Você está na página 1de 38

Amigos do Guri

Plano Individual dos (as) Educadores (as) Musicais

2º Semestre/2018

Polos, Polos Regionais

Este documento é de preenchimento obrigatório a todos (as) os (as)


educadores (as) musicais e deve ser postado no ambiente EaD
musical, em local específico para este fim.

ATENÇÃO:

1. Não serão considerados os planos postados no link de entrega de


planos de ação, tampouco por e-mail ou quaisquer outros meios.

2. No momento das postagens, anexe TODOS os arquivos antes de


clicar em “enviar”.

1 - Dados Gerais:

Identificação do educador (a)

Nome do (a) educador (a) Wilhanson Carlos de Sousa Silva

Naipe Cordas Friccionadas

Especialidade Violino

Infraestrutura do polo

Nome do polo: Polo Regional Jundiaí

Recursos materiais disponíveis no polo (sala de aula e/ou de ensaio).

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
( x ) Lousa ( x ) Estantes ( x ) Cadeiras (x) Outros/especifique: Caixa de Som e Data Show

2 – Perfil dos (as) alunos (as):

Identificação das turmas


Horários das aulas/oficinas/disciplinas/práticas de Faixa etária das turmas
conjunto. Favor citar horário de início e término
de cada atividade

1ª turma: Matutino: Turma A das 10h as 11h, e Manhã: 9 à 13 anos


das 13h30 às 14h30,
Tarde: 9 à 16 anos

2ª turma: Turma B das 9h as 10h, e das 14:30 às Manhã: 9 à 15 anos


15:30
Tarde: 9 à 16 anos

3ª turma: Turma C das 15h30 as 16h30 11 à 17 anos

Prática de conjunto: Turma B das 08h as 09h, Sem dados dos outros naipes, apenas do violino
Turma C, das 16h30 as 17h30.

Número de alunos (as) com deficiência


matriculados (as)

1ª turma 1 aluna da turma A da tarde. A aluna tem


Síndrome de Asperger.

2ª turma: 1 Aluna da turma B da tarde, A aluna tem


mielomelingocele.

3ª turma

Prática de Conjunto

Número total de alunos (as) matriculados (as)

1ª turma A: Manhã: 14 alunos, Tarde: 14 alunos

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
2ª turma B: Manhã: 14 alunos, Tarde: 12 alunos

3ª turma C: 15 alunos

Prática de Conjunto: sem dados dos restantes dos naipes

3 – Para quem ensinar? Avaliação diagnóstica dos (as) alunos (as) das
turmas, considerando situação sociocultural da comunidade à que
pertence não apenas os conhecimentos formais, mas também aqueles
adquiridos no convívio social dos(as) alunos(as). (Especificar A, B ou C).

Obs: Recomenda-se que para avaliação dos conhecimentos musicais prévios dos(as)
alunos(as) como: manutenção do tempo, articulação de fraseados, afinação,
conhecimento de repertório e manifestações culturais tradicionais de seu entorno,
principalmente daqueles(as) alunos (as) que estão iniciando no projeto, sejam
realizadas, nas aulas iniciais do semestre, atividades de: jogos musicais, de voz e
movimento, percussão corporal, parlendas etc.

Turma A Manhã:

Na minha turma A da manhã, há os alunos que já estavam no semestre passado e os


que ingressaram este ano. Os que já estavam no projeto, já estavam produzindo som
na região do quadrado, com figuras curtas, somente em duas cordas, e com introdução
da mão esquerda (apenas as notas Si e Dó# na corda lá). Os demais que entraram este
ano não tiveram nenhum contato com o violino - com excessão de três alunas que já
estudaram antes e estão na turma A para corrigir técnica e postura. Há dois alunos
novos e um que já estava anteriormente que possuem certa dificuldade em relação a
aspectos musicais, cognitivos e motores, como: controle de pulsação, memória,
coordenação e independência motora, práxia fina. Os demais estão satisfatórios nestes
aspectos.

Turma B manhã

A turma B da manhã está bastante heterogênea, entre os alunos que já estavam na


Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
turma B no semestre passado e os que alunos vindos da turma A. Os alunos que
ingressaram neste semestre não possuem leitura de partitura fluente, além de um ou
outro aspecto técnico a ser melhorado. A turma está conseguindo tocar juntos, com bom
senso de pulsação, memória, execução do desenho rítmico, afinação. Ainda precisa
melhorar o controle de dinâmica e, principalmente, do controle de manter o mesmo
andamento quando muda a dinâmica. Há um aluno que possui grande dificuldade em
executar o desenho rítmico, manter o pulso, assimilar o dedilhado correto, assim como
dificuldade em alguns aspectos puramente técnicos (segurar o instrumento correto,
empunhadura e curvatura do arco...). Há outro aluno que possui dificuldade em manter
a atenção, além de problemas disciplinares.

Turma A tarde

Nesta turma temos, com exceção de um aluno, todo o restante dos alunos são novos
ingressantes neste semestre. Os alunos tem bom senso rítmico, de memória e
organização.

Turma B Tarde

Turma bastante heterogênea, com entrada de alunos da turma da tarde. Turma com
bom controle de pulsação, memória, atenção, participação. Há alguns problemas
técnicos básicos que precisam ser lapidados melhor (empunhadura de arco, ponto de
contato, peso do arco). Os alunos ingressantes da turma A já utilizam a mão esquerda
com os 3 dedos mas sem mudança de corda ainda. Já os alunos que estavam desde o
semestre passado na turma B, fazem mudança de corda e escala de Ré maior em uma
oitava. Há aluna que tem certa dificuldade em memorizar peças, manter a pulsação e
controle motor dos dedos da mão esquerda.

Turma C

Turma que se manteve praticamente igual em relação ao ano anterior. Saiu uma aluna
que completou 18 anos e entraram 2 alunas novas, vindas da turma B. A Turma tem
bom entrosamento, bom controle de pulsação, afinação, memória. Precisa melhorar
alguns pontos técnicos básicos: ponto de contato, peso de arco, além da melhora da
leitura musical (São 7 de alunos que leem bem partitura).

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
4 – O que se espera que os (as) alunos (as) estejam aptos a realizar
em determinado período? Objetivos artístico-pedagógicos para o
semestre:
Obs.: Os objetivos elencados para os níveis A,B,C e prática de conjunto estão
inseridos no final deste documento. Selecione de cada nível aqueles que serão
usados no semestre vigente. Caso julgue necessário você poderá elaborar outros
objetivos que queira trabalhar com os (as) alunos (as) e que por ventura não estão
listados neste documento.

Turma A 1- Conhecer e saber nomear as partes que compõe o instrumento.

2- Aprender a cuidar do instrumento, desenvolver hábitos de higiene e manutenção do mesmo.


3- Distinguir sons fortes e fracos, curtos e longos, graves e agudos.
4- Distinguir os movimentos sonoros ascendentes e contínuos;
5- Desenvolver, através do movimento do corpo, a expressão, a seguridade rítmica e o sentido
de espaço e tempo.
6 - Utilizar a voz e o movimento do corpo como recursos para uma interpretação segura,
expressiva e fluente no instrumento;
 7 - Desenvolver as habilidades técnicas básicas, que permitam o domínio do próprio
instrumento, para uma correta execução e expressão musical, segundo as exigências de cada
peça e que possibilitem também a criatividade e a espontaneidade na interpretação.
8-Desenvolver habilidades necessárias para a prática musical em grupo: atenção, concentração,
escuta etc.;
9- Reconhecer auditivamente as peças musicais trabalhadas em sala de aula.
10- Reconhecer auditivamente os diferentes instrumentos de cordas friccionadas.
11-
Executar células rítmicas e ostinatos, sem partitura, visando o treinamento auditivo e da
memória.
12- Construir progressivamente o entendimento da notação não convencional através de
gráficos, pontos, curvas, etc.
13- Desenvolver a habilidade inicial para improvisar e criar – variações rítmicas.
14- Desenvolver a percepção auditiva de elementos musicais através da audição de um
repertório variado de estilos, gêneros, épocas e culturas, bem como tradicional dos instrumentos
de cordas.
15- Reconhecimento de diferentes nííveis de intensidade, diferenças amplas de altura,

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
mudanças evidentes de timbre, duraçaã o e textura;
16- Desenvolver atitudes de colaboração, companheirismo e respeito mútuo.
17- Conhecer aspectos históricos dos instrumentos de cordas friccionadas (construção, trajetória
e curiosidades).
18- Conhecer os compositores das músicas apreciadas e executadas.

