Você está na página 1de 7

3 (1) 2009

Alteração de coloração de formulações contendo hidroquinona


em presença de estabilizante, como parâmetro indicativo
de instabilidade em emulsões

Hydroquinone formulations color change with stabilizing agent


addition, as emulsion instability parameter

Nicoletti MA*, Costa EP**, Cosme KZ***

Resumo: Em manipulação farmacêutica, são freqüentes as prescrições médicas de emulsões dermatológicas contendo
hidroquinona associada a outros ativos como ácido kójico e ácido glicólico para clareamento da pele. A hidroquinona é um ativo
quimicamente muito instável e normalmente está associado a outros ativos para que apresentem efeito sinérgico no clareamento
da pele. Para aumentar o prazo de validade são adicionados estabilizantes, além de que a temperatura exerce influência na
manutenção da integridade das preparações. Nem todos os estabilizantes irão contribuir favoravelmente com a manutenção
das características físico-químicas da preparação. Este estudo avalia a manutenção da coloração inicial da preparação como
indicativo de estabilidade através da adição de diferentes estabilizantes, isoladamente ou em associação, além da influência da
temperatura no armazenamento da preparação. Os resultados indicam que o estabilizante metabissulfito de sódio apresenta o
melhor comportamento na manutenção da coloração inicial e quanto à influência da temperatura, a melhor condição observada
é quando as amostras estão sob refrigeração.

Palavras-Chave: Hidroquinona. Estabilidade. Alteração de coloração.

Abstract: In pharmaceutical manipulation area, many dermatological medical prescriptions with hydroquinone
are associated to others actives like kojic acid and glycolic acid to get a faster skin-whitening. Hydroquinone has a strong
chemical instability and, by the way, it is necessary the addition of stabilizing agents to extend the shelf-life formulation, besides
the temperature has a strong influence on keeping the physical and chemical properties. The stabilizing agents have different
performances depending on the formulation and their inclusion does not mean that will be useful to keep the formulation
physical and chemical properties. This study analyses the emulsions color keeping in the presence of different stabilizing
agents, by itself or in association to other ones, besides the temperature influence. The results show sodium metabissulfite
as the best employed stabilizing agent and the best temperature condition is when the samples are under refrigeration.

Keywords: Hydroquinone. Stability. Color change.

AUTOR CORRESPONDENTE:
*Maria Aparecida Nicoletti - Farmacêutica-Bioquímica (UNESP-Araraquara), Mestrado e Doutorado (USP). Professora Titular da Universidade Guarulhos junto ao Curso de
Farmácia-Bioquímica, Professora Titular junto ao Curso de Farmácia e Bioquímica da Universidade Paulista (UNIP) e Farmacêutica Responsável pela Farmácia Escola (USP-
Universidade de São Paulo).
maria-nicoletti@uol.com.br
**Ellen Penteado Costa - Estagiária da Farmácia Universitária.
***Kleber Zimmermann Cosme - Bolsista de Iniciação Científica da Farmácia Universitária - Departamento de Farmácia / Faculdade de Ciências Farmacêuticas / Universidade
de São Paulo.

