Você está na página 1de 7

Em dupla observe e faca a leitura do mapa e em seguida faça as atividades abaixo.

a) Qual o título deste mapa?


b) Qual é a época retratada no mapa?
c) O que a ilustração do texto nos mostra?
d) O que o texto nos conta?
e) Em que região se desenvolveu a exploração do pau-brasil?
f) Você sabe indicar qual o tipo de vegetação existia nesta região naquela época?
OBS: Caso nenhum aluno identifique a mata Atlântica, o professor oferece a
informação
g) Você tem notícia da existência da Mata Atlântica hoje no território brasileiro? O que
será que aconteceu com ela?
h) O que as setas amarelas estão indicando no mapa?
i) Formule duas conclusões a que se pode chegar observando a direção das setas
amarelas no mapa.
3- O professor socializa as respostas e faz os comentários necessários.
OBS: O professor explica que a Mata Atlântica, originalmente, ocupava quase todo o
litoral brasileiro, do Rio Grande do Sul ao Piauí.
Embora, hoje, estime-se que apenas cerca de 7% de sua área original ainda exista, ela
ainda é o bioma mais rico em biodiversidade do planeta e abriga milhares de espécies
endêmicas (que só existem lá)!
Isso também significa que muitos dos animais em extinção no Brasil - cerca de 60% -
são encontrados na Mata Atlântica.Além disso, 7 das 9 maiores bacias hidrográficas
brasileiras se encontram na Mata Atlântica.
Apesar da urgência de se proteger este bioma, apenas cerca de 2% de sua área original
está protegido em unidades de conservação, e mesmo as áreas protegidas são pequenas,
fragmentadas e, muitas vezes, só existem no papel, devido à falta de infra-estrutura e de
fiscalização.
http://raizasas.blogspot.com/2010/05/blog-post.html
4- Ainda com a turma em grupos, o professor propõe a análise da legenda do mapa a
partir das questões:
a) O que indica o primeiro retângulo? Localize no mapa e comente o significado do
Tratado de Tordesilhas.
b) O que indica o 2º retângulo?Formule uma hipótese para a afirmação: “ área não
conhecida pelos colonizadores.”
c) Observe a área de exploração do pau-brasil.O que contribuiu para que a exploração
do pau-brasil acontecesse em larga escala?
d) Quais aspectos contribuíram para a fixação da população, dando origem aos
primeiros núcleos urbanos?
e) Observe o 5º retângulo e comente a informação que ele mostra.
f) Compare o domínio espanhol com o domínio português e tire duas conclusões.
5- O professor socializa as respostas e faz os comentários necessários

3ª ATIVIDADE

1- O professor apresenta o mapa abaixo solicitando a leitura do mesmo.


http://padogeo.com/formacao-do-brasil.html
2- Em seguida, organiza a turma em grupos para que faça as atividades abaixo:
a) Qual o título deste mapa?b) Que época o mapa retrata?
c) O que a ilustração do texto nos mostra?
d) De acordo com o texto o que ocorreu no século XVII no Brasil?
e) Quais as atividades econômicas introduzidas no Brasil neste momento?
f) Quais as consequências da introdução da pecuária para o processo de ocupação do
território brasileiro?
g) Elabore duas conclusões a que se pode chegar observando no mapa a região de
ocorrência das chamadas drogas do sertão.
h) Qual o papel dos rios no processo de expansão do território brasileiro?
i) O que você observou sobre o processo de ocupação do território brasileiro no século
XVII?
3- O professor socializa as respostas e faz os comentários necessários
OBS: O professor investiga se os alunos sabem o que são drogas do sertão e esclarece:
Em 1616, a construção do forte de Belém deu início a uma série de expedições
exploratórias pelo interior da selva amazônica. Em um primeiro momento, os
portugueses esperavam encontrar e aprisionar índios posteriormente usados no trabalho
escravo. Entretanto, as prospecções realizadas acabaram possibilitando a descoberta de
diversos recursos naturais que poderiam ser vendidos para o mercado consumidor
europeu.
As chamadas drogas do sertão abarcavam uma série de produtos como o guaraná, o anil,
a salsa, o urucum, a noz de pixurim, pau-cravo, gergelim, cacau, baunilha e castanha-
do-pará. Todas essas especiarias tinham alto valor de revenda no Velho Continente e,
com isso, logo o contrabando apareceu nessas áreas. Para controlar a exploração das
drogas do sertão, Portugal optou por deixar a exploração desses gêneros a cargo das
missões jesuíticas que empregava mão-de-obra indígena.
A descoberta das drogas do sertão ocorreu em um período em que a busca por
especiarias no Mundo Oriental estava em franco processo de decadência. Dessa
maneira, a exploração da região norte teve grande desenvolvimento no momento em
que assumiu o papel econômico outrora desempenhado por outras nações. Além disso, a
busca e o comércio das drogas do sertão tiveram fundamental importância para a
ocupação da região norte do Brasil.
http://www.mundoeducacao.com.br/historiadobrasil/drogas-sertao.htm
3- O professor socializa as respostas e faz os comentários necessários.
4- Ainda com a turma em grupos, o professor solicita que comparem os mapas do
século XVI e XVII e elaborem um parágrafo registrando as suas descobertas.
4- O professor socializa as produções e faz os comentários necessários.