Turma B 1- Expandir o conhecimento sobre o movimento do arco nas cordas periféricas do instrumento;
2-Desenvolver através do movimento do corpo a expressão, a seguridade rítmica, o sentido de
espaço e tempo, o sentido da dinâmica (Revisão);
3- Conhecer os pontos de relaxamento e equilíbrio corporal para o posicionamento do
instrumento (Revisão);
4- Desenvolver as habilidades técnicas básicas, que permitam o domínio do próprio
instrumento, para uma correta execução e expressão musical, segundo as exigências de cada
peça e que possibilitem também a criatividade e a espontaneidade na interpretação.
5- Reconhecer mudanças de intensidade relacionada ao caráter expressivo da música;
6- Reconhecer auditivamente elementos formais da música: repetição, contraste, variação;
7- Construir o entendimento da notação não convencional através de gráficos, pontos, curvas,
etc. (Revisão).
8-Utilizar a voz e o movimento do corpo como recursos para uma interpretação segura,
expressiva e fluente no instrumento; (Revisão)
9-Desenvolver habilidades necessárias para a prática musical em grupo: atenção, concentração,
escuta etc.; (Revisão)
10- Executar pequenas melodias, de caráter popular, folclórico, tradicional do instrumento, de
ouvido, por imitação, de memória, visando o treinamento auditivo; que estejam de acordo com
os elementos técnicos e musicais vivenciados;
11-Criar e improvisar elementos livres e dirigidos (baseados nos conteúdos trabalhados);
(Revisão);
12- Executar pequenas melodias compostas por repetição, imitação, pergunta-resposta,
variação, AB, ABA, etc.
13- Iniciar a leitura musical convencional;
 14- Executar padrões rítmicos básicos
15- Desenvolver o aprimoramento da performance: afinação, sonoridade, pulsação, memória,

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
etc...
16- Apreciar intérpretes do instrumento, em gravações e ao vivo;
17- Conhecer os compositores das músicas apreciadas e executadas.

18- Conhecer aspectos históricos dos instrumentos de cordas friccionadas (construção, trajetória
e curiosidades);

Turma C 1 - Reconhecer forma musical: pergunta-resposta, AB e ABA, cânone e rondó;


 2 - Memorizar canções para execução de cor e de maneira expressiva;
 3 - Desenvolver através do movimento do corpo a expressão, a seguridade rítmica, o sentido de
espaço e tempo, o sentido da dinâmica (Revisão);
 4 - Perceber as qualidades do som e dos elementos da música em fontes sonoras diversas:
alturas, timbres, ritmo, melodia, escalas, dinâmicas, textura, métrica, etc.;
 5 - Executar melodias com ligaduras, arco alternado, explorando ainda a divisão do arco: Meio,
talão, ponta, metade inferior, metade superior, todo o arco;
 6 - Executar Escalas e arpejos de Sol Maior e Lá Maior (2 oitavas), Mi menor, Si menor;
 7 - Desenvolver o aprimoramento da performance: afinação, sonoridade, pulsação, memória,
etc... (Revisão)
 8 - Utilizar a voz e o movimento do corpo como recursos para uma interpretação segura,
expressiva e fluente no instrumento (Revisão);
 9 - Improvisar e criar – fraseados com pergunta e resposta, métrica, sentido musical, variações
rítmicas e melódicas.
 10 – Reconhecer as mudanças de intensidade da música relacionadas ao caráter expressivo;
 11 - Perceber as qualidades do som e dos elementos da música em fontes sonoras diversas:
altura, duração, timbre, ritmo, melodia, escalas, dinâmica, textura, métrica, etc.;
 12 - Reconhecer os elementos formais da música: repetição, contraste, variação;
 13 - Aprender a tonalização e sua aplicação prática;
 14 - Apreciar intérpretes do instrumento, em gravações e ao vivo;
 15 - Desenvolver a percepção auditiva de elementos musicais através da audição de um
repertório variado de estilos, gêneros, épocas e culturas, bem como tradicional do instrumento.
 16 - Conhecer aspectos históricos dos instrumentos de cordas friccionadas (construção,
trajetória e curiosidades);

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
17 - Conhecer os compositores das músicas apreciadas e executadas;

Prática de  Desenvolver as habilidades básicas necessárias para preparação de


conjunto repertório, em diversas formações em conjunto, considerando as
Turmas B e
peculiaridades estéticas das obras em questão.
C
 Promover o desenvolvimento de habilidades para a execução musical em
conjunto: afinação, articulação em conjunto de fraseado, equilíbrio e
unidade sonora entre as vozes em relação ao timbre dos diferentes
instrumentos.
 Desenvolver a afinação, o sincronismo e a precisão rítmica bem como a
fluência do discurso musical na prática em conjunto.
 Desenvolver os hábitos básicos da rotina de ensaio: atenção voltada ao (a)
dirigente do ensaio, escuta a si mesmo e aos (as) outros (as) integrantes do
grupo, aprendizado, interpretação e prontidão ao comando de execução e
ao gestual de indicação interpretativo: entrada, dinâmica, fraseado,
andamento etc.
 Desenvolver hábitos necessários para as apresentações públicas, entrada e
saída do palco, formação de palco, autocontrole emocional, relaxamento
corporal, cooperação, apoio mútuo, sentimento de grupo, confiança e
motivação.
 Desenvolver a consciência de porta-se respeitosamente durante as
audições públicas.
 Promover a construção coletiva de normas de conduta e convívio para o
desenvolvimento da prática de conjunto.
 Desenvolver e valorizar atitudes pró ativas no grupo: participação na
escolha do repertório, participação nas tomadas de decisão dos padrões
interpretativos da música.
 Promover hábitos altruístas, de tolerância e respeito pela opinião e
diversidade de nível técnico musical dos colegas, receptividade e respeito
às propostas do (a) educador (a) e dos colegas da turma.
 Conscientizar os integrantes do grupo da importância de participar das

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
apresentações assumidas pelo grupo, bem como das possíveis dificuldades
causadas ao mesmo com a ausência de algum (a) integrante do grupo.

5 – O que ensinar? Conteúdos artístico-pedagógicos do semestre:

Obs.: Os conteúdos elencados para os níveis A,B, C e prática de conjunto estão inseridos
no final deste documento. Selecione de cada nível aqueles que serão usados no semestre
vigente. Caso julgue necessário você poderá elaborar outros conteúdos que queira
trabalhar com os (as) alunos (as) e que por ventura não estão listados neste documento.

Não se esqueça de consultar os documentos e materiais referenciais do Projeto Guri


como PPP, Livros e suplementos didáticos do Guri antes de definir os objetivos e
conteúdos para as turmas.

Turma A 1- Nome das partes do instrumento;


2- Cuidados no manuseio do instrumento
3- Percepção do som, ruído e silêncio;
4- Voz e o movimento do corpo;

5- 6 Trabalho de pulsação por meio de atividades práticas corporais e com o instrumento;
7- Introdução aos elementos de postura, sonoridade e afinação;
Empunhadura de arco;
Posição do instrumento ao corpo;
Posição da mão esquerda (pontos de apoio);
Produção do som (ponto de contato, peso e velocidade);
Staccato;

Detaché;

Mudança de corda (cordas vizinhas)


8 - Atividades, jogos musicais (ou não), com e sem o instrumento,

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
9 - Apreciação das peças musicais trabalhadas em sala de aula;
10 - Apreciação de peças para distinguir os diferentes instrumentos de cordas friccionadas;
11-
Execução de células rítmicas e ostinatos, sem partitura, visando o treinamento auditivo e da
memória;
12- Criaçaã o da Notaçaã o naã o convencional;

13 - Criação de células rítmicas, ostinatos, etc.;


14 e 15 - Audiçaã o ativa de obras originais e de autores diversos;

16 - Atividades, Jogos, Rodas de Bate Papo, Aluno Monitor, Criaçaã o de Regras (feita por
alunos e professores)
17 - Aspectos históricos dos instrumentos de cordas;
18 - Informaçoã es sobre os compositores das muí sicas apreciadas e executadas.