Revista Saúde 16
3 (1) 2009

INTRODUÇÃO manutenção das características físico-químicas do produto fi-


Preparações magistrais são manipuladas em farmácias nal e, portanto, sua estabilidade e, neste sentido, alguns ativos
a partir de prescrição de profissional habilitado, destinada a são mais suscetíveis à degradação química do que outros, em
um paciente individualizado, e que estabeleça em detalhes sua função de sua instabilidade química como, por exemplo, a hi-
composição, forma farmacêutica, posologia e modo de usar1. droquinona e o ácido kójico, que são usados para clareamento
Normalmente, as prescrições médicas magistrais apre- da pele.
sentam mais de um ativo presente, que deverá ser incorporado A pele é, em essência, um órgão de proteção,
a uma base galênica, ou seja, esta última é destinada a ser uti- principalmente, contra os danos físicos causados pelo sol3,4.
lizada como veículo/excipiente de preparações farmacêuticas O papel fisiológico da melanina consiste, fundamentalmente,
nos quais os ativos estarão inseridos. em prover a cor e proteção da pele. Após a irradiação, os
Quando é conhecida a estabilidade intrínseca do fármaco melanossomas se reagrupam em torno do núcleo e protegem,
é possível fazer considerações a respeito da seleção dos assim, o material genético da célula4,5.
adjuvantes necessários e outros componentes que atuarão Agentes clareadores/despigmentantes de pele têm sido
favoravelmente na manutenção das especificações do produto. amplamente utilizados em preparações de uso dermatológico
Dentre vários fatores intrínsecos que afetam a estabilidade de com a finalidade de tratar hiperpigmentações que podem ser
matérias-primas e do produto acabado, os mais comumente desencadeadas por diferentes fatores6,7,8.
encontrados são a hidrólise e a oxidação além de que, Muitas são as razões que poderão desencadear as
normalmente, o aumento da temperatura acelera os processos hipercromias que, por sua vez, recebem denominações
de degradação química2. conforme as características apresentadas e origem como,
A preparação magistral, normalmente, apresenta asso- por exemplo, cloasma ou máscara da gravidez, dermatite
ciação de grande número de ativos, o que poderá comprometer por perfume, efélides ou sardas da cor ruiva, hipercromias
a sua estabilidade final e, consequentemente, o prazo de vali- pós-inflamatórias, hiperpigmentação periorbital (círculos),
dade a ser estabelecido. A análise da viabilidade da preparação lentigens, lentigens senis ou de luz do sol, melanodermatite
é bastante complexa, considerando que as preparações magis- por fotossensibilização, melanodermia residual, melanose de
trais diferem grandemente das especialidades farmacêuticas Riehl, melasma, poiquilodermina de Civatte e queratoses senis
(industrializadas) quanto ao método de estabelecimento de ou actínicas ou melanoses solares3,4,9.
prazo de validade. Muitas vezes são encontradas prescrições O peeling químico é uma alternativa que poderá
médicas semelhantes, apenas com a introdução de um ou outro ser empregada em manifestações de hiperpigmentação
componente ativo diferente, o que já é suficiente para que o utilizando diferentes ativos como hidroquinona, ácido kójico,
prazo de validade não seja, necessariamente, coincidente para ácido glicólico entre outros8. A associação de dois ou mais
todas. O medicamento magistral manipulado é elaborado em despigmentantes poderá promover sinergismo, ou seja, os
quantidade suficiente para o tratamento em curto espaço de efeitos combinados poderão ser maiores do que a soma dos
tempo e o prazo de validade a ser estabelecido assegura este efeitos individuais10,11.
período de tempo, no qual a preparação deverá manter, dentro As preparações dermatológicas clareadoras de pele
dos limites previamente estabelecidos, as características e pro- contendo hidroquinona em associação com ácido kójico e/
priedades que tinha após a sua finalização; mesmo que o perí- ou ácido glicólico são muito comuns na área dermatológica,
odo seja curto, a estabilidade deve estar assegurada e, quando porém, são quimicamente instáveis e sofrem alteração como o
é necessário o uso do medicamento por longos períodos, a pre- escurecimento da formulação. O mecanismo da hidroquinona
paração é manipulada repetidamente. e do ácido kójico em relação ao processo de clareamento de
O que ocorre, em grande parte das vezes, é que os ativos pele está relacionado à inibição da tirosinase. O ácido glicólico
apresentam características físico-químicas diferentes e pode- é empregado nestas situações com a finalidade de diminuir
rão, em algumas situações, comprometer a integridade dos ou- a espessura da camada córnea, facilitando, desta maneira, a
tros componentes presentes na preparação. A adequação com a penetrabilidade dos ativos clareadores4,8,11-13 .
introdução de adjuvantes farmacotécnicos para minimizar ou Sabe-se que a hidroquinona e o ácido kójico, quando
impedir as incompatibilidades presentes é uma atividade bas- utilizados isoladamente, podem promover a instabilidade das
tante complexa que, muitas vezes, exige um estudo prévio para formulações resultando em alteração de cor. A hidroquinona é
o estabelecimento dos componentes que melhor assegurem a suscetível à oxidação tornando-se marrom (Figura 1) e, o ácido

Revista Saúde 17
3 (1) 2009

kójico, pode formar quelato com íons metálicos presentes na • Ácido kójico (Galena® Química e Farmacêutica Ltda.)
preparação gerando coloração amarela ou marrom. No último utilizado na forma de pó.
caso, a elevação da temperatura poderá intensificar este
comportamento11.

