Você está na página 1de 37

Instituto Federal de Educação Ciência e

Tecnológica

Departamento Acadêmico de Tecnologia Industrial


Curso : Eletrotécnica

Manutenção elétrica Industrial


Modulo I
Filosofia da manutenção
Prof. Nestor Jr
2014.1
1. INTRODUÇÃO:
O nível da organização da manutenção
reflete as particularidades do
estágio de desenvolvimento industrial de um país.
A partir do momento em que começa a ocorrer o
envelhecimento dos equipamentos e
instalações, surge a necessidade de uma
racionalização das técnicas e dos
procedimentos de manutenção. Foi nos países
europeus e norte-americanos onde a idéia da
organização da manutenção iniciou, devido a
maior antiguidade do seu parque industrial.
Surgiu então a palavra:
De uma forma geral, a manutenção
constitui-se na conservação de todos os
equipamentos, de forma que todos
estejam em condições ótimas de
operação quando solicitados ou, em caso
de defeitos, estes possam ser reparados
no menor tempo possível e da maneira
tecnicamente mais correta.
2 – Historia da manutenção
• Nos últimos 20 anos a atividade de
manutenção tem passado por mais mudanças
do que qualquer outra. Dentre as principais
causas, podemos citar:
1. aumento, bastante rápido, do número e
diversidades dos itens físicos (instalações,
equipamentos e edificações) que têm que ser
mantidos;
2. projetos muito mais complexos;
3. novas técnicas de manutenção;
4. novos enfoques sobre a organização da
manutenção e suas responsabilidades.
Primeira Geração Segunda Geração Terceira Geração

1930 a 1940 1970 2000


Aumento da Expectativa em Relação a manutenção
· Conserto após a Falha · Disponibilidade Crescente · Maior disponibilidade e
confiabilidade
· Maior Vida Útil do Equipamento · Melhor custo benefício

· Melhor qualidade dos produtos


· Preservação do meio ambiente
Mudança das Técnicas de manutenção
· Conserto após a Falha · Computadores Grandes e lentos · Monitoramento de condições

· Sistemas manuais de · Projeto Voltado para


Planejamento e controle do trabalho confiabilidade e manutenibilidade

· Monitoramento por tempo · Analise de Risco


· Computadores pequenos e
rápidos
· Softwares Potentes
· Analise de modos e efeitos
(FMEA)
· Grupos de trabalhos
Multidisciplinar
A idéia básica por detrás do destaque
conferido à manutenção é que não basta
investir e implantar um sistema produtivo;
é necessário que o tempo de utilização
anual do sistema em condições de
produção próximas da máxima seja o
maior possível e simultaneamente sejam
otimizados a duração de vida útil e os
custos.
A consecução desta otimização da
produção de um sistema requer a
existência de um grupo fortemente
especializado na manutenção da empresa
e implantado, dentro do organograma,
num nível adequado de chefia que lhe
permita plenas condições de trabalho.
3 - UMA BREVE VISÃO DA FUNÇÃO DA
MANUTENÇÃO INDUSTRIAL
Processos que integram a função
Manutenção:
• A - Gerenciar Equipamentos

