vai ser escrito o Trabalho Final de Curso: _______________________

O Estudante
___________________________

O Orientador
___________________________

O Co-Orientador
___________________________

Dili, ____ de _________________ de 20____

ANEXO
DECLARAÇÃO DE AUTORIA DO TRABALHO APRESENTADO

[Data] 17
DECLARAÇÃO DE AUTORIA DO TRABALHO APRESENTADO

Eu, _______________________ , declaro que o presente trabalho, realizado no âmbito do


Trabalho Final de Curso, integrado no Curso de licenciatura da Faculdade de Engenharia
Ciências e Tecnologia, Departamento. Eng. Civil da Universidade Nacional de Timor Lorosa’e,
é da minha autoria e que, sob o compromisso de honra, todas as fontes foram devidamente
referenciadas.

O Estudante

___________________________
Dili, ____ de _________________ de 20____

ANEXO
PARECER DO ORIENTADOR PARA A ENTREGA DEFINITIVA DO TRABALHO APRESENTADO

[Data] 18
PARECER DO ORIENTADOR PARA A ENTREGA DEFINITIVA DO TRABALHO APRESENTADO

Informo que o Trabalho Final de Curso desenvolvido pelo(a) Estudante


___________________________________________________________________________
com o título: _______________________________________________________________
está de acordo com as regras estipuladas pela Universidade Nacional Timor Lorosa’e, foi por
mim conferido e encontra-se em condições de ser apresentado em provas públicas.

O(A) Orientador(a)
___________________________

Dili, ____ de _________________ de 20____

[Data] 19
ANEXO

[Data] 20
CARTA DE NOMEAÇÃO PARA EXAMINADOR

No. : ….. /UNTL/ FECT/ Dir /DCE/ XI /2015

Departamento da Engenharia Civil por meio da Coordenador Monografia nomeia Docente para serem
examinador são os seguintes :

No Nome Posição

1 José Maria C. B. Ximenes, M. Eng. 1º Examinador

2 Eng. Aleixo Sarmento 2º Examinador

3 Eng. Mariano Renato M. Cruz, M. Eng. Moderador

Para dar exame ao estudante:

Nome : …………………………………
Telemobel : ……………………………..

Titulo do trabalho final:

……………………………………………………………………………………………………………………………………………..
………………………………………………………………………………………………………………………………………………
……………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Dia : ………………..
Data exame : ………………………….
Horas : …………………………………
Sala : Seminar Engenharia Civil

Mak ne’e deit surat nomeasaun ba atensaun no serbisu hamutuk la halua obrigadu wain.

Coinesimentu ba Hera, 04/02/2015

Direitor Dep. Eng. Civil. Koordenador Monografia

( Tomas S. Xavier, M. Eng.) ( José Maria C. B. Ximenes M. Eng. )

[Data] 21
LISTA DE PREGENÇA DOS EXAMINADORES

Estudante que vão defender a sua Monografia foi:


Nome: 1. ……………………………….. …………………. NRE ........................
2. .......................................................... NRE ………………………

Titulo Monografia:
……………………………………………………………………………………………

……………………………………………………………………………………………

……………………………………………………………………………………………
Assinatura do Examinador

Dia
1º Examinador 2º
No
Nome e Examinador
Moderador
No
Data

Hera …/…./ 2016


Chefe grupo

( ..................................)

AVALIAÇÃO DE EXAME MONOGRAFIA

[Data] 22
Baseando a carta da nomeiação do coordenador Monografia, os examinadores vão avaliar o trabalho
final do curso do estudante:
Nome : ..................................................................
NRE : .................................

Titulo do trabalho final:

……………………………………………………………………………………………………………………………………………..

……………………………………………………………………………………………………………………………………………

…………………………………………………………………………………………………………………………………………..

