Você está na página 1de 42

INOVAÇÃO

NA EDUCAÇÃO
CATARINENSE
Relatório 2018

Diretoria de Tecnologia e Inovação


Secretária de Estado da Educação
de Santa Catarina
Mensagem da Secretária
Sumário 3
Mensagem do Diretor 4
2018: ACELERANDO O ENCONTRO DA INOVAÇÃO COM A EDUCAÇÃO CATARINENSE 6
CONSTRUINDO A AGENDA DE INOVAÇÃO NA EDUCAÇÃO CATARINENSE 7
O PLANO ESTADUAL DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS – PEITE 8
Visão 8
Infraestrutura 9
Competência 9
Conteúdos e Recursos Digitais 9
O DIAGNÓSTICO DE 2018 9
MARCO OPERATIVO PARA 2018 10
Objetivos Específicos do Marco Operativo 2018 12
CONSTRUINDO A AGENDA DE INOVAÇÃO NA EDUCAÇÃO 12
Formação da Rede de Escolas Inovadoras 14
Painel da Educação 15
Catálogo de Plataformas Inovadoras 16
FORMAÇÃO PROFISSIONALIZANTE 17
Ações e Iniciativas 18
GESTÃO 21
Ações e Iniciativas 22
Parcerias e Arranjos Intitucionais 22
Parceria Google 22
Parceria Fundação Telefônica 23
Parceria Inep 23
Parceria Instituto Ayrton Senna 23
Parceria CELESC 23
Parceria Rotary 23
Parceria Educação Conectada 23
Parceria Unesco 24
Parceria OEI 24
STEM 25
Ações e Iniciativas 25
APRENDIZAGENS 27
EfeX - Espaço de Formação e Experimentação em Tecnologias para Professores 31
FORTALECENDO A AGENDA E A GOVERNANÇA DE TECNOLOGIA 33
Professor Online 34
Estudante Online 34
Matrícula Online 34
Novo Sistema de Gestão de Pessoas Online 34
Ampliação da Rede de Fibra Ótica 35
Compra de Equipamentos 35
Contagem Automatizada da Alimentação Escolar 35
Gerenciamento Eletrônico de Documentos - GED 35
Ações Transversais 36
CONSIDERAÇÕES FINAIS 38
EQUIPE DA DIRETORIA DE TECNOLOGIAS E INOVAÇÃO 41
Mensagem da Secretária
Os desafios da sociedade atual exigem cada vez mais de nós, educadores. A
transformação promovida pela tecnologia é veloz e acelerada! É preciso olhar para o
futuro e pensar quais competências e habilidades serão exigidas dessa geração que
inicia sua jornada escolar e que está sob responsabilidade de nossas escolas e
redes de ensino.
Enfrentar estes desafios é urgente para construir o Brasil do futuro e implica
em um compromisso visceral com a inovação, para que possamos trilhar os
caminhos que nos levem a alcançar os objetivos da nação brasileira expressos em
nossa Carta Magna!
Acreditamos que o uso da tecnologia e da inovação trará importante contribuição
aos propósitos da Educação, fortalecendo nossa capacidade de gestão e otimizando
o uso dos recursos públicos em ações essenciais para a conquista da excelência na
prestação de serviços à população.
Este Relatório de atividades realizadas em 2018 sintetiza o esforço da equipe
técnica da Diretoria de Tecnologias e Inovação da Secretaria de Estado da Educação
de Santa Catarina em garantir acesso a soluções inovadoras e tecnológicas para
nossos estudantes, professores e gestores, além de oferecer infraestrutura que
possibilite modernizar nossas escolas e torná-las aptas a receber os estudantes do
século XXI.
O Brasil exige mudanças. Hoje, nossos esforços se concentram no processo
de transformar o panorama do ensino público do país, com foco em oferecer à
sociedade a qualidade que nossos alunos precisam e merecem.
Simone Schramm
Secretária de Estado da Educação de Santa Catarina

3
Mensagem do Diretor
Precisamos transformar Santa Catarina num Estado apaixonado pela
Educação e este Relatório apresenta o esforço da Diretoria de Tecnologias e
Inovação realizado em 2018 para alcançar esse objetivo!
Nesses meses que estive à frente dessa importante Diretoria, tivemos a
oportunidade de iniciar muitas ações inovadoras, além de dar oportunidade para
escalar tantas outras. Buscamos acelerar o processo de criar as condições para que
a Educação 4.0 pudesse estar acessível em nossas escolas. Para que possamos
alcançar o complexo objetivo maior de garantir o direito de aprender de todas as
nossas crianças e jovens é preciso: a) incorporar inovação para transformar a
educação brasileira na velocidade necessária e desenvolver inteligência baseada
em dados para monitorar em tempo real os avanços, e b) entender como lidar com
o esforço de inovação quando se está no Governo.
De acordo com pesquisa da OCDE, os países dessa organização gastam cerca
de 40% de seu PIB com o trabalho do governo (cerca de US$ 16 trilhões). Estima-se
que o total global de gastos esteja em torno de US$ 30 trilhões. De acordo com a
pesquisa, se políticas mais conectadas e inovadoras pudessem ajudar apenas 1% do
gasto total do governo a ser implantado 50% mais efetivamente – uma ambição
razoável -, seriam liberados mais de US$ 100 bilhões por ano globalmente em
economia ou criação de valor.
Precisamos aprender a inovar no Governo, e isso implica aprender a conviver
com o risco de errar. Governos impermeáveis ao erro são impermeáveis à Inovação!
Compartilho aqui algumas recomendações para aqueles que buscam inovar
no Governo, fruto da experiência e da literatura internacional sobre o assunto.
Amplie o conjunto de talentos do governo – Muitos dos funcionários públicos
mais eficazes que conhecemos passaram algum tempo no setor privado ou na
sociedade civil. Confrontado com a expressão “É assim que as coisas sempre foram
feitas”, eles encontram várias maneiras de contornar o sistema.
Proteja os talentos – A inovadora agencia de inovação da Dinamarca
(MindLab) envia funcionários públicos com visão de futuro para a ação nas agências
do governo para interromper o pensamento inercial e ineficiente. Isso ajuda as
agências a sobreviverem à inércia institucional e à resistência.
Comunique o lado positivo do risco – A agência de inovação da Suécia
(Vinnova), deixa bem claro que obterá taxas de erros semelhantes às de capital de
risco em seus investimentos ousados e em estágio inicial. Definir essa expectativa
torna muito mais fácil para a agência compartilhar falhas quando elas acontecem e
falar sobre (e implementar) lições aprendidas.

4
Aproveite o melhor da tecnologia para compartilhar e aprender – O objetivo é
fazer parte da solução nessa frente. Então, para complementar e reforçar apenas
esses tipos de estratégias, foi criada uma plataforma online que conecta
funcionários públicos em todos os níveis do governo a pessoas que lidam com os
mesmos problemas em outros lugares. Através da plataforma é possível reunir
ideias, pessoas e evidências de maneira que esperamos encorajar a ação.

Alexandre André dos Santos


Diretor de Tecnologias e Inovação da Secretaria de Estado da Educação de Santa
Catarina

5
“Precisamos reconfigurar

nossas organizações para

2018: serem eficazes e adequadas à

economia digital e ao grande


ACELERANDO O
desafio do nosso tempo.”
ENCONTRO DA
INOVAÇÃO COM A
EDUCAÇÃO CATARINENSE
A Quarta Revolução Industrial, que inclui desenvolvimento em campos anteriormente
desar�culados, como inteligência ar�ficial e aprendizado de máquina, robó�ca, nanotecnologia,
impressão 3D, e gené�ca e biotecnologia, causará uma mudança civilizatória em escala global. Não
há dúvidas de que estamos diante de uma mudança similar à que nos levou da Idade Média para o
Renascimento. Teremos amplos e significa�vos reflexos no mundo da educação e no mundo do
trabalho, incluindo o conjunto de habilidades necessárias para prosperar. Essa velocidade derrete
certezas em relação ao futuro do trabalho. Entender a natureza das mudanças e suas implicações é
um exercício fundamental para ajustar o rumo das ins�tuições que realizam a preparação das novas
gerações para viver em Sociedade no século XXI. Um mundo onde robôs, a automação e inteligência
ar�ficial realizam cada vez mais tarefas, associado a todo o complexo de mudanças oriundo da
velocidade das mudanças gera um enorme desencaixe entre o que é aprendido nos centros de
formação e o que é exigido em termos de habilidade no mundo atual e futuro próximo.
Temos um grande número de empregos em risco ou em transformação, à medida que
disposi�vos programados – muitos deles sistemas inteligentes e autônomos – con�nuam sua
marcha em direção aos locais de trabalho. Assim, em pleno século XXI con�nuamos com vários
problemas que se acentuaram e que aumentaram de tamanho e complexidade, e que hoje precisam
ser enfrentados:
• O desenho atual do modelo forma�vo atende a requisitos baseados no aumento de
disciplinas isoladas que freiam o estudo interdisciplinar e o desenvolvimento de habilidades
essenciais ao mundo do trabalho e a cidadania do século XXI;
• O modelo atual não abre espaço para o aprendizado horizontal e oriundo do novo
mundo interconectado em rede pelo massivo uso da tecnologia, em busca de potencializar e
compar�lhar os melhores desempenhos, o trabalho em grupo, as realizações e capacidades únicas
e a evidência de crescimento nos indicadores de preparação para o mundo do trabalho e a
cidadania.
• O processo atual con�nua naturalizando a formação do ensino médio como etapa
necessária para passar pelo funil de ingresso na Universidade, fortalecendo a visão disciplinar
tradicional, freando o desenvolvimento de habilidades associadas ao mundo do trabalho do século
XXI, tais como aquelas trabalhadas na educação profissional e técnica (por exemplo, robó�ca e
manufatura avançada).
• O foco estreito nas prováveis saídas do ensino médio limita a ênfase e a importância
da aprendizagem fora da escola (por exemplo, trabalho, serviço e aprendizado baseado na
cidadania). Há poucas ou nenhumas oportunidades para obter e validar o aprendizado ob�do fora
da escola ou de maneira alterna�va.

