Você está na página 1de 38

EFICIÊNCIA DO PROCESSO DE GERAÇÃO E DIFUSÃO DA

INFORMAÇÃO DO INSTITUTO DE PESQUISA ECONOMICA


APLICADA (IPEA)

Brasília, DF
Julho 2016
2

Sumário

1 INTRODUÇÃO 3
2 DESENVOLVIMENTO 5
2.1 O problema para / de pesquisa e indicações gerais de objetivos 8
2.2 Aspectos metodológicos gerais Error!
Bookmark not defined.
REFERÊNCIAS Error!
Bookmark not defined.
Anexo - Elementos componentes de um projeto de pesquisa (...) com uma síntese
de informações gerais Error!
Bookmark not defined.
3

1 - INTRODUÇÃO

A gestão econômica do setor público compreende uma série de atividades e funções inter-
relacionadas com fundamentos em várias disciplinas como, por exemplo, a economia do setor
público, a administração pública e o direito administrativo. Atividades e funções que se definem
em determinados contextos e com princípios como os da administração pública (eficiência,
publicidade, razoabilidade, moralidade, impessoalidade e legalidade) e os de governança
corporativa (efetividade-eficiência, participação, responsabilidade, transparência e prestação
de contas, entre outro: destaque em itálicos pela pertinência com o tema abordado) relacionados
com a qualidade da informação.

Oportuno destacar que a boa governança, em uma instituição pública, deve gerar
resultados ao encontro de necessidades da sociedade ao mesmo tempo em que precisa melhorar
o uso possível de seus recursos, tanto econômicos como de pessoal e material, à sua disposição.
Nesse dever, encontram-se critérios como os de eficiência, eficácia e efetividade
(desdobramentos do princípio da moralidade), além de outros princípios como os da
publicidade, traduzidos na missão, visão, objetivos e metas de uma instituição pública moderna
e atuante como é o caso o Instituto de Pesquisa Aplicada - IPEA.

São princípios que requerem controles internos capazes de assegurarem melhorias na


eficiência operacional e em estruturas para buscar soluções como as de agilizar processos e
resultados, monitorar e avaliar conformidades (“compliance”, o que pressupõe ter referências e
indicadores como os de qualidade e competências no que se gera e comunica visando reduzir
ou eliminar brechas ou “gaps” entre expectativas do cliente e o que realmente se oferece e
comunica) e gerir riscos. Tais controle se realizam com base em informações e diretrizes que
pessoas capacitadas (capacitação é, também, um resultado da informação) desenvolvem na
instituição.

Ter presente que quanto mais fiável, oportuna e exaustiva for a informação, mais coesa
será a empresa e maior será o seu potencial de resposta às solicitações. Alcançar este objetivo
depende, em grande parte, do reconhecimento da importância da informação e do
4

aproveitamento das oportunidades oferecidas pela tecnologia para orientarem os problemas


radicados na informação.

A proposta de pesquisa acadêmica que segue tem como referência de estudo o IPEA,
vinculado ao Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, com a missão de “aprimorar as
políticas públicas essenciais ao desenvolvimento brasileiro, por meio da produção e
disseminação de conhecimentos e da assessoria ao Estado nas suas decisões estratégicas."
Missão institucional que compreende ações como as de “produzir, articular e disseminar
conhecimento para aperfeiçoar as políticas públicas e contribuir para o planejamento do
desenvolvimento brasileiro".

Uma missão e ações que ganham destaque com o ritmo acelerado, diversificado e cada
vez mais complexo de clientes que demandam novas informações e que, por sua vez,
pressionam às instituições (neste caso o IPEA) para acelerar processos de geração, com
qualidade e de difusão – comunicação, com efetividade, de informações; comunicação que
ascende, de acordo com Cardoso e Cunha (2015), “à condição de recurso de poder e integração”;
portanto, não se trata de qualquer informação, mas, da informação com consistência, valor e
oportunidade de atendimento com segurança.

O IPEA, para cumprir essa missão, enfrenta desafios como os de “Contribuir para a
formulação de uma estratégia de desenvolvimento nacional em diálogo com atores sociais
[convenientemente informados]; fortalecer a integração institucional do Instituto no Governo
Federal; organizar uma rede de produção e gestão pública de conhecimento; e criar uma
estratégia eficiente de gestão do conhecimento e de gerenciamento de informações, (itálicos
ausentes da fonte consultada: IPEA, 2014) entre outros.

São desafios que sobressaem no eixo temático fortalecimento do Estado pela informação
necessária para estabelecer o diálogo: compreensão recíproca: ouvir e considerar (...) de um
lado e, pelo outro, oferecer o dado “certo” para o conhecimento mais consistente e melhor
disseminado em relação ao desempenho do Estado e à dinâmica da sociedade. Desempenho e
dinâmicas conferidas, em parte, pela informação segura, transparente, integrável, responsável
e útil – valiosa em processos de planejamento, tomada de decisões (...) em, por exemplo, no
crescimento de uma economia diversificada, complexa e integrada e na articulação do espaço
5

nacional, também diversificado e complexo, mediante extensa rede de infraestrutura e de meios


de comunicação.

Deve-se considerar que a responsabilidade corporativa em que está imerso o IPEA


quando, entre outras atribuições: promove e realiza pesquisas e estudos sociais, econômicos e
ambientais; dissemina a matéria-prima (o dado consistido - atualizado ao gerar a informação de
valor para novos conhecimentos de soluções, em bases sustentáveis); e fornece apoio técnico e
institucional ao Governo na avaliação, formulação e acompanhamento de políticas públicas,
planos e programas de desenvolvimento, enfrenta dificuldades em um contexto de uma situação
problematizada mais ampla e complexa, mas, que nesta pesquisa acadêmica, simplifica-se essa
situação, orientando-a para atender uma exigência do curso: “proporcionar (...),
prioritariamente profissionais da área pública com atuação ligada à formação, implementação
ou análise de políticas, uma formação sólida em tópicos escolhidos da moderna teoria
Econômica do Setor Público.

As palavras em itálicos destacam referências e permitem ter uma ideia da relevância do


tema para estudo, não apenas no contexto da desenvolução de atividades de monitoramento e
avaliação como instrumentos necessário ao controle do desempenho de processos e resultados
do IPEA, mas, pelos desafios teóricos implícitos na procura de dados, de procedimentos e
técnicas metodológicas para avaliar a eficiência tanto da informação quanto da comunicação e
diálogo.

São resultados essenciais, baseados em informações com qualidade – aquela que


contribuem para a satisfação do cliente alvo, para a governança corporativa: transparência e
integridade; para uma nova gestão pública: cumprimento de metas; e nos sistemas sócio
cibernéticos: fluidez e rapidez de diálogos entre (com) atores sociais, políticos e
administrativos, entre outros assuntos que se relacionam diretamente com a informação e
comunicação com qualidade e com efetividade em respostas de informados ou receptores da
informação.

2 - DESENVOLVIMENTO
6

O destaque da importância da informação na instituição que se tem como referência nesta


pesquisa, - o IPEA, é dado pela Portaria no. 5 de 12, de jan. de 2015, quando nela, definem-se
suas metas globais. Metas para o desenvolvimento de bases de dados (primárias ou secundárias)
e nas publicações de artigos, boletins, livros, relatórios e textos para discussões.

