Você está na página 1de 14

ABIM 005 JV Ano XII - Nº 97 - Mai/18

Bem-vindo à
Maçonaria
Cultural
Editorial
Escolhemos como temário para esta edição a um curto espaço de tempo para tratar diversos
“Bem-vindo à Maçonaria Cultural”, trazendo matérias assuntos, leitura de atas, Ordem do Dia, etc., dispensa
que tratam da origem e do propósito da criação das muito pouco tempo para estudo, apresentações de
Academias Maçônicas de Letras, das Lojas de Estudos trabalhos, palestras ou algo do gênero. Somado a isso,
e Pesquisas, das Fraternidades Acadêmicas e das a violência urbana e o dia seguinte com a rotina de
Lojas Universitárias. Devido, nas últimas décadas, trabalho, não permite estender a sessão além das 22h.
observarmos uma expressiva efervescência no
Com isso, o surgimento das Academias
interesse pelo estudo da Maçonaria, inclusive pelo
Maçônicas e das Lojas de Estudos e Pesquisas vem
mundo profano, essas formatações de lojas maçônicas,
possibilitar um ambiente próprio para o estudo e o
têm possibilitado uma ambiência adequada para
intercâmbio cultural, saciando a sede do saber dos,
um estudo mais apurado de nossas tradições e das
lamentavelmente, poucos maçons estudiosos, que
influências sofridas por outras Escolas, ao longo de sua
buscam entender a Maçonaria e o seu aprimoramento
profícua história.
nos mais diversos aspectos.
Outro aspecto importante que visamos difundir
É bem possível, que muitos de nossos leitores
é o crescente surgimento das Lojas Universitárias,
não têm a menor noção da importância do papel, no
visando resolver, ou pelo menos amenizar, um problema
que se refere à renovação da Maçonaria, das Lojas
que atinge a maçonaria universal - a elevada faixa
Universitárias e/ou Lojas Acadêmicas. Da mesma forma,
etária de seus membros. Através de duas matérias
quanto à importância para o engrandecimento cultural
sobre assunto, extraída da matéria original “As Lojas
da Ordem Maçônica, quando falamos em Lojas de
Universitárias e a Modernização da Maçonaria”, de
Estudos e Pesquisas e, principalmente, nas Academias
autoria do Ilustre Irmão Lucas Francisco Galdeano,
Maçônicas de Letras.
Eminente Grão-Mestre Distrital do GODF, profundo
estudioso sobre o tema, buscamos fazer luz sobre o Dentro deste enfoque, escolhemos,
tema e estimular o debate sobre a necessidade de uma criteriosamente, o temário desta edição. Estamos
renovação interna de nossa Ordem. buscando, na medida do possível, trazer à discussão
esses temas e, ao mesmo tempo, estimular o estudo
Outro ponto não menos importante que não
e a pesquisa, além de criar um espaço para difundir
podemos desprezar é a necessidade da elevação do
trabalhos de nossos colaboradores, que possam servir
nível cultural, hoje, muito aquém da realidade de uma
de “sextante”, a orientar nossos leitores em sua Vereda
instituição que, tem por fim livrar a humanidade dos
Iniciática.
grilhões da ignorância. As Sessões Maçônicas, limitadas

Anuncie conosco!
A Revista Arte Real, distribuída para cerca
de 29.000 leitores cadastrados, de todo
o Brasil e exterior, além de difundida
nas redes sociais e listas de discussão
maçônicas, reserva um espaço para
divulgar a sua empresa!
redacao@revistaartereal.com.br

A Revista Arte Real é um periódico maçônico virtual, fundado em 24 de fevereiro de 2007, de periodicidade
mensal, distribuído, gratuitamente, pela Internet, atualmente, para 27.874 e-mails de leitores cadastrados,
no Brasil e no exterior, com registro na ABIM - Associação Brasileira de Imprensa Maçônica, sob o nº 005
JV, tendo como Editor Responsável o Irmão Francisco Feitosa da Fonseca, 33º - Jornalista MTb 19038/MG.
www.revistaartereal.com.br - redacao@revistaartereal.com.br - Facebook RevistaArteReal -  (35) 99198-7175 Whats App.
A Origem
das Academias

Francisco Feitosa

P
ara buscarmos a origem da palavra “Academia”, dos capítulos importantes da história do saber ocidental. A
teremos que nos reportar à Grécia antiga, quando escola era formada por uma biblioteca, uma residência e
Platão, discípulo de Sócrates, após sua morte, um jardim. Sua existência foi interrompida pelo imperador
inicia, com outros socráticos, um período de viagens, justiniano, em 529 d.C., e por durante 916 anos, deixou
aportando em Mégara, indo ao encontro de Euclídes, que, um enorme legado, dando origem as Academias e Escolas
também, pertencera ao grupo de Sócrates, e que havia Superiores do Ocidente.
fundado uma escola filosófica. Platão estende sua viagem a
As mais conhecidas academias gregas foram
Siracusa, Sul da Itália, conhecida como a “Magna Grécia”,
a Antiga Academia, fundada por Platão, que teve entre
tornando-se amigo de Dion, cunhado do tirano local, Dionísio,
seus mestres o matemático Eudóxio de Cnido, e como
em seguida, chega ao Norte da África, visitando o Egito.
discípulos, entre outros, Aristóteles, Xenócrates e
Ao regressar de sua viagem, por volta do ano Espeusipo. A chamada Academia do Meio, fundada pelo
387 a.C., Platão funda, em Atenas, sua própria escola filósofo platônico grego Arcesilaus e a Nova Academia,
de pesquisa filosófica e científica, perto de Colona, fundada pelo filósofo cético grego Carneades.
um povoado de Ática, nos jardins consagrado ao
Essa Tradição se estendeu na França e na
herói ateniense da Guerra de Tróia (século XII a.C.)
Itália, surgindo diversas Academias de poetas e artistas
“Akademus”, por essa razão, sua escola recebeu o nome
nos séculos XIII e XV. Em 1440, surge a mais famosa
de “Akademía”.
academia da Renascença Italiana, a “Academia Platônica”,
A Academia de Platão foi tida como a primeira que se dedicou a aprofundar estudos sobre a obra de Platão,
universidade da Europa. Embora, oficialmente, dedicada ao aprimoramento da língua italiana e ao estudo de Dante.
ao culto das musas, teve intensa atividade filosófica,
Destacou-se, também, a Academia Francesa,
onde se professava um ensino informal através de lições
que serviu de modelo para criação da Academia Brasileira
e diálogos entre os mestres e os discípulos. O filósofo
de Letras. Foi fundada, em 1635, por iniciativa do
Platão pretendia reunir contribuições de diversos campos
Cardeal Richelieu, que obteve a autorização para seu
do saber, como a filosofia, a matemática, a música, a
funcionamento do rei Luís XIII, com a principal finalidade
astronomia e a legislação. Seus jovens seguidores,
de tornar a língua francesa “pura, eloquente e capaz de
dentre eles Aristóteles, seu mais famoso aluno, dariam
tratar das artes e ciências.” A Academia Francesa tem
continuidade a este trabalho, que viria a se constituir num
cumprido essa missão, também, através das sucessivas

