Você está na página 1de 21

PRT 23ª REGIÃO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO 23ª REGIÃO FOLHA 1/21

ESPECIFICAÇÕES DE PROJETO EXECUTIVO DE GRUPO


GERADOR 300 kVA DA PROCURADORIA REGIONAL DO
TRABALHO DA 23ª REGIÃO

ENCARGOS GERAIS E ESPECIFICAÇÕES


GRUPO GERADOR 300 kVA

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
2

SUMÁRIO

1 INSTALAÇÃO DE GRUPO GERADOR............................................................................................ 3


1 INTRODUÇÃO................................................................................................................................... 3
1.1 APRESENTAÇÃO.......................................................................................................................................... 3
1.2 SUPRIMENTO DE ENERGIA........................................................................................................................... 3

2 DISPOSIÇÕES GERAIS.....................................................................................................................3
2.1 Elementos de Segurança do Trabalho..................................................................................................... 4
2.2 Canteiro de Obra...................................................................................................................................... 4

3 ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS E SERVIÇOS.......................................................................... 4

4 NORMAS E CÓDIGOS...................................................................................................................... 6

5 MATERIAIS E PROCESSOS EXECUTIVOS.................................................................................... 7


5.1 Recebimento de Materiais e Equipamentos............................................................................................. 7

6 CONDIÇÕES GERAIS....................................................................................................................... 7
6.1 Documentação ......................................................................................................................................... 7
6.2 Considerações sobre o Fornecimento...................................................................................................... 8
6.3 Treinamento.............................................................................................................................................. 8
6.3 Execução das Instalações........................................................................................................................ 8
6.3 Etapas da Obra......................................................................................................................................... 9

7 INSTALAÇÕES DE OBRAS CIVIS................................................................................................... 9


7.1 Introdução ................................................................................................................................................ 9
7.2 Formas....................................................... .............................................................................................. 9
7.3 Concretagem.................. ........................................................................................................................ 10
7.4 Base para Grupo Gerador...................................................................................................................... 10
7.5 Base para o QT...................................................................................................................................... 10
7.6 Caixa de Passagem............................................................................................................................... 10
7.7 Serviços Especiais......... ........................................................................................................................ 10

8 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS.......................................................................................................... 11
8.1 Suprimento de Energia de Emergência.................................................................................................. 11
8.2 Grupo Gerador........................................................................................................................................ 11
8.3 Dimensionamento do Grupo Gerador..................................................................................................... 11
8.4 Instalações – Distribuição de Força, Comando e Aterramento.............................................................. 14

9 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS...................................................................................................... 15
9.1 Grupo Gerador Diesel ............................................................................................................................ 15
9.2 Especificações Técnicas dos Materiais.................................................................................................. 19

10 DESENVOLVIMENTO DOS TRABALHOS..................................................................................... 21


10.1 Considerações Finais........................................................................................................................... 21

11 RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DO PROJETO EXECUTIVO DE GRUPO GERADOR... 21

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
3

INSTALAÇÃO DE GRUPO GERADOR 300 kVA


1 INTRODUÇÃO

1.1 APRESENTAÇÃO

O presente memorial descritivo refere-se às instalações elétricas e estruturas para a instalação de


um grupo gerador em carenagem a diesel 300 kVA para atender as cargas essenciais e a definição das
especificações dos materiais e equipamentos elétricos a serem utilizado da nova sede da Procuradoria
Regional do Trabalho da 23ª Região (PRT 23ª Região) em Cuiabá - MT.

Este memorial assim como as plantas de referência, a lista de material, serviços de referência e
demais documentos, fazem parte do que chamamos de Projeto Básico Executivo e visa nortear a
Proponente a execução da obra, com proposta comercial com preço e qualidade técnica para execução de
instalação de um Grupo Gerador na nova sede da PRT 23ª Região. O projeto visa orientar e prover
informações ao integrador/construtor, em relação às expectativas do contratante.
O escopo básico desse projeto está pautado nos seguintes itens:
1. Grupo Gerador.

2. Rede Elétrica: este sistema é composto pelos materiais e acessórios necessários a execução da rede
de energia elétrica necessária para interligar o sistema existe ao grupo gerador a instalar. A energia
elétrica será interligada no quadro do disjuntor de entrada, interligando ao QTA do grupo gerador, que
interliga novamente aos cabos de entrada do quadro de distribuição de baixa tensão (QGBT) geral da
edificação. Abrange também o sistema de aterramento necessário para garantir a devida proteção,
interligando as partes metálicas do sistema.

3. Fechamento: Item composto pela descrição e equipamentos necessários para separação física do
espaço de instalação do sistema do grupo gerador e o restante da edificação.

1.2 SUPRIMENTO DE ENERGIA

O sistema elétrico do PRT 23ª Região está sendo suprido de energia elétrica, desde a rede de
distribuição de Média Tensão da concessionária local, de acordo com as normas definidas pelo
Regulamento de Instalações Consumidoras desta concessionária, rebaixando esta tensão para a tensão
de utilização através de posto de transformação particular de potência nominal de 300 kVA. Este posto de
transformação está alimentando um painel elétrico, denominado QGBT, que por sua vez alimenta as
diversas cargas do Prédio.

2 DISPOSIÇÕES GERAIS

a) Os serviços contratados serão executados, rigorosamente, de acordo com este Caderno de


Especificações Técnicas e com os documentos nele referidos especialmente as Normas Técnicas
vigentes, as especificações de materiais e equipamentos descritos e os Projetos em anexo;

b) Todos os materiais, salvo o disposto em contrário nestas especificações, serão fornecidos pela
CONTRATADA;
c) Toda mão de obra, salvo o disposto em contrário nestas especificações, será fornecida pela
CONTRATADA;

d) Serão impugnados pela Fiscalização, todos os trabalhos que não satisfaçam às condições
contratuais;

e) Ficará a CONTRATADA obrigada a demolir e a refazer os trabalhos impugnados logo após a


comunicação por escrito da Fiscalização, ficando por sua conta exclusiva, as despesas decorrentes
dessas providências.

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
4

f) A CONTRATADA procederá à aferição das dimensões, dos alinhamentos, dos ângulos e de


quaisquer outras indicações constantes do projeto com as reais condições encontradas no local.

g) Havendo discrepâncias, que não possam ser sanadas na obra, ou modificações significativas
ocorridas após os desenhos de projeto, a ocorrência será comunicada à Fiscalização, que decidirá a
respeito.

h) Todo e qualquer serviço de remanejamento ou remoção de instalações elétricas, dados, ar


condicionado e hidráulicas que interferir na execução da obra será de responsabilidade da
CONTRATADA, Estes serviços serão ao máximo evitado e não deverão comprometer a funcionalidade do
sistema em sua concepção original.