Criterias de avaliação (Notas 0 -10 valores):

1. Domina Monografia : 0.40 x …………………… =………….....


2. Apresentação Monografia : 0.20 x………………….. =……………
3. Aparencia (penampilan) : 0.10 x ……………………. =…………….
4. Resultado escrita Monografia : 0.30 x ………………… =………… +

Total =…………….
Quantidade notas máximo até 10 valor

Dili, ....../....../ 2015


1º ou 2º examinador

( ....................................... )

Relatório Resultado Exame Monografia

[Data] 23
Baseando a carta da nomeação …./UNTL/FECT/DCE/I/2015, data ..... /......./2015 Grupo Examinador
monografia avalia o exame Monografia do estudante:

Nome : ………………………………………
NRE : .....................................................

Titulo Monografia :

……………………………………………………………………………………………

……………………………………………………………………………………………

……………………………………………………………………………………………

………………………………………………………………………………………

A. Notas durante Orientação:


Orientador =
Coorientador =

Valor media (A) 1ª+2ª =


2

B. Notas Exame Monografia:

No Nome Orientador Posição Valor Assinatura

1 1ª Examinador

2 2ª Examinador

Valor media (B) 1ª+2ª =


2

Valor final 1/2(A+B) =


Numero Em Letras

⃝ aceitar a versão avaliada sem modificações.


⃝ aceitar, com as modificações sugeridas:
⃝ recusar, com as recomendações para nova submissão:

[Data] 24
Dili, ..... / ..... / 2015

Chefe grupo Examinador Conhecimento

Diretor Departamento Eng. Civil

( ........................................ ) ( Tomas Soares Xavier, M.Eng. )

Resumu :
1). Aceitar = Pasa

2). Aceitar, com as modificações sugeridas = Pasa com criteria

3). Recusar, com as recomendações para nova submissão = Renova e muda o Titulo Titulo
a) Não domina a escrita monografia < 2
b). Escrita Monografia copiado. < 1,5

[Data] 25
AVALIAÇÃO PRÉVIA DO TRABALHO FINAL DE CURSO

AVALIAÇÃO PRÉVIA DO TRABALHO FINAL DE CURSO


Identificação
Título: ____________________________________________________________________
Aluno: ____________________________________________________________________
Data de recepção: ___________________________________________________________
Nome do(s) avaliador(es): _____________________________________________________
Data de avaliação: __/__/____

Avaliação: análise do trabalho escrito


1. Respeito das normas de edição
Não 1 2 3 4 5 Sim
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

2. Qualidade gráfica do relatório escrito


Baixa 1 2 3 4 5 Elevada
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

3. Clareza do relatório escrito


Baixa 1 2 3 4 5 Elevada
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

4. Validade do tema
Baixa 1 2 3 4 5 Elevada
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

5. Complexidade e qualidade da pesquisa bibliográfica


Baixa 1 2 3 4 5 Elevada
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

6. Estrutura
Nenhuma 1 2 3 4 5 Adequada
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

[Data] 26
7. Profundidade da análise e desenvolvimento do trabalho
Baixa 1 2 3 4 5 Elevada
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

8. Originalidade
Pouco 1 2 3 4 5 Muito
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

9. Metodologia científica
Nenhuma 1 2 3 4 5 Adequada
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

10. Aplicação de conceitos apreendidos


Nenhuma 1 2 3 4 5 Adequada
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

11. Interpretação dos resultados


Nulo 1 2 3 4 5 Adequad0
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

12. Relação das conclusões com o problema investigado


Baixa 1 2 3 4 5 Elevada
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

13. Parecer:
⃝ aceitar a versão avaliada sem modificações.
⃝ aceitar, com as modificações sugeridas: ______________________________________
__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________

⃝ recusar, com as recomendações para nova submissão: ___________________________


__________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________
ANEXO
AVALIAÇÃO DA APRESENTAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE CURSO

[Data] 27
AVALIAÇÃO DA APRESENTAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE CURSO

Na apresentação e defesa oral do trabalho, o júri deverá ter em conta, designadamente, os


aspectos seguintes:
1. Clareza da apresentação
Nenhuma 1 2 3 4 5 Adequada
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