Revista Arte Real nº 97 - Mai/18 - Pg 03


edições de seu Dicionário. Oito edições já foram realizadas sociedade. Presos ao Iluminismo europeu, que visava,
entre 1694 e 1932, estando em curso os trabalhos da nona principalmente, à autoafirmação dos direitos humanos, foi
edição. criado, por esses regressos, um movimento de libertação e
Independência.
Na segunda metade do século XIX, o Rio de
Janeiro já apresentava uma vida literária em efervescência, Com objetivo, realmente cultural, de escrever a
marcada pelas reuniões de escritores e publicações história da América portuguesa, surgiram, nessa mesma
de periódicos voltados para a literatura. Destacava-se época, as Academias, criadas pelos poucos eruditos
diversos pontos de encontros, como as livrarias “Laemmert” da época. Os jovens Maçons, iniciados na Europa,
e, posteriormente, a “Garnier”, onde, comumente, era associando-se a essas Casas de Cultura, aproveitaram
frequentada por Oliveira Lima, Rodrigo Otávio, Pedro a oportunidade para difundir suas ideias libertárias de
Tavares, o jovem Graça Aranha e outros. Já nessas forma velada, já que, na época, ainda, não existiam Lojas
rodas, o centro era a inteligência irônica da personalidade Maçônicas no Brasil.
discreta de nosso escritor maior - Machado de Assis.
A primeira Academia surgiu em 23 de abril de
Nesses grupos e encontros, acenava-se com a 1724, em Salvador, na Bahia, com o nome de Academia
necessidade da criação de uma agremiação, que reunisse Brasílica dos Esquecidos, fundada pelo Vice-Rei Vasco
os expoentes da literatura brasileira. As reuniões da Fernandes César de Menezes, o Conde de Sabugosa.
“Revista Brasileira”, sob a direção de José Veríssimo, Existem autores maçônicos, como Kurt Prober, que a
tiveram um papel decisivo na criação da Academia considera como a primeira Loja Maçônica do Brasil. Sua
Brasileira de Letras, em 20 de julho de 1897, idealizada existência foi breve, durando, apenas, 11 meses.
por Lúcio de Mendonça e composta por escritores como,
Em 1736, no Rio de Janeiro, foi fundada a
Machado de Assis (presidente perpétuo), Inglês de Souza,
Academia dos Felizes, considerada a segunda Sociedade
Olavo Bilac, Graça Aranha, Medeiros e Albuquerque,
Maçônica criada no Brasil, que existiu até o dia 28 de
Joaquim Nabuco, Teixeira de Melo, Visconde de Taunay e
fevereiro de 1740. Ainda, no Rio de Janeiro, em 1752, foi
Rui Barbosa. A Academia Brasileira de Letras tem por fim,
a vez da Associação Literária dos Selectos, que teve vida
segundo os seus estatutos, a “cultura da língua nacional”.
curtíssima, funcionando em única Sessão, em louvor ao
Ao contrário do que muitos possam imaginar, o Conde de Bobadela.
início da história da Maçonaria, no Brasil, deveu-se muito
Em 19 de maio de 1759, em Salvador, Bahia,
ao surgimento das Academias e Associações Literárias,
surgiu a Academia Brasílica dos Renascidos, funcionando
no século XVIII. O povo das colônias, em especial do
até 1760. A Academia Científica, fundada em 1772, no
Brasil-colônia de Portugal, desde o Descobrimento, era,
Rio de Janeiro, de Conceitos Iluministas, tendo como um
de forma generalizada, inculto e analfabeto, com uma
dos mais destacados fundadores, o segundo Marquês
agravante: inicialmente, os índios, vistos como animais, e,
do Lavradio. Sabemos que o Iluminismo e a Maçonaria
posteriormente, os escravos, tratados como mercadorias.
caminharam juntos na Europa, durante certo tempo, em
Não só os colonizados, mas, também, os colonizadores,
especial, na França, o que nos leva a crer na participação
em sua maioria eram analfabetos, pois a educação escolar
maçônica, também, nessa Academia.
não figurava entre os pressupostos da colonização.
Em 1786, foi instalada, no Rio de Janeiro, a
Tal situação começou a se modificar a partir
Sociedade Literária do Rio de Janeiro, durando até o ano
da segunda metade do século XVIII, quando filhos dos
de 1790, ou 1791, quando José Luiz de Castro, o Conde
abastados colonizadores portugueses, nascidos no
de Rezende, observando a fermentação de aspirações
Brasil, iniciaram um movimento de procurar estudo nas
políticas análogas à Conjuração Mineira, a dissolveu.
universidades de Portugal e de França. Com isso, os
jovens brasileiros puderam ter contato com as influências Surgiu no Rio de Janeiro, meses após a dissolução
renovadoras do Iluminismo, amplamente difundidos pelas da Sociedade Literária, a Arcádia Ultramarina, responsável
Lojas Maçônicas nas universidades europeias. Muitos por um movimento libertário, conhecido por “Conjuração do
deles foram iniciados na Maçonaria, em Lojas europeias, Rio de Janeiro”. Esse grêmio foi extinto em 1794.
em especial nas de Montpelier (França) e nas de Coimbra Todas essas Academias ocultavam a eclosão dos
(Portugal). movimentos de sedição contra a colonização portuguesa.
No regresso, esses jovens burgueses, assim Todas com características maçônicas, ou, até mesmo,
como muitos padres de diversas Ordens Católicas, que formato de Lojas Maçônicas.
vinham ao Brasil para cumprirem suas tarefas, depararam- Somente em 1796, em Pernambuco, em Itambé,
se com total desrespeito ao indivíduo, às famílias e à surgiria o Areópago de Itambé, constituído como Corpo