6
Apesar da tecnologia avançar rapidamente, as organizações educacionais se movem num
ritmo muito mais lento. Precisamos reconfigurar nossas organizações para ser eficazes e adequadas
à economia digital. Precisamos ajudar as organizações a entender como a transformação digital está
afetando a sociedade e a vida co�diana para que as pessoas se tornem mais cria�vas, produ�vas e
prosperarem em um momento de grandes e incertas mudanças. Precisamos ser disrup�vos e ter
coragem para criar uma ampla gama de novas inicia�vas e estratégias de desenvolvimento e
cer�ficação de habilidades ajustadas a esse novo mundo. Precisamos acelerar o encontro da
Inovação com a Educação catarinense.

CONSTRUINDO A AGENDA DE
INOVAÇÃO NA EDUCAÇÃO
CATARINENSE
É preciso ser inovador e disrup�vo para recuperar o tempo perdido e incorporar todos os
bene�cios que as tecnologias e os avanços da indústria 4.0 nos proporciona para desenvolver novas
maneiras de promover um aprendizado poderoso e ajudar os jovens a compar�lhar suas
capacidades. Essas tecnologias inclusive podem ser u�lizadas para incorporar e desenvolver
habilidades e competências para toda a população economicamente a�va do Brasil, alinhando ao
mais moderno conceito de aprendizagem ao longo da vida.
Nossos educadores e educandos precisam de um programa efe�vo, capaz de gerar uma
mudança sistêmica nos processos escolares. Um programa aderente à customização da experiência
educa�va, que atenda alunos com diferentes culturas, diferentes ritmos e diferentes necessidades.
Professores e estudantes devem buscar e produzir materiais educacionais de acordo com suas
realidades locais. E, não menos importante, as ferramentas tecnológicas devem imprimir eficácia
aos processos administra�vos, o�mizando os recursos públicos de todas as instâncias de poder.
Como visão polí�ca, entendemos ser central a proposição de forte ar�culação do processo
de inovação com as demais polí�cas públicas, em especial aquelas ligadas ao campo do
desenvolvimento social e econômico, reconfigurando nossa educação (novo mindset) e trazendo
nossas escolas para o século XXI. A tecnologia será relevante e essencial para permi�r aos
estudantes maior autonomia na aprendizagem, principalmente em face à nova proposta curricular.
Outra visão estratégica é o desenvolvimento das competências da Base Nacional Comum
Curricular (BNCC). A quinta das dez competências gerais da BNCC, por exemplo, consiste em
“u�lizar tecnologias digitais de comunicação e informação de forma crí�ca, significa�va, reflexiva e
é�ca nas diversas prá�cas do co�diano (incluindo as escolares) ao se comunicar, acessar e
disseminar informações, produzir conhecimentos e resolver problemas.”

A par�r desse cenário e tendo as premissas acima como


norte, chegamos em 2018 diante de um complexo desafio: como
avançar e acelerar num final de ciclo de gestão no governo estadual
e federal, em um contexto de crise econômica? O cenário exigiu
superação da equipe da Diretoria de Tecnologias e Inovação da
Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina. Para
reforçar o empenho do estado em garan�r que a inovação
se torne uma marca das escolas da rede estadual, as ações
do Plano Estadual de Inovação em Tecnologias
Educacionais – PEITE �veram con�nuidade, e foi aberta “Precisamos transformar
uma agenda estratégica de inovação na educação,
ar�culada e complementar ao PEITE, que deu sinergia
ao esforço de acelerar o encontro da inovação com Santa Catarina num Estado
a educação catarinense.

apaixonado pela Educação”


7
O PLANO ESTADUAL DE INOVAÇÃO
EM TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS –
PEITE
O Plano Estadual de Inovação e Tecnologia Educacional (PEITE) consiste em um documento
que orienta as intencionalidades e a implementação de ações de inovação e tecnologia educacional,
que atendam as necessidades locais do Sistema Estadual de Ensino do Estado de Santa Catarina.
Para a construção do Plano, amplo debate entre as forças vivas da sociedade catarinense e vários
documentos foram norteadores, como o Plano Nacional de Educação (PNE); o Plano Estadual de
Educação (PEE); a Polí�ca das Tecnologias de Informação e Comunicação para as Escolas Públicas do
Estado de Santa Catarina; a Proposta Curricular de Santa Catarina; as Diretrizes para Polí�ca
Nacional de Inovação e Tecnologia Educacional 2017-2021 (CONSED); e os estudos da Organização
de Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) Inspirados pela tecnologia, norteados pela
pedagogia - em uma abordagem sistêmica das inovações educacionais de base tecnológica.

A teoria Four in Balance (S�ch�ng


Ict op School, 2001) foi u�lizada como eixo
estruturante do Plano. Nessa proposta, é
fundamental equilibrar quatro dimensões:
visão, competência, conteúdos e recursos
digitais e infraestrutura. Assim, o PEITE tem
sua estrutura organizada a par�r das 4
dimensões que se inter-relacionam,
conforme figura ao lado.

“Mesmo que estejamos falando sobre Visão- Refere-se o quanto a tecnologia


tem o potencial de impactar
posi�vamente a educação, promovendo
Tecnologia e Inovação, a essência do nosso um ensino de qualidade e uma gestão
escolar eficaz. Engloba, ainda, as
trabalho encontra-se nas pessoas - na maneiras em que tal crença se
reflete em estratégias
e polí�cas planejadas para que
riqueza que nasce da interação de diferentes as escolas a�njam seus obje�vos.

perspectivas, mediante um desejo sincero de

fazer mais e melhor pela Educação do nosso

Estado.” Francisco Reis Von Hertwig


8
Infraestrutura - Disponibilidade e qualidade de ferramentas, incluindo conexões, servidores e
serviço de armazenagem.

Competência - indica as habilidades e competências que diferentes atores precisam ter para
o uso adequado de tecnologias na educação, incluindo as habilidades dos professores, gestores e
técnicos, bem como, as capacitações que recebem para isso.

Conteúdos e Recursos Digitais - as polí�cas de tecnologias educacionais devem


contemplar aspectos relacionados à produção, ao acesso e ao uso de repertórios com conteúdos
digitais de qualidade.

O DIAGNÓSTICO DE 2018
A Secretaria de Estado da Educação de Santa Catarina realizou no segundo semestre de
2018, um segundo diagnós�co em sua rede de escolas estaduais sobre o uso de tecnologias
educacionais, a par�r de uma ferramenta desenvolvida pelo CIEB, o Guia Edutec. A avaliação
permi�u diagnos�car o nível de adoção de tecnologia na rede estadual de ensino, em cada
dimensão. Havia sempre 5 alterna�vas para cada pergunta, cada uma representando um grau de
adoção de tecnologia no quesito em questão; a média das respostas, em cada dimensão, permi�u
classificar as escolas em 4 diferentes níveis no que se refere à adoção de tecnologia (Emergente;
Básico; Intermediário e Avançado).
O resultado geral da adoção do uso de tecnologia em Santa Catarina, ob�do a par�r das
respostas de uma amostra representa�va de diretores e professores de escolas de Santa Catarina,
pode ser observado abaixo:

9
O Diagnós�co serviu de base para a elaboração de um Marco Opera�vo para o ano de 2018,
que desse o rumo das ações desenvolvidas nesse ano.

MARCO OPERATIVO PARA 2018


A par�r da atualização das estratégias e metas do PEITE/SC, do Plano Nacional de Educação
– PNE e do Plano Estadual de Educação – PEE/SC, foi traçado um novo marco opera�vo (Projeto
Territorial) para o ano de 2018, que pudesse ainda ser lido a par�r de um drive global, nesse caso os
Obje�vos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas, e ainda um marco Cons�tucional
claro, no caso os obje�vos da República Federa�va do Brasil expressos ao Ar�go 3º da nossa Carta
Magna.

10
O QUÊ? Garan�r educação de excelência com equidade

PARA Para todas as crianças e jovens em idade escolar de Santa Catarina


QUEM?

Para que o município possa contribuir de maneira efe�va para o alcance dos
PARA obje�vos da república estabelecidos no ar�go 3º da Cons�tuição Federal e para
QUE? os Obje�vos do Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas - ODS

Por meio de do desenvolvimento de ações educa�vas inovadoras, alinhadas a


COMO? BNCC e mediadas por tecnologias

Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS)

11
Objetivos Específicos do Marco Operativo 2018
Dimensão INFRA
Dimensão VISÃO Dimensão FORMAÇÃO Dimensão CONTEÚDO
ESTRUTURA
Transformar a educação Potencializar o processo de Iden�ficar, desenvolver, Garan�r a conec�vidade
catarinense em referência ensino e aprendizagem, a disponibilizar e compar�lhar (infraestrutura, parque
no desenvolvimento e na gestão escolar, a criação e o novas formas de ensino e tecnológico, velocidade
u�lização da tecnologia compar�lhamento do ferramentas educacionais, para de Internet) com
para a qualidade e conhecimento para melhorar a qualidade do qualidade e segurança da
equidade da educação, professores, equipe ensino e a interação entre informação para a
promovendo uma pedagógica, profissionais professores, alunos e comunidade escolar e
abordagem sistêmica de mul�plicadores (NTE e comunidade escolar, por meio gestores da educação
inovação educacional. coordenadores de educação de pesquisas em metodologias (priorizando situações de
permanente), técnicos e prá�cas inovadoras. vulnerabilidade), a fim de
administra�vos e alunos, fornecer novas
através de recursos digitais oportunidades de
integrados que estejam aprendizagem e gestão,
alinhados com a Proposta por meio de parcerias e
Curricular de Santa Catarina aumento nos
e a BNCC inves�mentos.
Criar metodologia de Fomentar o uso Criar rede de incen�vo à
avaliação do impacto das de plataformas que produção de metodologias
metodologias inovadoras atendam a formação de inovadoras e
no desenvolvimento de professores nas compar�lhamento das
competências dos diferentes Áreas do mesmas;
professores e no processo Conhecimento (ciências Implantar um de programa de
de ensino/aprendizagem. humanas, ciências da educação tecnológica que
natureza e matemá�ca e es�mule a capacidade de
linguagens) alinhado a BNCC criação, invenção e resolução
de problemas, desafios do
mundo real, a curiosidade
intelectual, desenvolvendo
competências como
autonomia, protagonismo,
cooperação, comunicação e
pensamento crí�co, e
envolvendo os alunos e
comunidade escolar em
processos relacionados a
cultura Maker, robó�ca,
pensamento computacional
e aprendizagem por meio de
projetos.