2.1 ELEMENTOS DE SEGURANÇA DO TRABALHO

a) Serão obedecidas todas as recomendações, com relação à segurança do trabalho, contidas na


Norma Regulamentadora NR-18, aprovada pela Portaria 3214, de 08.06.78, do Ministério do Trabalho,
publicada no DOU de 06.07.78 (suplemento).

b) Haverá particular atenção para o cumprimento das exigências de proteger as partes móveis dos
equipamentos e de evitar que as ferramentas manuais sejam abandonadas sobre passagens, escadas,
andaimes e superfícies de trabalho, bem como para o respeito ao dispositivo que proíbe a ligação de mais
de uma ferramenta elétrica na mesma tomada de corrente.

c) As ferramentas e equipamentos de uso nas obras serão dimensionados, especificados e


fornecidos pela CONTRATADA, de acordo com o seu plano de construção, em perfeito estado, prontas
para o uso e atendendo aos graus de segurança exigidos para cada caso.

d) Serão de uso obrigatório os equipamentos de proteção individual estabelecidos na NR-18 e


demais Normas de Segurança do Trabalho. Os equipamentos mínimos obrigatórios serão:

 Equipamentos para proteção da cabeça


 Equipamentos para Proteção Auditiva
 Equipamentos para Proteção das Mãos e Braços.
 Equipamentos para Proteção dos Pés e Pernas

2.2 CANTEIRO DE OBRA

a) A CONTRATADA para execução deste projeto deverá providenciar a instalação do canteiro de


serviços, em local a ser definido e cedido pela fiscalização em conjunto com a administração da obra e em
conformidade com as normas internas da CONTRATANTE e regulamentação geral do Ministério do
Trabalho;

b) A CONTRATADA para execução deverá providenciar instalações provisórias com dimensões


mínimas necessárias a guarda de materiais, ferramentas, documentações e outros pertences;

c) A CONTRATANTE deverá orientar quanto aos locais em que a CONTRATADA poderá obter
fornecimento de energia elétrica e água para efetuar as ligações provisórias e ou serviços;

3 ESPECIFICAÇÕES DE MATERIAIS E SERVIÇOS

a) O fornecimento de materiais, bem como a execução dos serviços obedecerá rigorosamente ao


constante nos documentos:

 Portaria 2296, de 23 de julho de 1997, MARE;

 Normas da ABNT;

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
5

 Prescrições e recomendações dos fabricantes;

 Normas internacionais consagradas, na falta das citadas;

 Práticas SEAP do Ministério do Orçamento e Gestão;

 Estas especificações e desenhos do projeto.

b) Os materiais ou equipamentos especificados admitem substituição, desde que por outros


tecnicamente similares. O uso destes produtos será previamente aprovado pela CONTRATANTE.

c) A existência de FISCALIZAÇÃO, de modo algum, diminui ou atenua a responsabilidade da


CONTRATADA pela execução de qualquer serviço.

d) Ficará a critério de a FISCALIZAÇÃO recusar qualquer serviço executado que não satisfaça às
condições contratuais e ao bom padrão de acabamento.

e) A CONTRATADA ficará obrigada a refazer os trabalhos recusados pela FISCALIZAÇÃO.

f) Caberá à CONTRATADA fornecer o DIÁRIO DE OBRAS, no qual se farão todos os registros


relativos a pessoal, materiais retirados e adquiridos, andamento dos serviços e demais ocorrências.

g) O local do serviço será mantido limpo, o desentulho feito diariamente.

h) Caberá à CONTRATADA a responsabilidade por qualquer acidente de trabalho, bem como danos
ou prejuízos causados à CONTRATANTE e a terceiros.

i) Todas as medidas serão conferidas no local.

j) A quantificação é da responsabilidade das empresas LICITANTES que serão obrigadas a


contemplar todos os itens constantes do projeto.

k) Todos os materiais serão novos, comprovadamente de primeira qualidade.

l) Os materiais servíveis retirados e não aproveitados serão entregues à CONTRATANTE.

m) A CONTRATADA apresentará, em até 10 dias corridos de iniciar o serviço, a devida Anotação de


Responsabilidade Técnica (ART) pela execução, registrada no CREA-MT.

n) Obriga-se a CONTRATADA a retirar do recinto da obra os materiais impugnados pela


FISCALIZAÇÃO dentro de 72 horas a contar da Ordem de Serviço.

o) Toda a mão-de-obra será fornecida pela CONTRATADA e deverá ser devidamente qualificada na
execução dos trabalhos.
p) A CONTRATADA designará responsável técnico pela execução, obrigatoriamente detentor de
acervo técnico, comprovado por meio de atestado de aptidão emitido por pessoa jurídica de direito público
ou privado, para a qual tenha prestado serviço compatível com o objeto desta licitação em quantidade e
característica, devidamente registrado no CREA. Este profissional deverá assumir pessoal e diretamente a
execução dos serviços, devendo estar no local da obra durante todo o tempo de sua realização.

q) Todas as instalações serão executadas com esmero e bom acabamento, formando um conjunto
mecânica e eletricamente satisfatório e de boa qualidade.

r) As partes vivas expostas dos circuitos e dos equipamentos elétricos serão protegidas contra
acidentes, seja por um invólucro protetor, seja pela sua colocação fora do alcance normal de pessoas não
qualificadas.

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
6

s) Em lugares úmidos ou normalmente molhados, nos expostos às intempéries, onde o material


possa sofrer ação dos agentes corrosivos de qualquer natureza, serão usados métodos de instalação
adequados e materiais destinados especialmente a essa finalidade.

t) Somente em caso claramente autorizado pela Fiscalização será permitido que equipamentos e
materiais sejam instalados de maneira diferente da especificada ou indicada por seu fabricante. Esta
recomendação cobre também os serviços de partida e os testes de desempenho de cada equipamento,
que deverão ser realizados de acordo com as indicações de seus fabricantes.