4ª ATIVIDADE

1- O professor organiza a turma em grupos de quatro alunos e propõe que eles leiam os
textos abaixo. Para a discussão do texto, sugere-se o roteiro:
a) Trabalhar o significado das palavras desconhecidas.
b) Leitura oral pelos participantes do grupo.
c) Identificar as idéias defendidas nos textos.
d) Levantar argumentos contra ou a favor das ideias do texto.

1º TEXTO
Os Bandeirantes foram os homens valentes, que no princípio da colonização do Brasil,
foram usados pelos portugueses com o objetivo de lutar com indígenas rebeldes e
escravos fugitivos.
Estes homens, que saiam de São Paulo e São Vicente, dirigiam-se para o interior do
Brasil caminhando através de florestas e também seguindo caminho por rios, o Rio
Tietê foi um dos principais meios de acesso para o interior de São Paulo. Estas
explorações territoriais eram chamadas de Entradas ou Bandeiras. Enquanto as Entradas
eram expedições oficiais organizadas pelo governo, as Bandeiras eram financiadas por
particulares (senhores de engenho, donos de minas, comerciantes).
Estas expedições tinham como objetivo predominante capturar os índios e procurar por
pedras e metais preciosos. Contudo, estes homens ficaram historicamente conhecidos
como os responsáveis pela conquista de grande parte do território brasileiro. Alguns
chegaram até fora do território brasileiro, em locais como a Bolívia e o Uruguai.
http://www.achetudoeregiao.com.br/ATR/Bandeirantes.htm

2º TEXTO

No Brasil, no século XVII, alguns homens valentes se introduziram no sertão, movidos


pelo desejo de encontrar jazidas de metais preciosos e outras riquezas e, ainda,
aprisionar selvagens, a fim de vendê-los como escravos aos colonizadores. Arriscavam-
se muitíssimo, e algumas vezes foram massacrados por índios ferozes. Levavam
provisões de mandioca, milho, feijão, carne seca e pólvora, bem como redes, onde
dormiam. Faziam-se acompanhar dos filhos maiores de 14 anos, de escravos e alguns
homens do povoado, que também ambicionavam riquezas. Não raro, ficavam longos
períodos afastados da família, alguns deles nem mesmo regressando, vítimas de febres
ou picadas de cobras, quando não de flechas indígenas.
http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/bandeirantes/entradas-e-bandeiras-
1.php

3º TEXTO

O desejo de explorar o território brasileiro, a busca de pedras e metais preciosos, a


