Você está na página 1de 24

GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

ASSISCON CONSTRUCAO LTDA •ME


CNPJ: 26.218.564/0001•99

JOEL DE ASSIS SILVA

SHELRY RIBEIRO DE JESUS

PIAÚÍ - 2017
GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS

ASSISCON CONSTRUCAO LTDA •ME


CNPJ: 26.218.564/0001•99

Programa de gerenciamento de
resíduos, elaborado com o intuito
de apresentar as boas práticas
ambientais desenvolvidas pela
ASSISCON CONSTRUÇÃO LTDA.

PIAUÍ - 2017
SUMÁRIO

APRESENTAÇÃO............................................................................................................4
2. OBJETIVOS..................................................................................................................6
2.1. Objetivo Geral.....................................................................................................6
2.2. Objetivos Específicos ........................................................................................6
3. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA ..............................................................................7
4. CARACTERIZAÇÃO DA ASSISCON CONSTRUÇÃO............................................8
5. CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS GERADOS NA ASSISCON CONSTRUÇÃO
.........................................................................................................................................10
6.1 Identificação, segregação, acondicionamento e manuseio ......................13
6.2 Coleta e transporte interno.............................................................................14
6.3 Armazenamento, coleta, transporte externo e disposição final....................15
7. COMUNICAÇÃO E EDUCAÇÃO SOCIOAMBIENTAL.........................................17
8. SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR......................................................17
9. DIRETRIZES...............................................................................................................18
CONSIDERAÇÕES FINAIS ...........................................................................................20
REFERÊNCIAS ...............................................................................................................21
ANEXO DO PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA ASSISCON
CONSTRUÇÃO ..............................................................................................................23
APRESENTAÇÃO

A construção civil que tem vivido uma solidez, com a expansão e o


aquecimento de seu mercado, a valorização da mão de obra e de
profissionais já é uma realidade. Entretanto, este setor com grande potencial
de crescimento, que contribui muito para o desenvolvimento do país, deve
estar atento às demandas da sociedade como um todo.
E necessariamente a variável ambiental tem ganhado um espaço de
destaque cada vez maior, tanto nos países desenvolvidos ou não, passando a
sustentabilidade, a ser o norteador de varias tomadas de decisões. Seja pelo
o consumo de recursos naturais e tipicamente pela a geração de resíduos,
tornando-se um dos centros de discussões da construção civil.
Diante deste cenário, é que a ASSISCON CONSTRUCAO LTDA se faz
presente, atuando de forma planejada, responsável e eficaz em todos os seus
projetos e empreendimentos. Contribuindo para despertar e formar novos
valores sociais e ambientais, através de sua política interna, que inclui o
Programa de Gerenciamento dos Resíduos Sólidos, uma necessidade
constante da empresa para com a sociedade, meio ambiente e futuras
gerações.
A ASSISCON CONSTRUCAO LTDA atua como agente de
desenvolvimento educacional, cultural, social e de apoio às ações das
instituições representativas das classes que participa. Diante do crescimento
anteriormente apontado e do desenvolvimento de uma consciência ambiental
voltada para a saúde humana, pautando-se ainda em todas as legislações e
resoluções apontadas, entende que o meio ambiente ecologicamente
equilibrado é requisito imprescindível a sadia qualidade de vida.
Desse modo, o presente documento visa apresentar o Programa de
Gerenciamento de Resíduos da ASSISCON CONSTRUCAO LTDA , para todos
os fins que se fizerem necessários, apresentado a seguir diretrizes que visam
à gestão ambientalmente correta dos resíduos gerados. O documento

4
apresentado aponta e descreve as ações relativas ao manejo dos resíduos
sólidos, observadas suas características, contemplando os aspectos
referentes à geração, segregação, acondicionamento, coleta, armazenamento
temporário interno e externo, transporte interno e externo, destinação e
disposição final, bem como as ações de proteção à saúde pública, a saúde e
segurança do trabalhador e ao meio ambiente.

Atenciosamente,

ASSISCON CONSTRUCAO LTDA.

5
2. OBJETIVOS

2.1. Objetivo Geral

Gerenciar adequadamente os resíduos, buscando minimizar sua


produção, proporcionando a segurança do manejo, à proteção dos
trabalhadores, a preservação da saúde pública e do meio ambiente
ecologicamente equilibrado, essencial à sadia qualidade de vida.