4 NORMAS E CÓDIGOS

Para a elaboração deste projeto foram utilizados os dados básicos fornecidos pelos fornecedores
de grupo geradores e de estudo técnico com visitação do local das instalações, sendo o mesmo
consubstanciado nas recomendações de projeto, bem como nas prescrições das seguintes entidades
nacionais ou estrangeiras, onde aplicáveis:

• ABNT Associação Brasileira de Normas Técnicas

• ANSI American National Standard Institute

• NEMA National Electrical Manufacturers Association

• NEC National Electrical Code

• IEC International Eletrotechnical Comission

Em especial, deverão ser respeitadas as características fixadas nas seguintes normas técnicas,
exigíveis na aceitação e/ou recebimento dos materiais e equipamentos:

• NBR IEC 60.439/03 Conjuntos de manobra e controle de baixa tensão;

• NBR IEC 60529/09 Graus de proteção para invólucros de equipamentos elétricos (código IP);

• NBR 7288/94 Cabos de potência com isolação sólida extrudada de cloreto de polivinila
(PVC) ou polietileno (PE) para tensões de 1 kV a 6 KV;

• NBR 15.465/08 Sistemas de eletrodutos plásticos para instalações elétricas de baixa


tensão - Requisitos de desempenho;

• NBR 6689/81 Requisitos gerais para condutos de instalações elétricas prediais;

• NBR IEC 60.497-2/98 Dispositivos de manobra e comando de baixa tensão;

• NBR IEC 60670-1/05 Caixas e invólucros para acessórios elétricos para instalações elétricas
fixas domésticas e análogas;

• NBR 5410 Instalações elétricas de baixa tensão;

OBS.: Todos os fornecimentos de equipamentos e materiais elétricos deverão contemplar e atender todos
os requisitos previstos na NR-10 – Segurança em instalações e serviços com eletricidade.

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
7

5 MATERIAIS E PROCESSOS EXECUTIVOS

a) Todos os materiais e equipamentos a serem empregados nas instalações deverão ter alto nível de
qualidade, com padrão tecnológico atualizado e perfeito enquadramento normativo, conforme as
especificações do projeto.

b) Para comprovação, a Fiscalização exigirá todos os certificados de conformidade dos ensaios


ditados pelas normas ABNT aplicáveis a cada caso e, na falta delas, pelas normas internacionais
específicas.

5.1 RECEBIMENTO DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS

a) A inspeção para recebimento de materiais e equipamentos será realizada no local da obra por
processo visual, podendo, entretanto em caso de material diferente do especificado, ser feita na fábrica ou
em laboratório, por meio de ensaios, a critério da Fiscalização. Neste caso, o fornecedor deverá avisar
com antecedência a data em que a inspeção poderá ser realizada, sendo que os custos para inspeção
fora do canteiro correrão por conta da CONTRATADA.

b) Para o recebimento dos materiais e equipamentos, a inspeção deverá conferir a discriminação


constante da nota fiscal, ou guia de remessa, com o respectivo pedido de compra, que deverá estar de
acordo com as especificações de materiais, equipamentos e serviços.

c) Caso algum material ou equipamento não atenda às especificações e ao pedido de compra,


deverá ser rejeitado. A inspeção visual para recebimento dos materiais e equipamentos constituir-se-á,
basicamente, do cumprimento das atividades descritas a seguir:

 Conferir as quantidades;

 Verificar as condições dos materiais, como, por exemplo, estarem em perfeito estado, sem trincas,
sem amassamentos, pintados, embalados e outras;

 Designar as áreas de estocagem, em lugares abrigados.

 A contratante será o responsável pelo estado de conservação dos equipamentos até o momento do
recebimento e aceitação dos mesmos.

6 CONDIÇÕES GERAIS

6.1 DOCUMENTAÇÃO

a) A CONTRATADA se responsabilizará pelo fornecimento de ferramentas, instrumentos e pessoal


necessários à execução dos testes, os quais deverão ser sempre executados em presença da
Fiscalização, ter seus resultados apresentados em planilhas apropriadas.

b) Ao término da instalação a CONTRATADA deverá apresentar o projeto “as-built” das instalações


executadas, com todos os diagramas de interligação dos equipamentos de maneira clara e precisa, em
mídia eletrônica (CD - Compact Disk) e plotadas em papel de gramatura mínima de 70g/m2 e nos
tamanhos indicados. Os arquivos das plantas deverão ser gravados em formato do AutoCAD (dwg e plt).
Também ao final da obra, deverão ser entregues os relatórios de Certificação de da malha de aterramento,
bem como do funcionamento/ensaios do grupo gerador. Estes relatórios poderão ser impressos ou
fornecidos em mídia eletrônica (CD), prioritariamente em formato PDF.

c) A contratada realizará com equipamentos próprios os seguintes testes e medições na presença da


fiscalização:

* Teste de falta parcial e total de energia por tempo determinado;

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
8

* Medição de aterramento elétrico;

* Verificação dos esquemas elétricos;

* Verificação de qualidade de montagem elétrica.

a) O recebimento será efetuado através de inspeção visual de todas as instalações e da


comprovação da operação de todo o sistema.

b) O recebimento ocorrerá após a montagem, testes e pré-operação da instalação e de todos os


equipamentos e componentes que integram o sistema e desde que todas as condições de desempenho
dos mesmos sejam satisfatórias, dentro dos parâmetros assumidos.

c) Os parâmetros lidos nos testes (Corrente, tensão, frequência, potência) realizados deverão ser
comparados com os padrões aceitáveis de acordo com as normas vigentes.

d) Uma vez recebida a documentação dos testes, a CONTRATANTE se reserva o direito de realizar
provas aleatórias por amostragem do sistema para verificar os resultados fornecidos na documentação. A
CONTRATANTE utilizará o mesmo método de teste empregado pelo instalador e somente se permitirão
variações muito pequenas. Caso se encontre grandes discrepâncias, o instalador deverá solucioná-las
sem custo adicional para a CONTRATANTE.

6.2 CONSIDERAÇÕES SOBRE O FORNECIMENTO

O fato de algum material não ter sido especificado, não se constitui motivo bastante ao Proponente
para sua não inclusão para a perfeita execução dos serviços de instalação de grupo gerador, tendo em
vista que durante a execução da obra os mesmos serão exigidos, devendo a obra ser entregue completa e
após todos os testes de recebimento. Por ocasião dos testes finais e da entrega definitiva, a obra deverá
estar completamente limpa e isenta de materiais estranhos, todas as superfícies pintadas estarão limpas e
retocadas.

6.3 TREINAMENTO

A CONTRATADA deverá fornecer um treinamento de no mínimo 3 horas, apresentando as


características da solução, os diagramas de interligação, o funcionamento no modo manual e automático,
as recomendações para abastecimento do tanque de combustível, e demais assuntos importantes para
funcionamento do grupo gerador, para os responsáveis técnicos para entrada do funcionamento do grupo
gerador no caso de falta de energia elétrica por parte da concessionária na nova sede da PRT 23ª
REGIÃO.