Turma B 1- Movimento do arco nas cordas periféricas do instrumento;


2- Trabalho de pulsação por meio de atividades práticas corporais e com o instrumento;
3- Relaxamento e equilíbrio corporal para o uso do instrumento;
4- Ângulos de dedos; padrão de mão do tetracorde maior começando em corda solta.
Escala e arpejo de Ré Maior; Lá maior e Sol Maior
Retomada de arco;
Distribuição de arco;
5- Apreciação e execução de fragmentos musicais com mudanças de intensidade relacionada ao
caráter expressivo da música;
6- Apreciação e execução de Elementos formais da música: repetição, contraste, variação;
 7- Execução de um fragmento musical, com a utilização da notação não convencional;
8- Utilização da voz e o movimento do corpo;
9- Criação e execução de atividades, jogos musicais (ou não), com e sem o instrumento,
10- Execução de Melodias, de caráter popular, folclórico, tradicional do instrumento;
11- Criação e improvisação de elementos livres e dirigidos (baseados nos conteúdos
trabalhados); Jogos de improvisação.
12- Execução de pequenas melodias compostas por repetição, imitação, pergunta-resposta,
variação, AB, ABA, etc.

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
13- Leitura Musical convencional composta por elementos simples;
14- Criação e execução de frases musicais com os padrões rítmicos básicos;
15- Executar de forma permanente e progressiva, por meio da execução de memória, peças ou
fragmentos musicais (Revisão);
16- Apreciação de intérpretes do instrumento, em gravações e ao vivo;
17- Apreciação ativa dos elementos materiais, expressivos e formais da música;
18- Aspectos históricos dos instrumentos de cordas friccionadas (construção, trajetória e
curiosidades);
19- Informações sobre os compositores das músicas apreciadas e executadas;

Turma C  1 - Apreciação de Peças com forma pergunta-resposta, AB e ABA, cânone e rondó;


 2 - Execução permanente e progressiva de peças ou fragmentos musicais por meio da memória;
 3 - Voz e movimento do corpo;
4 - Percepção auditiva das qualidades do som e dos elementos da música em fontes sonoras
diversas: altura, duração, timbre, ritmo, melodia, escalas, dinâmica, textura, métrica, etc.;
 5 - Arco alternado;
Ligaduras;

Regiões de arco: Meio, talão, ponta, metade inferior, metade superior, todo o arco;
 6 - Escalas e arpejos de Sol Maior e Lá Maior (2 oitavas), Mi menor, Si menor,
 7 - Execução de forma permanente e progressiva, por meio da execução de memória, peças ou
fragmentos musicais (Revisão);
 8 - Utilização da voz e o movimento do corpo;
 9 - Improvisar e criar – fraseados com pergunta e resposta, métrica, sentido musical, variações
rítmicas e melódicas.
10 - Reconhecimento das mudanças de intensidade da música relacionadas ao caráter
expressivo;
 11 - Apreciação e execução de peças que contenham os elementos musicais: altura, duração,
timbre, ritmo, etc...
 12 - Reconhecimento auditivo de elementos formais da música: repetição, contraste, variação;
13 - Tonalização e sua aplicação prática;
 14 - Apreciação de intérpretes do instrumento, em gravações e ao vivo;

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
15 - Percepção auditiva de elementos musicais através da audição de um repertório variado de
estilos, gêneros, épocas e culturas, bem como tradicional do instrumento.
 16 - Informações sobre os aspectos históricos dos instrumentos de cordas friccionadas
(construção, trajetória e curiosidades);
 17 - Informações sobre compositores das peças trabalhadas;

Prática de  Leitura e execução de repertório básico, da cultura popular, erudito ou de


Conjunto: composição própria do grupo, de acordo com a formação e nível de
Turma B e C
desenvolvimento musical do mesmo.
 Percepção, discussão, e aplicação dos padrões estéticos e interpretativos
peculiares às obras em questão.
 Promoção de habilidades para a execução musical em grupo: afinação,
articulação em conjunto de fraseado, equilíbrio e unidade sonora entre as
vozes em relação ao timbre dos diferentes instrumentos.
 Desenvolvimento da afinação, do sincronismo e da precisão rítmica bem
como da fluência do discurso musical em conjunto.
 Desenvolvimento de hábitos básicos da rotina de ensaio: atenção voltada
ao (a) dirigente do ensaio, escuta a si mesmo e aos (as) outros (as)
integrantes do grupo, aprendizado, interpretação e prontidão ao comando
de execução e ao gestual de indicação interpretativo: entrada, dinâmica,
fraseado, andamento etc.
 Preparação para as apresentações públicas, entrada e saída do palco,
formação de palco, autocontrole emocional, relaxamento corporal,
cooperação, apoio mútuo, sentimento de grupo, confiança e motivação.
 Desenvolvimento de hábitos de respeito durante as audições públicas.
 Construção coletiva de normas de conduta e convívio para o
desenvolvimento da prática de conjunto.
 Desenvolvimento e valorização de atitudes pró ativas no grupo:
participação na escolha do repertório, participação nas tomadas de decisão
dos padrões interpretativos da música.
Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
 Promoção de hábitos altruístas, de tolerância e respeito pela opinião e
diversidade de nível técnico musical dos (as) colegas, receptividade e
respeito às propostas do (a) educador (a) e dos colegas da turma.
 Conscientização da importância de participar das apresentações assumidas
pelo grupo bem como das possíveis dificuldades causadas ao mesmo com
a ausência de algum (a) integrante.

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
6 – Como ensinar? Estratégias e procedimentos para desenvolvimento dos
conteúdos e concretização dos objetivos:
Antes de iniciar o período letivo, busque ler as fichas de matrícula dos (as) alunos (as)
matriculados (as) em seu curso a fim de conhecer o perfil geral da turma e observar
necessidades específicas como questões de saúde e/ou casos de alunas (os) com
deficiência e planeje atividades que contemplem a todos (as). Caso observe alguma
situação da qual perceba que irá precisar de apoio e orientações de como atuar junto a
este (a) aluno (a), informe a coordenação do polo e peça apoio da supervisão regional
(educacional e/ou social) conforme necessidade.
Promova o desenvolvimento dos conhecimentos artístico/musicais e técnicos
de seus (suas) alunos (as), garantindo a estes (as) o protagonismo e o
desenvolvimento da autonomia, dando aos (as) alunos (as) a oportunidade de
participação ativa na proposição, escolha e realização de atividades e
repertório. (Consultar diretrizes do projeto Guri Participativo).
Procure diversificar suas estratégias para aprimorar a dinâmica das
aulas/oficinas através da integração de atividades de apreciação, criação e
execução.
Pense em atividades onde os (as) alunos (as) possam tirar músicas de ouvido
e/ou tocar através da memorização.
Promova regularmente, junto aos (as) alunos (as), atividades de criação como
sonorização de imagens, figuras, paisagens, histórias, cenas e outras, criação
de pequenos fragmentos de pergunta e resposta, variações rítmicas ou
melódicas de pequenos trechos, além de improvisações e composições livres ou
em diversos gêneros e sistemas.
Proponha atividades de pesquisas, debates, seminários etc.
Proponha atividade que permitam a troca e conhecimento mútuo entre alunos
(as).
Lembre-se de iniciar suas aulas com exercícios de alongamento e aquecimento variados.
Nos suplementos e livros didáticos há muitas sugestões. Confira no EaD Livros Didáticos
ou em outros livros diferentes do seu naipe, atividades que possam ser realizadas.

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
Aproveitando o momento do aprendizado de uma nova peça ou a partir do uso de
materiais específicos, é importante que sejam realizadas:
Atividades de solfejo e percepção melódica fazendo uso de movimentos
corporais relacionados com a as alturas;

Atividades de solfejo e percepção rítmica, fazendo uso da voz e da percussão corporal,


com os alunos em pé, incluindo balanços corporais resultantes da percepção do pulso;

 Atividades que trabalham a percepção de diferentes intensidades e


densidades a com a inclusão de movimentos corporais,

 Atividades que desenvolvam a percepção de timbre, utilizando os


diferentes timbres de voz e de materiais presentes na sala de aula.