Se nessa definição institucional for considerada a Tecnologia da Informação – TI, então


deve ser colocada em evidência o imperativo de identificar as necessidades e oportunidades,
não apenas da TI, mas, do dado, da informação, da documentação e da comunicação adequadas
em seus conteúdos e oportunidades de atendimento para o cliente alvo doo IPEA. Esse destaque
aparece, também, em todas as diretorias, com reflexos diretos nas metas institucionais de
gestão, tais como: desenvolvimento do processo de acompanhamento das estratégias;
plataforma de pesquisa em rede; atualização de cenários para dar o dinamismo necessário ao
setor da correspondente diretoria; atingir índices de atendimento, acima de 70,0%, dos usuários;
desenvolver material para a capacitação, reconhecimento e valorização do servidor (itálicos
ausentes da fonte consultada; IPEA, 2014).

Como bases em tais metas e diretrizes institucionais (estas são partes básicas de
referências a considerar na pesquisa), decidem-se os níveis de eficiência (uma questão de
escala) associando medidas de qualidade com descritores (indicadores) de qualidade.

Antes de empreender qualquer processo de levantamento de dados por meio de


procedimentos como os de pesquisa documental, questionário, técnica de Delphi etc., é
necessário ter um foco claro e delimitado do dado que se precisa para realizar a pesquisa. Essa
necessidade, por sua vez, relaciona o problema a solucionar – estado atual com os objetivos a
alcançar; trata-se de uma definição operacional do problema – a distância entre a situação atual
e as metas, compreendendo aspectos metodológicos - consistência e formulação de hipóteses,
conforme se ilustra na Figura 3).

Nesta pesquisa, os problemas se definem como níveis de ineficiências e ineficácias em


processos- os de obtenção e tratamento de dados, e resultados que geram a informação e a
preparam como divulgá-la na comunicação. Os objetivos são os de evidenciar tais dificuldades
(meios) e apontar ações e estratégias de minimizações ou de soluções desses problemas,
consistentes com toda uma estrutura de modernização institucional.
7

Apontam-se, como proposta inicial objeto de verificação, portanto, na forma de hipótese


científica, as seguintes referências para definições de escalas determinantes da gravidade do
problema e da ineficiência da informação em seu conteúdo, forma e comunicação:

a) Corretitude ou nível em que a informação preparada e divulgada pelo IPEA atende


“corretamente” às necessidades, expectativas e condições ou possibilidades do cliente,
seja ele interno ou externo, público ou privado: Um assunto que pode ser documentado
com base em dados primários obtidos por questionários como os exemplificados nesta
pesquisa.

b) Integridade / inteireza ou capacidade da informação que se gera e disponibiliza –


comunica para o cliente representar o fato ou a situação - condições (...) descrita com os
dados suficientes (apenas os suficientes!!), portanto, sem exageros nem simplismo na
tentativa de descomplicar o texto ou a aplicação ou a utilização da informação.

c) Conformidade que se aplica no processo de levantamento do dado que os profissionais


utilizam (pesquisas documentais, bibliográficas, estudo de casos, “participativa” etc., bem
como das fontes), no tratamento desses dados para inferir - complementar (...) e na
tecnologia, - sistema de TI e TIC.

d) Integrabilidade ou capacidade da informação fornecida pelo IPEA ser incorporada –


adoção da informação, e promover os ajustes ou mudanças no adotante da informação.

e) Usabilidade ou tempo necessário para a informação se tornar eficiente no uso: o impacto


da informação e resposta da mesma em, por exemplo, reorganizar e melhorar
desempenhos, fundamentar outros processos como os de capacitação, reorganização etc.

O elemento essencial de uma base informacional a analisar para tecer a informação a


publicar em artigos, boletins, livros, relatórios e textos e a utilizar em discussões e diálogos é o
dado representativo da realidade e devidamente tratado e comunicado para alcançar a
efetividade do diálogo baseado na informação com qualidade e consistência. Um desejo
explícito no fortalecimento e no redirecionamentos-alinhamentos institucional do IPEA.

É imprescindível, para alcançar essa aspiração institucional, dispor do dado com


efetividade da representação de fato ou objeto representado; efetividade que se decompõe, por
8

um lado, da eficiência do processo de observação, medição, registro e tratamento do dado: um


aspecto crítico e, pelo outro, da eficácia do resultado que se gera ao interpretar e comunicar a
informação: outro aspecto crítico. Nesses lados se têm problemas: ineficácias de resultados e
ineficiências de processos.

Como encaminhamento para a definição de problemas se utilizam formas de


questionamentos, tais como: Que fatores se relacionam com a ineficácia do resultado e a
ineficiência do processo. São atendidas pelos profissionais do Ipea as necessidades por
informações do cliente alvo da comunicação feita pelos diversos meios – livros, boletins, artigos
etc. utilizados pelo Ipea? Os técnicos do Ipea condicionam as formas de conteúdos de
publicações conforme características do cliente alvo? Entre outras. Considera-se, parta fins de
tese acadêmica, o primeiro questionamento.

Deve-se entender que os desafios e a preparação para promover-realizar, disseminar e dar


apoio técnico e institucional às organizações que demandam informações do IPEA, apesar de
se enquadrarem em conceitos amplos e complexos como os de governabilidade e
desenvolvimento sustentável, limitam-se a determinados aspectos da governança corporativa,
da gestão de riscos, de controles internos e de conformidades de processos e resultados
diretamente relacionados com a eficiência (de processos) e a eficácia (resultados) da
informação, compreendendo a qualidade e consistência da informação que se comunica; aas
formas de apresentação mais ou menos adequadas ao cliente e seu ambiente de adoção ou
aplicação; e dos procedimentos da TI e TIC, entre outros, utilizados para levar e difundir essa
informação. Limitam-se, ainda mais, quando se refere a um projeto de pesquisa acadêmico.

2.1 O problema para / de pesquisa e indicações gerais de objetivos

Garcia (2009a), ao tratar possíveis deficiências na obtenção do dado com fidelidade ou


representatividade da situação problematizada inicial (realidade social, econômica, ambiental
etc. que demanda informação para a transformação); da medição dessa situação a expressar na
obtenção do dados e no processo o para gerenciá-la; do pré-tratamento para ordenar – priorizar
a informação primária; do tratamento para inferir – complementar e gerar a informação; da
publicação ou difusão dessas informações para atender à demanda do “cliente” social,
econômico, ambiental (...) e permitir ou facilitar se ter um novo conhecimento elaborado a partir
9

da informação recebida; e do retorno da comunicação e novo conhecimento para influenciar


posicionamento, facilitar diálogo, (...) destacou fases básicas de um processo logicamente
integrado e sequencial. Esse processo, em sua forma “simples”, é ilustrado na Figura 1a.