Este processo é bem abrangente, e engloba


desde o controle dos equipamentos
industriais até máquinas e ferramentas
utilizadas pela manutenção. Existem
softwares de pequeno porte que atendem
somente a ferramentaria, até softwares
médios que gerenciam totalmente os
equipamentos, bem como outros mais
abrangentes em que o processo Gerenciar
Equipamentos é um módulo dos mesmos.
• B - Tratar Solicitações de Serviços
Este processo trata das solicitações que
chegam à manutenção. Estas solicitações
incluem os pedidos da área operacional, as
recomendações de inspeção, os pedidos da
preventiva e da preditiva. A programação de
preventiva e/ou preditiva pode ser tratada como
solicitação de serviços. No entanto existem
softwares que já registram a carteira de
preventivas e preditivas como serviço planejado
e na fila de execução. É desejável realizar
estatísticas de velocidade de atendimento de
Solicitações por prioridade e área (ou outro
grupo qualquer).
• C - Planejar Serviços
Este processo é quase instantâneo
para serviços simples, mas pode
demandar até meses, no caso de
planejamento de uma complexa parada de
manutenção. Assim, para melhor entendê-
lo, convém analisarmos os processos
internos de que ele é composto. Mas
antes, vejamos o significado da palavra
"serviço" no contexto aqui exposto:
Um "serviço" é um conjunto de atividades
interrelacionadas, com um objetivo bem
definido, e que, como um todo, incorpora
um benefício de valor e para o qual se
deseja um controle de recursos
consumidos (também denominado
Empreendimento). Assim um Serviço
pode ser uma Ordem de Trabalho ou
muitas Ordens de Trabalho com um dado
fim.
C-1) Definir as tarefas de um Serviço - Um serviço,
numa visão macro, é composto de vários serviços
menores, até que, na menor unidade de serviço
tenhamos a "tarefa"
C-2) Definir interdependência entre tarefas - Para a
execução de serviços mais complexos, é
necessário um número razoável de tarefas. Torna-
se também necessário definir a seqüência que as
tarefas devem ser executadas
C-3) Microplanejar Tarefas - Por microplanejar
tarefas entende-se definir com antecedência (e
registrar num sistema mecanizado) os materiais
que serão utilizados no serviço, as ferramentas, os
recursos humanos, duração estimada, detalhar
instruções, associar procedimentos
C-4) Determinar níveis de recurso do
Serviço - Este processo implica em
determinar com quantos recursos e em
quanto tempo um ou mais serviços
podem ser executados.
C-5) Orçar Serviços - Um processo útil à
manutenção é o que permitiria uma
orçamentação prévia dos serviços sem
maiores dificuldades.
D - Gerenciar Recursos : Este processo
contempla o controle de disponibilidade de
recursos humanos e sua distribuição pelas
diversas plantas da fábrica.
E - Programar Serviços : A programação de
serviços significa definir diariamente que tarefas
dos serviços serão executadas no dia seguinte,
em função de recursos disponíveis e da
facilidade de liberação dos equipamentos.
• A = Emergência,
• B = Urgência,
• C = Normal Operacional,
• D= Normal não operacional),
F - Gerenciar o Andamento dos Serviços:
Neste ítem se analisa o processo de
acompanhamento da execução de
serviços ao longo do dia a dia.
G - Registrar serviços e recursos :Neste
processo estão compreendidas a
"apropriação" de serviços e recursos e o
registro de informações sobre o que foi
feito e em que equipamento.
H - Administrar Contratos / Carga de
Serviços :Este processo abrange desde o
processo de elaboração, fiscalização e
controle de qualidade dos contratos até o
acompanhamento orçamentário da
manutenção; a análise dos desvios em
relação ao previsto; tempos médios para
iniciar o atendimento e para atender, por
prioridade, por planta, etc.; e a
quantificação de benefícios incorporados
à organização em função da execução de
serviços.
Para que este processo funcione adequadamente,
tornam-se necessárias as seguintes atividades:
– Acompanhamento orçamentário - previsto x realizado
(por conta, área, etc.)
– Durações prevista x executada dos serviços (por
tarefa / OT, por área, por planta e outras categorias)
– Tempo médio entre o pedido e início do atendimento
das Ots por prioridade
– Duração média dos serviços
– Carga de serviços futuros (backlog independente e
condicionado)
– Estatísticas variadas (Percentual de serviços por
prioridade, por área, por planta, etc.)
– Alguns outros indicadores de manutenção
I - Controlar Padrões de Serviços :Este
processo abrange o controle de serviços
padrões (Ordens de Trabalho Padrão),
cadastro de procedimentos e outros
padrõespertinentes à manutenção.
J - Administrar Estoques :O controle de
Estoques, na maioria das empresas, foi
informatizado antes que o restante da
manutenção.
3 - UMA BREVE VISÃO DA FUNÇÃO DA
MANUTENÇÃO INDUSTRIAL
Processos que integram a função
Manutenção:
Importancia da Manutenção

Atividades auxiliares referem-se ao trabalho que não agrega valor aos


produtos, porém é necessário para dar suporte ao trabalho efetivo. São
atividades que apoiam as produtivas, sendo indispensáveis. Manutenção,
preparação de equipamentos, engenharia industrial, PCP, etc, fazem parte
desta categoria."
O departamento de manutenção tem importância vital no
funcionamento de uma indústria. Pouco adianta o
administrador de produção procurar ganho de
produtividade se os equipamentos não dispõem de
manutenção adequada. À manutenção cabe zelar pela
conservação da indústria, especialmente de máquinas e
equipamentos, devendo antecipar-se aos problemas
através de um contínuo serviço de observação dos bens
a serem mantidos. O planejamento criterioso da
manutenção e a execução rigorosa do plano permitem a
fabricação permanente dos produtos graças ao trabalho
contínuo das máquinas, reduzindo ao mínimo as
paradas temporárias da fábrica
Manutenção – Conceitos e
Tendências
Por vezes verificamos que, entre o pessoal de manutenção, ainda existe
alguma confusão quanto à nomenclatura utilizada para definir os tipos de
manutenção. Isso se verifica em função de: Adoção de nomes diferentes
de uma indústria para outra