Preencha turma A,B e/ou C e prática de conjunto:


Estratégias para a Turma A, ciclo CIP ou CI:

Nome das partes do instrumento

Para ensinar o nome das partes do instrumento, explico como todos devem abrir e montar o instrumento.
Depois, vou falando o nome de parte por parte do instrumento, pedindo para eles repetirem e explicarem a
funçaã o. Em seguida, faço uma “competiçaã o” para saber quem sabe nomear o maior nuí mero de peças do
violino, aleí m de sua funçaã o.

Cuidados no manuseio do instrumento


Antes de começar a ensinar de fato sobre os cuidados do instrumento, pergunto para eles quem jaí segurou
um bebeê no colo. Dai eu digo que a relaçaã o que devemos ter com o instrumento eí parecida, pois ele eí um
“ser” igual o bebeê , fraí gil e delicado, que naã o pode ser derrubado. Soí entaã o eí que ensino como montar e
desmontar o instrumento dentro do case. A maneira que utilizo para ensinar eí por meio de exemplo, onde eu
faço e depois eles repetem. Eles aprendem, tambeí m, a guardar, limpar e organizar o instrumento (na
prateleira correta)

Percepção do som, ruído e silêncio

Para trabalhar a percepçaã o do som, utilizo o violino em cordas soltas, dizendo o nome das cordas e tocando
as quatro cordas sucessivamente. Entaã o, peço para eles falarem o nome da corda que estou tocando no
momento. Depois, peço para eles fazerem o mesmo exercíício em pizzicato (com o violino em “posiçaã o” de
cavaquinho). Intercalo, tambeí m, sequeê ncias com som em corda solta e pausa, explicando que a muí sica e feito
de combinaçoã es entre som e sileê ncio. Em seguida, peço para eles fazerem a mesma coisa em pizzicato (igual

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
o exercíício anterior). Faço tambeí m variaçoã es entre som longo e curto com a mesma corda, dizendo para eles
dizerem se o primeiro som foi mais longo ou mais curto que o segundo.

Distinguir os movimentos sonoros ascendentes, descendentes e contínuos

Para este toí pico, eu utilizo uma atividade onde todos ficam em cíírculos com um dado de peluí cia. Entaã o eu
toco uma escala e quando o som sobe, eles devem passar o dado pra direita; jaí quando o som desce, eles
devem passaí -lo para a esquerda. Tambeí m, em pizzicato em “posiçaã o” de cavaquinho, peço para um grupo
tocar pizzicatos nas cordas: sol, re, laí e mi; depois: mi, laí , re e sol; e tambeí m a mesma corda. Entaã o o outro
grupo tem que falar se o som estaí subindo, descendo ou parado. Em seguida, troca-se a turma que toca e que
escuta.

Trabalho de pulsação por meio de atividades práticas corporais e com o instrumento;

Nesta atividade utilizo a primeira muí sica que eles iraã o tocar. Nela eu peço para eles escutarem primeiro e,
logo em seguida, baterem palma de acordo com as ceí lulas ríítmicas da muí sica. Peço tambeí m para eles
andarem na sala de acordo com a pulsaçaã o e o andamento da muí sica, e entaã o faço mudanças bruscas de
andamento (lento, moderato, raí pido) para eles andarem de acordo com o andamento do momento.
Trabalho, tambeí m, exercíícios ríítmicos onde as palmas fazem o desenho ríítmico e os peí s o pulso e/ou vice-
versa. Assim, se quero trabalhar por exemplo a colcheia, fazemos exercíício executando a colcheia como
desenho ríítmico, e a semíínima como pulsaçaã o...

Relaxamento e equilíbrio corporal para o uso do instrumento

Para este toí pico eí ensinada a maneira correta que o corpo deve estar na performance. EÉ ensinado: a
separaçaã o dos peí s, joelhos flexionados, coluna reta e pescoço reto e levemente virado para a esquerda.
Costumo comparar o ato de tocar violino com a praí tica de andar de skate, pois, para aprender a andar nele e
posteriormente fazer as manobras, o praticante precisa, primeiro, a aprender a se equiliibrar em cima dele, e
para isto, eí preciso saber a forma correta que o corpo deve estar para poder conseguir o equilííbrio.

Empunhadura de arco

Para empunhadura do arco eí trabalhado diversos exercíícios e atividades. Uma delas, constitue em riscar com
a caneta os pontos nos dedos da maã o direita onde haveraí o contato com o arco. Outro eí mostrar a maneira
como a maã o e os dedos devem estar na hora de segurar o arco; para isso, eí pedido para eles relaxarem a maã o
direita, em seguida peço para eles levantarem a maã o conservando o formanto que ela estava quando estava
relaxada. Um outro exercíício eí pedir para eles fazerem uma repetiçaã o de dez vez a forma correta de segurar o
arco em posiçaã o vertical (faço exercíício do “Tira o arco, poe o arco”, uma alusaã o ao filme “Karate Kid” onde haí
uma cena claí ssica em que o Jackie Chan faz seu pupilo colocar e tirar o casaco diversas maneiras). Outro
exercíício eí feita com eles segurando o arco em posiçaã o vertical e acima do arco de um deles haí um copo de
plaí stico. Peço para eles se posicionarem em cíírculo e começo a tocar uma peça, entaã o eles devem passar o
Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
copo para o outro arco sem desmanchar a forma correta de segurar o arco. Tambeí m faço o exercíício onde um
deve segurar o arco e passar ele entre a maã o do outro colega sem tocar na maã o. Para esse exercíício, separo os
alunos em dupla onde um fica com o arco e outro sem. Quem fica sem o arco, deve fazer um cíírculo com as
duas maã os juntas, de forma que o arco tenha espaço para entrar na maã o. O Aluno que estaí sem o arco deve
posicionar as maã os na altura da cabeça do aluno que estaí com o arco. Depois inverte quem estaí sem e com o
arco.

Posição do instrumento ao corpo;

Para esta atividade eí ensinada primeiramente a forma de segurar o instrumento ao corpo em posiçaã o de
descanso. Entaã o eí ensinada como colocar o instrumento ao corpo (posiçaã o de performance). Para o ensino
da posiçaã o de performance eu mostro os 6 passos que se fazem para segurar o instrumento. Poreí m, eles
apenas observam neste momento da aula, sem fazer na praí tica, com seus proí prios instrumentos. Logo apoí s,
trabalho somente a colocaçaã o do instrumento em cima do ombro de cada aluno, e para isso auxilio aluno por
aluno na colocaçaã o. Em seguida eles devem segurar o instrumento somente com o ombro e o queixo (com a
maã o esquerda apoiada sobre o ombro direito). Para ficar mais interessante esse exercíício, costumo fazer o
desafio para ver quem consegue ficar mais tempo segurando o instrumento nesta posiçaã o. Outro exercíício eí
que eles andem pela sala segurando o instrumento com o queixo e o ombro, e em seguida, o mesmo
exercíício, poreí m, com um palito de sorvete, onde eles devem equilibrar o palito sobre a corda para que ele
naã o caia. Um uí ltimo exercíício eí que eles segurem o instrumento a partir de um tempo preí -determinado (9
segundos, por exemplo), e a cada rodada, este tempo vai ficando cada vez mais curto.

Posição da mão esquerda (pontos de apoio)

Para o posicionamento da maã o esquerda eí ensinado a forma correta que o punho da maã o esquerda deve
permanecer (punho reto), os pontos de apoí io da maã o esquerda sobre o braço do violino (linha da primeira
falange paralela ao espelho, polegar paralelo a primeira fita do violino). Neste toí pico, utilizo a “brincadeira”
do: “Tira o casaco, poã e o casaco”, igual se fez no aprendizado de segurar o arco. Neste caso, fazemos com a
maã o esquerda apoiando sobre o braço do violino, da mesma maneira: “Poã e a maã o esquerda, tira a maã o
esquerda”. Utilizarei uns ratinhos de brinquedo, para colocar no espaço que fica entre o polegar, o indicador e
o braço do violino.

Produção do som (ponto de contato, peso e velocidade);

Nesta atividade, fazemos exercíício em corda solta, utilizando somente a regiaã o do meio do arco, com
movimento apenas do antebraço, no ponto de contato entre o cavalete e o espelho. Neste exercíício, utilizo
figuras de semíínima e pausa de semíínima. Utilizarei repertoí rio da turma A para este fim.