CONSTRUINDO A AGENDA DE
INOVAÇÃO NA EDUCAÇÃO
A par�r de todo o cenário de futuro traçado, das premissas do PEITE e do Marco Opera�vo
para 2018, avançamos numa Agenda robusta de Inovação na Educação de nosso Estado, de maneira
a “Transformar a educação catarinense em referência no desenvolvimento e na u�lização da
tecnologia para a qualidade e equidade da educação, promovendo uma abordagem sistêmica de
inovação educacional.”

12
Um primeiro e estruturante movimento foi aproximar a Secretaria de Estado da Educação do
ecossistema de Inovação do Estado, um dos mais vibrantes e dinâmicos do país. Fizemos a adesão da
SED/SC ao Pacto pela Inovação do Estado. A proposta do Pacto pela Inovação é ter um ecossistema
agindo de forma colabora�va por um estado mais inovador e empreendedor. O Pacto pela Inovação
se cons�tui como um conjunto de ações estratégicas definidas de forma alinhada entre as en�dades
do ecossistema, cada uma delas focando em seu próprio público-alvo, mas contribuindo para o
fortalecimento e solução das principais defasagens do ecossistema de empreendedorismo e
inovação. Ele representa, também, uma estratégia mais coerente com a nova realidade, onde o
papel do Estado deixa de ser o de mero financiador – muitas vezes de projetos pouco planejados e
pouco convergentes – para ser, antes de tudo, o de grande orquestrador da visão de futuro
almejada.

“A Complexidade dos dias atuais exige uma escola flexível, que se repense
constantemente. Espaços, tempos, papéis e relações de poder nos dias de hoje já não podem mais
corresponder as antigas demandas da sociedade industrial. Os novos tempos exigem agir na
urgência, em contextos cada vez mais originais. Inovar na escola é abrir-se para o dialogo, as
culturas não escolares e à criatividade sem abrir mão do rigor e da sistematização, buscando
significado das ações para todos os envolvidos.” Miguel Thompson - CEO do Instituto
Singularidades.

Ao mesmo tempo, lançamos mão de grandes inicia�vas estruturantes e ar�culadas ao


Marco Opera�vo 2018, de maneira a criar um novo processo horizontal e disrup�vo de formação,
sistema�zação e compar�lhamento de tecnologias e conhecimento:

a) a formação da Rede de Escolas Inovadoras;

b) a criação de um Painel da Educação, em parceria


com o CIASC, para amplificar o acesso e a
transparência aos dados e informações “Transformar a educação
da educação;
catarinense em referência no
c) a disponibilização de novas
plataformas online para acesso de
professores, gestores e estudantes. desenvolvimento e na utilização
Também demos con�nuidade
ao EfeX - Espaço de Formação e
Experimentação em Tecnologias
da tecnologia para a qualidade e
para Professores.
equidade da educação, promovendo

uma abordagem sistêmica de


13
inovação educacional.”
Agenda da Inovação na Educação

Formação de Rede de Escolas Inovadoras


A Diretoria de Tecnologias e Inovação criou a Rede de Escolas Inovadoras de Santa Catarina,
com o obje�vo de:
• apoiar as inicia�vas inovadoras apresentadas pelas diversas áreas da SED,
promovendo o assessoramento na elaboração de novos projetos;
• fomentar de maneira colabora�va o desenvolvimento de tecnologias educacionais,
prá�cas pedagógicas e de gestão inovadoras;
• incen�var o desenvolvimento, seleção, validação, cer�ficação e divulgação de
tecnologias educacionais inovadoras;
• apoiar técnica e operacionalmente projetos pedagógicos e gerenciais inovadores;
• desenvolver processos forma�vos inovadores de maneira horizontalizada e em
cocriação com escolas inovadoras;
• mapear, sistema�zar e disseminar inicia�vas inovadoras.

Aderiram à Rede de Escolas Inovadoras de Santa Catarina 204 escolas públicas da


educação básica das redes municipais e da rede estadual, que fizeram livre e espontânea adesão
(listagem em anexo). Integrou o processo de adesão o registro de um projeto inovador realizado
pela escola. O processo de adesão neste primeiro ano foi realizado pelo preenchimento de cadastro
online, contendo as informações cadastrais da escola, de seu diretor e de pelo menos um projeto
inovador realizado ou planejado para ocorrer nos próximos 12 meses.

14
A Diretoria de Tecnologias e Inovação da Secretaria Estadual de Educação assumiu a
responsabilidade pelo desenvolvimento das ações de apoio da Rede de Escolas Inovadoras de Santa
Catarina, em especial:
• realização de eventos presenciais e a distância para da troca de experiências;
• realização de processos forma�vos;
• desenvolvimento e disponibilização de plataformas online colabora�vas e
inovadoras para uso dos integrantes da rede;
• realização de provas de conceito e avaliação de tecnologias educacionais;
• apoio e acompanhamento técnico de projetos inovadores;
• validação de metodologias e prá�cas inovadoras;
• realização de Encontros Estaduais e Regionais para reflexão, troca de experiências,
cocriação, desenvolvimento e validação de tecnologias inovadoras;
• monitoramento e avaliação das propostas inovadoras.

A Diretoria de Tecnologias e Inovação da Secretaria Estadual de Educação também foi


responsável pela divulgação no site da comunidade de aprendizagem
h�ps://www.kwigoo.com/labinova/ da listagem atualizada das escolas integrantes da Rede
Estadual de Escolas Inovadoras de Santa Catarina.
A Rede de Escolas Inovadoras conta com o apoio da Organização dos Estados
Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI). A OEI é um organismo internacional
de caráter governamental para a cooperação entre os países ibero-americanos no campo da
educação, da ciência, da tecnologia e da cultura no contexto do desenvolvimento integral, da
democracia e da integração regional.

Painel da Educação
Transparência das ações de governo e par�cipação social a�va são importantes instrumen-
tos para a promoção da eficiência da gestão pública e do combate à corrupção. Uma polí�ca que
incen�ve a disponibilização de dados abertos possui potenciais diversos, como a melhoria da gestão
pública, o provimento da transparência, o es�mulo ao controle e par�cipação social, a geração de
emprego e renda e o fomento à inovação tecnológica. Nesse contexto, verifica-se que há grande
volume de dados públicos de interesse cole�vo ou geral passíveis de serem abertos, bem como
novas tecnologias surgem rapidamente como ferramentas para coleta, armazenamento e processa-
mento de dados em grandes volumes, velocidade e variedade com potencial de geração de conheci-
mento e insumos para a tomada de decisão com obje�vos estratégicos.
Obje�vando aumentar a transparência, foi desenhado a disponibilização de um Painel da Educação
em conjunto com o CIASC.
Este painel pretende apoiar a transformação de informações e dados em inteligência, que
possibilite suportar as melhores decisões no campo das polí�cas educacionais. Vivemos num
mundo em que a transparência está no centro da agenda do Estado contemporâneo. A sociedade
da era da informação exige que os governos demonstrem o atendimento às necessidades básicas
dos cidadãos cuja responsabilidade lhes foram delegadas. Poder acompanhar o desembolso
financeiro dos governos ou avaliar a qualidade da educação pública já não são possibilidades
distantes, mas anseios legí�mos e realizáveis.

15
A publicação dos dados governamentais permite que a sociedade possa avaliar as ações e
decisões de governo. Dessa forma, os cidadãos assumem o papel de agente de transformação social
por meio do acompanhamento e da fiscalização do desempenho do governo. Além de obter a
colaboração do cidadão na operação do Estado, o agente público que disponibiliza dados abertos e
conclama a sociedade civil a par�cipar da gestão, destaca-se como governante inovador e
sintonizado com os anseios da sociedade. Assim, organizações, cidadãos, acadêmicos e até mesmo
ins�tuições públicas têm a possibilidade de u�lizar bases de dados públicos para a produção e o
compar�lhamento de novos conhecimentos e de novos serviços, numa concepção de
copar�cipação entre ente privado e governo na oferta de serviços públicos à sociedade.

Catálogo de Plataformas Inovadoras


Em 2018 foi dado
centralidade na disponibilização de
plataformas online para o
- Gestão na Escola - Educação Integral
desenvolvimento de habilidades
- Escolas Conectadas - e-Proinfo
em 4 grandes eixos: formação
- Escola Digital - Kwigoo
profissionalizante, gestão, STEM e
- Sala Web - Moodle
aprendizagens. Essas Plataformas
- Kwigoo - Matific
foram apresentadas no Catálogo
- Geekie
de Plataformas Inovadoras. Houve GESTÃO APRENDIZAGEM
- Ava
grande esforço para ar�culação de
arranjos e parcerias com startups e
organizações da sociedade civil.
Apresentamos a seguir breve
descri�vo das ações e inicia�vas MUNDO DO
realizadas em 2018, indicando TRABALHO STEM
- Kuau
ainda a que meta específica dos - Cisco
- Cisco
ODS está alinhada. -Oracle
- Oracle -Matific
- Kwigoo - Code Iot
- Educação Livre

16
Implantar um de programa de educação
tecnológica que estimule a capacidade de criação,
invenção e resolução de problemas, desafios do
mundo real, a curiosidade intelectual,
desenvolvendo competências como autonomia,
protagonismo, cooperação, comunicação e
pensamento crítico, e envolvendo os alunos e
comunidade escolar em processos relacionados
a cultura Maker, robótica, pensamento
FORMAÇÃO
computacional e aprendizagem PROFISSIONALIZANTE
por meio de projetos. A formação profissionalizante é um dos
(Marco Operativo 2018) eixos essenciais ao processo de aproximação
de nossa rede as demandas do século XXI.