2.2. Objetivos Específicos

Cumprir as exigências legais sobre gerenciamento de resíduos de


sólidos;
Orientar para uma melhor segregação e armazenamento dos resíduos;
Evitar a proliferação de vetores causadores de danos à saúde humana;
Buscar reduzir a incidência de acidentes ocupacionais;
Propiciar a conscientização ambiental correta aos funcionários e
clientes;
Transparecer a realidade do gerenciamento dos resíduos de área
administrativa da ASSISCON CONSTRUCAO LTDA - presente no local.

6
3. IDENTIFICAÇÃO DA EMPRESA

Razão Social: ASSISCON CONSTRUCAO LTDA •ME

Nome Fantasia: ASSISCON CONSTRUCAO

CNPJ: 26.218.564/0001•99

Endereço: AVENIDA ADOLFO FERREIRA DOS SANTOS, 100, CENTRO.

Cep: 64780000

Município/ Estado: ANÍSIO DE ABREU/ PIAUI

Email: joel.terra@outlook.com

Dia e Horário de Funcionamento: SEG. A SEX. 8h às 18h (manhã e tarde) /


SAB. 8h às 12h (manhã)

Responsável Legal: JOEL DE ASSIS SILVA

Reponsável pela Elaboração do Programa:

Renata Soares da Silva – CTF 6746275/ABES-PI 363106

e-mail: renatasoares132@gmail.com Telefone: (86) 98829-7865

Colaboradores de elaboração do PGRSS:

JOEL DE ASSIS SILVA

7
4. CARACTERIZAÇÃO DA ASSISCON CONSTRUÇÃO

A estratégia de desenvolvimento da ASSISCON CONSTRUÇÃO inclui


o compromisso com a sustentabilidade. Mais do que colocar em prática ações
responsáveis dentro das esferas econômica, social e ambiental, possui a
ambição de influenciar positivamente toda a rede de relacionamento e
também o setor no qual estão inseridos.
A ASSISCON CONSTRUÇÃO está localizada na Avenida Adolfo
Ferreira dos Santos, 100, Centro, no Município Anísio De Abreu. Para melhor
localização se faz necessário observar as coordenadas geográficas de
Latitude 9°11’18,78” Sul e Longitude 43°02'52,60" Oeste, conforme figura
abaixo:

Figura 01: Localização da Assiscon Construção.

8
Figura 02: Escritório referenciado no programa.

Figura 03: Escritório referenciado no programa.

9
5. CLASSIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS GERADOS NA ASSISCON
CONSTRUÇÃO

Os resíduos gerados no escritório que representa a empresa


ASSISCON CONSTRUTORA não devem ser confundidos com os resíduos
existentes em suas obras e edificações. Para classificação dos resíduos
gerados no escritório, observa-se a Lei nº 12.305/2010 que instituiu a Política
Nacional de Resíduos Sólidos:

Art. 13. Para os efeitos desta Lei, os resíduos sólidos têm a


seguinte classificação:
I - quanto à origem:
a) resíduos domiciliares: os originários de atividades
domésticas em residências urbanas;
b) resíduos de limpeza urbana: os originários da varrição,
limpeza de logradouros e vias públicas e outros serviços de
limpeza urbana;
c) resíduos sólidos urbanos: os englobados nas alíneas “a” e
“b”;
d) resíduos de estabelecimentos comerciais e prestadores de
serviços: os gerados nessas atividades, excetuados os referidos
nas alíneas “b”, “e”, “g”, “h” e “j”;
e) resíduos dos serviços públicos de saneamento básico: os
gerados nessas atividades, excetuados os referidos na alínea
“c”;
f) resíduos industriais: os gerados nos processos produtivos e
instalações industriais;
g) resíduos de serviços de saúde: os gerados nos serviços de
saúde, conforme definido em regulamento ou em normas
estabelecidas pelos órgãos do Sisnama e do SNVS;
h) resíduos da construção civil: os gerados nas construções,
reformas, reparos e demolições de obras de construção civil,
incluídos os resultantes da preparação e escavação de terrenos
para obras civis;
i) resíduos agrossilvopastoris: os gerados nas atividades
agropecuárias e silviculturais, incluídos os relacionados a
insumos utilizados nessas atividades;
j) resíduos de serviços de transportes: os originários de portos,
aeroportos, terminais alfandegários, rodoviários e ferroviários
e passagens de fronteira;
k) resíduos de mineração: os gerados na atividade de pesquisa,
extração ou beneficiamento de minérios;
II - quanto à periculosidade:

10
a) resíduos perigosos: aqueles que, em razão de suas
características de inflamabilidade, corrosividade, reatividade,
toxicidade, patogenicidade, carcinogenicidade,
teratogenicidade e mutagenicidade, apresentam significativo
risco à saúde pública ou à qualidade ambiental, de acordo com
lei, regulamento ou norma técnica;
b) resíduos não perigosos: aqueles não enquadrados na alínea
“a”.
Parágrafo único. Respeitado o disposto no art. 20, os resíduos
referidos na alínea “d” do inciso I do caput, se caracterizados
como não perigosos, podem, em razão de sua natureza,
composição ou volume, ser equiparados aos resíduos
domiciliares pelo poder público municipal.

Dessa forma, os resíduos gerados no escritório devem ser


classificados como resíduos domiciliares, conforme Art.13, parágrafo único
da Lei n.12.305/2010.
Já os resíduos provenientes de suas obras e edificações terão
classificação com base na Resolução do Conselho Nacional de Meio Ambiente
n° 307/2002:

Art. 3º Os resíduos da construção civil deverão ser


classificados, para efeito desta Resolução, da seguinte forma:
I - Classe A - são os resíduos reutilizáveis ou recicláveis como
agregados, tais como:
a) de construção, demolição, reformas e reparos de
pavimentação e de outras obras de infra-estrutura, inclusive
solos provenientes de terraplanagem;
b) de construção, demolição, reformas e reparos de edificações:
componentes cerâmicos (tijolos, blocos, telhas, placas de
revestimento etc.), argamassa e concreto;
c) de processo de fabricação e/ou demolição de peças pré-
moldadas em concreto (blocos, tubos, meios-fios etc.)
produzidas nos canteiros de obras;
II - Classe B - são os resíduos recicláveis para outras
destinações, tais como: plásticos, papel/papelão, metais,
vidros, madeiras e outros;
III - Classe C - são os resíduos para os quais não foram
desenvolvidas tecnologias ou aplicações economicamente
viáveis que permitam a sua reciclagem/recuperação, tais como
os produtos oriundos do gesso;
IV - Classe D - são os resíduos perigosos oriundos do processo
de construção, tais como: tintas, solventes, óleos e outros, ou
aqueles contaminados oriundos de demolições, reformas e
reparos de clínicas radiológicas, instalações industriais e
outros.

11
A ASSISCON CONSTRUÇÃO gerencia os resíduos mais simples
desde a origem em seu escritório até as suas futuras obras, considerando a
política urbana de pleno desenvolvimento da função social da cidade e da
propriedade urbana, conforme disposto na Lei nº 10.257, de 10 de julho de
2001 e a necessidade de implementação de diretrizes para a efetiva redução
dos impactos ambientais gerados pelos resíduos oriundos da construção
civil;
A empresa considera ainda que a disposição de resíduos da
construção civil em locais inadequados contribui para a degradação da
qualidade ambiental e representam um significativo percentual dos resíduos
sólidos produzidos nas áreas urbanas e que os geradores de resíduos da
construção civil devem ser responsáveis pelos resíduos das atividades de
construção, reforma, reparos e demolições de estruturas e estradas, bem
como por aqueles resultantes da remoção de vegetação e escavação de solos.
Nesse víeis a viabilidade técnica e econômica de produção e uso de
materiais provenientes da reciclagem de resíduos da construção civil e a
gestão integrada de resíduos da construção civil deverá proporcionar
benefícios de ordem social, econômica e ambiental.
Para melhor entendimento, a Resolução 307/02 do CONAMA define
resíduos da construção civil como:
Art. 2º Para efeito desta Resolução, são adotadas as seguintes
definições: I - Resíduos da construção civil: são os provenientes
de construções, reformas, reparos e demolições de obras de
construção civil, e os resultantes da preparação e da escavação
de terrenos, tais como: tijolos, blocos cerâmicos, concreto em
geral, solos, rochas, metais, resinas, colas, tintas, madeiras e
compensados, forros, argamassa, gesso, telhas, pavimento
asfáltico, vidros, plásticos, tubulações, fiação elétrica etc.,
comumente chamados de entulhos de obras, caliça ou
metralha;

Dessa forma, ressalta-se mais uma vez a diferença dos resíduos


gerados no escritório e os resíduos gerados nas atividades externas da
empresa.