Staccato e Detache

Para o aprendizado do Staccato e detache, primeiro eí ensinado o movimento do antebraço (sem o


Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
instrumento). Entaã o com o arco na corda eí ensinada a regiaã o correta do arco (arco na regiaã o do quadrado).
Depois eí ensinado o detache e o staccato. EÉ utilizada peças fragmentos ríítmicos para o ensino destes golpes
de arco, e depois feito com a muí sica “Variaçaã o A da Estrelinha”.

Mudança de corda (cordas vizinhas);

Para trabalhar exercíício de mudança de corda eí dito que a mudança de corda deve ser feita pela mudança de
aê ngulo do cotovelo. Para isto, usamos exercíícios em corda solta com figuras de semíínima e pausas. Entaã o
durante o intervalo das pausas fazemos a mudança de corda para tocar em seguida na corda solta.
Sucessivamente o intervalo entre nota e pausa vai ficando cada vez menor, ateí eles fazerem a mudança de
corda entre notas. EÉ utilizada a muí sica “Variaçaã o A da Estrelinha” para este exercíício.

Execução e criação de células rítmicas, ostinatos, etc.;

Para esta atividade, eu utilizo o jogo da “míímica” musical. Nela eu toco um trecho e em seguida eles precisam
tocar o mesmo trecho, poreí m, eí combinado anteriormente as fííguras musicais que podem ser usadas. Apoí s
eu tocar, peço para cada aluno individualmente criar um fragmento utilizando somente as figuras
combinadas previamente, e logo que ele toca a sala inteira deve imitaí -lo, tocando a mesma coisa.

Apreciação de peças para distinguir sonoridade/timbre dos instrumentos de cordas friccionadas;


Desenvolver habilidades necessárias para a prática musical em grupo: atenção, concentração, escuta
etc.;

Para esta utilizo um aparelho de som para executar algumas peças musicais de geê neros musicais diversos, e,
se possíível, gravaçoã es de peças que eles estejam aprendendo.

Execução de pequenas melodias sem partitura, visando o treinamento auditivo e da memória;

Para esta tarefa, eu toco a peça inteira. Em seguida canto a peça falando o nome das notas e peço para eles
cantarem comigo em seguida. Depois divido a peça em pequenas seçoã es e toco esta seçaã o e peço para eles
tocarem em seguida. Apoí s finalizar todas as seçoã es, tocamos do começo ao fim a peça.

Desenvolver atitudes de colaboração, companheirismo e respeito mútuo.

Nesta atividade eu gosto de pedir para um aluno tocar algo (seja corda solta, escala ou peça musical). Entaã o
peço para cada aluno dizer coisas positivas na performance do amigo e coisas que podem ser melhoradas.
Iremos criar tambeí m regras em conjunto para a melhor conduçaã o da aula.

Aspectos históricos dos instrumentos de cordas;


Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
Utilizarei um texto, criado por mim e minha esposa, onde conta a tragetória e a evolução do violino. Esta história
tem aspectos históricos fidedignos, além do uso de metáforas. O Texto se chama “A história do violino”. Também
irei utilizar um DVD chamado “A Família das Cordas”.

Informações sobre os compositores das músicas apreciadas e executadas.

Para saber informaçoã es dos compositores, pedirei para que eles pesquisem em casa dados sobre os
compositores, e na aula seguinte iremos discutir sobre a pesquisa.

Estratégias para a Turma B, ciclo CIP ou CI:

Movimento do arco nas cordas periféricas do instrumento


Escala de Ré e Sol Maior uma oitava, e também o mesmo repertório (tanto da Turma A como da B, em outra
tonalidade que utilize o mesmo padrão de dedo e dedilhado mas em cordas diferentes).

Trabalho de pulsação por meio de atividades práticas corporais e com o instrumento


Exercício de andar pela sala ao som de alguma música (ao vivo, tocada por mim ou executada por uma caixiinha de

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
som) onde os alunos devem andar igual o desenho rítmico da peça ou andando segundo o pulso.

Relaxamento e equilíbrio corporal para o uso do instrumento


Revisão deste tópico visto na Turma A, em cima de repertório.

Escala e arpejo de Ré Maior; Lá maior e Sol Maior


Mesma estratégia do 1° item (movimento do arco nas cordas periféricas...)

Retomada de arco
Explicação do movimento do arco quando retomado. Exercício em corda solta e escala

Distribuição de arco
Arco longo, curto curto, longo... Arco de tamanho igual com velocidades diferentes. Exercício em corda Solta e
Escala.

Apreciação e execução de fragmentos musicais com mudanças de intensidade relacionada ao caráter


expressivo da música
Audição de peças que contenham mudança de intensidade com mais contraste (peças barrocas com dinâmica Forte
x Fraco). Escala com mudança de dinâmica.

Apreciação e execução de Elementos formais da música: repetição, contraste, variação


Audição de peças que contenham estes elementos.

Execução de um fragmento musical, com a utilização da notação não convencional


Criação e execução de um fragmento musical com notação não convencional

Utilização da voz e o movimento do corpo


Aprendizado de novas peças, utilizamos o andar para aprender o pulso e o desenho rítmico, bater de palmas, e o
canto com o nome das notas e/ou o dedilhado da peça.

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
Criação e execução de atividades, jogos musicais (ou não), com e sem o instrumento
Execução de peças com intenção de jogos musicais, como: tocar sem olhar e depois olhando, dividir a sala em dois
grupos, onde um toca a parte A e o outro a parte B da peça, ou tocar andando pela sala, etc...

Execução de Melodias, de caráter popular, folclórico, tradicional do instrumento;


Performance de peças escolhidas para a turma

Criação e improvisação de elementos livres e dirigidos (baseados nos conteúdos trabalhados); Jogos de
improvisação.
Utilização de escala ou música pentatônica, e a partir delas criar improvisos.

Execução de pequenas melodias compostas por repetição, imitação, pergunta-resposta, variação, AB, ABA,
etc.
Performance de peças escolhidas para a turma

Leitura Musical convencional composta por elementos simples;


Utilização do Método All For Strings.

Criação e execução de frases musicais com os padrões rítmicos básicos


Performance de peças escolhidas para a turma

Executar de forma permanente e progressiva, por meio da execução de memória, peças ou fragmentos
musicais (Revisão);
Performance de peças escolhidas para a turma

Apreciação de intérpretes do instrumento, em gravações e ao vivo;


Utilização de Data Show, para apreciação de violinistas.

Apreciação ativa dos elementos materiais, expressivos e formais da música;

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
Audição de peças que contenham diferenças e semelhanças entre si: música popular x música erudita, Períodos
históricos distintos: música medieval, renascentista, barroca, classicismo, romantismo, contemporâneo, trilha
sonora, sinfonia, conjunto de câmara, etc...

Aspectos históricos dos instrumentos de cordas friccionadas (construção, trajetória e curiosidades)


DVD “A Família das Cordas”

Informações sobre os compositores das músicas apreciadas e executadas


Pesquisa dos alunos sobre compositores das peças que iremos executar, e roda de bate papo sobre a pesquisa.

Estratégias para a Turma C, ciclo CIP ou CI:

Apreciação de Peças com forma pergunta-resposta, AB e ABA, cânone e rondó;


Audição de peças que possuam essas formas

Execução permanente e progressiva de peças ou fragmentos musicais por meio da memória


Revisão de peças já estudadas
Voz e movimento do corpo
Mesma estratégia da Turma A e B, para aquisição de repertório novo.

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
Percepção auditiva das qualidades do som e dos elementos da música em fontes sonoras diversas: altura,
duração, timbre, ritmo, melodia, escalas, dinâmica, textura, métrica, etc.
Audição de peças que possuam essas formas

Arco alternado
Marcação do arco com canudo, onde será utilizada a proporção arco longo, curto curto, longo... em escala, corda
solta.

Ligaduras
Para o exercíício de ligaduras, fazemos primeiramente um trabalho de independeê ncia das maã os sem o violino.
Depois fazemos exercíício de ligadura em escalas que eles jaí executam e em utilizaçaã o de peças que tenham
ou que possamos colocar ligaduras.

Regiões de arco: Meio, talão, ponta, metade inferior, metade superior, todo o arco
Para esta atividade eu utilizo escalas que sejam utilizadas em todas estas regioã es do arco, aleí m da escolha de
repertoí rio que contemple estas regioã es de arco.