A maioria dos jovens brasileiros não alcança o aprendizado que precisa no ensino médio
para enfrentar o futuro. No Brasil, de cada dez jovens com 15 a 17 anos, apenas cinco está no ensino
médio, e desses cinco, apenas 1 sabe o necessário em leitura e matemá�ca.
São milhões de jovens que a cada ano que passa estão perdendo oportunidades por não
desenvolver habilidades essenciais para contribuir na transformação do Brasil na nação que tem o
tamanho dos nossos sonhos. Várias razões concorrem para esse quadro, desde razões econômicas,
passando pelas culturais e as educacionais. Até os dias de hoje, gerenciamos e registramos a
experiência de passagem pelo ensino médio como uma série de cursos e notas.
É assim, com poucas mudanças, desde a primeira revolução industrial. É um registro de
tempo e a�vidades, um registro de esforço e memorização eu diria, que claramente não é nem
eficaz nem efe�vo como medida de desenvolvimento das habilidades que deveriam ser alcançadas
nesse processo. Nosso ensino médio não consegue capturar experiências ou produtos de trabalho
que forneçam evidências de crescimento e realização de nossos jovens. E quando observamos os
desafios colocados para o futuro do trabalho o quadro fica desesperador. É preciso ser inovador e
disrup�vo para recuperar o tempo perdido e incorporar todos os bene�cios que as tecnologias e os
avanços da indústria 4.0 nos proporciona para desenvolver novas maneiras de expressar
expecta�vas, promover um aprendizado poderoso e ajudar os jovens a compar�lhar suas
capacidades. Essas tecnologias, inclusive podem ser u�lizadas para incorporar e desenvolver
habilidades e competências para toda a população economicamente a�va do Brasil, alinhando ao
mais moderno conceito de aprendizagem ao longo da vida. Por isso ganha centralidade e relevo a
formação profissionalizante.

17
Ações e Iniciativas
• Parceria Cisco - https://www.netacad.com/pt-br
Cisco Networking Academy - Desde 1997, a Cisco Networking Academy tem trabalhado com
um único obje�vo: promover as competências técnicas e empreendedoras de que as pessoas, os
educadores e as empresas precisam para mudar o mundo para melhor.

Cursos Cisco ODS Cisco


- Get Connected
- Introdução a IoT
- Introduction a Cybersegurança

• Parceria Oracle - https://academy.oracle.com/pt-br/


O Oracle Academy avança a educação em ciências da computação globalmente para
impulsionar o conhecimento, a inovação, o desenvolvimento de habilidades e a diversidade nos
campos da tecnologia.

Cursos Oracle ODS Oracle


- Getting Started with Java Using Alice
- Java Fundamentals
- Creating Java Programs with Greenfoot

• Parceria Kwigoo - www.kwigoo.com/labinova

A Kwigoo é uma rede social do conhecimento, e a parceria tem o obje�vo de buscar a


melhoria da qualidade da educação de estudantes da rede estadual de ensino e o aperfeiçoamento
profissional de professores e gestores educacionais. Assim, busca-se desenvolver programas e
projetos de comunidades de aprendizagem e colaboração para gestores, professores e alunos
através da criação de comunidades de aprendizagem colabora�va dentro da rede social de
aprendizagem.

Cursos Kwigoo ODS Kwigoo


-Educação para os ODS
- Ferramentas de Gestão Escolar
- Criação de Planos d e Aula para a Educação

18
Redes de Aprendizagem Colaborativa-
Impulsionando a Educação 4.0
Redes de aprendizagem colabora�vas são instrumentos valiosos para a construção solidária de saberes,
formadas por um conjunto de pessoas em interação, animadas de um comprome�mento mútuo, de um
sen�mento de pertencimento e iden�dade. Foi demonstrado que alunos e professores desenvolvem nessas
redes habilidades crí�cas para o sucesso na sociedade 4.0, tais como domínio das linguagens audiovisuais,
conhecimento de tecnologias digitais, colaboração em equipe, pensamento crí�co e cria�vidade. A parceria da
SED com a Kwigoo buscou trabalhar a formação de Redes de Aprendizagem Colabora�va para 3 eixos:
professores, gestores e estudantes. Ao todo, entre processos de mul�plicação, formação e ações educa�vas,
foram envolvidos mais de 500 professores, 200 gestores e 5 mil estudantes até o momento.

Redes Colaborativas para o desenvolvimento do Professor 4.0. As redes colabora�vas de professores atendem
aos 4 pilares da formação con�nuada: formação, especialização, atualização e troca de experiências.
Implementamos a Rede Kwigoo/Educadores com conteúdos e cursos voltados a desenvolver as habilidades e
competências dos professores em metodologias a�vas de aprendizagem, que atendem as demandas dos alunos
por aulas com maior significado e par�cipação. Estão sendo implementadas também Redes Colabora�vas
específicas para o TPC- Trabalho Pedagógico Colabora�vo, cujo o foco é a troca de experiências no planejamento
de aulas e métodos de avaliação, atendendo a necessidade de adequação do currículo do estado à BNCC. A
experencia internacional e diversos estudos mostram que a adequação de forma rápida e democrá�ca
envolvendo um enorme con�ngente de professores só é possível através do trabalho colabora�vo auxiliado por
redes digitais como a Kwigoo.

Redes Colaborativas para Alunos- Criando a ponte entre educação e o mercado de trabalho. O desenvolvimento
da competência 6 da BNCC- Trabalho e Projeto de Vida implica em possibilitar aos alunos a compreensão do
mundo do trabalho e seus impactos na sociedade, as novas tendências e profissões, bem como preparar-se para
os trabalhos do futuro iden�ficando as próprias ap�dões e aspirações, associando-as a possíveis percursos
acadêmicos e projetos profissionais e de vida. Uma das ações para o desenvolvimento dessa competência será
possibilitar aos alunos do ensino médio a par�cipação na rede colabora�va Ligados no Futuro, desenvolvida pela
Kwigoo, que permi�rá aos alunos acesso a conteúdos sobre profissões do futuro, inovação e empreendedorismo,
bem como a aproximação com o mundo do trabalho e desenvolvimento de habilidades através da par�cipação
em desafios propostos por empresas e universidades e apoiados por uma rede de mentores.
Tais desafios poderão ser realizados de maneira voluntária pelos alunos ou integrados aos projetos pedagógicos
das escolas. Esta ação atende um anseio dos alunos por prá�cas que contribuam por um melhor aprendizado,
expresso na pesquisa O Olhar dos Jovens sobre a Educação Catarinense (p.29):
• Aprender desenvolvendo projetos que envolvam a�vidades prá�cas com foco na resolução de
problemas.
• Aprender usando tecnologia.
• Aprender interagindo com a comunidade dentro e fora da escola.
As habilidades e competências aprendidas nos desafios irão para um por�ólio na Rede kwigoo,
disponibilizado com tecnologia blockchain, e ficarão disponíveis globalmente para empresas e universidades
visualizarem o oferecerem bolsas e empregos.
Redes Colaborativas para Gestores Educacionais- Inovação em prá�cas de gestão por meio do
Laboratório de Prá�cas Inovadoras em Gestão Edcacional (Labinova), proporciona a troca de experiências e
capacitação em habilidades e competências de gestão inovadora, buscando transformar o gestor ( mantém os
processos) em líder de inovação ( muda os processos para a�ngir resultados extraordinários). A rede Labinova
também apoia a sistema�zação e disseminação de boas prá�cas.

19
• Parceria AVA - http://www.ava.sed.sc.gov.br/
Os Ambientes Virtuais de Aprendizagem são ambientes que auxiliam na montagem de
cursos acessíveis livres ou acadêmicos pela Internet. Elaborado para ajudar os professores e tutores
no gerenciamento de conteúdos para seus alunos e na administração do curso, permite
acompanhar constantemente o progresso dos estudantes. O AVA é u�lizado na EAD (Educação a
Distância) e também na complementação de aulas presenciais.

Cursos AVA ODS AVA


-Oficina lousa digital e suas funcionalidades
-Tecnologias Educacionais

• Parceria Kuau - www.kuau.com.br


O KUAU é uma plataforma digital com o propósito inspirar uma nova geração de estudantes
a encontrar sua vocação e ser feliz em sua jornada profissional.

Cursos Kuau ODS Kuau

- Orientação Vocacional Direcionada

• Parceria Educação Livre - www.edulivre.org.br


A proposta da plataforma é es�mular a produção e o compar�lhamento de conteúdo sobre
as principais competências para o século XXI, e disseminar esses conteúdos entre os jovens, de
modo que eles possam almejar um futuro melhor. Um ambiente colabora�vo de aprendizagem que
oferece acesso a oportunidades de trabalho, conecta jovens, voluntários, empresas e en�dades do
terceiro setor em torno do desenvolvimento de habilidades essenciais para o crescimento pessoal
e profissional. Desenvolve as principais competências para o mundo do trabalho através de
conteúdos diversificados, prá�cos e cria�vos. É desenvolvida pelo SESI e tem o apoio do BID e da
UNESCO.

Cursos Educação Livre ODS Educação Livre


-Desenvolvimento Pessoal
- Resolução de Problemas
- Inteligência Emocional

20
“A baixa qualidade da gestão

educacional precisa ser


GESTÃO entendida, enfrentada
A gestão de qualidade é algo intrínseco ao
processo de melhoria da qualidade da educação. A qualidade da e superada.”
gestão se cons�tui em processo conhecido como facilitador do trabalho
pedagógico e da melhoria da qualidade da educação. Uma gestão de
qualidade, seja na escola, seja nas secretarias de educação, precisa ter foco
no propósito, e o propósito é a busca permanente pela garan�a do acesso, e do
aprendizado na trajetória adequada, dentro dos princípios estabelecidos
cons�tucionalmente. É preciso definir diferentes métricas que permitam à sociedade civil, aos
gestores e professores acompanhar e par�cipar a�vamente do processo e assim enfrentar o
desafio da melhoria a qualidade da gestão nas escolas e redes de ensino.

