Você está na página 1de 5

Formação de Piloto

sexta-feira, 8 de agosto de 2014

AERONAVES E MOTORES -> Capítulo VIII - Os Componentes


do Motor (Parte 1/2)

CAPÍTULO VIII

OS COMPONENTES 
DO 
MOTOR
Parte 1/2

Neste capítulo, estudaremos mais detalhadamente os componentes do motor a pistão. Na figura


abaixo, notamos imediatamente que o motor real é mais complexo que o motor esquemático.
Imagem 1

CILINDRO

É a parte do motor onde a carga combustível é admitida e queimada. Ele é feito de material
resistente, leve e bom condutor de calor. O cilindro é constituído de duas partes o corpo e a
cabeça.

Imagem 2

CORPO DO CILINDRO

É geralmente feito de aço e possui externamente alhetas de resfriamento que aumentam a área de
contato com o ar, a fim de eliminar o calor. A parte interna é endurecida para reduzir o desgaste
provocado pelo movimento do pistão. Nos cilindros de liga de metal leve, o lado interno é formado
por uma camisa resistente ao desgaste.

Imagem 3
CABEÇA DO CILINDRO

Geralmente é feita da liga de alumínio, e nela são instaladas as válvulas e as velas de ignição. As
válvulas são instaladas dentro de guias de válvulas e suas cabeças assentam sobre anéis de
metal resistente denominados sedes de válvulas.

Externamente a cabeça do cilindro possui alhetas de resfriamento. Em alguns motores não


existem alhetas onde está a válvula de admissão, pr que esta é resfriada pela própria carga
combustível.

Imagem 4

CÂMARA DE COMBUSTÃO 

É o espaço no interior do cilindro onde a mistura é queimada. Nos motores aeronáuticos, a câmara
de combustão hemisférica (ou semi-esférica) é a mais utilizada.

Imagem 5

PISTÃO ou ÊMBOLO

É uma peça de forma cilíndrica que desliza no interior do cilindro, servindo para aspirar a carga
combustível, comprimi-la, expulsa os gases queimados e transmitir a força expansiva da
combustão à biela. Geralmente é feito de liga de alumínio, por que é leve e boa condutora de calor.
Imagem 6

ANÉIS DE SEGMENTO

Existe uma pequena folga entre o pistão e o cilindro, para permitir o livre movimento e compensar
a dilatação com o calor. Essa folga é vedada com anéis ou molas de segmentos instalados na sais
do pistão.

Há dois tipos de pitão:

Anéis de Compressão - Vedam a folga entre o pistão e o cilindro. Eles são instalados nas
canaletas superiores do pistão.

Anéis de Lubrificação (ou Anéis Raspadores de Óleo) - Eliminam o excesso de óleo das paredes
do cilindro, deixando apenas uma fina película suficiente para a lubrificação. Esses anéis são
instalados nas canaletas inferiores do pistão, as quais possuem pequenos furos para passagem
do óleo raspado (ver detalha e na figura). Sem esses anéis, o excesso de óleo permaneceria no
cilindro e seria queimado durante a combustão, deixando um resíduo que prejudicaria a
lubrificação. Para evitar o desgaste dos cilindros, os anéis de segmentos são feitos de material
menos duro, para se desgastarem antes e serem substituídos numa revisão geral.

Imagem 7
BIELA

A biela é uma peça de aço resistente que conecta o pistão ao eixo de manivelas, transmitindo a
este a força expansiva dos gases. Ela é constituída de várias partes e seu corpo tem a seção em
forma de I ou H, para máxima resistência e mínima massa.

Imagem 8

EIXO DE MANIVELAS

É a peça giratória para a qual se transmite a força do pistão, através de biela.

Imagem 9

MANCAIS

São peças que apoiam e permitem o movimento das partes móveis com o mínimo de atrito. O eixo
de manivelas, por exemplo, apóia-se no cárter através de mancais denominados bronzinas ou
casquilhos.

Imagem 10