Você está na página 1de 3

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

CENTRO DE EDUCAÇÃO

DEPARTAMENTO

Eixo: Gestão educacional e gestão escolar

Trabalho apresentado à disciplina Gestão


educacional e gestão escolar ofertada no Centro de
Educação – CE da Universidade Federal de
Pernambuco - UFPE como requisito parcial para
aprovação na disciplina.

Sabrina dos Santos

RECIFE
2018
1) Organizar o trabalho pedagógico (numa instancia escolar ou não) exige pensar
os diversos processos educacionais, bem como as dinâmicas sociais que atravessam o
mundo e o contexto da comunidade onde se insere aquele trabalho educativo. Nesse
sentido, tal organização [ organização do trabalho pedagógico] está para além de se
pensar os recursos somente no âmbito administrativo, é preciso considerar as
dimensões humana, social e pedagógica. Sabendo que é importante perceber o universo
educacional como um todo, pensar sobre as concepções e finalidades da educação que
guiam a construção de um projeto pedagógico é que se institui a gestão na educação e a
gestão escolar. Nesse sentido, disserte sobre o caminho histórico para a implantação
da gestão democrática na educação brasileira, bem como explicite quais suas
principais características e concepções norteadoras.

Pensar em organização do trabalho pedagógico implica não só em imaginar o


funcionamento da escola em si, mas sim, no funcionamento de uma sociedade.
Considerando a escola como um ambiente social, seu funcionamento, provavelmente,
será um reflexo do funcionamento da sociedade como um todo, principalmente se os
governantes enxergarem o ambiente escolar, como um segmento *subordinado* dele.
Sendo assim, analisando o período na década de 1960, durante a ditadura militar,
período de autoristarismo, a gestão escolar, o trabalho pedagógico, os conteúdos, o
funcionamento e a escolha de diretores eram feitas pelo governo, que encarava a educação
como um serviço do Estado para a sociedade. Nessa época, os diretores ocupavam um
cargo de confiança, então o funcionamento da escola era da maneira que o Estado queria.
Ao final do período ditatorial a sociedade já possuía inúmeros grupos que
pregavam a democratização do Estado, e, em relação à gestão escolar não foi diferente.
Ao final da década de 1980, o movimento que pregava uma gestão escolar democrática
ganhou força, e pouco depois as escolhas de diretores e conselhos escolares passou a ser
por meio de eleições.
Outro fato histórico que influenciou no funcionamento da gestão democrática foi
o capitalismo, com o conceito de “qualidade total”, muito utilizado nas escolas *públicas*
brasileiras, que consiste basicamente no pensamento industrial de produção, que apesar
de possuir um nome bastante atrativo, *prega* a fragmentação do conteúdo, e quantidade.
Hoje, a gestão democrática já é lei, com a LDB 9394/96 onde assegura que a
gestão democrática é um princípio da educação. Que possui várias características que
melhoram o funcionamento de uma escola, pois esta parte de um princípio de
comprometimento com os alunos, fazendo com que ocorra um melhor diálogo entre
diretor, outros gestores e comunidade, possibilitando o trabalho de valores sociais como
parte do conteúdo educacional a ser trabalhado na escola, não só com alunos, mas com a
comunidade, os servidores e todos os segmentos envolvidos.
A escola funciona assim, não só de uma maneira conteudista, mas sim como um
espaço para o exercício da cidadania. Para isso é preciso fortalecer a autonomia escolar;
tirar o poder todo das mãos do diretor, descentralizando; e ir em defesa de uma escola
mais participativa com as questões sociais. Ficando a cargo da administração escolar a
mediação de recursos, a resolução de problemas, visando a qualidade do processo de
ensino – aprendizagem.
2) enquanto modelo educacional a gestão democrática surge para rediscutirmos a
organização do trabalho pedagógico no interior da escola, priorizando o olhar para os
processos de ensino-aprendizagem e a democratização das relações entre diversos sujeitos
da comunidade escolar. Nesse sentido disserte sobre o paradigma da qualidade na
gestão democrática, ressaltando o que significa obter eficiência, eficácia e efetividade
no âmbito da gestão democrática da educação.
Está no texto: DOURADO, Luis Fernandes. A ecolha de dirigentes escolares:
políticas e gestão no Brasil.

A partir da globalização, o mundo passou a ter uma organização estratificada e campos


da educação, ciência e tecnologia passaram a ter mais dependência de capital e acabaram
concentrando-se em polos.
A escola, seguindo uma tendência neoliberalista, passou a ter uma visão de escola como
preparação para o mercado de trabalho, tendo assim o processo que visa somente o capital
econômico e não o conhecimento.
Uma gestão escolar que se diz democrática precisa atentar prioritariamente na solução de
problemas, visando garantir a qualidade do processo de ensino aprendizagem e social.
O conceito de eficiência, eficácia e efetividade enxerga as dimensões humanas e a
participação cidadã (comunidade?) , porém a gestão é limitada quando as dimensões
humanas não são levadas em conta.

https://www.youtube.com/watch?reload=9&v=S_JYVlrbEAc