Figura 3: Estrutura química do ácido kójico.


Figura 1: Reação de oxidação da hidroquinona.

• Solução 70% p/V ácido glicólico (Natural Pharma®)


Um dos recursos a ser empregado para minimizar a ins-
tabilidade química destes ativos é a adição de estabilizante(s)
químico(s) à fórmula considerando aspectos como as compa-
tibilidades com os demais componentes presentes e a eficácia
da preparação11,14.
Figura 4: Estrutura química do ácido glicólico.
OBJETIVO
Considerando o segmento magistral e a legislação b. Estabilizantes:
pertinente, o estudo tem por objetivo avaliar o comportamento • Solução aquosa a 5% p/V ácido etilenodiaminotetracético
de diferentes estabilizantes utilizados em preparação dissódico (EDTA) (Natural Pharma®)
dermatológica, que se constitui em emulsão, contendo • Solução aquosa a 5% p/V metabissulfito de sódio (Natural
hidroquinona em associação ao ácido kójico e/ou ácido Pharma®)
glicólico, através de alteração de coloração da formulação • Solução aquosa a 50% p/V ácido cítrico (Natural Pharma®)
como indicativo de instabilidade química, quando armazenada
em temperatura ambiente e geladeira, por dois meses.
c. Base:
Emulsão aniônica tipo óleo em água:
MATERIAL E MÉTODOS
Álcool cetoestearílico (Galena® Química e Farmacêutica
a. Ativos: Ltda) - 12% / Oleato de decila (Galena® Química e Farmacêutica
• Solução hidroalcoólica de hidroquinona 40% p/v 12 (Tec
Ltda) - 5% / Vaselina (Natural Pharma®) - 5% / Glicerina
Pharma Importadora de Produtos Químicos e Farmacêuticos
(Natural Pharma®) - 5% / Conservantes: Propilparabeno -
Ltda.).
0,05% (Natural Pharma®) e Metilparabeno - 0,15% (Natural
Pharma®) / Água destilada – 72,80 %.

Neste estudo, as concentrações de hidroquinona e


dos ativos associados foram estabelecidas em função das
concentrações usuais de prescrições médicas.
c1. Hidroquinona 4% p/p em associação com ácido
kójico 2% p/p.
c2. Hidroquinona 4% p/p em associação com ácido
Figura 2: Estrutura química da hidroquinona.
glicólico 6% p/p.
c3. Hidroquinona 4% p/p em associação com ácido
kójico 2% p/p e ácido glicólico 6% p/p.
O pH foi ajustado para 4,0 em todas as bases em razão de
que é o pH de maior estabilidade da hidroquinona.

Revista Saúde 18
3 (1) 2009

Concentração final dos estabilizantes químicos


Ativos
EDTA (0,1%)* MS (0,1%)** AC (1%)***
– – –

X – –

d. Preparo das amostras: – X –

– – X

As amostras foram preparadas de acordo com a adição Hidroquinona 4% p/p + ácido 2% p/p
X X –

dos estabilizantes químicos, isoladamente ou em associações, X – X

– X X

às diferentes emulsões conforme descrito no Quadro 1. X X X

As amostras foram divididas em dois grupos: temperatura – – –

ambiente (25 ± 2 ºC) e geladeira (4 ± 2 ºC). As amostras foram


X _ _

_ X _

analisadas semanalmente, por um período de dois meses, Hidroquinona 4% p/p + ácido glicólico
_ _ X

6% p/p X X _
através de estudo comparativo em relação à alteração da X _ X

coloração inicial de cada amostra, utilizando-se para isto uma _ X X

preparação elaborada no dia da análise, como referência de


X X X

– _ _

coloração. X _ _

_ X _

RESULTADOS
_ _ X
Hidroquinona 4% p/p + ácido kójico 2%
p/p + ácido glicólico 6% p/p X X _

