Você está na página 1de 44

PASTAGEM E

FORRAGICULTURA

Hanna Alves
Engenheira Agrônoma
• Métodos de pastejo
• Características morfológicas das principais
espécies forrageiras
PASTEJO CONTÍNUO
• O rebanho tem acesso à toda a área da
pastagem durante toda a estação de
crescimento
Desvantagens da lotação contínua
• Possibilita um pastejo seletivo ( as plantas palatáveis
desaparecem) e irregular;
• Provoca o desaparecimento de várias espécies forrageiras,
talvez as melhores ou então as mais palatáveis, por não
conseguirem elas se desenvolver e reproduzir;
• Favorece a entrada de plantas invasoras;
• Há enfraquecimento da pastagem pela degradação ou
degeneração de certas espécies forrageiras;
• Há aumento de pragas vegetais devido ao mau pastoreio e
acúmulo de esterco em certos locais;
• Favorece o desenvolvimento de ectoparasitas, como bernes
e carrapatos;
• Diminui a capacidade de lotação por unidade de área.
Vantagens da lotação contínua
• Menor investimento em infra-estrutura;
• Maior capacidade de “auto-correção” do
ecossistema ⇒ Aceita mais erros;
• Menor requerimento de mão-de-obra para o
manejo.
PASTEJO ROTATIVO
• O rebanho tem acesso a uma subdivisão da
pastagem a cada momento, havendo
momentos de pastejo e de descanso para
cada uma das subdivisões.
• Período de pastejo (PP): período em que o
rebanho permanece num piquete;
• Período de descanso (PD): período entre dois
pastejos sucessivos num mesmo piquete;
• Ciclo de pastejo (CP) : tempo que o rebanho
leva para dar uma “volta completa” no
sistema, normalmente = PP+PD.
VANTAGENS DA LOTAÇÃO ROTATIVA
• > uniformidade de pastejo ⇒ > taxa de
crescimento do pasto (kg MS/ha x dia) ⇒
>capacidade de suporte do pasto ⇒ >rendimento
(produtividade) de produto animal por área com
↑ taxa de lotação;
• Melhor acompanhamento da condição da
pastagem e do animal (mais fácil de enxergar
possíveis erros);
• Distribuição mais uniforme dos excrementos;
• Permite uma colheita do excesso de forragem com
melhor qualidade para conservação.
DESTAVANTAGENS DO PASTEJO
ROTACIONADO
• Maior custo de implantação
• Maior custo com manejo e mão-de-obra
AGROPECUÁRIA
• EXTENSIVA
• EXTENSIVA TECNIFICADA
(SEMI-EXTENSIVO)
• INTENSIVA
• AGROPECUÁRIA FAMILIAR
CARACTERÍSTICAS
MORFOLÓGICAS DAS PRINCIPAIS
ESPÉCIES DE FORRAGEIRAS
• É o estudo das características físicas (estrutura
externa) das plantas forrageiras.
• Do grego = morphe (forma) + ology (estudo)
• Estruturas:
– Inflorescência;
– Folha;
– Colmo ou caule;
– Raiz.
• A morfologia auxilia nas decisões de manejo
das forrageiras.
• Refletem nos componentes de produção das
forrageiras (número de perfilhos; número de
folhas, tamanho das folhas)
• É a base para identificação das plantas.
GRAMÍNEAS =
MONOCOTILEDÔNEAS
LEGUMINOSAS =
DICOTILEDÔNEAS
GRAMÍNEAS
LEGUMINOSAS
SISTEMA RADICULAR
• Há dois tipos básicos de sistema radicular:
– Raiz pivotante (leguminosas) – NÓDULOS
– Raiz fasciculada (gramíneas)
• Os entrenós são curtos na base do colmo e se
tornam mais cumpridos do centro para o término
• Gemas nos nós
RIZOMAS
• São caules subterrâneos.
• Crescimento horizontal.
• Nas gramíneas a unidade da inflorescência é a
espigueta.
• Exemplos:
– Panícula – Panicum
– Brachiaria – rácimo
ÓTIMOS ESTUDOS!!