Você está na página 1de 106

Citologia, Bioquímica e

Biologia Molecular
Thiago Rodas
Célula
• Unidade Básica da Vida;

• Microscópicas;

• Possuem diversas funções e especialidades; Núcleo

• 2 Tipos:
- Procarioto: sem núcleo
- Eucarioto: com núcleo
Eucarioto Procarioto
Célula Eucariótica (estrutura)
Célula Animal Membrana Plasmática
Retículo Endoplasmático Liso
Retículo Endoplasmático
Rugoso
Mitocôndria
Núcleo
Citoplasma
Ribossomo
Complexo de Golgi
Lisossomo
Peroxissomo
Centríolo
Parede Celular (celulose)
Célula Eucariótica (estrutura) Membrana Plasmática
Célula Vegetal Retículo Endoplasmático Liso
Retículo Endoplasmático Rugoso
Complexo de Golgi
Cloroplasto

Mitocôndria

Peroxissomo (glioxissomo)
Ribossomo
Citoplasma
Vacúolo
Tonoplasto
Núcleo
Célula Eucariótica (micrografia)
Célula Animal Célula Vegetal
Membrana Plasmática
• Limita fisicamente e controla a entrada e saída de substâncias na
célula;

• Formada por uma bicamada de fosfolipídios associada a proteínas;

• Reconhecimento celular;

• Membrana semipermeável;

• Constitui um mosaico fluido.


Membrana Plasmática (estrutura)
Glicolipídio
Glicoproteína (glicocálix)

Colesterol
Polar Proteína
Integral Proteína
Bicamada de
Periférica
Apolar Fosfolipídios
Bicamada
Permeabilidade Celular O2
CO2
Moléculas
N2
Hidrofóbicas
Hormônios
esteroides
• Transporte de substâncias;
Pequenas H2O
moléculas Ureia
• Permeabilidade seletiva polares Glicerol

Grandes
• 2 Tipos: moléculas
Glicose
Sacarose
- Passivo: sem gasto de energia (ATP) polares
- Ativo: com gasto de energia (ATP)
H+, Na+
HCO3-, K+
Íons Ca2+, Cl-
Mg2+,
Transporte Passivo Difusão Facilitada
A favor de um gradiente de concentração
Extra
Difusão Simples

Intra
Passagem com ajuda de uma proteína transportadora
Extra

Passagem direta pela bicamada lipídica Intra


Transporte Ativo
Contra um gradiente de concentração

Bomba de Na+ e K+
Extra

Na+ ADP + Pi
Intra
K+ ATP
Osmose
• Passagem de um solvente (maioria das vezes H2O) em
relação a uma membrana semipermeável) Membrana
Experimento:
semipermeável

0,9% NaCl Água destilada 0,9% NaCl Água destilada


Osmose 0,9% NaCl
Célula Animal

Água destilada 0,9% NaCl 1,5% NaCl

Plasmoptise Plasmólise
Hipotônico Isotônico Hipertônico
Osmose 0,9% NaCl
Célula vegetal

Água destilada 0,9% NaCl 1,5% NaCl

Célula
Célula
murcha
túrgida

Hipotônico Isotônico Hipertônico


Transporte de Macromoléculas
Pinocitose: invaginação
• Endocitose da membrana
Fagocitose:emissão de plasmática
pseudópodes
Pseudópodes
Pinossomo

Fagossomo/vesícula
Transporte de Macromoléculas • Exemplos:

• Exocitose Fagocitose

Pinocitose
Especialização de Membranas
• Adesão, comunicação e absorção:
Célula vegetal Célula Animal

Plasmodesmo Microvilosidades Desmossomos

Lamela média Junções comunicantes/nexo


Especialização de Membranas
• Exemplos
Plasmodesmo

Microvilosidades

Lamela média

Desmossomos
Citoplasma
• Dividido em:
- Citosol: parte líquida do
citoplasma, composto
por H2O e reagentes
(monossacarídeos,
nucleotídeos, íons e etc.).
Funciona como um meio
de reações químicas.

- Organelas
- Microtúbulos: atuam como “trilhos”,
Citoesqueleto sendo responsáveis mela
movimentação das organelas no
• Sustenta e dá flexibilidade à célula; citoplasma
• Divididos em: - Filamentos intermediários: atuam
como “esqueleto”, sendo
- Microfilamentos: atuam como responsáveis pela resistência e
“músculos”, sendo responsáveis sustentação da célula
pela sustentação e deformação da
célula.