Os resultados obtidos estão apresentados sob forma de X _ X

_ X X

quadros e figuras para cada uma das três situações estudadas: X X X

Quadro 1. Adição de estabilizantes químicos, isoladamente ou em diferentes


Intensidade da coloração Intensidade da coloração
Estabilizantes
(Temperatura ambiente) (Em geladeira) associações, às três situações estudadas, * EDTA dissódico, ** Metabissulfito
* ** *** **** * ** *** **** de sódio (MS), *** Ácido cítrico (AC), – sem estabilizante.
Ausência de estabilizante x x

EDTA x x

MS x x Intensidade da coloração Intensidade da coloração


Estabilizantes
(Temperatura ambiente) (Em geladeira)
AC x x
* ** *** **** * ** *** ****
EDTA + MS x x
Ausência de estabilizante x x
EDTA + AC x x
EDTA x x
MS + AC x x
MS x x
EDTA + MS + AC
AC x x
Quadro 2: Intensidade da coloração das amostras de emulsão contendo EDTA + MS x x
hidroquinona 4% p/p em associação com ácido kójico 2% p/p em temperatura EDTA + AC x x
ambiente e em geladeira, após dois meses, *indica uma escala de coloração que MS + AC x x
vai do branco (coloração inicial=*) ao amarelado (****). Em geladeira a escala EDTA + MS + AC x x
representa as mesmas cores, porém, em menor intensidade.
Quadro 4: Intensidade da coloração das amostras de emulsão contendo
hidroquinona 4% p/p em associação com ácido kójico 2% p/p e ácido glicólico
Intensidade da coloração Intensidade da coloração
Estabilizantes
(Temperatura ambiente) (Em geladeira) 6% p/p em temperatura ambiente e em geladeira, após dois meses, *indica uma
* ** *** **** * ** *** **** escala de coloração que vai do branco (coloração inicial =*) ao marrom (****). Em
Ausência de estabilizante x x geladeira a escala representa as mesmas cores, porém, em menor intensidade.
EDTA x x

MS x x

AC x x

EDTA + MS x x

EDTA + AC x x

MS + AC x x

EDTA + MS + AC x x

Quadro 3: Intensidade da coloração das amostras de emulsão contendo


hidroquinona 4% p/p em associação com ácido glicólico 6% p/p em temperatura
ambiente e em geladeira, após dois meses, *indica uma escala de coloração
Figura 5: Emulsões contendo hidroquinona 4% p/p em associação
que vai do branco (coloração inicial =*) ao marrom (****). Em geladeira a escala
com ácido kójico 2% p/p, após dois meses.
representa as mesmas cores, porém, em menor intensidade.
A: em temperatura ambiente: B: em geladeira:
1 a= sem estabilizante 1 b= sem estabilizante
1 a’= EDTA + MS + AC 1 b’=EDTA + MS + AC

Revista Saúde 19
3 (1) 2009

Figura 7: Emulsões contendo hidroquinona 4% p/p em associação com


ácido kójico 2% e ácido glicólico 6% p/p, após dois meses.
Figura 6: Emulsões contendo hidroquinona 4% p/p em associação com
A: em temperatura ambiente: B: em geladeira:
ácido glicólico 6% p/p, após dois meses. 1 a = EDTA 3 b e 3 b’= sem estabilizante
A: em temperatura ambiente: B: em geladeira: 1 a’= AC
1 a = EDTA 1 b = EDTA 2 a = EDTA +AC C: em geladeira:
1 a’= AC 1 b’= AC 2 a’= MS 3 c e 3 c’= EDTA + MS + AC
2 a = EDTA + AC 2 b = EDTA +AC
2 a’= MS + AC 2 b’= MS