12
6. MANEJO DOS RESÍDUOS DA ASSISCON CONSTRUÇÃO

6.1 Identificação, segregação, acondicionamento e manuseio

A segregação dos resíduos do escritório é realizada no momento da


sua geração por seu gerador. Os Resíduos proveniente das atividades do
escritório são:

PAPEL
OUTROS (banheiro e incomuns)

O coletor utilizado para segregação é similar e identificado:

Figura 04: Coletor para papel

O acondicionamento que consiste no ato de embalar os resíduos


segregados, em sacos ou recipientes que evitem vazamentos e resistam às ações
de punctura e ruptura, é observado. Na ASSISCON CONSTRUÇÃO os recipientes
coletores além de serem identificados são forrados com sacos adequados,
identificados e resistentes a cada tipo de resíduos coletado para que a embalagem

13
ocorra de forma mais eficiente evitando o derramamento e acidentes. Vale salientar
que a capacidade dos recipientes de acondicionamento é compatível com a geração
diária de cada tipo de resíduo.
O Manuseio é realizado por profissional de limpeza que utiliza fardamento
luva), a higienização (feita com água, sabão e álcool) dos equipamentos ocorre após
a utilização, para manuseio e transporte interno ainda há utilização de equipamentos
com rodas, fornecendo bem-estar ao trabalhador.

Figura 05: Instrumento utilizado no manuseio dos resíduos

6.2 Coleta e transporte interno

O transporte interno dos resíduos que pode ser definido como o traslado
dos resíduos dos pontos de geração até local destinado ao armazenamento
temporário ou armazenamento externo com a finalidade de apresentação para a
coleta que ocorre por meio da prefeitura municipal. Esse é realizado atendendo o
roteiro que não coincide com o momento de movimentação de clientes. O itinerário
para realização de armazenamento externo é feito por locais onde não há passagem
de clientes e pedestres, ocorre sempre ao final do expediente ou se o coletor estiver
com mais de 2/3 de sua capacidade.
14
Vale salientar que a movimentação dos resíduos é feita com a utilização
de um carrinho. O funcionário responsável pela limpeza possuem os equipamentos
essenciais de proteção para o desenvolvimento de suas atividades, observa- se
também que a movimentação é feita separadamente levando em conta cada grupo
de resíduo.
Percebe-se ainda que o armazenamento temporário que consiste na
guarda temporária dos recipientes contendo os resíduos já acondicionados, em local
próximo aos pontos de geração, visando agilizar a coleta dentro do estabelecimento
e otimizar o deslocamento entre os pontos geradores e o ponto destinado à
apresentação para coleta externa, é dispensado visto que a distância entre o ponto
de geração e o armazenamento externo o justifica.

6.3 Armazenamento, coleta, transporte externo e disposição final

O armazenamento externo que consiste na guarda dos recipientes de


resíduos até a realização da etapa de coleta externa, em ambiente exclusivo com
acesso facilitado para o veículo coletor da empresa, será possível de observação
nas dependências da ASSISCON CONSTRUÇÃO.

FREQUÊNCIA E EMPRESA RESPONSÁVEL PELA COLETA


TIPO DE RESÍDUOS FREQUÊNCIA COLETA
COLETA
(Nº x por
semana)
Resíduo comum 3x Prefeitura Municipal

A coleta e o transporte externo dos resíduos que consiste na remoção dos


resíduos sólidos dos serviços até a unidade de tratamento ou disposição final,
utilizando-se técnicas que garantem a preservação das condições de
acondicionamento e a integridade dos trabalhadores, da população e do meio
ambiente estão de acordo com as orientações dos órgãos de limpeza urbana e é
realizado pela prefeitura.
15
A disposição final dos resíduos da ASSISCON CONSTRUÇÃO é de
responsabilidade da prefeitura do município de Anísio de Abreu, que colabora para
um meio ambiente ecologicamente equilibrado na cidade.