Microfilamentos Microtúbulos Filamentos intermediários


Citoesqueleto
Micrografia

Microfilamentos

Microtúbulos

Filamentos Intermediários
Centríolos Corpúsculo
basal
• Responsáveis pela divisão celular (animais) e a
formação de cílios e flagelos

Axonema
Ribossomos
• Responsável pela síntese de proteínas através da tradução;
• Podem estar livres no citoplasma ou associados ao RER;
• Formado por RNA e proteínas.
Proteína
Subunidade
maior (60S)

Subunidade
menor (35S)
Sistema de Endomembranas

• Retículo Endoplasmático Liso:


- Síntese de ácidos graxos
- Transporte de substâncias
- Desintoxicação celular

• Retículo Endoplasmático Rugoso:


- Síntese de proteínas
- Desintoxicação celular
Sistema de Endomembranas
• Complexo de Golgi: empacotamento e secreção
de substâncias. Também sintetiza o ácido Face trans
hialurônico. Forma os lisossomos.
Face cis
Lisossomo
• Participam da digestão intracelular e
autofagia (renovação de estruturas
antigas)

Hidrolase

Lisossomo Fusão do fagossomo com o lisossomo


primário formando o lisossomo secundário.
Peroxissomo
• Reage com moléculas orgânicas formando H2O2 (peróxido de hidrogênio);
• Participa na desintoxicação do álcool e degradação de ácidos graxos para
obtenção de energia.

RH2 + O2 → R + H2O2

2H2O2 → 2H2O + O2
Catalase
Vacúolo
• Vacúolo contrátil: presente em protozoários. Participa do controle hídrico
e eliminação de excretas.
• Vacúolo vegetal: controle hídrico, armazenamento de substâncias,
resistência e estrutura das plantas.
Parede celular
• Vegetal: formado por celulose e hemicelulose. Sustenta e dá
resistência à planta.
Mitocôndria Membrana dupla
(interna e externa)

• Responsável pela respiração celular


aeróbica (produção de ATP); Crista mitocondrial

Matriz mitocondrial
• Herança materna;

• Possui DNA próprio (autorreplica);

• Teoria da endossimbiose: teriam sido


bactérias que foram fagocitadas e
mantidas em simbiose.
Respiração Celular Desidrogenação: oxidação da
substância através da coenzima
• Retirada gradativa (3 etapas) de energia da NAD+ ou FAD+.
glicose.
C6H12O6→ 6CO2 + 6H2O + Energia (ATP)
• Tipos de reações envolvidas:
Malato Oxaloacetato
Fosforilação: adição de um fosfato
Descarboxilação: remoção de um
grupo carboxila e liberação de CO2

Molécula Molécula
fosforilada Descarboxilação de um β-ceto ácido
Glicólise Fase preparatória
• Ocorre no citosol; • Cada molécula de Ácido Pirúvico
• Transformação de 1 molécula de sofre descarboxilação e se ligam a
glicose em 2 de ácido pirúvico. coenzima A, formando acetil-coA

2ATP 4ATP CoA-SH CO2

C6H12O6 2C3H4O3 C3H4O3 Acetil


Coenzima A
Glicose Piruvato Piruvato
2NAD+ 2NADH+H+ NAD+ NADH+H+

Saldo: 2ATP+2NADH2 Saldo: 2(2NADH2)


Glicólise (Completa)
Fase Preparatória (Completa)
Ciclo de Krebs Acetil-coA coA

Ciclo do Ácido Cítrico

• Ocorre na Matriz
Mitocondrial
Oxalacetato Ácido Cítrico
• A molécula de
glicose inicial é 3NAD+
completamente FADH + H+
quebrada em CO2
Compostos 3NADH + H+
Intermediários
FAD+
2CO2
Saldo: 2(3NADH2 + ATP + FADH2)
ATP ADP + Pi
Ciclo de Krebs
(Completo)
Cadeia Respiratória • Ocorre na membrana
interna da mitocôndria
Fosforilação Oxidativa