prazo estabelecido, ou seja, estabilidade é entendida como


DISCUSSÃO a capacidade de um produto manter suas propriedades e seu
Em vários aspectos, as preparações magistrais desempenho durante um tempo definido, de acordo com
manipuladas diferem das especialidades farmacêuticas as condições previamente estabelecidas, relacionadas à sua
(produto oriundo da indústria farmacêutica com registro no identidade, concentração ou potência, qualidade, pureza e
Ministério da Saúde e disponível no mercado). A legislação aparência física.
que norteia o segmento magistral atualmente é a Resolução As preparações magistrais de uso externo são elaboradas
da Diretoria Colegiada nº. 67, de 08 de outubro de 2007, que em pequenas quantidades e, frequentemente, com mais de uma
estabelece o Regulamento Técnico sobre as Boas Práticas de substância ativa presente; nesta situação, o prazo de validade
Manipulação de Preparações Magistrais e Oficiais para Uso não é estabelecido a partir do teor das substâncias ativas
Humano em Farmácias1. presentes na preparação e, sim, considerando as características
Segundo a citada legislação, a determinação do prazo físico-químicas dos ativos presentes (além de não serem
de validade de preparações de uso externo deve ser baseada realizados, também, teste de centrifugação como é estabelecido
na avaliação físico-química das drogas e considerações sobre para especialidades farmacêuticas).
a sua estabilidade. Preferencialmente, o prazo de validade No estudo desenvolvido, a oxidação é a reação de
deve ser veiculado ao período de tratamento (diferentemente degradação observada com a hidroquinona e as principais
das especialidades farmacêuticas nas quais são conduzidos maneiras de minimizar/evitar a oxidação é a seleção do
estudos acelerados de estabilidade e estudos de estabilidade de antioxidante e/ou quelante adequado (estabilizante) além do
longa duração). As fontes de informação sobre a estabilidade controle de prováveis catalizadores das reações de oxidação
físico-química das drogas devem incluir referências de como a presença de luz, temperatura e pH da preparação. Estes
compêndios oficiais, recomendações dos produtores das possíveis catalizadores de oxidação foram controlados através
mesmas e publicações em revistas indexadas e, para a da manutenção do pH ácido da preparação, do material primário
interpretação das informações sobre estabilidade das drogas de embalagem que impedia a passagem de luminosidade e do
devem ser consideradas todas as condições de armazenamento controle da temperatura de armazenamento.
e conservação1. A oxidação da hidroquinona pode ser evidenciada
O prazo de validade é entendido como o período de através da alteração de coloração da preparação constituindo-
tempo durante o qual o produto se mantém dentro dos limites se, assim, em desvio de qualidade, ou seja, conceitualmente
especificados de pureza, qualidade e identidade, na embalagem desvio de qualidade é o afastamento dos parâmetros de
adotada e estocado nas condições recomendadas no rótulo sendo qualidade estabelecidos para um produto ou processo
que, estas últimas, são informações que, obrigatoriamente, (exemplos: mudanças de coloração, odor, sabor, aparecimento
deverão constar no rótulo do produto, segundo exigência da de turbidez ou precipitação, dificuldades de solubilização ou
legislação. Portanto, o produto deverá ser estável durante o homogeneização, entre tantos outros). A detecção de um desvio

Revista Saúde 20
3 (1) 2009

de qualidade em produto (manipulado ou industrializado) Emulsão contendo hidroquinona 4% p/p em