Escalas e arpejos de Sol Maior e Lá Maior (2 oitavas),


Escalas e arpejos em uníssono com os olhos abertos, olhos fechados; em formato de cânone, com cada aluno
tocando uma nota, etc....

Execução de forma permanente e progressiva, por meio da execução de memória, peças ou fragmentos
musicais (Revisão);
Revisão de peças já estudadas

Utilização da voz e o movimento do corpo


Utilização da voz e o corpo para aquisição de novo repertório

Improvisar e criar – fraseados com pergunta e resposta, métrica, sentido musical, variações rítmicas e
melódicas.
Utilização de escala e música pentatônica.
Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
Reconhecimento das mudanças de intensidade da música relacionadas ao caráter expressivo;
Para esta atividade eí feita diversas escalas com diversas mudanças de intensidade, aleí m do estudo de peças
que contemplem uma grande gama do uso de dinaê micas.

Reconhecimento auditivo de elementos formais da música: repetição, contraste, variação;


Audição de peças que estejam escritas nestas formas

Tonalização e sua aplicação prática;


Aperfeiçoamento da afinação e da ressonância do instrumento, por meio de escala, arpejo e peças...

Apreciação de intérpretes do instrumento, em gravações e ao vivo;


Para esta atividade, utilizarei o acervo audiovisual do guri em sala de aula.

Percepção auditiva de elementos musicais através da audição de um repertório variado de estilos, gêneros,
épocas e culturas, bem como tradicional do instrumento.
Audição de peças

Informações sobre os aspectos históricos dos instrumentos de cordas friccionadas (construção, trajetória e
curiosidades);
DVD “A Família das Cordas”

Informações sobre compositores das peças trabalhadas;

Pesquisa dos alunos sobre os compositores, e depois roda de conversa sobre as informações.

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
Estratégias para a Prática de Conjunto, ciclo CIP ou CI:

Leitura rítmica e melódica, com canto, batendo palma e depois no instrumento.


 Percepção, discussão, e aplicação dos padrões estéticos e interpretativos peculiares às obras
em questão.
 Apreciação da obra (gravação da obra executada em um equipamento de som); explicação
verbal e sonora (mostrando no instrumento ou cantando) do tipo de estética (resultado
sonoro) e técnica (como fazer, criação de exercícios dentro ou fora da obra.

 Promoção de habilidades para a execução musical em grupo: afinação, articulação em


conjunto de fraseado, equilíbrio e unidade sonora entre as vozes em relação ao timbre dos
diferentes instrumentos.

 Escala em uníssono, escala em formato de cânone, escala com diferentes articulações e com
dinâmica, repertório que possa trabalhar lapidar estas habilidades.
 Explicação do gestual da regência em todos os aspectos: marcação de tempo, desenho
rítmico e melódico, sinalização de entrada, articulação, dinâmica, etc. Aplicação de
exercícios – sejam fragmentos de peças e/ou escalas – que possa ser trabalhada todos estes
parâmetros de forma progressiva. Exercícios que envolvam o aprendizado em tocar em
grupo com um regente. Escuta ativa de outro naipe enquanto não se espera e exercícios de

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
atenção (exercícios musicais ou não).
 Desenvolvimento de hábitos básicos da rotina de ensaio: atenção voltada ao (a) dirigente do
ensaio, escuta a si mesmo e aos (as) outros (as) integrantes do grupo, aprendizado,
interpretação e prontidão ao comando de execução e ao gestual de indicação interpretativo:
entrada, dinâmica, fraseado, andamento etc.
 Explicação de todo o rito de concerto: Entrada da orquestra no palco, entrada do regente,
quando e quem o cumprimenta, quando se agradece o público, como e quando o músico
“bate palma”. Exercícios práticos de simulação de concerto com aplicação destes conteúdos
aprendidos.
 Desenvolvimento de hábitos de respeito durante as audições públicas.
 Bate papo sobre a forma que se deve portar em audições públicas.
 Construção coletiva de normas de conduta e convívio para o desenvolvimento da prática de
conjunto.
 Criação coletiva de regras de conduta, por meio de sugestões apontadas por alunos e
professores, onde todos votam se elas serão validadas ou não. Criação de um regimento
interno do grupo.
 Anotações de sugestões de repertório. Trabalho de coletas de dados sobre o compositor e/ou
o período histórico, para se ter subsídios para a participação na escolha interpretativa da
peça.
 Conversas
 Conscientização da importância de participar das apresentações assumidas pelo grupo bem
como das possíveis dificuldades causadas ao mesmo com a ausência de algum (a) integrante.
 Explicação sobre a função, a importância e o papel de cada um no grupo. Utilização de
estratégias que minimizem o descompromisso frente a uma apresentação assumida –
condutas coercitivas, como chamar o pai pra conversar, deixar o aluno sem poder tocar no
próximo concerto, e bonificações, por exemplo: o Aluno que faltar menos ganha algo (a ser
combinado qual objeto, acordado pelo regimento interno coletivo dos alunos e professores),
ou o que se compromete mais com mais participação e melhor comportamento, etc.

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
7. Repertório previsto para o semestre, de acordo com o nível de
desenvolvimento musical dos (as) alunos (as):

As obras escolhidas para compor o repertório dos (as) alunos (as) devem atender à
seguinte diversidade:

Músicas das Culturas Tradicionais : nacionais e internacionais .

Música Popular de diferentes estilos e gêneros como: samba, marcha,


choro, bossa nova, baião, maracatu, frevo, forró, ciranda, rock, etc.

Música Erudita de vários períodos como: Idade Média, Renascença,


Barroco, Clássico, Romântico, Moderno e Contemporâneo.

Repertório de Referência: disponível no acervo do CDM e do material


encaminhado pela supervisão educacional.

Obs: lembre-se de considerar as sugestões de repertório de seus (suas) alunos


(as), a partir de uma análise crítica desse repertório e tomando cuidado para que
a quantidade de músicas sugeridas por eles (as) não comprometa o equilíbrio
entre as sugestões deles (as) e a variedade de repertório necessária para o
desenvolvimento de sua formação.

Turma A (manhã e tarde)

Obra Compositor (a) Arranjador (a) Estilo/Gênero Observações

Hop old squirrel Desconhecido Wilhanson Folclórica “Espiritual” muí sica dos
Estadunidense negros escravizados.
All Throught the Desconhecido Wilhanson Folclórica
night Alemã

The Boil Cabbage Desconhecido Wilhanson Folclórica Música dos Cowboys

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
Down Estadunidense

Turma B Manha e tarde

Obra Compositor (a) Arranjador Estilo/Gênero Observações


(a)
Au Clair de Lune Desconhecido Wilhanson Folclórica
Francesa
Lost my Ring Desconhecido Wilhanson Folclórica
Jamaicana
Koonelaki Desconhecido Wilhanson Folclórica Grega

Ka de La wats – Desconhecido Wilhanson Folclórica Ameríndia


Estadunidense
Hoí ngcaê i Meè imei Desconhecido Wilhanson Folclórica
Chinesa

Turma C

Obra Compositor (a) Arranjador (a) Estilo/Gên Observações


ero
A Rã João Donato e Wilhanson MPB
Caetano Veloso
Calix Bento Tavinho Moura Wilhanson Sertanejo Baseada no folclore
da folia de Reis
A Ya Zain Desconhecido Wilhanson Folclórica
do Egito
O Du lieber Augustin Desconhecido Wilhanson Folclórica
Austríaca

Prática de conjunto

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
Obra Compositor (a) Arranjador Estilo/Gênero Observações
(a)
Pierrot´s Bon Voyage Joseph Compello
Tango e Cha Cha D R Bellwood

Tema inspirado no Klaus Badelt Paul Lavender Trilha Sonora


“Piratas do Caribe” e Larry Moore

8 – Descrição dos Procedimentos de Avaliação:


Descreva aqui os procedimentos que pretende realizar nos momentos de
avaliação de suas turmas – diagnóstica (conhecimentos prévios), formativa
(processual) e somativa (acúmulo dos resultados alcançados durante o
semestre) – como, por exemplo, jogos musicais, observação constante do
processo, apreciação, análise e discussão coletiva de atividades realizadas e
nas apresentações através de gravações e filmagens.