Revista Arte Real nº 97 - Mai/18 - Pg 04


Maçônico e precursor do país; fundado pelo frade A existência de uma Academia é algo sublime,
carmelita, médico e botânico pernambucano, Manoel principalmente, nos dias atuais quando a inversão de
Arruda Câmara e seu irmão Francisco de Arruda Câmara, valores adentra, sem pedir licença, nossos sacrossantos
recém-chegados da Europa, onde haviam sido iniciados na lares, enaltecendo o que é, foi e sempre será, por demais,
Maçonaria, em Montpelier, na França. errôneo e imoral, tentando nos afastar do caminho reto que
nos conduz, com segurança, à evolução e ao progresso.
Exatamente, oito anos após a Queda da Bastilha,
portanto, em 14 de julho de 1797, em Salvador, Bahia, A Academia original (akadémeia) foi o jardim, no
segundo o escritor maçônico Kurt Prober, a bordo da qual Platão fundou sua Escola de Filosofia; filo (amigo) e
fragata francesa “La Preneuse”, foi fundada a Loja sofia (conhecimento), portanto, amigo do saber. No que
Cavaleiros da Luz, pelo Comandante Larcher. Alguns se refere à Academia Maçônica de Letras, o Dicionário de
autores afirmam que, do seio da Loja Cavaleiros da Luz, Maçonaria, de autoria de Joaquim Gervásio de Figueiredo,
ressurgiu a Academia dos Renascidos (1798-1799) e que a define como uma Sociedade Civil Literária de Maçons,
as inflamadas discussões nessa Academia resultaram na de âmbito nacional, constituída sobre bases democráticas,
Conjuração Baiana, em 1799, movimento, conhecido como com a finalidade de incentivar a cultura e as letras
Revolta dos Alfaiates. maçônicas.
A Academia dos Suassunas surgiu dos No que se refere ao surgimento das Academias
remanescentes do Areópago de Itambé, dissolvido em Maçônicas de Letras em nosso país, estas surgiram,
1801, após o fracasso do movimento libertário, conhecido segundo Gervásio, tão somente, em 21 de abril de 1972,
por “Conjuração de 1801”. Operou durante 15 anos, no Rio de Janeiro, sendo, de fato, instalada em 24 de
sendo extinta em 1817, talvez, junto com a devassa na junho do mesmo ano, a Academia Maçônica de Letras do
Revolução Pernambucana de 1817. Brasil, então, presidida pelo Confrade Morivalde Calvet
Fagundes, com a estreita colaboração do Ilustre Confrade
No ano de 1802, em Recife, foi criada pelo
Belarmino Maria Austregésilo Augusto de Athayde, então,
Padre João Ribeiro Pessoa a Academia do Paraíso, que
Presidente da Academia Brasileira de Letras.
funcionou até 1805. Ambas as Academias, dos Suassunas
e do Paraíso, eram sociedades político-secretas, formadas Observando a história da Maçonaria brasileira,
por Maçons patriotas, onde se propagavam as novas torna-se notória a importância que teve e tem essas
doutrinas republicanas da França. Casas de Cultura. A responsabilidade de um acadêmico
não se pode restringir, apenas, a escrever belas poesias
Esse rápido passeio histórico nos leva a
e recitá-las a cada sodalício. Estende-se, também, em
perceber a importância que tiveram as Academias para
promover e difundir a cultura e a arte em suas diversas
os movimentos libertários e, consequentemente, para o
formas, elucidando e conscientizando, principalmente,
surgimento das primeiras Lojas maçônicas no Brasil. Ao
através do exemplo. Nem se faz necessário dizer que
contrário do que muitos pensam e, até mesmo, ignoram,
essa responsabilidade se multiplica quando se trata de
seu papel foi fundamental e primoroso para que os
membros de uma Academia Maçônica.
movimentos libertários fossem levados a efeito, a fim
de criar uma sociedade mais justa e libertar o Brasil dos Somos imortais, não pelo uso de estolas e
grilhões de seus colonizadores, que visavam, tão somente, comendas, mas pela prática de bons exemplos, o que nos
a subtrair o Brasil e a explorar seu povo. fará transcender os limites do bem e do mal!