Disseminação do nome dos tipos de manutenção, nem sempre bem


explicado ou entendido mas que ganha o costume local ou particular.
Os nomes podem até variar, mas o conceito deve estar bem
compreendido. A firme conceituação permite a escolha do tipo mais
conveniente para um determinado equipamento, instalação ou sistema.
Consideramos bastante adequada a seguinte classificação em função dos
tipos de manutenção:
1 - Manutenção corretiva - é a atuação para correção da falha ou do
desempenho menor que o esperado. Corretiva vem da palavra
CORRIGIR. A Manutenção corretiva pode ser dividida em duas
classes:.
• Manutenção Corretiva Não Planejada – correção da falha de maneira
aleatória, ou seja é a correção da falha ou desempenho menor que o
esperado após a ocorrência do fato.
Esse tipo de manutenção implica em altos custos pois causa perdas de
produção; a extensão dos danos aos equipamentos é maior.
Quando só existe corretiva, a manutenção é comandado pelos
equipamentos

• Manutenção Corretiva Planejada – é a correção que se faz em função


de um acompanhamento preditivo, detectivo, ou até pela decisão
gerencial de se operar até a falha.
Esse tipo de manutenção é PLANEJADA. Tudo que é planejado é
sempre mais barato, mais seguro e mais rápido

• Em algumas indústrias esses 2 tipos de manutenção corretiva são


conhecidos como Manutenção Corretiva Previsível e Manutenção
Corretiva Não Previsível.
– A manutenção corretiva é a forma mais óbvia e mais
primária de manutenção; pode sintetizar-se pelo ciclo
"quebra-repara", ou seja, o reparo dos equipamentos
após a avaria. Constitui a forma mais cara de
manutenção quando encarada do ponto de vista total
do sistema. Pura e simples, conduz a:
– Baixa utilização anual dos equipamentos e máquinas
e, portanto, das cadeias produtivas;
– Diminuição da vida útil dos equipamentos, máquinas
e instalações;
– Paradas para manutenção em momentos aleatórios e
muitas vezes, inoportunos por corresponderem a
épocas de ponta de produção, a períodos de
cronograma apertado, ou até a épocas de crise geral;
Apesar de rudimentar, a organização corretiva
necessita de:
– Pessoal previamente treinado para atuar com rapidez
e proficiência em todos os casos de defeitos
previsíveis e com quadro e horários bem
estabelecidos;
– Existência de todos os meios materiais necessários
para a ação corretiva que sejam: aparelhos de
medição e teste adaptados aos equipamentos
existentes e disponíveis, rapidamente, no próprio
local;
– Existência das ferramentas necessárias para todos
os tipos de intervenções necessárias que se
convencionou realizar no local;
– Existência de manuais detalhados de manutenção
corretiva referentes aos equipamentos e às cadeias
produtivas, e sua fácil acessibilidade;
– Existência de desenhos detalhados dos equipamentos e
dos circuitos que correspondam às instalações
atualizados;
– Almoxarifado racionalmente organizado, em contato
íntimo com a manutenção e contendo, em todos os
instantes, bom número de itens acima do ponto crítico
de encomenda;
– Contratos bem estudados, estabelecidos com entidades
nacionais ou internacionais, no caso de equipamentos
de alta tecnologia cuja manutenção local seja
impossível;
– Reciclagem e atualização periódicas dos chefes e dos
técnicos de manutenção;
– Registros dos defeitos e dos tempos de reparo,
classificados por equipamentos e por cadeias
produtivas (normalmente associadas a cadeias de
manutenção);
– Registro das perdas de produção (efetuado de acordo
com a operação-produção) resultantes das paradas
devidas a defeitos e a parada para manutenção;
Desenhos, conexões Aparelhos de Medição e
Ferramentas Apropriadas
(as-built) teste

Desenho de
Fichas de Defeitos
maquinas Elementos de Organozação minima da
Referencia manutenção Corretiva

Manuais de
Fichas de Tempo de reparo
manutenção

Pessoal
Estatisticas perda
Competente e
produção tempo parado
Suficiente

Cursos Reciclagens
e Especializações
2 - Manutenção preventiva - é a atuação realizada para reduzir ou evitar
falhas ou queda no desempenho, obedecendo a um planejamento
baseado em Intervalos Definidos de TEMPO. .