2. Qualidade do material de apoio


Baixa 1 2 3 4 5 Elevada
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

3. Relevância das respostas dadas


Nenhuma 1 2 3 4 5 Adequada
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

4. Postura durante a apresentação


Não profissional 1 2 3 4 5 Profissional
Comentários: ________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

5. Comentário final: ______________________________________________________


___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________
___________________________________________________________________________

ANEXO
NORMAS DE ELABORAÇÃO DO TRABALHO FINAL DE CURSO

RECOMENDAÇÕES

[Data] 28
LINGUAGEM E ESTILO
A linguagem deve ser clara, objetiva, escrita em discurso direto e com frases curtas (APA, 2010;
Booth, 1975; Gustavii, 2008).

PALAVRAS
1. Use palavras precisas e específicas. Dentre elas, prefira as mais simples, habituais e curtas.
2. Trabalhe com um dicionário e uma gramática e consulte-os sempre que tiver dúvidas. Tem
disponíveis on-line o Dicionário Priberam da Língua Portuguesa e o Ferramentas para a Língua
Portuguesa (Priberam, 2008).
3. Tenha particular atenção à hifenização. Recorra com frequência a uma gramática.
4. Use apenas os adjetivos e os advérbios extremamente necessários.
5. Evite repetições. Procure não usar verbos, substantivos aumentativos e diminutivos mais de
uma vez num mesmo parágrafo.
6. … mas não exagere no uso de sinónimos para obter uma escrita elegante. O uso de sinónimos
deve restringir-se a verbos e substantivos comuns. Não o use para termos técnicos.
7. Corte todas as palavras inúteis ou que acrescentam pouco ao conteúdo (circunlóquios).
Evite assuntos laterais.
8. Evite os ecos (ex.: "Medição da orientação") e cacofonias (ex.: "... aproxima mais")
9.Explique palavras científicas específicas no texto ou em glossário separado quando as escrever
pela primeira vez.
10.Use o itálico com parcimónia e nas situações seguintes:
a. Nomes das espécies. O nome do género vem em maiúscula e o do epíteto específico em
minúscula: Pan troglodytes. Coloque o nome completo da espécie e do seu investigador
quando o escrever no título do trabalho, quando o escrever pela primeira vez no resumo
e na primeira vez do texto. Ex.: Pan paniscus (Schwarz).
b. Conceitos inovadores, designações específicas, termos científicos e noções-chave
quando aparecem pela primeira vez no texto.
c. Palavras ambíguas que podem ter mais do que um significado.
d. Títulos de livros e nomes de revistas científicas.
e. Símbolos estatísticos ou variáveis algébricas (Ex.: teste t)
11.Não use o itálico em expressões e abreviaturas estrangeiras frequentes em português
(Ex.: a priori, et al.), símbolos químicos (Ex.: LSD) ou letras gregas.
12.As abreviaturas latinas devem ser usadas entre parêntesis: e.g., por exemplo; i.e., isto é; etc.,
e os restantes; vs., verso. Fora do parêntesis, use a tradução das siglas latinas.
13.Use as aspas duplas para palavras ou frases irónicas, jargão ou citações.