6.4 EXECUÇÃO DAS INSTALAÇÕES

Para execução dos serviços deverão ser obedecidas rigorosamente as especificações da ABNT
aplicáveis e em especial os seguintes pontos:

• Os condutores deverão ser instalados de tal forma que os isente de esforços mecânicos
incompatíveis com a sua resistência ou com a do seu isolamento;
• As emendas e derivações deverão ser executadas de modo a assegurar resistência mecânica
adequada e contato elétrico perfeito, utilizando-se para tal, conectores e acessórios adequados;

• O condutor de aterramento deverá ser facilmente identificável em toda sua extensão, devendo ser
devidamente protegido nos trechos onde possa vir a sofrer danificações mecânicas;

• O condutor de aterramento deverá ser preso aos equipamentos por meios mecânicos, tais como
braçadeiras, orelhas, conectores e semelhantes e nunca com dispositivos de solda a base de estanho,

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
9

nem apresentar dispositivos de interrupção, tais como chaves, fusíveis, etc., Ou ser descontínuo,
utilizando carcaças metálicas como conexão;

• Os condutores somente deverão ser lançados depois de estarem completamente concluídos


todos os serviços de construção que possam vir a danificá-los;

• Somente poderão ser utilizados materiais de primeira qualidade, fornecidos por fabricantes
idôneos e de reconhecido conceito no mercado;

• Todas as instalações deverão ser executadas com esmero e bom acabamento, conforme
recomenda a boa técnica.

6.5 ETAPAS DA OBRA

As instalações elétricas do Gerador Diesel compreendem as seguintes Etapas:

• Execução da base de concreto do Grupo Gerador, e demais obras civis.

• Instalação do sistema de aterramentos;

• Instalação do Grupo Gerador e do Quadro de Transferência Automática – fornecimento do fabricante do


grupo gerador;

• Instalação de todo o encaminhamento Elétrico;

• Lançamento do cabeamento elétrico e conexões elétricas;

7 INSTALAÇÕES DE OBRAS CIVIS

7.1 INTRODUÇÃO

O presente memorial refere-se à estrutura para apoio de gerador, a ser construída no subsolo da
nova sede da Procuradoria Regional do Trabalho da 23ª Região em Cuiabá - MT, e contêm informações
básicas dos materiais e sistemas construtivos a serem empregados na execução da obra. São válidas
todas as observações preconizadas pela NBR 6118, NBR 6120, NBR 6122, NBR 6123, e demais normas
pertinentes, que por ventura não estejam explicitadas neste memorial.

7.2 FORMAS

As formas deverão ser fabricadas com lâminas de madeira compensada revestidas com filme
fenólico, com gramatura mínima de 180 g/m2, marca Gethal ou similar, sem falhas ou irregularidades.

Deverão reproduzir os contornos, alinhamentos, dimensões e garantir a estanqueidade, impedindo


fugas de nata de cimento.

O reaproveitamento de formas somente será autorizado se for comprovado o atendimento às


condições originais, anteriormente descritas, com o aval por escrito da fornecedora das formas, e de
acordo com suas recomendações técnicas devendo, após cada uso, ser procedida a adequada limpeza e
a reconstituição do filme sempre que o mesmo ficar danificado.
No caso da recomendação da substituição das formas, por parte da fiscalização, devido às más
condições das mesmas (sem garantias do perfeito acabamento das peças concretadas), o ônus deverá
ser assumido pela contratada.

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
10

7.3 CONCRETAGEM

A concretagem deverá ser sempre procedida por comunicado escrito, aos fiscais da obra, para
que se proceda a prévia verificação das armaduras, as disposições, dimensões e a colocação das
tubulações e acessórios de instalações elétricas, aterramento, e etc., a serem embutidas no concreto, que
já deverão estar executadas quando do comunicado.

Todo o concreto usado na obra deverá ser usinado e bombeado, e seu lançamento nas formas
deverá contar com adensamento mecânico, através de vibradores de mangote. A contratada deverá
apresentar a nota fiscal de cada concretagem comprovando o fck do concreto utilizado. O concreto só
poderá ser encomendado, pela contratada, após a liberação por escrito dos fiscais da obra.

A execução de qualquer parte da estrutura, quanto à sua resistência e estabilidade, implica total
responsabilidade da contratada. A estrutura deverá ser locada com todo o rigor, responsabilizando-se a
contratada por qualquer desvio de alinhamento, prumo ou nível. Correrá por conta da contratada a
reexecução dos serviços julgados imperfeitos pelos fiscais. A estrutura de concreto somente será liberada
após a desforma, a fim de que se comprove a boa qualidade da concretagem.

7.4 BASE PARA GRUPO GERADOR

A base para instalação de grupos geradores em container deverão ser construídas conforme
indicado nos projetos fornecidos, em forma de radier de concreto armado estrutural fck = 20 MPa, com
armadura de aço CA 50 de 8mm, tipo grelha, com malha de 12cmx12cm, executada sobre camada de
aterro compactado e concreto magro com espessura de 5cm, com resistência para suportar carga de
equipamento com massa de no mínimo 10 toneladas.

As bases deverão ser executadas conforme locação e dimensões indicadas no projeto executivo
fornecido pela Contratante, com superfície plana, nivelado na cota de 0,20m acima do nível do terreno e
ter acabamento desempenado e pintado. Na superfície superior será construída uma canaleta no contorno
do cada grupo gerador com seção reta de 0,10mx0,10m com declividade de 0,1% na direção do ponto de
coleta para conexão com o sistema separador de água e óleo.

7.5 BASE PARA O QTM.

A base para instalação do QTA (Quadro de Transferência Automática) deverão ser construída no tamanho
de 1,20x1,20x0,15m (LxPxA), levando em consideração que o QTM seja um armário metálico a prova de
tempo, medindo 1,00x1,00x2,00m (LxPxA), com armadura de aço CA 50 de 8mm, tipo grelha, com malha
de 12cmx12cm, executada sobre camada de aterro compactado e concreto magro com espessura de 5cm

7.6 CAIXA DE PASSAGEM

As caixas de passagens para rede elétrica, deverão ser feitas em concreto ou blocos de
concreto, rebocadas internamente e externamente, medindo 50x50x50cm, com tampa em concreto
armado, pintadas na cor amarela e identificada.

7.7 SERVIÇOS ESPECIAIS

Inspeção do local da obra

Antes do início do serviço de execução das fundações deverá ser procedida uma inspeção no
local para verificação das condições das fundações do prédio existente e certificar-se de que não haverá
interferências no local da obra.