é passível de notificação ao Centro de Vigilância Sanitária associação com ácido kójico 2% p/p:
(através de preenchimento de formulário on line) e, portanto,
se constitui em um aspecto de grande relevância a ser A ausência de estabilizantes ou a adição de qualquer
observado. um destes, seja individualmente ou em combinação, não
As alterações observadas em medicamentos podem provocou alteração da coloração inicial nas duas temperaturas
ser classificadas em dois grupos: as decorrentes de causas empregadas (Quadro 2 e Figura 5).
externas ao medicamento (fatores extrínsecos) como o tempo,
a temperatura, a luz, o oxigênio, o gás carbônico, a embalagem Emulsão contendo hidroquinona 4% p/p em
primária, a umidade e os agentes microbianos e, também, as associação com ácido glicólico 6% p/p:
decorrentes de causas internas, ou seja, estão relacionadas
à natureza do medicamento (fatores intrínsecos) como a O comportamento das amostras é diferente com
oxidorredução, a hidrólise, a racemização, a descarboxilação, relação a cada um dos estabilizantes e suas associações nas
as incompatibilidades, a polimerização e a desaminação2. duas temperaturas empregadas. Em temperatura ambiente, o
Existe consenso mundial em relação ao amplo conceito emprego dos estabilizantes, isoladamente ou em associações,
que envolve a estabilidade de produtos e, de maneira geral, são não promoveu a manutenção da coloração inicial das amostras
considerados os seguintes tipos de estabilidade: física, química, (Quadro 3). Na Figura 6 A , notamos que a adição de MS +
terapêutica, toxicológica e microbiológica. A alteração de AC, mesmo apresentando alteração de coloração menos
coloração da preparação compromete a estabilidade física intensa, não seria adequada para manter a estabilidade física da
do produto além de ser um indicativo de instabilidade na amostra. Em geladeira, a adição dos estabilizantes inadequados
preparação. No caso, a hidroquinona é uma substância que (Quadro 3) também resulta em alteração de coloração, porém,
altera a coloração após sofrer oxidação sendo, entretanto, em menor intensidade (Figura 6B). Entretanto, a adição de MS
um indicativo de que houve comprometimento da identidade isoladamente ou em associação é capaz de manter a coloração
química inicial da substância, ou seja, não é a forma oxidada inicial da amostra quando armazenada em geladeira (Quadro
da hidroquinona que se constitui na substância ativa de 3 e Figura 6B).
interesse e, portanto, além da estabilidade física da preparação,
a estabilidade química também está afetada em razão de que Emulsão contendo hidroquinona 4% p/p em
uma quantidade da substância ativa inicial foi consumida para associação com ácido kójico 2% p/p e ácido glicólico 6%
gerar a forma oxidada. p/p:
Considerando as condições de rotina em farmácias
com manipulação, o artigo avalia a alteração de coloração de Em temperatura ambiente, a adição de estabilizantes
formulações magistrais contendo hidroquinona associada a inadequados (Quadro 4 e Figura 7) altera a coloração inicial
outras substâncias ativas comumente utilizadas em prescrições das amostras. A adição de MS, isoladamente ou em associação
médicas, em presença de diferentes estabilizantes. Durante (MS + AC ou MS + EDTA + AC), é capaz de manter a coloração
as avaliações realizadas os valores de pH das formulações inicial da amostra (Quadro 4 e Figura 7 A); enquanto que em
mantiveram-se dentro do esperado para as substâncias ativas geladeira, mesmo na ausência de estabilizantes (Quadro 4 e
abordadas que necessitam pH ácido. A avaliação de alteração Figura 7B) ou na presença de todos estes (Quadro 4 e Figura
de coloração foi comparativa utilizando-se amostra elaborada 7C), não ocorreu alteração da coloração inicial das amostras
imediatamente antes da análise da formulação em estudo, com
a mesma composição quali-quantitativa; procedimento que CONCLUSÕES
foi adotado para todas as análises efetuadas e para todas as O estabelecimento de prazo de validade das preparações
formulações abordadas. magistrais de uso externo, elaboradas em farmácias com
Os resultados, para cada uma das emulsões, são diferentes, manipulação, é fundamentado em características físico-
mostrando que a adição do estabilizante inadequado pode químicas das drogas e não através de determinação de teor das
acelerar as alterações de coloração nas amostras. substâncias ativas. A contribuição do estudo desenvolvido é o
Os resultados podem ser divididos de acordo com as três estabelecimento de condições que contribuam favoravelmente
situações estudadas: na minimização da instabilidade química das fórmulas