Lembramos que a avaliação semestral dos (a) alunos (as) será mantida no
formato atual, compreendendo o preenchimento da planilha e inserção de
dados no Survey Monkey.

AUTO AVALIAÇÂO DE ALUNOS (AS):

De acordo com o novo Planejamento Estratégico 2018 – 2022 a auto


avaliação dos (as) alunos (as) passa a ser obrigatória e deverá ser
realizada com todos (as) alunos (as) de todos os cursos e turmas, no final
de cada semestre/ciclo. Esta pode acontecer através de textos redigidos
pelos (as) alunos (as), através de desenhos, de roda de conversa, podendo

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
ser gravada em vídeo ou/e áudio, ou em qualquer outra dinâmica que
queira realizar.

A auto avaliação dos alunos será feita por meio de um questionário composto
questões alternativas. Este questionário foi elaborado pela coordenadoria
pedagógica de um outro projeto da qual faço parte, e a justificativa para usá-lo
Turma
é que este questionário possui perguntas que dialogam com a prática docente,
sendo possui mensurar os resultados obtidos a partir da análise autocrítica dos
alunos.

Turma

Turma

Turma

9 – Materiais didáticos/Livros didáticos Projeto Guri/Outros materiais necessários: Lembre-se


de utilizar com frequência os materiais produzidos pela Amigos do Guri, como os Livros
Didáticos, Suplementos Didáticos e Musicais, Acervo Cultural, Materiais e Maletas do Canal
Futura, CDM- Centro de Documentação Musical, Cartilha do Guri Inclusivo e Livro do (a)Aluno
(a).

Turma

Turma

Turma

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
Prática de
Conjunto

OBJETIVOS PEDAGÓGICOS MUSICAIS – CONTEÚDOS PEDAGÓGICOS MUSICAIS –


TURMA A TURMA A

Conhecer e saber nomear as partes que compõe o Nome das partes do instrumento;
instrumento. Cuidados no manuseio do instrumento
Aprender a cuidar do instrumento, desenvolver Percepção do som, ruído e silêncio;
hábitos de higiene e manutenção do mesmo. Voz e o movimento do corpo;
Distinguir sons fortes e fracos, curtos e longos, graves Trabalho de pulsação por meio de atividades práticas
e agudos. corporais e com o instrumento;
Distinguir os movimentos sonoros ascendentes e Introdução a técnica do instrumento: postura,
contínuos; sonoridade e afinação;
Desenvolver, através do movimento do corpo, a Relaxamento e equilíbrio corporal para o uso do
expressão, a seguridade rítmica e o sentido de espaço e instrumento;
tempo.
Introdução aos elementos de postura, sonoridade e
Conhecer as características e possibilidades sonoras afinação;
do instrumento e saber utilizá-las dentro das exigências
Empunhadura de arco;
de cada nível, tanto na interpretação coletiva como
individual. Posição do instrumento ao corpo;
Utilizar
a voz e o movimento do corpo como recursos Posição da mão esquerda (pontos de apoio);
para uma interpretação segura, expressiva e fluente no
Produção do som (ponto de contato, peso e
instrumento;
velocidade);
Desenvolver as habilidades técnicas básicas, que
Staccato;
permitam o domínio do próprio instrumento, para uma
correta execução e expressão musical, segundo as Detaché;
exigências de cada peça e que possibilitem também a Mudança de corda (cordas vizinhas);
criatividade e a espontaneidade na interpretação.
Criação de células rítmicas, ostinatos, etc.;
Desenvolver habilidades necessárias para a prática
Apreciação das peças musicais trabalhadas em sala de
musical em grupo: atenção, concentração, escuta etc.;
aula;
Reconhecer auditivamente as peças musicais
Execução de células rítmicas e ostinatos, sem partitura,
trabalhadas em sala de aula.

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
Executar células rítmicas e ostinatos, sem partitura, visando o treinamento auditivo e da memória;
visando o treinamento auditivo e da memória. Apreciação de peças para distinguir sonoridade/timbre
Construir progressivamente o entendimento da dos instrumentos de cordas friccionadas;
notação não convencional através de gráficos, pontos, Execução de pequenas melodias sem partitura, visando
curvas, etc.
o treinamento auditivo e da memoí ria;
Executar atividades e fragmentos musicais, de origem
Notaçaã o naã o convencional;
folclórica, popular ou erudita de ouvido, por imitação
ou de memória. Improvisaçaã o e criaçaã o individual e coletiva sem
notaçaã o musical.
Desenvolver a habilidade inicial para improvisar e
criar – variações rítmicas e melódicas. Reconhecimento de diferentes nííveis de
intensidade, diferenças amplas de altura, mudanças
Desenvolver a percepção auditiva de elementos
evidentes de timbre, duraçaã o e textura;
musicais através da audição de um repertório variado
de estilos, gêneros, épocas e culturas, bem como Audiçaã o ativa de obras originais e de autores
tradicional dos instrumentos de cordas. diversos;
Desenvolver atitudes de colaboração, companheirismo Aspectos históricos dos intrumentos de cordas;
e respeito mútuo. Informaçoã es sobre os compositores das muí sicas
Conhecer aspectos históricos dos instrumentos de apreciadas e executadas.
cordas friccionadas (construção, trajetória e
curiosidades).
Conhecer os compositores das músicas apreciadas e
executadas.

OBJETIVOS PEDAGÓGICOS MUSICAIS - CONTEÚDOS PEDAGÓGICOS MUSICAIS –


TURMA B TURMA B

Distinguir e classificar sons fortes e fracos, curtos e Percepçaã o e classificaçaã o de sons fortes e fracos,
longos, graves e agudos; curtos e longos, graves e agudos;
Expandir o conhecimento sobre o movimento do
Movimento do arco nas cordas perifeí ricas do
arco nas cordas perifeí ricas do instrumento;
instrumento;
Desenvolver atraveí s do movimento do corpo a
Trabalho de pulsaçaã o por meio de atividades
expressaã o, a seguridade ríítmica, o sentido de espaço
praí ticas corporais e com o instrumento;
e tempo, o sentido da dinaê mica;
Relaxamento e equilííbrio corporal para o uso do
Conhecer os pontos de relaxamento e equilííbrio
instrumento;
corporal para o posicionamento do instrumento;
Mudanças de intensidade relacionada ao caraí ter
Reconhecer mudanças de intensidade relacionada ao
Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
caráter expressivo da música; expressivo da muí sica;
Reconhecer auditivamente elementos formais da Elementos formais da muí sica: repetiçaã o, contraste,
música: repetição, contraste, variação; variaçaã o;
Construiro entendimento da notação não Notaçaã o naã o convencional;
convencional através de graí ficos, pontos, curvas, etc.
Voz e o movimento do corpo;
Utilizar a voz e o movimento do corpo como
Melodias, de caraí ter popular, folcloí rico, tradicional
recursos para uma interpretaçaã o segura, expressiva
do instrumento;
e fluente no instrumento;
Criaçaã o e improvisaçaã o de elementos livres e
Desenvolver habilidades necessaí rias para a praí tica
dirigidos (baseados nos conteuí dos trabalhados);
musical em grupo: atençaã o, concentraçaã o, escuta
etc.; Execução de pequenas melodias compostas por
repetição, imitação, pergunta-resposta, variação, AB,
Executar pequenas melodias, de caraí ter popular,
ABA, etc.
folcloí rico, tradicional do instrumento, de ouvido,
por imitaçaã o, de memoí ria, visando o treinamento Criação de frases musicais com os padrões rítmicos
auditivo; básicos;

Criar e improvisar elementos livres e dirigidos Execução de melodias já estudadas e sem partitura,
(baseados nos conteuí dos trabalhados); visando o treinamento auditivo e da memória;
Apreciação de intérpretes do instrumento, em
Executar pequenas melodias compostas por
gravações e ao vivo;
repetiçaã o, imitaçaã o, pergunta-resposta, variaçaã o,
AB, ABA, etc. Aspectos históricos dos instrumentos de cordas
friccionadas (construção, trajetória e curiosidades);
Iniciar a leitura musical convencional;
Informaçoã es sobre os compositores das muí sicas
Interpretar peças de diferentes estilos, e que
apreciadas e executadas;
estejam de acordo com os elementos teí cnicos e
musicais vivenciados; Ângulos de dedos;
Apreciar intérpretes do instrumento, em gravações e Escala e arpejo de Ré Maior;
ao vivo; Retomada de arco;
Desenvolver a percepção auditiva de elementos Distribuição de arco;
musicais através da audição de um repertório variado
de estilos, gêneros, épocas e culturas, bem como Leitura Musical convencional composta por elementos
tradicional do instrumento; simples;