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
11

Caso haja interferências entre as fundações do prédio existente e as novas fundações da laje de
concreto do Grupo Gerador, pequenos desvios ou deslocamentos das novas bases poderão ser
implementadas.

8 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

8.1 SUPRIMENTO DE ENERGIA DE EMERGÊNCIA

O suprimento de energia elétrica de emergência para as cargas essências do TRT 23ª Região
será a partir da instalação do grupo gerador diesel de 313 kVA de potência em “stand by” a ser instalado
no subsolo da nova sede da Procuradoria Regional do Trabalho 23ª Região.

8.2 GRUPO GERADOR

O Grupo gerador será do tipo carenado, QTA incorporado e moto a diesel, e deverá ser construída
uma proteção contra contatos diretos através da execução de uma tela Otis com perfis em ferro cantoneira
zincada a quente. Haverá uma porta de acesso ao recinto do grupo gerador que deverá receber trinco e
fechadura e possuir dimensões de 1,00x2,10m.

8.3 DIMENSIONAMENTO DO GRUPO GERADOR

Potência Instalada – Demandas

Em cada uma das unidades do sistema foram consideradas todas as potências dos quadros e dos
conjuntos principais. As demandas foram determinadas considerando-se as condições de uso de cada
equipamento, na situação mais desfavorável, tendo sido adotada, em cada caso, a demanda máxima
provável da unidade como base para o dimensionamento dos componentes.

Foram consideradas as seguintes cargas finais para o sistema de energia elétrica de emergência
(grupo gerador):

A) Quadro de tomadas subsolo:

Potência ativa = 1000 W

Total: 1000 W / 0,80 = 1250 VA

Potência aparente = 1250 VA

B) Quadro de iluminação e TUE subsolo:

Potência ativa = 7762 W

Potência aparente = 11661 VA

C) Quadro de tomadas sobressolo:

Potência ativa = 6400 W

Total: 6400 W / 0,80 = 8000 VA

Potência aparente = 8000 VA

D) Quadro de iluminação e TUE sobressolo:

Potência ativa = 4248 W

Potência aparente = 5348 VA

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
12

E) Quadro de ar condicionado sobressolo:

Potência ativa = 7800 W

Total: 7800 W / 0,90 = 8667 VA

Potência aparente = 8667 VA

F) Quadro de iluminação sobressolo:

Potência ativa = 4900 W

Potência aparente = 5597 VA

G) Quadro de tomadas térreo:

Potência ativa = 14000 W

Potência aparente = 17333 VA

H) Quadro de ar condicionado térreo:

Potência ativa = 41400 W

Total: 41400 W / 0,90 = 46000 VA

Potência aparente = 46000 VA

I) Quadro de iluminação térreo:

Potência ativa = 5268 W

Total: 6400 W / 0,90 = 8667 VA

Potência aparente = 6643 VA

J) Quadro de ar condicionado data center:

Potência ativa = 10800 W

Total: 1000 W / 0,90 = 1200 VA

Potência aparente = 12000 VA

K) Quadro de tomada 1ª andar:

Potência ativa = 11500 W

Total: 11500 W / 0,80 = 14375 VA

Potência aparente = 14375 VA

L) Quadro de ar condicionado 1ª andar:

Potência ativa = 30000 W

Total: 30000 W / 0,90 = 33333 VA

Potência aparente = 33333 VA

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
13

M) Quadro de iluminação 1ª andar:

Potência ativa = 5996 W


Potência aparente = 7564 VA

N) Quadro de tomadas 2ª andar:

Potência ativa = 11100 W

Total: 11100 W / 0,80 = 13875 VA

Potência aparente =13875 VA

O) Quadro de ar condicionado 2ª andar:

Potência ativa = 29400 W

Total: 29400 W / 0,90 = 32667 VA

Potência aparente = 32667 VA

P) Quadro de iluminação 2ª andar:

Potência ativa = 5984 W

Potência aparente = 7555 VA

Q) Quadro de tomadas 3ª andar:

Potência ativa = 12700 W

Total: 12700 W / 0,80 = 15861 VA

Potência aparente = 15861 VA

R) Quadro de ar condicionado 3ª andar:

Potência ativa = 32400 W

Total: 32400 W / 0,90 = 36000 VA

Potência aparente = 36000 VA

S) Quadro de iluminação 3ª andar:

Potência ativa = 6676 W

Potência aparente = 8426 VA

T) Quadro de laje técnica:

Potência ativa = 340 W

Potência aparente = 428 VA


U) Quadro de laje caixa d’água:

Potência ativa = 220 W

Potência aparente = 277 VA

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
14

CALCULO DA DEMANDA PARA DIMENSIONAMENTO DO GRUPO DIESEL

TOTAL ILUMINAÇÃO E TUG’S = A + B + C + D + F + G + I + K + M + N + P + Q + S + T + U

TOTAL ILUMINAÇÃO E TUG’S = 124,193 kVA


FD = 100%

DEMANDA 1 = 124,193 kVA

TOTAL CONDICIONADOR DE AR = E + H + J + L + O + R = 8667 + 46000 + 12000 + 33333 + 32667 + 36000

TOTAL CONDICIONADOR DE AR = 168,657 kVA

FD = 75%

DEMANDA 2 = 126,49 kVA

DEMANDA TOTAL = DEMANDA 1 + DEMANDA 2 = 124,193 + 126,49

DEMANDA TOTAL = 250,683 kVA

OBS: FOI SELECIONADO GRUPO GERADOR DE 300 KVA - FAIXA COMERCIAL MAIS PRÓXIMA
CONFORME CATÁLOGO DO FABRICANTE CUMMINS, STELMAT ETC.

8.4 INSTALAÇÕES - DISTRIBUIÇÃO DE FORÇA, COMANDO E ATERRAMENTO

Generalidades

O Grupo Gerador Diesel será instalado subsolo do PRT 23ª Região e será instalado sobre base de
concreto dimensionada para suportar os esforços dinâmicos produzidos pelo equipamento.

Todo o encaminhamento elétrico foi dimensionado para a instalação de um grupo gerador de 300
kVA e o Quadro de Transferência Automático – QTA (de fornecimento do fabricante do grupo) também
está dimensionado para realizar a transferência segura das cargas.

Atendimento das Cargas Elétricas Essenciais

Para que se possa atender as cargas do PRT 23ª Região, será necessária a interligação do grupo
gerador com o quadro existente QGBT. Este QGBT será alimentado a partir de um Quadro de
Transferência Automático – QTA, que selecionará a fonte de energia comercial (concessionária local) ou
emergência (grupo gerador) conforme a disponibilidade do sistema.