H+ H+ H+

Complexo e- Ubiquinona e- Complexo Citocromo Complexo


I/II e- (UQ) e- III e- © e- IV

2H+ + ½ O2
NAD+
FAD+ H2O

• O processo ocorre via proteínas ADP + Pi ATP


transportadoras de elétrons sintetase
ATP (ATPs)
Cadeia Respiratória (Ilustrativa)

H+ H+ H+

II e- © e- IV
e- UQ e- III e-
I
2H+ + ½ O2 H+
H+ H+
NAD+ H2O
FAD+ ADP + Pi
H+ H+ ATPs

ATP
Modelo H+
NADH2 = 3 ATP
Escada II FADH2 = 2 ATP
e-
I Saldo final: 10NADH2 + 2 FADH2 + 4ATP =
e- H+ (30 + 4 + 4)ATP = 38 ATP
UQ
III
e-
H+ e- H+
© IV
2H+ + ½ O2
H+
H2O ADP + Pi

H+ ATP
Fermentação • 2 tipos:

• Via metabólica alternativa Láctica


(facultativo) ou obrigatório (algumas
bactérias);

• Metabolismo anaeróbico (sem a


utilização de O2);

Alcoólica
• Piruvato atua como receptor de
elétrons;

• Rendimento energético menor


(menos ATP).
Gliconeogênese

• Síntese de glicose através de


precursores que não são carboidratos.

• Muitas células de diferentes órgãos


necessitam exclusivamente de
glicose para o metabolismo. Ex:
cérebro
Glicogênese
• Síntese de glicogênio no músculo e no
fígado.
• Acontece através da polimerização dos
monômeros de glicose
Lipogênese
• Síntese de Lipídios; • Ocorre a partir de um grupo especial
chamado malonila;

• Ocorre a adição gradativa de 2 grupos


acila, montando cadeias grandes de
ácidos graxos.
Glicogenólise
• Degradação de glicogênio no músculo e
no fígado.
• Acontece através da quebra e
desramificação dos polímeros de glicose
Lipólise
• Degradação de ácidos graxos
para obtenção de energia;
• Ocorre na mitocôndria;
• O Glicerol é convertido em
Gliceraldeído-3-fosfato e entra
na glicólise
• Ácidos graxos são quebrados
em Acetil-CoA e entram no
ciclo de Krebs;
• Os NADH2 e FADH2 formados
durante a β-Oxidação e o Ciclo
de Krebs vão para a cadeia
respiratória gerando em
média 108 ATPS .
Lipólise (completo)

• Cadeias com 16 carbonos precisam


ser preparados antes de entrar na
mitocôndria.

Ácidos graxos + Acetil-CoA + ATP

Acil-CoA graxo + AMP + PPi


Lipólise (completo)
• Acil-CoA entra na mitocôndria através do
ciclo da carnitina.
Lipólise (completo)
• Na mitocôndria o acil-CoA com 16
carbonos, é quebrado de 2 em 2
formando ao todo 8 moléculas de
acetil-CoA que entram no ciclo do
ácido cítrico

Acil CoA + FAD+ + NAD+ + CoA-SH + H2O

Acetil CoA + NADH2 + FADH2


Lipólise (completo)

• Nos animais e, principalmente


nos vegetais, a degradação de
ácidos graxos também é feita pelo Peroxissomo/
Mitocôndria
peroxissomo/glioxissomo das Glioxissomo
células. No peroxissomo, o Acil-
CoA passa os elétrons
diretamente para o O2, formando
H2O2, que é diretamente
transformado em H2O + O2 pela
catalase.
Corpos Cetônicos

• Em situações de jejum prolongado,


ou diabetes, as células do fígado
quebram os lipídeos armazenados,
e os transformam em corpos
cetônicos para serem transportados
a outros órgãos. A acetona
produzida é tóxica ao organismo
em grandes quantidades.
Oxidação de Proteínas

• Quebra de aminoácidos para a


obtenção de energia;

• O aminoácido é desaminadado,
formando o íon amônio (NH4+) e
esqueletos de carbono;

