Você está na página 1de 6

O Eu Poético Evasivo

O eu-poético é uma voz implícita no poema que se

comunica com o leitor a m de se expressar, despertando os sentimentos do mesmo.Existem casos em que o eu poético sente a necessidade de se manter recluso em seu interior.

É que chamamos de evasão do eu poético que consiste na fuga da vida real, podendo ocorrer em várias circunstâncias.Muitos poetas dão ênfase à evasão poética em suas criações.Essa necessidade em que o poeta sente em lançar-se a evasão ocorre devido a incapacidade do poeta de resolver os seus con itos. Segundo Silva ( 1973), a origem da necessidade da evasão ocorrem pelos seguintes motivos:

O con ito com a sociedade ocorre quando o poeta se

defronta com uma sociedade hipócrita e vil. Sentindo -

se amargurado e pessimista, o poeta se sente " objetivamente incapaz de resolver os problemas com a sociedade" (BOSI,2003. P. 93).

Triste e amargurado, o poeta sente que não se encaixa no mundo fato que o leva a busca incessante da solução dos seus problemas existenciais.

A morte é a principal temática usada pelos

ultrarromânticos, principalmente por Álvares de Azevedo que segundo Coutinho (2002) parece ter vivido de algum modo esmagado ou constrangido pelo ambiente brasileiro ( p. 140). Os problemas íntimos consistem nos sofrimentos que marcam a vida do poeta, como por exemplo, a perda de entes queridos, doenças entre outros. Esses problemas geram sentimentos negativos no poeta tais como o tédio, a solidão e a angústia que abrem portas a evasão.

A recusa da realidade imperfeita e de um universo

nito o poeta mergulhado em sua crise existencial questiona e existência de Deus, do mundo e do destino

da vida humana.

No que diz respeito a criação literária a evasão ocorre a partir dos seguintes modos:

A literatura como religião signi ca fazer da literatura

uma atividade constante na vida do poeta que extasiado por sua própria criação esquece do mundo a sua volta.

Na evasão do tempo o poeta busca em épocas remotas

o encanto e a grandeza que a vida presente não lhe

proporciona. Como exemplo, podemos citar o gosto dos românticos por temas medievais que segundo Bosi (2003) fugiam para ermas paragens ou para o Oriente exótico ( p. 93).

A evasão no espaço é a manifestação do gosto por paisagens e culturas exóticas. O tema da viagem é fundamental no domínio da evasão no espaço. Em meio ao tédio e ao cansaço da vida, o poeta visiona a sua partida a um mundo magní co.

Diante o sofrimento da vida adulta, o poeta mergulha nas lembranças da sua infância, trazendo para o presente a gura da mãe, da irmã e da ama velha, símbolos do amor e da delidade em meio às mazelas da vida.

A Criação de personagens no domínio poético trata-se da identi cação do poeta com guras míticas e lendárias. O sonho trata-se do mundo imaginário criado pelo poeta. Geralmente tais sonhos podem ser provocados pelo uso de drogas, bebidas e orgias.Neste mundo onde tudo é possível, o poeta realiza os seus desejos ocultos na tentativa de compensar suas frustrações existenciais.

Dentre as várias funções da literatura a que mais se destaca é a evasão. Tanto o poeta como a pessoa física está sujeito a se deparar com vários obstáculos em sua vida, causando sofrimento e dor.

BOSI, Alfredo. História Concisa da Literatura Brasileira. 41º Ed. Cultrix, São Paulo, 2003, p. 93

COUTINHO, Afrânio. A Literatura no Brasil. 6ª Ed. Global, São Paulo; 2002 p. 139-140

SILVA, Vitor Aguiar. Teoria da Literatura. 3 ed. Almedina; Coimbra, 1973, p. 98.