Revista Arte Real nº 97 - Mai/18 - Pg 05


Quatuor Coronati
Precursora das Lojas de Pesquisas Pelo Mundo
Francisco Feitosa

A
Loja “Quatuor Coronati” nº 2076, valeu o título de “escola autêntica” da pesquisa
jurisdicionada à Grande Loja Unida de maçônica. Para tal, estabeleceram um estilo novo de
Inglaterra (GLUI) é a Loja Maçônica de pesquisa maçônica, ignorando todas as conclusões
Pesquisas mais antiga do mundo. Fundada em 28 de sem fundamento, de diversos autores anteriores.
novembro de 1884, por um grupo de nove Maçons,
A Loja realiza suas reuniões no primeiro
todos acadêmicos, dentre esses, alguns altamente
Templo Maçônico construído, o Freemasons Hall, no
reconhecidos no campo do estudo da Maçonaria. Sua
Covent Garden (Sala 09), na Great Queen Street, em
sagração se deu, apenas, em 12 de janeiro de 1886,
Londres. Em suas sessões, realizadas cinco vezes
motivada pela escolha do nome primeiro “Venerável
por ano, são, imprescindivelmente, apresentadas
Mestre”, o Sir Charles Warren, General do Exército
palestras. Os trabalhos de pesquisas, palestras,
Britânico, enviado, em missão diplomática, para a
conferências, simpósios e artigos são publicados,
África e o Sinai, retornando a Londres, somente, no
anualmente, no “AQC – Ars Quatuor Coronatorum”,
final de 1885.
que é distribuído e/ou disponibilizados a todos
O nome da Loja foi escolhido em homenagem os seus membros. Os volumes do AQC, desde o
à lenda dos “Quatro Santos Coroados”, artífices, primeiro, estão disponíveis na biblioteca da Grande
mestres na arte da quadratura da pedra – escultores Loja Unida de Inglaterra. Além de um museu, a
na antiga cidade de Sirmium (atual Sérvia), que, por Loja possui uma biblioteca com vasto acervo, que,
volta do ano de 302, segundo consta, no dia 08 de
novembro de nosso calendário atual, como cristãos,
recusaram-se a cumprir a ordem do Imperador
Romano Diocleciano, para esculpir uma estátua de
Esculápio – o deus da saúde, que iria ornamentar
um templo pagão romano, o que lhes custaram a
vida, sendo martirizados na antiga cidade de Panônia
(atual Hungria).

A ideia dos fundadores da Loja, que se


mantém até os dias atuais, era o de criar um padrão
de investigação, baseada em evidências, para o
estudo da história maçônica e pesquisa sobre as
origens da Maçonaria, buscando substituir os escritos
mais imaginativos de autores anteriores, o que lhe

Revista Arte Real nº 97 - Mai/18 - Pg 06


Memorial Maçônico
George Washington

maio, a pauta da reunião será a palestra “A Lenda de


Noé e o Manuscrito Graham”, que será proferida pelo
Irmão de John Acaster. A palestra escrita poderá ser
baixada no site oficial da Loja – www.quatuorcoronati.com

O atual Venerável Mestre (2017-18) é o


irmão Andreas Rizopoulos, jornalista aposentado
e consultor de comunicações. Iniciado em 1973,
na Loja de Pesquisa “Hetairia ton Filikon” (Grécia),
é membro fundador de outras duas lojas gregas e
administrador-fundador da “Internet Lodge” nº 9659.

Desde 1884 que a admissão de


seus membros 40 Membros Efetivos se faz,
exclusivamente, por convite, dirigido, apenas, a
Maçons regulares, que tenham dado contribuições
importantes no campo do estudo da Maçonaria ou
que se tenham distinguido de outra maneira na arte,
na literatura ou nas ciências. A Grande Loja Unida
da Inglaterra exige que os participantes das reuniões
da Loja de Pesquisas Quatuor Coronati sejam
membro de uma loja sob a jurisdição da GLUI ou de
uma Grande Loja reconhecida pela GLUI. Já para o

recentemente, foi integrada à biblioteca da Grande Freemason Hall


Loja Unida da Inglaterra.

Suas conferências e simpósios anuais,


sobre os mais diferentes aspectos da Maçonaria e
da pesquisa maçônica, são compartilhados a seus
membros do Círculo de Correspondentes, criado em
1887, espalhados pela América do Norte ou do Sul,
Reino Unido, Europa, África, Ásia, Austrália ou Nova
Zelândia, a fim de incentivar o estudo e a pesquisa.

A Conferência anual 2018, será realizada


no período de 14 a 16 de setembro, no Magnífico
Memorial Maçônico George Washington, no estado
da Virgínia – EUA, cujo o foco são as influências
transatlânticas no primeiro século da maçonaria na
América e no Caribe.

As cinco sessões durante o ano ocorrem,


às 16 horas: na terceira quinta-feira de fevereiro; na
segunda quinta-feira de maio; na quarta quinta-feira
de junho; na segunda quinta-feira de setembro. A
Sessão de Instalação e Posse do Venerável Mestre
da Loja ocorre, tradicionalmente, na segunda quinta-
feira do mês de novembro, por ser a data mais
próxima do dia do martírio dos “Quatros Santos
Coroados” (08 de novembro). No próximo dia 10 de

