Você está na página 1de 5

Prova de História - 3º ano

Questões

01. (Uff 2011) “Visto que, de fato, a Constituição de 1946 estabeleceu normas e
medidas para a instalação de uma estrutura democrática no país, dando ensejo a uma
abertura do processo político nos dezoito anos subsequentes, ao observador mais
descuidado a redemocratização pode parecer mais radical do que na realidade o foi.”

SOUZA, Maria do Carmo Campello de. Estado e Partidos Políticos no Brasil (1930-1964). São Paulo:
Alfa-Omega, 1976, p. 105.

Com base nas afirmações contidas no texto, é possível afirmar que

a) a redemocratização iniciada em 1945 perdeu sua radicalidade por ter sido apenas um
ritual político, vazio de efetivos partidos.

b) a redemocratização de 1945 só pôde existir em função da criação de três novos


grandes partidos políticos, totalmente independentes de vínculos com o Estado Novo: o
PSD, a UDN e o PTB.

c) o retorno do pluripartidarismo e de eleições diretas foi superposto à estrutura herdada


do Estado Novo, marcada pelo sindicalismo corporativista e pelo sistema de
interventorias.

d) a redemocratização não foi radical devido à preponderância que teve, junto a ela, a
União Democrática Nacional (UDN), partido formado com o beneplácito de Vargas.

e) a hipertrofia do Poder Legislativo foi uma das consequências da redemocratização.

02. (Enem 2011) “A consolidação do regime democrático no Brasil contra os


extremismos da esquerda e da direita exige ação enérgica e permanente no sentido do
aprimoramento das instituições políticas e da realização de reformas corajosas no
terreno econômico, financeiro e social.”

Mensagem programática da União Democrática Nacional (UDN) – 1957.

“Os trabalhadores deverão exigir a constituição de um governo nacionalista e


democrático, com participação dos trabalhadores para a realização das seguintes
medidas: a) Reforma bancária progressista; b) Reforma agrária que extinga o latifúndio;
c) Regulamentação da Lei de Remessas de Lucros.”

Manifesto do Comando Geral dos Trabalhadores (CGT) – 1962.

BONAVIDES, P; AMARAL, R. Textos políticos da história do Brasil. Brasília: Senado


Federal, 2002.
Nos anos 1960 eram comuns as disputas pelo significado de termos usados no debate
político, como democracia e reforma. Se, para os setores aglutinados em torno da UDN,
as reformas deveriam assegurar o livre mercado, para aqueles organizados no CGT, elas
deveriam resultar em

a) fim da intervenção estatal na economia.

b) crescimento do setor de bens de consumo.

c) controle do desenvolvimento industrial.

d) atração de investimentos estrangeiros.

e) limitação da propriedade privada.

03. Leia o texto abaixo para poder responder à questão seguinte:

“Mais uma vez, as forças e os interesses contra o povo coordenaram-se novamente e se


desencadeiam sobre mim.

Não me acusam, insultam; não me combatem, caluniam, e não me dão o direito de


defesa. Precisam sufocar a minha voz e impedir a minha ação, para que eu não continue
a defender, como sempre defendi, o povo e principalmente os humildes. […] Depois de
decênios de domínio e espoliação dos grupos econômicos e financeiros internacionais,
fiz-me chefe de uma revolução e venci. Iniciei o trabalho de libertação e instaurei o
regime de liberdade social.”

Carta Testamento de Getúlio Vargas, retirada de BONAVIDES, Paulo, AMARAL,


Roberto. Textos políticos da História do Brasil. 3 ed. Brasília: Senado Federal,
Conselho editorial, 2002. v. 6, p. 699.

A carta escrita por Getúlio Vargas, antes de cometer suicídio, permite perceber algumas
características do que se convencionou chamar de populismo. Entre as características do
populismo, não podemos incluir:

a) o paternalismo.

b) a liderança individual sobre as massas.

c) a criação de uma legislação trabalhista.

d) a expropriação dos meios de produção dos estrangeiros.

e) a defesa do progresso econômico e social da nação.

04. Depois de sete meses de trabalho legislativo, a nova constituição brasileira foi promulgada,
em 18 de setembro de 1946. De seu conteúdo podemos destacar, exceto:
a) Estabelecimento da democracia como regime politico da nação.
b) voto secreto e universal para os maiores de 18 anos.
c) garantia constitucional do direito de greve para os trabalhadores.
d) estabelecimento do mandato presidencial de cinco anos.
e) reeleição presidencial.

05. (PITÁGORAS) No início de outubro de 1950, na pequena cidade de São Borja, Getúlio
Vargas deparou-se com uma faixa extremamente representativa do sentimento da população
brasileira daquele período.

“NO SENHOR NÓS VOTAREMOS. EM QUEM O SENHOR MANDAR, NUNCA MAIS!”

Analisando a citação acima, é correto concluir, EXCETO:

a) O ex-presidente Vargas mantinha um grande prestigio junto aos brasileiros.

b) A população brasileira estava descontente com o governo Dutra.

c) O presidente Dutra contou com o apoio político de Vargas nas eleições de 1945.

d) O político Vargas perdeu a fidelidade do eleitorado brasileiro nos anos 50.

e) O político Jânio Quadros, que varreria a corrupção da política.

06. (Ufpel) ORAÇÃO GETULISTA Creio em Getúlio Vargas, todo poderoso, criador das leis
trabalhistas. Creio no Brasil e no seu filho, nosso patrono, o qual foi concebido pela revolução
de 30. (...) Creio em seu retorno ao palácio do Catete, na comunhão dos pensamentos, na
sucessão Presidencial. Amém.

