Você está na página 1de 2

COORDENAÇÃO DO CURSO DE CIENCIAS SOCIAIS BACHARELADO

Parecer Avaliativo de Artigo sem apresentação oral


Trabalho de Conclusão de Curso II

Nome do Avaliador: Reginaldo Teixeira Perez Envio: Devolução:


15/02/2016 20/02/2016

Título do Artigo: ENTRE REVOLUÇÃO CIENTÍFICA E CIÊNCIA REVOLUCIONÁRIA: UM ESTUDO


SOBRE AS CONCEPÇÕES DE REVOLUÇÃO E CIÊNCIA EM LENIN E KROPOTKIN

Nome do Aluno: Mateus Tuzzin de Oliveira

1) CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

Critérios: Ruim Regular Bom Muito Não se


Bom aplica
1. Tema (atual e relevante)    X 
2. Adequação do título ao conteúdo    X 
3. Relevância do problema   X 
4. Objetivos (claros e bem definidos)    X 
5. Revisão de literatura (reflete o conhecimento    
na área) X
6. Descrição da metodologia e hipóteses    X 
7. Adequação da metodologia ao problema    X 
8. Adequação dos métodos de análise de dados      X
9. Análise de resultados (interpretação correta,    
aprofundada e articulada com a base teórica) X
10. Coerência das considerações finais com   X
objetivos
11. Consistência das considerações finais com  X
evidências
12. Contribuição científica (para o  X
conhecimento na área temática)
13. Clareza da redação  X
14. Caráter científico da redação  X
15. Tabelas, quadros, gráficos e figuras  X
16. Originalidade   X 

1
2. PARECER DO AVALIADOR

( X ) APROVADO SEM RESTRIÇÕES.

3. NOTA DO AVALIADOR (ENTRE 0,00 A 10,00): 10,0 (DEZ)

4. COMENTÁRIOS OU SUGESTÕES (OU PROVOCAÇÕES)

Trabalho excepcional o do Mateus. Parabéns. A nota atribuída por este avaliador – 10,0 (DEZ) –
é mais do que merecida. Penso que este trabalho seja um dos momentos altos do processo de
maturação cognitiva experimentado pelo graduando.
Detalho (e justifico) a avaliação:
1. Texto muito bem organizado (e bem escrito); trabalho de cunho teórico (o que dificulta
para os alunos com pouca experiência acadêmica); [Considerados os propósitos
reflexivos do autor], acerto na escolha dos autores tratados;
2. O volume e a qualidade da literatura empregada são excelentes;
3. O argumento é complexo (mais um elogio à coragem do Mateus), haja vista a opção
pela ambientação dos dois intelectuais no interior de uma dinâmica histórico-simbólica
europeia que demanda muita erudição – mais uma vez, sai-se muito bem na
empreitada;
4. Logicamente, o entrecho é muito bem urdido;
5. A comparação entre os pensadores (no final) é muito bem feita, didática e articulada.

Espero ter enfrentado os pontos que me fizeram apreciar (demais) o trabalho do Mateus. O
que vou expor a seguir são questões para fins de “provocação”, extraíveis das formulações do
Mateus, e que foram somente tangenciados – afinal, os objetivos eram outros:
1. O primeiro diz respeito à Sociologia ínsita às teorizações dos dois pensadores
examinados: no caso de Kropotkin/anarquismo, a horizontalidade social
potencialmente livre (o “potencialmente” diz respeito às formulações hobbesianas);
quanto a Lênin/socialismo, a sociabilidade assume formas totalmente diferenciada
(verticalizada, bem entendido)..... – o que nos habilita a olhar a Política
(institucionalidade formal) nos pensadores;
2. Centralizo em Lênin a questão da Política: penso que, em boa medida, o que ele opera
é um “preenchimento” na teoria política de Marx – ou na sua carência: a interpretação
que sublinha o elitismo/realismo de Lênin (a ciência materialista identificada no
trabalho do Mateus corrobora isso) dá efetividade política ao marxismo. Lênin
“resolve” as coisas. [A propósito, sugiro ao Mateus a leitura da obra Rumo à Estação
Finlândia, de Edmund Wilson, na qual algumas peculiaridades pessoais de autores
marxistas vêm a lume];
3. Concluindo: as diferenças entre os dois autores de esquerda (e fortes críticos ao
sistema liberal/burguês) são muito largas – tendo-se como origem os diferentes juízos
sobre a condição/natureza(?) humana. O trabalho do Mateus me ajudou a iluminar
essas diferenças.