Revista Arte Real nº 97 - Mai/18 - Pg 07


ingresso dos Membros Correspondentes não existe estudo que recomendo, com empenho, sua leitura,
restrição à quantidade. a primeira Loja de Estudos criado no Brasil foi a Loja
“Segredo no Oriente”, em 1921, no Rio de Janeiro.
Após a criação da primeira Loja de Estudos,
Outra Loja de Pesquisas que merece destaque
em 1884, em Londres, pouco a pouco, foram
no cenário maçônico-cultural do país é a Loja de
surgindo pelo mundo essa formatação de Loja,
Pesquisas Maçônicas Brasil, da qual Spoladore
sendo que em alguns países, como na Áustria, Itália,
pertence a seu quadro como membro fundador.
Alemanha, e mais tarde, também, no Brasil, utilizaram-
se do mesmo nome da Loja inglesa, a exemplo da Diferentemente, das Academias Maçônicas
Loja Quatuor Coronati do Rio de Janeiro nº 145 – de Letras, que obedecem uma formatação protocolar
GLMERJ, e da Loja Maçônica de Pesquisas Quatuor das Academias de Letras, as Lojas de Pesquisas, em
Coronati “Pedro Campos de Miranda”, da qual, parte, seguem uma ritualística bastante parecida com
também, orgulhosamente, sou Membro Honorário. as Lojas Maçônicas tradicionais, obedecendo a um
rito, e algumas delas, trabalhando até em diversos
Os EUA é o país que tem a maior
ritos. Comumente, tais Lojas não fazem iniciação,
concentração de Lojas de Estudos do mundo.
elevação ou exaltação de seus membros, os mesmos
Podemos incluir, também, a França nesta crescente.
ingressam em seus quadros por filiação, pertencendo
Na verdade, a necessidade de se conhecer melhor
ao quadro de alguma Loja Maçônica tradicional.
a Maçonaria, fez espargir a criação dessas Lojas na
Maçonaria Universal. Por todo o Brasil, houve uma Além do belo trabalho cultural da Loja Brasil,
grande expansão na criação das Lojas de Pesquisas no cenário maçônico atual, poderíamos citar outras
nas últimas três décadas, servindo de estímulo ao tantas que realizam um trabalho significativo em prol
estudo no seio de nossa Ordem, muito embora, da cultura, a exemplo da Loja Maçônica Fraternidade
sabemos que a realidade das lojas maçônicas “Brazileira” de Estudos e Pesquisas, na cidade
brasileiras, ainda, nos dias de hoje, tende mais a de Juiz de Fora, MG, que promove, anualmente,
ideia de “clubes de serviços”, realidade que poderá Encontros de seus Membros Correspondentes,
se transformar com a conscientização do maçom, espalhados por todo o Brasil, com apresentações de
de que nossa instituição, antes de tudo, visa o palestras dos mesmos, sobre um tema, previamente,
aperfeiçoamento moral, cultural e espiritual de seus apresentado. A Loja Francisco Xavier Ferreira de
membros. Pesquisas Maçônicas nº 424, a “Chico da Botica”, em
Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, jurisdicionada ao
Laurindo Gutierrez, em seu trabalho “Para
GORGS, a Loja de Estudos e Pesquisas Luz e Saber
Que Servem as Lojas de Pesquisas”, ressalta a
nº 187, no Rio de Janeiro, pertencente à GLMERJ,
desinformação dos Irmãos quanto às Lojas de
apenas, para citar algumas, nas quais procuramos
Pesquisas: “Talvez, por não conhecerem seu
colaborar com nossos parcos conhecimentos.
trabalho e a variedade dos temas ali abordados, em
sessões, cujo objetivo é o estudo aprofundado, não Spoladore, em seu trabalho supracitado,
dão a Elas, importância. O olhar desconfiado dos afirma: “Não erraremos em afirmar que a cultura
irmãos, em relação a esse tipo de trabalho maçônico, maçônica atual do mundo está baseada em estudos
atrasa o crescimento das Lojas de Pesquisas, que das Lojas de Pesquisas e, o objetivo de todas estas
trabalham com um quadro pequeno, embora aceitem entidades é inspirar amor à pesquisa, incentivar o
maçons de todos os ritos e graus em suas reuniões estudo da Maçonaria em todos os ângulos, a ler os
ritualísticas”. trabalhos em Loja e discuti-los e, ainda, atrair as
atenções para uma cooperação de todos os Maçons
Segundo o ilustre Irmão Hercule Spoladore,
estudiosos do mundo. Assim, através das pesquisas
em seu trabalho “A Influência das Lojas de Pesquisas
dessas Lojas foram sendo esclarecidos todos os
no Mundo”, publicado na Revista de Ciência
pontos obscuros, as lendas inventadas que não
Maçônica “O Buscador”, publicação da Loja Maçônica
tinham razão de ser, os rituais antigos, a história
de Estudos e Pesquisas Renascença nº 01, edição
verdadeira da Maçonaria”.
01 (jan-mar/2016), do Oriente de Campina Grande,
na Paraíba, filiada à Grande Maçônica da Paraíba,

Revista Arte Real nº 97 - Mai/18 - Pg 08


Um Breve Olhar
Sobre as
Lojas Acadêmicas Kennyo Ismail

A
s Lojas Acadêmicas ou Universitárias floresceram (Jacarepaguá) é chamado de Supremo Conselho “das
no Brasil a partir da segunda metade da década Grandes Lojas”, mesmo aceitando membros do GOB e da
de 90, ganhando maior impulso nos primeiros anos COMAB. E a Ordem DeMolay sofre o mesmo preconceito
deste século XXI, por incentivo do GOB, em busca de um no meio gobiano, pela mesma razão. Porém, acredito que
rejuvenescimento de seu quadro. Mas, ao contrário do que esse preconceito velado vai diminuindo com a renovação
muitos irmãos brasileiros imaginam, as Lojas Universitárias da Maçonaria Brasileira, contando cada dia mais com
não são uma invenção recente, algum tipo de modismo, e uma massa maçônica mais esclarecida, que compreende
nem exclusividade do GOB. que algumas iniciativas, programas e organizações são
“suprapotências”.
O Eminente Irmão Lucas Francisco Galdeano,
autor do primeiro trabalho sério que tenho conhecimento No caso da Maçonaria da América do Norte, há
sobre o assunto no Brasil, relata a existência de Lojas alguns anos foi criado o Comitê de Renovação Maçônica
Universitárias na Inglaterra desde o Século XVIII e da do Canadá, Estados Unidos e México, cujo objetivo é
presença das mesmas em diversos países anglófonos. exatamente a organização, divulgação e suporte de
iniciativas para renovar a Maçonaria naquela região. E
Por sinal, a Grande Loja Unida da Inglaterra, após
realizar uma série de estudos e pesquisas internas, tem,
nos últimos anos, acendido o alarme da necessidade de
renovação de seus quadros, e focado, principalmente, em
um programa chamado “Programa Universidades”, que já
existe há mais de 10 anos e possui até website próprio.