NOTA – Para o bem da nação tire cópias desta oração e envie a seus amigos patriotas. CARDOSO,
Oldimar

O panfleto, ao se referir ao retorno de Vargas ao Palácio do Catete, demonstra ter sido


propaganda da campanha eleitoral de

a) 1930, utilizada pela Aliança Liberal.

b) 1934, após o presidente ter sido deposto pela Revolução Constitucionalista de 1932.

c) 1950, quando o gaúcho foi eleito com um projeto nacionalista.

d) 1937, quando o PTB seguiu as determinações da Constituição “polaca”.

e) 1945, período que instaurou a democratização do país.

07. (UEL) Em um de seus discursos, o presidente Juscelino Kubitschek afirmou: "O puro, o nobre
e inteligente nacionalismo não se confunde com xenofobia. Da mesma maneira que a
independência política de uma nação não significa animosidade contra os estrangeiros, nem a
recusa aos intercâmbios econômicos ou relações financeiras com os países mais ricos ou mais
favorecidos em valores econômicos".
(In: CARDOSO, Miriam Limoeiro. "Ideologia do Desenvolvimento". Rio de Janeiro: Paz e Terra,
1977. p. 158.)

Com base no texto e nos conhecimentos sobre o período JK, é correto afirmar:

a) O discurso nacionalista sob a ótica desenvolvimentista de JK possuía conteúdo semelhante


àquele estabelecido na Era Vargas: ambos minimizaram a importância do capital externo.

b) A ideologia do "desenvolvimentismo" no período JK assumiu a entrada de capitais


estrangeiros no país como um recurso legítimo que expressava o verdadeiro patriotismo.

c) O "desenvolvimentismo" do período JK objetivou a consolidação da vocação agrícola da


economia brasileira, promovendo a "Marcha para Oeste", política que alavancou a agricultura
de exportação.

d) Para a indústria brasileira, que passava por uma fase de retração, o"desenvolvimentismo"
de JK foi pernicioso, pois propunha um nacionalismo xenófobo.

e) O "Plano de Metas", programa de governo do então candidato JK, colocado em prática logo
após sua eleição, visava primordialmente ao desenvolvimento da agricultura de exportação,
instituindo, para esse fim, o "confisco cambial".

08. (UERJ) Varre, varre, varre, varre, vassourinha. Varre, varre a bandalheira, Que o povo já
está cansado De sofrer desta maneira. Jânio Quadros é a esperança deste povo abandonado.
(Nosso Século. São Paulo: Abril Cultural, 1980.)

Esse "jingle" acompanhou o candidato Jânio Quadros durante a sua campanha à presidência
da República, em 1960. A letra sintetiza a seguinte política de resolução dos problemas da
época:

a) a austeridade do governo e o controle dos gastos públicos conteriam a inflação e a


corrupção oficial

b) a disputa de mercados externos e a ideologia nacionalista aumentariam o superávit


comercial e a geração de renda

c) o atendimento à economia popular e à produção de alimentos baixariam o custo de vida e


os gastos do governo

d) a defesa dos interesses nacionais e a adoção de uma política externa independente


gerariam emprego e novas possibilidades econômicas

e) abertura para alianças com a forças conservadores ligadas ao latifúndio.

09. (PUC-MG) "Fui vencido pela reação e assim deixo o governo. Nestes sete meses cumpri o
meu dever [...] Forças terríveis se levantaram contra mim e me intrigaram ou inflamam, até
com a desculpa da colaboração [...] Assim não falta a coragem da renúncia [...] Retorno agora
ao meu trabalho de advogado e professor [...]."
Fragmento da Carta Renúncia de Jânio da Silva Quadros - Manifesto à Nação. Brasília, 25 de
agosto de 1961.Apud. Ivan Alves Filho. "Brasil, 500 anos em documentos". Rio de Janeiro:
Mauad, 1999, p. 535.

A renúncia do presidente Jânio Quadros provocou no Brasil uma crise institucional que culmina
com a:

a) ascensão ao poder do vice-presidente e a implantação do sistema parlamentarista de


governo.

b) ação golpista desencadeada pelo alto comando militar para impedir a posse do vice-
presidente.

c) convocação extraordinária do Congresso com a finalidade de emendar a carta


constitucional.

d) mobilização imediata da sociedade civil, para exigir o cumprimento das normas


constitucionais.
e) completa aceitação da população aos princípios esquerdistas de Jânio.

10. (ENEM) A moderna democracia brasileira foi construída entre saltos e sobressaltos. Em
1954, a crise culminou no suicídio do presidente Vargas. No ano seguinte, outra crise quase
impediu a posse do presidente eleito, Juscelino Kubitschek. Em 1961, o Brasil quase chegou à
guerra civil depois da inesperada renúncia do presidente Jânio Quadros. Três anos mais tarde,
um golpe militar depôs o presidente João Goulart, e o país viveu durante vinte anos em regime
autoritário.

A partir dessas informações, relativas à história republicana brasileira, assinale a opção


correta.

a) Ao término do governo João Goulart, Juscelino Kubitschek foi eleito presidente da


República.

b) A renúncia de Jânio Quadros representou a primeira grande crise do regime republicano


brasileiro.

c) Após duas décadas de governos militares, Getúlio Vargas foi eleito presidente em eleições
diretas.

d) A trágica morte de Vargas determinou o fim da carreira política de João Goulart.

e) No período republicano citado, sucessivamente, um presidente morreu, um teve sua posse


contestada, um renunciou e outro foi deposto.