Quando se avança em algumas das responsabilidades do diretor, se observa que


importantes questões podem não ter atenção adequada do gestor e comprometer a garan�a do
acesso e da qualidade do aprendizado. Dados do SAEB/Prova Brasil de 2011, por exemplo,
revelaram que apenas 41% dos diretores de escolas públicas promoveram alguma a�vidade de
formação con�nuada em sua escola nos úl�mos 12 meses, e que em 57% das escolas públicas não
há qualquer programa de redução de taxas de abandono. Tais dados reforçam a importância de se
estabelecer referenciais de qualidade acerca do trabalho do gestor escolar, assim como fortalecer
polí�cas que garantam uma formação adequada dos diretores escolares.
Uma habilidade central no trabalho do gestor escolar é a liderança. A pesquisa TALIS 2013
apresentou informe especial sobre a questão da liderança no ambiente escolar. De acordo com a
Pesquisa, diretores de escola frequentemente se envolvem em uma série de a�vidades que exigem
liderança. Dependendo do país, entre as a�vidades mais citadas, está a garan�a de que o professor
assuma sua responsabilidade pela melhora de habilidades de ensino e dos resultados de
aprendizagem de seus alunos. Incluem também trabalhar com os professores para melhorar a
disciplina em sala de aula, dar informações aos pais sobre o desempenho dos alunos, funções
administra�vas e resolução de conflitos no ambiente escolar. A amplitude destas a�vidades mostra
que os diretores precisam de uma preparação suficiente e formação con�nua para ser capaz de
trabalhar de forma eficaz. No entanto, muitos desses diretores relatam que a sua formação, quando
existente, não inclui qualquer treinamento sobre liderança.
A baixa qualidade da gestão educacional precisa ser entendida, enfrentada e superada.
Nesse contexto os processos de gestão ganham importância na garan�a do direito a educação de
qualidade com equidade.

A educação no século 21 exige inovação com equidade para garantir a aprendizagem. O


impacto redistributivo do conhecimento é imensurável. Thiago Thobias, CEO da Kwigoo Education,
ganhador do Prêmio Jovens Talentos da Gol

21
Ações e Iniciativas
• Gestão na Escola - https://www.gestaonaescola.com
Plataforma que explora como funciona a gestão escolar, os temas, desafios de gestão e os
níveis das prá�cas de gestão definidos. O portal Gestão na Escola oferece acesso livre aos membros
para consulta de boas prá�cas de gestão. Oferece ainda auto avaliação para visualizar os seus
principais desafios com clareza e receber sugestões de solução. Ao responder o ques�onário de
autoavaliação, obtenha um panorama da sua escola. O resultado mostra o índice do seu
desempenho nos temas selecionados e aponta boas prá�cas que mais estão aderentes à sua
realidade.

Ações Gestão na Escola ODS Cisco


- Autoavaliação da Gestão Escolar
- Boas práticas de Gestão Escolar

Parcerias e Arranjos Institucionais


Ao longo de 2018 várias agendas foram realizadas com o obje�vo de fortalecer a
capacidade de entrega da Diretoria. Entre as agendas, que desdobraram parcerias e novos arranjos,
destacam-se:
ACAFE, UniFEBE, Unisul, UFSC, SENAI, FIESC, CIASC, UNESCO, OEI, Google, Secretarias Municipais
de Educação, Microso�, Fundação Telefônica, Ins�tuto Ayrton Senna, Ins�tuto Posi�vo, FECAM,
Undime, entre outras.

• Parceria Google
A parceria com a Google for Educa�on foi uma ação da Secretaria de Estado de Educação
com a Qi Network, representante das inicia�vas educacionais da empresa Google em Santa
Catarina. Por meio dessa parceria, é garan�do que as escolas da rede pública estadual recebam
gratuitamente as ferramentas digitais educacionais do Google. Dentre essas ferramentas estão: as
contas Gmail Educacional, o Google Classroom, o Google Drive e o Google Hangout, entre outras.
As formas de interação com os estudantes e a organização de a�vidades com eles também
se tornam mais simples. Para auxiliar os professores da rede estadual a explorar todo o potencial
desses recursos, a Secretaria realizou ao longo de 2018 formações para orientar os profissionais na
u�lização dessas ferramentas e em prá�cas pedagógicas baseadas no Ensino Híbrido – forma de
ensino por meio de ferramentas tecnológicas.

22
• Parceria Fundação Telefônica
A parceria com a Fundação Telefônica permi�u a realização com duas oficinas de formação
com professores e gestores, assim como a realização de um curso online para 100 professores e
gestores.

• Parceria Inep
A Parceria com o Inep permi�u a realização de duas oficinas de audiovisual (Florianópolis e
Blumenau) com os pesquisadores do Inep Estevon Nagumo de Gustavo Amora, para cerca de 80
mul�plicadores.

• Parceria Instituto Ayrton Senna


A Parceria com o Ins�tuto Ayrton Senna permi�u a realização de Avaliação Experimental do
EMITI na segunda quinzena de novembro, além de viabilizar um curso de imersão em avaliação de
impacto e uma oficina sobre o diagnós�co de Santa Catarina.

• Parceria CELESC
A parceria com a CELESC viabilizou 6 laboratórios de eficiência energé�ca nos CEDUP’s .Os
recursos provenientes do Programa de Eficiência Energé�ca das Distribuidoras de Energia Elétrica
tem por finalidade a formação profissional nessa a�vidade por meio da implantação de
Laboratórios de Eficiência Energé�ca, com a formação con�nuada dos professores e inserção do
tema por meio de capacitações aos estudantes na grade curricular nos diversos cursos e i�nerários
regulares do ensino técnico profissionalizante do Centro de Educação Profissional.

• Parceria FIESC - Rotary


O projeto do Movimento Santa Catarina pela Educação em parceria com o Rotary
Internacional Distrito 4651, Secretaria do Estado da Educação e Secretarias Municipais de
Educação,FIESC, SENAI/SC,SESI/SC, E IEL/SC busca por meio da informa�zação de 11 escolas
parceiras de Movimento, contribuir para a elevação de indicadores relacionados ao aprendizado
adequado.
Foram beneficiados: 6 escolas estaduais, 5 escolas municipais, 6.835 Alunos e 500
Professores, com um inves�mento de US$ 132,380.00.

• Parceria Educação Conectada


Programa de Inovação proposta pelo Ministério da Educação para acelerar a incorporação de
tecnologia nas escolas públicas brasileiras por meio de uma oferta balanceada de conexão à
internet, conteúdos educacionais digitais e formação de professores. Tem como obje�vo apoiar a
universalização do acesso à internet em alta velocidade e fomentar o uso pedagógico de tecnologias
digitais na Educação Básica, em consonância com a estratégia 7.15 do Plano Nacional de Educação,
aprovado pela Lei nº 13.005, de 25 de junho de 2014.

23
• Parceria Unesco
A Parceria com a Unesco permi�u a realização de duas a�vidades: a apresentação da
Plataforma Educa Livre e uma Apresentação sobre as interfacess existentes entre a BNCC e os ODS.

• Parceria OEI
A Parceria com a OEI permi�u que a OEI par�cipasse do Conselho de Governança da Rede
de Escolas Inovadoras.

24
STEM
O STEM educa�on (Science, Technology, Engineering, and Mathema�cs) apareceu, com
essa denominação, recentemente no Brasil, embora a ideia exista há algumas décadas. Além de
recente, ocorre de uma maneira peculiar. Muitas vezes é apresentado como uma metodologia de
ensino embasada em um currículo inovador, como uma forma de se ensinar algo nas escolas sem
usar o temido modelo tradicional. Entretanto, STEM educa�on (ou educação STEM, em português)
não é exatamente uma metodologia, mas sim um movimento, resultado de uma transformação
maior que muitos sistemas educacionais vêm passando globalmente. Muito além do que apenas
uma forma de reunir as quatro áreas (Ciência, Tecnologia, Engenharia e Matemá�ca) em um único
termo, STEM educa�on foi rapidamente se tornando popular por trazer consigo caracterís�cas de
uma época marcada pela revolução tecnológica.

“Nossa parceria permitiu conhecer ferramentas e tecnologias inovadoras. Com isso pudemos
traçar metas e oportunizar aos nossos alunos um ensino global e conectado com o século XXI.”
Suseli Baptista, Secretária de Educação de Penha

Ações e Iniciativas
• Matific – https://www.matific.com/bra/pt-br/home/
O Ma�fic tem uma abordagem única para o ensino de matemá�ca da Educação Infan�l ao 6º ano
usando minijogos intera�vos e a�vidades prá�cas, chamados de episódios.
Esses pequenos aplica�vos imersivos para tablets e computadores pessoais
são baseados em um sistema de aprendizado espiral modular
e progressivo. Tem por�ólio extenso, com centenas de a�vidades
e planilhas, inteiramente conduzido pelo currículo. As
a�vidades e planilhas foram desenvolvidas para facilitar
o mapeamento de livros didá�cos populares e
“É preciso reconhecer que o que você
o currículo padrão de matemá�ca.
faz em matemática, engenharia e ciência
tem um propósito; que há enormes desafios ODS Matific
que temos que resolver para garantir energia
limpa, para preservar nosso ambiente, e tratar
doenças incapacitantes como o mal de
Parkinson ou a doença de Alzheimer. E quando
damos aos alunos a inspiração, e a
matemática, a ciência , a tecnologia e a
engenharia são inerentemente interessantes, e
apresentamos os problemas reais a serem
resolvidos, vemos que os jovens enfrentam o
25
desafio.”(Barack Obama)”
• Cisco - https://www.netacad.com/pt-br
Cisco Networking Academy - Desde 1997, a Cisco Networking Academy tem trabalhado com
um único obje�vo: promover as competências técnicas e empreendedoras de que as pessoas, os
educadores e as empresas precisam para mudar o mundo para melhor.

Cursos Cisco ODS Cisco


- Get Connected
- Introdução a IoT
- Introduction a Cybersegurança

• Oracle - https://academy.oracle.com/pt-br/
O Oracle Academy avança a educação em ciências da computação globalmente para
impulsionar o conhecimento, a inovação, o desenvolvimento de habilidades e a diversidade nos
campos da tecnologia.

Cursos Oracle ODS Oracle


- Getting Started with Java Using Alice
- Java Fundamentals
- Creating Java Programs with Greenfoot

• Code Iot - www.codeiot.org.br


O Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC), gestor da plataforma CodeioT,
é uma ins�tuição de desenvolvimento tecnológico, com linhas de ação reconhecida nacional e
internacionalmente, tornando-o um centro de referência mundial dedicado ao desenvolvimento e
inovação em tecnologias avançadas. Dirigido por professores da Universidade de São Paulo e com
projetos em parceria com o Laboratório de Sistemas Integráveis da Escola Politécnica da USP, o
LSI-TEC conta com uma equipe altamente qualificada e mul�disciplinar. Suas a�vidades são
baseadas em três princípios: excelência, inovação e empreendedorismo.