O objetivo geral dessas Lojas é fomentar o


ingresso de jovens com intelecto e potencial na Maçonaria.
Infelizmente, no Brasil, muitas Lojas foram fundadas como
Universitárias para usufruir dos benefícios oferecidos a
esse tipo de Loja, migrando para a classificação comum
de Loja após um certo período de tempo. Outras mantém
o status de Universitárias, apenas, no nome, não contando
com um único estudante universitário em seu quadro.
Essas ocorrências têm gerado certo preconceito em
membros da ala mais conservadora da Ordem pelas Lojas
Acadêmicas/Universitárias.

Além disso, o fato de, no Brasil, as Lojas


Universitárias terem sido uma iniciativa do GOB, acabou
restringindo suas fundações a esse âmbito. É o velho
preconceito velado que temos na Maçonaria Brasileira, que
ninguém fala a respeito. Temos muitos exemplos disso,
de ambos os lados… o Supremo Conselho do Grau 33

Revista Arte Real nº 97 - Mai/18 - Pg 09


uma dessas iniciativas promovidas pela comissão é o números de membros despenquem, como nos EUA e na
Programa de Lojas Acadêmicas. Inglaterra, para agirmos. Esperamos que todas as nossas
obediências, sem exceção, atentem-se para a iminente
Uma das Grandes Lojas norte-americanas que
necessidade de renovação dos quadros da Maçonaria
tem abraçado essa ideia é a Grande Loja do Estado de
Brasileira, desenvolvendo formas para que isso seja
New York, uma grande parceira do Brasil, que inclusive
possível, fomentando o ingresso, especialmente, de
cedeu seus rituais do Rito de York para tradução e prática
Seniores DeMolays e universitários.
no território brasileiro, e estará realizando uma Convenção
Internacional de ritualística ao final deste mês de janeiro,
com tradução para várias línguas e com a participação das
obediências de diversos países que trabalham com seu
ritual, incluindo muitas brasileiras.

A Grande Loja do Estado de New York criou uma


“Comissão pela Fraternidade no Campus”, presidida
por ninguém menos do que Ted Harrison, Past Grande
Sumo Sacerdote Internacional do Real Arco Internacional
e grande entusiasta do Rito de York no Brasil. Sob a
liderança do Ted, duas Lojas Acadêmicas estão sendo
criadas em New York: a “Columbia”, para atender a
comunidade da Columbia University; e a “Illumination” para
a comunidade da City University of New York (CUNY).

Enquanto a Grande Loja Unida da Inglaterra,


com seu Programa Universidades, já conta com 72
Lojas Acadêmicas, o Comitê de Renovação Maçônica
da América do Norte tem começado a apresentar
resultados recentemente, já contando com algumas em
pleno funcionamento: Loja “Harvard”, Cambridge MA;
Loja “Boston University”, Boston MA; Loja “The Colonial”
# 1821, George Washington University, DC; Loja “The
Patriot” # 1957, George Mason University, Virginia; Loja
“State College” # 770, North Carolina State University,
NC; Loja “Terrapin” # 241, University of Maryland; Loja “A
Águia” # 1893, American University, DC.

Mas não precisamos esperar que nossa média


de idade se torne, ainda, mais geriátrica ou nossos

Revista Arte Real nº 97 - Mai/18 - Pg 10


Loja Universitária
Apollo 357 - GLUI
Universidade de Oxford

As Lojas Universitárias
Origens e Evolução no Contexto Maçônico
Lucas Francisco Galdeano

A
o contrário do que imagina o senso comum, Universidade de Oxford, Loja Apollo, e Cambridge,
as Lojas Universitárias não são novas e nem Loja Isaac Newton, que, também, apresentavam
uma invenção do Grande Oriente do Brasil – licença, automaticamente, renovada a cada ano, para
GOB. Elas há muito existem em outros países como iniciar candidatos abaixo de 21 anos, aproveitando o
Inglaterra, Escócia, Irlanda, Estados Unidos, Canadá e ingresso dos candidatos na Universidade.
Austrália.
Segundo Carvalho (2004:8): “A Loja
A primeira Loja Universitária devidamente Universitária Apollo era, então, como é, ainda,
constituída foi a University Lodge nº 74, da Grande hoje, uma loja prestigiosa na Maçonaria inglesa.
Loja de Londres, fundada no dia 14 de dezembro A Loja original Alfred, na Universidade de Oxford
de 1730, por iniciativa dos maçons da Loja “Urso do #455, fundada em 1769, abateu colunas em
Arado” nº 63, que se reunia na taberna de mesmo 1783. Acordou em maio de 1818 e, em dezembro,
nome. Dessa Loja Universitária participou, além de constitui-se como Loja Apollo #711. Um ano depois
estudantes da Universidade de Oxford e Cambridge, a palavra Universitária agregou-se ao seu título. A
um dos baluartes da Moderna Maçonaria, o Sr. Loja Universitária Apollo, agora com o número 357,
Jean Théophile Désaguliers, considerado o Pai da continuou a praticar seu ritual numa maneira tradicional
Maçonaria Especulativa Moderna. (CARVALHO, 2004; e dentro de seu estilo histórico”.
HODGKINS, NADEAU, 2010).
Carvalho (2004) complementa que: “Os
A Westminster and Keystone Lodge n° 10 é
ocupantes de cargos usam calças mais curtas à altura
considerada a segunda do gênero. A Loja foi fundada
do joelho, fraques, gravata-borboleta branca, meias de
em 1722 e se tornou Universitária em 1855. A partir
seda e sapatos rasos e leves, como o fazem há mais
de 1873, assim como a University Lodge nº 74, ela,
de dois séculos”.
também, passou a reunir os estudantes de Cambridge
e Oxford. Um traje, como se verá, que deve ter causado
uma forte impressão em Wilde pelo seu senso estético
A Associação da Maçonaria Universitária com
e refinamento. Tanto assim que usava o traje em
duas das mais renomadas universidades Britânicas,
solenidades públicas e não maçônicas. Em 9 de
quiçá mundiais, também, fez com que ingressassem
janeiro de 1882, uma semana depois de sua chegada
em seus quadros maçons ilustres. Nesse período,
aos EUA para sua série de palestras e conferências,
ingressou nas colunas do templo Oscar Wilde, um dos
Wilde, já no palco, pela primeira vez, no famoso
maiores escritores do século XIX. Wilde ingressou na
Chickering Hall, na 5ª Avenida com a Rua 18, usava o
Loja Universitária Apollo, em 23 de fevereiro de 1875
seu traje maçônico da Loja Apollo.
e sendo ele menor de idade. Nesse caso, iniciaram-no
com licença especial. Todos, absolutamente todos, aguardavam
ansiosos o discurso inteligente do dândi inglês,
Com o crescimento das Lojas Universitárias
já que a capacidade do teatro de 1247 lugares,
na Inglaterra foram criadas Lojas especificas para a