• O amônio é convertido em Ureia


e os esqueletos de carbono em
cetoácidos para a produção de
energia
Oxidação de Proteínas (Completo)
• A amina é transferida do aminoácido para o • A amônia é toxica para as células, e é
α-Cetoglutarato, tornando-o um L-glutamato transportada na forma de glutamina.
com a formação de um α-Cetoácido;
Oxidação de Proteínas
(Completo)
• Nos tecidos musculares, o
glutamato transfere sua amônia
para o piruvato, formando
alanina, que é transportada
para o fígado para posterior
conversão em Ureia

• Ao chegar na Mitocôndria dos


tecidos hepáticos, a amônia é
convertida em Ureia através
do Ciclo da Ureia
Membrana dupla
Cloroplasto (interna e externa)
Tilacóide
• Presente em algas e plantas;
Granum
(plural grana)
• Responsável pela fotossíntese;
Estroma
• Possui DNA próprio (autorreplica);

• Teoria da endossimbiose: teriam sido


cianobactérias que foram fagocitadas e
mantidas em simbiose.
Fotossíntese • Absorção de luz: feita pela clorofila
através de ressonância;
• Transformação de matéria inorgânica
em orgânica;
• Fixação do carbono, transformando-o
em açúcar (sacarose);
• Equação química:

Luz

6CO2 + 6H2O → C6H12O6 + 6O2


• Dividida em fase clara e fase
escura
Fotossíntese
Fotossíntese

• Tipos de pigmento
absorvem diferentes
comprimentos de onda
da luz visível. A maioria
reflete o comprimento
de onda verde
• Absorção de luz;
Fase Clara Estroma
• Transporte de elétrons;
Luz Luz
NADP
Fotossistem II Plastoquinona Citocromo Plastocianina Fotossistema I Ferrodoxina redutase
(PSI) e- (PQ) e- © e- (Pc) e- (PSI) e- (Fd) e- (NADPr)

NADP+ + H+
H2O 2H+ + ½O2 H+
NADPH2
Fotólise da água
(reação de Hill)

• Produção de ATP e NADPH2; ADP + Pi ATP


• Ocorre através de proteínas Lúmen do sintetase
transportadoras de elétrons. tilacóide (ATPs)
ATP
Fase Clara (ilustrativa)
Estroma
Luz Luz
H+

© Fd e- NADPr
PSII PQ PSI
e- e-
Pc e-

H2O 2H+ + ½O2 H+

Lúmen do
tilacóide
Modelo Escada
e-
PSII e- H+
Fd
e-
PQ NADPr
©
e- ATPs
e- ATP

Pc
H+
PSI
Fase Clara
• Fosforilação cíclica:
• Fosforilação acíclica:
Contribui para a maior
Síntese de ATP e NAPH2. produção de ATP

e-
© Fd Fd
PQ ATPs ©
-
PSII e PSI e- NADPr PSI
Pc e-
e-
H+ H+
• A fosforilação acíclia não • Na fosforilação cíclia, há maior
produz ATP suficiente para a quantidade de prótons (H+) sendo
próxima fase da fotossíntese bombeados e, consequentemente,
maior produção de ATP.
Fase Escura
• Fixação do Carbono;

• Ciclo de Calvin- Benson


(ciclo das pentoses);

• Ocorre no Estroma;

• Há a utilização do
NADPH2 e ATP
produzidos na fase clara.
Fase Escura

• Após a formação do
gliceraldeído-3-fosfato,
pode-se tomar 3 vias: a
síntese de açúcar
(sacarose) a de amido, ou
entrar diretamente na
glicólise.
Tipos de Metabolismo
• C4: Em plantas que vivem em ambientes
tropicais, com alta intensidade luminosa e altas
temperaturas desenvolveram um mecanismo
alternativo, onde o primeiro composto é uma
cadeia de 4 carbonos (ao invés de 3);

• CAM: Plantas que vivem em ambientes


extremos, fecham seus estômatos durante o
dia, só abrindo e capturando CO2 durante à
noite. O CO2 convertido em oxaloacetato e
armazenado em malato. Durante o dia, o Ciclo
de Calvin continua.
Núcleo Poro nuclear
Nucleoplasma
(cariolinfa)
• Atua no controle celular; Membrana dupla
• Armazena DNA Carioteca
(envelope nuclear)
Cromatina
Nucléolo

Cromatina

Nucléolo

Poro nuclear
Carioteca
Eucromatina
Núcleo
Heterocromatina

• Cromatina:
- Material genético (DNA) descondensado

Eucromatina
(genes ativos)
- 2 formas

Heterocromatina
(genes inativos)
Núcleo XX

• Cromatina sexual (corpúsculo de


Barr): presente nas fêmeas de
mamíferos. DNA condensado de
um dos cromossomos X.