Da veracidade ou consistência, da atualidade e completude, do detalhamento e extensão,


da medição e registro (...) necessários do dado objeto de segurança, pelo seu valor ou utilidade,
dependem o importância e utilidade /aplicação da informação gerada com esse dado a ser
apresentada de conformidade com as características daquele que a utiliza: de seu ambiente e
necessidades, de suas possibilidades e expectativas etc. 1

A primeira fase, indicada na Figura 1a, compreende um problema para pesquisa que os
profissionais (gestores da informação em níveis com os estratégicos, os pesquisadores que
trabalham o dado e o transformam em informação, os agentes da TI e da TIC e os editores de
documentos com a informação, entre outros compreendidos por essa cadeia devem captar de
uma realidade social, econômica, ambiental característica do cliente usuário, do governo, da
sociedade. São os argumentos de uma demanda por informações do cliente (entenda-se todos
os usuários, públicos e privados) bem caracterizado. Isso, quando seja consultado – ouvido e
atendido esse cliente ao registrar, medir e avaliar o que esse alvo precisa e deve saber: é o
problema de pesquisa definido no arcabouço tecnológico, científico e operacional.

Ao tratar ou analisar - contextualizar, inferir e divulgar a informação a empresa moderna


deve considerar o dado em um arcabouço da tecnologia e comunicação: é o problema para
colocar nesse arcabouço da TI e TIC. Essa diferenciação parece ser útil, porém é fundamental
para avaliar a efetividade da informação na comunicação, no diálogo (...): sua utilização e
resposta diante expectativas da instituição ao comunicar com eficácia os resultados.

1 A não-conformidade, uma questão de escala, entre o que se “observa da realidade, analisa com consistência,
redige tecnicamente e se prepara em um documento para difundir por diversos meios, o que se oferece” (A) e “o
que o cliente quer conforme seus recursos, adota e responde a essa nova informação” (B) foi destacada pelo
Ministério da Ciência e Cultura ao compor um Plano de Desenvolvimento e de sustentação e verticalização da
capacidade produtiva a partir da informação e tecnologia que os centros de pesquisa geram e disponibilizam. A
diferença A – B define a gravidade do problema de instituições que geram – disponibilizam informações e
tecnologias não aplicadas. Problemas recorrentes, crescentes e em elevados níveis da informação determinaram a
contratação de “consultoria voltada à análise de desempenho e avaliação de resultados das ações de difusão e
popularização da ciência e da tecnologia, incluindo a informação, desenvolvidas pela SECIS. A contribuição
esperada do projeto era a identificação, o ordenamento, a inserção nos subespaços trabalhados e o direcionamento
de ações voltadas para a promoção de inovação, de modo a viabilizar a sua sustentabilidade e a inclusão social e
tecnológica das populações envolvidas”.
10

Problema para: a informação é correta, oportuna e adequada:


Necessidades e contextos do cliente/usar: demanda: necessidade
Forma de apresentação da informação para atender ao cliente
Oportunidade da comunicação no tempo e no local certos Do cliente, público e privado: o impacto
Do Ipea para avaliar seu desempenho,
dinamizar/agilizar e melhorar processos

Dado 
Representação Informação 
Realidade

Conhecimento
OFERTAR ao cliente: informação
“confiável”, atualizada, diagnóstica-
prospectiva etc., para utilizar ao
definir estados ou cenários, antecipar,
Problema de: como traduzir e garantir representatividade da demanda basear planos e ações etc.; fornecer
Atendem às necessidades (compreensão) e contextos do cliente alvo? metodologias como as de segurança
Foram oportunas e tiveram respostas para melhorar a comunicação? da informação; aprimorar processos e
Oportunidade da comunicação: como captar ao divulgar ne comunicar? resultados; facilitar integrações-
cooperações; auxiliar a educação etc.
REQUER/eficiência

O resultado da informação com qualidade e valor-utilidade, adotada pelo cliente, ao dinamizar suas
atividades, deve provocar mudanças desejáveis e exequíveis decorrentes de um novo conhecimento

Figura 1a Esquema simplista do processo de avaliação da eficiência da informação na realidade

Das etapas apresentadas na Figura 1b (uma referência que deve ser contextualizada),
podem-se destacar duas fases: a inicial (o estado que caracteriza o ambiente atual) e o ambiente
final (a diferencia é o problema) que se espera, com a adoção - internalização da informação.

No início, definem-se os clientes atuais e potenciais, suas necessidades a serem atendidas


com a informação que se gera e disponibiliza por diversos meios; geração e disponibilização
que envolve processos e resultados a serem avaliados: é a eficiência e eficácia para reduzir ou
eliminar a diferença entre “A” e “B” (nota de rodapé 1).

Na parte final, com base em classificações – ordenamentos e correspondentes formas de


apresentações – ilustrações para difusão da informação, considerando-se, segundo McGree e
Prusak (1994), que não é a tecnologia utilizada pela difusora o que importa, mas sim o uso
[aplicação], que cria valor adicional para o cliente; o impacto da informação adotada.
11

Prospecção e Identificar (causas), delimitando-as: Recursos, conceitos, teorias, técnica,


cenário: qual? caracterizar, priorizar, ordenar: que? métodos, modelos como?

Ambiente inicial
Consistente

 Problema Solução
Prioritário

 Meios
Adequados

 Objetivos
Consistente

 Cenário final
Figura 1b Sequência e “lógica” de fases da pesquisa para o desenvolvimento
a
Fonte: Garcia (2009a; simplificado)
Considerar, também, que a informação e o processo de inovação tecnológica

Considerar, também, que a informação e o processo de inovação tecnológica são


dinâmicos e, portanto, tais argumentos do desenvolvimento (da demanda por informação),
devem ser atualizados e prospectivos para atender, com oportunidade, ao cliente “certo”: outra
questão a ser avaliada, pois a tecnologia deve ser devidamente preparada e direcionada para
atender clientes em estratificações ou categorias.

A devida preparação do dado com inferências – complementações sólidas, a transferência


e a difusão da informação consistente, uma tendência mundial em sistemas de informação e
comunicação, devem obedecer aos fatores de agilidade, seletividade, integridade, oportunidade
e segurança tanto do produto (gerado e transferido) como no atendimento ao cliente alvo
(facilidade de adoção e de difusão dessa informação).

No IPEA, essa preparação com foco em fatores exemplificados acima faz parte de
objetivos estratégicos finalísticos como (exemplifica-se apenas um desses objetivos), garantir
“a representação do IPEA em colegiados consultivos e deliberativos de políticas públicas para
12

influenciar a construção da agenda institucional” (IPEA, 2014) e alimentar a dinâmica, tanto


do IPEA como de organismos que dependem da informação que ela gera e divulga; esse
resultado estratégico e valioso é portador de potenciais de agregação de valor; esse resultado
deve, também, ser atrativo pelas suas vantagens para incentivar a adoção e difusão: um desafio
permanente de instituições, gestores e empreendedores que precisam da informação; ao IPEA
compete zelar pelo bom e seguro atendimento de necessidades por informações em campos tão
diversos e complexos como os compreendidos em sua missão institucional.

Semelhantes desafios, em um âmbito mais complexo e abrangente, foram reconhecidos


pelo MCT: preocupação, desafios e procura de solução entre encurtar ou até eliminar a
diferença entre A – B (nota de rodapé 1), conforme se depreende do texto a seguir:

A ciência, a tecnologia, a informação e a inovação constituem elementos


fundamentais para o desenvolvimento nacional. Uma população com educação
científica básica de qualidade e com uma justa apreciação do significado da C&T
para a sociedade moderna é uma condição importante para o desenvolvimento
científico e tecnológico do país. Mas é ainda frágil e limitado o quadro da
divulgação científica e tecnológica no país, com atuação restrita (embora
crescente) de universidades, centros e museus de ciência, institutos de pesquisa, e
organismos públicos. A cobertura sobre C&T nos meios de comunicação é ainda
deficiente e frequentemente de qualidade inferior.