Um dos segredos de uma boa preventiva está na determinação dos


intervalos de tempo. Como, na dúvida, temos a tendência de sermos
mais conservadores, os intervalos normalmente são menores que o
necessário o que implica em paradas e troca de peças desnecessárias.
A preventiva tem grande aplicação em instalações ou equipamentos cuja
falha pode provocar catástrofes ou riscos ao meio ambiente; sistemas
complexos e/ou de operação contínua.

Como a Manutenção Preventiva está baseada em intervalos de tempo, é


conhecida como TIME BASED MAINTENANCE - TBM ou Manutenção
Baseada no Tempo.
3 - Manutenção preditiva - é um conjunto de atividades de
acompanhamento das variáveis ou parâmetros que indicam a performance
ou desempenho dos equipamentos, de modo sistemático, visando definir a
necessidade ou não de intervenção.

Quando a intervenção, fruto do acompanhamento preditivo, é realizada estamos


fazendo uma MANUTENÇÃO CORRETIVA PLANEJADA.

Preditiva Corretiva planejada Esse tipo de manutenção é conhecido com


CONDITION BASED MAINTENANCE - CBM ou Manutenção Baseada na
Condição.
Permite que os equipamentos operem por mais tempo e a intervenção ocorra com
base em dados e não em suposições.

Algumas empresas adotam uma classificação onde a Preventiva engloba as


Manutenção Baseada no Tempo e a Manutenção Baseada na Condição, isto é a
Preditiva seria um ramo da Preventiva. Optamos por mantê-la separada tendo em
vista as características diferentes das duas.
Corretiva
Preditiva
planejada
4 - Manutenção detectiva - é a atuação efetuada em sistemas de
proteção ou comando buscando detectar falhas ocultas ou não
perceptíveis ao pessoal de operação e manutenção.

• Um exemplo clássico é o circuito que comanda a entrada de um gerador


em um hospital . Se houver falta de energia e o circuito tiver uma falha o
gerador não entra.
A medida em que aumenta a utilização de instrumentação de comando,
controle e automação nas indústrias, maior a necessidade da manutenção
detectiva para garantir a confiabilidade dos sistemas e da planta.

• Esse tipo de manutenção é novo e por isso mesmo muito pouco


mencionado no Brasil.

Corretiva
Detectiva
planejada
5 - Engenharia de manutenção - é o conjunto de atividades que permite
que a confiabilidade seja aumentada e a disponibilidade garantida. É
deixar de ficar consertando, convivendo com problemas crônicos, melhorar
padrões e sistemáticas, desenvolver a manutenibilidade, dar feedback ao
projeto e interferir tecnicamente nas compras. .

Normalmente quem está apagando fogo, vivendo de manutenção corretiva não


planejada, não terá tempo para fazer engenharia de manutenção. Mas
possivelmente terá tempo para continuar apagando fogo e convivendo com
péssimos resultados. É necessário mudar, incorporar a preventiva, a preditiva e
fazer engenharia de manutenção.
As TENDÊNCIAS atuais, analisadas as empresas que são benchmark,
indicam a adoção cada vez maior de técnicas preditivas e a prática da
engenharia de manutenção. O quadro abaixo demonstra o porque,
relacionando os tipos de manutenção com os custos.

Custo
Tipo de Manutenção
US$/HP/ano
Corretiva não planejada 17 a 18
Preventiva 11 a 13
Preditiva/Corretiva Planejada 7a9
Exemplos de Técnicas de Manutenção
Preditiva
MANUTENÇÂO TENDENCIAS
O quadro, a seguir, mostra como está a utilização das práticas de
manutenção no Brasil e nos países de primeiro mundo.

Primeiro mundo em
Tipo de Manutenção
relação ao Brasil
Corretiva não planejada menor
Preditiva maior
Preventiva igual
Engenharia de Manutenção maior
• Tipo de Manutenção Primeiro mundo em relação ao Brasil
Corretiva não planejada menor Preditiva maior Preventiva igual
Engenharia de Manutenção maior A Manutenção é uma atividade
de importância estratégica nas empresas pois ela deve garantir a
disponibilidade dos equipamentos e instalações com confiabilidade,
segurança e custos adequados. Entender cada tipo de manutenção
e aplicar o mais adequado, corretamente, é fator de otimização da
nossa atividade e lucro ou sobrevivência para nossa empresa.

-CONCLUSÂO : Pensar e atuar com manutenção de qualidade não é


despesa, é investimento e otimização de custos e processos