Você está na página 1de 15

FELIX BENJAMIM 15/0125101

RAYANE CARDOSO 14/0160451


WENDEL PEREIRA 15/0048505
SABRINA PENHA DE LIMA 17/0021866

PROBIÓTICOS E
RESPOSTA IMUNE
INTRODUÇÃO

• Probióticos são bactérias que não prejudicam o hospedeiro, são


benéficas para o mesmo e tem o papel de tratar e evitar
doenças.
• A palavra probiótico é originada do grego e significa “Pró-
vida”.
• Bactérias probióticas: bactérias ácido-lácticas; bacillus e
leveduras.
• Prebióticos vs Probióticos: O primeiro é o alimento das
bactérias e o segundo é a bactéria que traz benefícios para o ser
humano.
INTRODUÇÃO

CARACTERÍSTICAS

• Resiste ao pH baixo do suco gástrico ao O2;


• Resistente a ação da bili e das secreções intestinais;
• Durante a estocagem e o transporte, permanecem vivas
por um longo período de tempo;
INTRODUÇÃO
APLICAÇÕES E MECANISMOS
DE AÇÃO DOS PROBIÓTICOS

• São usados em medicina humana na prevenção e


tratamento de doenças:
–Regulação da microbiota intestinal;
–Distúrbio do metabolismo gastrintestinal, como
imunomoduladores; e
–Inibição da carcinogênese.
APLICAÇÕES E MECANISMOS
DE AÇÃO DOS PROBIÓTICOS

• O modo de ação dos probióticos não foi ainda completamente


esclarecido, embora tenham sido sugeridos vários processos que
podem atuar independentemente ou associados.
• Modos de ação:
– Exclusão competitiva;
– Atuação no metabolismo celular, reduzindo a concentração de
amônio no organismo e liberando enzimas como a lactose;
– Ajudam a reduzir o colesterol;
– Decomposição dos antígenos luminais patogênicos; entre outros.
APLICAÇÕES E MECANISMOS
DE AÇÃO DOS PROBIÓTICOS

Microrganismos com propriedades de probióticos


Lactobacillus Bifidobacterium Outras bactérias ácido lácticos Bactérias não ácido lácticas

L. acidophilus B. adolescentis Enterococcus faecalis Bacillus cereus var. toyoi


L. amylovorus B. animalis Enterococcus faecium Escherichia coli cepa nissle

L. casei B. bifidum Lactococcus lactis Propionibacterium freudenreichii

L. crispatus B. breve Leuconstoc mesenteroides Saccharomyces cerevisiae


L. delbrueckii subsp. bulgaricus B. infantis Pediococcus acidilactici Saccharomyces boulardii
L. gallinarum B. lactis Sporolactobacillus inulinus
L. gasseri B. longum Streptococcus thermophilus
L. johnssonii
L. paracasei
L. plantarum
L. reuteri
L. rhamnosus
PROBIÓTICOS DE BACILLUS

• Probióticos elaborados com Bacillus cereus var. toyoi destinados a animais.


• Principais vantagens do Bacillus sobre as bactérias ácido lácticas:
– Duração;
– Elaboração;
Capacidade de esporular
– Transporte;
– Armazenamento.
• Benefícios para o animal:
– Ganho de peso;
– Controle de diarreias;
– Redução de morte: suínos perinatal e frangos.
PROBIÓTICOS DE BACILLUS

• B. cereus CIP 5832


– Efeitos benéficos em porcas durante o estágio final de prenhez e lactação assim
como em leitões em crescimento.
• B. licheniformes
– Mais eficaz no controle de Escherichia coli em leitões
• A eficácia varia de concentração bacteriana na ração:
– B. cereus CIP 5832 : O ganho de peso e na conversão alimentar de leitões
melhorou nas concentrações de 5 x 108 ou 1 x 109 de probióticos
– B. licheniformes: Em terneiros notou-se relação entre concentração e eficácia:
ganho de peso/eficiência alimentar 3,9% e 3,2%
– Bacillus cereus var. toyoi: Concentrações em 1 x 109
PROBIÓTICOS DE BACILLUS

BACTÉRIAS DO GÊNERO BACILLUS PODEM SER UTILIZADAS COMO


IMUNOMODULADORES:

• B. Firmus: a resistência contra infecção experimental em camundongos;


• B. Subitilis: Evitou imunossupressão causada pelas vacinas replicantes contra
Parvovirus e Cinomose;
• Probiótico CenBiot estimulou resposta imune humoral a uma bactéria Escherichia
coli em camundongos.
PROBIÓTICOS DE
SACCHAROMYCES BOULARDII

• DEFINIÇÃO:
– Levedura não patogênica;
– Utilizada na prevenção e tratamento de diversas doenças gastrointestinais;
– Mantém suas propriedades probióticos;
– Probióticos + leveduras: protege camundongos das toxinas - Clostridium
difficile.
• BENEFÍCIOS:
– ↑ nas concentrações de Ig A intestinal em ratos;
– A administração de probiótico elaborado com a levedura favoreceu a
resposta imune celular tipos 1 e 2 estimulando a produção de IFN-γ e IL-4
em camundongos gnotobióticos.
PROBIÓTICOS E IMUNIDADE

• A maioria dos estudos com bactérias ácidos-láticas tem efeito


imunoestimulante no animais e no homem. Mesmo ainda não
estando esclarecidos completamente os passos que ocorre.
Umas das teorias é que está relacionado a capacidade de
microrganismos do probiótico interagirem com placas de Peyer
e as células epiteliais intestinais, que são especializadas em
absorção. Também tem sido demonstrado que probióticos
favorece a atividade fagocítica de macrófagos alveolares.
• A síntese de citocinas pela mucosa intestinal depende de
Lactobacillus, tendo que realizar uma grande seleção de cepas
dos probióticos.
PROBIÓTICOS E IMUNIDADE

• L. casei apresentou imunomodelador similar de outras


bactérias. E apresentou resultados dos tipo 1 em
camundongos. Sua administração protegeu camundongos
contra patógenos intestinais pelo aumento da capacidade
fagocíticas de células natural killers.
• Houve também controle de diarreia por uma vacina
especifica e controle de diarreia por E. Coli, apresentando
melhor resultado com a combinação de vacina e
probióticos.
CONCLUSÃO

• Os probióticos apresentam além de promotores do


crescimento e reguladores da microbiota das mucosas,
como é um agente imunomodelador, mas de forma pouco
conhecida de como isso ocorre. As evidências apontam
pelo uso de probióticos onde vale a pena um
aprofundamento nos estudos do seu modo de ação, para
aperfeiçoar sua utilização.
REFERÊNCIAS
BIBLIOGRÁFICAS

DE MENEZES COPPOLA, Mario; GIL-TURNES, Carlos.


Probióticos e resposta imune. Ciência Rural, v. 34, n. 4, p.
1297-1303, 2004.
DOENÇA DE CROHN E COLITE ULCERATIVA.
Disponível em
http://www.crohnecolite.com.br/2013/09/probioticos.html,
acessado em 05 de outubro de 2017.