Os resultados – objetivos, do desenvolvimento do projeto ao serem integrados para definir


um ambiente final (Figura 2) procuram evidenciar a eficiência de processos e a eficácia da
informação no cliente adotante.

Uma das possíveis referências teóricas para consulta – pesquisa bibliográfica, a utilizar
no estudo proposto é Pinochet (2014); outro é Rascão (2006). Garcia (2009a e 2009b) fornecem
materiais metodológicos e aplicações para o desenvolvimento.

Os Gráficos 1 e 2 ilustram, em equivalentes-simétricos planos de correspondências, a


definição de problemas e os correspondentes objetivos, em termos globais.

Na formulação do problema para / de pesquisa, consideram-se, com certo simplismo, as


oportunidades de ganhos de um “conhecimento mais consistente e [melhor] disseminado em
relação ao desempenho do Estado e à dinâmica da sociedade e uma atuação mais efetiva, eficaz
13

e com maior economicidade”, além de ampliações – melhorias na cooperação com órgãos


governamentais mais relevantes, destacadas na relação IPEA – público alvo.

Fragilidades do quadro de Descaso com a qualidade Deficiências da comunicação e


profissionais para obter, da matéria-prima da aspectos críticos de qualidade,
preparar e divulgar informação sem tanto de processos: como de
documentos técnicos (...) avaliação de consistência resultados Necessidade de uma exigência
acadêmica. Deficiências no
trabalho desempenhado no
Ipea quanto a qualidade do
dado, sua obtenção com
efetividade tanto de processos
Vícios de cultura e Falta de recursos, diretrizes e quanto de resultados
acomodações em rotinas; políticas para criar-manter
distanciamento de modernas um ambiente - cultura
técnicas de TIC favorável à comunicação (...)

Gráfico 1. Indicações gerais de problemas a serem tratados na pesquisa para atender exigência do curso

Fortalecer o quadro de Superar as deficiências de Superar as deficiências de


divulgação científica e comunicação e aspectos comunicação e aspectos
tecnológica mediante (...) o críticos de qualidade do críticos de qualidade, tanto de
tratamento de dados dado, da informação (...) processos de como resultados,
mediante-ações como (....) tais como (...) Atender a um requisito
acadêmico do curso sem deixar
de contribuir para que o Ipea
melhore suas políticas (...),
programas, projetos e ações
consistentes que viabilizem o
Incitar à reflexão capaz de levar Buscar os recursos e criar o desenvolvimento TIC e a
ao alinhamento da missão e ambiente - cultura favorável difusão de conhecimentos
programas com a necessidades de integração (...)
e demanda, por informação (...)

Gráfico 2 Indicações gerais de objetivos a serem alcançados na pesquisa para atender exigência do curso

Nesse mesmo contexto, - IPEA (op. cit.) são definidas ações estratégicas que deverão se
orientar para melhorar processos como os prospectivos e na qualidade de decisões, cenários,
educação etc., com base em “melhores” informações: maior – melhor representatividade de
elementos básicos da demanda por informações no âmbito da instituição e de suas relações com
14

a sociedade: esse é o ponto de partida a condicionar a formulação de hipóteses e a definição de


objetivos indicados no Gráfico 2.

Ao tratar a organização para informatização, Rezende (2005) destaca que “que os


sistemas organizados devem vir ao encontro da missão e dos objetivos das instituições (...),
sendo a organização que antecede a informatização uma preocupação de todos os gestores”.
Insere-se, nessa preocupação, “o dado trabalhado, útil, tratado, com valor significativo atribuído
ou agregado a ele e com um sentido natural e lógico para quem usa a informação” (negritado
ausente da fonte).

Associado ao melhor uso desse dado trabalhado, útil, interpretado, contextualizado e


apresentado (boletins, livros etc. do IPEA) ao cliente, - a informação, encontra-se o problema
da eficiência no processo empregado para gerar essa informação e, em especial, de eficácia no
resultado que ela provoca (conhecimento) no usuário ou cliente da informação.

Uma informação que, de acordo com a ilustração inicial obtida de Garcia (2009), é
retrabalhada pelo usuário do IPEA possibilitando gerar novos cenários, simulações,
oportunidades, reorganizações, reformulações etc., em um ambiente final: é o conhecimento
que esse usuário gera a partir da informação adotada ou utilizada na comunicação.

Parte da qualidade desse resultado é de inteira responsabilidade do input utilizado,


portanto da instituição que comunica, - o IPEA.

Rezende (2014), ao tratar a informação no contexto apresentado por Garcia (2009) e ao


final dessa cadeia, portanto, com o resultado do conhecimento como parte que completa o
conceito de informação, com valor relevante e propósito definido, assim se manifesta:

De maneira geral, as informações se apresentam em grande volume atualmente,


disponibilizadas nos mais diversos meios de comunicação, exigindo de todos a
seleção e organização das informações para sua efetiva utilização. Para as
organizações são apresentados inúmeros problemas, e os mais complexos e
relevantes estão concentrados no topo das mesmas. Estes problemas aparecem tais
coimo: sua perenidade e sobrevivência, manutenção de clientes, análise de
concorrentes, influencias do governo e do mercado etc., exigindo de sua alta
administração atenção especial. Os problemas organizacionais se apresentam
maiores nos níveis estratégicos e gerenciais do que nos níveis operacionais.
15

Deve-se entender que, ao tratar o assunto da eficiência nos processos de geração e


comunicação da informação como recurso eficaz cada vez mais valioso e indispensável para
que gestores possam compreender, interpretar e responder às mudanças do meio e que esse
assunto é essencial na missão e objetivos do IPEA, são consideráveis os supostos de
simplificações para tornar o tema operacional no contexto da pesquisa acadêmica a ressaltar
aspectos teóricos que o curso de mestrado em Gestão Econômica do Setor Público oferece.

Tais simplificações são apresentadas no Gráfico 3, um ciclo lógico de inter-relações entre


o problema determinante (da escolha de métodos e conceitos, de procedimentos e técnicas
adequados às condições) e um objetivo determinado (conforme a qualidade e efetividade de
resultados) da pesquisa. Determinante pelas características do problema com efeitos na
metodologia, recursos utilizados (...); determinado pela meta no resultado que se espera da
pesquisa.

A parte que segue (Figuras 2 e 3) apresenta aspectos gerais relativos aos procedimentos
metodológicos inicialmente propostos, com ênfase na parte mais difícil, a de caracterizar
(definir, delimitar etc.) o problema para pesquisa: obtenção e tratamento de dados. São figuras
que destacam o ciclo lógico de inter-relacionamento entre problema e objetivos da pesquisa.

2.2 Revisão de literatura

A importância da informação é destacada por Drucker (1993) como primado e razão de


um novo tipo de gestão, em que a curto prazo se perspectiva a troca do binómio capital/trabalho
pelo binómio informação/ conhecimento como fatores determinantes no sucesso empresarial.

Caminha-se para a sociedade do saber onde o valor da informação tende a suplantar a


importância do capital.