XY
Núcleo
• Condensação da cromatina:
- Ocorre quando a célula vai se dividir
Cromossomo
- Associação do DNA com proteínas histonas metafásico duplicado

Histona

Dupla-hélice Nucleossomos Cromatina condensada


Núcleo
• Cromossomo:
- DNA condensado ou semicondensado.

Metacêntrico Submetacêntrico
Telômero

Braço
Cinetócoro
Centrômero

Acrocêntrico Telocêntrico
Núcleo
• Cariótipo: conjunto de todos os
cromossomos de uma espécie
- Espécie humana: 23 pares (22
autossômicos e 1 sexual).

Homem: 46, XY

Mulher: 46, XX

• Células 2n possuem 1 par de Cariótipo de um indivíduo macho


cromossomos homólogos da espécie humana
Núcleo
Fecundação
• Células gaméticas:
possuem metade do Espermatozóide (n) Óvulo (n) Zigoto (2n)
número de cromossomos.

• Gene: sequência de
nucleotídeos que conferem
uma característica no
organismo. Diferentes,
sequências diferentes genes.

• Genoma: Conjunto de genes


presentes em uma espécie.
Expressão Gênica
RNAm (mensageiro): leva
• Genes em atividade; a informação do gene para
ser traduzido.

Transcrição Tradução RNAt (transportador):


- Gene(DNA) RNAm Proteína carrega o aminoácido e
pareia com o RNAm
durante a tradução.

RNAr (ribossomal):
estruturas do ribossomo

RNAmi (micro): regula o


processo de tradução
Transcrição
• Leitura do gene em RNA
Fase de iniciação: RNA polimerase
reconhece uma sequência específica
(TATAA) chamada promotor, a qual
se liga. Fase de terminação: A enzima chena numa
sequência que termina a transcrição

Fase de alongamento: RNA


polimerase abre a dupla fita e
RNAm primário
percorre o trecho de nucleotídeos,
pareando os trechos de RNA.
Transcrição
Éxon1 Íntron Éxon2
Processamento (Splicing)

• Em eucariontes, há regiões do DNA e,


consequentemente do RNAm que não são
codificáveis (íntrons) e regiões que são
codificáveis (éxons). Os íntros precisam
ser removidos antes da tradução. Complexo
enzimático
(Spliceossomo)

Éxon1 Éxon2
Processamento (Splicing)
Tradução

• Síntese de Proteínas feita pelo


ribossomo a partir do RMAm;

• Cada trinca de nucleotídeos


codifica um aminoácido;

• RNAt carrega o aminoácido


pareando com o RNAm através do
seu anti-códon.
Tradução Ribossomo
Aminoácido
Pro

Met

RNAt

Anti-códon

RNAm
Tradução
Gln

Met Pro
Tradução
Met Gln

Pro Val
Tradução Met
Pro Thr

Val Val
Tradução Pro
Met
Phe

Val

Val Thr
Tradução Val
Pro Met
STOP
Val

Thr Phe
Tradução Val
Val Pro Met

Thr
STOP
Phe
Tradução Val
Val Pro Met

Thr

Phe STOP
Tradução Val Pro Met
Val
Thr
STOP
Proteína
Phe
Tradução
• Códon de iniciação: a • GUU e GUC codificam o mesmo aminoácido
tradução sempre começa a (valina), portanto um aminoácido pode ser
partir do códon AUG, que codificado por mais de um códon. Porém,
codifica o aminoácido cada códon só codifica um aminoácido.
metionina

• Códon de terminação: da mesma


forma que começa, existem códons
Met Val
que indicam o término da tradução
(UAA, UAG e UGA)
Tradução
Segunda letra
Tradução
Tabela de tradução de
aminoácidos

Terceira letra
Primeira letra
Ciclo celular
• G1: célula realizando suas
atividades normalmente

• G0: células que não se


multiplicam
M
• S: duplicação do DNA
G2 G1 G0
• G2: verificação do DNA replicado
e síntese de proteínas que
S
ajudarão na divisão celular

• M: divisão celular (mitose ou


meiose)
Intérfase
Replicação do DNA
• Ocorre na fase “S” da interfase
• DNA duplica suas moléculas para posterior divisão
• Caráter semiconservativo.