Cursos CodeIoT ODS CodeIoT


- Introdução à Internet das Coisas
- Aprendendo a Programar
- Aplicativos para dispositivos móveis

26
Identificar, desenvolver, disponibilizar e
compartilhar novas formas de ensino e
ferramentas educacionais, para melhorar
a qualidade do ensino e a interação entre
professores, alunos e comunidade
escolar, por meio de pesquisas em
APRENDIZAGENS
O termo “competências para o século 21” se refere a um
metodologias e práticas conjunto de conhecimentos, habilidades, a�tudes e
competências, que preparam os alunos para a vida acadêmica,
inovadoras.(Marco Operativo 2018) profissional, pessoal e em comunidade. Muitas vezes, o termo é
subs�tuído por sinônimos como competências não-cogni�vas,
habilidades interdisciplinares, transversais ou socioemocionais.
Essas capacidades transcendem as expecta�vas de aprendizado
relacionadas a conteúdos acadêmicos e podem estar presentes nas
ro�nas de todas as disciplinas escolares.

Não há apenas uma definição, no entanto, de que elementos compõe esse conjunto
de competências. Uma das abordagens mais comuns é a dos 4Cs (abreviação em inglês):
comunicação, colaboração, cria�vidade e pensamento crí�co. Já a OCDE (Organização para a
Cooperação e Desenvolvimento Econômico) adota uma concepção de competências
socioemocionais que envolve as capacidades de a�ngir obje�vos (perseverança, autocontrole,
entusiasmo para a�ngir obje�vos), trabalhar com os outros (cordialidade, respeito, cuidado) e gerir
emoções (calma, o�mismo e confiança). Abaixo as plataformas, ações e inicia�vas realizadas para
incen�var o desenvolvimento de aprendizagens voltadas ao século XXI.

"Aproximar a cultura e o esporte da educação é essencial para desenvolver as habilidades do


século XXI, agregando valor e potencializando a capacidade do nosso Estado em gerar e emprego
e renda de maneira sustentável!" Tufi Michreff Neto, Secretário de Estado do Turismo, Cultura e
Esporte

Ações e Iniciativas
• Moodle
O Moodle é uma plataforma u�lizada para o aprendizado combinado, educação à distância, sala de
aula inver�da e outros projetos de e-learning. Permite a criação de cursos online, páginas de
disciplinas, grupos de trabalho e comunidades de aprendizagem

ODS Moodle

27
• Sala Web - AVA
Com o obje�vo de promover novas prá�cas pedagógicas no ensino catarinense, a
Secretaria de Estado da Educação firmou,em 2015,parceria com os grupos Ins�tuto Natura,
Fundação Telefônica e Inspirare,proporcionando acesso gratuito dos serviços do portal Escola
Digital. A par�r disso,foi criada a plataforma SALA WEB, uma versão customizada do Escola Digital
para atender especificamente as necessidades da rede de Santa Catarina. Atualmente, o portal
oferece gratuitamente mais de 3 mil conteúdos digitais conhecidos como Objetos Digitais de
Aprendizagem (ODAs), com diferentes recursos como vídeos, games, animações, videoaulas,
infográficos e mapas para auxiliar alunos e professores no conteúdo ministrado em sala de aula.

ODS Sala Web

• Escolas Conectadas - www.escolasconectadas.org.br


O projeto Escolas Conectadas é uma inicia�va da Fundação Telefônica Vivo que oferece
cursos online de formação con�nuada, totalmente gratuitos, para professores da educação básica.
O projeto promove a inserção dos educadores na cultura digital e es�mula o desenvolvimento de
competências do século XXI nos alunos , por meio da prá�ca de metodologias inovadoras de ensino.

Cursos Escolas Conectadas ODS Escolas Conectadas


- Inova Escola: Gestão inovadora
- Inova Escola: Papel do professor
- Avaliação: para que e como avaliar

• Code Iot - www.codeiot.org.br


O Laboratório de Sistemas Integráveis Tecnológico (LSI-TEC), gestor da plataforma CodeioT,
é uma ins�tuição de desenvolvimento tecnológico, com linhas de ação reconhecida nacional e
internacionalmente, tornando-o um centro de referência mundial dedicado ao desenvolvimento e
inovação em tecnologias avançadas. Dirigido por professores da Universidade de São Paulo e com
projetos em parceria com o Laboratório de Sistemas Integráveis da Escola Politécnica da USP, o
LSI-TEC conta com uma equipe altamente qualificada e mul�disciplinar. Suas a�vidades são
baseadas em três princípios: excelência, inovação e empreendedorismo.

Cursos CodeIoT ODS CodeIoT


- Introdução à Internet das Coisas
- Aprendendo a Programar
- Aplicativos para dispositivos móveis

28
• Geekie Games - https://geekiegames.geekie.com.br
Plataforma com a proposta de aumentar sua nota no Enem com um plano de estudos
gamificada. A par�r de avaliação online, iden�fica pontos fracos e fortes e traça um roteiro de
estudos para o�mizar seu aproveitamento no Enem. São mais de 400 videoaulas disponíveis.

Cursos Geekie ODS Geekie


- Preparatório para o Enem

• Movimento SC pela Educação -


http://www.santacatarinapelaeducacao.com.br
A Série Educação Integral para o século 21, desenvolvida e ofertada pelo Ins�tuto Ayrton Senna em
parceria com a Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC) e Federação do
Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Santa Catarina (Fecomércio-SC), no âmbito do
Movimento Santa Catarina pela Educação, é composta por três cursos online que somam 140 horas
de estudo:

Cursos Sc Pela Educação


-Educação Integral - Contexto, princípios e propósitos da Educação Integral e a
atuação do Professor (50h)
https://www.sc.senai.br/siteinstitucional/curso/serie-educacao-integral-para-o-seculo-21-
curso-educacao-integral/15776/46524
-Leitura e produção textual na perspectiva dos Multiletramentos (40h)
https://www.sc.senai.br/siteinstitucional/curso/serie-educacao-integral-para-o-seculo-21-
curso-leitura-e-producao-textual-na-perspectiva-dos-multiletramentos/15777/46870
-Projetos na escola, aprendizagem para a vida (50h)
https://www.sc.senai.br/siteinstitucional/curso/serie-educacao-integral-para-o-seculo-21-
curso-projetos-na-escola-aprendizagem-para-a-vida/15923/47147

ODS SC Pela Educação

29
• Rede Escola Digital - https://rede.escoladigital.org.br/ead_rede
Cursos a distância para professores e gestores. O obje�vo do curso é propiciar a reflexão
sobre tecnologia e educação, bem como auxiliar coordenadores pedagógicos e diretores a dar
suporte a seus professores a incorporar recursos digitais na aprendizagem e infraestrutura da
escola.

Cursos Rede Escola Digital ODS Escola Digital


-Educação para os ODS
- Ferramentas de Gestão Escolar
- Criação de Planos d e Aula para a Educação

30
EfeX - Espaço de Formação e Experimentação em
Tecnologias para Professores
A Secretaria de Estado de Educação de Santa Catarina (SED/SC) tem buscado nos úl�mos anos melhorar
a educação através da adoção de soluções tecnológicas nas escolas da rede estadual. Com o intuito de a�ngir esse
obje�vo, a SED/DITI/GETED firmou uma parceria com o Centro de Inovação para Educação Brasileira (CIEB) e a
Fundação Universidade Regional de Blumenau (FURB), para que se estabelecesse a implementação de um
espaço, onde os professores da rede pública de ensino, �vessem a possibilidade de aprender, aperfeiçoar e
fossem capazes de vivenciar novas metodologias de ensino para suas a�vidades em sala de aula. Essa parceria
trouxe a ideia de um modelo de espaço, onde as metodologias inovadoras fossem capazes de desenvolver nos
professores, uma série de competências específicas, entre as quais, incorporar tecnologia às experiências de
aprendizagem, selecionando e criando recursos digitais, promover o uso responsável da tecnologia, usar a
tecnologia para promover e par�cipar em comunidades de aprendizagem. O espaço não lembra uma sala de aula
convencional, justamente porque propõe uma formação pautada em inovação, permite a colaboração e es�mula
o contato entre pares. O mobiliário é flexível e cole�vo permi�ndo variadas configurações.
A sala está organizada em blocos/setores e cada um permite uma experiência com diversas tecnologias,
como: múl�plas telas/disposi�vos, robó�ca e eletrônica, super�cies para escrita, áudio e vídeo, ferramentas de
espaço maker. Sabendo que a formação docente é um processo con�nuo, que deve atender às exigências do atual
contexto educacional, o EfeX propõe formações baseadas em metodologias a�vas e no uso de tecnologias,
promovendo o aprendizado por meio da experimentação. O CIEB desenvolveu 10 módulos com temá�cas para
às formações, chamadas “Diretrizes de Formação de Professores para o Uso de Tecnologias”, que abrangem as
seguintes temá�cas: ensino híbrido, cultura maker, gamificação, curadoria na cultura digital, aprendizagem
colabora�va, avaliação e tecnologias digitais, educomunicação, programação e robó�ca, plataformas adapta�vas,
aprendizagem baseada em projetos. Desde o início do ano le�vo em 2018, já aconteceram dois Cursos de
Formação Con�nuada: Gamificação e Ensino Híbrido. Atualmente, estão acontecendo os cursos de Gamificação -
Arte e Música do Folclore Catarinense e o de Ensino Híbrido, com mais 50 professores em formação. Está
previsto para o mês de agosto os cursos de Educomunicação, Programação e Robó�ca, Gamificação, Ensino
Híbrido e Introdução a Metodologias A�vas. Os Cursos de Formação são des�nados aos professores, gestores e
demais profissionais da rede pública de ensino (estadual e municipal) e já atenderam cerca de 140 docentes.
Formação Con�nuada - Em 2018 a equipe dos NTE realizou 148 processos de formação con�nuada e
ações educa�vas em 50 municípios do Estado, para um total de 5.239 par�cipantes, conforme quadro na página
seguinte.