A informação e o conhecimento são a chave da produtividade e da competitividade em


cenários turbulentos e com incertezas.
16

Daí a necessidade de dispor da “melhor” informação com a sua atualização apresentada


como um fator crítico. Dessa forma, quanto mais importante for determinada informação para
as necessidades de clientes - alvos, e quanto mais rápido for o acesso a ela, tanto mais eles
poderão atingir os seus objetivos. Isto levar a considerar que a quantidade e qualidade de
17

informação e os dados donde ela provém, são, para a organização, um importante recurso que
necessita e merece ser gerido: esse é o objetivo da gestão da informação (REIS, 1993; BROWN,
1988).

Barreto (1996) define a informação como “Estruturas significantes com a competência de


gerar conhecimento no indivíduo, em seu grupo, ou a sociedade. ” A informação é qualificada
como um instrumento modificador da consciência do homem e de seu grupo social; um agente
mediador da produção de conhecimento, ao introduzir o conceito de assimilação da informação
em um processo de aprendizagem (DAVENPORT, 1988).

Os primeiros esforços para avaliação dos serviços de informações são atribuídos aos
pesquisadores Parasuraman, Zeitham, & Berry (1985), que desenvolveram um modelo visando
a captar critérios para avaliação da qualidade em serviços, considerando-se cinco brechas 2 entre
as expectativas dos usuários e o que é realmente oferecido. Mas, a teoria dos “gaps” não oferece
uma ferramenta para medir a qualidade informação, daí porque os mesmos pesquisadores
criaram uma escala denominada SERVQUAL para analisar qualitativa e quantitativamente o
nível de satisfação do cliente – usuários com a prestação do serviço oferecido. Essa escala é
aplicada nesta pesquisa ao avaliar dimensões da qualidade dos serviços de informação em
termos de tangibilidade (“tangibles”) ou facilidades e aparência física d instalações,
equipamentos, pessoal e material de comunicação; confiabilidade/credibilidade (“reliability”):
ou habilidade em prestar o serviço prometido com confiança e precisão; receptividade (
“responsiveness”) ou: disposição para ajudar o usuário e fornecer um serviço com rapidez de
resposta e presteza; garantia (“assurance’) ou conhecimento e cortesia do funcionário e sua
habilidade em transmitir segurança; empatia (“empathy”) ou cuidado em oferecer atenção
individualizada aos usuários.

A preocupação e o interesse com a qualidade [e efetividade] da informação têm


aumentado consideravelmente e recebido maior atenção na última década, principalmente após

2As lagunas ou “gaps” são: • Gap 1 = discrepância entre as expectativas dos usuários e as percepções dos
gerentes sobre essas expectativas. • Gap 2 = discrepância entre a percepção dos gerentes em relação às
expectativas dos usuários e a especificação de qualidade nos serviços. • Gap 3 = discrepância entre a
especificação de qualidade nos serviços e os serviços realmente oferecidos. • Gap 4 = discrepância entre
os serviços oferecidos e aquilo que é comunicado ao usuário. • Gap 5 = discrepância entre o que o
usuário espera receber e a percepção que ele tem dos serviços oferecidos.
18

a pesquisa desenvolvida por Strong et alii (1997), citados por Lima et alii (2006). Desde então
e com foco na Conferência Internacional de Qualidade da Informação promovida pelo MIT
esforços têm sido orientados, tanto da qualidade de sistemas de informação, quanto na
qualidade da informação como produto.

Um atributo com dificuldade de mensuração; mas, é possível identificar, na literatura


especializada, trabalhos que propõem e/ou validam modelos para avaliar a qualidade da
informação nos mais variados contextos organizacionais.

Wand e Wang (1996), utilizando uma abordagem teórica ontológica, analisaram, com
base em revisão de literatura, diversas dimensões de qualidade da informação, apesar de se
encontrarem conceitos, por exemplo, “accuracy’ com significados diferentes entre diversos
autores

Strong et al. (1997; complementado), com foco em funções dos participantes do processo
como o que se descreve na Figura 1b, identificaram três papéis dentro de um sistema de geração
de informação: os produtores da informação, que geram e fornecem informação; os curadores
da informação, que fornecem e controlam os recursos para armazenar, mantendo e fixando a
informação; os consumidores da informação, que a utilizam para executar suas funções. Todos
esses papéis, na perspectiva da qualidade, dependem da qualidade do dado, do insumo da
informação.

Lee e Strtong (2004; complementado) demonstraram o relacionamento entre o


conhecimento por parte dos atores (produtores, custodiantes e usuários) e a qualidade do
material disponibilizado. Os produtores fornecem a entrada dos dados ao sistema, procurando
que esse material seja representativo do dato em foco; os custodiantes são os responsáveis pelo
tratamento, armazenamento e distribuição das informações e os usuários utilizam a informação
como suporte para seu trabalho.

A pesquisa dos autores sugere que o conhecimento dos atores sobre os processos de
produção dos dados e a satisfação da qualidade, nas suas diferentes dimensões, estão altamente
correlacionados. Esta é uma das hipóteses levantadas na pesquisa.
19

2.3 Aspectos metodológicos gerais

Sobressaem as pesquisas documentais (fontes de dados sobre a eficiência de processos


na geração-difusão da informação e de sua eficácia no resultado finalístico pós-publicação,
portanto, na resposta da comunicação, do diálogo. São informações obtidas de autores
consultados que não deram um tratamento analítico ao dado: fontes primárias) e as pesquisas
bibliográficas (contribuições de diferentes autores preferencialmente do IPEA que fizeram um
tratamento e interpretação ao dado: fontes secundárias: GARCIA, 2009a).

São as pesquisas diagnósticas ou retrospectivas - descritivas para entender ou explicar o


que aconteceu; encontram-se nessa explicação, as brechas para definir possíveis melhorias
(quando tratadas no contexto da metodologia científica, são prováveis: hipóteses de estudo);
pesquisas contemporâneas e preditivas para definir estados: um aspecto destacado no
fortalecimento institucional do Ipea; e estudos prescritivos para orientar e se posicionar em o
que fazer, com base nas melhores decisões de cenários de futuros.

Compreensão, também, no aprimoramento de processos como os de armazenamento


(banco de dados) e gestão com segurança, bem como na utilização estratégica do dado valioso.

As pesquisas documentais e bibliográficas serão complementadas com levantamentos de


dados primários orientados, em seus aspectos metodológicos, conforme esquemas como os
definidos por Diagnóstico Interno do IPEA e Diagnóstico do Grau de Maturidade do IPEA em
Gestão do Conhecimento (BATISTA (2011).

Para a obtenção de dados primários, complementados com as pesquisas documentais e


bibliográficas, utilizados na avaliação da eficiência de processos e resultados da comunicação
do IPEA foram formados três grupos de respondentes do IPEA de um questionário eletrônico.

O primeiro de respondentes esteve composto por profissionais da TIC constantemente


desafiados a demonstrar os valores adicionados pelas suas correspondentes diretorias ou
departamentos aos sistemas que captam, processam, redigem e oferecem seus resultados –
comunicações aos clientes do IPEA.
20

Trata-se de um grupo, mais com funções estratégicas nos processos de elaboração e


transferência-difusão da informação, composto por coordenadores de estudos e pesquisas: um
nível estratégico. Procura-se levantar dados quanto à fragilidade do quadro de profissionais para
obter o dado, prepara-lo e divulgar a informação. Para esse grupo foi preparado e aplicado um
questionário apresentado no Apêndice A.