O QTA é um quadro de transferência de fonte de energia, fornecido junto com o grupo gerador,
que tem a função de selecionar a fonte de energia de alimentação do QGBT, uma vez que este quadro
será alimentado a partir da concessionária local e do grupo gerador, concomitantemente. Em situação
normal, o QTA está selecionado para alimentar o QGBT a partir da fonte comercial de energia, ou seja, a
partir da concessionária local. Quando o sistema de transferência pressentir a falta de energia comercial,
imediatamente inicia o processo de partida do grupo gerador e quando este estiver em regime,
automaticamente transfere a fonte de alimentação do QGBT para o grupo gerador.

Desta forma todas as cargas alimentadas a partir do QGBT, estarão continuamente sendo
alimentadas quer da fonte comercial de energia ou da fonte alternativa de energia – emergência.

Cabeamento Elétrico de força

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
15

Na elaboração do Projeto foi considerada a utilização do sistema elétrico existente, fazendo


apenas as adequações necessárias para o funcionamento do mesmo com o grupo gerador a diesel a ser
instalado.

Na quadro do disjuntor de proteção de entrada, será instalado um circuito trifásico, lançando 3


cabos de #150mm² por fase (cabo de cobre isolamento termoplástico 0,6/1kV, anti-chamas), interligando a
saída do disjuntor geral de 800A existente ao disjuntor geral de proteção 800A do QTA pertencente ao
grupo gerador a instalar. Será instalado 3 cabo elétricos para Neutro de #150mm² e 1 cabo elétrico para
Terra de #150mm² (cabo de cobre isolamento termoplástico 0,6/1kV, anti-chamas), saindo das respectivas
barras (Neutro e Terra) existentes no quadro do disjuntor geral, interligando ao QTA do Grupo Gerador a
Diesel. Do QTA, Sairá 3 cabos de #150mm² por fase (cabo de cobre isolamento termoplástico 1KV, anti-
chamas) que será interligado, usando conectores de pressão 150mm², aos cabos existente (#150mm²) de
interligação do QDLG, localizado no térreo. A interligação será efetuada no quadro de comando do
disjuntor geral localizado no subsolo (estacionamento), conforme projeto.

Cabeamento Elétrico de comando

Será instalado um cabo de comando 12 x 2,5mm² entre o painel de controle do motor-gerador até
o local onde será instalado o QTA.

Aterramento

Na área da base para o tanque de armazenamento de combustível e da base para o grupo


gerador, deverá ser construída uma malha de aterramento tipo grade ou rede, constituída de hastes de
aterramento com 2,40m de comprimento por 5/8” de diâmetro, cabos de cobre nu duro 50mm² e solda
exotérmica, de acordo com o projeto fornecido e as normas técnicas (NBR) pertinentes ao assunto, cujo
valor da resistência para o grupo geradores seja ≤ 5 Ώ (cinco ohms) e tanque seja ≤ 10 Ώ (dez ohms) em
qualquer período do ano (seco ou úmido).

Caso necessário, o solo deverá ser tratado de modo a permitir que a resistência mínima de 5 Ώ
(cinco ohms) para o grupos gerador e de 10 Ώ (dez ohms) para o tanque de armazenamento de
combustível, sejam alcançadas. Neste caso deverá ser empregado tratamento químico, tipo GEL, estável
quimicamente, insolúvel em água, não corrosivo, e inatacável pelos ácidos contidos na terra.

A carenagem, estruturas metálicas e todas suas partes não energizáveis deverão interligar ao
aterramento construído na base do grupo gerador.

9 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS

9.1 GRUPO GERADOR DIESEL

Regime de Potência

Potência de emergência (standby)

Potência de emergência (standby) é a potência máxima que um grupo gerador é capaz de


fornecer, para cargas variáveis, durante o período de interrupção do fornecimento de energia da
concessionária, por um período de até 200 h por ano, conforme ISO8528.

Prime Power (PRP)

Potência Prime é a potência que um grupo gerador é capaz de fornecer para cargas variáveis,
sem limitação de horas de funcionamento, com sobrecarga admissível de 10% de 1hora a cada 12horas
de funcionamento, conforme ISO8528.

Potência contínua (COP)

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
16

Potência contínua é aquela que um grupo gerador é capaz de fornecer sem variação de carga, por
um número ilimitado de horas, conforme ISO8528.

Escopo Básico

Um Grupo Gerador Diesel, desenvolvendo a potência nominal de 250 kW (313kVA) em regime


“Stand-by” e 225 kW (281 kVA) em regime “Prime Power”, trifásico, 60Hz, conectado na tensão de
220/127 Vca, com as características abaixo:

Motor Diesel

Motor Diesel, refrigerado por radiador, turbinado, sistema de injeção direta, sistema de
aferrecimento através de radiador com ventilador acoplado e tanque de expansão incorporado, 6 cilindros
em LINHA, desenvolvendo 355 kWm de potência bruta a 1800 RPM em Stand-by, construção específica
para acionamento de alternadores elétricos, pré aquecimento, com baixos índices de emissões e máximo
de aproveitamento do combustível.

As características técnicas principais do motor são as encontradas abaixo:

 Motor de partida elétrico 24V

 Alternador de carga de baterias acionado por correia

 Governador eletrônico de velocidade

 Válvula solenoide de parada de combustível de 24V

 Filtro de ar com elemento seco substituível e indicador de restrição

 Filtro de combustível separador de água

 Filtro de óleo lubrificante roscado de fluxo total

Alternador

O grupo motor gerador deverá ser dotado de alternador de construção horizontal “single bearing”,
sem escovas, isolação e elevação de temperatura classe H conforme NEMA MG1-22, trifásico, síncrono,
reconectável em diferentes tensões e que atende 220 Volts entre fases, 127 Volts entre fase e neutro, fator
de potência 0,8, 4 pólos, 60 Hz 1800 RPM, grau de proteção IP 23, arrefecimento por ventilador montado
no próprio eixo, sistema de excitação Brushless, tipo imã permanente (PMG), com regulador de tensão,
que assegura máximas precisão e velocidade de correção quando das variações de carga. O sistema de
excitação deverá oferecer proteção contra sobrecargas, com capacidade de anular a alimentação do
campo em casos de sobre-corrente nas bobinas do estator. Acoplamento direto ao motor por meio de
disco de aço flexível. Rotor balanceado dinamicamente BS 6625 grau 2,5, enrolado em camadas e com
cunha mecânica, blindado, com lubrificante permanente.