Conhecer aspectos históricos dos instrumentos de Apreciação ativa dos elementos materiais, expressivos
cordas friccionadas (construção, trajetória e e formais da música;
curiosidades); Jogos de improvisação;

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
Conhecer os compositores das músicas apreciadas e
executadas;
OBJETIVOS PEDAGÓGICOS MUSICAIS CONTEÚDOS PEDAGÓGICOS MUSICAIS
-TURMA C TURMA C

Reconhecer forma musical: pergunta-resposta, AB e Peçascom forma pergunta-resposta, AB e ABA,


ABA, cânone e rondó; cânone e rondó;
Memorizar canções para execução de cor e de Execução permanente e progressiva de peças ou
maneira expressiva; fragmentos musicais por meio da memória;

Desenvolver atraveí s do movimento do corpo a Voz e movimento do corpo;


expressaã o, a seguridade ríítmica, o sentido de espaço Arco alternado;
e tempo, o sentido da dinaê mica;
Ligaduras;
Perceber as qualidades do som e dos elementos da
Escalas e arpejos de Ré Maior, Sol Maior, Dó Maior e
música em fontes sonoras diversas: alturas, timbres,
Fá Maior;
ritmo, melodia, escalas, dinâmicas, textura, métrica,
etc.; Improvisar e criar – fraseados com pergunta e resposta,
métrica, sentido musical, variações rítmicas e
Executar de forma permanente e progressiva por meio
melódicas.
da execução de memória de peças ou fragmentos
musicais; Percepção auditiva das qualidades do som e dos
elementos da música em fontes sonoras diversas: altura,
Executar melodias com ligaduras, arco alternado, duração, timbre, ritmo, melodia, escalas, dinâmica,
explorando ainda a divisão do arco: Meio, talão, ponta, textura, métrica, etc.;
metade inferior, metade superior, todo o arco;
Reconhecimento auditivo de elementos formais da
Utilizar a voz e o movimento do corpo como música: repetição, contraste, variação;
recursos para uma interpretaçaã o segura, expressiva
Reconhecimento das mudanças de intensidade da
e fluente no instrumento;
música relacionadas ao caráter expressivo;
Executar escalas e arpejos de Ré Maior, Sol Maior,
Tonalização e sua aplicação prática;
Dó Maior e Fá Maior;
Regiões de arco: Meio, talão, ponta, metade inferior,
Improvisar e criar – fraseados com pergunta e
metade superior, todo o arco;
resposta, métrica, sentido musical, variações rítmicas e
melódicas. Apreciação de intérpretes do instrumento, em
gravações e ao vivo;
Perceber as qualidades do som e dos elementos da
música em fontes sonoras diversas: altura, duração, Percepção auditiva de elementos musicais através da
timbre, ritmo, melodia, escalas, dinâmica, textura, audição de um repertório variado de estilos, gêneros,
métrica, etc.; épocas e culturas, bem como tradicional do
instrumento.
Reconhecer os elementos formais da música:
Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
repetição, contraste, variação; Informações sobre compositores das peças trabalhadas;
Reconhecer as mudanças de intensidade da música
relacionadas ao caráter expressivo;
Aprender a tonalização e sua aplicação prática;
Executar peças musicais explorando a regiões do
arco: Meio, talão, ponta, metade inferior, metade
superior, todo o arco.
Apreciar intérpretes do instrumento, em gravações e
ao vivo;
Desenvolver a percepção auditiva de elementos
musicais através da audição de um repertório variado
de estilos, gêneros, épocas e culturas, bem como
tradicional do instrumento.
Conhecer aspectos históricos dos instrumentos de
cordas friccionadas (construção, trajetória e
curiosidades);

Conhecer os compositores das muí sicas apreciadas e


executadas;

OBJETIVOS PEDAGÓGICOS MUSICAIS – CONTEÚDOS PEDAGÓGICOS MUSICAIS


PRÁTICA DE CONJUNTO PRÁTICA DE CONJUNTO

 Desenvolver as habilidades  Leitura e execução de

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
básicas necessárias para repertório básico, da cultura
preparação de repertório, popular, erudito ou de
em diversas formações em composição própria do
conjunto, considerando as grupo, de acordo com a
peculiaridades estéticas das formação e nível de
obras em questão. desenvolvimento musical do
 Promover o mesmo.
desenvolvimento de  Percepção, discussão, e
habilidades para a execução aplicação dos padrões
musical em conjunto: estéticos e interpretativos
afinação, articulação em peculiares às obras em
conjunto de fraseado, questão.
equilíbrio e unidade sonora  Promoção de habilidades
entre as vozes em relação para a execução musical em
ao timbre dos diferentes grupo: afinação, articulação
instrumentos. em conjunto de fraseado,
 Desenvolver a afinação, o equilíbrio e unidade sonora
sincronismo e a precisão entre as vozes em relação ao
rítmica bem como a fluência timbre dos diferentes
do discurso musical na instrumentos.
prática em conjunto.  Desenvolvimento da
 Desenvolver os hábitos afinação, do sincronismo e
básicos da rotina de ensaio: da precisão rítmica bem
atenção voltada ao (a) como da fluência do discurso
dirigente do ensaio, escuta musical em conjunto.
a si mesmo e aos (as)  Desenvolvimento de hábitos
outros (as) integrantes do básicos da rotina de ensaio:
grupo, aprendizado, atenção voltada ao (a)
interpretação e prontidão ao dirigente do ensaio, escuta a
comando de execução e ao si mesmo e aos (as) outros
gestual de indicação (as) integrantes do grupo,
interpretativo: entrada, aprendizado, interpretação e
Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
dinâmica, fraseado, prontidão ao comando de
andamento etc. execução e ao gestual de
 Desenvolver hábitos indicação interpretativo:
necessários para as entrada, dinâmica, fraseado,
apresentações públicas, andamento etc.
entrada e saída do palco,  Preparação para as
formação de palco, apresentações públicas,
autocontrole emocional, entrada e saída do palco,
relaxamento corporal, formação de palco,
cooperação, apoio mútuo, autocontrole emocional,
sentimento de grupo, relaxamento corporal,
confiança e motivação. cooperação, apoio mútuo,
 Desenvolver a consciência sentimento de grupo,
de porta-se respeitosamente confiança e motivação.
durante as audições  Desenvolvimento de hábitos
públicas. de respeito durante as
 Promover a construção audições públicas.
coletiva de normas de  Construção coletiva de
conduta e convívio para o normas de conduta e
desenvolvimento da prática convívio para o
de conjunto. desenvolvimento da prática
 Desenvolver e valorizar de conjunto.
atitudes pró ativas no  Desenvolvimento e
grupo: participação na valorização de atitudes pró
escolha do repertório, ativas no grupo: participação
participação nas tomadas de na escolha do repertório,
decisão dos padrões participação nas tomadas de
interpretativos da música. decisão dos padrões
 Promover hábitos altruístas, interpretativos da música.
de tolerância e respeito pela  Promoção de hábitos
opinião e diversidade de altruístas, de tolerância e
nível técnico musical dos respeito pela opinião e
Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br
colegas, receptividade e diversidade de nível técnico
respeito às propostas do (a) musical dos (as) colegas,
educador (a) e dos colegas receptividade e respeito às
da turma. propostas do (a) educador
 Conscientizar os integrantes (a) e dos colegas da turma.
do grupo da importância de  Conscientização da
participar das apresentações importância de participar das
assumidas pelo grupo, bem apresentações assumidas
como das possíveis pelo grupo bem como das
dificuldades causadas ao possíveis dificuldades
mesmo com a ausência de causadas ao mesmo com a
algum (a) integrante do ausência de algum (a)
grupo. integrante.

Amigos do Guri - R. Fidalga, 92 - Pinheiros - São Paulo - SP – 05432-000

www.projetoguri.org.br