31
Total de
Municípios
Participantes
Águas de Chapecó 16
Arabutã 15
Araranguá 161
Barra Velha 17
Blumenau 19
Bom Re�ro 10
Braço do Norte 63
Brusque 69
Caçador 73
Caibi 7
Campos Novos 297
Canoinhas 188
Concórdia 141
Correia Pinto 56
Criciúma 240
Grão Pará 37
Guaraciaba 50
Ibirama 67
Iporã do Oeste 30
Itajaí 47
Itapiranga 559
Jaraguá do Sul 59
Joinville 205
Lages 928
Laguna 75
Mondai 14
Palmitos 76
Quilombo 106
Rio do Sul 20
Riqueza 15
São Bento do Sul 210
São Carlos
São João do Oeste
São Joaquim
São Ludgero
São Mar�nho
São Miguel do Oeste
Seara
Taió
Tubarão
Videira
EAD
Chapecó
Cordilheira Alta
Rio do Campo
Santa Terezinha
Salete
Joaçaba
Xanxerê
Total geral

32
“Garantir a conectividade (infraestrutura,
parque tecnológico, velocidade de
Internet) com qualidade e segurança da
informação para a comunidade escolar e
gestores da educação (priorizando FORTALECENDO
situações de vulnerabilidade), a fim de
fornecer novas oportunidades de
A AGENDA E A
aprendizagem e gestão, por meio de GOVERNANÇA
parcerias e aumento nos
investimentos”. DE TECNOLOGIA
(Marco Operativo 2018)

A Tecnologia tem potencial para produzir resultados exponenciais e fazer da educação um


vetor de desenvolvimento. Para que programas e projetos de tecnologia educacional possam
efe�vamente impactar na Educação, é imprescindível que esta avance nos seguintes aspectos:
• na contemporaneidade: crianças e jovens nascem na já instaurada Cultura Digital, que
além de permeada por tecnologia, valoriza o protagonismo e a par�cipação a�va dos aprendentes
no processo de aprendizagem;
• na equidade: prevê que a tecnologia potencializa uma educação de qualidade para todos,
que possa ser oferecida em qualquer região, superando barreiras sociais e geográficas e que alunos
tenham acesso a materiais e recursos educacionais de qualidade, de acordo com a sua realidade;
• a qualidade: visando o aumento da qualidade da Educação, as tecnologias podem facilitar
a customização da experiência de aprendizagem, com avaliações forma�vas que possibilitam a
mediação imediata e de forma efe�va;
• a gestão: uma vez que esta é essencial para promover ganhos de eficiência para o�mizar
recursos alocados para educação, com a formação de banco de dados que geram informações
importantes para tomada de decisões.
A seguir apresentamos as principais ações realizadas em 2018 para fortalecer a agenda de
Tecnologia.

Para que nossas escolas e sistemas de ensino sejam capazes de superar o histórico de
desigualdades e desafios que herdamos do século XX e, ao mesmo tempo, responder à
convocação para que ocupem o lugar estratégico no desenvolvimento social, econômico e
cultural do pais para o século XXI, precisamos de uma visão consistente e responsável de
inovação. Essa visão inclui a construção de políticas educacionais atentas à multiplicidade e
diversidade de usos das tecnologias de modo crítico e criativo por estudantes, professores,
técnicos e gestores. O caminho construído pela Seduc-SC sinaliza uma possibilidade interessante
e inspiradora. Ricardo Henriques - Superintendente do Instituo Unibanco.

33
Professor Online
Ferramenta on-line de acesso aos registros escolares do professor. No Professor Online é
possível fazer os registros escolares, a chamada diária e ter informações das escolas/turmas em que
leciona, calendário escolar, agenda de a�vidades das turmas, horário de aula, entre outras
importantes informações e opções de registros disponíveis aos professores da rede pública
estadual. O obje�vo torna a gestão escolar mais ágil e dinâmica com a inclusão de dados escolares
per�nentes ao estudante, bem como o conteúdo das a�vidades e avaliações realizadas pelo
professor.
Em 2018 foram realizadas atualizações no sistema, e um total de 8 capacitações, que
envolveram 600 professores e gestores de todo o estado.

Estudante Online
Ferramenta on-line de acesso aos registros escolares do professor. No Professor Online é
possível fazer os registros escolares, a chamada diária e ter informações das escolas/turmas em que
leciona, calendário escolar, agenda de a�vidades das turmas, horário de aula, entre outras
importantes informações e opções de registros disponíveis aos professores da rede pública
estadual. O obje�vo torna a gestão escolar mais ágil e dinâmica com a inclusão de dados escolares
per�nentes ao estudante, bem como o conteúdo das a�vidades e avaliações realizadas pelo
professor.

Matrícula Online
Ferramenta on-line de acesso aos registros escolares do professor. No Professor Online é
possível fazer os registros escolares, a chamada diária e ter informações das escolas/turmas em que
leciona, calendário escolar, agenda de a�vidades das turmas, horário de aula, entre outras
importantes informações e opções de registros disponíveis aos professores da rede pública
estadual. O obje�vo torna a gestão escolar mais ágil e dinâmica com a inclusão de dados escolares
per�nentes ao estudante, bem como o conteúdo das a�vidades e avaliações realizadas pelo
professor.

Novo Sistema de Gestão de Pessoas Online


Ferramenta on-line de acesso aos registros escolares do professor. No Professor Online é
possível fazer os registros escolares, a chamada diária e ter informações das escolas/turmas em que
leciona, calendário escolar, agenda de a�vidades das turmas, horário de aula, entre outras
importantes informações e opções de registros disponíveis aos professores da rede pública
estadual. O obje�vo torna a gestão escolar mais ágil e dinâmica com a inclusão de dados escolares
per�nentes ao estudante, bem como o conteúdo das a�vidades e avaliações realizadas pelo
professor.

34
Ampliação da Rede de Fibra Ótica
A ação em conjunto com o Ciasc levou fibra ó�ca com 100 MPps para 102 escolas
catarinenses.

Compra de Equipamentos
Em 2018 foram comprados 10 milhões de reais em equipamentos, que beneficiaram a 50
escolas.

Contagem Automatizada da Alimentação Escolar


Para tornar o processo de contagem da alimentação escolar mais ágil, econômico e
transparente a Secretaria de Estado da Educação (SED) desenvolveu um aplica�vo de contagem
automá�ca das refeições servidas aos alunos. O aplica�vo de Contagem Automa�zada da
Alimentação Escolar foi desenvolvido pela GETIG/DITI em parceria com a GEALI/DIAM e
disponibiliza, através de leitores de QR Code e código de barras, os dados da contagem da
alimentação diretamente no Sistema SISGESC, facilitando seu acompanhamento e controle pela SED
em tempo real. Ele foi desenvolvido com o obje�vo de automa�zar o processo de Alimentação
Escolar na Rede Pública de Ensino de SC gerando economia, o�mizando o processo de contagem das
refeições servidas com transferência automá�ca de dados para o sistema SISGESC - módulo
Alimentação Terceirizada.
Em 2018 foram realizados ajustes no aplica�vo e testes prá�cos em escolas da região da
Grande Florianópolis, para u�lização também com smartphones, e até o final do ano serão cerca de
200 mil estudantes e 300 escolas cobertos pelo sistema.

Gerenciamento Eletrônico de Documentos - GED


Secretaria implantou o Gerenciamento Eletrônico de Documentos (GED), com o obje�vo de
organizar, minimizar e facilitar o acesso à informações existentes nos arquivos do Ins�tuo Estadual
de Estadual de Educação (IEE), das Unidades Escolares e dos diferentes setores do órgão Central da
SED. As escolas da rede estadual catarinense têm por obrigação armazenar o histórico escolar dos
alunos e informações referentes à contratação/registro dos professores em seus arquivos. Estes
dados são armazenados em papel, dificultando o acesso e manuseio com o passar do tempo. Por
isso, o obje�vo do projeto é colocar as informações escolares num formato digital, com indexação e
armazenamento em uma infraestrutura de banco de dados, da qual o documento poderá ser
encontrado facilmente por meio de sistemas corpora�vos, tais como o SISGESC. Os dados referentes
às escolas ex�ntas ou desa�vadas são enviados para a Secretaria de Estado da Educação, onde os
mesmos são microfilmados e guardados, ficando disponíveis para consulta apenas no Setor de
Escolas Ex�ntas. Conforme regulamento do Sistema, a SED, por meio da Comissão Permanente de
Avaliação de Documentos, vem desenvolvendo trabalhos referentes a Avaliação de Documentos,
aplicação da Tabela de Temporalidade e digitalização de documentos da SED, que segue os passos
do Manual de Avaliação de Documentos da SED. Entre os Resultados da implantação, estão a
redução da massa documental, a racionalização dos custos (redução dos custos), a melhora do
processo de armazenamento, a facilidade na pesquisa de documentos, a preservação e conservação
dos documentos.

35
Em 2018 a equipe passou a ter sala própria, e foi concluída a digitalização de documentos
de todas as escolas da Grande Florianópolis. O volume total de documentos digitalizados chegou a
52 milhões.

Ações Transversais
Participação na #OracleOpenWorld - 20 e 21 de junho em São Paulo/SP. Um grande evento
de tecnologia e inovação. Precisamos circular por espaços que possam nos proporcionar inspiração
para enfrentar os desafios de construir o futuro da educação brasileira. Da mesma forma,
precisamos aprender a dialogar com outros campo e setores da Sociedade, no esforço de falar não
só para os “conver�dos” do campo educacional. A verdade é que não temos conseguido dialogar
com a sociedade brasileira, e falamos apenas para aqueles que já militam no campo educacional.

Na oportunidade pude falar com especialistas da área da tecnologia e inovação e outros


colegas do Governo Federal sobre os desafios da construção de um novo modelo de Governo
Digital, em que o cidadão esteja no centro do processo de design, e que tenha suas decisões
tomadas com base em informação e inteligência baseada em dados.

Participação no 46º Seminário Nacional de TIC para a Gestão Pública/SECOP – 08 a 10 de


agosto em Florianópolis/SC. O mais importante evento de TIC para a gestão pública do Brasil, o
SECOP, é uma inicia�va da ABEP – Associação Brasileira de En�dades Estaduais de Tecnologia da
Informação e Comunicação. A cada ano, o SECOP é organizado por uma das associadas ABEP:
empresas estaduais de TIC espalhadas pelo Brasil.

Participação no LET'S GO FESTIVAL - 25 e 26 de setembro em Curi�ba/PR. Maior Fes�val de


Inovação Educacional da América La�na, serão 2 dias de muito conteúdo, experiências imersivas e
networking. Gestores, Diretores e Coordenadores das maiores ins�tuições de ensino, engajados em
promover a revolução educacional nas escolas.