16
7. COMUNICAÇÃO E EDUCAÇÃO SOCIOAMBIENTAL

No ano de 2017 a ASSICON CONSTRUÇÃO inicia seu projeto de


educação ambiental básica continuada, com a finalidade de conscientizar a
sociedade e seus colaboradores sobre a adequada destinação dos resíduos sólidos.

Responsabilidade socioambiental

8. SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHADOR

A Saúde, direto de todos, resguarda pela Constituição Federal de 1988


está aliada de forma intrínseca a Segurança do Trabalho que pode ser
definida como a ciência que atua na prevenção dos acidentes do trabalho
decorrentes dos fatores de riscos ocupacionais. Nos locais de trabalho
existem inúmeras situações de risco passíveis de provocar acidentes. Logo, a
análise de fatores de risco em todas as tarefas e nas operações do processo é
fundamental para a prevenção.
No entanto, por se tratar de um escritório, pode-se considerar o
estabelecimento como de pequeno porte. Desse modo os riscos ocupacionais
diminuem de forma, significativa devido o tamanho e a atividade
desenvolvida. No entanto, apesar de mínimos, os riscos não são
negligenciados, garantindo dessa forma a saúde e segurança do trabalhador.

17
9. DIRETRIZES

Apenas por questões organizacionais, existe a necessidade de


descrições das diretrizes que contribuirão para a eficácia do Programa de
Gerenciamento de Resíduos da ASSICON CONSTRUÇÃO.

a) PROJETO INTERNO DE SEPARAÇÃO E IDENTIFICAÇÃO DOS RESÍDUOS


Recomenda-se:
Fazer a separação dos resíduos gerados, imediatamente após a
produção, obedecendo à classificação dos resíduos, supracitada;
Os resíduos comuns separados deverão ser acondicionados em sacos
fechados e lacrados identificados na cor azul, guardado em recipientes
próprios para seu recebimento e armazenamento;

b) PROJETO DE COLETA E TRANSPORTE DOS RESÍDUOS


Recomenda-se:
O resíduo deverá ser recolhido ao final do expediente, obedecendo ao
horário definido pela Coordenação de Recepção;
Deve-se lacrar inicialmente o saco de lixo antes de retirá-lo do
recipiente;
O volume de preenchimento dos sacos será de no máximo 70% de sua
capacidade total;
O manuseio dos sacos deverá ser o mais cuidadoso possível e
obedecendo aos padrões estabelecidos em palestras e treinamentos
para esse procedimento. É terminantemente proibido o contato manual
com os resíduos, bem como esvaziar os sacos de resíduos de qualquer
natureza;
Os sacos lacrados serão transferidos para a lixeira intermediária,
compostas de material em de alta densidade, com tampa, rodas e alças,
permitindo o deslocamento com facilidade das áreas geradoras de
resíduos até o armazenamento temporário;
18
Toda retirada de saco cheio de resíduos implicará na colocação
imediata de um novo saco limpo, obedecendo às cores indicadas;
Os carros coletores internos deverão ser conduzidos para o local
indicado, armazenamento temporário, conforme os resíduos. Após
cada carga transportada e no término de cada rotina, deverá ser
providenciada a limpeza e desinfecção dos carros coletores, utilizando
para isso, a solução de hipoclorito de sódio a 0,5% água sanitária ou
outro produto que tenha ação equivalente, desde que não seja
detergente corrosivo.

c) PROJETO DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CAPACITAÇÃO DOS


FUNCIONÁRIOS
Recomenda-se:
Os programas de capacitação quanto aos riscos que envolvem os
resíduos devem abranger todos os funcionários e devem ocorrer de
maneira continuada;
Os programas de educação ambiental devem abordar sobre a
importância dos Gerenciamentos dos Resíduos, principalmente os
Resíduos de Serviços da Construção Civil, além de abordar aspectos
quanto a temas de preservação ambiental, combate aos desperdícios e
consumo inteligente;

Controle integrado de insetos e roedores: desinsetização realizado 3/3


meses.
Processos de higienização e limpeza:
- Limpeza geral diária antes de se iniciar o atendimento.
- Desinfecção de superfícies após cada atendimento utilizando Álcool
70%
- Desinfetante no piso;
- Qualidade da água.