Revista Arte Real nº 97 - Mai/18 - Pg 11


completamente lotado, rivalizava com os lugares em
pé, inteiramente apinhados. O coronel W. F. Morse,
o empresário do tour de conferências, introduziu
Wilde, que caminhou lentamente em direção ao pódio,
usando o traje conspícuo de sua Loja Universitária:
calças pelo joelho, meias de seda e sapatos baixos e
rasos com fivelas brilhantes.

A audiência, atônita, não sabia como reagir.


“Alguns dos presentes pensavam que esse traje era
uma vestimenta da corte inglesa e ninguém sabia que
a última vez que Wilde usara esse traje fora na reunião
da Loja Apollo, em Oxford.”

Nos Estados Unidos, as Lojas Universitárias


mais famosas são as Lojas “Harvard”, vinculada à
Universidade homônima, e à Loja da Universidade
de Boston. Segundo dados do sitio eletrônico da Loja
da Universidade de Harvard, esta foi criada em 18 de
março de 1922 e considerada a primeira Loja Maçônica
Universitária dos Estados Unidos, e teve como um
dos seus fundadores o ex-presidente norte americano
Theodore Roosevelt. A Loja surgiu de uma associação
de maçons, que eram, então, alunos de Harvard, e
decidiram, então, fazer uma Loja com o propósito
específico universitário. Algumas outras Lojas ligadas
a universidades funcionam no próprio campus e outras
são independentes. Existem aquelas que só admitem
alunos ou ex-alunos de uma determinada universidade
e outras que são abertas, admitindo estudantes e
não estudantes, muitas vezes professores. Uma Loja
como a Harvard University tem, aproximadamente, 200
Oscar Wilde com a vestimenta da Loja Apollo
membros.

Outra característica é que algumas dessas


melhorar, a evoluir, a construir um caráter exemplar.
Oficinas têm, apenas, seis sessões ordinárias ao
Para atingir esses resultados práticos, é necessário
longo do ano, exatamente para não comprometer as
dar-lhes boa quantidade de trabalho, tanto intelectual
atividades dos alunos nos seus estudos. No entanto,
quanto prático, fazendo-os experimentar desde cedo a
as Lojas buscam aliar qualidade em detrimento da
responsabilidade com o compromisso.
quantidade, ou seja, há uma profunda discussão, a
fim de elevar o nível do debate filosófico do maçom Comprometimento é a palavra que simboliza
participante de Loja Universitária. Segundo ARLS o combustível que necessitamos para nos motivar
Fraternidade Acadêmica Ciências e Artes: “Para sempre. Tolerância e persistência complementam
retirar o máximo possível desses candidatos, logo que as virtudes necessárias ao sucesso de todo maçom,
iniciados, é necessário experimentá-los com muita nessa senda de estudos e práticas, que elevam a
informação, a fim de que saciem sua curiosidade sociedade, desde que sejamos bons exemplos para ela.
natural, e ao mesmo tempo, saibam, desde logo,
quais são os ideais maçônicos, sem poupá-los da Por isso, algumas Lojas brasileiras preferem
verdadeira função da Ordem e da realidade de iniciar os estudantes já nos primeiros anos do curso
nossos quadros. Não adianta querer passar a ideia e com pouca idade, para que sejam Mestres Maçons
de que somos uma associação de moços bondosos quando se formarem.
ou caridosos. Somos uma escola, com bons e maus
alunos, que busca, em seus símbolos, ensinar-nos a

Revista Arte Real nº 97 - Mai/18 - Pg 12


As Lojas
Universitárias
no Brasil
Lucas Francisco Galdeano*

C
onforme apresentamos no trabalho anterior, a No espaço de aproximadamente vinte anos,
Maçonaria Universitária já possui uma posição a Maçonaria Universitária se resumiu a duas Lojas.
consolidada no velho continente e nos EUA. A segunda Loja foi a Fraternidade Acadêmica
No Brasil, embora a Maçonaria estivesse constituída Piratininga nº 2862, na cidade de São Paulo, fundada
já no século XVIII, o marco inicial da fundação da a 20 de abril de 1995, também, federada ao GOB.
primeira Loja Universitária ocorreu, somente, em A Fraternidade Acadêmica Piratininga é patrocinada
meados da década de setenta do século XX. pela histórica Loja Piratininga “A Fidelíssima” nº 0140,
fundada a 28 de agosto de 1850.
O grande mentor e maior incentivador da
“Maçonaria Universitária”, em solo brasileiro, foi, A partir de então, o Grande Oriente do Brasil
sem sombra de dúvida, o então, Grão-Mestre do inicia uma campanha em prol da fundação de Lojas
Grande Oriente do Brasil – São Paulo, Irmão Rubens Acadêmicas. Em 2005 a iniciativa obteve como
Barbosa de Mattos, que definiu como sendo as principais frutos a existência de 55 Lojas ligadas
Oficinas Universitárias a “Redenção da Maçonaria à área acadêmica, sendo 37 Lojas denominadas
Nacional”. Fraternidades Acadêmicas e 18 Lojas Universitárias.