Revista Saúde 21
3 (1) 2009

magistrais que contenham os ativos abordados. Ativos Estabilizante químico mais adequado
De acordo com o ativo ao qual a hidroquinona está
Temperatura ambiente Geladeira
associada, existe um estabilizante adequado à formulação
Hidroquinona 4% + ácido
podendo, às vezes, sua adição ser dispensável, como ocorre Kójico 2%
* *
com o ácido kójico.
Hidroquinona 4% + ácido
As temperaturas nas quais as amostras permanecem tem glicólico 6%
X MS

influência sobre a manutenção de coloração da formulação e,


Hidroquinona 4% + ácido
MS *
portanto, na estabilidade. Em geladeira, a alteração de coloração kójico 2% + ácido glicólico 6%

ocorre em menor intensidade quando comparada com a adição


Quadro 5: Estabilizante mais adequado em formulações contendo
do mesmo estabilizante em temperatura ambiente. hidroquinona. * não é necessário adicionar estabilizante para a manutenção
Observa-se que dependendo da situação, quando da coloração da preparação. X - a adição de estabilizantes estudados,
em geladeira, não há necessidade da adição de qualquer isoladamente ou em associação, não é suficiente para manter inalterada a
estabilizante químico, fato que não se verifica em temperatura coloração da preparação. MS – Metabissulfito de Sódio.
ambiente.
Os dois ativos mais instáveis são a hidroquinona e o ácido REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
kójico, e quando associados, não necessitam de estabilizantes, 1. Brasil. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. RDC nº 67, de 08
tanto em temperatura ambiente, quanto em geladeira, situação de outubro de 2007. Dispõe sobre Boas Práticas de Manipulação de
Preparações Magistrais e Oficiais para Uso Humano em Farmácias.
oposta àquela verificada quando se estuda os dois ativos
Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo,
isoladamente. Brasília, DF, 09 de outubro de 2007, Seção 1.
Emulsões contendo hidroquinona em associação com 2. Aulton ME. Delineamento de formas farmacêuticas. 2ª. ed. Porto
ácido kójico, tanto em temperatura ambiente quanto em Alegre: Artmed, 2005.
geladeira, não apresentaram alteração de coloração na presença 3. Charlet E. Cosmética para farmacêuticos. Zaragoza: Editorial
Acribia, 1996.
ou ausência dos estabilizantes estudados.
4. Nicoletti MA, Orsine EMA, Duarte ACN, Buono GA. Hipercromias:
Emulsões contendo hidroquinona em associação com
aspectos gerais e uso de despigmentantes cutâneos. Cosm. Toil. (Ed.
ácido glicólico devem conter MS e permanecer em geladeira, Port.). 2002;14(3):46-53.
condição melhor para a manutenção da coloração inicial e, 5. Ribeiro, CJ. Cosmetologia aplicada a dermoestética . São Paulo:
portanto, a estabilidade física. Pharmabooks, 2006.
Emulsões contendo hidroquinona em associação 6. Bonadeo I. Cosmética: ciência y tecnologia. Madrid: Editorial
com ácido kójico e ácido glicólico, podem permanecer Ciência, 1988.

em temperatura ambiente desde que seja adicionado MS à 7. Lee OS, Kim EJ. Skin lightening. Cosm. Toil. 1995;110(10):51-6.

formulação. 8. Zhai H, Maibach HI. Skin-whiting agents. Cosm. Toil. 2001;116(1):20-5.

Em função dos dados obtidos, o Quadro 5 descreve 9. Hernadez M, Mercier-Fresnel MM. Manual de cosmetologia. Rio de
Janeiro: Revinter, 1999.
o estabilizante químico mais adequado na manutenção da
10. Klausner M, Neal P, Breyfogle B, Kubilus J. Melanoderm, um tecido
coloração inicial das emulsões contendo os ativos utilizados
epidérmico para avaliar os agentes de clareamento e bronzeamento
neste estudo. da pele. Cosm. Toil. (Ed. Port.). 2000;12(6):69.
11. Su GE. Formulando com branqueadores da pele. Cosm. Toil. (Ed.
Port.). 1999;11(2):57-63.
12. Orth D, Widjaja J, Ly L, Cao N, Shapiro W. Stability and skin
persistence of topical products. Cosm. Toil. 1998;113(oct.):51-62.
13. Wilkinson JB, Moore RJ. Cosmetologia de Harry. Madrid: Diaz de
Santos, 1990.
14. Thompson JE. A prática farmacêutica na manipulação de
medicamentos. Porto Alegre: Artmed, 2006.

Revista Saúde 22