Você está na página 1de 4

Análise Semiótica

Embalagem Coca-Cola

A semiótica tem por objetivo estudar os signos, códigos, sinais e linguagem,


fazendo com que seja possível compreender as palavras, imagens, sons e todos os tipos
de manifestações, auxiliando na compreensão do potencial comunicativo das mensagens
e os efeitos que os signos produzem em seus interpretantes (SANTAELLA, 2005).

Segundo Santaella (2005) esses efeitos são classificados em três tipos, os efeitos
emocionais, são os sentimentos e emoções produzidos pelo signo; os efeitos energéticos,
quando o signo exige uma ação física ou mental do interpretante; e os efeitos lógicos,
quando há a interpretação do signo através de uma regra já internalizada pelo
interpretante. Esses efeitos são utilizados constantemente para analisar os elementos
semióticos presentes nas logomarcas e embalagens, pois, o interpretante ao se deparar
com esses signos será exposto a uma série de efeitos, efeitos esses que podem ser
diferentes para cada pessoa, levando em conta suas emoções e experiências individuais.

A marca selecionada para a análise semiótica de sua embalagem foi a Coca-Cola.


A Coca-Cola foi criada em 1886 pelo farmacêutico John Styth Pemberton nos Estados
Unidos da América, na época com o intuito de aliviar dores de cabeça nos operários, já
hoje é uma das bebidas mais reconhecidas em todo o mundo, incluindo no Brasil. A tão
famosa logomarca escrita com uma letra cursiva foi criada por Frank M. Robinson, amigo
de John, que nomeou a bebida e escreveu o nome com sua própria caligrafia. Esse
elemento está presente desde então nos rótulos da marca, sofrendo poucas alterações
durante todos esses anos de Coca-Cola (COCACOLA BRASIL, 2016).

Recentemente a Coca-Cola passou por um redesign em suas embalagens, Cris


Grether, brasileira, foi quem liderou essa mudança. Nesse processo a marca optou por um
aspecto mais limpo e que desse continuidade a pregnância que o vermelho tem na mesma,
dessa forma eliminando elementos característicos da marca até então, como as gotas de
água e a sua clássica onda, ambos acrescentavam uma sensação de frescor ao rótulo. Será
esse novo modelo de embalagem que iremos fazer a análise semiótica desse trabalho.

Nesse novo rótulo da Coca-Cola o vermelho, cor principal da marca, se torna


muito mais presente criando mais do que nunca uma unidade entre todas as embalagens
da mesma. A cor vermelha tem como característica despertar sensações fortes, de desejo,
sendo utilizada pela Coca-Cola como um fator de estímulo e motivação ao consumo, por
ter essas propriedades de energia e calor, a cor vermelha é muito utilizada também por
outras marcas no ramo alimentício.

Além do vermelho, temos a cor branca presente em todas as embalagens para o


come da Coca-Cola, criando harmonia na mesma e gerando um contraste com o
vermelho, entre cores quentes e frias, o vermelho do fogo, do calor e o branco da neve,
do frio, e também, contraste nas sensações representadas, o vermelho a intensidade, o
desejo, vitalidade e o branco o frescor, a pureza, estabilidade, ambas sensações que
auxiliam no desejo de consumo do produto, de saciar a sede.

A tipografia manual utilizada para escrever o nome da marca, com linhas


arredondadas e com movimento ondulatório, sugere leveza e movimento, tendo forte
influência no produto, e se mostrando atemporal devido a todos esses anos de utilização
sofrendo apenas alterações sutis com o passar do tempo. A fonte cursiva de Robinson,
assim como as cores vermelho e branco, é um diferencial na marca, contribuindo no
equilíbrio, harmonia e pregnância no rótulo.

Através desse

Este trabalho assinala o que a semiótica pode auxiliar no desenvolvimento de uma nova
identidade, quanto ao uso das formas, das cores, até mesmo do relacionamento. Ela está
presente em diversas formas e conteúdos, e seu estudo perante este assunto possibilita
que sejam criadas excelentes campanhas, que obtendo sempre que possível o máximo
de retorno positivo do receptor. Uma logomarca carrega consigo os inúmeros valores
agregados à empresa, portanto, a leitura adequada dos signos que a compõem é
essencial para que o destinatário consiga extrair seus significados. Evidentemente que
esta colocação precisa ser considerada no momento da criação, pois uma logomarca
remete ao que a empresa quer representar, geralmente acompanhando-a durante um
longo período, além do que, o processo de reconhecimento, aceitação e consolidação de
uma marca demanda bastante tempo de exposição no mercado.

IMAGENS:
REFERÊNCIAS:
COCA-COLA BRASIL. Coca-Cola - História: Conheça os 130 anos da evolução do
logotipo da Coca-Cola, 2016. Disponível em <https://www.cocacolabrasil.com.br/
historias/conheca-os-130-anos-da-evolucao-do-logotipo-da-coca-cola>. Acesso em 12
de setembro de 2018.

SANTAELLA, Lucia. Semiótica aplicada. São Paulo: Pioneira Thomson Learning,


2005.