Participação de Reunião do Colegiado Estadual de Educação da FECAM – 12 de setembro


em Florianópolis/SC. Discussão sobre a criação de um sistema estadual de avaliação, em parceria
com os municípios.

Estudo Experimental do EMITI - Para promover a educação integral para todos, teremos que
cuidar das nossas dívidas do passado, mas sem �rar os olhos do futuro. Não conseguiremos avançar
na velocidade e caminho necessários se olharmos apenas pelo retrovisor. Se quisermos levar nossa
educação para o século 21, precisaremos inovar nossa forma de educar. O caminho para inovação é
unir Ciência e Educação. Não se trata de ensinar mais “ciência” na escola, mas de fazer a ponte entre
pesquisadores de diversas áreas do conhecimento, professores e gestores para que, juntos,
desenvolvam e experimentem inovações capazes de inovar a maneira como ensinamos e
aprendemos, com base em evidência e experiência. Para isso, todos os atores sociais precisam
trabalhar em rede, num espírito corresponsabilidade, para cumprir os compromissos
democra�camente estabelecidos e fazer avançar a agenda da educação. O Projeto Educação
Integral para o Ensino Médio (EMITI) foi desenvolvido em parceria com a Secretaria de Estado da
Educação de Santa Catarina, com o apoio do Ins�tuto Natura, e inspirada na proposta de educação
integral para o ensino médio, desenvolvida pelo Ins�tuto Ayrton Senna.

36
No contexto desse projeto se insere a proposta de realização deste estudo inovador e
experimental, que se jus�fica pela necessidade de buscar evidências que suportem boas decisões
em relação a enfrentar o desafio de desenhar o ensino médio do futuro.
. Nesse sen�do todos os parceiros (SED/SC, UFJF/CAED e IAS) são agentes engajados na
construção de alterna�vas que iluminem o debate acerca de propostas resolu�vas e eficientes que
promovam a qualidade do ensino médio em nosso país. Por esse mo�vo estão sendo objeto de
validação tanto a proposta do ensino médio em tempo integral (EMITI) quanto a própria proposta
de avaliação, que incorpora de maneira inovadora a mensuração de dimensões socioiemocionais.
Por isso a Secretaria de Estado da Educação, o Ins�tuto Ayrton Senna e a Universidade Federal de
Juiz de Fora desenharam proposta em conjunto para realização de um estudo acerca dos avanços do
projeto do Ensino Médio em Tempo Integral realizado em Santa Catarina. Assumindo essa
responsabilidade, a proposta busca avaliar de maneira inovadora o impacto do programa,
incorporando avaliação inovadora da dimensão socioemocional, trabalhando em parceria
inovadora para promover polí�cas e prá�cas para a construção de uma educação de qualidade para
todos. Esta parceria busca produzir conhecimentos, formar educadores e pilotar soluções
educacionais escaláveis que podem inspirar prá�cas e polí�cas de educação em qualquer região do
País. Busca desenvolver e desenhar estratégias de disseminação de inovações educacionais e
inicia�vas voltadas para estudantes do ensino médio. O presente estudo será realizado em
32 unidades escolares que cons�tuem amostra de escolas que possuem o Ensino Médio em Tempo
Integral e grupo controle, para realização de avaliação de impacto sobre várias dimensões cogni�vas
e socioemocionais.

37
“Precisamos transformar
nossas escolas em

CONSIDERAÇÕES
faróis da Democracia”.

FINAIS
Nunca precisamos tanto de inovação na educação brasileira quanto nos dias de hoje.
Precisamos de inovação porque vivemos uma crise, e não sairemos dessa crise sem um projeto
educacional transformador, inovador, que esteja alinhado ao Brasil do futuro que nossa
sociedade exige e merece. A crise é polí�ca, é�ca, econômica, social. A atual crise abre uma
oportunidade para as escolas catalizarem o papel de formação e engajamento de nossos jovens
como atores polí�cos legí�mos que podem nos ajudar a ressignificar a prá�ca e os valores
associados à democracia. Esse é o momento de transformar as escolas em faróis da Democracia,
garan�ndo que as escolas se concentrem em trabalhar a educação nas comunidades e territórios
em que estão localizadas, construindo projetos polí�cos pedagógicos relevantes para a vida dos
alunos e criando uma cultura democrá�ca dentro das paredes das escolas e em seu entorno.
Par�cipação cívica e democracia não são sinônimos, mas a democracia também requer uma
cidadania capaz de responsabilizar os polí�cos pela substância, em vez da fraude. Para este fim, é
preciso assegurar que os jovens estejam preparados e mo�vados para serem os próximos
administradores da nossa democracia. Essa é uma condição crucial e muitas vezes ignorada para
um sistema polí�co melhorado. Muitas escolas não conseguiram preparar nossos cidadãos mais
jovens para se tornarem administradores da democracia, possuindo o conhecimento e as
habilidades necessárias para uma cidadania a�va e engajada. Para refazer nossas ins�tuições e
fortalecer a democracia para as próximas gerações, o lugar mais impactante para começar é com
nosso sistema educacional.
E como transformar nossas escolas em faróis da Democracia?
O processo começa com um maior respeito pela comunidade em que a escola está situada. Os
alunos precisam entender que a comunidade é um lugar onde os cidadãos manifestam seus desejos
e necessidades e trabalham juntos para resolver desafios comuns. Os membros da comunidade
precisam ver o sucesso dos jovens como relevante para o sucesso da comunidade. temos que
cul�var altas expecta�vas em nossas crianças e jovens. Os gestores escolares precisam aprender a
reconhecer os estudantes como atores relevantes e fornecedores de importantes conhecimentos
cívicos locais, capazes de par�cipar dos debates decisórios locais. Os jovens têm um lugar no
discurso e na ação da comunidade, e é importante que eles vivenciem a totalidade do processo
democrá�co. O aumento e a melhoria da educação cívica dos jovens são frequentemente citados
como a solução para este problema. Ressignificar o civismo é lógico e importante.
De fato há pouco espaço curricular para aprender e ensinar efe�vamente a educação cívica,
e os recursos do governo federal, estados e distritos são escassos sobre o assunto. Assim como as
correções estruturais de nossa democracia, a educação cívica é importante, mas insuficiente por si
só.
Nossas escolas, há algum tempo, estão ausentes ou equivocadas em sua missão cívica. Falta clareza
de propósito. A maior parte do nosso discurso público e da polí�ca educacional tem se concentrado
em recursos e metas imediatas, como matrículas, frequência, graduação ou desempenho dos
alunos nos domínios básicos da linguagem ou da matemá�ca. Todos esses insumos são
importantes, com certeza; especialmente se eles estão bem alinhados com um perfil de graduados
do ensino médio que incluem as competências essenciais para par�cipar a�vamente de uma
sociedade democrá�ca.

38
Será que as escolas estão fazendo o trabalho de cul�var uma cidadania democrá�ca se se
deixam in�midar uns aos outros sobre diferenças em suas iden�dades, enquanto os adultos fecham
os olhos sobre o assunto?
As escolas não estão preparando os alunos para entender que, em uma democracia, todas
as pessoas têm os mesmos direitos e deveres. Será que os gestores escolares cumprem suas
obrigações para com uma sociedade democrá�ca se es�verem focados apenas em conseguir que as
escolas melhorem o desempenho dos estudantes em linguagem e matemá�ca, enquanto deixam de
atuar e enfrentar grupos extremistas que desafiam a inclusão de livros no currículo, que promovem
o pensamento crí�co e uma apreciação acerca da diversidade cultural brasileira?
Deixo essas questões aqui nas considerações finais, para que possam provocar um saudável debate
sobre a educação que o Brasil precisa. Não podemos mais adiar esse debate. Sou um o�mista, pois
acredito nas pessoas e acredito no poder transformador da educação.
Nossa democracia pode de fato estar em risco, e esse cenário exige uma abordagem forte e
sistêmica. Precisamos de uma reorientação fundamental do propósito da educação pública para
garan�r que nossa geração mais jovem não apenas compreenda a democracia, mas também
par�cipe da criação de uma versão melhor dela. Um Novo propósito com uma visão mais ampla de
como nossas escolas podem ajudar nossos alunos a defender uma democracia que está em grande
risco. Podemos ainda não ter criado uma democracia estável o suficiente para as gerações futuras.
Mas os jovens podem ajudar a criar um melhor.

39
EQUIPE DA DIRETORIA DE
TECNOLOGIAS E
INOVAÇÃO
DIRETORIA DE TECNOLOGIA E INOVAÇÃO
Alexandre André dos Santos - Diretor
Adriana Pacheco Bombazaro
Ana Rúbia Franz Miguel
Danielle Salvador Melo Burigo

GERÊNCIA DE TECNOLOGIA DA INOVAÇÃO E GOVERNANÇA ELETRÔNICA


Dóris Maria Luiz
Felipe Xavier de Oliveira - Gerente
Fabrício Antunes Chagas
Luiz Alberto da Rosa

GERÊNCIA DE ACOMPANHAMENTO DE PROGRAMAS E PROJETOS


Mirian Soares Pereira - Gerente

GERÊNCIA DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS E INOVAÇÃO


Marise Suely Conceição de Souza - Gerente
Nilso de Souza

ESTAGIÁRIOS E TERCEIRIZADOS
Adalberto Silvano
André Vinícius M. Santos
Beatriz Pioneer
Bruno Coelho Sagaz
Carlos Alberto da Silva
Daniel Fernando da Silva
Gabriel Cimirro
Iury Vinicius Ramos
Julcemar Carlos Silva Junior
Julia Sievert Alves
Matheus Cid Bertollo
Raissa Vitoria Silva da Cruz
Silvia Irene Ertle
Thiago Silveira Bauer
Victor Patricio Espindola

Beatriz Vitali Serafim - Responsável pela diagramação e arte do documento.

40
Nunca precisamos tanto de
inovação na educação
brasileira quanto nos dias
de hoje. Precisamos de
inovação porque vivemos
uma crise, e não sairemos
dessa crise sem um
projeto educacional
transformador, inovador,
que esteja alinhado ao
Brasil do futuro que
nossa sociedade
exige e merece.

41