Você está na página 1de 2

FLEXÕES DA LÍNGUA PORTUGUESA – A FLEXÃO NOMINAL DE

NÚMERO
1 – Os Mecanismos Flexionais
1.1 - O que é flexão
A flexão é o emprego de um morfema à palavra. Esse morfema pode ser aditivo,subtrativo,
alternativo ou reduplicativo. O mecanismo de flexão, na nosssa língua, ocorre, principalmente, nos
sufixos flexionais ou desinênciais.
Os vocábulos que recebem esses sufixos, os chamado variáveis ou flexionais, são divididos em
dois grupos: flexões ou desinências nominais - que são marcadas por gênero ou número - e flexões
verbais – que marcam modo- temporais e número - pessoais.
1.2 Como se processa a flexão
A palavra é flexionada quando há nela a junção de desinências, com o objetivo de acrescentar uma
categoria. Dessa forma, há uma alteração gramatical da palavra.
Em relação à forma, o que difere os nomes dos verbos é a noção gramatical de ambos.
Exemplo:
Canta menina
Ao analisar os mofermas destacados das duas palavras, é possível verificar que, apesar da mesma
representação do morfe a, o que as difere é a noção gramatical deles: o primeiro morfema é o
flexional da terceira pessoal do singular dos verbos. Já o segundo, está relacionado ao flexional
de gênero do nome.

2 A FLEXÃO NOMINAL
A flexão nominal pode representar os substativos,ajetivos e artigo, além de alguns pronomes e
numerais.Ela e se relaciona às categorias de gênero e de número. Já a flexão verbal atinge os
verbos e aponta as categorias de tempo, modo, aspecto, número e pessoa.

3 Flexão de pessoa
3.1 A ideia de número nos nomes
A ideia de número é atribuída de formas opostas na Língua Portuguesa. O singular apresenta uma
concepção de uma unidade ou o conjunto de unidades que forma um todo. Já o plural traz uma
ideia de mais de uma unidade ou mais de um conjunto. O cnceito de plural não é análoga a ideia
de coleção e agrupamento. Esse pensamento só ocorre em substantivos coletivos.
Em alguns casos, o número não é marcado morfologicamente na palavra, e sim, de forma externa,
através do determinante.
3.2 A expressão de número nos nomes
3.2.1 Regra geral
Após vogais e ditongos, para marcar o número plural dos nomes da língua portuguesa, basta
acrescentar o morfe /S/;
Quando aposto a consoantes acrescenta-se /iS/ (na escrita, -is, ou –es);
No caso das terminações –al, -el, -il ou –ul são flexionados em –is;
A terminação –il, entretanto, quando não faz parte da sílaba tônica, flexiona-se em -eis
Em algun casos, as palavras terminadas em –l se flexionam com acréscimo do –es.

3.2.2 Plural dos nomes terminados em –ão


Em casos de nomes terminados em -ão a flexão para o plural ocorre de três formas: –ãos, –ães e
–ãos. As palavras que formam o plural em –ãos só recebem o acréscimo do morfe –s. As que
apresentam as terminações –ães ou –ões flexionam-se através da redução do ditongo –ão para –ã
ou para –õ, recebendo, em seguida, o acréscimo do alomorfe –es.
Exemplos:

Mamão - mamões
Feijão - feijões