Topoisomerase Helicase

DNA
Polimerase
Mitose

• Divisão celular de células somáticas;


• Célula 2n origina duas células 2n
• Dividida em 5 etapas:
- Prófase
- Metáfase
- Anáfase
- Telófase
- Citocinese
Mitose (Gráfico)

4c
Quantidade de DNA

2c

Tempo
Meiose
• Divisão que origina células
gaméticas

• Uma célula mãe 2n origina


quatro células filhas n

• Dividida em Meiose I e
Meiose II
Meiose I
Meiose I
Meiose II
Meiose (gráfico)

4c
Quantidade de DNA

2c

Tempo
Mutações Mutante
DNA original: TATGCATGGAATACC
RNAm: AUACGUACCUUAUGG
• Alteração na sequência de
Proteína: IIe-Arg-Thr-Leu-Try
nucleotídeos da base do DNA;
• Fatores mutagênicos: fatores Mutação:
que induzem a mutação;
• Alterações podem gerar uma - Benéfica: quando traz alguma
nova proteína vantagem
- Neutra: Não afeta a estrutura da
• EX: proteína
Normal - Maléfica: quando traz alguma
DNA original: TACGCATGGAATCC desvantagem
RNAm: AUGCGUACCUUAUGG
Proteína: Met-Arg-Thr-Leu-Try
Tipos de Mutação Troca de base: quando ocorre a
troca de uma base pela outra
Deleção: quando há a perda ou
remoção de um ou mais nucleotídeos EX: AACCGTCGG → AACCGTCAG

EX: AACCGTCGG → AACCGTCG_ Translocação: quando ocorre um


deslocamento de uma sequência de um
Inserção: quando há a adição de cromossomo para outro (não
um ou mais nucleotídeos homólogo)

EX: AACCGTCGG → AACCCGTCGG EX: C1: AACCGTCGG → ___CGTCGG


C2: CCAATTGCA → AACCCAATTGCA
Inversão: quando a sequência é
modificada

EX: AACCGTCGG → AACTGCCGG


Erros de disjunção
• Euploidia: quando toda a Meiose I
ploidia numérica do
organismo é afetada.
- Ex: organismos 3n, 4n, 5n Não disjunção

Meiose II

• Aneuploidia: quando Não disjunção


apenas um par de
cromossomos é afetado
numericamente
- Ex: 47, XXY
Não disjunção de Gametas Não disjunção de
cromossomos homólogos cromátides irmãs
Erros de disjunção
• Síndrome de Down: Trissomia • Síndrome de Turner: Ausência
do cromossomo 21 de um cromossomo sexual (Y)
- cariótipo: 47, XX ou XY, +21 - cariótipo: 45, X0
Erros de disjunção
• Síndrome de Klinefelter: Presença de • Síndrome de Edwards: Trissomia do
um cromossomo sexual X a mais num cromossomo 18.
indivíduo do sexo masculino. - cariótipo: 47, XX ou XY, +18
- cariótipo: 47, XXY
Erros de disjunção
• Síndrome do Super Macho: Presença • Síndrome da Super Mulher: Presença
de um cromossomo sexual Y a mais de um cromossomo sexual X a mais
num indivíduo do sexo masculino. num indivíduo do sexo feminino.
- cariótipo: 47, XYY - cariótipo: 47, XXX
Erros de disjunção
• Síndrome 48: Presença de 4
• Síndrome de Patau: Trissomia cromossomos sexuais, podendo
do cromossomo 13 . variar dependendo do sexo.
- cariótipo: 47, XX ou XY, + 13 - cariótipo: 48, XXXX, XXXY ou XXYY
Gametogênese
Espermatogênese Ovogênese
2n Espermatogônia 2n
Ovogônia
Crescimento celular
Crescimento celular
2n
Espermatócito I 2n
Ovócito I
Meiose I
Meiose I
n n
Espermatócito II 1º corpúsculo polar
Ovócito II
n Meiose II
Espermátide Meiose II

Espermiogênese n
2º corpúsculo polar
Espermatozóide
Óvulo