OBS: PMG – Equipamento instalado nos Grupos Geradores que fornece energia ao regulador
eletrônico de tensão independente da tensão de saída do alternador. Este recurso permite que o
grupo gerador apresente melhor desempenho na partida de motores e melhor imunidade ao efeito
de harmônicas induzidas por cargas não lineares.

Características elétricas principais

Regulação de tensão entre vazio e plena carga ± 1,0%


Regulação de frequência Isócrono
Variação randômica de frequência ± 0,25%

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
17

Fator de influência telefônica (TIF) < 50 (NEMA MG1-22.43)


Fator telefônico harmônico (THF) <3

Painel de controle do Grupo Motor-Gerador (Quadro de comando e controle)

Deverá ser fornecido com um quadro de comando e controle micro-processado para grupo
gerador que incorpora as funções de medição, monitoração e sistema de controle, e será montado sobre o
grupo gerador. Possuir uma interface simples, regulação digital de tensão, controle de partida/parada
manual e proteções do motor e gerador, conforme as características abaixo:

Dispositivos de comando e sinalização (Display): Visor de crystal liquido e botões do tipo membranas
sensitivas.

Dispositivos de comando e sinalização (Comando de partida e parada): Temporização de partida e


parada (Temporizador de partida) e rotina de partida.

Dispositivos de comando e sinalização (Leds de indicação): Grupo em funcionamento, modo


automático, partida remota, alarme/defeito, desligamento e modo manual.

Dispositivos de monitoramento (Medições do motor): Temperatura da água e óleo, rotação do motor


(RPM), pressão do óleo, tensão das baterias de partida.

Dispositivos de monitoramento (Medições do gerador): Tensão entre fases e fase-neutro (L-L, L-N,
monofásica ou trifásica), corrente, potência aparente (kVA) e frequência (sobre/sub frequência).
Dispositivos de proteção (Proteções do motor): Baixa pressão do óleo lubrificante, alta e baixa
temperatura do líquido de arrefecimento, baixo nível do líquido de arrefecimento, tensão de bateria, falha
na partida, sobrevelocidade e auto diagnóstico dos sensores.

Dispositivos de proteção (Proteções do alternador): Sobre/sub tensão do alternador, sobrecorrente,


frequência (sobre/sub frequência), sobrecarga no campo de excitação, perda das amostras de tensão
(excitação) e entradas e saídas configuráveis.

Painel de controle e transferência automática (QTA)

Deverá ser fornecido junto com o grupo gerador diesel um Quadro de Transferência Automático -
QTA, composto por avançado mecanismo de transferência de fontes de energia, com entrada e
saída tetrapolar na capacidade de 800 A dimensionados de acordo com a potência do grupo gerador,
preparado para funcionamento em regime de transferência aberta, com interrupção.

Este Quadro de Transferência Automático deverá possuir em seu interior uma chave tetrapolar de
transferência que deverá monitorar a concessionária de energia, quando do retorno da tensão comercial,
por um período de até 2 minutos. Caso ocorra o sincronismo entre tensão do grupo e da rede a
transferência dar-se á com interrupção momentânea de 100 ms.

A interface do painel deverá possibilitar a visualização de indicação de status da transferência,


posição da transferência e indicações de controle. A interface também deverá possibilitar a configuração
dos parâmetros do sistema e ajustes.
O quadro de transferência automático (QTA) será equipado por um comando e controle, digital,
conforme características abaixo:

Dispositivos de Comando e Sinalização

• Botões de Controle: Teste, manual e automático;

• Leds de Sinalização: Rede presente, Rede alimentando a carga, Gerador em funcionamento e Gerador
alimentando a carga.

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
18

Dispositivos de Monitoramento e Configuração

• Monitoramento da Rede: subtensão e subfrequência da Rede;

• Configuração do Sistema: tempo de confirmação de falha de rede, tempo de transferência rede-gerador


e tempo de transferência de gerador-rede, tempo de confirmação de retorno de rede, chave de
transferência tetrapolar, mecanismo de transferência com dispositivo de manopla para uso manual, teste
com carga e teste sem carga.

Carenagem Silenciada

O grupo gerador será abrigado em uma cobertura metálica revestida internamente com material
fono-absorvente, garantindo um nível de ruído menor ou igual a 75 dB (A) a 1,5 metros de distância. Nas
paredes internas da carenagem, serão aplicadas placas atenuadoras com propriedades acústicas que
evitam o rebatimento das ondas sonoras. A carenagem possuirá aberturas para

A carenagem será executada com base construída em perfis de chapa de aço dobrada (skid),
soldada, com travessas de reforço e suportes para fixação do motor, gerador, carenagem e chapa de
fechamento formando o piso interno; possuirá, também, quatro olhais para içamento soldados nas
extremidades da base.

O fechamento lateral e superior será confeccionado em painéis metálicos aparafusados entre si,
fixados à base metálica também por meio de parafusos, com de portas laterais para acesso e
manutenção.

A captação de ar frio será feita pela parte traseira, através de veneziana e atenuador de ruído de
fluxo horizontal, contendo material com característica fono-absorvente de alto desempenho.

A expulsão de ar quente dar-se-á pela parte dianteira, através de veneziana e atenuador de ruído
de fluxo horizontal, contendo material com característica fono-absorvente de alto desempenho.

A descarga dos gases de combustão será feita através de silencioso de alta performance, tipo
hospitalar, montado internamente na carenagem; a interligação do silencioso com o motor será feita
através de segmento elástico com descarga para o exterior, dotada de tampa oscilante.

Acessórios para o grupo gerador:

Deverá ser fornecido o seguinte:

• (02) duas bateria de partida de 12V com respectivos cabos e conectores

• (01) um tanque de combustível interno de 400 litros montado no chassi do grupo gerador;

• (01) um silencioso hospitalar de alto rendimento e flexível de escape

• (01) um regulador eletrônico de velocidade

• (01) um sistema de pré-aquecimento do motor;

• (01) disjuntor de proteção tripolar fixo, dimensionado de acordo com a potência do grupo gerador;

• (01) um conjunto de manuais técnicos

• (01) um quadro de transferência automática (QTA) 800A;

• (01) uma carenagem silenciada de 75 dB(A).

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
19

Condições técnicas

• UTILIZAÇÃO: Este equipamento irá trabalhar em regime “Standby” (emergência).

