Você está na página 1de 4

1

Direito Empresarial II
Bibliografia:
1. Ricardo Negrão;
2. Gladston Mamede;
3. Fran Martins;
4. Dylson Doria;
5. Fábio Coelho;
1. Título de Crédito:
1.1. Conceito:
Trata-se de documento suscetível de avaliação financeira, aonde o seu valor é
expressamente colocado em moeda, a fim de caracterizar uma relação de pagamento
da obrigação.
1.2. Classificação dos Títulos de Crédito:
1.2.1. Quanto às Características do Título de Crédito:
a) Cartularidade:
É necessário que o documento exista fisicamente, tornando a cártula em espécie e
necessária para o cumprimento da obrigação.
b) Coisa Julgada:
Não admite recurso.
c) Literalidade:
O título vale pelo que nele está escrito.
d) Autonomia:
O título de crédito se desobriga da causa que lhe deu origem.
 Obs: note-se que os títulos de crédito ainda que sejam assegurados pelo direito
brasileiro, só se faz mediante seu regular preenchimento a fim de garantir sua força
executiva.
1.2.2. Quanto ao Modelo:
a) Livre:
b) Vinculado:
1.2.3. Quanto à Estrutura:
a) Promessa de Pagamento:
b) Ordem de Pagamento:
1.2.4. Quanto à Litispendência de Emissão:
a) Causal:
b) Não Causal:
1.2.5. Quanto à Circulação:
a) Ao Portador:
b) Nominal:
1.2.6. Quanto aos Requisitos Gerais dos Títulos:
a) Agente Capaz:
b) Objeto lícito, possível e determinado:
Tem que expressar um valor específico que ele represente.
c) Emissão Lícita:
Os atos e negócios jurídicos privados necessitam de uma modalidade pública conforme
a sua boa-fé.
2

d) Forma Prescrita em Lei:


Trata-se do cumprimento de formalidades previstas na emissão da cambial (no título).
1.2.7. Quanto aos Requisitos Formais e Indispensáveis do Título de Crédito:
a) Denominação:
b) Assinatura do seu Criador:
c) Identificação de quem deve Pagar:
d) O Valor a Pagar:
e) Data da Emissão:
 Obs: a ausência de quaisquer desses requisitos legitima a nulidade do título quanto a
sua execução.
2. Letra de Câmbio:
2.1. Conceito:
Trata-se da ordem de pagamento sacada por um credor contra o devedor em favor de
câmbio, que pode ser um terceiro ou o próprio sacador.
 Exemplo:
a) Sacador = Emitente;
b) Sacado = Devedor;
c) Tomador = Favorecido;
2.2. Quanto aos Requisitos:
a) A Expressão Letra de Câmbio própria do texto do documento;
b) A ordem incondicional de pagar a quantia determinada;
c) A forma em dinheiro;
d) O nome da pessoa que deve pagar – sacado e sacador;
e) O nome da pessoa a quem, ou a ordem de quem deve ser feito o pagamento;
f) A data do saque;
g) O lugar do pagamento;
h) O lugar do saque (da emissão);
 Obs:
Note-se que o sacador é coobrigado à letra até que o sacado aceite ou cumpra a
ordem, permitindo ao tomador exigir de um, de outro, ou de ambos.
2.3. Quanto ao Vencimento:
a) Em dia certo:
b) Vencimento ao tempo certo de data, ou a certo tempo de data:
c) Vencimento a tempo certo de vista:
É aquela em função de vista da data do aceite.
3. Nota Promissória:
3.1. Conceito:
Trata-se da promessa de pagamento à vista ou a prazo, formal ou autônoma de
confissão de dívida, preenchido os seguintes requisitos:
 Obs: considera-se à vista o título de crédito cujo vencimento não ultrapassar 30 dias.
3.2. Quanto aos Requisitos:
a) Denominação:
b) A Praça de Pagamento:
c) A Época do Pagamento:
No silêncio considera-se à vista.
3

d) O Nome do Beneficiário:
Ou seja, a pessoa a quem é prometido pagar.
 Sacador – Emitente – Devedor;
 Sacado – Favorecido – Beneficiário – Credor;
 Só existe um credor e um devedor;
e) A Indicação da Data e do Lugar onde a Nota Promissória é Passada:
f) A Assinatura de quem Emite a Nota Promissória Acompanhada do Nome:
3.3. Quanto à Prescrição:
 Prazo de 03 anos a contar do vencimento;
 Prazo de 01 ano a contar da data do protesto, do favorecido contra os seus
endorçantes e seus avalistas.
 Exemplo:
A, B, C, D, E, F – Endorçatário;
F – Pode executar todos em prazos diferentes;
4. Aceite:
4.1. Conceito:
Trata-se do reconhecimento da dívida pelo devedor, como verdadeira e exata, através
de sua assinatura no corpo da cambial (que é qualquer título de crédito), podendo ser
as seguintes espécies:
4.2. Espécies de Aceite:
a) Aceite Pleno:
Ocorre quando o aceitante lança em sua declaração do aceite, a data, a assinatura, e a
soma cambial.
b) Aceite Abreviado:
É a regra. É aquela que se limita pela simples assinatura do sacado.
c) Aceite Qualificado:
É o aceite com restrição quanto à soma cambial ao vencimento e ao lugar do
pagamento.
d) Aceite Parcial:
Ocorre quando o sacado concorda em obrigar-se por uma parte do valor do título, ou
introduz condições de pagamento diversa da estabelecida pelo sacador.
 Obs:
A recusa do aceite pode ocorrer desde que seja feita no prazo de 10 dias, tanto para a
letra de câmbio quanto para a duplicata, vez que o aceite é uma faculdade do credor
(sacador), mas obrigação do devedor (sacado).
5. Duplicata:
5.1. Conceito:
Tratar-se do título causa emitido pelo credor resultante de uma venda mercantil ou
prestação de serviço, contudo, condicionada a uma fatura e obedecidos aos seguintes
requisitos.
5.2. Requisitos:
a) A denominação "duplicata" no texto do documento;
b) A ordem incondicional de pagar quantia determinada;
c) A soma em dinheiro;
d) O nome da pessoa que deve ser paga (sacado);
4

e) O nome a quem ou a ordem de quem deve ser feito o pagamento (tomador ou


favorecido);
f) A assinatura de quem dá a ordem;
g) A data do saque ou da emissão;
h) O lugar do pagamento;
i) O lugar do saque ou a menção de um lugar a ser deliberado;
 Obs:
Note-se que o sacador é coobrigado à duplicata até que o sacado aceite ou cumpra a
ordem, permitindo ao tomador exigir de um ou de ambos os envolvidos.