Você está na página 1de 9

Recursos geológicos - exploração sustentada

Todos os materiais que o Homem utiliza diariamente para satisfazer as suas necessidades
básicas e o seu bem-estar – os recursos – provêm da Terra.

Os recursos naturais são, e foram desde sempre, a fonte de matérias-primas a partir das
quais, direta ou indiretamente, são fabricados os mais diversos produtos que utilizamos no
nosso quotidiano.

Com o desenvolvimento da ciência e da tecnologia as sociedades tornaram-se cada vez


mais especializadas e mais dependentes dos recursos geológicos. A evolução das
sociedades humanas requer uma maior utilização de grandes quantidades de recursos
naturais.

Os recursos geológicos:

– são todos os bens de natureza geológica, existentes na crusta terrestre e que são
passíveis de serem utilizados pelo Homem;

– podem ser materiais sólidos, líquidos ou gasosos ou as propriedades desses materiais,


como o calor ou a radioatividade que certas rochas e minerais libertam;

– atualmente, são entendidos como o resultado de um conjunto de processos do ciclo


geológico que decorrem, normalmente, de forma muito lenta;

– podem ser considerados recursos não renováveis ou recursos renováveis:


– de acordo com as funções que podem desempenhar, podem classificar-se em:

recursos hidrogeológicos;

recurso energéticos;

recursos minerais.

Esta classificação não é rígida porque um mesmo material pode funcionar como diferente
recurso. Por exemplo, a água pode ser um recurso hidrogeológico ou energético.

O aproveitamento dos recursos pelo Homem depende da sua concentração na crusta


terrestre, de modo a permitir rentabilidade da sua exploração.

Os recursos geológicos de um país são formados pelo conjunto de recursos que se


conhecem mais os recursos desconhecidos, que existem na parte acessível da crusta
terrestre.
Consideram-se reservas os recursos que existem no solo ou subsolo e que se encontram
disponíveis para serem utilizados pelo Homem, depois de terem sido submetidas a uma
avaliação económica.

Os depósitos conhecidos podem tornar-se reservas se a sua procura aumentar ou se a


sua cotação subir, pois só assim é que a exploração se tornará rentável.

Recursos e reservas

A utilização e exploração dos recursos geológicos têm vindo a ser cada vez maiores e,
como tal, os recursos são cada vez mais escassos.

Uma exploração controlada e refletida e a gestão sustentável dos recursos tornam-se


prementes nas sociedades atuais.

A reciclagem também pode ser uma resposta para combater a excessiva utilização dos
recursos geológicos, principalmente os não renováveis.
Recursos minerais

Os minerais são constituídos por elementos químicos que estão largamente distribuídos
na crusta terrestre. A grande variedade de minerais encontra-se nas diversas rochas
existentes.

De acordo com as suas propriedades químicas, os recursos minerais podem ser


classificados em dois grupos:

– recursos minerais metálicos;

– recursos minerais não metálicos.

Recursos minerais metálicos

Existem vários exemplos destes elementos, uns mais comuns e muito utilizados, como o
zinco, o cobre, o alumínio, o ferro e o chumbo e outros mais escassos, como o ouro, a
prata e a platina.

Na maior parte das zonas terrestres, qualquer elemento pode encontrar-se ligado a outros
em quantidades semelhantes às que são frequentes na composição média da crusta.

O Clarke:

– é a concentração ou abundância média de um elemento químico na crusta terrestre;

– exprime-se em partes por milhão (ppm) ou em gramas por tonelada (g/t).

Os jazigos minerais:
– são locais em que a concentração média de um determinado elemento químico aí
identificado é muito superior ao clarke desse elemento;

– são locais que, se forem explorados, podem ser economicamente rentáveis.

Os minérios:

– são a parte aproveitável num jazigo mineral;

– são minerais que contêm determinados metais;

– são extraídos para fins económicos;

– mais comuns são os sulfuretos como:

galena – sulfureto de chumbo;

cinábrio – sulfureto de mercúrio;

pirite – sulfureto de ferro;

esfalerite – sulfureto de zinco.

Um mineral pode, numa dada altura, ser minério de um elemento e, noutra altura, ser
considerado minério de outro. Esta situação ocorre tendo em conta determinadas
conjunturas económicas e tecnológicas.
A parte do minério que, no mesmo jazigo, é rejeitado designa-se ganga ou estéril. Pode
existir em grandes quantidades, por exemplo, na extração do ouro, ou em pequenas
quantidades, como no caso do alumínio.

Minério de cobre com estéril

A exploração mineira:

– pode ser feita em minas a céu aberto ou em explorações subterrâneas;

– divide-se em três fases de trabalho – extração do minério, tratamento do minério e


separação e remoção do estéril;

– apresenta as seguintes desvantagens:

Impactos ambientais graves:

desflorestação;
remoção das camadas do solo;

construção de vias e infraestruturas necessárias à exploração.

Acumulação de produtos não úteis:

em escombreiras – são depósitos de produtos extraídos dos minérios que não têm
valor económico – ganga – e se acumulam nas proximidades das explorações
mineiras;
podem conter substâncias tóxicas e se não forem devidamente tratados, devido à
lixiviação poderão contaminar os solos e as águas subterrâneas.

Poluição:

muitos minérios são constituídos por um ou mais metais que, depois de separada a
ganga, têm de ser separados por diversos processos que podem libertar enormes
quantidades de poluentes gasosos;

um dos tratamentos que o minério sofre no seu processo de separação é a moagem


que gera grandes quantidades de pequenas partículas que são dispersas, quer pela
água – contaminando aquíferos –, quer pelo vento – contaminando solos que se
tornam impróprios para a agricultura.
Ciclo de um recurso mineral metálico

Recursos minerais não metálicos

São tipos de recursos minerais muito abundantes na Natureza. A sua utilização é tão
ampla e indispensável que são considerados bens de primeira necessidade.

Exemplos de minerais não metálicos são as areias, as argilas e as rochas como o granito,
o basalto, o mármore e o calcário, entre outras.

O nosso país é relativamente rico em recursos minerais não metálicos e são utilizados em
grandes quantidades como matérias-primas, principalmente para a construção e
ornamentação.

Principais aplicações dos recursos minerais não metálicos


A exposição dos monumentos a variadas fontes de meteorização pode provocar
alterações mais ou menos graves, face ao envelhecimento da rocha, que obrigam ao
restauro e manutenção dos edifícios.

A utilização de um tipo de rochas em detrimento de outras está, normalmente, relacionada


com o seu predomínio numa determinada região.

Você também pode gostar