O segundo grupo esteve composto por profissionais com funções tático - operações da
elaboração e difusão da informação; são os profissionais que fazem as pesquisas documentais
e bibliográficas, complementam os dados com novas fontes de informações e redigem os
documentos para a comunicação ao preparar o material do diálogo, da capacitação-treinamento
e da divulgação-comunicação, entre outras atividades ligadas à informação e comunicação. Para
este grupo foi preparado e aplicado um questionário apresentado no Apêndice B.

O terceiro grupo centrado em funções da biblioteca, portanto, formados por profissionais


que trabalham em bibliotecas ou centros de documentação convencional ou digital e que
atendem demandas tanto de usuários e clientes internos quanto externos. Apêndice C

O quarto grupo foi formado por usuários externos de comunicações do IPEA tanto do
setor público quanto do setor privado. São clientes atendidos por esses serviços que foram
consultados para se manifestarem sobre aspectos fundamentais, tais como: confiabilidade e
segurança de informação3 que se gerencia; facilidades de compreensão e de aplicação do que
se comunica: validade interno do conteúdo, validade externa ou aplicabilidade e validade
estatística ou importância. Apêndice D.

3
O entendimento de segurança da informação adotado é o da ABNT: “proteção da informação de vários
tipos de ameaças para garantir a continuidade do negócio, minimizar o risco ao negócio, maximizar o
retorno sobre os investimentos e as oportunidades de negócio”. Uma segurança que “é obtida a partir da
implementação de um conjunto de controles adequados (avaliações para determinar a eficiência),
incluindo políticas, processos, procedimentos, estruturas organizacionais e funções de “software” e
“hardware”. Controles a estabelecer, implementar, monitorar, analisar e melhorar, onde necessário, para
garantir que os objetivos do negócio e de segurança da organização sejam atendidos”, sendo conveniente
fazê-lo em conjunto com outros processos de gestão. Ao destacar a necessidade da segurança de ativos
essenciais [a informação é um deles], mencionam-se a exposição a “diversos tipos de ameaças como
fraudes eletrônicas, espionagem, sabotagem, vandalismo e códigos maliciosos que se tornam cada vez
mais comuns, mais ambiciosos e incrivelmente mais sofisticados” em redes como as do governo
eletrônico. A segurança da informação compreende a preservação da confidencialidade, integridade,
disponibilidade, autenticidade, responsabilidade e confiabilidade.
21

__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
__________________________________________________________________________________
________________________________________________________________________________.

A.2 O sistema de obtenção- complementação do dado permite consultar o cliente em


suas necessidades e possibilidades de adoção da tecnologia? Podem ser especificidade como as
técnicas e espaciais; possibilidades de adoção como escala de operação; meios para a obtenção de
dados através de “chats”, fóruns, lista de discussão, blogs entre outras).

A estrutura (pode ser: a infraestrutura ou a tecnologia da informação e comunicação


ou as orientações/diretrizes ou as políticas de informação (ou...): apenas indicar uma
opção em cada pergunta) favorece (ou permitem ou se relaciona ou ...) em que a
informação é gerada e divulgada é necessária para atender a demanda do
cliente? (Detalhes ou profundidade, oportunidade temporal de atendimento (...)? –
clique no retângulo que segue, leia com atenção cada uma das alternativas
apresentadas e aponte com o “mouse” para a melhor que responda à pergunta; caso
nenhuma opção seja a correta em sua criteriosa avaliação, por favor defina a sua
resposta no espaço indicado.

_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
____________________________________________________________.
22
23

Percepção do grau de importância de cada característica apresenta padrões diferenciados para


as duas instituições, dependendo do objetivo e produto da área que trabalha com informação
estratégica. Isso foi obtido, na instituição 1, por meio da classificação das respostas das quatro
áreas com maior quantitativo de respondentes (financeira, TI, operações e planejamento),
visando a uma possível comparação (figuras 3 e 4). "Livre de erro" e "fidedigna", nas quatro
áreas consultadas, foram as características de qualidade de informação consideradas "muito
importante", com percentuais que variaram de 53,85 a 83,33% e 50 a 69,23%, respectivamente.
Esse resultado foi também identificado na aplicação dos algoritmos de mineração, não sendo
encontrados padrões de resposta para as áreas, exceto planejamento estratégico.
Na instituição 2, "livre de erro" e "fidedigna", nas duas áreas consultadas, também foram as
características consideradas "muito importante" com percentuais entre 58,33% e 71,43% das
respostas dos dois grupos com maior quantitativo de respondentes (figuras 5 e 6).
24

Além das fases da gestão da informação que mais influenciam a qualidade, a pesquisa
identificou as características mais significativas, por fases, na visão de usuários e custodiantes
(quadro 1), a seguir.

Usuários e custodiantes das duas instituições têm, em sua maioria, a mesma percepção do
impacto das fases nas características. Esse resultado foi obtido após a aplicação do Qui-
quadrado, em que foram definidas duas hipóteses: H0:a percepção com relação às fases que
impactam determinada característica de qualidade é independente dos usuários e custodiantes;
e Hl: a percepção com relação às fases que impactam determinada característica de qualidade
depende de cada grupo (usuários e custodiantes).

Nas duas instituições, para todas as características os valores obtidos estão na região de
aceitação (exceto a característica "objetiva" para a instituição 1-figuras 7 e 8). O estudo indica
que as percepções dos usuários e custodiantes das duas instituições são comparáveis em termos
de percepção do impacto das fases de gestão nessas características.
25
26

Sobre percepção da qualidade da informação, os resultados mostraram nível de qualidade


satisfatório, porque foram identificados os valores totais da percepção da qualidade da
informação de 3,2 (instituição 1) e 3,7 (instituição 2). A maior parte dos respondentes da
instituição 1 qualificou a informação entre 2 e 4, e da instituição 2, entre 3 e 5, em uma escala
de 0 (menor qualidade) a 5 (maior qualidade, conforme figuras 9 e 10, a seguir). Na instituição
1, foram analisadas as respostas das quatro áreas que participaram da pesquisa com maior
número de respondentes. Para estas, os resultados mostraram os seguintes valores: financeira,
3,51; TI, 3,17; operações, 3,36; e planejamento estratégico, 3,22. Na instituição 2, também
foram analisadas as respostas das duas áreas e os resultados apresentaram os seguintes
percentuais: planejamento estratégico 3,63 e outras áreas 3,73.
27

Na instituição 1, de 32,37 a 46,76% "concordam" ou "concordam plenamente" que a


informação que recebem é "relevante". Na instituição 2 o percentual é 26,32 a 63,16%. A
característica com menor nível de qualidade é "livre de erro".

Na instituição 1, de 20,86% a 30,22% "discordam parcialmente" ou "concordam


parcialmente" que a informação recebida é "livre de erro", enquanto na instituição 2, o
percentual com essa percepção é de 21,05% a 36,84%.