19
CONSIDERAÇÕES FINAIS

Este programa propôs, como objetivo geral, elaborar um conjunto


de ações para o gerenciamento adequadado dos resíduos gerados no
escritório da empresa ASSISCON CONSTRUÇÃO contribuindo, dessa forma,
para a proteção do meio ambiente ecologicamente equilibrado, essencial a
sadia qualidade de vida.
Para isso se buscou referências fundamentais em leis, normas,
resoluções e decisões dos mais diversos órgãos que se preocupam com a
adequada disposição dos resíduos, entre eles o Conselho Nacional do Meio
Ambiente – CONAMA e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA.
Através dessas bases legais foi possível traçar e apresentar ações adequadas
para as diversas etapas do manejo, em seus aspectos intra e extra
estabelecimento, desde a geração até a disposição final.

20
REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇAO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS-ABNT. NBR 7500: Símbolos


de riscos e manuseio para o transporte e armazenamento de materiais:
simbologia. Rio de Janeiro, 1987.

NBR-9190: Sacos plásticos para acondicionamento de lixo: especificação. Rio


de Janeiro, 1993.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil: promulgada em 5 de


outubro de 1988,organização dos textos, notas remissas e índice por Juarez
Oliveira - 3ª edição- São Paulo; Savier, 1989 (série legislação brasileira).

__________. Ministério da Saúde. Portaria nº 2.224.5 de dez de 2002 c.


Disponível em: >http://www.dtr 2001. Saúde. gov.br/sas/
Portaria/PORT2002/ g.m/G.M/ 2004.htm>. Acesso em: 29 nov.2016.

__________. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução RDC nº 306


de 7 de dezembro de 2004 dispõe da regulamentação técnica para o
gerenciamento de resíduos dos serviços de saúde. Diário oficial [da] União;
Poder Executivo, 10 dez 2004.

__________. Conselho Nacional do Meio Ambiente. Resolução nº 307, de 05 de


julho de 2002. Estabelece diretrizes, critérios e procedimentos para a gestão
dos resíduos da construção civil. Brasil, Brasília, D.F, 2002.

__________, DECRETO Nº 7.404, de 23 de dezembro 2010. Regulamenta a Lei


no 12.305, de 2 de agosto de 2010, que institui a Política Nacional de
Resíduos Sólidos, cria o Comitê Interministerial da Política Nacional de
Resíduos Sólidos e o Comitê Orientador para a Implantação dos Sistemas de
Logística Reversa, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília,
23 dez. 2010.

__________,Lei nº 2.312 de 03 de setembro de 1954, de 3 de setembro de


1954. Normas Gerais sobre Defesa e Proteção da Saúde. Diário Oficial da
União, Brasília, 9 set. 1954.

__________, Lei n. 6.938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política


Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e
aplicação, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 2 set.
1981.

__________, Lei n° 9.605, de 12 de fevereiro de 1998. Dispõe sobre as sanções


penais e administrativas derivadas de condutas e atividades lesivas ao meio
ambiente, e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 17 fev.
1998.

21
__________, Lei nº. 11.445, de 5 de janeiro de 2007. Estabelece diretrizes
nacionais para o saneamento básico; altera as Leis nos 6.766, de 19 de
dezembro de 1979, 8.036, de 11 de maio de 1990, 8.666, de 21 de junho de
1993, 8.987, de 13 de fevereiro de 1995; revoga a Lei no 6.528, de 11 de maio
de 1978; e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 8 jan
2007.

__________, Lei n.12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional


de Resíduos Sólidos; altera a Lei no 9.605, de 12 de fevereiro de 1998; e dá
outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, 3. jan. 2010.

22
ANEXO DO PROGRAMA DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS DA
ASSISCON CONSTRUÇÃO

23
LISTA DE DOCUMENTAÇÃO ANEXA AO PROGRAMA DE GERENCIAMENTO
DE RESÍDUOS DA ASSISCON CONSTRUÇÃO

1. Declaração de Dispensa de Licenciamento Ambiental;


2. Declaração de Elaboração do Programa de Gerenciamento de Resíduos;
3. Documentação do Responsável;
4. Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica.

24