preocupação do colonizador português em consolidar seu domínio e a vontade de
arrebanhar mão-de-obra indígena para trabalhar nas lavouras resultaram em incursões
pelo interior do país, feitas muitas vezes por milhares de homens, em viagens que
duravam meses e até anos.
Entradas e bandeiras foram os nomes dados às expedições dos colonizadores que
resultaram na posse e conquista definitiva do Brasil. As entradas, em geral de cunho
oficial, antecederam as bandeiras, de iniciativa de particulares. Tanto naquelas quanto
nestas, era evidente a preocupação do europeu em escravizar o índio, e não foi pequeno
o morticínio nas verdadeiras caçadas humanas que então ocorreram, como observa o
historiador João Ribeiro. As bandeiras, fenômeno tipicamente paulista que data do
início do século XVII, não extinguiram as entradas e também não foram iniciativa
exclusiva dos mamelucos - filhos de portugueses com índias - do planalto de São Paulo.
Elas marcam o início de uma consciência nativista e antiportuguesa.
http://www.grupoescolar.com/materia/entradas_e_bandeiras.html
2- Após a leitura dos textos e com os argumentos elencados, o professor propõe a
realização de um debate. Para isso, organiza a turma em dois grandes círculos que são
posicionados um dentro do outro. O círculo de fora inicia defendendo as ideias do
texto e o outro, acusando. Ao sinal do professor, os círculos trocam de papéis.
3- No momento que o professor julgar que os argumentos estão suficientes para a defesa
ou a “condenação”, o professor finaliza a atividade e faz os comentários necessários.

5ª ATIVIDADE

1- O professor apresenta o título: A interiorização do processo colonizador e propõe que


a turma apresente hipóteses sobre o significado do mesmo. Enquanto os alunos se
manifestam, o professor vai registrando as ideias da turma.
2- Em seguida, o professor apresenta o texto solicitando a leitura do mesmo

A interiorização do processo colonizador

Ao contrário do que defende uma ampla parcela da historiografia, como ressaltou


Capistrano de Abreu, a interiorização do processo colonizador não foi fruto apenas da
introdução da pecuária; envolveu gerações, épocas diversas e motivações múltiplas.
É verdade que não se pode negar o papel desempenhado pela criação de gado no
nordeste, sobretudo na região do Rio Grande do Norte e interior de Pernambuco, ainda
no século XVI, em decorrência das necessidades de abastecimento das populações das
vilas e cidades que começavam a surgir e dos engenhos de açúcar.
No entanto, devemos considerar o fato de que, na capitania de São Vicente, desde os
primórdios de sua colonização; a facilidade de transporte por via fluvial no planalto,
sobretudo através do rio Tietê, caminho para alcançar a bacia do Prata; somada as
bandeiras organizadas para aprisionar indígenas; estimulou a interiorização da ocupação
portuguesa, com a fundação de vilas pelos caminhos percorridos pelos paulistas.
Além disto, entre outros fatores, como por exemplo o papel desempenhado pelas
missões jesuítas, não menos importante foi à busca pelas drogas do sertão na região
norte e o ouro, diamantes e esmeraldas das Minas Gerais.
Entretanto, um fator menos conhecido, presente mesmo antes do fomento a
interiorização da colonização através das problemáticas tradicionais já analisadas pela
historiografia de vanguarda; esteve circunscrito a fixação de povoados e quintas em
zonas afastadas do litoral como estratégia de combate ao ataque de piratas.
http://fabiopestanaramos.blogspot.com/2010/09/interiorizacao-do-processo-
colonizador.html
3- Após a leitura do texto o professor propõe uma discussão a partir das questões:
a) As hipóteses sobre o significado do título foram confirmadas ou não pelo texto?
b) Qual era o objetivo dos homens quando penetraram no sertão?
c) Como o texto se refere a estes indivíduos?
d) Como você avalia o papel destes indivíduos para a construção do processo histórico
brasileiro?
4) O professor organiza a turma em grupos para que elaborem um parágrafo
defendendo ou não as expedições exploradoras descritas no texto.
5) O professor socializa as produções e faz os comentários necessários.

6ª ATIVIDADE

1- O professor apresenta a imagem abaixo solicitando que os alunos a observem bem.