[Data] 29
FRASES
1.Escreva sempre no discurso direto: sujeito + verbo + complemento.
2.Prefira frases afirmativas (“A criança fez birra” em vez de “A criança não se portou bem”).
3.Prefira frases na voz ativa (“Nós estudámos a depressão em doentes internados” em vez de
“A depressão em doentes internados foi estudada pelos investigadores”).
4.Use sempre frases curtas e simples. Abuse dos pontos finais.
5.Prefira o ponto final e inicie uma nova frase em vez de vírgulas. Uma frase cheia de vírgulas
está a pedir pontos. Se a informação não merece nova frase é porque não é importante e pode
ser eliminada.
6.Evite as partículas de subordinação, tais como que, embora, onde, quando. Estas palavras
alongam as frases tornando-as confusas e cansativas. Use uma partícula por frase, no máximo.
7.Evite orações intercaladas, parêntesis e travessões. Algumas revistas internacionais aceitam o
parêntesis para reduzir a dimensão da frase.
8.Quando parafrasear ou citar o trabalho de um autor, deve indicar a sua fonte. Caso contrário
está a cometer plágio.
9.A citação de fontes secundárias (citar quem cita) com as referenciações adequadas devem ser
evitadas.1
10.Nas citações de texto de outros autores:
a. Use aspas para excertos com menos de 40 palavras inseridos no seu texto (citações com
40 ou mais palavras devem ser citadas em bloco sem aspas).
b. Use as reticências para indicar a omissão de material. Só o deve fazer no meio das
citações. Não o deve fazer no início e no final da citação.
c. Use parêntesis retos para acrescentos ou explicações.
d. Use o itálico para destacar uma ideia na citação, mas, imediatamente a seguir, deve
inserir entre parêntesis retos a sua ênfase: [itálico adicionado].
e. Use as aspas simples para citações incluídas noutras citações.

PARÁGRAFOS
1.Um parágrafo é uma unidade de pensamento. A primeira frase deve ser curta, enfática e
conter a informação principal. As demais devem corroborar o conteúdo apresentado na
primeira. A última frase deve seguir de ligação ao parágrafo seguinte.
2.Os parágrafos devem interligar-se de forma lógica.
3.Um parágrafo só ficará bom após cinco leituras e correções:
a. Na primeira leitura, verifique se está tudo no discurso direto;

[Data] 30
b. Na segunda, procure repetições, ecos, cacofonias, frases intercaladas e partículas de
subordinação;
c. Na terceira, corte todas as palavras desnecessárias; elimine todos os adjetivos e
advérbios que puder;
d. Na quarta, procure erros de grafia, digitação e erros gramaticais, tais como de regência
e concordância;
e. Na quinta, verifique se as informações estão corretas e se realmente está escrito o que
pretendia escrever. Veja se não está a adivinhar, pelo contexto, o sentido de uma frase
mal escrita.
4. Após a correção de cada parágrafo em separado, leia todo o texto três vezes e faça as
correções necessárias.
a. Na primeira leitura, observe se o texto está organizado segundo um plano lógico de
apresentação do conteúdo (leia o subtópico Estrutura). Veja se a divisão em itens e
subitens está bem estruturada; se os subtítulos (títulos de cada tópico) refletem o
conteúdo das informações que se seguem. Se for necessário, faça nova divisão do texto
ou troque parágrafos entre os itens. Analise se a mensagem principal está redigida de
forma clara a ser entendida pelo leitor.
b. Na segunda, observe se os parágrafos se interligam entre si. Veja se não há repetições
da mesma informação em pontos diferentes do texto, escrita de forma diferente, mas
com significado semelhante. Elimine todos os parágrafos que contenham informações
irrelevantes ou fora do assunto do texto.
c. Na terceira leitura, verifique todas as informações, sobretudo valores numéricos, datas,
equações, símbolos, citações de tabelas e figuras e as referências bibliográficas.

ESTRUTURA
1. A estrutura interna dum trabalho científico tem normalmente, três partes:
“Introdução, “Desenvolvimento” e “Conclusão”.
1.1. A «Introdução» deverá conter resumidamente os seguintes elementos:
 o objecto do trabalho (o tema);
 as motivações do autor, pessoais e académicas (justificação do tema);
 os objectivos do trabalho (perguntas a responder ou hipóteses a testar);
 o(s) método(s) e a(s) técnica(s) utilizados (os tipos de pesquisa e os respectivos
instrumentos);