A percepção de quais características possuem mais ou menos qualidade está vinculada à


percepção de cada área. Esse resultado foi obtido após a aplicação do Qui-quadrado para
verificar se existe variação nas opiniões de áreas distintas acerca da qualidade percebida.
Realizaram-se os cálculos utilizando a ferramenta SAS.

Na figura que segue apresentam-se os resultados dos cálculos, considerando o grau de


liberdade (df) de 15 e o valor 93.41. O valor crítico correspondente ao grau de liberdade de 15
e nível de significância de 5% na tabela de distribuições Qui-Quadrado (STEVENSON, 2001)
é de 25.0. Na figura 12, apresentam-se os resultados dos cálculos para a instituição 2.

Como os valores obtidos 93.41 (instituição 1) e 14.091 (instituição 2) estão na região de


rejeição, pode-se inferir que as áreas não são comparáveis em termos de percepção da qualidade
da informação, quando analisadas considerando suas respostas por características de qualidade.
28
29

REFERÊNCIAS
BARRETO, A. de A. A eficiência técnica e econômica e a viabilidade de produtos e serviços
de informação. Ciência da Informação, v. 24, n. 1, 1996.

BATISTA, F. F. Diagnóstico do Grau de Maturidade do IPEA em Gestão do Conhecimento:


Relatório Final. Brasília: IPEA, 2011.

BRASIL Portaria no. - 5, de 12 de janeiro de 2015. Fica instituído o Plano de Metas


Institucionais do Ipea para o exercício de 2015. Brasília: Diário Oficial da União – Seção 1, n.
8, p. 7, 13 de jan. de 2015.

BROWN, E. Gestão de Informação como recurso. Relatório do grupo de estudo do ICA - 1ª


parte. Separata da Revista Informação e Informática. v. 2, n. 2, Junho, 1988.

CAHEN, Roger. Comunicação empresarial: a imagem como patrimônio da empresa e


ferramenta de marketing. Rio de Janeiro: Best Seller, 2005.

CALAZANS, A. T. S.; COSTA, S. M. de S. Modelo de avaliação da qualidade da informação


estratégica bancária. Ciência da informação, v. 38, n. 3, 2009

DAVENPORT, T. H. Ecologia da informação: por que só a tecnologia não basta para o sucesso
na era da informação. Tradução de Bernadette Siqueira Abrão. São Paulo: Futura. 1998.

DRUCKER, P. Gerindo para o Futuro: Lisboa: Difusão Cultural. 1993.

GARCIA, E. A. C. Fundamentos de pesquisa. v. 6. Projeto de pesquisa na trilha do


desenvolvimento sustentável. Brasília; (versão preliminar). 2009a. 422 p.

______. Fundamentos de pesquisa. v. 2. Termos de referência para a "Gestão da Qualidade


Total” da Pesquisa para o Desenvolvimento. Brasília; (versão preliminar). 2009b. 346 p.

CARDOSO, J. C.; CUNHA, A. dos S. Org. Planejamento e avaliação de políticas públicas


Brasília: IPEA, 2015.

IPEA. Plano estratégico do IPEA 2013 – 2023. Brasília: IPEA. 2014.

LIMA, L. F. R.; MAÇADA, A. C. G.; VARGAS, L. M. Research into information Quality: a


study of the state of the art in IQ and its consolidation. In: INTERNATIONAL CONFERENCE
30

ON INFORMATION QUALITY AT MIT, 11., 2006, Cambridge, MA. Proceedings...


Cambridge, MA: MIT, 2006.

LIKERT, R. A technique for the measurement of attitudes. Archives of Psychology, v. 22, n.


140, p. 1-55, 1932.

PINOCHET, L. H. C. Tecnologia da informação e comunicação. Rio de Janeiro: Campus –


Elsevier. 2014

McGREE, J.; PRUSAK, L. Gerenciamento estratégico da informação: aumenta a


competitividade e eficiência de sua empresa utilizando a informação como uma ferramenta
estratégica. Rio de Janeiro: Elsevier, 1994.

PARASURAMAN, A.; BERRY, L. L.; ZEITHAMLL, V. A. SERVQUAL: a multiple-item


scale for measuring consumer perceptions of service quality. Journal of Retailing, New York,
v. 64, n. 1, p.12-40, Spring 1988.

RASCÃO, J. P. Da gestão estratégica à gestão estratégica da informação: como aumentar o


tempo disponível para a tomada de decisão estratégica. Rio de Janeiro: E-Papers. 2006.

REIS, C. Planeamento Estratégico de Sistemas de informação. Lisboa: Presença. 1993.

REZENDE, D. A. Engenharia de software e sistemas de informações. 3ª. ed. Rio de Janeiro:


Brasport, 2005.

STRONG, D. M.; LEE, Y. W.; WANG, R. Y. 10 Potholes in the Road to Information Quality.
IEEE Computer, v. 30, n. 8, 1997.

WAND, Y.; WANG, R. Y. Anchoring data quality dimensions in ontological foundations.


Communications of the ACM, v. 39, n. 11, p. 86-95, 1996.
31

APÊNDICE A – Respondentes estratégicos no sistema de informações do IPEA


Nome: ___________________________________________. Cargo:_______________

A seguir são elencadas uma série de afirmativas. Por


favor, informar o quanto considera que cada uma delas 1- 5-
expressam características das informações. Considere uma 2 3 4
Nada Muito
escala de 1 a 5, onde 1 corresponde a nada e 5 a muito.

O procedimento utilizado para gerar a informação é


baseado em pesquisas.

O procedimento utilizado para gerar a informação é


baseado em opiniões.

Se baseados em pesquisas, são utilizados procedimentos


metodológicos (especificar quais?) para avaliar a fonte
de informações?

______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________Utilizar, se necessário, folha(s) anexa(s)

Consistência em seu conteúdo na perspectiva do cliente

Conformidades da informação com especificações de qualidade

Consistência em seu apresentação segundo o alvo ou cliente

Consistência na oportunidade de apresentação.

Consistência da relevância de seu conteúdo.

.A informação é suficientemente compreensível

A informação é suficientemente interpretável

A informação é suficientemente objetiva-direta

A informação tem a necessária credibilidade.


32

A informação tem a necessária facilidade de manipular.

A informação tem o necessário valor agregado para o cliente

Completude: A informação completa contém - representa


todos os fatos importantes para o cliente.

Concisão. A informação apenas contém os fatos


importantes que devem ser comunicados.

Amplitude. A informação contém a necessária amplitude


e detalhes de interesse para o cliente

Flexibilidade, A informação permite se integrar –


complementar com outras informações

Simplicidade. A informação é necessariamente simples


para compreender o assunto a comunicar

Verificabilidade. É possível verificar a informação e


assegurar a sua correção

Seus comentários, críticas e sugestões são de especial valor para a pesquisa e agradecidas
antecipadamente
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
__________________________________________________________
33

APÊNDICE B Respondentes táticos-operacionais que obtêm dados, geram a informação e a


comunicam
Nome: _____________________________________________ Cargo: _________________
Este formulário visa orientar a obtenção de dados necessários para avaliar a
eficiência da informação do IPEA em seus processos de obtenção de dados,
geração da informação e comunicação de resultados. Por favor, leia
cuidadosamente as proposições e questões indicadas, escolha a alternativa abaixo
e indique a opção que melhor possa atender ou definir a sua posição. OBRIGADO
O profissional que trata da informação no Ipea em nível tático-operacional, incluindo-se os
auxiliares que buscam o dado; os custodiantes que dão o tratamento ao dado e geram a
informação; e os curadores que fornecem e controlam os recursos para armazenar, manter com
segurança e disponibilizar com acerto o material para a comunicação.