Percebemos, então, um cenário


Em 20 de agosto de 1975 foi fundada a
completamente diferenciado, no tocante à Maçonaria
primeira Loja Universitária no Brasil, sob o título de
Universitária. Se no espaço de 20 anos (1975-1995)
Loja Universitária nº 1928, em Bragança Paulista –
foram criadas duas Lojas; nos 10 anos seguintes
SP, federada ao Grande Oriente do Brasil. A criação
(1995-2005) foram fundadas 55 Lojas. Fica claro o
da primeira Loja não impulsionou um aumento de
esforço do Irmão Barbosa de Mattos e do GOB em
Lojas Universitárias, embora, São Paulo tenha tido
prol desse tipo de Oficina.
desde o início do século XX um grande destaque
nacional no tocante à quantidade e à qualidade de
Como complemento dos dados da década, no
seus Institutos de Ensino Superior.
período 2005-2010, segundo os dados da Grande-

Revista Arte Real nº 97 - Mai/18 - Pg 13


algumas Lojas funcionarem em Templos Maçônicos
que, também, funcionam com este Rito.

Sabemos que a Pluralidade de Ritos é uma


das maiores riquezas do Grande Oriente do Brasil,
como já dizia Álvaro Palmeira: “De fato, é um laurel
da Maçonaria Brasileira a Pluralidade de Ritos,
porque o exercício de Ritos Regulares faz com que
a nossa Obediência abrigue, generosamente, as
várias correntes Filosóficas e Doutrinárias do Mundo
Maçônico, desde o Agnosticismo até o Teísmo. Seria
um atentado à História e à Justiça se, em obediência
a imposições ilegítimas e alienígenas, criássemos
agora obstáculos aos Ritos”.

Entretanto, concordamos com o Irmão Varella,


Irmão Armando Mangolim (93 anos), fundador e primeiro Venerável Mestre quando ele se refere ao Rito mais apropriado para
da Loja Universitária nº 1928, a primeira Loja Universitária criada no Brasil
uma Loja composta por jovens Maçons: “A vantagem
do Rito Moderno para Lojas Universitárias está nas
Secretaria Geral da Guarda dos Selos do Grande características do Rito, que são mais adequadas
Oriente do Brasil – GOB, foram fundadas mais aos jovens: simplicidade, liberdade de expressão,
19 Lojas, perfazendo um total de 76 lojas do tipo ausência de conteúdo religioso, racionalidade,
Universitárias e Acadêmicas no período de 1975 a preservação das ideias iluministas e incentivos à
2010. participação na melhoria da sociedade. Trata-se
de um Rito que privilegia a razão em detrimento
Ainda, segundo a mesma fonte – Grande de concepções místicas, de difícil aceitação pela
Secretaria Geral da Guarda dos Selos do GOB comunidade acadêmica, altamente influenciada pelas
– no ano de 2007 existiam 76 Lojas Maçônicas ciências”.
Acadêmicas e Universitárias federadas ao Poder
Central, assim distribuídas: uma no Acre; uma no Ademais, é no Rito Francês ou Moderno que
Maranhão; duas no Distrito Federal; duas em Goiás; oficialmente trabalham, ou deveriam funcionar, os
duas em Pernambuco; duas no Rio de Janeiro; duas Grandes Corpos do Grande Oriente do Brasil, se for
em Rondônia; duas no Rio Grande do Norte; uma respeitar a legislação, a história e a tradição. O GOB,
em Tocantins; uma no Mato Grosso do Sul; três desde 1822, ano de sua fundação, estruturou-se no
no Espírito Santo; três no Paraná; cinco em Santa Rito Moderno (CASTELLANI,1993) e, por dever de
Catarina, dezenove em Minas Gerais; e trinta no justiça, pensamos que deveria ter um maior número
estado de São Paulo. de Lojas federadas trabalhando no referido Rito.

Considerando os sete Ritos reconhecidos


Das Lojas do tipo Fraternidades Acadêmicas,
e praticados pelo Grande Oriente do Brasil, ainda,
vinte e duas trabalhavam no Rito Escocês Antigo
não existe nenhuma Oficina, de origem Acadêmica
e Aceito, seis no Rito Francês ou Moderno, quatro
ou Universitária, trabalhando no Rito Alemão ou
no Rito Adonhiramita, quatro no Rito Brasileiro e
Schroeder e nem no Rito Escocês Retificado.
uma no Ritual de Emulação. Já nas lojas do tipo
Universitárias: oito trabalhavam no Rito Francês ou
Moderno, sete no Rito Adonhiramita, dezoito no Rito
Escocês Antigo e Aceito e seis no Rito Brasileiro.
Mais uma vez, convém ressaltar que não existe *Lucas Francisco Galdeano tem Pós-graduação Lato Sensu em
um rito melhor que o outro e percebe-se que o História da Maçonaria pela Universidade Cruzeiro do Sul / UDF.
Rito Escocês Antigo e Aceito é um dos ritos mais Foi Grande Secretário Adjunto de Educação e Cultura do Grande
utilizados em Lojas Universitárias. Essa correlação Oriente do Brasil (1993-2001) e é o atual Grão-Mestre Distrital do

deve-se por este ser o mais difundido no Brasil e Grande Oriente do Distrito Federal – GODF/GOB.

Revista Arte Real nº 97 - Mai/18 - Pg 14