[Data] 31
 os limites temporais e/ou espaciais (as restrições da pesquisa); e
 o que se alcançou com o trabalho (os resultados do trabalho).
1.2. No «Desenvolvimento», a par do restante trabalho expositivo, deverá:
 fazer-se uma adequada revisão bibliográfica com as teorias atinentes ao tema e objecto
a tratar, procedendo-se à: explicitação do(s) objecto(s) e da(s) problemática(s)
utilizados; verificação dos diversos sub-temas oriundos do tema geral; exposição de
conceitos, e a eventual operacionalização dos mesmos (caracterização do tema
principal);
 desenvolver-se as explicitações metodológicas e técnicas anteriormente enunciadas
 (métodos utilizados), e referir-se os trabalhos de laboratório ou de campo, inquéritos
 efectuados, e/ ou outras formas de pesquisa que possam ter sido levadas a cabo
(explicação de como o trabalho foi elaborado).
 expor-se o contributo original do trabalho para o aprofundamento do conhecimento e/
ou para a abertura de novos horizontes de investigação científica sobre o tema.
1.3. Na «Conclusão», dever-se-á:
• ser sucinto, retomando os principais pontos explicitados nas fases da «Introdução» e do
• «Desenvolvimento»;
• abster de formular ideias não concordantes com a restante temática desenvolvida, usar
citações, expor autores não abordados, ou incluir novos dados;
• reencontrar as linhas mestras que foram anteriormente traçadas, designadamente para
se saber se o objectivo do trabalho foi realmente alcançado.

2. A bibliografia ordenada alfabeticamente e por tipologias, se for o caso, deve ser apresentada
segundo o Método de Harvard.
2.1. No que respeita à aplicação do Método de Harvard, deve ser seguida a seguinte estrutura
geral:
Sobrenome, N. [Nome] (Ano). Título da Obra [em itálico]. Lugar de Publicação, Nome da Editora.

O Texto
O corpo principal do texto está dividido em secções, aparecendo os seus títulos centrados, com
números árabes atribuídos e escritos em maiúsculas e minúsculas. Os títulos das subsecções
devem ser escritos em itálico, numerados de acordo com a sua secção como 1.1., 1.2., etc. As

[Data] 32
divisões de nível inferior (subsubsecções, etc.) devem manter a forma de apresentação do
segundo nível, com a numeração correspondente (2.3.1., etc.).

Notação Matemática
Existem algumas regras de apresentação de notação matemática já incorporadas nos
processadores específicos (e.g. Equation Editor, Math Type, Scientific Workplace) e que devem
ser tidas em conta: as variáveis devem ser escritas em itálico, matrizes e vectores em negrito,
etc. As equações e outras expressões matemáticas principais devem ser apresentadas numa
linha separada, numeradas e pontuadas de acordo com a sua função no texto. Como exemplo
temos:

Outras expressões mais curtas e de menor importância poderão ser apresentadas no corpo
principal do texto, com o cuidado de não alterar a formatação, como no caso das frações:
(a+(b/c)).
É de notar ainda que na Língua Portuguesa a separação decimal é feita com uma vírgula
(1/2=0,5), a separação das potências de mil é feita com um ponto para números iguais ou
superiores a dez mil (por exemplo 9524 ou 12.435 ou 1.736.427) ou alternativamente através
do espaçamento (por exemplo 9 524 ou 12 435 ou 1 736 427). Note-se ainda que um bilião
representa 1012 e não 109, como o “bilhão” brasileiro ou o “billion” no inglês americano.
No final do texto e antes dos eventuais anexos, devem ser reunidas numa secção autónoma as
referências bibliográficas utilizadas no trabalho, ordenadas alfabeticamente e
cronologicamente. Para cada referência encontrada no texto, deve haver uma correspondente
nessa secção final e não podem aparecer referências que não sejam citadas no texto.
Dada a complexidade de gestão de uma base de dados bibliográfica ligada a um trabalho escrito,
em especial quando ele tem uma dimensão maior, como é o caso de um TFM ou de uma tese
de doutoramento a utilização de software especializado (e.g. BibTeX, EndNote, ProCite,
Reference Manager) é altamente recomendável logo desde o início do trabalho. Bases de dados
referenciais como a EconLit ou a Web of Knowledge exportam os seus registos para a maioria
dos formatos usados por estes programas, facilitando a construção desta base bibliográfica.

[Data] 33