A seguir são elencadas uma série de afirmativas. Por


favor, informar o quanto cada uma delas expressa a sua 1- 5-
resposta. Considere uma escala de 1 a 5, onde 1 corresponde 2 3 4
Nada Muito
a nada e 5 a muito.

Utilizam-se os recursos necessário e atualizados da TIC para


desempenhar as funções

Tem-se orientações, diretrizes e instrumentos de políticas,


divulgado, adequados- favoráveis e consistentes com a missão
do Ipea

O ambiente e cultura organizacional favorecem o


aprimoramento de procedimentos de melhorias contínuas no
sistema de informação

O custodiante se preocupa e está atendo com a qualidade do


dado que recebe do informante primário, em termos de
consistência

O custodiante se preocupa e está atendo com a qualidade do


dado que recebe em termos de completude

O custodiante se preocupa e está atendo com a qualidade do


dado que recebe em termos de atualidade

O custodiante se preocupa e está atendo com a qualidade do


dado que recebe em termos de integrabilidade

O custodiante se preocupa e está atendo com as características


da população alvo da informação ao tratar o dado, e gerar o
documento da comunicação.
34

A seguir são elencadas uma série de afirmativas. Por


favor, informar o quanto cada uma delas expressa a sua 1- 5-
resposta. Considere uma escala de 1 a 5, onde 1 corresponde 2 3 4
Nada Muito
a nada e 5 a muito.

O curador conta com os meios necessários para imprimir


qualidade no processo e eficácia no resultado

. A planejamento e ação do curador é pautado por diretrizes


políticas consistentes com a moderna TI e TIC

Custodiante e procurador se entendem, combinam ações e


preparam resultados para atender ao cliente alvo.

Completude: A informação completa contém - representa


todos os fatos importantes para o cliente.

Concisão. A informação apenas contém os fatos


importantes que devem ser comunicados.

Amplitude. A informação contém a necessária amplitude


e detalhes de interesse para o cliente

Flexibilidade, A informação permite se integrar –


complementar com outras informações

Simplicidade. A informação é necessariamente simples


para compreender o assunto a comunicar

Verificabilidade. É possível verificar a informação e


assegurar a sua correção
Seus comentários, críticas e sugestões são de especial valor para a pesquisa e agradecidas
antecipadamente
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
_________________________________________________Folha anexa, se necessário
35

APÊNDICE C Respondentes nas bibliotecas e centros de documentação


Nome: ___________________________________________ Cargo: _________________
Este formulário visa orientar a obtenção de dados necessários para avaliar
a eficiência da informação do IPEA em seus processos de obtenção de
dados, geração da informação e comunicação. Por favor, leia
cuidadosamente as proposições e questões, escolha a alternativa abaixo e
indica as opções que melhor possam atender ou definir a sua posição.
OBRIGADO
1 Em média, de 10 clientes que solicitam atendimento dos serviços de informação
a) Quanto são plenamente atendidos?: ___/
b) Quantos são, em média, atendidos? ___/
c) Quanto não são atendidos? ___/

A seguir são elencadas uma série de afirmativas. Por


favor, informar o quanto cada uma delas expressa a sua 1- 5-
resposta. Considere uma escala de 1 a 5, onde 1 corresponde 2 3 4
Nada Muito
a nada e 5 a muito.

Rapidez na prestação de serviços: serviço de empréstimo,


atendimento ao usuário, reprografia, flexibilidade no
empréstimo-entre-bibliotecas e acervo atualizado

Empatia. Atenção e a personalização do atendimento fornecido


aos usuários

Confiabilidade. Confiança e segurança nos funcionários e nas


informações por eles fornecidas

Confiabilidade. Confiança e segurança nos funcionários


acerca do produto e serviço disponibilizado

Garantia. Qualificação, acessibilidade, cortesia, domínio de


fontes de informação, habilidade no uso de equipamentos e
comunicação dos funcionários que prestam serviços aos
usuários.

Tangibilidade. Aparência física do ambiente (condições gerais


do prédio, limpeza, iluminação, acústica), equipamentos
(equipamentos de informática, máquina de reprografia),
pessoal (postura, habilidade com os equipamentos, facilidade
em se comunicar), comunicação visual (cartazes, folhetos,
murais, sinalização, avisos via e-mail)
36

Seus comentários, críticas e sugestões são de especial valor para a pesquisa e agradecidas
antecipadamente
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
__________________________________________________Folha anexa, se necessário
37

APÊNDICE D Clientes externos de informações geradas – fornecidas pelo Ipea


Nome: __________________________________________ Cargo/função: _____________
Este formulário visa orientar a obtenção de dados necessários para avaliar a
eficiência da informação do IPEA em seus processos de obtenção de dados,
geração da informação e comunicação. Por favor, leia cuidadosamente as
proposições e questões, escolha a alternativa abaixo e indica as opções que
melhor possam atender ou definir a sua posição. OBRIGADO

A seguir são elencadas uma série de afirmativas. Por


favor, informar o quanto cada uma delas expressa a sua 1- 5-
resposta. Considere uma escala de 1 a 5, onde 1 corresponde 2 3 4
Nada Muito
a nada e 5 a muito.

Credibilidade. Medida em que a informação é considerada


como verdadeira e confiável

Objetividade. Medida em que a informação é imparcial e


livre de tendência.

Reputação. Medida em que a informação é altamente


confiável em termo de conteúdo

Livre de erros; Medida em que a informação é correta e


confiável

Valor acrescentado. Medida em que a informação é


benéfica e fornece vantagens com seu uso

Completude. Medida em que não há perda de informação e


que seja de suficiente amplitude e profundidade para a tarefa

Quantidade adequada. Medida em que o volume de


informação é apropriado para a tarefa

Atualidade. Medida em que a informação é suficientemente


atualizada para a tarefa em questão

Concisão. Medida em que a informação é representada de


forma compacta
38

Continuação

A seguir são elencadas uma série de afirmativas. Por


favor, informar o quanto cada uma delas expressa a sua 1- 5-
resposta. Considere uma escala de 1 a 5, onde 1 corresponde 2 3 4
Nada Muito
a nada e 5 a muito.

Consistência. Medida em que a informação é apresentada no


mesmo formato

Facilidade de entendimento. Medida em que a informação é


facilmente compreendida
Interpretabilidade. Medida em que a informação está em
uma linguagem, símbolo ou unidade apropriada e as
definições são claras
Acessibilidade. Medida em que a informação está
disponível, ou facilmente e rapidamente recuperável

Facilidade de manipulação. Medida em que a informação


é fácil de manipular e se aplicar a diferentes tarefas

Segurança. Medida em que o acesso à informação é


restrito, com o intuito de manter a segurança

Oportunidade. Medida em que a informação é fornecida


no momento certo

Seus comentários, críticas e sugestões são reservadas, de especial valor para a pesquisa e
agradecidas antecipadamente
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
______________________________________________________________________
_________________________________________________Folha anexa, se necessário