http://www.google.com.br/images?hl=pt-
BR&source=imghp&biw=1024&bih=578&q=Monumento+%C3%A0s+Bandeiras
%2C+de+Victor+Brecheret&btnG=Pesquisar+imagens&gbv=2&aq=f&aqi=&aql=
&oq=&gs_rfai=
2- O professor propõe a análise da imagem a partir das questões:
a) O que você vê nessa imagem?
b) Quem já viu esta imagem antes? Onde?
OBS: Nesse momento, o professor pode informar que se trata do monumento que
representa a memória ao bandeirante português e ao guia índio. Há também a
representação de outras raças que participaram das bandeiras, como os negros e
mamelucos, todos numa união de forças para carregar a canoa das monções.
O Monumento as Bandeiras é uma obra de arte executada pelo escultor Vítor Brecheret
que se localiza na cidade e estado de Săo Paulo, no Brasil.
Foi erigida na regiăo sul da cidade, em uma praça em frente ao Palácio 9 de Julho, sede
da Assembléia Legislativa, e ao Parque do Ibirapuera, tendo sido encomendada pelo
governo de Săo Paulo em 1921.
c) O que cada um sente ao ver essa imagem?
d) Descreva os personagens que você vê nesta imagem.
OBS: Explorar com os alunos a presença de diversas etnias num esforço de desbravar o
país, puxando a canoa das monçőes (utilizada nas expediçőes fluviais).
e) O que justifica a construção de um monumento tão grandioso em um local tão
importante da cidade de São Paulo?
OBS: Ouvir as argumentações dos alunos e reforçar que as expedições dos bandeirantes
partiam do rio Tietê para desbravar o interior do Brasil, e ampliar suas fronteiras.
Em 1623, partiram tantas bandeiras, que São Paulo se tornou quase um povoado só de
mulheres, crianças e velhos.

7ª ATIVIDADE

1- O professor chama a atenção dos alunos para o fato de que as bandeiras deram
origem a narrativas épicas, mitos e lendas sobre o desbravamento e conquista do sertão
brasileiro, que hoje fazem parte do simbolismo regional. Embora tenham sido
responsáveis pela escravização e dizimação de inúmeras etnias indígenas e pela
destruição de muitas missões jesuíticas, os bandeirantes são retratados como homens
heróicos, portadores de coragem, bravura e espírito aventureiro, que penetraram na mata
e desbravaram a vastidão do interior até então desconhecido, enfrentaram e dominaram
índios, descobriram e exploraram riquezas minerais e fundaram povoados.
2- A partir do comentário acima, o professor organiza a turma em grupos e entrega a
cada um deles uma das orientações abaixo:
1º grupo:
O grupo deverá imaginar que é um bandeirante e que quer mandar notícias para a
família. Para isso, escreva uma carta para seus familiares contando como e o que está
fazendo.
2º grupo:
O grupo deverá imaginar que é um bandeirante e que quer escrever um texto para
contar as memórias de sua vida. Para isso, escreva um conto narrando a sua vida como
conquistador e desbravador do território brasileiro.
3º grupo:
O grupo deverá imaginar que é um bandeirante e que quer relatar a verdade sobre suas
ações. Para isso, escreva uma notícia para ser publicada em um jornal relatando a sua
verdade sobre sua vida como conquistador e desbravador do território brasileiro.
4º grupo:
O grupo deverá imaginar que é um bandeirante e que quer escrever um texto contando
sobre suas atividades. Para isso, escreva uma carta para as autoridades do governo
brasileiro relatando o que está fazendo.
5º grupo:
O grupo deverá imaginar que é um bandeirante e que quer escrever um texto contando
sobre suas atividades. Para isso, escreva um conto com o título: herói ou bandido?
3- O professor socializa as produções, faz os comentários necessários, corrige o que for
preciso e organiza a exposição das mesmas no espaço da escola.
Recursos Complementares

Remanescentes florestais da Mata Atlântica:


http://www.rbma.org.br/default_02.asp
http://raizasas.blogspot.com/2010/05/blog-post.html
Biografias de artistas citados na aula:
http://pt.wikipedia.org/wiki/Almeida_J%C3%BAnior
http://www.google.com.br/search?hl=pt-
br&biw=1024&bih=578&gbv=2&q=victor+brecheret+biografia&ie=UTF-
8&sa=N&tab=iw
Avaliação

A avaliação é processual e contínua, devendo ser realizada oral e coletivamente,


enfocando a dinâmica do grupo, identificando avanços e dificuldades. O desempenho
dos alunos durante a aula, a realização das tarefas de leitura dos diferentes gêneros
textuais, as discussões em grupo, as respostas aos questionamentos, as produções dos
textos argumentativos, somadas às intervenções dele, a auto-avaliação do professor e
do aluno serão elementos essenciais para verificar se as competências previstas para a
aula foram ou não desenvolvidas pelos alunos e se compreenderam que a conformação
do território nacional é resultado de um processo histórico.
Opinião de quem acessou
Quatro estrelas 8 classificações

 Cinco estrelas7/8 - 87.5%

Interesses relacionados