• GARANTIA: 24 meses em regime de emergência “Standby” ou de 12 meses em regime de emergência


“PRIME”, a contar da data da instalação e posta em marcha do equipamento, para todos os componentes;
Deverão fazer parte do fornecimento todas as despesas de deslocamento, estadia e alimentação
do técnico durante o período para os produtos que forem estiverem dentro da garantia.

• ASSISTÊNCIA TÉCNICA: Deverá estar à disposição uma equipe técnica e peças sobressalentes
localizados em Cuiabá/MT assegurando pronto atendimento 24 horas e absoluta confiabilidade.

• ENTREGA TÉCNICA: Compreenderá a presença de um técnico especializado, em dias úteis em horário


comercial, para efetuar, pela primeira vez, o funcionamento do equipamento, executar testes com e sem
carga (se houver disponibilidade) e fornecer instruções completas de funcionamento ao PRT 23ª Região.

9.2 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICA DOS MATERIAIS

Conectores

Poderão ser utilizados, conforme as indicações de projeto, os seguintes tipos de conectores:

a) Tipo parafuso fendido de bronze silício de alta resistência, com parafuso de aperto em bronze;

b) Conector de compressão por alicate ou ferramenta apropriada;

c) Conector paralelo.

Não será permitida emenda com amarrações de fios ou dispositivos de solda a estanho. Para
condutores de alumínio somente poderão ser utilizados conectores específicos para cabos de alumínio,
em conjunto com massa apropriada.

Cabos de Baixa Tensão Isolados em PVC

Condutores de cobre, têmpera mole, compactados, nas bitolas indicadas em projeto, múltiplos
para seções até 16 mm² e singelos para seções acima de 16 mm², isolados em cloreto de polivinila
antichama (PVC), classe de tensão 0,6/1 kV, classe de temperatura 70°C, fabricados de acordo com as
normas NBR 7288, NBR 6251 e NBR 6880 da ABNT.

Cabos de baixa tensão isolados em EPR

Condutores de cobre, têmpera mole, compactados, nas bitolas indicadas em projeto, múltiplos
para seções até 16 mm² e singelos para seções acima de 16 mm², isolados com composto termofixo à
base de borracha Etileno-Propileno (EPR) com cobertura em composto termoplástico à base de cloreto de
polivinila antichama (PVC), classe de tensão 0,6/1 kV, classe de temperatura 90°C, fabricados de acordo
com as normas NBR 7286, NBR 6251 e NBR 6880 da ABNT.

Cabos de Comando

Condutores de cobre, têmpera mole, encordoamento redondo normal, múltiplos com veias torcidas
numeradas ou com identificação através de cores, isolação polietileno compacto classe térmica 80°C com
cobertura em PVC antichama classe térmica 80°C na cor preta, separador de fita não higroscópica de
poliéster com blindagem eletrostática em fita de poliéster aluminizada classe de tensão máxima de
exercício 300 V, seção 1,5mm².

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
20

Disjuntores em Caixa Moldada

Os disjuntores em caixas moldadas devem ser construídos e ensaiados de acordo com a norma
IEC NBR 60.947-2 da ABNT. Corrente de Curto circuito de mínima de 10 kA.

Devem ser tropicalizados, com comando manual por alavanca, possuindo em cada fase
disparadores termomagnéticos de ação direta.

A tensão e corrente nominais, capacidade de ruptura e número de pólos conforme indicação do


projeto.
O mecanismo de abertura deve ser do tipo disparo livre (trip-free), com dispositivo de indicação
visual de atuação.

Deverão ser providos de terminais ou conectores próprios para as bitolas dos condutores previstos
no projeto para conexão aos disjuntores.

Os disjuntores a serem utilizados deverão ser padronizados com os existentes no local. Como
referência de padronização e qualidade indicamos a utilização de disjuntores da ABB, SIEMENS,
fabricante utilizado nos quadros do PRT 23ª REGIÃO.

A manopla deve possuir indicador de posição “ligado” e “desligado” (on e off). Deverão possuir dispositivo
para cadeado e compatível com a nova NR-10

A tensão e corrente nominais, capacidade de ruptura, número de pólos e execução (fixa ou


extraível) deverão ser conforme indicado no projeto.

Manuais

O manual de montagens, bem como o manual de operações e manutenção deverá ser completo e
definir perfeitamente as fases de montagem, de operação, bem como os processos e métodos de
manutenção e reparo dos equipamentos, tendo em vista sempre a segurança completa do pessoal e o
bom desempenho do equipamento. Deverá conter, onde aplicável e conforme solicitação da Fiscalização,
as seguintes informações:

• Desenhos seccionais com lista de peças numeradas;

• Descrição geral e especificação de operação de todo o equipamento;

• Instruções para armazenamento, instalação montagem, funcionamento desmontagem;

• Diagramas unifilares e trifilares;

• Instruções para manutenção preventiva, periodicidade e procedimentos;

• Instruções específicas de segurança pessoal na operação e manutenção do equipamento;

Garantia

O Fabricante deverá garantir o equipamento fornecido, contra defeitos de projeto ou fabricação,


pelo prazo de 1 (um) ano, a partir do início de funcionamento.

Os reparos necessários para correção de falhas de projeto ou fabricação, ocorridos dentro do


prazo de garantia, deverão ser realizados pelo Fabricante, sem ônus de qualquer espécie para a
Contratante.

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações
21

Eletrodutos rígidos de PVC

De PVC rígido na cor preta, roscável, classe A, em peças de 3,0 m de comprimento.

10 DESENVOLVIMENTO DOS TRABALHOS

Os serviços objeto desse memorial poderão ser executados em todos os períodos, diurno,
noturno, feriados e finais de semana, porém não deverá comprometer o expediente da instituição.

Como rotina para a realização das diversas Contratado deverá apresentar um cronograma de
execução dos serviços objeto dessa licitação onde o prazo máximo para execução de todos os serviços
não exceda a 60 dias corridos

10.1 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Todas ações tem de ser muito bem estudadas, e torna-se imprescindível que a visita técnica seja
feita de maneira bastante criteriosa para que a proponente possa idealizar todas as manobras e
instalações necessárias a atender a este projeto executivo de Grupo Gerador.

Ao final da obra deverá ser gerado o projeto As-Built da obra com todos os diagramas de
interligação dos equipamentos de maneira clara e precisa.

11 RESPONSÁVEL PELA ELABORAÇÃO DO PROJETO BÁSICO:

_______________________________________
Lucas Silva Costa
Engenheiro Eletricista

Cuiabá, 18 de Setembro de 2015.

Responsável Técnico: Lucas Silva Costa GRUPO GERADOR 300 kVA


Sonare Soluções em Energia e Telecomunicações