Você está na página 1de 2

Iraque

Os curdos constituem aproximadamente 17% da população do Iraque. Eles são a


maioria em pelo menos três províncias no norte do Iraque que estão juntos conhecidos
como Curdistão iraquiano . Os curdos também têm uma presença em Kirkuk , Mosul ,
Khanaqin , e Bagdá . Cerca de 300.000 curdos vivem na capital iraquiana Bagdá ,
50.000 na cidade de Mosul e cerca de 100.000 em outros lugares no sul do Iraque. [66]

Os curdos liderados por Mustafa Barzani estavam envolvidos em combates pesados


contra sucessivos regimes iraquianos de 1960 a 1975. Em março de 1970, o Iraque
anunciou um plano de paz que prevê a autonomia curda. O plano era para ser
implementado em quatro anos. [67] No entanto, ao mesmo tempo, o regime iraquiano
iniciou um programa de arabização nas regiões ricas em petróleo de Kirkuk e Khanaqin
. [68] O acordo de paz não durou muito tempo, e em 1974, o governo iraquiano iniciou
uma nova ofensiva contra os curdos. Além disso, em março de 1975, o Iraque eo Irão
assinaram o Acordo de Argel , segundo o qual o Irã cortou o fornecimento para os
curdos iraquianos. Iraque começaram uma nova onda de arabização movendo árabes
para os campos de petróleo no Curdistão, particularmente aqueles em torno de Kirkuk.
[69]
Entre 1975 e 1978, 200.000 curdos foram deportados para outras partes do Iraque.
[70]

Durante a Guerra Irã-Iraque na década de 1980, o regime implementado políticas anti-


curdos e uma guerra de facto civil eclodiu. O Iraque foi amplamente condenado pela
comunidade internacional, mas nunca foi seriamente punido por medidas opressivas,
como o assassinato em massa de centenas de milhares de civis, a destruição
indiscriminada de milhares de aldeias ea deportação de milhares de curdos para o sul e
no Iraque central.

A campanha de genocídio, conduzido entre 1986 e 1989 e culminando em 1988,


realizado pelo governo iraquiano contra a população curda foi chamada Anfal
("Espólios de Guerra"). A campanha Anfal levaram à destruição de mais de duas mil
aldeias e matando de 182.000 civis curdos. [71] A campanha incluiu o uso de ofensivas
terrestres, bombardeios, destruição sistemática de aldeias, deportações em massa,
pelotões de fuzilamento, e química ataques, incluindo o ataque mais infame contra a
cidade curda de Halabja em 1988 que matou 5000 civis instantaneamente.

Após o colapso do levante curdo março 1991, as tropas iraquianas recapturaram a


maioria das áreas curdas e 1,5 milhões de curdos abandonaram suas casas e fugiram
para as fronteiras turcas e iranianas. Estima-se que perto de 20.000 curdos sucumbido à
morte por exaustão, falta de exposição de alimentos, ao frio e à doença. Em 5 de Abril
de 1991, do Conselho de Segurança da ONU aprovou a resolução 688 , que condenou a
repressão de civis iraquianos curdos e exigiu que o Iraque acabar com as medidas
repressivas e permitir o acesso imediato a organizações humanitárias internacionais. [72]
Este foi o primeiro documento internacional (já que a Liga das Nações arbitragem de
Mosul em 1926), para referir os curdos pelo nome. Em meados de abril, a Coalizão
estabelecido refúgios no interior das fronteiras iraquianas e aviões iraquianos proibidos
de voar norte do paralelo 36. [73] Em outubro de 1991, guerrilheiros curdos capturados
Erbil e Sulaimaniyah após uma série de confrontos com as tropas iraquianas. No final
de outubro, o governo iraquiano retaliou, impondo um embargo de alimentos e
combustível no curdos e parar de pagar os funcionários públicos na região curda. O
embargo, no entanto, saiu pela culatra e curdos realizaram eleições parlamentares de
Maio de 1992 e estabeleceu Governo Regional do Curdistão (KRG) . [74]

A população curda recebeu as tropas americanas em 2003, mantendo festas e dançando


nas ruas. [75] [76] [77] [78] A área controlada por peshmerga foi ampliado, e os curdos agora
têm o controle efetivo em Kirkuk e em partes de Mosul . A autoridade do KRG e
legalidade de suas leis e regulamentos foram reconhecidos nos artigos 113 e 137 da
nova Constituição iraquiana ratificou em 2005. [79] No início de 2006, as duas
administrações curda de Erbil e Sulaimaniya foram unificados.